Goiano corre ultramaratona de 235 km passando por 8 cidades diferentes

O professor de direito da Universidade Estadual de Goiás (UEG) e advogado, Laércio Martins, alcançou uma façanha extraordinária ao correr por 56 horas e 56 minutos na Ultramaratona dos Anjos Internacional. O desafio, que ocorreu entre os dias 17 e 19 de novembro, levou-o a percorrer 235 km por 8 cidades do sul de Minas Gerais, em um testemunho notável de superação e força física.

Professor Laércio no final da ultramaratona de 235 km em 56 horas — Foto: Laércio Martins/Arquivo Pessoal

Laércio no final da ultramaratona. Foto: Laércio Martins/Arquivo Pessoal

A modalidade escolhida por Laércio foi a “survivor” (sobrevivente, em português), na qual o atleta corre sem nenhum apoio, contando apenas consigo mesmo e com a organização do evento. Durante o percurso desafiador, ele teve que prover sua própria alimentação e hidratação, levando consigo todo o equipamento obrigatório.

“Eu espero poder despertar nas pessoas esse desejo de participar de ultramaratonas, é um exercício de autoconhecimento, de disciplina e perseverança, e eu espero mesmo poder despertar isso nas pessoas”, compartilhou Laércio em entrevista ao G1 Goiás.

Esta não foi a primeira ultramaratona enfrentada por Laércio Martins. Em janeiro deste ano, ele participou da BR135 Ultramarathon, considerada a prova mais desafiadora do Brasil.

Professor Laércio na Br135 Ultramarathon — Foto: Arquivo Pessoal

Professor Laércio na Br135 Ultramarathon — Foto: Arquivo Pessoal

Durante a Ultramaratona dos Anjos Internacional, o atleta enfrentou condições adversas, incluindo temperaturas que atingiram os 40ºC. A modalidade “survivor” impõe desafios adicionais, pois o participante precisa contar apenas consigo mesmo para superar os obstáculos do percurso.

A água que Laércio levava na mochila ficava constantemente exposta ao sol escaldante, alcançando temperaturas elevadas. Apesar das condições extremas, o advogado perseverou, enfrentando cada desafio com determinação.

 

Treino e Preparo

Sua preparação para a prova envolveu treinos regulares, cobrindo aproximadamente 100 a 120 km semanalmente. No último mês que antecedeu a ultramaratona, Laércio percorreu impressionantes 500 km como parte de sua rotina de treinamento.

Quando questionado se chegou a ponderar sobre a possibilidade de desistir, Laércio foi enfático: “Desistir nunca foi uma opção. Já me perguntaram outras vezes, mas você não vai em uma prova dessas para desistir, teve muito treinamento e muita dedicação para estar ali.”

O professor e advogado já mira suas próximas aventuras, com preparativos intensos para a desafiadora BR135 Ultramarathon. Com um percurso de 230 km e um desnível acumulado próximo dos 10 mil metros, essa prova é considerada a mais difícil do país, colocando Laércio à prova em estradas de chão sob o calor escaldante do verão na região Sudeste do Brasil.

*Com informações do G1 Goiás

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Foto de Capa: Reprodução/ G1 Goiás

Morre o ex-deputado goiano Francisco Gedda aos 71 anos

Francisco Antônio de Carvalho Gedda, renomado ex-parlamentar que serviu a região sudoeste do estado de Goiás, faleceu na madrugada desta segunda-feira, aos 71 anos. Gedda, que fez parte da 17ª Legislatura na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), deixa um legado inestimável marcado por sua devoção à comunidade goiana. Nascido em Jataí em 15 de setembro de 1951, Francisco Gedda tornou-se uma figura icônica da política regional.

Filho de Antônio Soares Gedda e Doralice Carvalho Gedda, Francisco Gedda era casado com Cyl Miquelina Batista Carvalho Gedda e deixa três filhos: Juliana, Antônio e Francisco. Formado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO), Gedda era advogado de profissão antes de abraçar a carreira política.

Nas eleições estaduais de 2010, Gedda obteve uma expressiva marca de 14.730 votos, assegurando seu mandato na Alego de 2011 a 2015. Membro do então Partido Trabalhista Nacional (PTN), hoje Podemos, Gedda teve uma atuação decisiva na representação de sua região e na articulação política, com participação ativa nos governos de Marconi Perillo (PSDB) e de Alcides Rodrigues (PP).

Antes de se tornar legislador na Alego, Gedda exerceu vários cargos importantes no serviço público, como assessor da Reitoria da Universidade Federal de Goiás (UFG) e da Secretaria de Educação do Estado. Entre 1999 e 2001, foi superintendente de Administração e Finanças da Secretaria de Cidadania e Trabalho. Em 2002, assumiu como superintendente administrativo da Secretaria de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Habitação.

Um dos maiores destaques de sua carreira foi a melhoria no transporte público durante seu mandato como presidente da Metrobus Transporte Coletivo S/A (2008-2010). Gedda impulsionou a aquisição de seis novos ônibus para o Eixo Anhanguera, modernizou terminais, reformou o piso das plataformas, e priorizou o bem-estar dos funcionários com a construção de um refeitório e a implantação de um consultório odontológico.

Gedda também teve papel de liderança no antigo PFL/DEM em Jataí, presidindo por três mandatos consecutivos, e no PTN em Goiás, hoje Podemos. Deixou um legado de compromisso e dedicação à comunidade goiana.

Nos últimos anos, Gedda lutava contra complicações de um traumatismo craniano após cair de uma escada em novembro de 2014. Nas últimas semanas, uma infecção bacteriana agravou seu estado de saúde, levando a constantes convulsões e, na madrugada de segunda-feira, a três paradas cardíacas que culminaram em seu falecimento.

Em cumprimento a seu desejo expresso, o velório de Francisco Gedda está sendo realizado em Jataí, sua cidade natal, e o sepultamento ocorrerá amanhã, terça-feira, 27, às 10 horas, no Cemitério Municipal da cidade. A Alego e seus parlamentares expressam solidariedade à família e amigos neste momento de luto e prestam suas homenagens a Francisco Gedda. Bruno Peixoto (UB), presidente da Assembleia, assinou uma nota de pesar decretando luto oficial de três dias, conforme consta no Decreto Administrativo nº 3.468, publicado em 26 de junho no Diário da Assembleia.

Mulheres de Goiás: conheça a goiana que presidiu a Federação Internacional de Mulheres em Carreira Jurídica

Manoela Gonçalves Silva formou em Direito pela PUC Goiás no ano de 1983. Logo em seguida, começou a atuar como Professora na instiuição. Como advogada e professora luta contra as desigualdades de gênero através de importantes organizações.

No dia 10 de agosto de 2017, Manoela Gonçalves anunciou renuncia à presidência da Comissão da Mulher Advogada da OAB-GO. Na ocasião, Manoela alegou que continuar ao lado do presidente Lúcio Flávio de Paiva feria sua história de luta profissional, uma vez que o gestor não cumpria as promessas que fez durante sua campanha.

Em maio de 2022, a goiana recebeu o título de Presidente da Federação Internacional das Mulheres de Carreira Jurídica (FIFCJ). O processo de eleição para presidente da FIFCJ aconteceu em Angola, na África. Manoela foi eleita a primeira presidente brasileira com 24 votos.

Doutora em Direito pela Universidade de Buenos Aires (UBA), foi reeleita em dezembro de 2022 como Presidente da Associação Brasileira das Mulheres de Carreira Jurídica (ABMCJ). A cerimônia de posse foi realizada no dia 10 de fevereiro de 2023 no Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) com a presença da Ministra da Mulher, Aparecida Gonçalves.

No ano de 1929 foi fundada em Paris a Federação Internacional das Mulheres. A organização luta pelo extermínio de todas as formas de discriminação contra as mulheres. A Associação Brasileira das Mulheres foi criada em 3 de agosto de 1985 como membro integrante da Federação.

A Associação é constituída por mulheres que ocupam cargos como advogadas, defensoras, delegadas, promotoras, magistradas, ministras, procuradoras, professoras, universitárias, entre outras ocupações de cargos jurídicos. Seguem a mesma doutrina do grupo fundador, na luta contra as desigualdades de gênero.

Em vídeo publicado na plataforma YouTube, a goiana Manoela Gonçalves declara seu apoio ao Movimento Paridade de Verdade. O grupo luta pela garantia dos Direitos Humanos e pelo Direito das Mulheres a fim de eliminar práticas sexistas em diferentes instituições.

Imagem: Associação Brasileira das Mulheres de Carreira Jurídica

Clube Curta Mais seleciona o que há de melhor na cidade e negocia benefícios exclusivos para você não perder tempo e ter uma experiência incrível. Faça sua assinatura por apenas 9,90 por mês e tenha acesso aos melhores lugares e programas de Goiânia!

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Pauta desenvolvida pela estagiária de jornalismo Julia Macedo com a supervisão da jornalista Fernanda Cappellesso.

Mulheres de Goiás: a goiana que se tornou correspondente internacional

Nascida em 25 de agosto de 1961, Lilia Teles é uma jornalista completa que atua em sua área pelo Grupo Globo. Como repórter, já esteve presente em diversos cenários da história mundial. Sua história começa em Goiânia. Lilia estudou em escolas públicas durante os oito anos iniciais do ensino fundamental. Ainda criança, era apaixonada por leituras. Gostava de ler por aí em voz alta e sabia que, em algum momento de sua vida, viria a ser jornalista.

Antes de cursar jornalismo se formou no curso de Direito. Em seguida veio a pós-graduação em Direito Agrário pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Engatou formação também na área de Educação Física na Escola Superior de Educação Física de Goiás. Pouco mais tarde, iniciou sua graduação em Jornalismo pela Faculdade Hélio Alonso, no Rio de Janeiro.

Lilia conta que se inscreveu em Direito com o objetivo de transferir para o curso de Jornalismo. Mas acabou desistindo dessa ideia. Com três formações no currículo, em 1987 Lilia começa sua carreira como jornalista pelo jornal Diário da Manhã em Goiânia. Categorias de cinema, decoração, moda e televisão eram de sua responsabilidade. Cerca de um ano depois resolveu participar de um teste para ser repórter da TV Goyá, afiliada da TV Rio.

Aquela voz tão firme e segura fez Lilia ser convidada para atuar como apresentadora do canal. Já no segundo dia de trabalho atuava ao vivo na apresentação de dois telejornais. Três meses depois a jovem goiana participa de um teste para a TV Anhanguera onde é aceita. Em 1988 apresenta sua primeira reportagem para o Jornal Nacional. Gravada na cidade de Flores, a matéria sobre uma inundação foi a primeira do estado de Goiás a ser exibida no Jornal.

Logo Lilia começou estágio na Globo Rio de Janeiro. Foi enviada para Brasília e São Paulo. Em 1 de abril de 1997 a jornalista volta para o Rio contratada pela Editora Rio. Àquela altura recebia pautas importantes como a visita de Papa João Paulo II ao Brasil. No ano seguinte, Lilia foi a primeira jornalista a chegar ao local do desabamento do Palace II. Seu trabalho ali foi além do simples jornalismo.

Ajudou na contagem de apartamentos entre os destroços e acompanhou de perto o momento de aflição das vítimas. Anos mais tarde, quando o Brasil se via em meio ao acidente da plataforma P 36 da Petrobras, Lilia foi a primeira repórter a sobrevoar o local. Em 2004 fez a cobertura completa do tsunami que atingiu a Ásia.

A cada ano que passava, Lilia aumentava seu currículo de maneira graciosa. Seu desempenho de destaque rendeu a ela o convite para trabalhar como correspondente da Rede Globo em Nova York. Durante seus quatro anos de trabalho na América do Norte, a jornalista goiana cobriu fatos que marcaram a história como a guerra no Oriente Médio, a crise econômica internacional, o acidente envolvendo o avião da Gol e assassinatos em escolas.

Em janeiro de 2010, Lilia Teles viajou até o Haiti para mostrar de perto a dor de um povo em meio a uma das maiores tragédias registradas internacionalmente. Os sistemas de comunicação e transporte no local eram precários, os hospitais estavam destruídos, e Lilia percorria as ruas da capital para cobertura completa. Seguindo de perto o comboio do exército local, Lilia enxergou o que quase passou batido pelos militares: uma mulher viva sob os escombros.

Clube Curta Mais seleciona o que há de melhor na cidade e negocia benefícios exclusivos para você não perder tempo e ter uma experiência incrível. Faça sua assinatura por apenas 9,90 por mês e tenha acesso aos melhores lugares e programas de Goiânia!

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Pauta desenvolvida pela estagiária de jornalismo Julia Macedo com a supervisão da jornalista Fernanda Cappellesso.

Mulheres de Goiás: conheça a jornalista que deu voz e a abraçou a causa feminina

Filha mais nova de Gabriel Nasser, Consuelo Nasser nasceu em 28 de dezembro de 1938 na Fazenda Campo Formoso, localizada entre as cidades de Caiapônia e Bom Jardim. Poucos anos mais tarde Consuelo e sua irmã, Maria Stella Nasser, foram levadas para Uberlândia (MG), para ser criada pela irmã mais velha de seu pai, a libanesa Anna. Seu pai estava doente e, necessitando de cuidados médicos específicos, foi transferido para o Rio de Janeiro.

Um ano após sua mudança para o Rio de Janeiro, Maria Stella e Consuelo Nasser receberam a notícia da morte de seu pai e o novo casamento de sua mãe. No decorrer dos dois anos que passou na casa de seus tios, Consuelo e sua irmã frequentaram o Colégio Nossa Senhora das Lágrimas. No ano de 1945, as duas irmãs mudaram para o Rio de Janeiro e ingressaram no Colégio São Marcelo. Ao fim de 1945, as duas meninas voltaram para Goiás onde foram criadas pelo tio Alfredo Nasser. Para Consuelo, Alfredo era como um pai.

Consuelo viveu em uma pequena casa da rua 71, no Bairro Popular, com seus tios e sua irmã. O tio das meninas, Alfredo Nasser, trabalhava no Jornal do Povo, por ele fundado em 1946, e no Senado Federal no Rio de Janeiro. Consuelo e sua irmã foram então matriculadas no Colégio Estadual Lyceu de Goyaz. Ao finalizar seus estudos em 1956, Consuelo viaja de volta para o Rio de Janeiro a fim de prestar vestibular pela Faculdade Nacional de Direito onde é aprovada em 7° lugar aos 17 anos.

No ano de 1960, Consuelo se forma em terceiro lugar em uma turma marcada pela superioridade masculina. A jovem garota se dedicava dia e noite inteiramente aos estudos. Só se permitia momentos de descanso para participar de reuniões da União Estadual dos Estudantes (UEE), ou para encontrar seu tio quando ele estava na cidade. Durante seu período de estudos Consuelo se apaixonou por obras de diferentes escritores. A escritora que mais a marcou foi Simone de Beauvoir como ícone do feminismo.

Consuelo aderia ali à crença beauvoiriana de que ninguém nasce mulher, mas se torna. Seu trabalho no jornalismo começaria em Goiânia, no início de 1959. Na época, Goiânia passava por um conturbado momento de crise política. Estudantes secundaristas protestavam por seus direitos quando o governador, José Feliciano, determinou violenta repressão contra a passeata. No dia 5 de março de 1959, a ação imposta pelo então governador resultou na morte de um jovem.

Um grupo que fazia parte do movimento se reuniu na casa de Alfredo Nasser e decidiram criar um jornal com a data do massacre como nome. Consuelo conseguiu convencer o tio a lhe doar as oficinas do Jornal de Notícias para ajudar na viabilização do Jornal Cinco de Março. A jovem retorna para Goiânia em 1962, dois anos após concluir o curso no Rio de Janeiro. Na ocasião, a sobrinha de Alfredo Nasser assume cargo de meio período na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás e a função de Redatora-Chefe do Jornal Cinco de Março.

Durante o Golpe Militar de 1964 o marido de Consuelo, Batista Custódio, é preso. Seu tio a avisa que o governador Mauro Borges também havia expedido um mandado de prisão para ela. Consuelo se refugia em Caiapônia. Por um período de cinco meses o Jornal Cinco de Março não circulou. Assim que retornou a suas atividades normais o jornal veiculou uma matéria que denunciava um rombo de cinco milhões de reais nos cofres da Polícia Militar de Goiás. O local foi invadido por policiais que destruíram máquinas e documentos.

Mesmo sob ataques e ameaças, o Jornal Cinco de Março continuou a atuar como principal veículo de denúncia aos ataques de corrupção. Foi só em 1970, sob o governo do general Emílio Médici, que o Jornal adotou uma linha editorial mais branda e cuidadosa. Consuelo cuidou das editorias, do administrativo e do processo de soltura do marido que, preso novamente, permaneceu na prisão por cerca de oito meses.

Toda sua luta e trabalho lhe rendeu meios e condições para montar a estrutura do jornal Diário da Manhã em 1980. Consuelo já se encontrava esgotada em meio à tantas batalhas e, em 1982, decide se afastar do trabalho. Dois anos mais tarde, empecilhos de um governo autoritário obrigam Consuelo a voltar para a redação. Sob comando do governo de Iris Rezende, o Diário da Manhã havia sido fechado. Consuelo funda então o jornal Edição Extra que tem sua circulação interrompida em 5 de fevereiro de 1985.

Decidida a voltar para o jornalismo e com economias de sua amiga Rosângela Mota, Consuelo e seu filho Júlio Nasser criam a Revista Presença. A mídia era produzida e editada apenas por mulheres. A nova tecnologia de digitalização lançada em São Paulo fez com que a Revista rodasse por lá. A Revista Presença circulou até abril de 1991 quando Iris Rezende retornou ao poder governamental e Consuelo decidiu não mais lutar.

Afastada do jornalismo e do meio empresarial, Consuelo se uniu a outras mulheres para criar uma entidade que ousasse questionar publicamente a violência contra a mulher. A morte de Eliane de Grammont, em março de 1981, pelas mãos do goiano Lindomar Castilho foram a gota d’água para Consuelo. Para ela já estava encerrado o período em que matar mulheres era socialmente tratado como algo normal e aceitável.

Através de reuniões na casa de sua amiga Linda Monteiro, o grupo de mulheres lideradas por Consuelo Nasser fundaram o Centro de Valorização da Mulher (Cevam). O espaço foi fechado pelo prefeito Daniel Antônio em 1985. Cinco meses depois, o governador Iris Rezende instalou a Primeira Delegacia Especial de Polícia de Defesa da Mulher, sendo esta a segunda do Brasil. Elencando conquistas, o Cevam foi responsável pela criação e instalação da Secretaria Estadual da Condição Feminina.

Em 2012 foi aprovada na Câmara Municipal de Goiânia a Comanda Consuelo Nasser. Desde 2014 as 35 mulheres que combatem atos de ódio e violência contra a mulher recebem essa honraria.

O Cevam funciona até os dias de hoje no acolhimento de mulheres, adolescentes e crianças vítimas de violência doméstica, abuso sexual ou abandono. O local oferece serviços psicológicos e de saúde.

Clube Curta Mais seleciona o que há de melhor na cidade e negocia benefícios exclusivos para você não perder tempo e ter uma experiência incrível. Faça sua assinatura por apenas 9,90 por mês e tenha acesso aos melhores lugares e programas de Goiânia!

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Pauta desenvolvida pela estagiária de jornalismo Julia Macedo com a supervisão da jornalista Fernanda Cappellesso.

Césio 137: mulher recebe indenização por lavar farda do marido bombeiro 30 anos depois do acidente radiológico em Goiânia

Depois de exatos 33 anos, uma dona de casa de 71 anos, conseguiu indenização de R$ 20 mil por danos morais por comprovar que desenvolveu depressão grave após ser acometida por câncer de pele ao lavar a farda do marido, um bombeiro militar, enquanto ele trabalhava no combate ao acidente do Césio 137, em Goiânia, em setembro de 1987. A decisão é da Justiça Federal em Goiás.

 

Benvina Alves Amado é esposa do bombeiro Osvaldino Fidencio Amado, hoje aposentado, e que atuou na linha de frente contra o maior acidente radiológico da história do Brasil.

 

Em 2014, depois de diversas sessões de radioterapia, retirada de tecido do câncer e agravamento de sua depressão, a mulher recebeu diagnóstico de médico psiquiatra que atestou a impossibilidade dela de trabalhar, por causa do seu estado de saúde.

 

Para proferir a sentença, a Turma Recursal da Seção Judiciária da Justiça Federal em Goiânia considerou o resultado de perícia realizada pela Junta Médica Oficial do Centro de Assistência aos Radioacidentados (Cara). De acordo com a decisão da Justiça, não houve qualquer alerta da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) sobre o risco da exposição à radiação, e Benvina, sem saber, continuou a limpar a farda do bombeiro, sem nenhuma proteção.

 

 

Com informações O Globo

 

Imagem: Divulgação

 

Veja também:

 

Entenda porque a gasolina e o etanol estão mais caros

 

Bairro Popular: um quadradinho cheio de história (e atrativos) no coração de Goiânia

 

Bebê da capa de disco do Nirvana processa banda por exploração sexual

 

18 filmes e séries sobre advocacia para se inspirar e aflorar seu senso de justiça

Sabia que dia 11 de Agosto é comemorado o Dia da Advocacia?! Para celebrar o profissional tão importante e que luta por uma sociedade mais democrática e igualitária, separamos algumas séries e filmes sobre o tema para você se inspirar e, quem sabe, aflorar ainda mais o seu senso de justiça. 

E para os advogados e advogadas, que tal relaxar um pouco hoje?! Sabemos que nem só de tribunais, processos, reuniões e contratos, vive o profissional de Direito. Espairecer é preciso! 

Confira abaixo a lista que separamos para vocês:

 

 

Séries

 

 

How to Get Away With Murder (Netflix)

 

Possivelmente uma das séries sobre advocacia mais famosa da atualidade, How to Get Away With Murder, ou “Como se livrar de um Assassinato’’, se passa em uma renomada universidade na Filadélfia, onde a advogada e professora criminal Annalise Keating leciona. A personagem escolhe cinco de seus alunos para um intenso programa de estágio, para que eles possam contribuir ativamente nos casos reais da advogada. A série é estrelada pela atriz vencedora de Oscar, Viola Davis e produzido por Shonda Rimes (Grey’s Anatomy).

 

Suits (Netflix)

Suits é a série jurídica mais recomendada e comentada dos últimos tempos. Mike Ross (Patrick J. Adams) é um garoto que abandonou a faculdade de direito mas, brilhante como é, consegue uma entrevista com o respeitado Harvey Specter (Gabriel Macht), um dos melhores advogados de Manhattan. Quando percebe o talento nato e a memória fotográfica do garoto, Harvey o contrata e, juntos, eles formam uma dupla imbatível. Mesmo sendo um gênio, Mike ainda tem muito a aprender sobre o Direito. E mesmo sendo um advogado tão competente, Harvey irá aprender com sua nova dupla a ver seus clientes de outra maneira. 

 

Olhos que Condenam (Netflix)


Baseado em fatos reais, a minissérie mostra a triste de história de cinco jovens negros do Harlem que foram injustamente acusados de estuprarem uma mulher no Central Park. Julgados em 1990, eles só foram inocentados em 2014, depois que 

evidências de DNA comprovaram que o grupo não estava conectado ao brutal crime.

 

 

 

The Good Wife (Prime Video e Paramount+)

 

The Good Wife é uma série dramática que tem como protagonista Alicia Florrick, uma esposa e mãe que assume responsabilidade total sobre sua família e volta ao mercado do trabalho depois do escândalo de sexo e corrupção em que seu marido se envolveu e o levou para a cadeia. Deixando de lado a traição e a humilhação pública causada por seu marido, Peter, Alicia recomeça sua vida e volta a trabalhar como advogada.

 

 


Em Defesa de Jacob (Apple TV)

 

A minissérie conta a história de Jacob Barber, um adolescente acusado de ter assassinado um de seus colegas de escola que fazia bullying com ele, Ben Rifkin, e que precisa da ajuda do pai para advogar em sua defesa. A tarefa, que já seria difícil para um desconhecido, uma vez que existem provas contundentes contra o garoto, se torna ainda mais desafiadora por envolver um sentimento fraternal.

 

 

American Crime Story: O Povo Contra O.J. Simpson (Star+)

 

O ex-jogador de futebol americano e ator O.J. Simpson é acusado de ter assassinado a facadas sua segunda ex-mulher, a modelo Nicole Brown, e o amigo dela Ronald Goldman. Começa então a luta de Simpson para provar no julgamento que é inocente. A minissérie é baseada em fatos reais.

 

 

 

Justiça (GloboPlay)


Aclamada pela crítica, “Justiça” é uma produção nacional exibida pela TV Globo em 2016 e indicada ao Emmy Internacional daquele ano na categoria de Melhor Série Dramática. Adriana Esteves concorreu ao prêmio de Melhor Atriz. Ambientada no Recife, a história acompanha personagens que buscam justiça e cujas vidas acabam se entrelaçando.



 

 

Billions (Netflix)

 

Os protagonistas desta série são Chuck Rhoades, um agressivo procurador de justiça com planos de se tornar governador de Nova York, e Bobby Axelrod, um dos homens mais ricos e poderosos de Wall Street. Ambos se detestam. O empresário vive cometendo diversas irregularidades a seu favor — e o procurador anseia por um deslize de seu rival para “pegá-lo” e condená-lo pelos seus crimes contra o sistema financeiro.

 

 

 

Better Call Saul (Netflix)

Série derivada do sucesso Breaking Bad, é ambientada seis anos antes de Saul Goodman conhecer Walter White. Quando o conhecemos, o homem que se tornará Saul Goodman é conhecido como Jimmy McGill, um advogado de pequenas causas procurando o próprio destino e, mais imediatamente, tentando acertar sua vida financeira. Trabalhando ora junto a ele e ora contra, está Mike Erhmantraut. A série acompanha a transformação de Jimmy em Saul Goodman, o homem que coloca “criminosos” dentro da “lei”.



 

O Poder e a Lei – Série (Prime Vídeo)

 

O drama acompanha a vida de Mick Haller, que comanda uma firma de advocacia no banco de trás de seu carro, trabalhando em pequenos e grandes casos em Los Angeles. Ele se depara com um grande mistério para resolver logo que incia seu negócio. Ao mesmo tempo ele quer se reaproximar de suas duas ex-esposas: Lorna (Becki Newton) e Maggie (Neve Campbell).

 

 

Filmes

 

 

O Juíz (HBOMax e Prime Video)

 

Hank Palmer, um advogado bem-sucedido e arrogante, retorna à sua pequena cidade natal para o velório da mãe. Ele descobre que seu pai, o respeitado juiz local Joseph Palmer, está sendo acusado de ter assassinado um antigo réu, que acabou de sair da prisão após cumprir 20 anos na cadeia. Apesar de toda a frieza que há entre eles, Hank assume o caso e passa a defender o pai. Os dois precisam curar certas feridas e aceitar a dependência que Joseph, portador de Alzheimer, tem do filho.

 

 

 

Roman J. Israel, Esq. (Prime Vídeo e Apple+)

 

Roman Israel é um advogado de defesa idealista que decide mudar de firma após a morte do seu mentor e chefe. Ele passa por uma crise moral ao precisar defender Langston Bailey, um homem acusado de homicídio.



 

 

Luta por Justiça (HBOMax e Prime Vídeo)

 

O advogado Bryan Stevenson assume o caso de Walter McMillian, que foi condenado a morte por assassinato, apesar das evidências que comprovam sua inocência. Stevenson encontra racismo e manobras legais enquanto luta pela vida de McMillian.

 

 

 

A Condenação (Prime Video)

 

Betty Anne e Kenny são irmãos muito unidos desde a infância. Já adultos, Kenny passa a ser perseguido pela polícia local por já ter ficha suja. Desta forma, sempre que há algum crime acontecendo na cidade ele é detido para averiguações, mesmo que não haja o menor indício de sua participação. A situação se complica quando ele é preso ao ser acusado de ter cometido o assassinato de uma jovem. O caso vai a tribunal e, com vários depoimentos contra si, Kenny é condenado à prisão perpétua. Betty Anne sempre acreditou em sua inocência e jamais se conformou com a sentença, buscando meios de recorrer. Sem dinheiro para pagar um advogado de renome, ela decide voltar a estudar para se formar em Direito. O projeto leva anos até ser concluído, de forma que possa assumir ela mesma a defesa do irmão em uma tentativa de recorrer da pena.

 

 

 

 

Os 7 de Chicago (Netflix)

 

A produção baseada em fatos reais, conta a história de sete réus: Abbie Hoffman, Tom Hayden, David Dellinger, Jerry Rubin, Lee Weiner, John Froines e Rennie Davis,  que foram acusados pelo governo americano de conspiração, incitação à revolta e outros delitos. O confronto violento contra a polícia ocorreu no ano de 1968, quando diferentes grupos contrários à Guerra do Vietnã se encontraram em Chicago, Illinois para o que deveria ser um protesto pacífico, mas que acabou resultando em um dos julgamentos mais famosos da história.

 

O Preço da Verdade (Telecine e Prime Video)

 

Um advogado ambiental acaba de se tornar sócio de uma grande firma de advogados que defende grandes corporações em questões ambientais. No entanto, ele descobre um esquema de poluição que está colocando a vida de milhares de pessoas em risco, e por isso, coloca sua carreira em risco para expor a empresa responsável. Baseado em uma história real.

 

Michael Clayton (Conduta de Risco) (Telecine e Prime Video)

 

Michael Clayton trabalha numa das maiores firmas de advocacia de Nova York, tendo por função limpar os nomes e os erros de seus clientes. Tendo trabalhado anteriormente como promotor de justiça e vindo de uma família de policiais, Clayton é o responsável por realizar o serviço sujo da firma Kenner, Bach & Ledeen, que tem Marty Bach como um de seus fundadores. Apesar de estar cansado e infeliz com o trabalho, Clayton não tem como deixar o emprego, já que o vício no jogo, seu divórcio e o fracasso em um negócio arriscado o deixaram repleto de dívidas. Quando Arthur Evans, o principal advogado da empresa, sofre um colapso e tenta sabotar todos os casos da U/North, uma empresa que é cliente da Kenner, Bach & Ledeen, Clayton é enviado para solucionar o problema. É quando ele nota a pessoa em que se tornou.

 

O Poder e a Lei – Filme (Prime Vídeo)

 

Mick Haller é um advogado criminalista carismático que conduz seus negócios dentro de seu carro. Mick passa a maior parte de seu tempo defendendo criminosos mesquinhos e oportunistas, por isso é uma surpresa quando consegue um caso de grande importância: defender um playboy de Beverly Hills acusado de tentativa de homicídio. No entanto, o que Mick inicialmente pensa ser um caso que será facilmente resolvido e lhe renderá um bom dinheiro, se transforma em algo sinistro e sua vida corre risco.

 

Fui demitido durante a pandemia do coronavírus, quais são os meus direitos?

Desde o início da pandemia de Covid-19, muitos trabalhadores convivem diariamente com o medo da demissão. Os impactos da pandemia na economia e o isolamento social levaram muitas empresas a reorganizar seus negócios. Apesar dos esforços do Governo com Medidas Provisórias para preservar empregos, dados oficiais indicam recordes de demissões no período da pandemia.

Nesse contexto surge, também, a preocupação com o pagamento das verbas rescisórias e com os direitos do trabalhador em caso de dispensa.

Sobretudo, a dispensa de colaboradores durante a crise da Covid-19 permanece obedecendo às regras da Consolidação de Leis do Trabalho (CLT). Sendo assim, o empregado dispensado sem justa causa terá direito à indenização equivalente de 30 dias, mais 3 dias de salário por ano; férias não usufruídas e férias proporcionais no momento da demissão, acrescidas de 1/3; 13º salário proporcional e multa de 40% do FGTS.

Todavia, como alternativa para evitar ao aumento desenfreado do desemprego no Brasil, o Governo implementou algumas medidas provisórias, como a MP 927, que flexibiliza o uso do teletrabalho e promove antecipação das férias individuais ou coletivas, antecipação de feriados e implementação do banco de horas sem as regras estabelecidas na CLT.

Participe do grupo do Curta Mais no WhatsApp

COVID-19 Agora é Considerada Acidente de Trabalho

Outra forte medida foi a instituição da MP 936, que disponibiliza o pagamento de benefício emergencial aos empregados que tiverem, conjuntamente, a redução de jornada e de salário ou suspensão da prestação de serviço. Em ambos os casos, o benefício é pago pelo Ministério da Economia.

Vale lembrar que os empregados integralizados na MP 936 que tiveram a jornada de trabalho e o salário reduzidos ou com o contrato de trabalho suspenso terão preservados seus empregos pelo mesmo período que tiveram de redução da jornada ou de suspensão do contrato.

Outra medida criada como auxílio, foi a MP 946, no qual autoriza o saque do recurso do FGTS até o limite de R$ 1.045 por trabalhador. As medidas provisórias citadas foram instituídas pelo governo para auxílio em tempos de pandemia.

Vale ressaltar que o empregador, caso necessário, pode, sim, fazer o desligamento normal de seus empregados durante o período de crise, sendo que ainda não foi instituído nenhum decreto federal ou estadual que garanta o emprego.

Fonte: Diário da Manhã

Receba notícias do Curta Mais diretamente no seu WhatsApp (clique aqui)

SIGA O CURTA MAIS NAS REDES SOCIAIS

Facebook | Instagram | Twitter 

FGV tem mais de 50 cursos online e gratuitos para fazer durante a quarentena

A Fundação Getúlio Vargas (FGV), uma das mais conhecidas escolas de negócios do país no que tange à oferta de graduação, MBA, especialização, mestrado e doutorado, também possui cursos de aperfeiçoamento à disposição, alguns pagos e outros gratuitos.

Dentre as ofertas gratuitas, os temas são variados e vão desde finanças, tributos, gestão e marketing até direito. A parte boa, é que durante a quarentena você pode fazer mais de 50 cursos dos quais a FGV tem à disposição. Confira as opções clicando aqui.

Estudante de Goiânia vende bolos fitness para participar de Congresso em Portugal: ‘Comecei com 100 reais’

Matheus Monteiro de 23 anos, é estudante do curso de Direito em Goiânia e começou a vender bolos fitness para custear a sua viagem para o Congresso Intercontinental de Direito Civil, que acontecerá no início de novembro em Coimbra, Portugal.

Após ver sobre o evento no Instagram, Matheus procurou mais informações e percebeu que a viagem ficaria muito cara e inviável ao seu bolso, já que ele não estava estagiando e não tinha uma renda fixa. Mas a vontade do jovem era muito grande e ele não havia desistido. 

“Vi a minha tia fazendo bolos de aveia, e tive a ideia de vender bolos fitness pra custear a viagem”, diz Matheus.

O bolos são todos a base de aveia, sem adição de açucares e zero lactose. A ideia fez sucesso muito rápido e Matheus ficou surpreso com o resultado. “Comecei com 100,00 reais, comprei os produtos e fiz o menu, depois montei uma página no Instagram e no primeiro mês vendi 70 unidades do bolo”, finaliza. 

A tia Joana Dark ensinou a receita para Matheus, mas ele precisava continuar o seu negócio de forma independente. A mãe de Matheus, Kátia Regina, ajuda o filho na produção dos bolos e afirma que o estudante consegue fazer sozinho. “Ele faz sozinho, já pegou a receita, mas com a rotina dos estudos muito intensa ele precisa de ajuda para entregar os pedidos”, diz. 

Matheus pretende continuar com os bolos fitness depois do Congresso, pois ele descobriu na aveia uma maneira de obter uma renda todo mês. O jovem sonha alto e pretende investir no seu pequeno negócio, algo que surgiu temporiariamente, mas que agora ele já faz planos para o futuro. 

A foto abaixo mostra Matheus e sua mãe Kátia vendendo os bolos na faculdade em que ele estuda: 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Aveia Dourada (@aveiadourada) em

Defensoria Pública da União abre edital para estágio na àrea de Direito em Goiás

A Defensoria Pública da União em Goiás (DPU-GO) está com edital aberto para estágio de Direito. De acordo com o CIEE (Centro de Integração Empresa-Escola) as vagas são para formação de cadastro de reservas, admitindo estudantes entre o 4° e o penúltimo período do curso de Direito, sendo 10% das vagas reservadas para pessoas com deficiência. 

As inscrições são gratuitas e estarão abertas até o dia 14 de Agosto, no site do CIEE. Segundo o edital do concurso, as vagas são para o período matutino e vespertino, com salário previsto de R$ 800 mensais para carga horária de 20h semanais. Além disso, os selecionados também receberão auxílio-transporte de R$ 8 por dia estagiado.

Após o período de incrições e homologação dos candidatos, o edital prevê que, entre os dias 28 e 31 de Agosto, será feita a divulgação do local da prova, a ser realizada no dia 1° de Setembro às 09h. A lista provisória de aprovados está prevista para divulgação no dia 22 de Outubro, e após período destinado para recursos, a lista definitiva de aprovados será divulgada no dia 8 de Novembro. 

 

Estágio na DPU-GO

Edital Completo

Inscrições

Prazo de inscrição: até 14 de agosto de 2019
Data da prova: 1º de setembro de 2019
Carga horária: 4 horas diárias ou 20 horas semanais
Salário: R$ 800 + R$ 8 por dia estagiado referente a transporte
Outras informações na DPU: Avenida T-63, nº 984 – Setor Bueno; Goiânia
Telefone: (62) 3236-5900

 

CIEE abre mais de 230 vagas de estágio em Goiás

O CIEE, Centro de Integração Empresa-Escola, abre as suas portas para o preenchimento imediáto de 182 vagas de estágio em Goiânia e 49 pelo interior do estado. Para ter acesso às vagas o estudante deve fazer o cadastro no site do CIEE e acessar o Banco de Vagas!

Estão disponíveis também vagas para alunos do esino médio.
Veja a lista completa de vagas:

OPORTUNIDADES DE ESTÁGIO – CIEE Goiânia

Administração
67 vagas
Do 01° ao 08° Período
Marketing
10 vagas
Do 01° ao 06° Período
Publicidade e Propaganda
12 vagas
Do 01° ao 08° Período
Design Gráfico
02 vagas
Do 01° ao 08° Período
Design
02 vagas
Do 02° ao 07° Período
Design de Moda
02 vagas
Do 02° ao 08° Período
Letras – Inglês
01 vaga
03° Período
Relações Públicas
02 vagas
Do 04° ao 07° Período
Informática
01 vaga
Do 01° ao 05° Período

Ciências Contábeis
12 vagas
Do 01° ao 08° Período
Educação Física
03 vagas
Do 02° ao 07° Período
Enfermagem
01 vaga
Do 03° ao 06° Período
Engenharia Elétrica
02 vagas
Do 05° ao 08° Período
Pedagogia
05 vagas
Do 01° ao 08° Período
Agronomia
01 vaga
04° Período
Farmácia
05 vagas
Do 01° ao 07° Período
Jornalismo
01 vaga
Do 05° ao 07° Período
Ciência da Computação
05 vagas
Do 05° Período ao 09° Período
Ciências Econômicas
01 vaga
Do 03° ao 06° Período
Fisioterapia
01 vaga

Do 07° ao 08° Período
Psicologia
04 vagas
Do 01° ao 09° Período
Engenharia de Alimentos
01 vaga
Do 01° ao 05° Período
Direito
05 vagas
Do 01° ao 08° Período
Matemática
01 vaga
Do 03° ao 08° Período
Tecnologia em Gastronomia
02 vagas
Do 02° ao 03° Período
Tecnologia em Estética e Cosmética
01 vaga
Do 03° ao 08° Período
Técnico em Segurança do Trabalho
03 vagas
Do 01° ao 03° Período
Tecnologia em Informática
01 vaga
Do 02° ao 07° Período
Técnico em Eletrotécnica
01 vaga
Do 01° ao 04° Período
Tecnologia em Gestão Comercial
01 vaga
Do 01° ao 07° Período

Técnico em Telecomunicações
01 vaga
Do 02° ao 07° Período
Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas
01 vaga
Do 03° ao 05° Período
Recursos Humanos
03 vagas
Do 01° ao 07° Período
Sistemas de Informação
02 vagas
Do 04° ao 07° Período
Ensino Médio
19 vagas
Do 01° ao 03° Ano

OPORTUNIDADES DE ESTÁGIO
CIEE CALDAS NOVAS

Central de Operações: 3003-2433

Administração
02 vagas
Do 01° ao 07° Período
Ensino Médio
05 vagas
Do 01° ao 03° Ano

OPORTUNIDADES DE ESTÁGIO – CIEE ANÁPOLIS

Central de Operações: 3003-2433

Administração
07 vagas
Do 01° ao 07° Período
Ciências Contábeis
02 vagas
Do 01° ao 07° Período
Educação Física
03 vagas
Do 01° ao 07° Período
Pedagogia
01 vaga
Do 01° ao 07° Período
Ciência da Computação
02 vagas
Do 02° ao 05° Período
Marketing
02 vagas
Do 03° ao 06° Período
Publicidade e Propaganda
02 vagas
Do 01° ao 07° Período
Nutrição
02 vagas

Do 01o ao 06o Período
Recursos Humanos
01 vaga
Do 01° ao 03° Período
Biomedicina
02 vagas
Do 03°ao 05° Período
Farmácia
01 vaga
Do 01° ao 06° Período
Ensino Médio
01 vaga
Do 01° ao 02° Ano

OPORTUNIDADES DE ESTÁGIO – CIEE RIO VERDE

Central de Operações: 3003-2433

Administração
06 vagas
Do 01° ao 07° Período
Educação Física
01 vaga
Do 01° ao 07° Período
Pedagogia
02 vagas
Do 01° ao 7° Período

Marketing
01 vaga
Do 01° ao 06° Período
Informática
01 vaga
Do 04° ao 06° Período
Design
01 vaga
Do 03° ao 7° Período
Técnico em Administração
01 vaga
Do 01° ao 03° Período
Técnico em Informática
01 vaga
Do 01° ao 07° Período
Ensino Médio
02 vagas
Do 01° ao 03° Ano

OPORTUNIDADES DE APRENDIZ
Central de Operações: 3003-2433

 

Ensino Fundamental / Ensino Médio
12 vagas

Para mais informações deverão entrar em contato com a Central de Operações, no telefone 62 3003-2433.

Obs.:Os editais dos processos seletivos com todas as informações estão disponíveis no site do CIEE!

UFG realiza o Espaço das Profissões 2019 nesta terça e quarta feira em Goiânia

A Universidade Federal de Goiás (UFG) realiza nos dias 7 e 8 de maio o Espaço das Profissões 2019, na Regional Goiânia, uma exposição que aproxima os universitários e profissionais da Instituição de estudantes do ensino médio interessados em ingressar na UFG. O objetivo do evento é propiciar a esses jovens a oportunidade de conhecer a Universidade e os cursos e habilitações oferecidos gratuitamente. São esperados para esta edição 40 mil discentes do ensino médio da capital e do interior do Estado.

Na mostra, as unidades acadêmicas criam salas interativas nas quais os visitantes podem conversar com monitores sobre os cursos de graduação, estágio e mercado de trabalho. Além dos já tradicionais espaços interativos e palestras sobre os cursos de graduação e as formas de ingresso na UFG, o evento deste ano conta com uma programação cultural e científica, que proporcionará a chance de conhecer vários espaços e atividades que caracterizam a UFG como uma Universidade.

O Espaço das Profissões 2019 também prevê, além das rotas culturais e científicas, visitas a alguns locais da UFG como o Centro Editorial e Gráfico (Cegraf), Escola de Veterinária e Zootecnia (EVZ), Faculdade de Educação Física e Dança (FEFD), Herbário, Laboratório Multiusuário de Microscopia de Alta Resolução (Labmic), Laboratório de Estudos e Dinâmicas Territoriais (Laboter), Laboratório de Processamento de Imagens e Geoprocessamento (Lapig), voo com drones, Laboratório de Tecnologia da Informação e Mídias Educacionais (Labtime), Museu de Anatomia, Biblioteca Central, Museu Antropológico, Planetário e TV UFG.

Quem quiser se antecipar e obter mais informações sobre os cursos de graduação oferecidos pela Universidade, A UFG fez vídeos que apresentar os cursos presenciais. Veja Alguns: 

Estude na UFG

 

Ciências da Computação

 

Arquitetura

 

Medicina

 

Relações Internacionais

 

Jornalismo

 

Direito

 

 

Estude na UFG

A UFG é uma instituição pública e gratuita que oferece cursos de graduação em diversas áreas do conhecimento. As modalidades de ingresso na UFG são: Sistema de Seleção Unificado (Sisu), UFGInclui, processo seletivo para cursos que exigem Verificação de Habilidades e Conhecimentos Específicos (VHCE), Educação do Campo, Educação Intercultural Indígena ou Preenchimento de Vagas Remanescentes, além do Processo Seletivo de Cursos a Distância. Atualmente a UFG conta com cerca de 30 mil estudantes.

Sobre a UFG

A Universidade Federal de Goiás foi fundada em 1960 com a fusão de cinco faculdades já existentes. Com 156 cursos de graduação, mais de 6 mil vagas disponíveis por ano na graduação e mais de 30 mil alunos, está presente nas cidades de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Catalão, Goiás e Jataí. Além da graduação, a UFG oferece 78 cursos de pós-graduação entre mestrados, doutorados e mestrados profissionais, com mais de 4.200 estudantes.

Serviço

Universidade Federal de Goiás apresenta Espaço das Profissões 2019

Quando:

07/05 – terça-feira: das 13h30 às 21h

08/05 – quarta-feira: das 8h30 às 17h30

Local: Universidade Federal de Goiás – Regional Goiânia – Câmpus Samambaia

Endereço: Av. Esperança, s/n – Chácaras de Recreio Samambaia, Goiânia – GO, 74690-900

Informações: (62) 3521-1311

Aos 78 anos, idoso se forma em direito em Goiânia

Aos 78 anos, Sebastião Oliveira realiza seu sonho e se forma no curso de direito em Giânia, na última quarta-feira (13).

Após vários anos longe das salas de aula, em 2004 (16 anos atrás) ele retornou para a escola e oito anos após recebeu o diploma de conclusão do ensino médio. 

Inspirado em seus netos, Sebastião via os garotos indo par a Universidade e foi o que o motivou para tomar a decisão.

Hoje, formado em Direito, o idoso já teve mais de 10 profissões, desde cisternas a torres de antena.

Apesar das dificuldades e empecilhos da vida, o mais novo bacharel em direito não desistiu de realizar seu sonho e agora se prepara para o próximo: conquistar a aprovação na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-GO).

Imagem de capa: Arquivo Pessoal

Goiana é a primeira mulher quilombola mestre em Direito no Brasil

A advogada, Vercilene Francisco Dias, será a primeira mulher quilombola com mestrado em Direiro no Brasil. Ela ingressou no curso de Direito da UFG em 2011, pelo programa UFGInclui, e se formou em 2016. Sendo, também, a primeira quilombola a passar no exame da OAB de Goiás.

Vercilene deu início ao seu mestrado em Direito Agrário, em 2017, e irá apresentar a defesa da sua dissertação no Programa de Pós-graduação da UFG, nesta quinta-feira (21/02), às 14:00h. Ela já trabalha como advogada popular, representando os interesses da comunidade Kalunga, e o seu trabalho atual retrata a “Terra versus Território: Uma Análise Jurídica dos Conflitos Agrários Internos na Comunidade Quilombola Kalunga de Goiás”.

+ Comunidade Kalunga carrega cultura, tradição e história em santuário ecológico de Goiás.

A conquista serve de exemplo e inspiração para outras pessoas que pretendem seguir esse caminho e mudar de vida. Os programas de incerção tem como objetivo fazer com que os menos privilegiados, socialmente, tenham a oportunidade de mostrar a sua capacidade, e Vercilene conseguiu conquistar o seu espaço com toda a sua luta e dedicação.

Capa: Tribuna do Planalto / Facebook Vercilene