Inverno rigoroso: Veja como foi o dia em que nevou em Brasília

Você sabia que já nevou no Centro-oeste? Esse relato é de 1778, quando o então 5º governador e capitão-general da Capitania de Goiás registrou tudo no relato intitulado “Jornada que fez Luiz da Cunha Meneses da Cidade de Bahia para Vila Boa Capital de Goyaz”.

“Da Bandeira a Contage de São João das Três Barras 11 léguas, a saber ao Sítio Novo 2, ao Pipiripaô, 1 e 1/2, ao Mestre d’Armas 2, e 2 1/2 São João das Três Barras, sítio tão frio que no mês de junho, que é a maior forma de inverno, chega a cair neve”.

No entanto, em outubro de 1964 a capital federal registrou uma forte chuva de granizo que acabou deixando a cidade coberta de gelo, fazendo um tapete branco por todo Congresso Nacional, chamando a atenção dos moradores. O registro foi feito por um fotógrafo anônimo.

A título de curiosidade, a temperatura mais baixa registrada na capital foi no inverno de 1985, quando a estação convencional do Setor Sudoeste registrou 1,3º. Na ocasião, também foi registrada a primeira geada da capital.

Veja abaixo algumas fotos da neve na capital:

ab36129541469faed9edc6b99f943df4.jpg
300f95192239a2ca9599e322bce4cf29.jpg
799cc41f89c24bd944b89aeaa2f40ac5.jpg

 

Descobrimos o dia que ‘nevou’ em Brasília; entenda

Em 1778, o quinto governador e capitão-general da Capitania de Goiás registrou a ocorrência de neve na região Centro-Oeste, em um relato denominado “Jornada de Luiz da Cunha Meneses da Cidade de Bahia para Vila Boa, a Capital de Goyaz”.

O texto impressionante traz a ocorrência de neve em uma região que hoje é conhecida pela seca entre maio e outubro. O relato também menciona as distâncias locais em léguas. Confira: “Da Bandeira a Contage de São João das Três Barras, um total de 11 léguas, passando pelo Sítio Novo (2 léguas), Pipiripaô (1 e 1/2 léguas), Mestre d’Armas (2 léguas) até chegar a São João das Três Barras. Esse local era tão gélido que, durante o mês de junho, o período mais rigoroso do inverno, testemunhava a queda de neve.” Fora o relato acima, não há outras provas de que realmente houve neve na época.

 

Já em 1961, a capital do país testemunhou uma chuva de granizo intensa que cobriu o Congresso Nacional com um tapete branco de gelo, conforme registrado em uma foto (em destaque) capturada por um fotógrafo anônimo na época.

Brasília recebe parque com neve de verdade e entrada gratuita

Vai nevar em Brasília! A maior exposição de esculturas de gelo vai desembarcar no quadradinho. Com um clima a -20°C, o parque “Ártico Neve e Gelo” chega a capital federal em maio e a novidade promete uma experiência única para toda a família. O local deste ano será divulgado 15 dias antes do evento. 

Serão várias esculturas que pesam mais de 30 toneladas. Dá ainda para brincar bastante de anjinhos no chão e guerra de bolinhas. Afinal, é neve de verdade.

Entre as atrações do parque, o público vai poder conferir o Olaf, vários bonecos de neve, cabines telefônicas, lobos, escorregas, trenó, carruagem, iglu e muito mais. 

O evento liberou 10 mil ingressos gratuitos, mas devem ser retirados antecipadamente pelo site

Serviço 

Data:11 de maio a 30 de junho 

Local: Será divulgado 15 dias antes do evento 

Informações e ingressos: https://bileto.sympla.com.br/event/92669



Chuva de granizo forma camada de ‘neve’ no DF

No último domingo (20/11),  por conta de uma forte tempestade, moradores do Sol Nascente, no Distrito Federal, registraram o chão cheio de granizo, o que parecia uma camada de neve. 

 

Em um vídeo publicado nas redes sociais, uma criança brinca com as pedras de gelo. Inclusive, o registro mostra o pequeno fazendo um “anjo de neve”. A mulher que faz a gravação ainda comenta “Dá até pra dizer que tá em Nova York”.

 

Em entrevista dada ao G1, o Inmet explica que a quantidade de granizo é em decorrência das nuvens do tipo “cúmulus nimbus”. “São nuvens grandes, com cerca de 16 quilômetros da base até o ponto mais alto”, diz o instituto. 

 

 

Veja o vídeo:

 

Fonte: G1DF