Ação em parques de Goiânia promove conscientização sobre os perigos do glaucoma neste sábado

A Sociedade Goiana de Oftalmologia (SGO) estará presente nos parques Vaca Brava e Flamboyant neste sábado, 25 de maio, para orientar a população sobre a prevenção ao glaucoma, a maior causa de cegueira irreversível no mundo. Esta iniciativa faz parte de uma ação nacional de conscientização.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 1 a 2% da população mundial vive com glaucoma, e estima-se que até 2040, cerca de 111,8 milhões de pessoas poderão desenvolver a doença. O glaucoma se desenvolve de forma silenciosa, e quando os sintomas visuais começam a aparecer, a doença já está avançada e a perda visual é irreversível. Para conscientizar a população sobre a importância da prevenção, a SGO promove a campanha 24h pelo Glaucoma neste sábado.

“O glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível no mundo, e ele progride de forma silenciosa. A única maneira de detectar a doença é através de exames, como a medição da pressão ocular e a fundoscopia, que avaliam o nervo óptico. Se houver alguma alteração, são solicitados exames complementares. Isso é fundamental para prevenir uma doença que não tem cura, apenas tratamento”, explica Henrique Rocha, presidente da SGO.

Durante todo o sábado, os diretores da SGO e acadêmicos de medicina estarão no Parque Vaca Brava pela manhã e no Parque Flamboyant à tarde, conscientizando a população sobre a doença e esclarecendo dúvidas. Esta ação faz parte de uma campanha nacional realizada anualmente desde 2021 pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) e pela Sociedade Brasileira de Glaucoma (SBG), em comemoração ao Dia Nacional do Combate ao Glaucoma, celebrado no domingo, 26 de maio.

Durante a campanha 24h pelo Glaucoma, o público terá a oportunidade de aprender sobre as causas e fatores de risco da doença, os diferentes tipos de glaucoma, sintomas, faixas etárias mais vulneráveis, exames para diagnóstico precoce, tipos de tratamento e as melhores formas de controlar a doença.

Sobre a Doença

O glaucoma é uma doença crônica que causa atrofia do nervo óptico, a estrutura que permite ao cérebro reconhecer as formas e cores captadas pelos olhos. É uma doença progressiva e assintomática nas fases iniciais. Sem diagnóstico e tratamento precoces, ela pode progredir por anos antes de apresentar sintomas. Quando a perda visual é notada, a doença já está em um estágio avançado e irreversível. Embora seja mais comum em pessoas com mais de 40 anos, jovens e até crianças também devem se prevenir, pois existem casos de glaucoma congênito.

 

Cientistas descobrem molécula que pode trazer a cura para a Asma

Uma pesquisa irlandesa pode resolver o problema de pessoas que sofrem com Asma. Cientistas da Escola de Bioquímica e Imunologia do Trinity Biomedical Sciences Institute (TBSI) descobriram uma molécula anti-inflamatória que pode tratar a asma, até mesmo daquelas pessoas com sintomas mais graves. As informações são do Portal Só Notícia Boa.

O principal investigador da pesquisa é o professor Luke O’Neill. Ele conta que a molécula é produzida naturalmente em nosso corpo e pode acabar com eventos asmáticos: “Descobrimos que uma molécula feita por nossos próprios corpos, chamada Itaconate, pode suprimir os principais eventos que promovem a asma, tendo como alvo uma importante proteína imunológica chamada JAK1. Ao desligar o JAK1, mostramos uma eficácia notável em modelos de asma baseados em laboratório”, explica.

Resposta imune

Segundo o professor, a proteína JAK1 é importante na condução da resposta imune do nosso corpo. Só que em alguns casos, essa proteína causa uma reação exagerada, que leva à estimulação excessiva de macrófagos, que são células de defesa que percorrem o corpo à procura de intrusos. Sendo assim, essa estimulação excessiva causa inflamação e é problemática em um conjunto de condições, como a asma.

Novas terapias

A principal autora da pesquisa, Marah Runtsch, acredita que há grandes chances de o instituto desenvolver boas terapias a partir da itaconate, com a função de bloquear a JAK1: “Temos grandes esperanças de que novos medicamentos baseados em Itaconate possam ter potencial como uma abordagem terapêutica totalmente nova para o tratamento de asma grave, onde há uma necessidade premente para novos tratamentos”, explica.

“Testamos uma molécula chamada 4-OI, que é baseada em itaconato, e foi capaz de suprimir a asma grave em um modelo da doença que não responde a esteroides anti-inflamatórios’’, finaliza Marah.

Dados

A asma é uma doença que faz com que as vias aéreas de uma pessoa ficam inflamadas, estreitas e inchadas, além de produzirem muco extra, o que dificulta a respiração. Pode causar dificuldade para respirar, dor no peito, tosse e respiração ofegante. Às vezes, os sintomas podem aparecer repentinamente.

A asma geralmente pode ser controlada com inaladores de resgate, que tratam os sintomas, e inaladores de controle (esteroides), que os previnem. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 235 milhões de pessoas sofrem com a doença no mundo.

Veja também:

Atleta de Goiânia vence a síndrome do pânico e ansiedade com uso de cannabis medicinal

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 18 milhões de brasileiros sofrem de ansiedade e depressão. Os sintomas descritos por pacientes envolvem medo e apreensão sobre um perigo desconhecido, desencadeando uma série de sentimentos indefinidos e desagradáveis. 

Estudo realizado pelo Instituto de Psiquiatria da UFRJ aponta que entre milhões de pessoas afetadas, quase 30% não respondem adequadamente aos tratamentos convencionais. E cada vez mais, o óleo de cannabis se destaca como uma alternativa em potencial. 

O Dr. Flavio Geraldes Alves, Presidente da Associação Pan-Americana de Medicina Canabinoide (APMC) e consultor médico da NuNature Labs afirma que o CBD atua de diversas maneiras para reduzir os sintomas dessas condições. “No caso da depressão, ele regula o sistema endocanabinóide, aumentando a disponibilidade de neurotransmissores como serotonina e dopamina, que influenciam o humor”, explica.

Na luta contra a ansiedade, o Dr. Flavio aponta que a cannabis ativa os receptores de canabinóides encontrados no sistema nervoso central e periférico, regulando humor, estresse e ansiedade. 

“Além disso, inibe a liberação de neurotransmissores envolvidos na resposta ao estresse, como o cortisol e a norepinefrina, e aumenta a produção de serotonina, que tem efeitos ansiolíticos”, complementa o médico.

 

Conheça os benefícios

Carlos Wagner dos Santos, atleta goiano, faz uso do CBD como tratamento terapêutico alternativo para ansiedade e depressão. De acordo com o atleta, o principal efeito foi a significativa redução na ansiedade e nos ataques de pânico. Carlos enfatiza que não se considera curado, mas agora é capaz de controlar eficazmente suas emoções.

“Eu estou mais tranquilo, muito mais calmo. Não tenho mais ataques de pânico e aquele distúrbio acelerado de pressentimento negativo. Estou encarando a vida com mais equilíbrio e serenidade, não pensando em tantas coisas negativas”, destaca.

Carlos aponta outros feitos do CBD, como a melhoria da hipertensão e de suas articulações. “Eu sou atleta, e vivia com dor nas articulações após treinar muito. E, por incrível que pareça, depois que eu passei a tomar o CBD, praticamente parei de tomar remédio para dor”, relata.

Imagem: Reprodução

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Goiânia recebe ações de combate ao suicídio

No próximo dia 14 de setembro, Goiânia será palco para o significativo evento “Setembro Amarelo: Finitude com hora marcada”. Com início às 19h, o Auditório Instituto Total abrirá suas portas e plataformas online para receber renomados palestrantes que abordarão a temática do suicídio, em alusão ao mês dedicado à sua prevenção.

A campanha “Setembro Amarelo” é uma iniciativa que ocorre em todo o país e visa elevar a conscientização sobre a gravidade do suicídio e a necessidade de dialogar abertamente sobre ele. O propósito principal é fornecer apoio, fomentar discussões e, mais crucialmente, estender a mão a quem precisa.

Dramáticas estatísticas da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam que mais de 700 mil pessoas tiram suas próprias vidas anualmente em todo o mundo. No cenário brasileiro, os números são alarmantes: houve um aumento de 43% em casos de suicídio na última década. Especificamente entre adolescentes, esse crescimento foi de 81%. No Brasil, 12,6 de cada 100 mil homens, contrastando com 5,4 de cada 100 mil mulheres, sucumbem ao suicídio. Vale ressaltar que, globalmente, as taxas masculinas são mais elevadas em países de alta renda, enquanto as femininas são preocupantemente altas em nações de renda baixa e média.

Para fazer parte desse momento de conscientização e informação, inscreva-se AQUI. Lembrando que o evento será híbrido, ou seja, poderá ser acompanhado tanto presencialmente quanto virtualmente e o valor do ingresso sai por apenas R$ 55,00. A palestra conta com algumas figuras importantes como Lana Borges, Luciane Borges, Mariane Ferreira e Celia Reis.

 

Serviços:

Evento: Setembro Amarelo: Finitude com hora marcada

Data: 14 de setembro

Horário: A partir das 19h

Local: Auditório Instituto Total – R. Rio Quente, 91 – Res. Alphaville Flamboyant, Goiânia – GO, 74884-677

 

Modalidades:

Inscrições: https://www.institutototal.com.br/c%C3%B3pia-servi%C3%A7os

Valor: R$ 55,00

Telefone: (62) 3414-7109

 

Créditos da imagem de capa: Canva

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

 

>Veja Também< 

https://www.curtamais.com.br/goiania/goiania-recebe-eventos-gratuitos-de-astronomia-para-observacao-da-super-lua-azul

https://www.curtamais.com.br/goiania/goiania-recebe-circuito-de-palestras-com-tematicas-sociais

https://www.curtamais.com.br/goiania/show-de-jorge-vercillo-em-goiania-tem-nova-data

https://www.curtamais.com.br/goiania/confira-a-programacao-completa-do-amare-fashion-semana-da-moda-goiana

SPA Urbano em Goiânia: um roteiro para conhecer, curtir e relaxar

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), o Brasil é o país mais ansioso do mundo. Os dados apontam que cerca de 9,3% dos brasileiros sofrem de ansiedade patológica.

Segundo a psicóloga Flávia Leão, além de ser um momento de autocuidado, um dia de Spa funciona ainda como verdadeiro tratamento para o estresse. “Uma sessão de spa traz benefícios como alívio de tensões, acalma os pensamentos, e possibilita o controle no nível de Cortisol”, explica.

O cortisol é um hormônio ligado ao estresse. Quando em níveis elevados, pode afetar diretamente a saúde mental, levando a sintomas como ansiedade e depressão, é o que aponta o Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism.

Foi pensando em te ajudar, trazer paz e bem-estar para o seu dia a dia, que o Guia Curta Mais separou um roteiro completo com endereços de Spa em Goiânia para você.

Confira

Buddha Spa 

Buddha

Buddha Spa, Unidade Setor Oeste

Sofisticado e elegante, o Buddha Spa é um dos nossos queridinhos em Goiânia! O espaço oferece mais de 25 tipos de terapias como massagens corporais, banhos, tratamento estético corporal e facial, limpeza de pele, procedimentos avançados e outros.

Tem até terapia exclusiva para gestantes, mulheres em pós-parto e homens. Em Goiânia, o Buddha Spa conta com 5 espaços amplamente equipados.

Buddha

Buddha Spa, Unidade Setor Oeste

Unidade Oeste – Av. D, 114, Qd. D11, Lt. 75 

Telefone: (62) 9 9981 0917

 Buddha

 

Mandarin Spa Urbano

Spa

Com orientação da naturóloga Giane Honorato Braga, o Mandarin Spa Urbano oferece um amplo espaço tranquilo e aconchegante para você relaxar sob a sinergia de óleos essenciais e vegetais.

O local recebe a família toda, do vovô ao netinho, com foco em relaxamento, bem estar e beleza.

Unidade Marista – Av. Portugal, Qd. L29, Lt. 0, Transamerica Collection Hotel

Telefone: (62) 9 9683 7070 | 3600 1000 | 9 9142 9814

 

Unidade Oeste – Av. República do Líbano, 1520

Telefone: (62) 9 8194 4044 | 3281 3729

 

Dhyana Spa

Spa

Especialistas em tratamentos de insônia, ansiedade, cansaço excessivo, dores crônicas e tensões musculares, o Dhyana Spa funciona em duas unidades super aconchegantes em Goiânia, oferecendo sossega, paz e tranquilidade aos clientes.

Unidade Marista – Rua 1128, 527

Telefone: (62) 9 8276 1313

 

Unidade Jardim Goiás – Rua 52, 703, esq. Av. Jamel Cecílio

 

Telefone: (62) 9 8288 3878

 

Spa Déia e Renata

Spa

Além de ser especialista em tratamentos e terapia capilar, o Spa Déia e Renata oferece diversos serviços de relaxamento, como drenagem linfática, massagem modeladora, massagens relaxantes, massagem indiana, massagem de ombro, massagem detox, reflexologia, limpeza de pele e mais.

Em Goiânia, o espaço funciona em duas unidades.

Unidade Marista – Rua 1136, 125

Telefone: (62) 3624 6100

 

Unidade Alphaville – Av. Alphaville Flamboyant, R. Piracanjuba, 170

Telefone: (62) 9 9942 4424

 

Nonindo Spa Zen

Spa

Um lugar sereno e tranquilo, ótimo para tratamentos de bem estar e beleza. Fundado pelo mestre Sem Tokuda Igarashi, o espaço oferece tratamentos de reflexologia e esfoliação, drenagem facial e corporal, massagens, terapia das pedras quentes, ducha Vichy, ofurô e diversos tratamentos especiais associados a filosofia oriental e aliados a talassoterapia francesa.

Unidade Marista – R. 1131, 364

Telefone: (62) 9 9999 3262

Imagem: Reprodução

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

OMS declara o fim da emergência sanitária da Covid-19 em todo o mundo

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou nesta sexta-feira (5) o fim da pandemia do coronavírus no planeta. O alerta havia sido decretado pela entidade em janeiro de 2020, quando o número de casos e mortes começou a explodir na China. “É com grande esperança que declaramos que a covid-19 não é mais uma emergência global”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom.

Nos últimos três anos, a doença causada pelo vírus Sars-CoV-2 provocou mais de 764 milhões de casos e 20 milhões de infecções – especialistas apontam ainda que a quantidade está bastante subnotificada. O número de mortes provocadas pela doença chega a quase 7 milhões. O Brasil foi um dos países mais afetados pela nova doença.

A alteração do status foi possível graças ao avanço da vacinação. O desenvolvimento do imunizante, fruto de um esforço científico global sem precedentes, ocorreu em tempo recorde. As primeiras doses começaram a ser dadas em dezembro de 2020 – no Brasil, a aplicação começou só no mês seguinte.

Embora a emergência planetária tenha acabado, alerta Adhanom, o surgimento de novas variantes ainda é uma preocupação.

 

*Agência Estado

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

 

Anvisa aprova liberação de vacina e de remédio contra a varíola dos macacos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a liberação para uso da vacina Jynneos/Imvanex contra a varíola dos macacos (monkeypox) e do medicamento tecovirimat para o tratamento da doença no Brasil. As informações são do G1.

Para conceder as aprovações, a agência analisou dados da Agência Europeia de Medicamentos (EMA) e da Agência Americana (FDA). A dispensa temporária e excepcional se aplica somente ao Ministério da Saúde e terá validade de seis meses, desde que não seja expressamente revogada pela Anvisa.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o imunizante já está aprovado nos Estados Unidos, Canadá e União Europeia. Veja as duas autorizações da Anvisa:

– Tecovirimat: concentração de 200 mg, na forma farmacêutica cápsula dura, uso oral, prazo de validade de 84 meses e indicado para o tratamento de doenças causadas por Ortopoxvírus em adultos, adolescentes e crianças com peso mínimo de 13 kg.

– Vacina Jynneos/Imvanex: imunizante da empresa Bavarian Nordic A/S é fabricado na Dinamarca e Alemanha. Vacina é destinada a adultos com idade igual ou superior a 18 anos e possui prazo de até 60 meses de validade quando conservada entre -60 a -40°C.

No começo de agosto, Marcelo Queiroga afirmou que o Brasil iria receber o antiviral tecovirimat para combater o surto no país. Uma pesquisa publicada na revista científica “The Lancet Infectious Diseases” apontou que o antiviral se mostrou promissor em reduzir a duração dos sintomas e o tempo em que pacientes com a varíola dos macacos são capazes de infectar outras pessoas.

Brasil tem mais de quatro mil casos

A OMS informou na quinta-feira (25) que o número de casos vem caindo após uma tendência de alta que durou um mês. No Brasil, o número de casos confirmados até a noite de quarta-feira era de 4.144, enquanto o número de casos suspeitos era de 4.653, segundo dados do Ministério da Saúde. O país registrou um óbito relacionado à doença.

A OMS disse que as infecções nas Américas mostraram “um aumento contínuo e acentuado” na semana anterior, e a região representou cerca de 60% dos casos no último mês.

OMS declara varíola dos macacos como emergência de saúde global

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou neste sábado (23) que a varíola dos macacos como emergência de saúde global. As informações são do G1.

Mais de 16 mil casos já foram relatados em 75 países, informou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, segundo a BBC. “Decidi declarar uma emergência de saúde pública de alcance internacional”, disse Tedros em entrevista coletiva, afirmando que o risco no mundo é relativamente moderado, exceto na Europa, onde ele é alto.

Tedros informou ainda que, com as ferramentas disponíveis, será possível controlar o surto e parar a transmissão. Apesar da falta de consenso entre os membros do comitê de emergência da OMS, Tedros tomou a decisão de emitir a declaração – foi a primeira vez que o chefe da agência de saúde da ONU deu tal passo.

A decisão deste sábado pode levar a um maior investimento no tratamento da doença e avançar na luta por vacinas, que estão em falta. Segundo o diretor-geral da OMS, somente metade dos países com casos registrados de varíola dos macacos tem acesso garantido às vacinas. Já o diretor de emergências da OMS, Mike Ryan, diz que ser vacinado não dá proteção instantânea contra a doença.

 

Os sintomas iniciais da varíola dos macacos costumam ser:

febre

dor de cabeça

dores musculares

dor nas costas

gânglios (linfonodos) inchados

calafrios

exaustão

Dentro de 1 a 3 dias (às vezes mais) após o aparecimento da febre, o paciente desenvolve uma erupção cutânea, geralmente começando no rosto e se espalhando para outras partes do corpo.

As lesões passam por cinco estágios antes de cair, segundo o Centro de Controle de Doenças (CDC) dos Estados Unidos. A doença geralmente dura de 2 a 4 semanas.

 

Como se proteger:

O uso de máscaras, o distanciamento e a higienização das mãos são formas de evitar o contágio pela varíola dos macacos. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) reforçou a adoção dessas medidas, frisando que elas também servem para proteger contra a Covid-19.

 

Casos em Goiás

Goiás passou a ter 10 casos confirmados de varíola dos macacos, segundo um boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde de Goiás (SES-GO) na última quinta-feira (21). De acordo com a pasta, oito casos são de Goiânia e dois de Aparecida de Goiânia.

 

 

OMS mantém pandemia da Covid-19 como emergência internacional

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou nesta terça (12), em nota, que pandemia da covid-19 continua a constituir uma Emergência de Saúde Pública de Interesse Internacional. Segundo o Comitê de Emergência da OMS para a Pandemia, que se reuniu na sexta-feira (8), a covid-19 ainda atende aos critérios de um evento extraordinário que continua a impactar negativamente a saúde da população mundial.

O recente aumento da taxa de crescimento de casos em muitos países em diferentes regiões foi um dos motivos para a avaliação do comitê. Além disso, a avaliação é que a evolução contínua e substancial do vírus deve continuar de forma imprevisível, e que o surgimento e disseminação internacional de novas variantes do SARS-CoV-2 podem apresentar impacto ainda maior na Saúde.

O Comitê de Emergência expressou, segundo o comunicado, “preocupação com reduções acentuadas nos testes, resultando em cobertura e qualidade de vigilância reduzidas, além de menos sequências genômicas sendo submetidas a plataformas de acesso aberto. Isso impede as avaliações das variantes atuais e emergentes do vírus e está se traduzindo em menor capacidade de interpretar tendências na transmissão e de ajustes em medidas de Saúde pública”.

Mesmo com o alerta em relação à redução dos testes, foi registrado que os casos de covid-19 relatados à OMS aumentaram 30% nas últimas duas semanas, em grande parte impulsionados pelo Ômicron BA.4, BA.5 e outras linhagens descendentes e o levantamento das medidas sociais e de saúde pública. Esse aumento de casos estaria se refletindo em pressão sobre os sistemas de saúde em várias regiões.

Ainda segundo nota da OMS, existem incertezas em relação ao nível de prontidão dos sistemas de saúde já sobrecarregados para responder a futuras ondas da pandemia da covid-19.

O conjunto de Recomendações Temporárias emitidas pela diretoria-geral da OMS aos estados partes inclui alcançar maior cobertura vacinal possível da população de alto risco, entre pessoas com maior risco tanto de doença grave como de exposição à doença; apoio dos estados partes ao acesso global equitativo às vacinas; promover o uso de medidas de proteção efetivas individuais para reduzir a transmissão, como o uso de máscaras bem ajustadas, distanciamento e ficar em casa quando estiver doente.

 

*Agência Brasil

Foto: Pixabay

OMS confirma 169 casos de hepatite de origem desconhecida

A Organização Mundial da Saúde (OMS) confirmou, neste sábado (23), o surgimento de 169 casos de hepatite aguda grave de origem desconhecida. A maioria das notificações está na Europa e envolve bebês, crianças e adolescentes entre 1 mês e 16 anos de idade. Até o momento, uma morte foi confirmada.

 

De acordo com a OMS, foram notificados 114 casos da doença no Reino Unido; 13 na Espanha; 12 em Israel; nove nos Estados Unidos; seis na Dinamarca; cinco na Irlanda; quatro na Holanda; quatro na Itália; dois na Noruega; dois na França; um na Romênia e um na Bélgica.

 

Os sintomas da doença incluem elevada taxa de enzimas hepáticas, vômito, diarreia e dores abdominais. Entre os casos registrados, 17 crianças (cerca de 10% do total) necessitaram de transplante de fígado após contraírem a doença.

 

No comunicado distribuído à imprensa, a OMS declarou que está monitorando a situação e afirmou que não é preciso restringir viagens e o comércio com o Reino Unido e os demais países que tiveram casos confirmados.

 

VIA Agência Brasil

FOTO: Reprodução / TJDFT

Metade da população será miope em 2050, diz OMS

Um estudo feito pela Organização Mundial da Saúde (OMS), aponta que até 2050, aproximadamente, 50% da população mundial será miope.  A miopia – alteração ocular que dificulta enxergar a distância – afeta 59 milhões de brasileiros, cerca de 25% da população, diz a OMS.

 

Em todo o mundo, o número de pessoas atingidas chega a 2,6 milhões, sendo que países do sudoeste asiático têm quase 90% da população míope.

 

Um levantamento realizado pela Fundação Abióptica (2019) apontou que 36 milhões de brasileiros usam lentes de contato ou óculos para o tratamento de doenças como hipermetropia, presbiopia, miopia ou astigmatismo.

 

 

Correção visual

 

Dados da empresa Market Scope (2018) apontam que foram realizadas 158 mil cirurgias de correção visual a laser no Brasil naquele ano. “O procedimento pode ser feito com duas diferentes técnicas, de acordo com a necessidade do paciente. Dura aproximadamente 10 minutos – para os dois olhos – e tem resultados imediatos”, explica o cirurgião oftálmico, Dr. Ricardo Ducci.

 

A indicação para o procedimento cirúrgico é feita após avaliação médica e não existe grau mínimo ou máximo para a sua indicação. “A possibilidade de correção da cirurgia a laser, que é altamente tecnológica, vai variar de acordo com as características de cada córnea. Algumas pessoas podem corrigir até 15 graus e outras nem a metade disso, por exemplo. É essencial para a cirurgia que o paciente esteja com o grau refrativo estável há pelo menos um ano e não apresenta doenças que possam prejudicar a cicatrização da córnea”, afirma Ducci.

 

Será a miopia uma epidemia?

 

A OMS já considera a miopia uma endemia do século XXI. O Conselho Brasileito de Oftalmologia realizou um levantamento que apontou que: sete a cada dez médicos entrevistados identificaram a progressão da miopia em crianças durante a pandemia do Coronavírus no Brasil.

 

Foram abordados 295 médicos oftalmologistas, entre abril e junho de 2021.

Ducci alerta que a doença não é apenas hereditária, apesar de este ser um fator importante. “Estudos comprovam que a falta de exposição ao sol e a consequente exposição frequente a telas, por exemplo, podem causar ou agravar a miopia, o que explica a alta nos casos durante o período de isolamento social”.

 

Além disso, dados do Sistema de Informações Ambulatoriais do SUS, apontam que 3,7 milhões de consultas oftalmológicas deixaram de ser realizadas em 2020, ou seja, 35% da população não fez o exame de rotina necessário, o que atrasa o diagnóstico e leva à progressão da doença.

 

 

Foto: Reprodução

De acordo com a OMS, fim da pandemia da Covid-19 está próximo

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou nesta segunda-feira (20) que 2022 deve ser o ano “em que acabaremos com a pandemia”. O Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus expressou o desejo em uma entrevista coletiva em Genebra, onde também defendeu a redução da desigualdade no acesso às vacinas. 

tedros
O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus 

Com o surgimento da variante ômicron, detectada na África do Sul em novembro e muito mais contagiosa, alguns países enfrentam uma quinta onda de Covid-19 e apertam as restrições sanitárias. 

Por conta disso, o chefe da OMS alertou para os riscos das reuniões familiares neste período de festas. “Um evento cancelado é melhor do que uma vida cancelada”, afirmou Ghebreyesus. “Agora há evidências consistentes que a ômicron está se espalhando significativamente mais rápido do que a variante delta. E é mais provável que as pessoas vacinadas ou recuperadas da Covid-19 possam ser infectadas ou reinfectadas.”

“No próximo ano, a OMS está empenhada em fazer todo o possível para acabar com a pandemia”, acrescentou. 

“Se quisermos acabar com a pandemia no próximo ano, devemos acabar com a desigualdade (no acesso às vacinas), garantindo que 70% da população de todos os países esteja vacinada até meados do ano que vem”, finalizou Tedros.

Imagens: Reprodução

Veja também:

Intervalo da 3ª dose da vacina contra Covid-19 será de quatro meses

OMS afirma que as vacinas são eficazes contra a variante Ômicron

A Organização Mundial da Saúde (OMS) revelou, na última terça-feira (7), que as vacinas são eficazes contra a nova variante Ômicron do coronavírus, detectada na África do Sul, ao proteger os infectados que desenvolvem doença grave.

“Não há razão para duvidar” de que as vacinas atuais protegem os doentes infectados com Ômicron contra formas graves de covid-19, afirmou o responsável pela resposta de emergência em saúde pública da OMS, Michael Ryan, em entrevista.

“Temos vacinas muito eficazes que se mostram potentes contra todas as variantes até agora, em termos de gravidade da doença e hospitalização, e não há razão para acreditar que não seja o caso” com a Ômicron, disse Ryan, acrescentando que estão no início estudos da variante, detectada apenas em 24 de novembro e que já foi registrada em cerca de 40 países.

Já a farmacêutica Pfizer também se pronunciou, nesta quarta-feira (8), dizendo que as três doses da sua vacina são capazes de neutralizar a variante do novo coronavírus. Um estudo mostrou que as três doses do imunizante aumentam os títulos de anticorpos em 25 vezes, em comparação com apenas duas doses.

 

*Agência Brasil

Imagem: Reprodução

Veja também:

Vacina para o mal de Alzheimer será testada em humanos pela primeira vez

3° dose da vacina contra Covid-19 será aplicada apenas em grupos de risco

A Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu para que os países com taxas elevadas de vacinação, contra a covid-19, que não avancem com a terceira dose até o fim do ano.Segundo o diretor-geral da organização, Tedros Adhanom Ghebreyesus,  o objetivo é reduzir a desigualdade mundial na distribuição de imunizantes.

 

Em entrevista coletiva na sede da instituição em Genebra, Tedros llembrou que não há, a essa altura, evidência de uma terceira dose, com exceção dos grupos de maior risco.

 

O objetivo da OMS é que cada país vacine pelo menos 10% de sua população até o fim deste mês, 40% até o fim do ano e que 70% da população mundial estejam imunizados até meados do próximo ano.

 

A terceira dose já é realidade em países como  Uruguai e Alemanha que estão avançados na vacinação. No Brasil, o Ministério da Saúde está à frente de uma pesquisa que avalia uma dose de reforço para quem tomou a vacina Coronavac.

 

O reforço da vacina já está sendo aplicado em alguns estados do país. Segundo o Ministério da Saúde,  as decisões foram tomadas em conjunto com Conass, Conasems e a Câmara Técnica Assessora de Imunização Covid-19.  A Anvisa recomenda a dose de reforço em “caráter experimental”, para idosos acima de 80 anos e pessoas com a imunidade comprometida que tomaram a vacina CoronaVac.

 

Em Goiânia, a terceira dose contra a covid-19 já começou a ser aplicada na última quinta-feira (2). A secretaria de saúde irá percorrer mais de 28 abrigos para que sejam vacinados mais de 800 idosos nos próximos dias.

 

Fonte: Agência Brasil

 

 

OMS, Unicef e Unesco apelam aos governos que reabram escolas e informa que “não agravou pandemia”

Segundo registros e acompanhamentos da OMS, e entidades as escolas reabertas não são as principais causadoras da disseminação do coronavírus, desde que as devidas medidas foram adotadas. A entidades ainda apelam para que dêem prioridade máxima para a volta às aulas, e não para bares e eventos em massa. Estes, que como principais causadores da proliferação, tem desgovernado cidades inteiras, causando precariedade na saúde pública com a irresponsabilidade social, nos finais de semana.

Isso é um dado significativo neste momento, mostrando que há uma segurança em seguir protocolos nas escola, e que com os devidos cuidados, o Brasil consegue seguir com a educação.

Segundo relatório publicado na segunda-feira (14), as aulas presenciais só devem ser suspensas, quando a escola não tiver condição sanitária de operar com os protocolos de segurança. O documento ainda reforça a importância de retomar as atividades com um planejamento detalhado incluindo as seguintes medidas: distanciamento social, limitação em ambientes com controle de quantidades de pessoas e revezamento por turnos, uso de máscaras obrigatórios, estratégias de ventilação, e controle da doença em todos os ambientes, para todas as pessoas no local.

As medidas solicitadas pelos órgãos é uma forma de conter a transmissão por Covid-19, garantindo que ações de saúde pública educacionais permitem que a educação no Brasil não seja prejudicada.

Segundo as entidades, os registros de contaminação no ambiente das escolas foi extremamente baixo, já que as escolas suspenderam aulas no período certo, e que “a maioria das evidências de países que abriram os centros educacionais, ou nunca os fecharam, sugerem que as escolas não foram associadas a aumentos na transmissão na comunidade”.

Porém a OMS, Unesco e Unicef enfatiza que o fechamento total, parcial ou reabertura devem ser monitorados de acordo com região, localidade e cidade, avaliando os riscos.

ba6d61e47abe511a72d73c0f55e14c4f.jpg