Brasília é a única cidade do Brasil na lista de destinos do ‘New York Times’

O Brasil conquistou uma posição no prestigioso ranking de destinos de viagem para 2024 do “The New York Times”. Desta vez, Brasília assume a 32º posição, destacando-se por sua Esplanada dos Ministérios, repleta de edifícios futuristas, espelhos d’água e arcos, mesmo sendo frequentemente eclipsada por destinos mais extravagantes como Rio de Janeiro e Bahia, conforme observado pela publicação.

 

A novidade neste ano é a inclusão de eventos e passeios turísticos no ranking, sendo o primeiro lugar atribuído à vasta região entre as praias de Mazatlán, no México, e as enseadas escarpadas de Maberly, Newfoundland, ambas na América do Norte. Essa região será palco do Festival Portal Eclipse, transmitido pela NASA em 8 de abril.

 

Comparado ao ranking de 2023, que incluiu o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses e Manaus nas 11° e 41° posições, respectivamente, a representação do Brasil se expandiu, proporcionando uma visão abrangente das riquezas turísticas do país.

 

Confira a lista completa:

  1. The Path of Totality, América do Norte
  2. Paris, França
  3. Yamaguchi, Japão
  4. Viagem de trem por vinhedos e vulcões na Nova Zelândia
  5. Maui, Havaí
  6. Baaj Nwaavjo I’tah Kukveni, Arizona
  7. Singapura, Ásia
  8. O’Higgins, Chile
  9. Ladakh, Índia
  10. Genebra, Suíça
  11. Domínica, Caribe
  12. Manchester, Inglaterra
  13. Crateras da Lua, Idaho
  14. Baltimore, Maryland
  15. Salar de Uyuni, Bolívia
  16. Negombo, Sri Lanka
  17. Massa-Carrara, Itália
  18. Bannau Brycheiniog, País de Gales
  19. Marrocos, África
  20. Valência, Espanha
  21. Kansas City, Missouri
  22. Antananarivo, Madagascar
  23. Península de Yucatán, México
  24. Lake Toba, Indonésia
  25. Almaty, Cazaquistão
  26. Quito, Equador
  27. Arquipélago Mingan, Quebec
  28. Montgomery, Alabama
  29. Tasmânia, Austrália
  30. Waterford, Irlanda
  31. Parque Nacional Tsavo, Quênia
  32. Brasília, Brasil
  33. El Salvador
  34. Koh Ker, Camboja
  35. Vestmannaeyjar, Islândia
  36. Montevidéu, Uruguai
  37. Mustang, Nepal
  38. Viena, Áustria
  39. Brisbane, Austrália
  40. Pasadena, Califórnia
  41. Hurgada, Egito
  42. Águas Fronteiriças, Minesota
  43. Salónica, Grécia
  44. Normandia, França
  45. Granada, Caribe
  46. El Caminho da Costa Rica
  47. Alpes Albanês
  48. Whitehorse, Yukon (Canadá)
  49. Choquequirao, Peru
  50. Dresda, Alemanha
  51. Reserva da Biosfera da Borboleta Monarca, México
  52. Flamingo, Flórida

*Com informações do G1

 

Brasília tem um fantástico paraíso com piscinas gigantes de água mineral e ninguém te contou

O que você pensaria se dissessem que Brasília, a capital arquitetônica e administrativa do país, também é um refúgio de águas cristalinas e biodiversidade rica? Surpreendente, não é? O Parque Nacional de Brasília, carinhosamente apelidado de “Água Mineral”, é a prova viva dessa combinação impressionante.

Em pleno Distrito Federal, a apenas 10 km do centro, está um dos maiores tesouros naturais da região: duas imponentes piscinas formadas por poços d’água que surgiram às margens do Córrego Acampamento. Essas nascentes, paradoxalmente, devem sua existência à extração de areia realizada antes da criação da cidade.

Mais do que um simples balneário, o Parque é um testemunho histórico da construção da nova capital, nascido em 1961 e administrado com paixão pelo Instituto Chico Mendes de Biodiversidade. Mais do que proteger a fauna e flora nativa, o parque é um educador ambiental, buscando inspirar seus visitantes com o sentido profundo de responsabilidade ambiental.

Além de um mergulho revigorante, o local oferece trilhas que revelam o cerrado em sua forma mais pura. Para os mais aventureiros, a trilha do Cristal Água é um convite, enquanto aqueles que preferem algo mais tranquilo podem optar pela trilha da Capivara. E para os que amam a tradição, que tal um piquenique sob as copas das árvores, embalado pelo som harmonioso da natureza?

Portanto, quando estiver em Brasília, não se limite aos edifícios icônicos e praças magníficas. Dê um salto para o Parque Nacional e descubra um outro lado da capital: um lado mais natural, mais sereno e, certamente, igualmente impressionante.

Informações Práticas:

  • Horário: Seg-Sex: 8h-17h | Sáb: 8h-18h | Dom: 8h-16h
  • Site: ICMBio
  • Endereço: s/n, Sman – Zona Industrial, Brasília – DF, 70635-800

Visitar o Parque Nacional de Brasília é se reconectar com a natureza, ao mesmo tempo que se imerge na história e cultura da nação. Um passeio que certamente permanecerá em sua memória por muito tempo.

Brasília tem extraordinário refúgio com natureza intocada, poços d’água cristalinos a animais raros

O Parque Nacional de Brasília, carinhosamente conhecido como ‘Água Mineral’, é uma preciosidade escondida a apenas dez quilômetros do centro de Brasília. Ostentando o título de um dos parques mais frequentados no Brasil, essa maravilha de conservação se estende por um impressionante território de 423,6 km², abraçando regiões do Distrito Federal e até mesmo chegando ao município de Padre Bernardo, em Goiás.

Origens e Preservação Histórica

A génese deste santuário remonta à construção de Brasília, quando a área, inicialmente designada para um “Convênio Florestal”, transformou-se no coração verde da capital por proposta do engenheiro e ambientalista Ezechias Heringer em 1961. Ele vislumbrou uma região repleta de flora típica do cerrado, fauna diversificada, nascentes límpidas e uma topografia única que merecia proteção e preservação. A visão de Heringer levou à sua oficialização pelo então primeiro-ministro, Tancredo Neves.

Mas, como qualquer tesouro, o Parque Nacional de Brasília enfrentou ameaças. Invasões, incêndios e até debates sobre privatização nos últimos anos mostraram a importância de uma gestão focada na conservação.

Passeios e Atrações

Para os amantes da natureza, este parque é um verdadeiro paraíso. As piscinas naturais formadas pelos poços d’água são um convite refrescante em dias quentes. Para os mais aventureiros, as trilhas, como a da Capivara e a do Cristal Água, proporcionam uma experiência imersiva pelo cerrado.

Biodiversidade em Destaque

O parque é um refúgio para diversas espécies. Desde o majestoso lobo-guará até o tatu-canastra, a fauna deste local é rica e diversificada. Além disso, é comum avistar grupos de macacos-prego, embora os visitantes sejam aconselhados a não alimentá-los. A flora, dominada pelo cerrado, se destaca com a presença da palmeira de buriti e diversas espécies de Velloziaceae.

Conexão com a Natureza

Se você está buscando um retiro tranquilo da agitação urbana, o Parque Nacional de Brasília é o destino ideal. Sua localização estratégica perto do centro da cidade torna-o acessível, seja você um turista ou um morador local. Em 2019, mais de 250 mil visitantes se maravilharam com as belezas deste parque. E você, já programou sua visita?

Capital do Brasil tem uma mini Dubai em seu coração

Você sabia que existe um pedacinho de Dubai na capital do Brasil? Trata-se do Royal Tulip, um resort de luxo que se inspira no encanto e na sofisticação de Dubai. Vamos conhecer um pouco da história, arquitetura e atrativos deste lugar tão singular localizado em Brasília.

 

A relevância desse tema vai além das fronteiras geográficas; ele se enquadra no turismo de alto padrão, do desenvolvimento econômico e da busca por experiências únicas. Vamos descobrir como o Royal Tulip combina a herança cultural e a hospitalidade brasileira com o luxo de Dubai, criando uma experiência sem igual.

 

 

Algumas semelhanças que encontramos entre os resorts em Dubai e o Royal Tulip são: Boa localização que provê excelentes vistas para seus visitantes; hotel grande e luxuoso; tem um histórico de hospedagem de líderes mundiais e personalidades importantes; oferece diversas comodidades e atrações especiais; oferece pratos de culinária renomada. Tanto o Royal Tulip quanto os resorts de luxo em Dubai oferecem experiências incríveis, mas cada um com seu próprio estilo e charme distintos.

 

O Royal Tulip foi inaugurado em 2001 e já hospedou príncipes, sheiks e líderes como os presidentes, George W. Bush e Barack Obama, dos Estados Unidos, e Nicolas Sarkozy, da França. O local também recebeu diversos reis como Felipe VI, da Espanha, além de comitivas internacionais e nacionais. O hotel é um projeto do arquiteto Ruy Ohtake e construído pela PaulOOctavio em parceria com a Funcef, e gera centenas de empregos mensalmente. 

 

 

Muito bem localizado, o Royal Tulip é certamente um dos hotéis mais luxuosos do Distrito Federal, estando entre um dos melhores hotéis 5 estrelas do Brasil. Fica às margens do Lago Paranoá, vizinho ao Palácio da Alvorada e a menos de 10 minutos do centro comercial de Brasília e da Esplanada dos Ministérios e a 15 minutos do aeroporto. 

 

O hotel apresenta um total de 395 quartos espaçosos e mobiliados em estilo elegante. Todos oferecem confortos como ar-condicionado, cama king-size, varanda, TV a cabo e frigobar. Alguns quartos incluem sala de estar, TV de tela plana e uma varanda maior, com vista do lago. O Royal Tulip ainda conta com 3 piscinas, spa, fitness center e quadras de tênis. Além de todas as atrações, o hotel conta também com um farto buffet de café da manhã, e cervejas refrescantes estão disponíveis no pub inglês da propriedade. Já o restaurante Herbs serve pratos das culinárias internacional e regional.

 

 

O resort de luxo inspirado em Dubai, localizado em Brasília, é mais do que apenas um local de hospedagem; é uma experiência que parte da combinação do luxo de Dubai com a cultura do Brasil, oferecendo algo verdadeiramente único. Seja para relaxar em um ambiente luxuoso, celebrar ocasiões especiais ou explorar a cidade, o Royal Tulip é um local que vale a pena conhecer.

 

Fonte: Repórter Brasília

Fotos: Tripadvisor

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

 

>Veja Também<

 

Turismo em Brasília: Os 15 pontos turísticos que você precisa visitar em Brasília

 

Restaurantes em Brasília: Os 10 melhores restaurantes de Brasília

 

10 razões para você se apaixonar pelo Lago Sul em Brasília

É um pássaro? Um avião? OVNI é flagrado voando em Brasília

Um vídeo que viralizou nas redes sociais mostra o momento em que um Objeto Voador Não Identificado (OVNI), que passaram a ser chamados de Fenômenos Anômalos Não Identificados (UAP, em inglês), sobrevoa o Congresso Nacional, em Brasília.

Gravado em 14 de agosto, o vídeo mostra um céu bem limpo, mas não é possível identificar de fato o que pode estar voando. Segundo Rony Vernet, engenheiro eletrônico e de computação da Petrobras e que compartilhou o vídeo nas redes sociais, existe uma explicação “mundana” para o caso.

As luzes foram avistadas atravessando o céu na Esplanada dos Ministérios, antes de desaparecerem momentos depois.

ovni
Gravado em 14 de agosto, o vídeo mostra um céu bem limpo, mas não é possível identificar de fato o que pode estar voando – (crédito: Reproduçãoo/Twitter @RonyVernet)

“A única explicação seria pássaros brancos refletindo a luminosidade da cidade. No entanto, eu nunca vi nada similar a isso no Brasil, somente no hemisfério norte com pássaros como os gansos de neve canadenses”, explicou o especialista para o Correio Braziliense.

A Polícia Federal (PF) vai enviar para análise as imagens de óvnis. Em relação a esse fenômeno, segundo informações do G1, o Comando da Aeronáutica esclareceu que não conduz estudos nem análises sobre esse tema, limitando-se a catalogar as informações fornecidas por terceiros. Esses registros são então periodicamente encaminhados ao Arquivo Nacional. Por sua vez, o Detran-DF afirmou que não realizou voos na região durante o período.

Em sua rede social, Vernet, que se coloca como pesquisador de Fenômenos Anômalos Não Identificados, descreve os objetos como “pássaros dourados luminosos” e afirmou que as pessoas responsáveis pela gravação começaram a filmar porque conseguiam ver as luzes a olho nu.

Confira o vídeo abaixo:

 

7 Grupos de Rock de Brasília que conquistaram o país

A cena musical de Brasília, capital do Brasil, tem papel fundamental na história do rock nacional e internacional.

Diversos grupos musicais nasceram na região e alcançaram reconhecimento global, contribuindo para colocar o rock brasileiro na cena mundial. São diversos nomes icônicos: Legião Urbana, Capital Inicial e Raimundos. Eles ajudaram a consolidar Brasília como um celeiro de talento e criatividade no cenário musical.

Nesta lista, trouxemos as jornadas dessas bandas que partiram de Brasília e deixaram uma marca duradoura na história do rock.

 

Aborto Elétrico

aborto

Créditos: Correio Braziliense

O Aborto Elétrico começou em 1978. Na época a formação era composta por Felipe Lemos na bateria, Renato Russo no baixo e na voz e André Pretorius na guitarra. Com a saída de André Pretorius, Renato Russo passou para a guitarra e Flávio Lemos assumiu o baixo.

Mesmo não tendo gravado nada de forma oficial, a banda fazia sucesso entre os jovens da época no Distrito Federal. A banda acabou influenciando diversos jovens a desenvolverem seus próprios trabalhos musicais.

 

Ouça Agora um dos sucessos mais memoráveis do grupo: Fátima

 

Legião Urbana

legião

Créditos: Wikipédia

A Legião Urbana foi uma das principais bandas do rock brasileiro. O grupo se formou em 1982.. Após algumas apresentações e outras formações, a banda chegou a seu trio original com Renato Russo (vocal e baixo), Dado Villa Lobos (guitarra) e Marcelo Bonfá (bateria).

Após um show no Circo Voador em 1983 o grupo foi convidado a gravar uma “fita demo” para a EMI. Percebendo a dificuldade de Renato em cantar e tocar o baixo ao mesmo tempo, Marcelo Bonfá sugeriu a entrada do baixista Renato Rocha, que completou o quarteto em 1984, época das gravações do primeiro disco.

Lançado em 1985, o primeiro disco, que tinha o mesmo nome da banda, carregava temáticas politizadas e inúmeros hits contestadores ou românticos, como “Geração Coca Cola”, “Será” e “Por Enquanto”. O segundo disco, Dois, também foi um grande sucesso, puxado por canções como “Tempo Perdido”, “Índios”, “Eduardo e Mônica”, entre outras.

O álbum seguinte, “As Quatro Estações”, é considerado por muitos o melhor e mais maduro trabalho da banda. Foi o álbum mais vendido e com o maior número de hits (das onze canções, nove foram para as rádios). O ex-baixista Renato Rocha até chegou a gravar algumas linhas, mas deixou a banda e teve seu trabalho regravado por Dado e Renato Russo, alternadamente.

O último trabalho da banda, “A Tempestade ou O Livro dos Dias”, viu um debilitado Renato Russo. O artista estava sem condições, inclusive, de participar da sessão de fotos do encarte. O álbum melancólico apresenta-se muitas vezes como uma despedida. 21 dias depois do lançamento do disco, Renato faleceu.

 

Ouça Agora um dos sucessos mais memoráveis do grupo: Tempo Perdido

 

Capital Inicial

capital

Créditos: Capital Inicial 

O Capital Inicial nasceu em 1982. A banda foi idealizada pelos irmãos Fê (bateria) e Flávio Lemos (baixo) após o encerramento das atividades da banda Aborto Elétrico, com a participação de seus ex-integrantes, ao lado de Renato Russo, e Loro Jones (guitarra), provindo da banda Blitz 64. Em 1983, Dinho Ouro-Preto, após um estágio como baixista da banda “dado e o reino animal” (escrito com letras minúsculas), em que também tocavam Dado Villa Lobos e Marcelo Bonfá, após realizar uma audição para vocalista, entra oficialmente no Capital Inicial.

O primeiro LP, “Capital Inicial”, já pela gravadora Polygram, foi lançado em 1986 e obteve ótimas críticas da imprensa especializada. O LP trazia músicas como “Música Urbana”, “Psicopata”, “Fátima”, “Veraneio Vascaína” (censurada pela Polícia Federal), “Leve Desespero” entre outras, com esse álbum o Capital Inicial conquista o seu primeiro Disco de Ouro.

No ano seguinte, 1987, a banda convida o tecladista Bozzo Barretti para fazer parte de sua formação e lança seu segundo disco, “Independência”, emplacando os hits “Prova”, “Independência”, e a regravação de “Descendo o Rio Nilo”. Mais uma vez a banda conquista o que seria o segundo Disco de Ouro. Em 1992 começam os desentendimentos no Capital Inicial, o tecladista Bozzo Barretti deixa o grupo, e em 1993, as divergências musicais e pessoais levam o vocalista Dinho Ouro Preto a seguir carreira solo.

Durante este tempo, o Capital Inicial, segue com o santista Murilo Lima (ex-banda Rúcula) nos vocais, mas praticamente desaparece da mídia, levando muitos a acreditar que a banda havia acabado. Porém, a banda se manteve ativa.

Em março de 1998, mais amadurecidos os 4 integrantes originais do Capital Inicial decidem retomar a banda e voltar aos palcos, graças ao grande apoio dos fãs que mantiveram a banda viva durante esse tempo fora da mídia. Com o lançamento do álbum “O Melhor do Capital Inicial”, pela gravadora Polygram, com as músicas de maior sucesso da banda.

Em fevereiro de 2002, Loro Jones sai da banda. O guitarrista reclamou do excesso de trabalho, com mais de 150 shows e o agravante de que ao contrário dos companheiros de banda, Jones ainda residia em Brasília, levando-o a constantes deslocamentos para São Paulo.

Assim, Yves Passarel, da banda Viper, assume a guitarra do Capital Inicial, e no mesmo ano a banda lança o disco “Rosas e Vinho Tinto” pela Sony Music. Os hits “À sua maneira” e “mais” explodem nas rádios e o disco alcança a marca de 200.000 cópias vendidas.

 

Ouça Agora um dos sucessos mais memoráveis do grupo: Música Urbana

 

Raimundos

raimundos

Créditos: CNN Brasil 

A banda tem mais de 30 anos de estrada e muitas histórias na bagagem. Sem falar nas músicas, que marcaram e ainda marcam gerações de roqueiros brasileiros.

Depois de alguns shows na capital federal, a banda se separou pela primeira vez, em 1990. O rompimento aconteceu porque Rodolfo se casou e foi morar no Rio de Janeiro e Canisso teve um filho.

Porém, um tempo depois, eles receberam um convite para tocar em Goiânia e resolveram reunir os Raimundos. Digão, por conta de problemas auditivos, preferiu tocar guitarra e Fred, que já era fã da banda, assumiu a bateria.

O primeiro álbum, Raimundos, foi lançado um ano depois, pelo selo independente Banguela Records. Nas músicas, o estilo característico do grupo já estava presente: forró com hardcore e letras bem debochadas.

Os próximos álbuns também deram o que falar e colocaram a banda no topo das paradas. Mas, apesar de todo o sucesso, Rodolfo decidiu deixar o grupo em 2001.

O ex-vocalista explicou que saiu porque não estava satisfeito com as suas escolhas pessoais, principalmente em relação às drogas. Tanto que, pouco tempo depois, ele preferiu se dedicar à carreira gospel.

Com outros integrantes, o Raimundos iniciou uma turnê em 2008. O som se tornou mais pesado e tentou se diferenciar ao máximo da formação original. Hoje, a banda está recuperando não só os fãs das antigas. Os mais novos já estão curtindo o som hard rock do grupo e comparecendo aos shows.

 

Ouça Agora um dos sucessos mais memoráveis do grupo: Mulher de Fases

 

Plebe Rude

plebe

Créditos: Correio Braziliense

Banda formada nos anos 80 por Philippe Seabra, Gutje, André X e Jander Bilaphra. Em Brasília, fizeram parte da turma da Colina, integrada por outras bandas como Paralamas do Sucesso e Aborto Elétrico (que posteriormente deu origem Capital Inicial e Legião Urbana).

O grupo dissolveu-se em meados dos anos 90, voltando a reunir-se em 2000 para gravar um álbum ao vivo, intitulado Enquanto a Trégua Não Vem. Em 2003, Gutje e Jander Bilaphra deixam a banda. A Plebe Rude volta na forma definitiva com Clemente, que também integra a banda Inocentes e Totxa, que já havia integrado a banda Maskavo Roots. Em 2006, com esta nova formação, lançaram o álbum intitulado R ao contrário.

 

Ouça Agora um dos sucessos mais memoráveis do grupo: Até Quando Esperar

 

 

Móveis Coloniais de Acaju

moveis
Foto: Winnie Affonso

Móveis Coloniais de Acaju foi uma banda brasileira de pop rock e art rock, com influências do indie rock, pós-punk, garage rock, ska e música típica brasileira.

Surgida em 1998 em Brasília, originalmente conhecida pelo público brasiliense pela sigla MCA, a banda possui três álbuns lançados: Idem (2005), C mpl te (2009) e De Lá até Aqui (2013).

A origem do nome da banda, entre outras versões, é baseada em um evento histórico fictício, a Revolta do Acaju – um suposto conflito unindo índios e portugueses contra os ingleses na Ilha do Bananal.

Em 26 de setembro de 2016, após 18 anos de estrada, a banda informou que fará uma pausa com tempo indeterminado em suas atividades.

 

Ouça Agora um dos sucessos mais memoráveis do grupo: O Tempo

 

 

Scalene

scalene

Créditos: G1 Globo

Conquistando cada vez mais espaço no cenário musical brasileiro a Banda Scalene vem se destacando por trazer elementos de diversas vertentes do rock e as combinando com uma pitada de experimentalismo, criando assim sua identidade forte e contagiante. O quarteto de Brasília formado por Gustavo Bertoni (Vocal e Guitarra), Philipe Conde (Vocal e Bateria), Tomás Bertoni (Guitarra) e Lucas Furtado (Contrabaixo), apesar de jovem, ja trás uma grande bagagem adquirida em seus pouco mais de 4 anos de existência.

Em Agosto de 2012 a banda passa por uma mudança de formação com a saída da vocalista Alexia. Entretanto isso não diminuiu o ritmo dos quatro membros da banda que em pouco tempo se reestruturaram e regravaram algumas músicas de seu álbum na nova formação. Estas regravações deram origem ao “Cromático EP” e seu lançamento ocorreu junto ao clipe da canção “Nunca Apague a Luz”, consolidando a imagem da banda como um quarteto. Na mesma época foram lançados os fã-clipes de Semitom e Tempos Modernos, 100% produzidos pelos fãs da banda utilizando filmagens de um show feito em Brasília.

Em 2015 foi lançado mais um álbum de estúdio, intitulado “Éter”, contendo 12 músicas inéditas. Meses depois disso, a banda participou do programa de televisão ‘Superstar’, terminando em segundo lugar. No ano seguinte foi lançado o double “Entrelaços/Inércia”, realizando-se algum tempo depois disso a gravação de seu primeiro DVD, em Brasília, incluído neste a música inédita ‘Vultos’ e mais 21 músicas dos álbuns anteriores.

Em 18 de Agosto de 2017 foi lançado seu último álbum até então, “magnetite”, com mais 12 faixas exclusivas mesclando estilos experimentais e anteriores da banda.

 

Ouça Agora um dos sucessos mais memoráveis do grupo: Surreal

 

Imagem de capa: Capital Inicial 

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

 

>Veja Também<

https://www.curtamais.com.br/goiania/8-musicas-para-te-emocionar-no-dia-dos-pais

https://www.curtamais.com.br/goiania/26-musicas-para-voce-fazer-um-tour-pelo-brasil

https://www.curtamais.com.br/goiania/momento-nostalgia-15-musicas-que-voce-ja-escutou-e-precisa-recordar

https://www.curtamais.com.br/goiania/10-musicas-brasileiras-que-falam-sobre-futebol

Sucesso dos anos 2010, banda Restart anuncia retorno e confirma show em Brasília

Febre dos anos 2010, a banda Restart está de volta. O grupo, que ficou conhecido por suas calças coloridas e o sucesso entre os adolescentes, fará uma turnê de despedida chamada ‘’Pra Você Lembrar’’ e já confirmou show em Brasília.

Pe Lu, Pe Lanza, Thominhas e Koba estavam em hiato pelo grupo há oito anos. A banda iniciará a turnê no dia 7 de outubro, em São Paulo. Depois, o grupo passará por Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre ainda em 2023, e em Belo Horizonte, Brasília, Salvador e Recife no próximo ano.

A notícia chegou pouco após o anúncio de retorno da banda Cine e o início da turnê do Nx Zero, dois grupos que também fizeram muito sucesso entre o público jovem nos anos 2010. Nessa onda, o Restart não quer fugir da nostalgia e pretende abraçá-la. De acordo com o grupo, a turnê passará por toda a discografia da banda e seus principais sucessos, sem músicas novas.

Com uma seleção especial de aproximadamente 25 músicas, a setlist da turnê revisitará hits como “Levo Comigo“, “Recomeçar” e “Menina Estranha“.

Carreira

O grupo nasceu em 2008, depois de os quatro garotos se conhecerem na adolescência, mas só estouraram dois anos depois. Lançaram discos em português e em espanhol, um DVD, venceram prêmios e fizeram uma geração de jovens se fascinar pelo que eles chamam de “happy rock”, ou rock feliz.

Os locais, ingressos e datas dos próximos shows serão anunciados em breve.

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Cidade goiana na divisa com o Mato Grosso tem belíssimas praias, águas termais e muita aventura

Estamos falando de Aragarças, localizada a 345 Km de Goiânia e 562 Km de Brasília, na divisa com o estado do Mato Grosso. Além das praias, pôr-do-sol, passeio de barco, da pesca e do contato com a natureza, a região oferece outras atrações para toda a família. 

Dois rios – Araguaia e Garças – se fundem na divisa das cidades de Aragarças, Pontal e Barra do Garças. O encontro torna a região conhecida como Encontro das Águas. Juntas, as três cidades oferecem estrutura para o turista que não quer se isolar completamente.

Para quem quer mudar totalmente a paisagem, o menu é diversificado. A poucos quilômetros de Aragarças o turista acessa o Parque Estadual da Serra Azul, a Serra do Roncador e a Serra do Taquaral, com destaque também para os locais com grutas, cachoeiras e trilhas. Passeios de caiaque pelo Rio e atividades de pesca recreativa são outras opções para quem gosta de aproveitar a natureza e veranear no Araguaia, apreciando a enorme biodiversidade da fauna e flora do rio e seus afluentes. Confira abaixo alguns dos pontos turísticos mais lindos de Aragarças, que vão te surpreender nessas férias de Julho. 

A contribuição da cultura indígena na região também chama atenção e atrai visitantes. A herança de comunidades indigenistas que já habitaram o local imprimem no local cores, pratos típicos e outros legados. Em Aragarças a praia Quarto Crescente é a mais frequentada, sendo um grande destaque no cenário estadual pela sua localização urbana, tendo em volta uma grande infraestrutura através dos comércios da avenida Beira-Rio. Porém, existem outras praias como a do Cipó, próximo ao Setor Santa Luzia e a do Orlei, na saída para Baliza.

Preservação de Aragarças

Aragarças

Créditos: Viajante Maduro

A água termal na região do Encontro das Águas aflora em raros pontos. Como é o caso do Complexo Thermas Água Santa, onde ocorre com alta vazão. O volume chega a 100.000 litros por hora com uma perfuração de apenas 17 metros. De acordo com o mestre em hidrogeologia Sebastião Peixoto Filho, a ocorrência se dá em razão das rochas porosas da região de Aragarças. Elas permitem que as águas de precipitação pluviométrica infiltrem a grandes profundidades, onde a temperatura é elevada.

 

Conheça o Complexo Thermas Água Santa

Complexo

Créditos: Tripadvisor 

No Thermas Água Santa, somente em um dos poços, ela chega a mais de 100 mil litros por hora com uma perfuração de apenas 17 metros. Outro benefício é que a água encontrada na localidade é mineral e medicinal. Possui na sua composição química 0,18 mg/L de Fluoreto e a rara presença de 0,012 mg/L de Lítio em sua composição, elemento químico natural que traz vários benefícios ao organismo humano.

Para receber o turista, o Complexo Thermas Água Santa oferece um parque aquático termal de águas correntes, poço natural e praia. A melhor parte é que você pode aproveitar tudo isso também com muita tranquilidade e um pouco mais de privacidade. Isso porque as praias do complexo são exclusivas e contam com um toque a mais de atenção. 

 

Serra do Roncador

Serra

Créditos: Pisa Trekking 

De fácil acesso, saindo do Complexo Thermas Água Santa o visitante percorre aproximadamente 40 quilômetros até Barra do Garças, entrada oficial da Serra do Roncador. Formada por uma cadeia de montanhas que se estende por aproximadamente 800 quilômetros, entre Barra do Garças até a Serra do Cachimbo, na divisa com o Para, a Serra do Roncador, além de ser ideal para ecoturismo, com cachoeiras, sítios arqueológicos com milhares de anos, cavernas e grutas, é mundialmente conhecido como um santuário metafísico e espiritual. 

A Serra foi cenário da famosa expedição realizada pelos irmãos Villas-Boas e também do geógrafo inglês Percy Fawcett, que desapareceu misteriosamente em 1925, enquanto explorada a região. 

Quem tiver apenas um dia para curtir ou preferir aproveitar as belezas locais de carro, é possível fazer o tour do roncador. O circuito de 200 quilômetros é um belo passeio pelos pontos mais famosos do Serrador, como o Bico da Serra, o Arco de Pedra, A Gruta da Estrela Azul, e o Vale do Silêncio.

 

Parque Estadual Serra Azul

Parque

Créditos: Nicelocal

O Parque Estadual da Serra Azul abriga 14 cachoeiras, dentre elas a da Usina e a Cachoeira Pé da Serra. Na área urbana de Barra do Garças, está o acesso ao parque, onde um Cristo Redentor é um um ponto de atração para os turistas que encaram seus 1200 degraus de acesso para avistar as três cidades que compõem a região do Encontro das Águas e a junção dos rios Araguaia e Garças. Fica a 37 quilômetros do Thermas Água Santa. 

 

Esportes Radicais

Rafting

Créditos: Roncador Expedições (Instagram)

Para quem quer praticar rafting, um dos lugares mais exóticos do Estado está no município de Baliza, cidade goiana a 86 quilômetros do Thermas Água Santa, onde o leito do Rio Araguaia tem apenas quatro metros de largura. 

Se o rafting parece muito radical, há possibilidades também de fazer passeios de caiaque pelas águas calmas do Araguaia. Saindo de dentro da praia exclusiva do Thermas Água Santa, é possível percorrer um circuito 30 quilômetros rio abaixo. O instrutor do passeio garante que a beleza e a tranquilidade do passeio afasta o medo de passar quase o dia todo dentro de uma pequena embarcação.

 

Leia também: https://www.curtamais.com.br/goiania/as-10-melhores-hospedagens-para-aproveitar-pirenopolis-com-as-criancas

https://www.curtamais.com.br/goiania/cidade-goiana-e-paraiso-espetacular-com-acesso-a-ilha-do-bananal-e-praia-do-araguaia

 

Créditos da imagem de capa: Tripadvisor 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Roger Waters confirma show em Brasília

Roger Waters anunciou seis shows no Brasil com clima da despedida definitiva dos palcos. O cantor levará a turnê “This is Not a Drill” para Brasília, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte e São Paulo.

Os shows estão programados para acontecer entre os meses de outubro e novembro deste ano. Na capital federal, o evento será realizado no dia 24 de Outubro, no Estádio Mané Garrincha.

A venda de ingressos para os shows Brasília, São Paulo e Belo Horizonte começa no dia 24 de maio, a partir das 12h no site Eventim. Já para os shows no Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre, as vendas terão início no dia 25 de maio. Os valores variam entre R$ 170,00 a R$ 1.990,00.

Sobre a turnê

“This is Not a Drill” estava originalmente planejada para ocorrer em 2020, mas foi adiada por dois anos. Ela teve início em 2022 nos Estados Unidos. O espetáculo apresenta aproximadamente 20 clássicos de Roger Waters e da icônica banda Pink Floyd, da qual ele foi um dos fundadores. Algumas das músicas presentes no setlist incluem “Us & Them”, “Comfortably Numb”, “Wish You Were Here” e “Is This The Life We Really Want?”.

roger

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

 

 

Red Hot Chili Peppers anuncia show em Brasília

Confirmado! A banda californiana Red Hot Chili Peppers acaba de anunciar que está vindo ao Brasil!

Por meio das redes sociais oficias da banda, os Chili Peppers farão shows em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre. A banda está em turnê ao redor do mundo, e chega ao país carregado de um significado especial, uma vez que marca o retorno do guitarrista John Frusciante ao Red Hot Chili Peppers. 

Vale destacar que, desta vez, a banda, formada ainda por Anthony Kiedis, Flea e Chad Smith, irá se apresentar em shows show próprios, e não em um festival, como na maioria das outras vezes que vieram ao país. 

A primeira vez que o Red Hot Chili Peppers veio no Brasil foi em 1993, no “Hollywood Rock” das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. Além disso, se apresentaram diversas vezes no lin-up do Rock in Rio.

A venda dos ingressos começa no dia 15 de Março no site Eventim. Para o show de Brasília, que acontece no Mané Garrincha no dia 7 de novembro, os tickets custam a partir de R$ 170,00. 

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.