Goiano corre ultramaratona de 235 km passando por 8 cidades diferentes

O professor de direito da Universidade Estadual de Goiás (UEG) e advogado, Laércio Martins, alcançou uma façanha extraordinária ao correr por 56 horas e 56 minutos na Ultramaratona dos Anjos Internacional. O desafio, que ocorreu entre os dias 17 e 19 de novembro, levou-o a percorrer 235 km por 8 cidades do sul de Minas Gerais, em um testemunho notável de superação e força física.

Professor Laércio no final da ultramaratona de 235 km em 56 horas — Foto: Laércio Martins/Arquivo Pessoal

Laércio no final da ultramaratona. Foto: Laércio Martins/Arquivo Pessoal

A modalidade escolhida por Laércio foi a “survivor” (sobrevivente, em português), na qual o atleta corre sem nenhum apoio, contando apenas consigo mesmo e com a organização do evento. Durante o percurso desafiador, ele teve que prover sua própria alimentação e hidratação, levando consigo todo o equipamento obrigatório.

“Eu espero poder despertar nas pessoas esse desejo de participar de ultramaratonas, é um exercício de autoconhecimento, de disciplina e perseverança, e eu espero mesmo poder despertar isso nas pessoas”, compartilhou Laércio em entrevista ao G1 Goiás.

Esta não foi a primeira ultramaratona enfrentada por Laércio Martins. Em janeiro deste ano, ele participou da BR135 Ultramarathon, considerada a prova mais desafiadora do Brasil.

Professor Laércio na Br135 Ultramarathon — Foto: Arquivo Pessoal

Professor Laércio na Br135 Ultramarathon — Foto: Arquivo Pessoal

Durante a Ultramaratona dos Anjos Internacional, o atleta enfrentou condições adversas, incluindo temperaturas que atingiram os 40ºC. A modalidade “survivor” impõe desafios adicionais, pois o participante precisa contar apenas consigo mesmo para superar os obstáculos do percurso.

A água que Laércio levava na mochila ficava constantemente exposta ao sol escaldante, alcançando temperaturas elevadas. Apesar das condições extremas, o advogado perseverou, enfrentando cada desafio com determinação.

 

Treino e Preparo

Sua preparação para a prova envolveu treinos regulares, cobrindo aproximadamente 100 a 120 km semanalmente. No último mês que antecedeu a ultramaratona, Laércio percorreu impressionantes 500 km como parte de sua rotina de treinamento.

Quando questionado se chegou a ponderar sobre a possibilidade de desistir, Laércio foi enfático: “Desistir nunca foi uma opção. Já me perguntaram outras vezes, mas você não vai em uma prova dessas para desistir, teve muito treinamento e muita dedicação para estar ali.”

O professor e advogado já mira suas próximas aventuras, com preparativos intensos para a desafiadora BR135 Ultramarathon. Com um percurso de 230 km e um desnível acumulado próximo dos 10 mil metros, essa prova é considerada a mais difícil do país, colocando Laércio à prova em estradas de chão sob o calor escaldante do verão na região Sudeste do Brasil.

*Com informações do G1 Goiás

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Foto de Capa: Reprodução/ G1 Goiás

Espetáculo Prazer, Karnal – O Show chega a Goiânia

Historiador e professor, Leandro Karnal compartilha com a plateia sua trajetória desde a infância, passando pelas derrotas no meio do caminho, até a fama nacional durante a apresentação ‘’Prazer, Karnal  – O Show’’. Espetáculo que chega no palco do Teatro Rio Vermelho, em Goiânia, no dia 31 de Maio.

Os ingressos para o espetáculo marcado para às 20 horas, ainda estão à venda pelo site Sympla com valores a partir de R$ 70,00.

Sobre o show

Sucesso de crítica e de público e estimulando novos pensamentos, o espetáculo mostra como filósofos, pensadores, sacerdotes e outros professores o ajudaram em seu caminho. Além de muito humor, Karnal também compartilha reflexões inspiradas em grandes pensadores do passado e do presente como: Aristóteles, Santo Agostinho, Albert Camus, Schopenhauer, Nietzsche, Bauman, Kant, dentre outros.

Com o mundo em constante mudança, Karnal busca estimular novos pensamentos e perguntas, propondo temas como: traçar um projeto de vida em meio à incerteza do futuro, como enfrentar a repetição da rotina, como lidar com a solidão e transformá-la em produtiva solitude, como trilhar uma vida feliz em meio a tantos dissabores e como controlar a vaidade e afastar o pecado da inveja.

Com sua sinceridade e acessibilidade já conhecidas, Karnal apresenta esses temas de forma criativa e envolvente, proporcionando uma experiência de aprendizado e reflexão ao público.

karnal

 

SERVIÇO:

Prazer Karnal – O Show – Goiânia

Quando: 31 de Maio

Onde: Teatro Rio Vermelho – Rua 4, nº 1400, Centro

Horário: 20 horas

Ingressos: Sympla

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Pela 1ª vez na história, Universidade Federal de Goiás empossa professor indígena

Na tarde da última quarta-feira (13/2), a natureza em torno do Núcleo Takinahakỹ, da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Goiás (FL/UFG), dava as boas-vindas aos presentes que aguardavam a cerimônia de posse do primeiro professor indígena da UFG, Gilson Ipaxi’awyga Tapirapé. Primeiro, sol e calor na composição da mesa diretiva: além de Gilson, estavam a reitora Angelita Pereira de Lima; o vice-reitor Jesiel Carvalho; o pró-reitor de Gestão de Pessoas, Sauli dos Santos Júnior; a secretária de Inclusão da UFG, Luciana de Oliveira Dias; e o representante do Conselho do Núcleo Takinahakỹ, Makatu Kayabi.

Em seguida, trovões compunham a música de fundo durante a leitura do Termo de Posse, realizada pela diretora da Administração de Pessoas, Wilma Maria Gonçalves dos Santos. A ventania trouxe frescor para a cerimônia e contribuiu para o clima de festa, enquanto a reitora Angelita e Gilson assinavam o Termo de Posse que, a partir daquele momento, passava a valer como uma Portaria de Nomeação para que ele venha a exercer o cargo efetivo de professor da carreira de Magistério Superior, em regime de dedicação exclusiva, com lotação na FL.

 

Veja também:

Conheça os povos indígenas de Goiás

 

indio

A coordenadora do Núcleo Takinahakỹ, Aline da Cruz, explicou que a vaga ocupada pelo empossado nasceu de um edital de inovação em que trabalharam juntos os professores e as respectivas unidades acadêmicas: Jamesson Buarque de Souza (FL), João Medrado (Instituto de Matemática e Estatística – IME), Eugênio de Carvalho (Faculdade de História – FH), Izabela Tamaso (Faculdade de Ciências Sociais – FCS) e o professor Anderson de Paula (Faculdade de Filosofia – Fafil). “É uma grande alegria para nós do Núcleo Takinahakỹ termos o primeiro professor indígena da UFG”, celebrou Aline. 

A secretária de Inclusão, Luciana Dias, falou da satisfação de receber o novo professor na UFG: “Essa já é a sua casa, Gilson, que conhece profundamente a Universidade na condição de aluno e também de professor. Seja muito bem-vindo a essa casa que você olha agora a partir de um outro lugar, confiamos na missão grandiosa que você deve cumprir aqui”.

“Esse é um momento de agradecimento, alegria e emoção”, pontuou o agora professor da UFG, Gilson Ipaxi’awyga Tapirapé, com a voz embargada daqueles que tentam falar em meio às lágrimas. Ele contou da luta durante os estudos, principalmente no mestrado, época em que perdeu a mãe, a irmã e o avô. Como a conquista seria ainda maior na companhia dos familiares, o Sindicato da Associação dos Docentes das Universidades Federais de Goiás (Adufg) ajudou a trazer a esposa, o pai e os filhos do professor para a cerimônia.

indio

Entre outras pessoas e instituições, Gilson agradeceu ao seu povo Apyãwa e ao corpo docente do Núcleo Takinahakỹ , em especial, à professora Mônica Veloso Borges, sua orientadora desde 2007. “A alegria de estar discutindo hoje Territorialidade e Ancestralidade começa a partir do curso de Educação Intercultural. Quando se fala em território e ancestralidade, estamos falando sobre vitalidade cultural e vitalidade linguística. O Núcleo tem sido espaço de construção de nova perspectiva metodológica para visibilizar as culturas e línguas indígenas”, explicou o professor, enquanto a chuva finalmente caía como que detalhe artístico da cerimônia.

Segundo a reitora Angelita, a praxe do dia de posse é um ato administrativo, em sala, apenas com a chefia imediata. “Mas a UFG jamais poderia deixar de dar a esse momento a visibilidade e importância merecidas. Nós queremos que este lugar, em que você certamente passará muito tempo da sua vida, seja de muita realização. A sua posse, professor Gilson, está muito prestigiada por quem conduz a gestão da UFG e a sua presença nos faz e fará enxergar melhor essa Universidade. Quero te agradecer por vir engajar conosco nesse projeto de Universidade Federal de Goiás, na sua universalidade, na sua diversidade e nos seus desafios”, ressaltou.

O professor Gilson é mestre em Letras e Linguística, na área de Estudos Linguísticos pela UFG (2020). Possui graduação em Educação Intercultural – Ciências da Linguagem (2011) e especialização em Educação Intercultural e Transdisciplinar: Gestão Pedagógica, também pela Universidade Federal de Goiás – UFG (2015). É professor da Escola Indígena Estadual Tapi’itãwa, onde exerceu a função de diretor em 2016 e 2017. Também é pesquisador na Ação Saberes Indígenas na Escola (Rede UFG/UFT/UFMA).

indio

 

*Fonte: UFG / Luciana Santal

Imagens: Carlos Siqueira

 

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Professor brasileiro da rede pública vence prêmio internacional e se classifica como um dos melhores do mundo

No último dia 24 de Outubro, aconteceu o Global Teacher Prize 2021, premiação internacional que recebeu mais de 200 mil inscrições de 110 países. O evento, que acontece na Índia, existe há uma década com o objetivo de reconhecer mestres que, com iniciativas fora da sala de aula formal, tenham contribuído para o desenvolvimento de alunos e da comunidade. Na ocasião, o professor brasileiro da rede pública, Paulo Magalhães, foi premiado e entrou para o seleto grupo de melhores professores do mundo.

O professor foi reconhecido pelo projeto ”Aula Pública”, que realiza na Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Duque de Caxias, no bairro da Liberdade, região central de São Paulo. Ele leva as turmas para conhecerem as ruas e a história do local: ”O maior prêmio é ver a transformação que consegui fazer na região que trabalho, extremamente vulnerável, onde existem cortiços e ocupações irregulares. A violência era muito intensa na escola”, disse Paulo em entrevista para o Portal Metrópoles.

O projeto ”Aula Pública” foi criado em 2010 e foi uma forma que Paulo encontrou de diminuir o abandono escolar, que era muito comum entre os jovens que ensinava. Além de levar os alunos para fora da escola, Paulo ainda trouxe mais livros para dentro da sala de aula. Ele comprava os exemplares com o próprio dinheiro. A cada 15 dias, eram cinco novas obras distribuídas para que os estudantes lesse e trocassem entre os colegas. Agora, ele consegue mais livros a partir de doações de moradores e outros projetos sociais. 

Em dois cargos na Emef, o professor ministra aulas de Geografia pela manhã, e de orientador de informática educativa na parte da tarde e noite. ”Eu dou aula para a escola toda, do primeiro ano do fundamental até a educação de jovens adultos”, contou. Licenciado em Geografia pela Universidade Católica de Santos, Paulo também se formou em Ciências Sociais, na área de Ciências Políticas pela Unesp, é especialista em Globalização e Economia, também pela Unesp, mestre em Arquitetura e Urbanismo, pela PUC Campinas, e pedagogo habilitado em Administração e Supervisão Escolar.

 

*Com informações Portal Metrópoles

Imagem: Divulgação

Veja também:

Professor de Goiás é único brasileiro entre finalistas do ”Nobel da Educação”

Professor de Goiás é único brasileiro entre finalistas do “Nobel da Educação”

O goiano Greiton Toledo de Azevedo é o único representante do Brasil no prêmio internacional de educação Global Teacher Prize de 2021, uma premiação considerada como o ‘’Nobel da Educação’’. Greiton é professor no Instituto Federal Goiano (IF Goiano), em Ipameri, no sudeste de Goiás, e ensina matemática estimulando seus alunos a pensarem como cientistas e a criarem jogos e atividades que ajudem no tratamento dos sintomas do Parkinson.

Em entrevista para o G1 Goiás, Greiton conta que sempre estudou em escolas públicas e desde os 13 anos é guiado pela paixão em transformar a realidade por meio da educação. No ano de 2016, ele foi um dos vencedores do prêmio Educador Nota 10.

Há 11 anos lecionando na educação, ele busca oferecer mais do que aulas para os estudantes, por isso criou o ‘’Mattics’’, um projeto em que os estudantes criam jogos e atividades, de maneira sustentável e que ajudam no tratamento de pessoas com Parkinson. “Eles criam soluções para problemas reais da sociedade por meio da matemática e da robótica. Isso os encoraja a ver e interpretar situações reais em que ela se aplica e começam a ver sentido e desenvolvem gosto pela matemática”, explicou o professor.

mattics

O Global Teacher Prize está em sua oitava edição e é considerado o “Nobel da Educação” por ser o de maior reconhecimento da área. O evento premia o melhor professor entre os indicados, avaliando qual deles teve uma atuação excepcional e que deixará uma contribuição única à profissão. Além do título, o vencedor ainda ganha a quantia de 1 milhão de dólares.

 

 

 

Imagens: Arquivo Pessoal 

Veja também: 

Educação pública em Goiás recebeu investimentos que somam R$ 1,35 bilhão

Ronaldo Caiado anuncia reajuste no salário dos professores de Goiás

Artista visual promove oficina gratuita de História em Quadrinhos em Goiânia

Neste sábado, 11 de setembro, o artista visual, grafiteiro e professor de Artes na Escola do Futuro em Artes Basileu França, Múcio Nunes, promove a oficina gratuita de Histórias em Quadrinhos, que será realizada no Lowbrow Lab Arte & Boteco, no Setor Sul, em Goiânia, mas será transmitida online via plataforma Zoom.

 

A atividade abordará noções básicas para o desenvolvimento das histórias, como características narrativas e técnicas de desenho, e terá como foco o público infantojuvenil de até 12 anos – embora seja aberta para pessoas de todas as idades – visa abordar a fantasia do universo infantil. Para participar é necessário fazer uma inscrição antecipadamente, disponível neste link.

 

Este será o segundo módulo da atividade, que teve início no último sábado (04/09), sobre o surgimento dos HQs, e não é pré-requisito para participar desta oficina. 

 

Segundo Múcio, agora os participantes colocarão em prática a narrativa lúdica, criando personagens, utilizando os diversos tipos de balões para sinalizar suas falas.  A oficina de Histórias em Quadrinhos também abordará enquadramento e uso de perspectiva. Ao final das instruções, o objetivo é selecionar croquis e propor aos alunos a apresentação dos resultados em forma de quadrinhos. 

 

Essa iniciativa foi aprovada pelo Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás e propõe a dinamização de espaços culturais com programação gratuita.

 

Serviço

Oficina Gratuita de Histórias em Quadrinhos

Quando: 11/09 (sábado)

Horário: 10h

Local: via Zoom (aula ministrada no Lowbrow Lab Arte & Boteco)

 

 

Imagem: Getty Images / iStock

 

UFG disponibiliza novas vagas para docentes com salário de R$4,4 mil

Começa hoje as inscrições do novo Processo Seletivo Simplificado de nível superior da Universidade Federal de Goiás (UFG). Os interessados têm até o dia 14 de setembro, às 14h, para se inscrever. O cadastro ocorre no site do Sistema de Concursos, mediante pagamento da taxa de participação no valor de R$50,00.

O processo seletivo tem como objetivo à contratação de professores substitutos na classe de assistente, por tempo determinado, para atuação na unidade Regional Goiânia.

Serão duas vagas disponibilizadas entre os docentes nas áreas de farmacotécnica, cosmetologia (1) e economia (1). Depois de admitidos, os profissionais deverão desempenhar atividades na Faculdade de Farmácia (FF) e na Unidade Acadêmica Especial de Ciências Sociais Aplicadas.

Com 40 horas de trabalho semanal que devem ser distribuídas no período diurno e noturno, o salário será de  R$4.431,43.

Os pedidos de isenção da taxa poderão ser solicitados em dois dias corridos a partir do início das inscrições.

Morre Orlando Drummond, o seu Peru, aos 101 anos

O ator e dublador Orlando Drummont, muito conhecido pelo personagem Seu Peru, da Escolinha do Professor Raimundo, e por dublar o famoso cão Scooby Doo, morreu na tarde desta terça-feira, 27. Ele estava internado em estado grave em maio por conta de uma infecção urinária, mas a causa da morte ainda não foi divulgada.  

 

 

Drummond deixa dois filhos, cinco netos e três bisnetos.

 

Além de seu papel como Seu Peru, personagem da Escolinha do Professor Raimundo, Orlando Drummond dublou personagens infantis como Scooby Doo, Popeye e Alf, o ETeimoso, da famosa série das décadas de 80 e 90. 

 

Em 2019, quando celebrou 100 anos de idade, Drummond afirmou que se tratava de uma “verdadeira dádiva de Deus” e garantiu que vivia uma “vida de alegrias ao lado da família”.

Confira participação emocionante dele na Escolinha do Professor Raimundo há dois anos. 

 

Professor da UFG expõe obras em ruínas na cidade; veja

Por trás dos escombros de uma cidade, há uma história a ser contada, que quase sempre se perde, assim que desaparecem os restos do que um dia foi uma construção. Com o olhar sensível aos prédios demolidos na cidade, o professor da Faculdade de Artes Visuais (FAV) da Universidade Federal de Goiás (UFG), Glayson Arcanjo de Sampaio, elaborou a exposição “Des-arquivos”.

A mostra pode ser apreciada até o dia 31 de julho de forma online pelo Museu Universitário de Arte da Universidade Federal de Uberlândia (MUnA/UFU). A exibição das obras permite ao espectador um passeio pelas ruínas por meio dos desenhos, vídeos e fotografias realizados pelo artista no interior das casas e nas edificações.

cias

De forma intencional, elas geram a reflexão sobre as relações fluidas do mundo contemporâneo, sobre a dinâmica das grandes cidades e a relação entre o tempo, o espaço e a matéria.

Também levantam o debate sobre “as especulações e os mercados imobiliários, o número excessivo de imóveis vazios nos centros das cidades e, contraditoriamente, a falta de moradia para as pessoas”, afirma o artista.

A exposição é resultado dos processos criativos e trabalhos artísticos do professor Glayson Arcanjo realizados ao longo de 10 anos, entre 2007 e 2017, nas cidades de Belo Horizonte, Uberlândia, Prata (MG), Goiânia (GO), Campinas e São Paulo (SP), e que também foram base para a sua pesquisa de doutorado “Em demolição: notas sobre desenho, processo e lugar”, realizada no Instituto de Arte da Unicamp.

cacos

“As investigações foram motivadas pela necessidade de melhor compreender as questões que envolvem as transformações das matérias e a passagem do tempo, e flertam com as condições específicas da ruína em um dado espaço em demolição”, afirma o professor. 

Os trabalhos, segundo Glayson, levaram ele a refletir, inclusive, sobre o próprio trabalho do artista, professor e pesquisador imerso em seu processo de criação em arte. 

casa

A proposta de expôr as intervenções artísticas de Glayson Arcanjo foi pensada inicialmente para o formato presencial. Além do MUnA, a exposição foi selecionada para ser exibida também no Centro Cultural da UFG e no Centro Cultural da UFMG.

“Todas seriam realizadas em 2020, mas foram adiadas por conta da necessidade do distanciamento social e fechamento dos espaços públicos com a pandemia”, conta o artista.

Com a proposta da exibição virtual, o artista repensou a abordagem e se deparou com a ideia de “abrir os arquivos”, como imagens, textos, fotografias, desenhos, objetos coletados nas demolições. 

ciaxa

Nesse sentido, a exposição foi concebida para o espaço virtual em diálogo com a artista e pesquisadora, Paula Almozara, que assina o texto de apresentação da exposição, e com o artista e professor da UFU, Douglas de Paula, responsável pela diagramação e design da experiência virtual.

De acordo com Glayson, foi criado um ambiente que possibilitou, inclusive, a exibição de trabalhos preparatórios que fizeram parte da pesquisa de campo e do trabalho em ateliê, como desenhos e notas produzidas em cadernos de desenho, livros de artista e diários visuais. 

“Também selecionei algumas imagens de trabalhos que nunca havia mostrado ou, em alguns casos, que foram adaptados ao formato do ambiente virtual”.

pilha

 

Fonte: Jornal UFG

Imagens: Reproduzidas do acervo

Campeão de judô faz relato emocionante após vencer a Covid-19: ‘milagre’

O professor e campeão de judô, João Henrique de Melo Santos, recebeu alta na última semana, após 64 dias internado, 54 deles na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Jardim América, em Goiânia. A própria equipe do hospital reconhece que foi o caso mais desafiador desde o início da pandemia.

João conta que passou por uma traqueostomia, enfrentou infecções hospitalares, sessões de hemodiálises e chegou a sobreviver a uma parada cardíaca que, segundo ele, durou 14 minutos. Nas redes sociais, o judoca fez um relato emocionante de como a luta entre a vida e a morte começou quando passou a sentir uma coriza no nariz e muita dor de cabeça. Atleta de alta performance e sem nenhuma comorbidade, ele resolveu fazer o teste para Covid-19 e o resultado foi positivo. “Na realidade não tive medo. Pensei que passaria pela doença numa boa, devido ao meu histórico de atleta e por não ter nenhuma comorbidade”, escreve.

Durante sua internação, amigos fizeram uma grande corrente e muitos forma até o hospital recepcioná-lo assim que recebeu alta. João está em casa se recuperando e já iniciou o processo de reabilitação. “Deus operou o milagre em minha vida e mudou todo o meu quadro clínico extraordinariamente.”

Leia na íntegra o relato compartilhado por ele nas redes sociais:

“Na manhã de domingo do dia 16 de agosto de 2020 comecei a sentir uma coriza no nariz e muita dor de cabeça. Resolvi fazer o teste  do Covid-19.Resultado positivo. Na realidade não tive medo. Pensei que passaria pela doença numa boa, devido ao meu histórico de atleta e por não ter nenhuma comorbidade. Os primeiros dias tinha muita dor de cabeça, dor nas costas e bastante fraqueza. Fui ao médico 2 vezes e me mandavam para casa porque segundo os médicos estava tudo dentro da normalidade. Após 6 dias tive uma pequena falta de ar e resolvi retornar ao médico para uma consulta, onde imaginei ser uma consulta rápida e que voltaria para casa. Mas não! Fui surpreendido por uma internação pq minha saturação estava um pouco baixa. Comuniquei minha família e fiquei bastante ansioso pq até o momento estava cuidando da minha irmã que tbm estava com covid.  Estávamos juntos na casa dela e ela não estava bem. Segui internado por 5 dias no hospital em apartamento. Minha ansiedade foi só aumentando. Me veio um turbilhão de sentimentos. Agonia de saber que minha irmã estava em casa sozinha com covid. Pensava o tempo todo em meus filhos, meu trabalho… Medo de assustar demais meus pais e minha outra irmã tbm. No 5° dia de internação  o hospital em uma sexta-feira solicitou para minha família um acompanhante para mim no quarto devido o grau da minha ansiedade. A minha irmã Joyce foi ficar comigo. Ela seria a melhor companhia pelo fato de já estar com covid e não expor outra pessoa da nossa família ao vírus e também por me sentir seguro ao lado dela. Ela ficou integralmente comigo lá. No segundo dia teve a ajuda do meu amigo de infância Renato que também foi muito importante seu suporte tanto físico quanto emocional nessa fase. No início me senti bem. Depois fui piorando. De sábado para domingo piorei muito é decidiram me levar para UTI. Meu Deus que medo. Sou um cara de muita fé. Mas,muita mesmo. Mas, neste momento só vinha meus filhos na mente. Virei para minha irmã e disse: ” Eu vou voltar não vou fia? “. Ela disse: “Claro que vai fi. Vc é o homem de maior fé que eu conheço. Vai com Deus. Te Amo. ” Eu disse que a amava tbm e assim nos despedimos…

Fui confiante pela força que ela e meu amigo Renato me deram. Mas, quando me levaram embora do quarto que eu estava já no corredor eu ouvi os choros deles. Puts, aquilo me deu um aperto. Enfim… Fui para UTI.  Fiquei 6 dias lá acordado,  consciente, usando a máscara de oxigênio. Porém, fui desenvolvendo um quadro de ansiedade muito intenso e preocupante lá dentro no que dificultou bastante meu tratamento. Cada minuto mais falta de ar. Uma agonia sem fim. Sensação de estar afogando no seco. Até que pedi para me entubar urgente. Assim procederam. Fui entubado. Desde aí não vi mais nada.  Aí começou minha luta pela sobrevivência. Eu submetia diariamente a exames de sangue, monitoramento dos rins e tratamento dos pulmões através de medicamentos e auxílio do ventilador mecânico. Permaneci na UTI por 54 dias, fui traqueostomizado, tive mais de 6 infeções hospitalares, fiz inúmeras sessões de hemodiálises, sobrevivi a uma parada cardíaca de 14 minutos. Meu acometimento pulmonar foi de 100% dos pulmões. Devido ao meu estado gravíssimo minha família e amigos levantaram campanhas de orações 24hs em prol da minha cura. Para a medicina eu era um caso clínico sem recurso. Mas, todos não viam meu caso com olhos da carne viam com os olhos de Deus e depositaram toda sua fé e confiança de que eu sairia daquela situação. Após a parada cardíaca aos poucos fui apresentando melhora dia pós dia até a minha alta. Deus operou o milagre em minha vida e mudou todo o meu quadro clínico extraordinariamente. As vezes pergunto a Deus pq eu o escolhido? Eu olho para mim hj e muitas vezes nem acredito que eu estou vivo. Só tenho gratidão Deus por me permitir continuar ainda cumprindo meu legado aqui na terra e a todos vocês pelas orações intensas. Gratidão também a toda a equipe médica do Hospital do Jardim América e extra hospital que  assumiu meu caso com tanta fibra e determinação que foi primordial para minha recuperação. Esse texto é um resume breve dos meus 64 dias de internação que com graças a Deus com um final feliz.

Enfim, em casa! Me reabilitando e vencendo novos desafios diários. O que sinto no meu coração hoje para dizer para vocês é: “Valorizem os pequenos da vida. Tudo na vida tem um propósito. A tempestade é uma fase onde aprendemos a confiar mais em Deus. Seus mistérios são perfeitos e agradáveis. Muito obrigado a todos que oraram por mim e deram apoio à toda minha família”.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por João Henrique Melo (@joaohenriqueedv)

Goiânia recebe dois dias de palestras e debates sobre Filosofia e Crítica da Cultura com entrada franca

Docente da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, o professor João Cezar de Castro Rocha virá a Goiânia nesta semana para dois dias de palestras sobre a Filosofia e Crítica da Cultura.

No dia 27/11 (quarta-feira), João Cezar falará sobre a vida e obra de José Guilherme Merquior e no dia 29/11 (sexta-feira) abordará a obra do filósofo Mário Ferreira dos Santos.

Estudiosos e especialistas nos dois autores, tão importantes no cenário da Cultura brasileira do século XX, terão assim a chance de ouvir e debater sobre temas relevantes da filosofia e da crítica atuais em nosso país.

Os eventos serão realizados na sede da UBE/Go e a entrada é franca, mediante prévia inscrição.

SERVIÇO

Palestras com o professor João Cezar de Castro Rocha

Onde: UBE/GO (rua 21 nº 262, Centro)

Quando: quarta e sexta-feira (27 e 29 de novembro de 2019)

Horário: 19h

Entrada franca

Informações e inscrições: 62 99857 5680 ou [email protected]

2f60fe1a65beeb3c57293c9c1194f409.png

Siga Curta Mais nas redes sociais:

Curta Mais no Facebook

Curta Mais no Instagram

Curta Mais no Twitter

Professor de educação física pula corda com aluno cadeirante no colo: Assista o vídeo!

Um vídeo que mostra o professor de educação física, João Hoffmann, pulando corda com um aluno cadeirante viralizou nas redes sociais. O registro foi feito na escola ‘Sítio I’ da rede pública de Taubaté (SP) durante a aula. Na quinta-feira (31) ele conta que os alunos estavam em um período livre para brincadeiras quando Heitor, de 7 anos, viu um grupo pulando corda e pediu para pular junto com eles. “Tio, queria muito pular corda. Você pode pular comigo?, disse o menino. Em resposta ao pedido, o professor João pegou o aluno no colo e pulou corda com ele.

A cena foi flagrada por outro professor e postada por João em uma rede social, mas ele explica que a repercussão tomou proporção maior do que o esperado.

“Tento sempre trabalhar de maneira que ele possa ser incluído, para a turma também não colocar limitações para ele. É uma criança com deficiência, mas queria que tivesse aquele momento. Foi um gesto simples, mas que eu sei que para ele fez diferença”, conta o educador em entrevista ao G1.

Em cinco dias a postagem na página do educador teve mais de 700 mil visualizações e 16 mil compartilhamentos. 

Assista o vídeo: 

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Curta Mais® (@guiacurtamais) em

UFG abre vagas em concurso com salários de até R$ 9.585,67

Estarão abertas até a próxima quarta-feira (2) as inscrições para o concurso público destinado ao preenchimento de 21 vagas no quadro de professores da Universidade Federal de Goiás (UFG). Os salários podem chegar a R$ 9.585,67.

As vagas são para as áreas de Cirurgia Geral, Enfermagem Clínica e Cirúrgica, Enfermagem na Saúde da Mulher, Ginecologia e Obstetrícia, Medicina de Família e Comunidade I, Medicina de Família e Comunidade II, Pediatria, Geografia Física e Geoprocessamento, Administração Geral, Literatura, Leitura e Ensino e Matemática Aplicada.

As inscrições devem ser feitas pela internet e a taxa de inscrição varia entre R$ 48 e R$ 192.

Mais informações no edital.

SEDUCE abre 900 vagas em concurso com salários até R$ 3.126,35 em Goiás

A Secretaria Estadual de Educação, Cultural e Esporte de Goiás (SEDUCE/GO) divulgou o edital que oficializa a abertura do concurso público que oferece 900 vagas para o cargo de Professor Nível III.

Ao todo, são 42 vagas para Professor de Biologia, 233 para Física, 417 para Matemática e 208 para Química, que serão distribuídas em 59 municípios do estado de Goiás. A remuneração inicial prevista é de R4 1.563,17 a R$ 3.126,35

O concurso não manterá cadastro de reserva.

As inscrições, válidas para candidatos com diploma de graduação em Licenciatura Plena nas áreas correspondentes, serão abertas no site do Instituto Qadrix no dia 27 de abril (sexta-feira), com encerramento previsto para o dia 06 de junho.

A data prevista para a prova objetiva é 24 de junho.

Saiba mais consultando o edital.

Secretaria de Gestão e Planejamento divulga edital com 900 vagas para professores de Goiás

Boa notícia para os professores que estão procurando emprego em Goiás! A Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan), por meio da Escola de Governo Henrique Santillo, divulgou ontem (5), um edital para concurso público visando preencher vagas para professores nível III, do quadro de pessoal da Secretaria da Educação, Cultura e Esporte (Seduce), em um total de 900 vagas espalhadas por 59 municípios do estado.
A carga horária de trabalho semanal varia entre 20 e 40 horas. Com 20 horas semanais, o salário é de R$ R$ 1.563,17, enquanto para as 40 horas semanais o pagamento chega a R$ 3.126,35.
As inscrições serão abertas dia 27 de abril, a partir das 8 da manhã e vão até o dia 6 de junho, às 23:59. O pagamento da inscrição no valor de R$ 70,00 deve ser efetuado até o dia 7 de junho.
O Instituto Quadrix, que é o responsável pelo concurso público, utilizará uma prova objetiva e avaliação de títulos para selecionar os candidatos.

Serviço

Edital | Clique aqui;
Inscrições | 27/04, 08:00h (início)/6 de junho, 23:59(término);
Taxa | R$ 70,00;
Pagamento da taxa | Até o dia 7 de junho.

Foto de capa: ilustração/Google/Notícias da Lapa.