Bombeiros de Goiás chegam ao Rio Grande do Sul e iniciam operações de resgate

Os Bombeiros de Goiás fizeram a primeira intervenção no Rio do Sino, na cidade de São Leopoldo, onde três pessoas e três cachorros foram resgatados com êxito

Cris Soares
Por Cris Soares
bombeiro goias
Equipe de bombeiros que saiu de Goiânia na sexta-feira chegou na madrugada deste domingo no Rio Grande do Sul e atua no município de São Leopoldo/Foto: Secom e CBMGO

As seis viaturas do 1º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militares de Goiás (CBMGO), situado no Setor Central de Goiânia, partiram na sexta-feira (03/05) e chegaram em Porto Alegre às 4h do domingo (05/05). De lá, seguiram para o município localizado a 40 km da capital gaúcha, fortemente impactado pelas chuvas.

bombeiro goias

Equipe de bombeiros que saiu de Goiânia na sexta-feira chegou na madrugada deste domingo no Rio Grande do Sul e atua no município de São Leopoldo/Foto: Secom e CBMGO

O Tenente Coronel Marcus Vinicius Borges Silva, líder da equipe, enfatizou a importância da missão: “Estamos iniciando nossos esforços em uma área de região serrana, onde há possíveis vítimas soterradas. Esta não é apenas uma missão militar, mas também um ato de devoção em ajudar aqueles que mais precisam”.

A mobilização das equipes goianas foi determinada pelo governador Ronaldo Caiado na quinta-feira passada (02/05), como parte dos esforços nacionais de solidariedade diante da emergência no Rio Grande do Sul. Caiado declarou em um vídeo nas redes sociais: “É hora de todo o país se unir para auxiliar nossos irmãos do Rio Grande do Sul”.

O grupo enviado é composto por 21 militares, 4 cães e 4 embarcações de salvamento, preparados para enfrentar os desafios impostos pelos temporais na região sul do país. Eles planejam permanecer no Rio Grande do Sul por 10 dias, enquanto uma equipe extra permanecerá em prontidão na capital.

De acordo com informações da Defesa Civil gaúcha, 235 municípios foram afetados pelas chuvas, resultando em mais de 23 mil desalojados. Até o momento, os temporais causaram pelo menos 75 mortes, com 103 pessoas ainda desaparecidas.

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? Basta clicar aqui e entrar no canal do WhatsApp do Curta Mais.