16/01/2018 15:36
Notícias / Curiosidades

O que aconteceria se uma bomba atômica caísse em Brasília?

Ferramenta criada por historiador americano permite calcular os efeitos de uma guerra nuclear na capital do país

   22

Caio
por Caio Miranda

Você já se pegou imaginando o que aconteceria se jogassem uma bomba atômica em Brasília?

O risco de se repetir o que aconteceu no Japão em 1945 parecia cada vez mais distante até alguns anos atrás, mas o crescimento das ameaças entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos traz à tona discussões sobre a deflagração de uma nova guerra nuclear no mundo.

O Brasil não tem grandes inclinações para se envolver em conflitos internacionais dessa espécie, mas o site Nukemap dá a possibilidade de simular cenários hipotéticos de detonação de bombas atômicas por aqui, inclusive em Brasília.

A página, criada pelo historiador Alex Wellrstein (fundador do Instituto de Tecnologia Stevens, nos EUA), permite estipular diversos efeitos de uma bomba nuclear na cidade, desde o número de mortos e feridos ao raio de destruição.

Confira abaixo os dados mais interessantes (e assustadores):

Caso a bomba testada pela Coréia do Norte neste ano fosse detonada na Esplanada dos Ministérios:

b2ae7a66bb663b84e49fbb1e61ed5f1d.png
Mortos: 196,330
Feridos: 441,090
Raio mínimo de destruição: 5,26 km
Várias construções das quadras 605, 405, 205, 105 sul e norte desabariam. A ponte Costa e Silva seria destruída. Moradores de parte do Lago Sul, Sudoeste e do Palácio da Alvorada sofreriam queimaduras de terceiro grau.

 

Caso a bomba Little Boy (detonada em Hiroshima) caísse no Congresso Nacional:

b2d05c6e13a13aa328f738f250ffb034.png
Mortos: 66,870
Feridos: 128,810
Raio mínimo de destruição: 1.91 km
A Catedral, todos os ministérios e a Rodoviária seriam completamente destruídos. Moradores da Vila Planalto sofreriam queimaduras de terceiro grau.

 

Caso a Tsar Bomb, da Rússia (a arma mais potente já feita), caísse no Congresso Nacional:

c5200bf186eb6e8866783b9bb117dfb1.png
Mortos: 1,790,840
Feridos: 1,092,620
Raio mínimo de destruição: 73.7 km
Todas as construções de Taguatinga, Samambaia, Ceilândia, Sobradinho e Planaltina desabariam. Pessoas sofreriam queimaduras graves em Formosa e Luziânia. Efeitos da detonação seriam sentidos em Goiânia.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

  

Confira 13 eventos próximos que irão bombar em Brasília

+ Notícias

Confira 13 eventos próximos que irão bombar em Brasília

As opções reúnem festas LGBTs, shows inéditos e exposições na capital


  

Concurso da Polícia Militar do DF oferece 2.024 vagas com salário de até  R$ 5.245

+ Notícias

Concurso da Polícia Militar do DF oferece 2.024 vagas com salário de até R$ 5.245

É necessário ter nível superior para concorrer as vagas


  

Outback distribui batata frita gratuita em comemoração ao Dia da Austrália

+ Notícias

Outback distribui batata frita gratuita em comemoração ao Dia da Austrália

São quatro dias para degustar a queridinha dos brasileiros


  

Brasília recebe inédita oficina de drinks de verão com entrada gratuita

+ Notícias

Brasília recebe inédita oficina de drinks de verão com entrada gratuita

O evento tem capacidade para 25 participantes. As inscrições já estão abertas


  

Moradores encontram pé de maconha plantado em rua de Brasília

+ Notícias

Moradores encontram pé de maconha plantado em rua de Brasília

A planta tinha aproximadamente 1,5m de altura


  

Concurso da Transpetro abre concurso com 3.531 vagas para todo o Brasil

+ Notícias

Concurso da Transpetro abre concurso com 3.531 vagas para todo o Brasil

Remuneração pode chegar a R$ 6.619,90


  

Confira 4 cidades do DF que entram na lista de restrições dos EUA

+ Notícias

Confira 4 cidades do DF que entram na lista de restrições dos EUA

A recomendação é para que as cidades brasilienses sejam evitadas no período entre 18h e 6h


  

Confira 5 dicas para manter a pele sob a barba hidratada

+ Notícias

Confira 5 dicas para manter a pele sob a barba hidratada

A pele por debaixo da barba necessita de cuidados especiais


+ CLUBE DE VANTAGENS CURTA MAIS

Curta Mais 2018. Todos os direitos reservados.