Rodoviária de Goiânia registra aumento de movimento para as férias de julho

Durante o período de 1º a 31 de julho, o Terminal Rodoviário de Goiânia prevê um aumento de 5% no fluxo de passageiros, tanto para embarques quanto desembarques, em comparação com o mesmo período do ano anterior, devido às férias. Para atender a essa demanda, haverá um reforço de 30% no número de funcionários responsáveis pela limpeza, segurança e informações aos passageiros.

Alguns dos destinos mais procurados incluem Caldas Novas, Cidade de Goiás, Goianésia, Pirenópolis, Porangatu, Três Ranchos e Trindade, a nível estadual, e Brasília, Fortaleza, Marabá, Palmas, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, em todo o Brasil.

Recomendações importantes:

  • Chegar com pelo menos 1 hora de antecedência;
  • Portar os documentos pessoais;
  • Levar álcool em gel para higienizar as mãos durante a viagem;
  • Utilizar e carregar uma máscara de proteção facial, especialmente se estiver gripado;
  • Para crianças menores de 16 anos que viajarão desacompanhadas do responsável legal, é necessário solicitar uma autorização do Juizado da Infância e Juventude para embarcar;
  • Adquirir os bilhetes de ida e volta antecipadamente;
  • Cuidar de suas bolsas, carteiras e malas. Não pedir ou aceitar que outras pessoas transportem suas bagagens;
  • Comprar as passagens apenas dentro do Terminal Rodoviário, evitando transporte clandestino. Em caso de suspeita, entre em contato com os números de denúncia: AGR: 0800 704 3200 / ANTT: 166.

Obras do artista Siron Franco na Praça Cívica e Bosque dos Buritis em Goiânia são revitalizadas

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), concluiu, nesta quinta-feira (27/10), a limpeza e manutenção das duas obras do artista plástico Siron Franco: o Monumento à Todos Nós, na Praça Cívica, e o Monumento à Paz Mundial, no Bosque dos Buritis. As duas obras foram pichadas e, em forma de protesto, o artista havia coberto com lona preta a obra da Praça Cívica.

“Atendemos prontamente à solicitação do Siron, visto que as obras estão inseridas em espaços tombados como patrimônios culturais de Goiânia. Ele tem razão em protestar e solicitar os cuidados do poder público. Nós estamos aqui para proteger, cuidar e zelar pela manutenção”, pontua o titular da Secult, Zander Fábio.

siron

Para que os monumentos não sofram com vandalismo, Zander Fábio faz um apelo: “É preciso conscientizar a população para que todos cuidem de obras como essa, cuidem dos parques, praças e mantenham nossos espaços públicos bonitos. A pichação é um problema social, é crime, ainda mais em uma obra de arte, que está aí para embelezar, enriquecer nossos cartões postais”, afirma.

O artista Siron Franco está em viagem a São Paulo, mas acompanhou a limpeza e a retirada da lona que cobria a obra, por meio de fotos e vídeos. “Valeu, muito obrigado! Agradeço a atenção da Prefeitura de Goiânia. As pessoas realmente precisam saber ter consciência e cuidar mais do que é bem público e do que é arte”, pontuou.

 obras

 

Imagens: Secult

Federação Nacional de Jornalistas abre denúncia contra Leo Dias

A Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ) abriu uma denúncia contra o jornalista Leo Dias, do Metrópoles, após a divulgação de informações confidenciais sobre o caso envolvendo a gravidez, resultado de um estupro, e processo de entrega para adoção voluntária realizado pela atriz Klara Castanho.

De acordo com a nota oficial publicada pela FENAJ nesta terça-feira (28), a denúncia deve ser encaminhada ao Conselho de Ética do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal (SJPDF). “São fortes as evidências de que o colunista feriu o Código de Ética do Jornalista Brasileiro. Pela gravidade do caso, a diretoria executiva e a Comissão de Mulheres da FENAJ vão encaminhar denúncia contra o jornalista à Comissão de Ética do Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal, que deverá apurar o caso”, diz o texto.

No entanto, o sindicato não listou quais são as possíveis punições aos jornalistas que não seguem o código de ética. 

Na manhã desta quarta-feira (29), a Comissão de Ética dos Meios de Comunicação da Associação Brasileira de Imprensa emitiu hoje um comunicado repreendendo a “exploração de vítimas de violência sexual” por jornalistas e veículos de comunicação. A nota advertiu especificamente o jornalista Leo Dias.

Confira abaixo a nota na íntegra:

A Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ), por meio da sua Comissão Nacional de Mulheres, vem a público solidarizar-se com a atriz Klara Castanho, que teve uma situação pessoal exposta pela mídia, resultando em ataques pessoais aos quais teve de se defender com uma carta aberta em seu perfil no Instagram.

A atriz engravidou após um estupro e encaminhou a criança para adoção, cumprindo os trâmites legais. A situação, de caráter absolutamente particular e sigilosa, foi exposta pelo colunista do site Metrópoles, Leo Dias, no fim de semana.

Após a repercussão negativa, o link foi retirado do site. Mas a divulgação já havia desencadeado uma onda de ódio nas redes sociais, com novos ataques à honra da atriz, causando sua revitimização num já doloroso momento pessoal.

São fortes as evidências de que o colunista feriu o Código de Ética do Jornalista Brasileiro. Pela gravidade do caso, a Diretoria Executiva e a Comissão de Mulheres da FENAJ vão encaminhar denúncia contra o jornalista à Comissão de Ética do Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal, que deverá apurar o caso, dando amplo direito de defesa ao profissional.

O caso serve para reafirmar a luta encabeçada pela FENAJ e Sindicatos de Jornalistas filiados pela criação do Conselho Federal de Jornalistas (CFJ), uma forma de garantir uma profissão digna, com um contrato público e ético com a sociedade. Temos lutado pelo Conselho Federal dos Jornalistas para que as próprias entidades sindicais possam controlar a emissão de registros profissionais e promover a cultura do respeito ao Código de Ética, por meio da fiscalização.

 

Imagem: Reprodução

Prefeitura de Goiânia institui o Dia Municipal de Combate à Intolerância Religiosa

O prefeito Rogério Cruz sancionou, nesta quarta-feira (8), a lei municipal 89/2021, que institui o ‘’Dia de Combate à Intolerância Religiosa’’. O projeto, de autoria da vereadora Aava Santiago, que visa o respeito e proteção à pluralidade, estabelece  21 de janeiro como parte do calendário municipal oficial de eventos. A solenidade do anúncio contou com a presença de diversas lideranças de matrizes religiosas diferentes.

 

Em matéria publicada no portal da Prefeitura de Goiânia, Rogério Cruz classificou a intolerância religiosa como inaceitável por ferir o respeito ao outro, assim como a sua fé. Em seu pronunciamento, disse: “Cada um tem direito à sua própria crença, a seguir aquilo que acredita. Como representante do poder público, é meu dever assegurar que esse direito seja exercido em sua plenitude”, frisou. Ainda segundo o líder do Executivo, “o respeito independe da fé ou da cultura do outro”. 

 

Lei

 

De acordo com registros do Disque 100, serviço de proteção aos direitos humanos, ligado ao Ministério da Família, Mulher e Direitos Humanos, Goiás recebe, a cada 15 horas, uma denúncia de atos de intolerância religiosa. A estatística foi levantada pela vereadora Aava Santiago. 

 

Além disso, só no primeiro semestre de 2019, foram registradas 354 denúncias, que representaram aumento de 67,7% na comparação com o mesmo período de 2018. Os números são divididos entre 61: a religiões de matrizes africanas; 18 a espíritas; 12 a católicos; 12 a testemunhas de Jeová; 11 a evangélicos; 3 a cristãos; 2 a budistas; 1 a ateu; 1 a protestante; e 233 de origem não informadas.

 

Segundo a vereadora, “o compromisso de incentivar a cultura de proteção à pluralidade religiosa, o respeito a todas as manifestações e o direito de culto garantido pelos agentes públicos. É triste que em pleno século XXI, quando poderíamos apenas falar sobre promoção de direito, ainda precisamos combater retrocessos”. A Lei n.° 89/2021, que institui no Calendário Municipal Oficial de Eventos de Goiânia, o Dia de Combate à Intolerância Religiosa, deve ser publicada em edição do Diário Oficial do Município (DOM) ainda nesta semana.

 

 

Fotos: Fernando Leite

 

Veja também:

 

Prefeitura de Goiânia inaugura revitalização das praças São Pio X e T-3

 

Goiânia investirá R$ 2 bilhões em projeto de Cidade Inteligente

 

Goiânia terá Natal especial também nos bairros mais distantes

Cassiane lança clipe polêmico sobre crime grave e internautas reagem: ‘irresponsáveis’

O clipe da música “A Voz”, da cantora gospel Cassiane, foi lançado no youtube neste fim de semana. A produção causou polêmica com desfecho de uma encenação de violência contra a mulher, onde a vítima agredida pelo marido não faz questão de denunciá-lo.

A protagonista apenas ora pelo agressor após deixá-lo, escrevendo uma carta de perdão. Nos comentários, os internautas consideraram a forma que a história foi conduzida como desserviço. “Ore pelo seu agressor, mas primeiro coloque ele na cadeia”, escreveram.

Várias pessoas também incentivaram os seguidores a denunciarem o vídeo para que seja retirado do ar. “Muitas mulheres não conseguem ter tempo de orar porque são mortas antes. Irresponsáveis”, declarou outro internauta.

Após a repercussão negativa, a produtora MK Music editou a legenda do vídeo e acrescentou o disk denúncia. “DISQUE 180 para denunciar a violência contra a mulher. O dever da denúncia é de toda sociedade. Nosso respeito e pesar a todas as vítimas que, infelizmente, não tiveram forças para abandonar ou denunciar o agressor. O tema é grave. Não se omita”, escreveu.

Assista o clipe:

Delegada conclui investigações sobre caso Neymar

A delegada Juliana Lopes Bussacos, titular da 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, encerrou ontem (29) as investigações sobre as acusações de estupro e agressão feitas pela modelo Najila de Souza contra o jogador de futebol Neymar Júnior. A polícia decidiu não indiciar o jogador de futebol pelos supostos crimes. O relatório da investigação foi encaminhado para o Ministério Público (MP), que terá 15 dias para avaliar a decisão da delegada e elaborar um parecer. As conclusões do MP e da Polícia servirão como base para a decisão judicial.

O inquérito policial foi aberto após boletim de ocorrência realizado no dia 31 de maio por Najila, que contou à delegada que conheceu Neymar por meio de uma rede social e depois de dois meses trocando mensagens, Neymar a convidou para ir a Paris para uma visita, com passagens e estadia pagas. Najila chegou em 15 de maio e à noite do mesmo dia o jogador esteve no quarto dela.

Najila disse que o jogador estava alterado e a forçou a ter relações sexuais, sem usar preservativo, o que Neymar desmente. No dia seguinte, Neymar esteve no mesmo quarto e foi agredido por Najila. A modelo gravou o encontro e alegou que buscava uma prova de que se encontrara com o atleta. Sobre os tapas que deu em Neymar, visíveis em vídeo que vazou durante as investigações, ela disse estar revidando as agressões sofridas no dia anterior.

Segundo a delegada, ao longo da investigação Najila foi ouvida três vezes e Neymar uma vez, além de 12 testemunhas relacionadas ao caso. Entre as provas juntadas ao processo estão o laudo sexológico, o exame de corpo de delito indireto, a ficha de atendimento médico do Hospital Pérola Byington, a ficha de atendimento médico da consulta com o ginecologista particular de Najila em 24 de maio, o laudo do celular de Najila e laudo do tablet do filho da modelo, que foi entregue pelo ex-companheiro da modelo Najila.

“Deliberei por não indiciar o investigado (Neymar) por ausência de elementos para tanto. As imagens do hotel de Paris não chegaram até os autos, mas em razão de todo o conjunto probatório verifiquei que essas não se tratavam de prova imprescindível ao inquérito. O não indiciamento não impede o prosseguimento da persecução penal, que depende do Ministério Público”, disse Bussacos.

De acordo com a Delegada do 11º Distrito Policial, Monique Patrícia Ferreira Lima, que investiga o arrombamento do apartamento de Najila e o roubo do tablet no qual estaria o vídeo que comprova o estupro, foi aberto um inquérito policial que investiga o crime contra o patrimônio. Ainda há uma outra investigação com relação a extorsão e denúncia caluniosa. Ambos os processos estão protegidos por segredo de Justiça.

“Por isso é prematuro dar algum detalhe da investigação ou mencionar qual seria a responsabilização das partes envolvidas. Nós vamos ouvir as partes envolvidas para apurar se houve denunciação caluniosa ou não”, disse Monique.

A reportagem tentou falar com o advogado de Najila Trindade, Cosme Araújo dos Santos, mas não conseguiu contato. O mesmo aconteceu com assessores e advogada de Neymar.

Agora, a Polícia Civil possui ainda dois inquéritos investigando o caso.

Um deles foi aberto voluntariamente pelos delegados após Najila noticiar que sumiu de sua casa um tablet que conteria o inteiro teor de um vídeo que mostraria Neymar lhe agredindo. Este inquérito investiga também “todos os outros equipamentos que foram subtraídos no curso do inquérito”, disse a delegada responsável pelo caso, Monique Ferreira Lima, do 11º Distrito Policial da capital.

Este inquérito, segundo o diretor do Decap, reunirá todos os elementos em relação à denúncia de estupro feita por Najila no inquérito que acaba de ser concluído.

Outro inquérito foi aberto por iniciativa de Neymar e do pai dele, que peticionaram à investigação afirmando que houve denunciação caluniosa e extorsão por parte de Najila. Nestes dois inquéritos em andamento será apurado se outros crimes foram cometidos ao longo do caso. (Com informações de EBC e G1)

Mãe de Neymar comenta acusação e desabafa com o filho: ‘perdoe essa menina’

Dona Nadine Gonçalves, mãe de Neymar, quebrou o silêncio após o escândalo envolvendo uma denúncia de estupro contra o jogador e saiu em defesa do filho sem deixar de dar alguns conselhos publicamente pelo Instagram. “É hora de aprender com tudo isso e voltar pra Jesus Cristo, seu primeiro amor. Se concentre no que você mais ama na vida que é jogar futebol! É isso que vai lhe devolver a alegria que andou desaparecida nos últimos dias”, escreveu na legenda da foto onde aparece com seus dois filhos, Neymar e Rafaella.

A mãe do atacante da seleção brasileira e do Paris Saint German orientou o filho a perdoar a denunciante. “Cristãos que somos, PERDOE ESSA MENINA! Eu e sua irmã, como mulheres, podemos te garantir que ELA NÃO NOS REPRESENTA. Te amo muito e continuarei orando por você todos os dias da minha vida”.

O post feito nesta terça-feira (4) gerou enorme repercussão com mais de 300 mil curtidas e mais de 20 mil comentários, a maioria em apoio e solidariedade à família.

João de Deus aparece pela primeira vez em vídeo após denúncias de abuso sexual

“Quero declarar a todos que essa pessoinha que tá aqui do lado, nunca me abusou sexualmente, nunca me deixou passar falta de nada, nem eu nem meus filhos e todos os meus irmãos, meus sobrinhos. O que estão fazendo com ele é injustiça, tudo é por causa de dinheiro”. As palavras são da filha de João Teixeira de Faria, o “João de Deus”, que apareceu pela primeira vez em público desde que denúncias de abuso sexual vieram à tona na semana passada, a partir do Programa do Bial, na TV Globo.

A mulher, que não se identifica no vídeo, consola o pai e sai em defesa dele das acusações, especialmente a publicada pelo site O Antagonista nesta segunda-feira (10). Segundo a publicação, a filha também teria acusado João de Deus de estupro e pedia indenização de R$ 50 milhões em processo que estaria correndo em segredo de Justiça.

“Desculpa, viu pai? Peço desculpas pro senhor porque fico envergonhada pela atitude dos meus filhos, mas o senhor sabe que não é eles, isso é o pai deles que está por trás, que toda vida foi um homem ambicioso”, desabafa.

Em um dos trechos da gravação, ela fala do constrangimento que vivem após a repercussão das denúncias. “Tô muito envergonhada pelo meu pai, por mim, mas a verdade chega, vai vir à tona”.

Visivelmente abatido, o médium goiano, encerra o vídeo dizendo à filha: “quero que Deus te olhe, que Deus te protege”.

Nesta segunda-feira (10/12), no primeiro dia de trabalho da força-tarefa do Ministério Público de Goiás (MPGO), 40 mulheres se apresentaram como vítimas dos abusos do homem. Desse total, 35 fizeram contato pelo e-mail criado exclusivamente para essa finalidade: [email protected]. A expectativa é que acusado, vítimas e testemunhas sejam ouvidos ainda esta semana.

 
 
 
 
 
Visualizar esta foto no Instagram.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Curta Mais News (@curtamaisnews) em

Aécio Neves se torna réu no STF

A 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal recebeu a denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), devido a acusações envolvendo crimes de corrupção passiva e obstrução de Justiça. É a primeira vez que o tucano se torna réu.
Seguiram o voto do relator do inquérito, Marco Aurélio Mello, outros quatro ministros da 1ª Turma. Foram eles: Luís Roberto Barroso, Rosa Weber e Luis Fux e Alexandre de Moraes. Os ministros consideraram que há indícios para que a denúncia seja convertida em ação penal.
Já no que se refere à acusação de obstrução de Justiça, a denúncia foi aceita integralmente por Barroso, Rosa e Fux. Marco Aurélio, diferentemente, votou por aceitar parcialmente, enquanto Moraes rejeitou a acusação.
Além de Aécio, sua irmã, Andrea Neves e outros dois acusados se tornaram réus em denúncia baseada na delação de executivos do grupo JBS. Com o recebimento da denúncia, se instaura oficialmente a ação penal em que os réus serão julgados.

Foto: Ilustração/Google.

Jovem denuncia crime de assassinato de gatos em condomínio de Goiânia e se torna alvo de processo

Um caso envolvendo o desaparecimento e a morte de gatos de estimação tem comovido os goianos nesta semana, quando denúncias e imagens dos crimes vieram à tona por meio de uma moradora de um condomínio de Goiânia. A estudante de medicina Ana Gabriela Maia, que mora no condomínio em questão e que está à procura de dois de seus gatos desaparecidos, contou sobre como tem lidado com os casos de assassinato dos animais no local onde mora. Na ocorrência mais assustadora, foram encontrados corpos de 3 gatos, sendo que um deles fora esquartejado. Entenda.

Curta Mais | Quando e como você começou a suspeitar que havia casos de maus tratos a gatos em seu condomínio?
Ana Gabriela | Em 2016, meu gato Delfino desapareceu sem maiores explicações. Já havia histórico de ameaças em grupos do condomínio aos gatos, como quando um morador uma vez disse que iria botar veneno tipo “chumbinho” para eles comerem. Mas eu preferia acreditar que alguém apenas teria furtado o gato por ser um animal muito bonito. Agora, no último dia 26, houve mais ameaças, mas dessa vez elas foram mais diretas – e seguidas do sumiço da minha gata Felícia, no dia 30 e também do aparecimento de corpos mutilados essa semana.

6e679ea3680119cecdc1a1cbefd3ec1c.jpg

Ana Gabriela e um dos gatinhos que teve.

C.M.| Você tem denunciado de forma corajosa os maus tratos aos gatos. Quando começou seu amor pelos animais?
A.G.| Quando criança, eu morava em apartamento e nunca tive a oportunidade de conviver com animais – apesar de sempre tê-los amado. Sempre dei muito apoio à causa animal e à vida, tanto que quis seguir a área da medicina. Tive, então, a oportunidade de encontrar um filhotinho na rua em 2016 e enquanto eu não consegui resgatá-lo, não sosseguei. No começo de 2017 resgatei outro filhote, na faculdade em frente à minha. Foi amor à primeira vista: era a mais pequenina e frágil da ninhada, parecia uma ratinha. Virou minha companheira; era uma gata especial, que quase não miava, não arranhava ninguém, nem mordia. Até os veterinários ficaram espantados em ver como ela era mansinha…

c28901f4e733b4df854b14532b1d250f.jpg

Cartaz divulgado por Ana quando sua gata desapareceu misteriosamente.

C.M.| Além dos casos citados em seu condomínio, você tem conhecimento de outros casos semelhantes?
A.G.| Aqui no condomínio há muitos relatos de envenenamento e desaparecimento de gatos. Aliás, em todos os lugares! A cultura POP sempre gostou de colocar os gatos como os vilões e os cachorros como mocinhos. Tenho amigos, inclusive, que não gostavam de gatos, até terem um! É muito triste que as pessoas não respeitem os animais, os abandonem, os explorem como máquinas de fazer dinheiro.

652715c418c54904330feb0aa641a6f3.jpg

Foto: Arquivo Pessoal/Ana Gabriela Maia.

C.M. | O que você espera que aconteça à partir de agora, após a repercussão deste caso?
A.G. | Entrei com denúncia na Delegacia de Meio Ambiente, onde fui muito bem amparada e já iniciaram as investigações. O pessoal da Amma também veio ao condomínio fazer fiscalização. E eu fiz questão de expor o que estava acontecendo aqui dentro, inclusive com o nome de quem fez as ameaças e estou sendo até processada por isso. Muitos moradores reclamaram da minha atitude em expor o condomínio com medo de desvalorizá-lo. Mas imagina, as pessoas querem esconder um crime para não manchar a imagem de onde moram? O egoísmo e falta de empatia de alguns vizinhos me assusta.

aed14a0a9a80a95747d6bbeab53e8105.jpg

Imagem de uma conversa em um grupo do whatsapp de moradores do condomínio. (Reprodução/TV Anhanguera)

C.M. | O que você diria para quem tem gatos e está preocupado com a situação?
A.G. | Prendam seus gatos num lugar seguro, não postem fotos deles. Infelizmente a gente tem que se submeter a esse tipo de coisa.

27bd088f58f92f1d6825e4a78dd27872.jpg

C.M. | Se você pudesse dizer algo ou enviar uma mensagem diretamente aos criminosos que praticam crimes contra animais, o que você diria?
A.G.| Se depender de mim, vocês serão perseguidos e desmoralizados para sempre! E eu acredito que quanto mais divulgarmos isso, mais a justiça vai agir! Vocês não sairão impunes!

Ela ainda relatou uma triste realidade: a dificuldade encontrada na hora de se fazer denúncias do tipo. Em uma das tentativas, elas ouviu que “não deveria fazer esse tipo de denúncia, pois os gatos já estavam mortos. E que ‘eles’ trabalhavam com animais que já sofreram maus tratos, mas que estavam vivos.” Além deste caso, ela tentou realizar denúncias via telefone, mas não conseguiu, tendo que realizar um longo trajeto até o local em questão.
Segundo a jovem, as penas para quem maltrata animais ainda são muito fracas e que, dificilmente alguém vai preso por crimes semelhantes. “Isso acaba que faz as pessoas banalizarem esse tipo de crime, que é um sinal de transtorno mental.” A Polícia Civil vai investigar o caso.
Se você tem alguma denúncia de maus tratos a animais, saiba que tais práticas são consideradas CRIME e devem ser denunciadas! Em Goiânia, é possível buscar a ajuda da AMMA. Confira abaixo as informações para realizar denúncias relacionadas ao tema.

Agência Municipal do Meio-ambiente – AMMA

Disque-denúncia: (62) 3524-1408/3524-1440
Pessoalmente no seguinte endereço:
Rua 75 esq. c/ 66, nº 137, Centro – CEP: 74055-110
Pelo telefone: (62) 3524-1412
Por E-mail: [email protected]
Site: clique aqui.

Prefeitura de Morrinhos (GO) emite nota sobre concurso público após denúncia de racismo em prova

Após reportagem exclusiva do Curta Mais News sobre denúncia de racismo em prova aplicada no Concurso Público realizada no último domingo (14/01), a Prefeitura de Morrinhos (GO), emitiu nota oficial sobre o caso.

A denúncia partiu do candidato Hélio de Araújo Júnior, que concorre a uma das cinco vagas para fiscal de postura do município com outros 580 concurseiros. O técnico em segurança do trabalho e músico profissional, se sentiu ofendido com uma das questões do certame e entrou com um processo contra a Prefeitura e contra a empresa que aplicou a prova. “Me senti humilhado por ser o único negro em sala, algumas pessoas olhavam para mim quando chegavam na questão rindo ou abaixavam a cabeça desaprovando aquilo”, desabafa o candidato. “Falei com a fiscal de sala, ela não podia se manifestar mas acabou indo até a frente e falou que nos dias de hoje as pessoas lutam pelos direitos humanos e que uma pergunta dessas foi no mínimo indiscreta e fora de contexto”, continua.

O tema da avaliação de conhecimentos gerais era “Qual a origem do racismo?”, mas o que chamou a atenção foram as opções de respostas em várias das questões, como: “Negro parado é suspeito, correndo é ladrão, voando é urubu” e “Negro só tem de gente os dentes”.

O caso foi registrado na Delegacia de Polícia de Caldas Novas, onde o denunciante mora, e será encaminhado à Delegacia de Morrinhos que fará a investigação. “Espero uma reparação pública não por mim, mas para todo povo negro que sofre com isso o tempo todo e isso tem que parar. Não dá mais para ficar calado, todo tipo de discriminação tem que ser repudiada. Vou até as últimas consequências”, afirma Hélio Júnior. 

Procurada pela nossa produção, a Prefeitura de Morrinhos chegou a informar que não se manifestaria, mas após a repercussão do caso divulgado com exclusividade pelo Curta Mais News, acabou enviando à nossa redação uma nota oficial. A Prefeitura, por meio da Comissão Organizadora do Concurso Público 01/2017, responsabilizou a Consuplam – empresa responsável pelo certame e pela formulação das questões e aplicação das provas.

Confira a resposta na íntegra:

“A Prefeitura Municipal de Morrinhos, por meio da Comissão Organizadora do Concurso Público 01/2017, vem a público esclarecer que não elaborou a prova que contém a polêmica questão nº 10. Prova aplicada no dia 14 de janeiro último, de conhecimentos gerais sobre: “Qual a origem do racismo?”. A administração do certame Público 01/2017, está sob responsabilidade da Empresa Privada: CONSULPAM – Consultoria Público-Privada, a quem coube a formulação das questões e aplicação das provas.

Importante também registrar ainda que os agentes públicos municipais não poderiam ter conhecimento prévio do conteúdo da prova, até por questão de lisura e segurança do concurso, motivo pelo qual não houve como analisar previamente a polêmica assertiva, antes que se tornasse pública. 

Inobstante isso, o Município de Morrinhos, através da prefeitura vem lamentar o ocorrido e se solidarizar com as pessoas que se sentiram ofendidas com o conteúdo pejorativo das alternativas à questão de nº10 da prova de conhecimentos gerais, e entendemos que se mostraram inoportunas, infelizes e inconvenientes.

A prefeitura de Morrinhos não compactua com nenhuma forma de discriminação, seja direta e indireta, por motivos de cor, raça, gênero, preferência sexual etc.

Procuramos sim, promover concretamente políticas públicas de combate aos abusos e ao racismo.

A prefeitura de Morrinhos irá diligenciar junto à banca do concurso, visando tomar providências para que medidas sejam tomadas imediatamente em relação ao tema contido na questão nº 10, da prova do concurso público 01/2017″.

Tentamos contato com o Instituto Consulpam, que tem sede em Fortaleza (CE), mas até o momento não tivemos retorno.

Após a enorme repercussão da matéria, vários internautas comentaram em nossas redes sociais, a maioria manifestou indignação com o episódio. “Pra mim está claro o racismo, e tanto a prefeitura e quem emitiu a prova devem responder pelo mesmo”, disse o leitor Jackson Taurus. “Ministério Público tem que agir e dar exemplo punindo severamente os responsáveis. Sem palavras pra tamanho absurdo”, comentou André Vincius. “Mesmo sendo uma interpretação de texto, isso é racismo e deve ser denunciado”, escreveu a leitora Van Souza na página do Curta Mais no Facebook.

Prefeitura de Morrinhos (GO) é acusada de racismo em prova de concurso público

Uma prova de conhecimentos gerais do concurso público da Prefeitura de Morrinhos (GO), realizada no último domingo (14/01), provocou reações diversas entre candidatos. Enquanto uns ficaram indignados, outros acharam graça ou ficaram indiferentes. 

O tema da avaliação era “Qual a origem do racismo?”, mas o que chamou a atenção foram as opções de respostas em várias das questões, como: “Negro parado é suspeito, correndo é ladrão, voando é urubu” e “Negro só tem de gente os dentes”. Curta Mais News teve acesso aos documentos com exclusividade.

O candidato Hélio de Araújo Júnior, que concorre a uma das cinco vagas para fiscal de postura do município com outros 580 concurseiros, se sentiu ofendido. O técnico em segurança do trabalho, que também é músico profissional, passou por vários constrangimentos desde que a prova foi distribuída na sala. “Me senti humilhado por ser o único negro em sala, algumas pessoas olhavam para mim quando chegavam na questão rindo ou abaixavam a cabeça desaprovando aquilo”, desabafa o candidato. “Falei com a fiscal de sala, ela não podia se manifestar mas acabou indo até a frente e falou que nos dias de hoje as pessoas lutam pelos direitos humanos e que uma pergunta dessas foi no mínimo indiscreta e fora de contexto”, continua.

Junior entrou com processo contra a empresa responsável pelo concurso e contra a Prefeitura de Morrinhos e revela que ainda teve dificuldade de fazer a denúncia. “Foi muito difícil denunciar, você chega num órgão público e as pessoas acham isso normal. O Ministério Público da minha cidade me disse que não viu crime algum nisso”, conta.

Hélio disse ainda, com exclusividade à nossa reportagem, que foi a primeira vez que tomou esse tipo de atitude mas que já foi discriminado outras vezes. “Já passei por várias situações como esta e nunca denunciei nada e dessa vez resolvi agir porque me senti realmente num estado vexatório, você estar sentado em uma sala fazendo um concurso com outras pessoas e uma pergunta desconexa e fora do contexto. Me senti insultado e decidi tomar providências”.

helio

Hélio Júnior: “Espero uma reparação pública não por mim, mas para todo povo negro que sofre com isso o tempo todo e isso tem que parar”.

Procurada pela nossa produção, a Prefeitura de Morrinhos chegou a informar que não se manifestaria, mas após a repercussão do caso divulgado com exclusividade pelo Curta Mais News, acabou enviando à nossa redação uma nota oficial. A Prefeitura, por meio da Comissão Organizadora do Concurso Público 01/2017, responsabilizou a Consuplam – empresa responsável pelo certame e pela formulação das questões e aplicação das provas.

Confira a resposta na íntegra:

“A Prefeitura Municipal de Morrinhos, por meio da Comissão Organizadora do Concurso Público 01/2017, vem a público esclarecer que não elaborou a prova que contém a polêmica questão nº 10. Prova aplicada no dia 14 de janeiro último, de conhecimentos gerais sobre: “Qual a origem do racismo?”. A administração do certame Público 01/2017, está sob responsabilidade da Empresa Privada: CONSULPAM – Consultoria Público-Privada, a quem coube a formulação das questões e aplicação das provas.

Importante também registrar ainda que os agentes públicos municipais não poderiam ter conhecimento prévio do conteúdo da prova, até por questão de lisura e segurança do concurso, motivo pelo qual não houve como analisar previamente a polêmica assertiva, antes que se tornasse pública. 

Inobstante isso, o Município de Morrinhos, através da prefeitura vem lamentar o ocorrido e se solidarizar com as pessoas que se sentiram ofendidas com o conteúdo pejorativo das alternativas à questão de nº10 da prova de conhecimentos gerais, e entendemos que se mostraram inoportunas, infelizes e inconvenientes.

A prefeitura de Morrinhos não compactua com nenhuma forma de discriminação, seja direta e indireta, por motivos de cor, raça, gênero, preferência sexual etc.

Procuramos sim, promover concretamente políticas públicas de combate aos abusos e ao racismo.

A prefeitura de Morrinhos irá diligenciar junto à banca do concurso, visando tomar providências para que medidas sejam tomadas imediatamente em relação ao tema contido na questão nº 10, da prova do concurso público 01/2017″.

Tentamos contato com o Instituto Consulpam, que tem sede em Fortaleza (CE), mas até o momento não tivemos retorno.

prova

concurso

prova

prova

Imagens enviadas com exclusividade para o Curta Mais News.

Câmara rejeita segunda denúncia contra Temer

A Câmara dos Deputados decidiu barrar na noite desta quarta-feira a segunda denúncia de organização criminosa e obstrução à Justiça contra o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria Geral da República). 

O número de votos a favor do relatório do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) chegou a 157. Como 14 deputados estão ausentes e houve 1 abstenção, não é mais possível obter o mínimo necessário para o prosseguimento da denúncia da Procuradoria-Geral da República.

Não é mais possível que a oposição consiga os 342 votos necessários para que a investigação prossiga. 

Festa 800 é autuada pelo Procon

A empresa On Play Entretenimento Ltda, responsável pela organização da Festa 800, foi autuada pelo Procon Goiás nesta segunda-feira (2). O motivo, segundo o órgão, “má prestação de serviços e descumprimento da oferta, infrações ocorridas no evento, que aconteceu no último sábado (30/9), na Fazenda Pitbull, em Goiânia”. A notificação será entregue na manhã desta quarta-feira (4). Em caso de multa, a empresa pode ter que pagar entre R$ 596 a R$ 8 milhões, conforme o porte da empresa, a gravidade da infração e a reincidência.

O assunto foi um dos mais comentados nas redes sociais nos últimos dias e várias pessoas criaram perfis para denunciar os problemas.

Até o momento, três pessoas foram até o Procon Goiás registrar ocorrência. Os organizadores se comprometeram com o órgão a fazer o ressarcimento dos valores de toda pessoa que procurar o Procon e comprovar que não conseguiu entrar no evento.

De acordo com o Procon, ficou constatado que a empresa não tomou as medidas necessárias para garantir aos consumidores que haviam adquirido ingressos a chegada e saída do local do evento. 

O Procon explica ainda que as irregularidades ficaram demonstradas também através de Nota de Retratação divulgada pela empresa em Redes Sociais, na qual reconheceu que a quantidade de VANs e Micro-ônibus não foi suficiente para a quantidade de consumidores, reconhecendo ainda que o serviço somente voltou a funcionar parcialmente após os organizadores tomarem ciência do problema e comparecerem, pessoalmente, para conversar com os prestadores de serviço do translado. 

A orientação do Procon aos consumidores que não participaram do evento em função da impossibilidade de chegar ao local é que compareçam pessoalmente na sede do órgão com o ingresso para solicitação do reembolso do valor pago. O órgão notificará a empresa e designará audiência de conciliação. 

Quanto àqueles que tiveram acesso ao local e participaram do evento, mas sem o translado prometido, bem como os consumidores que tiveram seus veículos danificados, estes devem pleitear a indenização no Poder Judiciário, cujo processo admite prova testemunhal, dentre outras.

Além da instauração de processos acerca das reclamações individuais,  já foi  instaurado o processo administrativo de ofício pelo órgão, identificando as pessoas físicas responsáveis pela empresa, que tem o prazo de  10 (dez) dias para apresentar defesa, a partir da notificação. 

Público reclama de problemas na Festa 800 em Goiânia

Uma das baladas de maior sucesso de Goiânia, teve um detalhe que não agradou nada boa parte do público que foi curtir o agito neste último sábado (30).

Com ingressos vendidos por mais de R$ 1 mil para os retardatários, a quarta edição da Festa 800 deixou muita gente na mão no quesito logística de transporte.

Segundo relatos, por volta de 2 horas da manhã, horário em que as pessoas começaram a se deslocar para a Fazenda Pitbull, próxima ao condomínio Aldeia do Vale, no local de onde sairiam os traslados, faltaram vans para atender a enorme demanda e a confusão começou. Para não perder a festa, devido à longa espera, muitas pessoas resolveram seguir a pé ate o local do evento. Sem orientação, muitos não sabiam a distância e localização exata. Foram cerca de 5 km de caminhada, por uma via mal iluminada, cheia de barro, íngrime e sem sinal de celular na região.

Ao amanhecer, ainda sem traslado suficiente, pessoas voltaram a pé ou penduradas em caminhões.

Por meio da assessoria de imprensa, a organização do evento emitiu Nota de Esclarecimento. Confira abaixo na íntegra:

Nota de esclarecimento
 
A organização da Festa 800 vem por meio desta, em atenção ao público do evento, esclarecer sobre o ocorrido que impediu a festa de ser 100% sucesso.
 
Este foi o quarto ano que a 800 é realizada e, como nos anos anteriores, houve empenho e dedicação para realizar uma noite inesquecível a todos.
 
Este ano o local do evento foi o topo de um morro na Fazenda Pitbull, local este preparado exclusivamente para a Festa 800.
 
O translado do público da entrada da propriedade até o local específico do evento foi feito por Vans. Ocorre que algumas pessoas impacientes com o tempo de embarque nas Vans decidiram fazer o trajeto a pé. Isto levou os veículos a demorarem um pouco mais, pois precisaram dirigir mais devagar devido as pessoas no caminho.
 
Durante a espera para o embarque nas Vans ocorreu uma breve confusão entre um motorista e um grupo de jovens, que chegou a agredir o condutor e depredar seu veículo.
Desta maneira, os motoristas das outras Vans paralisaram o serviço por um momento, aumentando um pouco o tempo de espera. 
 
Durante a manhã do dia 01 de Outubro o perfil da festa no Instagram foi bloqueado temporariamente devido aos comentários com palavras de baixo calão pela própria administração da rede social. 
Os organizadores estão em contato com a rede social para reativa-lo.
 
A equipe 800 sempre pensou em todos os detalhes para proporcionar a melhor balada da vida de cada um presente. A festa é completa, estrutura impecável, grande quantidade de colaboradores para atender a todos, bebidas de qualidade e o melhor buffet da cidade. O line-up deste ano foi sem dúvidas o melhor de todas as outras edições.
 
Infelizmente, tal situação desencadeou este transtorno.
Os organizadores da FESTA 800 pedem desculpas e prometem uma próxima edição melhor.
 
Durante a semana os organizadores irão resolver todas as pendências e dar ao público o mínimo de esclarecimento que eles merecem. Quem quer inovar, vai encontrar desafios e com esses desafios, estão sujeitos aos erros, esse é o preço que se paga por tentar trazer algo novo.
 
Atenciosamente,
Equipe Festa 800

Perfis no Instagram com títulos como “Festa 800 Justiça” e “Festa 800 Procon” foram criados para tratar do assunto.