18/11/2019 14:14
Notícias / Conteúdo

Museu Nacional mostra parte do acervo ao público depois de incêndio

Foi exibida a coleção didática, que era usada em mostras itinerantes

Bianca
por Bianca Stephania

O Museu Nacional exibiu hoje (16) uma pequena parte de seu acervo ao público na Quinta da Boa Vista, em tendas montadas em frente ao prédio centenário que foi parcialmente destruído por um grande incêndio há duas semanas.

A exibição envolveu a chamada coleção didática, que antes do incêndio era usada em mostras itinerantes do museu e emprestada para escolas.

Essa foi a primeira vez que o Museu Nacional exibiu sua coleção didática ao público desde o incêndio ocorrido em 2 de setembro. Visitantes da Quinta da Boa Vista, parque municipal onde se localiza o museu, tiveram a oportunidade de ver e tocar em animais empalhados, ossos de animais, amostras de rochas e insetos.

“Nosso objetivo é estar aqui todo domingo e manter essa relação com a população, em permanente contato com o público que frequenta a Quinta da Boa Vista”, disse a educadora museal Andrea Costa.

“O Museu Nacional está vivo e, dentro das circunstâncias que vivemos, estamos nos adaptando para mostrar à população o que estamos fazendo e trazer a população para junto da instituição neste momento tão difícil”, disse o diretor do Museu Nacional, Alexander Kellner. Ele informou que pretende instalar um contêiner em frente ao prédio para dar informações à população sobre a reconstrução da instituição.

55aeb94ff04f775602b9e3a4baa7ab8c.jpg
f1f6eb69043fe7f10c6a62c0bdce7f14.jpg
Imagens: Márcia Foletto/Agência O Globo

Recuperação do museu

Alexander Kellner afirmou também é preciso esperar a conclusão da estabilização estrutural do edifício atingido pelas chamas no último dia 2 para iniciar o trabalho de resgate do acervo que ainda está dentro do prédio. A garantia da estabilização das estruturas é importante também para que a Polícia Federal conclua sua perícia, segundo Kellner.

Segundo o diretor, museus e governos de outros países têm entrado em contato com o Museu Nacional para oferecer ajuda. “O que a gente pede enquanto museu é: não nos deem dinheiro, nos deem acervos. Só que nós temos que merecer esse acervo, ter as condições não só dignas mas excepcionais para cuidar desse acervo e nunca mais uma tragédia dessa aconteça”, disse.

Fonte: Vitor Abdala/Agência Brasil

NOTÍCIAS RELACIONADAS

+ Notícias

Fátima Bernardes curte feriado em Pirenópolis e se derrete pelo destino goiano e pelo namorado

A apresentadora postou as fotos nas redes sociais com uma legenda encantadora


+ Notícias

Inscrições abertas para o concurso público do Hospital das Clínicas em Goiânia

As inscrições estão abertas desde o dia 6 de novembro até às 22h do dia 10 de dezembro


+ Notícias

Reinaldo, o Príncipe do Pagode, morre aos 65 anos

Os sambistas Dudu Nobre, Mumuzinho e Arlindinho fizeram homenagens nas redes sociais


+ Notícias

Após virada heroica contra a França, Brasil joga final do Mundial Sub-17 neste domingo

A Seleção Brasileira enfrenta o México, às 19h (de Brasília), no estádio Bezerrão, no Gama-DF


+ Notícias

Aos 36 anos,Tuka Rocha, ex-piloto de Stock Car,morre em acidente aéreo

Ex-piloto de Stock Car teve 80% do corpo queimado e complicações pulmorares


+ Notícias

Adote uma cartinha: Campanha Papai Noel dos Correios começou em Goiânia

As adoções das cartinhas online podem ser feitas até 29 de novembro


+ Notícias

Confira o que abre e o que fecha em Goiás no feriado da Proclamação da República

Os shoppings e a Região da 44 vão funcionar normalmente


+ Notícias

Cãonicórnio: cachorrinho nasce com rabinho no rosto e conquista web

As definições de cãezinhos foram atualizadas


+ CLUBE DE VANTAGENS CURTA MAIS

Curta Mais 2019. Todos os direitos reservados.