Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros em Goiás inicia Temporada de Travessias

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, já inaugurou oficialmente a temporada de travessias. Este período, que geralmente se estende até outubro, atrai aventureiros de todo o mundo em busca de uma conexão profunda com a natureza, oferecendo a oportunidade única de acampar dentro do parque.

O parque conta com duas principais travessias: Sete Quedas, com 23,5 km de extensão, e São Jorge Capela, totalizando 23 km. Os visitantes têm a opção de permanecer até quatro noites no parque, sendo dois pernoites permitidos em cada uma das áreas de camping disponíveis.

A travessia refere-se à caminhada de um ponto a outro sem retorno pelo mesmo caminho, atravessando diferentes paisagens e atrações naturais. Durante a estação seca, o céu claro facilita a observação da fauna e flora locais, e os níveis mais baixos de água em cachoeiras e rios criam piscinas naturais ideais para banho.

O horário de abertura do parque é às 8h, mas durante a temporada de travessias, a entrada é antecipada para as 7h para aqueles que adquirirem ingressos previamente. É recomendado que os visitantes iniciem a travessia até às 10h para melhor aproveitamento do dia.

Planeje sua Visita

No Centro de Visitantes do Parque, uma introdução sobre a travessia e a biodiversidade local é oferecida. A compra dos pernoites deve ser feita com antecedência exclusivamente pelo site oficial do parque. Os visitantes devem trazer suas próprias barracas e suprimentos necessários.

As áreas de camping são:

Camping Sete Quedas: com capacidade para 40 pessoas por noite, oferece dois banheiros secos, um galpão rústico, mesas, bancos e pontos de rede.

Foto: Geraldo Gurgel/ MTur

Camping Boa Sorte: com capacidade para 30 pessoas por noite, está localizado a 8 km do início das travessias São Jorge – Capela e Sete Quedas, contando com banheiro seco e espaços demarcados para barracas.

Itens essenciais para a travessia incluem mochila de ataque, roupas leves e confortáveis, calçados apropriados para caminhada, chapéu ou boné, protetor solar, repelente e garrafa de água. É importante que os participantes estejam em boa condição física para enfrentar os desafios dos trajetos.

 

 

Veja também:

Oásis apaixonante e intocado é incrível e está nas Fronteiras de Goiás e Tocantins

Localizada na divisa entre os estados de Goiás e Tocantins, nas proximidades da cidade de Campos Belos, encontra-se oásis apaixonante pouco explorado, mas de beleza ímpar: a deslumbrante Praia do Pequizeiro, um verdadeiro oásis escondido em Lavandeira, Tocantins. Este destino pitoresco está rapidamente emergindo como um segredo bem guardado para os aficionados pela natureza e os aventureiros de todo o mundo, seduzidos por suas maravilhas naturais e experiências únicas.

Apesar de não se tratar de uma típica praia marítima, a Praia do Pequizeiro cativa os visitantes com suas paisagens deslumbrantes. A água cristalina, uma característica singular deste local, convida os turistas a um mergulho revigorante em meio ao calor característico da região. Os aventureiros têm à disposição a opção de montar suas próprias barracas, aproveitando a área de camping disponível no local e desfrutando de noites sob um céu estrelado, imersos na serenidade proporcionada pela natureza intocada.

Além disso, os encantos da Praia do Pequizeiro se estendem além das suas águas refrescantes. A região oferece trilhas fascinantes para os entusiastas do trekking, proporcionando vistas panorâmicas de tirar o fôlego e a oportunidade de explorar a rica biodiversidade da área. Os amantes da fotografia também encontrarão neste local uma infinidade de cenários deslumbrantes, ideais para capturar momentos inesquecíveis.

Com sua atmosfera tranquila e intocada, a Praia do Pequizeiro promete uma fuga revitalizante da agitação da vida urbana, permitindo que os viajantes se reconectem com a natureza e experimentem a verdadeira essência da aventura.

Poço do Paraíso Aurora do Tocantins

Foto:  Reprodução/Aventuras Pelo Nosso Mundo

Situada em uma propriedade privada, a Praia do Pequizeiro requer uma pequena taxa de entrada para os visitantes: R$ 30 para um dia de visita e R$ 75 para aqueles que desejam acampar. Para vivenciar plenamente todas as maravilhas deste local único, é altamente recomendável contar com a orientação de um guia local.

A região das Serras Gerais, onde esta praia de água doce está localizada, é um verdadeiro tesouro natural. Cenários adornados por rios sinuosos, serras majestosas, cachoeiras encantadoras e trilhas desafiadoras aguardam os exploradores. Com cerca de 200 cavernas catalogadas, a área também é um paraíso para os espeleólogos e amantes da geologia.

114f6dafbfb51eb85225b46b528860f4.jpg

Foto:  Reprodução/Instagram @praiadopequizeiro

5dba71e873d8f6dd40be74146bad889a.png

Foto:  Reprodução/Instagram @praiadopequizeiro

A Praia do Pequizeiro recebe visitantes todos os dias, incluindo fins de semana e feriados, das 08h às 17h. Se você está em busca de um refúgio longe das multidões, onde a beleza da natureza é a principal atração, esta praia paradisíaca se revela como o destino perfeito para uma escapada inesquecível.

Deixe-se encantar pela serenidade e beleza intocada deste esconderijo natural entre Goiás e Tocantins.

Confira este vídeo do lugar:

Mais Informações

Praia do Pequizeiro

Onde: Lavadeira, Tocantins

Como chegar:

Horários: todos os dias das 8h às 17h

Telefone: (63) 992428086

Valores: Day Use R$ 30,00

Camping R$75,00

Instagram: @praiadopequizeiro

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Foto de Capa:  Reprodução/Instagram @praiadopequizeiro

Conheça a cidade que é considerada um pedaço do Nordeste em Goiás

Terezópolis de Goiás é um pequeno município, localizado a apenas 33 km de Goiânia e 177 km de Brasília, que é considerado um pedacinho do Nordeste em solo goiano. Conhecido por ser uma parada obrigatória para os viajantes que percorrem a BR-060 entre as duas cidades, tem uma população de apenas 8 mil habitantes, e a maioria dos moradores tem raízes nordestinas.

Vista aérea de Terezópolis de Goiás l Foto: Faceboock

Terezópolis é um verdadeiro tesouro escondido no coração de Goiás. Sua localização privilegiada e sua atmosfera convidativa fazem com que muitos viajantes se apaixonem pelo lugar e queiram voltar mais vezes.

Uma das grandes atrações de Terezópolis é o seu comércio diversificado e a variedade de sabores que a cidade oferece. Os restaurantes locais são famosos por servirem pratos deliciosos, sendo a jantinha local um verdadeiro sucesso entre os viajantes!

Além disso, o ecoturismo também movimenta essa cidadezinha encantadora. Com belas paisagens naturais, trilhas e cachoeiras deslumbrantes, a cidade é o destino perfeito para quem busca contato com a natureza. Aproveite para fazer uma caminhada pelas trilhas da região, se refrescar nas águas cristalinas das cachoeiras e se encantar com a fauna e flora local. Com certeza, você voltará para casa revigorado e cheio de boas lembranças.

0dea3c72ee7f12541ab5793a29339c0b.jpg

O fato de ser “cortada” pelo maior corredor econômico do Centro-Oeste brasileiro, a rodovia BR-153, faz Terezópolis de Goiás ser conhecida por milhares de pessoas que trafegam diariamente pela estrada. O pequeno município fica na região Metropolitana de Goiânia e chama a atenção pela grande quantidade de pequenas lojas que comercializam artesanato e artigos, especialmente para a cozinha.

22bd0cbcb51826202f379fa66f9b2480.jpg

Mas o destaque é, sem dúvidas, a diversidade de gostosuras da cozinha goiana e da culinária nordestina, já que a população da cidade é formada em grande parte por pessoas vindas do Nordeste do País.

São delícias como o famoso requeijão de Terezópolis, que atrai pessoas de longe, o milho assado na brasa, espetinhos e docinhos artesanais que fazem muita gente dar aquela paradinha na cidade, quando passa pela rodovia. E muitas pessoas vão até lá especificamente para saborear os pratos e ainda levar para casa, um bom provimento de produtos variados.

Para dar uma “aliviada” na consciência, é possível adquirir também uma infinidade de frutas, nas dezenas de barracas que comercializam os produtos, inclusive frutos típicos do cerrado goiano.

bbcef20afaf6c32424a44897b1d45a5c.jpg

A influência dos nordestinos na culinária fica mais evidente no mês de abril, quando o Festival Gastronômico TereÔxente, com pratos e programações típicas do Nordeste, é realizado durante as festividades de comemoração do aniversário do município.

Mas existe vida para além da boa comida em Terezópolis. A cidade abriga também o gigante complexo de lazer Santa Branca Ecoturismo, uma unidade agroecológica, com opções de atividades para toda família. Tirolesa, stand up, slackline, trilhas (a pé ou de bcicleta), caiaque, pedalinho, banhos de cachoeira, entre outras. Os visitantes ainda podem escolher entre passar o dia ou se hospedar em confortáveis e charmosos chalés.

9ff3d3e52d92df5fa0bbf18beb11ac18.jpeg

Um trecho do Parque Estadual Altamiro de Moura Pacheco está localizado no município.

983be9ff01d337583b533183d93eb6c3.jpg

A unidade de conservação tem registros de 485 espécies de plantas, entre elas, duas constantes da Lista Oficial de Espécies da Flora Brasileira Ameaçada de Extinção: o Gonçalo-alves (Astronium fraxinifolium) e a Aroeira-do-sertão (Astronium urundeuva).

História de Terezópolis de Goiás

Entre os anos 1930 e 1940 inicia-se o povoado que em algum tempo depois veio a ter o nome de Vila Santa Tereza, na época fazendo parte do município de Goianápolis.

Já nos anos 1980, Santa Tereza consegue duas grandes conquistas se tornando distrito de Santa Tereza e nas eleições de 1988 elegendo dois vereadores e o vice-prefeito: o Ver. Divino Moreno, o Ver. Galego sendo o mais bem votado de todo Município de Goianápolis naquela Eleição, e o Vice-prefeito Florival Fagundes; Um grande feito para a época, dando assim um passo muito grande para conquistar a tão sonhada emancipação Política do Distrito.

No dia 29 de abril de 1992 a população do Distrito de Santa Tereza comemora sua emancipação. E assim, a população se junta e através de um Referendo popular escolhe o nome do recém-emancipado Município de Terezópolis de Goiás.

 

 

Divisa de Goiás e Tocantins tem um paraíso do ecoturismo que deixa turistas apaixonados

Em um país repleto de destinos turísticos renomados, as Serras Gerais, situadas no estado do Tocantins, emergem como uma jóia ainda pouco explorada. Distante dos holofotes do turismo de massa, esta região fascina com suas paisagens naturais de tirar o fôlego, uma biodiversidade exuberante e um rico patrimônio cultural.

As Serras Gerais, localizadas no sudeste do Tocantins, representam uma combinação fascinante de características naturais e culturais. Esta região é conhecida por suas impressionantes formações de arenito, que dão origem a cânions, grutas, cavernas e escarpas únicas, oferecendo um cenário espetacular para os visitantes. Entre suas formações rochosas mais famosas está a Serra do Espírito Santo, parte do Parque Estadual do Jalapão, conhecida por ser um dos principais pontos turísticos da área.

A biodiversidade das Serras Gerais é notável, adaptada a um ambiente predominantemente árido e semiárido. A flora inclui espécies únicas como o buriti, o pequi e o caju, que prosperam no cerrado. A fauna é igualmente diversificada, abrangendo desde o lobo-guará e o tamanduá-bandeira até veados, aves de rapina e uma variedade de répteis. A região é também um destino popular para observação de aves, com espécies únicas e raras que fazem parte do ecossistema do cerrado.

A riqueza cultural das Serras Gerais é profundamente influenciada por sua história. Antes da chegada dos europeus, a região era habitada por povos indígenas como os Karajá, Xerente e Xavante. Com a colonização, comunidades quilombolas se estabeleceram, preservando suas tradições culturais até os dias atuais. As festas religiosas, como a Festa do Senhor do Bonfim, são uma fusão de elementos religiosos com tradições culturais locais, incluindo música, dança e pratos típicos.

A região das Serras Gerais é composta por diversos municípios, incluindo Arraias, Almas, Aurora do Tocantins, Dianópolis, Natividade, Lavandeira, Rio da Conceição, Combinado e Taguatinga. O turismo na região está crescendo, com atividades variadas como trilhas, rapel, escalada, observação de aves, passeios de 4×4 e visitas às comunidades quilombolas. Há um esforço contínuo para promover o turismo sustentável e conscientizar sobre a importância da conservação ambiental, garantindo que as futuras gerações possam desfrutar dessas maravilhas naturais e culturais.

  1. Atrações Turísticas Principais:

As águas cristalinas das cachoeiras, como a Cachoeira do Soninho e o Rio Azuis, são convites à aventura e relaxamento. Estas áreas naturais, de acesso variável, oferecem atividades como banhos refrescantes, mergulho e canoagem. As trilhas nas Serras Gerais são um paraíso para caminhantes e observadores de aves. Percursos como a Trilha do Mirante proporcionam uma imersão na natureza e vistas espetaculares.

A riqueza cultural da região se manifesta em suas festas tradicionais, como a Festa do Divino Espírito Santo, além da culinária local, que mistura sabores indígenas e sertanejos, e um artesanato rico em cores e formas.

  1. Turismo Sustentável e Desafios:

No contexto do turismo sustentável nas Serras Gerais, Tocantins, há uma série de desafios e oportunidades que estão sendo abordados para impulsionar a região como um destino turístico promissor, ao mesmo tempo em que se preserva sua riqueza natural e cultural.

Desafios de Infraestrutura e Acessibilidade:

A infraestrutura turística nas Serras Gerais é uma área que precisa de atenção significativa. Os desafios incluem a melhoria das condições das estradas de acesso aos atrativos turísticos, aprimoramento da sinalização turística, e desenvolvimento de rotas integradas que conectem as diversas atrações da região. Há um esforço coletivo, envolvendo entidades como o Sebrae, para promover o turismo sustentável e fortalecer a economia regional, focando na melhoria da infraestrutura e acessibilidade​​.

Preservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Econômico Local:

A preservação da biodiversidade local é uma prioridade nas Serras Gerais, dada a riqueza de sua fauna e flora. Paralelamente, o turismo é visto como um catalisador para o desenvolvimento econômico local, trazendo benefícios para as comunidades. No entanto, é fundamental que esse desenvolvimento ocorra de maneira participativa, envolvendo as comunidades locais para garantir que os benefícios do turismo sejam compartilhados de forma justa e sustentável.

Políticas Públicas e Planejamento Participativo:

O Programa de Desenvolvimento Integrado do Turismo Sustentável (PDTIS) é uma iniciativa governamental que visa orientar o crescimento do turismo nas Serras Gerais com base em práticas sustentáveis. Este programa engloba ações de planejamento e organização do turismo, políticas públicas em turismo e estratégias de desenvolvimento do turismo, com um enfoque especial na participação comunitária. A ideia é contribuir para o desenvolvimento dos municípios da região das Serras Gerais, aproveitando suas potencialidades e promovendo uma nova realidade social, econômica e cultural​​.

A região das Serras Gerais, com seu vasto potencial turístico, enfrenta o desafio de desenvolver uma infraestrutura turística adequada e acessível, ao mesmo tempo em que se esforça para preservar seu ambiente natural e promover o desenvolvimento econômico local de forma sustentável. O envolvimento da comunidade local e a implementação de políticas públicas eficazes são essenciais para alcançar esses objetivos. A região se apresenta como um exemplo notável de como o turismo pode ser um aliado do desenvolvimento sustentável

  1. Futuro do Turismo na Região:

O futuro do turismo nas Serras Gerais, no Tocantins, é promissor, com diversos planos e projetos governamentais em andamento para promover o turismo sustentável e valorizar a cultura local. Uma dessas iniciativas é o projeto “Tocantins + Turismo”, lançado pelo Sebrae em parceria com o Governo do Estado. Este projeto visa beneficiar 600 empreendedores diretamente e mais de mil indiretamente, abrangendo setores como agro, logística, além do turismo. A transversalidade e a integração de diferentes secretarias e sistemas são fundamentais nesse processo de desenvolvimento socioeconômico​​.

Além disso, um plano de retomada do turismo foi elaborado para a região das Serras Gerais, com foco em estabelecer diretrizes de enfrentamento à Covid-19. Este plano inclui protocolos criteriosos de higiene pessoal, segurança sanitária, distanciamento social e sanitização de ambientes, visando garantir a qualidade e segurança nos atendimentos aos turistas. O plano envolve a participação de prefeituras, parceiros como a Universidade Federal do Tocantins (UFT), Sebrae e Adetuc, e é fundamental para a retomada segura das atividades turísticas na região​​.

Outra ação importante é a entrega da sinalização turística das Serras Gerais pelo Governo do Tocantins, que contribui para a integração da região ao maior corredor de ecoturismo do Brasil, abrangendo destinos como Chapada dos Veadeiros, Jalapão e Chapada das Mesas. Essa integração visa ampliar a permanência do turista no destino e gerar mais renda para a comunidade local através da atividade turística​​.

Especialistas e stakeholders locais, como o diretor técnico do Sebrae, destacam a importância da parceria entre o Sebrae e o Governo do Estado, enfatizando que essa colaboração aumenta as chances de resultados expressivos no desenvolvimento do turismo na região. A atuação conjunta é vista como um meio de multiplicar recursos e benefícios para empresários, turistas e potenciais investidores​​.

Em suma, o futuro do turismo nas Serras Gerais se apresenta com grande potencial, combinando esforços governamentais, expertise do Sebrae e a participação ativa da comunidade local. Essas iniciativas são fundamentais para promover um turismo responsável e sustentável, preservando o patrimônio natural e cultural dessa região única do Brasil.

Leia também:

Cidade do interior do Tocantins é reduto dos goianos apaixonados por carnaval de rua

Deserto no Nordeste do brasil tem oásis apaixonantes e dunas que tiram os fôlego dos turistas
Serras Gerais: Um paraíso exuberante bem pertinho de Goiás

Corumbá (GO): Revelamos os maiores segredos do paraíso do Cerrado

O Salto de Corumbá, situado no município de Corumbá de Goiás, não apenas se destaca pela sua impressionante queda d’água de 50 metros de altura, mas também pela completa infraestrutura que acolhe os visitantes. Este complexo natural, que serve como um marco da região da Serra dos Pireneus, oferece uma experiência única de imersão na natureza com sua piscina natural originada da cachoeira e uma sequência de corredeiras, poços e lagos que convidam ao lazer e à contemplação. Além disso, uma gruta complementa o cenário, proporcionando aos visitantes uma oportunidade de explorar ainda mais as maravilhas geológicas da área.

Localizado estrategicamente entre as capitais Goiânia e Brasília, o Salto de Corumbá encontra-se a aproximadamente 124 quilômetros de distância de Goiânia e cerca de 120 quilômetros de Brasília, tornando-o um destino acessível para moradores e turistas que procuram um refúgio nas paisagens do Cerrado. A viagem pela BR-414 é facilitada por uma rodovia totalmente pavimentada, o que assegura um trajeto tranquilo e seguro até o complexo.

O Parque Natural Salto Corumbá se destaca como um dos expoentes do ecoturismo no Cerrado Goiano. Com sete cachoeiras em sua composição, o parque oferece uma experiência de imersão total na natureza para seus visitantes. Além das quedas d’água, o local disponibiliza infraestrutura para camping, pousada com instalações rústicas e confortáveis, restaurantes e um parque aquático. O ambiente é projetado para proporcionar tranquilidade, sendo um refúgio do barulho e estresse urbanos​​.

A experiência é enriquecida pelas atividades radicais disponíveis, que incluem desde trilhas que somam mais de 1,5 km, ideais para explorar a região e suas paisagens, até passeios a cavalo e a Trilha do Ouro, uma espécie de montanha-russa pelo cerrado. Para aqueles que buscam relaxamento, o parque funciona todos os dias, oferecendo o Day Use das 8h às 18h​4​​5​.

A gastronomia local é uma atração à parte, com opções de buffet self-service por quilo e serviço à la carte que oferecem pratos prontos e comida típica de boteco, ideal para um momento descontraído​​. Além disso, os visitantes podem desfrutar de sorvetes, picolés, drinks especiais e outras sobremesas. Para maior comodidade nas transações, o parque utiliza um sistema de cartão consumo, onde os visitantes carregam a quantia desejada e utilizam-no em pontos de recarga, garantindo mais agilidade e segurança​. Importante observar que algumas atividades são cobradas à parte e o parque oferece facilidades de pagamento, como parcelamento em até três vezes sem juros​​.

A cidade de Corumbá de Goiás, situada a apenas 8 km do parque, complementa a experiência turística. A cidade possui grande potencial turístico, sendo cercada pela vegetação típica do Cerrado e abrigando uma rica herança cultural e histórica. Corumbá de Goiás oferece inúmeras cachoeiras, rios e trilhas para exploração e tem uma posição estratégica entre Goiânia e Brasília, facilitando o acesso via rodovias asfaltadas​.

A cidade de Corumbá

A cidade de Corumbá de Goiás, fundada em 8 de setembro de 1731 como um pólo de mineração, é carregada de histórias e transformações. O nome Corumbá tem origem tupi-guarani e significa “banco de cascalho”, aludindo às atividades de mineração nos rios Corumbá e Ribeirão Bagagem. Com a inauguração da capela de Nossa Senhora da Penha de França em 1734, a povoação se tornou o centro de toda a região do Rio Corumbá​​.

A cidade foi moldada pela busca de riquezas naturais, como pedras preciosas, por bandeirantes paulistas e portugueses. Essa fase inicial de desenvolvimento foi seguida por um vaivém administrativo que viu Corumbá de Goiás ganhar e perder o status de vila e município várias vezes, até obter sua autonomia político-administrativa definitiva em 1902 e adotar seu nome atual em 1943 para diferenciar-se de uma cidade homônima em Mato Grosso​.

Hoje, o turismo se junta à agricultura e à pecuária como pilar econômico, com destaque para o Centro Histórico e as cachoeiras, embora o acesso a algumas atrações possa ser limitado sem veículo próprio​​. Corumbá de Goiás mantém a essência de cidade do interior com uma economia sustentada pela produção de alimentos como milho, feijão, soja e pela criação de gado, complementada pelo turismo que valoriza sua rica herança cultural e natural​.

 

Leia também:

Projeto goiano vai fornecer gratuitamente tratamento com produtos a base de cannabis para pacientes carentes – Curta Mais

 

Goiânia recebe Caravana de Natal da Coca-cola. Saiba detalhes – Curta Mais

 

Foto: Prefeitura de Corumbá

A ‘Buenos Aires de Goiás’ abriga poço azul com paisagem inesquecível

Posse, situada a 550 km de Goiânia e a 318 km de Brasília, é uma joia escondida no nordeste goiano. Com uma população de pouco mais de 37.000 habitantes, a cidade é rica em história e em belezas naturais, destacando-se como o principal centro da região. O motivo de seu antigo apelido, “Buenos Aires de Goiás”, vai muito além de uma simples comparação com a capital argentina. 

 

Das Raízes Históricas às Maravilhas Naturais

 

A origem de Posse remonta ao início do século XIX, com a chegada de imigrantes nordestinos em busca de terras férteis para o cultivo de cereais. A localidade foi originalmente chamada de “Buenos Aires” devido à proximidade com o Rio Prata, evocando comparações com a cidade de “La Plata” na Argentina. A cidade prosperou com atividades como pastoreio, lavoura e operação de engenhos, mas sofreu um golpe devastador quando a malária dizimou a população nos primeiros anos após sua fundação.

Resilientes, os habitantes se deslocaram para a zona da chapada e estabeleceram o novo povoado de Posse. A cidade foi elevada à categoria de distrito em 1855 e conquistou sua autonomia municipal em 1872, impulsionada pelo desenvolvimento da agricultura, pecuária e indústria rural.

 

O Poço Azul: Uma Obra-Prima da Natureza

 

Hoje, um dos atrativos mais fascinantes de Posse é o Poço Azul, localizado a apenas 12 km do centro da cidade. Este santuário natural é circundado por uma paisagem de tirar o fôlego e suas águas cristalinas são irresistíveis para quem busca um refúgio refrescante nos dias quentes.

 

A aventura espera por você

Mas o charme de Posse não para por aí. A cidade é um playground para aventureiros, ostentando uma cachoeira de 35 metros de altura — a mais grandiosa dentre as cinco cachoeiras encontradas em uma trilha de apenas 1 km de extensão. A vizinha Guarani de Goiás, a 20 km de distância, também oferece paisagens espetaculares que merecem uma visita.

Se você ainda não explorou esse tesouro do nordeste goiano, está na hora de planejar sua viagem. Posse é um destino completo, oferecendo uma combinação perfeita de história, aventura e serenidade natural que poucas cidades podem igualar.

 

Leia também:

O refúgio natural entre Goiânia e Brasília que você não pode ignorar – Curta Mais

Cidade goiana com nome indígena é uma dádiva às margens do Araguaia – Curta Mais

Cidade goiana já carregou a coroa de ‘Capital do Feijão’ – Curta Mais

Chapada dos Veadeiros guarda trilha extraordinária que leva a cachoeira mágica

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, situado no coração do Cerrado goiano, é um refúgio repleto de aventuras e paisagens deslumbrantes. Dentre as várias trilhas que o parque oferece, destaca-se a Trilha Carrossel, que leva os visitantes até a majestosa Cachoeira do Carrossel, localizada no rio Preto e que, até pouco tempo, permanecia como um tesouro intocado dentro da unidade de conservação.

O acesso ao grandioso complexo do parque se dá através da Trilha dos Saltos. Durante o percurso, os aventureiros são presenteados com uma série de atrações naturais. O parque dispõe de trilhas que atendem tanto os iniciantes quanto os mais experientes. Para aqueles que buscam adrenalina, o circuito de canionismo é uma opção imperdível, proporcionando vistas espetaculares das formações rochosas esculpidas pela natureza ao longo dos anos. Além disso, o parque conta com três piscinas naturais, ideais para um refrescante mergulho, um mirante estrategicamente posicionado para contemplação de vistas panorâmicas e, para os entusiastas da escalada, desafios em meio a paisagens de tirar o fôlego. Ao longo das trilhas, cachoeiras e corredeiras se revelam, cada uma com sua característica e encanto.

Uma informação crucial é que a visitação à Cachoeira do Carrossel é permitida somente durante as temporadas de seca, devido aos riscos apresentados pelas trombas d’água. E o melhor de tudo: o acesso ao parque é totalmente gratuito!

Para aqueles que planejam visitar o parque, é válido ressaltar as distâncias entre o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e algumas cidades importantes da região:

  • Goiânia: aproximadamente 420 km.
  • Brasília: cerca de 230 km.
  • Uberlândia: em torno de 680 km.

Essas distâncias são aproximadas e podem variar dependendo da rota escolhida. Certamente, a viagem vale a pena, e a Chapada dos Veadeiros é um destino que promete encantar a todos com sua riqueza natural e aventuras inesquecíveis.

 

Confira as fotos do local feitas pelo Guia André Praude:

2ab26e979efb7860e17bafb94acc7d93.jpeg

100f4b58d8c4324f4e3ebf6445e9eff2.jpeg

4adfaf09f5d0cb102ce8d37872e2e375.jpeg

 

0b48a9c6109ad3da7b3ed4bb74060c58.jpeg

 

4923c6540f34484493c25682212da095.jpeg

1c45fee7185dea4882c929604117577d.jpeg

4d392c2499444a2a2019bd978b0d7f53.jpeg

5a048350e0e3595cc2098c2f4531c21c.jpeg

Confira o video feito pela Michelle Vianna:

Obs: Antigamente esse acesso da Chapada não pagava para entrar, mas atualmente o Parque Nacional cobra o valor de R$18,00 para a entrada da trilha e acesso à Cachoeira

 

Serviço

CAT Alto Paraíso: (62) 3494-1507

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros: (62) 3455-1114    

Como chegar: Rodovia GO 239, km 36 – Vila de São Jorge – CEP: 73770-000

Pauta por: Marcos Aleotti
Fotos: André Praude

Cidade goiana é um verdadeiro oásis gastronômico do nordeste em Goiás

No pulsar das estradas que ligam Goiânia a Brasília, há um canto especial que muitos viajantes escolhem para uma pausa. Terezópolis de Goiás, uma jóia escondida na BR-060, é mais do que apenas uma paradinha rápida – é uma celebração da cultura, história e gastronomia.

Com pouco mais de 8 mil almas, Terezópolis consegue equilibrar a agitação da rodovia BR-060, que a divide, com a tranquilidade e hospitalidade típica do interior. Mas, o que é exatamente esse chamado magnético que atrai tantos viajantes a explorar mais do que apenas a beira da estrada?

Talvez comece com a gama de sabores autênticos que o comércio local serve com orgulho. A jantinha, a expressão máxima do conforto gastronômico goiano, é a queridinha dos que passam por lá. Porém, a cidade vai além, trazendo à mesa pratos que são um mosaico da rica culinária brasileira. Terezópolis tem Chambari do Tocantins, Buchada de bode do Rio Grande do Norte, e até o Caldo de abóbora com carne de sol da Bahia. A lista é vasta e tentadora, com cada prato contando uma história única.

E falando em histórias, Terezópolis tem uma rica tapeçaria de tradições. Seu passado, entrelaçado com a região de Goianápolis, ecoa nas danças, nas festas e nas tradições que a cidade orgulhosamente preserva. A Folia de Santos Reis, a Catira, e a festa TERÊOXENTE são testemunhas vivas da riqueza cultural que Terezópolis tem a oferecer.

Aqueles que buscam um refúgio natural, Terezópolis não decepciona. A cidade está aninhada em uma APA, a João Leite, um convite para os amantes da natureza se perderem em trilhas, apreciarem paisagens deslumbrantes e se reconectarem com o ambiente.

Então, da próxima vez que estiver viajando pela BR-060, dê a si mesmo o presente de mergulhar na magia de Terezópolis. Você descobrirá que é mais do que apenas uma parada: é um destino, um refúgio, uma celebração da essência brasileira.

0dea3c72ee7f12541ab5793a29339c0b.jpg

O fato de ser “cortada” pelo maior corredor econômico do Centro-Oeste brasileiro, a rodovia BR-153, faz Terezópolis de Goiás ser conhecida por milhares de pessoas que trafegam diariamente pela estrada. O pequeno município fica na região Metropolitana de Goiânia e chama a atenção pela grande quantidade de pequenas lojas que comercializam artesanato e artigos, especialmente para a cozinha.

22bd0cbcb51826202f379fa66f9b2480.jpg

Mas o que mais chama a atenção é, principalmente, a diversidade de gostosuras da cozinha goiana e da culinária nordestina, já que a população da cidade é formada em grande parte por pessoas vindas do Nordeste do País.

São delícias como o famoso requeijão de Terezópolis, que atrai pessoas de longe, o milho assado na brasa, espetinhos e docinhos artesanais que fazem muita gente dar aquela paradinha na cidade, quando passa pela rodovia. E muitas pessoas vão até lá especificamente para saborear os pratos e ainda levar para casa, um bom provimento de produtos variados. Para dar uma “aliviada” na consciência, é possível adquirir também uma infinidade de frutas, nas dezenas de barracas que comercializam os produtos, inclusive frutos típicos do cerrado goiano.

bbcef20afaf6c32424a44897b1d45a5c.jpg

A influência dos nordestinos na culinária fica mais evidente no mês de abril, quando o Festival Gastronômico TereÔxente, com pratos e programações típicas do Nordeste, é realizado durante as festividades de comemoração do aniversário do município.

Mas existe vida para além da boa comida em Terezópolis. A cidade abriga também o gigante complexo de lazer Santa Branca Ecoturismo, uma unidade agroecológica, com opções de atividades para toda família. Tirolesa, stand up, slackline, trilhas (a pé ou de bcicleta), caiaque, pedalinho, banhos de cachoeira, entre outras. Os visitantes ainda podem escolher entre passar o dia ou se hospedar em confortáveis e charmosos chalés.

9ff3d3e52d92df5fa0bbf18beb11ac18.jpeg

Um trecho do Parque Estadual Altamiro de Moura Pacheco está localizado no município.

983be9ff01d337583b533183d93eb6c3.jpg

A unidade de conservação tem registros de 485 espécies de plantas, entre elas, duas constantes da Lista Oficial de Espécies da Flora Brasileira Ameaçada de Extinção: o Gonçalo-alves (Astronium fraxinifolium) e a Aroeira-do-sertão (Astronium urundeuva).

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

 

Foto de Capa: Marcos Aleotti

Cidade goiana tem trilhas sussurrantes, cachoeiras dançantes e uma rica história regional

Em meio à vastidão de Goiás, banhada por rios cristalinos e pontilhada por deslumbrantes formações naturais, ergue-se Piranhas, um tesouro escondido no coração do Brasil. Com suas coordenadas cravadas a 16º 25’37” sul e 51º49’20” oeste, Piranhas desabrocha a 389 metros de altitude e com uma população acolhedora de pouco mais de 10 mil habitantes.

Embora se encontre a 310 km de Goiânia e a 510 km de Brasília, a jornada para lá é parte do encanto. Atravessar os 2.054,7 km² de seu território é uma promessa de paisagens impressionantes e experiências memoráveis.

O que hoje é um dos destinos turísticos mais apreciados de Goiás, teve suas origens modestas em 1948, quando os técnicos e operários da Fundação Brasil Central, traçando o caminho entre Caiapônia e Aragarças, encontraram repouso nas margens do Rio Piranhas. Dessa modesta parada, surgiu uma cidade que cresceu vertiginosamente, graças à fertilidade do solo e ao trabalho de visionários como Álvaro Antonio de Amorim.

Piranhas não é apenas uma cidade com ricas raízes históricas, mas também é moldada pela força de sua gente e pelas nuances da política. A trajetória do município é marcada por desafios e superações, como os episódios envolvendo o prefeito Otair Teodoro Leite e a consequente ascensão de André Ariza Naves e, mais recentemente, Marco Rogério Cândido Leite.

Mas, para aqueles que têm o coração aventureiro, é o canto das cachoeiras e o chamado das serras que seduz. A Salto do São Domingos, por exemplo, não é apenas uma cachoeira; é uma sinfonia da natureza, um espetáculo que se posiciona como a segunda maior queda d’água de Goiás e uma das mais impressionantes do Brasil.

Além disso, Piranhas oferece uma infraestrutura turística impecável. No Centro de Informação ao Turista, você encontrará todas as orientações necessárias para tornar sua visita inesquecível.

Em suma, Piranhas é uma combinação deslumbrante de natureza, cultura e hospitalidade. Seja para mergulhar nas cachoeiras ou para desvendar sua rica história, Piranhas promete uma experiência que você levará para a vida toda. Então, prepare sua mochila e venha descobrir os encantos deste oásis goiano!

A história do povo piranhense começa por volta de 1948, ao ser construída a rodovia que ligava os municípios de Caiapônia e Aragarças. Foi quando o grupo de técnicos e operários da Fundação Brasil Central acampou à margem esquerda do Rio Piranhas.

Com a retirada de parte do pessoal de obras para Água Parada, os que permanecera, liderados por Álvaro Antonio de Amorim, deram início à formação do povoado que recebeu a mesma denominação do rio adjacente, Piranhas.

Com a incrementação e crescimento das lavouras, o povoado se elevou a distrito em 1952. Logo no ano seguinte, o Distrito de Piranhas passou à categoria de município, sendo instalo oficialmente em 1954, desemembrando-se de Caiapônia.

A partir da emancipação, a pecuária e a agricultura tornaram-se a base econômica para o notável desenvolvimento alcançado em termos de produção, e na década de 1970 o quadro urbano assumia novas características com aspecto de evolução social, política e econômica.

O Turismo

O turismo local conta com vasta gama de atrativos naturais, cachoeiras, serras e vales, que fazem do município um dos mais atrativos da região oeste de Goiás.

Entre elas, o destaque fica com o Salto de São Domingos, uma cachoeira com 90 metros de queda d’água [o equivalente a um prédio de 30 andares].

Principais Atrativos: Cachoeira Salto de São Domingos; Cachoeira da Alvorada; Vau do São Domingos; Cachoeira do Paraíso; Cachoeira Três Tombos; Cachoeira do João Firmino; Cachoeira do Macaco; Morro de Mesa; Piscinas Naturais Cachoeira Santa Helena.

bdca682d319d83f55ede37d609c0d132.jpg

Imagem: Cachoeira Santa Helena | Goiás Turismo

ad9c3021f6329fb21c00423546533bd7.jpg

Imagem: Cachoeira Três Tombos | Panoramio

bbab1b2acc56bf6dfe3af62220254406.jpg

Imagem: Vista Alto da Serra Negra | Goiás Turismo

f378e31b63beffb4b2528a1f57494bd2.jpg

Imagem: Cachoeira de São Domingos | Wikiloc

Como chegar:

a facilidade de acesso logístico pela rodovia federal BR-158, rodovia estadual GO-060 que liga à Goiânia e a GO-188 permitem aos visitantes facilidades aos acessos turísticos do município. De carro ou ônibus, pela BR -060. Saindo de Goiânia são 326 Km, enquanto de Brasília são 540 Km.

Mais informações:
(64) 3665-7011
http://www.piranhas.go.gov.br/home

Restaurantes e Lanchonetes: 
Churrascaria Caminhoneiro – (64) 3665-1431 / 3665-1738
Pesque Pague do Valdeci – (64) 9.9671-8235
Churrascaria Tatu – (64) 3665-1334
Sandu’ Pizza – (64) 9.9654-3349
Jantinha do Wagner – (64) 9.9977-1954

Hospedagem:
Hotel Real – (64) 3665-1268
Hotel Brasil – (64) 3665-1597
Tropical Palace Hotel – (64) 3665-1164
Hotel Cruzeiro do Sul – (64) 3665-1380
Hotel Planalto – (64) 3665-1282
Hotel Oriente – (64) 3665-1132

No coração do cerrado, cidade goiana carrega a fascinante coroa de Capital das Cachoeiras

Você está pronto para desvendar destinos esplendorosos e aventuras inesquecíveis no coração ecoturístico do Brasil? Então, coloque Caipônia, uma pérola situada no interior de Goiás, no topo da sua lista de destinos a visitar!

Imagine-se explorando as belezas naturais escondidas a 318 km de Goiânia e a 549 km de Brasília, nesta cidade emergente que está rapidamente se tornando a joia da coroa das férias sustentáveis no Brasil. Com a vizinha encantadora, Piranhas, a região promete uma cartela de atividades para todos os perfis de turistas.

Para os aficionados por emoções fortes, Caipônia se revela como um parque de diversões natural, ofertando esportes radicais como rapel e trilhas alucinantes para mountain bike. Imagine o arrepio de adrenalina ao se deparar com as monumentais cachoeiras que adornam a região, cenários perfeitos para desbravar aventuras e mergulhar na exuberante riqueza natural que o lugar oferece.

Anseia por destinos deslumbrantes e ecoturismo que revitaliza a alma? Caipônia, uma joia incrustada no coração de Goiás, se estende calorosamente diante de você, oferecendo uma tapeçaria rica de experiências envoltas na grandiosidade da natureza.

Descubra a mágica Caipônia

Localizada a uma distância acessível tanto de Goiânia quanto de Brasília, esta cidade que se encontra ao lado da encantadora Piranhas é o epicentro de um leque diversificado de aventuras, equilibrando serenidade e adrenalina com maestria.

Para os corações audazes

Os amantes de emoções fortes encontram em Caipônia um playground natural, abrigando esportes radicais que prometem arrebatar tanto veteranos quanto iniciantes. Delicie-se com trilhas vibrantes, descidas audaciosas de rapel e passeios de mountain bike que desafiam a gravidade, tudo isso enquanto é envolvido pelo cenário estonteante de cachoeiras majestosas que adicionam um toque de magia a cada aventura.

Para almas em busca de serenidade

Se sua busca é por tranquilidade, a cidade se mostra um refúgio idílico. Imersa na natureza virginal, oferece experiências que renovam as energias, seja através de banhos tranquilos em suas cachoeiras e rios, seja explorando a Gruta Santa e sua atmosfera mística, uma verdadeira ode ao ecoturismo.

Cultura e tradição

Além da riqueza natural, Caipônia carrega consigo uma herança rica e uma população calorosa e acolhedora. A história e a cultura local se entrelaçam nas tradições da cidade, desde a fascinante origem de seu nome, uma homenagem aos Índios Caiapós, até as celebrações contagiantes de seu carnaval, onde a alegria e a irreverência se fazem presentes em eventos icônicos como o desfile dos blocos Zé Pereira e Maria Pereira.

Aquarela de Atrações

A cidade, recentemente coroada como “Capital das Cachoeiras” pelo governo de Goiás, guarda em seu território um verdadeiro mosaico de maravilhas naturais que inclui:

  • Morro do Gigante Adormecido: Uma presença magnânima que vigia a cidade com uma tranquilidade eterna;

  • Cachoeiras Samambaia e Abóbora: As verdadeiras joias da coroa, pontos obrigatórios para aqueles que buscam uma conexão profunda com a natureza;

  • Gruta da Água Santa: Um convite para explorar as profundezas da terra e descobrir segredos ocultos em meio a formação rochosa surpreendente.

Planeje sua Visita

Para embarcar nesta jornada de descobertas, basta se dirigir à Caipônia por estrada, seja de Goiânia ou Brasília, um trajeto que promete ser tão agradável quanto o destino final. Uma vez na cidade, recomendamos o auxílio de guias turísticos para tornar sua experiência nas cachoeiras e demais pontos turísticos absolutamente inesquecível.

Não espere mais, desvende o que Caipônia, o oásis de Goiás, tem a oferecer, e permita-se cair de amores por este pedaço paradisíaco do Brasil que, com sua humildade e grandiosidade, promete capturar seu coração e acender sua paixão por aventuras.

Saiba mais sobre a cidade agota:

Confira agora os principais atrativos turísticos de Caiapônia:

 

Morro do Gigante Adormecido

 

 

Destino procurado pelos turistas em busca de aventura, Caiapônia também tem seu lado místico. A cidade abriga a Gruta da Água Santa, que tem atraído visitantes religiosos que acreditam que a gruta é um lugar para reflexão e oração, e a Serra do Gigante Adormecido, paredão místico que envolve a cidade e abriga formações rochosas esculpidas pela natureza, como o Rosto do Gigante Adormecido e os monumentos das Torres, da Freira e da Muralha.

44eda0f81581bdfb7ad24618c60ec0c3.JPG

 

 

Cachoeira da Samambaia

Com 54 metros de queda, a Cachoeira da Samambaia é destino perfeito para a prática de rapel, além de contar com um visual incrível. Localiza-se a uma distância de 50 quilômetros de Caiapônia, a metade pela BR-158 e o restante por estrada de chão.

9c520acec0328202dc772d91b96a5158.jpg

 

Cachoeira do Abóbora

A cachoeira do Abóbora apresenta uma queda de 52 metros e é uma das mais belas de Goiás, com um farto volume d’água e um poço muito profundo. Para chegar, saindo de Caiapônia, você também seguirá pela BR-158, passando por uma estrada de terra. A trilha é mais pesada, com 30 minutos de caminhada. A Goiás Turismo recomenda o acompanhamento de um guia local.

bd70cb3c64b7dc744ac93e28b70b5dad.jpg

 

 Santa Helena 1 e 2

Saída pela manhã para Cachoeira da Santa Helena à 78km do centro da cidade sendo 43km de asfalto e 35km de chão, com várias quedas e uma beleza incondicional, com vários poços de águas cristalinas próprias para banho, com águas cristalinas e praia propicia para banho e bronzeamento. Nesta cachoeira faremos uma Trilha no complexo de cachoeiras de 1 km.

fc6182536048f9538cc1e609c58f0d14.jpg

073516fba8dfed8950f47cafe24f5760.jpg

 

 Gruta das Águas Santas

Saída pela manhã para Gruta das Águas Santas: localizada à 38km do centro, com águas cristalinas e uma vista incondicional. Com uma imagem de nossa senhora aparecida em cima de uma pedra onde o turista faz a sua oração e goteira água do teto da gruta em frente a imagem. Trilha de 3km.

1dc3559e2514729e5532cc1a3f3e463d.JPG

 

Cachoeira do Coqueiro

Deslocando 60 km para Cachoeira do Rio Verdão com 30 metros de altura e um poço ao pé da cachoeira ótimo para banho e contemplação, uma trilha de 200 metros para Cachoeira do Coqueiro com 15 metros de altura e águas cristalinas próprias para banho e contemplação.

144ed98b8af23c6ab13bd0ca50a4596e.JPG

 

 Cachoeira Campo Belo

Deslocamento para Cachoeira do Campo Belo e caverna do índio Caiapó com trilha no cerrado de 3km fazendo observação de aves e plantas nativas no cerrado chegamos a cachoeira com 45metros de altura ao pé um lindo poço com águas cristalinas para banho. Andando mais um pouco chegamos a gruta dos índios Caiapós onde eles se escondiam dos colonos que queriam fazer eles de escravos.

8e619d0cf1c2cecc8bf1b7714341bbf6.jpg

 

Cachoeira Jalapa

A Cachoeira Japala está localizada à 16km do centro, com um belo poço para tomar banho e várias quedas.

eeaad8a6cff732b9b70307ab43092691.jpg

 

 

Cachoeira do Lageado

Essa linda cachoeira possui uma queda bem menor, no entanto é mais propícia para quem quer tomar um banho e relaxar em um lugar de fácil acesso e tranquilo. O ambiente é bem organizado, com área gramada e lugar para pouso. Há também uma lojinha no local para alimentos e bebidas. Fica a pouco mais de 50 km do perímetro urbano da cidade, seguindo pela BR-158, virando à esquerda na GO-221 e depois à direita a GO-188.

75e279cdbebc6a4bedaf07454462d03a.JPG

 

 Cachoeira do Pântano

Possui uma queda de 35 metros e recebe esse nome por ser formada pelas águas do ribeirão do Pântano. Tem uma larga faixa de areia e um poço profundo. O acesso é difícil e o mais recomendado para chegar até lá é a contratação de um guia na cidade. Fica a 14 km da saída norte de Caiapônia, seguindo pela GO-221.

e86e87d24869e19ad99509bfc7636835.jpg

 

BÔNUS: Caiapônia tem uma das vistas aéreas mais lindas de Goiás

No início de 2017, um grupo de amigos passou pela cidade durante uma viagem de turismo. Sem saber o que esperar, eles logo se apaixonaram pelo município e suas belas paisagens. Tanto que produziram um vídeo incrível mostrando sua experiência e as belezas naturais que Caiapônia guarda.

 

 

 

Informações de hospedagem e alimentação em Caiapônia:
Prefeitura de Caiapônia: (64) 3663-1025
Secretaria de Turismo de Caiapônia: (64) 3663-2868
Secretaria de Desporto e Lazer de Caiapônia: (64) 3663-1899

Como chegar:
Acesso pela Rodovia dos Romeiros até Iporá-GO, depois acesso pela rodovia GO-221.

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

 

Foto de Capa: Turismo Caiaponia

5 curiosidades fascinantes sobre a extraordinária Chapada dos Veadeiros

No coração do Brasil, onde a vegetação do cerrado encontra-se com imponentes formações rochosas, a Chapada dos Veadeiros se destaca como um dos destinos turísticos mais fascinantes e mágicos do país. Situada no estado de Goiás, a cerca de 230 km da capital Brasília, a região é um convite à exploração e ao encantamento, permitindo aos visitantes uma verdadeira imersão na natureza preservada e em culturas tradicionais ricas em histórias e sabedoria ancestral.

 

O local é um vasto parque nacional, fundado em 1961, que preserva o legado natural e cultural desse pedaço único do Brasil, protegendo espécies endêmicas e promovendo a sustentabilidade e o turismo consciente. A visita à Chapada oferece uma verdadeira aula de biologia e geologia a céu aberto, onde cada trilha revela novas facetas de uma região que é um verdadeiro mosaico de biodiversidade.

 

 Seus campos rupestres e cerrados abrigam uma diversidade florística que surpreende até os botânicos mais experientes, enquanto os rios e cachoeiras de águas cristalinas são o habitat natural de uma variada fauna aquática, apresentando uma gama diversificada de peixes, entre outros animais. Os amantes da natureza não são os únicos a se encantarem com a Chapada.

 

 O local é também um ponto de encontro para quem busca espiritualidade e bem-estar, oferecendo uma série de retiros e espaços voltados para a meditação e práticas holísticas. A energia da região, potencializada pela grande presença de cristais de quartzo no solo, proporciona uma atmosfera de tranquilidade e renovação, fazendo com que muitos a considerem um verdadeiro santuário energético.

 

Ao planejar uma visita à Chapada dos Veadeiros, é importante destacar o protagonismo e a resiliência das comunidades tradicionais que habitam a região. Eles são os verdadeiros guardiães deste patrimônio, que com sabedoria e respeito pela terra, têm preservado por gerações as belezas naturais e a cultura rica e diversificada do lugar.

 

 Uma viagem à Chapada não é apenas uma oportunidade para desfrutar da natureza exuberante, mas também uma chance de aprender e crescer através do contato com culturas que têm tanto para ensinar. Confira mais detalhes abaixo: 

 

1. Patrimônio Natural da Humanidade

Em 2001, a UNESCO concedeu à Chapada dos Veadeiros o título de Patrimônio Natural da Humanidade. Este reconhecimento é uma prova da rica biodiversidade da região e da presença de espécies endêmicas, que são aquelas que só existem nesse local.

2. Alto Índice de Cristais de Quartzo

A Chapada dos Veadeiros é conhecida por possuir um dos solos mais ricos em cristais de quartzo no mundo. Essa característica tem fomentado diversas crenças e teorias, incluindo a de que a área teria uma “energia especial” devido à presença destes minerais.

3. Flora e Fauna Diversificadas

A região da Chapada dos Veadeiros abriga um dos ecossistemas mais ricos e diversificados do mundo, sendo o lar de cerca de 1.600 espécies de plantas, 120 de mamíferos, e 150 de aves, além de uma ampla variedade de insetos, muitos dos quais são endêmicos.

4. Chapada dos Veadeiros e a Espiritualidade

O local é considerado um centro de energia e espiritualidade, atraindo pessoas de todo o mundo em busca de cura e crescimento espiritual. Muitos visitantes afirmam sentir uma energia diferenciada e renovadora ao visitar certos pontos da Chapada, o que acaba conferindo à região uma atmosfera mística e tranquilizadora.

5. Protagonismo das Comunidades Tradicionais

O território é lar de diversas comunidades tradicionais, como os Kalunga, que são descendentes de quilombolas, e os aldeamentos indígenas. Estas comunidades desempenham um papel vital na preservação da cultura e da biodiversidade local, oferecendo aos visitantes a oportunidade única de imersão em suas tradições e histórias.

 

Cidade goiana no entorno de Brasília tem um paraíso escondido com aventura e emoção sem limites

Mais de três décadas celebrando a liberdade dos céus: a Rampa do Vale do Paranã, situada em um ponto estratégico entre os municípios goianos de Planaltina e Formosa, a apenas 80 km de Brasília e a 281 km de Goiânua, tem sido o palco de campeonatos de voo livre que fazem o coração pulsar mais forte e deixam na memória momentos de puro êxtase.

A Rampa, um verdadeiro santuário para os entusiastas do voo livre, se aninha nas curvas sinuosas do relevo goiano, proporcionando um espetáculo visual sem igual. As majestosas montanhas e vales do Vão do Paranã, um território que se estende por cerca de 17 mil km² e abriga 12 municípios, são o cenário perfeito para aventuras inesquecíveis.

Nesse paraíso escondido em Formosa, onde a natureza se apresenta em sua forma mais esplêndida, as emoções fluem à flor da pele a cada decolagem e pouso, numa dança aérea que desafia as leis da gravidade. As sensações são amplificadas pelo clima, que nos dias úmidos, convida você a flutuar entre as nuvens em uma experiência quase transcendental.

Para os aventureiros de plantão e amantes do ecoturismo, as opções são vastas e vão muito além dos céus. As trilhas prometem rotas de tirar o fôlego, guiando os caminhantes através de cenários cinematográficos, onde cada passo revela uma nova surpresa da mãe natureza.

O local não é apenas uma rampa de decolagem; é um convite aberto para explorar, sentir e viver intensamente cada momento, seja caminhando por trilhas arrebatadoras, vivenciando a adrenalina de um voo livre, ou simplesmente contemplando a grandiosidade da natureza a partir dos diversos mirantes disponíveis.

A preservação ambiental é uma prioridade, e por isso, recomenda-se a contratação de guias turísticos, garantindo uma aventura segura e consciente. Em meio a essa experiência única, há ainda o privilégio de degustar uma gastronomia local rica e variada, proporcionando uma jornada também saborosa.

Prepare-se para sentir o coração acelerar e os olhos se encherem de beleza e emoção. Seja bem-vindo ao glorioso Vale do Paranã, onde cada visita se transforma em uma experiência mágica, onde os sonhos de voar se tornam realidade, e onde cada trilha se revela um convite para uma nova aventura, um novo desafio, uma nova descoberta. Venha descobrir o que torna o Vale do Paranã o destino predileto dos sonhadores e aventureiros. Venha viver a sua própria epopeia goiana.

Goiás abriga fascinante, misteriosa e apaixonante lagoa azul

A deslumbrante Lagoa dos Cristais, situada em Cristalina, no entorno do Distrito Federal, destaca-se como uma joia turística de Goiás. A menos de 130,8 km de Brasília e aproximadamente 281,3 km de Goiânia, esta maravilha natural surpreende por suas águas de tonalidade azul-turquesa, reminiscentes das paradisíacas praias caribenhas.

 

Curiosamente, o cenário espetacular surgiu onde outrora existia um garimpo desativado. As escavações atingiram o lençol freático, originando assim um lago de impressionante coloração azul-esverdeada e águas cristalinas.

 

Com profundidade aproximada de 30 metros e uma temperatura amena em torno de 26,5°C, a Lagoa dos Cristais está inserida no Adventure Park, uma propriedade privada. Portanto, para desfrutar deste paraíso, é necessário um agendamento prévio.

 

O espaço oferece uma gama de atividades aos visitantes: desde relaxantes banhos na lagoa e passeios de caiaque ou stand up, até imersões mais profundas para os entusiastas do mergulho. Para os amantes de trekking, trilhas locais conduzem a outro esplendor de Cristalina, a Pedra Chapéu do Sol, uma formação rochosa que remonta a milhões de anos atrás.

Os 7 destinos mais extraordinários do mundo para trilhas inesquecíveis (um deles fica em Goiás)

Uma pesquisa realizada pela Booking.com revelou que mais da metade dos brasileiros considera a atividade física como uma motivação pessoal para viajar. Pensando nisso, a plataforma compilou uma lista com sete destinos ao redor do mundo que oferecem trilhas surpreendentes e experiências inesquecíveis.

Do majestoso Monte Kilimanjaro, na África, aos deslumbrantes Himalaias, na Índia, esses destinos proporcionam aventuras para aventureiros de todos os níveis de condicionamento físico.

 

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, GoiásBrasil

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros ocupa uma área de mais 240.000 hectares entre os Municípios de Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante, Teresina de Goiás, Nova Roma e São João d’Aliança no interior de Goiás. Ao todo, são quatro trilhas oficiais que compõem o percurso com cores específicas para cada uma, com diferentes níveis de dificuldade. A Trilha da Siriema é o circuito mais fácil, as Trilhas dos Saltos e dos Cânions são as mais famosas, enquanto a Trilha das Sete Quedas tem um grau dificuldade um pouco maior, com possibilidade de pernoite em camping à beira do Rio Preto, onde está localizada a Cachoeira das 7 Quedas. A proposta é chegar no camping para assistir ao pôr do sol e um céu incrivelmente nítido e repleto de estrelas. Todas as trilhas têm paisagens de belezas naturais exuberantes, com cachoeiras, lagos, nascentes e uma imensa variedade de fauna e flora, sendo difícil escolher a mais bonita.

     

Onde se hospedar: Depois de um dia cansativo de trilhas, os Chalés Recanto do Paraíso são uma ótima oportunidade para descansar com todo o conforto. A hospedagem está localizada na cidade de Alto Paraíso de Goiás e os chalés possuem camas aconchegantes, ar-condicionado, TV de tela plana, banheiro privativo, roupa de cama e toalhas. Alguns quartos ainda têm uma cozinha com geladeira, forno e frigobar e uma banheira de hidromassagem, perfeita para relaxar o corpo depois da rotina de exercícios. Para começar o dia preparado, a propriedade ainda oferece um café da manhã servido de acordo com as escolhas de cada hóspede.

 

Monte Kilimanjaro em ArushaTanzânia

O Monte Kilimanjaro, no norte da Tanzânia, é uma maravilha da natureza. O lugar é um dos sete picos do mundo e a montanha independente mais alta do globo, com 5.895 metros acima do nível do mar. O viajante pode fazer uma caminhada de um dia ou percorrer uma distância de 56 km durante cinco a sete dias para chegar ao cume. Há várias trilhas diferentes para encarar esse desafio, todas repletas de vistas incríveis e vida selvagem. A cidade de Arusha está localizada na base do vulcão Monte Meru e é uma porta de entrada para o Kilimanjaro e vários parques de safári. Para quem prefere uma caminhada mais tranquila com uma dose cultural, vale a pena reservar um passeio com cachoeira e café saindo de Moshi, para conhecer a Cachoeira Materuni, a cultura do café e a vida local da tribo Chagga, no sopé do Monte Kilimanjaro.

     

Onde se hospedar: Kutoka Lodge é um oásis calmo situado nos arredores de Arusha. É um ótimo lugar para ficar antes ou depois de conhecer o Monte Kilimanjaro. Essa cabana tradicional africana conta com um restaurante que serve deliciosa culinária local, como ensopado de carne e banana-da-terra. Os quartos oferecem vistas das montanhas a partir das varandas privativas e um café da manhã continental é servido diariamente com pães e doces preparados no dia e frutas. Além disso, uma churrasqueira no jardim permite fazer refeições ao ar livre em meio às acácias e apreciar a grande variedade de pássaros, de beija-flores a garças.

 

Springer Mountain em EllijayEstados Unidos

Springer Mountain é um dos destinos de caminhada mais famosos da Geórgia. Suas colinas rochosas dão lugar a belas vistas da cordilheira Blue Ridge ao redor. A Appalachian Trail começa no pico e é uma das trilhas mais longas do mundo, levando caminhantes por 14 estados, da Geórgia ao Maine, em uma jornada de cinco a sete meses. A caminhada completa abrange mais de 3.200 Km, passando principalmente pela natureza selvagem. No entanto, é possível percorrer partes do trajeto em todos os estados pelos quais ele passa. Considerada uma rota moderadamente desafiadora, a trilha circular de 16,1 km até o cume da Springer Mountain é ideal para mochilão, observação de pássaros e camping. Além disso, viajantes podem desfrutar da solidão nos momentos mais calmos do dia. A trilha fica aberta o ano todo e é linda em todas as estações, apresentando flores silvestres no verão e tons coloridos no outono e inverno. Cães também são bem-vindos e podem ficar sem coleira em algumas áreas. Essa é uma ótima notícia para 74% dos viajantes brasileiros que desejam planejar suas viagens pensando nas necessidades dos seus animais de estimação.**

     

Onde se hospedar: Situado nas montanhas do norte da Geórgia, o Villas at Gingershack Farms oferece uma estadia remota onde o hóspede pode apreciar os sons da natureza, como ouvir o riacho correndo e o canto dos pássaros. Com uma localização ideal a uma curta viagem de carro da Springer Mountain, cada chalé de madeira possui camas confortáveis, cozinha totalmente equipada, máquina de lavar e vistas do rio. É possível alimentar galinhas e cabras na pequena fazenda de animais e conhecer o artesanato dos Apalaches oferecido pelos anfitriões. Outra opção é se reunir em torno de uma fogueira aquecida para tostar marshmallows no final do dia.

 

Nagarkot Trail em KatmanduNepal

A fácil caminhada pela natureza de Nagarkot é uma das trilhas curtas mais famosas no vale de Katmandu. A rota percorre o vilarejo de Nagarkot, passando por colinas, florestas e campos de flores de mostarda. O viajante passará por fazendas de tijolos de barro nas aldeias de Tamang até a torre de observação de Nagarkot. Como recompensa, é possível apreciar as vistas panorâmicas das montanhas nevadas do Himalaia e o nascer do sol do Monte Everest. O aroma da floresta cheia de pinheiros e rododendros torna a subida ainda mais agradável. Para tornar as férias ainda melhores, vale um passeio de um dia pelos patrimônios tombados pela UNESCO em Katmandu, para visitar antigos templos hindus, mosteiros budistas, além de restaurantes e mercados locais. 

     

Onde se hospedar: Localizada no vale de Katmandu, a ROKPA Guest House fica a poucos passos da Boudha Stupa, a estupa tibetana mais sagrada e Patrimônio Mundial da UNESCO. Essa casa de hóspedes descontraída oferece vistas incríveis e um jardim tranquilo para tomar café da manhã. Seu restaurante e café contemporâneo em estilo bistrô fica aberto o dia todo e serve uma variedade de pratos tradicionais nepaleses e internacionais, café do Himalaia e pães e doces para repor as energias. Esse é um ótimo lugar para relaxar antes de uma caminhada. A propriedade também conta com uma biblioteca, uma sala de cinema e vistas das montanhas. Além disso, essa acomodação com selo Viagem Sustentável da Booking.com faz parte da ONG ROKPA e investe uma porcentagem da sua receita para apoiar projetos locais.

 

Circuito Toubkal em AsniMarrocos

As Montanhas do Atlas do Marrocos possuem o cume mais alto do norte da África, com 4.167 metros acima do nível do mar, e o Circuito de Toubkal é uma trilha que contorna o pico. Apresentando uma das melhores caminhadas de vários dias da África, essa trilha de 60 km atravessa vales de oásis, passagens de montanhas e cordilheiras panorâmicas. O viajante poderá tirar muitas fotos incríveis, como do Lago de Ifni, de cor turquesa. Os itinerários famosos duram de dois a sete dias, e a maioria dos trilheiros acampa durante a noite. Também é possível encontrar moradores que oferecem camas em suas casas a baixo custo. É possível ainda conhecer o segundo pico mais alto da África, o Monte Toubkal, em um passeio guiado pelo Alto Atlas e Deserto de Agafay, para descobrir cascatas e mergulhar na cultura berbere, visitando uma comunidade nativa para tomar chá.

     

Onde se hospedar: O luxuoso hotel Kasbah Tamadot está situado no sopé das Montanhas do Atlas, perto do Circuito Toubkal e de Marrakech. É um local ideal para caminhantes. As acomodações variam de suítes e quartos luxuosos a tendas em estilo berbere, todas com tecidos bem coloridos, antiguidades marroquinas e madeira esculpida. O hotel conta com spa de luxo, piscina de borda infinita, jardins paisagísticos com gazebos e cinema ao ar livre para que os hóspedes possam relaxar após o trekking. Pratos marroquinos e internacionais são servidos no restaurante no local, em um terraço com vista do vale cor de ferrugem. Além disso, o hóspede poderá terminar o dia mergulhando nas piscinas de imersão privativas ou banheiras de hidromassagem sob um céu estrelado.

 

Mae Salong Tea Trail em Mae Salong NaiTailândia

O Boucle Mae Salong fica no norte da Tailândia, onde o viajante pode conhecer uma trilha de 3,1 Km perto de Chiang Rai. Essa rota fácil, mas gratificante, começa em Ban Mai Snati e atravessa trechos de florestas e plantações de chá no vale, e a melhor época para visitá-la é de novembro a fevereiro. Há vários tipos de plantas e vida selvagem para observar ao longo do caminho. Além disso, é possível experimentar as folhas mergulhadas na água para tomar um chá refrescante, feito pelos habitantes locais. Viajantes têm a opção de percorrer o trajeto por conta própria ou vivenciar essa aventura com um guia local. Mae Salong Nai é conhecida por seu famoso triângulo de ouro. É possível reservar um Passeio privativo por Chiang Rai e pelo Triângulo de Ouro, para visitar a antiga cidade ribeirinha de Chiang Saen e um vilarejo tradicional para conhecer a tribo Long Neck Karen.

     

Onde se hospedar: Rodeado por florestas, o Katiliya Mountain Resort And Spa está situado nas colinas cobertas de névoa do norte da Tailândia, perto de Chiang Rai. Suas acomodações espaçosas incluem grandes varandas privativas com vistas dos vales verdes e dos lagos de montanhas. O hóspede pode relaxar no spa, que oferece uma variedade de massagens para acalmar e revitalizar os músculos após uma caminhada. Outra opção é saborear uma seleção de pratos tailandeses e internacionais feitos com alimentos orgânicos no restaurante com terraço do hotel. Dentro dessa acomodação com selo Viagem Sustentável da Booking.com há um amplo parque natural, que abriga mais de 100 animais e um santuário de araras e pássaros.

 

Os Himalaias em Mukteshwar, Índia

Os Himalaias formam a cordilheira mais alta do mundo, conhecida por seus picos íngremes e geleiras de montanha, que se estendem pela porção nordeste da Índia. Cobrindo mais de 2.400 Km e passando por Paquistão, Afeganistão, China, Butão e Nepal, a cordilheira conta com o pico mais alto da Terra, o Monte Everest. Ricos em biodiversidade, os climas variam de tropicais, na base das montanhas, até neve e gelo perenes nas altitudes mais altas. Situado no sopé da cordilheira na Índia, o vilarejo de Mukteshwar é um famoso destino de trekking para viajantes. A região é abençoada com algumas das vistas mais espetaculares do Himalaia. As florestas e as casinhas de pedra dão à vila uma identidade única e permitem que viajantes conheçam de perto os Himalaias sem precisar caminhar por dias ou dirigir por terrenos perigosos. Mukteshwar tem excelentes rotas de caminhada de vários dias para todos os níveis, como as famosas trilhas pelo templo e pelo riacho de Padampuri.

     

Onde se hospedar: A casa de hóspedes SHIVAYA since 1953 está situada no vilarejo de Mukteshwar, a uma curta viagem de carro do Lago Bhimtal. Essa acomodação boutique oferece vistas da cordilheira do Himalaia, perto do início das trilhas. Construído em 1953, o hotel de gerência familiar tem uma história rica e apresenta decoração aconchegante, que permite relaxar após a caminhada. A acomodação com selo Viagem Sustentável da Booking.com possui uma horta orgânica no local e obtém outros produtos orgânicos de fazendas locais. O hóspede pode saborear o café da manhã na estufa ao ar livre ou descansar os pés enquanto admira o pôr do sol e as vistas das montanhas a partir dos terraços privativos. O hotel tem empréstimo grátis de bicicletas para quem deseja descobrir os arredores, como o antigo Templo Hindu de Mukteshwar e a Cachoeira Bhalu Gaad.

 

*Pesquisa encomendada pela Booking.com e realizada de maneira independente com 47.728 entrevistados em 28 mercados. Para participar dessa pesquisa, os participantes deveriam ter mais de 18 anos, terem viajado pelo menos uma vez nos últimos 12 meses e serem responsáveis pela decisão ou estarem envolvidos no processo de tomada de decisão da viagem. A pesquisa foi feita on-line e ocorreu em novembro de 2020.

**A pesquisa Previsões de Viagem para 2023 foi encomendada pela Booking.com e realizada com um grupo de adultos que planeja viajar a lazer ou a negócios nos próximos 12 a 24 meses. No total, 24.179 pessoas em 32 países e territórios participaram da pesquisa. Os participantes responderam a uma pesquisa on-line em agosto de 2022.

Goiás tem parque apaixonante que abriga raro fenômeno natural

Imagine um lugar de paz, repleto de animais exóticos e belezas naturais. Agora, acrescente a isso um clima perfeito para aventuras e uma atmosfera apaixonante. Então deixa eu te apresentar o Parque Nacional das Emas (PNE) em Goiás, o destino perfeito para viver isso e mais um pouco!

O lugar é um verdadeiro paraíso. Ao pôr do sol, a natureza ganha vida, banhada pela bioluminescência dos grandes cupinzeiros. Para compor o cenário, o céu é desenhado pela Via Láctea que pode ser observa a olha nu.

Parque

Foto: Alessandro Bearzi

Parque

Foto: Alessandro Bearzi

Para quem vive na cidade, rodeado por prédios e a poluição dos grandes centros urbanos, a viagem ao Parque é verdadeiramente mágica.

Parque

Foto: Alessandro Bearzi

Parque

Foto: Alessandro Bearzi

 

Como Chegar

Um dos lugares mais incríveis do Brasil, está localizado nas proximidades de Mineiros, Chapadão do Céu e Serranópolis. De Goiânia até o local, o trajeto conta com 424,3 Km de extensão, ou 5h28min de viagem, passando por cidades como Jataí e Rio Verde.

De Brasília até o Parque, o trajeto aumenta para 713,9 Km de extensão, ou 8h58min.

 

Turismo no Parque Nacional das Emas

O Parque possui uma área de, aproximadamente, 1.320 m², sendo considerado uma das principais áreas de conservação da biodiversidade do cerrado brasileiro, onde fauna e flora se unem para dar ao lugar uma energia impressionante.

Parque

Foto: Alessandro Bearzi

Tem que ter coragem! Com um leque de atividades para os aventureiros e amantes da natureza, o local conta com trilhas de caminhada e prática de esportes radicais.

 

Boia Cross

Percorrendo as correntezas de 1200km do rio Formoso, o Boia Cross consiste em uma aventura emocionante ao longo de 40 minutos. São apenas você, sua boia e as águas fortes e geladas do rio. Por isso, a diversão só é permitida para pessoas com mais de 12 anos.

Parque

Foto: Alessandro Bearzi

Antes de sua prática, os técnicos responsáveis te ajudam a realizar um treino rápido.

Parque

Foto: Alessandro Bearzi

 

Safari de Carro

Se você tiver um carro 4X4, está livre para decidir se quer fazer o safari nele. Caso contrário, é importante reservar um horário no carro safari, uma vez que o serviço é terceirizado. Logo, é comum que haja períodos de não funcionamento.

Parque

Foto: Alessandro Bearzi

O safari é a principal atração do local. Em um passeio com cerda de 8 horas de duração, por toda a extensão do parque, o guia te apresenta as belezas do local.

Parque

Foto: Reprodução

Parque

Foto: Alessandro Bearzi

É assim que você consegue contemplar animais exóticos da região como lobo-guará, raposa-do-campo, cachorro-do-mato, cuícas, catitas, tamanduá-bandeira, onças, cervo, codorna, inhambu, bacurau-rabo-branco e outros.

Parque

Foto: Alessandro Bearzi

Parque

Foto: Alessandro Bearzi

 

Ciclismo

Mas se você curte viagens mais naturais e imersões completas na natureza, você também pode optar por trilhar algumas áreas a pé ou de bicicleta, de forma autoguiada. Acessando do portão Jacuba ao Bandeira.

Para a trilha você pode utilizar sua própria bicicleta ou alugar uma.

Parque

Foto: Alessandro Bearzi

Serviço

Parque Nacional das Emas

Administração: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade

Imagem: Goiás Turismo

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.