Carta de Lázaro é encontrada em esconderijo com trechos da série Senhor dos Anéis

Uma carta redigida por Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos, foi encontrada por policiais em um dos esconderijos usado pelo foragido, na região de Edilândia, em Goiás. Lázaro está sendo caçado há dez dias depois de deixar um rastro de violência no Distrito Federal e em Goiás, incluindo o assassinato de quatro pessoas de uma mesma família.

No local, agentes notaram, em cima de uma mesa, uma folha de papel A4 com um texto escrito à mão em caneta esferográfica vermelha. “Muitos que vivem merecem morrer, alguns que morrem merece (sic) viver”, afirma o texto.

A carta foi apreendida e levada para perícia. A investigação busca saber se Lázaro escreveu o texto ou apenas carregava com ele. Parte dos escritos replicavam falas de um personagem da série Senhor dos Anéis.

Curiosamente, foram deixadas algumas frutas, colocadas em cestos de palha, junto da carta. Havia também uma toalha rosa forrando a mesa. O material foi apreendido pela polícia e levado para perícia.

Os policiais investigam se Lázaro escreveu ou apenas carregava o manuscrito, que replica algumas falas de um personagem da trilogia Senhor dos Anéis. Trata-se de uma fala dita por Gandalf a Frodo em uma das cenas do filme A Sociedade do Anel – o primeiro da trilogia cinematográfica.

Leia a reprodução da carta:

“Muitos que vivem merecem morrer alguns que morrem merecem viver. Você pode lhes dar vida? Então não seja tão ávido para julgar e condenar à morte. Mesmo muito sábios não conseguem enxergar tudo, assim como todos que vivem para ver tempos assim, não cabe a eles decidir.  Temos que decidir apenas o que fazer com o tempo que nos é dado. Há outras forças agindo neste mundo, além da vontade do mal”.

São mais de 200 policiais empenhados em capturar Lázaro. A polícia acredita que ele está ferido e cansado.

 

Veja a carta encontrada pela polícia em Goiás:

carta

Bolsonaro garante desmatamento zero no Brasil até 2030 em carta ao presidente dos EUA

Em carta enviada nesta quarta-feira, 14, ao presidente dos Estados Unidos Joe Biden, o presidente do Brasill Jair Bolsonaro se comprometeu a acabar com o desmatamento ilegal até 2030. Ele também
reconheceu o aumento das taxas de desmatamento a partir de 2012 e afirmou que o Estado e a sociedade precisam aperfeiçoar o combate a este crime ambiental.

“Queremos reafirmar neste ato, em inequívoco apoio aos esforços empreendidos por V. Excelência, o nosso compromisso em eliminar o desmatamento ilegal no Brasil até 2030”, escreveu Bolsonaro.

Para alcançar essa meta de desmatamento zero, Bolsonaro diz que o país precisará de “recursos vultuosos e políticas públicas abrangentes”. Segundo ele o Brasil quer contar com apoio de governos, setor privado, sociedade civil e comunidade internacional, incluindo os entes dos Estados Unidos: “Como nós, os americanos saberão apreciar que as principais causas da degradação ambiental radicam na pobreza e na falta de oportunidades, e que portanto trabalhar pela preservação ambiental passa, também, pela promoção do desenvolvimento econômico”.

Para o presidente, é preciso criar alternativas econômicas que reduzam o apelo das atividades ilegais e dar condições para que os 25 milhões de brasileiros que vivem na Amazônia possam prosperar materialmente por seus próprios esforços. Nesse sentido, segundo ele, não é possível combater o desmatamento apenas com medidas de fiscalização ou “jamais alcançaremos resultados duradouros no domínio ambiental”, escreveu o presidente.

Na carta à Biden, além de definir metas e compromissos, Bolsonaro apontou as iniciativas realizadas pelo Brasil para a preservação do meio ambiente, como projetos nas áreas de bioeconomia, regularização fundiária, zoneamento ecológico-econômico e pagamento por serviços ambientais.

A carta de Bolsonaro a Biden foi divulgada hoje (15), na íntegra, pela assessoria da Presidência. “O presidente Jair Bolsonaro reitera o compromisso do Brasil e de seu governo com os esforços internacionais de proteção ao meio ambiente, combate à mudança de clima e à promoção do desenvolvimento sustentável e ressalta a importância do trabalho conjunto em torno desses objetivos”, informou a assessoria.

Ontem o governo divulgou o Plano Amazônia 2021/2022, que estabelece diretrizes para ações de fiscalização e combate ao desmatamento ilegal, queimadas e outros crimes ambientais e fundiários cometidos na região da Amazônia Legal, território que abrange a totalidade dos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, de Rondônia, Roraima, Mato Grosso, do Tocantins e de parte do Maranhão.

O Brasil integra o acordo de Paris, a chamada Contribuição Nacional Determinada (NDC, da sigla em inglês) que prevê a neutralidade nas emissões de gases do efeito estufa até 2060. “Adotamos metas absolutas de redução de emissões que superam as de muitos países desenvolvidos, que, entretanto, carregam muito maior responsabilidade pela mudança do clima”, escreveu na carta.

Com Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo 

Carta escrita pelo Príncipe Philip revela seus gostos goianos

Em 1992, Pirenópolis teve a honra de receber um monarca da família real britânica, o Príncipe Philip, esposo da Rainha Elizabeth, que faleceu na manhã de 9 de abril. A ilustre presença foi estimulada pela inauguração de uma reserva ecológica na cidade, que estava abrindo para o público, o Santuário de Vida Silvestre VagaFogo.  

A inauguração e projeto do Santuário foi incentivada pela Embaixada Britânica, pelo Instituto British Council, pela Funatura e pela WWF, para tornar a primeira reserva particular goiana tombada como Patrimônio Natural.

Naquela época, o Príncipe era o presidente honorário da WWF, famosa e respeitada organização não governamental internacional, que atuava na conservação do meio ambiente. Impulsionado pelas ONG´s e pela Embaixada, o Príncipe aceitou o convite de conhecer o Santuário.

O Príncipe Philip ficou na fazenda em torno de 2 horas e o Brasil inteiro virou os holofotes para ele, virou notícia internacional. De acordo com o dono do Santuário, Evandro Engel Ayer, que esteve com ele, todos os brasileiros ficaram curiosos com a situação, queriam saber sobre o príncipe e sobre a reserva ecológica.

Tal visita, chegou a gerar credibilidade e estímulo para outros projetos ambientais por todo o país. Naquele dia o Príncipe fez algumas fotos no cerrado que foram parar em inúmeras revistas e jornais europeus, relacionado a questões ecológicas e sua presença no Brasil.

“O Príncipe era muito bem-humorado, conhecia o meio ambiente, dava palpite, conhecia grandes ambientalistas, espécies de plantas, não era nenhum neófito andando pelo mato”, segundo Evandro Ayer.

No dia 19 de março de 2021, o Santuário de Vida Silvestre VagaFogo comemorou 29 anos de visita do Príncipe, que todos os dias é lembrado por todos do local. E hoje, 09 de abril, lamentamos a morte deste importante monarca.

Veja carta assinada pelo príncipe:

carta

Em tradução livre, a carta feita pelo Príncipe agradece ao senhor Evandro, proprietário do Santuário, citando as belezas do local, a caminhada pela trilha e a conservação da natureza. Ainda comenta que gostou muito das geléias e refrescos oferecidos a ele, além do presente que ganhou, um medicamento feito de ervas medicinais da região. Por fim, o Príncipe Philip deseja sucesso ao Santuário e agradeceu também as autoridades daquela época pela oportunidade.

Na fotografia da capa: Princípe Philip, Evandro Engel Ayer e Catarina Judite Schiffer, casados e donos da fazenda.

Créditos: Fotos enviadas pela família proprietária do Santuário.

Confira na íntegra a carta de rompimento do MDB com o Prefeito de Goiânia Rogério Cruz: ‘traição’

Curta Mais teve acesso com exclusividade à carta que oficializa o rompimento com o Prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos).

Quatorze titulares de primeiro escalão da Prefeitura de Goiânia assinaram a carta e entregaram os cargos na manhã desta segunda-feira (5). O assunto foi antecipado em primeira mão no Jornal da Manhã Edição Goiás durante entrevista exclusiva com Daniel Vilela, presidente do MDB-GO.

A carta, assinada ainda por outras lideranças do partido, fala de traição. “Ao se afastar do plano de governo e das pessoas que o construíram e o defenderam, Rogério Cruz age com deslealdade e trai o legado de Maguito, quebrando também o voto de confiança conferido nas urnas pelos goianienses. Na ocasião da posse como prefeito, Rogério Cruz disse publicamente: ‘Já afirmei várias vezes que seria fiel soldado do prefeito Maguito e assim continuarei. Ao executar o plano de governo que construímos juntos, quero fazer por Goiânia tudo aquilo que Maguito sonhou e projetou’. Palavras que agora só reforçam o gosto amargo da traição à nossa cidade.”, diz um dos trechos mais fortes do documento.

Outro trecho insinua que o prefeito Rogério Cruz não teria mais autonomia no comando do executivo. “Quem está comandando hoje a Prefeitura de Goiânia é a direção nacional do Republicanos, a partir de nomes de fora de Goiás indicados por eles para funções estratégicas na administração”.

O Prefeito Rogério Cruz ainda não se pronunciou sobre o assunto. A informação é que a Prefeitura está preparando uma nota oficial que será divulgada ainda hoje.

Confira na íntegra o documento:

CARTA ABERTA À POPULAÇÃO DE GOIÂNIA

Em novembro do ano passado, o eleitor de Goiânia foi às urnas e elegeu como prefeito Maguito Vilela, cuja candidatura representava o compromisso com um projeto que manteria a cidade no caminho da modernização, com melhorias na mobilidade, na educação, na saúde, no desenvolvimento econômico e na garantia da continuidade das várias conquistas da gestão de Iris Rezende. Tudo isso casado com uma plataforma de amparo social, marca indelével da trajetória de Maguito. Lamentavelmente, no dia 13 de janeiro, Maguito acabou vitimado pela Covid-19. Mas permaneceram compromissados com os propósitos e o legado de Maguito aliados e auxiliares experientes, que formavam uma equipe de competência inequívoca, afinada com a forma de trabalho do prefeito eleito. Em menos de três meses, esse time, atuando com eficiência e sinergia junto ao prefeito e à Câmara Municipal, já resgatou parte dos compromissos de campanha, a exemplo do IPTU Social, do Renda Família e implantou inovações nas áreas de gestão de pessoas e de projetos. Além disso, nenhuma das grandes obras deixadas por Iris Rezende havia sido interrompida, cumprindo outro compromisso assumido por Maguito com o eleitor goianiense. Contudo, pouco mais de dois meses após a morte do prefeito eleito, assistimos a uma completa mudança de rumos da atual gestão. O prefeito Rogério Cruz paralisa obras, suspende projetos e não consegue mais apontar com clareza os rumos da administração. Ou não pode fazê-lo.

A realidade é que quem está comandando hoje a Prefeitura de Goiânia é a direção nacional do Republicanos, a partir de nomes de fora de Goiás indicados por eles para funções estratégicas na administração. Goiânia está sob a direção de uma legião estrangeira descomprometida com nossa população, composta por pessoas que sequer conhecem a cidade ou sabem os desejos e necessidades de seus moradores. Todos eles nomes obscuros para os goianienses e muitos desconhecidos até pelo próprio prefeito. Já faz algumas semanas que dirigentes do partido de Rogério Cruz despacham livremente no Paço Municipal, distribuindo ordens mesmo sem terem qualquer conhecimento da administração local. Ao se afastar do plano de governo e das pessoas que o construíram e o defenderam, Rogério Cruz age com deslealdade e trai o legado de Maguito, quebrando também o voto de confiança conferido nas urnas pelos goianienses. Na ocasião da posse como prefeito, Rogério Cruz disse publicamente: “Já afirmei várias vezes que seria fiel soldado do prefeito Maguito e assim continuarei. Ao executar o plano de governo que construímos juntos, quero fazer por Goiânia tudo aquilo que Maguito sonhou e projetou”. Palavras que agora só reforçam o gosto amargo da traição à nossa cidade. A partir da verdadeira intervenção no Paço Municipal, iniciou-se um desmonte nos quadros da administração que vai muito além dos ajustes que o prefeito afirmou que faria em função do (natural e legítimo) desejo de escolher auxiliares mais próximos, do ponto de vista político e pessoal. De forma pouco transparente e sem o consentimento da população, a Prefeitura de Goiânia está sendo loteada por grupos políticos e consultores de fora do nosso Estado.

Diante de tudo isso, abaixo assinados, auxiliares do primeiro escalão da Prefeitura, comprometidos com o projeto e o legado de Maguito Vilela, entregam, em caráter irrevogável, seus cargos e se retiram da administração por não pactuarem com os novos rumos imposto pelo Republicanos. O prefeito Rogério Cruz não representa mais o projeto político e administrativo idealizado por Maguito Vilela e eleito pelos goianienses. Ele quer fazer outro governo. Importante ressaltar que a decisão expressa nesta carta não se trata de atitude impensada ou tomada sem diálogo. Pelo contrário. Foi argumentado diversas vezes com o prefeito que não havia concordância com as mudanças apressadas, em meio a uma pandemia, e com a forma como grupos de fora estavam tomando o poder na capital. Além de não dar ouvidos aos argumentos, Rogério Cruz também encerrou qualquer diálogo, sendo literalmente proibido por seu partido de conversar com a direção do MDB e com membros que coordenaram a campanha e o plano de governo de Maguito.

Ao fechar as portas ao diálogo, Rogério Cruz foi além e informou ao presidente regional do MDB, Daniel Vilela, que qualquer assunto relacionado à Prefeitura teria de ser tratado com Wanderley Tavares, presidente do Republicanos do Distrito Federal, ou com o deputado federal Marcos Pereira (SP), presidente nacional da legenda. Uma sinalização clara e preocupante de que o destino de Goiânia passou a ser decidido fora daqui.

Por fim, é preciso dizer à sociedade goianiense que lamentamos profundamente o que ocorre hoje na Prefeitura. Em função da discordância frontal com os rumos da gestão da nossa cidade, nos afastamos da atual administração, mas jamais nos afastaremos de Goiânia e dos goianienses. Nosso compromisso com a melhoria da qualidade de vida da nossa capital permanece intacto. Seguiremos vigilantes e cobrando, de forma enfática, que a atual gestão cumpra o que foi assumido com o eleitor na campanha. Não seremos cúmplices de quem porventura tenha decidido por outro caminho que não o de trabalhar para Goiânia seguir em frente.

Goiânia, 05 de abril de 2021

Agenor Mariano, secretário de Planejamento Urbano e Habitação

Alessandro Melo, secretário de Finanças

Pedro Chaves, secretário de Mobilidade

Euler de Morais, secretário de Relações Institucionais

Murilo Ulhôa, presidente da Companhia Metropolitana de Transportes

Coletivos

José Frederico, secretário de Prioridades Estratégicas

Carlos Júnior, secretário de Desenvolvimento e Economia Criativa

Leandro Vilela, secretário extraordinário

Gean Carvalho, secretário-executivo de Assuntos Estratégicos

Célio Campos, secretário de Inovação, Ciência e Tecnologia

Filemon Pereira, secretário de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas

Colemar Moura, controlador-geral do Município

Antônio Flávio, procurador-geral do Município

Kléber Adorno, secretário de Cultura

TESTEMUNHAS

Andrey Azeredo, ex-secretário de Governo

Aristóteles de Paula, ex-presidente da Comurg

Bruno Rocha Lima, ex-secretário de Comunicação

Luiz Bittencourt, ex-secretário de Infraestrutura Urbana

Marcela Araújo Teixeira, ex-secretária de Administração

Zilma P. Campos Peixoto, ex-presidente da Agência de Meio Ambiente

Marcelo Ferreira da Costa, ex-secretário de Educação

Anthony Hopkins escreve carta para Bryan Cranston após assistir ‘Breaking Bad’

Após zerar todas as 5 temporadas de Breaking Bad, o ator britânico Anthony Hopkins, maravilhado com a série, fez questão de escrever um e-mail ao protagonista, Bryan Cranston, elogiando-o pela atuação.

Para o genial ator de Hannibal e Silêncio dos Inocentes, a interpretação de Cranston, que viveu o protagonista Walter White é “a melhor” que ele já viu. O e-mail de Hopkins veio a público depois que outro astro da série, Steven Michael Quezada (que vive o policial Gomez), postou a mensagem em seu Facebook.

A série, que chegou ao fim nos EUA no fim de setembro, conta a história de um professor de química que se torna um grande traficante de metanfetamina.

“Caro senhor Cranston.

Gostaria de escrever este e-mail – estou entrando em contato por meio de Jeremy Barber – presumo que ambos somos representados pela UTA. Ótima agência.

Acabei de terminar uma maratona de “BREAKING BAD” – do primeiro episódio da Primeira Temporada – aos oito últimos episódios da Quinta Temporada. Um total de duas semanas (viciante) de reprodução.

Eu nunca assisti nada parecido. Brilhante!

Sua atuação como Walter White foi a melhor atuação que já vi.

Eu sei que há tanta sujeira rolando e besteiras doentias neste negócio, e eu meio que perdi a fé em qualquer coisa, na verdade.

Mas este seu trabalho é espetacular – absolutamente deslumbrante. O que é extraordinário é o poder absoluto de todos em toda a produção. O que foi isso? Cinco ou seis anos em formação? Como os produtores (você sendo um deles), os escritores, diretores …. cada departamento – elenco etc. conseguiram manter a disciplina e controle do começo ao fim é (essa palavra usada demais) incrível.

Do que começou como uma comédia obscura, desceu para um labirinto de sangue, destruição e inferno. Foi como uma grande tragédia jacobina, shakespeariana ou grega.

Se você tiver a chance de – você passaria minha admiração a todos – Anna Gunn, Dean Norris, Aaron Paul, Betsy Brandt, R.J. Mitte, Bob Odenkirk, Jonathan Banks, Steven Michael Quezada – todos – todos deram a máxima performance … A lista é interminável.

Obrigado. Esse tipo de obra / arte é rara e quando, de vez em quando, ocorre, como nesta obra épica, restaura a confiança.

Você e todo o elenco são os melhores atores que já vi.

Isso pode soar como um bom pulmão cheio de fumaça soprando. Mas não é. É quase meia-noite aqui em Malibu, e me senti compelido a escrever este e-mail.

Parabéns e o meu mais profundo respeito. Você é realmente um ótimo ator.

Saudações,

Tony Hopkins.”

Prestes a completar 90 anos Silvio Santos revela em carta: ‘minha memória vai se apagando vagarosamente’

Um dos mais populares e queridos apresentadores e empresários da história brasileira, Silvio Santos virou tema do livro Sonho Sequestrado, de Marcondes Gadelha, que escreveu sobre a campanha presidencial que o dono do SBT fez em 1989. Como prefácio da publicação, o autor convidou o próprio apresentador para escrever uma carta sobre como teria sido caso ele realmente tivesse se tornado presidente do Brasil:

Meu caro Gadelha, como vários de meus órgãos, incluindo o óbvio, que não está funcionando há muito tempo, minha memória também a cada dia que passa vai se apagando vagarosamente. Este seu livro me lembra de acontecimentos que eu já tinha esquecido e me deixa emocionado a cada página que leio. Considero que estava qualificado para exercer a Presidência da República e tenho certeza de que a equipe que eu escolheria, no mínimo, melhoraria as condições das pessoas mais necessitadas deste país. Parte do povo mais humilde do Brasil infelizmente ainda vive debaixo de pontes, em casebres de papelão ou de madeira, onde, muitas vezes, só tem um prato de feijão para comer e ainda precisa se preocupar com sua saúde e com os remédios que precisa tomar.

Minha atuação seria toda voltada para esses temas que tanto afligem a nossa pobre população. Os demais problemas do nosso país seriam enfrentados também pelo presidente Silvio Santos, mas preservada sempre a prioridade dada à habitação e à saúde. Você, com seu talento de escritor e generosidade de amigo, me deixou por diversos momentos com lágrimas de saudade e emoção ao trazer de volta aqueles compromissos.

Hoje, com 90 anos, me pergunto se teria sido bom para mim, para a minha família, para a minha televisão e para as pessoas que gostam de mim ter colocado a faixa verde e amarela que estampa a capa deste excelente livro. Sei, porém, que teria sido bom para a causa. E isso me basta. O desafio, então, estava aceito em qualquer circunstância. Afetuoso abraço, Silvio Santos.

Pirenópolis reabre para moradores mas permanece fechada para turistas

A Prefeitura de Pirenópolis decidiu seguir o decreto estadual e flexibilizou a reabertura de várias atividades mas somente moradores poderão ter acesso aos serviços locais com os devidos cuidados como uso de máscaras e sem aglomerações.

O turismo, principal fonte da economia local, continua proibido. Pousadas e pontos turísticos, como cachoeiras, continuarão fechados.

Nesta segunda-feira (20), donos das principais pousadas de Pirenópolis assinaram uma carta em apoio às medidas do prefeito João do Léo (DEM-GO) e reforçaram a importância de priorizar a vida acima de tudo neste momento de pandemia. “Apesar de sermos um dos setores mais atingidos por esta crise, sabemos da importância de não precipitar decisões com base apenas em questões econômicas. Os aspectos de saúde devem prevalecer”, diz o documento assinado por 16 hoteleiros de estabelecimentos conhecidos na cidade.

No documento, os empresários também apresentram uma “proposta emergencial” para que as pousadas possam servir como estrutura de atendimento a pacientes vítimas da Covid-19 e hospedagem a profissionais de saúde do município, a exemplo do modelo proposto pela Goiás Turismo em Goiânia.

Curta Mais teve acesso com exclusividade à carta, confira:

Pirenópolis, 20 de abril de 2020.

À Sua Excelência

PREFEITO JOÃO DO LÉO

Nós, um grupo de hoteleiros de Pirenópolis, vimos apresentar nossa manifestação de apoio ao município de Pirenópolis e às demandas do setor hoteleiro, bem como oferecer uma parceria com a prefeitura de Pirenópolis, com compromissos e sugestões, para esse período único da história de nossa cidade e do planeta. 

É um momento de nos unirmos para enfrentar os desafios e nós, empresários e colaboradores do setor hoteleiro, apesar de sermos um dos setores mais atingidos por esta crise, sabemos da importância de não precipitar decisões com base apenas em questões econômicas. Os aspectos de saúde devem prevalecer.

  1. PREMISSAS

A hotelaria, inicialmente entendida como uma atividade do setor de turismo, tem uma função muito mais abrangente em momentos de crise de saúde. Neste momento a sociedade precisa suportar alguns aspectos da produção e do suporte ao setor de saúde. Nosso município, quase na sua totalidade, depende exclusivamente do turismo para sua sustentabilidade e precisa, de alguma forma, retomar gradualmente à atividade, mas antes disso, devemos fazer uma preparação bem criteriosa. Neste sentido, já estamos elaborando uma proposta de protocolo de prevenção ao Covid 19 à hotelaria para em breve, apresentarmos à  Vossa Excelência. 

Somos solidários com o Município no sentido de vencer os desafios desta crise sanitária.

  1. PIRENÓPOLIS 

Em algumas cidades do interior, o turismo é responsável por 80% (oitenta por cento) do PIB. Sabe-se que as atividades turísticas geram a circulação de pessoas, facilitando a transmissão do vírus. Ademais, as cidades do interior possuem pequena estrutura médica.

Por essas razões, apresentam-se algumas soluções para ampliação do atendimento médico, no sentido de preparar a cidade para uma abertura futura.

PROPOSTA EMERGENCIAL

Uma pousada ou hotel seria transformado em hospital especializado em COVID-19, com respiradores e atendimento especializado.

50% dos leitos seriam para hospitalizados e os outros 50% para os profissionais de saúde.

O Estado pode ser acionado a nos apoiar no suporte ao quadro de profissionais de saúde, que seriam usados nesta nova unidade.

Entendemos que, a abertura gradual dos hotéis para retomada das atividades turísticas de lazer depende da abertura integral da cidade, e estamos prontos para aguardar e a colaborar.

  1. Alimentação para moradores carentes (Campanhas que já estão sendo lideradas com o

apoio dos hotéis)

  1. Hospedagem do pessoal da Saúde, para que eles possam se reestabelecer de stress, ou

mesmo de pessoal de outras cidades em apoio ao hospital local;

  1. Hospedagem para jornalistas fazerem matérias no retorno às atividades.

REABERTURA

Os meios de hospedagem de Pirenópolis sempre acolheram a sociedade com o espírito da hospitalidade e anseiam que, quando for viável o retorno das atividades da hotelaria, estas serão alteradas para atender o manual de orientação e prevenção do setor, com a chancela da Superintendência de Vigilância em Saúde do Estado de Goiás.

Assim reforçamos nosso apoio ao fechamento da cidade até o ponto que as autoridades considerarem a sua retomada, aguardando que medicamentos eficazes ou a vacina possam antecipar estes prazos. Para melhor acompanhar este processo, propomos um agendamento regular do nosso setor com a prefeitura para as datas dos dias 03 e 17 de maio de 2020, para avaliar a situação e avançar nas ações.

O Setor Hoteleiro finaliza parabenizando o Excelentíssimo Prefeito pelas medidas adotadas e disponibiliza seu representante para ajudar na tomada de decisões e deliberações de interessmútuo.

Assinam:

1- Denise Badauy de Menezes- Pousada Arvoredo

2- Rosângela Elias – Pousada Luna Zen

3- Emílio Vettorato – Pousada Al Castello

4- Irene Santana Alves – Pousada Ikabana

5- Geovani Ribeiro – Casarão villa do império

6- Geovani Ribeiro – Dádiva Hotel Boutique

7- Maristela Vilela – Villa do comendador

8- Leonardo Puglia – Pousada Villa das Pedras

9- Fernando Ramos – Pousada Cavaleiro dos Pireneus

10- Marcelo Safadi – Divina Pousada

11- Alexandre Borges de Menezes – Pousada Flores do Cerrado

12- Cristina Coutinho de Oliveira – Pousada Casa Grande

13- José Carlos Ruiz – Pousada Mandala

14- José Carlos Ruiz – Refúgio Avalon

15- Cesar – Alter Real

16- Romeu Ferreira Borges – Pousada Villa Bia

 

 

Caiado é um dos 20 governadores a assinar carta contra Bolsonaro e ‘em defesa da democracia’

Dos 27 governadores, 20 assinaram uma carta aberta, neste domingo (19), em apoio ao presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP) e ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), após o presidente Jair Bolsonaro criticar recentemente a postura dos líderes das duas casas legislativas. 

O manifesto também condena as manifestações que ocorreram em várias parte do Brasil neste domingo (20) pedindo intervenção militar e o fechamento do Congresso Nacional e que contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em Brasília. O apoio de Bolsonaro aos manifestantes gerou repercussão negativa no meio político e jurídico.

Ronaldo Caiado (DEM-GO), ex-aliado de Bolsonaro, foi um dos governadores a assinar o documento a favor de Maia e Alcolumbre. Ambos são colegas do mesmo partido.

Dentre governantes do Centro-Oeste, apenas o Distrito Federal não assinou o documento. Já na região Sudeste, apenas o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo) não apoiou o movimento articulado pelo Fórum Nacional de Governadores e no Sul apenas o governador do Paraná, Ratinho Júnior (PSD), não quis assinar o documento.

 

Leia a íntegra do manifesto:

CARTA ABERTA À SOCIEDADE BRASILEIRA EM DEFESA DA DEMOCRACIA

O Fórum Nacional de Governadores manifesta apoio ao Presidente do Senado

Federal, Davi Alcolumbre, e ao Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, diante das declarações do Presidente da República, Jair Bolsonaro, sobre a postura dos dois líderes do parlamento brasileiro, afrontando princípios democráticos que fundamentam nossa nação.

Nesse momento em que o mundo vive uma das suas maiores crises, temos testemunhado o empenho com que os presidentes do Senado e da Câmara têm se conduzido, dedicando especial atenção às necessidades dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios brasileiros. Ambos demonstram estar cientes de que é nessas instâncias que se dá a mais dura luta contra nosso inimigo comum, o coronavírus, e onde, portanto, precisam ser concentrados os maiores esforços de socorro federativo.

Nossa ação nos Estados, no Distrito Federal e nos Municípios tem sido pautada pelos indicativos da ciência, por orientações de profissionais da saúde e pela experiência de países que já enfrentaram etapas mais duras da pandemia, buscando, neste caso, evitar escolhas malsucedidas e seguir as exitosas.

Não julgamos haver conflitos inconciliáveis entre a salvaguarda da saúde da população e a proteção da economia nacional, ainda que os momentos para agir mais diretamente em defesa de uma e de outra possam ser distintos.

Consideramos fundamental superar nossas eventuais diferenças através do esforço do diálogo democrático e desprovido de vaidades. A saúde e a vida do povo brasileiro devem estar muito acima de interesses políticos, em especial nesse momento de crise.

Brasília, 19 de abril de 2020.

RENAN FILHO (MDB)

Governador do Estado de Alagoas

WALDEZ GÓES (PDT)

Governador do Estado do Amapá

 

RUI COSTA (PT)

Governador do Estado da Bahia

 

CAMILO SANTANA (PT)

Governador do Estado do Ceará

 

RENATO CASAGRANDE (PSB)

Governador do Estado do Espírito Santo

 

RONALDO CAIADO (DEM)

Governador do Estado de Goiás

 

FLÁVIO DINO (PCdoB)

Governador do Estado do Maranhão

 

MAURO MENDES (DEM)

Governador do Estado de Mato Grosso

 

REINALDO AZAMBUJA (PSDB)

Governador do Estado de Mato Grosso do Sul

 

HELDER BARBALHO (MDB)

Governador do Estado do Pará

 

JOÃO AZEVÊDO (PSB)

Governador do Estado da Paraíba

 

PAULO CÂMARA (PSB)

Governador do Estado de Pernambuco

 

WELLINGTON DIAS (PT)

Governador do Estado do Piauí

 

WILSON WITZEL (PSC)

Governador do Estado do Rio de Janeiro

 

FÁTIMA BEZERRA (PT)

Governadora do Estado do Rio Grande do Norte

 

EDUARDO LEITE (PSDB)

Governador do Estado do Rio Grande do Sul

 

CARLOS MOISÉS (PSL)

Governador do Estado de Santa Catarina

 

JOÃO DORIA (PSDB)

Governador do Estado de São Paulo

 

BELIVALDO CHAGAS (PSD)

Governador do Estado de Sergipe

 

MAURO CARLESSE (DEM)

Governador do Estado do Tocantins

Empresários goianos fazem apelo em carta ao governador pela retomada das atividades

Após o governador Ronaldo Caiado (DEM-GO) reforçar posição de isolamento e sinalizar que a quarentena deve continuar em Goiás, empresários fizeram uma carta destinada ao chefe do executivo estadual com um apelo pela reabertura de vários segmentos da indústria, comércio e serviços em Goiás. 

O documento, assinado pelo Fórum de Entidades Empresariais de Goiás (FEE) nesta segunda-feira (13), pede a flexibilização de setores como construção civil, agronegócio, turismo e lazer, indústrias, comércio, serviços e cooperativas. “A dificuldade de acesso ao crédito, principalmente para as micro e pequenas empresas, foi motivo de preocupação”, explica a nota.

A carta termina destacando a necessidade da retomada urgente das atividades econômicas e com o compromisso do setor produtivo em reforçar os cuidados com a saúde e segurança de funcionários e todo pessoal envolvido no trabalho.

Leia a carta na íntegra:

NOTA OFICIAL

O Fórum das Entidades Empresariais do estado de Goiás (FEE) reuniu-se no dia 13 de abril de 2020 para avaliar o cenário econômico atual mediante a crise provocada pelo Covid-19. Todos os setores foram avaliados, entre os quais a construção civil, o agronegócio, o turismo e lazer, os setores industrial, comercial e de serviços e o setor cooperativo. A dificuldade de acesso ao crédito, principalmente para as micro e pequenas empresas, foi motivo de preocupação. 

O Fórum Empresarial entende que as soluções para o momento passam pela efetivação e pleno funcionamento do Comitê Estadual Socioeconômico de Enfrentamento ao Coronavírus – COVID-19 no Estado de Goiás, criado pela Decreto 9.646 de 06 de abril de 2020. Considera, por outro lado, muito importante o Governador Ronaldo Caiado ter atendido o pedido do Fórum para reforçar o referido comitê com representantes do setor industrial e do agronegócio, além do setor do comércio já inserido. Sugere, ainda, a inclusão da representação institucional das micro e pequenas empresas. 

O FEE defende ser possível o retorno de diversas atividades econômicas de forma segura, respeitando às determinações das autoridades sanitárias, tendo como contrapartida o compromisso do setor produtivo em seguir as recomendações emanadas dos protocolos concernentes a cada atividade e a orientação de todos os agentes envolvidos nesta retomada.

Jornalistas enviam carta ao SBT pedindo saída de Marcão do Povo

Após sugerir a criação de ‘campos de concentração’ para pessoas com o coronavírus, jornalistas da emissora escreveram uma carta de repúdio às declarações do apresentador, pedindo até que ele deixe o canal, depois da suspensão imposta chegar ao fim. 

Na carta, que foi divulgada pelo portal UOL, os próprios colegas de trabalho acusam Marcão do Povo de não seguir as recomendações de higiene da OMS (Organização Mundial de Saúde) e também as determinadas para a redação do SBT, colocando em risco a vida de colegas de trabalho.

O documento também diz que a afirmação de Marcão do Povo é inadmissível e não condiz com a história do SBT. Por fim, determinam que ele não é digno de ser contratado pela emissora paulista.

O UOL informa também que a carta foi assinada por quase todos os jornalistas da emissora. Uma das exceções é Dudu Camargo, companheiro de Marcão na apresentação do ‘Primeiro Impacto’. A carta está na mão de José Occhiuso, diretor de Jornalismo do SBT.

Até o momento, Marcão do Povo ainda não se pronunciou.

CONFIRA A CARTA NA ÍNTEGRA:

“À direção do SBT Impossível nos calarmos. Ainda que em diversas outras ocasiões que envolveram a mesma pessoa tenhamos optado pelo silêncio, todos os valores de ética, ou mais, de decência humana foram violentados pelo apresentador do telejornal Primeiro Impacto, Marcos Paulo Ribeiro de Morais. Ao defender a criação de “campos de concentração” para pessoas infectadas pelo novo Coronavírus, o apresentador que se autointitula como Marcão do Povo, extrapola, no nosso entender, todo e qualquer limite.

Jornalistas que somos, por vocação acima de tudo, decidimos tornar público nosso repúdio à forma como o apresentador se referiu à maior crise de saúde do século. O que não nos causa ne nenhuma surpresa. O comportamento dele sempre foi o de não acatar orientações nem determinações dos jornalistas que dirigem o Primeiro Impacto e o próprio Departamento de Jornalismo do SBT. E isso sempre foi feito publicamente na redação. Muitos dos que assinam essa carta testemunharam o sr Marcão do Povo dizer, em alto e bom som, que só obedece o dono da emissora e que não presta contas a mais ninguém.

Nós, jornalistas do SBT, vivemos o maior desafio profissional que poderíamos sequer um dia imaginar. Talvez, o maior desafio pessoal. Estamos todos os dias nos expondo a todo tipo de risco para informar a população sobre a pandemia. Porque acreditamos na nossa função e nos princípios desta emissora. Essa, sim, do povo brasileiro.

Não é necessário descrevermos aqui a mais nova absurda declaração feita pelo apresentador. Os campos de concentração da Segunda Guerra Mundial estão entre as maiores vergonhas da humanidade. A necessidade de manter a população em casa é, segundo todas as autoridades de saúde do mundo, a única medida a ser tomada para diminuir o número de mortos. Um apresentador, que tem o privilégio de ser ouvido por todo País, não pode sugerir qualquer orientação contrária a seus telespectadores. É um desrespeito à vida dos que nos assistem e confiam na credibilidade desta emissora.

Hoje – e esse número será maior a cada dia -, morrem no Brasil, , em média, cento e quarenta pessoas vítimas da covid-19. O que significa dizer que, enquanto o sr. Marcos Paulo Ribeiro de Morais está no ar, ao vivo, para todo o Brasil, pelo menos 14 famílias perdem pais, avós, irmãos, maridos, esposas, filhos, amigos, enfim… Pessoas que, segundo o apresentador, deveriam estar em “campos de concentração”. Mais do que envergonhar a todos nós, jornalistas, o sr. Marcos Paulo Ribeiro de Morais não está a altura de representar o nome e a história do SBT”.

Melhor amigo de Gugu escreve carta de despedida emocionante

Homero Salles, diretor e melhor amigo de Gugu Liberato (como o próprio apresentador costuma se referir), escreveu uma emocionante carta de despedida divulgada na coluna do jornalista Flavio Ricco, no portal UOL, nesta terça-feira, 26, a pedido do diretor de TV.

Eles se conheceram em 1979 e foram produtores juntos, uma amizade de 40 anos. Salles dirigiu o programa ‘Viva A Noite’, lançado pelo SBT, em 1982, apresentado por Gugu.

Atualmente, morando em Portugal, Homero Salles, se deslocou para Orlando, nos Estados Unidos, assim que Gugu foi para o hospital vítima do acidente doméstico que culminou em sua morte. O diretor chegou aos EUA na quinta-feira, 21, e desde então está a postos prestando apoio à família.

Homero disse também não ter forças para acompanhar o velório e sepultamento do amigo.

Veja a íntegra da carta

Estive desde o primeiro dia aqui em Orlando, dando suporte a família do Gugu, tentando entender os desígnios de Deus e totalmente inconformado com essa fatalidade.

Quem conheceu nossa amizade sabe o que estou passando. Não preciso dizer nada…

Consegui estar ao seu lado ainda com um sopro de vida e tive o privilégio de poder despedir-me, sozinhos no quarto do Hospital, onde pude dizer o quanto o amava e a falta que ele vai fazer em minha vida…quisera eu, que fosse mais uma conversa e não um triste monologo.

Esses momentos a sós, foram a minha dolorosa despedida…

Era mais que um amigo partindo…era a pessoa com quem mais conversei em minha vida, meu parceiro de milhares de horas de trabalho e outras milhares de horas de convívio, viagens maravilhosas com nossas famílias, momentos inesquecíveis e conversas intermináveis.

Não tenho mais lágrimas para derramar e não tenho a força de sua mãezinha, Maria do Céu, que aos 90 anos, consegue com seu exemplo firme e forte, manter a família de pé, para ir ao seu funeral…eu ficarei agora de longe, na retaguarda, como sempre estive e orando muito para que ele tenha a paz que merece e que o Senhor Jesus o acolha em seus braços.

Adeus Gugu e como você sempre dizia… – vamos falando …

O velório de Gugu acontecerá nesta quinta-feira (28) na Assembleia Legislativa de São Paulo e será aberto ao público. Após a despedida, ele será sepultado no jazido da família, no Cemitério Getsêmani, localizado no Morumbi, também na capital paulista.

homero

Homero e Gugu: amigos e confidentes.

Carta despedida de Gugu é lida antes da doação de órgãos: ‘Estarei batendo em outros corações’

Antes do início do processo para doação dos órgãos de Gugu Liberato, familiares do apresentador leram em frente a ele, no hospital Orlando Health, um texto escrito em primeira pessoa, como se fossem palavras do próprio Gugu se despedindo da sua vida na Terra e falando sobre a doação de órgãos.

Leia a mensagem na íntegra:

“Deus em sua infinita bondade nos dá a oportunidade da vida. Vivi minha jornada na Terra seguindo os ensinamentos que recebi de meus pais , Augusto e Maria do Céu. Com eles aprendi a importância de olhar para o próximo com amor e fraternidade.

Agora eu sigo adiante por um caminho que me levará mais próximo ao Pai. E neste momento quero praticar os ensinamentos do mestre Jesus. Assim como ele compartilhou o pão com os seus, eu compartilho meu corpo com aqueles que necessitam de uma nova oportunidade de viver.

Aos meus familiares eu agradeço por terem realizado a minha vontade. Tenham certeza que, a partir de agora, eu estarei batendo em muitos outros corações e compartilhando minha vida com outros irmãos.

Que eu seja um instrumento de amor, oportunidade e de luz.

Gugu”

Os médicos do hospital também fizeram uma menção de honra a Gugu pela doação de órgãos. Leia na íntegra:

“Momento de honra, Neste momento e a partir deste momento, honramos Antonio Augusto Moraes Liberato e essa oportunidade de salvar e melhorar a vida de outras pessoas. Ao cuidarmos dele agora, também somos responsáveis por cuidar desse gracioso presente da vida. Estendemos nosso respeito e gratidão à família e os mantemos em nossos pensamentos. Ao tocarmos a vida de muitos hoje, podemos entender nosso papel em transmitir o presente heroico da vida de um ser humano para outro. Que tenhamos um momento de silêncio agora para lembrar Gugu Liberato e todos os que se juntam à sua história do passado, presente e todos os dias à frente.”

A instituição Our Legacy realizou os trâmites referentes a retirada dos órgãos, conservação e intermediação com os pacientes.

Os familiares de Gugu verificaram com a equipe médica se seria possível doar algum órgão para um paciente brasileiro que estivesse na fila para transplante, o que acabou não ocorrendo por questões de distância e tempo de conservação.

A doação de órgãos era um desejo do apresentador e deve beneficiar cerca de 50 pessoas.

Um médico legista deverá fazer os exames necessários nesta segunda-feira, 25. Ainda não há informações certas sobre o traslado do corpo para o Brasil.

O velório será na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), mas a data ainda não foi confirmada. O sepultamento ocorrerá no jazigo da família no Cemitério Getsêmani, em São Paulo.

Em carta a Lula, Papa Francisco pede para ex-presidente ‘ter coragem e não desanimar’

Pelas redes sociais, o perfil oficial do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) compartilhou algumas cartas que foram trocadas entre ele e o Papa Francisco. 

No texto, que é uma resposta a uma carta enviada por Lula, o pontífice lamenta as perdas familiares do ex-presidente, citando Dona Marisa, o irmão do político, Genivaldo Inácio da Silva, e o neto de 7 anos, Arthur Araújo Lula da Silva. Na carta, o Papa Francisco também pede coragem para o petista ‘não desanimar’.

Em uma das cartas, Lula diz que está há mais de um ano preso na sede da Polícia Federal em Curitiba e agradece o apoio que o Papa “vem demonstrado ao povo brasileiro, pela justiça e pela defesa dos pobres”. “Tenho a consciência de que só estou preso porque os poderosos querem destruir toda a rede de proteção e cuidado que construímos para os excluídos, para que os bancos e poderosos tenham ainda mais lucros e acúmulos de riquezas”, escreveu o petista para o Papa.

Em resposta a Lula, Papa faz ainda considerações religiosas e acredita que “o bem vencerá o mal”. “Graças a Ele, podemos passar da escuridão para a Luz; das escravidões deste mundo para a liberdade da Terra prometida; do pecado que nos separa de Deus e dos irmãos para a amizade que nos une a Ele; da incredulidade e do desespero para a alegria serena e profunda de quem acredita que, no final, o bem vencerá o mal, a verdade vencerá a mentira e a Salvação vencerá a condenação”.

 

Ator de ‘Thor’ morre aos 42 anos e deixa carta de despedida: ‘não fui um homem bom’

Nesta terça-feira (14), morreu o ator Isaac Kappy, que ficou conhecido por seus papéis em ‘Breaking Bad’, ‘O Exterminador do Futuro: A Salvação’ e ‘Thor’. O artista, de 42 anos, se jogou da ponte Transwestern, em Bellmont, no Estados Unidos, e acabou sendo atropelado por um carro.

Testemunhas que passaram pelo local disseram que tentaram convencer Isaac a não pular, mas as tentativas foram vão. 

Antes da sua sua morte, o ator publicou um longo texto nas redes sociais, onde frisou que não era “uma boa pessoa”. “Usei as pessoas por dinheiro, traí muita gente e a sua confiança, vendi drogas, não paguei impostos, tenho dívidas, abusei do meu corpo com cigarros e álcool e fui abusivo para outras pessoas que me adoravam, incluindo a minha família”, escreveu.

 
 
 
 
 
Visualizar esta foto no Instagram.
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Beware the man that has nothing to lose, for he has nothing to protect.

Uma publicação compartilhada por Isaac Kappy (@isaackappy) em

No passado, o ator se envolveu em polêmicas, com acusação de que teria tentado asfixiar Paris Jackson, filha de Michael Jackson, durante uma festa entre amigos, e também de ter acusado o ator Seth Green de pedofilia.

Busque ajuda especializada

O Curta Mais tem a política de publicar informações sobre casos de suicídio ou tentativas com o objetivo de alertar o leitor a buscar ajuda profissional. O assunto requer cuidado e responsabilidade ao ser veiculado e debatido.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o assunto não venha a público com frequência, para que o ato não seja estimulado. Especialistas também afirmam que não falar sobre o caso pode camuflar o problema e estimular as pessoas a buscarem informações em fontes não confiáveis. 

Depressão, esquizofrenia e o uso de drogas ilícitas são os principais males identificados pelos médicos em um potencial suicida. Problemas que poderiam ser tratados e evitados em 90% dos casos, segundo a Associação Brasileira de Psiquiatria.

Você precisa de ajuda? Entre em contato com o Centro de Valorização da Vida (CVV). A organização atua no apoio emocional e na prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, por telefone, e-mail, chat e Skype 24 horas todos os dias.

Ministro da Educação assume erro depois de pedir que escolas gravem crianças cantando o hino sem a autorização dos pais

Um assunto polêmico que tem assolado a internet recentemente, envolvendo o Ministro da Educação Ricardo Vélez Rodrígues, acaba de ganhar ainda mais destaque depois que ele voltou atrás em sua ação. O caso que gerou revolta na internet, envolvendo um e-mail enviado para as escolas públicas, pedia que as instiutuições tocassem o hino nacional e filmassem esse momento com as crianças.

A carta, que era encerrada com as frases de slogan usadas na campanha do presidente Jair Bolsonaro durante as eleições, “Brasil acima de tudo. Deus acima de todos”, teve tanta repercursão que o próprio Ministro da Educação teve que se redimir.

+ MEC pede que escolas toquem hino e leiam carta com slogan de Bolsonaro

O pedido de desculpas

Nesta terça-feira, dia 26 de fevereiro, o Ministro da Educação fez um comunicando dizendo que percebeu o erro e que tirou a frase relacionada ao governo do presidente, assim como a parte que pedia para que as crianças fossem filmadas sem a autorização dos pais. Além disso, ele afirma que caso algo seja publicado em relação a isso será dentro da lei e com a devida autorização dos pais.

A declaração de Ricardo Vélez foi feita no Senado após uma reunião com o presidente da Casa, o senador Davi Alcolumbre. Depois disso, o MEC informou que enviará uma carta atualizada para as escolas do país ainda nesta terça-feira (26/02)

As mudanças

Na nova carta, o trecho contendo o slogan utilizado na campanha do presidente Jair Bolsonaro foi retirado juntamente com o pedido de gravação. O pedido para que o hino nacional seja cantado em frente a bandeira do Brasil, caso a instituição tenha uma, depois da leitura da carta se mantem firme. 

E, segundo o MEC, as escolas que desejarem executar o pedido do Ministro da Educação para gravar ainda poderão fazer isso mediante a autorização dos envolvidos ou de seus pais/responsáveis.

O novo texto diz; “Brasileiros! Vamos saudar o Brasil e celebrar a educação responsável e de qualidade a ser desenvolvida na nossa escola pelos professores, em benefício de vocês, alunos, que constituem a nova geração.”.

Capa: Marcelo Camargo/Agência Brasil