26/05/2019 16:12
Tecnologia e Inovação / Inovação

Coração é impresso em 3D em a partir de tecido humano

O estudo, publicado na revista Advanced Science, abre caminho para a realização de transplantes sem risco de rejeição, já que o órgão é feito com células do próprio paciente

Bianca
por Bianca Stephania

Cientistas da Universidade de Tel Aviv, em Jerusalém, apresentaram um coração vivo feito a partir de tecido humano com uma impressora 3D.

O estudo, publicado na revista Advanced Science, abre caminho para a realização de transplantes sem risco de rejeição, já que o órgão é feito com células do próprio paciente.

Cientistas da Universidade de Tel Aviv, em Jerusalém, apresentaram um coração vivo feito a partir de tecido humano com uma impressora 3D.

O estudo, publicado na revista Advanced Science, abre caminho para a realização de transplantes sem risco de rejeição, já que o órgão é feito com células do próprio paciente.

Já haviam conseguido imprimir em 3D a estrutura de um coração, mas esta é a primeira vez que alguém consegue projetar e imprimir um coração inteiro, repleto de células, vasos sanguíneos, ventrículos e câmaras", disse ontem (15) o professor Tal Dvir, que liderou a pesquisa, ressaltando que o coração está completo, vivo e palpitando.

"Realizamos uma pequena biópsia de tecido adiposo do paciente, removemos todas as células e as separamos do colágeno e de outros biomateriais, as reprogramamos para que fossem células-tronco e, então, as diferenciamos para que sejam células cardíacas e células de vasos sanguíneos", detalhou.

O protótipo de coração tem cerca de três centímetros, o equivalente ao tamanho do órgão de um coelho ou de uma cereja.

No momento, as células podem se contrair, mas o coração completo não bombeia. "Ainda é muito básico", disse Dvir.

Transplante

De acordo com o pesquisador, é preciso desenvolvê-lo mais, para conseguir um órgão que possa ser transplantado para um ser humano.

"O próximo passo é amadurecer essas células e ajudá-las para que se comuniquem entre elas, de forma que se contraiam juntas. É preciso ensinar as células a se comportarem adequadamente", explicou.

"Depois, teremos outro desafio, que é conseguir desenvolver um coração maior, com mais células. Temos que descobrir como criar células suficientes para produzir um coração humano", acrescentou.

Futuramente, a equipe liderada por Dvir planeja transplantar os corações em pequenos animais, como coelhos e ratos.

"Talvez, em dez anos, haja impressoras de órgãos nos melhores hospitais do mundo, e esses procedimentos sejam conduzidos rotineiramente", finalizou Dvir.

Via: Agência Brasil

Foto: JACK GUEZ / AFP

Notícias sobre:

NOTÍCIAS RELACIONADAS

+ Tecnologia e Inovação

Estudante brasileira de escola pública vence feira mundial de ciências e ganha asteroide com seu nome

Duas estudantes brasileiras de escolas públicas tiveram suas pesquisas reconhecidas na ISEF, a maior feira científica do mundo para estudantes que ainda não chegaram ao ensino superior


+ Tecnologia e Inovação

Centro de Empreendedorismo da UFG recebe certificação inédita no país

O CEI apoia a criação de negócios e promove formação empreendedora para acadêmicos e comunidade


+ Tecnologia e Inovação

Entregador aluga patinete para trabalhar com aplicativo de pedidos em Goiânia

Vídeo flagrado pelo Curta Mais mostra o rapaz circulando pelas ruas do Setor Marista


+ Tecnologia e Inovação

Goiânia recebe o maior evento de tecnologia e inovação em saúde do Centro-Oeste, o Hint One Experience

As maiores referências nacionais e internacionais do setor estão confirmadas na programação do evento que tem promoção exclusiva no Clube Curta Mais


+ Tecnologia e Inovação

Pesquisadoras da UFG desenvolvem medicamento que reverte overdose de cocaína

Formulação produzida com nanotecnologia captura droga em circulação no organismo mesmo em quantidade letal


+ Tecnologia e Inovação

Aplicativo CellPrompter faz sucesso ao transformar seu celular em 'teleprompter' de graça

O TP portátil virou febre entre artistas, bloqueiras e jornalistas


+ Tecnologia e Inovação

Facebook lança ferramenta de relacionamentos concorrente ao Tinder

O Facebook Dating tinha sido apresentada ano passado em uma conferência e já está disponível em mais de 20 países, incluindo o Brasil


+ Tecnologia e Inovação

Professor de Goiânia recebe prêmio internacional com projeto sobre o mosquito da dengue

Dr. Alexsander Augusto de Silveira, foi premiado com a segunda melhor apresentação de pôster oral, com o trabalho sobre o mosquito Aedes aegypti.


MAIS LIDAS DE HOJE

+ CLUBE DE VANTAGENS CURTA MAIS

Curta Mais 2019. Todos os direitos reservados.