Oportunidade: confira 105 vagas de estágio em Goiás que estão abertas

Já estão abertas as inscrições para participar do processo seletivo simplificado de estagiários do Governo de Goiás. O processo deve ser realizado pelo site Portal de Seleção, gratuitamente, até o dia 12 de junho. Ao todo, são ofertadas 105 vagas e os novos estagiários atuarão nos diversos órgãos e unidades do Executivo estadual.

O programa oferece bolsa estágio no valor de R$ 1 mil, com vale-transporte de R$ 100,00 e seguro contra acidentes pessoais. Os aprovados terão jornada de estágio de quatro horas diárias e 20 horas semanais, no período matutino ou vespertino. O contrato será de no mínimo seis meses, podendo ser renovado por até dois anos.

Para participar do certame, os candidatos devem estar matriculados e com frequência regular em instituições de Ensino Superior reconhecidas pelo MEC. Outro pré-requisito é estar cursando, no ato da contratação, no mínimo o 2º ano, no caso de curso de periodicidade anual, ou o 3º semestre, em formações de frequência semestral. O edital veda a participação de alunos que estejam no último período de faculdade.

Processo seletivo

A seleção dos candidatos será realizada em etapa única, por meio de análise curricular. Essa fase tem caráter eliminatório e classificatório. O resultado do processo será divulgado no Portal de Seleção no dia 23 de junho. Os candidatos com bom desempenho e que não tenham sido aprovados dentro do número de vagas terão seus currículos incluídos no Banco de Talentos do Estado, podendo ser chamados para vagas futuras.

 

Veja também:

10 ferramentas surpreendentes além do ChatGPT

Dicas obrigatórias para gerenciar o que as crianças acessam online

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

UFG sobe no ranking das melhores universidades do mundo

A Universidade Federal de Goiás (UFG) alcançou um importante marco no cenário acadêmico global, de acordo com o ranking divulgado recentemente pela Center for World University Rankings (CWUR). A instituição subiu cinco posições em relação ao ano anterior, consolidando-se na 1.059ª colocação entre as melhores universidades do mundo.

O levantamento da CWUR avaliou um total de 20.531 instituições de ensino superior, destacando a UFG como uma das 5,2% melhores colocadas. A universidade também demonstrou excelência no campo da pesquisa, ocupando o 1.009º lugar entre duas mil instituições analisadas, um avanço de oito posições em relação ao ranking de 2022.

A metodologia da CWUR considera diversos critérios para determinar a classificação, incluindo o sucesso acadêmico dos ex-alunos, a trajetória profissional dos graduados e o reconhecimento dos docentes. Além disso, a quantidade, qualidade e relevância da produção científica são elementos essenciais para avaliar o desempenho da instituição no âmbito da pesquisa.

A ascensão da UFG no ranking mundial de universidades é um reflexo do compromisso da instituição em fornecer educação de qualidade e incentivar a produção científica relevante. O reconhecimento internacional reforça a posição de destaque da UFG no cenário acadêmico e estimula o contínuo avanço rumo à excelência.

 

 

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Escola em Goiânia lança projeto inédito de Ensino Médio com dupla certificação

A escola canadense Maple Bear, em Goiânia, anunciou, na última quarta-feira (16/11), mais uma etapa disponível a partir de 2024 para os estudantes: o início da High School/Ensino Médio. “Foram muitos pedidos dos pais, dos nossos alunos e sentimos que esse é o momento ideal, onde o Ensino Médio da Maple Bear no Brasil já está concretizado e com estudantes sendo aprovados em universidades reconhecidas no Brasil e no exterior. Isso é fruto da dedicação do corpo docente e também do corpo discente, além de todo nosso programa que tem um olhar individualizado”, afirma a CEO da Maple Bear Goiânia, Mônica Siqueira.

A palestra de apresentação da High School, exclusiva para os pais e responsáveis, foi comandada pelo CEO da Maple Bear na América Latina, André Quintela, e pelo conselheiro acadêmico da Maple Bear América Latina, Richard Debre. “Mais uma vez tive a oportunidade de presenciar o nível da qualidade de ensino da Maple Bear Goiânia e agora estamos trazendo a High School forte com uma proposta única, que continua com a metodologia canadense, com todos os seus diferenciais, e com essa paixão que a equipe de Goiânia traz para suas famílias e seus alunos. Mais do que isso, continuaremos preparando seus filhos para a vida, oferecendo ainda a parceria exclusiva com a província de New Brunswick (Canadá), no qual seu filho estará formado em uma escola brasileira e em uma escola canadense. Estamos muito animados e esse é apenas o início de mais uma jornada de sucesso a longo prazo”, diz Quintela.

maple

A CEO da Maple Bear Goiânia, Mônica Siqueira (ao centro), recebeu o conselheiro acadêmico da Maple Bear na América Latina, Richard Debre (à esq.) e o CEO da Maple Bear na América Latina, André Quintela em evento na nova unidade localizada no condomínio Plateau D’or

Durante a apresentação, foram divulgados os diferenciais e as vantagens de estudar no Ensino Médio da Maple Bear Goiânia e poder obter uma dupla certificação, além de toda a grade educacional estar em conformidade tanto com o currículo e a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), quanto com a regulamentação canadense. Essas questões aumentam as chances de ingresso nas universidades estrangeiras e consolidam a proficiência no inglês, assim os alunos também são preparados para o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e para os vestibulares brasileiros.

“Capacitamos o aluno para ser protagonista em qualquer lugar do mundo, em qualquer tempo, considerando uma realidade em que as transformações são cada vez mais velozes, em que certas profissões ainda nem existem, mas esses alunos da Maple Bear de hoje que serão profissionais amanhã, já estão prontos”, explica Debre.

Além de preparar os alunos para as universidades, a metodologia Maple Bear desenvolve a capacidade crítica, o aprendizado colaborativo como forma de expandir raciocínio e aprender com as ideias do outro, o diálogo, a argumentação, a valorização da diversidade e o respeito ao pensamento antagônico.

Difundida em mais de 30 países, a Maple Bear oferece formação desde a Educação Infantil ao Ensino Médio. A marca é líder em educação bilíngue no Brasil e está presente em mais de 100 cidades brasileiras com mais de 170 escolas. Em Goiânia, as matrículas para a High School estarão abertas em 2023.

 

Veja também:

Escolas bilíngues em Goiânia: opções para garantir a matrícula no próximo ano

Educação Musical e Musicoterapia: entenda a diferença entre as modalidades

Estudo aponta que a prática regular de exercícios físicos reduz casos de depressão

Um novo estudo feito por pesquisadores da Universidade de Glasgow, na Escócia, e publicado na revista científica BMC Medicine, sugere que um terço os casos de ansiedade e depressão poderiam ser evitados se as pessoas que desenvolvem estes diagnósticos praticassem atidades físicas regulares. O exercício é um tratamento bem conhecido para aqueles com depressão, estando presente inclusive nas prescrições médicas.

O trabalho, que envolveu mais de 37 mil pessoas, apontou que se todos conseguissem fazer 75 minutos por semana de exercícios vigorosos (o que faz você respirar com dificuldade e inclui corrida e natação), isso poderia prevenir quase 19% dos casos de depressão e ansiedade.

E se todos nós fizéssemos entre duas horas e meia e cinco horas por semana de atividade moderada (que faz você respirar mais rápido e inclui caminhada rápida, ciclismo e dança), outros 13% dos diagnósticos de depressão e ansiedade poderiam nunca existir.

Essas descobertas sugerem que quase um terço dos casos de depressão e ansiedade, que afetam um em cada cinco adultos no Reino Unido, podem ser prevenidos por meio de exercícios. O estudo, publicado na revista BMC Medicine, analisou pessoas de 37 a 73 anos que não tinham ansiedade. Eles receberam rastreadores para monitorar a atividade física.

Quando foram acompanhados, por quase sete anos em média, cerca de 3% desenvolveram depressão ou ansiedade. Com base nos resultados, os pesquisadores calcularam que as pessoas sedentárias que mudaram para 75 a 150 minutos por semana de atividade vigorosa teriam 29% menos probabilidade de desenvolver depressão ou ansiedade. Fazer 150 a 300 minutos por semana de atividade física moderada reduziria o risco de ficar ansioso ou deprimido em 47%.

Mais pesquisas são necessárias, pois os autores do estudo ainda não entendem se é o próprio exercício que faz a diferença. Embora a atividade física inunde o cérebro com substâncias químicas de recompensa, os benefícios podem ser mais sobre o exercício com outras pessoas e o impulso que recebemos da socialização.

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

 

Fotos: Reprodução/Getty Images

Pesquisa revela os sites mais acessados do mundo

A internet é, sem dúvidas, responsável por conectar pessoas e culturas ao redor do mundo, facilitar o acesso às notícias, traduzir conteúdo de outras línguas e muito mais. 

 

Pensando em como funciona o consumo de internet nos países, a Hostinger analisou quais são os sites mais visitados de cada local. Durante a pesquisa, eles removeram as páginas de mecanismo de pesquisa, Facebook e YouTube para que eles não dominassem os resultados. 

 

Principais descobertas:

 

Wikipédia é o site mais visitado em 43 países;

Amazon é a principal página nos Estados Unidos (EUA);

No Reino Unido, quem domina é o site de notícias da BBC;

BBC é a maior fonte de notícias para 12 países.

 

América do Norte

 

55bdf703c90482b8f3d5b90216b25a2d.png

 

Os EUA é o único país do continente que tem a Amazon como o site mais visitado, com 2,66 bilhões de visitas por ano. O marketplace é a primeira opção de compra para mais ou menos metade dos americanos, especialmente após a pandemia, em que a loja online começou a diversificar o catálogo. 

 

Wikipédia e Twitter dominam o restante do mapa, mas um ponto curioso é que metade dos países dividem o interesse por um tema: fóruns e fandoms. 

 

América do Sul

 

821e0217239ed5ae15cfb3e65086757a.png

 

O Blogspot pode ter perdido espaço em outros países, mas ainda atrai 6,12 milhões de visitas anuais na Bolívia, se tornando o principal site da Colômbia. Já no Brasil, o site de notícias UOL é o número 1 em acesso. 

 

O e-commerce mais popular da América Latina é o Mercado Livre que, assim como a Amazon, cresceu consideravelmente durante a pandemia. 

 

Europa

 

42a190b8aa483fb48ee67ef8f39ba626.png

 

A Wikipédia domina o continente europeu, sendo o site mais visitado em 15 dos 38 países. Além da enciclopédia online, páginas de notícias são bem populares na Europa. 

 

Na Geórgia, o fórum de imagens e o controverso site de compartilhamento de notícias 4Chan é o destino mais comum dos usuários.

 

Oriente Médio e Ásia Central

 

e7d2d14af487ec1abbc574f16f999e33.png

 

O serviço de e-mail da VK é o site mais visitado no Cazaquistão e no Tajiquistão, enquanto o Twitter é o principal na Arábia Saudita e no Iêmen. 

 

Contudo, é a Wikipédia que domina a região como o site mais visitado, sendo o principal destino de 5 em 17 países.

 

Ásia e Oceania

 

1228b6a6c004511b30552692d4e61bfb.png

 

Outro site que aparece constantemente é o Twitter, sendo o principal destino em países das Américas, África e Oriente Médio. O Japão, por exemplo, tem o segundo maior número de usuários ativos, apesar de Livedoor ser o site mais visitado do país. A rede social também fica em primeiro lugar na Indonésia e em Laos.

 

O blog sul-coreano Tistory é o mais visitado em seu país de origem. Nele, os usuários coreanos podem usar skins e plug-ins para criar um blog ou site no estilo de revista.

 

África

 

3fe96d8c3a83943cc9485d6af9663ce5.png

 

Na Libéria, onde apenas 25% da população usa a internet, o IMDb, banco de dados sobre filmes e séries, é o site número 1 em visitas. Wikipédia também lidera no continente, sendo o principal site de 8 em 33 países africanos.

 

Em muitos lugares da África, os sites locais dominam o ranking. Em Gana, por exemplo, a página mais visitada é a da Universidade Nacional.

Fotos: Reprodução/Hostinger 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

 

Bebês nascidos na pandemia podem ter atraso na comunicação, diz pesquisa

Uma pesquisa conduzida pelo Royal College de Dublin sugere que bebês nascidos durante o período de lockdown da pandemia levaram mais tempo para desenvolver habilidades de comunicação.

 

Segundo o estudo, que envolveu 309 crianças, bebês nascidos entre março e maio de 2020 tiveram mais dificuldade de se comunicar do que os nascidos entre 2008 e 2011.

 

Enquanto 77% dos nascidos durante a pandemia conseguiam articular uma palavra completa, como “bola” ou “copo”, com um ano de idade, esse percentual era de 89% entre os nascidos nos anos de 2008 a 2011.

 

Essa queda na habilidade de comunicação não foi vista apenas na fala, mas também nos gestos.

 

Na comparação entre esses mesmos grupos, a porcentagem de bebês que apontavam objetos caiu de 93% para 84%, já os que conseguiam fazer o aceno de “tchau” caíram de 94% para 88%.

 

Essa queda em ações simples, tem ligação direta com o lockdown, já que uma criança que não saiu de casa, já estava totalmente habituada com os objetos em volta, sem ter nada que despertasse o seu interesse e a fizesse apontar para o objeto desejado.

 

O mesmo se explica em relação ao aceno de despedida, já que as visitas e reuniões estavam proibidas durante a pandemia, não havia contato social e oportunidades para o bebê dar o cativante “tchauzinho” que os adultos adoram ver.

 

 

Foto: Reprodução

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Pesquisa mostra que Chocolate é um forte aliado para o coração

Um estudo feito por pesquisadores da Universidade de Surrey, do Reino Unido, concluiu que o consumo de cacau, matéria-prima do chocolate, ajuda a reduzir a pressão arterial e a deixar os vasos sanguíneos mais elásticos.

 

Os flavonóides, nutrientes presentes na fruta, são os responsáveis pela ação protetora. Outros estudos já mostraram que eles, além de serem encontrados em chocolates amargos ricos em cacau, também estão presentes em chás, maçã, uva, brócolis, vinho, chicória, aipo e em outras espécies vegetais.

 

Os pesquisadores selecionaram 11 pessoas saudáveis, sem problemas cardiovasculares, para participarem do estudo. Elas foram analisadas durante oito dias enquanto ingeriam um suplemento de flavonóides ou um placebo. O extrato de uma pílula correspondia a cerca da quantidade de flavonóides contidas em 500 gramas de chocolate amargo.

 

Os voluntários ingeriram, em dias alternados, seis cápsulas do suplemento e seis pílulas de placebo durante o período de estudo. As cápsulas eram sempre consumidas no mesmo horário: pela manhã, junto com a primeira refeição.

 

Cada indivíduo recebeu um monitor de pressão arterial e um clipe de dedo para medir a velocidade do sangue. As medidas eram feitas pelos participantes, durante o dia e de hora em hora.

 

A análise dos cientistas concluiu que o consumo do suplemento diminui significativamente a pressão e a rigidez arterial dos participantes. A diminuição da pressão ocorreu dentro da faixa normal, não constituindo um problema para os voluntários. O próximo passo será testar o suplemento em pacientes com doenças cardiovasculares.

 

“Os remédios tradicionais não funcionam para uma boa proporção de pessoas, então, podemos começar com uma intervenção de saúde como essa, por meio dos flavonóides, em alguns grupos”, afirmou Christian Heiss, autor do estudo, em entrevista ao jornal The Sun.

 

 

 

 

Foto: Reprodução

Estudo explica porque fazer exercícios não é o suficiente para perder peso

 De acordo com uma pesquisa desenvolvida por britânicos,  a alimentação faz mais diferença na perda de peso do que os treinos. A mesma opinião é compartilhada por Alexxai Kravitz, pesquisador do Instituto Nacional de Diabetes e Doenças Digestivas e Renais dos Estados Unidos.

 

De acordo com cálculos da Harvard Medical School, uma pessoa de 85 quilogramas queima 200 calorias em 30 minutos de caminhada a 6 km/h (um ritmo de 10 minutos por km). Você poderia facilmente desfazer todo esse trabalho duro comendo quatro biscoitos de chocolate, 1 bola e meia de sorvete ou menos de dois copos de vinho. 

Mesmo uma vigorosa aula de spinning, que pode queimar mais de 700 calorias, pode ser completamente anulada com apenas algumas bebidas misturadas ou um pedaço de bolo.

 

Claro que  nem todas as calorias são iguais, mas para simplificar, 3.500 calorias equivalem a 1 quilo de gordura. Portanto, para perder 1 quilo por semana, você deve cortar 500 calorias todos os dias. Se você bebe refrigerante, cortar isso de sua dieta é uma das maneiras mais fáceis de chegar lá.

 

Outra verdade é que  devagar e sempre se  vence a corrida quando se trata de perda de peso. De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, “as evidências mostram que as pessoas que perdem peso gradualmente (cerca de 500 gramas a 1 kg por semana) são mais bem-sucedidas em manter o peso”.

 

Mas os cientistas alertam que isso  não quer dizer que o exercício não tenha seu lugar. Eles atestam que eles são muito importantes para construir força, massa muscular e flexibilidade e que também podem  ajudar a controlar doenças, incluindo doenças cardíacas e diabetes. Porém enfatizam que o exercício ajuda na perda de peso,  mas que a dieta é um fator de estilo de vida muito mais importante.

9 podcasts para quem quer aprender mais sobre história

Você é do time que curte podcast? Então essa lista será perfeita para o seu gosto, pois além de trazer uma inovação para a industria radiofônica, você poderá aprender várias curiosidades e particularidades sobre a história de um jeito que você nunca ‘ouviu’ antes! Essas dicas lhe serão úteis para estudo, descontração e desmistificar muito do que se pensa sobre a história. Vamos lá?!

 

História FM

Viaje no passado com os episódios do História FM! Apresentado por Icles Rodrigues, graduado e mestre em história pela Universidade Federal de Santa Catarina, o podcast busca apresentar temas históricos de maneira acessível e com o máximo rigor histórico. Vai ao ar quinzenalmente e você pode ouvir o História FM no Spotify ou na sua plataforma de podcast preferida!

 ppodcast

FOTO: Pixabay

 

 PODHISTÓRIA

É um projeto desenvolvido pelo graduando do curso de história da Universidade Federal do Tocantins, João Marcos de Sousa Maia, que aliou seus conhecimentos à necessidade de dialogar sobre o curso de história com não apenas os calouros, mas também com todos que se interessem em ampliar o olhar crítico sobre a história. João Marcos recebe convidados especialistas a fim de melhor explorar os temas abordados neste projeto, que está no ar desde 2020, com episódios novos toda quarta-feira a partir do meio dia. Você pode acompanhar no Spotfy, Deezer, Amazon Music e Anchor.

 

 Senta que lá vem História

O Senta Que Lá Vem História, é um projeto elaborado por estudantes de graduação do curso de história que integram ao Projeto de Extensão da Universidade Federal da Paraíba. Os episódios contam com a presença de professores convidados que dialogam sobre suas pesquisas no ramo, adotando uma linguagem descomplicada. Esse podcast tem uma pegada mais acadêmica, então para quem está adentrando ao curso, é uma boa ideia conferir o trabalho dessa galera! Você pode ouvi-los no Spotfy, YouTube ou Deezer.

 

 Café História

Produzido pela equipe do Café História e com episódios de até 15 minutos, trata sobre artigos e notícias que foram publicados pelo portal. É um podcast que trata de temas atuais mas que envolvem uma visão história sobre, e quando falam sobre um tema histórica, trazem isso fazendo um recorte com o tempo atual e acontecimentos recentes. Você pode ouvi-lo nas plataformas do Spotify e Apple Podcasts.    

 

 História em Meia Hora

Como o próprio nome já diz, o História em Meia Hora conta a história em apenas 30 minutos! Idealizado por Vítor Soares, formado em História pela Universidade de Barra Mansa e professor de História na cidade de Angra dos Reis. Além de trazer não apenas acontecimentos históricos e personalidade históricas, trazem muitas imagens interessantes no Instagram, fazendo referência ao podcast.

 

História Magister

Um programa sobre história novo no mercado, com apenas três séries gravadas, onde o narrador busca trazer o máximo de detalhes às grandes narrativas do planeta. Não apenas séries, mas eles também trazem especiais sobre alguns dos maiores acontecimentos que podem ser contados em apenas um episódio.

 

Estudos Medievais

Para quem curte uma pegada mais medieval, esse é para você! O Estudos Medievais é um podcast do Laboratório de Estudos Medievais da Universidade de São Paulo (LEME-USP) e o objetivo do projeto é trazer conteúdo para professores, alunos e para o público que gosta da temática da Idade Média. Você pode ouvi-lo no Soundcloud e Spotify.

 

Atlântico Negro

Produzido por jovens intelectuais negros, os jovens são estudantes de graduação e pós-graduação, com formação concluída ou em andamento em diversas instituições, formando um grupo acadêmico bem diverso. Os episódios são voltados para a história e cultura da população negra, tratando também de assuntos diversos, fazendo um recorte para a cultura da população negra. Um projeto super legal e que vale muito a pena ser conferido! Você pode ouvi-los no Google Podcasts, YouTube, Spotfy e na plataforma Anchor.

 

História Online

 

Para você que estuda história para vestibulares, esse podcast é uma ótima pedida! Além de trazerem conteúdos sobre a história geral e sobre tudo, o História Online comenta notícias que carregam em si um recorte histórico importante, para que o público entenda o que acontece por traz de um fato. Vale a pena conferir! Você pode ouvi-los nas principais plataformas de áudio e de podcast!

 

FOTO: Pixabay

Pesquisa sugere que morar perto de áreas verdes reduz sintomas da TPM

Morar perto de espaços verdes, como parques e praças, pode ser benéfico contra os sintomas da síndrome ou tensão pré-menstrual, de acordo com estudo conduzido por pesquisadores do Instituto de Saúde Global de Barcelona, na Espanha, e da Universidade de Bergen, na Noruega. Os resultados foram publicados na revista científica Environment International.

Conhecida popularmente como TPM, a tensão pré-menstrual reúne um conjunto de sintomas físicos e emocionais que se iniciam entre duas a três semanas antes da menstruação, e que melhoram com a chegada do ciclo menstrual. Segundo dados da pesquisa, cerca de 20% das mulheres em idade reprodutiva apresentam sintomas psicológicos e físicos clinicamente relevantes da condição.

Viver próximo a áreas verdes já era associado a uma melhor saúde reprodutiva e geral, mas esse seria um dos primeiros estudos a investigar o impacto da natureza contra a TPM. Para chegar às conclusões, os pesquisadores analisaram dados de saúde coletados entre 2013 e 2015 de 1069 mulheres, de 18 a 49 anos de idade, que moravam nas cidades de Bergen (Noruega) e Gotemburgo, Umeå e Upsala (todas da Suécia).

As informações continham detalhes sobre o estilo de vida de cada participante, frequência de atividade física, saúde reprodutiva e se apresentavam pelo menos oito sintomas comuns da TPM:

– Irritabilidade;
– Ansiedade;
– Choro ou aumento da sensibilidade;
– Depressão;
– Dificuldade para dormir;
– Dor abdominal;
– Sensibilidade nos seios ou inchaço abdominal;
– Dores de cabeça.

Para avaliar a proximidade dos domicílios das voluntárias no estudo com a natureza, os pesquisadores utilizaram o Índice de Vegetação por Diferença Normalizada (NDVI, sigla em inglês). Também foram analisados o Índice de Massa Corporal (IMC) e a exposição residencial à poluição atmosférica.

Áreas verdes contra a TPM

Ao analisar os resultados, os pesquisadores perceberam que mulheres que viviam em bairros com mais espaços verdes apresentavam menos sintomas de tensão pré-menstrual e menor probabilidade de sofrer quatro dos oito sintomas investigados: ansiedade, depressão, dificuldade para dormir, sensibilidade nos seios/inchaço abdominal.

Segundo Michelle Nagai, ginecologista e obstetra da clínica BemVinda e especialista em ginecologia endócrina e climatério pela Unifesp, o estudo é novo e traz considerações importantes sobre mudanças no estilo de vida. “Veio só para reforçar que medidas no dia a dia não medicamentosas têm um papel importante no tratamento da síndrome pré-menstrual”, destaca.

Mesmo que nem todas as mulheres possam morar em áreas com espaços verdes ou menos poluídas, Gustavo Teles, ginecologista e especialista em reprodução assistida na Huntington Medicina Reprodutiva, lembra que outras ações podem ser adotadas, como atividade física, alimentação mais adequada e controle dos níveis de estresse.

Medicações podem ser recomendadas para melhorar os sintomas, como o uso de anticoncepcionais que bloqueiam a ovulação ou alguns tipos de antidepressivos. 

Sintomas da tensão pré-menstrual

Sinais físicos

– Dor nos seios
– Dor de cabeça
– Inchaço
– Alterações intestinais

Sinais emocionais

– Irritabilidade
– Facilidade em chorar
– Mudanças de humor

 

(Agência Einstein)

Imagem: Jardim Botânico Goiânia / Divulgação

Veja também:

Ao ar livre: 42 parques e bosques para relaxar e curtir a natureza em Goiânia

Farmacêutica inicia testes de vacina única contra a Covid-19 e a gripe

A empresa farmacêutica Novavax Inc., dos Estados Unidos, divulgou nesta quinta-feira (9), que iniciou um estudo para testar uma vacina combinada contra a gripe (influenza) e a Covid-19. Os testes serão conduzidos na Austrália, e envolverá cerca de 640 adultos saudáveis com idades entre 50 e 70 anos, e que tenham sido previamente infectados com o novo coronavírus ou recebido o imunizante contra a Covid-19 pelo menos dois meses antes do estudo.

 

Esses voluntários receberão uma combinação do imunizante da empresa contra a COVID-19, o NVX-CoV2373, e da vacina contra influenza criada pela Novavax, chamada Nanoflu. Em estudos em laboratório, a vacina combinada NanoFlu/NVX-CoV2373 gerou respostas robustas para influenza A e B e protegeu contra o novo coronavírus.

 

Até o momento, a vacina da Novavax contra COVID-19 não tem sido utilizada em grande escala, apesar de se mostrar promissora. Em testes clínicos de fase 3, a empresa já anunciou eficácia de 90%. A companhia aposta em uma tecnologia diferente das que já estão em amplo uso contra a doença, utilizando de subpartículas proteicas, que apresentam a proteína S ao sistema imune.

 

Por conta das respostas positivas na fase pré-clínica, a empresa tem boas perspectivas para a vacina dupla e espera obter os resultados finais do teste no primeiro semestre de 2022.

 

Imagem: Divulgação

 

Veja também:

 

Pfizer anuncia parceria com farmacêutica do Brasil para produção da vacina da Covid-19

 

Estudos comprovam eficácia da CoronaVac contra a variante Delta da Covid-19

Nova espécie de escorpião foi descoberta em pesquisa realizada com a UEG

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Estadual de Goiás (UEG) em conjunto com a Universidade Federal de Pernambuco e da Universidade Federal Rural de Pernambuco, fez com que houvesse o descobrimento de uma nova espécie de pseudoescorpião. O animal vive nas  cavernas do nordeste brasileiro. 

O resultado da pesquisa foi publicado neste mês no periódico international Studies on Neotropical Fauna and Environment, da Inglaterra, sob o título “A new cave-dwelling Maxchernes Feio, 1960 (Pseudoscorpiones: Chernetidae) from Brazil” (Nova espécie de pseudoescorpião cavernícola do nordeste brasileiro) e pode ser acessado aqui.

A descrição da nova espécie foi realizada pelo Laboratório de Ecologia Comportamental de Aracnídeos da UEG, coordenado pelo professor Everton Tizo Pedroso (ligado aos programas de Pós-Graduação Stricto Sensu em Recursos Naturais do Cerrado e em Ambiente e Sociedade).

 c7078ed00597dc5edc0d886b70b5b37f.jpg

Segundo o professor e pesquisador Everton Tizo, os pseudoescorpiões coletados nessas incursões no nordeste do País foram enviados para identificação pelos pesquisadores do Laboratório de Ecologia Comportamental de Aracnídeos, da UEG, em Anápolis. 

O animal se tratava de uma nova espécie pertencente ao gênero Maxchernes. “Maxchernes iporangae, uma das espécies desse grupo, por exemplo, é conhecida da Caverna Alambari de Baixo, Iporanga, São Paulo, e se encontra no Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção, sendo considerada criticamente em perigo”, contou Everton Tizo.

A espécie analisada no laboratório da UEG foi encontrada na caverna Meu Rei, localizada no Parque Nacional de Catimbau, no município de Tupanatinga, Pernambuco. Essas cavernas constituem ambientes com características muito específicas e que podem se tornar muito vulneráveis aos impactos ambientais. “Além disso, algumas espécies animais habitam exclusivamente esses ambientes em populações pequenas e podem se tornar mais vulneráveis à extinção”.

Fonte: Agência Cora Coralina

Estudos comprovam eficácia da CoronaVac contra a variante Delta da Covid-19

A revista The Lancet, uma das mais antigas e conhecidas revistas médicas e descrita como uma das mais prestigiadas do mundo, publicou um estudo neste mês, onde comprova que a vacina CoronaVac é 100% eficaz para prevenir casos graves causados pela variante delta, e aproximadamente 69,5% eficaz na prevenção de pneumonia decorrente da doença.

 

De acordo com o Instituto Butantan, esse é o primeiro estudo publicado sobre a eficácia da CoronaVac na prevenção de pneumonias e casos graves de covid-19 causados pela variante delta.

 

O estudo analisou 10.813 pessoas e foi realizado entre os meses de maio e junho de 2021. Os participantes haviam sido vacinados com uma das 4 vacinas de vírus inativo autorizadas para uso emergencial na China: a CoronaVac, também usada no Brasil, os imunizantes HB02 e WIV04, da Sinopharm, e a BICV, da Biokangtai.

 

As descobertas estão no artigo “Effectiveness of Inactivated COVID-19 Vaccines Against Covid-19 Pneumonia and Severe Illness Caused by the B.1.617.2 (Delta) Variant: Evidence from an Outbreak in Guangdong, China”, publicado em uma plataforma vinculada à revista científica.

 

A variante delta, identificada pela 1ª vez na Índia em outubro de 2020, está sendo responsável pelo aumento do número de casos da doença, inclusive em países onde a pandemia parecia controlada, como Israel e Reino Unido. No Brasil, já foram registrados mais de 700 casos desta variante.

 

 

Foto: Geovana Albuquerque (Agência Saúde-DF)

 

Veja também: Pesquisadores da USP comprovam que CoronaVac é eficaz em pacientes imunossuprimidos

Pesquisadores da USP descobrem composto que pode regredir o câncer de mama 6 vezes mais rápido

Um composto encontrado por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), em parceria com a Faculdade de Medicina de Harvard, pode acelerar o tratamento e regredir em até seis vezes o câncer de mama considerado mais agressivo, o triplo negativo.

 

Esse tipo de câncer de mama corresponde a 15% de todos os casos e sua incidência costuma ser maior em mulheres jovens. Diferente dos outros cânceres invasivos, o triplo-negativo é considerado um dos mais perigosos, pois as células cancerígenas crescem e se multiplicam rapidamente, com maior chance de reaparecerem em outras partes do corpo, ocasionando a metástase. 

 

O trabalho, publicado na aclamada revista científica ‘’Science Signaling’’, analisou compostos disponíveis para encontrar a molécula ideal e inclui uma etapa anterior ao processo da quimioterapia, com a utilização de uma droga identificada que enfraquece as células tumorais. O tratamento ainda está em estudo e foi testado durante 21 dias em camundongos. Os resultados, entretanto, se mostraram bastante positivos.

 

Foto: Reprodução UNICA Corp

Governo de Goiás vai custear internet para professores e alunos da rede pública de ensino

O Governo do estado de Goiás, por meio da Secretaria da Educação (Seduc), liberou nesta terça-feira (21), novos cadastros na plataforma ‘’NetEscola’’. O aplicativo é destinado a professores e estudantes e oferece acesso gratuito a conteúdos didáticos de todas as séries de educação básica. A ferramenta ainda possui conteúdos didáticos para todas as séries do Ensino Fundamental e Ensino Médio, além de vídeos e dicas para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Por meio do Programa ‘’Internet Patrocinada’’, o governo assumirá os pagamentos referentes aos dados móveis que são utilizados para o consumo do app. O custo mensal chega a aproximadamente R$ 4,2 milhões e ficará disponível por 12 meses.

Para ter acesso ao benefício, basta o interessado realizar seu cadastro na página inicial do aplicativo NetEscola, disponível para download na Play Store.

Para a Secretaria da Educação, Ronaldo Caiado se mostrou otimista com o investimento: “Esse recurso dá ao aluno a capacidade de buscar, pesquisar e avançar nos seus estudos a partir da internet”, frisou o governador.

Imagem: Reprodução Seduc

Veja também: Aulas do ensino infantil em Goiânia serão retomados em agosto
Escola pública em Goiânia cria kit educativo para crianças sobre a Covid-19