Os 10 cachorros mais atentados (e apaixonantes)

Cão companheiro, cão protetor, cão trabalhador. Cada raça carrega sua peculiaridade e personalidade. Para aqueles que buscam por um amigo canino expressivo e cheio de energia, apresento os 10 cachorros mais atentados e suas marcantes características. A diversidade entre eles atiça a curiosidade e impulsiona o desejo de saber mais sobre essas raças vibrantes.

 

1 – Jack Russell Terrier

Jack Russell Terrier

Imagem: Pixabay

Ágil e cheio de vigor, o Jack Russell Terrier é insaciável quando se trata de brincadeiras e passeios. Este pequeno mas poderoso amigo possui uma energia inesgotável que demanda atenção constante para jogos e atividades físicas.

 

2 – Border Collie

Border Collie

 

Known for its intelligence, o Border Collie é considerado um dos cães mais trabalhadores. Incansáveis em tarefas hereditárias como a guarda de rebanhos, eles também se sobressaem em esportes caninos devido à sua destreza e rapidez no aprendizado.

 

3 – Dálmata

Dálmata

Imagem: Pixabay

Com manchas distintas e um semblante nobre, Dálmatas não são apenas estrelas de cinema. Eles também são incrivelmente energéticos e adoram correr ao lado de seus humanos, provedores ideais do estímulo que tanto necessitam.

 

4 – Vira-lata Caramelo

Vira-lata Caramelo

Imagem: Pixabay

O Brasil, conhecido pelo futebol e carnaval, agora tem uma nova figura emblemática: o vira-lata caramelo. A afinidade dos brasileiros por este canino de pelagem tostada vai além de sua aparência; ela reflete algo mais profundo sobre a identidade nacional e o amor pela diversidade.

Os cães caramelo não pedem muito para ser felizes. Uma bola velha ou até mesmo um simples cafuné podem ser suficientes para que estabeleçam laços profundos com seus proprietários ou admiradores ocasionais. Eles ensinam sobre amor genuíno sem esperar nada em troca— a não ser talvez por algumas migalhas caídas acidentalmente no chão da cozinha.

Além disso, campanhas de adoção têm utilizado o termo “vira-lata caramelo” como bandeira para encorajar a aceitação dessa categoria canina às vezes subvalorizada. Isso impulsiona uma conscientização maior contra os preconceitos associados à linhagem mista dos animais.

 

5 – Boxer

Boxer

Imagem: Pixabay

Famosos pela aparência robusta e postura ativa, os Boxers são cães que exibem grande fidelidade e uma energia contagiosa. Donos da expressão mais afetuosa do mundo canino, eles são ótimos companheiros para atividades ao ar livre.

 

6 – Pastor-australiano

Pastor-australiano

Imagem: Pixabay

Conhecido na gringa como Aussie, o Pastor Australiano traz consigo uma vitalidade exuberante. Com habilidades impressionantes para o pastoreio, essa raça é composta por cães dotados de agilidade ímpar e paixão pelo trabalho.

 

7 – Staffordshire Bull Terrier

Imagem: Pixabay

Staffordshire Bull Terriers são fortes, leais e carinhosos com suas famílias. Amantes incansáveis das brincadeiras mais intensas, eles mostram que tamanho não é sinônimo de energia; são verdadeiros power packs!

 

8 – American Pit Bull Terrier

American Pit Bull Terrier

Imagem: Pixabay

Muitas vezes mal interpretados pela sociedade, American Pit Bull Terriers são na verdade brincalhões intensos por natureza. Sua forria está no amor pelo movimento contínuo e interações vibrantes com seus donos.

 

9 – Husky siberiano

Husky siberiano

Imagem: Pixabay

Originalmente criados para puxar trenós através da vastidão gelada siberiana, Huskies possuem energia suficiente para encantar qualquer aficcionado por atividades físicas intensas.

 

10 – Golden Retriever

Golden Retriever

Imagem: Pixabay

Conhecidos pelo temperamento equilibrado e agilidade, os Golden Retrievers são excelentes em busca e salvamento além de possuir grande inteligência emocional, êxito ao lidar com as pessoas.

 

Brincar com cachorro tem que ser divertido, respeitando sempre as características individuais destes sermos tão especiais; é essencial ter conexões com profissionais responsáveis para revisões periódicas da saúde do seu animalzinho.

 

Resumindo, esta seleção abrange desde o vigor incansável até a robustez imponente desses animais notáveis. Vale lembrar que não só devemos amar essas criaturas vivazes pelo dinamismo que desfilam todos os dias ao nosso lado mas também pelos momentos tranquilos compartilhados em lares repletos de aconchego único proporcionado pela presença indelével dos nossos amados peludos.

 

Leia também: 

12 raças de cachorros que menos latem

11 raças de cachorros que AMAM crianças

10 raças de cachorros que soltam menos pelos

Saiba como cuidar dos pets durante a viagem de férias da família

Planejar uma viagem de férias é sempre empolgante, mas pode ser um desafio quando temos pets em casa. Afinal, queremos que eles fiquem seguros e felizes enquanto estamos fora. Se você está se perguntando o que fazer com seus bichinhos durante a viagem, descubra algumas opções simples e práticas para garantir que seus pets fiquem bem cuidados enquanto você aproveita suas férias.

1. Deixar com um amigo ou parente

Uma das opções mais seguras e confortáveis para seus pets é deixá-los com um amigo ou parente de confiança. Essa pessoa já conhece seu pet, o que facilita a adaptação e minimiza o estresse. Certifique-se de fornecer todas as informações necessárias, como rotina de alimentação, horários de passeio, e qualquer medicação que seu pet precise.

Dicas importantes:

Apresentação prévia: Leve seu pet para conhecer o local antes da viagem, se possível, para que ele se familiarize com o ambiente e a pessoa que vai cuidar dele.

Lista de instruções: Escreva uma lista detalhada com todas as instruções sobre os cuidados diários do seu pet.

Itens pessoais: Deixe brinquedos, cama e outros itens que façam seu pet se sentir em casa.

2. Contratar um Pet Sitter

Outra opção é contratar um pet sitter, um profissional que vai até a sua casa cuidar do seu pet. Essa opção é ótima porque o pet continua no seu ambiente familiar, o que reduz o estresse. O pet sitter pode cuidar da alimentação, higiene e até brincar com seu bichinho.

Como escolher um Pet Sitter:

Referências: Peça referências e leia avaliações de outros clientes.

Entrevista: Faça uma entrevista para conhecer melhor o pet sitter e ver como ele interage com seu pet.

Visita prévia: Agende uma visita antes da viagem para que o pet sitter conheça a rotina do seu pet.

3. Hospedagem em hotel para pets

Hospedar seu pet em um hotel especializado é uma opção cada vez mais popular. Esses locais oferecem serviços completos, desde alimentação até recreação. Os hotéis para pets são projetados para proporcionar conforto e segurança, com espaços adequados para brincadeiras e descanso.

O que verificar em um hotel para pets:

Instalações: Verifique se o local é limpo, seguro e bem organizado.

Serviços oferecidos: Pergunte sobre os serviços incluídos, como alimentação, passeios e brincadeiras.

Visitas: Faça uma visita ao hotel antes de tomar a decisão, e se possível, leve seu pet para uma adaptação prévia.

4. Viajar com seu pet

Se você não quer se separar do seu pet, considere levá-lo na viagem. Hoje em dia, muitos destinos são pet-friendly e oferecem acomodações que aceitam animais. Viajar com seu pet pode ser uma experiência divertida, mas requer planejamento.

Dicas para viajar com seu pet:

Documentação: Verifique a necessidade de documentos, como carteirinha de vacinação e atestado de saúde.

Transporte: Escolha um meio de transporte adequado e seguro para seu pet. Se for de carro, use cintos de segurança específicos ou caixas de transporte.

Acomodações: Reserve acomodações que aceitem pets e que ofereçam conforto para você e seu bichinho.

Rotina: Tente manter a rotina do seu pet o mais próximo possível da que ele tem em casa.

5. Cuidados durante a viagem

Se você optar por viajar com seu pet, é importante estar atento a alguns cuidados para garantir o bem-estar do seu bichinho durante todo o trajeto.

Cuidados necessários:

Alimentação: Leve a comida que seu pet está acostumado a comer para evitar problemas digestivos.

Hidratação: Mantenha seu pet sempre hidratado, especialmente em viagens longas.

Paradas: Faça paradas regulares para que seu pet possa se exercitar e fazer suas necessidades.

Temperatura: Nunca deixe seu pet sozinho dentro do carro, especialmente em dias quentes.

6. Alternativas para pets exóticos

Se você tem pets exóticos, como pássaros, peixes ou répteis, por exemplo, os cuidados durante a viagem podem ser um pouco diferentes. Esses animais geralmente precisam de condições específicas para se manterem saudáveis.

Cuidados com pets exóticos:

Instruções especiais: Deixe instruções detalhadas sobre alimentação, temperatura e umidade do ambiente.

Profissionais especializados: Se possível, contrate um cuidador especializado em pets exóticos.

Equipamentos: Certifique-se de que todos os equipamentos necessários, como aquecedores e filtros, estejam funcionando corretamente.

Viajar é uma experiência maravilhosa e não deve ser um motivo de preocupação para quem tem pets. Com planejamento e as opções certas, você pode garantir que seus bichinhos fiquem bem cuidados enquanto você aproveita suas férias. Escolha a opção que melhor se adapta ao seu pet e à sua situação, e tenha uma viagem tranquila.

**** Fonte: Blog Casa do Produtor ****

Veja também:

Pets exóticos: como cuidar com responsabilidade de animais diferentes

10 Dicas para viajar em segurança com seus Pets

Descubra como a tecnologia está revolucionando o cuidado com os seus pets

Brasil é o terceiro país do mundo em número de animais de estimação

Uma pesquisa recente conduzida pela Quaest revelou que o Brasil é o lar de uma significativa população de animais de estimação, ocupando o terceiro lugar mundial, atrás apenas da China e dos Estados Unidos. Isso significa que, aproximadamente, a cada 10 brasileiros, 7 possuem animais de estimação.

Segundo o estudo, cerca de 72% dos brasileiros possuem pelo menos um pet, totalizando 149 milhões de animais. Cães e gatos lideram como os mais populares, seguidos por aves.

Dos tutores entrevistados, 38% afirmaram ter apenas um pet em casa, enquanto 31% relataram ter dois. Em relação às raças mais comuns, a pesquisa revelou que 32% dos cães e 52% dos gatos são classificados como sem raça definida (SRD), demonstrando a prevalência dos populares vira-latas. Outras raças mencionadas incluem Pitbull, Poodle, Shih Tzu, Pastor Alemão, Pinscher, Yorkshire Terrier, Labrador Retriever, Beagle, entre outros.

A pesquisa também destacou que a saúde dos animais é uma preocupação significativa para muitos tutores. Mais da metade dos entrevistados afirmou gastar mais de R$ 300,00 mensais com seus pets.

Apesar disso, muitos tutores expressaram desejo de levar seus pets ao veterinário com mais frequência, mas cerca de metade já enfrentou dificuldades financeiras que os impediram de realizar tratamentos necessários.

Em contrapartida, os principais motivos para não ter um pet são a falta de espaço em casa (20%), o alto custo (16%) e questões de saúde (16%). Ainda assim, quase 30% dos que nunca tiveram um pet desejam ter um.

A pesquisa traça um panorama detalhado sobre a relação dos brasileiros com seus animais de estimação. Para 93% de quem é ou já foi um tutor, os pets são membros da família. E mais da metade (58%) comemoram os aniversários de seus bichinhos.

O levantamento destaca ainda que metade dos tutores adotou seu pet; desses, 42% resgataram o animal na rua. Os que disseram ter comprado foram 22% (quase metade apontou o desejo por ter uma raça ou um animal específico como motivo para isso), enquanto 28% falaram que ganharam de presente.

A pesquisa foi realizada online entre os dias 17 e 20 de junho, com 1001 entrevistados brasileiros com 16 anos ou mais, garantindo uma margem de erro de 3,1 pontos percentuais e um nível de confiança de 95%.

 

 

 

 

Veja também:

Animais domésticos: novo Código Civil brasileiro pode viabilizar reconhecimento jurídico de “famílias multiespécie”

5 razões para ter um Pinscher em casa

Animais domésticos: novo Código Civil brasileiro pode viabilizar reconhecimento jurídico de “famílias multiespécie”

A catástrofe climática no Rio Grande do Sul mostrou que hoje as famílias vão muito além das pessoas. A comoção generalizada com cachorros encontrados nadando, cavalos em cima de telhados, resgate de gatos e até galinhas e porcos das enchentes deram a exata dimensão de como o ser humano se relaciona com os animais e tudo o que eles significam. As famílias são, portanto, “multiespécie”.

Na proposta preliminar de mudança do Código Civil, entregue ao Senado Federal em abril, os animais ganharam um novo status, contando com um capítulo inteiro só para eles. Pelo texto, se estabelece até uma nova relação jurídica com eles sendo reconhecidos como seres vivos capazes de ter sentimentos e direitos.

Diferentemente do Código Civil atual, que trata os animais como um bem móvel qualquer, essa nova proposta dará, na prática, maior proteção jurídica a eles. Além disso, vincula-os a seus donos, trazendo mais responsabilidades aos tutores.

Isso significa que, se o texto for aprovado, os casais ou conviventes terão de acertar quem fica com a guarda dos animal doméstico e obrigações para manutenção da vida deles, com estabelecimento até de pensões, em entrevista para o InfoMoney, a advogada Fernanda Haddad, especialista em Gestão Patrimonial, Família e Sucessões do Trench Rossi Watanabe. “É quase uma equiparação com um filho”, diz ela.

A especialista afirma que os novos direitos em análise não são exagero, mas uma questão que vinha sendo pedida pela sociedade, com diversos processos solicitando ao Judiciário decisões do tipo. “Houve até uma decisão emblemática que abordou que os bichos eram integrantes da família”, pontua Fernanda.

Famílias Multiespécie

A expressão “família multiespécie” tem sido cada vez mais usada na comunidade jurídica para designar as relações entre seres humanos e animais. À medida que a afetividade se consolida como critério para definir como família qualquer grupo que conviva junto, crescem as analogias entre os vínculos familiares e os laços sentimentais de seres humanos com bichos.

O relatório do anteprojeto do novo Código Civil, que ainda vai tramitar no Senado, traz muitas mudanças em relação à forma como os animais são reconhecidos e tratados juridicamente. As novidades podem abrir caminho, na visão de juristas, para tornar as chamadas “famílias multiespécie” uma realidade no Direito brasileiro.

Os animais ganham pela primeira vez uma seção inteira dentro do Código Civil, no livro II, que trata dos bens. O art. 91-A estabelece os animais como “objetos de direito”, reconhecendo-os como “seres vivos sencientes e passíveis de proteção jurídica própria”.

Além disso, a proposta enfatiza a relação afetiva entre humanos e animais, levantando a possibilidade de reivindicação de danos por aqueles que se sentirem prejudicados pela perda ou sofrimento de animais com os quais mantêm um vínculo afetivo. O texto diz:

Da relação afetiva entre humanos e animais pode derivar legitimidade para a tutela correspondente de interesses, bem como pretensão reparatória por danos experimentados por aqueles que desfrutam de sua companhia.

Dentro do contexto das famílias, a proposta para o novo Código Civil estabelece que tanto no casamento quanto na união estável há a obrigatoriedade de compartilhar as despesas relacionadas aos animais de estimação. Isso se aplica não apenas durante a relação, mas também em caso de dissolução do casamento ou da união estável, com a divisão de despesas e encargos com os animais após o término do relacionamento.

Projeto de Lei

Não só nas propostas da comissão de juristas para o Código Civil, mas também no Congresso, a noção de famílias compostas por animais já foi trazida à discussão. Em tramitação na Câmara dos Deputados, há o Projeto de Lei 179/23, que fala explicitamente na “família multiespécie”.

O documento é de autoria dos deputados Delegado Matheus Laiola (União-PR) e Delegado Bruno Lima (PP-SP), e estabelece uma série de direitos e proteções legais para os animais, com ênfase na afetividade nas relações entre humanos e animais domésticos. O art. 8º do projeto chega a afirmar: “Os animais de estimação serão considerados filhos por afetividade e ficarão sujeitos ao poder familiar”.

O projeto chama os donos dos animais de “pais humanos”, e diz que é obrigação deles, entre outras coisas, “dar nome e sobrenome ao animal” e “dirigir-lhes a criação e exigir que lhes prestem obediência e respeito, sem infligir-lhes maus tratos”.

Assim como a proposta da comissão de juristas para o novo Código Civil, o projeto da Câmara também aborda a proteção dos animais em situações de divórcio ou fim de união estável, regulamentando a guarda, visitas, e a atribuição de patrimônio por testamento.

 

 

 

*Fontes: Gazeta do Povo e InfoMoney

Veja também:

 

Descubra como a tecnologia está revolucionando o cuidado com os seus pets

Cuidar dos nossos pets ficou ainda mais fácil e divertido com as novas tecnologias. Agora, existem várias inovações que ajudam a manter nossos amigos de quatro patas saudáveis e felizes. Neste artigo, vamos conhecer algumas dessas tecnologias incríveis e entender como elas podem melhorar a vida dos nossos bichinhos e a nossa também. Conheça as novidades que vão transformar a forma como você cuida do seu pet.

Rastreadores de atividade

Você sabia que existem dispositivos que funcionam como “smartwatches” para pets? Esses rastreadores de atividade são pequenos aparelhos que se prendem na coleira do seu animal e monitoram sua atividade física. Eles ajudam a saber se seu pet está se exercitando o suficiente, além de monitorar a qualidade do sono. Algumas marcas populares incluem:

FitBark: Este rastreador mede a atividade e o sono do seu cachorro, ajudando a garantir que ele esteja se exercitando o suficiente.

Whistle: Além de monitorar a atividade, o Whistle também possui GPS, permitindo que você saiba onde seu pet está a qualquer momento.
Com essas informações, você pode ajustar a rotina de exercícios do seu pet, garantindo uma vida mais saudável e ativa para ele.

Comedouros automáticos

Os comedouros automáticos são uma mão na roda para quem tem uma rotina agitada. Esses dispositivos permitem programar os horários e a quantidade de comida que seu pet recebe. Assim, mesmo que você não esteja em casa, seu bichinho será alimentado corretamente. Alguns comedouros automáticos ainda têm câmeras para que você possa ver seu pet enquanto ele come. Exemplos de comedouros automáticos incluem:

PetSafe: Este comedouro permite programar até 12 refeições por dia, ajustando a quantidade de comida conforme necessário.

WOpet: Com uma câmera embutida, você pode ver e falar com seu pet enquanto ele come, proporcionando tranquilidade para você e seu amigo peludo.

comedouro automático pets

Foto: Reprodução/ qq.com.br

Fontes de água inteligentes

Manter seu pet hidratado é essencial para a saúde dele. As fontes de água inteligentes são uma ótima solução para garantir que seu pet tenha sempre água fresca e limpa disponível. Essas fontes possuem filtros que purificam a água e a mantêm em movimento, incentivando o pet a beber mais. Exemplos de fontes de água inteligentes incluem:

PetSafe Drinkwell: Esta fonte possui um filtro de carvão que mantém a água limpa e fresca.

Catit Flower Fountain: Com um design divertido em forma de flor, esta fonte atrai gatos a beberem mais água, ajudando na hidratação.

Câmeras para pets

Se você se preocupa com seu pet enquanto está fora de casa, as câmeras para pets são uma excelente solução. Essas câmeras permitem que você veja, fale e até distribua petiscos para seu bichinho à distância. Algumas câmeras populares incluem:

Furbo: Com esta câmera, você pode ver seu pet em alta definição, falar com ele e até lançar petiscos para ele brincar.

Petcube: Além de permitir a visualização e comunicação, esta câmera tem um laser interativo para brincar com seu pet à distância.

Brinquedos interativos

Os brinquedos interativos são ótimos para manter seu pet entretido, especialmente quando você não pode brincar com ele. Esses brinquedos podem ser controlados pelo seu smartphone e oferecem várias atividades para estimular mentalmente e fisicamente seu pet. Exemplos de brinquedos interativos incluem:

iFetch: Este brinquedo lança bolinhas automaticamente, permitindo que seu cãozinho brinque de buscar sozinho.

Petcube Bites: Este dispositivo combina uma câmera com um dispensador de petiscos e jogos interativos para manter seu pet ocupado e feliz.

Dispositivos para monitorar a saúde

Assim como nós, os pets também precisam de cuidados médicos regulares. As novas tecnologias de monitoramento de saúde para pets permitem rastrear sinais vitais, detectar doenças precocemente e até mesmo marcar consultas com veterinários online. Exemplos de tecnologias de monitoramento de saúde incluem:

Pawtrack: Esta coleira inteligente monitora a atividade do seu gato e pode ajudar a identificar mudanças no comportamento que possam indicar problemas de saúde.

Voyce: Este dispositivo monitora a respiração, frequência cardíaca e outros sinais vitais do seu cão, ajudando a manter um controle constante sobre a saúde dele.

Aplicativos de cuidados

Existem diversos aplicativos que ajudam a organizar e cuidar da vida do seu pet. Eles podem lembrar você de vacinas, controlar a alimentação, agendar consultas veterinárias e muito mais. Alguns dos aplicativos populares incluem:

PetDesk: Este aplicativo ajuda a manter todas as informações de saúde do seu pet organizadas e lembretes de consultas em dia.

11pets: Com este app, você pode controlar a alimentação, banho, medicamentos e até mesmo compartilhar informações do seu pet com o veterinário.

As novas tecnologias para cuidados com pets vieram para facilitar a vida de donos e bichinhos. Experimente algumas dessas tecnologias e veja como elas podem transformar a rotina do seu pet, proporcionando uma vida mais ativa e cheia de carinho.

*** Fonte: Cão Amigo Blog Pet ***

Veja também:

Pets exóticos: como cuidar com responsabilidade de animais diferentes

Conviver com um pet pode trazer surpreendentes benefícios para sua vida

Ter cachorros faz bem para a nossa saúde; confirma a ciência

Nova Inteligência Artificial promete traduzir o que os Cães ”falam”

No início do mês de junho, a BBC News divulgou uma pesquisa revolucionária da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, onde cientistas estão utilizando inteligência artificial (IA) para interpretar os latidos dos cães, buscando compreender se eles estão expressando alegria ou raiva. Esta inovação promete transformar a forma como as pessoas interpretam a comunicação animal.

Os pesquisadores estão empregando IA para decifrar se um latido representa felicidade ou raiva, além de identificar a idade, o sexo e a raça do animal com base em suas vocalizações. Reaproveitando modelos computacionais treinados na fala humana, os cientistas já avançaram na decodificação da comunicação canina.

Para contornar o desafio de interpretar os latidos, a equipe de cientistas coletou os sons de 74 cães de diferentes raças, idades e sexos em diversos contextos. Estes dados foram inseridos em um modelo de aprendizado de máquina originalmente projetado para analisar a fala humana. A IA foi capaz de identificar com 70% dos latidos.

De acordo com o estudo, “os resultados mostram que os sons e padrões derivados da fala humana podem servir como base para analisar e entender os padrões acústicos de outros sons, como vocalizações de animais”.

Os cientistas afirmam que essas descobertas podem ter “implicações importantes” para o bem-estar animal. Entender melhor as nuances dos vários sons emitidos pelos cães poderiam melhorar a forma como os humanos interpretam e respondem às necessidades emocionais e físicas deles. Esta tecnologia pode, por exemplo, permitir que donos de animais e veterinários identifiquem sinais de desconforto, medo ou alegria, aprimorando o cuidado e a interação com os cães.

A IA poderá ser usada para desenvolver dispositivos que traduzam os latidos em tempo real, facilitando a compreensão dos estados emocionais dos cães e, potencialmente, de outros animais de estimação.

 

 

Veja também:

Novo projeto de lei inclui Plano de Saúde Pet como benefício trabalhista

A Comissão de Previdência, Assistência Social, Infância, Adolescência e Família da Câmara dos Deputados aprovou um projeto de lei permitindo que empresas ofereçam planos de saúde para animais domésticos como um benefício para seus funcionários. Segundo o projeto, os valores dos planos não serão descontados dos salários dos trabalhadores nem estarão sujeitos a encargos adicionais.

A proposta aprovada foi um substitutivo apresentado pela relatora, deputada Laura Carneiro (PSD-RJ), ao Projeto de Lei 5636/23, de autoria do deputado licenciado Felipe Becari (SP). “Os animais integram o contexto familiar e interferem na saúde do tutor”, justificou Carneiro.

O substitutivo propõe alterações na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e na Lei Orgânica da Seguridade Social. As modificações asseguram que os planos de saúde animal recebam o mesmo tratamento dos serviços destinados à saúde humana.

“Assim como a legislação trabalhista e previdenciária dá tratamento adequado aos benefícios para a saúde humana, é importante que esse cuidado também se volte aos animais”, afirmou Becari, autor do projeto. Ele acrescentou que a oferta de planos de saúde animal pelas empresas pode incentivar a adoção responsável, pois com acesso a serviços veterinários, as pessoas podem se sentir mais encorajadas a acolher animais abandonados.

Além disso, a saúde animal compõe 33,7% de todo o valor arrecadado pelo mercado voltado para pets no Brasil. De acordo com levantamento do Instituto Pet Brasil (IPB), o setor arrecadou R$ 68 bilhões em 2023, sendo deste valor R$ 23 bilhões apenas com gastos no setor medicinal.

Próximos Passos

O projeto tramita em caráter conclusivo e ainda será analisado pelas comissões de Trabalho; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

 

 

Veja também:

As 10 raças de cachorros mais indicadas para apartamento

Hoje em dia,  morar em apartamentos vem se tornado cada vez mais frequente. Quem ama cachorros como nós, não dispensa a companhia de um. Mas apesar do amor, há também a dificuldade de criar um cachorro dentro de um apartamento, muitas vezes, pequeno.

Muita gente tem vontade de ter um cachorro no apartamento, mas tem dúvidas quanto às raças que melhor se adaptam ao ambiente com menos espaço e bem mais restrito que de um quintal ou de uma chácara.

Para tirar essas dúvidas preparamos uma lista com 10 raças que são mais adaptáveis a este tipo de ambiente. Confira:

 

1. Bichon Frisé

bichon

O  Bichon Frise não vai ter mais que 30 centímetros de altura. É uma raça bem peluda, que adora brincar e que precisa de exercícios diários. Perdem menos se comparados com raças semelhantes, tornando-os ideais para pessoas com alergias.

 

2. Boston Terrier

boston

O  Boston Terrier raramente ultrapassa 35 centímetros. Esses cães podem ser particularmente hiperativos, por isso precisam de caminhadas diárias para se manterem felizes. Se você puder mantê-los bem exercitados, você verá que esses “cavalheiros americanos” são maravilhosos, gentis e carinhosos.

 

3. Yorkshire Terrier

yorkshire

Considerada uma das melhores raça de cachorro para apartamento, o pequeno “Yorkie”, possuí características ideais para a vida em pouco espaço. Essa raça tem variações de tamanho, porém, não muda muito, eles têm em média 20 cm, são muito inteligentes e também, não precisam de longas caminhadas.

4. Cavalier King Charles Spaniel

cavalier

Adoram carinho e são muito apegados aos seus donos.  A maior preocupação vem com o adestramento, pois eles podem ser difíceis de treinar. Se for dado  tempo ao ar livre e reforços positivos, rapidamente se tornarão animais de estimação dignos de confiança.

 

5. Maltês

maltes

Malteses são extremamente dóceis e companheiros, porém são difíceis de adestrar. Adaptam-se ao estilo de vida do dono com rapidez independente de onde viva. Os cuidados com escovação, tosa e banho são grandes quando se opta por deixar o pelo longo.

6. Dachshund

Dachshund

São os menores cães de caça e conhecidos como Salsichinhas no Brasil. São  fofos e alegres. Suas pernas curtas permitem que sejam exercitadas dentro de casa mesmo, se necessário.

7. Shih Tzu

Shih

O Shih Tzu foi criado para ser um cachorrinho amigável. Eles são ótimos companheiros, carinhosos e calmos. Dificilmente latem, se encaixam em qualquer ambiente.  São animais  amigáveis com os donos, estranhos, outros animais de estimação e até mesmo crianças. Este cão foi praticamente criado para ser o companheiro de apartamento perfeito.

 

8. Pug

pug

Reconhecidos pelo focinho achatado, os Pugs são animais de estimação brincalhões, leais e preguiçosos. Pugs, geralmente, não latem, o que significa que não é necessário treinamento especial para manter os vizinhos felizes. Devido à inatividade, tranquilidade e tamanho, os Pugs são bons cachorros para apartamento.

 

9. Lulu da Pomerânea

lulu

Esta raça é uma bolinha de pelo cheia de energia. Precisam de passeios diários para gastar energia e escovações semanais. Eles também latem muito, por isso é necessário treinamento.

 

10. Lhasa Apso

Lhasa

O Lhasa Apso acha que é um cachorro grande, mas para a sorte do seu apartamento, eles raramente crescem mais do que 35 centímetros. A socialização e o treinamento precoces são necessários para trazer o melhor desta raça amigável e leal. Apesar do tamanho, a raça é considerada um cão de guarda e sempre alerta.

Outra opção é adotar um cãozinho. Mas vale lembrar que adotar um cachorrinho exige responsabilidade e amor independentemente do seu tamanho ou necessidades específicas. Cada raça mencionada tem características únicas que precisam ser compreendidas para garantir uma convivência pacífica e feliz com seu novo amigo peludo.

Receba no seu WhatsApp as melhores dicas da cidade e as notícias mais interessantes em primeira mão!

11 raças de cachorros que AMAM crianças

Quer adicionar um novo membro à sua família e garantir que seja o companheiro ideal para seus filhos? Descubra aqui as 10 melhores raças de cachorro para crianças e veja qual se adapta melhor ao seu lar. Não esqueça de considerar todas as nossas dicas antes de tomar a decisão, e se encante com a ideia de ver seu filho crescer junto a um amigo leal!

Escolher um cachorro quando se tem crianças em casa é uma decisão que deve ser tomada cuidadosamente. Afinal, busca-se uma raça que além de ser dócil, precisa adaptar-se ao ritmo e à energia dos pequenos. Assim, algumas características são essenciais, como temperamento calmo, boa tolerância ao estresse e à agitação típica dos lares com crianças.

 

1 – Labrador

Labrador

Foto: reprodução/internet

Os Labradores são conhecidos por sua lealdade e temperamento afetuoso. Eles são animais pacientes, carinhosos e protegem os membros da família, tornando-se uma escolha excelente para ambientes familiares.

 

2 – Golden Retriever

Golden Retriever

Foto: reprodução/internet

Outra opção popular entre as famílias é o Golden Retriever. Esta raça é renomada pela sua natureza amigável. Além disso, Goldens são atenciosos e adoram estar junto às crianças, compartilhando atividades diversas.

 

3 – Beagle

Beagle

Foto: reprodução/internet

Os Beagles são cães pequenos mas cheios de energia, incríveis para crianças ativas. Eles possuem um instinto social forte e preferem estar acompanhados do que isolados, portanto tire vantagem dessa característica incluindo seu Beagle nas brincadeiras ao ar livre.

 

4 – Bull Terrier

Bull Terrier

Foto: reprodução/internet

Contrariando mitos populares, o Bull Terrier é extremamente carinhoso com a família. Esta raça precisa gastar sua energia exuberante regularmente e é bastante resiliente às travessuras infantis.

 

5 – Poodle

Poodle

Foto: reprodução/internet

Poodles são inteligentes e facilmente treináveis; perfeitos para famílias ocupadas que valorizam tanto a educação quanto a diversão. Eles se adaptam bem aos diversos tamanhos — toy, miniatura ou standard — adequando-se ao tamanho da sua casa ou apartamento.

 

Confira estas ofertas do dia para seu pet!

 

6 – Bulldog

Bulldog

Foto: reprodução/internet

Apesar da aparência grunhona, Bulldogs têm um coração grande em relação às crianças. Eles são resilientes e não se importam muito com puxões ocasionais na orelha ou no rabo. Portanto, resiliência é uma palavra-chave quando falamos desta raça.

 

7 – Boxer

Boxer

Foto: reprodução/internet

Boxers são verdadeiros protetores naturais das crianças da casa. Eles têm espírito jovial e adoram jogos interativos que desafiam tanto sua mente quanto seu físico.

 

8 – Collie

Collie

Foto: reprodução/internet

Collies encantam por seu instinto pastoral natural, eles tendem a “cuidar” das crianças como fariam com um rebanho — sempre gentilmente e com respeito pelas pequenas criaturas humanas.

 

9 – Cavalier King Charles Spaniel

Cavalier King Charles Spaniel

Foto: reprodução/internet

Esta raça é bem conhecida por sua natureza doce e tranquila. O Cavalier King Charles Spaniel aprecia os momentos tranquilos tanto quanto as brincadeiras moderadas.

 

10 – Terra Nova

Terra Nova

Foto: reprodução/internet

Grandes em tamanho mas imensos em ternura; os cães da raça Terra Nova tem ganhado espaço em lares pela habilidade nata como “babás”. Seu temperamento calmo torna-os parceiros ideais para histórias tranquilas antes do sono das crianças.

 

11 – Caramelo

Caramelo

Foto: reprodução/internet

Adotar um cão que complemente sua família requer reflexão sobre as características, alinhadas à dinâmica doméstica. Uma das opções é o famoso caramelo, presente em 11 entre 10 bairros do Brasil. Mas ainda assim, é importante consultar um veterinário.

As 10 raças listadas acima se destacam pela capacidade notável de formarem laços afetivos fortes com os mais jovens do clã familiar. Lembre-se sempre da importância de promover uma convivência segura entre cães e crianças supervisionando suas interações diárias.

Confira estas ofertas do dia para seu pet!

Leia também: As 10 raças de cachorros mais inteligentes do mundo

Receba no seu WhatsApp as melhores dicas da cidade e as notícias mais interessantes em primeira mão!

Lei Joca: Câmara aprova projeto que regulamenta transporte de Pets em Avião no Brasil

Em votação simbólica na Câmara dos Deputados, no dia 8 de maio, foi aprovado o projeto de lei que regulamenta o transporte aéreo de gatos e cães de estimação.

A proposta, que ganhou o nome de Lei Joca em homenagem ao golden retriever de cinco anos que morreu durante um transporte aéreo no dia 22 de abril, estabelece que as companhias aéreas ofereçam o serviço de rastreamento e transporte dos animais dentro da cabine dos passageiros. O texto agora vai ao Senado.

O texto aprovado é mais limitado do que o projeto original, que previa a oferta dos mesmos serviços também por empresas de transporte terrestre e fluvial. Até então, não havia legislação nacional que determinasse regras para o transporte animal.

Esta ausência de regulamentação e a morte de Joca motivaram, como mostrou o Estadão, a apresentação de novos projetos tanto na Câmara quanto no Senado, todos eles com o objetivo de promover maior conforto e segurança aos pets.

No último dia 30, a mobilização levou à retomada da apreciação do projeto de 2022 proposto pelos deputados Alencar Santana Braga (PT-SP), Odair Cunha (PT-MG) e Carlos Veras (PT-PE) após o sumiço de uma cadela, a Pandora, durante uma conexão no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, naquele ano.

Além da obrigatoriedade do serviço de rastreamento dos cães e gatos durante todo o voo e a permissão do transporte desses animais na cabine, a medida também determina a presença de médicos-veterinários em aeroportos com transporte anual superior a 600 mil passageiros.

O objetivo é que os animais sejam acompanhados durante o embarque, acomodação e desembarque, além de supervisionados pelo tutor a qualquer momento. Ainda, estabelece que a empresa garanta condições confortáveis para a viagem do animal, assegurando a segurança dele e de todos os demais passageiros.

O texto também resguarda as companhias aéreas, reservando a elas o direito de não realizar o transporte dos animais de estimação caso a viagem ofereça risco à saúde do animal, à segurança ou por quaisquer outras restrições operacionais.

Justificando a proposta, o relator que apresentou o texto substituto, deputado Fred Costa (PRD-MG), ressaltou que “animal de estimação não é bagagem e, portanto, não deve ser transportado no compartimento de carga”. Ainda de acordo com o parlamentar, a legislação pode evitar a recorrência de casos como o de Joca que, segundo ele, “talvez tivesse sido diferentes se um profissional o tivesse avaliado antes do embarque no aeroporto de Fortaleza”.

O golden retriever, transportado pela Gollog, empresa da companhia aérea Gol, morreu após uma falha operacional que o embarcou em um avião diferente do que levava o tutor dele. Em vez de seguir viagem para Sinop, em Mato Grosso, a partir do Aeroporto de Guarulhos, o animal foi embarcado em um voo para Fortaleza, no Ceará, e, ao retornar para São Paulo, não sobreviveu.

A companhia Gol informou que ofereceu todo o suporte necessário ao tutor e à família dele e que “a apuração dos detalhes do ocorrido está sendo conduzida com total prioridade”.

 

 

*Agência Estado

Veja também:

Cães de guarda: conheça as 10 raças de cachorros mais protetoras

Ter um cão de guarda pode ser uma boa ideia para quem busca segurança para o lar e a família. Afinal, os peludos têm alguns traços essenciais de um bom protetor: coragem, inteligência e lealdade. Graças às características naturais, as raças de cão de guarda são boas escolhas para quem procura um protetor confiável.

Se você está em busca de um companheiro canino com essas qualidades, continue a leitura e conheça as melhores espécies para proteger sua família!

Raças mais indicadas para cão de guarda

Pastoreando ovelhas, ou gado, auxiliando pessoas com deficiência visual ou protegendo a família humana, historicamente, os cachorros ajudam os tutores em diferentes tarefas.

Por isso, se você está procurando o melhor cão de guarda para sua necessidade, converse com um especialista em adestramento. Ele pode ajudar você a construir as bases necessárias para uma relação amorosa e saudável. Porém, até lá, veja as raças mais indicadas.

Pastor Alemão

O Pastor Alemão é uma das raças mais populares de guarda, destacando-se pela inteligência e pela lealdade. Ele possui um comportamento muito protetor e costuma obedecer a ordens sem muitos problemas. Por isso, é um cão de guarda e segurança!

Entretanto, vale lembrar que todo cão precisa passar por um treinamento para exercer a tarefa. O Pastor Alemão é um amigo cheio de energia e requer espaço para praticar os exercícios. Criado com carinho e atenção, é um pet muito amigável com a família e não costuma ter problemas de convivência.

Doberman

Atlético e ágil, o Doberman é um dos preferidos quando falamos sobre raças de cão de guarda de grande porte. Com aspecto altivo, é um pet muito curioso, sempre atento ao que ocorre ao redor. É muito fiel e amigável com a família. Frequentemente, ele cria laços profundos com os tutores, sempre os acompanhando.

Contudo, é necessário que ele receba carinho e estímulos positivos desde a infância para facilitar a convivência. É considerado um pet independente, mas também adora passar bons momentos ao lado da família!

Rottweiler

O Rottweiler possui características naturais que o tornam o cão de guarda ideal: força, inteligência e lealdade. A aparência forte e intimidadora chama a atenção. Porém, quando é bem estimulado, esse pet é extremamente amigável e carinhoso com a família.

Um verdadeiro peso pesado, o Rottweiler precisa de um lar com espaço e, principalmente, muitos estímulos. É importante destacar que a educação e a tutoria definem o comportamento do cãozinho no futuro. Por isso, o adestramento é essencial desde os primeiros anos.

Fila Brasileiro

O Fila Brasileiro é um gigante amigável, protetor e carinhoso. Ele possui pelagem curta e orelhas caídas, que trazem um ar fofo e preguiçoso. Entretanto, não se deixe enganar pela aparência.

A raça brasileira é conhecida pela capacidade atlética e costuma ser muito carinhosa com a família, além de extremamente protetora. Adestrá-lo é essencial, já que, quando recebe os estímulos corretos, torna-se um pet amigável e muito fiel.

Pitbull

O Pitbull está entre os melhores cães de guarda. Devido ao porte musculoso e ao corpo forte, muitas pessoas o associam à agressividade. Entretanto, é um cachorro amigável, fiel e protetor, características que o tornam um ótimo cão de guarda.

Diferentemente de outras raças, ele costuma ser um pouco mais tranquilo, mas ainda precisa de caminhadas e exercícios diários. Com uma tutoria responsável, o Pitbull torna-se um grande companheiro!

Pitbull Dog, Photo took in Heredia Costa Rica

Boxer

Forte e com cara de poucos amigos, o Boxer é um dos favoritos entre os cães de guarda. Contudo, apesar da aparência intimidadora, esse pet é conhecido por ser extremamente amigável e brincalhão. Ele gosta muito da família e possui um grande instinto protetor, por isso pode parecer um pouco ciumento em alguns momentos.

Ele possui muita energia, então adora brincadeiras e exercícios regulares. Se você pensa em ter um pet companheiro, leal e divertido, o Boxer pode ser a escolha perfeita!

Dogo Argentino

O Dogo Argentino possui uma aparência séria e altiva, mas quem tem a chance de conviver com ele, logo percebe que se trata de um grande brincalhão. Forte e atlético, originalmente auxiliava em caças no país. Entretanto, popularizou-se como um cão de guarda e uma ótima companhia.

É um cachorro calmo e menos energético, mas ainda precisa de exercícios regularmente. Extremamente fiel, ele faz de tudo para proteger a família quando percebe perigo. Para uma convivência tranquila, o adestramento deve se iniciar ainda nos primeiros meses.

Bull Terrier

Com aparência marcante e ótima personalidade, o Bull Terrier é sempre um excelente companheiro. Esse pet é fofo, divertido, amigável, fiel, protetor e indicado para famílias que gostam de atividades ao ar livre.

Além disso, é extremamente curioso, estando sempre em estado de alerta. Quando recebe os estímulos corretos, o Bull Terrier mantém o comportamento protetor, desenvolvendo um grande carinho pela família, sendo um pet sociável e carinhoso.

Dogue Alemão

O fofo Dogue Alemão se destaca por ser um pet carinhoso e muito companheiro! Porém, não se deixe enganar pelo comportamento amoroso desse peludo. Quando é necessário, ele faz de tudo para proteger os entes queridos. Ele possui muita energia e adora brincar com os tutores.

Sendo assim, o Dogue alemão é indicado para famílias dedicadas, que podem passear e praticar atividades com o pet, pelo menos, duas vezes ao dia. Com uma tutoria responsável, ele se torna um companheiro para todas as horas!


Mastim Napolitano

Não é à toa que o Mastim Napolitano é considerado um peso-pesado do universo canino. A raça de porte gigante impressiona qualquer pessoa. Mas engana-se quem acha que esse peludo chama a atenção apenas pelo seu tamanho fora do comum.

Com personalidade forte, o gigante é um companheiro de quatro patas leal e inteligente e um ótimo cão de guarda.

 

*Fonte: Petz

Veja também:

Goiânia recebe workshop inédito de capacitação em Cuidados de Animais Domésticos

No dia 16 de junho (domingo), Goiânia recebe um workshop inédito, o Moove Pet Brasil, com intuito de capacitar pessoas que já estão no mercado e para aqueles que desejam ingressar no mercado de cuidados para animais de estimação, fornecendo conhecimentos e habilidades necessárias para oferecer serviços de qualidade, como: tosa, cuidados estéticos e bem-estar para os pets. O evento acontece partir das 8h30, no Edifício Metropolitan, no Jardim Goiás.

Idealizado pela empresária mineira Wanessa Oliveira, o Moove Pet Brasil chega a Goiânia com o objetivo de inspirar os participantes a compartilhar o compromisso de amor e dedicação aos animais.

Wanessa Oliveira destaca que o evento busca ser diferenciado, entregando cursos com técnicas inovadoras: “Espero que o negócio cresça e se expanda, oferecendo meus serviços diferenciados em mais localidades e alcançando um público cada vez maior. Além disso, espero que os cursos oferecidos pelo Moove Pet Brasil sejam bem recebidos e ajudem a capacitar um número significativo de pessoas interessadas em trabalhar na área de cuidados para animais de estimação”, cita.

Wanessa Oliveira, idealizadora do Moove Pet Brasil (foto: divulgação)

O Moove Pet Brasil traz em sua primeira edição a renomada estilista canina Adriana Skolimoski, com mais de 30 prêmios de excelência em qualidade ao redor do mundo. Adriana apresentará o Workshop: “Tosa Bebê Para o Dia a Dia”.

Wanessa também enfatiza a importância da presença da estilista canina Adriana Skolimoski no evento e ressalta o reconhecimento do Moove Pet Brasil: “Adriana é uma grande inspiração, além de ser uma das mais renomadas no meio do mundo. Foi quem me deu ânimo e um empurrão para trilhar meu caminho. Sua presença enriquece o Moove Pet Brasil e contribui para continuar a ser reconhecido pela qualidade de seus serviços e pelo seu compromisso com o bem-estar dos pets, contribuindo assim para uma comunidade mais consciente e amorosa em relação aos animais”, finaliza.

Para informações sobre inscrição no curso, basta entrar em contato pelo telefone (62) 99840-4719 ou via Instagram @moovepetbrasil.

Cuidar de um cão melhora a qualidade de vida ao envelhecer, afirma pesquisa

Conviver com um cachorro é uma experiência que combina prazer e responsabilidade. É necessário dedicar tempo para passeios, banhos, alimentação, vacinação, carinho e visitas regulares ao veterinário. No entanto, os benefícios são notáveis, não apenas para o nosso bem-estar emocional, mas também para promover um envelhecimento ativo em todas as áreas.

Ao acompanhar por três anos mais de 11 mil pessoas com idades entre 65 e 84 anos, um estudo japonês concluiu que os idosos que possuíam um cão apresentavam um menor risco de desenvolver deficiências, tanto cognitivas quanto motoras.

Os cientistas apontaram que os cuidados diários com os pets demandam movimento físico, aptidões como memória e raciocínio, também os passeios que devem ser feitos com o cão que beneficia o dono. São funções que dão apoio, nas palavras dos cientistas, a um “envelhecimento bem-sucedido”. 

Os estudiosos afirmam que gatos não geram o mesmo “impacto” que os cães, pois não requerem tantas exigências por parte dos cuidadores.

 Uma amizade vantajosa para os dois 

Ter um cachorro pode ajudar na vida de qualquer um, seja em atividades simples como levar seu animalzinho para passear fora de casa, já conta como uma atividade física principalmente para os idosos. Caminhar se transforma em uma interação social onde é possível conhecer e conversar com outros donos de pets, introduzindo a rotina novos relacionamentos. 

Sendo a solidão um desafio na vida de muitos idoso e a dificuldade de fazer interações, compartilhar o seu tempo com um animal de estimação reduz o sofrimento psicológico com uma companhia valiosa.   

A responsabilidade de cuidar de outro ser vivo estimula o cérebro prevenindo falhas cognitivas e também ajuda a manutenção da própria saúde.

 

Veja também:

Pesquisa aponta que nova geração gosta mais de animais do que de gente

Você certamente já deve ter ouvido alguém dizendo que “cachorro é melhor que muita gente”. E para várias pessoas nascidas entre 1981 e 1995, que integram a chamada geração dos millennials com idade em torno de 27 e 41 anos, o amor por cães e gatos supera, até mesmo, o sentimento nutrido por alguns familiares.

Pesquisa feita nos Estados Unidos pela Consumer Affairs mostra que 83% dos donos de cães dizem amar mais os animais do que pelo menos um familiar. Quando trata-se de gatos, o índice sobe um pouco e chega a 85%, aponta o levantamento. Em um balanço geral, sem distinção por espécie animal, o percentual que tem os bichos em primeiro lugar na lista de preferências afetivas é de 81%

Quando questionados dos familiares mais rejeitados, os participantes da pesquisa citam os irmãos, em primeiro lugar, com 57%. As mães figuram em segundo lugar (50%), seguidas por pais (41%), avós (31%) e parceiros (30%). Tios e primos aparecem na última posição, citados apenas por 12%.

A maioria das pessoas desta geração tem cachorros ou gatos, vivem em casas nas capitais brasileiras e tem pelo menos um pet adotado. Para esse grupo, é comum gostar mais do pet do que da maioria das pessoas, gastar dinheiro com eles e se considerarem pai ou mãe do pet.

Quando convidados a responder sobre as coisas mais importantes da vida, “meu pet” aparece atrás apenas da família e religiosidade e na frente de amigos, trabalho e lazer. Amor foi a palavra escolhida para resumir a relação entre tutores e pets, seguida por amizade e companheirismo.

A pesquisa também aponta para o crescimento das adoções. Cerca de 47% dos entrevistados afirmam que têm um pet para dar uma “vida melhor para ele”. Além disso, a nova geração de tutores também é mais engajada em iniciativas ligadas à causa do bem-estar animal, e que a doação é o modo mais comum de contribuição. Cerca de 61% têm o hábito de doar alimentos ou insumos e 46% acolhem animais abandonados.

Já Geração Z fica mais feliz ao ver seu pet do que o próprio crush!

Os membros da Geração Z, os nascidos entre 1997 e 2010, costumam deixar os Millennials confusos. Seja pela gírias, seja pela maneira de levar a vida: a lacuna geracional é uma realidade e, de fato, existem várias diferenças entre os grupos.

Uma nova pesquisa mostrou que os parceiros românticos, por exemplo, já não são prioridade dos mais jovens. Quem agora ocupa o primeiro lugar são os pets!

O estudo analisou 2 mil respostas de tutores de diferentes gerações e, curiosamente, os animais também chegaram a ter mais destaque do que as próprias bandas de música. Na hora de economizar, 37% da GenZ prefere guardar seu dinheiro para gastar com itens para o pet do que fazer uma viagem (20%) ou comprar um ingresso para um show (27%).

Jantares românticos e momentos a dois também ficam fora do páreo. 41% afirma ter mais chance de gastar US$ 100, algo em torno de R$ 500, com seu animal do que fazer alguma atividade com o ‘mozão’. Ao que tudo indica, esses dados estão relacionados com a importância dos bichos na vida dos entrevistados.

36% admite ficar mais feliz em ver seu peludo do que seu próprio parceiro, o dado é o que mais chama atenção, visto que a diferença foi a maior entre todas as gerações pesquisadas.

pets

 

Veja também:

10 motivos para você criar um cachorro Pastor Alemão

O pastor alemão, originário da Alemanha, foi inicialmente desenvolvido no final do século XIX para ser um cão de trabalho versátil, desempenhando funções como pastor de ovelhas e gado. Mas esse cachorro logo se destacou por sua inteligência excepcional, instinto de proteção aguçado e adaptabilidade.

Em termos de personalidade, ele é conhecido por sua lealdade inabalável aos tutores, além do senso de proteção. Além disso, sua inteligência facilita o treinamento, tornando-o um cão obediente.

A seguir, confira outras características que fazem dele um excelente animal de estimação!

  1. Companheirismo inigualável

Os pastores alemães estabelecem, em geral, laços profundos com seus tutores. Essa conexão vai além da mera relação de tutor e animal, proporcionando uma amizade leal e duradoura.

  1. Inteligência excepcional

A inteligência desta raça é notável, facilitando o processo de treinamento. Os pastores alemães aprendem com rapidez comandos e truques, sendo ideais para tutores que desejam um animal de estimação fácil de educar.

  1. Protetores naturais

O instinto de proteção inato nos pastores alemães os torna excelentes cães de guarda. Essa característica é valiosa para a segurança da família e do lar, proporcionando tranquilidade aos seus tutores.

  1. Versatilidade

Esta raça é incrivelmente versátil e capaz de desempenhar diversas funções. Seja como cão de serviço, terapia, busca e resgate ou simplesmente como um companheiro familiar, os pastores alemães se adaptam com facilidade.

  1. Energia equilibrada

Apesar de enérgicos, eles possuem uma energia equilibrada. Isso significa que são igualmente capazes de se adaptar a ambientes urbanos e rurais, atendendo às necessidades de diferentes estilos de vida.

  1. Fácil cuidado

Com pelos curtos e densos, o cuidado com esses cachorros é relativamente fácil. Escovações regulares são suficientes para manter a pelagem em bom estado, o que é uma vantagem para tutores que buscam uma raça de baixa manutenção.

  1. Família e crianças

Sua natureza tolerante e carinhosa faz dos pastores alemães excelentes companheiros para famílias, especialmente aquelas com crianças. A paciência e o carinho desses cães contribuem para um ambiente familiar harmonioso.

  1. Saúde robusta

Em geral, os pastores alemães são saudáveis, especialmente quando provenientes de criadores responsáveis e com boa genética. Essa robustez proporciona aos tutores a confiança de que estão trazendo para casa um animal de estimação com boa saúde.

  1. Atletismo natural

Pastores alemães adoram atividades físicas e são naturalmente atléticos. Isso os torna companheiros ideais para tutores que desejam compartilhar suas atividades ao ar livre, como corridas, caminhadas e até mesmo esportes caninos.

  1. Instinto de trabalho

Os pastores alemães têm um forte instinto de trabalho que pode ser canalizado de várias maneiras. Eles adoram ter uma tarefa para realizar, seja ajudando em atividades domésticas, participando de esportes caninos ou mesmo acompanhando seus tutores em suas rotinas diárias.

 

*Fonte: A Gazeta

Veja também: