Google revela os termos mais buscados de 2023 no Brasil

O Google lançou, nesta semana, a lista dos termos mais buscados em 2023. Tudo que foi pesquisado revela o que mais chamou atenção durante o ano, desde coisas divertidas até política, esportes e famosos.

Os rankings mostram o que as pessoas do mundo todo e aqui no Brasil mais pesquisaram, com algumas coisas parecidas e outras bem diferentes entre os dois. Dá uma olhada nos resultados principais e nas categorias que foram divulgadas.

O que mais o povo brasileiro buscou no Google em 2023

Por aqui, a política ficou bem em alta o ano todo, muito por conta das eleições de 2022 e a transição de governo. Personalidades políticas e não políticas dominaram as pesquisas no Brasil em 2023. Artistas e pessoas da midia também marcaram presença na lista.

Neste ano, o Google trouxe umas categorias especiais só pro Brasil,  um exemplo é aquela famosa pergunta “O que é…?”, se tornando uma categoria. As modinhas das redes sociais, com tutoriais e explicações que todo mundo quis saber.

Crise em Hollywood: atrizes são demitidas por apoio à Palestina

A atriz Melissa Barrera está oficialmente fora de ‘’Pânico 7’’. Após rumores sobre a demissão da atriz por uma postagem em sua rede social, o The Hollywood Reporter confirmou a sua saída do projeto na tarde desta terça-feira (21).

Em seu Instagram, a estrela da nova era da franquia de terror fez algumas postagens sobre a guerra entre Israel e Hamas. “Também venho de um país colonizado [México]. Palestina será livre. ‘Eles tentaram nos enterrar, mal sabiam que éramos sementes.'”, escreveu ela em um de seus stories.

“Gaza está sendo tratada atualmente como um campo de concentração”, também escreveu ela. “Encurralar todos juntos, sem ter para onde ir, sem eletricidade, sem água… As pessoas não aprenderam nada com a nossa história. E assim como nossas histórias, as pessoas ainda assistem silenciosamente a tudo acontecer. ISSO É GENOCÍDIO E LIMPEZA ÉTNICA.”

Em apoio à colega de elenco, a atriz Jenna Ortega, solicitou o encerramento de seu contrato com a franquia Pânico. A informação surgiu logo após a confirmação sobre Melissa Barrera ser demitida da saga de filmes por postagens sobre o conflito entre Israel e Palestina.

Nenhuma fonte oficial se pronunciou até então.

panico
Melissa Barrera e Jenna Ortega em ”Pânico” (foto: divulgação)

Mais casos

Susan Saradon foi mais um nome em Hollywood excluído de trabalhos por declarar apoio à Palestina. A agência United Talente Agency (UTA) dispensou a ganhadora do Oscar após uma série de discursos, o que foi confirmado pelo site Deadline.

A atriz de “Besouro Azul” esteve presente em várias manifestações pró-Palestina. Uma das declarações dizia: “Há muitas pessoas com medo de serem judias neste momento e elas estão experimentando como é ser muçulmano neste país”.

Ela também compartilhou no X, ex-Twitter, uma publicação pró-Palestina de Roger Waters, do Pink Floyd, que foi criticado ao longo dos anos por suas declarações antissemitas.

susan
Susan Sarandon é dispensada após apoiar Palestina (foto: divulgação)

 

Tom Cruise também entrou na briga

O ator Tom Cruise impediu que sua agente fosse demitida da agência de representação onde trabalha, a CAA. A preocupação aconteceu depois que a agente, Maha Dakhil, postou uma série de comentários em favor da Palestina durante o conflito entre Israel e o Hamas.

As declarações de Dakhil foram postadas em seu Instagram e incluíam a acusação de genocídio sobre as ações de Israel na Faixa de Gaza. “O que parte mais o coração que testemunhar um genocídio? Testemunhar o negacionismo de que um genocídio esteja acontecendo”, escreveu a agente.

De acordo com a revista Variety, as publicações despertaram reações negativas na CAA, agência onde Dakhil trabalha, que pouco depois a dispensou do cargo de líder do departamento de cinema. A empresa não a demitiu, porém, por conta de uma intervenção de Cruise.

tom
Tom Cruise impede que sua agente seja demitida por defender a Palestina (foto: divulgação)

 

Outro lado

Em contrapartida, o ator Noah Schnapp, estrela de Stranger Things, viralizou nas redes sociais após o compartilhamento de um vídeo em que aparece com seus amigos em um momento de descontração exibindo adesivos pró-Israel.

Em um story compartilhado no Instagram, em que o ator foi marcado, Schnapp aparece rindo sentado com seus amigos, que expõem adesivos com as frases “Sionismo é sexy” e “Hamas é o ISIS (Estado Islâmico)”.

O artista foi fortemente criticado na internet após a divulgação do vídeo. Parte do público classificou a atitude como desrespeito diante da Guerra entre Israel e o Hamas, que teve início em 7 de outubro deste ano. Desde o começo do conflito, o número de mortos na região já passa de 12 mil.

Uma internauta, em sua conta do “X”, antigo Twitter, escreveu: “me enche de raiva como as figuras públicas palestinas têm que ser tão cuidadosas com suas palavras em apoio a seu próprio povo, mas Noah Schnapp espalha continuamente desinformação e desrespeita pessoas que estão sofrendo, literalmente, um genocídio sem quaisquer consequências”.

Apesar das críticas e posicionamento do ator, ele mantém o seu papel na série confirmado.

noah
Astro de Stranger Things ironiza e faz piada com a população palestina e seus apoiadores (foto: divulgação)

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

 

 

‘Dyakuyu – Fugitivos da Guerra’: documentário mostra a adaptação dos ucranianos à nova realidade no Brasil

Estreou,  nesta quinta-feira (09), o documentário original “Dyakuyu – Fugitivos da Guerra”, produzido pela equipe de reportagem do “Jornal da Record”, sobre a dura realidade dos ucranianos que deixaram o país em meio ao conflito entre Ucrânia e Rússia. “Dyakuyu”, em ucraniano, significa “obrigado” e a produção traduz o sentimento retratado por meio de depoimentos de refugiados que conseguiram escapar do horror na terra natal e foram acolhidos em outros países, como o Brasil, que acolheu mais de 110 expatriados.

 

O documentário original, com 45 minutos de duração, mostra como os ucranianos estão se adaptando à nova realidade em cidades brasileiras, as emoções de estarem longe da área de conflito e a rede de apoio de voluntários que os têm ajudado a superar as dificuldades no novo lar.

 

O especial também traz depoimentos de refugiados que tentavam deixar à Ucrânia em meio aos bombardeios, especialistas em Relações Internacionais e Psicologia, e dos repórteres que cobriram o dia a dia da guerra em cidades da Ucrânia, Rússia e Polônia, como André Azevedo, André Tal, Leonardo Stoliar e Roberto Cabrini. O vídeo pode ser visto no  PlayPlus, serviço de streaming multiplataforma da Record TV.

 

Foto: Playplus

 

Rússia x Ucrânia: 6 livros que irão ajudar as crianças a entender o conflito

 

Todos sabemos e concordamos sobre a importância de utilizar o imaginário para ajudar a criança a crescer saudável e feliz. Neste contexto também é preciso cuidado com a exposição excessiva às telas e o uso dos livros digitais. 

 

No começo de 2022, foi publicado um estudo canadense que encontrou uma associação entre níveis excessivos de uso de tela com a piora dos sintomas de saúde mental em crianças. A pesquisa foi publicada pelo JAMA (Journal of the American Medical Association) Network e defende, entre outras coisas, que é preciso criar mecanismos, entre eles governamentais, para tirar as crianças da frente dos dispositivos.

 

A leitura infantil é um dos hábitos considerados saudáveis e que devem ser estimulados, de acordo com a pesquisa. Pensando nisso e levando em consideração que sábado, 2 de abril, é celebrado o Dia Internacional do Livro Infantil, trouxemos uma lista de livros para incentivar a leitura das crianças.

 

Os livros abaixo relacionados não apenas estimulam o hábito da leitura e a criatividade, como auxiliam os pequenos a entender o conflito entre a  Rússia e a Ucrânia. Tal compreensão é necessária já que as crianças estão expostas constantemente  informações e imagens que estão sendo exibidas na  televisão e na internet, que estão pautando constantemente esse conflito.

Título: Malala, a menina que queria ir para a escola

 Malala

Autora: Adriana Carranca 

Editora: Companhia das Letrinhas 

Sinopse: Conheça a história da Malala, uma menina que sofreu um atentado apenas por frequentar a escola. Apesar dos conflitos internos do país e da perseguição, se manteve firme em seu propósito de estudar. 

Onde acessar: Estante Digital do Leia com uma criança

Título: A Raiva

 a

Autor: José Carlos Lollo e Blandina Franco 

Editora: Pequena Zahar 

Sinopse: No começo era só uma raivinha à toa. Uma coisa boba, que nem tinha razão de ser, mas que, mesmo assim, era. Assim como a vontade de tirar um cochilo, de tomar um sorvete ou de ler este livro. Só que essa raivinha que era à toa começou a crescer, crescer, crescer… Será que ela vai tomar conta da história toda?

Título: A Guerra

 A

Autor: José Jorge Letria e André Letria 

Editora: Amelí Editora 

Sinopse: Fruto da parceria de Pai e Filho, poeta e ilustrador se unem para erguer dos abismos as vozes silenciadas assoladas pela guerra, e que carecem de serem ouvidas em tempos obscuros ao qual o mundo se encontra na atualidade.

Título: Migrantes

 Migrantes

Autora: Issa Watanabe 

Editora: Libros del Zorro Rojo 

Sinopse: Narra a jornada de migração de um grupo de animais antropomorfizados que deixaram uma vida de angústias e incertezas para trás em busca da esperança de dias melhores. 

Título: Lila em Moçambique

Lila

Autora: Andreia Prestes

Editora: Quase Oito 

Sinopse: Conta a história do exílio da família de Lila na cidade de Maputo, em Moçambique, em razão dos conflitos armados.

 

Título: O princípio 

O

Autora: Paula Carballeira Sonja Danowski 

Editora: Kalandraka

Sinopse: O Princípio reflete a ternura face ao horror, a imaginação perante a mais absoluta precariedade, a força de uma família unida perante o drama humano.

Guerra na Ucrânia: Conheça os luxuosos imóveis dos magnatas russos que valem mais de R$ 12,5 bilhões

Os oligarcas russos estão tendo dificuldade para esconder o patrimônio obtido com os considerados  “ganhos ilegítimos”, desde que os Estados Unidos e a União Europeia aumentaram a pressão sobre eles no início do mês.  De acordo com matéria publicada pela Revista Forbes, nove desses bilionários foram atingidos pela primeira vez no mês passado, desde que as tropas russas invadiram a Ucrânia.

 

 Alisher Usmanov, conhecido como o magnata dos metais, tem  68 anos é um dos milionários afetados pelas sanções da UE, EUA, Reino Unido, Suíça, Canadá e Ilhas Cayman desde a anexação russa da Crimeia em 2014.

 

A propriedade Sutton Place que data do século 16, em Surrey, e a mansão Beechwood House, em Londres, –na Inglaterra fazem parte deste patrimônio sancionado. De acordo com um comunicado de imprensa do governo britânico anunciando as sanções, ambas as propriedades foram congeladas e nenhum “cidadão ou empresa britânica” pode fazer negócios com Usmanov. Na prática, isso significa que Usmanov não pode vender, alugar ou receber nenhum benefício econômico das casas.

 

Ele não é o único bilionário russo sancionado com propriedades imobiliárias significativas fora da Rússia. Ele também não é o único com casas nas capitais ocidentais. A  Revista Forbes identificou pelo menos 62 propriedades pertencentes a 13 oligarcas russos sancionados, que se estendem de Connecticut, nos EUA, à Sardenha, na Itália. Pelo levantamento  da Forbes, esses imóveis de propriedade russa valem ao todo US$ 2,5 bilhões, que são cerca de R$ 12,5 bilhões de reais. 

 

Confira algum desses imóveis:

 

Roman Abramovich

Sancionado por: Reino Unido e Canadá

Cidadania: Rússia, Israel e Portugal

Propriedades em: Cap d’Antibes, França; São Bartolomeu; Aspen, Colorado; Londres, Reino Unido.

Valor total estimado: US$ 620 milhões (R$ 3,1 bilhões)


masao

A  propriedade de  Abramovich  que mais se destaca é o número 17 do Kensington Palace Gardens, uma mansão de 15 quartos que faz fronteira com várias embaixadas e o Kensington Palace, residência da família real britânica. O mini-palácio tem uma piscina coberta, janelas venezianas, colunas jônicas e um grande porão de 370 metros quadrados. De acordo com a Revista Forbes, Abramovich é dono da casa, mas o terreno ainda pertence ao Estado.

Pyotr Aven

Sancionado por: UE e Suíça

Cidadania: Rússia e Letônia

Propriedades em: Surrey, Reino Unido, e Sardenha, Itália

Valor total estimado: US$ 160 milhões (R$ 800 milhões)

 

masao

 

 O imóvel de Aven que mais se destaca  é a   Ingliston House, uma grande propriedade com 18 quartos, academia e piscina de água salgada, em 3,4 hectares adjacentes a um campo de golfe no Wentworth Estate, em Surrey, Inglaterra. O rico banqueiro teria instalado cercas eletrônicas “inteligentes”, uma guarita octogonal de dois andares e um abrigo à prova de bombas para torná-lo “à prova de KGB”.

Oleg Deripaska

Sancionado por: EUA, Reino Unido e Canadá

Cidadania: Rússia

Propriedades em: Paris e Saint-Tropez, França; Porto Cervo, Sardenha; Nova York e Washington D.C., EUA; Londres e Surrey, Reino Unido

Valor total estimado: US$ 140 milhões (R$ 700 milhões)

Das  propriedades de Deripaska nos EUA  a que mais se destaca é uma casa de cinco andares no Upper East Side de Nova York, no número 11 da East 64th St, comprada pela Vesta International LLC, com sede em Delaware, por US$ 42,5 milhões (R$ 212,5 milhões) em 2008;

 

Mikhail Fridman

Sancionado por: UE e Suíça

Cidadania: Rússia e Israel

Propriedades em: Londres e Reino Unido

Valor total estimado: US$ 100 milhões (cerca de R$ 500 milhões)

 atlone

A Athlone House é uma propriedade gótica da era vitoriana no rico bairro de Highgate, no norte de Londres. Construída em 2 hectares de jardins paisagísticos projetados para imitar o Palácio de Versalhes, está localizada ao lado da Casa de Faia de Usmanov. A mansão estava em ruínas até que Fridman a comprou em 2016 por cerca de US$ 90 milhões (R$ 450 milhões) e a restaurou, adicionando uma piscina subterrânea, uma sala de ioga e um observatório. Fridman é o proprietário direto, de acordo com os registros de propriedade britânicos. Um representante de Fridman não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

 

Mikhail Gutseriev

Sancionado por: UE, Reino Unido e Suíça

Cidadania: Rússia

Propriedades em: Londres e Reino Unido

Valor total estimado: US$ 120 milhões (R$ 600 milhões)

Gutseriev é dono de uma casa no bairro nobre de Mayfair, em Londres. 

 

Suleiman Kerimov

Sancionado por: EUA

Cidadania: Rússia

Propriedades em: Cap d’Antibes, França

Valor total estimado: US$ 270 milhões (R$ 1,3 bilhão)

 mansao

Suleiman Kerimov é senador do Conselho da Federação Russa, além de bilionário e empresário. Suas quatro vilas em Cap d’Antibes, na Riviera Francesa, fizeram parte de um escândalo fiscal envolvendo uma empresa suíça chamada Swiru Holding AG em 2020. As autoridades francesas multaram a Swiru em US$ 1,6 milhão (R$ 8 milhões) por suposta evasão fiscal na venda de uma das vilas, chamada Hier, para Kerimov em 2008, por um valor declarado de US$ 51 milhões (R$ 255 milhões) em vez do preço real de compra de quase US$ 190 milhões (R$ 950 milhões). Localizado na chamada “Baía dos Milionários”, o Hier, de quase 1.200 metros quadrados, também serviu de cenário para o filme de 1988 “Os Safados”, estrelado por Michael Caine.

 

Andrey Melnichenko

Sancionado por: UE

Cidadania: Rússia

Propriedades em: Cap d’Antibes, França; Itália; Mônaco; Nova York; Suíça e Reino Unido

Valor total estimado: US$ 400 milhões (R$ 2 bilhões)

Melnichenko tem várias propriedades em todo o ocidente, mas a mansão Bromar  é a que mais se destaca. Com  4 andares em Mônaco é  uma vila construída em um antigo banco (com seu próprio cofre) que agora tem piscina, sauna a vapor, academia e cinema. Ele também é dono da Villa Altair em Cap d’Antibes, na França, com home theater, adega, sauna e piscina.

Alexandre Ponomarenko

Sancionado por: UE e Suíça

Cidadania: Rússia

Propriedades em: Saint-Jean-Cap-Ferrat, França

Valor total estimado: US$ 175 milhões (R$ 875 milhões)

Ponomarenko tem uma grande vila com 15 mil metros quadrados de terreno em Saint-Jean-Cap-Ferrat, na Riviera Francesa. Um representante de Ponomarenko se recusou a comentar.

 

Arkady Rotenberg

Sancionado por: UE, Reino Unido, EUA, Canadá, Japão e Suíça

Cidadania: Rússia

Propriedades em: Roma, Sardenha e Tarquinia, Itália; Surrey, Inglaterra; e Saint-Jean-Cap-Ferrat, França

Valor total estimado: US$ 150 milhões (R$ 750 milhões)

Arkady Rotenberg,

 

Ex-parceiro de judô de Putin, Rotenberg tem várias propriedades na Itália, mas as  duas vilas na luxuosa Costa Esmeralda, se destacam pela exuberância.

 

Boris Rotenberg

Sancionado por: Reino Unido, EUA, Canadá e Japão

Cidadania: Rússia e Finlândia

Propriedades em: Èze e Mouans-Sartoux, França e Londres, Reino Unido

Valor total estimado: US$ 45 milhões (R$ 225 milhões)

 

Boris Rotenberg é co-proprietário (com seu irmão Arkady Rotenberg ) do grupo SGM (StroyGazMontazh), a maior empresa de construção de gasodutos e linhas de fornecimento de energia elétrica na Rússia. As duas grandes mansões na cidade de Èze, na Riviera Francesa, bem como uma propriedade de 29 hectares com um negócio de criação de cavalos que ele tem com sua esposa, Karina, nas proximidades de Mouans-Sartoux são impressionantes.  

 

De acordo com uma investigação de 2018 do Projeto de Denúncia de Crime Organizado e Corrupção, em colaboração com o diário francês “Le Monde” e o jornal russo “Novaya Gazeta”, a propriedade em Mouans-Sartoux foi adquirida através de uma estrutura complexa, incluindo uma empresa com sede em Mônaco chamada Tannor 2. As vilas em Èze, totalizando 1.300 metros quadrados, incluindo uma piscina, foram avaliadas em US$ 37 milhões (R$ 185 milhões) em 2008.

Gennady Timchenko

Sancionado por: UE, EUA, Reino Unido, Canadá, Japão e Suíça

Cidadania: Rússia e Finlândia

Propriedades em: Le Lavandou, Saint-Raphaël França; e Genebra, Suíça

Valor total estimado: US$ 30 milhões (R$ 150 milhões)

 

Timchenko é dono de uma mansão no Lago Genebra, na Suíça, que é impressionantre.

Alisher Usmanov

Sancionado por: UE, Reino Unido, EUA, Canadá, Japão e Suíça

Cidadania: Rússia e Uzbequistão

Propriedades em: Londres e Surrey, Reino Unido; Lago Tegernsee, Alemanha; Lausanne, Suíça; Mônaco; e Sardenha, Itália

Valor total estimado: US$ 250 milhões (R$ 1,2 bilhão)

 

Usmanov é dono da propriedade Beechwood House, do século 19, em Hampstead, Londres, construída em 4,4 hectares de terra que incluem uma quadra de squash e vários chalés. Os proprietários anteriores incluem o rei Khalid, da Arábia Saudita, e o xeque Hamad bin Khalifa Al Thani, do Qatar. De acordo com os registros britânicos, Usmanov tem a propriedade através da Hanley Limited, uma empresa constituída na Ilha de Man.

Victor Vekselberg

Sancionado por: EUA

Cidadania: Rússia

Propriedades em: Nova York e Connecticut, EUA; Zug, Suíça; Itália; e Letônia

Valor total estimado: US$ 70 milhões (R$ 35 milhões)

Vekselberg tem duas propriedades nos EUA, incluindo uma casa de 4 quartos com piscina em 2 hectares de terra em Weston, Connecticut, comprada em 2001 por US$ 5 milhões (R$ 25 milhões) pela Mojave Park Investments Limited e transferida para Marina um ano depois.

Cão ucraniano ganha fama nas redes sociais após identificar bombas perigosas

Um filhote de cachorro ganhou fama nas redes sociais após sua atuação nas buscas por bombas colocadas pelo exército russo na Ucrânia.  

Patron, como é chamado, significa no idioma ucraniano “cartucho de munição”. Ele tem apenas dois anos e muita experiência em seu currículo animal. Ele atua na equipe antibomba do exercíto da cidade Chernihiv, a 140 km de Kiev, capital do país.  

O cãozinho, apesar de muito novo e pequeno, tem experiência em farejar bombas dez vezes maiores que seu tamanho.

No dia 19 de março, o Serviço de Emergência do Estado, anunciou que Patron conseguiu identificar quase 90 bombas altamente perigosas. 

Saiba o que Abramovich fez para esconder iates de R$ 8,5 bi

 Desde o início da guerra entre Rússia e Ucrânia, os oligarcas russos estão sofrendo sanções impostas pela Otan e pela União Européia. Roman Abramovich, milionário dono do Chelsea,  é um desses oligarcas e está fazendo de tudo para não perder o seu patrimônio.  Segundo reportagem do jornal inglês Daily Star, ele enviou seus dois iates, que juntos ultrapassam R$ 8,5 milhões para a Turquia.   A medida foi tomada para evitar que ambos sejam apreendidos por meio de possíveis penas aplicadas  pelo governo britânico.

 

As embarcações estão navegando por águas internacionais desde o início da guerra.O super iate  Solaris deixou o Caribe, passou pelo norte das Ilhas Canárias e seguiu viagem rumo à Turquia. Já o  Eclipse, partiu de Barcelona e seguiu em direção à costa sul da Itália antes de chegar em águas turcas. Na Turquia eles estão seguros de acordo com  lei local

Saiba mais sobre os iates:

 

Roman Abramovich, que é considerado o 142º homem mais rico do mundo, segundo ranking da Forbes, não se pronunciou sobre a localização dos barcos ou até mesmo de seu avião, um Boeing 767-300ER. 

Solaris

O Solaris tem oito andares, 48 cabines e acomoda 36 convidados e uma tripulação de 60 pessoas. Assim como o Eclipse, possui sistema de detecção de mísseis e janelas à prova de balas. De acordo com o site SuperYatch Fan, tem um valor estimado de US$ 600 milhões.

 

Eclipse

 

Com vidros blindados, proteção de defesa antimísseis, dois helipontos, três barcos acoplados e um minissubmarino, o Eclipse é considerado o iate mais seguro do planeta. Com 165,5 metros de comprimento e 13 mil toneladas, é o segundo maior iate do tipo no planeta e pode comportar até 70 hóspedes em seus 24 quartos.

 

Construído pelo renomado construtor naval Blohm & Voss, o Eclipse demorou cinco anos para ficar pronto, sendo lançado em 2010. Na época, Abramovich pagou 300 milhões de libras (cerca de R$ 2 bilhões em valores atualizados). Mas agora, a empresa norte-americana Atlas Marine Systems estima que a embarcação valha 1,1 bilhão de libras (R$ 7,4 bilhões)

 

Guerra na Ucrânia: Oligarcas russos têm até US$ 213 bilhões em contas na Suíça

 

Bancos secretos da Suíça detém até 200 bilhões de francos suíços, cerca de US$ 213 bilhões, de clientes russos em contas offshore, estima a Swiss Bankers Association (SBA), associação do setor financeiro do país. O valor mostra a força dos negócios dos oligarcas russos com bancos na Suíça, que é considerada centro mundial de riqueza offshore.

 

A revelação da SBA é inédita. A Suíça bloqueou muitos pedidos anteriores sobre transparência e a revelação acontece em um momento em que o país adotou sanções da União Europeia ao dinheiro russo após a invasão da Ucrânia por Moscou no mês passado.

Guerra: Veja detalhes do luxuoso “SY A” o iate russo de R$ 3 bilhões apreendido pela Itália

Desde que o navio, intitulado “SY A” – abreviatura de Sayling Yatch A, foi apreendido pela polícia financeira da Itália, após as sanções que a Otan e a União Européia decretaram sobre a Rússia e seus oligarcas, o mundo se assustou com os valores e a ostentação desses barcos.  O “SY A” tem o valor de compra avaliado em impressionantes 530 milhões de euros, que chegam a cerca de R$ 3 bilhões de reais. Ele é considerado o  maior bem ativo já apreendido.

 

O veículo marítimo é de propriedade do oligarca russo Andrey Melnichenko e foi tomado pela polícia financeira da Itália na sexta-feira (11), de acordo com um comunicado do órgão de segurança.  O comunicado informa que o navio estava armazenado no porto do município de Trieste, que dá acesso ao mar Adriático no nordeste do país. A fabricante da embarcação, a Nobiskrug, o classifica como “um dos maiores iates do mundo”, como informa a CNN Brasil.

 

De acordo com matérias publicadas em jornais especializados em embarcações, o “SY A” tem casco com 142,81 metros de comprimento e há um questionamento sobre ele ser um superiate ou um superveleiro. De acordo com especialistas, a princípio, trata-se de um superiate mas, ao analisar o deck superior, nota-se grandes mastros em fibra de carbono, para velas. 

 

O barco foi entregue em 2016. A fabricação do modelo no estaleiro alemão Nobiskrug sempre foi envolto de algum mistério, principalmente pelo projeto ser um pedido do proprietário russo Andrey Melnichenko, considerado um visionário em modelos de embarcações com tecnologia de ponta.

 

O “iate à vela” é alimentado com um sistema de propulsão híbrido (diesel-elétrico) feito sob encomenda, utilizando dois motores diesel MTU 3.600 kW em conjunto com dois motores elétricos 4.300 kW que estão ligados a um conjunto de hélices reguláveis. Isto permite atingir uma velocidade de cruzeiro de 16 nós, com uma autonomia de 5.320 milhas náuticas, e uma velocidade máxima de 21 nós. A propulsão secundária vem dos três mastros independentes de fibra de carbono e entregues para o projeto em junho deste ano.

 

 A área vélica é de mais de 4.500 metros quadrados. O navio tem largura de 24,88 metros.Calcula-se que a tonelagem bruta será de 12.700 ton., com uma quilha fixa capaz de atingir oito metros abaixo da linha d’água. Além disso, são oito decks, com um helideck na popa do sexto deck, e capacidade para acomodar até 54 tripulantes.

 

Confira detalhes do barco no vídeo:

 

 

Leia também:

 

Guerra: Saiba por onde andam os fantásticos iates de Abramovich, que fogem das sanções contra a Rússia

Guerra: Pink Floyd remove músicas das plataformas digitais na Rússia e Bielorrússia

O Pink Floyd e o vocalista David Gilmour anunciaram que irão remover suas músicas das plataformas digitais na Rússia e na Bielorrússia por conta da invasão na Ucrânia. A banda anunciou que todas as músicas desde 1987 e o catálogo solo de Gilmour sairão das plataformas. 

 

O grupo  fez um pronunciamento nas plataformas digitais “Para apoiar o mundo em condenar fortemente a invasão da Ucrânia pela Rússia, as obras do Pink Floyd, de 1987 em diante, e todas as gravações solo de David Gilmour estão sendo removidas de todos os provedores de música digital em Rússia e Bielorrússia a partir de hoje”, disseram.

 



Instagram deixa de funcionar na Rússia

Os usuários do Instagram na Rússia estão sendo notificados de que o serviço será encerrado após a empresa proprietária do aplicativo, Meta Platforms, dizer na semana passada que permitiria aos usuários de redes sociais na Ucrânia publicar mensagens como “Morte aos invasores russos”. As notificações diziam que o serviço seria interrompido a partir da 00h desta segunda-feira (14).

Uma mensagem por e-mail do regulador de comunicações do Estado disse às pessoas para mover suas fotos e vídeos do Instagram antes que o aplicativo fosse fechado e as encorajou a migrar para as próprias “plataformas de internet competitivas” da Rússia.

A Meta, que também é dona do Facebook, disse na sexta-feira que a mudança temporária em sua política de discurso de ódio se aplica apenas à Ucrânia, após a invasão da Rússia em 24 de fevereiro.

A empresa disse que seria errado impedir que os ucranianos “expressassem sua resistência e fúria contra as forças militares invasoras”.

A decisão foi recebida com indignação na Rússia, onde as autoridades abriram uma investigação criminal contra a Meta e os promotores pediram a um tribunal na sexta-feira que designasse a gigante de tecnologia norte-americana como uma “organização extremista”.

O chefe do Instagram disse que o bloqueio afetará 80 milhões de usuários. A Rússia já baniu o Facebook no país em resposta ao que disse serem restrições de acesso à mídia russa na plataforma.

 

*Agência Brasil

Imagem: Reuters

Rede Globo boicota a Rússia e deixa de exportar novelas ao país

 

Seguindo as empresas de entretenimento que interromperam os negócios com a Rússia, a Globo anunciou que suspendeu, por tempo indeterminado, a transmissão de produções autorais em canais abertos e fechados no país de Vladimir Putin. As informações são do Correio Braziliense.

As novelas da Globo fazem grande sucesso em solo russo desde a década de 1970. A sanção também vale para os conteúdos russos, que deixarão de ser cogitados para importação nos canais de TV e streaming da emissora.

Mesmo que a Rússia não seja um produtor relevante para os catálogos dos canais Globo na TV paga e na aberta, conteúdos como filmes, séries e animações de origem russa saíram do radar de negociações da empresa brasileira, como apontou reportagem da Folha de S. Paulo. No caso dos conteúdos brasileiros que são transmitidos em solo russo, o comércio é mais intenso.

Algumas produções brasileiras estão em exibição no momento na TV aberta russa. Por exemplo, as novelas “Por Amor”, do autor Manoel Carlos, gravada em 1997 e “O Clone”, de 2001, de Glória Perez. Pelas plataformas de streaming locais, a Globo está presente com “O Clone”, “Avenida Brasil”, de 2012, de João Emanuel Carneiro, “Justiça”, de 2016, série de Manuela Dias, “Ilha de Ferro”, de 2018, de Max Mallmann e Adriana Lunardi, e “Verdades Secretas”, de 2015, de Walcyr Carrasco.

Grande mercado

A Rússia é um mercado importante para as novelas da Globo. Tudo começou com a novela “A Escrava Isaura”, de Gilberto Braga, gravada em 1976, que abriu portas para a emissora no mundo todo. Por conta dessa produção, a atriz Lucélia Santos, que interpretou Isaura, é uma das brasileiras mais conhecidas na Rússia e na Ucrânia. A entrada nos países europeus ocorreu quando ainda existia a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). 

Em 1990, o sucesso de “Tropicaliente”, de Walther Negrão, lá batizada “Tropikanka”, motivou o turismo de russos no litoral cearense, onde a produção foi gravada. A novela fez tanto sucesso que outra criação brasileira, “Mulheres de Areia”, de Ivani Ribeiro, também de cenário litorâneo brasileiro, acabou sendo chamada lá de “Tropikanka 2”, para pegar carona no sucesso, embora um enredo nada tenha a ver com outro.

Mesmo depois que a União Soviética se desfez, em 1991, o hábito de ver novelas brasileiras nas ex-repúblicas soviéticas se manteve e continua forte até hoje.

 

Imagem: Divulgação TV Globo

 

Agência da ONU estima que aproximadamente 2 milhões de pessoas já fugiram da Ucrânia

O número de pessoas que fugiram da Ucrânia desde o início da invasão russa provavelmente já chegou a entre 2,1 milhões e 2,2 milhões de pessoas, disse, nesta quarta-feira (9), o chefe da agência de refugiados da Organização das Nações Unidas.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), Filippo Grandi, disse em uma entrevista coletiva durante uma visita a Estocolmo que “agora é hora de tentar ajudar na fronteira”, em vez de discutir sobre a divisão dos refugiados entre países.

Grandi acrescentou que a Moldávia, que não é membro da União Europeia, em particular, era muito vulnerável na situação atual.

 

Imagem: KACPER PEMPEL (REUTERS)

Gasolina pode chegar a R$:15,00 após embargos americanos à Rússia

O conflito entre Rússia e Ucrânia está respingando diretamente em todos os países do mundo. Na terça-feira, 8 de março, O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou que não irá mais importar o petróleo russo. A medida visa como impactar a economia da Rússia devido à guerra na Ucrânia.

 

Biden admitiu que a atitude pode elevar os preços dos barris em todo o mundo. Especialistas dizem que o petróleo já chegou aos US$ 130 o barril, e a previsão é de que siga subindo . O valor final a que pode chegar ninguém se arrisca a dizer.

 

O vice-primeiro-ministro da Rússia, Alexander Novak, foi o único a chutar um valor, quando alertava para os efeitos de uma eventual decisão dos EUA de parar de comprar o petróleo russo, um dia antes de a medida ser efetivamente anunciada por Biden. 

 

Quando disse que a medida teria “consequências catastróficas para o mercado global”, Novak previu a alta do barril de petróleo para até US$ 300.

Economistas dizem que se o preço do barril chegar aos US$ 300 e os custos forem integralmente repassados aos consumidores no mundo, a perspectiva é de uma escalada inflacionária assustadora. No Brasil, a gasolina poderia, por exemplo, ultrapassar os R$ 15 o litro.

Foto: Agência Brasil

Jornal britânico afirma que Putin está com câncer terminal

Segundo o jornal britânico “Daily Star”, o presidente russo Vladimir Putin está com câncer terminal no intestino. As informações teriam vindo de autoridades do Pentágono e da Ucrânia.

Conforme a postagem do jornal, o rosto inchado do presidente poderia ser explicado pelo tratamento da quimioterapia ou pelo uso intenso de medicamentos. Sua expressão séria constante também se daria pela dor frequente.

O Daily Star ainda afirma que o estado de saúde de Putin pode ter o tornado mais agressivo ou com a intenção de atacar a Ucrânia para deixar um ‘legado’.

Um militar que trabalha no Pentágono afirmou que estão monitorando o presidente russo e acreditam que ele está muito doente. Isso explicaria sua grande preocupação com o coronavírus e o distanciamento com suas equipes. ”No passado, vimos ele sorrir, mas em 2022 há poucas fotos dele parecendo feliz”, declarou a fonte.

“Seu olhar sugere que ele está com dor e nosso pessoal sugere que seu olhar de raiva é provavelmente o resultado de ele estar vivendo em agonia. Nosso pessoal acredita que ele esteja doente. E ele está preocupado com a Covid, pois mantém sua equipe à distância”, acrescentou.

 

Imagem: Andrey Gorshkov