Goiana cria projeto que produz bonecas inspiradas em mulheres negras

Eliane Moreira, de 58 anos, une as habilidades de advogada e artesã para criar um projeto inovador que vai além da confecção de bonecas. A goiana, inspirada pela avó desde a infância, descobriu sua paixão pelo artesanato aos 7 anos, quando a avó transformava os desenhos da menina em peças de arte com linha e agulha. Esse amor ganhou forma com a criação do projeto “Bonecas Pretas”.

Atualmente, Eliane trabalha no Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), mas sua jornada no mundo das bonecas começou durante um curso de produção, enquanto esperava sua filha terminar uma aula de balé.

Apesar das dificuldades iniciais, enfrentando o desconhecimento sobre costura, Eliane persistiu e se tornou uma hábil artesã de bonecas.

Goiana cria projeto que faz bonecas inspiradas em mulheres negras

Foto: Maykon Cardoso/Alego

A inspiração para o projeto surgiu de um convite feito pela prima, que solicitou uma lembrança de maternidade representando uma criança negra.

A partir dessa encomenda, os pedidos começaram a se multiplicar, e Eliane percebeu o impacto significativo que suas criações podiam ter na representatividade das meninas negras.

Goiana cria projeto que faz bonecas inspiradas em mulheres negras

Foto: Maykon Cardoso/Alego

 

O Projeto ‘Bonecas Pretas’

Lançado em 2018, o projeto “Bonecas Pretas” é uma iniciativa única e personalizada. Eliane elabora as bonecas de acordo com as características específicas de quem as encomenda, incluindo cabelos cacheados e outros detalhes personalizados.

As meninas participam ativamente do processo, escolhendo tecidos e posando para fotos que se transformam em adesivos, adornando as caixas de suas bonecas.

Eliane destaca a importância do aspecto afetivo na entrega das bonecas durante eventos, proporcionando às meninas uma experiência especial.

Cada edição do projeto revela a carência que as mulheres negras tinham de se verem representadas, gerando um impacto emocional significativo.

Em um dos momentos marcantes do projeto, Eliane presenciou uma mãe emocionada durante uma sessão de fotos da filha. Ela sentiu que estava no caminho certo!

Além de atender às demandas das crianças, a artesã também confecciona bonecas personalizadas para mulheres mais velhas, incluindo duas com mais de 80 anos.

Goiana cria projeto que faz bonecas inspiradas em mulheres negras

Foto: Maykon Cardoso/Alego

Em dezembro, Eliane realizou uma exposição na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego): a sexta edição do projeto Bonecas Pretas.

Nesta edição, a idealizadora do projeto escolheu oito mulheres para serem homenageadas. O único critério na escolha é que as mulheres sejam negras. As fotos são desse evento.

Entre as homenageadas está a professora Cecília. A educadora ganhou uma boneca preta, com suas características, uma verdadeira personificação. Ela relata a paixão pelas bonecas.

“Eu tenho uma coleção de bonecas negras e ter uma boneca negra personalizada não tem preço. É algo indescritível, é emocionante. Mas, por outro lado, eu penso no tanto que essa perspectiva da representatividade é importante para as crianças negras.”

Sonhos e projeto futuro com as bonecas

O sucesso do projeto “Bonecas Pretas” motivou Eliane a sonhar mais alto. Sua visão inclui a expansão do projeto para escolas, onde a representatividade e a diversidade possam ser introduzidas desde cedo.

Eliane acredita que, ao proporcionar às crianças bonecas que refletem a diversidade étnica, é possível criar impactos positivos e inspirar uma nova geração.

A história de Eliane Moreira e seu projeto “Bonecas Pretas” não é apenas sobre bonecas; é sobre quebrar barreiras, desafiar estereótipos e oferecer às meninas negras a oportunidade de se reconhecerem na arte.

Eliane está moldando um caminho de representatividade que vai além do artesanato, impactando vidas e construindo pontes para um futuro mais inclusivo e diverso.

 

Outro projeto de bonecas no Brasil

Uma startup de impacto social do Rio de Janeiro, distribui gratuitamente 2 mil bonecas negras de diversas profissões em escolas da rede municipal de educação infantil.

Jaciana Melquiades, professora, educadora social, historiadora e consultora educacional de igualdade racial, além de sócia-fundadora e diretora executiva da ‘Era Uma Vez o Mundo’, acredita que brinquedos podem servir como uma ferramenta de transformação social, por isso, as bonecas que sua empresa produz podem exercer um impacto positivo para a formação das subjetividades naqueles que brincam.

Bonecas negras tem a capacidade de fazer crianças enxergarem de forma humanizada pessoas negras, de uma forma lúdica. A partir deste brinquedo, as crianças se veem, se sentem representadas, criam noção de existência, pertencimento e percebem que há também um lugar no mundo para elas.

“Podemos mostrar que é possível transformar a educação e debater a pauta racial através do lúdico. Mas não só debater, promover um enfrentamento real ao racismo desde a menor infância, de forma a construirmos um futuro possível e saudável”, ressalta a importância dessa ação.

5 perfumes masculinos para atrair mulheres

Escolher perfumes masculinos é sempre uma tarefa mais difícil para os homens do que para as mulheres. Para eles, os únicos critérios geralmente são: gostei/não gostei. Ou então se usa o mesmo perfume a vida inteira simplesmente por costume, por preguiça de tentar uma fragrância diferente ou não por não saber escolher mesmo.

E não adianta vir com aquele papo técnico de “amadeirados, almiscarados, toques suaves e notas de cedros secos” porque não ajuda em nada na hora de comprar. O blog Testosterona, listou 5 perfumes masculinos que atraem as mulheres, indicando também por “tipo de homem”, para ajudar a escolher qual mais combina com você e com o seu estilo e ainda dar uma forcinha com a mulherada.

Ciência comprova: mulheres precisam sair com amigas pelo menos uma vez na semana para serem mais saudáveis

Ter uma vida estável, ser realizada no trabalho e em sua vida social, manter um relacionamento romântico e saudável e uma rotina de cuidados consigo mesma, são só algumas coisas importantes para a felicidade da mulher. 

Segundo um estudo realizado pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, um bom rolê com as amigas também é de extrema importância para as mulheres se manterem saudáveis e felizes. 

Apesar de compreender questões como o cansaço que acompanha a correria do dia a dia, e todas as responsabilidades em casa e no trabalho, o grupo de cientistas responsável pela pesquisa sugere que as mulheres tirem um tempinho para sair com suas amigas ao menos duas vezes por semana, uma vez que essa seria a chave para alcançar felicidade em todos os aspectos da sua vida.

Robin Dunbar, responsável pelo estudo, realizou entrevistas com diferentes participantes e chegou à conclusão de que as mulheres sentem uma melhora em saúde e bem-estar geral quando passam um tempo de qualidade ao lado de suas melhores amigas.

A pesquisa revela ainda que esse tempo junto às amigas pode fortalecer seu sistema imunológico, fazendo com que se recuperem mais rapidamente de doenças, diminuindo níveis de stress e ansiedade.

Imagem: Reprodução

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Estudantes de Goiânia se destacam em Campeonato Mundial de Robótica

Contradizendo os paradigmas, um grupo de meninas goianas se destacou no Campeonato Mundial de Robótica da FIRA (Federation of International Robot Sport Association). As estudantes Carolina Bosco, Sofia Azevedo, Laura Caetano, Natália Bastos e Manuela Souza, estudam no colégio canadense Maple Bear, ainda no ensino fundamental, e se destacaram principalmente por serem a única equipe exclusivamente feminina no meio de 60 grupos de alunos.

 

O Campeonato aconteceu na cidade de WolfenButtel, na Alemanha, e além da viagem internacional, as meninas ainda voltaram com duas medalhas de ouro para a escola, conquista que foi uma quebra de paradigmas segundo a diretora do colégio,  Sabrina Oliveira. “Eu pude acompanhar de perto o desempenho e a resiliência delas em cada prova, ver elas em cada processo é um orgulho, meninas capacitadas e imponentes em suas realizações”.

 

A escola que foi a única do estado a participar do FIRA, também conseguiu mais medalhas com outras equipes, vencendo 10 prêmios no total, 5 deles de primeiro colocado, quatro em segundo e um de terceiro lugar. Com vários prêmios as equipes voltam de cabeça em pé, sabendo que mais importante que a premiação, elas tiveram uma representatividade muito grande para outras meninas.

 

“Crescemos como equipe, aprendemos, fomos respeitadas enquanto único grupo só de meninas, tivemos torcida, vivemos angústias, medos, vontade de desistir, mas, sempre tratadas com respeito pelos outros grupos. Tudo que aprendi vou levar para o futuro”, afirma a aluna Carolina Bosco, de modo a entender que o preconceito de gênero não faz parte de seus contextos e sua realidade.

 

 Mesmo com um avanço, as mulheres ainda têm uma representatividade baixa, com cerca de 20%, ou menos, dos cursos de exatas e ciências sendo ocupados por elas.

 

Desde 2021 essa participação vem aumentando cada vez mais, onde a presença de alunas nas áreas de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (STEM) cresceu 96% de lá para cá, segundo o INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira). E conquistas como essa são muito importantes para alavancar essa área do estudo. “Eu foco em seguir meu sonho, tenho o apoio da família e de todos os amigos. Meninas podem fazer exatas ou qualquer área”, diz Laura Caetano, uma das integrantes do grupo.

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Foto de Capa: Banco de Imagens/Curta Mais

Programa oferece cursos gratuitos de tecnologia para mulheres em Goiás

Meninas e mulheres interessadas em explorar o universo da tecnologia e inovação têm agora uma oportunidade única à disposição. O Governo de Goiás, através da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), está oferecendo cursos gratuitos com foco em Informática Básica, Montagem e Manutenção de Computadores, além de Robótica. A iniciativa, que faz parte do Programa Goianas na Ciência e Inovação, visa proporcionar igualdade de acesso e fomentar a presença feminina em áreas tradicionalmente dominadas por homens.

Com o início das aulas marcado para o dia 21 de agosto, o programa disponibiliza um total de 50 vagas para as modalidades de Informática Básica, Montagem e Manutenção de Computadores e Robótica, todas realizadas em formato presencial. As inscrições já estão abertas e podem ser realizadas através do link: bit.ly/3qpeH5U

A criação do Programa Goianas na Ciência e Inovação reflete o compromisso do governo em promover a inclusão e o desenvolvimento de mulheres, especialmente aquelas que enfrentam situações de vulnerabilidade social. Com o intuito de ampliar as oportunidades no mercado de trabalho, principalmente nas áreas tecnológicas, o programa busca abrir caminho para a mobilidade social e a redução das desigualdades. O Secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, José Frederico Lyra Netto, destacou a importância dessa iniciativa: “Temos o objetivo de não apenas mudar o cenário atual, onde a presença feminina é sub-representada em ciências e tecnologia, mas também de impulsionar a inovação em nosso estado com a participação ativa das mulheres.”

Dados recentes reforçam a necessidade de ações como essa. Números da Universidade Federal de Goiás (UFG) evidenciam a desigualdade de gênero nas áreas de tecnologia. Em cursos como Ciências da Computação, por exemplo, apenas 13,3% das matrículas são de estudantes do gênero feminino, enquanto nas graduações de Tecnologia da Informação, como Sistemas de Informação e Engenharia de Software, a representatividade feminina ainda é menor.

O programa, abrangendo cursos como Sukatech e Include, busca diversificar e qualificar a força de trabalho em tecnologia, além de fomentar uma cultura de inovação inclusiva. As atividades terão início em 21 de agosto na unidade da Escola do Futuro de Goiás José Luiz Bittencourt, situada no Bairro Floresta, em Goiânia. Para esclarecimentos adicionais, os interessados podem entrar em contato pelo WhatsApp através do número (62) 4141-9800. As inscrições também podem ser realizadas pessoalmente na sede do Sukatech.

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

10 Filmes que mostram que lugar de mulher não é na cozinha

Através da história cinematográfica, diversos filmes têm abordado a questão do papel da mulher na sociedade, desafiando estereótipos tradicionais. Estas obras exploram a ideia de que as mulheres não devem ser confinadas apenas ao espaço da cozinha, rompendo com concepções limitadas e destacando a importância da igualdade de gênero. 

Hollywood tem evoluído ao longo dos anos em como retrata os papéis entre homens e mulheres. Hoje, é comum ver elas representadas em uma variedade de cenários e profissões, incluindo fora da cozinha. Isso reflete a mudança nas atitudes sociais em relação às mulheres e suas capacidades. 

Nesta lista, exploraremos alguns desses filmes inspiradores que retratam mulheres como protagonistas de histórias poderosas e multifacetadas, revelando a amplitude de suas aspirações e conquistas para além de estereótipos limitantes.

 

Malala (2015)

malala

Créditos: GQ Brasil 

É um documentário sobre a mais jovem ganhadora de um Prêmio Nobel da Paz, Malala Yousafzai, que foi perseguida pelo Taliban e severamente ferida por um tiro quando voltava para casa em seu ônibus escolar no Paquistão. A menina, de então 15 anos, foi julgada por defender a educação para meninas, e o ataque a ela provocou protestos de simpatizantes em todo o mundo. Ela milagrosamente sobreviveu e agora é líder de uma campanha global para educação de meninas.

 

Assista ao trailer de Malala:

 

Mulan (1998)

mulan

Créditos: Walt Disney Studios

Na China da Dinastia Han, a jovem e destemida Mulan (Ming-Na Wen) decide colocar em risco a sua vida para salvar seu pai e a pátria. Quando seu país é invadido, ela decide se disfarçar de homem, treinar para se tornar um bom soldado e, assim, ocupar o lugar paterno no exército chinês.

Os valores familiares e o papel da mulher como boa dona de casa estão muito interligados na sociedade da época, e Mulan se verá muito pressionada; ela não se sente preparada, tem outros desejos e sonhos.

Finalmente, quebra as regras, rompe com tudo que está estabelecido ao se alistar no exército no lugar de seu pai, e não o faz apenas para salvá-lo, mas também por si mesma. Mulan deve encontrar seu lugar na sociedade e mostrar para si mesma que serve para algo mais do que ser uma esposa exemplar.

 

Assista ao trailer de Mulan:

 

Valente (2012)    

valente

Créditos: Lugar Nenhum

A jovem princesa Merida (Kelly Macdonald) foi criada pela mãe para ser a sucessora perfeita ao cargo de rainha, seguindo a etiqueta e os costumes do reino. Mas a garota dos cabelos rebeldes não tem a menor vocação para esta vida traçada, preferindo cavalgar pelas planícies selvagens da Escócia e praticar o seu esporte favorito, o tiro ao arco.

Quando uma competição é organizada contra a sua vontade, para escolher seu futuro marido, Merida decide recorrer à ajuda de uma bruxa, a quem pede que sua mãe mude. Mas quando o feitiço surte efeito, a transformação da rainha não é exatamente o que Merida imaginava… Agora caberá à jovem ajudar a sua mãe e impedir que o reino entre em guerra com os povos vizinhos.

 

Assista ao trailer de Valente:

 

Enola Holmes (2020)

enola

Créditos: Netflix

Enola Holmes (Millie Bobby Brown) é uma menina adolescente cujo irmão, 20 anos mais velho, é o renomado detetive Sherlock Holmes (Henry Cavill). Quando sua mãe (Helena Bonham Carter) desaparece, fugindo do confinamento da sociedade vitoriana e deixando dinheiro para trás para que Enola faça o mesmo, a menina inicia uma investigação para descobrir o paradeiro dela. 

Desde pequena, Enola é criada de maneira diferente. Sua mãe não lhe ensina a bordar, cozinhar ou a ter as ‘boas maneiras’ de uma lady. Quando a mãe desaparece, sua guarda passa a ser de seu irmão mais velho, Mycroft Holmes (Sam Claflin). 

Ele, um conservador assumido, decide passar a responsabilidade da educação da menina para um internato feminino, comum na época. Lá, as futuras moças aprendem a se tornar o estereótipo que a sociedade de então esperava.

 

Assista ao trailer de Enola Holmes:

 

Cruella (2021)

Foto:

Créditos: Walt Disney Studios

Ambientado na Londres dos anos 70 em meio à revolução do punk rock, o filme da Disney mostra a história de uma jovem vigarista chamada Estella (Emma Stone). Inteligente, criativa e determinada a fazer um nome para si através de seus designs, ela acaba chamando a atenção da Baronesa Von Hellman (Emma Thompson), uma lenda fashion que é devastadoramente chique e assustadora. 

Entretanto, o relacionamento delas desencadeia um curso de eventos e revelações que farão com que Estella abrace seu lado rebelde e se torne a Cruella, uma pessoa má, elegante e voltada para a vingança. 

Ela é uma ameaça a toda uma organização social que sobrevive num equilíbrio tenso de valores impostos a todas e regras de como agir e se portar. Não é casada, não possui família, não é submissa e só age em prol do que diz respeito a si mesma, ou seja, o oposto da mulher de família ideal ocidental.

 

Assista ao trailer de Cruella: 

 

Orgulho e Preconceito (2005)

orgulho

Créditos: Canal da Imprensa

As cinco irmãs Bennet – Elizabeth (Keira Knightley), Jane (Rosamund Pike), Lydia (Jena Malone), Mary (Talulah Riley) e Kitty (Carey Mulligan) – foram criadas por uma mãe (Brenda Blethyn) que tinha fixação em lhes encontrar maridos que garantissem seu futuro. Porém Elizabeth deseja ter uma vida mais ampla do que apenas se dedicar ao marido, sendo apoiada pelo pai (Donald Sutherland). 

Quando o Sr. Bingley (Simon Woods), um solteiro rico, passa a morar em uma mansão vizinha, as irmãs logo ficam agitadas. Jane logo parece que conquistará o coração do novo vizinho, enquanto que Elizabeth conhece o bonito e esnobe sr. Darcy (Matthew Macfadyen). Os encontros entre Elizabeth e Darcy passam a ser cada vez mais constantes, apesar deles sempre discutirem.

Elizabeth Bennet é uma personagem além do seu tempo, mesmo vivendo em pleno século XIX, época em que as lutas em prol dos direitos femininos, nem havia começado ainda. Mesmo assim, ela não abaixa a cabeça para ninguém e luta por aquilo que deseja, sem deixar-se levar pelas questões impostas às mulheres desde de que o mundo é mundo.

 

Assista ao trailer de Orgulho e Preconceito:

 

Estrelas Além do Tempo (2016)

estrelas

Créditos: Pragmatismo Político

Em plena Guerra Fria, Estados Unidos e União Soviética disputam a supremacia na corrida espacial ao mesmo tempo em que a sociedade norte-americana lida com uma profunda cisão racial, entre brancos e negros. Tal situação é refletida também na NASA, onde um grupo de funcionárias negras é obrigada a trabalhar a parte.

É lá que estão Katherine Johnson (Taraji P. Henson), Dorothy Vaughn (Octavia Spencer) e Mary Jackson (Janelle Monáe), grandes amigas que, além de provar sua competência dia após dia, precisam lidar com o preconceito arraigado para que consigam ascender na hierarquia da NASA.

Deu para perceber que ser uma mulher negra, especialmente naquela época, é muito difícil. Katherine, Dorothy e Mary sofrem preconceitos de todos os lados. Tanto de homens e mulheres brancas, como de homens negros, que se sentem superiores por serem homens.

Apesar disso, o filme deixa claro que, sem essas três protagonistas, os Estados Unidos demorariam muito mais para lançar um homem ao espaço. Se elas tivessem sido valorizadas e inseridas antes nos programas para a missão espacial, o país poderia ter saído na frente da União Soviética.

 

Assista ao trailer de Estrelas Além do Tempo:

 

Adoráveis Mulheres (2019)

adoraveis

Créditos: Blog 365 Filmes

O filme acompanha as irmãs Jo March (Saoirse Ronan), Beth March (Eliza Scanlen), Meg March (Emma Watson) e Amy March (Florence Pugh) da infância à vida adulta, mostrando suas alegrias e desventuras enquanto os Estados Unidos atravessam a Guerra Civil. Donas de personalidades radicalmente diferentes, as irmãs enfrentam o desafio de permanecerem unidas com o avançar dos anos e as escolhas de vida que fazem.

Sem interesse pela vida doméstica e ansiosa para transpor as barreiras sociais impostas ao seu gênero, Jo tem a ambição de se tornar uma escritora. Meg, a mais velha, deseja uma existência tradicional, com marido e filhos. Amy, a mais jovem e mimada das irmãs, almeja se tornar uma celebrada pintora, e Beth, tímida, demonstra talento para a música. 

Jo, Amy e Meg partem da casa dos pais para perseguir seus sonhos, mas são convocadas de volta quando a saúde de Beth, debilitada desde a infância, se agrava.

 

Assista ao trailer de Adoráveis Mulheres:

 

Mulher Maravilha (2017)

mulher

Créditos: Metrópoles

Treinada desde cedo para ser uma guerreira imbatível, Diana Prince (Gal Gadot) nunca saiu da paradisíaca ilha em que é reconhecida como princesa das Amazonas. Quando o piloto Steve Trevor (Chris Pine) sofre um acidente e cai em uma praia do local, ela descobre que uma guerra sem precedentes está se espalhando pelo mundo e decide deixar seu lar certa de que pode parar o conflito. Lutando para acabar com a guerra, Diana percebe o alcance de seus poderes e sua verdadeira missão na Terra.

O objetivo da Mulher-Maravilha sempre foi muito além de apenas inserir uma mulher no universo dos quadrinhos: a personagem mostra que mulheres são fortes, independentes, donas de si e não precisam ser salvas. É inegável também que a super-heroína abriu as portas para outras personagens femininas fortes nesse universo. 

 

Assista ao trailer de Mulher Maravilha:

 

Capitã Marvel (2019)

capita

Créditos: Walt Disney Studios

Carol Danvers (Brie Larson) é uma ex-agente da Força Aérea norte-americana, que, sem se lembrar de sua vida na Terra, é recrutada pelos Kree para fazer parte de seu exército de elite. Inimiga declarada dos Skrull, ela acaba voltando ao seu planeta de origem para impedir uma invasão dos metaformos, e assim vai acabar descobrindo a verdade sobre si, com a ajuda do agente Nick Fury (Samuel L. Jackson) e da gata Goose.

A representatividade da Capitã Marvel gerou desconforto no público conservador na época do lançamento do filme, por se tratar de uma mulher que pode ser mais forte que os personagens masculinos do estúdio. Isso, para eles, seria impossível. 

Capaz de voar, disparar raios cósmicos, absorver energia, ela também tem um caráter muito sólido, que lhe permitiu ter um papel crucial em um universo onde há pouco espaço para as mulheres.

 

Assista ao trailer de Capitã Marvel: 

 

Créditos da imagem de capa: Pragmatismo Político

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Estado abre vagas para mulheres em cursos de tecnologia

Estão abertas as inscrições para capacitação básica na área de tecnologia destinadas exclusivamente a meninas e mulheres de Goiás. Os cursos são gratuitos e têm como objetivo dar mais oportunidades para que mulheres se capacitem e ocupem vagas de trabalho nestas áreas. A iniciativa é do Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti).Para aquelas que querem iniciar no mundo da Robótica e no pensamento computacional, o Laboratório Include vai atender meninas entre 10 e 18 anos. As inscrições vão até o dia 26 de julho e devem ser feitas no site www.inovacao.go.gov.br, clicando no banner do Programa Goianas na Ciência.

Outra oportunidade é pelo Sukatech, com vagas abertas para os cursos de Informática Básica, Montagem e Manutenção de Computadores e Robótica. Neste caso, o requisito para se inscrever é ter mais de 12 anos de idade. As inscrições vão até dia 26 de julho, e podem ser feitas via WhatsApp pelo número (62) 4141-9800 ou presencialmente na sede do programa, que fica no Bairro Floresta, em Goiânia, na unidade da EFG José Luiz Bittencourt.

As aulas são presenciais em todos os cursos, tanto os oferecidos pelo Laboratórios Include quanto os disponibilizados pelo Sukatech. O início está previsto para o dia 31 de julho.

Serviço:

Laboratório Include: www.inovacao.go.gov.br

Sukatech: WhatsApp (62) 4141-9800

Foto: Secti

Saiba quais as 10 mulheres mais admiradas no Brasil

Entre os dias 28 de fevereiro e 2 de março de 2023, o Instituto QualiBest realizou uma pesquisa com cerca de 1.506 pessoas. O objetivo do estudo era apontar quais as mulheres mais admiradas do Brasil. Como já era esperado, Fernanda Montenegro garantiu a primeira posição. Sendo citada por 1 em cada 10 brasileiros, a atriz registrou uma cotação média de 9,4% dos votos.

Nascida em 1929, na cidade do Rio de Janeiro, Arlette Pinheiro Monteiro Torres é conhecida pelos fãs da teledramaturgia como Fernanda Montenegro. Reconhecida internacionalmente, é descrita pela mídia como a “melhor atriz brasileira de todos os tempos”. Vencedora de um Emmy Internacional por sua atuação em Doce de Mãe (2013), é a única brasileira e a primeira latino-americana a ser indicada ao Oscar de Melhor Atriz. Fernanda também já recebeu indicações ao Globo de Ouro. Em novembro de 2021 foi a escolhida para assumir a cadeira 17 da Academia Brasileira de Letras (ABL).

fernanda

Atrás de Fernanda Montenegro, em segundo lugar, está Michelle Bolsonaro. Com 5,4% dos votos,  Michelle exerceu a função de primeira-dama do Brasil de 1° de janeiro de 2019 a 1° de janeiro de 2023. Foi a primeira primeira-dama brasileira a discursar no parlatório do Palácio do Planalto durante uma posse presidencial. Na Igreja Batista Atitude atuou como intérprete de Libras durante os cultos.

michelle

Nascida em maio de 1972, Ivete Sangalo ocupa o terceiro lugar com 4% dos votos. Atingiu sua ascensão como vocalista da Banda Eva acumulando cerca de 5 milhões de discos vendidos. Durante toda sua carreira já vendeu mais de 20 milhões de discos. A maior tour de sua carreira arrecadou cerca de R$ 70 milhões. É definida como uma das maiores e mais importantes cantoras da música brasileira. Consolidou, oficialmente, seu sucesso na história da cultura nacional. Recordista nos prêmios Multishow e Melhores do Ano, já ganhou o Grammy Latino por 4 vezes ao longo de sua carreira.

ivete

O quarto, quinto e sexto lugar da lista, resultado da pesquisa, conta com a mesma porcentagem de votos. Os lugares são ocupados por Anitta, Ana Maria Braga e Dilma Rousseff, respectivamente.

anitta

ana

dilma

Larissa de Macedo Machado, ou Anitta, é uma cantora, compositora, atriz, dançarina, empresária e apresentadora. Já passou por grandes gravadoras como a Warner Music Brasil, em 2012. Com o hit “Show das Poderosas” alcançou a segunda colocação na parada de singles brasileiras da Billboard Brasil. Seu primeiro álbum de estúdio foi indicado ao Grammy Latino. Foi a primeira mulher latina-americana a ocupar o 1° lugar no ranking global do Spotify. Em 2022, consagrou-se como a primeira brasileira a ganhar o MTV Video Music Award e o American Music Awards.

Apresentadora, chef de cozinha e jornalista brasileira, Ana Maria Braga Maffeis alcançou sua fama através da RecordTV, onde apresentava os programas Note e Anote e o talk-show Programa Ana Maria Braga. Em 1999, assinou com a rede Globo onde iniciou o programa Mais Você na TV Globo. Formada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UneSP), especializou-se em Zoologia.

Dilma Rousseff, economista e política brasileira, foi a primeira mulher a assumir a presidência do Brasil. Marina Silva, em sétimo lugar com 2,5% das votações, é historiadora, professora, psicopedagoga, ambientalista e, assim como Dilma, política brasileira.

marina

Na lista, a oitava posição foi ocupada por Taís Araújo com 1,7%. Sua versatilidade para interpretar diferentes personagens, desde o drama até a comédia, a colocaram no ranking de uma das grandes atrizes brasileiras. Em sua área, destacou-se por ser a terceira atriz negra a atuar como protagonista em uma telenovela brasileira, na obra Xica da Silva(1996). Em 2015 virou destaque internacional ao lado de seu marido, Lázaro Ramos, pelo seriado Mister Brau.

taís

Considerada uma das maiores modelos de todos os tempos, Gisele Bundchen ocupou o nono lugar. A primeira modelo brasileira de destaque internacional entrou em seu período de ascensão no final dos anos 90.

gisele

A ativista do direito das mulheres, Maria da Penha, fechou a lista. No ano de 1983, a farmacêutica sofreu tentativas de homicídio por parte de seu ex-marido por duas vezes. A luta para que seu agressor fosse condenado resultou, em 7 de agosto de 2006, na lei que leva seu nome: a Lei Maria da Penha. Sua história de luta chegou à Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da Organização dos Estados Americanos (OEA) e foi considerada, pela primeira vez na história, um crime de violência doméstica.

maria

Imagens: Reprodução

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

10 floriculturas em Goiânia para surpreender as mulheres da sua vida

O Dia Internacional das Mulheres, celebrado no dia 8 de Março, já está próximo. E uma boa dica de presente são os buquês de flores e rosas. Sabemos que as flores são presentes que agradam todo mundo, e presentear uma pessoa amada com flores demonstra muita afeição, além de lindas e perfumadas, embelezam o ambiente e trazem tranquilidade e serenidade para a pessoa presenteada.

Se você já está pensando em presentear a mulher da sua vida nesta data especial, separamos onde você pode encontrar flores e rosas de qualidade em Goiânia.

Confira as dicas:

 

1. Floriza Flores

floriza

Endereço: Av. T-63, 4296 – QD.04 LT.51 – Parque Anhanguera, Goiânia 

Telefone: (62) 3096-1111

 

2. Floricultura e Viveiro Goiás

viveiro

Endereço: Av. 24 de outubro, 2209 – St. Campinas.

Telefone: (62) 3233-3977

 

3. Floricultura Flamboyant

flor

Endereço: Av. 136, 584 – St. Marista

Telefone: (62) 99316-6506

 

4. Floricultura Portugal

portugal

Endereço: Av. Portugal, 419 – St. Oeste, Goiânia

Telefone: (62) 3215-1204

 

5. Viveiro e Floricultura Rosa dos Ventos

rosa

Endereço: Av São João, – qd-9 lt-13 – Jardim Nova Era – Aparecida de Goiânia

Telefone: (62) 3284-7467 / (62) 3277-2668

 

6. Viveiro Pé de Flor Suculentas

suculentas

Endereço: Av. Jorge Martins – Vila Maria José.

Telefone: (62) 98243-3609

 

7. Floricultura Cidade Jardim

cidade

Endereço: Av. Abel Coimbra, N201 – Cidade Jardim.

Telefone: (62) 3271-5473

 

8. Cantinho 3 Floricultura e Paisagismo

cantinho

Endereço: R. 217, 951 – Setor Leste Universitário

Telefone: (62) 3218-2231

 

9. Belfiore Garden Center

belfiore

Endereço: Av. C – Jardim Goiás

Telefone: (62) 3142-2799

 

10. Floricultura Mata Verde

mata

Endereço: Alameda Xavier de Almeida, 28 – St. Pedro Ludovico

Telefone: (62) 3941-2527

 

O Curta Mais não se responsabiliza por eventuais mudanças. Consulte sempre antes de sair de casa!

Imagens extraídas das redes sociais de cada estabelecimento citado.

 

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher

 

 

Goiânia recebe festival inédito de artes urbanas para mulheres com entrada gratuita

Uma programação inédita e totalmente gratuita para agitar o fim de semana em Goiânia. Trata-se da primeira edição do festival “Vibe das Minas” que acontece neste domingo, 15 de janeiro, na Faculdade Unida de Campinas (FacUnicamps), no Setor Coimbra.

O evento, que começa a partir das 14 horas, reúne lideranças femininas de diferentes regiões da capital para mostrar a força das mulheres no movimento Hip Hop goiano. Haverá competições de street dance, mostras de grafite e capoeira, troca de ideias, workshops e música com DJ e Mc’s. 

Segundo a idealizadora do festival e dançarina, Lívia Nascimento Mendes, mais conhecida como Lívia Style, a ideia do projeto nasceu com o objetivo de levar arte para jovens mulheres em situações de vulnerabilidade social. “Nós conseguimos dar força para estas mulheres (incluindo eu), que lutam pela equidade da arte”, explica. 

hip

 

SERVIÇO:

1ª edição do Festival Vibe das Minas

Quando: domingo, 15 de janeiro

Onde: FacUnicamps III – Avenida Perimetral, nº 1395, Setor Coimbra

Horário: das 14 às 22h

Entrada gratuita

 

Imagem: divulgação / Igare Brazil

Veja também:

Basileu França em Goiânia está com inscrições abertas para curso de Artes Circenses

Última oportunidade para apreciar a mostra imersiva de Van Gogh em Goiânia

Goiânia promove mutirão com 300 exames gratuitos para mulheres neste sábado

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, realiza, neste sábado (05/11), ação especial Goiânia Sempre Rosa “Saúde é Prioridade”, na Escola Municipal Dom Tomás Balduíno, localizada na Rua da Liberdade, 171-229, no Residencial Jardins do Cerrado I.

O objetivo é levar serviços de prevenção, educação e promoção da saúde mamária às mulheres da região. “Com esta ação especial, vamos levar serviços importantes para a saúde da mulher, de forma conjunta, e a um número maior de beneficiadas. É uma grande oportunidade para que essas mulheres tenham acesso mais ágil aos exames de prevenção do câncer”, explica o secretário municipal de Saúde, Durval Pedroso.

Serviços oferecidos

– Ultrassom de mama, abdômen total, pélvica e de tireoide (300 vagas, sendo 70% para demanda espontânea com senha e 30% para pacientes regulados)

– Prevenção de câncer de boca

– Prevenção de colo de útero (Papanicolau)

– Solicitação de mamografia

– Consulta médica

– Eletrocardiograma

– Práticas integrativas-auriculoterapia

– Distribuição de kits de saúde bucal

– Vacinação – população em geral de todas as faixas etárias (van da VacinAção para Covid-19, todas as vacinas do PNI e Influenza)

– Testagem de Covid-19 – demanda espontânea (mil testes rápidos de antígeno)

– Samu

– Aferição de pressão arterial e glicemia

– Testagem de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) – 600 testes (150 testes – HIV , 150 testes – sífilis; 150 testes – hepatite B, 150 testes – hepatite C)

Goiânia Sempre Rosa

O projeto Goiânia Sempre Rosa é um programa de governo da Prefeitura de Goiânia, que visa o cuidado continuado e permanente das doenças mamárias, com foco na detecção precoce do câncer de mama.

Em um ano de implantação do programa, a Secretaria Municipal de Saúde ampliou a oferta desses serviços. De outubro de 2021 a outubro de 2022, foram realizados 21.644 atendimentos médicos e de enfermagem, 7.278 atendimentos médicos em mastologia, 22.997 ultrassons de mama, 38.169 mamografias, e 871 ultrassonografias mamária com Core biopsy (biópsia da mama feita a partir de amostras retiradas com agulha grossa).

 

SERVIÇO:

Ação Goiânia Sempre Rosa- “Saúde é Prioridade” oferece serviços de saúde às mulheres da Região Oeste da Capital

Dia: Sábado (05/11)

Horário: 7h30 às 17h

Local: Escola Municipal Dom Tomás Balduíno,

Endereço: Rua da Liberdade, 171-229 – Residencial Jardins do Cerrado I.

 

Imagem: SMS

20 mulheres que fazem parte da história de Goiás

26 de agosto é o Dia Internacional da Igualdade Feminina, data em que, em 1920, foi aprovado o direito de voto para as mulheres dos Estados Unidos. Para comemorar esse dia especial, vamos homenagear 20 mulheres que fazem parte da história de Goiás.

O estado é privilegiado com tantas mulheres empoderadas e com destaque nacional e internacional. Algumas ainda estão vivas, continuam fazendo história e dando orgulho para Goiás. Tantas outras poderiam estar nessa lista, mas hoje o Curta Mais escolheu 20 dessas mulheres criativas, artísticas, guerreiras e íntegras. Confira:

 

Marília Mendonça

d249b0b9ce2fb6d270556dfd18312a10.jpg

Marília Dias Mendonça foi uma cantora, compositora e instrumentista brasileira. Ela é reconhecida como a rainha do feminejo, que é como é conhecido o sertanejo por mulheres e sua contribuição para o empoderamento feminino revolucionou o universo da música sertaneja entre as décadas de 2010 e 2020. Infelizmente Marília foi vítima de um trágico acidente de avião que tirou sua vida em dezembro de 2021.

 

Neusa Moraes

1494fac22edce920ac214862f03db890.jpg

Uma mulher destemida e determinada, com o nome de Neusa Moraes faz parte da história e da arte da capital goiana. Nascida na Cidade de Goiás em 1932, Neusa foi influenciada por seu tio, que a criou, a gostar de arquitetura desde pequena. A artista goiana, que ocupa a cadeira 32 na Academia Feminina de Letras e Artes de Goiás, cursou Artes Plásticas pela Escola de Belas Artes de São Paulo, com aperfeiçoamento em escultura. Retornou para o Goiás, onde foi professora da Universidade Federal e marcou seu nome para sempre.

Ela é autora do monumento “As Três Raças” e da estátua situada na Praça Cívica de Goiânia, que homenagea Pedro Ludovico, montado em seu cavalo, além de inúmeros bustos e cabeças em bronze espalhados por Goiânia, Anápolis, Brasília e exterior.

 

Cora Coralina

6dd87ec3cff7a72881a44040a05875e6.jpg

Pseudônimo de Anna Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, Cora Coralina nasceu na Cidade de Goiás. É considerada uma das principais poetas brasileiras, mas desenvolveu também contos e outras formas de escrita. Escreveu obras como “Poemas dos Becos de Goiás” e “Estórias Mais”. É reconhecida por ignorar modismos literários e se concentrar na crônica do interior. Está dentre as dez brasileiras mais importantes, conforme lista da BBC de Londres divulgada em 2017.

 

Célia Câmara

105753018596d1e446d6d9ed8858b964.jpeg

Nascida no Paraná, Célia casou-se com Jaime Câmara em 1943 e começou sua história em Goiás. Com a criação do programa “Mulher”, Célia trouxe para o Estado debates determinantes sobre a condição feminina, arte e cultura. É considerada uma das principais mecenas do cenário cultural goiano, com a criação de espaços como a Casa Grande Galeria de Arte e a Fundação Jaime Câmara.

 

Ana Braga

19036ce856864970d9033b047226085e.jpeg

Ana foi a primeira vereadora mulher a exercer mandato pela cidade de Goiânia. Foi eleita com apenas 24 anos para exercer mandato na Câmara Municipal de Goiânia. Era culta, com formação em filosofia e direito.  Em 1947, assumiu a missão de escrever as primeiras atas da casa de leis. Integrava a oposição na casa, sofrendo com o machismo, que driblava com seu impressionante protagonismo.   Abriu faculdades no interior goiano, tornou-se educadora. Fundou a UDN em Goiás. Considerada uma das mulheres mais íntegras de Goiás. 

 

Ana Maria Pacheco

0a842396695fda813b833bbeedf31fe0.jpg

Artista plástica e musicista nascida em Goiânia. Na década de 1970, foi para Londres, onde se aprimorou com Bolsa do Conselho Britânico do Rio de Janeiro. Lecionou arte nas universidades da Escócia, Inglaterra e Irlanda. Suas obras figuram nos maiores acervos do mundo. É a artista goiana mais internacionalizada. 

 

Belkiss Spenciere

d098559d949ddec6a31e0ecd23d2aa0c.jpg

Musicista de renome, requisitada para diversos consertos internacionais. Assumiu a missão dada pela avó Nhanhá do Couto: disseminar a música clássica no Estado. Tornou-se uma das principais pianistas brasileiras, fundou o conservatório de música, que futuramente será transformado em Escola de Música e Artes Cênicas (Emac) da UFG. Foi uma das principais intérpretes de música brasileira, caso das obras de Camargo Guarnieri e Villa Lobos. Integrou a Academia Brasileira de Música (ABM).

 

Berenice Artiaga

4a8e21f0e93e1761d54df6593e19ae0f.jpeg

Berenice morreu em 2012, aos 96 anos, deixando um enorme legado para o Goiás. Nascida na Cidade de Goiás, foi a primeira deputada estadual goiana. Eleita em 1951, ela trouxe para o parlamento os dilemas femininos e as dificuldades enfrentadas pelas mulheres diante do machismo goiano.  Substituiu a candidatura do marido, Getúlio Artiaga, quando este foi assassinado ao tentar separar uma briga.  Foi professora , tabeliã e funcionária pública. 

 

Celina Turchi

a1e701ccd977f3692c2b1bd91de2dc55.jpg

Celina é uma epidemiologista, pesquisadora e professora universitária brasileira, Comendadora da Ordem Nacional do Mérito Científico e membro titular da Academia Brasileira de Ciências. É professora aposentada e emérita da Universidade Federal de Goiás e pesquisadora visitante do Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães, em Recife, onde coordena o Grupo de Pesquisa de Epidemia em Microcefalia, com projetos na área de infecção pelo vírus Zika desde 2015. Especialista em epidemiologia das doenças infecciosas, é uma das dez cientistas mais importantes do mundo segundo a revista Nature em 2016 e selecionada pela revista “Time” como uma das 100 pessoas mais influentes em 2017.

Celina coordenou a pesquisa sobre o vírus zika e sua equipe, em três meses, conseguiu identificar a associação do vírus com a microcefalia.

 

Chica Machado

e60970981ec8283ca801bf99a6fb4ae0.jpg

Negra comprada como escrava aos 13 anos por comerciante português, tornou-se mulher de destaque na sociedade da época, na região de Niquelândia. Com o ouro que tinha, comprava escravos para libertá-los. Gratos, eles passaram a seguir Chica Machado.  Construiu igreja para os negros e revolucionou os costumes ao integrar os escravos na sociedade conservadora da  época.

 

Consuelo Nasser

5f4260ce7662afef8205cfa98b9f3c3a.jpg

É considerada uma das principais feministas de Goiás. Ao lado de outras mulheres, criou o Centro de Valorização da Mulher (Cevam). Advogada por formação, tornou-se uma das principais jornalistas goianas.  Criou e dirigiu vários veículos da imprensa, como o “Cinco de Março (1959-1979)”,  “Diário da Manhã” (1982-1984) e “Folha de Goyaz” (1984).  Nasceu em Caiapônia (GO) e faleceu em 2002.

 

Damiana da Cunha

5a540dd4910942122fc404bba140f644.jpeg

Índia caiapó, de grande importância política em Goiás no século 19. Atuou como mediadora de conflitos entre as comunidades indígenas e representantes do poder estatal.  Sua vida é objeto de inúmeros estudos científicos e revela que a mulher indígena foge dos estereótipos da submissão e do isolamento. Foi chefe de expedições e categorizada como a índia que dividiu sua vida entre o sertão e o mundo civilizado. Recebeu a condecoração de capitã-mor (designação militar) por conta de seus serviços. 

 

Goiandira do Couto

4a9b294844cbaa1074e05527db20194f.jpg

Prima e amiga de Cora Coralina, Goiandira é uma importante artista goiana. Tendo começado a pintar desde pequena, recebeu sua primeira premiação quando tinha dezesseis anos. Tornou-se posteriormente professora de Língua portuguesa, História, Desenho, Artes, Danças e Etiqueta, lecionando até se aposentar. Criou a técnica exclusiva de pintura com as areias de pedras trituradas da Serra Dourada, o que a tornou reconhecida internacionalmente.

 

Laís Nunes

19da72523bbc9a33dc43e083cf4b7ced.jpg

A lutadora de Barro Alto (GO) é uma  wrestler olímpica brasileira. É vencedora do Campeonato Pan-Americano de Lutas Associadas de 2016. Foi medalha de prata nos Jogos Sul-Americanos de 2014, em Santiago. Representa os esportes em Goiás, com carisma e esforço, tornando-se exemplo de vida para atletas de esportes amadores. 

 

Laurita Vaz

f378687ed84720389b22d18e3bf69663.jpg

Laurita Hilário Vaz, nascida em Anicuns (GO), é uma jurista e magistrada brasileira. É desde 2001 ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Foi a primeira mulher a presidir este tribunal, de 2016 a 2018.

 

Lucia Vânia

6ba3672a59a529dd9e6d327fc6f681cd.jpeg

Lúcia Vânia Abrão é uma jornalista e política brasileira filiada ao Cidadania. Primeira mulher eleita deputada federal por Goiás, em 1986, integrou a Assembleia Nacional Constituinte. Em 1995, assumiu o cargo de Secretária Nacional de Assistência Social. Exerceu mandato de senadora da República entre 2003 e 2019, sendo a única mulher senadora pelo Goiás.

 

Marieta Telles Machado

5e1c425e8fecf0f03d193891923d285a.jpg

Foi uma das mais proeminentes escritoras goianas. Nasceu em Hidrolândia (GO) e se formou em direito e letras na Capital. É uma das responsáveis pela criação da UFG e da instituição de vários cursos. Produziu obras de grande importância para a discussão do poder feminino, caso de “Narrativas do quotidiano”.

 

Raquel Dodge

02c401000c6acbf84884acdb6ba4beb8.jpeg

Raquel Elias Ferreira Dodge é uma jurista brasileira. Integrante do Ministério Público Federal desde 1987, foi procuradora-geral da República de 2017 a 2019. É bacharel em direito pela Universidade de Brasília e mestre em direito pela Universidade de Harvard.

 

Santa Dica – Benedita Cypriano Gomes

cc5e9bc3e08de6a8795d031de39aa382.jpg

Benedicta Cypriano Gomes foi a líder de um movimento social religioso iniciado na década de 1920 no distrito de Lagolândia, município de Pirenópolis, no estado de Goiás. Santa Dica é assim chamada porque ainda na adolescência se tornou curandeira e logo depois profetisa. Ela morreu em 1970, com 66 anos.

 

Pesquisa diz que ronco do marido é um das principais causas de traição das mulheres

Uma pesquisa feita pelo Gleeden – um  aplicativo de encontros discretos pensado mulheres, revela que 66%  das 1900 britânicas infiéis entrevistadas, revelaram que o ronco do marido é responsável direto pelo fato delas traírem.   De acordo com as entrevistadas, noites sem dormir e falta de descanso podem ser frustrantes o suficiente para arruinar o relacionamento ou, na pior das hipóteses, até mesmo forçar as esposas a cometerem adultério. 

 

Ainda de acordo com a pesquisa, 43% das entrevistadas admitiram que a falta de sono lhes causa uma sensação de irritabilidade e faz com que se esforcem menos em seu relacionamento. 31% admitiram que isso é uma fonte de muitos argumentos, enquanto 22% confessaram que isso afeta diretamente sua libido e seu desejo pelo parceiro.

Exposição inédita apresenta a moda da mulher goiana nas décadas de 60 e 70

Por quase meio século, as portas de um antigo guarda-roupa se mantiveram fechadas. Quando abertas, mostraram um conjunto intacto de vestimentas, acessórios, artefatos de toalete e documentos, cuidadosamente guardados. O acervo de moda nunca visto antes é da colecionadora goiana e marchand Zilca Rodrigues de Lima. E a partir do dia 6 de abril, a Galeria 588 Art Show em Goiânia vai abrir as portas deste armário histórico para uma exposição de moda inédita chamada “Dos Pés à cabeça: Retratos da Mulher Goiana por um Guarda-roupa de 1960 – 1970”. A mostra será aberta ao público das 13h às 17h e segue até o dia 6 de maio.

A exposição apresenta essa gama de objetos que evidenciam um rico universo carregado de beleza, cores, texturas e recordações. São elementos como vestidos, calçados, bolsas, revistas de moda, acessórios, entre outros itens que contribuem para o entendimento da importância da moda como forma de expressão e interação da mulher goiana e a diversidade de papéis que ela ocupava em casa, no trabalho e na vida social.

De origem interiorana e rural em Goiás, Zilca Rodrigues Lima possui uma trajetória marcada pela atuação em múltiplos campos, sendo assim representante legítima das muitas mulheres goianas, cuja força e presença impulsionaram transformações e mudaram o mundo. Memórias, histórias de vida, de amor, de amizade e de profissionalismo entremeiam cada fio e cada trama dos elementos que ocupam todos os espaços desta mostra.

O projeto tem apoio concedido pela Secretaria de Cultura do Estado de Goiás (SECULT – GO) através da Lei Aldir Blanc/2021.

Sobre Zilca de Lima

O acervo exposto foi guardado com muito amor e cuidado por cerca de 50/60 anos. Evidencia a relação da trajetória de Zilca Rodrigues de Lima com a moda, as artes e a educação em Goiás, assim como tudo fabricado no Brasil e no exterior. Nascida no município de Serranópolis-GO, em 27 de setembro de 1939, Zilca cursou o normal e técnico em contabilidade em Jataí-GO, onde viveu e trabalhou como professora e na campanha nacional de alimentação escolar.

Mudou-se para Goiânia-GO, em 1970, onde trabalhou na merenda escolar e adquiriu tuberculose química, no mesmo momento em que ingressou no curso de Direito da antiga Universidade Católica de Goiás (UCG). Foi nesta instituição de ensino superior que conheceu seu companheiro Sebastião Félix de Oliveira e engravidou. Naquele momento, a tuberculose era de difícil cura. Por esse motivo, passou 11 meses em tratamento na cidade de Petrópolis-RJ, onde nasceu seu filho, Rodrigo Félix de Lima. É ele que, como idealizador e curador, faz desta exposição uma homenagem carinhosa à sua mãe Zilca.

Após curada, Zilca terminou seus estudos e se formou no ano de 1975. Prestou concurso público federal em Brasília-DF, passando a atuar como Técnica em Assuntos Educacionais, no então Ministério da Educação e Cultura (MEC) até a sua aposentadoria, aos 48 anos de idade. A cidade do Rio de Janeiro-RJ foi um destino constante, a partir de 1987. Por lá, comprava artes, artesanatos e antiguidades em feiras, shoppings e antiquários para abastecer a loja “Chez Anna Artes e Coisas”, que abriu no Setor Oeste, em Goiânia, após se aposentar. A loja permaneceu em funcionamento por cerca de 30 anos.

 

SERVIÇO:

Exposição “Dos Pés à Cabeça: Retratos da Mulher Goiana por um Guarda-roupa. 1960 – 1970”

Quando: de 6 de abril a 6 de maio de 2022

Onde: Galeria 588 Art Show – Rua C-167, Qd. 588, Lt.11, Jardim América

Horário de visitação: Das 13h às 17h

Mais Informações: (62) 98140-1920

 

Fotos: João Victor da Silva Araújo

Sete cantoras goianas são selecionadas para festival de música

O Festival O Sentir Delas selecionou sete nomes de cantoras goianas para compor seu elenco de apresentação. O evento de Música Popular Brasileira, mais conhecido como MPB, é exclusivo mulheres e será transmitido nos dias 17 e 18 de maio pela internet.  

As selecionadas foram: a Cláudia Vieira, Bebel Roriz, Débora di Sá, Poly Pimpão, Érika Ribeiro, Mariana Letieri e Nina Soldera. 

Mais de 40 vozes femininas foram avaliadas por professoras pelas professoras de música Flávia Cruvinel e Gilka Martins, mas apenas 10 foram selecionadas. Foram avaliados critérios como exequibilidade e coerência da proposta, ritmo, afinação, criatividade e singularidade (interpretação/ composição). 

Todas as selecionadas recebem um cachê de R$ 1.500, além de precisarem estar disponíveis para ensaios com banda e gravação de shows no Espaço Zabriskie, em Goiânia. 

Há uma lista de suplentes para caso os sete nomes não possam participar ou descumpram o regulamento. São elas: Ingrid Goldfeld, Jana Jake, Cris Couto, Bruna Mendez e Larissa Moura. Todas nomeadas em ordem de pontuação pelas professoras. 

 

Competição 

As cantoras farão uma própria releitura sonora de quatro músicas das quais se identificam dentro do MPB, em um show com duração de 156 minutos.  

O festival irá avaliar também a proposta de presença musical, do violão, do baixo e da percussão. 

 

(Foto: Layza Vasconcelos)