9 dicas para quem pretende viajar com o pet

É importante que os tutores tenham consciência que é necessário se programar e pensar se o pet será parte dos planos ou não. Nada de deixar seu cão ou seu gato para trás. É fundamental analisar os prós e os contras de levar o animal junto na viagem. Pense bem no destino, no meio de transporte, nas atividades e na duração da viagem. Para ajudar, o Curta Mais listou algumas dicas para quem pretende viajar com seu pet:

·         Levar gatos e cães à praia exige cuidados especiais com alguns tipos de parasitas. Informe-se previamente com o Médico-Veterinário de sua confiança e lembre-se que em muitas praias a permanência de animais de estimação é proibida.

·         Fique atento ao piso quente que pode queimar as patas e causar sofrimento aos animais. Também atente ao calor que ele sente quando exposto ao sol, principalmente os gatos e cães de pelos longos. Os animais também sofrem com o sol forte.

·         Mantenha sempre água limpa e fresca à disposição.

·         Se a viagem for de carro, passeie com o animal antes de ele entrar no veículo para que ele faça suas necessidades. O ideal é acostumar o animal com o movimento antes de iniciar o percurso.  Não é indicado que o animal seja alimentado antes das viagens e durante o trajeto, já que eles podem ficar enjoados. Nunca deixe o pet solto dentro do carro. O recomendado é utilizar caixa de transporte adequada ou, para cães, cinto de segurança próprio. Não permita que o animal coloque a cabeça para fora da janela, pois isso pode causar otite ou machucados em caso de impacto com insetos ou pedras.

·         Importante que se altere o mínimo possível a rotina do animal (horários de alimentação, passeios e brincadeiras por exemplo).

·         Vale lembrar que o pet deve estar devidamente identificado com plaquinha na coleira ou microchip, além de estar em dia com vermifugação, vacinações, anti-pulgas/carrapatos.

Se a opção for por deixar o animal de estimação em casa, também é necessário uma série de cuidados essenciais como:

·         Não deixar o animal sozinho durante o período em que estiver ausente. Disponibilizar alimento e água não garantirá que ele estará bem durante a ausência dos tutores. O simples fato de ele estar sozinho em casa já gera um grande stress para o animal, que sentirá falta da rotina da família, da presença física das pessoas, das brincadeiras e carinho.

·         O recomendado é buscar um serviço profissional especializado, dentre eles hoteizinhos que estejam prontos para recebê-lo ou, então, pet-sitters que visitem a residência diariamente e amenizem a ausência da família, além de zelar pelos cuidados de saúde e bem-estar do animal.

·         Importante que seja realizada uma pesquisa criteriosa e uma visita no local (no caso de hotéis), além de um período de adaptação com o animal antes de ele ficar sob os cuidados profissionais contratados.

41459b4bc7459f9cd0b5901d4ef45153.jpg

Cães são capazes de identificar estresse do dono pelo cheiro  

Uma pesquisa da Queens´s University, do Reino Unido, indica que os cães podem perceber o estresse dos tutores pelo olfato. Segundo a análise, a precisão é de 93,7%. Ainda de acordo com o estudo, “o cheiro do estresse” é reconhecido pelo suor e pela respiração dos humanos.

No total, dos 700 testes realizados pelos estudiosos, em mais 650 os cães identificaram pelo suor e pela saliva que a pessoa estava estressada. A médica veterinária Joana Barros, da Gaia Medicina Veterinária Integrativa, conta que os cachorros têm 220 milhões de receptores olfativos em comparação com os 50 milhões dos humanos, o que os torna mais eficazes na diferenciação e identificação de odores.

Joana conta que esses animais têm o olfato muito aguçado e que em alguns casos, como os cães dos Batalhões de Polícia, são utilizados para identificar algo suspeito. Ela explica que o focinho do cachorro é tão poderoso que pode até mesmo identificar as emoções de seu dono e perceber coisas que vão além da compreensão humana.

“Um outro estudo mostrou para nós que os cães não só farejam o nosso estresse, mas também sentem o efeito dele e de outras emoções como medo e felicidade.  Às vezes o animal pode ficar mais agitado e estressado se o dono também estiver. Como esses bichinhos tem uma capacidade olfativa aguçada, é preciso prestar atenção ao que vamos passar para eles para uma boa relação”, destaca a especialista.

Cães de serviço que ajudam pessoas com problemas de saúde mental, como ansiedade e transtorno de estresse pós-traumático, podem se beneficiar dessas descobertas. A pesquisa também abre as portas para investigar se os cães podem diferenciar emoções, além de saber por quanto tempo o animal pode detectar os odores.

Joana dá algumas dicas de atitudes que o tutor pode ter para aliviar essa carga de estresse e não transferir essas emoções para o pet. “Tomar um bom banho quando chegar em casa para tirar o suor de estresse ou até mesmo trocar de roupa são atitudes que ajudam o seu cãozinho não ficar estressado e que vocês possam passar mais tempo de qualidade juntos.”

Pode oferecer pé de galinha cru para cães? Descubra aqui!

Certamente você já viu nas redes sociais tutores oferecendo pés de galinha cru para cães. O “petisco” pode não ser a guloseima mais bonita, mas oferece benefícios valiosos para a saúde dos cães, segundo especialistas. O alimento é naturalmente rico em glucosamina e condroitina, que são conhecidos por melhorarem a saúde e a mobilidade articular de cães e gatos. Além disso, podem funcionar como escovas de dentes comestíveis. 

A médica veterinária e especializada em alimentação biologicamente apropriada para cães e gatos, Joana Barros, explica que os cães são carnívoros e os seus corpos foram feitos para digerir carnes, vísceras, gordura de origem animal e ossos, desde que estejam crus. ‘’Por terem fisiologia de um carnívoro, precisam de pouquíssima quantidade de carboidratos e digerem super bem a carne, se estiverem com o estômago saudável. O pé de galinha cru tem sido usado como fonte natural  de colágeno tipo II, que é ótimo para a saúde da pele e das articulações. Ajuda também na limpeza dos dentes’’.

Segundo a veterinária da clínica Gaia Medicina Veterinária Integrativa, como tudo que é consumido em excesso, a ingestão do pé de galinha cru também exige cuidados, como:

 

– Se dado em excesso vai prender demais o intestino;

– Deve ser dado somente sob supervisão pois tem riscos de engasgo, principalmente se o cachorro for muito afobado para comer;

– Precisa passar por congelamento de 24h para inativar possíveis parasitas.

– Não deve ser dado para cães com problemas renais;

– Não deve ser dado frequentemente para cães que tomam ou tomaram por muito tempo, remédios antiácidos, os famosos “prazois”.

Ainda, de acordo com Joana, outros ossos carnudos podem ser oferecidos crus e que são até mais nutritivos, pois têm mais carne, ligamentos, dentre outros. ‘’A sobrecoxa e o pescoço de galinha são bons exemplos. Lembrando que os ossos só devem ser oferecidos crus. O osso quando passa por cozimento, tem modificações na estrutura do colágeno, podendo causar graves perfurações e complicações no estômago. Além disso, o tamanho e perfil do cãozinho vai ditar qual tipo de corte é melhor’’, finaliza a veterinária.

Conheça raças de cachorros que soltam pouco pelo

Tutores que buscam companheiros caninos com pelagem que solte pouco pelo encontram diversas opções adequadas às suas necessidades. A escolha por raças de cachorro com essa característica pode estar relacionada à saúde, limpeza da casa e conforto no convívio diário.

 

Entre as raças que naturalmente apresentam uma queda de pelo menor, destacam-se:

 

Poodle

O Poodle é reconhecido por sua hipoalergenicidade, devido à pelagem encaracolada que não solta muito pelo. Disponível em tamanhos variados, do toy ao padrão, esses cães também se destacam pela inteligência, atividade e lealdade.

 

Schnauzer

Os Schnauzers, disponíveis em tamanhos miniatura, padrão e gigante, possuem uma pelagem dura e densa que não solta muito pelo. Além disso, são reconhecidos por sua vigilância, coragem e lealdade.

 

Yorkshire Terrier

Os Yorkshire Terriers são conhecidos por seus longos pelos que se assemelham ao cabelo humano e soltam pouco pelo. Com pelagem geralmente azul e castanha, esses cães são corajosos, afetuosos e cheios de.

 

Maltês

Os Maltês apresentam uma pelagem branca e macia que tende a não soltar muito pelo. Com pelo longo e liso, esses cães requerem apenas escovação diária e se destacam por seu amor, brincadeira e adaptabilidade.



DF ganha parque inédito para pets

Até o dia 28 de abril, o TGS irá receber o Parque DC Superpets. A experiência deve encantar gerações com os pets mais aclamados da DC e do mundo heroico. O parque é inédito em Brasília e oferece diversão para toda a família.

Os pets são os melhores amigos das crianças e adultos – os Superpets da DC são os melhores amigos dos heróis mais famosos do mundo: Superman, Mulher-Maravilha, Batman, Lanterna Verde, Flash, Supergirl e outros. No Brasil, mais da metade da população possui ao menos um pet; o país é o segundo do mundo com maior número de animais domésticos, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

Então, já imaginou um parque onde tutores e bichinhos de estimação pudessem brincar juntos? Essa é a proposta de experiência do Parque DC Superpets no TGS, que já é petfriendly desde 2019. O espaço irá oferecer tubos, brinquedos, pista de corrida, obstáculos, rampas, escadinhas, mosaicos, pistas elevatórias e quebra-cabeças em quatro atrações para adultos, crianças e animais de estimação. Também haverá um painel de fotos para registro dessa experiência inédita em Brasília.

Entre as atividades, haverá o “Tubo divertido do Ace”, em que o cachorro do “indestrutível” do Batman é capaz de proteger a todos os humanos e pets de muitas confusões; a “Toca do Streaky”, gatinho pet da Supergirl, representando muito bem os bichanos com brincadeiras especiais para gatinhos. E ainda, a “Pista de obstáculos da Merton”, que faz referência ao pet escolhido pelo Flash com os mesmos poderes que ele, uma tartaruga “foguete”. Além disso, uma das maiores heroínas de todos os tempos não poderia ficar de fora: a Mulher-Maravilha e sua porquinha são representadas no “Desafio da poderosa Oinc”.

O evento “DC Super Pets” foi concebido pela empresa Ludi Experience e apresenta todas as atividades lúdicas licenciadas e fornecidas pela Warner Bros. Discovery.

 

SERVIÇO 

Parque DC Superpets

Quando: até 28 de abril de 2024.

Onde: Praça Central, Piso 1 – Taguatinga Shopping.

Horário: De segunda a sábado, das 10h às 22h, domingos e feriados, das 12h às 20h.

Faixa etária: livre para todos os públicos. Toca do streaky e Torre do Krypto para crianças de até 12 anos.

Valor: R$ 35 por 20 minutos e adicional de R$ 1 por cada minuto excedido.

Para regulamento e mais informações acesse https://www.taguatingashopping.com.br/.

 

Lambeijos: beijar o pet faz mal? Entenda

A estreita relação entre humanos e seus animais de estimação continua a florescer, especialmente em países como o Brasil, que figura como o terceiro maior em população de animais domésticos, conforme dados do Instituto Pet Brasil (IPB). Expressões de carinho, como os populares “lambeijos”, são frequentes nesse contexto. No entanto, surge a dúvida: são saudáveis?

Essa questão inquieta muitos tutores que têm o hábito de beijar seus pets na boca. Para especialistas da saúde animal, essa prática não é recomendada e requer cuidados específicos.

Não se trata de eliminar completamente o contato físico com os animais de estimação, pois isso é benéfico para fortalecer os laços afetivos e contribuir para o bem-estar emocional dos tutores. A sugestão é optar por outras formas de demonstração de carinho, como abraços e carícias, e agir com cautela ao oferecer “lambeijos”.

 

Lambeijos” podem fazer mal? 

 

Ketlin Costa Moreira, veterinária da Pet de TODOS, adverte que beijar os animais de estimação pode acarretar consequências à saúde, especialmente se o pet apresentar problemas dentários, como tártaro.

“Os pets são frequentemente portadores de bactérias, portanto, é aconselhável evitar beijar suas bocas, principalmente no caso de crianças, idosos e pessoas com o sistema imunológico comprometido”, alerta a especialista.

Para aqueles que desejam continuar demonstrando afeto dessa maneira, a veterinária recomenda cuidados especiais com a higiene bucal do animal, incluindo escovação regular e visitas ao veterinário. Dessa forma, reduz-se significativamente o risco de contrair doenças ou infecções decorrentes desse hábito.

*Com informações do portal Alto Astral

Por que cachorro não pode comer chocolate?

Muitos donos de animais de estimação têm o hábito de oferecer guloseimas humanas aos seus cães, incluindo chocolate, mas surge a questão: é seguro? Enquanto os humanos podem consumir chocolate com moderação, para os cães isso representa um sério problema de saúde.

O motivo reside na presença da teobromina, um composto presente no chocolate que afeta os cães devido à sua estrutura metabólica. Embora nem todos os cães desenvolvam problemas após ingerir chocolate, é uma aposta arriscada devido à imprevisibilidade da resposta individual de cada animal.

A teobromina, semelhante à cafeína, atua como estimulante cerebral e pode causar diversos sintomas de intoxicação em cães, incluindo agitação, aumento da frequência cardíaca, micção frequente, vômitos, diarreia e até convulsões. Se um cão ingerir chocolate, é importante observar atentamente esses sinais e procurar ajuda veterinária imediatamente.

Embora alguns cães possam vomitar o chocolate naturalmente, em casos mais graves pode ser necessário tratamento com fluidos intravenosos e medicamentos para reverter os efeitos da intoxicação. É crucial nunca tentar induzir o vômito sem orientação veterinária, pois isso pode agravar o quadro de saúde do animal.

*Com informações do site Mega Curioso

 

Pesquisa aponta que cachorros são capazes de entender humanos

Uma pesquisa recente, publicada na revista científica Current Biology, trouxe novas descobertas sobre a capacidade dos cães de entender o significado das palavras. Conduzido por pesquisadores da Universidade Eotvos Lorand, na Hungria, o estudo revela que a memória dos cães é ativada ao ouvirem os nomes de seus brinquedos favoritos.

Segundo os pesquisadores, embora não seja óbvio que os cães compreendam palavras como “bola”, a memória associativa é acionada quando ouvem os nomes de seus objetos de interesse. Em um laboratório em Budapeste, os cientistas aplicaram uma técnica não invasiva de imagens cerebrais em 18 cães, enquanto seus donos pronunciavam diferentes palavras para os brinquedos familiares.

Após analisar os padrões cerebrais dos cães em resposta aos objetos correspondentes e não correspondentes às palavras ouvidas, os pesquisadores identificaram evidências de processamento semântico, ou seja, compreensão do significado, em 14 dos cães testados.

Para Holly Root-Gutteridge, especialista em comportamento canino da Universidade de Lincoln, no Reino Unido, essa capacidade dos cães de associar palavras a objetos representa um avanço significativo na compreensão de suas habilidades cognitivas. No entanto, nem todos os especialistas compartilham do mesmo entusiasmo, com Clive Wynne, da Universidade Estadual do Arizona, expressando reservas sobre as conclusões do estudo.

Enquanto alguns veem esse estudo como uma evidência de que os cães podem entender as vocalizações humanas muito melhor do que se pensava anteriormente, outros permanecem céticos quanto à extensão da compreensão semântica dos cães, destacando a necessidade de mais pesquisas nessa área.

*Com informações da Folha de Pernambuco 

Fogos de artifício: veterinário dá 6 dicas para proteger pets durante o Réveillon

A queima de fogos de artifício, marca registrada do Ano Novo, se transforma em pavor para cães e gatos. Essa é uma preocupação para os tutores de pets, visto que a prática comemorativa é prejudicial para a saúde dos animais, com reações variadas, que vão desde a aceleração dos batimentos cardíacos até crises de pânico. Apesar da legislação de cidades proibirem a comercialização e o uso de fogos de artifício com estampidos, não é incomum observarmos o uso destes. 

Com os sentidos aguçados, o barulho dos fogos é recebido de modo inesperado e muito mais alto para os pets, principalmente para os cães. Para amenizar o pânico nesse período festivo, o professor de Medicina Veterinária do Centro Universitário de Brasília (CEUB), Bruno Alvarenga recomenda algumas condutas preventivas.

Confira as dicas para proteger os animais dos sons dos fogos:

 

  1. Ambiente confortável: criar um ambiente que minimize o impacto dos fogos é fundamental. Isso pode incluir deixar a televisão ou rádio ligados para competir com os estampidos;

 

  1. Proteção auditiva: colocar um pouco de algodão nos ouvidos dos animais pode ajudar a diminuir o som;

 

  1. Acolhimento: manter os pets no colo ou abraçados pode proporcionar uma sensação de segurança enquanto são acariciados;

 

  1. Abrigo seguro: preparar um abrigo com toalhas ou mantas no local em que o pet costuma se esconder pode ser reconfortante;

 

  1. Espaço silencioso: colocar os animais em um cômodo onde o som externo seja abafado, preparando um espaço acolchoado e onde possam se esconder;

 

  1. Procure um veterinário: consultar um médico veterinário sobre a possibilidade de terapias ansiolíticas fitoterápicas ou alopáticas pode ser útil para alguns animais. 

 

Graves consequências

O veterinário do CEUB destaca que o medo e estresse sonoro dos fogos podem resultar consequências que vão desde o óbito de aves e animais cardiopatas, crises epilépticas, desequilíbrios em animais com distúrbios comportamentais, a problemas gastrointestinais, como vômitos, diarreia e perda de apetite, além da redução no consumo de água, podendo levar a danos renais e infecções urinárias, e do comportamento de fuga. “Não há uma conduta soberana para todos os indivíduos, podendo ser suficiente uma ou a combinação das sugestões apresentadas. Cada animal se comporta de uma forma quando exposto aos sons dos fogos, de acordo com histórico e condição médica própria”, completa o especialista. 

Brasília ganha megaloja para pets

É fato que o mercado pet não para de crescer na capital federal. E dessa vez, a novidade é uma loja completa para os bichinhos. Localizada em Águas Claras, a Mundo Pet inaugura no próximo dia 24. A região é uma das que mais abriga animais de estimação no DF. 

 

Com 1.247m², a loja tem um espaço completo de serviços, lazer e entretenimento para toda a família. Além de um petplay, que é um playground, com fonte e parquinho, onde os animais podem brincar e se exercitar. O local também será voltado para eventos, adestramentos e até festas de aniversário.

 

Além de todos os serviços, haverá ainda um espaço dedicado à adoção responsável, clínica veterinária e estética, que vai desde um banho simples a tratamentos de hidratação ou penteados artísticos.

 

Serviço

Endereço: Rua 35 Norte, Lote 1, Águas Claras

Inauguração: 24 de março de 2022

Funcionamento: segunda a sábado das 8h às 21h e domingo das 10h às 18h

 

Foto: Divulgação