Sérgio Reis diz que sua fala sobre ameaça ao STF foi uma brincadeira com um amigo

Em entrevista exclusiva para o Domingo Espetacular, da Record TV, o cantor Sérgio Reis disse que vem sofrendo várias intimidações depois que seu áudio, ameaçando invadir o Supremo Tribunal Federal (STF), foi vazado. O artista afirma que se arrepende da sua fala e que o áudio não passou de uma brincadeira.

 

“Não me arrependo de nada. Só esta frase infeliz, que eu brinquei com um amigo, que vazou. Mas não é a realidade. E se eu falei, foi brincando”, contou Sérgio em entrevista ao repórter Roberto Cabrini.

 

No áudio que foi motivo da investigação da Polícia Federal consta a voz do cantor afirmando: “Se em 30 dias não tirarem aqueles caras nós vamos invadir, quebrar tudo e tirar os caras na marra. Pronto. É assim que vai ser”.

 

Durante a entrevista, Sérgio afirma que sabe que corre risco de uma eventual prisão. “Mas não tem problema, eu vou lá. Não matei ninguém, não bati em ninguém, não agredi ninguém”. E quando foi perguntado sobre o áudio da investigação, ele  se exalta: “Esquece esse áudio. Eu errei, dá licença de eu errar? Então acabou, morreu aí, não fala mais. Se não eu paro a entrevista aqui.”

 

Ao continuar a entrevista, o artista se retratou. “Se caso eu os ofendi, me perdoe, como ser humano, e também com respeito ao cargo de vocês. Agora, respeitem o povo também. Isso é o que eu peço, acho que estou sendo justo. Peço desculpas se eu magoei o Alexandre, o Barroso ou qualquer um. Nunca falei de todos eles. Já cruzei com esses ministros e nunca joguei uma frase: ‘Ae, safado’. Nunca fiz isso, nem faria, porque não é justo”, disse.

 

Investigação 

 

Nesta semana, Sérgio Reis foi um dos alvos de mandados de busca e apreensão da PF, como parte de um inquérito que apura “eventual cometimento do crime de incitar a população, através das redes sociais, a praticar atos violentos e ameaçadores contra a Democracia, o Estado de Direito e suas Instituições, bem como contra os membros dos Poderes”.

 

De acordo com a Polícia Civil, “a investigação teve início após a circulação de vídeos e áudios nas redes sociais e em matérias jornalísticas em que alguns indivíduos, dentre eles o cantor Sérgio Reis, manifestam-se no sentido de cometerem crimes previstos nos artigos 147, 163 e 262 do Código Penal”.

 

O cantor convocou protestos em Brasília para promover o fechamento de estradas e sitiar a cidade, com a invasão do Supremo Tribunal Federal (STF) e derrubada de ministros.

 

‘Sofia’: Spotify lança sua primeira série de ficção em áudio gratuita

Após abraçar os podcasts e audiobooks com força, a plataforma de streaming de música lança sua primeira série de ficção feita 100% em áudio.

‘Sofia’ conta a história de Helena (Monica Iozzi), uma das milhares de operadoras de Sofia (Cris Vianna), “a assistente virtual mais responsável e inteligente do mundo”, que passa seus dias espiando o mundo dos usuários da assistente virtual, ajudando-os a navegar em suas perguntas e demandas. Apenas um detalhe: os usuários não sabem que ela é real. O elenco também conta com Otaviano Costa e Hugo Bonemer. 

Spotify estreia Sofia, seu primeiro de ficção da empresa para o Brasil

A áudio série é a primeira adaptação realizada pelo Spotify Studios no Brasil de uma produção original da Gimlet. Além do Brasil, o Spotify também lança simultaneamente as adaptações de Sandra na Alemanha, França e México.

Para ouvir a série, clique aqui.

Vaza áudio de Roberto Justus discutindo com Marcos Mion sobre isolamento por coronavírus

O empresário e apresentador Roberto Justus se envolveu em uma polêmica após ter um áudio vazado em uma conversa pelo WhatsApp com o colega de televisão, Marcos Mion, Justus critica duramente Mion que tem usado as redes sociais com uma série de vídeos falando sobre a pandemia causada pelo novo coronavírus. 

Embora concorde com a teoria de evitar aglomerações e isolar idosos, Justus faz uma análise do impacto econômico futuro.

“Quem entende um pouco de estatística, que não é o seu caso, sabe que é irrisório”, diz Justus, já no começo do áudio. E completa: “Não fique preocupado com o vírus entrando na favela, porque não vai matar ninguém. Só gente que já está doente e velhinho. Não tem nenhuma morte nas 12 mil que a pessoa não tinha problema de saúde recorrente no passado. Os pobres não são todos doentes. Na favela não vai acontecer nada. Vou te passar umas matérias, se tiver um bom inglês, por favor, leia, e você vai entender essa histeria desproporcional”.

Ouça os áudios: 


Até o momento, Marcos Mion não comentou o caso mas o próprio Roberto Justus voltou a tocar no assunto em um vídeo postado em suas redes sociais confirmando a veracidade do áudio e reafirmando sua posição.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por robertoljustus (@robertoljustus) em

‘Seu Armando’: Áudio de funcionário gritando com o patrão viraliza na internet

Depois do áudio de um funcionário, que aparentemente mora em Belford Roxo na Baixada Fluminense, ter viralizado na internet enquanto discutia com o seu chefe, a frase ‘Seu Armando’ acabou se tornando o termo mais usado no Twitter nesta quarta-feira (10/04).

Na gravação, o funcionário não identificado reclama pelo fato do patrão tê-lo chamado de “preguiçoso” depois que ele faltou ao trabalho, no dia seguinte ao grande temporal do Rio de Janeiro que causou alagamentos e fez dez vítimas.

Durante a sua mensagem, o homem grita com o patrão, reconhecido no áudio como “seu Armando”, e diz ter enviado fotos e vídeos para o chefe mostrando as condições do lugar em que ele mora. Depois disso, a internet se encheu de montagens e memes zoando o assunto, e essas são algumas delas!

A verdade

Por mais desapontador que seja, o ‘Seu Armando’ não existe na vida real. O áudio que viralizou recentemente, e que é mostrado logo em seguida, foi gravado por um autônomo de 38 anos chamado Leandro Menezes. A ideia de fazer a brincadeira partiu dele e de mais 2 amigos, um educador físico de 35 anos chamado Bruno Castanha e uma estudante de psicologia de 33 anos chamada Thaís Ribeiro. O grupo tem um canal no YouTube destinado ao humor, o ‘Ninja O Sincero’.

De acordo com um deles, depois de ir jogar lixo fora, ouviu uma mulher tentando explicar para o patrão que estava chovendo muito e ele não estava acreditando. Isso serviu de inspiração para criar o áudio fictício.

9098d1ab55259f5950ae391a14099de6.jpg

abf494cb54213d49e39cebb11a282ae7.jpg

Yanni ou Laurel? Áudio misterioso é o novo ‘vestido branco e dourado’ da internet

Um áudio de apenas quatro segundos tem intrigado milhões de internautas desde que chegou a um fórum da internet, na última segunda (14).

Após divergir entre os amigos sobre qual seria a palavra – ‘Yanni’ ou ‘Laurel’ – dita pela voz robótica de um aplicativo, um estudante de 18 anos postou o trecho no Reddit para tirar a dúvida e aí começou o maior mistério da internet desde o ‘vestido branco ou azul’.

Postado no perfil da usuária Cloe Feldman no Twitter, o áudio já foi compartilhado mais de 90 mil vezes e já foi comentado por mais de 200 mil pessoas. Metade delas ouviu ‘Yanni’, enquanto a outra metade, ‘Laurel’.

Ouça:

O mistério é tamanho que foi parar (acredite) na Casa Branca. Um vídeo gravado na sede do governo americano mostra Ivanka Trump e vários funcionários divergindo sobre a palavra dita pelo robô. Ao fim da gravação, quem aparece é o próprio presidente Trump:

Apesar do ‘mistério’, a divergência de percepções tem explicação científica. Em entrevista ao The Verge, o professor de audição e neurociência cognitiva da Universidade de Maastricht, nos Países Baixos, diz que o segredo está na frequência sonora, na mecânica dos ouvidos e também do que a pessoa espera ouvir do âudio.

Segundo Lars, quanto mais velhos ficamos, perdemos a sensibilidade a faixas de frequência mais altas, e é por isso que os mais jovens tendem a escutar ‘Yanni’.

Veja como será possível fazer posts em áudio no Facebook

Quem não gosta de receber mensagens de áudio pelo WhatsApp, pode começar a se preparar para recebê-las em mais aplicativos. Porque agora o Facebook já começou a testar um recurso que permite enviar mensagens de áudio direto no feed de notícias.

O recurso se chama “Voice Clips” e foi confirmado pelo Facebook ao Techcrunch. Para acessar a funcionalidade basta ir na mesma aba dos outros tipos de post, com transmissão ao vivo, check-in e recomendações.

A funcionalidade de mandar áudios pelo Facebook já existe, mas apenas pelo aplicativo Messanger. O novo tipo de post será ilustrado por um gráfico em formato de ondas sonoras e é possível ouvir a mensagem antes de enviar mas não de editá-la.

No celular, o áudio só pode ser reproduzido com o aplicativo do Facebook aberto e a tela do aparelho ligada. Ao tocar em “play”, o usuário pode ouviro o áudio e assistir à animação de uma onda sonora se movendo na tela no ritmo do áudio.

Segundo um porta voz do Facebook ao TechCrunch: “Estamos sempre trabalhando para ajudar as pessoas a compartilharem e se conctarem com seus amigos e familiares no Facebook de maneiras autênticas. O ‘clip voice’ dá às pessoas uma nova ferramenta para se expressarem.”

fd693cd5e894d438e2a6905ee7b4939a.png

Marco Feliciano comenta em vídeo acusação de tentativa de estupro: ‘farsa’

A estudante de jornalismo Patricia Lelis, de 22 anos, denunciou nesta sexta-feira (5) o deputado federal Marco Feliciano, do PSC, por assédio sexual. A jovem prestou depoimento durante a tarde no 3ª DP da capital, em Santa Efigênia.

A ação teria ocorrido no dia 15 de junho, no apartamento funcional do parlamentar, em Brasília. Ex-presidente da juventude do partido, Patricia afirma ter sido convocada ao local para uma suposta reunião. Ao chegar, no entanto, encontrou o deputado sozinho. “Ele me prometeu um cargo no PSC com salário de 15 000 reais se eu topasse ser sua amante”, contou Patricia. “Eu neguei e ele ficou bravo. Tentou tirar minha roupa à força, me deu um soco na boca e um chute na perna”, completou.

O caso foi parar na polícia após uma série de aúdios e vídeos que foram publicados nas redes sociais. O vídeo abaixo, divulgado pela final de julho pela coluna Esplanada, do jornalista Leandro Mazzini, mostra um aúdio de uma suposta conversa entre Patrícia e uma assessor de Feliciano, Talma Bauer:

Após virem à tona supostas mensagens de whatsapp trocadas entre Patrícia e o pastor, a jovem publicou nas redes sociais dois vídeos desmentindo a acusação e inocentando Feliciano. “O pastor Marco Feliciano é uma pessoa íntegra com a qual eu tenho um contato muito bom, sempre muito respeitoso, muito amigável. Então na propaguem mentiras”, disse a garota, que é filiada ao mesmo partido do pastor e, como ele, também é evangélica, em um dos trechos do vídeo.

marco

Nesta sexta (5), Patrícia foi à Polícia Civil para contar que gravara os vídeos sob ameaça do chefe de gabinete de Feliciano. Ela confirmou a denúncia da tentativa de estupro. 

O assessor Talma Bauer foi detido sob suspeita de sequestro – por tê-la mantido em cárcere sob ameaça–, mas a polícia descartou pedir a prisão dele. Uma testemunha informou que a jornalista recebeu R$ 20 mil para mudar a versão e calar sobre a tentativa de estupro. O dinheiro foi apreendido. O chefe de gabinete do deputado será investigado por coação mediante pagamento. Feliciano não se pronunciou sobre denúncia.

Marco Feliciano, que vinha mantendo silêncio desde que o caso veio à público, usou as redes sociais para se defender. Em sua página oficial no Facebook, o pastor aparece com sua esposa que acompanha em silêncio todo o depoimento. Aparantemente abalado e emocionado ele diz pede orações e que as pessoas não o condene antes do desfecho. “Com o tempo as provas vão vir e vocês vão ver que tudo isso não passa de uma grande farsa, de um grande engodo”, afirma.

Assista ao vídeo intitulado “FELICIANO QUEBRA O SILÊNCIO”: 

Suposto áudio pornô interrompe sessão do impeachment e gera constrangimento no Senado

Um momento constrangedor acabou roubando a cena durante a reunião que discutia o impeachment da presidente Dilma no Senado Federal.

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB/PB) analisava o pedido quando um áudio suspeito vazou do celular de algum dos políticos presentes na sessão. Claramente constrangido, o parlamentar pediu para que os segundos perdidos em virtude do barulho: “Peço que desconte do meu tempo o choro do bebê“, disse — o problema é que, talvez, o som não era exatamente de um bebê como o próprio áudio revela. Nas redes sociais, o “barulho” foi interpretado como interpretado como um gemido de vídeo pornô.

Assista e tire suas próprias conclusões:

Veja algumas reações de internautas:

Vaza áudio do homem que teria levado cuspida do ator José de Abreu

A polêmica envolvendo o ator José de Abreu continua rendendo. Esta semana, o programa Superpop apresentado por Luciana Gimenez, exibiu um áudio que, supostamente, é do advogado que foi alvo da cusparada do global.

Toda polêmica começou com a cena flagrada neste vídeo amador abaixo, quando o ator discute com um casal em um restaurante de São Paulo e acaba cuspindo neles:

O registro, publicado na noite de terça (26), mostra a apresentadora falando sobre o caso com Otávio Mesquita durante o seu programa na RedeTV!. O apresentador chegou a criticar a atitude de José de Abreu com um post em sua conta no Instagram. Na sequência, ela exibe o vídeo do suposto advogado, centro da polêmica. A fala foi criticada por muitos internautas, que acusaram o homem de ter sido exageradamente agressivo nos comentários contra o ator. Assista:

O próprio ator José de Abreu comentou o caso em sua conta no Twitter e confirmou, nesta quinta (28), que reconheceu a voz do homem. Confira: 

Musical sobre Chico Buarque é interrompido ao vivo após ator xingar Lula e Dilma; veja o vídeo e ouça os áudios

Durante a apresentação do espetáculo “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos”, o ator e diretor Claudio Botelho chamou a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula de “ladrões”, o que provocou a ira de parte da plateia, que entoou gritos de “não vai ter golpe”.

O episódio ocorreu na noite de sábado (19), em Belo Horizonte e fez com que a peça terminasse antes do horário programado.

Em resposta à reação da platéia, Botelho retrucou: “Vamos terminar o espetáculo e ver se não vai ter golpe”. Resultado: mais vaias.

A direção da peça decidiu então suspender a sessão na hora e cancelou a apresentação proramada para este domingo.

Em nota, o Sesc Palladium afirma que não concorda com a posição de Claudio Botelho e que respeita a opinião do público.

Abaixo, a íntegra do comunicado do Sesc Palladium, de Belo Horizonte:

“Em decorrência da manifestação espontânea do diretor e ator do espetáculo “Todos os Musicais de Chico Buarque em  90 Minutos” e em função dos desdobramentos ocasionados por tal atitude, a apresentação de ontem (19/03) foi interrompida e a de hoje (20/03) cancelada.

O Sesc em Minas não corrobora com as manifestações políticas de cunho pessoal e respeita as diversas opiniões de seu público, sempre priorizando a segurança de todos.

Lamentamos o ocorrido e os transtornos gerados”.

Veja o vídeo do momento em que a plateia se voltou contra o ator:

Conversa nos bastidores vaza na internet

Um áudio divulgado na internet mostra Botelho conversando com a atriz Soraya Ravenle, sua colega de elenco. A conversa, tensa, segue nos bastidores da peça após a sua interrupção, ainda no Sesc Palladium.

Durante a discussão, Soraya tenta acalmar Botelho e dizer que ele não poderia ter provocado a plateia naquele tom em uma semana de tensão política no país. É nesse momento que o diretor solta um comentário racista: “Um ator não pode ser peitado por um negro… Um ator que está em cena é um rei! Não pode ser peitado. Não pode ser peitado por um negro, por um filho da p*** que está na plateia. Não pode. Não pode ser peitado. Eu estava fazendo uma ficção.”

Confira aqui o áudio vazado nos bastidores do teatro.

 

Claudio Botelho se defende após polêmica

O ator e diretor Claudio Botelho se defendeu da polêmica que causou. Segundo o mineiro, ele usou uma fala de seu personagem, diretor de um grupo de teatro mambembe, para improvisar em cima da situação política do país. Em entrevista ao jornal GLOBO, Botelho disse ter se sentido “censurado”.

“Faço esse espetáculo há dois anos, tem um momento em que meu personagem chega numa cidade imaginária e vê que ninguém vai ao teatro porque é o último capítulo da novela das oito. Nessa hora, sempre faço um “caquinho” com o que está acontecendo no Brasil. Já falei sobre o (presidente da câmara Eduardo) Cunha, por exemplo, e sempre fui aplaudido, sempre riram, sempre entenderam como piada. Ontem eu disse: “Será que o pessoal ficou em casa para ouvir que algum ex-presidente foi preso? Ou ficaram para ver se uma presidente recebeu o impeachment?”, explicou Botelho.

O ator continua: “As vaias foram crescendo, virando uma comoção. Começaram a berrar “não vai ter golpe”, mas demorei uns minutos pra entender. No primeiro momento, eu caí na gargalhada, demorei a entender que não era uma brincadeira. Afinal, eu não falei de golpe, não falei de nada.
O público começou a descer em direção ao palco, com punhos em riste, me chamando de coxinha, expressão que sempre me faz rir, além de direitista, fascista. Começou a ficar violento. Quando vi que o pessoal não ia parar e entendi que eles não estavam gostando, sugeri que fossem à bilheteria pegar o dinheiro de volta. Mas eles não foram. Daí o restante da plateia começou a gritar para o pessoal que estava reclamando ir embora”.

Botelho contou que não quis ouvir o áudio da discussão que teve com a colega de trabalho Soraya Ravenle nos bastidores do musical. Ele nao sabia que estava sendo gravado, e acionou seus advogados.

“Acho mesmo que o público foi fascista. O que aconteceu foi censura”, concluiu.

Nota de Chico Buarque

Chico Buarque se manifestou por meio de seus assessores, retirando a autorização para Botelho usar suas canções em musicais. Segundo o ator e diretor, a sessão marcada para este domingo, em Belo Horizonte, e também cancelada, seria mesmo a última da turnê.

Os 10 mandamentos do WhatsApp

Aplicativo de comunicação por mensagens através dos smartphones, o WhatsApp se transformou em um dos principais meios de comunicação da atualidade, substituindo até mesmo as ligações. No entanto, assim como qualquer outra ferramenta, o WhatsApp precisa ser usado com sabedoria. Seja em grupos ou conversas privadas, existem certas regras de conduta e etiqueta que devem ser sempre lembradas quando o aplicativo for usado. Conheça agora os 10 mandamentos do WhatsApp e evite constrangimentos e embaraços desnecessários:

Os

(Pode compartilhar nos grupos de WhatsApp sem medo de pecar!)