Fique por dentro dos 12 reveladores sinais de que as pessoas não gostam de você

Você já teve aquela sensação incômoda de que as pessoas ao seu redor não vão muito com sua cara? Às vezes, esses sentimentos são facilmente identificados como paranoia ou insegurança emocional. No entanto, é crucial prestar atenção aos sinais de que as pessoas não gostam de você.

Mesmo que sejam sutis, eles podem indicar verdadeiras falhas nos relacionamentos interpessoais. O Guia Curta Mais selecionou 12 doze sinais reveladores de que as pessoas podem não gostar tanto de você quanto você imagina. Confira.

1. Evitam contato visual

Os olhos são as janelas da alma, e a falta de contato visual pode ser um indicador poderoso de desconexão emocional. Se as pessoas evitam olhar nos seus olhos durante as conversas, isso pode sugerir desinteresse ou desconforto em sua presença. Preste atenção a esse sinal, pois o contato visual é frequentemente um reflexo do nível de afinidade entre as pessoas.

2. Comentários sarcásticos constantes

Outro dos sinais de que as pessoas não gostam de você. O sarcasmo pode ser uma forma sutil de expressar desagrado ou desaprovação. Se você é frequentemente alvo de comentários sarcásticos na presença de amigos ou conhecidos, isso pode indicar uma falta de apreciação pelo seu papel no grupo social. Fique atento a essas observações, pois elas podem revelar sentimentos subjacentes de ressentimento ou antipatia.

3. Desinteresse durante conversas

Nada é mais desanimador do que sentir que suas palavras estão caindo em ouvidos surdos. Se as pessoas ao seu redor parecem constantemente distraídas ou desinteressadas durante suas conversas, isso pode ser um sinal claro de que não valorizam sua companhia. Observe sinais de falta de atenção, como mexer no telefone ou interrupções frequentes, pois esses comportamentos podem indicar uma falta de interesse genuíno na sua pessoa.

4. Não retornam suas ligações ou mensagens de texto

A comunicação é fundamental em qualquer relacionamento, e a falta de resposta às suas tentativas de contato pode ser um sinal preocupante. Se suas mensagens são consistentemente ignoradas ou suas ligações não são retornadas, isso pode indicar uma falta de interesse ou investimento emocional por parte da outra pessoa. Esteja atento a esse padrão de comportamento, pois pode revelar muito sobre o verdadeiro estado do relacionamento.

5. Conversas superficiais

Mais um dos sinais de que as pessoas não gostam de você é esse. Conversas profundas e significativas são a essência de conexões humanas genuínas. Se suas interações com certas pessoas parecem se limitar a tópicos superficiais e banais, isso pode indicar uma falta de interesse em realmente conhecê-lo melhor. Esteja atento a sinais de conversas vazias ou monossilábicas, pois esses padrões podem revelar uma falta de apreciação pelo seu verdadeiro eu.

6. Só te procuram quando precisam de você

Se você se encontra sendo procurado apenas quando as pessoas precisam de favores ou assistência, isso pode ser um sinal de que você é visto como um recurso conveniente, em vez de uma presença valorizada. Embora seja natural ajudar os outros, é importante reconhecer quando você está sendo usado de forma egoísta. Valorize-se o suficiente para exigir reciprocidade genuína nos relacionamentos.

7. Não te chamam pra nada

A exclusão social é uma forma óbvia de indicar que você não é uma prioridade na vida das pessoas ao seu redor. Se você constantemente se vê sendo deixado de fora de planos e convites, isso pode sugerir que você não é considerado uma parte vital do círculo social dos outros. Esteja atento a padrões de exclusão e busque conexões mais saudáveis e significativas.

8. Linguagem corporal reveladora

Mais um dos sinais de que as pessoas não gostam de você. Enquanto as palavras podem ser enganosas, a linguagem corporal muitas vezes revela a verdadeira natureza dos sentimentos de uma pessoa. Expressões faciais como franzir os lábios, cruzar os braços ou evitar contato visual podem indicar desconforto ou desinteresse em sua presença. Preste atenção a esses indícios não verbais, pois eles podem fornecer insights valiosos sobre a verdadeira dinâmica dos relacionamentos.

9. Falta de reflexão nas ações

A imitação inconsciente é uma forma poderosa de expressar afinidade e conexão emocional. Se você perceber que suas ações não estão sendo refletidas pelas pessoas ao seu redor, isso pode indicar uma falta de sintonia e empatia. Esteja atento a padrões de comportamento unilaterais e busque relações que sejam verdadeiramente recíprocas e enriquecedoras.

10. Impaciência evidente

Esse também é outro dos sinais de que as pessoas não gostam de você. O tempo é um recurso valioso, e a impaciência durante as interações sociais pode ser um indicador sutil de desinteresse. Se você notar que as pessoas ao seu redor estão constantemente verificando o relógio ou parecem ansiosas para encerrar a conversa, isso pode sugerir que prefeririam estar em outro lugar. Respeite seu próprio tempo e valorize interações que sejam genuinamente gratificantes.

11. Falta de envolvimento com seu círculo social

Quando alguém valoriza sua presença, é natural que queiram compartilhar isso com outras pessoas em suas vidas. Se você perceber uma falta de interesse por parte das pessoas ao seu redor em apresentá-lo a amigos e familiares, isso pode indicar uma relutância em integrá-lo completamente em seu círculo social. Busque conexões onde você seja verdadeiramente valorizado e celebrado.

12. Ausência de reconhecimento de suas conquistas

O último dos sinais de que as pessoas não gostam de você também é importante. Amigos verdadeiros estão presentes nos bons e nos maus momentos, celebrando suas conquistas e apoiando-o em seus desafios. Se você perceber uma falta de interesse ou entusiasmo em relação às suas realizações por parte das pessoas ao seu redor, isso pode indicar uma falta de genuíno apreço e apoio. Valorize-se o suficiente para buscar relacionamentos que sejam verdadeiramente enriquecedores.

 

Campanha do Burger King sobre LGBTQIA+ com crianças divide opiniões na internet

Essa semana a rede de fast food Burger King lançou a campanha “Como explicar?”, que traz um filme onde crianças explicam relacionamentos homoafetivos. O gancho é o mês de junho, tido como o mês do Orgulho LGBTQIA+ e vai na onda de diversas marcas que assumem posicionamento diante de temas polêmicos. O vídeo gerou muitas discussões na internet e a hashtag #burguerKinkLixo já está no topo dos trends no Twitter. 

Leia também:

Saiba quanto será o acerto de Faustão com a TV Globo
Brincadeiras e jogos para relembrar sua velha infância
Jovem brasileira que descobriu 4 asteroides quer dar o nome de Neymar a um deles

Youtuber confirma que viveu um romance com Luan Santana no Pantanal 

Carol Celico fala sobre separação de Kaká e diz que nunca recebeu pensão  

Marrone explica o motivo da dupla com Bruno não ter acabado 

Goiânia Vira referência em odontologia estética e atrai famosos em busca de um sorriso perfeito   

No release enviado à imprensa, há dois dias, a rede diz que assumiu o compromisso de dar voz à comunidade LGBTQIA+ usando da representatividade como ferramenta de conhecimento e discussão e propõe a ótica infantil para o assunto. O filme traz as crianças acompanhadas de adultos, aparentemente seus pais, e elas explicam o que são relacionamentos homoafetivos. 

“O lançamento dessa campanha tem como objetivo endereçar um ponto de reflexão à população em geral. O preconceito é uma construção social e, com toda a responsabilidade que nos cabe enquanto companhia, conseguimos mostrar que os pequenos carregam o discernimento a partir de um olhar muito sensível e humano”, diz Juliana Cury, Diretora da Marca Burger King do Brasil, no texto enviado. 

Junto com a campanha, o Burger King também lançou uma cartilha, em parceria com a ONG Mães Pela Diversidade, com dicas e instruções para as pessoas que desejarem conhecer mais e se aprofundar na temática.  Além de ter anunciado apoio financeiro à Instituição. 

No canal do Youtube da Rede, muitos comentários negativos também se contrapõem aos de apoio mostrando como o assunto ainda divide opiniões. 

f515b3a6b2b724e32d7da6254e66e589.jpeg82004b5951d749a89de82274cae7c698.jpeg5e3bab15f8c13a4aa0e7b6b825f6244e.jpeg

Bloqueada nas redes sociais do ex-namorado, mulher usa pix para mandar mensagens de desculpas

No dia dezesseis de novembro, o Banco Central lançou o Pix, nova modalidade de pagamento para transações bancárias instantâneas, a qualquer momento e em qualquer dia da semana. A novidade teve grande aderência dos consumidores destes serviços, mas tem gente inovando o uso dessa ferramenta. 

Uma publicação no Twitter, feita na primeira semana do ano, apresentou o caso de um rapaz que bloqueou a ex-namorada em todas as redes sociais ao descobrir que havia sido traído. Em um esforço de contatá-lo, a mulher começou a enviar várias transferências via Pix no valor de um centavo, cada uma contendo mensagens e pedidos de desculpas. 

O primo do rapaz foi às redes sociais compartilhando a história e pedindo ajuda dos internautas para saber se era possível bloquear uma pessoa no Pix. Confira:



 

É possível bloquear alguém no pix?

De acordo com o Banco Central (BC), o sistema de pagamentos instantâneos não possui uma opção para o bloqueio de pagadores específicos por parte dos usuários. “O que o usuário pode fazer é configurar o aplicativo da instituição na qual mantém a conta para não receber a notificação do pagamento. Mas o pagamento em si não é bloqueável de regra”, comentou o BC através de sua assessoria de imprensa para a Folha de S. Paulo. Além disso, o BC afirmou que não prevê adicionar a possibilidade de bloqueio por parte do usuário no novo sistema.

Atualmente, o Banco Central só prevê essa possibilidade de bloqueio em casos de suspeita de fraude. Mesmo nesses casos, apenas as instituições financeiras e de pagamentos participantes do novo sistema podem recorrer a essa opção. Fora o Pix, o BC também não permite que os usuários bloqueiem de pagadores específicos no caso de transferências feitas através de TED ou DOC.

 

Fonte: Folha de S. Paulo

 

Ronco é a terceira maior causa de divórcio, revela pesquisa

Você que reclama de alguém que ronca, muita calma nessa hora. O problema é mais comum do que muita gente pensa. Quase metade dos homens de meia idade roncam, e até um quarto das mulheres também.

O ronco aparece quando, durante o sono, suas vias aéreas ficam semiobstruídas, a língua “desce” em direção à garganta, a boca abre e gera as vibrações – que incomodam todo mundo, menos o próprio roncador.

Problemas de saúde à parte, o fato é que roncar pode acabar até mesmo separar acabar com muitos relacionamentos.

Sim, atrás apenas da infidelidade e dos problemas financeiros, o ronco é a terceira maior causa de divórcios no Brasil e no mundo.

Leia também: Respirador minúsculo cura o ronco e ajuda pessoas com apnéia

Rosalind Cartwright, do Centro Médico Rush, em Chicago, pesquisa a relação entre casamento e apneia do sono. Com um dos casais que estudou, um exame de eficiência do sono revelou que o resultado da esposa que dormia com o marido roncador era de apenas 73%, sendo que o normal é acima de 85%. Seu sono era interrompido mais de trinta vezes pelos roncos; cada roncão mais alto resultava no acordar e significava 4 minutos de sono interrompido. Matematicamente: 2 horas insones por noite. Isso quer dizer que, de 8 horas que ela passava na cama, dormia de fato menos de 6 horas.

Além disso, o ronco tende a trazer um sério problema de comunicação: a “vítima” do roncador não consegue explicar o impacto do problema para si, porque a experiência de quem ronca é muito mais branda – e isso pode ser extremamente frustrante.

Diante deste problema, muitos casais optam por dormir em quartos separados. Na literatura, é comum encontrarmos este fato chamado de “divórcio do sono”, acompanhado do alerta de que costuma se tratar de uma perda progressiva da intimidade do casal, do ponto de vista sexual mas não somente: o momento antes de dormir é geralmente usado para fazer planos, tomar decisões e resolver problemas.

Ainda assim, uma pesquisa da Associação Brasileira do Sono revelou que, aproximadamente, só 10% dos roncadores busca tratamento

‘Acabou!’ Conheça a empresa que termina seu relacionamento por você

Chega de lágrimas, constrangimento e quem sabe até recaídas. A Breakup Shop, empresa do Canadá, está chegando ao mercado para acabar com os relacionamentos por você ao custo de R$ 113. Confira os serviços:

– Por US$ 10 (cerca de R$ 38), a companhia envia uma mensagem de texto padrão com o “anúncio”.

– Quem prefere algo menos impessoal, pode investir mais um pouco e, por US$ 29 (R$ 110), pagar uma ligação de um minuto.

– Para terminar por carta padrão o valor é de US$ 20 (cerca de R$ 76), já uma carta personalizada o valor sobe para US$ 30 (R$ 113,50).

Caso queira fazer o serviço completo, pode também enviar itens como vinho, biscoitos e filmes, para ajudar a ex-pessoa amada a afogar as mágoas. “As pessoas já pagam por serviços como o Tinder para entrar em relacionamentos, por que não pagar para sair de um?”, disse a cofundadora Mackenzie ao site Motherboard. Ela fundou o projeto com seu irmão, Evan. Os sobrenomes foram mantidos em segredo a pedido dos empreendedores. Por enquanto, o serviço está disponível apenas em inglês — independentemente do país do cliente.

 

Com informações da Época Negócios.

Dia dos Namorados: dê match no Tinder e ganhe R$ 25 de desconto no Uber

Solteiro, sem dinheiro e a fim de um encontro neste fim de semana? Então se ligue nessa promoção: neste fim de semana os aplicativos Uber e Tinder se uniram para criar uma campanha em homenagem ao Dia dos Namorados. Serão oferecidos códigos promocionais de R$25 de desconto em viagens da Uber caso o usuário curta o perfil da empresa no Tinder.

A ação é válida a partir das 19h no sábado, 11 de junho, até às 5h de domingo, 12. A promoção será realizada em diferentes cidades do Brasil e Goiânia é uma delas. Também participam as cidades de: São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, Porto Alegre, Curitiba, Brasília, Salvador, Recife, Belo Horizonte, Campina.

Assim que o match for realizado, você poderá resgatar o código. Para conseguir o desconto, basta acessar o aplicativo da Uber, inserir a sequência no momento do cadastro (caso seja um novo usuário) ou na seção de promoções do aplicativo (caso seja um usuário antigo).

O número de corridas é limitado. Os usuários só poderão resgatar o código uma única vez e podem utilizá-lo somente na cidade onde foi efetuado. Se a viagem tiver um valor maior do que R$25, a diferença será debitada no cartão cadastrado no aplicativo.

 

Com informações do site Catraca Livre. 

Mulher larga emprego para amamentar o namorado fisiculturista

Jennifer e o namorado, Brad Leeson | (Reprodução/Facebook)

A atitude parece inusitada, mas uma mulher decidiu largar o emprego para amamentar o namorado, um fisiculturista de 36 anos, a cada duas horas. Segundo Jennifer Mulford, a amamentação do adulto cria um “laço mágico” entre eles. “No momento em que eu sabia que era o meu companheiro para a vida, eu e ele queríamos a mesma coisa para o relacionamento: um laço mágico que apenas a amamentação poderia alcançar”, explicou Jennifer ao “Sun”.

Jennifer amamenta Brad Leeson a seco a fim de forçar o seu corpo a produzir leite. “Eu dei um tempo no meu trabalho porque quis me dedicar a esse trabalho (amamentar)”, afirmou ela. Brad, por sua vez, espera obter melhor condição física com a amamentação frequente.

Amamentação de Brad

Amamentação de Brad | Reprodução/Facebook(Jennifer Mulford)

O casal de Atlanta (EUA) não está sozinho nessa atividade. Existe um movimento chamado “Adult Breastfeeding Relationship”, nos quais adultos aprofundam a sua relação adotando a amamentação. Algumas mulheres usam medicamentos que induzem o fluxo de leite materno.

Após repercussão na internet, Jennifer fez um post no facebook afirmando que tem consciência da atitude, mas pedindo por respeito a sua privacidade em seu perfil.

 

 

Fonte: Blog do Globo 

Nova ação da Heineken, feita no Brasil, dá uma lição aos homens; veja o vídeo

Esqueça tudo que você já viu nos comerciais de cerveja. A Heineken, patrocinadora oficial da UEFA Champions League, acabou de criar uma de suas grandes ações dos últimos tempos. E o melhor: feita no Brasil. A campanha criada pela Publicis parece se tratar de apenas mais uma ativação como as outras: criativa, mas com a mesma linguagem e padrões do segmento de cerveja.

O que ninguém espera, é que, no final, há uma reviravolta que derruba os estereótipos deste mercado. No filme, três homens acompanhados de suas namoradas em um restaurante são surpreendidos ao receber uma mensagem secreta no cardápio: “Quer ficar livre para assistir à final da UEFA numa festa da Heineken? Dê para sua mulher um fim de semana neste SPA”.

A frase acompanhava um voucher com um fim de semana para descansar. É claro que os companheiros toparam o desafio e enganaram suas namoradas, criando discursos românticos para presenteá-las com o fim de semana no spa. Mas o que eles não imaginavam – e nem mesmo nós – é que as mulheres não querem mais ser reservas desse jogo. Assista o vídeo: 

A Heineken coleciona campanhas e ativações certeiras, mas algumas vezes não escapou da linguagem machista que rodeia o mundo das cervejas e da bola. Quem não se lembra do comercial “Walk in Fridge”, que ressalta a ideia estereotipada de que homens gostam de cerveja e mulheres de roupas?

Mas a verdade é que nunca é tarde para perceber a mudança do mundo e de seus consumidores que, assim como não aceitam mais Xuxa usando Monange, passaram a rejeitar campanhas machistas que não representam a totalidade de seu público.

Prova disso é o sucesso dessa ação. São mais de 82 mil compartilhamentos no Facebook em apenas 16 horas, uma evidência da força de uma campanha representativa, que não exclui as mulheres, uma fatia de quase 35% de seus consumidores.

A criação da campanha é de Henrique Mattos, Cícero Souza, Guto Kono, Pedro Lazera, Mariana Albuquerque e Samuel Normando sob direção de criação de Hugo Rodrigues, Kevin Zung e Alexandre (Xã) Vilela.

O filme foi produzido pela Hungry Man e tem direção de Caio Rubini e Fabio Pinheiro.

 

Fonte: Exame 

Nova rede social promete unir homem rico com mulher interessada em dinheiro

O site Meu Patrocínio chegou no Brasil há dois meses inspirado em outros players como Match.com, Par Perfeito e Seeking Arrangement. A diferença é que o protagonista nesse caso é o dinheiro. O objetivo é bem claro: ligar o sugar daddy (definido homem rico pronto para mimar) com uma sugar babies (mulheres atraentes, inteligentes, ambiciosas e com metas claras). 

A rede sociail cita algumas vantagens para as mulheres como: ser mimada com compras, viagens fantásticas e ajuda para a faculdade. Além de prometer homens maduros que lhe oferecem estabilidade financeira e que não tenha tempo para joguinhos.

Como funciona: Durante o cadastro, além de informações básicas como idade, altura, peso, profissão e disponibilidade para viagens, a usuária também escolhe o tipo de expectativa financeira que espera do candidato.

Ao fazer o perfil, o candidato a “provedor” ou “patrocinador” deve declarar sua renda mensal em campos que vão de R$ 10.000 ou menos até “ok, sou muito rico” que passam de R$ 150.000.

O campo considerado mais importante no cadastro, é o “Expectatica do estilo de vida”. Nele, cabe ao homem o quanto está disposto a desembolsar por mês com sua “patrocinada”. A categoria mínima parte de R$ 2.000, a intermediária varia de R$ 6.000 a R$ 10.000 e a top é para que está disposto a desembolsar R$ 20.000 ou mais todo mês com sua companhia.

Em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, Jennifer Lobo, fundadora do site, explicou que o serviço é gratuito para as mulheres, basta entrar no site e se cadastrar. Para os homens, o valor é de R$ 169 por mês mas pode aumentar em breve para R$ 199. “É uma forma de triagem para saber se os homens são realmente um bom patrocinador”, conta. Jennifer é filha de brasileiros e é a primeira geração da família nascida em Orlando (EUA)

Em apenas dois meses no ar, a rede social já conta com 6 mil participantes (1.000 homens e 5.000 mulheres).

Jennifer

Jennifer Lobo: criadora do site Meu Patrocinio.

site

A ideia da rede sociail é promover o encontro entre o “Sugar Daddy” e a “Sugar Baby”.

 

Facebook lança ferramenta para apagar registros dos ex-namorados

O Facebook lançou uma ferramenta que promete ajudar os casais após o término de um relacionamento. Agora, assim que o usuário marcar o fim de um relacionamento no Facebook, um novo kit de ferramentas surge para deixar o processo de fim de relacionamento menos doloroso. As ferramentas vão permitir limitar o quanto você vai ver da outra pessoa no seu feed de notícias, limitar quanto o seu/sua ex vê de você no feed dele(a) e restringir a capacidade de outras pessoas verem as publicações em que vocês dois estão juntos.

Facebook

Nova ferramenta do Facebook permite ao usuário limitar as informações do ex-parceiro e o que ele verá de você.

Até então, a única coisa que os ex-namorados poderiam fazer era deixar de seguir, excluir ou bloquear uns aos outros, mas ainda assim ficam muitos registros do relacionamento na rede, como fotos antigas em que o casal está marcado. Com as novas ferramentas, é possível evitar esse tipo de situação. Infelizmente, o novo recurso está valendo apenas nos Estados Unidos – mas é por enquanto, já que o Facebook já fala em expandir o serviço para outros locais.

 

Com informações do Olhar Digital.

10 coisas que toda mulher já encontrou no Tinder em Goiânia

Quando me mudei para Goiânia, a única maneira que tive de conhecer os habitantes locais foi através de uma ferramenta que já conquistou o mundo, um aplicativo para celulares aparentemente simplório que atende pelo nome de Tinder. Neste aplicativo, completos estranhos podem dizer se estão interessados ou não em outros estranhos através de um toque na tela: X para quem você não curtiu, <3 para quem você acha que pode até gostar.

Durante minha experiência utilizando o já mencionado aplicativo na capital goiana, notei alguns itens e conteúdos que se repetiam nos perfis dos rapazes aos quais tive acesso: fotos com temáticas frequentes, destinos turísticos em comum… Logo notei que, apesar de diferentes, os rapazes goianos parecem ter muito em comum.

Segue abaixo a lista de 10 coisas que toda mulher já encontrou no Tinder em Goiânia, baseando-se na experiência pessoal de uma mulher solteira e heterossexual.

Uma nota: Este texto não deve ser levado (tão) a sério – clichês à parte, o importante mesmo é se divertir.

Por Jéssica Lane.

 

1. Pau de selfie

Esse item, que viveu dias de glória no ano passado, ainda é um queridinho dos rapazes goianos. É claro que não se pode negar a utilidade do acessório para fazer autorretratos em grandes paisagens, como as belas cachoeiras que Goiás abriga, mas também é comum ver o referido item sendo utilizado até para fotos na cama.

 

2. Fotos com tigres e leões

Não se pode negar que os boys de Goiânia são corajosos – pelo menos é o que a quantidade de fotos que eles têm posando ao lado de leões, tigres e uma variedade de outros animais selvagens comprova.

 

3. Fotos com animais de estimação fofinhos

Mas também há aqueles que preferem os animais mais tranquilos: também é comum encontrar rapazes em fotos com cachorrinhos e gatinhos fofinhos (se são deles ou não, aí já não sabemos dizer).

 

4. Fotos com motocicletas

A comunidade motociclista é numerosa aqui na capital, e muitos dos fãs de motos estão no Tinder. Para as moças que procuram rapazes radicais e aventureiros, o aplicativo é um ótimo lugar para pesquisar. Também é bastante comum encontrar a combinação óculos de sol + moto, às vezes com o rapaz posando sem camisa.

 

5. Fotos em pontos turísticos de Goiás e Goiânia

Mais uma vez, esse item está perdoado porque faz sentido: estamos em Goiânia, estado de Goiás, então nada mais natural que ter fotos em locais turísticos do estado e da capital. Os preferidos parecem ser a Cidade de Goiás, as cachoeiras da Chapada dos Veadeiros, e, em Goiânia, os parques Flamboyant e Vaca Brava.

 

6. Nomes incomuns

Talvez esse seja um reflexo de um fenômeno comum no estado de Goiás: aqui, as pessoas abusam da criatividade ao batizar os filhos. Não podemos citar nomes, afinal, precisamos preservar a identidade de cada rapaz. Mas vocês tem ideia do que estamos falando, né?

 

7. Fotos íntimas não-requisitadas

Vivemos na era dos “nudes”, aquelas fotos que revelam o sujeito completamente nu. E no Tinder não poderia ser diferente. Com certeza toda mulher já deu de cara com alguma foto íntima não-requisitada e totalmente inesperada em um perfil no aplicativo. Não que enviar “nudes” seja um crime, mas a questão é que eles são apenas bem-vindos quando são pedidos. Então, já sabe: nada de enviar fotos íntimas sem saber antes se a moça quer mesmo receber. Ah, e aqui também vale lembrar uma regrinha básica: nada de compartilhar “nudes” recebidos, ok?

 

8. Comentários políticos

Os rapazes de Goiânia não são apenas aventureiros: eles também são politizados. É muito comum encontrar comentários políticos em fotos e perfis no Tinder. Coisas como “O PT roubou a minha foto”, “Fora Dilma!”, “O PSDB privatizou a minha foto” ou simplesmente faixas com números de partidos são frequentes.

 

9. Propaganda do próprio negócio

Pode adicionar à lista das características dos rapazes goianos o empreendedorismo e a visão de negócios. Os moços daqui não perdem o foco e estão decididos a levar o seu negócio pra frente, usando qualquer meio possível para divulgar suas empresas. Professores particulares, vendedores, personal trainers e até tatuadores têm usado o Tinder para encontrar possíveis clientes – e dar uns beijinhos no meio do caminho.

 

10. Óculos de sol

Mas talvez o item mais comum e mais querido pelos rapazes de Goiânia sejam os óculos de sol. Espelhado, Ray Ban, aviador ou retrô, eles estão com tudo entre os boys daqui – pelo menos de acordo com o Tinder. A variedade é tão grande quanto a quantidade, e com certeza toda moça já viu um bom número. Mas o item está permitido porque faz sentido: aqui em Goiânia e no estado de Goiás o calor e o sol são muito fortes, então, óculos de sol estão liberados.

 

E vocês, moças? O que encontraram no Tinder de Goiânia que não está na lista? E vocês, rapazes, discordam totalmente do que leram aqui? Enviem suas opiniões e sugestões para [email protected].