Cidade do Tocantins tem praia com azul apaixonante que está conquistando o mundo

No coração do Brasil, o estado do Tocantins esconde um tesouro natural notável que atrai turistas em busca de experiências únicas ao sol, na areia e aventuras ao ar livre. Situada no município de Peixe, a Ecopraia da Tartaruga, com o azul cristalino das águas do Rio Tocantins, encanta visitantes que buscam esta praia específica para desfrutar de suas paisagens deslumbrantes e relaxar em um ambiente naturalmente preservado. Peixe está localizada a cerca de 510 km de Goiânia, 835 km de Brasília e 304 km de Palmas, tornando-a acessível para visitantes de várias regiões do Brasil que buscam escapar da rotina e mergulhar na tranquilidade e na beleza natural do Tocantins.

A história da cidade que abriga a Praia da Tartaruga

A cidade de Peixe, no Tocantins, possui uma história rica e fascinante. Segundo a lenda, o município originou-se entre os anos de 1776 e 1780 no acampamento do Alferes Ramos Jubé. Ele se instalou na região com 25 praças sob seu comando, a serviço do Governo da Província, para impedir ataques dos índios Canoeiros aos emissários que vinham de Vila Boa de Goiás, rumo a Natividade, atravessando o rio Tocantins naquele local.

Para defender o arraial, Ramos Jubé construiu a primeira casa de telhas, semelhante a um forte, e iniciou a primeira Casa de Oração do local, onde hoje se localiza a Praça Getúlio Vargas.  A imagem de Nossa Senhora da Abadia, padroeira da cidade, foi levada para lá por ele. Com a proteção de Ramos Jubé, um povoado foi se formando à beira do porto com a migração de famílias vindas de diversas localidades. Os primeiros moradores, como Francisco da Silva Montes e Joaquim Tavares, auxiliaram o Alferes no combate aos índios.

O nome “Peixe” surgiu após uma grande enchente que fez com que o rio Tocantins despejasse suas águas nas vazantes, atingindo uma grande lagoa próxima ao povoado. Quando as águas baixaram, um peixe de tamanho anormal ficou preso na lagoa, onde morreu. O peixe era tão grande que quatro mulheres podiam bater roupas em sua cabeça. Desde então, os viajantes começaram a referir-se ao local como o rio onde foi encontrado o peixe.

A cidade cresceu em torno do porto, que era uma passagem obrigatória para todos que desejavam atravessar o rio Tocantins, e é marcada pela arquitetura portuguesa, com casarões antigos. Peixe celebrou sua emancipação em 20 de junho de 1895. Hoje, Peixe é conhecida por sua vibrante praia na Ilha da Tartaruga, que se torna um ponto de encontro cheio de vida durante a temporada turística de junho a agosto, com uma infraestrutura completa para receber os visitantes. Com uma população de 11.873 habitantes, a cidade celebra seu 127º aniversário em 2024 com grande entusiasmo.

A Praia da Tartaruga

A Ecopraia da Tartaruga, localizada no município de Peixe, no Tocantins, é uma joia natural que se destaca não apenas por sua beleza, mas também pela sua importância ecológica e cultural. Durante a temporada de verão, que geralmente ocorre de junho a agosto, a praia se transforma em um vibrante ponto de encontro para turistas e moradores locais.

As águas cristalinas e a areia branca são características marcantes da Ecopraia da Tartaruga, que se forma com a baixa do rio Tocantins. A praia é conhecida por ser um dos destinos mais procurados da região, atraindo visitantes de todo o país para desfrutar de sua tranquilidade e beleza natural. A infraestrutura da praia é montada para a alta temporada, com uma programação que inclui shows e eventos culturais, proporcionando entretenimento e lazer para todos os públicos.

Além disso, a praia é um símbolo de orgulho e progressopara a comunidade local. A cada temporada, novas melhorias e investimentos são feitos para garantir que a Ecopraia da Tartaruga continue sendo um destino encantador e sustentável. A praia não é apenas um lugar para relaxar, mas também um espaço onde a natureza e a cultura se encontram, criando memórias inesquecíveis para aqueles que a visitam.

Venha para a Ecopraia da Tartaruga e descubra um paraíso onde a natureza é preservada, a cultura é celebrada, e a aventura espera por você. Deixe-se levar pela magia deste lugar e torne-se parte da história viva do Tocantins.

Confira fotos da Ecopraia da Tartaruga:

Ecopraia da Tartaruga. Crédito; Governo do Tocantins

Ecopraia da Tartaruga. Crédito; Governo do Tocantins

Ecopraia da Tartaruga. Crédito; Governo do Tocantins

Ecopraia da Tartaruga. Crédito; Governo do Tocantins

Ecopraia da Tartaruga. Crédito; Governo do Tocantins

Ecopraia da Tartaruga. Crédito; Governo do Tocantins

Ecopraia da Tartaruga. Crédito; Governo do Tocantins

Ecopraia da Tartaruga. Crédito; Governo do Tocantins

A praia de Peixe tem como característica o azul da água. Foto: Instagram Praia de peixe

A praia de Peixe tem como característica o azul da água. Foto: Instagram Praia de peixe

Parque extraordinário no sul do Brasil é destino perfeito para quem gosta de aventura

O Salto do Yucumã, situado no Parque Estadual do Turvo, em Derrubadas, no Rio Grande do Sul, é uma maravilha natural que se destaca por ser a maior cachoeira longitudinal do mundo. Com cerca de 1.800 metros de extensão, o Salto do Yucumã oferece uma paisagem de tirar o fôlego, caracterizada pelas águas do Rio Uruguai que se despenham em quedas que podem atingir de 12 a 15 metros de altura.

O Parque Estadual do Turvo, criado em 1954, é um dos mais importantes refúgios para a biodiversidade gaúcha, abrigando espécies ameaçadas como a onça-pintada e a anta. A área protegida, que ocupa cerca de 17.500 hectares, é considerada uma das últimas áreas de floresta subtropical contínua do país.

O Parque Estadual do Turvo, criado em 1947 e situado no município de Derrubadas, no Rio Grande do Sul, é uma área de conservação de importância crítica para a biodiversidade brasileira. Com 17.491,40 hectares, o parque se encontra no bioma da Mata Atlântica e é reconhecido como um dos últimos redutos de floresta subtropical contínua do Brasil. Ele é o lar de uma biodiversidade rica, incluindo espécies ameaçadas como a onça-pintada e a anta.

O parque faz parte do proposto Corredor Trinacional de Biodiversidade, um projeto que visa conectar unidades de conservação no Brasil, Paraguai e Argentina na ecorregião do Alto Paraná. Esta área é essencial para a preservação de habitats naturais e a manutenção da diversidade de espécies.

Dentro do parque, a altitude varia de 100 a 400 metros acima do nível do mar, e o terreno inclui encostas íngremes que drenam para vales abertos ao norte e oeste. O solo é argiloso, vermelho escuro, raso e muito suscetível à erosão. O clima subtropical temperado úmido favorece a formação de nevoeiros frequentes e a precipitação anual pode chegar a 1.900 milímetros.

A vegetação é composta principalmente por árvores decíduas, com um dossel de cerca de 20 metros de altura e indivíduos emergentes que podem alcançar 30 metros. Abaixo deste dossel, há uma camada de árvores perenes mais densas. O parque também abriga espécies de plantas importantes, como cincho, canela, canjerana, embirão e grápia. Há quase 290 espécies de aves e mais de 30 espécies de mamíferos de médio e grande porte no parque, incluindo o puma, pecari, anta, veado, ocelote, tamanduá, capivara, macaco bugio e lontra.

Para os visitantes, o Parque Estadual do Turvo oferece diversas atrações. As trilhas são um destaque, com a Trilha do Salto do Yucumã, Trilha das Lagoas e Trilha das Onças oferecendo experiências únicas de contato com a natureza. A Trilha do Salto do Yucumã, em particular, é uma caminhada imperdível, permitindo aos turistas explorar a mata nativa e apreciar a vista da cachoeira. Esta trilha é bem sinalizada e considerada de dificuldade moderada. A Trilha das Lagoas e a Trilha das Onças variam em dificuldade de fácil a médio e médio a difícil, respectivamente.

É importante ressaltar que o parque está aberto para visitação de quinta a segunda-feira, com horários específicos para entrada e permanência. Além disso, existem regras estritas para preservar o ecossistema, incluindo a proibição de entrar com animais de estimação, bebidas alcoólicas, fumar dentro do parque e coletar qualquer material sem autorização.

A melhor época para visitar o Parque Estadual do Turvo é entre novembro e abril, durante o verão, quando o nível das águas do rio está mais baixo, proporcionando uma visão clara das quedas. No entanto, o Salto do Yucumã está atualmente ameaçado pela construção da barragem hidrelétrica do Roncador, um projeto que enfrenta resistência de ambientalistas, pois inundaria cerca de 25% do parque.

Para os interessados em explorar esta maravilha natural, é recomendável chegar cedo e estar preparado para caminhar, levando vestuário adequado para o clima da região, além de lanche e água, já que não há opções de alimentação dentro do parque.

Quanto à hospedagem, não há opções dentro do parque, mas existem diversas alternativas nos municípios da região, como em Derrubadas e Tenente Portela, RS, além de Itapiranga, Santa Catarina.

É importante mencionar que a melhor época para visitar o Salto do Yucumã é entre novembro e abril, período de menor incidência de chuvas, o que aumenta a probabilidade de uma boa visibilidade das quedas. Durante o inverno, o aumento do nível do Rio Uruguai pode ocultar as quedas d’água.

Para a visitação, é recomendável levar lanches e água, pois não há restaurantes ou lanchonetes dentro do parque. Além disso, é essencial respeitar as regras do parque, como não danificar a flora, não alimentar os animais e não sair das trilhas.

O acesso ao parque é feito por uma estrada asfaltada até a entrada, seguida por uma estrada de chão interna de 15 km, que deve ser percorrida com veículo próprio. A entrada no parque é paga, com tarifas variáveis para diferentes serviços e descontos para determinados grupos, como crianças, idosos e estudantes.

Leia também:

Capital do Nordeste é considerada a capital mundial do carnaval

Você precisa conhecer essa praia paradisíaca que fica bem pertinho de Goiás

Extraordinária lagoa de água doce é considerada o Caribe do Cerrado

Em uma região de incomparável beleza natural,  chamada de Serras Gerais, bem pertinho da divisa dos estados de Tocantins e Goiás, a Lagoa da Serra emerge como um oásis de águas azul-turquesa, frequentemente comparada às paradisíacas praias caribenhas. Situada a 361 km de Palmas, capital do Tocantins, e aproximadamente 660 km de Brasília e 740 km de Goiânia, este tesouro escondido é um convite à aventura e ao relaxamento.

 

A Lagoa da Serra, também conhecida como Lagoa Bonita, é um lugar marcado por lendas e um profundo misticismo que permeia a cultura local. Envolta em histórias e crenças populares, a lagoa é célebre não apenas por sua beleza natural, mas também por suas supostas propriedades terapêuticas. De acordo com a tradição local, acredita-se que suas águas límpidas e cristalinas possuem o poder de curar, capazes de aliviar doenças, dores e ferimentos apenas pelo contato com elas.

Essa mística atribuída às águas da Lagoa da Serra lhe confere um charme especial, adicionando uma dimensão quase mágica à sua estonteante beleza natural. A lagoa é conhecida por suas águas de tonalidade azulada, que, combinadas com a transparência inigualável, fazem dela um espetáculo visual, tornando-a uma das mais magníficas atrações das Serras Gerais.

Além de ser um convite ao relaxamento e à contemplação, a Lagoa da Serra é um destino que promove a conexão dos visitantes com a natureza e a cultura local. A experiência de mergulhar em suas águas serenas não é apenas um momento de lazer, mas também uma oportunidade de vivenciar as histórias e lendas que fazem parte do imaginário da região.

Para aqueles que buscam descobrir os encantos do cerrado brasileiro, a Lagoa da Serra representa um local imperdível. Sua combinação única de belezas naturais e riqueza cultural oferece uma experiência singular e memorável, que vai além do simples contato com a natureza, imergindo os visitantes no folclore e nas tradições da região.

 

Como Chegar ao Caribe do Cerrado

  • Acesso Rodoviário: Para chegar à Lagoa da Serra, os visitantes podem utilizar as rodovias BR-153 e TO-280. Partindo de Palmas, a capital do Tocantins, a viagem é de cerca de 361 km até o município de Rio da Conceição, seguida de um trecho de 18 km em estrada de terra até a lagoa.
  • Dificuldade de acesso: Durante o período chuvoso, a estrada de terra pode se tornar desafiadora para carros comuns. É recomendável o uso de um veículo 4×4 para transitar com segurança.

Características do Caribe do Cerrado

  • Temperatura Média: A região das Serras Gerais, onde se localiza a Lagoa da Serra, tem um clima tropical, com uma temperatura média que varia entre 22°C a 32°C ao longo do ano.
  • Águas Tranquilas e Paisagem Encantadora: Com águas quentes e cristalinas e cercada por uma paisagem exuberante do cerrado, a lagoa é frequentemente comparada às praias do Caribe.

Atividades e Estrutura do Caribe do Cerrado

  • Infraestrutura: Próxima à lagoa, há uma área de camping arborizada, ideal para churrascos e encontros em família, embora ainda careça de iluminação ou energia elétrica. Para acampar, a taxa é de R$ 70 por pessoa, enquanto a entrada custa R$ 40.
  • Adequação para Crianças: A Lagoa da Serra é um destino adequado para famílias com crianças. Suas águas tranquilas e a natureza ao redor oferecem um ambiente seguro e agradável para os pequenos explorarem e desfrutarem.

Preservação e Recomendações para o Caribe do Cerrado

  • Conservação Ambiental: A lagoa faz parte de uma propriedade privada, e a preservação do local é essencial. Os visitantes devem respeitar o meio ambiente, evitando deixar lixo ou interferir na fauna e flora locais.
  • Planejamento da Visita: É aconselhável levar dinheiro em espécie, bem como água e alimentos, já que as opções de compra são limitadas na região.

 

A Lagoa da Serra é uma experiência única de imersão na natureza e um refúgio perfeito para aqueles que buscam tranquilidade e beleza natural. Suas águas azul-turquesa e as lendas de suas propriedades curativas a tornam um destino imperdível no coração do Brasil.

Confira fotos do local abaixo:

 

Nas Serras Gerais, Lagoa da Serra é considerada o Caribe do Cerrado

Nas Serras Gerais, Lagoa da Serra é considerada o Caribe do Cerrado

 

Lendas locais dizem que as águas azuis da Lagoa da Serra tem propriedades místicas

Lendas locais dizem que as águas azuis da Lagoa da Serra tem propriedades místicas

Lagoa da Serra fica nas Serras Gerais, novo roteiro turístico do Tocantins

Lagoa da Serra fica nas Serras Gerais, novo roteiro turístico do Tocantins

 

Lagoa da Serra nas Serras Gerais é conhecida como o Caribe do Cerrado

Lagoa da Serra nas Serras Gerais é conhecida como o Caribe do Cerrado

Todas as fotos foram retiradas do instagram oficial Lagoa da Serra

Leia também:

Serras Gerais: Um paraíso exuberante bem pertinho de Goiás

Conheça o menor rio da América Latina que fica na divisa de Goiás e Tocantins

Cidade goiana no entorno de Brasília tem um paraíso escondido com aventura e emoção sem limites

Mais de três décadas celebrando a liberdade dos céus: a Rampa do Vale do Paranã, situada em um ponto estratégico entre os municípios goianos de Planaltina e Formosa, a apenas 80 km de Brasília e a 281 km de Goiânua, tem sido o palco de campeonatos de voo livre que fazem o coração pulsar mais forte e deixam na memória momentos de puro êxtase.

A Rampa, um verdadeiro santuário para os entusiastas do voo livre, se aninha nas curvas sinuosas do relevo goiano, proporcionando um espetáculo visual sem igual. As majestosas montanhas e vales do Vão do Paranã, um território que se estende por cerca de 17 mil km² e abriga 12 municípios, são o cenário perfeito para aventuras inesquecíveis.

Nesse paraíso escondido em Formosa, onde a natureza se apresenta em sua forma mais esplêndida, as emoções fluem à flor da pele a cada decolagem e pouso, numa dança aérea que desafia as leis da gravidade. As sensações são amplificadas pelo clima, que nos dias úmidos, convida você a flutuar entre as nuvens em uma experiência quase transcendental.

Para os aventureiros de plantão e amantes do ecoturismo, as opções são vastas e vão muito além dos céus. As trilhas prometem rotas de tirar o fôlego, guiando os caminhantes através de cenários cinematográficos, onde cada passo revela uma nova surpresa da mãe natureza.

O local não é apenas uma rampa de decolagem; é um convite aberto para explorar, sentir e viver intensamente cada momento, seja caminhando por trilhas arrebatadoras, vivenciando a adrenalina de um voo livre, ou simplesmente contemplando a grandiosidade da natureza a partir dos diversos mirantes disponíveis.

A preservação ambiental é uma prioridade, e por isso, recomenda-se a contratação de guias turísticos, garantindo uma aventura segura e consciente. Em meio a essa experiência única, há ainda o privilégio de degustar uma gastronomia local rica e variada, proporcionando uma jornada também saborosa.

Prepare-se para sentir o coração acelerar e os olhos se encherem de beleza e emoção. Seja bem-vindo ao glorioso Vale do Paranã, onde cada visita se transforma em uma experiência mágica, onde os sonhos de voar se tornam realidade, e onde cada trilha se revela um convite para uma nova aventura, um novo desafio, uma nova descoberta. Venha descobrir o que torna o Vale do Paranã o destino predileto dos sonhadores e aventureiros. Venha viver a sua própria epopeia goiana.

Conheça a Chapada das Emas: a Nova fronteira do ecoturismo em Goiás

Com o intuito de fomentar o turismo e explorar as belezas da mais nova região turística de Goiás, a Agência Estadual de Turismo (Goiás Turismo) lança luz sobre a fascinante Chapada das Emas. Compreendendo 10 cidades encantadoras do Sudoeste goiano, essa região tem tudo para se tornar a joia da coroa do ecoturismo brasileiro.

Uma Região, Múltiplas Aventuras

Além de ser lar do Parque Nacional das Emas, um reconhecido Patrimônio Mundial Natural pela Unesco, a região promete experiências eletrizantes para os amantes do turismo de aventura, incluindo atividades como boia cross, rafting e safári noturno. E para aqueles que preferem a serenidade do birdwatching, este local é um verdadeiro paraíso ornitológico.

Cooperação para Crescer

A unificação de municípios com laços históricos, geográficos e culturais semelhantes só vem a somar, facilitando a promoção conjunta de seus atrativos e potencializando ações voltadas ao desenvolvimento regional. Em palavras de Fabrício Amaral, presidente da Goiás Turismo, o plano é “apresentar esses destinos espetaculares nas principais feiras turísticas, tanto nacionais quanto internacionais”.

Um Paraíso à Espera de Ser Descoberto

Luciano Guimarães, representante do Ministério do Turismo em Goiás, vê um futuro brilhante para a Chapada das Emas. Ele enxerga a região como um futuro pilar do turismo nacional, graças à sua localização estratégica e riqueza de atrativos.

Mergulhe nas Belezas da Região

Da bioluminescência dos cupins no Parque Nacional das Emas ao cicloturismo pelos vastos territórios, passando pelos desafiantes saltos e cachoeiras, a Chapada das Emas convida a todos para uma imersão em sua natureza preservada.

E, para coroar a experiência, a região se orgulha de suas tradições culinárias, apresentando delícias da gastronomia goiana. De pamonhas fresquinhas a doces tradicionais, o paladar também tem sua cota de aventura em meio às maravilhas goianas.

Descobrimos a cachoeira mais inexplorada da Chapada dos Veadeiros que tem uma beleza paradisíaca

Prepare-se para conhecer um verdadeiro tesouro escondido na Chapada dos Veadeiros!

Hoje vamos falar sobre a maravilhosa Cachoeira do Guardião, também conhecida como Cachoeira do Curriola. Localizada na Comunidade Kalunga do Vão do Moleque, essa cachoeira é simplesmente deslumbrante e pouquíssimo explorada. 

Foto: Instagram @wesleycoutinhocvc @danielmaia.guiadachapada

Aberta para visitação em 2018, a Cachoeira do Guardião ou Curriola encanta todos que têm a oportunidade de conhecê-la!

Por estar localizada em uma área remota da Comunidade Kalunga, em Cavalcante, apenas guias experientes sabem de sua existência e como chegar até lá. Essa cachoeira possui uma piscina natural com águas azuis profundas que chegam a atingir até 12 metros de profundidade.

A cachoeira em si é simplesmente deslumbrante, vinda de um paredão impressionante, com a exuberância verde da natureza cercando a piscina. É tão linda que mais parece uma pintura! E para completar, há um “trampolim” natural de pedra perfeito para tirar fotos incríveis ou dar um mergulho nas águas azul-esverdeadas (mas lembre-se sempre de verificar com o guia se é seguro antes de saltar).

Preview

Foto: @cachoeiradoguardiaonachapada

Se você está animado para visitar esse lugar único, é importante se programar bem. Recomendamos chegar cedo, pois o sol bate na cachoeira entre 10h e 14h, o que é o momento ideal para aproveitar ao máximo esse paraíso escondido.

No entanto, chegar até a Comunidade Kalunga do Vão do Moleque requer algum esforço. A estrada é de difícil acesso e com pouca sinalização, sendo necessário um veículo 4×4 e a companhia de um guia credenciado.

O valor para entrada no atrativo é de R$ 80 e a diária de um guia local custa em média R$ 200. Você pode encontrar guias nos Centros de Apoio ao Turista das cidades de Alto Paraíso, Cavalcante e na Comunidade dos Kalungas do Engenho ll, que fica no caminho.

Preview

Foto: @cachoeiradoguardiaonachapada

A trilha até a cachoeira requer disposição, com cerca de 5 km de ida e volta, em sua maioria percorrida dentro do rio, através do cânion. É uma trilha desafiadora que exige certo preparo físico, mas recompensa com paisagens deslumbrantes ao longo do caminho. Mas podemos dizer, que vale a pena!

Se você está em busca de uma aventura inesquecível em meio à natureza exuberante da região, não deixe de visitar essa maravilha goiana!

 

Veja mais imagens e vídeos da Cachoeira do Guardião, no instagram oficial do local:

 

Dicas:

-Use calçados apropriados.

-Leve água, repelente, chapéu e filtro solar.

-Leve lanches para poder ficar um tempo maior.

-Uma pequena mochila é suficiente para o passeio. Evite pesos desnecessários.

-Não deixe lixo no local, não faça fogueiras.

-Respeite a natureza

 

Como chegar: 

1- De Alto Paraíso de Goiás, pegue a BR 010, em direção a Cavalcante.

2- De Cavalcante pegue a GO 241 até a Comunidade Kalunga de Vão do Moleque ( São 64 km). 

3- Pegue a trilha de aproximadamente 3km até a cachoeira. (A visitação é somente com Guias credenciados, e o atrativo fica fechado durante os períodos de chuvas.)

 

Mais Informações

Local: Comunidade Kalunga Vão do Moleque, Cavalcante, Chapada dos Veadeiros, Goiás.

Valores: R$80 de entrada (com opção de camping na casa do Seu João, o proprietário bom de prosa)

R$ 200 em média a diária de um guia local.

Funcionamento: época de seca (mais ou menos maio à novembro)

Instagram: @cachoeiradoguardiaonachapada

CAT Cavalcante: (62) 3494-1507 

CAT Alto Paraíso: (62) 3446-1159

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Foto de Capa: @cachoeiradoguardiaonachapada

Cidade turística do Mato Grosso abriga incrível ‘caverna que chora’ e está deixando goianos apaixonados

Cidade hospitaleira e acolhedora, do interior do Mato Grosso, Jaciara é conhecida como a ‘Capital Nacional da Aventura’. Uma das mais belas cidades da região, está localizada a 140 km de Cuiabá, 787 km de Goiânia e 961 km de Brasília, e tem cerca de 27 mil habitantes.

Cercada de belezas naturais que enchem os olhos e oferecem uma verdadeira conexão com a natureza, Jaciara deixa os turistas e visitantes deslumbrados, principalmente os goianos, que vivem por lá.

A região abriga dezenas de cachoeiras, águas minerais, rios cristalinos, corredeiras, sítios arqueológicos com pinturas rupestres de mais de quatro mil anos, piscinas naturais, cânions, cavernas, grutas, trilhas e uma fauna e flora abundante.

Entre muitas cachoeiras existentes destacam-se a Cachoeira da Fumaça com queda de 30 metros, a Cachoeira da Mulata com enormes piscinas naturais, a Cachoeira dos Hippies e a Cachoeira dos Bambus que formam corredeiras e piscinas naturais perfeitas para a prática de rafting.

O Rio Tenente Amaral, possui um ambiente propício para atividades de aventura com corredeiras de níveis I a IV e é muito procurado para prática de esportes como rafting e canoagem.

Jaciara ainda, realiza todo ano a ‘Temporada de Esportes Radicais’, com competições em diversas modalidades.

Na Avenida Antônio Ferreira Sobrinho, localizada no Centro, há várias opções de restaurantes ao longo da via, para você saborear bons pratos típicos.

Lembrando que, o fuso horário do Mato Grosso tem uma hora a menos em relação a Brasília.

Para conhecer um pouco dessa cidade incrível, nós separamos as principais atividades turísticas que têm por lá!

Acompanhe:

 

Cachoeira da Fumaça

b2852f1923a8fdfe6d9127be607be265.jpg

Foto: Governo do Estado

O cartão postal da cidade!

Com uma queda de 30m e um grande volume de água, ela se impõe em meio à natureza. Alguns corajosos, que gostam de muita adrenalina, encaram descer de rapel por uma queda lateral, para logo depois, embarcarem em um bote e enfrentarem as corredeiras do Rio Tenente Amaral.

Para visitar o Complexo da Cachoeira da Fumaça é obrigatória a contratação de um guia/agência credenciada para conduzir os visitantes.

Localização: acesse o mapa clicando AQUI.

Contato: @visitejaciara | @nativaoaventura | (65)98115-3984  (66)99217-3738

 

Cachoeira da Mulata

Foto: Viagem Natural

O Completo da Cachoeira da Mulata é um dos atrativos mais procurados de Jaciara. A queda tem aproximadamente 20 metros e ainda tem um mirante.

Se seguir 300 metros de trilha, o visitante chega ao Rio Tenente Amaral, com quedas d’águas, cascatas e piscinas naturais.  

Por estar localizada próxima a cidade, apenas 15 km do centro, tornou-se a principal área de lazer dos moradores.

A entrada é gratuita.

Localização: acesse o mapa clicando AQUI.

Contato: @descubrajaciara

 

Rafting

1bd2bb1a0735e9e5b7b762d10bcadcfe.jpg

Foto: Secretaria de Turismo de Jaciara

Jaciara tem o título de ‘capital da aventura’. E uma das experiência que a cidade oferece é o rafting.

O ponto de partida é da formosa Cachoeira da Fumaça, diante de um cenário exuberante, capaz de deixar qualquer visitante encantado com tamanha beleza cênica. São 5km de descida pelo rio, passando por várias corredeiras e quedas de até 3m de altura.

Empresas especializadas garantem a segurança do passeio com treinamentos e equipamentos adequados.

Contato: @nativaoaventura | @visitejaciara | (65)98115-3984  (66)99217-3738

 

Sítio Arqueológico – Vale das Perdidas

45d97a073ae7ac71d60f8616b6cf8952.jpg

Foto: Secretaria de Turismo de Jaciara

A 15 km da cidade de Jaciara (12 km pela BR-364 mais 3 km por estrada de terra), o Vale das Perdidas é um sítio arqueológico onde foram encontradas pinturas rupestres cujos estudos indicam que as inscrições são datadas entre 3.610 a 4.620 anos.

O Vale das Perdidas localiza-se na Fazenda Castanheira e em sua trilha de acesso também existe cachoeira com local para banho. O contato com operadora de turismo local é obrigatório pra garantir a segurança e qualidade de experiência de visitação do turista.

 

Caverna que Chora

Caverna explorada por agências de turismo sem licença ambiental deve ter  acesso interditado em MT | Mato Grosso | G1

Foto: MP-MT

Por entre galerias esculpidas no arenito milenar a Caverna que Chora reserva uma experiência única para os visitantes de Jaciara. Salões que são verdadeiros monumentos geológicos brindam turistas com a biodiversidade e uma incrível cachoeira, a Cachoeira do Rejuvenescimento ou Cachoeira de Amor.

Caverna Que Chora » Nativão

Foto: Agência Nativão

Localizada na Fazenda Vertente, a 60 quilômetros do centro da cidade, a caverna possui 700 metros de comprimento e em seu entorno uma vegetação arbustiva com moderada presença da fauna.

A propriedade é particular, por isso é cobrada uma taxa para manutenção das trilhas que levam até as cavernas.

Uma verdadeira experiência espeleológica.

 

Cânion das Índias

Foto: @caniondasindias

O Circuito Cânion das Índias está localizado no Sítio Maravilhas de Deus e integra a Reserva Ambiental do Assentamento Plano Piloto, com 260 ha. Só de saber que é uma reserva e, com esse nome, já dá para deduzir que estamos falando em mata muito preservada.

O percurso do circuito tem aproximadamente 6km e pelo caminho se encontram 3 cachoeiras (Maravilha, Mistério e Escorrega), uma ponte de pedra, uma pequena caverna, um paredão que chora e 3 pedras (hã?!).

As três pedras representam Inará (água), Tainá (estrela) e Jaciara (lua), três índias que fugiram da aldeia quando jovens e percorreram esse circuito. A lenda das índias é contada com detalhes por Fabiana Silva, guia e proprietária do sítio, enquanto os visitantes caminham pela trilha. 

O passeio é feito somente com agendamento e o valor é cerca de R$ 110 por pessoa. O valor inclui passeio guiado, seguro e perneira. 

É permitido que os visitantes levem alimentos e bebidas, desde que não sejam alcoólicas. O almoço, R$45 por pessoa e a diária do camping, R$50 por pessoa.

Localização: acesse o mapa clicando AQUI.

O Sítio Maravilhas de Deus fica à aproximadamente 45km de Jaciara, próximo a BR-364. Para chegar é preciso enfrentar 23km de estrada de chão.

Contato: Fabiana: (66) 98401-8207 |  @caniondasindias

 

Rapel

a20be36845ac84ceb2159896ec2849a9.jpg

Foto: Secretaria de Turismo de Jaciara

Do topo de um cânion ou de um paredão de pedra, o que se vê é a mata ao redor e uma vista panorâmica de arrepiar.

A descida pode ser mais rápida e emocionante ou mais contemplativa, basta controlar a velocidade do deslizamento de acordo com as instruções passadas pelo líder de turismo de aventura.

Esta imagem, é a atividade de aventura de rapel em Cachoeira, que consiste em descida em corda utilizando procedimentos e equipamentos específicos.

É um dos produtos turísticos do município de Jaciara – MT, repleto de emoção e feito no lugar correto, com empresas capacitadas e utilizando os equipamentos adequados, pode ter certeza que a aventura é segura.

Procure sempre por empresas que cumprem legislação, respeitem os viajantes e seguem as Normas Técnicas Brasileiras para ecoturismo e turismo de aventura.

 

Ponte do Guardião

Preview

Cachoeira do Bambu, também na Trilha dos Hippies. Foto: @aventuramt

Formação rochosa de arenito, um antigo caminho do Rio Tenente Amaral que foi desviado após uma grande cheia a mais de 150 anos.

Localizado em área particular com acesso restrito, pode ser acessada através do rafting ou pela caminhada de pequeno curso da Trilha dos Hippies, sempre com a presença de um guia de turismo.

A Trilha dos Hippies guiada é uma bela opção de atividade ao ar livre para conhecer alguns dos atrativos naturais onde se encontra várias cachoeiras em meio a uma exuberante paisagem.

 

Balonismo

Foto: Divulgação

Para aqueles que querem vivenciar uma experiência única, a Voe Alto Balonismo realiza esse sonho de criança de voar em um balão. O vôo dura cerca de  1 hora e sobrevoa a região de Jaciara. A decolagem é realizada ao amanhecer, às 6h da manhã, quando a condição climática é sempre mais favorável. Eles também operam em eventos e ocasiões especiais.

 

Quanto custa: R$450 por pessoa, o valor é negociável, conforme o número de pessoas.

Contato: @voealtobalonismo 

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Foto de Capa: @coutoglauber

Pequena cidade goiana tem um gigantesco complexo de cavernas e um apaixonante lago azul

Vila Propício é uma pequena cidade goiana com população em torno de 5 mil habitantes.  O município fica a 195 km de Brasília e a 200 km de Goiânia.  A região é um pólo turístico e se destaca como 2º maior complexo de cavernas e grutas do Centro-Oeste. São mais de 50 catalogados. 

Vila Propício era distrito de Pirenópolis. Formada por famílias de fazendeiros e trabalhadores rurais.  O município fica entre a charmosa Pirenópolis e Padre Bernardo (GO). 

As cavernas estão espalhadas em um raio de 60km. Apenas seis têm a visitação recomendável. São elas: Caverna Tubarão; Caverna Lapa do Boqueirão; Caverna da Samambaia; Caverna Chico Pina; Caverna Cearense; Caverna Dois Irmãos e Caverna Três Marias. Cada uma dessas cavernas tem um atrativo especial que vale a pena ser conhecido.É preciso de um um guia da região e equipamentos básicos, como bota e lanterna para seguir com a aventura. 

Caverna Tubarão em Vila Propício. Foto Prefeitura Municipal

Uma das cavernas mais visitadas fica no distrito Dois Irmãos, mais próxima da sede de Padre Bernardo do quê de Vila Propício. Ela leva o nome de Tubarão por causa das formações no teto de um dos seus salões, que lembram o predador marinho com a boca aberta e os dentes afiados para fora. Até pouco tempo atrás, o aventureiro que quisesse visitá-la tinha que deixar o carro na entrada da fazenda onde está escondida e caminhar quase 1km em meio à mata fechada. Mas, recentemente, o dono da propriedade abriu uma estrada até 100m da atração, para facilitar a vida dos exploradores.

 Mais próximas da sede de Vila Propício, estão as cavernas de Samambaias e a Três Marias. 

Caverna Samanbaia –  Prefeitura de Vila Propício

A primeira fica  a 20km da cidade. O   acesso íngreme e de difícil aproximação. Ao entrar em um pedaço de cerrado nativo, os visitantes descem por uma escada natural, se apoiando em um corrimão de ferro e em árvores. 

Essa escada leva à entrada, onde é preciso agachar para encontrar o primeiro salão. Nele, há outra escada, mais íngreme, menos segura, feita de ferro, com 6m de altura. E, depois, outra, do mesmo material e mesma altura. O esforço é recompensado com uma vista deslumbrante de salões iluminados por luz natural, vinda do de brechas abertas no teto de pedra.

A caverna ganhou tal nome porque, com a luz e muita umidade, tornou-se um viveiro natural de samambaias, algo raro nesse espaço. Mas, para o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a atração chama-se Caverna da Garganta, em função de receber toda a água vinda da chuva. Por isso, em dia de chuva, ela fica inacessível, pois correm enxurradas fortes por entre suas trilhas de pedras, formando imensos lagos no interior.

 

Caverna Três Marias Vila Propício

Visitar a caverna  Três Marias é menos arriscado. O piso é mais plano, com poucas barreiras. É um passeio que pode ser feito por crianças e idosos. Fica a 24km da sede da Viola Propício, ela tem dezenas de formações de estalactites unidas às estalagmites em seus 249m de comprimento sob uma uma serra. 

 

 

Lagoa Azul em Vila Propício. Foto da Prefeitura Municipal da cidade 

 

A cidade tem ainda dois lagos de água cristalina que são completamente encantadores. São eles: Lago do Virgílio e Lago Azul.  Além disso, a cidade tem rios que cortam a cidade e são usados pelos turistas para praticar o boiacross. São eles: Rio Verde; Rio dos Patos e Rio Maranhão;

 

Confira abaixo algumas fotos dos fantásticos pontos turísticos de Vila Propício:

 

Leia também: 

 

6 estadias espetaculares, desconectadas do mundo e que vão te lembrar de filmes de Hollywood – Curta Mais

 

Viagens internacionais perfeitas e inesquecíveis para fazer com as crianças – Curta Mais

 

https://www.curtamais.com.br/goiania/ilha-paradisiaca-e-um-verdadeiro-refugio-tropical-com-hoteis-e-resorts-cinematograficos

 

Canyons do Rio Araguaia: tudo que você precisa saber para visitar esse paraíso em Goiás

O Rio Araguaia nasce nas proximidades do Parque Nacional das Emas e na borda da Serra do Caiapó, mais especificamente no município de Mineiros. Mais de 200 km abaixo da nascente, o rio passa por uma brusca mudança de altitude em que o relevo é caracterizado por formações rochosas de arenito.

Pelas serras, descem o Rio Araguaia e seus afluentes formando cachoeiras e cânions até chegar a uma planície próximo à cidade de Baliza, Goiás. Neste local, é que o rio se alarga e suas águas se acalmam.

18130a49af024698835ae831dcdb69b0.jpg

A Cidade de Baliza abriga belíssimas paisagens, cachoeiras e os famosos Cânions do Rio Araguaia, onde é possível “abraçar” o Rio Araguaia. Acredita?

Baliza, fica a 410 km de Goiânia, e é onde o Araguaia não tem pressa. O rio se estreita em um cânion de 50 km de extensão com paredes rochosas que protegem praias. É nesse trecho de serra, longe dos lotados destinos, que é possível navegar entre as paredes rochosas.

28d0065f3e0b32b35718318167a7ce19.jpg

Ali existe um passeio de barco, chamado Jangadão Ecológico.

Em formato de expedição, cada edição atende 26 participantes que viajam a bordo de botes infláveis, acompanhados de uma equipe de apoio, por um percurso de 65km pelo rio Araguaia, durante quatro dias. Neste período a proposta é descer navegando, remando, aproximadamente 6 horas por dia (uma média de 22 km por dia). Os pernoites acontecem em acampamentos às margens do rio. Turismo de aventura, com desafios e superações, o que faz centenas de pessoas de deslocarem até lá para conhecer!

95db75083f5b38df78e375daf5c5f907.jpg

E é nesse trajeto que é possível “abraçar” este rio imenso, que é o Araguaia. Afinal basta abrir os braços e tocar as margens do rio com as mãos. Incrível né?

Durante a expedição, os turistas ficam em um ambiente de beleza praticamente intocada, que abriga imensa variedade de espécies da fauna e flora. O percurso conta com 50 km de cânions, com estreitas passagens são acompanhadas por paredes rochosas e em alguns pontos praias virgens formadas na última temporada de cheia, bem como, lindas cachoeiras e piscinas naturais de águas cristalinas dos afluentes do Araguaia.

Em parte deste cânion encontra-se a APA DO ENCANTADO, uma reserva criada para proteger o Cerrado, a fauna e a margem do rio Araguaia. É possível avistar o sobrevoo das aves e ao final do dia, um maravilhoso pôr do sol. Harmonia divina, sintonia maravilhosa que renova!

A descida é bastante tranquila e só em alguns locais encontramos pequenas corredeiras. Para garantir a segurança, EPIs são entregues e todo percurso é acompanhado por uma equipe de apoio experiente, formada por condutores de atividades aquáticas, guia de turismo, barco motorizado, carro de apoio e equipe de cozinha.

a770fbc83f6d76426acf922fa1b35ddb.png

A expedição acontece desde 2004 no município de Baliza recebendo participantes de todos os lugares do Brasil, como também do exterior. Para participar o turista precisa reservar tudo antes com a equipe (contatos no final da matéria) e deslocar-se até Baliza no dia e hora marcada. O carro fica guardado em um local seguro na cidade e um ônibus faz o traslado do grupo até o rio, assim como no final da expedição de volta para a cidade.

Para quem for de avião, o aconselhável é pousar no aeroporto de Goiânia e locar um carro, ou ir de ônibus até a cidade de Baliza, já que não é oferecido o serviço de translado no pacote turístico. No site dos organizadores do Jangadão Ecológico tem todas as informações sobre o que levar, itinerário completo e mais.

Além do Jangadão, muitos passeios podem ser feitos na região. A Cidade de Baliza e a Serra do Caiapó abrigam belíssimas cachoeiras como, o Salto Paraguassú, além de belíssimas paisagens.

 

As cachoeiras mais famosas são:

Salto São Domingos

Cachoeira Samambaia

Cachoeira da Abóbora

Salto Paraguassú

Cachoeira Santa Helena

Cachoeira Santa Márcia

Cachoeira Paraíso

Cachoeira Dois Saltos

Cachoeira Couto Magalhães

Cachoeira do Soturno

 

Cenários que chamam atenção:

Parque Nacional das Emas

Região Pinga Fogo

Morro do Gigante

Serra da Portaria

 

Mais informações

 

Goiás Turismo – Agência Estadual de Turismo

Instagram: @goiasturismo | @goiasturismonoticias

Telefone: (62) 3201-8100

 

Atendimento ao Turista de Baliza

Telefone: (66) 99690-0658

Endereço: Avenida Goiás, nº 200, Centro, Baliza

 

Trilhas do Cerrado – Agência de Turismo

Telefone: 64999752400

Instagram: trilhasdocerradotur

Email: [email protected]

Site: trilhasdocerrado.com.br

 

Fotos: Reprodução/Trilhas do Cerrado

Descubra 10 cavernas incríveis em Goiás

Que tal fugir para as cavernas, literalmente? 

As cavernas são espaços subterrâneos, inóspitos, mas dotados de oxigênio, grandes o suficiente para serem examinados e estudados pelo ser humano. Elas podem ser classificadas de diversas formas, como: pelo tipo de rocha; sua morfologia e estrutura geométrica; tempo que se constituíram, em relação à formação das rochas; maneira como se formaram; pela idade da pedra (no caso das calcárias). 

No Brasil, existem 5.695 cavernas cadastradas pela Sociedade Brasileira de Espeleologia (SBE), sendo que 979 estão na região centro-oeste e, destas, 718 em Goiás, que constituem a região das Águas e Cavernas do Cerrado.

Alguns desses ambientes estão entre os maiores da América do Sul, como é o caso do Conjunto de São Mateus, do Conjunto Angélica Bezerra e do Complexo de Terra Ronca, no Parque Estadual de Terra Ronca, em São Domingos, Nordeste do estado. Outras localidades da região, como Mambaí, Posse, Simolândia, Campos Belos, Buritinópolis, Sítio D’Abadia e Alvorada do Norte também são ricas em cavidades subterrâneas naturais, com formações rochosas que datam de 1,8 bilhão de anos.

Goiás é um dos estados mais ricos do Brasil em número de grutas e cavernas, que abrigam belezas quase inacreditáveis – e o melhor, muitas delas estão abertas à visitação. Conheça agora 10 cavernas em Goiás perfeitas!

 

01. Ponte de Pedra, em Paraúna – 126km de Goiânia

Na divisa de Paraúna com Rio Verde, a força das águas do Rio Ponte de Pedra esculpiu uma ponte natural de pedra. Por baixo dela, por onde passa o rio, formou-se uma caverna cheia de estalactites e estalagmites de grande beleza e interesse científico – uma verdadeira obra de arte criada pela natureza.

Ponte de Pedra. Foto: Arqueo Viagem

Como chegar: Paraúna fica a 126km de Goiânia, com acesso pela BR-060.

Telefones úteis Secretaria de Turismo de Paraúna: (64) 3957-7045 | Prefeitura Municipal de Paraúna: (64) 3957-7000

 

02. Caverna da Samambaia, em Vila Propício – 188km de Goiânia

Caverna

Caverna da Samambaia, em Vila Propício. Foto: Goiás Turismo

Conhecida por ter o segundo maior complexo de cavernas do Centro-Oeste, com mais de 50 cavernas e grutas que atraem turistas do Brasil e do mundo, a cidade de Vila Propício possui ainda outras belezas naturais. Dentre as cavernas mais visitadas estão a Chico Pina, Cearense, Dois Irmãos, Três Marias e a da Samambaia, a maior da cidade. Os guias cobram em média R$70 por dia para visitação.

Como chegar: Vila Propício fica a 188km de Goiânia, com acesso pela BR-060, BR-153 e GO-338.

Telefones úteis: Secretaria de Turismo de Vila Propício: (62) 3320-0184 | Guias: (62) 9621-6074 | (62) 9985-1513

 

03. Lapa do Penhasco, em Mambaí – a 508km de Goiânia

9cb49f876aa5ff5e1314e7bd6253ae8e.jpgFoto: Te vejo pelo mundo

Uma das muitas cavernas localizadas em Mambaí, a Lapa do Penhasco tem fácil acesso e um visual de tirar o fôlego, formado por grandes salões e espeleotemas, quedas d’água e lagos no interior da caverna. É possível visitar a gruta com acompanhamento de guias e agências de turismo, como a Mambaí Adventure, que faz passeios na cidade.

Como chegar: Mambaí fica a 508km de Goiânia, com acesso pela BR-060 seguindo pela BR-020.

Telefones úteis: CAT Mambaí (62) 3484-1251 | Mambaí Adventure: (62) 3484-1355

 

04. Buraco das Araras, em Formosa – a 281km de Goiânia

Buraco

Lago de água cristalina no interior do Buraco das Araras. Foto: Agência de Turismo Itakamã

Localizado a 42km do centro de Formosa, o Buraco das Araras é a segunda maior dolina de colapso do centro-oeste (depressão em formato circular formado pela dissolução das rochas) e uma das maiores do Brasil, e abriga no seu interior uma densa floresta úmida, com samambaias gigantes, e uma caverna secreta banhada por rios subterrâneos de água cristalina. Para visitar, é necessário agendar com um guia pelo telefone da AGeCTUR, e é cobrada uma diária por volta de R$150 para o grupo.

Formosa

Interior do Buraco das Araras Foto: Goiás Turismo

 

05. Caverna Escaroba, em Formosa – a 281 km de Goiânia

Caverna

Caverna Escaroba. Foto: Secretaria de Turismo de Formosa

Para ter acesso às belezas abrigadas na Caverna Escaroba, é preciso descer de rapel por uma claraboia. Lá dentro, formações rochosas e uma pequena cachoeira criam um cenário impressionante. Para visitar, é necessário agendar com um guia pelo telefone da AGeCTUR, e é cobrada uma diária de R$150 para um grupo.

CavernaFoto: Secretaria de Turismo de Formosa

Como chegar: Formosa fica a 281 km de Goiânia, com acesso pela BR-153 e em seguida pela GO-118.

Telefones Úteis: Secretaria Municipal de Turismo de Formosa: (61) 3981-1234 | CAT (Centro de Atendimento ao Turista) de Formosa: (61) 9686-0142 | AGeCTUR (Associação de Guias e Condutores de Turismo): (61) 9848-5938

Para quem é realmente apaixonado por passeios em cavernas, a parada obrigatória é o Parque Estadual de Terra Ronca (PETER), localizado nos municípios de São Domingos e Guarani de Goiás. Criado em 1989, o PETER reúne uma infinidade de cavernas, com quase 200 delas já catalogadas e algumas entre as maiores do Brasil. As cavernas abrigam formações rochosas de tirar o fôlego e lagos subterrâneos de águas cristalinas, criando cenários belíssimos e inacreditáveis. Atualmente, é possível visitar 5 cavernas do complexo do PETER: Angélica, Terra Ronca I, Terra Ronca II, São Bernardo e São Mateus.

Para conhecer por dentro e por fora as incríveis grutas e cavernas do PETER é preciso contratar um guia. Existem vários guias na cidade de São Domingos e as pousadas também possuem guias próprios; além disso, é possível conseguir excursões com agências de turismo. A recomendação é agendar sua visita com antecedência. Os guias cobram valores por diária (em média R$150 a R$200) ou por pessoa (em média R$25), e fornecem equipamento básico de segurança, como capacetes e lanternas.

 

06. Caverna Angélica, no Parque Estadual de Terra Ronca

Entrada

Entrada da Caverna Angélica. Foto: Alexandre Torres

Salão

Salão dos Espelhos na Gruta Angélica. Foto: Marcelo Peregrino

 

07. Terra Ronca I, no Parque Estadual de Terra Ronca

Gruta

Entrada Gruta Terra Ronca. Foto: Marcelo Peregrino

Gruta

Gruta Terra Ronca I Foto: André Peixoto

 

08. Terra Ronca II, no Parque Estadual de Terra Ronca

Gruta

Gruta Terra Ronca II. Foto: Edgar de Brito

 

09. São Bernardo, no Parque Estadual de Terra Ronca

Gruta

Gruta São Bernardo. Foto: André Peixoto

Gruta

Gruta São Bernardo. Foto: Bio Espeleo

 

10. São Mateus, no Parque Estadual de Terra Ronca

Gruta

Gruta São Mateus. Foto: Patrícia Jung

 

Parque Estadual de Terra Ronca

Como chegar: O acesso só é possível pela cidade de São Domingos, que fica a 50km do Parque. São Domingos fica a 641km de Goiânia, com acesso pela BR-060 e BR-020.

Telefones úteis: Centro de Atendimento ao Turista de São Domingos: (62) 3425-1110 | Guia Ramiro: (62) 9666-2767 e Marcelo: (62) 9955-6331 | Agência de Turismo Peregrino Turismo e Aventura: (62) 9907-2103

 

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

 

Foto de capa: Reprodução/So

 

Descubra a cidade turística em Goiás onde se pode literalmente abraçar o Rio Araguaia

O Rio Araguaia nasce nas proximidades do Parque Nacional das Emas e na borda da Serra do Caiapó, mais especificamente no município de Mineiros. Mais de 200 km abaixo da nascente, o rio passa por uma brusca mudança de altitude em que o relevo é caracterizado por formações rochosas de arenito.

O rio Araguaia e seus afluentes descem das serras formando cachoeiras e cânions até chegar a uma planície próximo à cidade de Baliza, Goiás. Neste local, o rio se alarga e suas águas se acalmam.

90fd9c262c3de84c49cd936a557537b2.jpg

A Cidade de Baliza abriga belíssimas paisagens, cachoeiras e os famosos Cânions do Rio Araguaia, onde é possível “abraçar” o Rio Araguaia. Acredita?

Baliza, fica a 410 km de Goiânia, e é onde o Araguaia não tem pressa. O rio se estreita em um cânion de 50 km de extensão com paredes rochosas que protegem praias. É nesse trecho de serra, longe dos lotados destinos, que é possível navegar entre as paredes rochosas, num passeio chamado Jangadão Ecológico.

f34c2290d585f17b6c3ddc6c2a581abf.jpg

Em formato de expedição, cada edição atende 26 participantes que viajam a bordo de botes infláveis, acompanhados de uma equipe de apoio, por um percurso de 65km pelo rio Araguaia, durante quatro dias. Neste período a proposta é descer navegando, remando, aproximadamente 6 horas por dia (uma média de 22 km por dia). As pernoites acontecem em acampamentos às margens do rio. Turismo de aventura, com desafios e superações, o que faz centenas de pessoas de deslocarem até lá para conhecer! 

E é nesse trajeto que é possível “abraçar” este rio imenso, que é o Araguaia. Afinal basta abrir os braços e tocar as margens do rio com as mãos. Incrível né?

0f9c49a5d227ae09d4657b0dcc7c4040.jpg

Durante a expedição, os turistas ficam em um ambiente de beleza praticamente intocada, que abriga imensa variedade de espécies da fauna e flora. O percurso conta com 50 km de cânions, com estreitas passagens são acompanhadas por paredes rochosas e em alguns pontos praias virgens formadas na última temporada de cheia, bem como, lindas cachoeiras e piscinas naturais de águas cristalinas dos afluentes do Araguaia. 

Em parte deste cânion encontra-se a APA DO ENCANTADO, uma reserva criada para proteger o Cerrado, a fauna e a margem do rio Araguaia. É possível avistar o sobrevoo das aves e ao final do dia, um maravilhoso pôr do sol. Harmonia divina, sintonia maravilhosa que renova! 

8260567883799f95f8dccfdcc26b5d8f.jpg

A descida é bastante tranquila e só em alguns locais encontramos pequenas corredeiras. Para garantir a segurança, EPIs são entregues e todo percurso é acompanhado por uma equipe de apoio experiente, formada por condutores de atividades aquáticas, guia de turismo, barco motorizado, carro de apoio e equipe de cozinha.

df970f629276656a08919b58d8129e75.jpg

A expedição acontece desde 2004 no município de Baliza recebendo participantes de todos os lugares do  Brasil, como também do exterior. Para participar o turista precisa reservar tudo antes com a equipe (contatos no final da matéria) e deslocar-se até Baliza no dia e hora marcada. O carro fica guardado em um local seguro na cidade e um ônibus faz o traslado do grupo até o rio, assim como no final da expedição de volta para a cidade.

Para quem for de avião, o aconselhável é pousar no aeroporto de Goiânia e locar um carro, ou ir de ônibus até a cidade de Baliza, já que não é oferecido o serviço de translado no pacote turístico. No site dos organizadores do Jangadão Ecológico tem todas as informações sobre o que levar, itinerário completo e mais.

Além do Jangadão, muitos passeios podem ser feitos na região. A Cidade de Baliza e a Serra do Caiapó abrigam belíssimas cachoeiras como, o Salto Paraguassú, além de belíssimas paisagens.

3a30df0019aea62fd95765d818c2bb3b.jpg

As cachoeiras mais famosas são:

Salto São Domingos

Cachoeira Samambaia

Cachoeira da Abóbora

Salto Paraguassú

Cachoeira Santa Helena

Cachoeira Santa Márcia

Cachoeira Paraíso

Cachoeira Dois Saltos

Cachoeira Couto Magalhães

Cachoeira do Soturno

 

Cenários que chamam atenção:

Parque Nacional das Emas

Região Pinga Fogo

Morro do Gigante

Serra da Portaria

 

 

Mais informações

 

Goiás Turismo – Agência Estadual de Turismo

Instagram: @goiasturismo | @goiasturismonoticias

Telefone: (62) 3201-8100

 

Atendimento ao Turista de Baliza

Telefone: (66) 99690-0658

Endereço: Avenida Goiás, nº 200, Centro, Baliza

 

Trilhas do Cerrado – Agência de Turismo

Telefone: 64999752400

Instagram: trilhasdocerradotur

Email: [email protected]

Site: trilhasdocerrado.com.br

 

Fotos: Reprodução/Trilhas do Cerrado

Conheça o incrível destino turístico mais romântico do mundo

As Seicheles ou Seychelles,  oficialmente República das Seicheles ou Seychelles, são um país insular localizado no Oceano Índico ocidental, constituído por 115 ilhas distribuídas entre vários arquipélagos localizados a norte e nordeste de Madagáscar.  Este verdadeiro paraíso foi premiado, pelo  29º World Travel Awards,  como  o Destino Mais Romântico do Mundo e como  como o ‘Principal Destino de Lua de Mel do Oceano Índico 2022.

43b1060c6577a7baf1a8cbb905b51133.jpeg

 

 

Velejar, mergulhar, pescar e relaxar são as principais atividades para quem visita as 115 ilhas deste arquipélago. Mahé, Praslin e La Digue são as ilhas mais conhecidas. 

 

Mahé oferece 65 praias de mar prateado, além de diversos restaurantes, cafés, bares e cassinos na pequena capital, Victoria. Já as Seychelles abrigam Patrimônios Mundiais da UNESCO, o atol de corais Aldabra e o Vallée de Mai, chamado de Jardim do Éden. Crioulo é o idioma principal, mas o inglês e o francês são bastante falados.

 

Fazem parte das Seicheles as Ilhas Seicheles propriamente ditas, as Ilhas Amirante, as ilhas Farcuar, as ilhas Aldabra e algumas outras ilhas dispersas. Além de Madagáscar, os seus vizinhos mais próximos são as Maurícias, a sudeste, as Comores e Maiote, a sudoeste, e as Ilhas Gloriosas, a sul. A capital do país é Vitória.

 

A Moeda

A moeda oficial de Seychelles é a rúpia (SCR, Sr ou SRe), conhecida em crioulo como roupi. Introduzida no país em 1914, a rúpia de Seychelles foi criada para substituir a rúpia mauriciana, que circulava no arquipélago desde 1877.

Moedas e notas

Cada rúpia equivale a 100 centavos e é possível encontrar moedas de 1 e 5 rúpias; e de 1, 5, 10 e 25 centavos. As notas que se utilizam têm valor de 10, 25, 50, 100 e 500 rúpias.

 

Valores

 

Os preços nas Seychelles são muito altos se os compararmos com o nível de vida dos cidadãos locais. Aqueles viajantes que busquem a máxima qualidade comprovarão que os preços das Seychelles são ainda mais elevados que os de destinos como Maldivas.

 

Exemplos de preços

Confira uma lista com alguns dos preços que você encontrará nas Seychelles. Para que você possa ter uma ideia, indicamos os preços em euros, embora a moeda oficial seja a rúpia.

Hospedagem

  • Hotéis mais econômicos: a partir de €50 (R$254,50) a noite.

  • Hotéis de 5 estrelas: a partir de €300 (R$1527) a noite.

  • Hotéis de referência (Raffles Praslin, Four Seasons ou Maia): a partir de €1000 (R$5090) a noite.

Transporte

Comida e bebida

  • Cerveja local Skybrew: entre €5 (R$25,40) e €10 (R$50,90).

  • Pizza em um lugar econômico: a partir de €8 (R$40,70).

  • Refeição de três pratos para duas pessoas em um restaurante standard em Victoria: a partir de €35 (R$178,10).

  • Prato principal em restaurantes e hotéis de luxo: a partir de €30 (R$152,70).

c747572d68351478329601e280a170fa.jpeg

A premiação 

O destino paradisíaco foi premiado, pelo  29º World Travel Awards,  como o ‘Principal Destino de Lua de Mel do Oceano Índico 2022’. O  arquipélago conquistou três títulos adicionais, incluindo o ‘Principal Destino de Cruzeiros do Oceano Índico em 2022’; o porto de Victoria foi nomeado como ‘Principal Porto de Cruzeiro do Oceano Índico’ e a Air Seychelles ganhou como ‘Companhia Aérea Líder do Oceano Índico’. 

 

Além desses prêmios,  o arquipélago manteve a nomeação de 2021 como o Destino Mais Romântico do Mundo e o Melhor Destino de Lua de Mel no Oceano Índico. Seychelles competiu contra outros destinos da classe mundial do Oceano Índico.

Foto: Banco de imagens do Canva

 

5 casas do Airbnb para você relaxar às margens do Lago de Serra da Mesa em Goiás

O Lago de Serra da Mesa, que é o lago artificial da Usina de Serra da Mesa, é o quinto maior lago do Brasil. Localizado no Noroeste de Goiás, a região é marcada pelas  águas  alcalinas, que dificultam  proliferação de mosquitos, pernilongos e mutucas, tornando esportes aquáticos viáveis.

Rancho Netuno – Uruaçu

rancho

As margens do lago Serra da mesa, bem arborizada, e ventilada. Casa arejada e limpa. Seu único barulho é o canto dos pássaros. A cidade de Uruaçu está localizada a apenas 10 km do rancho (sem estrada de chão) oferece vários tipos de entretenimentos como shows, tradicional festa da pecuária, barzinhos, pizzaria, etc.

Saiba mais aqui

Rancho Canto da Serra – Uruaçu

rancho

 

Uma pousada a beira do lago Serra da mesa,  há 8 km da cidade de Uruaçu- Goiás. Há apenas 270 km de Brasília. Os chalés tem apacidade para até 6 pessoas. Toda a área verde ao redor dos chalés pode ser usadas pelos hóspedes

Saiba mais aqui

 

Recanto Natureza – Uruaçú

recanto

O local situa-se próximo ao Parque Nacional do Iguaçu, o que o faz um verdadeiro recanto de paz junto à natureza!. Epaços amplos toda fechado com vidros com mesa e churrasqueira que proporciona um lugar ideal para seu lazer, com piscina e área de grama para descontrair. 

 

Saiba mais nesse link

Recanto das Flores – Jasmim – Colinas do Sul

recanto

Esta é uma casa nova, construída especialmente para os hóspedes aproveitarem. Localizada em Colinas do Sul a casa possui 2 quartos (1 com ar condicionado e outro com ventilador) banheiro, cozinha equipada com utensílios. Sala conjugada com a cozinha.

Situada a cerca de 30 metros do rio. Você precisa descer um caminho para chegar até ele. A casa foi construída no alto, com uma linda vista, é como se você estivesse olhando para sua floresta particular, com vegetação nativa do cerrado. Cercada por um lindo jardim o lugar é perfeito para descansar ou trabalhar a distância. A casa compartilha o terreno com outro chalé em um grande espaço para que você tenha privacidade. O chalé fica a 30km do povoado de São Jorge.

 

Saiba mais nesse link

 

Rancho da Alegria – Niquelandia

Rancho

Local ideal para passar momentos agradáveis com os amigos, pescar, prosear, descontrair e curtir a natureza. A casa é de laje, contendo 3 quartos com ar condicionado, 2 com suítes,uma cozinha espaçosa, pias grandes, fogão a gás e ,a lenha micro-ondas , geladeira, freezer, churrasqueira, pátio, varanda coberta e um espaço grande (Mirante) coberto em cima da casa, onde se vê, da Serra Negra ao Morro do Mateus!! Espetáculo a parte a vista, e pôr do sol deslumbrante! Sem contar o luar!

 

Saiba mais neste link

 

Lagoa dos Cristais em Cristalina é um verdadeiro paraíso das águas entre Goiás, Brasília e Minas Gerais

Se você é amante da natureza, adora uma aventura e prefere roteiros de diversão rápidos para o final de semana, vai adorar a Lagoa dos Cristais.

lagoaFoto: Adventure Park

A cidade que recebe o nome de Cristalina em homenagem a grande quantidade de cristais encontrados por lá, e antes reconhecida por ter como principal fonte de economia a extração de cristais por mineradoras, agora é conhecida pelo turismo local por conta de uma nova atração, a Lagoa dos Cristais.

canoagemFoto: Fluid Aventuras

A Lagoa fica em área adjacente ao município de Cristalina, em Goiás, a 280 km de Goiânia e atrai turistas interessados em sua beleza paradisíaca e em esportes radicais, como mergulho, canoagem e Stand Up Paddle (SUP).

lagoaFoto: Fluid Aventuras

A atração foi criada a partir de um garimpo desativado, que após alguns anos de abandono adquiriu pontos com mais de 30 mt de profundidade com águas cristalinas em um tom verde-azulado, que a poucos anos tornou-se um complexo de lazer, o Adventure Park

lagoaFoto: Fluid Aventuras

Para ter acesso a Lagoa é preciso agendar horário com o empresa que admistra o local e tem permissão para turismo e práticas, a Fluid, e adquirir pacotes que incluem serviços, bem como as atividades esportivas credenciadas e coordenadas por guias treinados.

Foto de capa: Aventure Park 

Receba notícias do Curta Mais diretamente no seu WhatsApp (clique aqui)

SIGA O CURTA MAIS

Facebook | Instagram | Twitter | Google Notícias

  

Mirante da Janela é cartão-postal em meio a imensidão impactante da Chapada dos Veadeiros

Comprometido em fazer uma imersão no turismo de Goiás, Curta Mais enviou nosso fotógrafo Marcos Aleotti até a região da Chapada dos Veadeiros para trazer todas as informações, dicas e fotos para que você possa se organizar e planejar uma visita è esse paraíso que é motivo de orgulho para todos os goianos.

Como já mostramos anteriormente, várias atrações fazem da região uma das mais queridas dos fãs de ecoturismo. Agora é a vez de conhecer o Mirante da Janela, um dos maiores cartões postais da Chapada dos Veadeiros. Aproveite para anotar todas as informações e dicas para fazer uma viagem incrível sem deixar a segurança de lado. Confira como foi a experiência:

b135860444d2fbb883eb8b0003461ab5.jpg

6958f46a0944dd0220591f6ad6bf7165.jpg

 

Como chegar

Partindo da Vila de São Jorge, pela estrada de chão que leva ao Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, há uma bifurcação sinalizada. Na placa que indica “Mirante e Abismo” é só entrar à esquerda e seguir até o estacionamento no final da estrada (sem custos). Este trajeto tem em média 2 km.

 

A Trilha

Saindo do estacionamento existe uma trilha que se divide em duas partes. A primeira fica no meio do caminho e vai até a Cachoeira do Abismo. A segunda segue até o Mirante da Janela. 

8216e24401be86e9bf7c5577aaa839c8.jpg

 

Primeira Parte – Acesso à Cachoeira do Abismo

 

A trilha é iniciada em um portal com uma mandala que leva uma enorme pedra de cristal de quartzo emoldurada por troncos de árvores retorcidas. Para os mais místicos, o local serve para os discos voadores descerem – tornando o local um “disco porto”.

4f0fef5ff3620492a3da9207076cf9e2.jpg

À partir dali deve-se seguir por uma descida de cerca de 10 minutos para chegar na portaria do Parque. Lá você encontrará uma casa de apoio e é necessário assinar um termo de responsabilidade e pagar uma taxa, já que essa trilha é propriedade privada. O local é estruturado com banheiros e filtro de água. Se estiver com mais tempo, vale a dica de sentar e tomar um café para escutar as curiosas histórias do simpático Seu Graciliano. Ele é o porteiro da casa de apoio e uma figura ilustre!

Para chegar até a Cachoeira do Abismo é feita uma caminhada de mais 1500 metros. A trilha é tranquila e a maior parte dela é plana, facilitando o trajeto. No entanto, a atenção se faz necessária devido ao terreno pedregoso. Não se esqueça de usar calçados apropriados e de guardar energia para o restante da trilha – portanto, vá sempre no seu ritmo e aproveite para admirar o percurso (que é belíssimo!).

2d5e2f16672b5058315a0a0de6bfac3a.jpg

6f3c473392fd2be9543b58dd70bb187f.jpg

Já se aproximando da cachoeira é possível encontrar algumas piscinas naturais, excelentes para um banho relaxante no meio do caminho. 🙂 Aproximadamente 200m à frente já se pode ver a grandiosidade do lugar, que tem uma vista incrível de tirar o fôlego!

 

Cachoeira do Abismo

e10d18ba1d5725fbae5c6739097a89a7.jpg

22793abb4f8ebe90b302ee4dc06b7956.jpg

A Cachoeira do Abismo tem esse nome graças à sua localização, que fica à beira de um abismo grandioso. Com uma queda d’água que desce por um grande paredão de rocha e despenca num enorme abismo, o local é de beleza única e admirável. Ela forma uma incrível piscina natural em um poço com águas transparentes e tonalidade dourada, o que encanta a todos que passam por lá. O local proporciona, ainda, um horizonte único e uma vista panorâmica de montanhas e vales que parece flutuar sobre a imensidão impactante da Chapada dos Veadeiros.

ed365b88badfe15298cf023999d16f8e.jpg

71e0ddf4c96349cdc9e87ed613331b6b.jpg

A Cachoeira é ótima para tomar banhos longos e relaxantes na hidromassagem natural, além de criar um clima delicioso para contemplar esse cenário incrível. O contato com a natureza é real e a magia e a beleza desse paraíso renovam as energias de qualquer um!

Infelizmente a Cachoeira do Abismo só se forma nos períodos de chuva, quando os reservatórios estão cheios. Portanto, observe a data da sua viagem para não perder a chance.

 

Segunda Parte – Acesso ao Mirante da Janela

071e13adbe8b33d6527f6ba0694437ab.jpg

a18384f2212a26cf27abaf03cd3b94ba.jpg

Para os fãs de grandes aventuras e trilhas longas e cheias de obstáculos, esse é o trajeto ideal para se fazer na Chapada! Considerado por muitos como o trajeto mais pesado da região, a caminhada é dificultada com descidas e subidas nas pedras, além de muito desnível – o que torna seu grau de dificuldade alto nos seus 2km de extensão. A trilha também tem diferenças de altitudes consideráveis, e é indicado passar por ela durante a manhã para evitar o sol forte. Não se esqueça de protetor solar, óculos escuros e chapéu.

A trilha é recheada por uma variedade de cenários belos e ricos em natureza. Áreas de campos rupestres, rochas milenares típicas do Cerrado, árvores retorcidas, jardins surreais e diversas espécies de flores, buritis e pequenos riachos com bicas de águas cristalinas.

23874f2a34b75d28016419b73e2aa358.jpg

a22659ed6c71cf465bcfbe68248918d7.jpg

À partir da Cachoeira do Abismo começa uma descida íngreme com terrenos acidentados, mas há corrimões que auxiliam no trajeto. Em seguida a caminhada já se torna mais plana, aproveite esse trecho para tomar ar, beber água e se refrescar em alguns riachos. Logo em seguida vem o trecho mais crítico: a subida até o mirante. Mas não se desanime! Chegando lá você terá uma visão magnífica e a vista panorâmica mais bonita de todas. O visual é absurdamente maravilhoso e compensa qualquer dificuldade.

d88ebb2d2ef6546b79940916e7b7148c.jpg

8c24224383ef729f14a46f11379cecf2.jpg

Este caminho não exige guia, no entanto é recomendado para fazer um passeio mais seguro.

 

O Mirante da Janela

Chegamos ao ponto final (e mais alto) da trilha todo o esforço terá valido à pena! O Mirante da Janela é considerado como uma das vistas mais impressionantes e lindas da Chapada dos Veadeiros. De frente ao belo cartão-postal é possível avistar toda a grandeza e beleza da região, o que nos faz compreender a imensidão e a força da natureza. 🙂

Do Mirante você terá vista para as Cachoeiras dos Saltos do Rio Preto, duas quedas d’água com 120 e 80 metros de altura, respectivamente. Apesar dos saltos ficarem dentro do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, o Mirante fica localizado fora da área do Parque. É interessante fazer uma comparação da visão dos saltos de dentro e de fora (a vista de cima dá uma compreensão maior do quanto o local é espetacular!).

0067daebe2ac8497885422eb39962530.jpg

Além dos saltos, é possível ter uma ampla visão panorâmica de 360º de toda a Chapada, onde o ar puro e a brisa refrescante fazem par com um silêncio pacífico. A sensação é indescritível.

Vale a dica: abaixo do mirante há uma formação natural em que as pedras parecem formar uma janela de em forma de triângulo. O enquadramento é perfeito e dá uma vista privilegiada para os Saltos do Rio Preto. Esse é o ponto prefrido dos visitantes para fazer uma selfie dentro da janela.

9ef87e2d4e55a786214cc8e3ec6baa4e.jpg

29544dc14dc7a0a80a8cf06a541cb183.jpg

Vale a visita, a foto e a admiração desse paraíso!

 

c4be06cd7028daa4940cfbc136d43d3a.jpg

cf98debdeccdf46f9512c1085dfe1e4c.jpg

040a06b13839e93a62a920034c999a0d.jpg

bef7ea2c28e7fa777c6c8fac8119974e.jpg

7a28ebb864e3f2a76ebff9c233e752b0.jpg

f61da2ec55c21ce0e96b58889c5ce2ff.jpg

542ce5419fa9ad43f468b05d55fe5637.jpg

461ecff55726d464b013487a000949a8.jpg

942ac6af75c3ebc15c5d54d1199b78c3.jpg

 

Dicas

Se programe para fazer a trilha na parte da manhã;

Use calçados apropriados;

Leve água, repelente, chapéu e filtro solar;

Leve pequenos lanches para poder ficar um tempo maior;

Nos meses de verão as chuvas são comuns, lembre-se de garantir uma capa de chuva;

Apesar de não ser obrigatório é interessante contratar um guia;

O passeio não é indicado para crianças e idosos;

Uma pequena mochila é suficiente para o passeio. Evite pesos desnecessários.

 

Informações úteis

A entrada é de R$ 10 por pessoa;

A diária do guia vai de R$ 100 a R$ 150 (para o grupo);

A distância total da trilha é de 8km.

 

CAT Alto Paraíso: (62) 3446-1159

CAT Vila de São Jorge: (62) 3455-1090

 

Fotos – Pauta: Marcos Aleotti

Guia: Tiago Arantes