19/12/2018 10:23
Notícias / Conteúdo

Estudantes de Minas Gerais desenvolvem prótese em 3D de baixo custo

O foco inicial para os estudos foi o auxílio a crianças com deficiência do membro superior

Adelina
por Adelina Lima

Estudantes da Universidade em Itajubá, em Minas Gerais, desenvolveram projetos que melhoram a qualidade de vida das pessoas. Um dos exemplos é uma prótese biônica em impressora 3D, de baixo custo com acabamentos simples, desenvolvida por um grupo de alunos. A ideia surgiu após uma visita do grupo Ex-Machina, de estudantes de vários cursos da Unifei, a uma fábrica de próteses em São José dos Campos (SP).

“Era aquilo que a gente queria fazer no nosso projeto. A gente começou a pesquisar a parte de biomedicina, pra ter mais conhecimento de como é a relação do homem e da máquina, e conseguir desenvolver a nossa prótese”, explica a diretora geral do grupo, Tamires Gomes Targino. “Existem diversos projetos aqui dentro da universidade e o nosso é um dos que se diferem, principalmente pelo fato de ter o maior contato com a sociedade”, analisa Tamires.

“A gente já teve oportunidade de conversar com pessoas que não têm um dos membros e ver qual dificuldade encontraram no dia a dia. E a gente percebe que algo simples pra gente, para eles não é tão simples. Poder voltar essa funcionalidade, deixá-los com um dia a dia mais prático, é muito gratificante”.

Foto: Régis Melo/G1

A prótese
A prótese é feita de forma digital e impressa no plástico em 3D, peça por peça. Depois, é montada com ajuda de pinos e recebe um acabamento em laboratório pelos participantes do projeto. O protótipo desenvolvido imita movimentos de todas as partes dos dedos. Para a prótese funcionar, eletrodos são instalados na parte próxima à amputação do paciente. São eles que levam os sinais elétricos por cabos e levam à movimentação do novo membro.

“Comparada aos outros materiais, ela é muito mais barata, e consegue fazer os mesmos movimentos, consegue ser tão versátil quanto uma que é mais cara”, explica Álvaro Faustino Pereira, diretor da subequipe de Estrutura.

Preço
Segundo levantamentos do grupo, a tecnologia avançada de próteses no mercado coloca o produto com preços que chegam a R$ 130 mil. O preço estimado pelos estudantes para venda do projeto varia de R$ 750 a R$ 2,5 mil. O foco inicial para os estudos foi o auxílio a crianças com deficiência do membro superior.

“Elas sofrem muito, elas se sentem excluídas da sociedade, principalmente no ambiente escolar. Um dos objetivos é trazer independência para a criança e poder auxiliar ela em um ambiente escolar”.

A ideia agora é encontrar parcerias e arrecadar fundos para disponibilizar as próteses de forma gratuita a quem precisa.

Foto Capa: Fernanda Rodrigues/G1

Via: Só Notícia Boa

NOTÍCIAS RELACIONADAS

+ Notícias

Em Belo Horizonte, bebê nasce com mecha branca no cabelo e internet pira com tanta fofura

Mãe e filha são portadoras de uma condição rara chamada Piebaldismo



+ Notícias

Minas Gerais abriga pássaro considerado extinto e uma das espécies mais raras e ameaçadas do planeta

A rolinha-do-planalto tem 16 centímetros e é reconhecida pelos olhos azuis


+ Notícias

Em Minas Gerais, boca de urna aponta Zema como novo governador do Estado

Candidato do Partido Novo lidera com folga sobre Anastasia


+ Notícias

Cafés de Minas Gerais vencem principal concurso de qualidade de café do mundo

Etapa internacional do concurso elegeu campeões grãos produzidos no Estado


+ Notícias

Minas Gerais faz parte de projeto que cria rede de trilhas de 18 mil km no Brasil

Sistema funcionará como uma alternativa de esporte na natureza


+ Notícias

Rodrigo Pacheco e Carlos Viana ocupam vagas do Senado em Minas Gerais

Ex-presidente Dilma Rousseff aparece em 4º lugar


+ Notícias

Em Minas Gerais, Romeu Zema lidera votação para governador do estado

Antonio Anastasia (PSDB) aparece em segundo lugar; Pimentel deve ficar fora do segundo turno


MAIS LIDAS DE HOJE

+ CLUBE DE VANTAGENS CURTA MAIS

Curta Mais 2018. Todos os direitos reservados.