Bolsonaro surpreende e cogita apoiar Caiado para presidente, revela O Globo

Reportagem publicada pelo jornal O Globo na noite desta terça-feira (28/05), relata que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) pode apoiar o governador Ronaldo Caiado (UB) na disputa pela Presidência da República em 2026. Segundo a publicação, o ex-chefe do Executivo deu sinais de que pode ser um “cabo eleitoral” do goiano numa eventual corrida pelo Palácio do Planalto.

De acordo com a reportagem, a resistência de Bolsonaro a Caiado “tem arrefecido a olhos vistos”. No início do ano, o governador chegou a tratar com o PL a possibilidade de se filiar ao partido, mas a negociação foi vetada pelo ex-presidente.

“Bolsonaro mostrava não ter superado o fato de o goiano, que é médico de formação, ter defendido o isolamento social e a vacinação durante a pandemia. Gestos recentes de Caiado, como a ida ao ato em defesa do ex-presidente em São Paulo, aproximaram os dois”, diz o texto.

Segundo o jornal, Jair Bolsonaro também tem sido aconselhado a fazer gestos públicos em direção a Caiado para sinalizar ao governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), que possui outras opções no radar. “A ideia é não empoderar demais o ex-ministra da Infraestrutura”, afirma a reportagem.

A publicação relata, no entanto, que Caiado considera que Caiado está “antecipando demais a disputa ao já se colocar como pré-candidato ao Planalto”. Importante lembrar que o governador de Goiás já comunicou ao União Brasil que pretende disputar a Presidência em 2026.

O goiano tem intensificado agendas de repercussão nacional para tentar viabilizar sua candidatura. Caiado também passou a criticar, de forma incisiva, a gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

De olho na presidência, Caiado critica atuação de Lula na tragédia do Rio Grande do Sul

O governador Ronaldo Caiado (UB) voltou a criticar o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Dessa vez, o goiano abordou a atuação do chefe do Executivo nas enchentes que atingiram o Rio Grande do Sul.

Pré-candidato ao Palácio do Planalto, Caiado disse que, no lugar de Lula, teria mudado seu gabinete para o estado atingido pelas chuvas. “Não há outra coisa mais importante no país do que estar na linha de frente”, disse à Revista Veja, em Nova York, onde participou do Brazil Investment Forum, encontro organizado pelo Lide do ex-governador de São Paulo, João Doria.

Na entrevista, Caiado disse que o petista está descolado nesse momento do trabalho de socorro aos gaúchos. O governador também avalia que “Lula não é mais o mesmo, não tem paciência nem vontade de ouvir ou governar”.

Na última quarta-feira (15/05), Lula assinou uma medida provisória que cria, com nível ministerial, a Secretaria Extraordinária da Presidência da República para Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul. O órgão será comandado pelo gaúcho Paulo Pimenta, que até então estava à frente da Secretaria de Comunicação Social (Secom).

A nova pasta será responsável por comandar as ações federais na recuperação do estado, fortemente atingido por chuvas e enchentes. Conforme divulgado pelo Governo Federal, todos os ministérios do governo estão mobilizados na reconstrução do Rio Grande do Sul. O ministério específico fará a articulação e a organização de ações sem ter o caráter executivo, mas para facilitar o trabalho, apoiar o estado e as prefeituras municipais.

Até o momento, 155 pessoas morreram em decorrência da tragédia, de acordo com balanço divulgado pela Defesa Civil estadual. Além disso, há, ainda, 89 desaparecidos e mais de 500 mil desalojados.

Receba no seu WhatsApp as melhores dicas da cidade e as notícias mais interessantes em primeira mão!

Caiado anuncia campanha de solidariedade para ajudar o Rio Grande do Sul

O Governador Ronaldo Caiado fez um apelo emocionado em um vídeo divulgado nas redes sociais, nesta segunda-feira (06/05), convocando a população de Goiás para se unir em uma campanha de arrecadação de doações destinadas às vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul (RS). O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO) está mobilizando todos os quartéis para servirem como pontos de coleta de cobertores, colchões, alimentos não perecíveis, produtos de limpeza e de higiene pessoal.

“A situação é de calamidade e a solidariedade é crucial neste momento. Estamos estendendo nossas mãos para nossos irmãos gaúchos que enfrentam uma tragédia sem precedentes”, enfatizou o governador.

Essa iniciativa, coordenada pelo Governo de Goiás através do Corpo de Bombeiros e do Goiás Social, visa fornecer assistência imediata às famílias atingidas. Além das doações recolhidas nos quartéis, o governo irá disponibilizar cestas básicas, cobertores e filtros de barro.

A prioridade é arrecadar itens essenciais como cobertores, colchões, alimentos não perecíveis, produtos de limpeza e higiene pessoal. Os kits de dormitório, compostos por lençol, travesseiro, fronha e mosquiteiro, assim como cestas básicas contendo alimentos crus e enlatados, serão especialmente úteis.

Para facilitar o acesso às doações, qualquer quartel do Corpo de Bombeiros em Goiás estará recebendo contribuições. Informações adicionais sobre como ajudar ou encontrar o posto de coleta mais próximo podem ser obtidas entrando em contato com a Defesa Civil Estadual.

O governador visitou o gabinete de crise montado pelo Corpo de Bombeiros Militar em Goiás, onde pôde acompanhar de perto as operações em andamento e a sala de monitoramento de desastres. O comandante-Geral do CBMGO, Coronel Washington Luiz Vaz Júnior, lidera as operações, coordenando esforços em todo o país para fornecer assistência rápida e eficaz aos afetados pela tragédia no Rio Grande do Sul.

Mais tarde, o governador acompanhou a saída da equipe do Serviço Aéreo do Estado de Goiás (SAEG) com destino a Santa Maria, no Rio Grande do Sul, transportando suprimentos doados, como roupas, kits de higiene, agasalhos, cobertores e medicamentos para a população local.

Essa força-tarefa é uma resposta à determinação do governador Ronaldo Caiado, que na última sexta-feira (03/05), enviou equipes de bombeiros de Goiânia para auxiliar no resgate das vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul. Até o momento, as equipes goianas já resgataram cerca de 150 pessoas e 15 animais, somando-se aos esforços dos bombeiros gaúchos e do Conselho Nacional de Comandantes Gerais (CNCG) Ligabom, que já realizaram milhares de salvamentos desde o início do desastre.

Caiado, Bolsonaro e Lula: quem será o maior cabo eleitoral em Goiânia?

A disputa pela Prefeitura de Goiânia deve ter a influência de dois nomes da direita: o governador Ronaldo Caiado (UB) e o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Apesar de aliados, os dois apoiam pré-candidatos diferentes na capital. Caiado escolheu o empresário Sandro Mabel (UB) para concorrer ao Paço. Bolsonaro, por sua vez, lançou o deputado federal Gustavo Gayer como pré-candidato pelo PL.

Do outro lado, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deve ser o principal cabo eleitoral da esquerda. O chefe do Executivo convidou a deputada federal Adriana Accorsi (PT) para disputar a prefeitura pela terceira vez. A petista foi a primeira a ter sua pré-candidatura oficialmente lançada.

Dos três lados, já começaram as mobilizações, estratégias, definições e prioridades. Gayer, inclusive, já anunciou o ex-deputado estadual Fred Rodrigues (PL) como pré-candidato a vice-prefeito.

O governador de Goiás já anunciou que pretende ser candidato a presidente da República, enquanto Bolsonaro está inelegível por decisão da Justiça Eleitoral até 2030. Lula deve concorrer à reeleição. Os três sabem que vencer em Goiânia será fundamental para as eleições de 2026.

Bolhas
Tecnicamente empatados em primeiro lugar nas pesquisas eleitorais, Adriana Accorsi, Gustavo Gayer e Vanderlan Cardoso (PSD) têm enfrentado a mesma dificuldade: encontrar um candidato a vice-prefeito fora de seus grupos políticos. A petista procurou nomes de partidos de centro e de centro-direita, mas ainda não conseguiu um nome de peso. Gayer decidiu disputar com chapa pura e seu vice será do próprio PL. Do outro lado, Vanderlan enfrenta resistências dentro do próprio partido e ainda não avançou na escolha do seu companheiro de chapa.

Dobradinha
Sandro Mabel e Vilmar Mariano farão campanha conjunta em bairros limítrofes de Goiânia e Aparecida. Os dois também pretendem contar com a presença do governador Ronaldo Caiado no maior número possível de agendas de campanha nos dois municípios.

Incomodados
Aliados do vice-governador Daniel Vilela (MDB) não estão satisfeitos com a insistência do grupo liderado pelo presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Bruno Peixoto (UB), em indicar o candidato a vice-prefeito na chapa de Sandro Mabel. A avaliação é que o MDB, que venceu várias eleições em Goiânia com Iris Rezende e Maguito Vilela, não pode ficar fora da chapa majoritária.

Isolamento
O PL deve caminhar sozinho também em Aparecida de Goiânia e Anápolis, cidades onde também há a possibilidade de segundo turno. Em Aparecida, o ex-deputado estadual Max Menezes, que trocou o PSD pelo PL, deve ser o candidato a vice na chapa do Professor Alcides Ribeiro. Em Anápolis, o PL terá Márcio Corrêa como candidato a prefeito e, provavelmente, o vereador Hélio Araújo, que é o presidente da legenda, como parceiro de chapa.

Mulheres na disputa
De olho no cumprimento da cota de gênero, o Republicanos anunciou que terá 24 mulheres na disputa por mandatos na Câmara Municipal de Goiânia. Com isso, não haverá dificuldade para o cumprimento da legislação, que estabelece a reserva mínima de 30% das candidaturas para as mulheres.

Silêncio
A falta de engajamento do ex-governador e presidente nacional do PSDB, Marconi Perillo, na pré-campanha do jornalista Matheus Ribeiro à Prefeitura de Goiânia tem causado estranheza dentro do partido. Considerado o principal cabo eleitoral da legenda, Perillo têm se mantido afastado, inclusive das discussões sobre a escolha do candidato a vice de Matheus.

Legislativo
Bônus – A Assembleia Legislativa aprovou, em definitivo, o projeto que concede bônus por resultado na Secretaria de Estado da Educação de 2024. A matéria foi aprovada por 25 votos.

Data comemorativa – O deputado estadual Virmondes Cruvinel (UB) quer defende a instituição, em 6 de junho, do Dia do Servior da Defesa Agropecuária.

Bolsonaro elogia Caiado e Tarcísio, mas diz que só discute 2026 depois de 2024

Ao lado dos governadores de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil), e de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que “plantou sementes caso não possa, de fato, disputar a presidência em 2026”. A declaração ocorreu nesta segunda-feira (29/04), na abertura da Feira Internacional de Tecnologia Agrícola (Agrishow), em Ribeirão Preto (SP).

Questionado se já está aberta uma disputa entre os dois governadores pelo eleitorado bolsonarista, o ex-presidente se esquivou e disse que, neste momento, sua única preocupação é com as eleições em outubro deste ano. “Só discuto as eleições de 2026 depois de 2024”, disse.

Bolsonaro está inelegível até 2030, após decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A expectativa é que o ex-presidente indique um nome para concorrer ao Palácio do Planalto caso não consiga reverter sua situação junto à Justiça Eleitoral.

Caiado já declarou que é pré-candidato à Presidente da República e que pretende contar com o apoio do eleitorado bolsonarista. “Não sendo ele candidato, a minha trajetória de vida é exatamente no mesmo eleitorado do ex-presidente”, afirmou o governador, durante entrevista ao jornal Folha de São Paulo, em março.

Apesar de ter a simpatia de parte do eleitorado de Bolsonaro, Caiado ainda precisa superar nomes mais alinhados ao ex-presidente. Tarcísio de Freitas e Romeu Zema (Novo), por exemplo, são governadores de estados maiores e com mais visibilidade nacional.

De olho em 2026, Caiado participa de motociata ao lado de Bolsonaro

Pré-candidato a presidente da República nas eleições de 2026, o governador Ronaldo Caiado (União Brasil) participou neste domingo (28/04), de “motociata”, em Ribeirão Preteo (SP), com ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). “Que imagem linda! Percorremos as ruas da cidade recebendo todo o carinho dos ribeirão-pretenses”, escreveu o governador nas redes sociais.

A movimentação antecedeu a abertura oficial da Agrishow, a maior feira de agronegócio da América Latina, que teve uma sessão privada neste domingo para ministros e expositores.

Caiado tem se aproximado cada vez mais de Bolsonaro, de quem espera receber apoio para concorrer à presidência em 2026. “Não sendo ele candidato, a minha trajetória de vida é exatamente no mesmo eleitorado do ex-presidente”, afirmou o governador, durante entrevista ao jornal Folha de São Paulo, em março.

O goiano tem trabalhado para ampliar sua presença em outros estados, por meio da participação em eventos sobre segurança pública, uma das principais bandeiras do seu governo. O governador também tem buscado reforçar sua proximidade com o agronegócio.

De olho em 2026, Caiado diz que Lula perdeu a vontade de governar e confirma pré-candidatura a presidente

O governador Ronaldo Caiado (União Brasil) voltou a disparar críticas contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Cotado para disputar o eleitorado da oposição na corrida pelo Palácio do Planalto em 2026, o goiano criticou o recuo do governo na meta fiscal de superávit para 2025. “O presidente perdeu a vontade de governar”, disse, em entrevista publicada na noite desta terça-feira (16/04), pela revista Veja.

Caiado também declarou que já comunicou ao União Brasil que pretende disputar a Presidência da República. “Tem que ter muita ponderação, mas já me coloquei ao meu partido como pré-candidato. Sei que não depende apenas da minha vontade. É preciso construir uma base partidária e avançar nas alianças”, disse.

A reportagem também questionou o governador de Goiás sobre sua relação política com o ex-presidente Jair Bolsonaro. Segundo ele, apesar das divergências durante a pandemia de Covid-19, os dois defendem os mesmos ideais.

“É normal ter discordância. Em certos momentos, discordei da posição dele, ele discordou da minha. É algo normal na política. Eu acredito na vacina, ele não acredita. É um direito de cada um. Mas, do ponto de vista de princípios em relação a livre iniciativa, direito de propriedade, economia de mercado geração de emprego e renda, não há diferença de pensamentos”, concluiu.

Caiado endurece discurso e diz que não vai tolerar invasões de terra em Goiás

O governador Ronaldo Caiado (União Brasil) afirmou na tarde desta segunda-feira (16/04), que não tolerará ocupações de terra promovidas pelo Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST) no Estado. A declaração foi dada após 400 famílias terem ocupado a propriedade Sítio Novo, em Itaberaí.

De acordo com o chefe do Executivo, há uma “tropa de choque” preparada para evitar novas invasões em Goiás. Segundo ele, também está em andamento uma ação das forças de segurança e inteligência para interceptar ônibus com integrantes do movimento.

Caiado garantiu, ainda, que removerá todos os ocupantes. “Minha tropa de choque está na região. Se outras pessoas conseguirem chegar lá, serão levados à delegacia para registro de ocorrência”, declarou.

As ocupações fazem parte do movimento “Abril Vermelho”. Segundo o MST, as ocupações simbolizam a luta pela terra no Brasil, uma vez que o mês de abril ficou marcado pela indignação diante da impunidade do Massacre de Eldorado dos Carajás, ocorrido há 28 anos. Na época, 21 manifestantes foram vítimas da emboscada.

Caiado nomeia Armando Vergílio como secretário de Relações Institucionais

O ex-deputado federal Armando Vergílio dos Santos Júnior é o novo secretário estadual de Relações Institucionais do Governo de Goiás. O decreto de nomeação, assinado pelo governador Ronaldo Caiado (União Brasil), foi publicado nesta quinta-feira (04/04), no Diário Oficial do Estado (DOE). A pasta é responsável pelo diálogo com políticos, líderes classistas e municipalistas.

A pasta também tem como objetivo proporcionar eficiência no relacionamento institucional com os poderes Legislativo e Judiciário, além de outras esferas da administração pública. A mudança foi realizada em razão da desincompatibilização de Lucas Vergílio, que deixou o cargo para disputar as eleições de 2024.

Presidente da Federação Nacional dos Corretores de Seguros (Fenacor), Armando Vergílio foi deputado federal entre 2011 e 2015 e secretário de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Distrito Federal. Também esteve à frente das secretarias de Cidades; Governo; Trabalho; e Previdência. Vergílio também foi candidato a vice-governador nas eleições de 2014, na chapa de Iris Rezende (MDB).

Mabel aceita convite de Caiado e anuncia pré-candidatura a prefeito de Goiânia

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel, anunciou na tarde deste sábado (30/03), que será candidato a prefeito de Goiânia pela base do governador Ronaldo Caiado (União Brasil). Filiado ao Republicanos, o ex-deputado federal migrará para o partido do chefe do Executivo na próxima semana.

A confirmação foi feita em transmissão ao vivo pela internet. “Responsabilidade chamou mais fundo. Conversei com minha família e decidi aceitar o convite do governador. Vamos fazer uma ampla frente para discutir Goiânia“, afirmou.

Caiado, que também participou da transmissão, declarou que foram realizadas três pesquisas qualitativas até chegar nas características de Mabel. Definido o pré-candidato a prefeito, a base governista já começou a procurar um vice. A expectativa é que o escolhido seja do MDB.

Jânio Darrot joga a toalha e retira pré-candidatura a prefeito de Goiânia

O ex-prefeito de Trindade, Jânio Darrot (MDB), desistiu da pré-candidatura à Prefeitura de Goiânia. Nas redes sociais, o político afirmou que a decisão “foi pessoal e amadurecida com familiares e amigos”. A desistência ocorre em meio ao convite do governador Ronaldo Caiado (União Brasil) para que o ex-deputado federal Sandro Mabel (Republicanos) seja o candidato da base governista na capital.

Também convidado pelo governador, Darrot perdeu força após ser alvo de operação da Polícia Civil. Após o episódio, o político continuou articulando com vereadores e outras lideranças de partidos da base de apoio do governador. Conforme apurado pelo Curta Mais, o ex-prefeito conversou por telefone com Caiado para anunciar a decisão.

Sandro Mabel é o nono nome cotado pela base de Caiado para disputar a prefeitura da capital. Além dele e Jânio, também já foram cogitados o presidente da Assembleia Legislativa de Goiás, Bruno Peixoto, o senador Wilder Morais, o deputado federal Zacharias Calil, o ex-deputado estadual José Vitti, o ex-prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, e Ana Paula Rezende, filha do ex-prefeito Iris Rezende. O prefeito Rogério Cruz também não escondeu o desejo de ser o escolhido do governador. Mabel deve deixar o Republicanos e se filiar ao União Brasil.

Nem PT, nem Podemos: Vilmar Mariano descarta mudança de partido para disputar reeleição

O prefeito de Aparecida de Goiânia, Vilmar Mariano (MDB), descartou mudar de seu partido para o Podemos ou para o PT. A declaração foi dada em entrevista exclusiva ao Curta Mais. “Estou muito bem no MDB e será por ele que vou disputar à reeleição”, afirmou.

Vilmar  garantiu que nunca tratou de uma possível saída do partido. “Eu só vejo isso sendo cogitado pela imprensa. Nunca tratei desse assunto com ninguém, nem recebi qualquer convite. Permanecerei no MDB”, concluiu.

As especulações ganharam força após o distanciamento entre Vilmar e o ex-prefeito Gustavo Mendanha (MDB). O atual prefeito chegou a se queixar publicamente do antigo aliado. “A relação esfriou e, dificilmente, ele andará conosco. Temos falado muito pouco e, quando ocorre, ele não me trata como aliado”, disse.

Por sugestão de Mendanha, o governador Ronaldo Caiado (União Brasil) e o vice-governador Daniel Vilela (MDB) passaram a avaliar outras alterativas, além de Vilmar, como o ex-deputado federal Leandro Vilela e o secretário municipal de Saúde, Alessandro Magalhães. A informação teria feito Vilmar pensar em buscar outra legenda para não ficar fora das eleições.

Caiado mira 2026, alfineta Lula e confirma buscar apoio de Bolsonaro para concorrer à Presidência

O governador Ronaldo Caiado (União Brasil) confirmou, em entrevista à Folha de São Paulo, que pretende disputar à Presidência da República em 2026 com o apoio de Jair Bolsonaro (PL). A declaração foi publicada nesta segunda-feira (25/03). “Não sendo ele candidato, a minha trajetória de vida é exatamente no mesmo eleitorado do ex-presidente”, declarou.

Caiado também criticou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que deve disputar à reeleição. Segundo ele, o petista instiga o acirramento na sociedade. O governador defendeu, ainda, anistia aos envolvidos nos ataques de 8 de janeiro. “São momentos que nós precisamos buscar arrefecer o clima do nosso país para ter governabilidade. Não se governa com essas ferramentas que nós estamos vivendo. Já se passou um ano e três meses”.

Sobre a possível candidatura a presidente, Caiado afirmou que o assunto só será tratado formalmente pelo União Brasil em 2026. No entanto, ele confirmou que o desejo de concorrer ao cargo sempre existiu. “Nunca neguei. Até porque fui o candidato mais jovem da história do País, com 39 anos de idade, em 1989. Minha história me credencia para que eu possa ver se existe a possibilidade partidária de transformar isso numa realidade”.

Bolsonarismo
O governador também disse que pretende buscar o apoio do eleitorado bolsonarista. “Não existe outro eleitorado que não seja condizente com minha vida política durante esses 40 anos. Isso aí todos nós reconhecemos e não tem a menor dúvida que, mesmo sem mandato, Bolsonaro tem a capacidade de mobilizar milhões de pessoas”.

A reportagem também questionou Caiado sobre as críticas do pastor Silas Malafaia ao seu rompimento com Bolsonaro em razão de divergências no enfrentamento à pandemia da Covid-19. O líder religioso chegou a dizer, recentemente, que o governador de Goiás estaria fingindo ser próximo do ex-presidente de olho na posição que ele vai deixar. “Prefiro não comentar sobre essa colocação. Eu não preciso hoje de atestado de quem quer que seja. Sempre tive muita coerência”, concluiu.

Em meio a rumores de afastamento, Vilmar Mariano garante que terá apoio de Mendanha, Caiado e Daniel em Aparecida de Goiânia

O prefeito de Aparecida de Goiânia, Vilmar Mariano (MDB), afirmou nesta quinta-feira (21/03), que terá o apoio do governador Ronaldo Caiado (União Brasil), do vice-governador Daniel Vilela (MDB) e do ex-prefeito Gustavo Mendanha (MDB) para disputar a reeleição em outubro. “Meu nome terá o respaldo dos três. Eles são os maiores cabos eleitorais no município e tenho muita esperança de que vamos caminhar juntos”, disse.

A declaração foi feita em entrevista exclusiva ao Curta Mais, após rumores de um possível rompimento entre o prefeito e Gustavo Mendanha. Na últimas semanas, Vilmar chegou a se queixar publicamente do aliado.

O gestor também garantiu à coluna que não está preocupado com as pesquisas de intenção de voto. Nos últimos levantamentos, Vilmar aparece mais de 20 pontos atrás do deputado federal Professor Alcides (PL), que deve ser seu principal adversário. “As pesquisas não refletem a realidade e estou focado em fazer uma gestão de qualidade que me qualifique para a disputa”, concluiu.

No centro
Ainda na entrevista, Vilmar rechaçou a polarização política entre apoiadores do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). “A população de Aparecida não quer saber quem é de direita ou de esquerda. Sou um político de diálogo e sem extremismo”, declarou.

Esfriou
A coluna apurou que o diálogo sobre uma possível aliança entre Adriana Accorsi (PT) e Vanderlan Cardoso (PSD) perdeu força nos últimas dias. A análise da cúpula petista é que uma composição entre os dois pré-candidatos à Prefeitura de Goiânia só deve ocorrer em um eventual segundo turno. O partido, inclusive, já tem conversado com outras legendas de centro e centro-esquerda em busca de um candidato a vice-prefeito.

Articulação
Enquanto Ronaldo Caiado não define seu candidato em Goiânia, o senador Wilder Morais (PL) tem estreitado laços com aliados políticos do governador. A informação é que o parlamentar busca a melhor forma de colocar o deputado federal Gustavo Gayer entre as opções da base governista para a disputa. Gayer é considerado um dos principais aliados de Jair Bolsonaro em Goiás, enquanto Caiado tem buscado se reaproximar dos apoiadores do ex-presidente para viabilizar seu projeto presidencial em 2026.

Agonia
Assim como na capital, a base ainda não sabe quem terá as bênçãos do governador na disputa pela prefeitura de Anápolis. O suplente de deputado federal Márcio Corrêa (MDB), nome mais próximo do vice-governador Daniel Vilela, desagradou boa parte do núcleo caiadista ao criticar o governo em razão de possível demora na ampliação do Distrito Agroindustrial. Por outro lado, o vice-prefeito Márcio Cândido (PSD), que também quer o apoio de Caiado, não tem empolgado os aliados do governador.

Coincidência?
Sempre ativo nas redes sociais, o ex-governador Marconi Perillo (PSDB) não fez uma única postagem relacionada à pré-candidatura do jornalista Matheus Ribeiro à Prefeitura de Goiânia nas últimas semanas. O silêncio tem sido percebido, principalmente, depois que o nome de Perillo passou a ser cogitado para concorrer ao Paço Municipal.

Sem quórum
A sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Goiânia foi suspensa nesta quinta-feira (21), por falta de quórum para discutir as pautas. A ausência de parlamentares aconteceu um dia depois da operação da Polícia Civil, que investiga fraudes em licitações de órgãos da Prefeitura. A sessão foi encerrada pelo vice-presidente da casa, Anselmo Pereira, que chegou a aguardar a chegada de vereadores para iniciar os trabalhos.

Legislativo
Acolhimento –  O projeto de lei que prevê a criação da Política Municipal para a População em Situação de Rua foi aprovado pelo Plenário da Câmara de Goiânia. Segundo o texto, casos suspeitos ou confirmados de violência contra a população em situação de rua serão objeto de notificação às autoridades policiais, sanitárias e às demais instâncias.

Sanção – O texto determina ainda estruturação e ampliação da rede de acolhimento a essas pessoas. O projeto, de autoria do vereador Igor Franco, segue para sanção ou veto do prefeito Rogério Cruz (Republicanos).

Polícia Militar reforça efetivo com a formação de 669 novos policiais

A Polícia Militar do Estado de Goiás (PM-GO) realizou na noite desta quinta-feira (14/03), a solenidade de formatura do Curso de Formação de Praças (CFP). No total, 669 novos policiais – sendo 656 combatentes e 13 músicos -, concluíram a capacitação e vão reforçar as atividades de policiamento ostensivo e manutenção da ordem.

O curso contou com 1.693 horas-aula e foi realizado nas dependências do Comando da Academia da PM, em Goiânia. “Goiás é um verdadeiro oásis no Brasil. Hoje, o cidadão tem qualidade de vida e liberdade de ir e vir”, afirmou a primeira-dama e coordenadora do Goiás Social, Gracinha Caiado, que representou o governador Ronaldo Caiado no evento.

Gracinha também enalteceu os esforços dos formandos do curso destinado aos aprovados no concurso público realizado em 2022. “Com a vitória de vocês, quem ganha é toda a sociedade. Tenham a certeza do respaldo e todo apoio para que possam exercer o papel de combate à criminalidade e de proteção das famílias goianas”, disse.

Os novos policiais serão empregados em todo o Estado e atuarão nos mais diversos serviços e unidades. “Os formandos não entraram numa instituição para ter uma profissão. Todos têm verdadeiramente um sacerdócio. Não serão meros cumpridores de obrigações, mas terão comprometimento com todo a população”, garantiu o comandante-geral da PM, André Avelar.

Os alunos do curso foram habilitados para, a partir de hoje, executar atividades de policiamento ostensivo e de manutenção da ordem. “Fazer parte dos quadros da PMGO é um exercício diário de responsabilidade, integridade e compromisso com Goiás. É por isso que são vocês que estão aqui hoje, estão qualificados para essa missão”, salientou o vice-governador Daniel Vilela, que enfatizou os deveres do grupo que chega ao efetivo policial goiano. “O crime avançava e as nossas forças de segurança estavam desmotivadas. O governador Ronaldo Caiado mudou essa realidade”, lembrou.

A solenidade reuniu diversas autoridades goianas. Entre elas, o vice-governador Daniel Vilela (MDB), que elogiou o trabalho da corporação. “Fazer parte dos quadros da PM é um exercício diário de responsabilidade, integridade e compromisso com Goiás. É por isso que são vocês que estão aqui hoje, estão qualificados para essa missão”.