Terceira temporada de Bridgerton é eleita a melhor de toda a série

A 3ª temporada da série “Bridgerton”, recém-lançada pela Netflix, tem sido considerada a melhor até agora, segundo a crítica especializada. A produção estreou com impressionantes 95% de aprovação no site Rotten Tomatoes, que avalia críticas profissionais publicadas na internet. Em comparação, a 1ª temporada, lançada em 2020, obteve 87% de aprovação, enquanto a 2ª temporada, de 2022, recebeu 77%.

Protagonizada por Nicola Coughlan como Penelope Featherington e Luke Newton como Colin Bridgerton, a nova temporada se concentra no romance entre os dois personagens, uma trama desenvolvida desde a primeira temporada.

Críticos elogiaram a performance de Coughlan e a decisão de colocar Penelope no centro da história. “Bridgerton finalmente encontrou a fórmula do sucesso”, comentou Carly Lane, do Collider. Kelly Lawler, do USA Today, descreveu esta temporada como “a mais divertida”, enquanto Judy Berman, da revista TIME, destacou que “Bridgerton nunca foi tão boa quanto agora com sua verdadeira heroína no centro das atenções”.

Audiência

A estreia da 3ª temporada também marcou um novo recorde de audiência na Netflix, com 45,1 milhões de visualizações em seu primeiro fim de semana. Este número impressionante supera os dados das temporadas anteriores. A temporada anterior, por exemplo, acumulou 193 milhões de minutos assistidos nos primeiros três dias, o que equivale a aproximadamente 22,7 milhões de visualizações.

Mesmo considerando que os números da 3ª temporada foram contados em quatro dias, a diferença de audiência é significativa. Os novos episódios liderados por Coughlan e Newton prometem manter a série no Top 10 da Netflix por várias semanas e caminha para se tornar uma das séries em inglês mais populares da plataforma. A 2ª temporada ocupa atualmente o 9º lugar com 93,8 milhões de visualizações, enquanto a 1ª temporada está em 4º lugar com 113,3 milhões.

Assista ao trailer abaixo:

 

 

Série superou ‘Bridgerton’e se tornou a mais assistida na Netflix

A Netflix revelou em seu relatório mais recente, divulgado nesta quinta-feira (23), que “Sorriso Real” (ou “King the Land”) foi a série mais assistida globalmente na plataforma durante o segundo semestre do ano passado. A produção desbancou famosos títulos como “Bridgerton”, apesar da estreia de sua terceira temporada, ao alcançar impressionantes 630,2 milhões de horas assistidas.

Este dorama, que não é uma produção original da Netflix, mas sim uma aquisição do canal a cabo JTBC, conta a história de Goo Won (Lee Jun-ho), herdeiro de uma cadeia de hotéis de luxo. A vida de Goo Won toma um rumo inesperado com a contratação de Cheon Sa-rang (Yoon-a), cujo sorriso constante começa a irritá-lo, levando a sentimentos conflitantes.

Cada um dos 16 episódios de “Sorriso Real” acumulou em média 39,3 milhões de horas assistidas, colocando a série no topo da lista de conteúdos mais assistidos no período analisado, julho a dezembro do ano passado. A popularidade do dorama também o posicionou no top 20 global, com 33,2 milhões de visualizações, contrastando com “ONE PIECE: A série”, que liderou com 71 milhões.

Importante destacar que, apesar do grande sucesso, “Sorriso Real” não tem previsão para uma segunda temporada. Doramas, em geral, são projetados para terem uma única temporada com uma trama fechada, diferentemente de muitas séries ocidentais que frequentemente são renovadas para continuidades.

Leia também:

Restart traz turnê de despedida para Goiânia

Restart traz turnê de despedida para Goiânia

Bridgerton renovada! O que esperar da emocionante 4ª temporada?

Após o sucesso arrebatador das temporadas anteriores, “Bridgerton” da Netflix garante sua continuidade com a renovação para uma quarta temporada. A plataforma, reconhecendo o fervor dos fãs, não hesitou em confirmar mais episódios, ainda que a data de estreia permaneça um mistério envolvente.

A série, que tem cativado espectadores com suas narrativas envolventes sobre a aristocracia londrina do início do século XIX, promete expandir ainda mais os dramas e romances de seus personagens queridos. O elenco principal, incluindo Nicola Coughlan como Penelope Featherington e Luke Newton como Colin Bridgerton, está confirmado para retornar, continuando a explorar suas complexas dinâmicas familiares e românticas.

Os detalhes da trama da quarta temporada ainda estão sob sigilo, mas especula-se que seguirá os padrões estabelecidos pelos livros de Julia Quinn, nos quais a série é baseada. Com oito livros na série, a adaptação televisiva tem múltiplas direções para explorar. Discussões sugerem que a história poderia focar em Benedict Bridgerton ou avançar para outros membros da família Bridgerton, como Eloise e Francesca, que ainda estão à espera de seus momentos principais.

A terceira temporada de “Bridgerton” foi inovadora ao desviar-se da sequência dos livros, focando em Penelope e Colin em vez de Benedict, como muitos fãs antecipavam baseando-se na ordem dos livros. Essa mudança demonstrou a flexibilidade da série em adaptar e focar em diferentes membros da família Bridgerton conforme necessário para manter o interesse do público e desenvolver os personagens de forma mais completa.

Além dos retornos esperados de veteranos como Julie Andrews, que empresta sua voz inconfundível à narradora Lady Whistledown, e Golda Rosheuvel como Rainha Charlotte, novos desenvolvimentos prometem agitar a dinâmica da série. A ascensão de personagens anteriormente secundários e a introdução de novos aristocratas podem oferecer novas intrigas e desafios, refletindo as constantes mudanças na sociedade londrina da época.

Enquanto a Netflix não revela mais detalhes, os fãs podem especular e antecipar os próximos dramas e romances que “Bridgerton” habilmente tece. A série não apenas entreteve seu público com tramas cativantes e personagens memoráveis, mas também ofereceu uma visão crítica sobre temas de classe, gênero e poder, continuando a ser um destaque no catálogo da plataforma de streaming.

Leia também:

Filme de maior bilheteria de Tarantino está (perdido) na Netflix

Máscaras caem em Bridgerton: Amores e segredos na dança das sombras da alta sociedade

 

 

Máscaras caem em Bridgerton: Amores e segredos na dança das sombras da alta sociedade

Na terceira temporada de “Bridgerton”, a série aprofunda as complexidades enfrentadas por Penelope Featherington, destacando a pressão extrema de conformidade aos padrões estéticos e às expectativas sociais de casamento na Londres regencial. A narrativa de Penelope é uma exploração dos desafios sociais que as mulheres enfrentavam, onde o casamento era frequentemente visto não apenas como um pacto amoroso, mas como uma necessidade econômica vital para a sobrevivência e o status social das mulheres.

O período regencial, com suas rígidas normas sociais, oferecia poucas saídas para mulheres que não se encaixavam no ideal de “esposa perfeita”. As mulheres eram frequentemente julgadas e valorizadas principalmente por suas capacidades de casar bem e gerir um lar, com expectativas que giravam em torno da piedade, pureza e submissão. A série ilustra como Penelope, apesar de seu intelecto e vivacidade, luta contra a marginalização social e familiar devido à sua aparência e personalidade não convencionais.

Além de iluminar as restrições impostas às mulheres, “Bridgerton” também explora a resistência de Penelope a essas normas. Ao retratar sua jornada por aceitação e amor-próprio, a série reflete sobre como as pressões para se adequar a padrões estéticos e comportamentais não são apenas históricas, mas continuam ressoando nas lutas femininas modernas. Essa temporada, assim, não só serve como entretenimento, mas também como uma crítica social que incita reflexões sobre as expectativas de gênero e classe.

Essa abordagem de “Bridgerton” amplia significativamente a experiência do espectador ao oferecer um contexto histórico robusto que dialoga com questões contemporâneas de igualdade e representação feminina, destacando a relevância contínua de suas temáticas em nossa sociedade atual.

Uma crítica da terceira temporada de “Bridgerton”

Na recente temporada de “Bridgerton”, lançada após dois anos de espera e precedida pelo sucesso da minissérie derivada “Rainha Charlotte”, a série retoma suas tramas com foco renovado nos romances históricos complexos e personagens profundamente construídos. Essa temporada inicia-se diferenciando-se da anterior, movendo rapidamente Anthony (Jonathan Bailey) e Kate (Simone Ashley) para o fundo do cenário e trazendo Colin (Luke Newton) e Penelope (Nicola Coughlan) para o centro da narrativa, destacando-os como o casal favorito dos fãs e dos leitores da série literária de Julia Quinn.

Enquanto os núcleos familiares de Bridgerton e Featherington continuam explorando dinâmicas já estabelecidas, um arco surpreendente emerge com Will Mondrich (Martins Imhangbe) e sua família. A revelação de uma herança transforma Will em um barão, elevando o status de sua família à nobreza e introduzindo novos conflitos e adaptações à alta sociedade londrina.

Além disso, a trama das irmãs Featherington, Prudence (Bessie Carter) e Phillipa (Harriet Cains), agora casadas, é renovada com desafios em torno da produção de um herdeiro, destacando-se com uma abordagem cômica que se encaixa melhor nas personagens em sua nova fase de vida.

Francesca Bridgerton (Hannah Dodd) ganha destaque como debutante, enquanto Eloise (Claudia Jessie) continua seu desenvolvimento, explorando a visão de Francesca sobre o casamento não como um ideal romântico, mas como uma rota para independência pessoal. Este enfoque não apenas enriquece o perfil de Francesca mas também serve de contraponto à narrativa principal de Penelope.

Penelope, já amada pelo público, enfrenta o desafio de manter sua simpatia enquanto assume um papel de protagonista. Nicola Coughlan brilha nesse ajuste, trazendo profundidade à personagem com sua atuação versátil que transita entre o drama e a comédia, enquanto lida com diversas situações. A equipe de cabelo e maquiagem é elogiada pelo “glow up” de Penelope, refletindo sua nova fase.

No entanto, Colin, agora mais um coadjuvante na própria história de amor, enfrenta críticas pela falta de desenvolvimento na transição de sua personagem, que tenta, sem sucesso, adaptar-se ao novo papel que o roteiro lhe impõe. Este aspecto destaca uma desconexão entre a evolução do personagem e a execução pelo ator, Luke Newton, que não parece confortável com as novas exigências de seu papel.

Os primeiros episódios da temporada capturam essência de “Bridgerton” com seus elementos de drama familiar, fofoca e romance, entrelaçados com tramas bem desenvolvidas e personagens que capturam a imaginação do público. Resta esperar que a segunda metade da temporada permita um melhor desenvolvimento de Colin, ou que a série aceite seu papel como um conjunto de subtramas interconectadas, onde Penelope pode verdadeiramente brilhar.

 

Leia também:

Um dos filmes mais emocionantes de todos os tempos está (escondido) na Netflix

Filme de maior bilheteria de Tarantino está (perdido) na Netflix

‘Rainha Charlote’ é considerada melhor que ‘Bridgerton’

 

Quem diria que a rainha mal-humorada de Bridgerton ganharia um spin-off que iria cativar o público? E quem diria que Shonda Rhimes, a mente brilhante por trás de Grey’s Anatomy e Scandal, seria capaz de transformar essa ideia improvável em um sucesso monumental? Rainha Charlotte: Uma História Bridgerton é simplesmente sensacional. 

 

Em apenas seis episódios, você é transportado para um mundo de romance, drama e questões sociais importantes que ainda ressoam nos dias de hoje. A história de como a monarca se casou com um rei, se apaixonou e transformou a sociedade britânica do século 18 e 19 é tão emocionante quanto inspiradora. E o melhor de tudo é que você pode assistir tudo isso em uma maratona épica de seis horas. Se você ainda não conferiu, corra para a Netflix e prepare-se para se apaixonar por Rainha Charlotte..

 

Além de acompanhar a nossa querida Charlotte na luta por um neto herdeiro (já que os quinze filhos dela não colaboraram), também mergulhamos na vida presente dela, que foi apenas superficialmente mostrada nas duas primeiras temporadas de Bridgerton. E o mais incrível de tudo é que Shonda Rhimes conseguiu conectar essas duas histórias de tempos diferentes de maneira surpreendente.

 

 As conexões entre o passado e o presente se estendem para os personagens coadjuvantes, como a Lady Agatha Danbury e a mãe dos Bridgerton, Violet. No presente, as duas mulheres formam uma amizade improvável baseada em seus desejos reprimidos e compartilham memórias do passado que são ligadas a muitos traumas. É a prova de que o passado e o presente podem se misturar e criar algo realmente especial.

 

Shonda Rhimes arrasou ao mostrar a realidade nua e crua em Bridgerton. Enquanto Charlotte vive um sonho de princesa, com muros altos e tudo mais, Danbury e outras mulheres precisam aguentar maridos abusivos e controladores. Arsema Thomas dá um show como a jovem que luta para sobreviver em um mundo que não é nada fácil, especialmente para mulheres negras. Até a Princesa Augusta, mãe do George, é uma figura autoritária que mostra como as mulheres dependiam dos homens ao seu redor. É um cenário frustrante, mas importante para contrastar com o mundo perfeito das duas primeiras temporadas.

 

Existem tantos motivos para amar Rainha Charlotte: Uma História Bridgerton que é difícil escolher por onde começar. Desde os personagens secundários que roubam a cena (Brimsley e Reynolds, vocês são demais!) até a química incrível entre os atores, tudo na série é simplesmente perfeito. E não podemos esquecer da trilha sonora, que transforma músicas de Beyoncé e Whitney Houston em obras-primas orquestradas. Shonda Rhimes não apenas manteve o que já era bom na série original, como elevou o nível ainda mais. É uma pena que seja apenas uma minissérie.

 

Bridgerton: Netflix anuncia spin-off da série sobre vida da Rainha Charlotte

A segunda temporada da série Bridgerton foi um grande sucesso. A Dona Netflix já quer expandir o universo de Shondaland na plataforma. Através de suas redes-sociais fez o anúncio sobre o spin-off que será focado na Rainha Charlotte. 

 

 

O casamento da Rainha com o Rei George acarretou mudanças sociais na época, sendo uma mulher negra e que assumiu o trono quando o Rei adoeceu. A história vai focar em sua chegada á Londres e como seu casamento arranjado acabou gerando um romance real.

 

Esse contexto criado com o casamento ajudou a moldar o universo que conhecemos em “Bridgerton”. A história dos bridgertons se passa em 1813, dois anos após o Rei George ter se afastado do trono por sua doença. O Rei também foi conhecido como “o Rei louco” devido a sua saúde mental debilitada, porém, ele se manteve fiel á Charlotte mesmo com sua condição.

 

Foto: Reprodução/ Netflix Brasil.

2ª temporada de Bridgerton já está disponível na Netflix

A nova temporada de Bridgerton estreou no catalogo da Netflix nesta sexta-feira (25).  

A 2ª temporada, com oito episódios contará a história de Lord Anthony Bridgerton, interpretado por Jonathan Bailey, que está em busca da esposa “ideal”. A saga pelo casamento enfrentará algumas dificuldades após a chegada de Kate Sharma (Sinome Ashley) e sua irmão mais nova Edwina Sharma (Charithra Chandran), da Índia, que também tem o mesmo objetivo, encontrar o marido perfeito. 

Toda trama é baseada no segundo livro best-seller da autora Julia Quinn, que se chama “O Visconde Que Me Amava”, que retrata o cotidiano da nobreza fictícia dos britânicos ano de 1800.  

Entre os fãs, a história de Anthony é classificada como a favorita. 

 

 

A série 

Bridgerton é um dos maiores sucessos da Netflix e teve sua 1ª temporada lançada em 2021, que conta a trama de Daphne e o duque Simon. Segundo a plataforma de streaming, no ano de estreia, a série chegou a ser vista por 82 milhões de assinantes.

A expectativa é em 2022, a 2ª temporada também alcence os mesmo números ou ultapasse a marca. 

 

(Foto: Reprodução/Netflix)

Bridgerton: 10 coisas para recordar antes de dar play na segunda temporada da série

 

Bridgerton (2020) certamente foi um dos maiores sucessos de público e de crítica da Netflix. Lançada em 2020, a série viralizou rapidamente nos meses de isolamento social e se tornou a queridinha dos assinantes da plataforma de streaming. Na sexta-feira, 25,  estreia uma nova temporada que vai mostrar de uma maneira mais aprofundada a  vida amorosa do Lord Anthony Bridgerton (Jonathan Bailey), um dos personagens principais da série.

 

Devido ao sucesso estrondoso da primeira temporada, há uma grande expectativa para os novos episódios. De acordo com a crítica especializada, mudanças foram realizadas após Regé-Jean Page deixar a série.  Porém, como a série da Netflix é inspirada e  segue os livros de Julia Quinn, a expectativa é que cada temporada tenha um dos dos irmãos Bridgerton em destaque.

 

 Desta maneira na primeira temporada Daphne Bridgerton esteve em destaque. Seguindo a linha narrativa desenvolvida nos livros, a história agora terá como foco Anthony Bridgerton e a chegada da jovem Kate Sharma.

 

Confira este e mais 9 detalhes que você deve saber para entender a nova temporada que chega.

 

 

A 2ª temporada terá novos personagens principais

(Fonte: Netflix/Divulgação)

(Fonte: Netflix/Divulgação)

A série Bridgerton  deve seguir o mesmo enredo dos livros, e a cada nova temporada irá apresentar a história de um membro da família. Desta vez, o livro adaptado será O Visconde que me Amava, que tem o jovem Anthony e sua paixão pela recém-chegada Kate Sharma como protagonistas.

Simon não estará na continuação da série

(Fonte: Netflix/Divulgação)

(Fonte: Netflix/Divulgação)

O ator Regé-Jean Page foi a grande estrela da primeira temporada da série de época da Netflix e, com a repercussão do seu papel como Simon, conseguiu uma série de grandes papéis. Porém, foi anunciado em julho de 2021 que Page não iria retornar para a continuação, uma vez que o foco deixará de ser o duque e Daphne.

Simon e Daphne tiveram um filho

(Fonte: Netflix/Divulgação)

(Fonte: Netflix/Divulgação)

A primeira temporada nos presentou com grandes acontecimentos e o epílogo mostrou que Daphne e Simon tiveram um filho. Na continuação da série, provavelmente se passará após o nascimento da criança e veremos mais da jovem Bridgerton descobrindo a vida de esposa e, agora, entendendo como ser mãe.

 

Marina saiu de Londres com Phillip Crane

(Fonte: Netflix/Divulgação)

(Fonte: Netflix/Divulgação)

Uma das personagens menos amadas da série é a Marina, que criou um plano para casar com o irmão de Daphne, Colin, e conseguir mais chances em Londres. No entanto, a primeira temporada mostra que a jovem deixou Londres com Phillip Crane e, por isso, não sabemos se ela irá retornar.

 

Colin inicia uma turnê mundial

(Fonte: Netflix/Divulgação)

Fonte:  Netflix 

Apesar de não ser um dos Bridgerton mais queridos pelos fãs na série da Netflix,  por conta da mudança brusca na personalidade do personagem dos livros para a tela, Colin se mostrou um homem honrado e muito bondoso após as descobertas envolvendo Marina. Agora com o fim do seu quase noivado, ele decidiu partir em uma turnê mundial ao final da primeira temporada e não temos informações sobre um possível retorno dele.

 

 

 

Os Featherington estão em ruínas

(Fonte: Netflix/Divulgação)

(Fonte: Netflix/Divulgação) Fonte:  Netflix 

Presença marcante na temporada de estreia, a família Featherington se mostrou bastante abalada após a morte do Barão e com as muitas dívidas acumuladas pelo falecido. Por isso, podemos ver um desenvolvimento maior dessa questão na próxima temporada, com foco na jovem Penelope.

Eloise continuará sua busca pela Lady Whistledown

(Fonte: Netflix/Divulgação)

(Fonte: Netflix/Divulgação) Fonte:  Netflix 

Uma das personagens mais queridas pelos fãs, a jovem Eloise travou uma longa busca pela Lady Whistledown durante a primeira temporada do seriado e, ao descobrir que Genevieve, sua principal suspeita, não era a Lady, ela continuará sua busca na próxima fase.

Anthony está pronto para o amor

(Fonte: Netflix/Divulgação)

(Fonte: Netflix/Divulgação)Fonte:  Netflix 

O visconde Anthony Bridgerton passou a primeira temporada da série lutando com seus conflitos em relação ao amor, mas a continuação trará uma versão mais madura do personagem, que estará pronto para encontrar uma dama para ser sua viscondessa.

Penelope Featherington é a Lady Whistledown

Fonte:  Netflix 

Uma das principais questões de Bridgerton era a identidade de Lady Whistledown, que ao longo da primeira temporada foi visto como um grande mistério. No último episódio foi revelado que a delatora dos escândalos da corte é, na verdade, a doce Penelope Featherington. A relevação antecipada não agradou muito aos fãs da história, visto que na obra original, o segredo vem a tona apenas no quarto livro.

Daphne será essencial para o desenvolvimento de Anthony

(Fonte: Netflix/Divulgação)

Em uma entrevista recente, a atriz Phoebe Dynevor, que dá vida à jovem Daphne, comentou que a sua personagem irá ajudar Anthony a trilhar o seu caminho no seu relacionamento com Kate Sharma durante a próxima temporada de Bridgerton.

Protagonista de Bridgerton estará em filme com Wagner Moura e Chris Evans

O protagonista de Bridgerton, Regé-Jean Page, entrou para o elenco de ‘The Grey Man’, suspense de espionagem dirigido pelos Irmãos Russo (Vingadores: Ultimato). A produção original da Netflix ainda conta com Chris Evans (Capitão América), Ryan Gosling (Drive) e Wagner Moura (Narcos) na equipe de atores.

Page ganhou notoriedade com sua estreia em ‘Bridgerton’, se tornando uma sensação em Hollywood com o sucesso da série. No momento, o ator também está participando da gravação do live-action de ‘Dungeons & Dragons’ e esteve envolvido em rumores sobre o próximo 007 do cinema. 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Netflix Film (@netflixfilm)

Enredo

The Grey Man será baseado no livro de Mark Greaney, publicado em 2009 pela editora Jove Books. O primeiro volume da saga com outros dez livros gira em torno de Court Grentry (Ryan Gosling), um assassino de aluguel e ex-agente da CIA que está sendo caçado pela agência de inteligência, sob o comando de seu antigo colega de profissão, Lloyd Hansen (Chris Evans). 

A adaptação dessa mesma obra estava em andamento há cerca de uma década, contando com Brad Pitt e James Gray como protagonistas. No entanto, a produção não teve continuidade e foi retomada pelos Irmãos Russo, que estão dirigindo o projeto há alguns anos. 

Mais informações

Informações sobre o papel de outros autores na obra, incluindo o de Regé-Jean Page, ainda não foram divulgadas. No entanto, o diretor Anthony Russo adiantou que a obra possui um tom intenso, com ambientação semelhante a ‘Capitão América: O Soldado Invernal’, também dirigido pelos irmãos Russo. 

As gravações estão previstas para ter início nas próximas semanas em Los Angeles, mas ainda não previsão para a data de estreia na plataforma de streaming

Gostou de Bridgerton? Confira 10 livros que serão adaptados para a TV em 2021

Não há nada mais emocionante na vida de um leitor do que ver suas histórias favoritas ganharem vida! E muitas delas, quando saem das páginas para as telas, viram um tremendo sucesso como aconteceu com Bridgerton. Se você não sabe, a série mais vista da Netflix é uma adaptação dos livros Os Bridgertons, da Julia Quinn.  Além desse romance de época, vários livros imperdíveis tiveram os direitos adquiridos para adaptações cinematográficas ou televisivas e que estamos ansiosos para ver nas telas.

Confira a lista com 10 livros que serão adaptados para filmes em 2021.

1. Nomadland (Drama)

O livro escrito por Jessica Bruder conta a história de trabalhadores norte-americanos reais que viajam pelo país como nômades a procura de emprego. Já o filme, que tem o mesmo título do livro e é roteirizado e dirigido por Chloe Zhao, será um drama estrelado por Frances McDormand, que já está cotada ao Oscar deste ano por sua atuação no longa que estreia no dia 19 de fevereiro nos EUA e ainda não tem previsão para o Brasil.

2. The Mauritanian (Drama/Suspense)

Mohamedou Ould Salahi é um africano, originário da Mauritânia, que ficou preso injustamente no campo de detenção de Guantánamo, de 2002 até 2016. Mohamedou era suspeito de ser um dos responsáveis pelos atentados de 11 de setembro e escreveu um diário relatando sua rotina como prisioneiro.

O filme The Mauritanian é inspirado no diário de Salahi, que foi publicado posteriormente como O diário de Guantánamo e será estrelado por Benedict Cumberbatch e Jodie Foster. A estreia nos EUA será no dia 19 de fevereiro e ainda não há previsão para o Brasil.

3. The United States vs Billie Holiday (Biografia/Drama/Musical)

Embora The United States vs Billie Holiday seja uma biografia da lendária cantora, o filme é inspirado no livro Chasing The Scream, de Johann Harri, que fala sobre como as drogas se tornaram criminalizadas nos EUA ao longo das décadas. E, pelo trailer do longa, é possível ver que este tema ainda será abordado no filme.

A estreia do filme será na plataforma Hulu, no dia 26 de fevereiro. Atualmente, a Hulu, concorrente da Netflix, não está disponível no Brasil, mas a previsão é de que isso mude ainda este ano.

4. Cherry (Drama/Suspense)

O livro de Nico Walker conta a história de um ex-combatente do exército que se torna dependente químico e ladrão de bancos após voltar do Iraque com estresse pós-traumático. Este ano, a história adaptada para filme será dirigida pelos irmãos Russo, diretores de Vingadores, e será estrelada por Tom Holland, o atual Homem-Aranha dos cinemas.

A estreia de Cherry será no dia 26 de fevereiro nos cinemas dos EUA e ficará disponível na Apple TV+ em 12 de março.

5. Mundo em Caos (Ação/Ficção Científica)

Tom Holland será o protagonista de mais uma adaptação de livro em 2021. Ao lado de Daisy Ridley, que interpretou Rey Skywalker em Star Wars, o ator viverá, no filme, o futuro pós-apocalíptico de O Motivo, primeiro livro da série Mundo em Caos, de Patrick Ness.

Na trama, Todd (Tom Holland) vive em um planeta em que o pensamento dos homens tornou-se audível e que as mulheres foram extintas, até que ele encontra Viola (Daisy Ridley), que acabou de chegar ao planeta sem saber o que houve.

Mundo em Caos será dirigido por Doug Liman, responsável por No Limite do Amanhã e pelo remake de A Identidade Bourne. O filme chegará aos cinemas dos EUA no dia 5 de março e não tem data prevista para o Brasil.

6. Sem Remorso (Ação/Espionagem/Suspense)

O livro de Tom Clancy inspirou o filme de mesmo nome que será estrelado por Michael B. Jordan. Sem Remorsos também foi adiado diversas vezes em 2020, mas está previsto para chegar à plataforma Amazon Prime Video no dia 30 de abril, em todos os países.

7. Cruella (Comédia/Drama)

Emma Stone como Cruella De Vil
Emma Stone como Cruella De Vil Foto: Divulgação/Disney

O clássico 101 Dálmatas, da Disney, já foi visitado e revisitado no mundo do cinema. Mas, agora, uma nova versão live-action do livro de Dodie Smith terá o foco na vilã Cruela Cruel, que será interpretada por Emma Stone. A estreia é prevista para o dia 28 de maio nos cinemas norte-americanos, e a previsão é que chegue ao Brasil em 3 de junho.

8. Morte no Nilo (Drama/Mistério)

Inspirado no clássico de Agatha Christie e com uma adaptação em 1978, Morte no Nilo terá uma nova versão sob a direção de Kenneth Branagh, o mesmo de Assassinato no Expresso do Oriente.

Estrelado por Armie Hammer, Emma Mackey e Gal Gadot (Conhecida por interpretar a Mulher Maravilha), Morte no Nilo sofreu alguns adiamentos e está previsto para estrear no dia 17 de setembro nos cinemas americanos. Não há previsão dele nos cinemas brasileiros.

9. Duna (Aventura, Drama/Ficção Científica)

A famosa série de livros Duna, de Frank Herbert, ganhará uma nova adaptação para o cinema. Do mesmo diretor de A Chegada e de Blade Runner 2049Duna é estrelado por Timothée Chalamet e conta ainda com Zendaya, Oscar Isaac e Jason Momoa no elenco.

A trilha sonora do longa foi feita pelo premiado compositor Hans Zimmer, que já ganhou 11 Oscars de melhor trilha sonora. Duna também sofreu adiamentos e, agora, está previsto para estrear no dia 1º de outubro nos cinemas e na plataforma HBO Max.

10. O Papai é Pop (Comédia/Drama)

O Papai é Pop - Lázaro Ramos e Paolla Oliveira
O Papai é Pop será estrelado por Lázaro Ramos e Paolla Oliveira Foto: Reprodução/Instagram

O Papai é Pop, livro de Marcos Piangers, inspira o filme homônimo que será estrelado por Lázaro Ramos e Paolla Oliveira. Na trama, um homem criado por uma mãe solteira torna-se pai de duas meninas e precisa esforçar-se para ser um bom pai.

A sinopse oficial do filme ainda não foi divulgada, e ele tem previsão de estreia para o dia 8 de outubro.

Bridgerton bate recorde de audiência e se torna a série mais vista da história da Netflix

Após ser renovada para uma 2ª temporada, a Netflix anunciou hoje (27) que Bridgerton se tornou a série mais vista da história da plataforma.

A Netflix fez o anúncio no Twitter:

Criada por Chris Van Dusen da produtora Shondaland, a série Bridgerton acompanha Daphne Bridgerton (Phoebe Dynevor), filha mais velha da poderosa família Bridgerton, que precisa conseguir um bom casamento, mas também espera encontrar o verdadeiro amor. Em Londres, no Período Regencial, esse sonho parece impossível. Ainda mais quando o irmão começa a descartar todos os pretendentes, e a misteriosa Lady Whistledown espalha fofocas sobre ela na alta sociedade.

É aí que entra o rebelde e libertino Duque de Hastings (Regé-Jean Page), solteiro convicto e cobiçado por todas. Apesar de dizer que não querem nada um com o outro, surge uma forte atração entre os dois, que precisam lidar com essa relação cheia de joguinhos psicológicos e com as expectativas da sociedade para o futuro deles.

O elenco também conta com Golda Rosheuvel, Jonathan Bailey, Luke Newton, Claudia Jessie, Nicola Coughlan, Ruby Barker, Sabrina Bartlett, Ruth Gemmell, Adjoa Andoh, Polly Walker, Bessie Carter, Harriet Cains e a participação especial de Julie Andrews, que faz a voz de Lady Whistledown. A série é inspirada nos best-sellers de Julia Quinn.

‘Cenas quentes’ de série da Netflix vão parar em sites pornôs e atores ficam revoltados

Parece que as cenas de sexo da série ‘Bridgerton’ não deixaram somente as redes sociais em polvorosa, como também se tornaram motivo de fúria para o elenco. Algumas das cenas foram parar em sites pornográficos e a notícia incomodou os membros do elenco, segundo o portal The Sun.

Muitas das cenas já foram retiradas das plataformas pornôs depois que o elenco – que inclui Phoebe Dynevor e Regé-Jean Page – ficou furioso. Uma fonte revelou: “As cenas de sexo de Bridgerton aparecendo ao lado de alguns dos materiais mais obscenos que a web tem a oferecer geraram horror e raiva. Tem sido particularmente angustiante para Phoebe [Dynevor] e Regé-Jean [Page], dois jovens atores que assinaram o papel das suas vidas e não consentiram em serem explorados dessa forma”.

“Qualquer um que pensar em tentar isso [compartilhar as cenas] terá toda a força do maior serviço de streaming do mundo contra eles”, concluiu a fonte. Acredita-se que a Netflix esteja “trabalhando incansavelmente para caçar as cenas pirateadas”.

Recentemente, Rege-Jean e Phoebe discutiram como assistiram às suas cenas de sexo com a família. Em participação no ‘The Drew Barrymore Show’ na sexta-feira, Rege-Jean revelou como sua família reagiu à toda a nudez da série: “Minha família está muito bem treinada neste ponto, nós temos um grupo de família no WhatsApp e temos um pequeno emoji de luz vermelha piscando, especialmente por volta do episódio cinco… o ocasional emoji de pêssego”.

“Mas também os britânicos são muito bem treinados para isso em geral, eu tenho um primo que perdeu aquelas mensagens e fez um monte de xícaras de chá… você sai da sala e coloca a chaleira no fogo. Você não está incomodado, você só precisa fazer uma longa xícara de chá, mas o problema com essa série é que ele voltou e disse ‘vocês ainda estavam transando! Quantas xícaras de chá eu tenho que fazer?'”. Já Phoebe revelou que teve que pular algumas das cenas de sexo durante uma exibição em família. A atriz de 25 anos disse que estava com o controle remoto pronta para avançar os momentos íntimos enquanto assistia à série com sua mãe, Sally, 57 anos.

 

Com informações de The Sun/Revista Monet

Como seria se o elenco de Bridgerton fosse com atores brasileiros? A internet responde

Mal chegou à Netflix e “Bridgerton” já se tornou a série mais vista da plataforma.  Na série, as mocinhas da alta sociedade londrina de 1812, são apresentadas à Rainha (Golda Rosheuvel) com as suas melhores joias. Além da corrida pelo ‘bons partidos’ e para ter a sorte de arranjar um bom casamento, a trama conta ainda com um jornal local onde todas as fofocas são narradas por uma cronista misteriosa.

O clima romântico lembra a escrita de Jane Austen: quase todas as jovens personagens femininas só pensam em casar. Esse comportamento típico das cortes do século XIX se soma a várias cenas quentes. A química do par protagonista, Phoebe Dynevor (Daphne Bridgerton) e René-Jean Page (o Duque de Hastings) é uma atração à parte. Ela é tão poderosa que os atores já se habituaram a ouvir a mesma pergunta nas entrevistas: seriam eles um casal também na vida real? A resposta, segundo ambos, é não.

Mas, além de especulações, boatos e fofocas…uma coisa é certa, a série ‘tá na boca do povão’. E os internautas brasileiros não perderam tempo e já criaram uma ‘versão nacional’ para a história com um elenco pra lá de interessante. Confira:

Créditos: Reprodução/@ginaindelicada