Os 10 países com os homens mais bonitos do mundo

Quando falamos em beleza masculina, dos homens mais bonitos do mundo, há uma gama de fatores que influenciam o reconhecimento de um país como celeiro de homens atraentes. Cultura, genética e estilo de vida moldam estes padrões que fascinam admiradores ao redor do globo. Vejamos, portanto, uma análise dos 10 países celebrados pela beleza masculina e o que faz seus homens se destacarem. Diversidade faz parte desta lista!

 

Leia também:

Os 10 perfumes masculinos preferidos das mulheres

Os 10 perfumes masculinos importados mais cheirosos de todos os tempos

 

1 – Brasil: O Ritmo Tropical no Olhar

Paulo André Camilo

Atleta Paulo André Camilo (Foto: Reprodução/internet)

No Brasil, a miscigenação cultural transparece em cada olhar marcante, nos sorrisos atraentes e nas personalidades vibrantes dos homens. A paixão pelo esporte e o clima tropical impulsionam um estilo de vida ativo, mantendo semblantes sempre joviais.

 

2 – Itália: O Berço da Moda Masculina

Benjamin Mascolo

Ator Benjamin Mascolo (Foto: Reprodução/internet)

A Itália não é somente terra da alta costura, mas também lar de homens elegantes e charmosos. Sua gastronomia mundialmente famosa e a dedicação à arte da moda criam um estilo inigualável.

 

3 – Espanha: Beleza Latente Nas Ramblas

Gerard Piqué

Ex-jogador de futebol Gerard Piqué (Foto: Reprodução/internet)

Os homens espanhóis radiam tanto quanto o sol que os bronzeia. Considerados entusiastas e apaixonados, sua beleza é apenas ampliada pela rica cultura do país e pelo idioma cativante.

 

4 – França: A Sofisticação nos Gestos

Omar Sy

Ator e roteirista Omar Sy (Foto: Reprodução/internet)

Reputação pela classe e refinamento não é exclusividade das mulheres francesas; os homens também exalam esse savoir-faire parisiense em cada gesto delicado e olhares penetrantes.

 

5 – Angola: O Encanto Africano

Fredy Costa

Ator e modelo Fredy Costa (Foto: Reprodução/internet)

Em Angola, a beleza masculina se destaca por traços marcantes e sorrisos genuínos. Homens são carregados de vitalidade e elegância natural, características marcadas pelo ritmo vibrante do país.

 

6 – Grécia: Deuses entre Nós

Giannis Antetokounmpo

Jogador de basquete Giannis Antetokounmpo (Foto: Reprodução/internet)

A Grécia sugere uma beleza clássica reconhecida desde os tempos antigos. Homens com traços esculpidos lembrando as estátuas gregas revelam a herança histórica deste belo país.

 

7 – Austrália: Charme Oceânico

Chris Hemsworth

Ator Chris Hemsworth (Foto: Reprodução/internet)

Os australianos contagiam com seu espírito aventureiro e lifestyle despreocupado. Cerca das praias ou dentro das cidades cosmopolitas, seu apelo natural é indiscutível.

 

8 – Suécia: O Esplendor Nórdico

Joel Kinnaman

Ator Joel Kinnaman (Foto: Reprodução/internet)

Altura acima da média, cabelos loiros como o trigo e olhos tão claros quanto lagos glaciais; os suecos são retrato perfeito da elegância nórdica.

 

9 – Estados Unidos: O Mix Cultural Fascinante

Michael B. Jordan

Ator Michael B. Jordan (Foto: Reprodução/internet)

Nos Estados Unidos encontramos uma pluralidade que se manifesta nos mais diversos biotipos masculinos – forte representação do famoso “melting pot” cultural.

 

10 – Canadá: Simpatia Além das Fronteiras

Shawn Mendes

Cantor Shawn Mendes (Foto: Reprodução/internet)

Similar aos vizinhos estadunidenses na diversidade, os homens canadenses são elogiados pela simpatia e receptividade característica que encanta visitantes de todo o mundo.

Esta lista revela que beleza é realmente uma questão ampla, sendo moldada por aspectos culturais distintos de cada nação. Os **_homens mais bonitos do mundo_**, com seus encantos dinâmicos, provam isso.

 

Leia também:

Os 10 perfumes masculinos preferidos das mulheres

Os 10 perfumes masculinos importados mais cheirosos de todos os tempos

Estes são os países onde a Bíblia é proibida

De acordo com o Livro Guinness dos Recordes, a Bíblia é o livro mais vendido de todos os tempos com mais de 5 bilhões de cópias vendidas e distribuídas. O número poderia ser ainda maior não fossem as restrições em vários países para o livro oficial dos cristãos. 

Nos países onde a Bíblia Sagrada é proibida, a liberdade de crença e expressão encontra barreiras significativas. Esse cenário afeta profundamente a vida dos cristãos que residem nessas nações, que se veem confrontados com desafios imensos para praticar sua fé. 

 

Liberdade Religiosa sob Censura

A liberdade religiosa é um direito fundamental reconhecido internacionalmente, mas infelizmente não é uma realidade universal. Existem países cujas políticas governamentais impõem restrições severas à prática do cristianismo, refletindo diretamente na proibição ou severa limitação no acesso à Bíblia.

 

Cristianismo em Território Hostil

Em várias regiões do mundo, sobretudo em nações de maioria islâmica ou regimes totalitários, praticar o cristianismo pode representar um risco grave para a vida dos crentes. O ato de possuir uma Bíblia nesses países é considerado um delito grave, sujeitando os indivíduos a punições severas, detenções e até mesmo a pena de morte.

Esses países possuem diferentes níveis e formas de repressão religiosa, desde a completa ilegalidade da posse da Bíblia até restrições sobre tradução, distribuição e publicação.

 

Desafios da Comunidade Cristã

A comunidade cristã global expressa grande preocupação face à situação nos países listados acima. Organizações como a Portas Abertas têm alertado sobre as dificuldades enfrentadas pelos cristãos nessas nações.

Além disso, outros fatores impactam essa dinâmica — conflitos culturais internos, política externa, eventos históricos e tensões sectárias têm papel relevante em moldar o panorama atual da prática do cristianismo nessas regiões.

 

O Caminho para a Esperança e Fé Resiliente

Apesar das adversidades legais e sociais em torno da proibição da Bíblia, os crentes desses países frequentemente encontram maneiras inovadoras para seguir sua fé. Reuniões secretas para o culto religioso e compartilhamento digital camuflado das escrituras são práticas usuais como resposta aos desafios impostos por seus governos totalitários ou fundamentalistas.

 

Nações com Restrição à Bíblia

Os países onde a perseguição aos seguidores de Cristo e as restrições à Bíblia são mais intensas incluem:

1 Afeganistão

2 Irã

3 Cazaquistão

4 Quirguistão

5 Maldivas

6 Mauritânia

7 Coréia do Norte

8 Arábia Saudita

9 Somália

10 Tajiquistão

11 Turcomenistão

12 Uzbequistão

13 Iémen

14 Argélia

15 Butão

16 Brunei

17 China

18 Cuba

19 Djibouti

20 Eritreia

21 Kuwait

22 Laos

23 Líbia

24 Malásia

25 Marrocos

26 Omã

27 Sudão

28 Tunísia

29 Bahrain

30 Bangladesh

31 República Centro-Africana

32 Columbia

33 Egito

34 Etiópia

35 Índia

36 Iraque

37 Jordânia

38 Quênia

39 Líbano

40 Mali

41 Mianmar (Birmânia)

42 Nepal

43 Níger

44 Nigéria

45 Paquistão

46 Filipinas (Mindanao)

47 Sri Lanka

48 Síria

49 Tanzânia

50 Turquia

51 Emirados Árabes Unidos

52 Vietnã

Diante dessa realidade difícil nos países onde a Bíblia é proibida, torna-se crucial dar voz às minorias perseguidas e apoiar iniciativas que promovam tolerância religiosa e respeito à liberdade individual. Ainda há muito por fazer para garantir que todos possam ter o direito de escolher sua crença sem medo de repressão.

Receba no seu WhatsApp as melhores dicas da cidade e as notícias mais interessantes em primeira mão!

Estes são os países onde a Netflix é proibida

A Netflix oferece serviço de transmissão nos quatro cantos do mundo, marcando presença em quase 190 países. O catálogo da gigante do streaming varia de acordo com cada país e muda de tempos em tempos, podendo ter restrições de filmes e séries de acordo com cada regra local.

Mas o que nem todo mundo sabe, o serviço está proibido em 5 países ou regiões.

Em países como China, Coreia do Norte e Síria, a plataforma está oficialmente proibida. Enquanto isso, territórios envolvidos em conflitos ou sob sanções internacionais pesadas, como a península da Crimeia, também têm acesso limitado ou proibido a serviços como os da Netflix. A informação consta no próprio site da empresa.

A Netflix não está disponível nos seguintes países/regiões:

 

China

A China é conhecida pelas medidas rigorosas de censura adotadas pelo governo para regular a internet dentro do país. Como consequencia disso, tanto conteúdo estrangeiro quanto plataformas externas são frequentemente alvo de bloqueio para manter um controle sobre o que é consumido pela população.

 

Crimeia

A península tem acesso restrito ao serviço devido aos conflitos e consequentes sanções internacionais.

 

Coreia do Norte

Em lugares como a Coreia do Norte, o isolamento político afeta drasticamente o acesso à informação externa. O governo norte-coreano exerce um controle extremo sobre todos os aspectos da vida dos cidadãos, incluindo sua exposição à mídia mundial. Portanto, serviços como a Netflix estão diretamente proibidos por representarem uma possível “ameaça” ao regime vigente por introduzirem ideias e culturas estrangeiras.

 

Rússia

O ambiente digital russo opera sob rígidas leis de controle de internet. E isso interfere diretamente na disponibilidade dos serviços de streaming. A proibição da **Netflix na Rússia**, especificamente, está enraizada tanto em razões históricas quanto políticas, especialmente pelo fato de ser uma empresa norte-americana

 

Síria

Quanto à Síria, o país tem enfrentado uma intensa crise humanitária causada pela guerra civil que perdura há anos. É possível que a proibição da Netflix seja menos uma questão de política cultural consciente e mais um reflexo das prioridades governamentais voltadas para outros aspectos da segurança nacional e controle interno.

 

Leia também: Estes são os países onde a Coca-Cola é proibida

Estes são os países onde o consumo de bebida alcoólica é proibido (e até crime)

Ao pensar em viajar pelo mundo, é essencial conhecer as leis locais para evitar surpresas desagradáveis. Uma área que frequentemente surpreende turistas é a legislação sobre consumo alcoólico. Antes de viajar, descubra os países que você deve ter atenção redobrada ao brindar. Continue lendo e fique informado!

O consumo de bebidas alcoólicas é uma prática cultural e social em muitas partes do mundo. Contudo, existem países que impõem restrições severas ou até mesmo proíbem completamente seu consumo sob diferentes justificativas, sejam elas religiosas, sociais ou de saúde pública. Conheça agora alguns desses países onde um simples brinde pode resultar em penalidades sérias.

 

Bangladesh: restrições religiosas no Sul da Ásia

Em Bangladesh, a maioria muçulmana segue estritamente as normas do Islã, que proíbe o consumo de álcool. Os não-muçulmanos podem obter licenças para consumir bebidas alcoólicas, mas fazê-lo publicamente não é apenas malvisto, mas também ilegal.

 

Brunei: rigidez e punições severas

O pequeno sultanato de Brunei, na Ilha de Bornéu, impõe a lei Sharia desde 2014 com rigor extremo. Turistas podem levar quantidade limitada de álcool para consumo privado. Contudo, vendê-lo ou consumi-lo publicamente pode levar a punições severas.

 

Emirados Árabes Unidos: tolerância controlada para estrangeiros

Embora os Emirados Árabes tenham políticas mais liberais em comparação a outros países muçulmanos e permitam o consumo de álcool em locais privados, como hotéis e clubes, beber em público ou dirigir após consumir qualquer quantidade de álcool é estritamente proibido. A Nação dos Emirados Árabes Unidos é constituída por sete regiões administrativas, sendo: Dubai, Abu Dabi, Ajmã, Fujeira, Xarja, Ra’s Al-Khaimah e Umm Al Qaywayn.

 

Índia: diversidade e restrições regionais

A Índia apresenta uma tapeçaria diversa de normas sobre álcool. Enquanto algumas regiões permitem o seu consumo, outras, como Gujarat e algumas ilhas Lakshadweep, têm políticas de proibição total.

 

Irã: proibição por lei religiosa

No Irã, a proibição do álcool é absoluta desde a Revolução Islâmica de 1979. Apenas minorias religiosas não-muçulmanas estão legalmente autorizadas ao consumo privado dentro das suas comunidades.

Catar: restrições visando respeito à cultura local

No Catar, embora seja possível encontrar álcool em áreas designadas como bares de hotéis internacionais, sendo turista ou residente estrangeiro, o consumo público é proscrito e considerado ofensivo à cultura local.

Alguns desses lugares impõem penalidades como multas pesadas ou mesmo prisão para quem descumprir a legislação sobre o uso do álcool.

 

 

Visitar outros países exige compreensão e respeito pelas suas culturas e leis. É crucial ficar atento às regulamentações específicas sobre substâncias legalmente controladas, como o álcool, para garantir uma experiência sem contratempos. Antes da sua próxima viagem internacional, pesquise bem e esteja preparado!

 

Leia também: Estes são os países onde a Coca-Cola é proibida

10 países onde brasileiros podem estudar e trabalhar legalmente

Em um mundo cada vez mais conectado e globalizado, a busca por experiências internacionais tem se tornado uma prioridade para muitos brasileiros em busca de crescimento pessoal e profissional.

Felizmente, diversos países ao redor do globo oferecem programas que permitem que estudantes brasileiros possam não apenas aprimorar seus conhecimentos acadêmicos, mas também trabalhar legalmente durante sua estadia.

Essa combinação única de educação e oportunidades de emprego não apenas enriquece a vida dos indivíduos, mas também contribui para uma compreensão mais ampla e inclusiva entre culturas.

Abaixo, exploraremos alguns desses destinos que abrem suas portas para os brasileiros em busca de novas perspectivas e desafios!

1. Argentina

Começando pela América do Sul, temos a Argentina, nosso país vizinho que através de um acordo com o Brasil proporciona um visto especial para que os estudantes brasileiros estudem e trabalhem.

Para trabalhar no país os estudantes brasileiros devem solicitar o Código Único de Identificação do Trabalho (CUIL), um documento especial que pode ser retirado através da apresentação do RG ou passaporte e visto de estudante.

2. Chile

O Chile apenas permite trabalho voluntário ou estágio não remunerado em multinacional e em órgãos do Governo para estudantes universitários e pós-graduados e que tenham bom nível de espanhol.

3. Estados Unidos

A permissão de trabalho nos Estados Unidos vai depender do seu visto de estudante.

Com o visto F-1 adquirido através de programas de estudos promovidos por Universidades ou pelo governo americano, o estudante pode fazer um estágio prático durante ou após o término do programa, desde que seja em sua área.

Dependendo do caso, é permitido que intercambistas com vistos F-1 e J-1 trabalhem no próprio campus (em livrarias e cafés ou como assistentes acadêmicos) por no máximo 20 horas semanais durante o período de aulas e até 40 horas durante as férias.

Já os estudantes com visto M-1 não podem trabalhar durante o curso. No entanto podem trabalhar em sua área após o término do curso por 6 meses, sendo considerado um treinamento prático.

4. Canadá

Os brasileiros devem retirar o visto de estudante canadense se pretendem estudar ou trabalhar no país.

No entanto apenas intercambistas que estejam matriculados em universidades e cursos técnicos podem trabalhar no país, tendo que ter fluência em inglês ou francês, dependendo da cidade onde vá estudar.

É permitido que os estudantes trabalhem até 20 horas semanais durante o período de aulas e 40 horas nas férias.

5. Alemanha

Para tirar visto de estudante para cursos de mais três meses, é necessário iniciar o pedido no consulado alemão no Brasil e receber o visto na hora do desembarque na Alemanha.

Com esse visto o intercambista pode trabalhar por até 20 horas semanais. Estudantes brasileiros ainda podem solicitar um visto de estágio que pode durar por até 90 dias.

Não há limites de horas de trabalho caso o emprego seja como pesquisador ou professor assistente. Alunos de cursos de idiomas podem trabalhar somente durante as férias.

6. Espanha

Para trabalhar na Espanha, os estudantes devem ter o visto de estudante com duração mínima de 6 meses, apresentar o contrato enviado pela empresa autorizado pelo Ministério do Trabalho da Espanha, atestado médico e de antecedentes criminais.

É permitido que os intercambistas trabalhem por até 20 horas semanais.

No entanto o governo apenas autoriza trabalhos que tenham relação com os estudos e o estudante não deve depender apenas do salário para se sustentar no país.

7. França

Para trabalhar na França os estudantes devem retirar o visto e trabalho, sendo necessário a apresentação do contrato de trabalho e outros documentos.

É permitido que os intercambistas trabalhem por até 20 horas semanais no período de aulas e 40 horas durante as férias, desde que não ultrapasse o máximo de horas permitido durante o ano.

O estudante pode ter um emprego tanto no Campus como fora dele. No entanto para isso é necessário um cartão de residência e que estejam estudando em uma instituição de ensino que ofereça acesso à previdência social.

8. Irlanda

Na Irlanda é dada a permissão de trabalho a estudantes que adquiram um curso de no mínimo 25 semanas e 15 horas semanais.

Não somente estudantes de graduação, mas os matriculados em cursos de idiomas também podem trabalhar, desde que seja reconhecido pelo governo. Os intercambistas podem trabalhar 20 horas semanais durante o período de aulas e 40 horas durante as férias.

Se o curso for de seis meses, o estudante ganha direito a permanecer um ano no país e conseguir um emprego remunerado.

9. Itália

Estudantes matriculados em cursos de línguas de curta duração podem participar de programas de estágio não remunerado, conhecidos como INTERSHIP. Esses programas geralmente são oferecidos por cursos matutinos, sendo que o estágio é realizado à tarde. O programa dura cerca de 2 a 3 meses no máximo.

Já os intercambistas com visto de estudante, matriculados em cursos de no mínimo seis meses podem trabalhar até 20 horas semanais durante período de aulas e 40 horas nas férias.

Para isso é preciso pedir autorização ao governo italiano mediante a apresentação de carta do empregador. Porém esse processo costuma demorar, devido à burocracia.

10. África do Sul

Intercambistas que possuam o visto de estudante podem trabalhar por até 20 horas semanais na África do Sul. No entanto há menos ofertas de empregos que em outros países e os salários costumam ser baixos, valendo apenas como uma experiência para aperfeiçoar o inglês.

 

*Com informações portal Guia Viajar

Veja também:

 

Países na Europa super econômicos para fugir do tradicional

Viajar pela Europa muitas vezes é associado a destinos caros e badalados, mas há opções surpreendentemente econômicas que garantem uma experiência única.

Para começar, é importante ressaltar que, ao contrário do que muitos pensam, não é necessário visto para visitar qualquer país europeu, apenas o passaporte é suficiente!

Ao embarcar em uma jornada pelo Velho Continente, é possível ir além dos destinos tradicionais, descobrindo lugares que oferecem não apenas riquezas culturais, mas também oportunidades econômicas para viajantes que buscam experiências autênticas.

Nós fomos pesquisar e descobrimos dois países que vão ser perfeitos para você. Confira!

Países na Europa super econômicos para fugir do tradicional

 

1° República Tcheca – Praga

Países na Europa super econômicos para fugir do tradicional

Foto: Memorial Turismo

Praga, na República Tcheca, é um destino que conquista corações com sua arquitetura única e encantadoras construções.

Além disso, se você tem a sorte de visitar durante o inverno, a neve adiciona um toque mágico à sua experiência. Surpreendentemente acessível, é possível encontrar hospedagem bem avaliada por menos de R$40,00. Delicie-se com refeições econômicas, em média, por R$25,00.

Uma sugestão interessante é estender a viagem para Budapeste, na Hungria, que está a apenas 5 horas de Praga. Optar por ônibus, pela Flixbus, por exemplo, pode custar menos de R$110,00.

 

2° Budapeste na Hungria

Países na Europa super econômicos para fugir do tradicional

Foto: Hoteis.com

Budapeste, na Hungria, é um destino que desperta paixões, não apenas pela sua rica cultura, mas também pela vibrante vida noturna, considerada uma das melhores da Europa.

A surpresa continua no quesito econômico, com opções de hospedagem em hostels bem avaliados por menos de R$40,00 por noite. Explore a culinária local sem comprometer o orçamento, desfrutando de refeições econômicas por cerca de R$25,00.

Ao optar por destinos menos convencionais, como Praga e Budapeste, você não apenas economiza, mas também se permite explorar verdadeiramente a essência e autenticidade de cada lugar.

Aproveite o melhor da Europa sem comprometer suas finanças, criando memórias inesquecíveis em destinos menos explorados.

 

Veja também:

 

Conheça os 3 países mais baratos para brasileiros e que valem a visita em 2024

O ano de 2024 ainda promete muitas oportunidades para os amantes de viagens, especialmente para aqueles que buscam destinos internacionais, sem comprometer o orçamento. Então, nós fomos atrás e descobrimos três países mais baratos para brasileiros e que valem a visita!

São lugares que proporcionam aventuras inesquecíveis e são gentis com o bolso dos brasileiros.

Conheça os encantos acessíveis da Argentina, Colômbia e Chile:

Argentina: tango, gastronomia e paisagens deslumbrantes

Conheça os 3 países mais baratos para brasileiros e que valem a visita em 2024

Foto: Visit Argentina

A Argentina, terra do tango e dos pampas, figura como um dos destinos mais acessíveis para brasileiros em 2024.

Com a desvalorização do peso argentino em relação ao real, viajar para esse país tornou-se uma opção ainda mais atraente. Buenos Aires, a capital, cativa com sua arquitetura europeia, ruas vibrantes e uma cena gastronômica única.

As regiões vinícolas de Mendoza oferecem paisagens deslumbrantes, enquanto a Patagônia surpreende com seus glaciares imponentes.

Com uma ampla variedade de atrações, a Argentina é um convite ao encontro de experiências ricas sem comprometer o orçamento do viajante.

 

Colômbia: diversidade cultural e natureza exuberante

Conheça os 3 países mais baratos para brasileiros e que valem a visita em 2024

Foto: Hoteis.com

A Colômbia, país que tem conquistado cada vez mais espaço no coração dos turistas, é outra escolha sensata para quem busca destinos econômicos em 2024.

Com a recente estabilização econômica, a Colômbia oferece uma gama de opções para explorar, desde as praias caribenhas de San Andrés até as ruas históricas de Cartagena. A diversidade cultural é evidente nas cidades, refletindo-se na música, dança e culinária.

A cidade de Medellín, por exemplo, conhecida como a Cidade da Eterna Primavera, apresenta uma atmosfera agradável e inúmeras atrações a preços acessíveis.

Além disso, Cartagena e San Andres são um paraíso para os amantes da natureza, com paisagens que variam de praias paradisíacas a selvas exuberantes. Imperdível para 2024, não acha?.

 

Chile: do Deserto do Atacama à Patagônia Chilena

Foto: Nós no Chile

O Chile, com sua geografia diversificada que abrange o deserto mais árido do mundo, o Deserto do Atacama, até as majestosas paisagens da Patagônia Chilena, surge como outro destino extraordinário e acessível.

Santiago, a capital, oferece uma mistura de modernidade e tradição, enquanto o Valle Nevado atrai os amantes de esportes de inverno. A rota dos vinhos no Vale Central proporciona experiências enológicas inesquecíveis.

O Chile também se destaca pela segurança e facilidade de locomoção, tornando-o uma escolha prática e atraente para os turistas brasileiros.

Com uma moeda estável, o peso chileno, e uma variedade de atrações a custos acessíveis, o Chile figura como um destino que realmente vale a pena explorar em 2024.

O país é composto por muita cultura e singularidades, e essas características o tornam um destino extremamente atrativo e interessante.

A Argentina, Colômbia e Chile emergem como destinos acessíveis para os brasileiros em 2024, oferecendo não apenas riquezas culturais e naturais, mas também uma experiência enriquecedora que se alinha a orçamentos conscientes.

Ao optar por destinos que proporcionam uma excelente relação custo-benefício, os viajantes têm a oportunidade de explorar o melhor que esses países têm a oferecer sem comprometer suas finanças.

Conheça os maiores países do planeta

Se a vontade de viajar bateu, mas você está indeciso sobre qual destino internacional escolher, está no lugar certo. Vamos explorar juntos os maiores países do mundo, cada um com suas peculiaridades e atrações únicas.

De paisagens exuberantes a monumentos históricos, esses destinos oferecem uma variedade de experiências para todos os gostos.

Prepare-se para uma jornada virtual pelos gigantes do planeta e descubra o que os torna tão especiais.

Seja você um amante da natureza, um entusiasta da cultura ou um aventureiro em busca de adrenalina, há algo para todos nos maiores países da Terra.

 

Confira os 10 maiores países do planeta:

 

1. Rússia – O Gigante Multifacetado

Conheça os maiores países do planeta

Foto: VEJA

A Rússia, o maior país do mundo, estende-se por mais de 17 milhões de km², abrigando uma população diversificada de 144 milhões.

Com 11 fusos horários, o país oferece desde a imponente Praça Vermelha, em Moscou, até as vastas paisagens siberianas. Explore o Kremlin, o Teatro Bolshoi e a Grande Muralha russa.

 

2. Canadá – Natureza Imponente e Cultura Vibrante

Conheça os maiores países do planeta

Foto: EF Brasil

O Canadá, segundo maior em território, com 10 milhões de km², encanta com suas Cataratas do Niágara, a CN Tower e paisagens montanhosas.

Com uma população de 38 milhões, o país é um paraíso natural, com vastas áreas selvagens e a cosmopolita Toronto.

 

3. China – Tradição Milenar e Modernidade

Conheça os maiores países do planeta

Foto: Exame

A China, terceira colocada em extensão, possui uma rica história e mais de 1,4 bilhão de habitantes. Descubra a Grande Muralha, o Exército de Terracota, as Montanhas Amarelas e o Templo do Céu, proporcionando uma experiência única.

 

4. Estados Unidos – Diversidade em Todos os Sentidos

Conheça os maiores países do planeta

Foto: Conexão123

Com quase 9,4 milhões de km², os Estados Unidos são o quarto maior país. Dos parques da Disney a Chicago, São Francisco e Nova York, o país oferece uma variedade de destinos para todos os gostos.

 

5. Brasil – O Gigante Sul-Americano

Conheça os maiores países do planeta

Foto: Shutterstock

O Brasil, quinto maior país, encanta com uma área de 8,51 milhões de km². Das Cataratas do Iguaçu ao Cristo Redentor, o país oferece uma diversidade única, incluindo metrópoles pulsantes e reservas naturais deslumbrantes.

 

6. Austrália – Fauna Exótica e Paisagens Deslumbrantes

Conheça os maiores países do planeta

Foto: Brasil Escola

A Austrália, sexta no ranking, é o maior país da Oceania, com 7,7 milhões de km². Conheça a vida selvagem única, explore Melbourne, Sydney e a Gold Coast, e maravilhe-se com a Grande Barreira de Coral.

 

7. Índia – Espiritualidade e Cultura Magnífica

Conheça os maiores países do planeta

Foto: Melhores Momentos da Vida

A Índia, sétima em extensão, abrange 3,2 milhões de km² e mais de 1,38 bilhão de habitantes. Desde o Taj Mahal até o Himalaia, a Índia oferece uma experiência espiritual única e paisagens deslumbrantes.

 

8. Argentina – Beleza Natural e Cultura Rica

Conheça os maiores países do planeta

Foto: Melhores Destinos

A Argentina, oitava colocada, possui mais de 2,78 milhões de km². Desde a Patagônia até Buenos Aires, o país oferece opções incríveis, incluindo vinícolas em Mendoza e a charmosa Bariloche.

 

9. Cazaquistão – Natureza Intocada e Hospitalidade

Conheça os maiores países do planeta

Foto: Mundo Educação

O Cazaquistão, nono no ranking, com 2,72 milhões de km², é um convite à natureza exuberante. Explore montanhas majestosas, lagos deslumbrantes e as singulares “dunas cantantes” do Parque Nacional Altyn Emel.

 

10. Argélia – Aventura no Norte da África

Conheça os maiores países do planeta

Foto: Cidades em fotos

A Argélia, agora o décimo maior país após mudanças territoriais, com 2,38 milhões de km², oferece aventura e paisagens únicas. Descubra a Cordilheira do Atlas, o Deserto do Saara e muito mais.

 

Leia Também

Divisa de Goiás e Tocantins guarda uma prainha pouco conhecida que parece um oásis no Cerrado

Você precisa conhecer essa praia paradisíaca que fica bem pertinho de Goiás

Menor rio da América Latina fica pertinho de Goiás e impressiona com águas azuis cristalinas

Você precisa conhecer a cidade goiana famosa por ser a capital das cachoeiras

5 lugares imperdíveis para conhecer em Goiânia, segundo a IA

As 10 cidades mais visitadas do mundo em 2023

 

Embarque nessa jornada pelos maiores países do mundo e descubra as maravilhas que cada um reserva para os viajantes intrépidos.

Esses destinos, com suas características distintas, prometem experiências memoráveis para aqueles dispostos a explorar o que o mundo tem de melhor.

Goiânia recebe Feira Internacional de Artesanato e Decoração com entrada gratuita

Quem deseja comprar itens de decoração e artesanato diferentes e originários de outros países, nem vai precisar sair de Goiânia para isso!

É a Feira Internacional de Artesanato e Decoração Nações & Artes que chega na capital goiana com edição especial no Passeio das Águas Shopping. O evento segue até o dia 4 de maio, trazendo uma mescla de produtos artesanais locais e peças exclusivas de vários países como Marrocos, Grécia, Egito, USA e entre outros.

A exposição vai funcionar de segunda à sábado das 10h às 22h, e aos domingos e feriados, das 12h às 20h. Além disso, os consumidores poderão adquirir variados itens e colecionar lembranças de diferentes partes do mundo, a partir de R$15. Segundo Juliano Michel, organizador da feira, “É uma oportunidade imperdível de conhecer os costumes e culturas de países, sem sair da cidade’’.

Na edição de Goiânia contará com a presença de estrangeiros, vindos de países distantes, para fazer um verdadeiro intercâmbio cultural com quem for visitar a feira. Como é o caso do Amandy que vem do Senegal direto para o Passeio das Águas Shopping, em Goiânia. “Receber esse tipo de evento é proporcionar aos nossos clientes uma experiência imersiva em outras culturas”, ressalta Rayan Raison, gerente de marketing do shopping.

Cada estande é ambientado com itens da região de origem e expõe produtos diversos, como tapeçaria, artesanato, vestuário, produtos para casa, acessórios, joias, tecidos, artigos de decoração, bijuterias e obras de arte. A feira já passou por mais de 60 cidades brasileiras e, agora, chega a Goiânia para difundir a cultura das nações. “Acreditamos que podemos alegrar os moradores da cidade com a nossa arte e ajudar na economia local”, completa Juliano Michei.

 exposicao

 

SERVIÇO:

Feira Internacional de Artesanato e Decorações – Nações & Artes

Onde: Passeio das Águas Shopping

Período: até 4 de maio de 2023

Horário de funcionamento: segunda-feira a sábado, entre 10h e 22h, e aos domingos e feriados, das 12h às 20h.

Entrada franca

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

5 destinos incríveis fora do Brasil que não exigem Passaporte

As férias finalmente já chegaram! E para aproveitar o descanso e a folga, nada melhor do que planejar aquela viagem dos sonhos. Mas para quem pretende viajar e não tem muita paciência para muitas burocracias, como ficar na fila de espera para a chegada do passaporte, essa dica é pra você!

Abaixo listamos 5 países incríveis para você conhecer e que não exigem passaporte. Confira:

 

Argentina

buenos

Argentina é o lugar ideal para quem gosta de degustar bons vinhos e comer carne de qualidade. O país também é o destino preferido de muitos brasileiros que querem curtir neve no inverno. Um aspecto marcante da cultura argentina é a leitura, de acordo com um relatório do Fórum Cultural das Cidades Mundiais de 2015, a capital argentina possui mais livrarias per capita do que qualquer outra capital do mundo.

 

 

Equador

equador

Embora seja um país menor, o Equador oferece muito. Desde as vistas da montanha dos Andes, uma culinária diversificada impressionante, e, claro, as famosas Ilhas Galápagos. A maior parte do Equador fica no hemisfério sul, ou seja, ao sul da linha do equador. A sua localização significa que tem um clima tropical.

 

 

Peru

peru

Quer saber o que fazer no Peru, muito além das ruínas incas? O país é repleto de destinos com paisagens de tirar o fôlego, histórias milenares, culturas tradicionais e excelente gastronomia.

 

Colômbia

cartagena

A Colômbia é plural: tem regiões amazônica, caribenha e cafeeira, além de uma capital cosmopolita. Bogotá é uma cidade cultural, repleta de grafite e com atrações interessantíssimas, como o Museu do Ouro. Na região cafeeira, o turista pode fazer roteiros por fazendas onde a colheita é feita de forma manual e estão os mais premiados cafés.

 

 

Uruguai

uru

O Uruguai faz divisa com o estado brasileiro do Rio Grande do Sul. Então, você pode fazer a viagem em um feriado prolongado ou em pequenas férias. Além da facilidade de locomoção, os famosos balneários e noites badaladas do Uruguai despertam o interesse de turistas do mundo todo, seja pela busca em conhecimentos culturais ou diversão.

 

 

*Fonte: Cultura UOL

*Fotos: Melhores Destinos

Canadá reabre fronteira para brasileiros vacinados; confira outros destinos que retomam turismo internacional

Com o avanço da vacinação no Brasil, alguns países começam a aceitar a visita de brasileiros que já estão amplamente imunizados contra o coronavírus. A lista ainda é pequena, mas ao menos cinco países da Europa aceitaram reabrir seu turismo internacional e receberão visitantes vacinados ou que apresentarem testes negativos do vírus.

 

Após a Suíça anunciar a reabertura para o turismo em Junho, o Canadá é o mais novo país que entrou para a lista e reabrirá suas fronteiras para o Brasil a partir do mês de setembro. Alguns países na América Central e do Sul também já estão abertos, todos com restrições.

 

Confira abaixo a lista de países que aceitarão a visita de Brasileiros e suas exigências:

 

Canadá

O país reabre para brasileiros totalmente vacinados com imunizantes da AstraZeneca, Pfizer, Janssen e Moderna, exceto a Coronavac. A medida vale a partir de 7 de setembro. 

França

A França está aberta para brasileiros vacinados por imunizantes aprovados pela Agência Europeia de Medicamentos como Pfizer, Moderna, AstraZeneca e Janssen. 

Suíça

Brasileiros só podem entrar no país com a apresentação de um comprovante de vacinação.. São aceitos os imunizantes dos fabricantes Pfizer/BioNTech, Moderna, Janssen, AstraZeneca, Sinovac (Coronavac), Sinopharm e Serum Institute of India.

Croácia

As exigências da imigração croata são o exame PCR negativo feito nas últimas 48 horas antes da chegada e uma quarentena de 14 dias. Há multas para quem descumprir o isolamento.

Eslováquia

O país também anunciou a abertura de suas fronteiras para turistas de todo o mundo que já estão imunizados. É necessário apresentar o comprovante de vacinação na entrada. 

Irlanda

Os brasileiros que desejam visitar a Irlanda devem apresentar um comprovante negativo de teste PCR feito até 72 horas antes e realizar uma quarentena de 14 dias. Também há multas para quem descumprir a medida.

México

O México tem entrada livre para os brasileiros. Não é preciso vacina, nem mesmo teste PCR.

Paraguai

Desde o início do mês, brasileiros devem cumprir quarentena de sete dias ao entrar no Paraguai devido à variante Delta do novo coronavírus. Em todos os casos, é exigida a apresentação de um teste negativo para ingressar no país. 

Panamá
Todos os brasileiros devem apresentar teste negativo PCR realizado antes do voo e fazer um novo exame assim que chegar o país. Mesmo se o resultado do segundo teste for negativo, ainda é obrigatório cumprir quarentena de 3 dias.

Costa Rica
Já na Costa Rica, o resultado negativo do PCR não é exigido, mas os brasileiros precisam contratar um seguro de viagem obrigatório.

 

Foto: Reprodução/STB

Veja também: Goiás recebe 432.840 doses de vacina contra Covid-19 em 5 dias

Coronavac, Astrazeneca, Pfizer e Janssen: Entenda as diferenças entre as vacinas contra Covid-19 disponíveis no Brasil

Brasileiro que realizou o incrível recorde de rodar o mundo em menor tempo, planeja nova aventura

Em 2018, aos 25 anos, Anderson Dias saiu de Recife (PE) e visitou todos os 196 países do mundo reconhecidos pela ONU em 543 dias, ou, mais precisamente, em um ano e 178 dias, sendo o humano a realizar o feito mais rápido. Ele superou o recorde da norte-americana Taylor Demonbreun, que completou a mesma viagem em 554 dias no mesmo ano.

Durante esta primeira viagem, ele dormiu nas ruas de Barcelona, curtiu uma festa com Neymar e outros jogadores famosos em Paris, atravessou a pé e sozinho a fronteira do Afeganistão, quase foi preso na Líbia e ainda foi deportado da República do Congo.

Tantos perrengues, aventuras e lugares incríveis puderam ser acompanhados em tempo real por seus seguidores no perfil do Instagram @196sonhos. Agora, um ano e cinco meses depois que foi ovacionado por familiares e fãs na porta do desembarque do aeroporto do Recife com o recorde quebrado, Anderson partiu para uma segunda aventura ao redor do mundo.

Desta vez, a proposta é diferente. A viagem começou no fim de maio na Costa Rica, cujas fronteiras estão abertas para brasileiros, e de lá foi para Nova York tomar a vacina contra a Covid-19.

 “Será uma viagem sem pressa, sem muitos planos. A gente espera que em até cinco anos termine todos os países”, afirma Anderson à CNN, que viaja acompanhado do colega Lucas Costa, que também já deu uma volta ao mundo.

Nascido em Salvador (BA), mas radicado em Caruaru (PE), o pernambucano de coração tem origem humilde e chegou a vender capinhas nos ônibus de Recife para juntar dinheiro. A empreitada deu certo, fez um intercâmbio para a Europa por seis meses e voltou para o Brasil, onde fundou sua própria empresa.

Sua vontade de ser uma espécie de desbravador, dando a cara a tapa, como ele mesmo gosta de explicar, veio desde muito cedo. Até que, em 2018, já não estava mais satisfeito com a mesmice e decidiu se arriscar.

Com a mala pronta, dinheiro e celular nas mãos, ele saiu do Brasil em maio daquele ano para dar início a aventura que mudaria sua vida. Primeiramente, Anderson foi de país em país pela América do Sul, passando por todos os continentes até chegar na África. Antes de pisar novamente em terras brasileiras, em 24 de novembro de 2019, seu último destino foi Cabo Verde, arquipélago vulcânico no noroeste africano.

Ele saiu e voltou ao Brasil carregando uma mochila de costas, que deixou o país com cerca de 12 kg e retornou com 8 kg. “Voltei mais leve porque fui deixando coisas no caminho. Quando você faz uma viagem dessas não pode se apegar e não pode trazer presentinho, tem que pensar nas suas costas”, brinca.

O dinheiro para viajar pelo mundo veio da venda de sua empresa e de seu carro, mas, ao percorrer tantos países em pouco tempo, o financeiro foi apertando. Foi aí que ele passou a monetizar seu perfil no Instagram e a se sustentar como um influenciador digital novato.

O objetivo da viagem era conhecer o maior número de países no menor tempo possível, o que, aparentemente, necessita de um bom planejamento. Mas não no caso de Anderson: o planejamento para a viagem de 543 dias não durou mais do que três semanas. A vontade de sair pelo mundo era tanta que a execução era o fator mais importante.

Países traçados e hotéis reservados? Nada disso. Ele contou à CNN que decidia qual o próximo país no guichê das empresas e que, na maioria das localizações, ficou hospedado em hostels ou Airbnb, mais em conta e que possibilitam trocas de experiências com outros indivíduos.

Provando que é possível dar a volta ao mundo duas vezes em uma mesma vida, a nova viagem de Anderson terá outro propósito: o objetivo é conhecer mais a fundo a cultura local e mergulhar naquilo que cada país tem a oferecer.

O nordestino deu o pontapé inicial no fim de maio na Costa Rica. Por lá, ele e o colega Lucas Costa já passaram cinco horas caminhando para chegar na boca do vulcão ativo Rincón de la Vieja, enfrentaram chuva ácida e caminharam lado a lado das nuvens. 

Após a quarentena na capital San José, eles seguiram para Nova York, onde, além de visitar novos locais, Anderson tomou a vacina contra a Covid-19, tudo relatado em suas redes sociais e no canal do YouTube Bold Souls.

Após Nova York, o plano é voltar para o Brasil e então partir para a Ucrânia. Com tantos lugares para serem visitados e os aprendizados da primeira viagem.

Com tamanha experiência, Anderson compartilha algumas dicas para quem deseja repetir esse tipo de viagem, que engloba conhecer muitos países de uma só vez, muitos deles longínquos e até aparentemente inóspitos.

Uma das artimanhas de Anderson para driblar as barreiras linguísticas nas viagens baseia-se num gesto universalmente conhecido: o sorriso.

“Quando você sorri, quando você faz mímica, quando você quer se conectar com as pessoas, você se conecta. Aprendi a falar inglês, francês, espanhol e russo quando estava viajando. Sai sem falar nada de nada e voltei assim”, relembra. Se depender de Anderson, veremos ainda muitos sorrisos pelas suas andanças ao redor do mundo.

Imagem de capa: Reproduzida da Internet | Créditos: CNN

 

Você também vai gostar de ler 

Porque enormes teias de aranhas estão dominando paisagens na Austrália 

Conheça a ciclovia que liga Manhattan ao Canadá 

Conheça as 10 estradas mais lindas do mundo de acordo com o Instagram   

Animal microscópico volta à vida depois de quase 25 mil anos congelado 
Conheça o circuito de passarelas que conecta sequoias gigantes na Califórnia

Cantora faz tour onde tocará em todos os países do mundo

É muito comum grandes bandas anunciarem que farão um tour por todo o mundo mas que, na verdade, só passará pelos países principais ou mais ricos. Joss Stone, cantora inglesa, resolveu então fazer uma world tour verdadeira. 

A cantora começou há 5 anos o projeto “Total World” onde pretendia tocar em todos os 195 países do globo. 

De grandes estádios a pequenos pubs, de Barcelona ao Nepal… Joss Stone tem percorrido o mundo para completar sua tour. 

Até na fechadíssima Coréia do Norte a inglesa já tocou. 

Cantora se apresentou para grupo de turistas em Pyongyang Foto: Simon Cockerell / Koryo Tours / Instagram / Reprodução / CP

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Joss Stone (@jossstone) em 11 de Mar, 2019 às 9:26 PDT

 

 

Joss recentemente não conseguiu tocar no Irã. O país proíbe que mulheres cantem em público e a cantora foi barrada no aeroporto.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Joss Stone (@jossstone) em 3 de Jul, 2019 às 4:50 PDT

 

 

Apesar do que aconteceu no Irã e nos diversos locais onde já tentaram proibi-la de tocar, Joss Stone já consegiu se apresentar em 175 países e está cada dia mais próxima da sua meta.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Joss Stone (@jossstone) em 28 de Nov, 2016 às 8:07 PST

Trinidad e Tobago

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Joss Stone (@jossstone) em 4 de Mai, 2016 às 4:44 PDT

 

China

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Joss Stone (@jossstone) em 5 de Mar, 2016 às 5:04 PST

 

Nepal

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Joss Stone (@jossstone) em 16 de Fev, 2016 às 8:14 PST

 

Acompanhe a saga de Joss Stone pelo seu Instagram @jossstone

 

Siga Curta Mais nas redes sociais:

Curta Mais no Facebook

Curta Mais no Instagram

Curta Mais no Twitter

15 filmes da Netflix que muita gente não quer que você veja

Quando dizem que o proibido é mais gostoso, ninguem estava se referindo a esta lista, já que muitos dos nomes aqui citados foram proibidos em países por motivos bem banais, confira.

  1. Rambo IV

Produzido e estrelado por Sylvester Stallone, foi censurado em Myanmar,pois o governo militar do país (em vigor na época) não gostou da forma como os soldados birmaneses foram retratados no filme. Entretanto, os grupos que lutavam pela democracia o consideraram o oposto e distribuíram cópias do filme ilegalmente pelo país.

  1. Lara Croft: Tomb Raider

O filme que lançou Angelina Jolie foi proibido na China por retratar o governo do país como patrocinador de sociedades secretas e desorganizado.

  1. A Lista de Schindler

Dirigido por Steven Spielberg, é um dos filmes mais emblemáticos que retratam o período da Segunda Guerra Mundial, apesar de a grande maioria dos países o terem considerado aceitável para ser distribuído, o governo da Indonésia não concordou e proibiu a divulgação alegando que o longo fazia alusão as causas judaicas.

  1. O Código da Vinci

Já não bastasse a proibição do livro pela Igreja Católica, o filme também não foi bem aceito pelo governo das Ilhas Salomão por deturpar e enfraquecer as bases cristãs do país.

  1. Assassinos por natureza

O governo irlandês proibiu o longa alegando que o mesmo faz apologia e incentiva a violência. Para ser lançado nos Estados Unidos o filme teve que retirar ou refazer várias cenas.

  1. Pagando bem, que mal tem?

Apesar de as comédias não causarem tantos transtornos, esta sofreu muito até poder ser exibida, já que o governo americano proibiu as cartas, que fazia menção a sexo oral e o nome do filme, que inicialmente era “Zack and Miri Make a Porno”, além dos Estado Undios, o governo tailandês alegou que filme incentivaria jovens a seguirem a carreira de atores pornôs.

  1. A morte do Demônio

Apesar do enredo parecer clichê para o gênero terror, o filme foi proibido em países como a Alemanha, Finlândia, Irlanda e Islândia, pois em uma das cenas uma jovem é violentada por um cipó, o que levou a mesma a ser considerada misógina e de bastante mal gosto.

  1. O massacre da serra elétrica

Os rumores de que o filme foi baseado em fatos reais ajudou bastante na hora de seu lançamento, entretanto, um assassino que usa a pele de suas vítimas como máscara foi considerado perturbador por vários países como: Alemanha, Islândia, França, Reino Unido e Singapura, que acabaram por proibir o longa.

  1. De volta para o futuro

Sem dúvida nenhuma você vai rir do motivo que o governo chinês deu para não exibir uma das trilogias mais icônicas do cinema, o governo simplesmente fez uma lei que proibi a divulgação de qualquer conteúdo que tenha como foco viagens no tempo, sério?! Confira: China bane filmes e shows alegando desreipeito a história.

  1. Pulp Fiction

Se um dia for a Malásia não faça a famosa piadinha do cheeseburguer pois eles não iram entender. Porque uma das obras mais famosas de Quentin Tarantino foi proibida pelo governo de lá devido ao alto índice de violência e por retratar muitos vícios da humanidade.

  1. Blue Jasmin

O filme do renomado diretor Woody Allen foi proibido na Índia por apresentar consumo alto de cigarros.

  1. O Lobo de Wall Street

O filme que com certeza deveria ter dado a Leonardo DiCaprio o Oscar de melhor ator, foi banido do Quênia e de Uganda devido ao grande uso de palavrões, sexo e drogas em diversas cenas.

  1. Jogos Vorazes

Apesar de ser um grande sucesso mundial, a trilogia de livros que foram parar no cinema foram proibidos no Vietnã, devido as cenas de violência contra crianças.

  1. Shrek 2

Uma animação infantil foi proibida? Serio? Você deve estar perguntando, sim, Shrek 2 foi proibido pelo governo do Irã por fazer piadas com castração.

  1. O Albergue

É um dos filmes de terror que segue a linha Jogos Mortais, o longa foi banido na Islândia devido ao vilão, nada convencional, ser de origem irlandesa, o diretor fez questão de ressaltar esse fato o que gerou uma imagem negativa para a população do país. Após a proibição, o diretor do filme, Eli Roth, pediu desculpas em público ao povo da Islândia.

 

 

 

Os lugares mais baratos para fazer mochilão no exterior

Às vezes os preços salgados são os maiores impeditivos de uma viagem para fora do Brasil. Mas com um pouco de pequisa e critérios menos exigentes, é possível rechear o passaporte economizando bastante.

Confira abaixo as cidades mais baratas para se visitar, juntamente com os valores que incluem hospedagem, alimentação e transporte diários. Os valores excluem passagens aéreas.

1. Dempassar – Indonésia – R$ 28 por dia

787f3caed695fbbcaff64691828c2a87.JPG

 

2. Cairo – Egito – R$ 35 por dia

d6395a7071842dbc5bea8a3670c51184.jpg

 

3. Hanói – Vietnã – R$ 36 por dia

b5e41f6acbb97f1445775efcdaade020.jpg

 

4. Catmandu – Nepal – R$ 39 por dia

34b85c4460fe826c0464a854ff24edcf.jpg

 

5. Mendoza – Arentina – R$ 41 por dia

084f019fda55d1c5daa1fd84eb9796a6.jpg

 

6. Rangum – Myanmar – R$ 46 por dia

35d7c55f57a19231795d5bd25b17a2fc.jpg

 

7. Jaisalmer – Índia – R$ 46 por dia

2556f836b1b1956bbd9c8842d731a13c.jpg

 

8. Ho Chi Minh – Vietnã – R$ 50 por dia

bb90bcbff00bde644726e666865a112d.jpeg

 

9. Jaipur – Índia – R$ 50 por dia

630b6ee9562b2b79c271a9fc23e20d1b.jpg

 

10. Jacarta – Indonésia – R$ 51 por dia

e5811b165a5cce02aa26097549f3d353.jpg

 

11. Chennai – Índia – R$ 52 por dia

9647af5d4edc97cfe74f44fefae2e6cc.jpg

 

12. Medellín – Colombia – R$ 56 por dia

b08edd4cf167f2477c7c3687c57315af.jpg

 

13. Hangzhou – China – R$ 60 por dia

e125574a88aa0d444659defd0cd3b1f8.jpg

 

14. Bangalore – Índia – R$ 61 por dia

292b34244a132fe3a21452877b099a6b.jpg

 

15. Nanjing – China – R$ 63 por dia

661f44616e90a6e3dcba5bb6252c68bc.jpg