Ex-ator Guilherme de Pádua morre aos 53 anos

O ex-ator Guilherme de Pádua, que cumpriu pena pelo assassinato da atriz Daniella Perez, morreu neste domingo (6), em Belo Horizonte, aos 53 anos, vítima de um infarto.

A informação foi transmitida pelo pastor Márcio Valadão, da Igreja Batista da Lagoinha, em vídeo publicado no Instagram. Segundo o religioso, Pádua faleceu pouco antes das 22h. O velório deve ocorrer a partir das 10h30 desta segunda-feira (7).

Guilherme se converteu à igreja após cumprir pena pela morte da atriz, no qual foi condenado a 19 anos e 6 meses de prisão. Após cumprir um terço da pena, ele ganhou liberdade em 14 de outubro de 1999. Posteriormente, aderiu à Igreja Batista da Lagoinha, na qual tinha um trabalho social com ex-presidiários.

Guilherme de Pádua pede perdão pelo assassinato da filha de Glória Perez

Condenado por matar a atriz Daniella Perez em 28 de dezembro de 1992, o ex-ator e pastor da igreja evangélica Guilherme de Pádua, pela primeira vez, pediu perdão à mãe da artista, a novelista Glória Perez, e ao viúvo da vítima, o ator Raul Gazolla. Pádua se dirigiu a ambos por meio de um vídeo publicado nesta terça-feira (2) no Youtube.

Na época com 22 anos, Daniella foi assassinada com 18 perfurações no tórax, a maior parte na região do coração. O corpo da artista foi encontrado em local ermo na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Pádua foi solto em 14 de outubro de 1999, após ficar preso por 6 anos e 9 meses, o que significa o cumprimento de um terço da pena.

No vídeo, Pádua começa rebatendo pessoas que não acreditam no seu arrependimento do crime e afirma que há anos sonha com o momento em que pedirá desculpas à autora Glória Perez.

“Pensei em procurar os advogados do Raul Gazolla e da Gloria Perez. Pensei em pedir para alguém que intermediasse esse encontro. Não imaginava uma coisa pela internet e por meio de um vídeo. (…) Talvez eu nunca vá ter uma oportunidade real de pedir perdão”, disse.

“Gloria Perez, eu te peço perdão por todo sofrimento que eu te causei. Eu jamais esqueci daquele encontro na carceragem. Raul Gazolla, eu te peço perdão. Eu nunca esqueci do dia que eu fui chamado na delegacia. Você estava lá e se arrastou até mim. Me abraçou chorando. E ali eu vi que eu era a pior pessoa do mundo”, complementou.

 

‘Pacto brutal: O assassinato de Daniella Perez’

A trágica morte da filha de Glória Perez veio à tona com o lançamento da série “Pacto Brutal: O assassinato de Daniella Perez”, na HBO Max. Composto de cinco episódios, o documentário detalha o crime que chocou o país com depoimentos, autos de processos judiciais, relatos de testemunhas, entre outros elementos.

 

Imagem: Reprodução

 

Glória Perez mostra painel de grafite em homenagem à filha Daniella Perez

Nesta segunda-feira, 28, completam-se 23 anos da morte de Daniella Perez. Em homenagem à atriz, grafiteiros fizeram um enorme painel em São Paulo em um muro da capital.

A obra de arte foi postada no Facebook de Gloria Perez, mãe de Daniella, com o seguinte comentário: “Segunda feira, 28/12/1992: 23 anos sem ela”.

A autora contou que nesta terça-feira, 11, seria aniversário da filha: “Por 22 anos esse foi o dia mais feliz em nossa casa. Hoje não temos festa: só saudade. São 23 anos sem ela. O mundo mudou tanto e ela não viu. Não conheceu a internet, o celular, os avanços da ciência e da tecnologia, não teve seus filhos nem viu nascer seus sobrinhos – não viveu o que sonhou viver. Para os dois psicopatas (Guilherme de Pádua Thomaz e Paula Thomaz, hoje Paula Nogueira Peixoto), saiu barato”, desabafou Glória Perez.

A ideia do mural veio de uma fã que escreveu a seguinte mensagem:

Boa noite, Glória!

Deixa eu me apresentar a você antes de mais nada, sou Márcia, tenho 33 anos, moro em São Paulo, sou casada , mãe de uma menina de 3 anos, administradora , cidadã comum .
Sou membro do grupo Minha Amada Daniella Perez e sou eu a idealizadora do mural da Dani em São Paulo.
Soube que o Ricardo Zanon lhe passou ontem e fiquei muito contente!
Tudo começou quando vi na internet, o trabalho do artista Gerri Alves em homenagem aos Mamonas Assassinas , pedi a ele um da Dani no dia 24 de novembro e ele me atendeu sem hesitar e o mais bonito de tudo é que foi voluntário. Organizamos tudo por WhatsApp e ele iniciou a pintura domingo passado. Estive na inauguração com minha família e acompanhei alguns esboços.
Assim como muitos também sou fã da Dani desde os 10 anos de idade, e junto com minha saudosa mãe e irmã colhi assinaturas no meu bairro, na minha escola e enviamos ao Ely Corrêa. Sempre quis que soubesse disso.
Contei com a ajuda do Ricardo Zanon e da Mariana Monroe para que chegasse até você este presente, ao menos para você sentir um pouco de conforto . A cada dia, o trabalho fica mais bonito e as pessoas param na rua para elogiar e relembrar a Dany. Esquecem do semáforo aberto.
Acredito que neste domingo estará pronto, providenciarei para que as fotos cheguem até você .
Quero que saiba que isso é muito pouco perto do que sua filha merece e minha única intenção é que sua memória seja eternizada e que os psicopatas não passem despercebidos . Sua luta também nossa também.
Um abraço bem caloroso !

Te amo como se a conhecesse há muito!

Boas festas !

Márcia Gonçalves Francisco

 

Veja as fotos do mural de grafite:

daniela

Reprodução/Facebook.

Daniella era casada com o ator Raul Gazolla e foi assassinada aos 22 anos no auge da carreira, quando interpretava a personagem Yasmin na novela De Corpo e Alma. O autor do crime foi o ex-ator Guilherme de Pádua que contracenava com a vítima na mesma novela.