Você pode sim ser amigo do seu ex; Psicologia explica os motivos

Bateu saudade do ex? Leia essa matéria antes de mandar mensagem para ele

Luca Sprung
Por Luca Sprung
ex
Reprodução/Internet

O término de um relacionamento não é algo fácil para ninguém, seja ele como for. Por muitas vezes, o ex-casal resolve manter uma relação amigável, até como forma de facilitar a separação. Porém, na maioria dos casos, essa se mostra uma péssima escolha. As inúmeras emoções que envolvem o término são os principais fatores que complicam a transição de um relacionamento amoroso para uma amizade. No entanto, apesar de difícil, é sim possível ex-namorados continuarem amigos, mas para isso é preciso levar algumas variáveis em questão.

Estudos realizados pelo “Journal of Social and Personal Relationships”, Diário das Relações Sociais e Pessoais em uma tradução livre para o português, apontam tanto os lados positivos, quanto os negativos de se tentar uma amizade com um ex-parceiro romântico.

Um desses estudos destaca que se antes do romance ambos eram amigos, as chances de um casal manter essa relação antiga é maior. Ela se amplifica caso o relacionamento tenha sido satisfatório, pois a comunicação e o apoio se manterão de forma saudável. Quanto menos ressentimento e mágoa carregarem do namoro, maior a possibilidade da amizade ser bem sucedida.

Mesmo com o fim do relacionamento, o amor entre as pessoas pode se manter intacto e, seguindo a lógica do estudo citado acima, caso o relacionamento tenha sido saudável, as bases para uma boa amizade já estarão consolidadas. Por isso, a pesquisa também afirma que um término respeitoso e pacífico pode abrir as portas para que dois ex-namorados se tornem de fato amigos. A maturidade que os dois carregarão ajudará a solidificar uma nova relação, compreensiva, atenciosa e com o apoio que ambos necessitarão.

Por outro lado, os estudos também identificaram algumas situações na qual a ideia de manter uma amizade com o ex pode ser um problema e não uma solução. Quando ainda existem desejos românticos não resolvidos, é muito difícil deixá-los de lado e seguir com a amizade. O processo do término envolve um luto, tanto pelo amor, como pelo vínculo, que antes regia a vida do casal e agora foi rompido. Caso esse desejo ainda esteja presente na individualidade de uma pessoa, é impossível eliminá-lo da noite para o dia e manter a pessoa amada por perto será como impedir uma ferida de cicatrizar. Isso não só resultará em mágoas, mas também dificultará a possibilidade de superação e de formar novos relacionamentos saudáveis.

O mesmo estudo aponta outra situação problemática em ser amigo do ex: quando se começa um relacionamento após um término recente. Não há vergonha em embarcar em um outro romance, isso é normal da vida, o amor acontece espontaneamente, surpreendendo os dois. Porém, nenhum namoro vai para frente se uma das pessoas estiver equilibrando o sentimento pela atual com a amizade com a ex. Todo relacionamento, ainda mais um novo, requer uma atenção especial, para que o vínculo possa ser construído e fortalecido. Investir em uma coisa do passado pode inserir tensão e insegurança no namoro atual.

Por isso o clichê do tempo curar todas as feridas é uma realidade. É preciso ter paciência para que as dores passem, respeitando e entendendo seus sentimentos. Caso contrário, você irá se expor a situações que irão apenas reforçá-las e todos os aspectos da sua vida poderão ser afetados. Assim, se afastar de um ex-parceiro romântico pode sim ser a melhor opção após um término, mesmo que seja algo temporário. Porém, se vocês tiveram um relacionamento e, principalmente, um término saudáveis, não há motivos para recusar que essa amizade floresça.

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? Basta clicar aqui e entrar no canal do WhatsApp do Curta Mais.