PIX fora do ar: entenda a greve do Banco Central

Os funcionários do Banco Central (BC) surpreenderam ao anunciar uma greve marcada para esta quinta-feira (11), que está resultando em um “apagão” nos serviços do órgão, incluindo o Pix, um dos sistemas de pagamentos instantâneos mais utilizados no país, e está fora do ar.

A decisão, segundo informações de Julio Wiziack da Folha de S.Paulo, decorre de uma insatisfação generalizada entre os servidores, que alegam “concessões assimétricas” oferecidas a outras categorias do funcionalismo público brasileiro.

Alguns bancos apresentaram apagões no PIX na tarde desta quinta-feira, como Nubank e Mercado Pago. Outros continuam com o serviço e apresentam somente instabilidades.

O Sinal (Sindicato Nacional dos Funcionários do BC) estima que mais de 70% dos servidores do Banco Central participam da greve.

A insatisfação, de acordo com o sindicato, surge em meio à aprovação de benefícios para outras categorias, como Receita Federal e Polícia Federal, em seus respectivos orçamentos para o ano de 2024.

A reivindicação inclui também cargos com funções comissionadas, apontando para uma percepção de tratamento desigual.

Entre as demandas apresentadas pelo Sinal, caso as negociações não avancem, destaca-se a possível entrega de cargos pelos servidores como forma de protesto. O sindicato ressalta a falta de diálogo e critica o que chamam de “açodamento autoritário” do presidente do BC, especialmente em relação à Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da Independência do Banco Central.

 

Mais detalhes da greve que deixou o PIX fora do ar

Em nota, o presidente do Sinal, Fábio Faiad, comparou o presidente do BC, Roberto Campos Neto, a um “autocrata” que busca corrigir diferenças salariais na cúpula do órgão retirando-as do teto constitucional.

Ele também sugeriu que os diretores insatisfeitos deveriam buscar oportunidades em empresas que atendam às suas expectativas salariais, ao invés de tentar modificar a estrutura interna do Banco Central.

As reivindicações dos servidores incluem a criação de uma “Retribuição por Produtividade Institucional”, reajustes nas tabelas remuneratórias, a exigência de nível superior para o cargo de técnico, e a mudança do nome do cargo de analista para auditor.

Até o momento, o Banco Central não se pronunciou oficialmente sobre as demandas apresentadas pelo sindicato.

O anúncio da greve dos funcionários do Banco Central levanta preocupações sobre impactos nos serviços oferecidos pelo órgão, especialmente no que diz respeito a sistemas como o Pix, que desempenha um papel fundamental nas transações financeiras do país.

A população e o setor financeiro aguardam atentos o desdobramento dessa situação, enquanto as negociações entre os servidores e a administração do BC podem influenciar diretamente a continuidade e a normalidade dos serviços bancários nos próximos dias.

 

O Curta Mais aguarda atualizações sobre a greve.

 

Banco Central

O Banco Central do Brasil é a instituição responsável pelo adequado funcionamento do mercado financeiro como um todo, criando e fiscalizando regulamentações que todas as instituições desse meio devem seguir.

Assim, a função dele vai desde controlar tarifas bancárias até a regulamentar a quantidade de moeda em circulação no País.

O BC é uma autarquia federal autônoma. Na prática, isso significa que se trata de uma instituição com total autonomia frente a outros órgãos do poder público.

Embora não esteja subordinado a outros setores, ainda assim é supervisionado pelo Governo Federal e é parte constituinte do Ministério da Economia.

Vale destacar que a presença de um banco central não é exclusividade brasileira, uma vez que o conceito dessa instituição tem como base a ideia de garantir estabilidade ao sistema financeiro de uma nação.

O que muda é o caráter de menor ou maior independência e interferência governamental, mas em todos os países o banco central visa proteger a economia nacional.

O Banco Central é a entidade que tem o intuito de garantir estabilidade da moeda nacional, a fim de proteger seu poder de compra e regulamentar o mercado financeiro como um todo. Consequentemente, todas as instituições desse mercado estão sujeitas à habilitação e fiscalização desse banco.

E essa proteção se estende e beneficia o “consumidor final”, uma vez que as fiscalizações feitas pelo banco central evitam condições abusivas à população por parte das instituições financeiras (como bancos e corretoras de investimento).

 

Comunicado: Curta Mais tem perfil no Instagram de Goiânia desativado

O Curta Mais informa que seu perfil perfil no Instagram foi desativado pela Meta, detentora do Instagram, Facebook e WhatsApp no último dia 25 de janeiro. O perfil conta com mais de 231 mil seguidores conquistados organicamente.

As causas que resultaram na retirada da conta do ar ainda não foram explicadas pela Meta e estão sendo apuradas pela equipe técnica do Curta Mais. O departamento jurídico do Curta Mais já está em contato com os responsáveis pela rede social para que a situação seja resolvida. “A empresa Meta Plataformas Inc (Facebook) deveria oportunizar aos seus usuários o direito do contraditório, pois todas as tentativas de comunicação ocorridas entre ela e o Curta Mais foram realizadas posteriormente ao bloqueio do perfil. As medidas judiciais já estão sendo tomadas para que a empresa Curta Mais reestabeleça sua conta o mais breve possível”, explica o advogado Fabrício Umbuzeiro.

Vale ressaltar que o Instagram é apenas um dos vários canais de distribuição de conteúdo do Curta Mais, a principal plataforma de entretenimento de Goiás e DF. O público pode continuar acessando normalmente todos os nossos conteúdos de forma gratuita pelo portal Curta Mais, aplicativo iOS e Android e demais redes sociais. O Instagram reserva @curtamais foi reativado com as melhores dicas do que fazer em Goiânia e a partir de agora todas as notícias factuais poderão ser acompanhadas também pelo perfil @curtamaisnews no Instagram, além das páginas oficiais do Curta Mais no Facebook, Twitter, TikTok, Linkedin e newsletter.

Em Brasília, nossas redes sociais podem ser acompanhadas por meio do endereço @curtamaisbsb no Instagram, Facebook e Twitter.

Nossa audiência mensal impacta mais de 4 milhões de pessoas todos os meses levando conteúdo original de forma gratuita para o público, divulgando os melhores lugares e programas da cidade, além de notícias em tempo real.

A plataforma conta ainda com um clube de assinaturas com descontos exclusivos nos melhores lugares da cidade, o Clube Curta Mais, que pode ser acessado pelo site, aplicativo e redes sociais próprias: @clubecurtamais.

O Curta Mais reitera seu compromisso em continuar como a mais completa e confiável multiplataforma de informação, cultura, gastronomia e negócios da cidade.

 

Mark Zuckeberg comenta apagão das redes sociais

Na tarde desta segunda, 4 de outubro, as redes sociais: Facebook, WhatsApp e Instagram saíram do ar. A falha global ocorreu por cerca de 7 horas. 

Em seu perfil no Facebook, Mark Zuckeberg comenta o ocorrido e pede desculpas. 

A pane geral ficou várias horas entre os Trending Topics do Twitter no Brasil. No fim do dia, o Telegram também entrou para os assuntos do momento, pois estava apresentando instabilidade.

Foto: (Crédito: Anthony Quintano / Flickr)

Leia também: Whats App, Facebook e Instagram apresentam falha mundial nesta segunda-feira 

Lockdown nas redes: WhatsApp e Instagram estão fora do ar

Usuários foram ao Twitter reclamar que não estão conseguindo acessar WhatsApp e nem o Instagram. Os relatos começaram por volta das 14h30 desta sexta-feira (19) e o assunto já está no topo dos trends.

O Facebook, que é dono dos dois apps, continuou no ar.

O WhatsApp e o Instagram ainda não se manifestaram publicamente sobre o ocorrido.

WhatsApp e Instagram estão fora do ar: confira os ‘memes’ mais engraçados da internet

Pessoas do mundo todo estão relatando dificuldades para acessarem os aplicativos do WhatsApp e do Instagram. Não recebem mensagens e não enviam. O Facebook que é dono dos dois aplicativos, continua no ar. A hashtag #OZap está em primeiro lugar nos trends do Twitter no Brasil. Não se sabe ainda o porquê do ocorrido.

DownDetector: O site que registra reclamações, registrou problemas com as plataforma a partir das 14:30h.

Confira os comentários no Twitter:





Foto: Reprodução / Catraca Livre

Usuários relatam que Whatsapp Web e app estão fora do ar nesta terça-feira

O Whatsapp ficou fora do ar na tarde desta terça-feira (14), apresentando falhas na web e no aplicativo. O serviço parou de funcionar! Não envia e nem recebe mensagens. Os problemas começaram na versão Web, que exibia o aviso “Conectando ao WhatsApp”. No entanto, a falha também afeta o app para celular em alguns casos, embora não seja possível perceber um padrão para o erro.

Segundo o Downdetector, site que monitora o funcionamento de serviços online, o número de reclamações para falhas no WhatsApp começou a aumentar por volta das 16h40. A maioria das reclamações são de países da Europa e da América, incluindo o Brasil. De acordo com os relatos, os principais problemas estão relacionados à conexão e ao envio e recebimento de mensagens.

Instagram sai do ar em pleno Dia dos Namorados

O Instagram apresenta instabilidades desde o começo da tarde desta terça-feira (12/06).

Desde o começo do dia, usuários aproveitam o Dia dos Namorados para homenagear seus parceiros com posts apaixonados na rede sociail.

A empresa ainda não se manifestou publicamente sobre o caso e alguns usuários já relatam o problema em outras redes sociais como Twitter e Facebook.

Devido a polêmica, TV Band Goiânia decide tirar o programa ‘Os Donos da Bola’ do ar

Em nota emitida na tarde desta quinta-feira (22), a TV Goiânia Band, filiada goiana da Rede Bandeirantes de Televisão, anunciou o cancelamento da edição local do programa ‘Os Donos da Bola’.

A decisão se dá após a polêmica causada pela edição da última quarta-feira da atração, que submeteu a musa do Goiás Esporte Clube, Karol Barbosa, a perguntas com conotação sexual.

A entrevista repercutiu negativamente após vídeos do quadro ‘Desafio das Musas’ pararem nas redes sociais. Em nota, a diretoria do Goiás se posicionou contrário a atitude do programa e ainda sinalizou que irá tomar medidas através de seu departamento jurídico.

No início da tarde, a emissora chegou a afirmar que a entrevista se tratava de uma espécie de teste com o público a fim de conscientizar sobre o constrangimento a que as mulheres são submetidas diariamente. A afirmação, porém, não repercutiu bem entre os internautas.

Confira a nova nota da TV Band na íntegra:

Procurada pelo Curta Mais, Karol preferiu não se pronunciar.

WhatsApp está de volta para alegria dos usuários

Foram poucos minutos mas suficientes para movimentar as redes sociais. A instabilidade WhatsApp gerou reclamação de vários usuários que usaram a internet para saber o que estava acontecendo.

Em pouco tempo, o assunto ficou entre os mais comentados na web, indo parar nos trends do Twitter.

A volta da ferramenta mais popular de troca de mensagens do mundo, foi motivo de comemoração entre os usuários.

WhatsApp está fora do ar

WhatsApp está passsando por uma instabilidade no Brasil nesta quinta-feira (30). Os primeiros relatos de usuários sem conexão com o aplicativo já podem ser vistos no Twitter e no site DownDetector, que rastreia quando serviços online ficam inacessíveis.

No site Down Detector, em que usuários podem indicar falhas em serviços, o WhatsApp teve um grande pico em queixas nesta tarde. No mapa da página, as queixas principais eram oriundas de Brasil e América do Sul como um todo, mas foram registradas queixas na Europa e EUA, entre outras partes do mundo, indicando uma falha global.

O WhatsApp ainda não se manifestou sobre a problema.

WhatsApp fica fora do ar na manhã desta sexta-feira em várias partes do mundo

O WhatsApp ficou fora do ar na manhã desta sexta-feira (3) em várias partes do mundo, especialmente na Europa e nas Américas. Muitos usuários relataram falhas ao acessar o aplicativo WhatsApp e no Twitter, a hashtag #whatsappdown já é o assunto mais comentado do mundo.

De acordo com o site de monitoramento “Down Detector”, os usuários europeus são os que mais sofrem com o problema, com mais de mil relatos de problemas.

O jornal “The Independent” afirma que o caso aparenta ser uma “falha no servidor”, que impede o envio e o recebimento das mensagens.

Tanto a versão para celular como a web estão com falhas nesta manhã e a rede ainda não se pronunciou sobre os problemas.

Usuários reclamam de instabilidade no Facebook e Instagram

Na manhã desta quarta-feira, os usuários do Facebook e Instagram estranharam a falta de conexão. Isso porque as duas redes sociais apresentaram instabilidade, conexão lenta e dificuldade para acessar os aplicativos. Alguns usuários relataram que as contas pararam de funcionar. O Facebook informou que está ciente das dificuldades que os usuários vêm enfrentando ao tentar acessar ao site. Porém, não informou a causa do problema ou quando ele será resolvido.

Com volume maior de reclamações nos EUA e Europa, os brasileiros também puderam sentir essas instabilidades, porém em menor intensidade. Mesmo assim, o ocorrido não passou despercebido entre os usuários online, principalmente no twitter. Veja como alguns internautas reagiram.

Whatsapp volta a funcionar depois de ficar duas horas fora do ar

Após ficar por mais de duas horas fora do ar no final da tarde desta quarta-feira (3/5), o Whatsapp voltou a funcionar por volta das 19h20.

Durante o problema de conexão, a empresa responsável pelo aplicativo comunicou que estava “ciente do problema e trabalhando para corrigi-lo o mais rápido possível”.

A causa da queda ainda não foi informada.

Justiça ordena que Facebook seja retirado do ar por 24 horas

O juiz eleitoral Renato Roberge, de Joinville (SC), ordenou a suspensão do Facebook por 24 horas em todo o Brasil. O magistrado alega, em sentença que pode ser lida aqui, que a rede social descumpriu a lei ao permitir a existência de uma página que ofenderia um dos candidatos à prefeitura do município.

A Justiça Eleitoral ordenou ao Facebook a retirada do ar da página “Hugo Caduco”, que fazia piadas com o candidato Udo Döhler (PMDB). O magistrado alega que a legislação foi desrespeitada e solicitou à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) que a rede social fosse desativada. O pedido foi feito nessa quarta-feira (5/10).

O pedido do juiz é baseado no Art. 57-I da Lei 9.504, de 1997, que diz: “A requerimento de candidato, partido ou coligação, a Justiça Eleitoral poderá determinar a suspensão, por vinte e quatro horas, do acesso a todo conteúdo informativo dos sítios da internet que deixarem de cumprir as disposições desta Lei”.

Renato Roberge colocou que a rede social deveria informar aos usuários que a suspensão ocorreu por “descumprimento da legislação eleitoral”.

A assessoria de imprensa do Facebook declarou que o perfil “Hudo Caduco” foi retirado do ar. Sobre a suspensão de 24 horas, a empresa disse que não iria se manifestar. (Via Metrópoles)

Ele voltou! WhatsApp está liberado

Após cerca de 4 horas de bloqueio, o WhatsApp voltou a funcionar em todo o país. Graças ao Supremo Tribunal Federal, que decidiu na tarde desta terça-feira, 19, derrubar a decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

Na decisão, O presidente do STF, ministro RicardoLewandowski analisou ação impetrada pelo Partido Popular Socialista (PPS), que recorreu ao Supremo para que fosse suspensa imediatamente a ordem judicial da 2ª Vara Criminal da Comarca de Duque de Caxias, do Rio de Janeiro. Na ação, o partido argumenta que a decisão fere a liberdade de expressão e a liberdade de manifestação. 

Nesta terça, 19, empresas de telefonia receberam uma notificação para bloquear o aplicativo depois que o Facebook, empresa proprietária do WhatsApp, se recusou a cumprir uma decisão judicial e fornecer informações para uma investigação policial. Para o presidente do Supremo, o bloqueio foi uma medida desproporcional porque o WhatsApp é usado de forma abrangente, inclusive para intimações judiciais, e fere a segurança jurídica.

Esta é a terceira vez que o WhatsApp é bloqueado pela Justiça no Brasil. Em todos os casos, a suspensão foi uma represália da Justiça por a empresa ter se recusado a cumprir determinação de quebrar o sigilo de dados trocados entre investigados criminais.

Em dezembro do ano passado, o aplicativo de troca de mensagens foi bloqueado a pedido da Justiça. A determinação afetou também usuários na Argentina e no Chile. Na ocasião, o serviço voltou ao ar graças a uma liminar da Justiça.

No início de maio deste ano, o app foi bloqueado mais uma vez e foi liberado após liminar. Nas duas ocasiões anteriores, o motivo foram investigações criminais que queriam acesso a mensagens trocadas por pessoas dentro do app.

Desde fevereiro, a Apple enfrenta uma batalha judicial contra o FBI, que tenta desbloquear o sistema operacional de um iPhone recuperado de um dos atiradores da chacina em San Bernardino, na Califórnia, no final do ano passado. A empresa se opôs ao objetivo da polícia com os argumento de ameaça à segurança dos usuários.