Qual o destino do spin-off de Game of Thrones: cancelamento ou novidades?

Você já ouviu falar sobre o possível retorno de um spin-off de Game of Thrones que foi cancelado? Isso pode ser muito empolgante para os fãs. Vamos tentar entender melhor essa situação e ver se a HBO realmente decidiu trazer de volta o projeto chamado “Ten Thousand Ships”. E quem sabe, talvez até possamos esperar pela série do Jon Snow com Kit Harington? Vamos descomplicar essa história.

O projeto cancelado que pode voltar

Com tantos spin-offs de Game of Thrones sendo discutidos, é difícil saber quais ainda estão em desenvolvimento e quais foram abandonados. Grandes franquias como essa frequentemente têm muitas ideias que são discutidas, mas não avançam.

Em abril de 2024, o vencedor do Oscar Brian Helgeland, que estava trabalhando em uma série chamada “Dez Mil Navios” sobre a Princesa Nymeria, explicou por que seu projeto não deu certo. Na verdade, Helgeland foi contratado em 2017 para criar uma ideia sobre a Princesa Nymeria, um personagem importante no universo de Game of Thrones, mas parece que a HBO não gostou muito da ideia.

Em 2021, Amanda Segel foi chamada para escrever um roteiro para “10.000 Ships”. Ela não estava apenas continuando a ideia de Helgeland, mas tentando algo novo. Isso significa que o projeto ainda estava em desenvolvimento. Depois disso, quase não se ouviu mais nada, e quando Segel mencionou sua “série rejeitada” em 2024, muitos pensaram que o projeto estava morto.

O futuro dos spin-offs de Game of Thrones

Por mais que possa demorar um pouco para que “10.000 Ships” se torne realidade, outros projetos de Game of Thrones já estão a caminho. A 2ª temporada de House of The Dragon, por exemplo, começa em 16 de junho. Isso mostra que, mesmo que um projeto demore para sair do papel, ainda há muito conteúdo de Game of Thrones para os fãs se empolgarem.

Então, enquanto esperamos por notícias oficiais, podemos ficar animados com a possibilidade de ver novos e emocionantes capítulos dessa saga incrível. Agora é ficar de olho nas novidades e aproveitar os conteúdos que já estão por vir.

Nova oportunidade para “10.000 Ships”

Recentemente, uma postagem no blog de George RR Martin sugeriu que, apesar de algumas propostas para “10.000 Ships” terem sido rejeitadas, a série não foi completamente abandonada. Martin anunciou que Eboni Booth está “trabalhando em um novo piloto para Ten Thousand Ships, um spin-off de Game of Thrones sobre Nymeria e Rhoynar”.

Quando Martin menciona um “novo piloto”, isso sugere que a ideia antiga foi deixada de lado e estão tentando algo novo, o que é comum em grandes produções. O post de Martin não parece indicar que o projeto foi cancelado, mas sim que está em constante desenvolvimento. Martin também fez uma brincadeira dizendo que estão tentando descobrir como pagar por “dez mil navios, trezentos dragões e aquelas tartarugas gigantes”, o que mostra que ele está empolgado com o projeto. Vamos ver no que vai dar.

Veja também:

Descubra o filme que todo mundo está assistindo na Netflix

Está chegando a 3ª temporada de uma das melhores séries de comédia de todos os tempos

Esse filme da Netflix conta uma das mais belas histórias do cinema

Descubra o envolvente filme da Netflix que todo mundo está assistindo

A Netflix está fazendo sucesso com um novo filme que se tornou o mais assistido do momento: “Cores do Mal: Vermelho”. Esta produção tem cativado o público com sua história envolvente, cheia de mistérios e reviravoltas. Vamos conhecer mais sobre este filme, que está conquistando espectadores ao redor do mundo.

A história de “Cores do Mal: Vermelho”

O filme “Cores do Mal: Vermelho”, disponível na Netflix, traz uma trama cheia de suspense e mistério. Inspirado em um livro policial lançado em 2019 pela autora Małgorzata Oliwia Sobczak, o filme foi dirigido por Adrian Panek, que conseguiu transformar a história em uma obra intrigante.

A trama se passa na região de Tricity, no norte da Polônia, e acompanha o detetive Leopold Bilski. Ele está investigando a morte de Monika Bogucka, cujo corpo foi encontrado em uma praia. A investigação revela muitos segredos e uma rede de corrupção, envolvendo personagens misteriosos e verdades que precisam vir à tona.

Personagens e atuação

Os personagens principais de “Cores do Mal: Vermelho”, que está na Netflix, são o detetive Leopold Bilski, interpretado por Jakub Gierszał, e Monika Bogucka, interpretada por Zofia Jastrzębska. Desde o início, a história envolve esses personagens em uma trama cheia de mistérios e segredos.
Monika Bogucka, cuja morte desencadeia toda a trama, é mostrada em flashbacks que revelam suas idas noturnas a boates e uma vida cheia de segredos. A atriz Zofia Jastrzębska traz uma combinação de coragem e inocência ao papel, o que contribui para o trágico desfecho de sua personagem.

Outra personagem importante é Helena Bogucka, mãe de Monika. Ela se torna uma peça chave na investigação de Bilski, e a atuação de Maja Ostaszewska, que interpreta Helena, é um dos destaques do filme da Netflix. As cenas entre Helena e Bilski são cheias de tensão e mistério, criando um clima sombrio que prende a atenção do público.

Mistério e reviravoltas

O grande atrativo de “Cores do Mal: Vermelho” é seu enredo cheio de mistérios e reviravoltas. O diretor Adrian Panek conseguiu capturar a essência da obra original e criar uma história que mantém os espectadores na ponta da cadeira. Cada nova descoberta na investigação de Bilski adiciona uma camada de complexidade à trama, disponível na Netflix.

O filme explora temas como poder, corrupção e o submundo do crime, mostrando como esses elementos estão interligados. Mesmo que a história use alguns clichês comuns em filmes de suspense, ela consegue manter uma identidade única, cativando o público com suas revelações surpreendentes.

“Cores do Mal: Vermelho” é um filme que merece ser assistido. Com uma história envolvente, personagens bem desenvolvidos e um enredo cheio de mistérios, ele está conquistando espectadores ao redor do mundo. Se você gosta de filmes de suspense e mistério, não deixe de conferir esta produção que está fazendo tanto sucesso na Netflix.

Veja também:

Reviva a saga épica de ficção científica: O retorno da trilogia que marcou o século XXI

Famosa saga de ficção científica lança novo filme após 7 anos

Conheça a franquia da Netflix que foi vista por 130 milhões de pessoas no mundo

Filme de ação dos anos 90 teve grande influência no universo dos videogames

Você sabia que um dos melhores filmes de ação dos anos 90 teve um impacto significativo no mundo dos videogames? É verdade. Estamos falando de “007 Contra Goldeneye”, um filme de espionagem que não só trouxe uma nova energia à famosa franquia de James Bond, mas também inspirou um dos jogos de videogame mais icônicos de todos os tempos.

Um filme de espionagem de tirar o fôlego

“007 Contra Goldeneye” é mais do que apenas um filme de espionagem; é um espetáculo de ação dos anos 90 que cativou o público com suas cenas eletrizantes e história envolvente. Desde o início, Brosnan mostrou-se confortável no papel, usando seu charme e talento para dar vida ao agente secreto. O filme conseguiu revitalizar a série de James Bond, que estava precisando de um novo impulso após a fase anterior não ter sido tão bem recebida. Com direção hábil e um elenco talentoso, “Goldeneye” se destacou como uma das melhores aventuras de 007.

A influência nos videogames

O impacto de “007 Contra Goldeneye” não se limitou ao cinema. O filme inspirou um jogo de videogame homônimo que se tornou um verdadeiro clássico. Lançado para o Nintendo 64, “Goldeneye 007” é considerado um dos melhores jogos de todos os tempos, especialmente no gênero de tiro em primeira pessoa.

O jogo capturou a essência do filme e ofereceu aos jogadores a chance de viver as aventuras de James Bond de maneira interativa. Com gráficos inovadores para a época e uma jogabilidade envolvente, o game ajudou a solidificar a reputação do filme e expandiu ainda mais o universo de James Bond.

O renascimento de James Bond

Quando falamos dos diversos atores que interpretaram James Bond, Pierce Brosnan é um nome que se destaca. Embora tenha participado de alguns filmes menos populares da série, seu desempenho em “007 Contra Goldeneye” foi marcante. Este filme, dirigido por Martin Campbell, é considerado um dos melhores da franquia e marcou a estreia de Brosnan como o espião britânico. Ele trouxe um novo vigor ao personagem, combinando elegância e habilidades físicas com uma atuação convincente e envolvente.

“007 Contra Goldeneye” não é apenas um filme de ação dos anos 90; é um marco na história do cinema e dos videogames. A atuação de Pierce Brosnan trouxe uma nova vida ao personagem de James Bond, e a direção de Martin Campbell garantiu que o filme fosse um sucesso. Além disso, a influência do filme no mundo dos games é inegável, com “Goldeneye 007” se tornando um jogo lendário que ainda é lembrado e amado por muitos. Se você é fã de ação e espionagem, este filme é uma ótima escolha e está disponível para compra ou aluguel no Prime Video. Aproveite para conferir e se deixar envolver por essa incrível aventura.

Confira também:

Esta série disponível na Netflix é obrigatória para os amantes de Jurassic World

Filme de ação estreia no streaming poucas semanas após seu lançamento

Descubra qual é o filme que Richard Gere rejeitou e que premiou Michael Douglas

Filme de ação de sucesso já está no streaming poucas semanas após seu lançamento

Hoje em dia, muitos filmes que estreiam no cinema rapidamente chegam às plataformas de streaming. Isso é uma ótima notícia para quem prefere assistir filmes em casa. Recentemente, um filme de ação chamado “O Dublê” conseguiu um feito impressionante, sendo disponibilizado online poucas semanas após sua estreia nos cinemas.

Um sucesso nas telas e nas plataformas

“O Dublê” é estrelado por dois atores que têm uma química incrível, garantindo muita diversão e emoção no streaming. O filme traz ação intensa e cenas bem elaboradas, algo que não vemos com tanta frequência hoje em dia. Com um custo de produção entre 125 e 150 milhões de dólares, “O Dublê” está a caminho de recuperar todo esse investimento apenas um mês após seu lançamento.

A Universal Pictures, distribuidora do filme, decidiu aproveitar o sucesso e lançou o filme digitalmente nos Estados Unidos, apenas algumas semanas após ele ter chegado aos cinemas. Isso permite que mais pessoas possam assistir ao filme de maneira conveniente, sem precisar sair de casa.

Uma homenagem aos heróis desconhecidos

“O Dublê” é uma nova versão da série “Duro na Queda”, de 1981. O filme conta a história de Colt Seavers, interpretado por Ryan Gosling, um dublê que finalmente tem a chance de mostrar suas habilidades. Ele trabalha no novo filme de sua amada, a diretora Jody, vivida por Emily Blunt. Mas Colt não está apenas atuando; ele também precisa resgatar a estrela do filme, interpretada por Aaron Taylor-Johnson, que desaparece misteriosamente.

Esse filme disponível no streaming é uma verdadeira homenagem aos dublês, esses heróis muitas vezes esquecidos que arriscam suas vidas para criar cenas de ação incríveis. “O Dublê” mistura acrobacias espetaculares com cenas de ação de tirar o fôlego, tornando-se uma celebração desses profissionais dedicados.

Uma versão estendida para os fãs

Além de estar disponível no streaming, “O Dublê” veio com uma surpresa especial: uma versão estendida que adiciona 20 minutos extras ao filme. Agora, o tempo total de duração é de quase duas horas e meia. Embora ainda não saibamos exatamente o que esses minutos adicionais trazem, a expectativa é grande. Os fãs estão curiosos para descobrir as novas cenas e se elas realmente fazem diferença na história.

Infelizmente, ainda não temos uma data de lançamento para essa versão estendida no Brasil. Mas os fãs brasileiros podem ficar tranquilos, pois em breve poderão assistir a essa versão especial diretamente de suas casas.

“O Dublê” não é apenas um filme de ação, é uma celebração das pessoas que tornam os filmes emocionantes. Com sua química perfeita entre os atores e cenas de ação impressionantes, ele conquistou rapidamente o público. E agora, com a versão estendida disponível no streaming, os fãs têm ainda mais motivos para comemorar. Se você ainda não assistiu, prepare-se para muita emoção e ação em um filme que homenageia os heróis desconhecidos do cinema.

Confira também:

Esse filme baseado em fatos reais reúne astros de Top Gun, O Senhor dos Anéis e Marvel

Conheça a franquia da Netflix que foi vista por 130 milhões de pessoas no mundo

Qual é o filme mais caro da história da Netflix

Eletrizante e dramático, confira o trailer da 2ª (e última) temporada de Arcane

A Netflix divulgou, nesta terça-feira (11), o trailer da 2ª temporada de “Arcane”, animação premiada que se passa no universo do game “League of Legends” (LoL), e estreia em novembro deste ano na plataforma.

A prévia anuncia que se trata do “capítulo final” da produção e mostra o confronto entre suas protagonistas, duas personagens favoritas dos jogadores: as irmãs Vi e Jinx, icônicas campeãs da Liga, que cresceram com uma enorme rivalidade por conta de visões diferentes de mundo.

A primeira temporada de Arcane, lançada em 2022, foi amplamente elogiada por fãs, críticos, e novatos naquele universo. O enredo acompanha as irmãs Vi e Jinx em meio ao conflito entre as cidades-gêmeas de Piltover e Zaun. Elas lutam em lados opostos de uma guerra entre tecnologias mágicas e convicções incompatíveis.

O co-criador da animação, Christian Linke, confirmou que os novos episódios serão os últimos da série. Mas, ao menos, Arcane deve ganhar produções derivadas.

“Arcane é apenas o começo de uma jornada muito maior, com um estúdio de animação maravilhoso que é o Fortiche. Desde o começo, quando começamos a trabalhar nesse projeto, nós tinhamos um fim específico em mente, o que significa que a história de Arcane encerrará nesta segunda temporada. Mas Arcane é apenas a primeira de muitas histórias que queremos contar em Runeterra”, disse.

Assista o vídeo abaixo:

Primeiro filme de ação a custar 100 milhões de dólares é considerado um dos melhores de todos os tempos

Há exatos 30 anos, o mundo do cinema viu o lançamento do primeiro filme de ação a ter um orçamento de 100 milhões de dólares: “True Lies”. Este marco não só destacou a grandiosidade das produções cinematográficas da época, mas também estabeleceu novos padrões para filmes de ação. Com James Cameron na direção e Arnold Schwarzenegger no papel principal, o filme se tornou um enorme sucesso de bilheteria em todo o mundo.

A grandeza de “True Lies”

“True Lies” foi lançado em 1994 e surpreendeu a todos ao se tornar o primeiro filme de ação a custar 100 milhões de dólares. Algumas pessoas acreditam que “O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final” , também dirigido por James Cameron, poderia ter sido o primeiro, mas seu custo ficou em torno de 94 milhões de dólares. Assim, “True Lies” levou o título, e entrou para o Guinness Book, o famoso Livro dos Recordes.

James Cameron comentou em uma entrevista ao Los Angeles Daily News que ele não gosta de discutir orçamentos. Para ele, avaliar um filme de ação pelo seu custo é um desperdício de tempo; o que importa é se o filme atinge seus objetivos e agrada ao público. E “True Lies” fez exatamente isso.

A trama envolvente

A história de “True Lies” gira em torno de Harry Tasker, interpretado por Arnold Schwarzenegger, um agente secreto que esconde sua verdadeira identidade de sua família por 15 anos. Sua esposa, Helen, está entediada com a rotina diária e acaba se envolvendo com um homem que ela acredita ser um espião. O que ela não sabe é que esse “espião” é apenas um vendedor de carros que se faz passar por um agente secreto para impressioná-la.

Quando Harry descobre a traição, ele decide investigar mais a fundo e acaba revelando a farsa do amante de Helen. Mas isso é só o começo. A trama se complica ainda mais quando terroristas de verdade entram em cena e sequestram a filha de Harry e Helen, levando a uma série de eventos cheios de ação e emoção.

Sucesso nas bilheterias

Com um orçamento tão alto, havia um grande risco de que “True Lies” não fosse bem nas bilheterias e pudesse prejudicar as carreiras de Cameron e Schwarzenegger. Porém, o filme de ação se provou um sucesso estrondoso. Ele arrecadou impressionantes 378 milhões de dólares nos cinemas, ficando entre os filmes mais lucrativos de 1994. Apenas “O Rei Leão” e “Forrest Gump” conseguiram arrecadar mais naquele ano.

O sucesso de “True Lies” não foi apenas uma questão de números. O filme conquistou fãs ao redor do mundo com sua mistura de ação, suspense e humor. Ele mostrou que filmes de ação poderiam ter histórias e personagens que cativam o público , elevando o padrão para futuras produções do gênero.

“True Lies” não é apenas um marco por seu orçamento gigantesco, mas também por sua contribuição ao gênero de filmes de ação. Ele mostrou que é possível combinar grandes cenas de ação com uma trama interessante e personagens bem desenvolvidos. Mesmo 30 anos após seu lançamento, “True Lies” continua sendo um exemplo de como fazer um filme de ação que agrada tanto o público quanto a crítica. Se você ainda não assistiu, vale a pena conferir e se divertir com essa história cheia de adrenalina e reviravoltas, que está disponível na Netflix.

Veja também:

Conheça a franquia mais bem-sucedida da Netflix e que foi vista por 130 milhões de pessoas no mundo

Filme de terror da Netflix tem 1h25 e nenhum diálogo

Descubra qual é a minissérie da Netflix que dividiu opiniões

Conheça o novo reality musical da Netflix

Jean-Claude Van Damme explica o porquê de se achar mais corajoso do que Schwarzenegger e Stallone

O mundo dos filmes de ação é repleto de heróis que marcaram época, como Sylvester Stallone e Arnold Schwarzenegger. No entanto, o ator belga Jean-Claude Van Damme acredita que possui uma característica que o destaca de seus colegas. Conhecido por seu papel em “Os Mercenários 2”, Van Damme argumenta que é mais corajoso em um aspecto crucial de sua carreira. Vamos entender o porquê ele pensa assim e como ele tem explorado novas oportunidades de uma maneira única.

Van Damme e sua carreira internacional

Jean-Claude Van Damme conversou com o jornal The Daily Mail e revelou que, ao contrário de Stallone e Schwarzenegger, ele se sente mais ousado ao escolher os filmes em que atua. Van Damme explicou que ele fala francês e um pouco de inglês, o que o permite aceitar papéis em filmes de diferentes países. “Para mim, é impossível ficar sem trabalho”, disse ele, destacando sua habilidade de se adaptar a diversos mercados internacionais.

Ele mencionou que já trabalhou em lugares como Azerbaijão e Cazaquistão, que muitos consideram perigosos, mas onde ele sempre foi bem recebido. Essa disposição para explorar diferentes partes do mundo, segundo Van Damme, é algo que seus colegas não demonstram.

Novos horizontes com empreendimentos diversos

Além de sua carreira no cinema, Van Damme também tem expandido seus horizontes para o mundo dos negócios. Recentemente, ele se tornou um dos donos da marca de uísque Old Oak. Van Damme compartilhou que já enfrentou problemas com álcool no passado, mas agora vê o uísque como “o líquido da vida”. Ele afirma que nunca bebeu uísque a ponto de se embriagar, embora admita que com a vodca sua relação seja diferente. Este novo empreendimento mostra a vontade de Van Damme de se reinventar e buscar novas oportunidades fora do cinema.

Novos projetos no cinema

Mesmo com suas incursões no mundo dos negócios, Van Damme não deixou de lado sua paixão pelo cinema. Este ano, ele lançou o filme “Darkness of Man” e está focado em um novo projeto chamado “Le Jardinier”. Neste filme, Van Damme interpreta Leo, o jardineiro de uma família que se vê em apuros após o pai entrar em uma lista negra do governo por guardar um grande segredo de Estado. Esse papel demonstra a diversidade de personagens que Van Damme está disposto a explorar, reforçando sua coragem em aceitar desafios variados em sua carreira.

Jean-Claude Van Damme se destaca entre os ícones dos filmes de ação não apenas por suas habilidades marciais, mas também por sua disposição em se aventurar em novos mercados e projetos. Sua coragem em aceitar desafios tanto no cinema quanto nos negócios mostra que ele está sempre em busca de expandir seus horizontes. Enquanto Stallone e Schwarzenegger permanecem mais focados no mercado americano, Van Damme continua a se reinventar e provar que está pronto para enfrentar qualquer desafio, em qualquer lugar do mundo.

Confira também:

Conheça a franquia mais bem-sucedida da Netflix e que foi vista por 130 milhões de pessoas no mundo

Filme de terror da Netflix tem 1h25 e nenhum diálogo

Qual é o filme mais caro da história da Netflix

Conheça a franquia da Netflix que foi vista por 130 milhões de pessoas no mundo

Os filmes sempre foram uma maneira das pessoas escaparem da realidade e conhecerem novos mundos. Eles nos levam para lugares desconhecidos e, quando são muito populares, podem se tornar franquias extremamente lucrativas. Um grande exemplo disso é a franquia de sucesso da Netflix, que conquistou milhões de espectadores ao redor do mundo. Vamos conhecer mais sobre essa incrível série de filmes, que tem Chris Hemsworth no papel principal e já foi vista por 130 milhões de pessoas.

A franquia de sucesso da Netflix

A Netflix lançou uma franquia de filmes que rapidamente se tornou um fenômeno global. Essa série de ação e aventura capturou a imaginação de milhões. O primeiro filme, “Resgate” (2020), apresentou ao público o mercenário Tyler Rake, um personagem que precisa resgatar o filho sequestrado de um criminoso internacional. A ação intensa e a atuação carismática de Hemsworth fizeram o filme um sucesso imediato.

O segundo filme, “Resgate 2” (2023), mantém a adrenalina alta e expande ainda mais o universo dos personagens. Dirigido por Sam Hargrave, o filme mostra Tyler Rake em uma nova missão, onde seus incríveis talentos são postos à prova novamente. A história, escrita por Joe Russo, que também trabalhou em “Vingadores: Ultimato” (2019), traz reflexões sobre o papel dos heróis e suas lutas pessoais.

A jornada do herói

Em “Resgate 2”, Tyler Rake começa a trama focado em sobreviver, lutando contra seus próprios demônios internos enquanto realiza missões quase impossíveis. Sua jornada é marcada por pequenas vitórias que vão reconstruindo sua confiança. Diferente dos super-heróis típicos, Rake é um anti-herói mais humano, com falhas e vulnerabilidades que o tornam mais real para o público.

A ação se passa em locais diversos, começando em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, e se desenrolando como um trem desgovernado, levando o espectador por uma viagem emocionante e cheia de surpresas. A produção aborda temas contemporâneos e traz um toque de realismo ao gênero de ação.

Expectativas para o futuro

A franquia de sucesso da Netflix com Chris Hemsworth está apenas começando. Com dois filmes já lançados, os fãs estão ansiosos pelo terceiro filme, que promete continuar a história de Tyler Rake e explorar novas dimensões do personagem. A expectativa é alta para ver como ele enfrentará os próximos desafios e se conseguirá finalmente alcançar a paz que tanto busca.

Os filmes dessa franquia não são apenas sobre ação e adrenalina, mas também sobre crescimento pessoal e superação. Eles mostram que mesmo nas situações mais difíceis, sempre há uma chance de redenção e de encontrar a força interior para seguir em frente. Essa série de filmes conquistou milhões de espectadores ao redor do mundo e se estabeleceu como uma das franquias mais bem-sucedidas da Netflix. Com personagens cativantes, histórias emocionantes e cenas de ação de tirar o fôlego, é fácil entender por que tanta gente está aguardando ansiosamente o próximo capítulo dessa saga emocionante.

Confira também:

Descubra qual é o filme britânico de drama e comédia romântica que conquistou milhares de espectadores

Conheça o novo reality musical da Netflix

Descubra qual é a minissérie da Netflix que dividiu opiniões

A continuação de famoso clássico do terror está disponível no streaming

Vamos falar sobre um dos maiores sucessos do cinema de terror de todos os tempos. Este filme é tão importante que, mesmo décadas depois de seu lançamento, continua sendo uma referência nas plataformas de streaming e em todo mundo. Estamos falando de “Sexta-Feira 13” (1980), um clássico que deu origem a uma sequência igualmente impactante. Se você está começando a se interessar por filmes de terror, este é um ótimo ponto de partida.

A lenda de Jason Voorhees

Quando pensamos em filmes de terror, Jason Voorhees é um nome que não pode ser ignorado. Este personagem icônico, conhecido por sua máscara de hóquei, é o coração da série “Sexta-Feira 13”. No entanto, o primeiro filme, lançado em 1980, tem uma surpresa: o assassino não é Jason, mas sua mãe. Este twist é uma das razões pelas quais o filme se tornou um clássico cult entre os fãs. Na sequência, “Sexta-Feira 13 – Parte 2” (1981), Jason finalmente assume o papel de vilão, aterrorizando um novo grupo de jovens em um acampamento de verão.

Um sucesso inesperado

O sucesso de “Sexta-Feira 13 – Parte 2” foi impressionante, especialmente considerando seu baixo orçamento. Com apenas 1 milhão de dólares, o filme conseguiu arrecadar 21,7 milhões nos Estados Unidos e 60 milhões no mundo todo. Este resultado extraordinário mostra o quanto o público estava sedento por mais aventuras assustadoras de Jason Voorhees. A sequência trouxe mais cenas de terror e sangue, consolidando a reputação da franquia no mundo do cinema.

O futuro de Crystal Lake

Em 2022, os fãs da série “Sexta-Feira 13” ficaram animados com a notícia de uma nova série chamada “Crystal Lake”, que prometia explorar as origens de Jason Voorhees, estava sendo criada. No entanto, a produção enfrentou dificuldades e foi anunciada como cancelada. Contudo, nem tudo está perdido: há esperanças de que o projeto seja retomado no futuro. Os fãs continuam aguardando ansiosamente por mais histórias envolvendo o aterrorizante acampamento de Crystal Lake.

“Sexta-Feira 13” e sua sequência provaram ser não apenas filmes de terror, mas verdadeiros fenômenos culturais. Jason Voorhees se tornou um ícone do terror e a série continua a influenciar novos filmes e séries. Se você ainda não assistiu, prepare-se para muita emoção e sustos inesquecíveis. Você pode assistir essa produção nas plataformas Apple TV+ e Prime Video.

Veja também:

Filme de terror da Netflix tem 1h25 e nenhum diálogo

Qual é o filme mais caro da história da Netflix

Esse filme da Netflix conta uma das mais belas histórias do cinema

Qual é o filme mais caro da história da Netflix

Você já ouviu falar sobre o novo filme da Netflix que está causando alvoroço? Este filme de ficção científica está prestes a se tornar o mais caro já produzido pela plataforma de streaming, superando os recordes anteriores. Vamos te mostrar tudo a respeito dessa produção grandiosa, entender por que ela está chamando tanta atenção e conhecer um pouco mais sobre sua história e elenco.

Um novo recorde de gastos

Anteriormente, “Alerta Vermelho” (2021) e “Agente Oculto” (2022) eram os filmes mais caros da Netflix, cada um com um orçamento de 200 milhões de dólares. Porém, esses títulos estão prestes a ser desbancados por um novo concorrente. O novo filme de ficção científica da Netflix, chamado “The Electric State”, tem um orçamento surpreendente de 320 milhões de dólares. Este valor impressionante promete uma produção de tirar o fôlego, por ser muito bem elaborada.

Os Irmãos Russo e sua nova aposta

“The Electric State” é baseado em uma história em quadrinhos criada por Simon Stalenhag. A adaptação para o cinema está nas mãos dos renomados Irmãos Russo. Eles são conhecidos por seu trabalho em grandes produções como “Capitão América: O Soldado Invernal” (2014), “Capitão América: Guerra Civil” (2016), “Vingadores: Guerra Infinita” (2018) e “Vingadores: Ultimato” (2019). Além disso, eles também dirigiram “Agente Oculto” para a Netflix. Com essa bagagem, os Irmãos Russo prometem trazer uma nova e emocionante aventura para os espectadores da plataforma.

A história de “The Electric State” se passa em um mundo pós-apocalíptico, devastado por uma guerra. A trama gira em torno de Michelle, uma adolescente corajosa que atravessa os Estados Unidos acompanhada de um robô, em busca de seu irmão desaparecido. Este cenário desolador e cheio de desafios é o pano de fundo perfeito para uma história repleta de emoções e descobertas.

Um elenco de estrelas

Uma das grandes atrações de “The Electric State” é seu elenco estelar. A protagonista, Michelle, é interpretada por Millie Bobby Brown, conhecida por seu papel como Eleven na série “Stranger Things” (2016). Ela é acompanhada por Chris Pratt, o Senhor das Estrelas de “Guardiões da Galáxia” (2014). Além deles, o filme conta com a participação de Ke Huy Quan, Stanley Tucci, Jason Alexander, famoso por seu papel como George Costanza na série “Seinfeld” (1989), e muitos outros talentos incríveis.

Outros grandes nomes como Brian Cox, Jenny Slate, Giancarlo Esposito, Anthony Mackie e Billy Bob Thornton também fazem parte do elenco, emprestando suas vozes a diferentes personagens. Com um time tão talentoso, as expectativas para “The Electric State” são altíssimas.

Expectativas e lançamento

Inicialmente, “The Electric State” estava previsto para ser lançado em 2024 na Netflix, mas algumas complicações atrasaram o lançamento do filme. As filmagens foram concluídas em fevereiro de 2023, mas algumas cenas precisaram ser regravadas entre março e abril deste ano. Apesar desses ajustes, a expectativa é que o filme seja um espetáculo impressionante, combinando uma história cativante com efeitos visuais de última geração.

Com um enredo intrigante, direção experiente e um elenco de peso, “The Electric State” promete ser um dos grandes destaques da Netflix. Este filme não apenas redefine os padrões de orçamento da plataforma, mas também eleva o nível das produções de ficção científica. Fique atento para não perder essa aventura épica quando ela finalmente estrear.

Veja também:

Conheça o filme da Netflix que conta uma das mais belas histórias do cinema

Descubra a minissérie da Netflix que está dando o que falar

Esse filme de faroeste com Kevin Costner é considerado um dos melhores de todos os tempos

Esse filme da Netflix conta uma das mais belas histórias do cinema

Já imaginou um filme que não só te envolve com uma história emocionante, mas também te faz refletir profundamente? A Netflix traz um filme pós-apocalíptico que é exatamente assim. Com uma narrativa poderosa e lições valiosas, esse filme promete te prender do começo ao fim.

“O Livro de Eli” representa a luta pela sobrevivência

“O Livro de Eli” é um filme pós-apocalíptico lançado em 2010 e disponível na plataforma de streaming Netflix. A história se passa em um mundo devastado, cerca de 30 anos após uma Terceira Guerra Mundial. A trama segue Eli, um homem solitário que atravessa a América do Norte em busca de paz. No entanto, ele carrega consigo um livro muito importante, que acredita ser a chave para salvar a humanidade.

Durante sua jornada, Eli enfrenta muitos desafios e perigos. Seu maior adversário é Carnegie, um líder tirano de uma cidade de ladrões, que está determinado a obter o livro de Eli a qualquer custo. Para complicar ainda mais, Solara, a filha da mulher de Carnegie, decide seguir Eli para descobrir o que existe além da cidade onde vive. A história de Eli é cheia de ação e reflexões profundas, tornando este filme uma experiência marcante para os amantes do gênero.

O poder dos filmes pós-apocalípticos

Os filmes pós-apocalípticos têm o poder de nos transportar para realidades completamente diferentes da nossa. Eles nos fazem imaginar como seria viver em um mundo em colapso e como poderíamos sobreviver a essas condições extremas. Além de entreter, esses filmes nos fazem pensar sobre temas importantes, como a resiliência e a importância da esperança em tempos difíceis.

 

Lições do apocalipse

Assistir a filmes pós-apocalípticos pode nos ensinar muito sobre a natureza humana e como as pessoas reagem em situações extremas. Eles podem mostrar os tipos de conflitos que surgem, como as pessoas podem agir de forma egoísta ou cooperativa e como a sociedade pode se reorganizar após um desastre.

Durante as primeiras semanas da pandemia, o filme “Contágio” (2011) teve um aumento significativo no número de espectadores. Esse filme retrata de maneira realista como uma pandemia viral pode se espalhar e afetar o mundo, fornecendo uma espécie de simulação para os espectadores. A curiosidade mórbida de assistir a esses filmes pode nos ajudar a acumular conhecimentos e estratégias úteis para enfrentar situações perigosas na vida real.

“O Livro de Eli” não é apenas um filme de ação e aventura, é uma história que nos faz refletir sobre a sobrevivência, a fé e a importância da esperança. Disponível na Netflix, este filme é uma ótima escolha para quem procura algo profundo e emocionante. Além disso, os filmes pós-apocalípticos podem nos ensinar lições valiosas sobre resiliência e preparação para crises reais. Então, que tal dar uma chance a essa obra-prima e descobrir tudo o que ela tem a oferecer?

Veja também:

Descubra a minissérie da Netflix que está dando o que falar

Conheça o novo reality musical da Netflix

Conheça o famoso filme de terror que vai ganhar série de TV

Descubra qual é a minissérie da Netflix que dividiu opiniões

Imagine uma série que, ao mesmo tempo, emociona profundamente algumas pessoas e decepciona totalmente outras. É o caso da minissérie da Netflix “Toda Luz que Não Podemos Ver” (2023).

A ascensão e queda da minissérie

No começo de novembro de 2023, a Netflix lançou uma minissérie de quatro episódios baseada no romance “Toda Luz que Não Podemos Ver”, de Anthony Doerr. A adaptação foi realizada por Steven Knight, roteirista de “Peaky Blinders”(2013), e Shawn Levy, um dos responsáveis por “Stranger Things”(2016). Com nomes tão importantes por trás do projeto, a expectativa era enorme.

Nos primeiros dias após a estreia, a série rapidamente chegou ao topo das paradas da Netflix, atraindo muitos espectadores. No entanto, apesar da popularidade inicial, a crítica não foi tão favorável. Segundo o site Rotten Tomatoes, a série obteve apenas 27% de aprovação dos críticos. Isso foi uma surpresa, considerando o sucesso anterior de Knight e Levy.

A história de “Toda Luz que Não Podemos Ver”

A trama da série se passa durante a Segunda Guerra Mundial e gira em torno de dois jovens cujas vidas se entrelaçam em um cenário de luta pela sobrevivência. Marie-Laure é uma garota cega que foge de Paris com seu pai e se esconde na casa de seu tio. Werner Pfennig, por outro lado, é um jovem alemão que aprendeu tudo o que sabe sobre rádio com o pai de Marie.

Werner precisa usar todo o seu conhecimento contra a Resistência Francesa, mudando completamente seu destino. Com um elenco de peso que inclui Mark Ruffalo e Hugh Laurie, baseado em um romance vencedor do Prêmio Pulitzer em 2015, a série prometia ser um grande sucesso. No entanto, a adaptação acabou decepcionando muitos críticos e espectadores.

Reações mistas

A crítica internacional não poupou a série. Helen Trinca, do The Australian, comentou que a série tenta forçar emoções através de melodramas e uma trilha sonora exagerada. Neely Swanson, do Easy Reader, criticou a narrativa, dizendo que Knight e Levy tornaram a história monótona. Já Andrew Murray, do The Upcoming, elogiou os visuais e os atores, mas considerou a adaptação decepcionante e sem aquele brilho esperado.

Apesar das críticas negativas, muitos espectadores gostaram da série da Netflix. No Rotten Tomatoes, a aprovação do público é de 81%, com muitos descrevendo-a como uma história emocionante, repleta de tragédia e inspiração. Comentários positivos são comuns entre os fãs, apesar de tudo.

“Toda Luz que Não Podemos Ver” é um exemplo perfeito de como uma série pode dividir opiniões. Enquanto a crítica não foi generosa, muitos espectadores encontraram valor na história e na produção. A melhor maneira de formar sua própria opinião é assistir e decidir por si mesmo. Com apenas quatro episódios, é uma série que pode ser facilmente vista em uma tarde.

Confira também:

Conheça o novo reality musical da Netflix

Esse filme de faroeste com Kevin Costner é considerado um dos melhores de todos os tempos

Este filme de roer as unhas é o mais assistido do momento na Netflix

Filme de Peaky Blinders está confirmado pela Netflix

Dois anos após a conclusão da série, Peaky Blinders terá um filme que trará uma nova fase para a gangue irlandesa liderada pela família Shelby. Nesta terça-feira (4), a Netflix confirmou a produção, com Cillian Murphy retornando ao papel de Tommy Shelby.

Segundo a Variety, Cillian Murphy também atuará como produtor do longa-metragem. Tom Harper, que já dirigiu episódios da série e recentemente trabalhou em “Agente Stone” (2023), também da Netflix, será o diretor da produção.

“Parece que Tommy Shelby não terminou comigo… É muito gratificante colaborar novamente com Steven Knight [criador da série] e Tom Harper na versão cinematográfica de Peaky Blinders. Esta é para os fãs”, afirmou Murphy em comunicado à imprensa.

Tom Harper também se pronunciou sobre a novidade: “Quando dirigi Peaky Blinders pela primeira vez, há mais de 10 anos, não sabíamos o que a série se tornaria, mas sabíamos que havia algo na alquimia do elenco e na escrita que parecia explosivo. Peaky sempre foi uma história sobre família – e por isso é incrivelmente emocionante me reunir com Steve e Cillian para levar o filme ao público de todo o mundo na Netflix”, completou o cineasta.

Enredo

Peaky Blinders acompanha o cotidiano de uma notória gangue da Inglaterra de 1919, que ascende no submundo do crime liderada pelo implacável Tommy Shelby, um criminoso determinado a alcançar o poder a qualquer custo.

A série, que teve seis temporadas entre 2013 e 2022, alcançou grande sucesso no Brasil ao ser lançada pela Netflix. Atualmente, todos os episódios permanecem disponíveis no catálogo da gigante do streaming.

Confira o trailer da primeira temporada:

 

Conheça o novo reality musical da Netflix

A Netflix está prestes a lançar um reality show musical inovador chamado “Building the Band”. Este programa promete trazer uma abordagem completamente nova para a formação de bandas, desafiando os participantes a se conectarem de maneiras inesperadas. Se você é fã de música e adora reality shows, continue lendo para descobrir como essa competição única vai funcionar.

Uma nova dinâmica de competição

Em “Building the Band”, os competidores são escolhidos de uma maneira muito diferente do que estamos acostumados a ver em outros programas musicais. A ideia principal é formar bandas “no escuro”, onde os membros não se conhecem pessoalmente até uma fase avançada da competição.

Essa dinâmica é semelhante ao que vemos em programas como “Casamento às Cegas”, onde as conexões são feitas sem a interferência de impressões visuais.

Como funciona o reality?

O programa da Netflix começa com audições virtuais, onde 50 músicos são selecionados. Esses músicos serão agrupados com base em suas afinidades musicais e pessoais, mas sem se conhecerem cara a cara. Ao longo da competição, eles precisam colaborar em vários projetos musicais.

Somente nas fases mais avançadas é que os integrantes das bandas se encontram pessoalmente. A grande questão que o reality show pretende responder é se essas bandas, formadas de uma maneira tão única, poderão alcançar o mesmo sucesso de grupos como One Direction e Little Mix, que surgiram em realities tradicionais como “The X Factor”.

Produção e expectativas

“Building the Band” é produzido pela Remarkable Entertainment e Banijay UK, com uma equipe experiente de produtores executivos que inclui Cat Lawson, Alison Holloway, Katrina Morrison e Clara Elliot. Essa equipe traz no currículo sucessos como “Pointless”, “Fake Off”, “Love Island” e “The X Factor”, o que aumenta a expectativa para a qualidade e o impacto do novo reality.

Apesar de muitos detalhes ainda estarem sob sigilo, incluindo quem serão os apresentadores e a data de estreia, a premissa do show já está gerando muita curiosidade e expectativa nos fãs. A Netflix promete mais informações em breve, então fique de olho para não perder nenhuma novidade.

Por que assistir “Building the Band”?

Se você ama música e está sempre à procura de algo novo e emocionante, “Building the Band” pode ser o programa perfeito para você. A ideia de formar bandas de uma maneira tão inusitada, focando mais na compatibilidade musical e pessoal do que em aparências, promete trazer muita emoção e surpresas para a tela.

Além disso, o show oferece uma nova perspectiva sobre como os relacionamentos e colaborações musicais podem se desenvolver e prosperar. “Building the Band” da Netflix é uma proposta audaciosa que combina o melhor dos realities musicais com uma abordagem inovadora e intrigante.

Se você está pronto para ver como a música pode unir pessoas de maneiras inesperadas, não deixe de acompanhar esse lançamento. Fique atento às novidades e prepare-se para se surpreender com essa nova experiência musical, que ainda não tem data de estreia confirmada pela plataforma de streaming.

Confira também:

Catálogo da Netflix guarda jóia apaixonante que redefine conceito de drama

Netflix acerta ao transformar adolescente desajeitada em modelo

Nicole Kidman protagoniza cena ousada em comédia da Netflix

Netflix acerta ao transformar adolescente desajeitada em modelo

“Geek Girl” é uma série que ressoa com o público por sua narrativa cativante e personagens multifacetados. A protagonista, Harriet Manners, interpretada por Emily Carey, é uma adolescente desajeitada que se transforma em modelo, enfrentando desafios e descobrindo que a aceitação verdadeira vem de dentro. A série é inspirada na série de livros de Holly Smale, que se baseou em suas experiências como modelo adolescente para criar a história.

A série “Geek Girl”, produzida pela Netflix e baseada na série de livros de sucesso de Holly Smale, traz à tona uma narrativa cativante sobre Harriet Manners, uma adolescente desajeitada que se transforma em uma modelo inesperada. Ambientada em Londres, a série é uma exploração vívida das complexidades da autoaceitação e do crescimento pessoal em meio à pressão do competitivo mundo da moda. Além de entreter, “Geek Girl” serve como uma plataforma para discussões sobre neurodiversidade, uma vez que a protagonista navega por desafios sociais e profissionais enquanto aprende a valorizar suas singularidades.

O elenco reflete uma diversidade de talentos, com Emily Carey liderando como Harriet, apoiada por veteranos como Tim Downie e novos talentos como Daisy Jelley. Esses personagens não são apenas figuras transitórias; eles representam diferentes aspectos da sociedade e contribuem para o rico tapeçário de experiências que Harriet encontra. Além dos temas de autoconfiança e identidade, a série também toca em questões de aceitação social e o impacto das primeiras impressões em uma indústria que frequentemente valoriza a aparência sobre o conteúdo.

A produção tem sido elogiada por sua abordagem autêntica e sensível aos temas de neurodiversidade, refletindo uma tendência crescente na televisão de explorar e normalizar as experiências neurodivergentes. “Geek Girl” não é apenas uma história de formação; é um comentário sobre as pressões da sociedade moderna e a busca contínua por um lugar onde se possa ser verdadeiramente valorizado. A série propõe uma nova perspectiva sobre o que significa ser uma heroína no cenário contemporâneo, destacando que a verdadeira beleza e força vêm da capacidade de ser autêntico e resiliente diante das adversidades.

Leia também:

Nicole Kidman protagoniza cena ousada em comédia da Netflix