7 lugares para visitar antes que sumam do mapa

Conheça 7 lugares que você precisa visitar antes que eles sumam do mapa

Amanda Mendonça De Oliveira
Por Redação Curta Mais
WhatsApp Image 2024 03 01 at 09.11.59
Maldivas (foto: reprodução)

Sabemos que o mundo passa por diversas mudanças, sejam elas políticas, sociais ou ecológicas, pesquisas científicas apontam que o aquecimento global é real e uma questão extremamente preocupante e próxima do que imaginamos. Por isso, em meio há tantas transformações, aquela viagem dos sonhos pode sofrer alterações ou chegar até mesmo a não ser possível. Pensando nisso, o Curta Mais preparou uma lista com lugares para você visitar antes que mudem ou desapareçam do mapa! Vamos lá?

Veneza, Itália

Situada no coração de um lago no noroeste da Itália, Veneza, uma das cidades mais românticas e conhecidas do mundo, formada por mais de 100 ilhas em uma lagoa no Mar Adriático. Veneza é conhecida por seus longos canais de água que atravessam a cidade como ruas, tal como se ela estivesse flutuando em pleno mar. Mas você sabia que devido ao aquecimento global, a cidade está com sérios riscos de afundar, ou melhor dizendo, ser inundada.

Construída ainda no século X, Veneza vem afundando lentamente nas últimas décadas devido ao processo natural de deslizamento dos sedimentos da lagoa sobre a qual foi posicionada. Você não quer perder a oportunidade de conhecer um dos lugares mais românticos e turísticos do mundo, né? Que tal fazer as malas e mergulhar antes que ela inunde para sempre?

Veneza, uma das cidades mais românticas do mundo (foto reprodução)

Mar Morto, Israel e Jordânia

O Mar Morto, considerado sagrado por algumas religiões, e um verdadeiro ímã para turistas que buscar tranquilidade, paz, harmonia e spas está ameaçado. Segundo ambientalistas, o nível do lago está diminuindo consideravelmente em razão a mudanças climáticas. Todos os anos a sua área diminui cerca de 1,2 metros e nas últimas 6 décadas já perdeu 1/3 do seu tamanho original e estimasse que até 2050 o Mar Morto pode desaparecer completamente.

Outros motivos que estão por trás do desaparecimento do Mar Morto, além do aquecimento global, é a obtenção de água do Rio Jordão, que alimenta o Mar Morto, mas também é a única fonte de água doce na região. Além disso, a captação de potássio por algumas indústrias no local também favorece este problema.

Conheça lugares que podem desaparecer

Mar Morto (foto: reprodução)

Tuvalu, Polinésia

Tuvalu é um conjunto de ilhas que existe na Polinésia, no meio do Oceano Pacífico, está no ranking dos países menos visitados do mundo e está classificada como um dos lugares que correm alto risco de desaparecimento, já que em algumas décadas a alta elevação do nível do mar pode fazer com que o pequeno território seja engolido pela água.

Esse país que possui apenas 26 km² e cerca de 11 mil habitantes, tenta continuar existindo como povo antes do mar engolir completamente seu território, aliás, o ponto mais alto de Tuvalu no sul da Oceania está a apenas 5 metros do nível do mar e isso e com isso, esse país está próximo a se tornar a primeira nação digital do mundo para que sua cultura e história não seja perdida par sempre.

Tuvalu (foto: reprodução)

Machu Picchu, Peru

Uma das 7 maravilhas do mundo moderno, o sítio arqueológico, construído no século XV, pode desabar devido à localização geográfica que fica a 2.400 metros de altitude, à idade das construções e às décadas de turismo desregrado. O Peru anunciou que fechará para visitas turísticas três áreas da cidadela inca de Machu Picchu, em Cusco, devido ao desgaste de seus elementos em pedra.

O elevado número de pedestres provoca a deterioração dos elementos líticos de três setores emblemáticos da cidadela: o Templo do Condor, o Intihuatana, a peça esculpida em pedra considerada sagrada pelos Incas e o Templo do Sol, sendo necessário seu fechamento para manutenção. Por isso, por ora, estipulou-se que o limite de visitantes fosse de 2.500 por dia e que todos os cuidados devem ser tomados, para que essa “cidade perdida dos incas” não se torne um dos lugares que ficará apenas em nossas memórias.

Machu Picchu (foto: reprodução)

Parque Nacional Los Glaciares, Argentina

O Parque Nacional Los Glaciares, localizado na região da Patagônia, Argentina, foi instituído pelo governo no ano de 1937 é um dos lugares mais badalados de lá. Com 47 geleiras enormes, a calota polar andina é a maior fora da Antártica e da Groenlândia. É considerado Patrimônio Mundial da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) e abriga maravilhas naturais como a Geleira Perito Moreno e no Monte Fitz Roy. Infelizmente esse parque que é um dos lugares mais impressionantes da Argentina, também sofre com mudanças climáticas e cada ano suas geleiras diminuem mais e mais de tamanho.

Vale lembrar também que o Parque Nacional Los Glaciares, abriga a terceira maior área coberta de gelo do mundo, conhecida como Campo de Gelo Patagônia do Sul.

Parque Nacional Glacier (foto: reprodução)

Taj Mahal, Índia

Ícone do amor e uma das atrações mais visitadas do mundo, Taj Mahal, é um dos principais pontos turísticos da Índia. De 2010 a 2015, recebeu entre quatro e seis milhões de turistas, segundo o Ministério de Turismo e Cultura do país. Foi construído na cidade de Agra, no século XVII, pelo imperador Shah Jahan. Para construir o edifício, o imperador encomendou mármore do Rajastão que tem uma característica singular: parece rosa pela manhã, branco à tarde e leitoso à noite, o Taj Mahal é mais um na lista dos lugares para visitar antes que acabem ou mudem.

O desgaste natural provocado pelo tempo, a poluição do ar e o aumento do nível das águas dos rios podem estar afetando a estrutura do mausoléu, que já apresenta rachaduras, essas fundações estão localizadas sobre 180 poços de água e bases de madeira, que requerem água durante todo o ano. Se a base não for regada durante todo o ano, a madeira abaixo eventualmente se secará, apodrecerá e se romperá.

Taj Mahal (foto: reprodução)

Maldivas

Maldivas é um dos lugares mais queridos por aquelas pessoas que amam praias paradisíacas com direito a muita curtição. Mas infelizmente essa liberdade turística toda que você tem em Maldivas está prestes a acabar, já que esse conjunto de ilhas é um dos lugares mais ameaçados pela subida do nível das águas devido às alterações climáticas. Só no ano de 2007, o painel climático da ONU (IPCC) alertou um aumento de 18 a 57 centímetros tornaria as Maldivas praticamente inabitáveis antes do final do século.

Para ficar pior a situação, seu ponto mais alto está apenas a 2 metros acima do nível do mar, o que coloca praticamente todo o país em grande risco de enchente quando a maré sobe. Para tentar contornar essa situação, o governo das Maldivas e a incorporadora holandesa Dutch Docklands, iniciaram a construção de uma cidade flutuante para mais de 20.000 moradores, que deverá ser finalizada até o ano de 2027.

Ilhas Maldivas (foto: reprodução)