Descobrimos uma belíssima cachoeira em Goiás perfeita para levar crianças e que não precisa de guia

Se você está procurando um lugar incrível para levar as crianças e desfrutar de um dia em família, temos uma dica imperdível para você. A Cachoeira Poço Encantado, localizada em Goiás, é um destino turístico que encanta a todos com suas águas cristalinas e belas paisagens. E o melhor de tudo: você não precisa de um guia para conhecer esse paraíso. Continue lendo e descubra mais sobre essa maravilha natural.

Um lugar verdadeiramente encantado

A Cachoeira Poço Encantado é uma verdadeira joia da natureza, situada na Fazenda Rio da Pedra, em Teresina de Goiás, na região da Chapada dos Veadeiros. Esse lugar oferece um cenário de tirar o fôlego, com um lago cercado por lindas cachoeiras. A principal queda d’água tem 38 metros de altura, dividida em duas partes: a de baixo com 20 metros e a de cima com 18 metros. Aos pés da cachoeira, encontra-se o “poço”, que é uma das maiores e mais belas piscinas naturais da região.

O grande atrativo da Cachoeira Poço Encantado é a sua água cristalina, perfeita para um banho refrescante. As crianças vão adorar brincar e nadar nesse verdadeiro paraíso natural. A vegetação ao redor é típica do Cerrado, proporcionando um ambiente verde e tranquilo, ideal para um piquenique ou apenas para relaxar e apreciar a natureza.

Fácil acesso e estrutura

Uma das melhores partes da Cachoeira Poço Encantado é a facilidade de acesso. Não é necessário contratar um guia para chegar até lá, o que torna o passeio mais econômico e flexível. Basta seguir pela Rodovia GO-118, Km 220/222, até a Fazenda Rio da Pedra. Ao chegar, é preciso pagar uma taxa de entrada de R$ 20 por pessoa. Vale lembrar que a permanência no local é permitida até as 19h, garantindo um dia inteiro de diversão e contato com a natureza.

Para aqueles que desejam prolongar a estadia, a Fazenda Rio da Pedra oferece uma pousada aconchegante. Os hóspedes têm um benefício extra: mediante aviso prévio, é possível desfrutar da cachoeira durante a noite. Isso permite uma experiência ainda mais especial, onde se pode admirar o céu estrelado enquanto relaxa nas águas cristalinas.

Turismo 2024 Goiás

Foto: Reprodução/ guiachapadaveadeiros

Dicas para aproveitar ao máximo

Para que sua visita à Cachoeira Poço Encantado seja inesquecível, aqui vão algumas dicas:

Leve protetor solar e repelente: A região é bem ensolarada, e o protetor solar é essencial para evitar queimaduras. O repelente ajuda a manter os insetos afastados.

Roupas confortáveis e toalhas: Roupas leves e confortáveis são ideais para o passeio. Não se esqueça de levar toalhas para se secar após o banho.

Lanches e bebidas: Embora a Fazenda Rio da Pedra ofereça algumas opções de alimentação, é sempre bom levar água e alguns lanches para garantir que você e sua família estejam bem alimentados e hidratados.

Cuidado com as crianças: Apesar da segurança do local, é importante sempre supervisionar as crianças durante o banho e nas trilhas.

Respeite a natureza: Lembre-se de recolher todo o lixo e evitar danificar a vegetação. Assim, todos podem continuar desfrutando desse paraíso.

A Cachoeira Poço Encantado é um destino perfeito para quem quer desfrutar de um dia especial em meio à natureza, sem a necessidade de complicações ou gastos excessivos. Com suas águas cristalinas, belas quedas d’água e ambiente tranquilo, é um lugar que encanta adultos e crianças. Não perca a oportunidade de conhecer esse pedaço de paraíso em Goiás e criar memórias inesquecíveis com sua família.

Então, já sabe: na próxima viagem, coloque a Cachoeira Poço Encantado no seu roteiro e prepare-se para um dia de muita diversão, relaxamento e contato com a natureza. Acredite, você não vai se arrepender.

Leia também:

10 melhores cachoeiras em Goiás para se refrescar no calor

Duas belíssimas cachoeiras da Chapada dos Veadeiros que nenhum turista abre mão de visitar

Cidade goiana com maior lago subterrâneo da América Latina guarda cachoeiras e tesouros sensacionais

 

O maior trecho de rafting do Brasil fica em um paraíso escondido na Chapada dos Veadeiros

A Chapada dos Veadeiros é um notável destino turístico, aclamado internacionalmente por suas paisagens naturais deslumbrantes. Localizada no noroeste do estado de Goiás, a região é um convite aberto a aventuras em meio a uma natureza exuberante, composta por cachoeiras, vales e formações rochosas que cativam turistas de todo o mundo.

Entre as cidades que formam o coração da Chapada dos Veadeiros, São João d’Aliança se destaca. Situada a 356,2 km de Goiânia e a 154 km de Brasília, é conhecida como “O portal da Chapada dos Veadeiros”, sendo um ponto de partida essencial para quem deseja explorar as belezas naturais da região.

O acesso à São João d’Aliança é predominantemente feito pela BR-020, partindo de Brasília em direção a Planaltina. No trevo para Formosa, a rota segue pela DF-345 até a fronteira com Goiás, onde se transforma na GO-118 ou BR-010, conhecida também como Rodovia Belém-Brasília. A cidade é cortada pela Serra Geral do Paranã, dividindo-se entre esta serra e o Vale do Paranã, uma área de topografia mais plana que apresenta características distintas das alturas típicas da Chapada.

A Chapada dos Veadeiros é geologicamente dividida em três grupos principais de rochas: Paranoá, Bambuí e Araí, criando um terreno com variações de altitude que vão de 600 m a 1.200 m. São João d’Aliança está estrategicamente localizada nas dobraduras do Grupo Paranoá, estendendo-se desde Brasília até Alto Paraíso de Goiás.

A história geológica da região é marcada por um impactante evento de choque intercontinental, ocorrido há milhões de anos, que resultou no soerguimento das rochas. Este processo formou um cenário único de morros, vales e encostas, além de proporcionar mirantes naturais que oferecem vistas panorâmicas espetaculares para o Vale do Paranã.

Os recursos hídricos de São João d’Aliança incluem dois importantes rios: o Rio das Brancas e o Tocantinzinho, que desempenham um papel crucial no abastecimento da cidade e na manutenção de sua biodiversidade.Portanto, a Chapada dos Veadeiros não é apenas um destino de viagem, mas um convite para a contemplação e exploração de um dos cenários naturais mais fascinantes do Brasil, onde cada cidade, como São João d’Aliança, contribui com sua parte única na tapeçaria vibrante e diversificada da região.

Corredeira no Rio das Brancas. Crédito: Overtor.com.br

Corredeira no Rio das Brancas. Crédito: Overtor.com.br

O Rio das Brancas, também é  chamado Capetinga. Ela faz a divisa oeste do município. O Rio é o maior  com o maior trecho de Rafting do Brasil. São  73 km de muitas corredeiras.O acesso se dá pela Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Parque do Capetinga. Criada pela Portaria do Ibama nº 73 de 13 de outubro de 2005, a RPPN Parque do Capetinga está localizada no município de São João d’Aliança e estava originalmente abrigada na fazenda Bela Vista ou Mingau.

Com 1.584,2607 hectares, o Parque do Capetinga recebeu este nome devido ao ribeirão de mesmo nome que percorre o limite norte da propriedade.São João da Capetinga foi também o primeiro nome de São João d’Aliança, antes de se tornar município emancipado.

Tocantinzinho - Crédito: Prefeitura Municipal

Tocantinzinho – Crédito: Prefeitura Municipal

O Tocantinzinho é a nascente do Rio Tocantins e forma a Lagoa Serra da Mesa. Ao  sul  da cidade está Brasília, no Planalto Central, onde nascem as Águas Emendadas, formadoras de três das cinco importantes bacias hidrográficas brasileiras.Este lugar, que já foi chamado de Olhos d’Água, é repleto de nascentes. E todas essas águas saem de São João d’Aliança e se espalham pelo Brasil

A principal via de acesso à cidade é pela BR-020 a partir de Brasília sentido Planaltina. No trevo para Formosa, vira-se à esquerda na DF-345 até a fronteira com Goiás, onde a estrada passa a se chamar GO-118 ou BR-010 (Rodovia Belém-Brasília).

 

O município é cortado pela Serra Geral do Paranã e, assim, tem parte de sua área no Vale do Paranã, de topografia plana, que se diferencia em vários aspectos da Chapada dos Veadeiros. A Chapada dos Veadeiros em si é dividida em três grupos de rochas: Paranoá, Bambuí e Araí, permitindo altitudes variantes entre 600 m a 1.200 m. São João d’Aliança está situado nas dobraduras do Grupo Paranoá que corta Brasília até Alto Paraíso de Goiás. Há milhões de anos um choque intercontinental provocou um soerguimento de rochas deixando um legado de morros, vales, encostas, rachaduras e trincas, além de mirantes de 440 m com uma vista panorâmica para o Vale do Paranã.

Dois rios abastecem o município: o Rio das Brancas, também chamado Capetinga, faz a divisa oeste do município; e o Tocantinzinho, que é a nascente do Rio Tocantins e forma a Lagoa Serra da Mesa. A divisa leste do município é feita pelo Rio Paranã, recebendo seus afluentes que se juntam mais adiante formando a Bacia do Tocantins. E ao sul está Brasília, no Planalto Central, onde nascem as Águas Emendadas, formadoras de três das cinco importantes bacias hidrográficas brasileiras. Este lugar, que já foi chamado de Olhos d’Água, é repleto de nascentes, águas que saem de São João d’Aliança e se espalham pelo Brasil.

Clima e Vegetação

São João d’Aliança possui um clima bastante ameno, com temperatura sofrendo pouca variação, entre 15 °C e 28 °C. Intercalam-se períodos bem definidos de chuvas entre outubro e maio e de seca entre junho e setembro. Em decorrência desses períodos bem definidos, a umidade relativa do ar possui diferenças extremas entre 100% e 13%, dependendo do período do ano. A visibilidade é perfeitamente límpida no período chuvoso e pouco embaçada no período seco.

A vegetação é o Cerrado, com formações florestais, savânicas e campestres. Onze fisionomias diferentes formam um mosaico misterioso e envolvente, permitindo a existência de mais de dez mil espécies de plantas que são fonte de remédios fitoterápicos, alimento e madeira. Uma faixa significativa do Cerrado nas escarpas da Serra Geral do Paraná é pré-amazônica, sendo uma importante área de transição. A fauna é outro fator de importância, e ainda é possível avistar diversas espécies silvestres, desde pequenos roedores até a onça pintada. A avifauna é riquíssima, com variantes entre o menor pica-pau do mundo e bandos de emas soltas e em liberdade.

A cultura são-joanense tem característica bem peculiar em decorrência de grandes períodos de isolamento do urbanismo. Seus costumes foram forjando-se ao longo do tempo com costumes bem ruralistas, misturando índios, negros e brancos poloneses.

Dessa mistura nasce a religiosidade, as danças folclóricas (curraleira, lundu, catira, sapateados, trovas, versos, poesias, rezas, ladainhas em latim) e as festas religiosas (Caçada da Rainha, Santo Reis, São Sebastião, Nossa Senhora do Rosário, Romaria Nossa Senhora da Abadia do Muquém, Nossa Senhora dos Verdes, Santa Luzia, Divino Espírito Santo, Divino Pai Eterno).

O calendário às vezes é ajustado às datas comemorativas nacionais. Das raízes culturais nasceram muitos artistas, poetas, trovadores, repentistas, contadores de causo, pintores, escultores, raizeiros fitoterápicos, parteiras, rezadeiras, benzedeiros e outros.

Entre seus principais atrativos ecoturísticos, destacam-se:

Cachoeira das Andorinhas

Cachoeira das Andorinhas - Prefeitura de São João d'Aliança

Cachoeira das Andorinhas – Prefeitura de São João d’Aliança

A Cachoeira das Andorinhas fica na região do Córrego Rodeador, na Serra Geral do Paranã. São 26 km da sede de São João d’Aliança, sendo 10 km de trecho pavimentado e 12 km de trecho não pavimentado. Há ainda uma trilha de 4 km, às vezes escorregadia, cuja caminhada leva, em média, uma hora para se realizar, com nível médio de dificuldade.

A queda possui grande beleza. Em  determinadas épocas do ano, as andorinhas, com seus ninhos por detrás da queda d’água, atravessam a cachoeira e a sobrevoam, justificando seu nome. Há um poço ideal para o banho na parte superior da cachoeira, antes da queda. De lá, a 997 m de altitude em relação ao nível do mar, tem-se uma bela vista.

 

Cachoeira São Cristóvão 

 É também conhecida como Cachoeira do Pastor e está localizada na região do Chico do Morro, na Serra Geral do Paranã. O acesso se dá por via não pavimentada, 14 km distante da sede de São João d’Aliança.

Do rancho para as cachoeiras do Córrego Veadeiros há uma pequena trilha interna de 800 m, que é realizada em cerca de 30 minutos, com nível médio de dificuldade. São duas quedas d’água, uma com 33 m e outra com 55 m. É possível tomar banho no poço da primeira queda.

Alguns metros adiante, justamente onde começa a segunda queda, tem-se um belo mirante do Vale do Paranã. No rancho são servidas refeições típicas da culinária goiana feitas em fogão à lenha, ideal para arrematar um dia de caminhada.

 

Cachoeiras São Pedro 

Cachoeira São Pedro - Prefeitura  Municipal de São João D'Aliança

Cachoeira São Pedro – Prefeitura  Municipal de São João D’Aliança

Localizadas na Fazenda Bela Vista, no Vale do São Pedro, na Serra Geral do Paranã. Estas cachoeiras fazem parte da microbacia do córrego São Pedro. São 19 km de trecho não-pavimentado até a trilha. Para a Cachoeira São Pedro I, são 1,5 km de trilha, que leva em média 40 min para serem feitos. Já para a cachoeira São Pedro II (de 37 m de altura), a trilha tem 2 km, que levam em média 1h de caminhada para serem completados, e tem um trecho com alto grau de dificuldade.

 

Cachoeira do Label 

Cachoeira do Label, com 187 metros de altura, é a mais alta de Goiás: água cristalina, diversos poços para banho e preservação ambiental - (crédito: Ion David/Travessia Ecoturismo)

Cachoeira do Label, com 187 metros de altura, é a mais alta de Goiás: água cristalina, diversos poços para banho e preservação ambiental – (crédito: Ion David/Travessia Ecoturismo)

Com seus 187 Metros de Altura, o Rio Extrema  com suas águas esverdeadas “despenca” da serra do Paranã na borda leste da Chapada, formando a cachoeira e o complexo de piscinas naturais e atrações da reserva Bellatrix. A queda está entre os maiores atrativos do Brasil, ocupa a posição de maior cachoeira do Goiás e é a mais alta da Chapada dos Veadeiros.A trilha tem uma caminhada de 1800 metros, com nível de dificuldade que vai de médio a alto.

 Os primeiros 1600 metros contém 05 pontos de visitação com grau de dificuldade moderado. Os últimos 200 metros de trilha tem nível de dificuldade alto, caminhada em terreno irregular com obstáculos. O  acesso se dá pela estrada da represa do paranã a 26 Km da cidade de São João da Aliança. O nome Label vem de uma comunidade quilombola que se localizava na região do topo da cachoeira.  Ainda existem vestígios da ocupação no local.

O Nome ficou conhecido como marco de seu povo, que após a expansão agrícola e oportunidades geradas pelos políticos locais se instalaram na cidade. Aos poucos esta referência se deu por abrigar o “Povo do Label”, remanescentes de escravos refugiados ainda na época da “fomação do Forte”, que  sediou a comarca dos municípios de Formosa, Cavalcante e região. O Forte tornou-se um ponto e marco histórico do Goiás por ter sido durante um período. A  sede do município de Formosa tem este nome por ser protegida pelas paredes intransponíveis da Serra do Paranã.  A visitação da cachoeira se iniciou nos anos 90, onde fez parte do inventário de cachoeiras e atrações da Chapada. Manteve-se com acesso precário e difícil durante um bom tempo.

 

Cachoeira do Cantinho 

Cachoeira do Cantinho – Prefeitura de São João D’Aliança

Cantinho é a cachoeira com o maior volume de água, e um dos poços mais fundos do município. Está localizada a uma distância de 45 km da cidade, sendo 2 km de asfalto e 43 km de terra. É feita uma caminhada de 1 hora em trilha com médio grau de dificuldade. A cachoeira do Cantinho, com seus 30 m de altura, despenca entre as rochas e forma um cortinado de beleza ímpar escolhendo o rio Cachoeirinha como seu leito eterno.

 

Balanço do Mário

Bem pertinho de São João d’Aliança, a apenas 10 km de asfalto, 1,2 km de terra e 100 m de trilha, o Balanço do Mário tem banheiro, comida e rancho de apoio. O balanço e o trampolim ficam sobre o Rio das Brancas, onde com medo, coragem e determinação, o visitante se lança num frenesi, passando momentos inesquecíveis.

 

Bocaina do Farias 

Também conhecida como Buraco do Farias ou Cânion do Farias pelos praticantes do canionismo, a região leva o nome de dois rios que ali nascem: Faria e Farinha. É uma área peculiar da Serra Geral do Paranã, abrigando cachoeiras, canyons, rios e piscinas naturais. Está localizada a uma distância de 65 km da sede do município de São João d’Aliança, sendo 35 km pavimentados e 30 km em estradas de terra. Depois do trajeto de carro, caminha-se em uma trilha de aproximadamente 6 km, com médio grau de dificuldade e alguns trechos bastante íngremes.

 

Fazenda Boa Esperança

 Localiza-se na Serra Geral do Paranã, ao norte do córrego Extrema, distante 25 km da sede do município de São João d’Aliança. Para chegar até a fazenda é necessário cavalgar por aproximadamente 6 horas, em um caminho muito acidentado que corta a Serra Geral.

O esforço é recompensado quando se chega à fazenda onde estão localizadas três cachoeiras espetaculares. A primeira leva o nome da fazenda e se encontra a aproximadamente 20 minutos de caminhada da sede da propriedade. Tem 10 m de queda d’água e é extremamente bela e intocada. A segunda queda d’água se chama Cachoeira do Quintal, tem por volta de 8 m de altura e é um ótimo local para se refrescar sem ter que se deslocar muito. A terceira cachoeira, intitulada Véu de Noiva, é a maior delas, com 72 m de altura e duas quedas d’água, uma ao lado da outra.

 

Leia também:

Cidade goiana guarda ‘grutas do tempo’ com descobertas paleolíticas que revelam segredos milenares que deslumbram o mundo

Caribe brasileiro tem mar azul turquesa e natureza exuberante

Exuberante paraíso baiano enfeitiça Goianos com sua história, cultura e sabores inesquecíveis

Goiás tem paraíso escondido e exuberante que encanta e revitaliza a alma

O extraordinário paraíso escondido no coração do Cerrado que você precisa conhecer antes de morrer

No coração do Brasil, onde a vegetação do cerrado encontra-se com imponentes formações rochosas, a Chapada dos Veadeiros se destaca como um dos destinos turísticos mais fascinantes e mágicos do país. Situada no estado de Goiás, a cerca de 230 km da capital Brasília, a região é um convite à exploração e ao encantamento, permitindo aos visitantes uma verdadeira imersão na natureza preservada e em culturas tradicionais ricas em histórias e sabedoria ancestral.

Parque Nacional: um santuário de biodiversidade no coração do Cerrado

Fundado em 1961, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros preserva o legado natural e cultural desse pedaço único do Brasil, protegendo espécies endêmicas e promovendo a sustentabilidade e o turismo consciente. A visita à Chapada oferece uma verdadeira aula de biologia e geologia a céu aberto, onde cada trilha revela novas facetas de uma região que é um verdadeiro mosaico de biodiversidade. 

Seus campos rupestres e cerrados abrigam uma diversidade florística que surpreende até os botânicos mais experientes. Espécies como o ipê, o barbatimão e a sempre-viva são encontradas em abundância. Os rios e cachoeiras de águas cristalinas, como a Cachoeira de Santa Bárbara e a Cachoeira dos Couros, são o habitat natural de uma variada fauna aquática, incluindo espécies de peixes raros e outros animais selvagens.

Turismo consciente e sustentável para preservar o Cerrado 

O turismo na Chapada dos Veadeiros é cuidadosamente gerido para minimizar o impacto ambiental e promover práticas sustentáveis. Trilhas bem marcadas e áreas de camping regulamentadas ajudam a preservar o ecossistema sensível da região. O turismo consciente é incentivado, com ênfase na educação ambiental e na importância da preservação.

 Espiritualidade e bem-estar no coração do Cerrado

Além de seu apelo natural, a Chapada dos Veadeiros é um ponto de encontro para quem busca espiritualidade e bem-estar, oferecendo uma série de retiros e espaços voltados para a meditação e práticas holísticas. A energia da região, potencializada pela grande presença de cristais de quartzo no solo, proporciona uma atmosfera de tranquilidade e renovação, fazendo com que muitos a considerem um verdadeiro santuário energético. Locais como o Vale da Lua, com suas formações rochosas únicas, são considerados locais de alta energia e são populares entre os praticantes de yoga e meditação.

 Comunidades Tradicionais: guardiãs do patrimônio cultural do Cerrado brasileiro 

Ao planejar uma visita à Chapada dos Veadeiros, é importante destacar o protagonismo e a resiliência das comunidades tradicionais que habitam a região. Estas comunidades, incluindo os quilombolas e povos indígenas, são os verdadeiros guardiães deste patrimônio. Com sabedoria e respeito pela terra, têm preservado por gerações as belezas naturais e a cultura rica e diversificada do lugar. Visitar estas comunidades oferece uma oportunidade única de aprender sobre suas tradições, culinária e artesanato.

Aventura e esporte no coração do Cerrado 

Para os aventureiros, a Chapada dos Veadeiros oferece inúmeras atividades ao ar livre. Trilhas desafiadoras como a Travessia das Sete Quedas, escaladas em formações rochosas e banhos nas águas geladas das cachoeiras são apenas algumas das experiências disponíveis. A observação de aves é outra atividade popular, com espécies raras e endêmicas como o pato-mergulhão.

Dicas para Visitar a Chapada dos Veadeiros, o coração do Cerrado brasileiro

  1. Melhor Época para Visitar: A estação seca, de maio a setembro, é ideal para trilhas e atividades ao ar livre. Evite a temporada de chuvas, de outubro a abril, quando algumas trilhas podem ser perigosas devido ao risco de enchentes.

   

  1. Acomodações:Há uma variedade de opções de hospedagem, desde campings e pousadas rústicas até hotéis mais sofisticados. Alto Paraíso de Goiás e São Jorge são as principais bases para explorar a região.

 

  1. Respeito à Natureza: Siga sempre as orientações dos guias locais, não deixe lixo nas trilhas e respeite a fauna e a flora.

Uma viagem à Chapada dos Veadeiros não é apenas uma oportunidade para desfrutar da natureza exuberante, mas também uma chance de aprender e crescer através do contato com culturas que têm tanto para ensinar. Este destino único no Brasil combina beleza natural, riqueza cultural e um profundo senso de espiritualidade, proporcionando uma experiência verdadeiramente transformadora para seus visitantes.Confira abaixo 5 motivos para você visitar a Chapada dos Veadeiros, no coração do Brasil.

1. Patrimônio Natural da Humanidade

Em 2001, a UNESCO concedeu à Chapada dos Veadeiros o título de Patrimônio Natural da Humanidade. Este reconhecimento é uma prova da rica biodiversidade da região e da presença de espécies endêmicas, que são aquelas que só existem nesse local.

2. Alto Índice de Cristais de Quartzo

A Chapada dos Veadeiros é conhecida por possuir um dos solos mais ricos em cristais de quartzo no mundo. Essa característica tem fomentado diversas crenças e teorias, incluindo a de que a área teria uma “energia especial” devido à presença destes minerais.

3. Flora e Fauna Diversificadas

A região da Chapada dos Veadeiros abriga um dos ecossistemas mais ricos e diversificados do mundo, sendo o lar de cerca de 1.600 espécies de plantas, 120 de mamíferos, e 150 de aves, além de uma ampla variedade de insetos, muitos dos quais são endêmicos.

4. Chapada dos Veadeiros e a Espiritualidade

O local é considerado um centro de energia e espiritualidade, atraindo pessoas de todo o mundo em busca de cura e crescimento espiritual. Muitos visitantes afirmam sentir uma energia diferenciada e renovadora ao visitar certos pontos da Chapada, o que acaba conferindo à região uma atmosfera mística e tranquilizadora.

5. Protagonismo das Comunidades Tradicionais

O território é lar de diversas comunidades tradicionais, como os Kalunga, que são descendentes de quilombolas, e os aldeamentos indígenas. Estas comunidades desempenham um papel vital na preservação da cultura e da biodiversidade local, oferecendo aos visitantes a oportunidade única de imersão em suas tradições e histórias.

Leia também:

Desvendamos todos os segredos de um verdadeiro oásis natural de emoção e mistério no coração do Cerrado

Revelamos todos os segredos do paraíso secreto do Cerrado brasileiro que fica em Goiás

Revelamos todos os segredos do paraíso secreto do Cerrado brasileiro que fica em Goiás

Localizada estrategicamente no coração do Brasil, a Chapada dos Veadeiros se destaca como um santuário e paraíso de biodiversidade e beleza natural única. Com uma extensão aproximada de 230 km de Brasília e 430 km de Goiânia, este tesouro do cerrado brasileiro oferece aos visitantes uma experiência enriquecedora e revitalizante.

A região é famosa por suas paisagens paradisíacas, que incluem mais de 2 mil cachoeiras, algumas delas com quedas d’água impressionantes que alcançam até 180 metros. Além das cachoeiras, as piscinas naturais e as águas termais são características marcantes que proporcionam não apenas momentos de lazer, mas também revitalização física e espiritual.

Durante a “Época das Águas”, que vai de outubro a maio, a Chapada dos Veadeiros se mostra em toda a sua exuberância, com cachoeiras abundantes e uma vegetação exuberante. É um período ideal para apreciar o espetáculo do pôr do sol no cerrado, onde as cores quentes do entardecer criam um cenário deslumbrante e memorável para os visitantes.

A Chapada dos Veadeiros  é um paraíso com  cachoeiras sensacionais. Foto: Canva Pro

A Chapada dos Veadeiros é um paraíso com cachoeiras sensacionais. Foto: Canva Pro

Já na “Época Seca”, de junho a setembro, a paisagem da Chapada se transforma, destacando-se pelas cores vibrantes do cerrado e o contraste com as águas cristalinas que adornam a região. Essa temporada proporciona condições ideais para caminhadas, trilhas e outras atividades ao ar livre, permitindo aos visitantes explorar mais profundamente a diversidade natural do local.

Além de sua beleza física, a Chapada dos Veadeiros é reconhecida internacionalmente pela sua importância ambiental. Designada como Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO, a região abriga uma biodiversidade impressionante, incluindo milhares de espécies de plantas e animais. Este reconhecimento não apenas destaca a relevância ecológica da Chapada, mas também impulsiona iniciativas de conservação e sustentabilidade que visam proteger seus ecossistemas frágeis.

Para os visitantes, explorar a Chapada dos Veadeiros é embarcar em uma jornada única, onde natureza, história e espiritualidade se entrelaçam, proporcionando uma experiência inesquecível e enriquecedora. Para aproveitar ao máximo este paraíso natural, é recomendável contar com guias e operadoras de turismo locais, que não apenas orientam de forma segura, mas também compartilham conhecimentos sobre a história local, biodiversidade e práticas de preservação que sustentam a magia da Chapada dos Veadeiros.

Explorando o coração do paraíso do Cerrado

A Chapada dos Veadeiros é considerada também um paraíso místico

A Chapada dos Veadeiros é considerada também um paraíso místico

As maravilhas da Chapada dos Veadeiros vão além das suas belezas naturais. Ao adentrar este santuário ecológico, os visitantes mergulham em histórias e curiosidades que enriquecem ainda mais a experiência. Uma dessas histórias é o reconhecimento pela UNESCO, que declarou o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros como Patrimônio Natural da Humanidade, destacando sua importância e singularidade.

Rica em diversidade biológica, a região está situada no cerrado brasileiro, uma savana tropical com mais de 65 milhões de anos, que ocupa quase um quarto do território nacional. Somente dentro dos limites do Parque, encontram-se mais de dez mil espécies de plantas, sendo cinco mil delas exclusivas da região. Além da flora exuberante, a Chapada oferece uma infinidade de atividades de aventura e aquáticas, incluindo trilhas, cachoeiras e quedas d’água deslumbrantes.

Uma das novidades é a travessia São Jorge-Capela, uma rota de 25 km que proporciona aventuras incríveis por trilhas históricas, passando pela Serra de Santana e oferecendo a primeira entrada oficial ao parque por Cavalcante. Para os interessados no místico e esotérico, a Chapada dos Veadeiros se consagra como um destino imperdível. Segundo o calendário Maia, a região seria poupada no fim do mundo previsto para 2012, o que atraiu um grande número de visitantes e consolidou a Chapada como um ponto de turismo místico.

Sustentabilidade de preservação ambiental no paraíso do Cerrado

A sustentabilidade e preservação ambiental na Chapada dos Veadeiros são pilares essenciais que garantem a conservação deste paraíso do cerrado brasileiro. A região adota uma abordagem consciente e responsável, guiada pelo princípio de que “Da natureza nada se tira além de fotos, nada se deixa além de pegadas e nada se leva além de saudades”. Este lema reflete o compromisso em minimizar o impacto humano, preservando a biodiversidade única e os ecossistemas frágeis presentes no local.

A implementação de práticas sustentáveis inclui desde a gestão adequada dos resíduos até a promoção de atividades que respeitam o ambiente natural. Iniciativas de educação ambiental são frequentes, visando conscientizar visitantes e comunidades locais sobre a importância da conservação. Além disso, programas de reflorestamento e manejo sustentável são fundamentais para restaurar áreas degradadas e garantir a saúde dos ecossistemas a longo prazo.

Para aqueles que exploram a Chapada dos Veadeiros, a contratação de guias e operadoras de turismo certificadas é recomendada não apenas para maximizar a experiência, mas também para garantir que as visitas sejam feitas de forma responsável e respeitosa. Esses profissionais não apenas conduzem os turistas pelos caminhos menos impactantes, mas também compartilham conhecimentos sobre a história local, a biodiversidade e as práticas de conservação que fazem deste destino um exemplo de sustentabilidade no turismo.

Leia também:

Evento reúne povos indígenas visitantes para troca de conhecimentos e valorização cultural na Chapada dos Veadeiros

Chapada dos Veadeiros: show de Zeca Baleiro e outras atrações culturais na Aldeia Multiétnica; confira a programação

Chapada dos Veadeiros: show de Zeca Baleiro e outras atrações culturais na Aldeia Multiétnica; confira a programação

A Aldeia Multiétnica está em sua 16ª edição e prestes a começar, prometendo oferecer uma experiência cultural inesquecível na Chapada dos Veadeiros, em Goiás. Este evento é uma oportunidade única para conhecer e aprender sobre as diversas culturas indígenas do Brasil. De 12 a 20 de julho, os visitantes poderão participar de uma programação rica em atividades culturais e artísticas. Além disso, o encerramento contará com uma apresentação especial do famoso cantor Zeca Baleiro. Vamos te mostrar os detalhes deste evento incrível e entender por que ele é tão importante.

Uma celebração da diversidade cultural

A Aldeia Multiétnica é um evento que reúne povos indígenas de várias partes do Brasil para compartilhar seus conhecimentos e tradições. Durante os nove dias de evento, cerca de 5 mil pessoas, entre visitantes e convidados, terão a chance de participar de diversas atividades culturais. Cada dia será dedicado a uma etnia específica, começando com celebrações ao amanhecer e continuando até o início do dia seguinte. Estas incluem, danças, cantos, pinturas corporais, culinária e arte indígena. A imersão na cultura indígena proporciona uma compreensão mais profunda e respeito pelas tradições desses povos.

Atração especial: Zeca Baleiro

Em 2024, a Aldeia Multiétnica terá uma atração especial: o cantor Zeca Baleiro. Conhecido por seu talento musical, Zeca Baleiro será a atração de encerramento do evento. Ele foi o autor da trilha sonora do filme “De Longe Toda Serra é Azul”, que conta a história do indigenista Fernando Schiavini, que é um dos idealizadores da Aldeia Multiétnica. A presença de Zeca Baleiro no evento promete um final emocionante e cheio de energia, celebrando a cultura indígena de uma maneira única e envolvente.

Para quem deseja participar da Aldeia Multiétnica, há diversas opções de ingressos disponíveis, com preços a partir de R$ 70. Os ingressos podem ser adquiridos pelo site Sympla. É importante se planejar com antecedência, pois o evento costuma atrair muitos visitantes interessados em vivenciar essa experiência única.

Aldeia Multiétnica

Datas: de 12 a 20 de julho

Local: Aldeia Multiétnica, Alto Paraíso de Goiás – GO

Ingressos: Sympla

Uma experiência marcante

Além das atividades culturais, os visitantes da Aldeia Multiétnica podem aproveitar a beleza natural da Chapada dos Veadeiros. O evento oferece acesso a três cachoeiras deslumbrantes – Almécegas I, Almécegas II e a exclusiva Almécegas III – e uma praia no Rio dos Couros. Essas atrações naturais proporcionam um ambiente perfeito para relaxar, refletir e se conectar com a natureza. A programação do evento também inclui rodas de conversa, feira de artesanato, oficinas, palestras e vivências artísticas, permitindo uma experiência bastante enriquecedora.

A Aldeia Multiétnica é muito mais do que um evento cultural; é uma oportunidade de conhecer as tradições e conhecimentos dos povos indígenas do Brasil. Participar dessa vivência pode ser uma experiência transformadora, oferecendo uma nova perspectiva sobre a vida e a cultura. Com uma programação rica e variada, além da presença especial de Zeca Baleiro, a 16ª edição da Aldeia Multiétnica promete ser inesquecível. Não perca a chance de fazer parte desta celebração da diversidade e da riqueza cultural do nosso país.

**** Fonte: Mais Goiás ****

Veja também:

Descubra 3 passeios incríveis bate-e-volta pertinho de Goiânia para fazer nas férias

Governo de Goiás oferece ingressos para o festival Deu Praia em troca de doações

6 destinos turísticos intocáveis que você precisa conhecer em Goiás

Duas belíssimas cachoeiras da Chapada dos Veadeiros que nenhum turista abre mão de visitar

A Chapada dos Veadeiros, localizada em Goiás, é um dos destinos mais incríveis do Brasil para quem ama a natureza. Entre tantas belezas naturais, duas cachoeiras se destacam e são consideradas as mais bonitas pelos turistas: a Cachoeira Almécegas I e a Cachoeira Almécegas II. Se você está planejando uma visita à região, não pode deixar de conhecer essas maravilhas. Continue lendo para descobrir mais sobre esses lugares incríveis e se encantar ainda mais.

As belíssimas Cachoeiras Almécegas

As cachoeiras Almécegas I e Almécegas II estão situadas na Fazenda São Bento, a apenas nove quilômetros da cidade de Alto Paraíso de Goiás. Apesar de estarem próximas uma da outra e compartilharem o mesmo nome, elas são bem diferentes em termos de tamanho, formato e experiência que proporcionam. Ambas são perfeitas para um dia de aventura e relaxamento em meio à natureza.

Cachoeira Almécegas I

A Cachoeira Almécegas I é uma das mais impressionantes da Chapada dos Veadeiros. Com uma queda d’água de 45 metros de altura, ela forma um lindo véu de noiva, o que a torna um cenário perfeito para fotos incríveis. Ao lado da cachoeira, há um paredão de cerca de 15 metros, ideal para quem gosta de praticar rapel. A água é cristalina e tem um tom esverdeado, convidando o turista para um mergulho refrescante. O acesso à cachoeira é feito por uma trilha suave, o que torna a visita ainda mais agradável.

Como chegar à Almécegas I

Para chegar à Cachoeira Almécegas I, é preciso seguir uma trilha tranquila que começa na Fazenda São Bento. A trilha é bem sinalizada e acessível, permitindo que visitantes de todas as idades aproveitem o passeio. Durante a caminhada, é possível apreciar a vegetação local e, com um pouco de sorte, avistar alguns animais silvestres.

cachoeira Almecegas I

Foto: Reprodução/ desviantes

Aventura e rapel na Cachoeira Almécegas I

Se você é fã de aventuras, a Cachoeira Almécegas I oferece uma oportunidade única para praticar rapel. O paredão ao lado da cachoeira é perfeito para a atividade, proporcionando uma vista deslumbrante durante a descida. Mesmo que você nunca tenha praticado rapel antes, existem guias e instrutores na região que podem ajudar a tornar essa experiência segura e inesquecível.

Cachoeira Almécegas II

A Cachoeira Almécegas II é menor que a Almécegas I, mas não menos encantadora. Com uma queda d’água de oito metros de altura, ela é perfeita para um banho relaxante. A água cai suavemente, formando uma piscina natural ideal para nadar e se refrescar. A trilha até a Almécegas II é ainda mais fácil, com apenas 300 metros de caminhada a partir do estacionamento, tornando-a acessível para todos.

Como chegar à Almécegas II

Chegar à Cachoeira Almécegas II é muito simples. A partir do estacionamento da Fazenda São Bento, basta uma caminhada curta de 300 metros por uma trilha bem tranquila. É um passeio rápido e agradável, ideal para quem quer curtir a belíssima natureza sem muito esforço.
Relaxamento e banho na Cachoeira Almécegas II

A Cachoeira Almécegas II é o lugar perfeito para quem busca tranquilidade. Suas águas calmas e rasas são seguras para crianças e pessoas que não sabem nadar bem. O ambiente ao redor é sereno, com muitas áreas sombreadas onde você pode sentar, relaxar e ouvir o som da água caindo. É um ótimo lugar para passar um tempo em paz, longe do agito da cidade.

Cachoeira Almecegas II

Foto: Reprodução/ desviantes

Dicas para visitar as Cachoeiras Almécegas

Antes de visitar as cachoeiras, é importante estar preparado. Use roupas leves e confortáveis, leve um chapéu ou boné para se proteger do sol e não se esqueça de usar protetor solar. Leve também água e lanches, pois não há muitas opções de comércio na região. Respeite a natureza, não deixe lixo no local e siga as orientações dos guias locais para garantir a preservação deste paraíso natural.

Finalizando sua aventura

Visitar as Cachoeiras Almécegas I e II é uma experiência inesquecível. Ambas oferecem paisagens deslumbrantes, águas cristalinas e uma conexão profunda com a natureza. Seja para um dia de aventura ou para um momento de relaxamento, essas cachoeiras são destinos imperdíveis na Chapada dos Veadeiros. Prepare-se para se maravilhar com a beleza e a serenidade desses lugares incríveis.

Agora que você conhece mais sobre a Cachoeira Almécegas I e II, que tal planejar sua próxima viagem para a Chapada dos Veadeiros? Essas cachoeiras são apenas uma amostra das belezas naturais que a região oferece. Não perca a oportunidade de vivenciar momentos únicos em um dos lugares mais bonitos do Brasil. Boa viagem e aproveite cada instante nesse paraíso aqui na Terra.

**** Fonte: Desviantes ****

Veja também:

Duas novas cachoeiras são descobertas na Chapada dos Veadeiros em Goiás

10 melhores cachoeiras em Goiás para se refrescar no calor

Essa belíssima cachoeira virou Patrimônio Natural de Pirenópolis e atrai turistas do Brasil inteiro

Duas novas cachoeiras são descobertas na Chapada dos Veadeiros em Goiás

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, localizado em Goiás, passou por uma significativa ampliação de território. O aumento de 977 hectares resulta da anexação da Fazenda Mundo Novo, onde estão situadas as cachoeiras Santana e Borda Infinita. Esse processo faz parte de uma regularização fundiária que visa preservar o cerrado brasileiro e fomentar o turismo na região.

A nova área integra duas cachoeiras, que ainda não estão abertas ao público, mas que prometem atrair mais turistas para a cidade de Cavalcante. Com essa expansão, espera-se um impacto positivo na economia local, principalmente no setor de hospedagem, alimentação, comércio e serviços.

Na última sexta-feira, o presidente do Instituto Chico Mendes, Mauro Pires, oficializou a integração da fazenda ao parque em uma cerimônia em Cavalcante. Ele destacou a importância do trabalho conjunto entre governo, sociedade e entidades ambientais para a conservação da natureza. “A Fazenda Mundo Novo é um exemplo de como podemos renovar nosso mundo com cooperação e participação de todos”, afirmou Pires.

A coordenadora de Regularização Fundiária do Instituto Chico Mendes, Eliani Maciel, enfatizou que o processo de aquisição da Fazenda Mundo Novo, realizado de maneira amigável e pelo valor justo de mercado, serve de modelo para outras iniciativas similares.

Criado em 1961 pelo presidente Juscelino Kubitschek, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é um Patrimônio Mundial Natural reconhecido pela UNESCO desde 2001. A expansão recente reforça seu papel na preservação do cerrado e no desenvolvimento sustentável da região.

 

 

 

*Com informações portais Veja e Jornal Opção

Você também pode gostar:

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros em Goiás inicia Temporada de Travessias

Chapada dos Veadeiros: saiba o que fazer no santuário ecológico do Cerrado em dias chuvosos

 

Descubra a cachoeira deslumbrante que todos estão amando em Goiás

Você já ouviu falar da Cachoeira da Capivara? Se você gosta de natureza e está procurando um lugar lindo para visitar, você vai adorar este lugar. A Cachoeira da Capivara é uma das mais bonitas de Goiás e está atraindo turistas de todo o Brasil. Este artigo vai te contar tudo sobre essa maravilha natural, desde como chegar lá até o que você pode esperar encontrar. Continue lendo para descobrir por que a Cachoeira da Capivara é o destino perfeito para sua próxima viagem.

Onde fica a Cachoeira da Capivara?

A Cachoeira da Capivara fica na Chapada dos Veadeiros, uma região famosa por suas belezas naturais em Goiás. A Chapada dos Veadeiros é um parque nacional que tem muitas cachoeiras, trilhas e paisagens incríveis. A Cachoeira da Capivara é uma das muitas cachoeiras que você pode encontrar lá, e é conhecida por sua água cristalina e suas formações rochosas impressionantes que encantam os turistas.

Localizada mais especificamente em Cavalcante, nos arredores da comunidade Kalunga Engenho II, a Cachoeira da Capivara fica perto das deslumbrantes Cachoeira Santa Bárbara e Cachoeira Candaru, formando um dos conjuntos naturais mais impressionantes da região.

Um passeio tranquilo e memorável

A trilha até a Cachoeira da Capivara é ideal para quem busca uma caminhada leve. A partir do estacionamento, são apenas 800 metros até a cachoeira. A trilha começa pelo topo da Capivara, revelando uma piscina natural com vista panorâmica. Para alcançar o poço principal, há uma descida um pouco íngreme, mas segura, com corrimões para auxiliar os visitantes.

Com 40 metros de altura, a Cachoeira da Capivara oferece uma cascata majestosa, complementada por pequenas quedas que fluem pelas pedras. O poço tem áreas rasas e profundas, perfeito para nadar, mas é importante nadar com cautela. Nos arredores de pedra, encontrar um lugar confortável para relaxar ao sol após o banho é uma ótima opção.

Ao contrário da Cachoeira Santa Bárbara, onde o tempo de visita é limitado, na Capivara você pode aproveitar até o fim da tarde. Para aqueles que planejam visitar as três cachoeiras no mesmo dia, começar cedo é essencial para desfrutar da Capivara enquanto ainda está iluminada pelo sol da tarde.

Cachoeira da Capivara

Foto: Reprodução/ guia.melhoresdestinos

Como chegar

O acesso à Cachoeira da Capivara é feito pelo povoado Kalunga Engenho II, a 27 km do centro de Cavalcante. A estrada, embora seja de terra, leva os turistas por uma bela paisagem até o Centro de Atendimento ao Turista. A partir daí, um guia local acompanha os visitantes por mais 1 km até o início da trilha.

A entrada para a Cachoeira da Capivara custa R$ 10 por pessoa, podendo ser combinada com as visitas às outras cachoeiras da região. A contratação de guia é obrigatória e pode ser feita na sede do povoado Kalunga Engenho II, com custos que variam conforme o roteiro escolhido.

Vale muito a pena explorar a tranquilidade e a beleza natural da Cachoeira da Capivara, um destino imperdível na Chapada dos Veadeiros que promete encantar os amantes da natureza e turistas em busca de experiências únicas.

Dicas para aproveitar melhor a sua visita

Para garantir que você tenha a melhor experiência possível na Cachoeira da Capivara, aqui estão algumas dicas simples:

Leve protetor solar: A trilha e a cachoeira ficam ao ar livre, e o sol pode ser forte. É importante se proteger para não se queimar.

Use roupas confortáveis: Roupas leves e confortáveis vão te ajudar a aproveitar a caminhada sem desconforto.

Leve um lanche: Como a trilha pode levar algumas horas, é uma boa ideia levar algo para comer e manter a energia.

Respeite a natureza: Leve seu lixo de volta com você e não deixe nada para trás. Ajude a manter o local limpo e bonito.

Cuide da segurança: Fique atento ao caminho e siga as orientações do guia, se estiver com um. Segurança é sempre importante.

A Cachoeira da Capivara é um dos lugares mais bonitos e especiais de Goiás. Com sua água cristalina, paisagens deslumbrantes e trilha aventureira, é o destino perfeito para quem ama a natureza e quer uma experiência inesquecível. Se você está procurando um lugar para relaxar, se refrescar e se conectar com a natureza, não pode deixar de visitar essa cachoeira incrível na Chapada dos Veadeiros. Então, prepare suas coisas, chame seus amigos ou família e vá explorar a Cachoeira da Capivara.

Veja também:

Descubra o poder do turismo consciente em Goiás e transforme sua viagem em uma experiência única

Conheça 9 trilhas incríveis para explorar em Goiás

Descubra o misterioso segredo de uma famosa da cachoeira na Chapada dos Veadeiros

Descubra o misterioso segredo de uma famosa cachoeira na Chapada dos Veadeiros

A Cachoeira do Segredo é um lugar paradisíaco escondido na Chapada dos Veadeiros, em Goiás. Localizada na Fazenda Segredo, esta maravilha natural oferece uma experiência única para os amantes da natureza e da aventura. Se você gosta de descobrir lugares novos e se encanta com belezas naturais, vai adorar conhecer esse destino. Vamos revelar os mistérios, a trilha e todas as maravilhas que a Cachoeira do Segredo tem a oferecer. Prepare-se para uma viagem inesquecível.

A trilha para a cachoeira

Para chegar à Cachoeira do Segredo, é necessário percorrer uma trilha que parte da cidade de Alto Paraíso, passando pela Vila de São Jorge. A distância total é de cerca de 54 km, sendo 40 km até São Jorge e mais 14 km até a cachoeira. É recomendável iniciar a caminhada bem cedo para evitar aglomerações e aproveitar melhor a natureza.

trilha Cachoeira do Segredo

Foto: Reprodução/ vamostrilhar

A trilha é considerada de dificuldade média, pois não possui subidas íngremes, mas tem vários pontos escorregadios devido aos córregos e rios que atravessam o caminho. Durante a caminhada, é possível mergulhar no Rio Segredo, conhecido como o “Caribe do Cerrado” por suas águas cristalinas. O percurso é repleto de belezas naturais, incluindo macacos e outras espécies típicas da região, tornando a trilha uma experiência encantadora.

Os mistérios da Cachoeira do Segredo

A Cachoeira do Segredo tem um nome que desperta a curiosidade de todos. A história por trás desse nome é repleta de mistérios e lendas. Nos anos 1950, a região era famosa entre os garimpeiros de cristais. Esses exploradores mantinham em segredo os locais onde encontravam pedras preciosas. A cachoeira, que ficava em uma área rica em cristais, também ficou conhecida por esse nome misterioso. Embora a atividade de garimpo tenha cessado, o nome e os mistérios permanecem, atraindo visitantes em busca de aventuras e histórias fascinantes.

Cachoeira do Segredo Turismo Goiás

Foto: Reprodução/ vamostrilhar

Para os mais aventureiros, há um outro segredo especial a ser descoberto: ao lado da queda principal, existe uma outra queda com água em temperatura mais quente. Muitos acreditam que seja uma fonte de água termal, rica em sais minerais, ótima para a pele. Mesmo que seja apenas uma lenda, vale a pena explorar e se divertir.

O que o turista vai encontrar na cachoeira

Ao chegar à Cachoeira do Segredo, você será recebido por uma queda d’água impressionante de 115 metros de altura. A água forma uma piscina natural com tons de azul e verde, ideal para um mergulho refrescante nos dias mais quentes. Embora os cristais não estejam mais lá, a beleza natural compensa qualquer perda. As árvores que crescem entre as pedras e o visual deslumbrante do cânion criam um cenário perfeito para fotos e momentos de relaxamento.

Dicas para aproveitar ao máximo

Planejamento: Verifique o valor da entrada, que pode variar conforme a temporada, e lembre-se de levar dinheiro em espécie, pois cartões não são aceitos.

Equipamentos: Use roupas e calçados confortáveis e adequados para trilhas. Leve também protetor solar, repelente e água suficiente para se manter hidratado.

Segurança: Embora a piscina natural seja convidativa, é importante ter experiência em nado, pois a profundidade pode ser perigosa para iniciantes.

Horários: Saia cedo para evitar a multidão e aproveite melhor a tranquilidade do lugar.

Respeito à natureza: Mantenha o local limpo e respeite a fauna e flora locais. Leve sacolas para recolher seu lixo e não interfira nos habitats naturais.

A Cachoeira do Segredo é um destino imperdível para quem visita a Chapada dos Veadeiros. Com sua trilha desafiadora, mistérios intrigantes e belezas naturais de tirar o fôlego, é um lugar que proporciona uma conexão única com a natureza. Planeje sua visita, siga nossas dicas e prepare-se para uma aventura inesquecível. Venha descobrir os segredos dessa cachoeira maravilhosa e se encantar com tudo o que ela tem a oferecer.

Veja também:

Cidade goiana que abriga o maior complexo de cavernas da América Latina está atraindo turistas do mundo inteiro

Todo goiano precisa conhecer a ‘cidade mais alemã do Brasil’

Conheça 5 cidades de Goiás que os turistas adoram visitar

9 trilhas incríveis para explorar em Goiás

Goiás é um Estado brasileiro cheio de belezas naturais, onde a aventura e a tranquilidade se encontram em trilhas espetaculares. Se você está começando a explorar o mundo das trilhas e não conhece muito sobre o assunto, este guia é perfeito para você. Vamos revelar as 9 trilhas incríveis em Goiás, destacando as particularidades de cada uma. Prepare-se para se encantar com paisagens incríveis e descobrir lugares que você nem imaginava existir. Cada trilha é uma nova aventura esperando por você. Bora lá conferir?

1. Vale da Lua

O Vale da Lua é uma trilha curta, com apenas 1,3 km, mas repleta de paisagens deslumbrantes. No começo da trilha, há estacionamento e banheiros para sua conveniência. O percurso não é longo, mas oferece um visual incrível, com formações rochosas que lembram a superfície lunar, criando piscinas naturais ao longo do caminho. É um lugar que está sempre mudando, por isso é importante ouvir e respeitar as instruções dos guias locais, nadando apenas onde é permitido. A experiência é inesquecível e perfeita para quem busca uma caminhada fácil e visualmente recompensadora.

Vale da Lua trilhas

Foto: Reprodução/ travessia.tur

2. Cachoeira Abismo e o Mirante da Janela

Dentro do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, a trilha da Cachoeira Abismo e Mirante da Janela tem 6,4 km e dura cerca de 2 horas e 10 minutos. Começa no Mirante da Estrela e passa por várias paisagens, incluindo o cerrado, pequenas escaladas e riachos. A vista do Mirante da Janela é uma das mais bonitas do Brasil, um verdadeiro cartão postal. Há uma taxa de entrada que varia se você está com um guia ou não, mas a vista e a experiência valem cada centavo.

Cachoeira Abismo e Mirante da Janela

Foto: Reprodução/ melevaviajar

3. Trilha dos Saltos e Corredeiras

Outra trilha espetacular na Chapada dos Veadeiros é a Trilha dos Saltos e Corredeiras, com 9,8 km de extensão e uma duração estimada de 3 horas. Esta trilha é famosa por seus desfiladeiros deslumbrantes, formações de quartzo e uma rica biodiversidade. Começando no centro de visitantes, a trilha é bem sinalizada e perfeita para quem gosta de hiking. Ao longo do caminho, você encontrará cachoeiras incríveis e muitas oportunidades para admirar a beleza natural do parque.

Trilha dos Saltos e Corredeiras

Foto: Reprodução/ seumochilao

4. Cachoeira do Segredo

A Cachoeira do Segredo, localizada na Chapada dos Veadeiros, oferece uma trilha de 8,5 km que pode ser completada em aproximadamente 2 horas e 30 minutos. Com uma queda d’água de 100 metros em meio a um belo cânion, a trilha é bem sinalizada e passa por vários rios, onde é possível parar para um mergulho nas piscinas naturais de águas cristalinas. Durante o inverno, a trilha recebe menos sol e a água fica bem fria, mas a beleza do lugar compensa qualquer desconforto.

Cachoeira do Segredo Goiás

Foto: Reprodução/ vamostrilhar

5. Cachoeira do Sertão Zen

A Cachoeira do Sertão Zen é uma das trilhas mais longas, com 21,2 km, levando cerca de 6 horas e 17 minutos para ser completada. Localizada em Alto Paraíso de Goiás, a caminhada é longa e um pouco cansativa, mas as paisagens mudam rapidamente e são espetaculares. Durante a trilha, você passará por várias nascentes, riachos, cachoeiras e jardins naturais, além de uma fauna e flora ricas. Vale muito a pena para quem tem disposição e quer se conectar profundamente com a natureza.

 

Cachoeira do Sertão Zen

Foto: Reprodução/ tripadvisor

6. Mirante da Janela

Esta trilha de 11,9 km, situada no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, é perfeita para quem gosta de hiking de nível moderado. Ela oferece uma vista incrível do pôr do sol e das estrelas. A trilha é cheia de subidas e descidas, passando por áreas rochosas e vegetação rasteira. Um caminho de madeira foi construído para facilitar a passagem em algumas partes, tornando a trilha acessível e segura.

Mirante da Janela

Foto: Reprodução/ vidasemparedes

7. Cachoeira Córrego Almécegas I

A trilha para a Cachoeira Córrego Almécegas I é curta, com 2,3 km, e pode ser completada em cerca de 41 minutos. Apesar de ser uma caminhada rápida, oferece uma linda paisagem do cerrado e um mirante com uma vista completa da cachoeira, que desce com força por um paredão de pedra entre as árvores. É uma trilha perfeita para quem quer um passeio rápido, mas repleto de beleza natural.

Cachoeira Córrego Almécegas I

Foto: Reprodução/ viagenscinematograficas

8. Cascatas dos Couros

As Cascatas dos Couros são formadas por quatro quedas d’água espetaculares: Muralha, São Vicente, Cachoeira do Parafuso e Bujão. A trilha tem 3,1 km e pode ser percorrida em aproximadamente 57 minutos. A Cachoeira São Vicente, com mais de 100 metros de altura, é a maior delas. Durante a época de chuvas, de outubro a abril, o local fica mais verde e o volume das águas aumenta significativamente. É um espetáculo da natureza que exige cautela do turista, mas é incrível de se ver.

trilhas goiás

Foto: Reprodução/ catracalivre

9. Cariocas e Cânion II

No Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, a trilha para as Cariocas e o Cânion II tem 10,3 km e pode ser completada em cerca de 2 horas e 30 minutos. Começa no Centro de Atendimento aos Turistas e é autoguiada, basta seguir as setas vermelhas. A vegetação rasteira é predominante e a trilha oferece vistas maravilhosas das formações rochosas e das piscinas naturais formadas pelo Rio Preto. Dependendo das chuvas, a trilha pode ser fechada temporariamente, então é bom verificar antes de ir.

Trilha dos Cânions e Carioca Goiás

Foto: Reprodução/ maladeaventuras

Com estas trilhas incríveis, Goiás se torna um verdadeiro paraíso para os amantes da natureza e aventureiros de primeira viagem. Cada trilha oferece algo único, desde paisagens lunares até cachoeiras majestosas, proporcionando uma experiência inesquecível para todos os gostos. Então, prepare sua mochila, coloque um tênis confortável e escolha uma ou duas para explorar.

Veja também:

O mais novo destino turístico de Goiás é banhado pelo Lago Serra da Mesa

Conheça 5 cidades de Goiás que os turistas adoram visitar

Descobrimos uma acolhedora cidade do interior de Goiás que tem uma gastronomia única

Nova rota de ônibus liga Goiânia à Chapada dos Veadeiros

Com trajeto de 528 quilômetros, a linha de transporte de passageiros que conecta Goiânia a Cavalcante entrou em operação nesta sexta-feira (21/06). Além da capital, a nova linha passa a atender outros municípios da região do Entorno do Distrito Federal e da Chapada dos Veadeiros.

Entre as cidades atendidas pela rota, além da capital e o destino final, estão Anápolis, Abadiânia, Alexânia, Planaltina de Goiás, São Gabriel de Goiás, São João d’Aliança, Alto Paraíso de Goiás e Teresina de Goiás. Inicialmente, a linha atenderá as demandas de moradores e turistas com uma viagem de ida às sextas feiras e uma de volta aos domingos. Para os que moram na região da Chapada e trabalham na capital, será uma boa oportunidade de viajarem de ônibus para um fim de semana em casa.

Os turistas, por sua vez, poderão explorar as belezas naturais de Cavalcante e região poderão seguir de ônibus às sextas-feiras. O retorno para a capital saindo de Cavalcante às 13 horas possibilita a chegada em Goiânia no início da noite.

“A abertura da nova linha faz parte da estratégia de atender uma região em franco desenvolvimento do turismo, que é a região de Cavalcante e da Chapada dos Veadeiros, como um todo”, explica o presidente da Agência Goiana de Regulação (AGR), Wagner Oliveira Gomes.

Esta é a primeira vez que o município de Cavalcante é atendido com linha direta para a capital. “Era um sonho antigo da nossa população. O município tem quase 200 anos de história e o desenvolvimento torna-se cada vez mais necessário”, avalia o prefeito Vilmar Kalunga.

As passagens são vendidas no guichê da rodoviária e, em condições especiais, no site da empresa Guanabara, responsável pelo trajeto: www.viajeguanabara.com.br. O valor da passagem, nos dois sentidos, é de R$ 134,99.

Novo Mapa do Turismo de Goiás passa a ter 86 cidades; saiba quais

O novo Mapa do Turismo, de 2024, passa a contar com 86 municípios, distribuídos em 12 regiões turísticas em Goiás. São elas: Ouro, Chapada dos Veadeiros, Chapada das Emas, Estrada de Ferro, Águas Quentes, Encantos do Planalto Central, Negócios e Tradições, Lagos do Paranaíba, Pegadas no Cerrado, Terra Ronca, Serra da Mesa e Vale do Araguaia. As informações são do Governo de Goiás, por meio da Goiás Turismo.

Treze municípios saíram do Mapa porque não cumpriram os requisitos exigidos pelo Ministério do Turismo. São eles: Bonfinópolis, Santa Cruz de Goiás, Goiandira, Novo Gama, Aurilândia, Damianópolis, Divinópolis, Nova Roma, Buriti de Goiás, Jaraguá, Mossâmedes, Mundo Novo e Teresina de Goiás.

Já outras quatro cidades se empenharam e conseguiram entrar para a nova configuração do Mapa do Turismo: Anhanguera, menor município de Goiás, com cerca de mil habitantes, e reconhecido pela Festa do Limão-taiti; Catalão, com o turismo de negócios consolidado e as tradicionais Congadas; Cidade Ocidental, reconhecida pela gastronomia com base no doce de marmelo, patrimônio cultural e imaterial de Goiás; e Campinorte, banhado pelo Lago Serra da Mesa.

Conforme os critérios obrigatórios do Ministério do Turismo, para entrar ou permanecer no Mapa, a gestão municipal deve enviar documentação comprovando a existência do órgão ou entidade responsável pela atividade; destinar dotação para o turismo na lei orçamentária anual; possuir Conselho Municipal de Turismo ativo e comprovar a participação em uma Instância de Governança Regional.

Os dados enviados pelos municípios foram validados pela Goiás Turismo e homologados pelo Mtur. Os gestores municipais podem consultar e obter o certificado de adesão no site: mapa.turismo.gov.br

Investimentos Públicos

O Mapa do Turismo Brasileiro é um instrumento no âmbito do Programa de Regionalização do Turismo que define a área a ser trabalhada, prioritariamente, pelo Ministério do Turismo no âmbito do desenvolvimento das políticas públicas. O mapeamento permite uma visão ampla do potencial turístico brasileiro, facilitando a gestão e a distribuição de recursos de forma mais eficaz.

Para o presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, o Mapa do Turismo é um importante instrumento que reúne os municípios com potencial turístico.

“Ele possibilita ao poder público a identificação das necessidades de investimentos e ações de promoção para cada região turística do estado”, completou.

Segundo o coordenador de estruturação de destinos e produtos turísticos da Goiás Turismo e interlocutor do Programa de Regionalização do Ministério do Turismo, Luciano Guimarães, disse que o recorte territorial estimula os municípios a se organizarem através de regiões com características similares, fortalecendo a política pública local.

“Todo município tem que fazer a lição de casa. São critérios obrigatórios a se cumprir. Alguns estão comemorando, seja por entrar pela primeira vez, para o Mapa ou por voltar a fazer parte dele”, informou.

 

 

Veja também:

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros em Goiás inicia Temporada de Travessias

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, já inaugurou oficialmente a temporada de travessias. Este período, que geralmente se estende até outubro, atrai aventureiros de todo o mundo em busca de uma conexão profunda com a natureza, oferecendo a oportunidade única de acampar dentro do parque.

O parque conta com duas principais travessias: Sete Quedas, com 23,5 km de extensão, e São Jorge Capela, totalizando 23 km. Os visitantes têm a opção de permanecer até quatro noites no parque, sendo dois pernoites permitidos em cada uma das áreas de camping disponíveis.

A travessia refere-se à caminhada de um ponto a outro sem retorno pelo mesmo caminho, atravessando diferentes paisagens e atrações naturais. Durante a estação seca, o céu claro facilita a observação da fauna e flora locais, e os níveis mais baixos de água em cachoeiras e rios criam piscinas naturais ideais para banho.

O horário de abertura do parque é às 8h, mas durante a temporada de travessias, a entrada é antecipada para as 7h para aqueles que adquirirem ingressos previamente. É recomendado que os visitantes iniciem a travessia até às 10h para melhor aproveitamento do dia.

Planeje sua Visita

No Centro de Visitantes do Parque, uma introdução sobre a travessia e a biodiversidade local é oferecida. A compra dos pernoites deve ser feita com antecedência exclusivamente pelo site oficial do parque. Os visitantes devem trazer suas próprias barracas e suprimentos necessários.

As áreas de camping são:

Camping Sete Quedas: com capacidade para 40 pessoas por noite, oferece dois banheiros secos, um galpão rústico, mesas, bancos e pontos de rede.

Foto: Geraldo Gurgel/ MTur

Camping Boa Sorte: com capacidade para 30 pessoas por noite, está localizado a 8 km do início das travessias São Jorge – Capela e Sete Quedas, contando com banheiro seco e espaços demarcados para barracas.

Itens essenciais para a travessia incluem mochila de ataque, roupas leves e confortáveis, calçados apropriados para caminhada, chapéu ou boné, protetor solar, repelente e garrafa de água. É importante que os participantes estejam em boa condição física para enfrentar os desafios dos trajetos.

 

 

Veja também:

Observação de aves: conheça a modalidade de turismo que cresce em Goiás

Por ser um dos países com maior biodiversidade do mundo, o Brasil tem avançado em um novo segmento do ecoturismo: a observação de aves. Segundo divulgado pelo Ministério do Turismo, a modalidade tem se desenvolvido rapidamente no mercado turístico nacional e pode crescer ainda mais. A estimativa é que, atualmente, o número de observadores de aves no País pode variar entre 40 mil e 300 mil.

A atividade, também chamada de “passarinhar” ou “birdwatching”, em inglês, também tem chamado a atenção do turismo em Goiás, principalmente nas regiões do Parque Estadual de Terra Ronca, da Chapada dos Veadeiros, da Chapada das Emas, Vale do Araguaia e Entorno do Distrito Federal.

De acordo com o presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, a observação de aves é uma atividade de lazer que contribui para a conservação dos ambientes naturais e para a educação ambiental e científica. “Muitos turistas procuram destinos onde possam fazer o bircwatching por diversos motivos, seja para estar em contato com a natureza, descobrir algo raro ou belezas que não se encontram em nenhum outro lugar do planeta”, explica.

Estudiosos e amantes da prática afirmam que o interesse dos visitantes em estar perto da natureza para flagrar e acompanhar espécies diferentes se tornou hobby com capacidade de gerar empregos, fomentar a economia do turismo sustentável e conservar a fauna e flora locais.

No Brasil, os observadores têm acesso ao site WikiAves, que é um espaço virtual repleto de registros de imagens e sons das aves, assim como informações sobre elas, entre outras atividades ligadas à prática. Desse modo, os observadores também atuam como colaboradores para o banco de dados das espécies raras e endêmicas.

Receba no seu WhatsApp as melhores dicas da cidade e as notícias mais interessantes em primeira mão!

Festival Rock n’ Blues agita a Chapada dos Veadeiros com mais de 30 atrações musicais

O Blues surgiu no sul dos EUA no início do século XX, influenciando diversos gêneros musicais. No Brasil, sua história está ligada ao rock, aparecendo nos anos 1960 com versões em português de sucessos internacionais.

Para os apaixonados pelo estilo, entre os dias 17 e 19 de maio, a Chapada dos Veadeiros, em Goiás será palco de um dos eventos mais aguardados do ano: o Rock’n Blues 2024. Realizado em diversos estabelecimentos de Alto Paraíso e Vila de São Jorge, o festival une os encantos naturais da região com apresentações musicais de tirar o fôlego.

Com uma programação diversificada, o público tem a oportunidade de curtir mais de 30 atrações, entre bandas e artistas locais e nacionais.

Entre os confirmados no line-up estão nomes como Kiko Peres, Meolly, O Bando, Banda Vital, Thiago Coimbra, Derez e Cachorro do Mangue, Bruno Berê, Andrei Baltz, Luana Branco, Thaise Mandalla, entre outros, garantindo uma experiência sonora única.

Confira a programação completa:

Sexta-feira (17.05):

13h às 22h – (com intervalos) Rafael Mendes (Canela de Ema)

14h – Rafael Villas Boas (Rústico Premium Grill)

16h – Marcius Cabral e Banda (Mirante)

16h30 – Banda Vital (Pura)

18h – DJ Gabishak (Rústico Premium Grill)

18h – Andrei Baltz (Panepalan)

20h – Thiago Coimbra (Maracangalha)

20h – Vive e Anco (Farofa)

20h – Banda Vital e Kiko Peres (Rústico Premium Grill)

20h – Derez e Cachorro do Mangue (Santo Cerrado)

22h – DJ Luana Branco (Clandestino)

Sábado (18.05):

13h às 22h (com intervalos) – Rafael Mendes (Canela de Ema)

13h – Vive e Anco (Coffee Shop São Bento)

14h – DJ Thiago Roots (Na Mata)

14h – Thaise Mandalla (Rústico Premium Grill)

16h30- Bruno Berê, Andrei Baltz e Rafael Mosquito (Pura)

16h30 – O Bando participação Meolly (Mirante do Pôr do Sol)

18h30 – Thaise Mandalla (Panepalan)

20h – Kiko Peres e Celebration Band em um tributo a Led Zeppellin (Rústico Premium Grill)

20h – Vive e Anco (Maracangalha)

20h – Thiago Coimbra (Santo Cerrado)

20h – Erick Von Behr (Luar da Vila)

20h – Marcius Cabral e Banda (Na Villa)

20h30 – Bruno Berê, Andrei Baltz e Rafael Mosquito (Na Villa)

22h – Gabishak (Clandestino)

22h30 – Show na praça Jam Session com O Bando com convidados: Kiko Peres, Meolly e artistas do blues.

Domingo (19/05):

09h – Thaise Mandalla (Casa de Delícias)

15h – Bruno Berê, Andrei Baltz e convidados (Rústico Premium Grill)

Os shows acontecem em diversos pontos emblemáticos da região, incluindo o Rústico Premium Grill, Risoteria Santo Cerrado, Bar do Mirante, Luar da Vila, Canela de Ema, Farofa, Na Mata, Casa de Delícias, Na Villa, Clandestino, Casa Amarela, Pura Chapada, Maracangalha, Coffee Shop São Bento e Panepalan.

O couvert artístico/entrada terá um valor acessível a partir de R$ 20,00 nos estabelecimentos participantes. O valor está sujeito a alteração sem aviso prévio.