OVG recebe doação de 1,4 mil brinquedos da Polícia Civil

A Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) recebeu 1,4 mil brinquedos arrecadados por agentes em formação na Escola Superior da Polícia Civil de Goiás. A doação faz parte de uma parceria solidária entre a OVG e a Polícia Civil (PC), que destinou peças como carrinhos, bonecas, panelinhas, pega varetas, lego, bolas de futebol e vôlei, entre outras à Organização. Além dos brinquedos, a corporação também arrecadou 3,5 mil pacotes de bolacha para as crianças.

 Responsável por ações sociais em todos os 246 municípios goianos, o Goiás Social, por meio da OVG, destinará as doações a entidades da capital e da região metropolitana. “Por meio dessa atuação do Goiás Social, conseguimos atender e levar alegria e dignidade a quem mais precisa, não importa a distância. Para nós, isso é o mais gratificante. Com essa doação da Polícia Civil, isso se amplia e chegamos ainda mais longe”, afirma a presidente de honra da OVG e coordenadora do Goiás Social, primeira-dama Gracinha Caiado.

Ao destacar a parceria com a Polícia Civil, que também contribui com as ações do Governo de Goiás, auxiliando as equipes na entrega de donativos, Gracinha Caiado fez questão de reforçar os agradecimentos à corporação. “Quando um grupo de pessoas decide se mobilizar para fazer o bem, é positivo em diversos aspectos, especialmente quando se traduz em fazer a alegria de famílias que precisam de uma atenção especial. Faço questão de agradecer a todos esses homens e mulheres que doaram brinquedos e bolachas, mas que também doam seu tempo nas diversas ações sociais que promovemos ao longo do ano.”

De acordo com a representante da PC, delegada Tatiane Cruvinel, contribuir com as iniciativas do Goiás Social é uma alegria para a corporação. “Hoje temos mais de mil candidatos a agentes da Polícia Civil e essa iniciativa de arrecadar e doar os brinquedos partiu deles. É uma alegria saber que nossas forças de segurança, desde o ingresso na corporação, têm essa preocupação social”, destacou.

ovg
Presentes serão destinados pelo Goiás Social a entidades que atendem crianças na grande Goiânia (foto: Aline Cabral)

Natal do Bem

No final do ano, a OVG promove o Natal do Bem, que distribui carrinhos, bonecas e bolas de futebol e de vôlei adquiridas pelo Governo do Estado. Na capital, o Centro Cultural Oscar Niemeyer se transforma no palco do segundo maior evento natalino do Brasil e o maior do Centro-Oeste. Em 2023, a expectativa é que um milhão de pessoas visitem o local, que tem entrada e estacionamento gratuitos.

O evento será realizado entre os dias 16 de novembro de 2023 e 6 de janeiro de 2024, de terça a sexta-feira, das 18h às 23h, e aos sábados, domingos e feriados, das 16h às 23h.

Fotos: Aline Cabral

 

Organização das Voluntárias de Goiás – Governo de Goiás

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Governo

Polícia Civil de Goiás abre inscrições em concurso público com salários a partir de R$ 6.353,13

Estão abertas, a partir desta segunda-feira (26/09), as inscrições para o concurso da Polícia Civil do Estado de Goiás para os cargos de Agente de Polícia de 3º Classe, Escrivão de Polícia de 3º Classe e Papiloscopista Policial de 3ª Classe. A remuneração inicial para os cargos é de R$ 6.353,13.

 

Os interessados devem se inscrever, até o dia 25 de outubro, no site do Instituto AOCP, banca organizadora do certame, no endereço eletrônico www.institutoaocp.org.br. A taxa de inscrição é de R$ 110.

 

O edital 006/2022 oferta 450 vagas para Agente de Polícia de 3º Classe, 310 oportunidades para Escrivão de Polícia de 3º Classe e 60 cargos de Papiloscopista Policial de 3ª Classe. A prova para o cargo de agente será no dia 11 de dezembro deste ano, para escrivão no dia 8 de janeiro de 2023 e para papiloscopista, em 15 de janeiro de 2023.

 

O certame será dividido em seis etapas, sendo provas objetiva e discursiva; teste de aptidão física; avaliação psicológica e de vida pregressa; e curso de formação. O edital na íntegra, com todas as informações sobre o concurso, pode ser acessado no site do Instituto AOCP e no portal da Escola de Governo.

 

Delegado de Polícia 

O edital 008/2022, que oferece 44 vagas para Delegado de Polícia Substituto, com remuneração inicial de R$23.811,22, também está com inscrições abertas até o dia 20 de outubro. A taxa de inscrição é de R$ 200.

 

Mais informações sobre o edital estão disponíveis no site da banca organizadora, no endereço eletrônico www.institutoaocp.org.br e no portal da Escola de Governo (www.escoladegoverno.go.gov.br).

Foto: Reprodução 

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Abertas inscrições do concurso para Delegado da Polícia Civil de Goiás com salários iniciais de R$ 23 mil

Estão abertas as inscrições do concurso público da Polícia Civil do Estado de Goiás para o preenchimento de 44 vagas para o cargo de Delegado de Polícia Substituto – edital 008/2022com remuneração inicial de R$ 23.811,22.

Os interessados devem se inscrever no site do Instituto AOCP, responsável pelo certame, no endereço eletrônico www.institutoaocp.org.br, até 20 de outubro. O valor da taxa de inscrição é de R$ 200.

O certame será dividido em sete etapas, iniciando pelas provas objetiva e discursiva, previstas para ocorrer no dia 4 de dezembro deste ano. Posteriormente, os candidatos aprovados passarão por teste de aptidão física; por avaliações psicológicas e de vida pregressa; etapa de avaliação de títulos e curso de formação.

Na próxima segunda-feira (26/09), também serão abertas as inscrições do edital 006/2022 da Polícia Civil, que oferece 450 vagas para Agente de Polícia de 3º Classe, 310 oportunidades para Escrivão de Polícia de 3º Classe e 60 cargos de Papiloscopista Policial da 3ª Classe. A remuneração inicial para esses cargos é de R$ 6.353,13 e as inscrições seguem até 25 de outubro.

Os dois editais estão disponíveis na íntegra no site do Instituto AOCP (www.institutoaocp.org.br) e no portal da Escola de Governo (www.escoladegoverno.go.gov.br).

 

Imagem: reprodução TV Anhanguera

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Goiás publica editais com 864 vagas para Polícia Civil e salários de até R$ 23 mil

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Administração (Sead), publicou no Diário Oficial do Estado de Goiás, nesta sexta-feira (26/08), os editais dos concursos públicos para provimento de 864 vagas para os cargos de Agente de Polícia de 3ª Classe, Escrivão de Polícia de 3ª Classe, Papiloscopista Policial de 3ª Classe e Delegado de Polícia Substituto da Delegacia Geral da Polícia Civil do Estado.

O edital 006/2022 oferta 450 vagas para Agente de Polícia de 3ª Classe, 310 oportunidades para Escrivão de Polícia de 3ª Classe e 60 cargos de Papiloscopista Policial da 3ª Classe. A remuneração inicial para esses cargos é de R$ 6.353,13. As inscrições poderão ser feitas de 26 de setembro a 25 de outubro, com taxa de R$ 110. A prova para o cargo de agente será no dia 11 de dezembro deste ano, para escrivão no dia 8 de janeiro de 2023 e para papiloscopista em 15 de janeiro de 2023.

Já no edital 008/2022, são oferecidas 44 vagas para Delegado de Polícia Substituto, com remuneração inicial de R$23.811,22. As inscrições para o cargo serão abertas em 20 de setembro e seguem até 20 de outubro, com taxa de R$ 200. A prova objetiva está prevista para ocorrer no dia 4 de dezembro deste ano.

As provas para todos os cargos serão divididas em seis etapas, iniciando com as provas objetiva e discursiva; posteriormente, os candidatos aprovados passarão por teste de aptidão física e pelas avaliações psicológica e de vida pregressa. A última fase é composta pelo curso de formação. Para a vaga de Delegado de Polícia Substituto, haverá ainda a etapa de avaliação de títulos.

Para mais informações, os interessados devem consultar os editais, que serão publicados na íntegra pelo site do Instituto AOCP, instituição responsável pelo certame, ou pelo portal da Escola de Governo.

Governador de Goiás quer instalar câmeras nas celas dos prisioneiros e não em fardas policiais

O governador Ronaldo Caiado (União Brasil) afirmou que não deve instalar câmeras nas fardas de policiais. Segundo ele, a prioridade é que o objeto seja colocado nas celas dos detentos do sistema prisional. “Estamos tentando ao máximo recursos para colocar câmeras nas celas. Sem dúvida, vamos avançar neste sentido”, disse.

A declaração de Caiado foi dada após questionamento sobre a possibilidade instalar o item nas fardas de policiais civis e militares, conforme proposto pelo deputado estadual Antônio Gomide (PT). “As pessoas estão vindo para Goiás copiar a segurança pública do Estado, que é bem avaliada por sete milhões de goianos”, disse o governador.

Segundo a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), Caiado determinou um estudo para melhoria dos sistemas de videomonitoramento dentro das unidades prisionais de Goiás. Atualmente, pátios, corredores e áreas externas dos presídios já são monitorados.

Na palma da mão
Acesse https://linktr.ee/curtamaisdf e fique por dentro do que há de melhor em conteúdo. O Curta Mais é a multiplataforma mais completa e confiável de cultura, gastronomia, entretenimento, política e negócios.

Foto: Divulgação / Governo de Goiás

 

Polícia cumpre 17 mandados de prisão por fraudes em fiscalizações do Inmetro em postos de combustíveis de Goiás

A Polícia Federal e Polícia Civil deflagraram, nesta terça-feira (6), uma operação conjunta para combater crimes de corrupção no Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) de Goiás. De acordo com a PF, são cumpridos 17 mandados de prisão em Goiânia e cinco cidades do estado. Entre os alvos estão fiscais do órgão e empresários. O superintendente Regional do Inmetro em Goiás, André Abrão, foi afastado das funções por suspeita de obstruir as investigações, conforme determinação da Justiça Federal. 

A Operação Fiel da Balança foi deflagrada nesta madrugada na capital, Inhumas, Caturaí, Pires do Rio, Caldas Novas, e Aparecida de Goiânia. Segundo a Polícia Federal, a investigação identificou fiscais do Inmetro recebendo propina de donos de postos para omitirem a adulteração na venda de gasolina e álcool em alguns estabelecimentos, que ofereciam quantidade do produto inferior à paga pelo consumidor.

Estão sendo cumpridos quatro mandados de prisões temporárias expedidos pela Justiça Federal, contra fiscais do instituto, além de 13 expedidos pela Justiça Estadual contra donos de postos, mecânicos de bombas de combustíveis.

Os presos na operação devem ser levados para a Superintendência da Polícia Federal em Goiás, no Setor Bela Vista, região sul de Goiânia.

A força-tarefa é um desdobramento da Operação Pesos e Medidas, que prendeu dez pessoas em outubro do ano passado, suspeitos de receber propina de empresários durante a fiscalização em postos de combustíveis no estado.

A assessoria do Inmetro ainda não se manifestou sobre o assunto.

Cantor Victor Chaves é indiciado por agredir a esposa

 

Victor da dupla com Léo foi indiciado suspeita de agredir sua esposa, Poliana Bagatini Chaves, que está grávida de 4 meses. A Polícia Civil de Minas Gerais fechou o inquérito nesta terça-feira (4) após a conclusão do laudo pericial das imagens das câmeras de segurança do prédio onde ocorreu a briga e pelo depoimento da vítima.

A pena prevista para esse tipo de contravenção é prisão simples, de quinze dias a três meses, ou pagamento de multa.

Ao portal G1 Minas Gerais, a assessoria de imprensa de Victor informou que o cantor não vai se manifestar no momento e que uma coletiva será convocada pelo advogado dele em data e local ainda não definidos.

Relembre o caso

No dia 24 de fevereiro, Poliana fez uma queixa contra o marido e acusou de tê-la agredido. A esposa do cantor informou a polícia que foi jogada no chão e recebeu vários chutes.

(Foto: Isabella Pinheiro/ Reprodução Globo)

Polícia Civil de Goiás define banca organizadora do Concurso

A banca do Concurso Público da Polícia Civil de Goiás já está definida, assim como as possíveis datas para publicação dos documentos oficiais.

No total serão preenchidas mais de 3 mil vagas na Segurança Pública do Estado.

O anúncio foi feito pelo Secretário de Gestão e Planejamento do Governo, durante uma entrevista foi informado que o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) é a empresa contratada para realizar as provas da Polícia Civil.

O concurso visa preencher 280 vagas no cargo de Agente de Polícia Civil substituto, e 220 para Escrivão de Polícia Civil substituto. A data provável para a publicação do edital de abertura é 22 de julho de 2016, e as provas estão previstas para setembro de 2016.

Em breve devem ser divulgados os cronogramas para os concursos do Corpo de Bombeiros, Delegados da Polícia Civil, Oficiais para a Polícia Militar e Fiscais para a Superintendência de Defesa do Consumidor (Procon-GO).

A previsão é que o Concurso para Delegado da Polícia Civil tenha o edital oficial publicado em outubro de 2016, enquanto que o edital da PM deve sair em 19 de agosto de 2016.

 

Fonte: www.segplan.go.gov.br

Perícia diz que não há indícios de violência no caso de ‘estupro coletivo’

O laudo da perícia sobre o caso do estupro coletivo ocorrido no Rio não apontou indícios de violência, informou o “Bom Dia Rio” nesta segunda-feira, 30. Segundo o telejornal, isso ocorreu por causa da demora da vítima, uma jovem de 16 anos, em acionar a polícia e fazer o exame. Além do corpo de delito, foi feita também uma perícia no vídeo divulgado nas redes sociais. O chefe de Polícia Civil, Fernando Veloso, falou sobre este último exame em entrevista ao “Fantástico”:

— Não há vestígios de sangue nenhum que se possa perceber pelas imagens que foram registradas. Eles (os peritos) já estão antecipando, alinhando algumas conclusões quanto ao emprego de violência, quanto à coleta de espermatozoides, quanto às práticas sexuais que possam ter sido praticadas com ela ou não. Então, o laudo vai trazer algumas respostas que, de certa forma, vão contrariar o senso comum que vem sendo formado por pessoas que sequer assistiram ao vídeo.

Troca de delegado

A delegada Cristiana Bento, titular da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV), assumiu, no domingo, 29, a coordenação das investigações sobre o estupro coletivo sofrido pela adolescente de 16 anos, numa comunidade na Praça Seca, na Zona Oeste do Rio. A medida visa, segundo a Polícia Civil, a “evidenciar o caráter protetivo à menor vítima na condução da investigação, bem como afastar futuros questionamentos de parcialidade no trabalho”.

Ainda no domingo, a família da jovem dispensou a advogada Eloisa Samy Santiago. Na madrugada do domingo, 29, a então advogada havia pedido à Justiça o afastamento do delegado Alessandro Thiers, titular da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), que investigava o caso, alegando que ele estava criminalizando a vítima. Segundo Eloisa, ele chegou a perguntar à menor, durante seu depoimento, se ela tinha o hábito de praticar sexo em grupo. A juíza de plantão, porém, alegou não ter tomado uma decisão imediata em relação a Thiers porque precisava, antes, ter acesso aos autos do inquérito, que já haviam sido requisitados pelo Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ).

 

 

Leia mais: 

+ Vítima do estupro coletivo no Rio presta depoimento e homens são presos

+ Vítima do estupro coletivo no Rio é novamente alvo de violência, agora o ataque é virtual

+ Anonymous anuncia caça aos responsáveis pelo estupro coletivo de adolescente no Rio

+ Atriz Emma Watson aderiu campanha contra a cultura do estupro pelo twitter: ‘Estupro não é culpa da vítima’

+ Após o pedido de advogada da vítima, Polícia Civil afasta delegado que disse não saber se houve estupro coletivo

Após o pedido de advogada da vítima, Polícia Civil afasta delegado que disse não saber se houve estupro coletivo

Depois de afirmar que não estava convencido de que realmente houve estupro coletivo no caso da menina de 16 anos estuprada por mais de 30 homens no Rio de Janeiro, o delegado Alessandro Thiers foi afastado do caso pela Polícia Civil. A advogada da vítima, Eloísa Samy, e o Ministério Público pediram o afastamento de Thiers alegando machismo e misoginia no tratamento da adolescente.

No final da tarde de domingo, a Polícia Civil do Rio anuncio que o caso ficará sob a responsabilidade da delegada Cristiana Bento, da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV). Em nota, a Polícia afirmou que a decisão “visa evidenciar o caráter protetivo à vítima na condução da investigação, bem como afastar futuros questionamentos de parcialidade no trabalho”.

Segundo o canal Globonews, Bento afirmou que a garota entrou no Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes ameaçados de Morte (PPCAM), executado pela Secretaria de Direitos Humanos do Estado do Rio de Janeiro. Ela já teria saído de casa e estaria em local não divulgado.

Em seu perfil de Facebook, Eloísa Samy afirmou que a família da adolescente dispensou seus serviços.

 

Leia mais: 

+ Vítima do estupro coletivo no Rio presta depoimento e homens são presos

+ Vítima do estupro coletivo no Rio é novamente alvo de violência, agora o ataque é virtual

+ Anonymous anuncia caça aos responsáveis pelo estupro coletivo de adolescente no Rio

+ Atriz Emma Watson aderiu campanha contra a cultura do estupro pelo twitter: ‘Estupro não é culpa da vítima’

Bilionário fundador do Pay Pal vira policial civil em Mato Grosso do Sul

Você deve estar se perguntando “ Mas será que a crise está tão grande assim”? Na verdade pode até estar, mas não o suficiente para fazer o Bilionário Elon Musk ir procurar emprego em Mato Grosso do Sul. Porém foi o que literalmente aconteceu quando uma agencia de publicidade contratada para criar um outdoor falando sobre a campanha de valorização da Polícia Civil resolveu usar a imagem do fundador de várias empresas de sucesso como o Pay Pal, Tesla Motors e SpaceX e ainda caracterizá-lo com o brasão da Polícia Civil estampado na camisa e com os seguintes dizeres. “ O policial civil exige respeito para continuar a garantir sua segurança”.

E a coisa tomou uma maior proporção ao ser veiculada na página do facebook do sindicato que após tomar ciência do ocorrido retirou o post do ar e publicou uma nota dizendo: “O Sinpol-MS vem a público esclarecer que, recentemente, contratou a Agência Oceano para produzir a campanha publicitária da instituição denominada “Valorize O Policial Civil”. A possível utilização indevida da imagem do Sr. Elon Musk, é de inteira responsabilidade da empresa contratada, sendo que o sindicato desconhece e não aprova o uso de imagem não autorizada.”

E aí você deve estar se perguntando: E a agência fez o quê?

Foi lá no perfil do facebook e publicou outra nota dizendo: “Erramos, assumimos e já retiramos do ar. Em campanha veiculada esta semana a utilização de uma imagem de personalidade pública foi utilizada indevidamente. Fica registrada nossa retratação.
Todos estão sujeitos a erros e o importante para nós é assumir e mudar! “

Alguns internautas resolveram usar as redes sociais para tentar alertar Elon quanto ao uso invedido de sua imagem mas marece que ele não tomou ciência do fato. Há quem diga que ele tem direito de processar a agência e até mesmo a Polícia Civil do Estado de Mato Grosso do Sul mas provavelmente ele não precisa disso, e deve apenas ter dado boas risadas do fato.

O que podemos aprender com isso é que simplesmente salvar uma foto e alterá-la da maneira que quisermos pode acabar gerando uma dor de cabeça muito maior do que se pode imaginar.

Veja a imagem real utilizada pela agência para criar o outdoor.

Elon