21/07/2019 01:26
Notícias / Conteúdo

MEC quer implantar 108 escolas cívico-militares no Brasil até 2023

Além das escolas militares, a ideia é concluir de mais de 4 mil creches até 2022

Marcelo
por Curta Mais

O Ministério da Educação (MEC) pretende implementar 108 escolas cívico-militares até 2023. Essa é uma das ações previstas no Compromisso Nacional pela Educação Básica, documento apresentado hoje (11), em Brasília. Ele reúne ações que estão sendo planejadas para serem implementadas até o fim do atual governo.

Além das escolas militares, pretende-se dar celeridade à conclusão de mais de 4 mil creches até 2022; conectar 6,5 mil escolas rurais por meio de satélite em banda larga em todos os estados; e ofertar cursos de ensino a distância para melhorar a formação de professores, até 2020, entre outras ações.

O documento foi elaborado pelo MEC em conjunto com estados e municípios representados pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime). As ações são voltadas para a educação básica, período que compreende desde o ensino infantil até o ensino médio.

O plano de ação, segundo o ministro da Educação, Abraham Weintraub, visa dar mais protagonismo aos estados e municípios, seguindo o mote defendido pelo governo de menos Brasília e mais Brasil. “As ideias já existiam, precisava transformar a energia potencial em energia cinética”, disse. Segundo ele, o Brasil tem boas iniciativas e recursos que podem ser direcionados para melhorar a educação do país.

A intenção, de acordo com o MEC, é tornar o Brasil referência em educação na América Latina até 2030. “Nós, como brasileiros, em essência, somos tão bons quanto qualquer país no mundo”, disse o ministro. 

Escolas cívico-militares

Um dos destaques do Compromisso Nacional pela Educação Básica é a implementação de escolas cívico-militares, pauta defendida desde a campanha do presidente Jair Bolsonaro.

Neste ano, o MEC passou a contar inclusive com uma Subsecretaria de Fomento às Escolas Cívico-Militares. A intenção é, de acordo com o plano apresentado nesta quinta-feira, implementar o modelo em 27 escolas, por ano, uma por unidade da federação. A medida, segundo o MEC, deve atender a 108 mil alunos.

Além das 27 novas escolas por ano, o MEC pretende fortalecer 28 escolas cívico-militares por ano, em conjunto com os demais entes federados, totalizando 112 escolas até 2023, atendendo a aproximadamente 112 mil estudantes.

As escolas cívico-militares são instituições não militarizadas, mas com uma equipe de militares da reserva no papel de tutores. A meta é aumentar a média do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Segundo o MEC, enquanto a média do Ideb em colégios militares é 6,99, nos civis é 4,94.

 “Os pressupostos é que [a instalação das escolas] se dê em locais carentes, como foi o ensino médio em tempo integral. Se não se coloca em locais que sejam carentes, estará aumentando ainda mais a diferença de conhecimento dessa população”, afirmou o secretário de Educação Básica do MEC, Jânio Carlos Endo Macedo.  Ao todo, o governo pretende investir R$ 40 milhões por ano. (Via EBC)

NOTÍCIAS RELACIONADAS

+ Notícias

Cantora Alcione responde Presidente Bolsonaro sobre críticas a governos nordestinos: assista

Na sexta-feira Bolsonaro foi filmado chamando os governadores do nordeste de "Paraíba"


+ Notícias

Globo solta nota sobre comentários de Bolsonaro: Miriam Leitão foi presa, torturada e não participou de luta armada

Jornalista foi hostilizada em feira literária e ao comentar o ocorrido, o presidente afirmou que a jornalista mentiu sobre ter sido torturada


+ Notícias

QuintoAndar zera taxa de administração para proprietários e dá R$700 de desconto para inquilinos de Goiânia durante mês de julho

Ação contempla o cancelamento da taxa de administração durante os seis primeiros meses e o desconto de R$ 700 na primeira mensalidade do aluguel em contratos fechados até o dia 31/07/2019


+ Notícias

'Bolsonaro é minha maior decepção', desabafa Alexandre Frota

O parlamentar disse, em entrevista à revista Época, que sente “nojo” do bolsonarismo “xiita” e que defende João Doria (PSDB) para comandar o país em 2023


+ Notícias

Veja o que fazer em Goiânia neste final de semana

Julho, mês de férias mas a cidade está cada dia mais agitada. São shows para todos os gostos e bolsos


+ Notícias

Grupo terrorista revela plano para matar Bolsonaro, diz revista

Em entrevista a Veja, representante do SSS ameaça presidente, seus familiares e dois ministros


+ Notícias

Terminal Isidória funcionará em local provisório a partir de Agosto

 As operações serão transferidas para que a prefeitura realize obras no atual terminal. Confira as linhas que podem sofrer alterações


+ Notícias

Marcos Mion e Jair Bolsonaro chegam a acordo para incluir autismo no Censo 2020

Ação dará maior visibilidade a questão e possibilita uma melhor política pública


MAIS LIDAS DE HOJE

+ CLUBE DE VANTAGENS CURTA MAIS

Curta Mais 2019. Todos os direitos reservados.