Artigo: ” A epidemia de infertilidade” por Dr. Corival Castro

“A grande maioria das pessoas hoje conhece alguém que tem ou já teve dificuldade para engravidar ou até quem já fez um tratamento de reprodução. Cerca de 15% dos casais tem dificuldade para engravidar e muitos não tem noção que infertilidade é não se conseguir uma gravidez após um ano de tentativas.

O grande vilão dessa história é o tempo! É o tempo enorme que um casal leva tentando engravidar sem procurar ajuda médica, simplesmente deixando para amanhã, para o mês que vem, para quando Deus quiser.

É o tempo enorme que as mulheres ou os casais levam para iniciar as tentativas de engravidar. As moças hoje não mais pensam em casar e ter filhos, esse projeto fica pra depois dos estudos, depois do trabalho, depois dos primeiros anos de vida conjugal, depois de simplesmente aproveitar bastante a vida.

Infelizmente, porém, os óvulos não podem esperar tanto. Eles envelhecem rápido, tanto que, depois dos 34-35 anos, a sua capacidade de gerar um bebê cai vertiginosamente.

Neste mês de junho, Mês Mundial da Conscientização da Infertilidade, é importante que a população seja alertada, informada e conscientizada para a necessidade de preservar sua fertilidade e de pensar o quanto antes quais são seus planos em relação a ter o primeiro filho.

Minha única e mais importante orientação é: procure um especialista em reprodução humana para ter todas as orientações para planejar e preservar seu futuro reprodutivo, esse é um assunto muito sério e importante para se deixar ser ‘desorientado’ por conversas leigas e informações de origem duvidosa. O preço a se pagar por isso é muito caro e muitas vezes irreversível.”

Dr. Corival Castro. CRM-GO 4786. Especialista em Medicina Reprodutiva.

Ação em parques de Goiânia promove conscientização sobre os perigos do glaucoma neste sábado

A Sociedade Goiana de Oftalmologia (SGO) estará presente nos parques Vaca Brava e Flamboyant neste sábado, 25 de maio, para orientar a população sobre a prevenção ao glaucoma, a maior causa de cegueira irreversível no mundo. Esta iniciativa faz parte de uma ação nacional de conscientização.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 1 a 2% da população mundial vive com glaucoma, e estima-se que até 2040, cerca de 111,8 milhões de pessoas poderão desenvolver a doença. O glaucoma se desenvolve de forma silenciosa, e quando os sintomas visuais começam a aparecer, a doença já está avançada e a perda visual é irreversível. Para conscientizar a população sobre a importância da prevenção, a SGO promove a campanha 24h pelo Glaucoma neste sábado.

“O glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível no mundo, e ele progride de forma silenciosa. A única maneira de detectar a doença é através de exames, como a medição da pressão ocular e a fundoscopia, que avaliam o nervo óptico. Se houver alguma alteração, são solicitados exames complementares. Isso é fundamental para prevenir uma doença que não tem cura, apenas tratamento”, explica Henrique Rocha, presidente da SGO.

Durante todo o sábado, os diretores da SGO e acadêmicos de medicina estarão no Parque Vaca Brava pela manhã e no Parque Flamboyant à tarde, conscientizando a população sobre a doença e esclarecendo dúvidas. Esta ação faz parte de uma campanha nacional realizada anualmente desde 2021 pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) e pela Sociedade Brasileira de Glaucoma (SBG), em comemoração ao Dia Nacional do Combate ao Glaucoma, celebrado no domingo, 26 de maio.

Durante a campanha 24h pelo Glaucoma, o público terá a oportunidade de aprender sobre as causas e fatores de risco da doença, os diferentes tipos de glaucoma, sintomas, faixas etárias mais vulneráveis, exames para diagnóstico precoce, tipos de tratamento e as melhores formas de controlar a doença.

Sobre a Doença

O glaucoma é uma doença crônica que causa atrofia do nervo óptico, a estrutura que permite ao cérebro reconhecer as formas e cores captadas pelos olhos. É uma doença progressiva e assintomática nas fases iniciais. Sem diagnóstico e tratamento precoces, ela pode progredir por anos antes de apresentar sintomas. Quando a perda visual é notada, a doença já está em um estágio avançado e irreversível. Embora seja mais comum em pessoas com mais de 40 anos, jovens e até crianças também devem se prevenir, pois existem casos de glaucoma congênito.

 

Goiás pode ganhar Estatuto da Pessoa com Obesidade

O estado de Goiás está diante de uma importante iniciativa legislativa que poderá beneficiar significativamente a população com obesidade. O projeto, apresentado pelo deputado estadual Virmondes Cruvinel, surge em um contexto onde dados alarmantes revelam a gravidade do problema da obesidade não apenas em nível nacional, mas também regionalmente.

De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil enfrenta uma verdadeira epidemia de obesidade, com mais da metade da população brasileira (cerca de 55,7%) apresentando excesso de peso. Em Goiás, essa realidade não é diferente. Segundo o Atlas da Obesidade, elaborado pela Universidade Federal de Goiás (UFG), aproximadamente um em cada três adolescentes do estado está obeso.

A obesidade não é apenas uma questão estética, mas sim uma condição de saúde pública que está associada a uma série de problemas de saúde, incluindo diabetes, doenças cardiovasculares e certos tipos de câncer. Além disso, o excesso de peso também pode impactar negativamente na qualidade de vida e no bem-estar psicológico das pessoas afetadas.

Deputado Virmondes Cruvinel apresentou projeto do Estatuto da Obesidade

Nesse contexto, o projeto apresentado pelo deputado Virmondes Cruvinel surge como uma resposta necessária e abrangente para lidar com essa questão. O estatuto proposto visa garantir uma série de direitos fundamentais para as pessoas com obesidade, incluindo acesso gratuito a tratamentos médicos, como cirurgias bariátricas e acompanhamento nutricional, além de prioridade no atendimento tanto na rede pública quanto privada de saúde.

O deputado estadual Virmondes Cruvinel destacou, em suas redes sociais,  a importância do projeto que propõe a criação do Estatuto da Pessoa com Obesidade, ressaltando sua relevância ao abordar um desafio que afeta uma parcela significativa da população. Ao citar dados alarmantes, como o Atlas da Obesidade da UFG, que revela que um em cada três adolescentes em Goiás está obeso, o deputado enfatizou a necessidade de atenção para a questão.

Além das questões relacionadas à saúde, o projeto também busca promover o respeito e a inclusão das pessoas com obesidade. A proposta prevê a realização de campanhas de conscientização e combate à gordofobia, visando combater qualquer forma de discriminação ou bullying direcionados às pessoas acima do peso.

Leia também:

Maior varejista de Goiás completa 68 anos focada na inovação e no compromisso com o cliente

Descubra o tesouro mais bem guardado de Goiás

 

 

Espetáculo de dança contemporânea em Goiânia traz à tona as violências vividas por mulheres

A violência contra as mulheres é uma realidade que infelizmente ainda persiste na sociedade. Porém, cada vez mais mulheres têm se unido para falar sobre suas dores e experiências. 

E é assim que surge o primeiro trabalho da Q.I Cia de dança, o espetáculo de dança contemporânea “As Mulheres Tristes Que Ninguém Vê”. Com estreia marcada para a próxima sexta-feira (12/5), às 20h, o projeto promove a reflexão sobre a violência contra mulheres.

Concebido pelas bailarinas Bruna Nunis e Emily Naitê, o espetáculo foi criado a partir de vivências pessoais de dores e abusos, mas também da arte. Além de bailarinas, elas também escrevem crônicas e poemas, que inspiraram a construção do espetáculo. 

O poema que dá nome ao projeto, escrito por Emily Naitê, foi o ponto de partida para a criação da montagem. O objetivo do espetáculo é dar voz às dores e violências vividas por mulheres, muitas vezes silenciadas pela sociedade. 

A Q.I Cia de dança se une ao disque denúncia 180 e conta com o apoio da vereadora Ava Santiago, da Ouvidoria da Mulher e do bloco “Não é Não”, para conscientizar sobre a importância da denúncia e do combate à violência contra as mulheres. 

A estreia será no Teatro do Centro Cultural UFG e conta com uma sessão exclusiva para estudantes de Educação de Jovens e Adultos, às 18h30. O ingresso é a doação de alimentos, roupas ou itens de higiene pessoal, que serão direcionados para mulheres em situação de vulnerabilidade.

 

Da dor, a dança

A Q.I cia de dança foi fundada em 2020 nasceu da união dos trabalhos das bailarinas Bruna Nunis e de Emily Naitê e de suas vontades de falar sobre o feminino. O elenco deste espetáculo ainda conta com Ingrid Costa.

“As Mulheres Tristes Que Ninguém Vê” nasce de vivências pessoais, atravessadas por dores e abusos, e também da arte.

 

Serviço

Q.I Cia de Dança estreia “As mulheres tristes que ninguém vê”

Data: sexta-feira (12/5)

Horário: 20 horas

Local: Centro Cultural UFG

Ingresso: doação de alimentos, roupas ou itens de higiene pessoal, que serão direcionados para mulheres em situação de vulnerabilidade. 

Mais Informações: (61) 98281 0759

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Foto de Capa:  Lu Barcelos

Cidade de Goiás será palco para projeto de Arte no Cerrado

A cidade de Goiás recebe, entre os dias 18 e 20 de março, o projeto “Cerratense – Arte no Cerrado”, que será transmitido pelo Youtube. O projeto conta com a realização do Instituto Bertran Fleury, com recursos do Fundo de Arte e Cultura de Goiás.

Na abertura do projeto Cerratense, na sexta-feira, às 19h, será realizada uma mesa-redonda, uma exposição virtual guiada e um bate-papo sobre arte e o tema do evento. “Cerrado: Bioma e Arte” é o mote das narrações e conversas entre os participantes da mesa, que contará com a participação de todos os pensadores convidados para a série de eventos.

As tardes de sábado e domingo serão preenchidas com a oficina de escultura ministrada pelo artista convidado, Helder Antônio, que terão início, em ambos os dias, às 16h30. Dividida em duas partes, as aulas de artes plásticas serão destinadas ao público infanto-juvenil.

Além da exposição virtual das obras de Elder Rocha Lima, que remete à história das artes visuais goianas e à importância desse artista, um outro talento goiano, com mais de três décadas de trabalho visual, também terá sua obra à disposição do grande público. No sábado, às 18 horas, é a vez da “Exposição Natureza e seus Bichos”, que irá apresentar a obra do escultor Helder Antônio.

O domingo, último dia do projeto “Cerratense – Arte no Cerrado”, será dedicado ao teatro e à apresentação dos espaços de fruição disponíveis ao público no Instituto Bertran Fleury, na Cidade de Goiás. A tarde começa com o segundo dia da oficina de Helder Antônio. Na sequência, às 18 horas, acontece a transmissão do espetáculo Mundo Cerrado, que tem a direção do teatrólogo Danilo Alencar.

E, às 19h, para encerrar os trabalhos dedicados à arte, à educação e ao meio ambiente propostos por este projeto, acontece o lançamento de um vídeo documental do Instituto IBF. A apresentação dessa obra audiovisual fica à cargo de sua presidente, Maria das Graças Fleury Curado.

Goiás intensifica campanha de doação de sangue durante o Carnaval

O Governo de Goiás intensificou a coleta de sangue durante o feriado de carnaval. Ao todo, são dez locais para realizar a doação, sendo duas em Goiânia, o Hemocentro Estadual Coordenador Professor Nion Albernaz (Hemogo) e o Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol). As outras opções estão situadas nos municípios de Catalão, Ceres, Formosa, Iporá, Jataí, Porangatu, Quirinópolis e Rio Verde. 

“Muitas pessoas aproveitam o feriado prolongado para descansar e visitar familiares em outras cidades. Com esse aumento do fluxo de carros nas estradas, há também, infelizmente, maior número de acidentes”, observa Denyse Goulart, Diretora-geral do Hemogo. Além disso, os casos de covid-19 e dengue seguem altos no Estado, o que também reflete no aumento da demanda por sangue e outros hemocomponentes.

Funcionamento

Em Goiânia, o Hemocentro Coordenador funcionará nesta segunda-feira (28/02), das 8h às 18h. O local estará fechado apenas na terça-feira (1º/03), sendo retomado ao atendimento normal a partir de quarta-feira (02/03). Antes de sair de casa, é essencial que o voluntário faça o agendamento da doação de sangue pelo site ou pelo telefone 0800 642 0457. 

Ainda na capital, o banco de sangue do Hugol continuará com funcionamento normal na segunda (28/02), terça (1º/03) e quarta-feira (02/03), das 7h às 18h30. No sábado (26/02) atenderá das 7h às 12h. A unidade organiza o agendamento prévio, para evitar aglomerações e agilizar a doação, por meio dos telefones (62) 3270-6661 e (62) 3270-6662 ou pelo site hugol.org.br.

Já no interior, os pontos de coleta localizados nos municípios de Catalão, Ceres, Formosa, Iporá, Jataí, Porangatu, Quirinópolis e Rio Verde estarão fechados no sábado (26/02) e na terça-feira (1º/03), funcionando normalmente na segunda-feira (28/02), das 8h às 18h. A partir de quarta-feira (02/03), o atendimento segue normal em todas as unidades, das 8h às 18h.

O Governo de Goiás prioriza o serviço de agendamento realizado pelos bancos estaduais. Essa é uma medida para evitar aglomerações, como ação de segurança para o doador diante da pandemia de Covid-19, além de ser uma forma de garantir mais agilidade no atendimento nas unidades de Goiânia e também no interior.

Quem pode doar

É necessário estar saudável, ter peso acima de 50 kg, apresentar documento com foto válido em todo o território nacional e ter idade entre 16 e 69 anos – antes de completar 18 anos, é necessária uma autorização dos pais ou responsáveis.

Quem tomou a vacina da febre amarela deve aguardar 30 dias para fazer uma doação. Já para a vacina contra a gripe, o prazo é de 48 horas. No caso da vacina contra o coronavírus, é preciso esperar 48 horas após a dose da Coronavac, do Instituto Butantan, e sete dias após a aplicação das demais vacinas.

Pessoas candidatas à doação de sangue com diagnóstico ou suspeita de Covid-19 e que apresentaram doença sintomática poderão efetuar a doação dez dias após a completa recuperação. Para quem teve diagnóstico confirmado, mas permaneceu sem sintomas, a doação está permitida após dez dias da data da coleta do exame. 

Já quem teve contato com um caso confirmado de Covid-19 durante o período de transmissibilidade poderá doar sangue sete dias após o último contato.

Onde doar

– Hemocentro Coordenador Estadual Professor Nion Albernaz, na Avenida Anhanguera, nº 5.195, setor Coimbra, Goiânia (GO).

– Unidade de Coleta e Transfusão do Hugol, na Avenida Anhanguera, 14.527, setor Santos Dumont, Goiânia (GO).

– Rede de Hemocentros Regionais no interior em Catalão, Ceres, Formosa, Iporá, Jataí, Porangatu, Quirinópolis e Rio Verde.


Confira aqui a lista de endereços

Horário especial de Carnaval

– Hemocentro Goiânia: segunda-feira (28/02), das 8h às 18h; terça-feira (1°/03), fechado, com retorno na quarta-feira (02/03).

– Banco de sangue do Hugol: De segunda (28/02) a quarta-feira (02/03) segue com funcionamento normal, das 7h às 18h30. 

– Unidades do interior: Segunda-feira (28/02), das 8h às 18h. Na terça-feira (1º/03), locais fecham novamente e, a partir, de quarta-feira (02/03), retomam o aatendimento de rotina, das 8h às 18h.

 

Imagem: Pixabay

Imagem: Pixabay

Brasil e mais 100 países prometem conter o desmatamento mundial até 2030

Os líderes mundiais comprometeram-se, na Cúpula do Clima das Nações Unidas (COP-26) a conter o desflorestamento até 2030. O acordo foi anunciado antecipadamente pelo governo britânico, anfitrião do encontro. Os ambientalistas consideram que lhe falta a urgência necessária.

Uma declaração conjunta será adotada por mais de 100 países onde se situam 85% das florestas mundiais, entre elas a floresta boreal do Canadá, a Floresta Amazônica ou ainda a floresta tropical da bacia do Congo.

A iniciativa, que se beneficiará de um financiamento público e privado de US$ 19,2 bilhões, é essencial para alcançar o objetivo de limitar o aquecimento global a 1,5 grau Celsius acima dos valores médios da era pré-industrial, disse o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson.

“Esses formidáveis ecossistemas abundantes – essas catedrais da natureza, os pulmões do nosso planeta – estão no centro da vida de comunidades ao absorver grande parte do carbono liberado na atmosfera”, defendeu Johnson.

As florestas estão recuando ao “ritmo alarmante” de 27 estádios de futebol por minuto. O primeiro-ministro considera o acordo  histórico para a proteção e recuperação das florestas mundiais”.

Boris Johnson afirmou que não são apenas países que se juntaram a esse compromisso, que também abrange o setor privado. Acrescentou que é uma “oportunidade sem paralelo para a criação de empregos”.

O compromisso é classificado como “sem precedentes”.

O evento Ação sobre Florestas e Uso da Terra, do qual participaram a cúpula de líderes mundiais da COP26 reuniu uma aliança sem precedentes de governos, empresas, atores financeiros e líderes não estatais para aumentar a ambição sobre as florestas e o uso da terra.

Doze países doadores comprometem-se com um novo Compromisso de Financiamento Florestal Global. O objetivo é apoiar ações em países em desenvolvimento, incluindo a restauração de terras degradadas, combate a incêndios florestais e promoção dos direitos dos povos indígenas e das comunidades locais.

Entre os signatários do compromisso, estão o Brasil e a Rússia, países acusados da aceleração da desflorestação nos seus territórios, bem como os Estados Unidos, a China, a Austrália e a França.

Numa das sessões de hoje da 26ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP26), os dirigentes de mais de 30 instituições financeiras irão também comprometer-se a não investir mais em atividades ligadas à desflorestação, segundo o comunicado de Downing Street.

Atualmente, quase um quarto (23%) das emissões mundiais de gases com efeito de estufa provém de atividades como a agricultura e a indústria madeireira.

Longe da urgência

Esse novo compromisso faz eco da Declaração de Nova York sobre as Florestas, de 2014, quando muitos países se comprometeram a reduzir para metade a desflorestação em 2020 e a pôr-lhe fim em 2030.

Para organizações não governamentais (ONG) como o Greenpeace, o objetivo de 2030 está demasiado distante no tempo e dá, assim, ‘luz verde’ a “mais uma década de desflorestação”.

Os especialistas alertam que o acordo anterior, de 2014, “falhou no compromisso de desacelerar” a desflorestação.

Embora saudando esses anúncios, Tuntiak Katan, da Coordenação das Organizações Indígenas da Bacia da Amazônia (Coica), indicou que as formas como as verbas alocadas a esse objetivo serão efetivamente gastas será monitorada de perto.

 

*Agência Brasil

Imagem: Reprodução

Veja também:

6 construções sustentáveis em Goiânia que ajudam a tornar o mundo melhor

Dia da Árvore: conheça 10 espécies nativas do Cerrado e a importância de preservá-las

O 21 de setembro carrega uma celebração especial para o Brasil: o Dia da Árvore. Neste vasto país de biomas ricos e diversificados, é no Cerrado onde essa data reverbera com uma singularidade notável. As árvores desta região, com suas cascas grossas, raízes profundas e folhas adaptadas à estação seca, não são apenas maravilhas da adaptação ecológica, mas também guardiãs da biodiversidade e vitais para o equilíbrio hídrico e climático do país. Essa data foi estabelecida não apenas para celebrar, mas para despertar em todos a conscientização sobre a importância das árvores em nossas vidas e no equilíbrio do ecossistema. Em escolas de todo o país, o Dia da Árvore é ensinado como uma oportunidade de reconhecer e valorizar a natureza, frequentemente representada em desenhos e pinturas. A estratégica escolha do 21 de setembro coincide com a aproximação da primavera, momento em que a natureza se renova e floresce em vibrantes tons, refletindo a diversidade dos biomas brasileiros, do verde intenso da Amazônia à peculiaridade da Caatinga. No cerne deste vasto mosaico natural, o Cerrado destaca-se. Representando 22% da vegetação brasileira e abrangendo cerca de 203 milhões de hectares, este bioma abriga mais de 200 mil variedades de espécies de plantas. As árvores, em toda sua grandiosidade, desempenham papéis cruciais em nosso planeta, desde purificar o ar que respiramos até fornecer água, alimentos e abrigo. No Cerrado, essa importância é potencializada pela singularidade e resiliência de suas espécies.

 

Em homenagem a este dia, convidamos você a explorar 10 espécies nativas deste bioma, conforme indicado pelo Instituto Brasileiro de Florestas (IBF), e que marcam presença em Goiás. Através desta jornada, reconhecemos e celebramos a rica tapeçaria de biomas que o Brasil abriga.

 

Ipê do Cerrado

Muito conhecido por sua beleza, exuberância das flores e ampla distribuição em todas as regiões do Cerrado. Os ipês são caducifólias, ou seja, perdem todas as folhas que são substituídas por cachos de flores de cores intensas. São árvores de grande porte que gostam de calor e sol pleno. O Ipê Amarelo é muito comum aqui em Goiás, e a árvore pode alcançar de 6 até 14 metros de altura e tronco de 30 a 50 cm. Suas flores costumam florescer a partir do final de julho até setembro.

ipê

 

Folha-de-Serra

Essa espécie produz uma grande quantidade de sementes, sendo uma espécie secundária que apresenta ampla dispersão no Cerrado. Ocorre preferencialmente em áreas mais abertas como início de várzeas, onde o suprimento de umidade em profundidade é abundante. Atualmente, tem sido utilizada no paisagismo urbano.

folha

Barbatimão

Essa árvore possui uma madeira pesada, dura, com fibras revessas e durável em condições adversas sendo assim própria para construção civil. Sua casca possui aspecto escamoso e algumas vezes cristas agudas. Ela pode chegar até a 5m de altura, suas folhas são alternas, compostas bipinadas, com folíolos em número de 6-8 pares por pina com aspecto coriáceo. As flores são amareladas e em racemos axilares. Além disso, é uma planta medicinal muito usada para fazer compressas, cataplasmas ou pomadas para tratar feridas e queimaduras. Mas é na casca do tronco que estão as suas maiores propriedades, especial cicatrizantes e anti-inflamatórias! 

barbatimão

Pau Terra

Esta árvore é muito utilizada na fabricação de forros e estruturas de móveis, possui um aspecto extremamente retorcido apresentando fácil adaptação a terrenos pobres e a estiagem. É uma excelente espécie para compor plantios ou ser manejada em áreas em processo de restauração. Com tronco retorcido, sua madeira é moderadamente pesada e pouco resistente ao apodrecimento quando exposta. 

pau

Saboeiro

Conhecida como Árvore do Sabão, possui uma altura de 5 à 9m, tronco de 30 à 40cm de diâmetro e copa densa e globosa. Ela é bastante encontrada na região amazônica até Goiás e Mato Grosso, nas florestas pluviais e semidecíduas. O mais interessante são seus frutos que contém ‘’saponina’’, e portanto podem ser usados para lavar roupa, lavar as mãos e tomar banho.

saboeiro

 

Faveiro

Esta espécie apresenta possui uma semente que é extremamente tóxica para o gado, já suas folhas são fonte de uma vitamina chamada Rutina e são muito estudadas por laboratórios nacionais e estrangeiros, pois auxiliam na manutenção de vasos capilares e na luta contra os radicais livres. Atinge de 8 a 14 m de altura com madeira pesada, macia ao corte e pouco compacta.

faveiro

 

Jerivá

Trata-se de um coqueiro e que, como o nome diz, produz uns coquinhos amarelinhos, e chega a medir 20 metros de altura. Sua madeira, por ser moderadamente pesada e altamente durável (até em água salgada), costuma ser empregada no preparo de estivados sobre solos brejosos, pinguelas e trapiches. Além disso, é uma planta altamente decorativa, usada na arborização de ruas e avenidas.

jerivá

 

Jequitibá

As ‘’gigantes da floresta’’ se destacam pelo tronco que é reto, cilíndrico, possuindo fuste que pode chegar até 25 metros de altura e raízes grossas, são semicaducifólia na estação de inverno e pode atingir até 50 metros de altura, possui tronco com até 120 centímetros de diâmetro. As flores são pequenas e perfumadas e surgem de outubro a dezembro. É possível encontrar esta árvore também em na região Sul da Bahia e se estende até o Rio Grande do Sul, na Mata Atlântica e no sul da Floresta Amazônica.

jequitiba

 

 

Mamica-de-Porca

Possui uma casca grossa e é identificada pelos seus espinhos no tronco que são parecidos com “tetas” de porca ou de cadela, sendo que seus nomes populares foram dados devido a essa característica. Sua altura varia entre 6 e 12 metros. A árvore vem da mesma família que o limão, a laranja e muitos outros frutos cítricos. 

mamica

(Foto: Wanda Gama)

 

Caryocar brasiliense (Pequi)

 

É uma árvore grossa, com tronco tortuoso, casca suberosa (rachada) e madeira pesada, porém macia e de boa durabilidade, podendo atingir até 10 m de altura. Suas folhas são compostas trifolioladas e opostas. A parte inferior das suas folhas possuem nervuras proeminentes e densamente pilosa. E claro, é a árvore que produz o nosso amado Pequi, que faz parte da culinária típica de Goiás.

arvore

 

Informações e Imagens: IBF; Árvores Brasil; EFlora Web; Wikipédia

 

Viaduto de Goiânia é iluminado de vermelho em alusão ao Dia Internacional da Hemofilia

Com o objetivo de ressaltar o Dia Internacional da Hemofilia, datado anualmente em 17 de abril, a Prefeitura de Goiânia iluminou de vermelho o viaduto Latif Sebba,localizado no cruzamento das avenidas 85, D e Rua 87,  entre os setores Marista, Oeste e Sul.

A hemofilia é uma doença genético-hereditária que se caracteriza por desordem no mecanismo de coagulação do sangue. 

De acordo com os dados registrados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), os casos de hemofilia no Brasil ultrapassam a 12 mil casos diagnosticados, número que coloca o país como a quarta maior população mundial de pacientes com este caso. A doença possui uma probabilidade maior de ser acometida exclusivamente em homens. 

E pode ser notada através de um sangramento persistente. A depender dos níveis de atividade do fator de coagulação, você poderá observar outras manifestações, como um sangramento que acontece de repente, por exemplo, sangramento nas articulações (juntas, como o joelho) ou sangramento nos músculos (que se manifestam por meio de dor, inchaço e dificuldade no movimento). Estes sangramentos também podem ocorrer após um procedimento cirúrgico médico ou odontológico.

E a  ação do viaduto visa chamar a atenção das pessoas para os sintomas e o diagnóstico precoce da doença. “Ao iluminar um viaduto importante da cidade, por onde passam muitos carros, muitas pessoas, conseguimos contribuir para uma maior divulgação e conscientização sobre essa doença”, afirma o secretário de Infraestrutura Urbana, Fausto Sarmento. 

Confira a foto:

Viaduto
Foto: Juan Meloni/Divulgação

 

Fãs usam Star Wars Day para transmitir a ‘Força’ na quarentena

O Star Wars Day é comemorado no dia 4 de maio, os milhares de fãs pelo mundo estão fazendo homenagens a saga de forma consciente no combate ao coronavírus. Já que precisamos da Força nesse momento de quarentena, nada melhor do que os próprios personagens da produção para transmitir mensagens de esperança e de prevenção. Que a Força esteja com você! (Com todos nós)

Confira as homenagens:

 

 

Outras homenagens para arrancar sorrisos:

 

Campanha de outdoor contra deficientes físicos era pegadinha; entenda o caso

Via Meio & Mensagem

Com apenas 24 horas de exposição, um outdoor colocado em uma rua de Curitiba conseguiu despertar muita revolva em grande parte dos usuários das redes sociais. Assinado pelo suposto Movimento pela Reforma de Direitos, a peça publicitária apresentava sua respectiva página no Facebook, que listava diversos direitos que os deficientes físicos adquiriram – como vagas prioritárias em estacionamentos e no transporte público e isenção de impostos para a compra de veículos – e argumentava que, se todos os cidadãos são iguais perante a lei, não era cabível que os deficientes gozassem de tais “privilégios”.

O absurdo argumento foi mal digerido pelo público, que encheu a página do Movimento com críticas e ameaças de denúncias. Algumas reportagens também noticiaram a colocação do outdoor, aguardando que os autores do Movimento esclarecessem a população acerca de seus objetivos.

Outdoor

Outdoor veiculado em Curitiba causou polêmica nacional.

Nesta terça-feira, 1, a questão foi esclarecida. O outdoor era um uma ação de marketing para fazer as pessoas se indignaram com aqueles argumentos e refletirem a respeito das dificuldades que os portadores de deficiência enfrentam diariamente. A campanha foi criada pela agência Competence para o Conselho Municipal das Pessoas com Deficiência da Cidade de Curitiba, no Paraná, em razão do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência Física, celebrado em 3 de dezembro.

“Nós sabemos que vocês ficaram chocados com as reivindicações feitas pelo movimento. E esse choque, é o nosso alívio. O desrespeito que aconteceu na internet durou só um dia, mas as pessoas com deficiência enfrentam essa afronta todos os dias. Esperamos que cada um que se revoltou, na internet, seja uma VOZ REAL na luta pelos nossos direitos. Que não se calem ao ver uma pessoa com deficiência sendo desrespeitada ou discriminada.”, disse o Conselho, na página do Movimento no Facebook. Um vídeo também explica a importância de lutar pela preservação dos direitos dos deficientes.

outdoor

Desfecho da campanha: “ação de marketing para fazer as pessoas se indignarem”.