5 plantas medicinais fáceis de ser cultivadas em casa

O Curta Mais preparou uma lista com 5 espécies de plantas medicinais para você cultivar sem sair da sua casa

Amanda Mendonça De Oliveira
Por Redação Curta Mais
Plantas medicinais
Babosa (foto: reprodução)

Plantas medicinais são aquelas usadas na preparação de remédios. Milhares de espécies vegetais são usadas em todo o mundo na preparação dos remédios caseiros. Esses usos podem vir do conhecimento popular ou tradicional de cada país. O Conhecimento popular é aquele mais difundido entre as pessoas, como as folhas de chá cultivadas nas hortas. Já o conhecimento tradicional vem de uma ancestralidade, representado no Brasil pelas plantas usadas tradicionalmente pelos povos indígenas e passados para nós.  Além de que o cultivo de plantas medicinais de forma natural em casa, além de benéfico para sua saúde, pode ser um momento terapêutico. Vamos conhecer algumas dessas bênçãos da natureza?

 

Alecrim

Já ouviu aquela cantada “alecrim dourado que nasceu no campo sem ser semeado”? Pois bem, você sabia que essa a planta dessa música de infância tem princípios medicinais? O Alecrim é uma erva aromática comum na região do Mediterrâneo, seu nome científico é Salvia rosmarinus, esse nome foi dado pelos romanos, pois, devido o seu aroma característico designava-no como rosmarinus, que em latim significa orvalho do mar. É predominante em regiões com solos de origem calcária.

Essa erva tem propriedades antimicrobianas, digestivas, diuréticas, calmantes, anti estressantes e antidepressivas. O alecrim também conta com componente flavonoide (substâncias que podem ajudar na prevenção de doenças cardiovasculares e doenças degenerativas) e ácido cafeico. O seu cultivo é simples, podendo ser feito diretamente no solo, com rega espaçada e boa luminosidade.

Alecrim (foto: Cursos Cp)

Babosa

Quem nunca encontrou babosa aos montes andando por aí, hein? A Babosa é uma planta medicinal de uso milenar por diversas culturas. Seu nome, Aloe, significa substância amarga e brilhante, e vera significa verdadeira. Na literatura é encontrada com a sinonímia Aloe barbadenses. Seus princípios medicinais incluem propriedades calmantes, cicatrizantes, anestésicas, antitérmicas e anti-inflamatórias, além de ser ótima para hidratar o cabelo e cuidar da pele, oferecendo firmeza à pele, atenuando as linhas de expressões, flacidez e afinamento do tecido. Agora sabendo disso você não vai deixar de pegar algumas folhas dessa planta maravilhosa quando ver uma por aí, não é mesmo?

Pé de babosa (foto: reprodução)

Camomila

Quem nunca teve um dia estressante e quando chegou à noite tomou aquele chá de camomila para relaxar? Mesmo sendo uma planta origem europeia, ela é muito consumida no cotidiano do brasileiro. A Camomila é uma erva consumida desde a antiguidade, não apenas por ter princípios medicinais, mas também por possuir substâncias com funções ansiolíticas, calmantes, indutoras do sono, anti-inflamatórias e antioxidantes, que auxiliam na condução de uma rotina de relaxamento e melhoria da qualidade do sono. Para cultivar, você deve escolher um lugar à meia-sombra, com solo bem nutrido o, regando menos na época do outono e no inverno, e mais frequentes na primavera e no verão.

Chá de camomila e sua flor (foto: reprodução)

Erva-doce

A tão conhecida Erva-doce ou Anis (Pimpinella anisum) é uma planta, principalmente indicada por ter princípios medicinais que combatem problemas estomacais, tais como má digestão, excesso de gases e também para dor de cabeça, seu aroma agradável promove um efeito relaxante. Também é uma ótima solução para você que tem quadros de cólicas menstruais intensas e para auxiliar no alívio da tosse e na expectoração em resfriados. Por ser uma planta que gosta de calor, é indicado que você a cultive em áreas que ela pode ficar direitamente exposta ao sol.

Erva-doce (foto: reprodução)

Mastruz e seus princípios medicinais

Muito usado na eliminação de vermes intestinais, a Erva-de-santa-maria, mais conhecido como Mastruz (Dysphania ambrosioides), é uma planta que tem poder anti-inflamatório, antibacteriano e antioxidante. É usado também para combater resfriados, gripes e bastante utilizado para cicatrização de machucados, mas mesmo tendo excelentes princípios medicinais, os médicos alertam que o uso em excesso da planta pode ser tóxico. Na sua cultivação, o mastruz gosta de solo úmido e rico em adubo orgânico.

Mastruz (foto: reprodução)