Primeiro ônibus elétrico superarticulado do mundo chega nas ruas de Goiás

O primeiro ônibus 100% elétrico superarticulado da fabricante chinesa BYD, representada no Brasil por Alexandre Baldy, CEO da BYD Auto e presidente da Agência Goiana de Habitação (Agehab), foi entregue para Goiânia.

O veículo, do modelo D11A, possui 23 metros de comprimento e uma autonomia de 250 quilômetros, sendo destinado ao corredor BRT Leste-Oeste da capital.

A entrega marca o início da introdução desse tipo de transporte na região, com a expectativa de receber mais 59 veículos para compor a frota do transporte metropolitano goianiense. Inicialmente, estava prevista a aquisição de seis unidades, totalizando assim 65 ônibus do modelo D11A.

Desenvolvido para aliviar a sobrecarga nas redes elétricas urbanas, o ônibus conta com uma bateria de 516 kWh e elevadores de acessibilidade. O projeto da BYD busca proporcionar mais conforto aos passageiros e motoristas, com características como chassi tubular de alta resistência à torção e à flexão, suspensão pneumática em todos os eixos, e freios a disco com ABS/EBS e sistema regenerativo nos eixos motrizes para maior segurança e autonomia.

De acordo com a BYD, essa iniciativa contribui para a modernização do sistema de transporte, consolidando a presença dos ônibus elétricos em Goiânia.

Veja também:

 

 

Inclusão: catracas de ônibus em Goiânia podem ter adaptações para atender pessoas com nanismo

A Câmara Municipal de Goiânia tomou uma decisão definitiva ao aprovar um Projeto de Lei (PL) que visa garantir a acessibilidade das pessoas com nanismo e de baixa estatura nos veículos do transporte coletivo. Proposto pelo vereador Lucas Kitão (PSD), o projeto atende a uma antiga demanda desses cidadãos e tem o potencial de servir como exemplo para outros municípios em todo o país.

O vereador Lucas Kitão afirmou que a ideia para a proposta surgiu através de uma sugestão de Rafael Campos, um ex-assessor de seu gabinete e jornalista. A iniciativa busca assegurar que as pessoas com nanismo tenham acesso adequado ao transporte coletivo, contando com a instalação de catracas e validadores acessíveis. Para que isso seja possível, serão necessárias adaptações a serem realizadas pelas concessionárias que prestam serviços na Região Metropolitana de Goiânia.

Agora, o texto será encaminhado para análise do prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos). Caso o PL seja sancionado, será estabelecido um prazo de 90 dias, a partir da publicação no Diário Oficial, para que as empresas privadas de transporte implementem os validadores e as demais modificações necessárias.

Essa medida representa um importante passo rumo a uma cidade mais inclusiva, proporcionando mais acessibilidade e igualdade de oportunidades para as pessoas com nanismo e de baixa estatura. Com tal iniciativa, Goiânia estará à frente no que diz respeito à garantia dos direitos e à promoção da mobilidade urbana para todos os cidadãos.

Celebração

De acordo com Fernando Vigui, líder do movimento Nanismo Brasil, o projeto é de extrema importância para o sentimento de pertencimento dos cidadãos com deficiência, mobilidade reduzida e idosos: ‘’Significa o direito de ir e vir garantido. Precisamos nos sentir seguros e livres. Que sirva de exemplo para os municípios de todo o país’’, disse em entrevista para o Jornal O Popular.

 

Veja também:

A história de uma família que transformou o nanismo em causa

Baseado em uma história real, Turma da Mônica terá personagem com nanismo

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Transporte Coletivo de Goiânia terá recarga por Pix via WhatsApp

Os passageiros do transporte coletivo de 19 municípios da Região Metropolitana de Goiânia (RMG) poderão comprar, a partir desta quinta-feira (22/09), créditos pelo WhatsApp, e realizar pagamento por Pix para o Bilhete Único. A novidade foi anunciada pela Prefeitura de Goiânia, por meio da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), e visa proporcionar mais conforto no acesso do serviço, conveniência e segurança na operação do sistema para o usuário.

Na coletiva, que ocorreu no Paço Municipal, o presidente da CMTC, Tarcísio Abreu, explicou que o mote da campanha é “Passe um Pix com Zap!”, e destacou que o serviço é pautado pela agilidade e a facilidade ao usuário ao fazer uma recarga. “Quem utiliza o transporte não vai mais precisar enfrentar filas, e de onde estiver pode fazer a recarga. É simples, é fácil, é zap!”, pontuou.

Tarcísio explicou que, a partir do contato, com um oi ou olá, pelo número de WhatsApp 55 62 3110 8938, os clientes da Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (RMTC) poderão adquirir seus créditos para o Bilhete Único, e ainda fazer o pagamento por Pix. 

“Ao acessar o serviço pelo WhatsApp, o usuário deverá informar o seu CPF. Em seguida, é preciso informar o valor que deseja recarregar no cartão. O sistema vai gerar um código que deve ser copiado para efetuar o pagamento na instituição financeira do usuário, via Pix”, explicou.

“É importante esclarecer que os créditos adquiridos por meio da plataforma são liberados para recarga somente após a confirmação do pagamento”, disse, acrescentando que no momento da aquisição de créditos, será informado o saldo do cartão. “É válido ressaltar que o saldo informado não é calculado em tempo real, mas, sim, o último saldo registrado nos sistemas da RMTC”.

Para baixar os créditos adquiridos, basta que o usuário aproxime o seu cartão de um dos validadores instalados no interior dos ônibus ou nos acessos dos terminais de integração e estações da RMTC. Assim, os créditos serão baixados automaticamente no cartão.

Perguntas e respostas sobre compra de créditos pelo WhatsApp e pagamento por Pix no transporte coletivo:

 

1 – Este serviço está disponível para qual cartão Sitpass?

Este serviço está disponível para os clientes do Bilhete Único.

 

2 – Como eu faço para adquirir créditos pelo WhatsApp?

– Você deve acessar o serviço pelo WhatsApp (62) 3110 – 8938;

– Informar o seu CPF;

– Escolher o cartão para recarga;

– Informar o valor que você deseja recarregar em seu cartão;

– Copiar o código Pix de pagamento gerado pelo sistema;

– Acessar o seu banco e realizar o pagamento, via Pix, do código gerado pelo sistema.

 

3 – Em quanto tempo, após o pagamento, os créditos serão disponibilizados para recarga no cartão?

Em até 20 minutos, após a confirmação do pagamento, os créditos serão disponibilizados para recarga no cartão.

 

4 – Após o pagamento, o que devo fazer para baixar os créditos no cartão?

Basta aproximar o cartão em um dos validadores instalados no interior dos ônibus ou nos acessos dos terminais de integração e estações da RMTC que os créditos serão baixados automaticamente no cartão.

 

5 – Existe valor mínimo para compra de créditos pelo WhatsApp?

Não existe valor mínimo para compra de créditos pelo WhatsApp.

 

6 – Existe cobrança de taxa para uso deste serviço?

Não. Este serviço é totalmente gratuito.

 

7 – No momento da aquisição de créditos, como faço para saber o saldo do meu cartão?

No momento da aquisição de créditos, o saldo será informado. É válido lembrar que o saldo informado não é calculado em tempo real, mas, sim, o último saldo registrado no sistema de bilhetagem eletrônica.

 

Imagem: RMTC

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Entenda o funcionamento do Bilhete Meia Tarifa na Região Metropolitana de Goiânia

Nova política pública para o transporte na Região Metropolitana de Goiânia, o Bilhete Meia Tarifa foi apresentado à população na última sexta-feira (16/09), por autoridades do Estado, da Capital, da Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC) e do município de Senador Canedo, que será o primeiro a ter o funcionamento da medida, que começou neste sábado (17/09).

O lançamento do benefício social foi realizado na sede da Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC), no Setor Universitário, em Goiânia. Com ele, o usuário poderá circular por até cinco quilômetros, sem fazer integrações dentro de terminais, pagando somente metade do valor da tarifa do serviço, hoje em R$ 4,30. Ou seja, a quantia a ser paga pelo passageiro será de R$ 2,15.

“É um produto novo, complexo e, por isso, temos a responsabilidade de lançá-lo com cautela. Começamos por Senador Canedo e vamos expandir para os demais municípios. Isso ocorrerá aos poucos”, explicou o secretário-geral de Governo, do Governo de Goiás, Adriano da Rocha Lima, que também preside a Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos (CDTC) e representou o governador Ronaldo Caiado no lançamento. 

“O benefício para a população é grande porque permite que tenhamos um produto adaptado a uma necessidade específica. Quem trafega em trajetos menores não precisa pagar uma tarifa cheia. O objetivo é garantir que quem vai gerar custo menor ao sistema também pague menos”, completou.

Inicialmente, serão sete linhas beneficiadas com a primeira fase do Bilhete Meia Tarifa em Senador Canedo. São elas: 327 (Terminal Senador Canedo/Monte Azul); 328 (Terminal Senador Canedo/Jardim Flamboyant/Residencial Prado); 329 (Terminal Senador Canedo/Residencial Jardim Canedo II); 331 (Terminal Senador Canedo/Boa Vista/Monte Cristo); 335 (Terminal Senador Canedo/Residencial Buriti); 336 (Terminal Senador Canedo/Flor do Ipê – Via UPA); e 337 (Terminal Senador Canedo/São Francisco/Vale das Brisas). Em seguida, a implantação do benefício em Goiânia e nas demais cidades será feita por etapas, a começar pela digitalização do serviço.

“Continuamos o nosso processo de modernização e evolução do sistema de transporte. Escolhemos Senador Canedo porque o prefeito é um parceiro do nosso sistema, está acompanhando e pode fazer este teste. Praticamente todas as linhas que circulam dentro da cidade vão operar a R$ 2,15”, explicou o presidente da CMTC, Tarcísio Abreu, afirmando ainda que, a partir da vigência da medida, os terminais dentro do município trabalharão sem linhas de bloqueio, nem catracas.

Legado e manutenção

Outras ações no transporte coletivo mantidas com o apoio do Governo de Goiás, como o Passe Livre do Trabalhador, o Passe Livre Estudantil, o pagamento via cartão de crédito ou débito e o Bilhete Único, seguem em funcionamento normal. No caso do Bilhete Único, ele poderá ser utilizado para que o usuário pague o Bilhete Meia Tarifa, fazendo suas viagens internas, assim como para viabilizar, quando necessário, o acesso ao segundo trecho e o pagamento da segunda meia tarifa. O passageiro poderá ainda usar a solução, por um período de duas horas e meia, a contar a partir de sua primeira validação.

Desde 2019, o transporte público não teve reajustes no preço da tarifa. De acordo com Adriano da Rocha Lima, em 2022, o subsídio do Estado para a manutenção do serviço será de R$ 87 milhões. No ano que vem, o montante subirá para aproximadamente R$ 115 milhões. “É para garantir que o sistema seja estável economicamente, financeiramente e para o passageiro”, afirmou ele. “A fortaleza do nosso sistema é a unidade. Oneramos todos com o mesmo objetivo, de entregar o melhor transporte a todos”, completou Tarcísio Abreu, ao comentar sobre o repasse de recursos de todos os entes envolvidos no processo.

“Esse primeiro passo dado em Senador Canedo deixa a gente muito lisonjeado. Com essa parceria entre o Governo de Goiás, a CMTC e as prefeituras da região, o grande ganhador será o usuário. Num cenário onde os preços só aumentam, com essas ideias inovadoras, vamos na contramão. É uma vitória muito importante para quem utiliza o serviço”, salientou o prefeito Fernando Pellozo. “Sempre acreditei na mudança do nosso sistema. Estava antigo, ultrapassado. Agora, temos algo unificado. Goiás sai na frente com este novo modelo”, afirmou o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz.

 

Imagem: Xande Manso

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Novo Terminal Isidória será inaugurado ainda este mês em Goiânia

Depois de passar por completa reestruturação para receber, no futuro próximo, os ônibus do BRT Norte-Sul, o Terminal Isidória, localizado no Setor Pedro Ludovico, será reaberto pela Prefeitura de Goiânia na tarde da sexta-feira, dia 22 de julho. A área construída passou de 2,1 mil para 7,9 mil metros quadrados, ou seja: ele é três vezes maior do que o antigo. As obras começaram em fevereiro de 2020 e o investimento total foi de R$ 19,5 milhões. Cerca de 1,5 milhão de passageiros deve passar pelo local todo mês.

“As obras de modernização e de adequação do Terminal Isidória são resgate do nosso compromisso de investir em melhorias no transporte coletivo, e de cuidar das pessoas”, afirma o prefeito Rogério Cruz. “É um projeto de alta qualidade. A nova estrutura é inovadora, oferece conforto, acessibilidade e conectividade aos passageiros de ônibus”, destaca. 

São quatro plataformas comuns para embarque e desembarque de passageiros e uma específica para o BRT, além de banheiros, lanchonetes, área de apoio administrativo e elevador. A cobertura de 8 mil metros quadrados é metálica, o que propiciará temperaturas mais amenas no ambiente interno. São 35 pilares de 11 metros cada e 7,1 mil metros quadrados de pavimento de concreto. Em média, 80 operários trabalharam no dia a dia da obra. O projeto demandou 290 toneladas de aço. A nova rede de drenagem tem 1,6 mil metros. 

Os passageiros que utilizarem o Isidória terão acesso a rede de Wi-Fi (com limite de tempo). Cinco roteadores funcionarão para garantir a qualidade do sinal de internet. Eles usufruirão de uma rede diferente daquela a ser usada pela prefeitura na gestão do terminal. 

“É um terminal realmente diferenciado, sem igual em Goiânia. Ficou muito bonito, aconchegante, foi pensado em cada detalhe para entregar o que há de melhor ao usuário do transporte coletivo da nossa capital”, afirma o secretário de Infraestrutura, Everton Schmaltz. “O projeto foi elaborado dentro da mesma premissa do BRT, que é a de terminais inteligentes e tecnológicos”, diz Amanda Vieira, secretária interina da Secretaria Municipal de Inovação, Ciência e Tecnologia (Sictec).

Tecnologia avançada

A Central de Controle e Operação (CCO) vai cuidar da segurança no local com auxílio de 32 câmeras de vigilância, das quais 30 são fixas (instaladas nas entradas e nas plataformas de embarque) e duas com capacidade para se movimentar em 360°, com resolução e poder de alcance ampliados (são as chamadas ‘Speed Dome’). O acompanhamento das imagens será feito pela Guarda Civil Metropolitana (GCM) e pela Secretaria Municipal de Mobilidade (SMM), 24 horas por dia.

O terminal conta ainda com duas câmeras de leitura, que foram instaladas para capturar placa e hora de cada ônibus que passar pelo local. Serão dados úteis principalmente para CMTC (Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos), órgão responsável por fiscalizar o cumprimento da planilha de horários. Além, é claro, dos monitores que informam aos passageiros a previsão de chegada e saída dos veículos (chamados de pontos de RMTV). 

Funcionamento do terminal

A partir do dia 23 de Julho, os passageiros das linhas 2, 6, 7, 9, 14, 15, 20, 25, 183, 185, 198, 203, 565, 568, 612, 616, 650, 651, 660, 919, 920 e 934 já poderão embarcar e desembarcar no novo terminal, cujo horário de funcionamento será sempre das 5h às 23h30.

De acordo com a CMTC, cerca de 60 mil usuários por dia devem passar pelo Isidória de segunda a sexta, 21 mil aos sábados e 8 mil aos domingos. Cruzarão o terminal 22 linhas. “Importante ressaltar que a parceria entre prefeitura e governo do Estado está sendo decisivo para que o transporte coletivo da região metropolitana melhore”, diz Tarcísio Abreu, presidente da CMTC.

 

Imagem: Seinfra

Goiânia terá Passe Livre do Trabalhador com direito à 8 viagens diárias

O transporte coletivo da Região Metropolitana de Goiânia passa a contar com o Passe Livre do Trabalhador. O lançamento do programa ocorreu na manhã desta segunda-feira (2), com a participação do governador Ronaldo Caiado, do prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, e outras autoridades.

O benefício, válido para toda região metropolitana, permite oito embarques diários de segunda a domingo, em qualquer horário, com validade de 30 dias.

A previsão é de que o serviço possa gerar economia de 20% para o empregador e, segundo a prefeitura, caberá ao empregador decidir se vai manter para os seus funcionários o Vale Transporte atual (que tem validade de até 22 dias e libera duas viagens diárias) ou o Passe Livre do Trabalhador (com suas oito viagens por dia, validade de 30 dias). Para isso, o empresário deverá, a partir do dia 13 de maio, realizar a atualização do cadastro dos funcionários.

O Passe Livre do Trabalhador faz parte de contrapartidas estabelecidas entre o governo do Estado, prefeituras e as empresas de transporte coletivo, para repasses da subvenção da passagem. O cálculo da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) é que a tarifa técnica custaria R$ 7,26, hoje a passagem pode ser mantida em R$ 4,30, com os repasses do Poder Público.

 

Imagem: Divulgação CMTC

Aprovado projeto que garante vale-transporte do desempregado em Goiânia

A Câmara Municipal de Goiânia, através da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), aprovou um projeto de lei com o objetivo de criar o vale-transporte do desempregado. No texto-base, disponibilizado no site da Casa Legislativa, está previsto a concessão de passagens do transporte coletivo de Goiânia para pessoas que foram demitidas sem justa causa, pelo prazo de 30 dias.

 

Para poder fazer uso do benefício, o trabalhador deve cumprir também com o requisito de ter trabalhado na empresa contratante por, pelo menos, três meses. A matéria é de autoria do vereador Joãozinho Guimarães, do partido Solidariedade.

 

Segundo o texto base, o objetivo para a criação do projeto, é tentar diminuir os danos causados aos trabalhadores quando são demitidos da empresa sem justa  causa, além de incentivar a busca por um novo emprego sem que haja a preocupação com os custos do transporte coletivo.

 

O pedido, conforme consta no texto, deve ocorrer ao órgão competente da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) e comprovado por documentação:

 

Documento de identificação com número de RG e CPF;

Carteira de Trabalho e Previdência Social;

Termo de Rescisão Contratual;

Comprovante de endereço da comarca de Goiânia atualizado.

 

Vale ressaltar que o benefício é destinado apenas para os trabalhadores que se encontram desempregados. Desta forma, assim que o cidadão comtemplado pelo programa adquirir um novo emprego, o benefício é suspendo mesmo antes de completar os 30 dias previstos pelo projeto.

Foto: Jucimar de Sousa

Ônibus em Goiânia terá bilhete único e cartão pós-pago

O transporte coletivo da Região Metropolitana de Goiânia contará novas funcionalidades, como bilhete único e cartão pós-pago. As informações são do Jornal A Redação.

As novidades foram anunciadas, nesta sexta-feira (25/2), data em que ocorre a primeira reunião da Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC) desde que foi aprovada a Lei Complementar 169, de dezembro de 2021. 

No Twitter, o prefeito Rogério Cruz afirmou que o usuário do transporte coletivo terá à disposição “várias opções de deslocamento integrados, que vão permitir embarcar e desembarcar livremente no intervalo de duas horas e meia”. Também citou outras novidades: “bilhete único, acessos a serviços complementares como CityBus 3.0, bicicletas compartilhadas, integração fora dos terminais, cartão família e cartão pós-pago”. 

“Os próximos passos serão tornar o custo do transporte mais justo por meio da nova modalidade de tarifação, a renovação e ampliação da frota, concluir o Trecho Norte e integrar o BRT ao sistema e priorizar a mobilidade dos ônibus na nossa capital”, projetou o prefeito, nas redes sociais. 


Reunião da CDTC

Segundo a prefeitura, o encontro entre membros da CDTC, ocorrido nesta manhã, tratou da reformulação do Transporte Coletivo de Goiânia e Região Metropolitana; da reestruturação da CDTC e da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC). 

Compõem o colegiado o presidente da CMTC e Secretário Executivo da Câmara, Tarcísio Abreu; secretário-geral da Governadoria do Estado e presidente da CDTC, Adriano da Rocha Lima, nomeado pelo governador Ronaldo Caiado. O governo também indicou outros três secretários: Cristiane Schmidt (Economia), Henrique Ziller (Controladoria-Geral) e Wellington Lima (Desenvolvimento Social).

Em nome da Prefeitura de Goiânia, participam Arthur Bernardes (Escritório de Prioridades Estratégicas), que ficou definido como o vice-presidente da Câmara; Horácio Mello (Secretaria de Mobilidade), Everton Schmaltz (Infraestrutura Urbana) e José Alves Firmino (Chefe de Gabinete do prefeito Rogério Cruz).

Representam os municípios da Região Metropolitana na CDTC os indicados pelas prefeituras de Aparecida de Goiânia, Fábio Camargo (Procurador-Geral do Município) e de Senador Canedo, Rafael Gonzaga (Secretário de Planejamento e Desenvolvimento).

 

Imagem: Rmtc

Tarifas de ônibus podem subir 50% em Janeiro

A Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) divulgou que as tarifas de ônibus podem aumentar até 50% em janeiro de 2022 em todo o Brasil. O motivo é devido a alta da inflação e ao reajuste salarial dos rodoviários, motoristas e cobradores.

A NTU culpa a omissão do governo federal diante da crise do transporte coletivo no país como um dos fatores principais do problema. No comunicado para a imprensa divulgado na última quarta-feira (10), explicou que ”Os prejuízos acumulados conjuntamente pelas empresas que operam os serviços de transporte público por ônibus urbano em todo país e pelos poderes públicos concedentes já alcançam R$ 21,37 bilhões desde março do ano passado, decorrente da queda do número de passageiros e da obrigatoriedade de manutenção da oferta para garantir o distanciamento social devido à pandemia da Covid-19”.

Em reportagem do Jornal Diário da Manhã, o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano e Passageiros da Região Metropolitana, Adriano Oliveira, afirma que as empresas que operam na grande Goiânia estão sob o regime do plano emergencial estabelecido devido à Covid-19 e que, desde a implantação do regime, o sistema está em pleno funcionamento. 

Há uma expectativa que o governo de Goiás e as prefeituras envolvidas, especialmente a da capital, possam reorganizar o sistema com a finalidade de melhorar o serviço, a fim de atrair mais passageiros a equilibrar o sistema.

 

*Com informações DM

Imagem: Reprodução

Veja também:

Rede Estadual de educação de Goiás recebe 210 novos ônibus escolares

Rede estadual de educação de Goiás recebe 210 novos ônibus escolares

A rede pública de educação de Goiás recebeu nesta segunda-feira,5, 210 ônibus que serão utilizados como transporte escolar em 125 municípios. A solenidade de entrega aconteceu na sede da  Secretaria de Estado da Educação de Goiás (Seduc Goiás), no Setor Leste Vila Nova,  e contou com a presenta do Governador do Estado, Ronaldo Caiado. 

 

Os novos veículos foram adquiridos por meio de recursos de emendas parlamentares apresentadas por deputados federais e senadores representantes de Goiás no Congresso Nacional. O valor total do investimento é de R$ 42.795.232.

 

Os 4 tipos modelos de ônibus serão utilizados para o transporte de seis mil alunos: ORE 1, com 176 unidades, tem capacidade para 29 pessoas; O ORE 2, com 10 modelos, recebe até 44 passageiros e Por fim, o ORE 1 4×4, um total de 24, conta com 29 poltronas, além de tração nas quatro rodas. “Lutamos, com todas as forças, para garantir educação de qualidade, que motive as nossas crianças e jovens”, afirmou Caiado ao reafirmar o compromisso do goiverno com a educação.  disse.  

 

Todas as unidades são adaptadas para o transporte, embarque e desembarque de estudantes com deficiência ou mobilidade reduzida.  

 

Leia também no Curta Mais: 

Coronavac, Astrazeneca, Pfizer e Janssen: entenda as diferenças entre as vacinas contra a Covid-19 disponíveis no Brasil 

Goiânia amplia a vacinação para pessoas com 44 anos sem comorbidades

Depois gravar no SBT, Rodrigo Faro da Record, testa positivo para Covid-19

 

Programas voltados para garantir alimento aos alunos da rede pública recebem investimentos de R$ 229,2 milhões, em Goiás

 

 

Fotos: Cristiano Borges e Wesley Costa

Veja como chegar de ônibus aos pontos de vacinação em Goiânia

A Prefeitura de Goiânia disponibilizou nesta quinta-feira (09), através do #imunizagyn uma lista de linhas de ônibus que alimentam as 25 unidades de saúde integrantes da campanha de vacinação contra o coronavírus. Assim, é fácil saber qual o posto mais próximo e como chegar até ele. Para facilitar ainda mais, o Curta Mais disponibiliza para você os dados da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), com todas as informações sobre como chegar aos postos pelo transporte coletivo. 

 

Confira!

Idosos que estejam com a segunda dose em atraso

 

Cais Campinas

 

Nº do ponto: 2870 e 2871

 

Linha(s): 160 e 176

 

 

 

Ciams Urias Magalhães:

 

Nº do ponto: 8251

 

Linha(s): 013, 037, 174 e 270

 

 

 

Upa Chácara do Governador:

 

Nº do ponto: 1454

 

Linha(s): 002, 014 e 021

 

 

 

CSF Vila Mutirão

 

Nº do ponto: 4505 e 4516

 

Linha(s): 143, 157 e 158

 

 

UPA Jd América

 

Nº do ponto: 2806 e 2807

 

Linha(s): 015 e 915

 

 

Cais Bairro Goiá:

 

Nº do ponto: 3884

 

Linha(s): 590

 

 

 

Ciams Novo Horizonte

 

Nº do ponto: 658

 

Linha(s): 161, 578 e 579

 

 

Grupos prioritários e pessoas a partir de 54 anos

 

Distrito Leste

 

– Upa Novo Mundo: Av. New York, 667-569 – Jardim Novo Mundo

 

Nº do ponto: 5210

 

Linha(s): 259, 405 e 934

– Upa Chácara do Governador: Av Padre Monte, s/n Lotes 12, Rua L-13

 

Nº do ponto: 1454

 

Linha(s): 002, 014 e 021

– USF Recanto das Minas Gerais: Rua Siena, s/n – St. Recanto das Minas Gerais

 

Nº do ponto: 5148 e 5347

 

Linha(s): 285 e 318

Distrito Sudoeste

 

– CSF Residencial Itaipu: Rua RI 9, 08 – Qd 107 – Residencial Itaipu

 

Nº do ponto: 1029

 

Linha(s): 572

– Ciams Novo Horizonte: Rua, Av. Eng. José Martins Filho, s/n – Vila Novo Horizonte

 

Nº do ponto: 658

 

Linha(s): 161, 578 e 579

– Centro de Saúde da Família (CSF) Santa Rita: Endereço: Rua SR 1, 290 – Parque Santa Rita, Goiânia – GO

 

Nº do ponto: 6712

 

Linha(s): 130

Distrito Noroeste

 

– CSF Boa Vista: Av. dos Ipês, s/n – Boa Vista

 

Nº do ponto: 4325

 

Linha(s): 937

– CSF Novo Planalto: Rua Vm3c Qd 91 Lt 11 Setor Novo Planalto

 

Nº do ponto: 8139

 

Linha(s): 717

 

 

– USF Jd. Curitiba: Rua JC-22, Área Verde – Jardim Curitiba

 

Nº do ponto: 6071 e 6072

 

Linha(s): 717

Distrito Oeste

 

– CSF São Francisco: Tv. Buenos Aires, Lt 01 – S/n – São Francisco

 

Nº do ponto: 3034

 

Linha(s): 930

– CSF Vera Cruz II: Av. Leopoldo de Bulhões, s/n – Conj. Vera Cruz

 

Nº do ponto: 3936 e 3937

 

Linha(s): 052, 324 e 701

 

 

– USF Jd. Cerrado IV: Rua Pingo de Ouro, Jardim do Cerrado IV

 

Nº do ponto: 6121 e 6122

 

Linha(s): 338

 

 

Distrito Norte

 

– CSF Jd Guanabara I: R. Porto Alegre, 44 – Jardim Guanabara

 

Nº do ponto: 8266

 

Linha(s): 313

 

– USF Itatiaia: Rua R-12 Qd. 11 Conjunto Itatiaia

 

Nº do ponto: 3564 e 5198

 

Linha(s): 263, 268, 269 e 302

 

 

Distrito Sul

 

– UPA Jd América: Praça C-201, 2-82 – Jardim América Nº do ponto: 2806 e 2807

 

Linha(s): 015 e 915

 

 

Distrito Campinas-centro

 

– CSF Leste Universitário: Rua 218_ – Setor Leste Universitário

 

Nº do ponto: 7148

 

Linha(s): 167

– CS Cidade Jardim: Praça Abel Coimbra, 350 – Cidade Jardim

 

Nº do ponto: 946 e 962

 

Linha(s): 005, 149, 182, 187, 307, 308, 341 e 707

– Área I da PUC: Rua 235, n.722 – Setor Leste Universitário

 

Nº do ponto: 23 e 29

 

Linha(s): 019, 020, 021, 024, 027, 028, 167, 175, 300, 400, 401, 606, 919, 920 e 931.

 

 

 

Transporte coletivo é paralisado em Goiânia nesta sexta-feira, dia 9

Na manhã desta sexta-feira (9), motoristas do transporte coletivo paralisaram suas atividades na capital goiana. A ação tem como objetivo fazer a inclusão de servidores ao grupo prioritário de vacinação contra a Covid-19.

A greve que já estava prevista para acontecer desde o começo da semana ressalta sobre as condições trabalhistas dos motoristas que são expostos ao risco de contaminação. Durante a greve, os trabalhadores deixaram 120 veículos do Eixo Anhanguera estacionados na garagem e se manifestaram na porta da Metrobus, na Vila Regina, próximo a Trindade.

Em nota, o RedeMob Consórcio informou que apenas as linhas do Eixo Anhanguera que aderiram ao protesto, e que as demais linhas do sistema Metropolitano de Transporte Coletivo estão funcionando normalmente. 

A Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos, informou que a paralisação tem “apelo legítimo” e que resulta em uma inclusão dos servidores ao Plano Nacional de Imunização (PNI), o mais rápido possível. Em entrevista, o governador Ronaldo Caiado já havia mencionado que a inclusão dos motoristas de transporte público já estava confirmado, mas a ação iria depender dos novos lotes de vacina que ainda chegarão ao município.

O presidente do Sindicato Intermunicipal de Trabalhadores no Transporte Coletivo Urbano de Goiânia (Sindicoletivo), Sérgio Reis, informou que os servidores aguardam a chegada do presidente da empresa e do secretário estadual da saúde, Ismael Alexandrino para uma possível reunião.

 

Risco

Na última terça-feira (7), a Associação Goiana de Advocacia Sindical Obreira (Asind) declarou apoio integral à reivindicação de vacinação dos trabalhadores do transporte coletivo em defesa da saúde. “Os trabalhadores de transporte coletivo, durante toda a pandemia exerceram ininterruptamente suas funções, ficando expostos ao contágio e à transmissão do vírus aos usuários do transporte coletivo”, declarou em nota.

As condições trabalhistas colocam o servidor em risco de contaminação, ao colocar o motorista em contato com passageiros, em locais de possíveis aglomerações e com objetos que possuem grande circulação. Com a decorrência das chuvas em Goiânia, as janelas precisam estar fechadas, consequentemente, evitando qualquer circulação de ar dentro dos ônibus.

De acordo com o presidente do Sindicoletivo, 300 motoristas já se contaminaram com o vírus. Deste número, 18 foram entubados por causa da doença e 26 morreram.

 

Foto: Reprodução/Instagram

Como fazer o cadastro para o embarque prioritário no transporte coletivo de Goiânia

Desde a última segunda-feira, o transporte coletivo da Grande Goiânia adotou o embarque prioritário nos horários de pico da manhã (das 5h45 às 7h15), e da tarde (das 16h45 às 18h15), apenas para os trabalhadores de atividades essenciais.  Com isso, o acesso de passageiros nos ônibus, terminais e estações passou a ser controlado por meio de um bloqueio eletrônico temporário de 90 minutos. 

 

Neste período, somente os trabalhadores vinculados aos serviços e atividades consideradas essenciais cadastrados previamente no portal https://cliente.rmtcgoiania.com.br/embarqueprioritario

 

Quem não for dos segmentos elencados por decretos (estadual e municipal) como prioritários (saúde, alimentação, farmacêutico e industrial, entre outros) terá o embarque ou a integração liberada após o período. A validação do embarque, assim como o bloqueio temporário, será feita via cartão sitpass.  O portal é acessível por computadores e celulares.  

 

Também poderão se cadastrar as pessoas que estiverem em alguma atividade essencial, como por exemplo se dirigindo a uma unidade de saúde, desde que tenha feito o cadastro com uma hora de antecedência. A cobrança das passagens a bordo dos ônibus pelos motoristas, também nos acessos de solo nos terminais e estações, fica suspensa nos intervalos determinados.

Passo a passo do cadastro

 

  1. Entrar no portal por computador ou celular – https://cliente.rmtcgoiania.com.br/embarqueprioritario
  2. Preencher com os dados do CPF e o ramo de atividade essencial que deverá ser selecionado numa lista
  3. Adicionar a imagem do documento de trabalho (carteira de trabalho, crachá ou declaração do empregador
  4. Caso não tenha comprovação, o usuário deve escrever uma justificativa para o pedido
  5. Aceita que leu e concorda com o termo de acesso e adesão
  6. Clica em finalizar o cadastro
  7. Uma hora depois seu cadastro será liberado para viajar nos horários de pico.

Foto: Divulgação do Governo de Goiás

Guarda Nacional retira famoso ônibus de ‘Into The Wild’, no Alasca

Chamado Magic Bus, o Fairbanks Bus 142, foi a casa de Christopher McCandless ou só Alex Supertramp durante 113 dias. O filme ‘Into The Wild’ (em português ‘Na Natureza Selvagem’), narra a história do jovem rico que largou tudo para viver como andarilho em busca de uma vida sem valor material.

O ônibus era uma espécie de “santuário” para mochileiros do mundo todo. O veículo foi retirado com ajuda de um helicóptero militar.

Segundo a Guarda Nacional americana, a retirada do veículo foi por uma questão de segurança, visto que todos os anos centenas de turistas tentavam chegar até ônibus, ocasionando acidentes.

Crédito: Sgt. Brad McKenzie/ Alaska National Guard

Entre 2009 e 2017, foram registradas 15 operações de busca e salvamentos na região. Em 2010 e no ano passado, duas pessoas morreram (uma em cada ano) quando tentavam arrevessar um rio para chegar ao ônibus. Em abril, o brasileiro Gabriel Dias da Silva, 26 anos, precisou ser resgatado quando tentava retornar da aventura.

Into The Wild

O filme baseado em fatos reais conta a história de Christopher McCandless, um jovem rapaz de família rica que, ao se formar em antropologia e história, no ano de 1990, decidiu não seguir o mesmo caminho que o pai em ser um homem de negócios. Sacou então os 24 mil dólares que havia acumulado em sua conta bancária e doou para instituições de caridade. Pegou o carro que havia ganhado e saiu de casa para nunca mais retornar.

Chris tinha o único objetivo de ir para um lugar longe e distinto de todos os valores materiais. Ele passou a se apresentar como Alex Supertramo. Durante dois anos ficou como andarilho até encontrar o ônibus no Alasca, onde permaneceu durante 113 dias, até ficar sem forças para caçar e comer.

Toda a história é contada através de seus diários no filme Into The Wild.

Into The Wild: mulher morre ao tentar visitar ônibus do filme

STF derruba decreto de Ronaldo Caiado e libera a circulação de ônibus interestaduais em Goiás

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli liberou, nesta quinta-feira (23/04), a circulação de ônibus intermunicipais e interestaduais em Goiás com a justificativa de que o impedimento infringe o exercício do “direito de locomoção dos cidadãos usuários do serviço de transporte interestadual” e, além disso, pode acarretar consequências à prestação de serviço: “demissão em massa; o desmantelamento da
frota, e a completa falência das transportadoras”

A decisão do STF suspende, portanto, os efeitos do Decreto nº 9.638 de 20 de março de 2020 promulgado por Ronaldo Caiado, que proibia o “ingresso e circulação, no território do Estado de Goiás, de transporte interestadual de passageiros” como prática de prevenção quanto ao contágio por coronavírus.

Ao assinar o deferimento da liberação do transporte interestadual e intermunicipal, Toffoli também informou a suspensão do efeitos “da decisão proferida pela Presidência do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás que, nos autos da Suspensão de Liminar nº 5151039.35.2020.8.09.0000, deferiu pedido para sustar a execução de liminar concedida nos autos do Mandado de Segurança nº 5145041.85.20202.8.09.0000, em trâmite perante aquele E. Tribunal, restabelecendo, por conseguinte, os efeitos daquela decisão.”

Leia a medida cautelar na íntegra aqui.