21/03/2019 09:16
Notícias / Conteúdo

Médica goiana é premiada por estudo que relacionou Zika vírus e microcefalia

Ela também entrou para a lista dos 100 mais influentes de 2017 pela revista Times

Kenji
por Kenji Takahashi

Um levantamento inédito que comprovou a relação entre o surto de Zika Vírus com bebês nascidos com microcefalia no nordeste do Brasil, realizado pela médica goiana Celina Turchi e indicado pela Fundação Oswaldo Cruz, foi o vencedor da 17ª edição do Prêmio Péter Murányi. O estudo também apontou a relação do vírus com o aumento da mortalidade de fetos.
Celina Turchi formou-se pela Universidade Federal de Goiás (UFG) em 1981 e é irmã da presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg), de Maria Zaira Turchi. Além da formação em uma academia aqui de Goiás, Celina possui mestrado em epidemiologia pela London School of Higiene & Tropical Medicine/UK e doutorado pelo Departamento de Medicina Preventiva da USP. Atualmente Turchi é infectologista da Fundação Oswaldo Cruz, em Pernambuco.
Segundo a presidente da Fundação Péter Murányi, Vera Murányi Kiss, estudos como o da médica goiana revelam a importância do trabalho dos pesquisadores brasileiros para preservar o futuro das próximas gerações.
Os resultados obtidos devido ao projeto permitiram que fossem criadas medidas de combate ao mosquito transmissor do Zika Vírus por parte do poder público. Como resultado, foram distribuídos repelentes para grávidas moradoras de áreas de risco - além do acompanhamento que foi oferecido para crianças portadoras de microcefalia.
O estudo foi o primeiro que traçou um paralelo entre a microcefalia e a infecção pelo vírus da Zika e acompanhou a gestação de mulheres de oito diferentes maternidades públicas de Recife. Todo processo se deu entre os meses de janeiro e novembro de 2016.
Ademais, o reconhecimento do trabalho de Celina Turchi foi além e ganhou reconhecimento internacional – ela foi eleita uma das 100 pessoas mais influentes do mundo, eleitas em 2017 pela conceituada revista norte-americana Time.
A cientista brasileira formou uma rede internacional com cerca de 30 profissionais de diversas especialidades e instituições, juntos no Microcephaly Epidemic Research Group (Grupo de Pesquisa da Epidemia de Microcefalia), que conseguiu identificar a relação entre o vírus Zika e a microcefalia em tempo recorde: apenas três meses.

Foto de capa: Celina Turchi/Divulgação/Istoé.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

+ Notícias

Última Superlua do ano acontece nesta quarta-feira

Ela pode ser vista em seu auge às 22:43h


+ Notícias

Festival Bananada anuncia novas datas para a edição de 2019

O anuncio foi feito no Instagram oficial do evento que passa acontecer no segundo semestre em Goiânia


+ Notícias

Disney e Fox se fundem oficialmente nesta quarta-feira

Títulos como Deadpool, Avatar, X-Men e Os Simpsons passaram a pertencer à Disney


+ Notícias

Outono começa nesta quarta-feira e traz algumas mudanças para a região central do país

Apesar de não trazer grandes alterações, podemos esperar um aumento na temperatura


+ Notícias

Chester Bennington faria 43 anos nesta quarta-feira e recebe homenagens

O ex-vocalista do Linkin Park está recebendo homenagens em seu nome no dia de hoje, com a #HappyBirthdayChester


+ Notícias

Entregador de 66 anos que alugava bicicleta para trabalhar ganha uma de presente de leitor do Curta Mais

O encontro entre Seu Carlos e o empresário Gianluca foi feito após enorme repercussão nas redes sociais


+ Notícias

Goiânia recebe distribuição de marmitas veganas para moradores de rua

Projeto "Servindo Amor" espalha o bem a humanos, animais e vegetais


+ Notícias

Alexandre Pato faz surpresa romântica para Rebeca Abravanel no Roda a Roda

O jogador surpreendeu com flores a filha de Silvio Santos


MAIS LIDAS DE HOJE

+ CLUBE DE VANTAGENS CURTA MAIS

Curta Mais 2019. Todos os direitos reservados.