Conheça 8 cantores goianos famosos nacionalmente que não são sertanejos

Que Goiás é a terra do sertanejo todo mundo já sabe! Alguns dos maiores nomes do gênero musical vieram da terra do Pequi. 

Mas nem só de sertanejo se faz a cultura musical de um estado! 

O Guia Curta Mais sabe que nem todo goiano gosta de sertanejo, mas amam música e artistas locais.

Então preparamos uma lista com 8 cantores goianos, famosos nacionalmente e que NÃO cantam sertanejo.

Provando que o estado está aberto para exportar um pouco de cada gênero para o país inteiro.

 

Confira a lista:

 

MC Jacaré

afc86e5becbf60099cb2536d51313554.jpg

Você pode não ser o maior entusiasta do funk, mas com certeza já ouviu o bordão ‘Vai Jacaré, Jacaré’. Pois é, esse tal Jacaré tem nome, Pedro Henrique Mendes, e é atualmente um dos maiores funkeiros brasileiros e nasceu em Goiânia, no ano de 2003.

MC Jacaré, que hoje tem 20 anos, estourou em 2020 com o funk ‘Comprei um Lança’, e desde então não sai das paradas musicais do país. Atualmente, o funkeiro já acumula quase 400 milhões de visualizações em seu canal no Youtube, isso sem contar as várias colaborações do artista.

 

Jessé Aguiar

d6dd12d8fccae5c56f4af6db49a5cf01.jpg

Um dos maiores nomes do gospel moderno, Jessé Aguiar é natural de Goiânia e acumula hits no meio gospel. O jovem cantor ficou conhecido principalmente pela canção ‘Alívio’, que sozinha, já acumula quase 1 milhão de streams no Spotify.

Jessé também tomou os holofotes para si, quando, recentemente, se assumiu gay.

 

Mateus Carrilho (e Banda Uó)

067b27d804ca96a5739e227949c46128.jpg

Nascido em Goianésia, interior do estado, Mateus Carrilho tem longa estrada no pop nacional. Em 2010, montou a Banda Uó, com seus amigos Candy Mel (hoje conhecida como Mel Gonçalves) e Davi Sabbag. A banda foi precursora do pop moderno no país, e colecionou hits como ‘Arregaçada’, ‘Cremosa’ e ‘Tô na Rua’. Em 2017 a banda chegou ao fim e abriu portas para a carreira solo dos integrantes. Mateus se destacou em meio ao grupo, por já no finalzinho de 2017, emplacar o hit ‘Corpo Sensual’, com Pabllo Vittar, que chegou ao primeiro lugar do Spotify Brasil e se tornou um dos maiores hits do ano.

Atualmente, os três artistas seguem carreira solo. Davi Sabbag já colaborou com nomes grandes do pop brasileiro como Jaloo e Urias. Mel também focou sua carreira no mundo da atuação, participando de duas produções.

 

Aretuza Lovi

ffe6c2a5bca7e519ee9c96c30e2090e4.jpg

Bruno Tutida Nascimento, mais conhecido como a drag queen Aretuza Lovi, nasceu em Cristalina, interior de Goiás. Uma das drags queens que mais permaneceu em atividade, Aretuza surgiu em 2012, muito antes do ‘Fenômeno Pabllo Vittar’. Aretuza Lovi já colaborou com artistas como IZA, Gloria Groove e Valesca Popuza. Hoje, é um nome recorrente no meio drag musical brasileiro.

 

Ana Caetano (Anavitória)

567d4652bc8065d1fc6d94f0fa8b8866.png

Porque eu te amo…

Você com certeza já ouviu alguma das músicas do duo Anavitória. Não à toa, elas são atualmente uma das maiores duplas do pop/mpb nacional. Uma das integrantes da dupla, Ana Caetano, é daqui de Goiás e nasceu na capital do estado. Já Vitória Falcão, foi quase goiana, nasceu em Tocantins. A dupla se conheceu na escola e desde então não se destacou, sendo um nome importante no pop atual.

 

Kika Boom

32c4a719e2011641a0fc31308bc85be5.png

Outra drag queen que ficou muito conhecida por ser goiana foi Kika Boom. Rafael Stefanini, não só é goiano, como também levantou muitas vezes a bandeira do estado. A carreira se iniciou em 2012 quando postava sets e músicas autorais no SoundCloud, ainda como Rafael. Kika Boom ficou bastante conhecida por compor músicas para o meio pop lgbt, e estourou de vez quando escreveu para Pabllo Vittar. Desde então, não parou. Kika Boom (ou Rafael) também já escreveu músicas para artistas como Urias e Mateus — também presente nesta lista. 

Já cantando, Kika Boom também fez muito sucesso com hits como “Bomba Kleyton” e “Loka de Pinga”. Estourou principalmente após tocar no BBB 21 na Globo.

 

JIRAYA UAI

d18aa582397ac29a0300dcc0e37a5559.png

Andrew Bonfim, também conhecido como Jiraya Uai, é natural de Goiânia e iniciou no mundo da música no projeto Monster Bass, ao lado de seu amigo Wan Baster (também presente nesta lista). Jiraya Uai é um dos maiores nomes do eletrofunk do país e já acumula mais de 25 milhões de visualizações em seu canal do Youtube.

Apesar de figurar na cena eletrofunk, Jiraya Uai sempre deixou bem claro ser do estado de Goiás, o próprio nome uai, já diz por si só. O artista também sempre associou sua imagem a chapéus de cowboy e etc. Bem sertanejo, bem goiano!

 

Wan Baster

d6d6dfe4fc1b2bbebafc168d527081a8.png

Como dito anteriormente, Wan Baster iniciou sua carreira ao lado de Jiraya Uai, no projeto Monster Bass. Fernando Cordeiro nasceu em Aparecida de Goiânia, e hoje é autodeclarado o rei do eletrofunk. O seu bordão ‘É só pedrada’ já virou clássico nas festas de funk e eletrônico de todo o país. São mais de 33 milhões de visualizações em seu canal do Youtube.

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

 

10 cantores goianos do pé rachado de relevância nacional

Todo mundo pensa logo em Goiânia quando o tema é sertanejo. E o pessoal está certo, afinal, muitos cantores e duplas famosas cresceram na metropóle de Goiás ou em cidades do interior. A maioria vindo de origem humilde, geralmente começa a paixão pela música na infância e inicia carreira cantando em barzinhos, praças públicas ou eventos na cidade. Nos anos 80, Amado Batista, Leandro & Leonardo, Bruno & Marrone são alguns músicos que serviram de inspirações para outros que começaram a fazer sucesso no começo dos anos 2000, entre eles, Jorge e Mateus, Cristiano Araújo, Marília Mendonça e muito mais.

Amado Batista

Amado

Nascido em Davinopólis no dia 17 de fevereiro de 1951, Amado é caçula de oito irmãos e desde pequeno, teve influência com sertanejo raiz. Quando criança, aprendeu a trabalhar com a terra, plantando e cultivando frutas e verduras. Mas foi na adolescência que a vida dele começou a mudar completamente, pois saiu da pacata vida do campo para trabalhar na capital. Em 1975, gravou seu primeiro disco, “Amado Batista”, que na época não teve muita repercussão.

Porém, em 1976, seu compacto de duas músicas em parceria com Reginaldo Sodré vendeu cerca de 100 mil cópias. A canção “Desisto” ficou entre as mais tocadas do ano. Apenas em 1978, Amado Batista finalmente conseguiu seu primeiro contrato com a gravadora Continental. Escrevendo o nome no sertanejo e conhecido também pela música “Secretária”, ele se tornou um dos músicos com mais discos vendidos no Brasil, com diversas premiações, dentre as quais destacamos 14 discos de ouro, 13 de platina e 1 de diamante. 

Ouça agora Meu Ex-Amor

 

Bruno & Marrone

Bruno

Iniciou carreira nos anos 80 e já são mais de 30 anos na estrada de Vinícius Félix de Miranda e José Roberto Ferreira, nomes de registro dos cantores. Bruno (Vinícius Félix), nasceu em Goiânia em 22 de Abril de 1969. Filho de farmacêuticos, tomava conta das farmácias da família, mas acabava passando o dia tocando violão atrás do balcão. Marrone (José Roberto) nasceu em Buriti Alegre, Goiânia, em 9 de novembro de 1964. Cresceu no sítio da família, sendo o típico “peão sertanejo”, andando a cavalo e passando as tardes na beira do riacho. Logo, começaram a se apresentar em exposições e feiras por Goiânia e ficaram conhecidos na capital. Dessa maneira, a dupla tocou por quase 10 anos pelos estados do centro e centro-oeste até gravar seu primeiro LP, em 1993.

Logo de cara, fizeram grande sucesso com as músicas “Dormi na praça”, “É nisso que dá” e “Como ficar sem você”. Com mais de 11 álbuns gravados, mais de 6 milhões de cópias vendidas e mais de 170 shows anuais feitos em todas as regiões brasileiras, Bruno e Marrone se consagraram como os principais artistas populares do país e são recordistas de público em uma só apresentação (120 mil pessoas em Brasília). Ganhadores do primeiro DVD de ouro entregue no Brasil, do prêmio Grammy Latino de 2002 na categoria “Melhor Álbum Sertanejo” e do prêmio Crowley de “Música Mais Executada no País”.

Ouça agora Dormi na Praça

 

Cristiano Araújo

Cristiano

Nascido em 24 de janeiro de 1986 na cidade de Goiânia, filho de João Reis de Araújo e dona Zenaide Melo Araújo e des pequeno, Cristiano sempre foi apaixonado pela música e aos seis anos, ganhou seu primeiro violão. Em 2010 Cristiano Araújo reuniu todo recurso que pode e investiu por conta própria em um CD e DVD que contaria com algumas participações especiais, inclusive, do cantor Jorge da dupla Jorge e Matheus. Nas pesquisas do Google o artista aparecia em terceiro lugar com sua música “Efeitos”, sem divulgação de grandes empresas e totalmente independente.

Em 2013, o cantor estourou no sertanejo universitário e lançou hits populares como, “Caso Indefinido”, “Maus Bocados”, “Hoje eu tô terrível”, entre outras. Infelizmente, no ano de 2015 a carreira de Cristiano Araújo chegava ao fim com sua morte precoce na madrugada de 24 de junho. O cantor voltava em companhia da namorada Allana Moraes, 19 anos, de um show em Itumbiara quando o veículo conduzido por seu motorista Ronaldo Miranda saiu da pista na BR – 153 e capotou. O empresário Vitor Leonardo estava no banco da frente ao lado do motorista e no banco de trás estavam Cristiano e a namorada. No acidente apenas os dois, Cristiano e Allana, vieram a falecer, causando grande consternação.

Ouça agora Maus Bocados

 

Guilherme & Santiago

Guilherme

Naturais de Goiânia, filhos de Eurides Cardoso e Natal Rosa (hoje separados),os irmãos Herickson (o Guilherme), Helmer e Henzzo (o Santiago), nasceram em uma família de seresteiros. Sua mãe e seus seis tios (dois homens e quatro mulheres, formavam um grupo de serestas, e os irmãos sempre acompanharam as serenatas. Começaram a ter contato com a música atráves de seu avô materno, Tomé Cardoso, barbeiro e agricultor por profissão e seresteiro de coração. Guilherme, o mais velho dos três irmãos,começou a atuar no caminho da música gravando jingles em Goiânia.

No Brasil, Santiago, o caçula dos três irmãos, trabalhou como sapateiro e fazia aulas de violão. Guilherme deixou os Estados Unidos no início dos anos 90 e durante as férias em sua terra natal, ele e Santiago gravaram um jingle para um candidato a prefeito. Para conseguir dinheiro para poderem gravar seu primeiro disco, a dupla foi trabalhar na feira hippie de Goiânia, onde Santiago e Helmer, o irmão do meio, já trabalhavam vendendo sapatos e chinelos fabricados por sua própria mãe. 

Nos anos de 1994, 1996 e 1998, respectivamente, a dupla lançou: “Guilherme e Santiago – Vol. 1”; “Guilherme e Santiago – Vol. 2” e “Guilherme e Santiago – Vol. 3”. Em 1994, eles foram revelados pelo Programa Raul Gil. Em 1998, a dupla foi apresentada no Domingão do Faustão por Sérgio Reis. Em 2010, Essa década foi repleta de lançamentos que incluem quatro álbuns intitulados “Elétrico – ao vivo no trio” (2011), “Até o fim” (2012), “Tudo pra você” (2013) e “Acústico 20 anos” (2016).

São mais de 28 anos de carreira dessa dupla que é referência no meio sertanejo, e agora os irmãos Guilherme e Santiago lançaram o sétimo DVD carreira intitulado ‘Perfume Novo’ que reúne 15 canções inéditas, e releituras de grandes hits gravados nesses anos, totalizando um álbum com 18 músicas que tiveram a produção musical de Samuel Deolli.A música “Amor de Emergência” foi a primeira grande aposta deste projeto muito esperado pelos amantes de música sertaneja. A faixa escolhida para abrir os trabalhos de divulgação do DVD, conta com a participação dos amigos Bruno e Marrone que já é sucesso entre os fãs da dupla e apresenta o romantismo e a personalidade que são essência dos irmãos.

Ouça agora E Daí

 

Israel & Rodolffo

Israel

Israel & Rodolffo se conheceram em Goiás, estado onde nasceram, e não por acaso. A dupla foi formada pelos pais de ambos, Antônio (pai de Israel) e Juarez (pai de Rodolffo), que decidiriam unir os filhos ainda crianças, depois de descobrirem que os garotos tinham talento de sobra e um futuro promissor. No começo se apresentavam em festinhas, casas de amigos, eventos políticos, aniversários e na escola onde estudavam.

Aos 10 anos de idade, em 1999, gravaram um CD demo, com quatro músicas inéditas, que não chegou a ser divulgado. Ao longo de 27 anos de carreira, lançaram três EP’s, treze CD’s/álbuns e nove DVD’s. Em 2021, a dupla lançou a música “Batom de Cereja” que ficou entre as 20 mais tocadas no mundo e, no Brasil. Foi eleita a mais tocada do ano nas plataformas digitais, com o videoclipe mais visto do ano no YouTube. Os números de Israel e Rodolffo não mentem o sucesso: 1.7 bilhão de visualizações em seus videoclipes; mais de 1 bilhão de streamings e 10.3 milhões de ouvintes mensais nas plataformas de música; cerca de mil toneladas de alimentos arrecadados durante as lives realizadas na pandemia. 

Ouça agora Batom De Cereja

 

Jorge & Mateus

Jorge

Naturais de Itumbiara, Jorge Alves Barcelos estudava Direito e Mateus Liduário, Agronomia. Ambos já se apresentavam em festas e festivais musicais na cidade, mas ainda não haviam se topado. Em 2005, um amigo em comum os apresentou. Então, eles cantaram juntos em um churrasco entre colegas e, a partir daí, deram o primeiro passo rumo ao sucesso. No mesmo ano realizaram o primeiro show oficial da dupla, em uma boate, logo surgiu o primeiro CD, produzido de forma independente e gravado na garagem da casa de Mateus. Depois disso, a gravadora Universal Music conheceu o trabalho dos cantores. Em 2007, a dupla lançou seu primeiro CD e DVD com um grande estúdio: o “Ao vivo em Goiânia”, com o lançamento da música “Pode chorar”.

Em 2009, com o segundo CD e DVD, “O Mundo é tão Pequeno”, Jorge & Mateus alcançaram o disco de platina e realizaram a primeira turnê internacional, com shows nos Estados Unidos. Mas foi com o quarto disco – o primeiro de estúdio – que o destaque da dupla tomou proporções estratosféricas. Assim, “Aí Já Era” (2010) conta com canções memoráveis. Em março de 2012, chegou a vez de gravarem na praia de Jurerê Internacional, em Santa Catarina o DVD “A Hora é Agora”. Ainda no mesmo ano, a dupla subiu ao palco novamente, dessa vez em solo internacional para gravação de mais um CD e DVD, intitulado “Live In London – At The Royal Albert Hall”. Hoje, a dupla conta com mais de 5 milhões de inscritos em seu canal no YouTube e mais 2,5 bilhões de visualizações. Com mais de 10 álbuns gravados e inúmeros sucessos.

Ouça agora De Tanto Te Querer

 

João Neto & Frederico

João

Os dois são naturais de Goiânia, a terra da música sertaneja. João nasceu no dia 12 de agosto de 1979 e é o mais velho. Frederico nasceu no dia 11 de março de 1982. Cantando desde crianças, os irmãos criaram um grupo musical com o nome de Rouxinóis de Goiás. A trajetória na música começou em 1989, quando formaram um trio composto por João, Frederico e o outro irmão Felipe César nos teclados. Participaram de importantes eventos realizados em feiras artísticas e pecuárias. Ganharam ainda o Festival de Música do Pit Clube Rodeio de Goiânia e foram premiados com a gravação do primeiro CD independente, intitulado “Esperando por um Sonho”, em 1998.

Quando João Neto e Frederico tinham, respectivamente, 10 e 6 anos, começaram sua jornada na música sertaneja graças à influência do avô e do pai, que fazia parte da dupla sertaneja Toni & Gil. Além da paixão musical, os dois também cursaram a faculdade e se formaram em áreas que conversam com o amor dos dois pela natureza a agronomia. João Neto é formado em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Goías (UFG) e é pós-graduado em clínica e cirurgia em pequenos animais pela UniPinhal. Frederico se formou em Agronomia.

 O primeiro CD oficial veio em 2004 com o nome de “Se Não Foi por Amor” e singles como “Viver Sem Ar”, tradução da música argentina “Vivir Sin Aire” da banda Maná. Desse modo, em 2006, a dupla continuou os trabalhos com Modão – Ao vivo. Porém, foi apenas em 2007 com o CD e DVD Acústico e Ao vivo que João Neto e Frederico iniciaram seu sucesso no país. A partir daí, canções como Não vou mais chorar e À sua vista se tornaram conhecidas em todo o país. Nos anos seguintes, a dupla continuou investindo em ritmos mais dançantes, fazendo uma mistura entre sertanejo e arrocha.

Ouça agora Pega Fogo, Cabaré

 

Leandro & Leonardo

Leandro

Luis José da Costa (Leandro) nasceu em 15 de agosto de 1961, e Emival Eterno Costa (Leonardo), nasceu em 25 de julho de 1963, ambos na cidade de Goianápolis, no estado de Goiás. Os dois trabalhavam na roça, na plantação de tomates da família. Até que Leandro percebeu sua vocação para a música, e chegou a ser vocalista de uma banda chamada “Os Dominantes”, que fazia covers de músicas dos Beatles e de Roberto Carlos. Em 1983, Leandro abandonou a banda, e formou a dupla com seu irmão Leonardo. Os irmãos venceram um programa de calouros da TV local, e usaram o dinheiro do concurso para ir à São Paulo, onde gravaram um álbum com tiragem de 500 cópias, apesar do disco não ter feito sucesso, abriu as portas para que fossem contratados por uma gravadora, e então lançaram dois discos: “Leandro e Leonardo volume 1” em 1986, e “Leandro e Leonardo volume 2” em 1987.

A canção “Entre Tapas e Beijos” virou hit. Nos anos seguintes, assinaram contrato com a Warner Music e lançaram mais um sucesso, emplacando o hit “Mexe Mexe” (17º Lugar nas Paradas). No ano de 1994 lançaram o álbum “Leandro e Leonardo Vol. 8”, que conseguiu uma colocação nas paradas de 1994 com a canção de Piska e César Augusto “Dor de Amor Não Tem Jeito” 68º lugar. Ao contrário dos demais álbuns da dupla, o volume 9 contava com influências country, resultando na Festa de Rodeio.

Em 1998 foi um ano difícil para a dupla, pois Leandro descobriu que estava com câncer no pulmão. O diagnóstico veio após um exame de raio-x revelar que ele tinha um tumor já com o tamanho de uma laranja. Leandro faleceu em junho do mesmo ano em decorrência da doença, que desencadeou em parada cardiorrespiratória e falência múltipla dos órgãos. Mesmo com a perda do irmão, Leonardo não desistiu e prosseguiu sua carreira cantando e lançando novos projetos marcantes, com participações especiais de Bruno & Marrone, Eduardo Costa, Chitãozinho & Xororó, entre outros sucessos do sertanejo.

Ouça agora Pense Em Mim

 

Marília Mendonça

Marília

Conhecida como a rainha da Sofrência, Marília Dias Mendonça nasceu em 1995 na cidade de Cristianópolis, mas foi criada na capital goiana por sua mãe, Ruth Dias. Descoberta na igreja evangélica que frequentava, começou a cômpor aos 12 anos tocando e cantando na igreja. Nessa épca, Marília cantou em vários bares da cidade, gostava de tocar pop rock e nem pensava na possibilidade de cantar música sertaneja. Antes da fama, a rainha da sofrência compôs músicas conhecidas como “Até Você Voltar,” “Cuida Bem Dela” e “Flor e o Beija-Flor”, cantada nas vozes de Henrique e Juliano.

Sua carreira de cantora teve início em 2014, com o lançamento do seu primeiro EP. No entanto, foi com o lançamento da música “Infiel”, em 2016, que tudo mudou. A canção se tornou o primeiro hit de Marília a conquistar destaque no cenário nacional, presente em seu primeiro DVD “Marília Mendonça: Ao Vivo”, lançado em 2016. Escrevendo história no sertanejo feminino, lançou o álbum “Realidade” em 2017, onde escreveu hits conhecidos como, “Eu sei de Cor”, “Amante não tem Lar”, entre outros que encantaram o Brasil.

Em 2019, lançou o DVD Todos Os Cantos, com músicas como “Todo Mundo Vai Sofrer”, “Supera”, “Ciumeira” e “Bem Pior Que Eu”, com mais dois volumes. Pelo trabalho, ganhou o prêmio de Melhor Álbum de Música Sertaneja no Grammy Latino. Sua vida pessoal também foi marcada pelo nascimento de seu filho Léo, fruto do relacionamento com o cantor e compositor Murilo Huff. Durante a pandemia teve a live com maior audiência de 2020, com 3,31 milhões de visualizações simultâneas, no YouTube.

No mesmo ano lançou a “Festa das Patroas” com a dupla Maiara e Maraísa, composta de canções de sofrências que encantaram o público, como, “Quero Você do Jeito que Quiser”, “Todo Mundo Menos Você”, “Presepada”e muito mais. Infelizmente, no mesmo ano, a cantora veio a falecer aos 26 anos, vítima de um acidente aéreo. O avião em que ela estava, decolou de Goiânia com destino a Caratinga, e a queda aconteceu em uma cachoeira da serra da região. Marília estava a caminho de um show, para o qual 8 mil pessoas a aguardavam. A cantora deixou um legado no sertanejo brasileiro e suas músicas ainda marcam toda uma geração de amantes do sertanejo. 

Ouça agora Infiel

 

Zezé Di Camargo & Luciano

Zezé

Filhos de uma lavadeira e cozinheira com um pedreiro, Zezé Di Camargo & Luciano não tiveram um começo de vida fácil. Naturais da cidade de Pirenópolis, viam de uma origem humilde e moravam com outros sete irmãos na roça. O sonho de seu pai Francisco, era que seus filhos se tornassem cantores de sucesso. Aos 3 anos, Mirosmar, o famoso Zezé, ganhou a sua primeira gaita. Um pouco depois, vieram a sanfona e o violão, que seriam muito úteis nos shows que ele iria fazer com Emival, seu irmão. Em 1947, na capital goiana, os dois garotos receberam o nome de Camargo e Camarguinho e ainda jovens, começaram a fazer sucesso na região.

Infelizmente, entre turnês e viagens por todo o país, a dupla sofreu um trágico acidente, levando a vida de Camarguinho, o Emival. Por volta dos anos 90, Zezé ainda tentava emplacar carreira solo. Nesta mesma época, ele recebeu a proposta do seu irmão Welson David, Luciano, de se tornarem uma dupla. Juntos, já no primeiro lançamento veio o hit “É o amor”, canção composta por Zezé e que iria se tornar o primeiro grande sucesso. Lançada em 1991, a música teve até mesmo uma versão cantada por Maria Bethânia. Isso sem falar na versão também gravada pela banda Raça Negra. Durante os mais de 20 anos de carreira, foram cerca de 40 milhões de discos vendidos. Aliás, a dupla é conhecida como a maior vendedora de DVDs do mercado brasileiro. Olha só esses números: 5 Grammys latinos e 2 indicações; 20 discos de platina; 15 discos de platina duplo;27 discos de ouro; 27 discos de prata; 27 discos de diamante.

Ouça agora É o Amor

 

Imagens retiradas dos Instagram dos artistas !

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Projeto Estrelas do Araguaia retorna com shows gratuitos de artistas goianos em Aruanã

Após receber quase 20 mil pessoas ao passar por mais de 15 acampamentos e praças da região do Rio Araguaia na temporada de julho, a 19ª edição do projeto Estrelas do Araguaia retorna com  shows que iniciaram no dia 2 setembro e seguem até sábado (10/9). Com a presença de nomes confirmados para os shows gratuitos do projeto, o Estrelas do Araguaia terá ainda as apresentações de Maria Eugênia e Luiz Chaffin, Cláudia Vieira, Sérgio Pato, Front Júnior, Grace Carvalho e Marcelo Barra.

Além das apresentações musicais, o Rio Araguaia vai receber palestras, recreação e distribuição de brindes com temáticas ambientais. O Projeto Piraíba continuará em ação durante a segunda fase do Estrelas do Araguaia, com o monitoramento de peixes desta espécie. O trabalho, inédito na América Latina, tem como objetivo final a preservação do peixe piraíba, que pertence ao topo da cadeia alimentar do Rio Araguaia.

Primeira fase

As apresentações culturais, musicais e educativas da primeira fase do Estrelas do Araguaia passaram pela Praia do Cavalo e Praça Municipal de Aruanã, além dos acampamentos Jaburu,  Tá Danado, Fubreka, Rabo de Arraia Turma 1 e 2, Ilha do Sol, Boa Virada, Mundão Bão, Rancho dos Bakanas, Felicidade, Tadeu Bastos e Itacaiu.

A programação contou com shows, artistas, escritores, poetas e músicos goianos, recreação para crianças voltada à temática ambiental, esporte e distribuição de brindes. Dentre as atrações da primeira fase do projeto Estrelas do Araguaia, se apresentaram os cantores Edu Moraes, Bruno Felix, Pedro Pessoa e Ricardo Paniago. Todas as atividades foram promovidas sem nenhum custo para os acampamentos, graças ao apoio de grandes empresas parceiras. 

Confira abaixo a programação:

5 de setembro – Maria Eugênia (Aruanã)

6 e 7 de setembro – Cláudia Vieira (Aruanã)

8 e 9 de setembro – Grace Carvalho ( Itacaiu)

10 de setembro – Marcelo Barra (Cidade de Goiás)

 

Governo de Goiás lança 20 novos editais da Lei Aldir Blanc com recursos de R$ 40 milhões

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), lança 20 novos editais da Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural, cujos recursos a serem distribuídos somam quase R$ 40 milhões. A verba irá abranger cerca de 2,5 mil projetos do segmento cultural goiano.

 

As inscrições ao processo seletivo estarão abertas, a partir da próxima terça-feira (27/07), pela plataforma Mapa Goiano, no site www.cultura.go.gov.br.

 

Entre as áreas contempladas estão projetos de artes visuais, artesanato, audiovisual, arte feminina, pontos de cultura, circo, cultura popular, cultura kalunga e quilombola, crianças e adolescentes, dança, fomento à bibliotecas comunitárias e museus, festivais, direitos humanos, hip hop, letras, teatro e música, além de propostas focadas nas tradições, no saber goiano.

 

O chamamento para o certame foi elaborado pela Secult após reuniões com representantes do setor e realização de consultas públicas, que buscaram atender aos mais variados segmentos da cultura goiana.

 

 

 

Fomento

 

A Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural foi criada pelo governo federal com o objetivo de auxiliar trabalhadoras e trabalhadores da Cultura, bem como os espaços culturais brasileiros, no período de isolamento social, ocasionado pela pandemia da Covid-19.

 

Em Goiás, foram lançados em 2020, pela Secult, três editais da lei, que beneficiaram mais de 1.530 projetos em todo o Estado. A maioria deles já está em execução.

Foto de capa: Mural do artista plástico goiano Cristiano Freitas, mais conhecido como Dongoou pelo projeto “Seres do Shangrylá”, que já foi contemplado com a lei Aldi Blanc. 

Leia também: 

Novo Mundo investe em funcionários com universidade própria e vira queridinha do mercado de trabalho

10 siticons escondidas no streaming para você chorar de rir 

Mergulhadores encontram cepa de levedura em garrafas de cervejas naufradas

Parque Areião passará a se chamar Washington Novaes 

8 músicas de Goiás e sobre Goiás que você precisa conhecer

A música goiana é muito difundida no restante do país principalmente com destaque para seu estilo sertanejo. Mas quem vive aqui sabe que a diversidade cultural do nosso estado vai muito além desse estereótipo, com artistas e produções incríveis que passam pelos mais diversos estilos. Muitas vezes, em suas produções, os artistas goianos aproveitam para homenagear o estado e destacar suas belezas. Pensando nisso, o Curta Mais preparou uma lista com 10 canções goianas de diferentes estilos musicais que falam sobre o estado.     

 

1 – Goiás sempre no coração 

Artista: João Caetano

Data de lançamento: 2009

 

2 – Canto Goiano 

Artista: Marcelo Barra

Data de lançamento: 2013

 

3 – Centro – oeste 

Artista: Nilton Rabello

Data de lançamento: 2013

 

4 – Benzin 

Artista: Boogarins

Data de lançamento: 2015

 

5 – Goiás é Mais

Composição: Moacyr Franco 

Intérpretes: Bruno e Marrone 

Ano: 1995

 

6 – Jeito Goiano

Artistas: Luiz Augusto, Amauri Garcia e Hamilton Carneiro

Ano: 2017 

 

7 – Sertão Urbano 

Artista: Carne Doce

Ano: 2014

 

8 – Caminhoneta Zera 

Artista: Pedra Letícia

Data de lançamento: 2008

 

 

Após alta, Orlando Morais ganha flores da enteada Cléo Pires: ‘Pai, continue nos inspirando’

Após receber alta hospitalar, Orlando Morais publicou em seu Instagram, um vídeo em que agradece Cleo Pires pelo presente. O artista havia se internado em Brasília no último dia 24, em razão da Covid-19.

“Pai, que você continue nos inspirando com sua garra e sua força. Muita saúde, te amo muito”, bilhete escrito nas flores que o compositor recebeu. Logo, o compositor publicou junto com a filha, no qual, elogiou e afirmou que Cleo faz parte do álbum “Tempo Bom”, lançado em 2005.

Na última quinta-feira, Orlando agradeceu os profissionais de saúde pelo atendimento e cuidado que tiveram com ele. “Quero agradecer todos os profissionais, que estiveram todos os dias comigo no meu quarto, me dando amor, me dando vida”, comentou ele.

A atriz Glória Pires que também esteve no local e fez agradecimentos e afirmou que se sente grata pelo positivismo que cada um passou enquanto os profissionais cuidavam de seu marido. Em vídeo, Orlando agradeceu a família e os quatro filhos, incluindo Cleo.

 

 

 

 

Foto: Instagram/Divulgação

Companhia de teatro goiana apresenta o espetáculo ‘O Espírito da Montanha”

Com direção de Franco Pimentel e a diretora de arte Vanessa Croft, o espetáculo ‘O Espírito da Montanha’ será exibido nesta terça-feira, dia 23, a partir das 19h. 

A peça que teve sua estreia em 2018, estará disponível amanhã nos canais do Youtube da Companhia Mínima e da FETEG. A exibição será o encerramento de uma série de apresentações feitas pela Companhia Mínina com o apoio da Lei Aldir Blanc. Segundo Franco, o espetáculo é muito importante para salientarmos o momento em que vivemos. “A obra aborda a produção de sentimentos mais fraternos com as necessidades dos outros, enfrentando a crescente onda de individualismo que impede a transição do mundo para um mundo mais justo e menos violento”, comentou ele.

A história narra a vida de um jovem trabalhador que mora à beira do grande Lago Verde Oliva. O personagem questiona sobre a cor da água, enquanto não consegue acumular o necessário para dar uma vida melhor à mãe. Ao saber que no lado leste da montanha existe um grande espírito que detém todas as respostas, decide procurá-lo. 

A exibição é gratuita e conta com os atores Bruno Di Tanno, Caco Rodrigues, Daniela Rocha, Laízia de Jesus, Luiz Eduardo Carneiro e Otto Caetano.

 

Foto: Rafaella Pessoa/Divulgação

Em sua quarta edição, o Festival das Famílias do Circo tem sua estreia em formato virtual

A programação que tem como objetivo de reunir espetáculos inéditos e consagrados no mundo do circo começará no dia 22 de março (segunda-feira). Com histórias destinadas a todos os públicos, o evento será transmitido no próprio canal do festival, a partir das 10 horas da manhã.

A programação vai reunir nove espetáculos de várias cidades nacionais que irão contemplar diferentes vertentes do circo. Além disso, o projeto trará debates importantes na profissão circense, como, a presença das mulheres nas novas formas de produção; a importância do circo na educação sensível e também sobre a relação entre circo e o teatro.

Em comemoração ao Dia Nacional do Circo, comemorado no próximo dia 27, o evento será um ato em defesa à Escola Nacional de Circo e o lançamento do museu iconográfico sobre as famílias de circo de Goiânia. “ É um lugar de fala para amplificar a voz das produções circenses ao mesmo tempo que é um ambiente de formação para buscas de alternativas de produção no contexto pandêmico”, compartilha o coordenador do projeto, Constantino Isidoro.

Esta primeira etapa vai se estender até o dia 28, com objetivo de levar arte de qualidade ao público e apoiar as famílias tradicionais de circo de Goiânia, que carecem de apoio neste cenário pandêmico. Em maio, o grupo retornará com a missão de oferecer atividades de sensibilização da arte circense para crianças, adolescentes e jovens.

O projeto tem apoio do Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás. A programação na íntegra pode ser vista pelo site: https://festivaldasfamiliasdecircodegoiania.com 

 

Confira os espetáculos:

– 22 de março

10h / 14h30

Esquadrão Bombelhaço – Circo Teatro Palombar (São Paulo)

– 23 de março

8h30 / 10h / 14h30
O Farol – Cia Studio Sereia (Distrito Federal)

– 24 de março

10h
•  Tradição: A Magia do Circo / Família Metroviche – Trupe Chocolate e Pimentinha

14h30 / 19h30
Peripécias dos Ilusionistas Malucos – Grupo Asas de Picadeiro (Goiás)

– 25 de março

10h
Bem Vindo – Palhaço Café Pequeno (Rio de Janeiro)

14h30 / 19h / 20h
Hamlet na Rua – Anthropos Companhia de Arte (Goiás)

– 26 de março

8h30 / 10h / 14h30
Pupila d’agua – La Casa Incierta (DF – Brasil/Espanha)

19h
Bem Vindo – Palhaço Café Pequeno (Rio de Janeiro)

– 27 de março

16h / 19h
Eu sem você não sou ninguém – Turma do Biribinha (Alagoas)

– 28 de março

16h / 19h
Circo Magia e Estripulias – Circo Laheto / (Goiás)

#OcupaFeteg: espetáculo “A Clara do Ovo” será transmitido nesta sexta-feira, dia 19

Há 15 anos em cartaz, “A Clara do Ovo” fará parte da programação do projeto da Federação de Teatro de Goiás (Feteg). O espetáculo será transmitido nesta sexta-feira (19), a partir das 20h, no próprio canal da instituição, na programação #OcupaFeteg.

A peça faz parte do grupo de teatro, da Coordenação de Arte e Cultura (CAC) da PUC Goiás e tem direção de Danilo Alencar. O enredo baseado em história real, conta a vida de Ubaldo, personagem interpretado pelo ator e escritor Pablo Diego Garcia. E em uma linguagem teatral que mistura a fantasia com a realidade, “A Clara do Ovo” é fruto de relatos contados por uma prostituta que vivenciou conflitos familiares. 

“A dramaturgia foi inspirada em relatos que ouvi de uma prostituta. Coloquei no palco o que ela me contou e escrevi a dramaturgia para que essa história seja eternizada pela arte”, contou o ator que complementa que o texto se torna uma boa oportunidade de refletir sobre os mistérios das relações humanas.

O evento será realizado pela Federação de Teatro com o apoio do  Fundo de Arte e Cultura de Goiás (FAC) e da Secretaria de Estado da Cultura (Secult). A transmissão será gratuita e estará disponível no canal do Youtube da Feteg.


Foto: Divulgação

Festival gratuito promove atividades online sobre inclusão de artistas com deficiência, em Goiânia

A 3ª edição do Procena Goiás começa nesta quarta-feira (7) e conta com oficinas, webinários e espetáculos que abordam dança, acessibilidade e profissionalização de artistas com deficiência. A programação é de graça, será transmitida pela internet e conta com tradução em libras e recurso de autodescrição.

O evento começa às 9h desta quarta-feira e vai até sábado (10), com transmissão pelo YouTube, Instagram e Facebook do evento. O Procena conta com apoio do Fundo de Arte e Cultura de Goiás.

Segundo a organização, por conta da pandemia de Covid-19, a programação precisou ser adaptada para o meio virtual. Apesar da falta de contato físico, os organizadores esperam um alcance maior do evento, possibilitando que mais pessoas participem.

Os espetáculos são compostos por diversas linguagens artísticas, passando pelo teatro, dança, circo e música.

SERVIÇO
Evento: Edição 2020 – Procena – dança, acessibilidade e profissionalização para artistas com deficiência
Datas: 7 a 10 de outubro de 2020, quarta-feira a sábado
Onde assistir: Instagram, Facebook e YouTube do Evento.

PROGRAMAÇÃO
7 de outubro 
9h – Oficina “Dance ability”, com Ana Alonso
14h – Oficina “Corpo Zona Dissoluta”, com Alexandre Américo
17h – Webinário “Papo #PraCegoVer”, com Patrícia Braille E Luciene Gomes
19h – Espetáculo “Dez Mil Seres”, com a Cia Dançando com
a Diferença (Portugal)

8 de outubro 
8h – Websérie “Essa é a minha arte! Qual é a sua?”
9h – Oficina de Dança Inclusiva “Estranho hoje?!!, normal amanhã?!!!”, com Marline Dorneles
14h – Oficina “Corpo Zona Dissoluta”, com Alexandre Américo
17h – Webinário “Políticas culturais e a produção de artistas
com deficiência”, com Sacha Witkowski, Claudia Reinoso, Ingrid David e Eduardo Victor
19h – Espetáculo “Berorrokan – A origem do mundo Karajá”,
com INAI/NAIBF – GO

9 de outubro 
8h – Websérie “Essa é a minha arte! Qual é a sua?”
9h – Oficina de Dança Movi(mente), com Ana Balata e Laysa Gladistone
14h – Oficina de Criação Cênica Acessível em ambiente virtual,
com Thiago Santana
17h – Webinário “Formação em dança e recursos de acessibilidade”, com Marlini
Dorneles (UFG), Vanessa Santana (UFG) e Marcelo Marques
19h – Espetáculo “Similitudo”, com Projeto Pés (DF)

10 de outubro 
8h – Websérie “Essa é a minha arte! Qual é a sua?”
9h – Oficina de Dança Movi(mente), com Ana Balata e Laysa Gladistone
14h – Oficina de Criação Cênica Acessível em ambiente virtual,
com Thiago Santana
17h – Webinário “Corpos diferenciados e a cena”, com Henrique
Amoedo, Mônica Gaspar e Alexandre Américo
19h – Espetáculo “die einen, die anderen – alguns outros”, com a Cia Gira Dança (RN)

Programação completa: http://procenago.com/procena_2020/

Foto: Júlio Silva Castro/Divulgação

 

Receba notícias do Curta Mais diretamente no seu WhatsApp (clique aqui)

SIGA O CURTA MAIS NAS REDES SOCIAIS

Facebook | Instagram | Twitter 

Artistas goianos vão grafitar muro de 75 metros de largura em evento aberto ao público em Goiânia

A primeira edição do Sesc em Cores, acontece nos dias 14 e 15 de março, na unidade do Mesa Brasil, em Goiânia. O evento, que terá início às 9h, reúne 18 grafiteiros, da nova e da velha geração, que darão um colorido especial ao muro da unidade, que tem nada mais nada menos que 75 metros de largura e 4 metros e meio de altura, totalizando mais de 300m² de painel a céu aberto. O evento é aberto ao público.
A organização do evento é do Sesc Goiás em Parceria com o grafiteiro Joka. O artista explica que para selecionar os artistas levou em conta a mistura de estilos e a interação das gerações. “Tem o pessoal que pinta letras, arte abstrata e realismo. Além disso, tem artista com 20 anos de experiência, com reconhecimento regional, nacional e até internacional, e também novos artistas que vão apresentar seu trabalho”, revela. 
Outro ponto levado em consideração no momento da escolha foi a qualidade dos artistas da nossa região. Um grafiteiro do Distrito Federal fará uma participação especial.
 
O Sesc em Cores é uma ação que fomenta a arte de rua em Goiânia. Joka destaca que o público goianiense é muito receptivo e que já existem na capital pontos turísticos reconhecidos pelos trabalhos artísticos: “Tem o Beco da Codorna, no Centro, que já recebeu eventos nacionais de graffiti, o beco da Rua do Lazer, também no Centro, que no ano passado recebeu um evento com artistas de diversos estados.”
A expectativa dos grafiteiros para a movimentação é grande. “A gente tá fazendo tudo com muito carinho para deixar um cartão postal para Goiânia”, diz Joka. 
Artistas confirmados: Joka, Pokazo, Kabelin, Breu, Césio, Pirika, Gesso, Deneri, Gomes, Nosm, Iowa, Guaná, Segato, Aiog, Sets, Bulacha, Ice, Smile. 
Serviço
Sesc em Cores
Quando: 14 (sábado) e 15 (domingo) de março.
Horário: a partir das 9h
onde: Sesc Mesa Brasil (Qd 45A, Lt. 1 a Rua Vera Cruz, 7 – Jardim Guanabara, Goiânia)
Aberto ao público
Foto de capa: Marcos Aleotti/Curta Mais

Domingrau: Evento mensal de música alternativa traz o rapper Rashid para Goiânia em sua primeira edição

O estado de Goiás é fortemente associado à música sertaneja, mas também é referência nacional quando o assunto é rock alternativo. Isso se dá graças aos grandes nomes do meio que surgiram por aqui e também por conta dos eventos anuais que acontecem esporadicamente na capital.

Para fortalecer o cenário musical alternativo do estado, abrir espaço para os artistas locais e oferecer uma opção de lazer diferenciada ao público goiano que não é muito ligado ao tão aclamado sertanejo, a produtora Camila Oliveira e a publicitária Rhayssa Kückelhaus, criaram o Domingrau.

O evento está previsto para acontecer mensalmente, trazendo diversos artistas da cena alternativa goiana e até mesmo nomes de outros estados. Os ingressos são pensados para serem acessíveis, estimulando o público a abraçar a causa e a se envolver mais com o cenário alternativo da cidade. 

A primeira edição do projeto acontece no dia 04/08, das 16 às 22h, no Circo Lahetô. O lançamento conta com apresentação dos goianos Wu-Kazulo e ZaqBabao, que dividirão a programação com o rapper paulista Rashid. Os ingressos estão sendo vendidos direto no site do evento, no valor de R$ 35. 

 

SERVIÇO

Domingrau 

Estreia: 04 de agosto (domingo)

Atrações: Rashid + Wu-Kazulo + ZaqBabao

Horário: das 16h às 22h

Local: Circo Laheto (Av. H, esq. c/ 72, Jardim Goiás, Goiânia – GO – Estacionamento do Estádio Serra Dourada)

Ingressos: R$ 35 + taxa do site – a venda em www.domingrau.com.br

Conheça a arte digital que utiliza Emojis em sua criação

Artista Digital Yung Jake (nome real Jake Patterson), vive em Los Angeles, desenvolveu um novo tipo de arte que ele mesmo denomina como “Emoji Portraits”, que utiliza apenas Emojis de smartphones para criar incríveis caricaturas através da técnica do pontilhismo. Ele também é diretor de cinema e rapper. 

Os Emojis apareceram nos dispositivos móveis desde os anos 90 e tornaram-se globais quando a Apple os tornou padrão nos iPhones e já ganharam filme de animação na Sony. Yung resolveu utiliza-los para transformar em belas artes, e não é que deu (muito) certo?

Yang já retratou famosos como Lady Gaga, Justin Bieber, David Bowie, Leonardo DiCaprio, Willow Smith, Kim Kadarshian, Oprah, entre outros. Confira;

 
 
 
 
 
Visualizar esta foto no Instagram.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por @yungjake em

 

 
 
 
 
 
Visualizar esta foto no Instagram.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por @yungjake em

 

 
 
 
 
 
Visualizar esta foto no Instagram.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por @yungjake em

 

 
 
 
 
 
Visualizar esta foto no Instagram.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por @yungjake em

(Imagem: Divulgação)

Principal prêmio nacional de artes visuais têm artistas goianos indicados

Escrito por Bianca Stephania

 

O Prêmio PIPA  é uma parceria entre o Instituto PIPA e o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM Rio) que chega à sua oitava edição, e tem como objetivo premiar artistas brasileiros que trabalhem com qualquer mídia, sem restrição de idade. O Prêmio tornou-se a principal plataforma de pesquisa sobre a arte contemporânea brasileira.

Não há inscrições para concorrer ao Prêmio, os artistas são indicados pelo Comitê de Indicação onde houve duas indicações com artistas provenientes de Goiânia.

Pedro Dalton é um deles. Artista brasiliense que trabalha e reside em Goiânia, tem realizado trabalhos sobre questão racial em artes visuais pensando no protagonismo de personagens negros e usando metáforas para trabalhar estas questões. Suas obras tem bastante influência de cultos afro-brasileiros e histórias populares.

pedrodaltond
Na série A Cura, pintura sobre capas de livros, Dalton Paula coloca os negros como autores e protagonistas.

 

Grupo EmpreZa também foi indicado, e conta com nove artistas de Goiás e do Distrito Federal, sendo eles: Aishá Kanda, Babidu, Helô Sanvoy, João Angelini, Marcela Campos, Paul Setúbal, Paulo Veiga Jordão, Rava e Thiago Lemos.

O Grupo já participou de mostras nacionais e internacionais e possui trabalhos de performances, criações de vídeo, animações e fotografias derivados das ações performáticas.

d12d8fb0af66610114b23b2991477ef0.jpg
(Foto: Divulgação/Perfomance Bodystorm)

O Prêmio PIPA tem a duração do dia 15 de junho até o dia 28 de outubro. Para acompanhar o cronograma, votar e obter mais informações visite o site do PIPA.

 

(Foto: Divulgação)

Goiânia recebe evento para quem curte novas experiências musicais

Escrito por Leonardo Fort

 

O Sofar Sounds é nada mais que um show intimista e muito mais que um show intimista! Confuso? Calma ai! Apesar da ideia ser simples e de se tratar de um show em escala pequena, o Sofar é uma grande comunidade de colaboradores, desde pessoas que cedem seus espaços para os shows (incluindo rooftops, lojas, espaços colaborativos e muito mais…), artistas locais que usam desta oportunidade para conquistar seu público, até fotógrafos, técnicos de som e outras pessoas envolvidas em sua organização e produção.

A comunidade é global e o Sofar está presente em mais de 400 cidades, incluindo Goiânia! Na nossa bela cidade, já aconteceram 4 shows e o quinto será no dia 11 de julho em um local ainda não revelado no Setor Jaó.

Se você gosta de surpresas, o local de cada show só é revelado com 24 horas de antecedência, para quem já adquiriu seu ingresso e, os artistas são um segredo até o momento do show!

Curte uma experiência diferente? Achou!

 

Serviço
Valor: A partir de R$30,00
Mais informações: Sofar Sounds

 

Imagem: Sofar Sounds / Reprodução