Conheça os 10 maiores colégios eleitorais de Goiás

Goiás possui 5.081.264 eleitores aptos para votar nas eleições de 2024, marcadas para o mês de outubro, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Do total, 2.664.671 são mulheres, o que corresponde 52,44% do total de leitores e 2.416.593 são homens (47,56%).

O maior colégio eleitoral do Estado é Goiânia, com 1.036.700 eleitores, o que corresponde a 20,4% do eleitorado goiano. Para as próximas eleições, a capital conta com sete pré-candidatos a prefeito: Adriana Accorsi (PT), Gustavo Gayer (PL), Leonardo Rizzo (Novo), Matheus Ribeiro (PSDB), Rogério Cruz (Solidariedade), Sandro Mabel (UB) e Vanderlan Cardoso (PSD).

Aparecida de Goiânia concentra o segundo maior número de eleitores em Goiás. No total, são 345.994, ou seja 6,8% do eleitorado do Estado. Até o momento, três pré-candidaturas foram anunciadas à prefeitura: Alcides Ribeiro (PL), Vilmar Mariano (MDB) e Waterloo Ferraz (Rede Sustentabilidade).

A terceira cidade com mais eleitores em Goiás é Anápolis, com 292.714 pessoas aptas a votar. Pretendem concorrer à prefeitura Antônio Gomide (PT), Eerizania Freitas (UB), Eugênio Lourenço (PSOL), Hélio Lopes (PSDB), José de Lima (PMB), Karim Abraão (PSD), Lisieux José (PSB), Márcio Corrêa (MDB) e Mariane Stival (PDT).

Os demais municípios que compõem o ranking dos dez maiores colégios eleitorais goianos são:

  • Rio Verde: 150.293 eleitores;
  • Luziânia: 134.039 eleitores;
  • Águas Lindas de Goiás: 120.202 eleitores;
  • Valparaíso de Goiás: 95.419 eleitores;
  • Trindade: 94.293 eleitores;
  • Senador Canedo: 89.066 eleitores;
  • Formosa: 78.242 eleitores.

Curiosidade
Das 246 cidades goianas, somente três podem ter segundo turno eleições municipais: Goiânia, Aparecida de Goiânia e Anápolis. Isso porque, pela regra eleitoral, apenas municípios com mais de 200 mil eleitores têm segundo turno, quando nenhum candidato recebe 50% dos votos válidos (sem contar com os brancos e nulos) mais um. Nas cidades menores, é usado o sistema de maioria simples, ou seja, já no primeiro turno vence quem tiver o maior número de votos, mesmo que não seja mais que a metade.

Caiado, Bolsonaro e Lula: quem será o maior cabo eleitoral em Goiânia?

A disputa pela Prefeitura de Goiânia deve ter a influência de dois nomes da direita: o governador Ronaldo Caiado (UB) e o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Apesar de aliados, os dois apoiam pré-candidatos diferentes na capital. Caiado escolheu o empresário Sandro Mabel (UB) para concorrer ao Paço. Bolsonaro, por sua vez, lançou o deputado federal Gustavo Gayer como pré-candidato pelo PL.

Do outro lado, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deve ser o principal cabo eleitoral da esquerda. O chefe do Executivo convidou a deputada federal Adriana Accorsi (PT) para disputar a prefeitura pela terceira vez. A petista foi a primeira a ter sua pré-candidatura oficialmente lançada.

Dos três lados, já começaram as mobilizações, estratégias, definições e prioridades. Gayer, inclusive, já anunciou o ex-deputado estadual Fred Rodrigues (PL) como pré-candidato a vice-prefeito.

O governador de Goiás já anunciou que pretende ser candidato a presidente da República, enquanto Bolsonaro está inelegível por decisão da Justiça Eleitoral até 2030. Lula deve concorrer à reeleição. Os três sabem que vencer em Goiânia será fundamental para as eleições de 2026.

Bolhas
Tecnicamente empatados em primeiro lugar nas pesquisas eleitorais, Adriana Accorsi, Gustavo Gayer e Vanderlan Cardoso (PSD) têm enfrentado a mesma dificuldade: encontrar um candidato a vice-prefeito fora de seus grupos políticos. A petista procurou nomes de partidos de centro e de centro-direita, mas ainda não conseguiu um nome de peso. Gayer decidiu disputar com chapa pura e seu vice será do próprio PL. Do outro lado, Vanderlan enfrenta resistências dentro do próprio partido e ainda não avançou na escolha do seu companheiro de chapa.

Dobradinha
Sandro Mabel e Vilmar Mariano farão campanha conjunta em bairros limítrofes de Goiânia e Aparecida. Os dois também pretendem contar com a presença do governador Ronaldo Caiado no maior número possível de agendas de campanha nos dois municípios.

Incomodados
Aliados do vice-governador Daniel Vilela (MDB) não estão satisfeitos com a insistência do grupo liderado pelo presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Bruno Peixoto (UB), em indicar o candidato a vice-prefeito na chapa de Sandro Mabel. A avaliação é que o MDB, que venceu várias eleições em Goiânia com Iris Rezende e Maguito Vilela, não pode ficar fora da chapa majoritária.

Isolamento
O PL deve caminhar sozinho também em Aparecida de Goiânia e Anápolis, cidades onde também há a possibilidade de segundo turno. Em Aparecida, o ex-deputado estadual Max Menezes, que trocou o PSD pelo PL, deve ser o candidato a vice na chapa do Professor Alcides Ribeiro. Em Anápolis, o PL terá Márcio Corrêa como candidato a prefeito e, provavelmente, o vereador Hélio Araújo, que é o presidente da legenda, como parceiro de chapa.

Mulheres na disputa
De olho no cumprimento da cota de gênero, o Republicanos anunciou que terá 24 mulheres na disputa por mandatos na Câmara Municipal de Goiânia. Com isso, não haverá dificuldade para o cumprimento da legislação, que estabelece a reserva mínima de 30% das candidaturas para as mulheres.

Silêncio
A falta de engajamento do ex-governador e presidente nacional do PSDB, Marconi Perillo, na pré-campanha do jornalista Matheus Ribeiro à Prefeitura de Goiânia tem causado estranheza dentro do partido. Considerado o principal cabo eleitoral da legenda, Perillo têm se mantido afastado, inclusive das discussões sobre a escolha do candidato a vice de Matheus.

Legislativo
Bônus – A Assembleia Legislativa aprovou, em definitivo, o projeto que concede bônus por resultado na Secretaria de Estado da Educação de 2024. A matéria foi aprovada por 25 votos.

Data comemorativa – O deputado estadual Virmondes Cruvinel (UB) quer defende a instituição, em 6 de junho, do Dia do Servior da Defesa Agropecuária.

Mulheres são maioria em Goiânia, tanto em habitantes, quanto em eleitores

Goiânia tem 756.475 mulheres, representando 52,63% da população goianiense. Homens somam 680.891, ou 47,37%, do total populacional. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As mulheres também são maioria entre os eleitores da capital.

Segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), dos 1.040.171 eleitores de Goiânia, 568.193 são do gênero feminino e 471.978 do gênero masculino. Com isso, as mulheres representam 54,62% do eleitorado, enquanto os homens somam 45,38%.

Mesmo sendo a maioria entre os eleitores, as mulheres ainda são poucas entre os eleitos. Dos 35 vereadores goianienses, somente quatro são mulheres: Aava Santiago (PSDB), Léia Klebia (Podemos), Luciula do Recanto (MDB) e Sabrina Garcêz (Republicanos). Gabriela Rodart foi eleita, mas teve o mandato cassado no início de 2024 por infidelidade partidária, ao trocar o DC pelo extingo PTB.

Goiânia também nunca foi administrada por uma mulher. A ex-senadora Lúcia Vânia foi, até o momento, quem teve o melhor desempenho entre as mulheres que já concorreram ao cargo. Nas eleições de 2000, a ex-parlamentar obteve 22,83% dos votos e terminou a disputa em terceiro lugar.

Nas eleições de 2024, somente uma mulher se apresentou, até o momento, como pré-candidata à prefeitura: a deputada federal Adriana Accorsi (PT). A parlamentar já concorreu ao Paço em 2016 e em 2020, alcançando a quinta e a terceira colocação, respectivamente.

Gustavo Gayer anuncia Fred Rodrigues como pré-candidato a vice-prefeito de Goiânia

O ex-deputado estadual Fred Rodrigues (PL) será o candidato a Vice-prefeito de Goiânia na chapa de Gustavo Gayer, também do PL. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (29/04), em entrevista coletiva. “É alguém que entende o que eu falo e carrega os mesmos princípios”, afirmou Gayer.

A decisão coloca fim aos rumores de uma suposta desistência de Gayer para apoiar a pré-candidatura do empresário Sandro Mabel (União Brasil). Os boatos incomodaram diversas lideranças do partido. O Deputado estadual Delegado Eduardo Prado chegou a anunciar que seria o candidato do PL à prefeitura caso Gayer não concorresse.

Gayer é o primeiro pré-candidato à Prefeito a anunciar seu companheiro de chapa. Os demais postulantes seguem com articulações em busca de um vice. Sandro Mabel deve ter um nome indicado pelo bloco liderado pelo presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, Bruno Peixoto (União Brasil).

Adriana Accorsi (PT) busca um Vice fora do campo da esquerda. Vanderlan Cardoso (PSD), por sua vez, ainda não sinalizou qualquer pretensão sobre seu futuro candidato a Vice.

Central de Atendimento ao Eleitor de Goiânia anuncia plantão de atendimento no feriado de 1º de maio

Com o prazo para cadastros eleitoral e regularização do título de eleitor chegando próximo do fim, a Central de Atendimento ao Eleitor de Goiânia anunciou que manterá o atendimento nesta quarta-feira (01/05), feriado do Dia do Trabalho. O atendimento excepcional será realizado das 7 às 17 horas.

Na ocasião, serão distribuídas senhas, por ordem de chegada, observada a capacidade limitada de atendimento. Nos dias úteis, até a data do fechamento do cadastro, dia 8 de maio, o atendimento será realizado das 8 às 18 horas.

A Central de Atendimento ao Eleitor de Goiânia fica localizada na Avenida T-1, com a Orestes Ribeiro (antiga T-52), no Setor Bueno.

Adriana, Mabel e Vanderlan disputam apoio de bloco liderado por Bruno Peixoto

A reunião entre o governador Ronaldo Caiado (UB) e representantes dos partidos que integram o bloco liderado pelo presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Bruno Peixoto (UB), colocou o pré-candidato a prefeito de Goiânia pela base governista, Sandro Mabel (UB), na disputa pelo apoio do grupo. No encontro, Caiado teria defendido a unidade da base e pedido para que os partidos caminhem junto com Mabel.

O bloco encabeçado por Peixoto pleiteia a indicação do candidato a vice-prefeito e também tem sido sondado pela deputada federal Adriana Accorsi (PT) e o senador Vanderlan Cardoso (PSD), que também pretendem concorrer à prefeitura. Conforme apurado pela coluna, aliados próximos da deputada já sinalizaram que o PT estaria disposto a ceder a vaga de vice ao grupo, formado por políticos de partidos, como PRD, PSD, Avante e Agir.

Entre os nomes que o grupo pretender indicar como candidato a vice-prefeito, estão o presidente da Câmara Municipal, Romário Policarpo, e a esposa do presidente da Alego, Luciene Peixoto.

Não gostaram
Os deputados estaduais Eduardo Prado, Major Araújo e Paulo Cezar Martins não ficaram nada satisfeitos com as declarações de Sandro Mabel sobre o futuro do PL nas eleições. Em entrevista ao programa “Papo de Garagem”, o empresário garantiu que o deputado federal Gustavo Gayer deve abrir mão de ser pré-candidato para continuar em Brasília.

Nome próprio
Os parlamentares garantem que, mesmo com uma possível desistência de Gayer, o partido terá candidato a prefeito em Goiânia. Eduardo Prado, inclusive, soltou o verbo durante sessão na Alego e disse que está à disposição do partido para entrar na disputa.

Desconforto
Por outro lado, a cúpula do PL de Goiás anda incomodada com a pré-campanha de Gayer. Um dos motivos é que o deputado federal tem priorizado os debates de âmbito nacional e deixado de fazer articulações políticas pela própria candidatura em Goiânia. Existe o temor de que Gayer, atualmente empatado em primeiro lugar nas pesquisas eleitorais, possa perder terreno na corrida pela prefeitura.

Senador Canedo
A base governista está atenta à pré-campanha do prefeito Fernando Pellozo (UB) à reeleição. O chefe do Executivo ainda não conseguiu sair da situação de empate técnico com o ex-prefeito Divino Lemes (PSD) e a ex-primeira-dama Izaura Cardoso (PSD), seus principais adversários, nas pesquisas encomendas pelos partidos.

Aparecida de Goiânia
O ex-deputado federal João Campos (Podemos) declarou apoio à reeleição do prefeito Vilmar Mariano (UB). Em vídeo publicado nas redes sociais, Campos afirma que está confiante na vitória do chefe do Executivo.

Legislativo:

  • O plenário da Câmara de Goiânia iniciou, nesta semana, a discussão sobre a implementação da carteirinha de identificação para pacientes que fazem uso de cannabis medicinal, de forma gratuita. O projeto é do vereador Lucas Kitão (UB).

 

  • Os vereadores da capital rejeitaram veto do prefeito Rogério Cruz (Solidariedade) ao projeto de lei para instituição da Campanha Municipal de Orientação, Educação e Conscientização dos Idosos sobre a Ocorrência de Fraudes e Golpes na Internet.

 

Delegado Eduardo Prado solta o verbo e diz que será candidato a prefeito em caso de desistência de Gustavo Gayer

Em resposta aos rumores de uma possível desistência do pré-candidato a prefeito de Goiânia pelo PL, Gustavo Gayer, o deputado estadual Delegado Eduardo Prado afirmou na tarde desta terça-feira (23/04), que está disposto a concorrer ao cargo pelo partido do ex-presidente Jair Bolsonaro. “Tenho uma história na cidade, que começou com o meu avô, ex-presidente da Associação do Fisco. Meu pai foi vereador em Goiânia por dez anos”, afirmou.

A declaração de Prado tem como principal objetivo evitar que seu partido passe a fazer parte da base do governador Ronaldo Caiado (União Brasil), que tem o empresário Sandro Mabel como pré-candidato a prefeito. O deputado estadual garantiu que a junção está fora de cogitação.

A composição entre os dois grupos passou a ser cogitada após a ex-primeira-dama de Aparecida de Goiânia, Mayara Mendanha, ter transferido seu domicílio eleitoral para Goiânia e se filiado ao PL. Nos bastidores, a esposa do ex-prefeito Gustavo Mendanha chegou a ser cogitada como vice de Mabel.

Prado também deixou claro que só lançará seu nome à prefeitura caso, de fato, Gustavo Gayer decida permanecer na Câmara Federal. “Caso ele não seja candidato, me coloco à disposição e não abro mão disso”, concluiu. O parlamentar recebeu o apoio de outros dois deputados estaduais do PL: Major Araújo e Paulo Cezar Martins.

Em ano eleitoral, eleitorado jovem cresce quase 40% em Goiás

O número de eleitores com idade entre 16 e 17 anos cresceu em Goiás no primeiro trimestre de 2024. No total, o Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO), foram registrados 17 mil novos alistamentos dessa parcela da população, o que representa um aumento de 38,91% na comparação com o ano passado.

No total, são 43.854 eleitores menores de 18 anos aptos a votar nas eleições de outubro em todo o Estado. Em dois dos três maiores colégios eleitorais de Goiás, o percentual de jovens eleitores também aumentou na comparação com 2023.

Em Aparecida de Goiânia, o eleitorado jovem cresceu de 1.910 para 2.207, o que representa um aumento de 15,54%. Situação semelhante ocorreu em Anápolis, onde o número passou de 1.464 para 1.642 – crescimento de 12,15%.

Pré-candidatos a prefeito de Goiânia correm contra o tempo para definir vices

Com a proximidade da disputa pela Prefeitura de Goiânia, os pré-candidatos intensificaram as conversas sobre a escolha de seus vices. No entanto, conforme apurado pela coluna, todos eles ainda estão longe da definição dos seus companheiros de chapa.

Adriana Accorsi (PT), a primeira a lançar pré-candidatura, tentou articular para que o senador Vanderlan Cardoso (PSD) indicasse seu vice. Contudo, as conversas perderam força e o próprio senador anunciou que vai disputar a prefeitura. A petista continua em busca de um vice filiado a um partido de centro ou centro-direita. Nesta semana, começaram a surgir rumores de que Accorsi estaria interessada em ter o presidente da Câmara de Vereadores, Romário Policarpo (PRD) em sua chapa.

O empresário Sandro Mabel (União Brasil), por sua vez, declarou que uma mulher evangélica teria o perfil ideal para ser sua vice. No entanto, o ex-deputado federal voltou atrás e passou a cogitar que a escolha seja feita a partir de pesquisas qualitativas. Entre os cotados, estão Ana Paula Rezende (MDB), Mayara Mendanha (PL), Luciene Peixoto (Agir) e Paulo Ortegal (MDB).

Pré-candidato apoiado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro, Gustavo Gayer (PL) pode ser o primeiro a anunciar seu candidato a vice. A coluna apurou que o mais cotado é o ex-deputado estadual Fred Rodrigues (PL). O assunto é tratado, inclusive, com a executiva do partido em Brasília.

Sem definições
Entre os demais pré-candidatos, o assunto parece estar ainda mais longe de ser definido. Leonardo Rizzo (Novo), Rogério Cruz (Solidariedade), Vanderlan Cardoso (PSD) ainda não estão tratando da questão. Matheus Ribeiro (PSDB), conforme apurado pela coluna, deve escolher um nome do próprio partido.

Aliança
O PRD de Romário Policarpo vai seguir a definição do bloco formado também por PSB e Agir na corrida eleitoral em Goiânia. O grupo, liderado pelo presidente da Assembleia Legislativa, Bruno Peixoto (União Brasil) pretende indicar o vice do candidato a ser apoiado.

Por outro lado…
A deputada federal Magda Mofatto, que comanda o PRD em Goiás, defende que o partido apoie à reeleição do prefeito Rogério Cruz. Policarpo, sua vez, nega qualquer possibilidade de caminhar com o atual chefe do Executivo.

Favoráveis
O senadores goianos Jorge Kajuru (PSB), Vanderlan Cardoso (PSD) e Wilder Morais (PL) votaram a favor da Proposta de Emenda à Constituição (PEC), que insere no artigo 5º da Constituição a determinação de que é crime a posse ou porte de qualquer quantidade de drogas ou entorpecentes. Aprovado com 52 votos favoráveis, o projeto segue para a Câmara dos Deputados.

Confusão
A sessão ordinária da Câmara Municipal de Goiânia terminou em confusão nesta quinta-feira (18/04), entre os vereadores Anselmo Pereira (MDB) e Fabrício Rosa (PT). O petista solicitou fazer uso do tempo de fala do partido, mas teve o pedido negado por Anselmo, que presidia a sessão. Os parlamentares precisaram ser afastados para que não chegassem às vias de fato.

De casa nova
De um total de 25 vereadores de Aparecida de Goiânia, 18 mudaram de partido durante a janela partidária. MDB, União Brasil e PL ficaram com as maiores bancadas.

 LEGISLATIVO:
Ocupação – O Projeto de Lei que prevê o fechamento de algumas ruas do Centro de Goiânia aos finais de semana foi aprovado em plenário. A matéria é da vereadora Aava Santiago (PSDB) e prevê a permissão de manifestações artísticas, culturais e esportivas durante o período de restrição das ruas.

Penalidade – Na Assembleia Legislativa, os deputados estaduais aprovaram o projeto assinado por Talles Barreto (União Brasil) que prevê punições para quem invadir propriedades privadas, rurais ou urbanas em Goiás. A matéria segue para sanção do governador Ronaldo Caiado.

Corrida eleitoral em Goiânia conta com sete pré-candidatos na disputa por mais de um milhão de eleitores

O primeiro turno das Eleições 2024 está marcado para 6 de outubro. No entanto, as negociações por alianças e o lançamento de pré-candidaturas está a todo vapor em Goiânia. Até o momento, sete políticos garantem que vão concorrer à prefeitura da Capital.

Confira, abaixo, quem são os pré-candidatos (em ordem alfabética).

Adriana Accorsi

O PT foi o primeiro a anunciar sua pré-candidata à prefeita de Goiânia. Convidada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a deputada federal Adriana Accorsi teve a pré-candidatura lançada em janeiro de 2024. Advogada, Adriana já foi delegada-geral da Polícia Civil de Goiás (PC-GO). Foi deputada estadual por dois mandatos e, atualmente, é vice-líder do governo na Câmara Federal. Será a terceira tentativa de Adriana à prefeitura. Em 2016, ela ficou em quinto lugar, com 6,73% dos votos, ao passo que, em 2020, alcançou a terceira colocação, com 13,39%.

Gustavo Gayer

O deputado federal do PL disputará o cargo pela segunda vez. Nas eleições de 2020, obteve 7,62% dos votos, alcançando a terceira colocação. O parlamentar é considerado um dos principais aliados goianos do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Tanto que o ex-chefe do Executivo fez questão de comparecer ao evento de lançamento da pré-candidatura de Gayer.

Leonardo Rizzo

Economista e empresário do ramo imobiliário, Rizzo é o pré-candidato do Partido Novo. Ex-presidente do Vila Nova Futebol Clube, o empresário se prepara para a sua segunda eleição. Em 2020, foi candidato a senador por Goiás e recebeu pouco mais de 1% dos votos.

Matheus Ribeiro

O jornalista é a aposta do PSDB em Goiânia. Matheus foi convidado para disputar as eleições pelo ex-governador e atual presidente nacional do partido, Marconi Perillo, sob a bandeira da renovação política. O comunicador foi candidato a deputado federal nas últimas eleições, quando obteve 46.961 votos e ficou na primeira suplência.

Rogério Cruz

O atual prefeito da Capital migrou do Republicanos para o Solidariedade para tentar a reeleição. Pastor da Igreja Universal do Reino de Deus, Rogério foi empossado prefeito após a morte de Maguito Vilela (MDB), de quem era vice, no início de 2021. Antes, ele foi vereador por dois mandatos.

Sandro Mabel

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel é o pré-candidato apoiado pela base aliada do governador Ronaldo Caiado (União Brasil). O empresário era filiado ao Republicanos, mas migrou para o partido de Caiado. Mabel foi deputado federal e estadual por Goiás.

Vanderlan Cardoso

Após idas e vindas, senador goiano decidiu disputar a Prefeitura de Goiânia pela terceira vez. Atualmente filiado ao PSD, o parlamentar chegou ao segundo turno em 2016 e em 2020, mas foi derrotado por Iris Rezende e Maguito Vilela, respectivamente. Vanderlan é empresário do ramo de alimentos e foi prefeito de Senador Canedo por dois mandatos.

 

PT e PL reforçam rivalidade e terão embates diretos em dois dos maiores colégios eleitorais de Goiás

Partidos que dominaram a eleição presidencial e que possuem as maiores bancadas da Câmara dos Deputados, PT e PL vão se enfrentar em dois dos maiores colégios eleitorais de Goiás. Este panorama foi consolidado com o enceramento do prazo de filiação partidária para políticos que planejam disputar as eleições de outubro. Estão previstos embates diretos em Goiânia e Anápolis, cidades que somam 1,3 milhão de eleitores, ou seja, 26,5% do eleitorado estadual.

Na capital, o partido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva aposta na deputada federal Adriana Accorsi para a disputa. Enquanto isso, o deputado federal Gustavo Gayer é o nome escolhido pela legenda do ex-presidente Jair Bolsonaro. Os dois pré-candidatos estão tecnicamente empatados em primeiro lugar nas pesquisas de intenções de voto.

Em Anápolis, o pré-candidato do PT é o deputado federal Antônio Gomide. Por outro lado, o PL também está na disputa com o suplente de deputado federal Márcio Corrêa. As últimas pesquisas também indicam tendência de polarização, com Gomide liderando todos os levantamentos, enquanto Corrêa se firma em segundo lugar.

Nova configuração
Após o encerramento da janela partidária, na última sexta-feira (05/04), a composição partidária da Câmara de Goiânia passou por mudanças significativas, com 14 vereadores em novas legendas. O MDB permanece como a sigla com maior representatividade, contando com 10 vereadores. Em seguida, o Solidariedade a assume a segunda posição, com seis representantes. Na sequência, PRD, Republicanos e União Brasil apresentam três parlamentares cada. O PT e o DC possuem dois integrantes cada um, enquanto Avante, Cidadania, Podemos, PL, PSDB e PDT têm um vereador cada em suas fileiras.

Sem retaliação
Apesar das especulações sobre demissão de lideranças e cortes de cargos, o prefeito Rogério Cruz parece não estar disposto a punir o Republicanos. O chefe do Executivo optou por se filiar ao Solidariedade depois de constatar que o partido ao qual esteve filiado nos últimos anos não tinha intenção de lançá-lo como candidato à reeleição. Aliados do prefeito sugerem que o Republicanos poderá integrar a coligação do prefeito.

Não houve consulta
Presidente estadual do PL, o senador Wilder Morais não foi procurado para tratar da filiação de Mayara Mendanha ao partido. O nome da ex-primeira-dama tem sido cotado para ser vice na chapa do empresário Sandro Mabel (União Brasil), mas o partido do ex-presidente Jair Bolsonaro confirmou o deputado federal Gustavo Gayer como pré-candidato a prefeito.

Prestígio
Pré-candidato da base aliada do governador Ronaldo Caiado na capital, Sandro Mabel foi decisivo para convencer o prefeito de Aparecida de Goiânia, Vilmar Mariano, a trocar o MDB pelo União Brasil. Poucas horas antes, Vilmar estava decidido a buscar abrigo no PRD.

Placar
Quatro deputados federais goianos votaram contra a manutenção da prisão do deputado Chiquinho Brazão (sem partido-RJ), acusado de ser um dos mandantes do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL): Gustavo Gayer (PL), Magda Mofato (PRD), Marussa Boldrin (MDB) e Professor Alcides (PL). Por outro lado, José Nelto (PP) e Silvye Alves (União Brasil) foram favoráveis à prisão.

Em cima do muro
Célio Silveira (MDB) e Ismael Alexandrino (PSD) optaram pela abstenção, enquanto Adriano Avelar (PP), Daniel Agrobom (PL), Flávia Morais (PDT), Lêda Borges (PSDB) e Zacharias Calil (UB) não votaram ou não compareceram à sessão.

Legislativo:
Datas comemorativas – Cinco projetos de lei ordinária que instituem dias estaduais receberam aval na Assembleia Legislativa. São eles: Dia do Residente Multiprofissional (2 de dezembro), Dia Estadual do Médico Geriatra (16 de maio), Dia Estadual do Advogado Previdenciário (10 de março), Dia Estadual de Conscientização da Doença de Osteogênese Imperfeita (6 de maio) e Dia Estadual do Samba (2 de dezembro).

Mulheres – O projeto de lei que incentiva a participação feminina no esporte foi aprovado e seguiu para sanção ou veto do governador Ronaldo Caiado. Como principais objetivos: fomentar e criar condições para o acesso igualitário à prática esportiva por meninas, adolescentes, mulheres adultas, idosas e mulheres com deficiências; valorização da diversidade no esporte, combatendo o estereótipo de gênero; incentivo à profissionalização das mulheres no esporte; ampliação do acesso às mulheres aos cargos de liderança esportiva. 

Em evento com Bolsonaro, PL confirma Gayer como pré-candidato a prefeito de Goiânia

O Partido Liberal confirmou a pré-candidatura do deputado federal Gustavo Gayer a prefeito de Goiânia. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (04/04), em evento com a presença do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), no Tatersal do Parque de Exposições Agropecuárias.

O anúncio coloca fim às especulações de que o PL poderia indicar o vice na chapa da base do governador Ronaldo Caiado (União Brasil), que terá o empresário Sandro Mabel como candidato a prefeito.

Ao discursar para a militância bolsonarista, o deputado federal disse que “existe uma força maligna que tenta dominar o Brasil para roubar o futuro de nossos filhos”. Gayer declarou, ainda, que a direita precisa se unir para impedir a vitória da esquerda em Goiânia.

Bolsonaro, por sua vez, fez um discurso focado em questões como sua inelegibilidade, comunismo e ideologia de gênero. “Na guerra política, muitas vezes, se põe fora das quatro linhas [da Constituição], como, por exemplo, inelegibilidade com quem se reuniu com embaixadores. Eu não me reuni com traficantes”, disse.

Sandro Mabel e Vilmar Mariano farão dobradinha pela base governista em Goiânia e Aparecida

Após idas e vindas, o prefeito de Aparecida de Goiânia, Vilmar Mariano, vai deixar o MDB para se filiar ao União Brasil nesta quinta-feira (04/04). Com a filiação, o prefeito se consolida como nome da base caiadista na cidade. A chapa deve ter o ex-deputado federal Leandro Vilela (MDB) como candidato a vice.

O evento também marcará a filiação do empresário Sandro Mabel ao partido. Ele será o candidato da base governista em Goiânia. O governador Ronaldo Caiado (União Brasil) e o vice-governador Daniel Vilela (MDB) já confirmaram presença no evento.

O destino de Vilmar Mariano foi decidido na manhã desta quinta-feira, menos de 24 horas depois do ex-prefeito Gustavo Mendanha anunciar que o candidato da base seria Leandro Vilela. Figura-chave na eleição aparecidense, Mendanha deve apoiar a candidatura de Vilmar para evitar que a base caiadista fique dividida na cidade. A ideia é evitar a vitória do deputado federal e pré-candidato Alcides Ribeiro (PL), que lidera todas as pesquisas de intenção de voto.

Base governista define candidatos em Goiânia e Aparecida, mas segue dividida em Anápolis

A base do governador Ronaldo Caiado (União Brasil) definiu quem serão os candidatos às prefeituras de dois dos três maiores colégios eleitorais do Estado. Em Goiânia, o grupo bancará o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel. O candidato a vice deve ser indicado pelo MDB ou, em uma hipótese mais remota, pelo PL.

Em Aparecida de Goiânia, o candidato será o ex-deputado federal Leandro Vilela (MDB). A escolha foi feita em meio ao distanciamento entre o prefeito Vilmar Mariano e o ex-prefeito Gustavo Mendanha, figura-chave na eleição aparecidense.

O cenário em Anápolis ainda é incerto e a base de Caiado pode se dividir entre o suplente de deputado federal Márcio Corrêa, que deixou o MDB nesta semana e se filiou ao PL, e o atual vice-prefeito Márcio Cândido (PSD). Até o momento, não há consenso e os dois garantem que disputarão as eleições.

Preocupação
A coluna apurou que Ronaldo Caiado não está nada satisfeito com a divisão da base em Anápolis. O receio é que a situação acabe beneficiando o deputado estadual Antônio Gomide (PT), que lidera todas as pesquisas de intenção de voto.

Martelo (quase) batido
Em Aparecida, se nada mudar, Vilmar Mariano deve se filiar ao PRD nesta sexta-feira (05/04). Nas redes sociais, a deputada federal Magda Mofatto, que comanda o diretório estadual, já dá como certa a entrada do prefeito e pré-candidato à reeleição ao partido.

Convite
Na oposição, o ex-deputado estadual Max Menezes (PSD) está disposto a aceitar o convite para compor como vice na chapa do deputado federal e pré-candidato a prefeito, Alcides Ribeiro (PL). No entanto, o presidente estadual do partido, senador Vanderlan Cardoso, ainda não decidiu se entregará o partido à base de Vilmar Mariano ou se deixará a definição nas mãos do diretório municipal.

Incógnita
Caso o deputado federal Gustavo Gayer (PL) desista de concorrer à prefeitura de Goiânia, dois nomes estão interessados na vaga: o ex-candidato a governador de Goiás, Major Vitor Hugo, e o deputado estadual Eduardo Prado. O assunto será decidido pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), que estará em Goiânia nesta quinta-feira.

Procura-se
Pré-candidata do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Goiânia, a deputada federal Adriana Accorsi (PT) segue em busca de um candidato a vice fora do campo da esquerda. A petista, inclusive, tem conversado com dirigentes de legendas que compõem a base de Caiado.

Definidos
Na tentativa de recuperar território político em Goiás, o PSDB escolheu seus pré-candidatos a prefeito em três dos cinco maiores colégios eleitorais do Estado. São eles: Matheus Ribeiro (Goiânia), Hélio Lopes (Anápolis) e Ana Lúcia (Luziânia). O ex-governador Marconi Perillo também tenta convencer o presidente da Câmara de Aparecida de Goiânia, André Fortaleza, a concorrer ao cargo.

Legislativo
Saúde – Goiás pode ganhar o Estatuto da Pessoa com Obesidade. A proposta consta em um projeto apresentado pelo deputado estadual Virmondes Cruvinel (União Brasil).

Propaganda – Em Goiânia, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Municipal aprovou o projeto do vereador Thialu Guiotti (Avante), que visa flexibilizar as regras de instalação de painéis publicitários tipo DTM – luminosos, capazes de transmitir mensagens variadas, por meio de imagens animadas.

Bolsonaro desembarca em Goiânia nesta quinta-feira para decidir se Gayer será candidato a prefeito

O ex-presidente Jair Bolsonaro participa nesta quinta-feira (04/04), em Goiânia, do Encontro Estadual do Partido Liberal. Na ocasião, a legenda deve anunciar se o deputado federal Gustavo Gayer será ou não candidato a prefeito de Goiânia. O evento será realizado no Parque de Exposições Agropecuárias.

Embora Gayer já tenha sido anunciado como pré-candidato do partido, o clima ainda é de incerteza, uma vez que há rumores de que o governador Ronaldo Caiado (União Brasil) estaria à frente de articulações para que o PL indique o candidato a vice-prefeito na chapa do empresário Sandro Mabel, que disputará o Paço Municipal com o apoio da base governista.

Caiado tem procurado se reaproximar do ex-presidente na tentativa de receber apoio do bolsonarismo para disputar a Presidência da República nas eleições se 2026. O Curta Mais apurou que o senador Wilder Morais (PL), um dos principais aliados de Bolsonaro em Goiás, também é favorável à composição do seu partido com o União Brasil.