Um dos melhores (e mais comoventes) filmes sobre o Holocausto está na Netflix

"O Menino do Pijama Listrado" é uma obra-prima do cinema escondida no catálogo da Netflix

Marcelo Albuquerque
Por Redação Curta Mais
o menino do pijama listrado
Uma obra prima escondida no catálogo Netflix. (Imagem: Divulgação)

Ele não é apenas bom, é uma das maiores obras de arte do século! Assim como o livro homônimo, o filme “O Menino do Pijama Listrado”, em uma versão mais enxuta, mantém as características da história e é tocante do início ao fim. A interpretação dos atores é um dos pontos altos da trama.

Discretamente disponível no catálogo da Netflix, o filme é uma verdadeira obra-prima do cinema e um dos melhores sobre a triste história do Holocausto.

No emocionante drama, somos transportados para a trágica realidade da Alemanha nazista sob a ótica de Bruno, uma criança de 8 anos que nos oferece uma visão ingênua e tocante dos horrores da Segunda Guerra Mundial. O filme retrata a inocência em um dos períodos mais sombrios da história humana.

“O Menino do Pijama Listrado” narra uma história contundente sobre amizade, inocência e as atrocidades cometidas durante a Segunda Guerra Mundial. Visto pelos olhos de Bruno (Asa Butterfield), filho de um oficial nazista, o enredo se desenvolve quando ele se muda com sua família para uma casa próxima ao campo de concentração de Auschwitz.

A inconsciência infantil se choca com a brutalidade dos adultos quando Bruno conhece Shmuel (Zac Mattoon O’Brien), um menino judeu prisioneiro do campo, usando um “pijama listrado”. A partir deste encontro, o filme tece uma narrativa repleta de curiosidade, laços puros e a crueza implícita da realidade ao redor.

A profundidade e simplicidade da direção

Dirigido por Mark Herman, “O Menino do Pijama Listrado” é marcado pela profundidade temática que contrasta com a simplicidade pelo qual o mundo é visto pelo protagonista. A direção habilmente transita entre a inocência e as descobertas sombrias de Bruno.

Atuações memoráveis

As atuações são pontos altos deste filme. Asa Butterfield entrega uma performance genuína e emocionalmente carregada conforme seu personagem navega pela curiosidade natural à idade e pelas descobertas perturbadoras sobre a realidade ao seu redor.

Imaginário infantil frente à realidade brutal

O roteiro destila o contraste entre o mundo imaginário de Bruno e a triste realidade imposta pelo regime nazista. Esse jogo narrativo não apenas ensina sobre história, mas também convida à reflexão sobre como percebemos o mundo na infância versus realidade adulta.

“O Menino do Pijama Listrado” é eficaz em provocar reflexão histórica. Vemos como a intolerância e o preconceito podem levar a humanidade a atos indescritíveis e como a amizade pode surgir nos ambientes mais improváveis.

Uma homenagem à inocência perdida

O filme presta homenagem à inocência perdida tanto dos personagens, quanto da humanidade, durante esse período triste da história.

Leia também: Confira os 10 melhores filmes do momento na Netflix

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? Basta clicar aqui e entrar no canal do WhatsApp do Curta Mais.