Empreendimento milionário e inédito para o mundo dos negócios chega a Goiás

A cidade de Caldas Novas, a 169 km de Goiânia, vai ganhar um novo empreendimento milionário para chamar de seu: o Jacarandás Club, um conceito inédito de clube que une lazer e oportunidades de negócios. Destinado a empreendedores, o clube promete ser um espaço exclusivo para networking e qualidade de vida, conforme explica Diego Silveira, diretor comercial do estabelecimento.

O projeto inclui a construção de unidades em todas as regiões do Brasil: Centro-Oeste, Norte, Nordeste, Sul e Sudeste. A próxima cidade a receber o empreendimento será Palmas (TO).

Silveira ressalta que o Jacarandás Club proporcionará um ambiente propício para diversas atividades. “Desenvolvemos um espaço onde tudo se conecta. As quadras de tênis e beach tennis, por exemplo, são integradas por um camarote com capacidade para 400 pessoas”, detalha.

Além das quadras esportivas e espaços de coworking, o Jacarandás Club oferecerá eventos gastronômicos, áreas pet friendly, spa, academia, piscina com borda infinita e uma reserva natural. “Estamos criando o primeiro network club do Brasil, um conceito exclusivo e inovador”, afirma Silveira.

Atração para novos empreendedores goianos

Conhecida por seus clubes e águas termais, a Caldas Novas promete atrair tanto turistas quanto novos empreendedores para a região. O clube permitirá que os sócios de uma unidade possam frequentar todas as outras, fortalecendo o networking.

Com um investimento total de R$ 400 milhões, os títulos do clube estão sendo vendidos a R$ 50 mil. O empreendimento de Caldas Novas, que incluirá o primeiro hotel cinco estrelas da cidade, já está em fase final de construção e tem previsão de inaugurar ainda este mês.

Goiânia sedia evento gratuito sobre Reestruturação Financeira no Agronegócio

No próximo dia 18 de maio, o K Hotel em Goiânia, será palco para o 1º Agro em Debate: Reestruturação Financeira no Agronegócio. O evento conta com a participação de renomados especialistas, desde gestores de fazenda e analistas de mercado de grãos e boi até contadores e advogados. A entrada é gratuita.

Organizado pelo escritório João Domingos Advogados Associados, parceria com a Associação Brasileira de Defesa do Agronegócio (ABDAGRO) e o Raphael Barra, da BR Fazendas, o evento tem como objetivo oferecer ao produtor rural ferramentas necessárias, estratégias de mercado e compartilhamento de vivências com outros profissionais do setor que enfrentam os mesmos desafios, para que juntos possam superar oscilações futuras no agronegócio.

A programação conta com nomes como Raphael Barra, presidente da ABDAGRO e fundador da BR Fazendas, Matheus Pereira, produtor rural e fundador da PÁTRIA AgroNegócios, Ronaldo Junqueira, consultor em Gestão de Fazendas, Ricardo Arantes, especialista em Gestão de Pessoas, Rodrigo Albuquerque e João Sebba, especialistas em mercado do boi na bolsa de valores, Antônio Chaker, zootecnista e consultor em gestão, Pamela Fiúza, contadora especializada em agronegócio, Suzi Artuzi, administradora judicial no Agro e Marcelo Prado, consultor empresarial.

Advogados especialistas em agronegócio do escritório João Domingos também estarão no painel como palestrantes. Nomes como João Domingos, Leandro Marmo e Karla Brum estão confirmados.

“Fique por dentro de conhecimentos, técnicas, competências e insights valiosos de quem conhece de perto esse setor que tem crescido e se fortalecido cada vez mais. Estamos esperando mais de 500 produtores rurais, além de empresários e simpatizantes do assunto”, reforça João Domingos, fundador do escritório.

Azul vai comprar a Gol? Entenda

Parece que os rumores são verdadeiros e a Azul vai mesmo comprar a Gol. Segundo matéria da Revista Oeste, que ouviu fontes da Azul, o negócio está quase finalizado. A Gol, que tem dívidas superiores a US$ 20 bilhões, pediu falência nos EUA no início deste ano.  “A administração da Azul já considerou a aquisição da Gol um negócio fechado. Uma fonte sênior informou à coluna que as duas companhias aéreas  se tornarão uma só empresa nas próximas semanas”, diz parte do relatório.

O presidente da Azul, Abhi Shah, não confirma mas também não descarta a possibilidade. Em entrevistas ele tem afirmado que a empresa está sempre de olho no mercado e em possíveis oportunidades de parceria. A Bloomberg informou na semana passada que uma fusão entre Azul e Gol estaria em discussões avançadas.

A Revista Oeste diz que a Azul já deu como certa a aquisição da Gol. A Azul também teria contratado um consultor internacional em março para ajudar nas negociações. Segundo a revista, um sinal de potencial da compra é que a concorrente Latam recentemente retirou o interesse em adquirir aeronaves Boeing 737 da Gol. A Gol não manifestou interesse na oferta. As aeronaves são alguns dos seus ativos mais valiosos e que interessam diretamente à Azul (que assim como o mercado em geral também vem sofrendo com a falta de aviões)..

Segundo pesquisa recente, a Azul ficou em segundo lugar no mercado de aviação doméstica em março deste ano, transportando 29,5% dos passageiros domésticos, à frente da Gol, que respondeu por 29%. A liderança do setor é da Latam, com 41% de participação do mercado.

A possível aquisição da Gol dará à Azul o controle do setor de transporte aéreo nacional, tendo em vista que ambas as empresas têm presenças distintas no país. A Azul é conhecida pela presença em voos para o interior e em cidades de médio porte do Brasil, enquanto a Gol concentra suas operações principalmente nos grandes centros com rotas entre São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

É importante ressaltar que as negociações estão sujeitas à aprovação de órgãos reguladores do mercado e de órgãos como Anac (Autoridade Nacional de Aviação Civil) e Cade (Comitê Administrativo de Defesa Econômica). Até o momento nenhuma das duas companhias comentou oficialmente o assunto.

Leia mais: GOL suspende transporte de animais no porão após caso de Golden Retriever

Goiânia está entre as 10 cidades mais empreendedoras do Brasil

Um estudo recente realizado pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap), com o apoio da Endeavor, revelou as 10 cidades mais propícias para empreendedores no Brasil.

O levantamento considerou diversos critérios, incluindo infraestrutura, acesso a capital, inovação, capital humano, ambiente regulatório, mercado e cultura.

Considerada ainda jovem e bem dinâmica, Goiânia emerge como um destino promissor para novos empreendedores no cenário brasileiro. Propícia para negócios inovadores, a capital goiana se destaca como uma opção atraente para aqueles que desejam iniciar suas jornadas empreendedoras.

Além disso, a cidade foi eleita a 23ª mais inteligente do Brasil, pelo ranking da Connected Smart Cities em 2023. Segmento que envolve empresas, entidades e governos em uma plataforma cuja missão é encontrar o DNA de inovação e melhorias para cidades mais inteligentes e conectadas umas com as outras, sejam elas pequenas ou megacidades.

Confira abaixo o Top 10 das melhores cidades para empreender no Brasil:

1ª São Paulo (SP)

São Paulo conquistou o topo do ranking, destacando-se principalmente por sua infraestrutura robusta, que inclui conectividade viária, facilidade de acesso aos portos e fluxo aéreo. Com uma pontuação de 8,673, a cidade apresenta um ambiente promissor para novos empreendimentos.

2ª Florianópolis (SC)

Logo atrás de São Paulo, Florianópolis se destaca pelos recursos humanos qualificados e pelo ambiente inovador. Com uma pontuação de 8,411, a cidade catarinense oferece condições favoráveis para quem busca iniciar um negócio.

3ª Joinville (SC)

Joinville garantiu a terceira posição no ranking, com ênfase em seu ambiente regulatório favorável. A cidade apresenta processos simplificados para abertura de empresas e resolução de trâmites burocráticos, tornando-se um ambiente propício para empreendedores.

4ª Brasília (DF)

Brasília surpreende ao subir do 69º para o 4º lugar no ranking, impulsionada por melhorias significativas em seu ambiente regulatório. Redução de alíquotas de impostos e simplificação burocrática contribuíram para esse avanço.

5ª Niterói (RJ)

Niterói destaca-se pelo crescimento real do PIB entre 2022 e 2023, impulsionado pela indústria petrolífera e pela valorização do barril de petróleo.

6ª Boa Vista (RR)

Boa Vista se destaca na categoria “Cultura Empreendedora”, com instituições engajadas em orientar e apoiar os empreendedores locais.

7ª Curitiba (PR)

Curitiba conquistou a sétima posição, com destaque para o acesso facilitado a capital, tornando mais acessível o financiamento para novos negócios.

8ª Rio de Janeiro (RJ)

Assim como Curitiba, o Rio de Janeiro oferece um ambiente econômico favorável para a abertura de empresas, com acesso simplificado a recursos financeiros.

9ª Macapá (AP)

Macapá se sobressai pelo baixo índice de impostos e pela cultura empreendedora presente na cidade, que incentiva o surgimento de novos negócios.

10ª Goiânia (GO)

Encerrando a lista das 10 melhores cidades para empreender no Brasil, Goiânia se destaca pelo ambiente regulatório favorável, oferecendo condições atrativas para quem deseja iniciar um negócio.

 

*Com informações portal Só Notícia Boa

Veja também:

8 filmes sobre o mundo dos negócios para assistir nos streamings

Nos últimos anos, o mundo dos negócios tem sido uma fonte interessante de inspiração para cineastas ao redor do mundo. O cinema tem explorado os acontecimentos complexos ​​do mundo dos negócios, dando destaque para empresários que revolucionaram o mercado.

Com o crescimento das plataformas de streaming, se torna mais fácil do que nunca mergulhar nesse universo fascinante e conhecer as motivações, processos e dificuldades que grandes empresários, conhecidos mundialmente, enfrentaram para chegar onde estão hoje.

Então, prepare a pipoca e vamos conhecer alguns filmes que nos contam as histórias de figuras icônicas como Steve Jobs e Warren Buffett. Não deixe passar a oportunidade de se inspirar e quem sabe, ter aquela ideia brilhante para o seu próximo grande projeto ou para sua empresa.

Rio Verde se consagra como a melhor cidade para o Agronegócio em 2022

Em 2021, a cidade de Rio Verde, em Goiás, inaugurou um terminal rodoferroviário para a operação de grãos e de farelo de soja, ligando de forma mais fácil a Ferrovia Norte-Sul, com acesso ao Porto de Santos. O novo modal logístico levou ao escoamento mais rápido da produção fazendo com que a cidade, sozinha, tivesse uma fatia de 30% do total de exportações do estado de Goiás em 2022.

Esse avanço logístico ajudou a tornar Rio Verde a melhor cidade para fazer negócios no setor agro, segundo ranking da consultoria Urban Systems, publicado com exclusividade pela EXAME. Para a lista de 2022, foram analisados municípios com mais de 100 mil habitantes, e em seis eixos econômicos: comércio, serviço, indústria, mercado imobiliário, educação e agropecuária.

Nesta nona edição, foram avaliados mais de 60 quesitos e indicadores somando as seis áreas econômicas, com análises referentes à infraestrutura de saneamento, transportes, mobilidade urbana, logística e telecomunicações. A fotografia foi feita com dados referentes até outubro deste ano.

Uma das maiores cooperativas do país e que fica na cidade de Rio Verde, a Comigo, deve ver a receita crescer de R$ 10 bilhões para R$ 15 bilhões em 2022, por conta do terminal rodoferroviário. “Aumentou muito a capacidade da recepção de grãos e da venda de insumos. Mandamos e trazemos tudo via Santos e tiramos muitos caminhões para usar a ferrovia. Neste ano já exportamos 50 mil toneladas de farelo de soja”, diz Antonio Chavaglia, presidente da cooperativa.

Willian Rigon, diretor de marketing da Urban Systems, avalia ainda que o crescimento do agro na cidade de Rio Verde fomentou também a economia local. “Quando aumenta o nível de trabalhadores que necessitam de uma mão de obra mais qualificada, há um desenvolvimento de boas escolas, shoppings, comércio. Tudo isso permite que as pessoas migrem para a cidade”, afirma.

O prefeito Paulo do Vale (União Brasil) destaca que o orçamento do município é atrelado diretamente ao agro, com 30% da arrecadação de impostos vindo do setor. Outros 30% vêm do comércio, e 15% de serviços. “É preciso observar que o comércio e o setor de serviços só crescem porque os trabalhadores do agronegócio têm um alto poder de compra. Ou seja, tudo gira em torno do setor”, diz.

 

Veja a lista com as 100 melhores cidade para fazer negócios no agro:

 

 

Melhores Cidades para Fazer Negócios no agro

Posição

 Município

UF

IQM

2022

2021

1

36

 Rio Verde

GO

3,758

2

84

 Três Lagoas

MS

3,163

3

 Tangará da Serra

MT

2,923

4

5

 Brasília

DF

2,885

5

52

 São Paulo

SP

2,881

6

8

 Juazeiro

BA

2,863

7

7

 Valinhos

SP

2,833

8

11

 Uberlândia

MG

2,826

9

53

 Catalão

GO

2,816

10

 Leme

SP

2,762

11

76

 Pelotas

RS

2,741

12

 Manaus

AM

2,735

13

14

 Uberaba

MG

2,728

14

47

 Lages

SC

2,719

15

77

 Cuiabá

MT

2,686

16

 Eunápolis

BA

2,677

17

1

 Petrolina

PE

2,671

18

2

 Patos de Minas

MG

2,646

19

 Aparecida de Goiânia

GO

2,644

20

69

 São Mateus

ES

2,637

21

 Criciúma

SC

2,632

22

44

 Itapetininga

SP

2,630

23

27

 Bragança Paulista

SP

2,628

24

 Rondonópolis

MT

2,622

25

91

 Sinop

MT

2,610

26

10

 Londrina

PR

2,610

27

4

 Cascavel

PR

2,604

28

 Almirante Tamandaré

PR

2,575

29

94

 Novo Hamburgo

RS

2,570

30

65

 Linhares

ES

2,560

31

 Jequié

BA

2,559

32

46

 Campo Grande

MS

2,559

33

 Senador Canedo

GO

2,556

34

3

 Barreiras

BA

2,528

35

 Paragominas

PA

2,515

36

12

 Sumaré

SP

2,499

37

73

 Mogi Guaçu

SP

2,484

38

42

 Campinas

SP

2,481

39

 Abaetetuba

PA

2,454

40

 Maringá

PR

2,444

41

22

 Porto Alegre

RS

2,440

42

 Jaboatão dos Guararapes

PE

2,439

43

37

 Passo Fundo

RS

2,430

44

 Jataí

GO

2,425

45

30

 Salto

SP

2,417

46

92

 Araguari

MG

2,417

47

 Caxias do Sul

RS

2,410

48

 Colombo

PR

2,403

49

34

 Ribeirão Preto

SP

2,400

50

 Várzea Grande

MT

2,388

51

 Juiz de Fora

MG

2,386

52

80

 Barretos

SP

2,374

53

58

 Jacareí

SP

2,360

54

35

 Mogi das Cruzes

SP

2,353

55

 Limeira

SP

2,352

56

20

 Indaiatuba

SP

2,346

57

71

 Apucarana

PR

2,340

58

 Goiânia

GO

2,339

59

97

 Erechim

RS

2,333

60

43

 Rio Claro

SP

2,331

61

62

 Varginha

MG

2,323

62

15

 Tatuí

SP

2,319

63

50

 Aracruz

ES

2,319

64

70

 Salvador

BA

2,318

65

93

 Chapecó

SC

2,318

66

 Itumbiara

GO

2,317

67

95

 São José do Rio Preto

SP

2,315

68

83

 Piracicaba

SP

2,314

69

13

 Dourados

MS

2,314

70

 Bento Gonçalves

RS

2,311

71

67

 Santa Cruz do Sul

RS

2,286

72

38

 Ituiutaba

MG

2,285

73

81

 Ponta Grossa

PR

2,278

74

60

 Presidente Prudente

SP

2,276

75

32

 Paranaguá

PR

2,275

76

39

 Colatina

ES

2,274

77

100

 Campo Largo

PR

2,266

78

 Vilhena

RO

2,262

79

 Uruguaiana

RS

2,262

80

 Maceió

AL

2,260

81

40

 Poços de Caldas

MG

2,259

82

 Blumenau

SC

2,259

83

85

 Serra

ES

2,244

84

64

 Jaraguá do Sul

SC

2,241

85

 Santarém

PA

2,232

86

31

 Araxá

MG

2,229

87

19

 Guarapuava

PR

2,224

88

 Corumbá

MS

2,217

89

 São Gonçalo

RJ

2,209

90

 Foz do Iguaçu

PR

2,203

91

59

 Passos

MG

2,203

92

 Petrópolis

RJ

2,201

93

 Contagem

MG

2,198

94

6

 Toledo

PR

2,195

95

16

 Atibaia

SP

2,192

96

 Sete Lagoas

MG

2,191

97

 Conselheiro Lafaiete

MG

2,190

98

 Bagé

RS

2,189

99

 Cachoeiro de Itapemirim

ES

2,189

100

 Teixeira de Freitas

BA

2,187

 

 

*Portal Exame 

Imagem: Reprodução Veja – Dirceu Portugal

 

Quanto custa uma franquia do Burger King

Fundado em 1954, o Burger King é a segunda maior rede de hambúrgueres do mundo. Lar do Whopper, possui mais de 15 mil lojas, servindo mais de 11 milhões de consumidores por dia em mais de 100 países ao redor do mundo. Você já pensou em investir no modelo de negócios de franquias? O Curta Mais reuniu as informações que você precisa, para saber como você pode abrir uma franquia da rede Burger King.

Aproximadamente 90% dos restaurantes Burger King pertencem, e são operados, por franquias independentes, muitas delas administradas por empresas familiares no ramo há décadas. A franquia Burger King do Brasil, começou em 2011. O investimento para abrir uma franquia é a partir de R$2,5 milhões

fachada

Há duas possibilidades para abertura, sendo elas: Food Court, os restaurantes de Shopping Centers localizados na praça de alimentação. O investimento médio é de R$2,5 milhões, considerando a taxa de franquia. Com uma área de 80m² até 120m². A taxa de royalties fica em 8% e o fundo de Marketing em 3,0%. Segundo o site da rede, a implantação média leva cerca de 180 dias. 

A outra possibilidade é o Free Standing: restaurante de rua com pista para drive-thru e estacionamento. O investimento médio é de R$ 5 milhões, com a taxa de franquia. Área a partir de 2.000m². Taxa de royalties também em 8%. Fundo de Marketing 3,5% e a implantação média leva 217 dias.

Segundo o site da rede, os passos para quem tem interesses são: primeiro a empresa conhece o candidato e avalia se a região corresponde com o planejamento de expansão do BK. Em seguida, é a avaliado a situação financeira e jurídica do candidato, além disso, conhecer o negócio e aliar a experiência, do futuro franqueador, com lojas. Por fim, há assinatura de um pré-contrato e se inicia a implementação do restaurante. Porém, esse processo é mais rigoroso do que parece. Não basta apenas ter o dinheiro para conseguir a parceria com a marca.

Você pode acessar o endereço burgerking.com.br/franquias e dar início ao processo!


Leia mais: Quando custa uma franquia  do MC Donald’s? | Quanto custa uma franquia Starbucks?

 

Foto: Divulgação

Com foco em negócios, networking e troca de conhecimentos, Fieg promove 1ª Feira de Fornecedores de Goiás

Com o objetivo de intensificar o relacionamento das indústrias goianas com fornecedores locais e nacionais, a Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), promove, entre 30 de agosto e 2 de setembro, no Centro de Convenções de Goiânia, a 1ª Feira dos Fornecedores das Indústrias do Estado de Goiás (FFINEG). O evento será realizado por meio de parceria com a Feira de Tecnologias da Construção do Centro-Oeste (Constec), que ocorrerá de forma simultânea.

Segundo o presidente da Fieg, Sandro Mabel, a iniciativa contribuirá para incrementar negócios e promover a troca de experiências. “Goiás se destaca nacionalmente pela produção industrial e vocação logística. Precisamos aproximar negócios para fortalecer ainda mais esse ciclo virtuoso, de olho em ampliar cada vez mais a competitividade do que é produzido aqui”, afirma.

A exposição contará com o engajamento dos 35 sindicatos das indústrias que formam a base da Fieg. As entidades abrangem toda a cadeia produtiva do setor, sobretudo segmentos da construção civil, alimentos, serviços industriais de utilidade pública, derivados de petróleo e biocombustíveis, metalurgia, químicos farmacêuticos, bebidas, vestuário, veículos automotores, celulose e papel, extração de minerais não-metálicos, máquinas, equipamentos e produtos de metal.

Responsável pela mobilização de empresários industriais para o evento, a gerente sindical da Fieg, Denise Resende, refora que a ação promove o fortalecimento da indústria em Goiás. “Esse movimento de atração de negócios promove o crescimento em nossa região, revertendo em mais emprego, consumo interno e, consequentemente, renda para o Estado”, diz.

Mais informações: https://www.ffineg.com.br.

 

Anitta vai ministrar curso para pequenos empreendedores com dicas de negócios em universidade brasileira

A cantora Anitta vai dar aulas de empreendedorismo na universidade Estácio em curso livre que tem como título “Anitta Prepara”. As informações são do Jornal Folha de São Paulo.

A instituição de ensino superior privado divulgou a abertura do curso nesta segunda-feira (9) e abriu uma página em seu site para a inscrição dos alunos.

 

Utilizando como publicidade o fato de a cantora ter chegado à primeira posição entre as músicas mais tocadas no Spotify com seu hit “Envolver”, a página de divulgação do curso incita os interessados a aprender as estratégias de empreendedorismo, negócio, inovação e marketing que fizeram Anitta se tornar “uma lenda no mundo da música e dos negócios”.

Depois alcançar bastante sucesso no Brasil, Anitta se notabilizou por ter apostado suas fichas na carreira internacional. Criando parcerias sólidas com empresários e artistas estrangeiros, a cantora lançou músicas em inglês e espanhol, atingindo públicos em mercados como o dos Estados Unidos, país aonde a cantora viaja com frequência. Atualmente, a cantora é uma das artistas brasileiras mais conhecidas no mundo.

O curso a distância será lançado em uma live com Anitta no dia 23. Terá quatro temas, com dois módulos cada, incluindo aulas com outros professores da universidade. Ainda sem valor definido, terá certificado de curso livre assinado pela estrela. Não é preciso ter formação prévia.

Entre os temas estão estratégias, inovação e planejamento de negócios, tendo como pano de fundo casos reais da vida da artista, comentados por ela, com vídeos e informações inéditas de sua carreira. 

 

Imagem: Divulgação Estácio

 

Na palma da mão

 

Acesse linktr.ee/guiacurtamais e fique por dentro do que há de melhor em conteúdo. O Curta Mais é a multiplataforma mais completa e confiável de cultura, gastronomia, entretenimento, política e negócios de Goiás.

Goiânia recebe palestra sobre educação financeira com Joel Jota

O ex-atleta de natação, autor de livro best seller, professor, palestrante, mestre em Ciências do Esporte, empreendedor e mentor de negócios, Joel Jota, desembarca em Goiânia no dia 29 de abril, para um encontro que compartilha ensinamentos financeiros que vão ajudar o público a alcançarem o sucesso na saúde, na família e no trabalho.

Em turnê pelo Brasil, o evento acontece no Teatro Rio Vermelho, a partir das 20h. Os ingressos já estão sendo vendidos através do portal Ingresso Digital, e em pontos físicos como a livraria Leitura, no Goiânia Shopping.

Sobre Joel

Joel Jota se tornou treinador de alta performance, e como mentor, ele treinou mais de 1000 atletas de nível regional e mundial. Além disso, ele também atuou durante quatro anos como coordenador geral do Instituto Neymar.

Focado na área de desenvolvimento humano, Joel Jota, além de palestrante, é professor, empreendedor, escritor e mentor. Uma das frases de sucesso de Joel, e que diz muito sobre sua forma de pensar e atuar no desenvolvimento humano é: o sucesso é treinável. Já treinou mais de 50 mil empreendedores e empresas em sua carreira de negócios.

Seus treinamentos impactam milhões de pessoas e desenvolvem máxima performance na saúde, na família e no trabalho. Mensalmente Joel Jota fala com mais de 10 milhões de pessoas em suas redes sociais. É sócio do Grupo Primo, juntamente com Thiago Nigro e Bruno Perini, o que oportunizou dezenas de empresas a faturarem milhões de reais em seus negócios. Joel levou ensinamentos que adquiriu como nadador profissional para fora da piscina, em todas as áreas de atuação e ele não cansa de repetir: “o sucesso é treinável e todo campeão é alguém mediano com muito foco”.

 

SERVIÇO:

Palestra de Educação Financeira com Joel Jota

Quando: 29 de abril (sexta-feira)

Onde: Teatro Rio Vermelho – Rua 4, Nº 1400, Setor Central

Horário: 20h

Ingressos: Ingresso Digital e Leitura Goiânia

Mais informações: (62) 99311-9322

Cancelado: palestra sobre mercado financeiro com Thiagro Nigro e João Kepler em Goiânia

A produtora Cultura do Riso informa que foi CANCELADA a palestra dos gigantes dos negócios Thiago Nigro e João Kepler. Infelizmente, não se sabe ainda o motivo do cancelamento da palestra, mas segundo a a produtora do evento, “a produção não passou o motivo, apenas que foi cancelado”. E ainda que “imagina ter sido por conta da agenda dos palestrantes, ou algum outro motivo que não foi informado”. 

A palestra que ocorreria no dia 29 de abril, ficará para a próxima, mas você ainda poderá acompanhar o pronunciamento do ocorrido, nas redes sociais dos ‘gigantes dos negócios’.             

Os gigantes dos negócios, Thiago Nigro e João Kepler dividem os palcos em uma turnê nacional que passaria por Goiânia. Dividida em duas partes, a apresentação contaria com a palestra de Kepler sobre ‘O Poder do Equity’, já o Primo Rico, Thiago Nigro, apresentaria  a proposta de ‘Mentoria Coletiva’, onde a plateia teria a oportunidade de participar. As palestras seriam destinadas aos curiosos sobre os assuntos e também quem é investidor e quer aprender sobre o mercado de investimento em startups com uns dos maiores players do Brasil.

 Informações: (62) 4141-2270 / (62) 99311-9322

FOTO: Divulgação Assessoria de Imprensa

Goiânia recebe palestra sobre mercado financeiro com Thiago Nigro e João Kepler

Diretamente das redes sociais para Goiânia, Thiago Nigro e João Kepler se apresentam na Capital no dia 29 de abril a partir das 20h, no Teatro Rio Vermelho. Os investidores rodam o Brasil juntos com o intuito de dividir seus conhecimentos e processos de negócios e do mercado financeiro. A apresentação é dividida em duas palestras em que o público poderá interagir e participar. Os ingressos estão sendo vendidos na Livraria Leitura, no Goiânia Shopping e no portal Ingresso Digital.

A apresentação conta com a palestra do Kepler sobre ‘O Poder do Equity’, já o Primo Rico, Thiago Nigro, vem com a proposta de ‘Mentoria Coletiva’, onde a plateia terá a oportunidade de participar. As palestras são destinadas aos curiosos sobre os assuntos e também quem é investidor e quer aprender sobre o mercado de investimento em startups com uns dos maiores players do Brasil.

Em sua palestra, Kepler compartilha os segredos por trás das empresas inovadoras, escaláveis e que crescem exponencialmente. Já no momento de interação com os participantes, Primo Rico troca ideias e sanar dúvidas presencialmente, buscando os melhores caminhos para desenvolver os projetos de quem estiver presente. O conteúdo dos workshops, além de trazer para perto o mindset do investidor, auxilia no caminho de estruturar um negócio escalável e inteligente.

Sobre os especialistas do mercado financeiro

João Kepler é escritor, anjo-investidor, conferencista, apresentador de TV, podcaster e pai de empreendedores. Especialista na relação empreendedor-investidor, foi premiado por quatro vezes como o ‘Melhor Anjo-Investidor do Brasil’ pelo Startup Awards. CEO da Bossanova Investimentos, que realizou mais de mil investimentos em startups nos últimos cinco anos; Conselheiro de Empresas e Entidades; Autor de oito livros, entre eles o ‘Smart Money’, ‘Gestão Ágil’, ‘Se Vira Moleque’ e ‘O Poder do Equity’.

Já Thiago Nigro, mais conhecido como Primo Rico, é especialista em finanças e CEO da holding Grupo Primo, um ecossistema que busca democratizar o acesso ao conhecimento para pessoas que almejam conquistar liberdade financeira. Por meio de canais de audiência e tecnologia proprietárias, o grupo distribui conteúdo de alta qualidade e facilita sua aplicação em diferentes segmentos de mercado. Ele ganhou notoriedade na internet e hoje divide seus conhecimentos com o público que o acompanha.

 

SERVIÇO:

Thiago Nigro e João Kepler em Goiânia

Quando: Sexta-feira, 29 de abril

Onde: Teatro Rio Vermelho – Rua 4, Nº 1400, Setor Central – Goiânia

Horário: 20h

Ingressos: Livraria Leitura do Goiânia Shopping – Ingresso Digital

Informações: (62) 4141-2270 / (62) 99311-9322

De acordo com ranking nacional, Goiânia está entre as melhores cidades do país para empreender

Goiânia é destaque no Índice de Cidades Empreendedoras (ICE), divulgado nesta quarta-feira (16). A capital subiu 38 posições, e alcançou o 14º lugar entre os municípios brasileiros com melhor ambiente para se abrir negócios no país, em relação à pesquisa divulgada em 2021. A pesquisa foi produzida pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap). 

Ao tomar conhecimento dos números, o prefeito Rogério Cruz destacou o desempenho alcançado pela capital, apontando fatores socioeconômicos da gestão que colaboraram com os números registrados no levantamento. “Nossa gestão fomenta empreendedorismo em diversas frentes, desde a melhoria do arcabouço legal, à facilitação do acesso à capacitação e suporte à geração de renda”, afirma Rogério Cruz.

“É a melhor posição e o maior salto entre as cidades goianas avaliadas para a composição do relatório. O fomento ao empreendedorismo no município tem múltiplas faces. Empreender movimenta a economia, cria novos postos de trabalho, atende às necessidades que vão surgindo no mercado. É positivo para a sociedade como um todo”, pontua o prefeito.

O ICE 2022 leva em conta oito pilares diferentes para a composição da nota final das cidades. Os pontos fortes de Goiânia são cultura empreendedora, acesso a capital e ambiente regulatório. “O goianiense soube se reinventar durante a pandemia, e com muita resiliência e criatividade tem buscado abrir o próprio negócio”, observa o secretário de Desenvolvimento e Economia Criativa, Michel Magul.

“Nós também mapeamos todos os procedimentos necessários hoje para a formalização de um negócio e redesenhamos esse fluxo para simplificar a vida do empreendedor”, diz Magul. Com a iniciativa, o total de processos para se abrir uma empresa deve passar de 16 para seis, e o tempo gasto nesta tarefa será reduzido de 21 dias para quatro.

O titular da Sedec ressalta que o Programa Digital, que beneficiou com isenções tributárias empresas de tecnologia que se instalam na cidade, além da digitalização do Cadastro de Atividades Econômicas e dos programas qualificação profissional gratuita por meio do Sine, também colaboram para esse resultado positivo.

Legislação

A Prefeitura de Goiânia trabalha, neste ano, pela melhoria do ambiente regulatório da cidade, com a vigência do novo Código Tributário Municipal (CTM), e aprovação do Plano Diretor. As legislações trazem importantes mecanismos de fomento da atividade empreendedora, e aumentam a competitividade do município.

O CTM prevê redução de 30% do IPTU para empresas que se instalarem nos Polos de Desenvolvimento Econômico, além de isenção do imposto sobre a compra e venda de imóveis (ITBI) para empresas que forem comprar a primeira área destinada ao empreendimento nesses polos.

O novo Código traz, ainda, redução de 5% para 2% na alíquota do Imposto sobre Serviços (ISS) para empresas instaladas nos polos Tecnológico e de Inovação, e empresas de representação comercial ou corretagem de seguros; armazenagem e logística para e-commerce; franquias; serviços de guarda, estacionamento, armazenamento e vigilância; e para o setor de eventos.

A pesquisa do Índice de Cidades Empreendedoras (ICE) está em sua sexta edição, e foi realizada com base em dados de 2021. Com isso, foi possível fazer comparação mais ampla com o levantamento anterior, já que os indicadores de empreendedorismo e os municípios analisados foram expandidos e padronizados.

Nesta edição, foram medidos sete fatores determinantes para definir a posição no ranking:

• Ambiente regulatório

• Infraestrutura

• Mercado

• Capital financeiro

• Inovação

• Capital humano

• Cultura empreendedora

 

Foto: Secom

Empresa cria Vale do Silício Brasileiro para incentivar a cultura do empreendedorismo e inovação

Você sabia que o empreendedorismo é o 4º maior sonho dos brasileiros? Quem disse isso foi um recente relatório do Global Entrepreneurship Monitor (GEM), que estuda o comportamento econômico e tecnológico pelo mundo. No entanto, as oportunidades de conhecimento ainda engatinham por aqui, mesmo frente a um número incrível de 49 milhões de empreendedores nas cinco regiões do País.

Contudo, a demanda de pessoas ávidas por se tornarem empreendedoras se tornou a razão da existência da Silicon Valley Brasil, uma empresa que fomenta a imersão internacional e o intercâmbio entre os veteranos de sucesso e iniciantes que desejam inovar e ressignificar. Ela foi Fundada em 2016 por J.R Azambuja e José Motta, e já levou mais de 700 pessoas apaixonadas pelo DNA da inovação evolutiva para os principais ecossistemas do mundo, estreladas por Google, Apple, Netflix, Facebook, Universidade de Stanford,  Berkeley, Santa Clara e outras.

Se você não sabe quem está por trás ou nunca ouviu falar da Silicon Valley Brasil, certamente já se deparou com o trabalho de seus fundadores. Azambuja já realizou trabalhos para grandes empresas conhecidas como Nike do Brasil, Fifa, Conmebol, Petrobras, Octagon e Banco do Brasil, só para citar algumas, como designer de marketing esportivo. Justamente uma das paixões que move o sangue brasileiro. Em 2016, criativo e cheio de ideias na cabeça, avistou a possibilidade de ir ao Vale do Silício nos Estados Unidos para consumir altas doses de empreendedorismo e tecnologia. Por lá, se apaixonou e decidiu mudar de vida, começando um novo ciclo. Foi assim que surgiu a SVB.

 “Criei um projeto para conectar brasileiros com países de potencial crescimento e para que eles pudessem se preparar para este mercado novo que estava por vir. Então, estruturei a SVB – Silicon Valley Brasil, que é uma empresa que permite essa conexão para aprenderem com a cultura de inovação, de tecnologia de empreendedorismo, fatores que me fizeram chegar pela primeira vez nesta terra repleta de sabedoria”, declara.

E o Prof. José Motta, diretor de educação da SVB, entusiasta em inovações educacionais, palestrante, autor e referência em aprendizagem ativa na esfera de formação docente. Mestre em Tecnologias Emergentes em Educação (MUST University – USA), o Prof. Motta possui experiência de mais de 25 anos no âmbito da educação, tendo atuado como docente no Ensino Médio (Física) e no Ensino Superior (Engenharias), como diretor de escolas, diretor de campus, coordenador de curso e empreendedor na área educacional. Além de coordenar os projetos educacionais da SVB, é co-founder da Moonshot Educação e advisor de diversos programas educacionais ao redor do mundo.  “Nosso propósito nos projetos internacionais da Silicon Valley Brasil é transformar as pessoas para que possam mudar, para muito melhor, o mundo ao seu redor”, ressalta Motta.

e5fb88acc5709ee5ba45dc9f1708bf28.jpeg

Mirando o futuro

As imersões que duram em torno de 7 dias, com palestras, jantares, workshops, treinamentos, certificações e muito networking, são ótimas fontes para educadores, gestores e CEOs de grandes organizações, no que se refere à viverem 100% o que seria a inovação na prática.  .  

Mesmo diante de um cenário pandêmico, as buscas por cohecimento não pararam, e a meta da empresa brasileira é de triplicar o movimento para 2022. No site da entidade, já há imersões programadas para os Estados Unidos, Portugal, Dubai, Israel e Finlândia. Todas com contagem regressiva e poucas vagas. Tudo para não haver ruído no aprendizado de imersão.

Para quem não sabe falar inglês, o idioma não é uma barreira. Pelo contrário, Azambuja sabe que, apesar de conceituado, muita gente não sabe ou tem o inglês fluente. Por esta razão, sua equipe traduz tudo o que é falado durante o programa, seja em qual país for:

8ce6bb16636c2a04985d98c386776e7b.jpeg

Sobre a Silicon Valley Brasil

A Silicon Valley Brasil (SVB) é uma empresa que atua na área de imersões pelo mundo desde 2016. Já atendeu mais de 700 pessoas com diferentes níveis de cargos e funções, como executivos, gestores e educadores. Visando oferecer o máximo de aprendizagem e inovação, a SVB cria experiências exclusivas e totalmente personalizadas nos principais ecossistemas do mundo: Vale do Silício, Finlândia, Portugal, China, Israel e Emirados Árabes Unidos. A SVB é especialista em permitir integralmente o conteúdo para todos os empreendedores interessados. O seu principal diferencial é tornar possível a entrega de uma experiência internacional de forma única, humanizada, que faça sentido para cada participante e para o seu negócio e que, principalmente, o conecte às principais transformações do mundo.  

  

#publipost

Bares e restaurantes voltam a atrair clientes, gerar empregos e impulsionam retomada em Goiânia

Após longos meses com inúmeros prejuízos, consequência direta da pandemia da Covid-19, o setor de bares e restaurantes tem se aproximado dos patamares ”normais”, e já sinaliza crescimento em todo o país. Agora, com boa parte da população com o esquema vacinal completo em Goiânia, esses setores já começam a respirar sem tanto sufoco.

 

De março do ano passado até julho deste ano, estima-se que 300 mil empresas fecharam em definitivo suas portas e 1,2 milhão de trabalhadores foram demitidos no país. O faturamento do setor que conseguiu sobreviver em 2020 foi de R$ 175 bilhões, frente a R$ 235 bilhões em 2019.

 

Segundo a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), a expectativa para o fim deste ano é de R$ 215 bilhões. Essa retomada para o setor também impacta positivamente a economia de Goiânia. O presidente da Seccional da Abrasel em Goiás, Danillo Ramos, afirmou que os níveis positivos econômicos atuais ainda não atingiram os de 2019, mas que em breve, está otimista que os números possam ser ultrapassados: ”Estamos confiantes em ultrapassar aqueles níveis de 2019 em breve. Essa retomada está diretamente envolvida com as flexibilizações das atividades nos setores de bares e restaurantes e, totalmente, relacionada ao avanço da vacinação. A população fica mais confiante e o poder público flexibiliza as medidas. As empresas estão muito endividadas, e precisam avançar economicamente nas suas vendas e cessar as dívidas feitas no período mais intenso da pandemia”, explica.

 

Além do avanço da economia, que gera mais empregos e mais clientes para o negócio, Danillo também destaca que o turismo ganha mais força: ”O setor de bares e restaurantes em Goiânia é fundamental para o turismo. Aqui é uma cidade de referência em turismo de eventos, seja musicais, artísticos, corporativos e essas pessoas usam os restaurantes da cidade para poder passar os seus dias. Nós também temos a característica de receber os turistas que ficam em Goiânia durante 4 a 6 dias, e nesse período ele vai usufruir dos nossos bares e restaurantes, garatindo que ele tenha uma boa estadia. Além de termos restaurantes na cidade que são verdadeiros pontos de atração turística”.

 

Durante o enfretamento da crise, foi preciso se reinventar. As operações tornaram-se mais enxutas e muitas já nasceram com o delivery, quando não funcionam com esse sistema em 100% das atividades. Em 2021 muitos empreendedores conseguiram se estabelecer no mercado mesmo com todas as dificuldades, e agora, os restaurantes se mostram cada vez mais adequados às necessidades e segurança do consumidor, que estão sedentos por lazer. 

 

 

Imagem: Divulgação

 

Veja também:

 

Prefeitura autoriza shows artísticos e flexibiliza outras medidas em Goiânia

 

Novo decreto da Prefeitura de Goiânia autoriza retorno do público aos jogos de futebol