Descubra porque tanta gente adora visitar Goiás

O estado de Goiás tem conquistado o coração de turistas do Brasil inteiro. De acordo com a Secretaria de Turismo de Goiás, o número de turistas de outros estados aumentou cerca de 20% em 2023. Se você está procurando um lugar para explorar com belas paisagens, cultura rica e delícias gastronômicas, vamos descobrir juntos o que faz de Goiás um destino tão especial para milhares de pessoas.

Natureza exuberante

Goiás é um estado cheio de belezas naturais. A Chapada dos Veadeiros, por exemplo, é um dos principais pontos turísticos. Este parque nacional é famoso pelas suas cachoeiras incríveis e trilhas que atravessam paisagens de tirar o fôlego. É um lugar perfeito para quem gosta de aventuras e contato com a natureza. Além disso, a fauna e a flora do cerrado são únicas e encantadoras.

Outro lugar que atrai muitos turistas é a Serra da Mesa, um dos maiores lagos artificiais do Brasil. As águas cristalinas são perfeitas para a prática de esportes aquáticos, como pesca e passeios de barco. É um local ideal para relaxar e aproveitar a tranquilidade da natureza.

turismo Goiás

Foto: Reprodução/ pinterest

Cidades históricas

Goiás também é conhecido por suas cidades históricas, que preservam a cultura e a arquitetura do Brasil colonial. Pirenópolis é uma dessas cidades encantadoras. Fundada no século XVIII, Pirenópolis é famosa pelas suas ruas de pedra, casas coloridas e igrejas antigas. A cidade também é conhecida pelo Festival das Cavalhadas, uma festa tradicional que acontece todos os anos e atrai muitos visitantes.

Outra cidade histórica importante é Goiás Velho (Cidade de Goiás), que foi a primeira capital do estado. O centro histórico de Goiás Velho é Patrimônio Mundial da UNESCO, com casarões e igrejas que contam a história do Brasil. Caminhar pelas ruas dessa cidade é como voltar no tempo.

Águas termais

Se você gosta de relaxar, Caldas Novas é o lugar perfeito para você. Esta cidade é conhecida por suas águas termais, que são naturalmente aquecidas pelo calor da Terra. As águas quentes são ótimas para relaxar e têm propriedades terapêuticas. Caldas Novas é um destino popular para famílias, casais e pessoas que buscam descansar e cuidar da saúde. Esse município é um dos destinos turísticos mais procurados do Brasil.

 

caldas novas turismo Goiás

Foto: Reprodução/ passagenspromo

Delícias da culinária

A culinária de Goiás é outro atrativo imperdível. O pequi, um fruto típico do cerrado, é usado em diversos pratos, como o arroz com pequi, que tem um sabor único e delicioso. Outro prato famoso é a pamonha, feita de milho e pode ser doce ou salgada. A galinhada, um prato feito com arroz, frango e especiarias, também é muito apreciada pelos visitantes.

Além desses pratos, os doces de Goiás também fazem sucesso. O doce de leite, a compota de figo e o alfenim são algumas das delícias que você pode experimentar. Não deixe de provar a cachaça artesanal, uma bebida tradicional que é produzida em várias cidades do estado.

Festas e cultura

Goiás é um estado com uma rica cultura popular. As festas religiosas, como a Festa do Divino, são eventos importantes que mostram a devoção e a alegria do povo goiano. Essas festas são repletas de músicas, danças e comidas típicas, oferecendo uma experiência única aos visitantes.

O artesanato também é uma parte importante da cultura goiana. Peças feitas de cerâmica, tecelagem e rendas são produzidas por artesãos locais e são ótimas lembranças para levar para casa. Em cidades como Pirenópolis, por exemplo, você encontra muitas lojas e feiras de artesanato.

A hospitalidade do povo goiano

Uma das coisas mais marcantes de Goiás é a hospitalidade do seu povo. Os goianos são conhecidos por serem acolhedores e amigáveis. Ao visitar o estado, você vai se sentir em casa, pois as pessoas estão sempre dispostas a ajudar e compartilhar histórias e dicas sobre os melhores lugares para visitar.

Goiás é um estado cheio de encantos. Desde suas belezas naturais até suas cidades históricas, passando pela culinária deliciosa e a cultura rica, há sempre algo novo para descobrir. Se você está procurando um destino para suas próximas férias, considere o estado de Goiás. Você vai se surpreender com tudo o que esse estado tem a oferecer.

Veja também:

Essa encantadora cidade do interior de Goiás está atraindo turistas do Brasil inteiro

Novo Mapa do Turismo de Goiás passa a ter 86 cidades; saiba quais

Quais as cidades turísticas mais visitadas em Goiás

Cidade goiana é um verdadeiro oásis escondido entre montanhas e águas cristalinas

Nas entranhas do norte goiano, entre a majestosa Serra da Mesa e as águas serenas do Lago de Cana Brava, repousa Minaçu, uma cidade de cerca de 30 mil habitantes. Este município é um refúgio natural onde a biodiversidade e as paisagens exuberantes compõem um cenário ainda pouco explorado, repleto de segredos que aguardam ser descobertos.

Situada a 504 km de Goiânia e 407 km de Brasília, e a uma curta distância da Chapada dos Veadeiros, Minaçu se destaca como uma joia escondida no coração do Brasil. Fundada em 1976, a cidade emergiu em meio à expansão da indústria de amianto, particularmente pela mineradora SAMA, e atualmente abriga importantes usinas hidrelétricas, incluindo Serra da Mesa e Cana Brava.

A Majestosa Serra da Mesa e o Lago de Cana Brava

 

A Serra da Mesa abriga uma das mais impressionantes obras de engenharia do Brasil: a barragem da Usina Hidrelétrica de Serra da Mesa. Com uma capacidade de armazenamento de 54,4 bilhões de metros cúbicos de água e cobrindo uma área de 1.784 km², este é o maior lago artificial do país em volume de água. A construção da barragem, iniciada em 1986 e concluída em 1998, resultou em um lago que se estende por vários municípios goianos, incluindo Minaçu, Niquelândia, e Uruaçu.

 

A barragem, com 154 metros de altura e 1.500 metros de comprimento, é uma estrutura de aterro com núcleo de argila, utilizando 12 milhões de metros cúbicos de material. A usina hidrelétrica, que opera com três turbinas do tipo Francis, gera uma capacidade instalada de 1.275 megawatts, contribuindo significativamente para o Sistema Interligado Nacional.

 

O lago de Serra da Mesa é um verdadeiro paraíso para os amantes da pesca esportiva, abrigando espécies como tucunaré, traíra e piranha. Suas águas alcalinas reduzem a proliferação de mosquitos e pernilongos, tornando-o ideal para atividades aquáticas como natação, jet ski e passeios de barco.

 

Lago de Cana Brava

 

Criado pela Usina Hidrelétrica de Cana Brava, o lago de Cana Brava possui uma área inundada de 139 km² e capacidade de vazão máxima de 17.800 m³/s. Localizado no rio Tocantins, entre os municípios de Minaçu, Cavalcante e Colinas do Sul, este lago é uma importante fonte de energia para a região, com uma capacidade instalada de 450 megawatts. A usina, operada pela Tractebel Energia, utiliza três turbinas do tipo Francis para gerar eletricidade.

 

O Lago de Cana Brava é também um ponto de destaque para o turismo em Minaçu. A Praia do Sol, uma praia artificial formada às margens do lago, é um dos principais atrativos turísticos da cidade. Este local é especialmente popular durante o Carnaval, quando se torna o epicentro de festividades, com bares, quiosques e uma vibrante cena de esportes aquáticos.

 

História e desenvolvimento

 

A história de Minaçu é marcada pela mineração, especialmente pela exploração de amianto crisotila pela mineradora SAMA desde os anos 1960. A descoberta desse mineral na região de Cana Brava foi um divisor de águas para o desenvolvimento local. A instalação da usina piloto em 1967 marcou o início de uma nova era econômica, atraindo migrantes e promovendo o crescimento da cidade. Em 1976, Minaçu foi emancipada, consolidando-se como um polo industrial e turístico em expansão, com uma infraestrutura robusta em hospedagem, alimentação e lazer.

 

A mineradora SAMA desempenhou um papel crucial no desenvolvimento econômico de Minaçu. A empresa, uma das maiores produtoras de crisotila no mundo, foi responsável por grande parte do crescimento econômico e social da região. A SAMA implementou diversos programas de sustentabilidade e segurança, integrando sistemas de gestão da qualidade, ambiental e de saúde ocupacional. Apesar das controvérsias e disputas legais sobre os riscos do amianto, a mineração continuou a ser uma força motriz para a economia local.

 

A Serra da Mesa e o Lago de Cana Brava continuam a moldar a identidade de Minaçu. A Serra da Mesa, com sua barragem e usina hidrelétrica, forma o maior lago artificial do Brasil em volume de água. Este lago não só é essencial para a geração de energia, mas também se tornou um ponto de atração para pesca esportiva e esportes aquáticos, devido às suas águas alcalinas que reduzem a presença de mosquitos. O Lago de Cana Brava, criado pela usina homônima, é famoso pela Praia do Sol, uma praia artificial que se tornou o principal ponto de encontro para a população local/

 

Minaçu, portanto, é um exemplo de como a mineração pode impulsionar o desenvolvimento urbano e turístico, integrando crescimento econômico com o aproveitamento sustentável de recursos naturais.

 

Riquezas Históricas e Naturais

 

Entre as ruas de Minaçu, destacam-se a Paróquia Nossa Senhora Aparecida e a charmosa Vila de Furnas. Estas estruturas históricas convivem harmoniosamente com a modernidade, oferecendo um vislumbre do passado vibrante da cidade. No entanto, são as belezas naturais que realmente tornam Minaçu especial. Com suas cachoeiras escondidas, grutas misteriosas, trilhas desafiadoras e até uma praia artificial, a cidade se transforma em um promissor polo turístico de Goiás.

 

Cachoeiras e Grutas

As cachoeiras da região, como a Cachoeira da Cartola e a Cachoeira do Rio Bonito, são verdadeiros tesouros naturais, oferecendo trilhas que variam em dificuldade e recompensam os aventureiros com vistas deslumbrantes. As grutas, como a Gruta do Ataide, proporcionam uma experiência única de espeleologia, ideal para quem busca explorar as profundezas da terra.

 

Trilhas e Aventuras

As trilhas de Minaçu, muitas vezes conhecidas apenas pelos nativos, desafiam os exploradores com caminhos que atravessam paisagens intocadas e cenários de tirar o fôlego. Estas trilhas são ideais para os entusiastas do ecoturismo e do trekking, oferecendo um contato íntimo com a flora e a fauna locais.

 

Praia Artificial e Recreação

A Praia do Sol, uma praia artificial no Lago de Cana Brava, é o coração recreativo de Minaçu. Este local vibrante é perfeito para relaxar, com seus bares e quiosques, além de ser um centro de atividades esportivas e culturais, especialmente durante o Carnaval, quando a praia se transforma em um palco de celebrações e festividades.

 

Desafios e Oportunidades da cidade goiana

 

Apesar das suas maravilhas naturais, a exploração turística de Minaçu ainda enfrenta desafios significativos. A infraestrutura turística necessita de investimentos contínuos para que as belezas da região sejam plenamente aproveitadas. No entanto, este cenário também representa uma oportunidade única para empreendedores e investidores do setor turístico, que podem transformar Minaçu em um destino de ecoturismo e aventura de renome.

 

 Aventura e Natureza

 

Para os aventureiros, Minaçu é um verdadeiro playground. As trilhas que levam às cachoeiras escondidas são desafiadoras e recompensadoras, oferecendo vistas panorâmicas e um contato direto com a natureza. Cada trilha é uma nova descoberta, prometendo experiências únicas e memoráveis.

 

 Principais Pontos Turísticos

 

Matriz Nossa Senhora Aparecida: Um marco histórico e religioso da cidade.

 

Vila de Furnas: Pitoresca vila construída para abrigar funcionários da usina na década de 70.

 

Praia do Sol: Praia artificial com uma animada cena de bares e esportes aquáticos.

 

Mirante da Praia: Um ponto de observação perfeito para contemplar a beleza natural de Minaçu.

 

Lago Serra da Mesa: Destino popular para pesca e atividades aquáticas.

 

Usinas Hidrelétricas de Serra da Mesa e Cana Brava: Estruturas que não só produzem energia, mas também moldam a paisagem local.

 

Cachoeira:: Incluindo Cartola, Fumaça, Jorge, Matula, e Rio Bonito.

 

Corredeiras: Como as do Boiadeiro, Derval, Lageado e Rasga Bunda.

 

Poço do Sabino: Piscina natural de águas cristalinas.

 

Gruta do Ataide: Um local fascinante para os amantes da espeleologia.

 

Minaçu é mais do que uma cidade; é um convite à descoberta e à aventura. Suas riquezas naturais e históricas aguardam visitantes dispostos a explorar e se encantar. Venha descobrir Minaçu, onde cada trilha leva a uma nova surpresa e cada pôr do sol é um espetáculo inesquecível.

Leia também:

Quais as cidades turísticas mais visitadas em Goiás

Cidade goiana é uma jóia preciosa moldada com a história secular e a lavoura de soja

 

Observação de aves: conheça a modalidade de turismo que cresce em Goiás

Por ser um dos países com maior biodiversidade do mundo, o Brasil tem avançado em um novo segmento do ecoturismo: a observação de aves. Segundo divulgado pelo Ministério do Turismo, a modalidade tem se desenvolvido rapidamente no mercado turístico nacional e pode crescer ainda mais. A estimativa é que, atualmente, o número de observadores de aves no País pode variar entre 40 mil e 300 mil.

A atividade, também chamada de “passarinhar” ou “birdwatching”, em inglês, também tem chamado a atenção do turismo em Goiás, principalmente nas regiões do Parque Estadual de Terra Ronca, da Chapada dos Veadeiros, da Chapada das Emas, Vale do Araguaia e Entorno do Distrito Federal.

De acordo com o presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, a observação de aves é uma atividade de lazer que contribui para a conservação dos ambientes naturais e para a educação ambiental e científica. “Muitos turistas procuram destinos onde possam fazer o bircwatching por diversos motivos, seja para estar em contato com a natureza, descobrir algo raro ou belezas que não se encontram em nenhum outro lugar do planeta”, explica.

Estudiosos e amantes da prática afirmam que o interesse dos visitantes em estar perto da natureza para flagrar e acompanhar espécies diferentes se tornou hobby com capacidade de gerar empregos, fomentar a economia do turismo sustentável e conservar a fauna e flora locais.

No Brasil, os observadores têm acesso ao site WikiAves, que é um espaço virtual repleto de registros de imagens e sons das aves, assim como informações sobre elas, entre outras atividades ligadas à prática. Desse modo, os observadores também atuam como colaboradores para o banco de dados das espécies raras e endêmicas.

Receba no seu WhatsApp as melhores dicas da cidade e as notícias mais interessantes em primeira mão!

Cidade goiana de natureza exuberante tem mais imóveis que pessoas. Descubra porquê.

A peculiaridade de Rio Quente, em Goiás, com mais domicílios do que habitantes, reflete uma tendência observada em outros 17 municípios brasileiros segundo dados do Censo Demográfico 2022 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Este censo, realizado decenalmente, coleta dados sobre a população residente no Brasil, seguindo uma metodologia que inclui entrevistas presenciais e, pela primeira vez em 2022, a possibilidade de coleta por meio da Internet em situações específicas. A amostragem estratificada adotada pelo IBGE considera como estrato o setor censitário, com diferentes frações amostrais definidas de acordo com o tamanho da população do município, visando a precisão e representatividade dos dados coletados​​​​.

O censo é uma operação de grande escala que, em 2022, envolveu a previsão de visitar cerca de 75 milhões de domicílios para recensear mais de 215 milhões de habitantes em todas as cidades brasileiras. A tecnologia teve um papel crucial nesta edição, com o uso de dispositivos equipados com sinal 3G e 4G para a transmissão em tempo real das informações coletadas, além do gerenciamento digital dos deslocamentos dos recenseadores e a utilização de recursos como “nuvens” na internet para suporte de comunicações e tráfego de dados​​.

O cenário encontrado em Rio Quente sugere uma característica particularmente interessante para estudos demográficos e de urbanização, possivelmente indicando uma alta proporção de imóveis voltados para o turismo ou segundas residências, um fenômeno não exclusivo, mas talvez mais perceptível em cidades com atrativos turísticos significativos. A disponibilização dos dados completos e detalhados do Censo 2022 pode ser acessada diretamente nos portais do IBGE, tanto em​​quanto em​​, onde é possível explorar uma ampla gama de informações sobre todas as cidades e estados do Brasil, suas populações, estruturas domiciliares, e muitos outros temas relevantes para a compreensão da dinâmica populacional e urbanística do país.

.

Conheça a cidade goiana que tem mais imóveis que habitantes

Foto: Goiás Turismo

A análise dos dados recentemente divulgados pelo Censo Demográfico 2022 do IBGE expande nossa compreensão sobre a distribuição de domicílios e residentes em várias cidades brasileiras, revelando um fenômeno particularmente interessante em localidades turísticas. Este fenômeno não se limita a Rio Quente, Goiás, mas se estende a diversas regiões do país, refletindo uma característica marcante em cidades cuja economia e estilo de vida são significativamente influenciados pelo turismo.

Um exemplo notável é o município de Arroio do Sal, situado no litoral norte do Rio Grande do Sul. Esta cidade, conhecida por suas praias atraentes e infraestrutura acolhedora para visitantes, registra um número de domicílios que supera em 7.800 o total de seus residentes habituais, tendo uma população de aproximadamente 11,1 mil habitantes. Essa discrepância sublinha a presença de uma grande quantidade de residências secundárias, possivelmente usadas para veraneio ou aluguel de temporada, uma prática comum em áreas de elevado interesse turístico.

Além de Arroio do Sal, outras cidades turísticas ao longo do Brasil apresentam situações semelhantes. Ilha Comprida em São Paulo, Matinhos no Paraná, Ilha de Itamaracá em Pernambuco, Mangaratiba no Rio de Janeiro, e Saubara na Bahia, são exemplos onde o número de domicílios supera o de residentes permanentes. Esse padrão é especialmente prevalente em regiões litorâneas, onde a atratividade das praias e a oferta de lazer e descanso atraem investimentos em imóveis voltados para o turismo.

No caso específico do litoral norte do Rio Grande do Sul, a concentração de cidades com essa peculiaridade é notável, sendo Arroio do Sal um dos destaques pela sua elevada proporção de domicílios por habitante, chegando a uma média de 1,7 residência por pessoa. Esta estatística indica não apenas a importância do turismo para a região mas também levanta questões sobre os impactos sociais, econômicos e ambientais dessa dinâmica, como a pressão sobre recursos locais fora da temporada turística e os desafios para a gestão municipal em atender tanto às necessidades dos residentes quanto às dos visitantes temporários.

Essas observações apontam para a relevância de políticas públicas e estratégias de desenvolvimento urbano que equilibrem os benefícios econômicos do turismo com a sustentabilidade e qualidade de vida dos habitantes locais. Ao mesmo tempo, destacam a importância de estudos demográficos detalhados, como os realizados pelo IBGE, para entender melhor as características e necessidades de diferentes regiões do Brasil, permitindo intervenções mais eficazes e adaptadas às realidades locais.

Conheça a cidade goiana que tem mais imóveis que habitantes

Foto: Prefeitura de Rio QuenteAo aprofundar o olhar sobre a região do litoral norte do Rio Grande do Sul, notamos a existência de diversos municípios que exibem a peculiaridade de possuírem mais domicílios do que habitantes, um fenômeno que vai além de Rio Quente, em Goiás. Entre essas cidades gaúchas, destacam-se Xangri-Lá, Cidreira, Balneário Pinhal e Palmares do Sul, todas marcadas pela atraente combinação de praias e infraestrutura que favorece o turismo e, consequentemente, a aquisição de imóveis para veraneio.

O fenômeno não é restrito ao Rio Grande do Sul. Uma análise mais ampla revela que entre os dez municípios brasileiros com a maior relação de domicílios por habitante encontram-se também Jaguaruna em Santa Catarina, Pontal do Paraná no Paraná, Imbé no Rio Grande do Sul, Ilha Comprida em São Paulo, e Saubara na Bahia, com taxas que se aproximam de 1,2 residência por pessoa. Essa tendência sublinha a atração dos imóveis de lazer e a importância do turismo nas economias locais dessas cidades.

Mangaratiba, no Estado do Rio de Janeiro, merece destaque especial por abrigar condomínios de alto padrão e ser conhecida por possuir entre seus imóveis uma residência do renomado jogador de futebol Neymar. Com uma população de 41.220 habitantes, Mangaratiba atrai visitantes principalmente da zona oeste do Rio e da Baixada Fluminense, especialmente aos fins de semana. O Poção de Muriqui, um encantador curso d’água que nasce do encontro de três cachoeiras e deságua na praia de Muriqui, é um dos pontos turísticos mais procurados. Este local oferece uma experiência única aos visitantes com suas águas cristalinas e calmarias, ideal para o lazer familiar .

Por outro lado, Matinhos, localizada no litoral do Paraná, tem demonstrado um compromisso significativo com o desenvolvimento do turismo e a preservação de suas praias. A cidade investiu expressivamente cerca de R$ 314,9 milhões no alargamento de sua orla, utilizando 3,2 milhões de metros cúbicos de areia, o equivalente a 220 mil caminhões. Essa iniciativa não apenas visa impulsionar o turismo mas também combater a erosão costeira, um desafio comum em diversas cidades litorâneas pelo Brasil. Essas ações refletem uma tendência observada nacionalmente, em que municípios litorâneos buscam no alargamento de suas praias não apenas uma estratégia para estimular o turismo mas também um meio de mitigar problemas ambientais, garantindo a sustentabilidade e a atração turística de suas praias a longo prazo.

Conheça a cidade goiana que tem mais imóveis que habitantes

Foto: Hoteis.com

ChatGPT

Na Baía de Todos os Santos, Vera Cruz, um município baiano situado na Ilha de Itaparica, emerge como um destino destacado, especialmente pela Praia da Conceição. Conhecida por suas águas calmas de tonalidade esverdeada e uma espaçosa faixa de areia alaranjada, a Praia da Conceição é um refúgio ideal para famílias e turistas em busca de tranquilidade e beleza natural. Sua boa infraestrutura e o cenário que mais parece uma grande piscina natural fazem dela um ponto de parada obrigatório para quem visita a região​​.

Vera Cruz, distante apenas 5,5 quilômetros de Salvador, é acessível por um sistema de transporte marítimo eficiente, que conecta o município à capital baiana em uma viagem de aproximadamente trinta e cinco minutos. Este município, predominantemente urbano, é frequentado, especialmente aos finais de semana, por pessoas das classes média e média-alta de Salvador e do Recôncavo baiano, oferecendo uma diversidade de atividades e atrações para seus visitantes​​.

A Praia da Conceição, em particular, carrega consigo uma riqueza histórica, tendo recebido seu nome das ruínas da igreja da Conceição, localizada em suas proximidades. Além do seu valor estético e recreativo, essa praia é um ponto de interesse cultural, estando perto do famoso Club Med, e é altamente procurada por turistas que desejam desfrutar de seu ambiente sereno e pitoresco​​.

Além da Praia da Conceição, Vera Cruz abriga diversas outras praias e atrações, cada uma com suas características únicas, tornando o município um destino rico e diversificado para todos os tipos de turistas. O acesso a uma variedade de hospedagens na região permite aos visitantes escolherem acomodações que melhor atendam suas preferências e necessidades, garantindo uma experiência memorável na Ilha de Itaparica​​.

Saiba mais detalhes sobre Rio Quente (GO)

Rio Quente, localizado em Goiás, é uma cidade única e encantadora, reconhecida por suas fontes termais, que são as maiores da América Latina. As águas, que chegam a 37,5°C, são conhecidas por suas propriedades medicinais, promovendo relaxamento e bem-estar. Além disso, a cidade oferece uma rica seleção de parques de lazer e uma natureza exuberante, com cachoeiras, rios e matas, ideal para os amantes de aventuras ao ar livre​​.

Entre as principais atrações de Rio Quente, o Hot Park se destaca como um dos mais famosos parques aquáticos da região, com atividades para todas as idades, incluindo piscinas, toboáguas, rios de corredeiras e passeios de barco. Outra maravilha local é o Parque das Fontes, onde visitantes podem desfrutar de banhos termais em piscinas com águas ricas em minerais e propriedades terapêuticas, cercado por uma paisagem natural deslumbrante​​.

Para aqueles que buscam mais aventura, o Eko Aventura Park oferece atividades como Eco Pesca, Rafting, Tirolesa e passeios de quadriciclo, além de um passeio de caiaque chamado Duck. Há também o Clubinho da Criança, com diversas atrações pensadas especialmente para os pequenos, e o Lago de Águas Quentes, ideal para quem deseja um contato mais direto com a natureza, com possibilidade de mergulho entre peixes em suas águas límpidas​​.

A Praia do Cerrado, localizada dentro do Hot Park, é considerada a maior praia de águas quentes do mundo e simula uma experiência litorânea completa com areia branca, águas cristalinas e coqueiros. Suas águas oferecem 9 tipos diferentes de ondas, atingindo até 1,20 metros de altura, além de áreas de calmaria para relaxamento​​.

A culinária de Rio Quente também é um atrativo, com uma diversidade de pratos típicos goianos e opções da culinária brasileira. Pratos como pamonha, peixe assado na brasa e caldo de mocotó são apenas algumas das delícias locais que você pode experimentar durante sua visita​​.

Para acomodação, Rio Quente Resorts oferece uma ampla variedade de hotéis e chalés, garantindo opções para todos os gostos e necessidades, desde locais mais sofisticados com piscinas de borda infinita até aconchegantes chalés em meio à natureza​​.

Com tanta variedade de atrações e atividades, Rio Quente é verdadeiramente um destino que oferece algo especial para todos, seja para relaxamento, aventura ou apenas para desfrutar das maravilhas naturais que o local tem a oferecer.

Leia Também

O que fazer em Rio Quente em 48 horas

Conheça a cidade goiana onde os rios cantam histórias de peixes e sonhos

Você já ouviu falar da cidade de Aporé, em Goiás? Com um nome que significa “rio dos peixes”, essa cidade encantadora é um verdadeiro elo interestadual na região Centro-Oeste do Brasil.

A origem do nome “Aporé” é bastante significativa e reflete a riqueza natural da região em que o município está situado. O nome “Aporé” vem do tupi-guarani e significa “rio dos peixes”. Esse nome foi escolhido em homenagem ao Rio Aporé, que atravessa o território do município, destacando a importância do rio tanto para a biodiversidade local quanto para a vida das comunidades que se desenvolveram ao seu redor​​​​.

Esse elo com a natureza é fundamental para entender a identidade de Aporé, refletindo a conexão entre os habitantes e o meio ambiente. O rio, além de ser uma fonte de vida, propiciou a comunicação e o comércio com regiões vizinhas, especialmente antes da construção de estradas e pontes modernas. Assim, o nome Aporé carrega em si não apenas a referência ao “rio dos peixes” mas também a história de desenvolvimento e a interação humana com o ecossistema local.

Aporé, uma cidade encantadora situada no interior do estado de Goiás, é um destino que merece ser descoberto. Com uma população de 4.110 habitantes, conforme estimativa do IBGE de 2016, Aporé é um lugar onde a tranquilidade e a beleza natural se unem para criar um ambiente perfeito para relaxar e desfrutar da vida rural.

A história de Aporé remonta ao início do século XX, perto da pequena vila de Arraial do Corrente. O fazendeiro Sr. João Nunes plantou, próximo às margens do Rio Aporé, as sementes do que viria a se tornar a cidade de Aporé. Ele doou terras para que a Igreja Católica criasse uma capela, a capela do Divino Espírito Santo1. Em 1958, a vila de Aporé se transformou no município de Aporé. A economia de Aporé é baseada na agricultura e na pecuária leiteira. A cidade produz soja, milho e arroz, e possui indústria frigorífica e cerâmica.

Aporé é um destino ideal para quem busca uma experiência autêntica do interior de Goiás. A cidade oferece uma oportunidade única para os visitantes se conectarem com a natureza e a cultura local. Então, se você está procurando um lugar para escapar da agitação da vida na cidade e desfrutar da tranquilidade do campo, Aporé é o lugar perfeito para você. Venha descobrir este tesouro escondido no coração de Goiás!

Foto: Prefeitura de Aporé

Aporé é um município brasileiro localizado no interior do estado de Goiás. Com uma população estimada em 4.325 habitantes, de acordo com o IBGE de 2022, essa cidade está situada a cerca de 440 quilômetros de Goiânia, próxima à divisa com o Estado de Mato Grosso do Sul.

A história de Aporé remonta ao início do século XX, quando existia uma pequena vila chamada Arraial do Corrente. Com a decadência econômica desse arraial, o fazendeiro Sr. João Nunes decidiu plantar sementes próximas às margens do Rio Aporé, criando assim as bases para a futura cidade de Aporé. Ele também fez a doação de terras para que a Igreja Católica pudesse construir uma capela, a capela do Divino Espírito Santo.

Uma ponte foi construída sobre o rio Aporé, permitindo a comunicação com o então Estado do Mato Grosso. Em 1938, as primeiras casas surgiram no povoado, que recebeu o nome de Aporé em homenagem ao rio que atravessa seu território. Em 1958, Aporé se tornou oficialmente um município.

Rio Aporé. Foto: Prefeitura de Aporé

A economia de Aporé é baseada principalmente na agricultura, com destaque para cultivos como soja, milho e arroz. Além disso, a pecuária leiteira também desempenha um papel importante na cidade. Aporé possui ainda indústrias frigoríficas e cerâmicas, contribuindo para o desenvolvimento local.

Ilha do Pescador. Foto: Prefeitura de Aporé

Aporé: A Ilha do Pescador e as Festividades Tradicionais

Aporé, uma cidade encantadora no interior de Goiás, é um destino que oferece uma experiência única para os visitantes. Entre seus principais atrativos, destaca-se a Ilha do Pescador, um lugar de beleza natural inigualável, cercado pelo rio Aporé.

A Ilha do Pescador é um refúgio de tranquilidade e beleza natural. Os visitantes podem desfrutar de momentos relaxantes à beira do rio, apreciando a paisagem e a fauna local. A pesca esportiva é uma atividade popular na ilha, tornando-a um destino favorito para os entusiastas da pesca.

Aporé é também conhecida por suas festividades tradicionais. A Festa do Peão é uma das mais concorridas da região. Realizada anualmente, a festa atrai visitantes de todo o estado e até de outras regiões do Brasil. A edição de 2023 da Festa do Peão de Aporé foi realizada entre os dias 11 e 14 de maio pela Associação de Rodeios e Eventos de Aporé (AREA), no Recinto de Exposições Alexandre Stefanini.

Além da Festa do Peão, Aporé realiza anualmente a Festa de Santo Agostinho, em homenagem ao padroeiro da cidade. Esta festa religiosa é um momento de celebração e devoção, fortalecendo a fé e a união da comunidade.

Portanto, se você está procurando um lugar para desfrutar da natureza, participar de festividades tradicionais e experimentar a hospitalidade calorosa do interior de Goiás, Aporé é o destino perfeito para você. Venha descobrir este tesouro escondido no coração de Goiás!

Foto de Capa:  Prefeitura de Aporé

Leia também:

Você precisa conhecer a melhor cidade de Goiás para comer salgado

Cidade de Goiás se prepara para tradicional programação da Semana Santa

Cidade goiana tem a melancia mais doce do Brasil

Ao adentrar os limites de Uruana, os visitantes são recebidos por um emblemático monumento de melancia, acompanhado da cordial mensagem: “Bem-vindo a Uruana, capital da melancia”. Esse cartão de visitas não só corrige pronúncias equivocadas — destacando que o nome correto é Uruana, não Uruanã — mas também prenuncia a doçura e o acolhimento que definem esta cidade goiana, que este ano celebra seu 71º aniversário.

Enraizada na margem direita do Rio Urú, um tributário do Tocantins, Uruana está a uma jornada de 140 km da efervescência de Goiânia. O nome da cidade é um tributo à sua herança, uma fusão do rio que define sua paisagem com a memória da pioneira Dona Ana, criando uma identidade única refletida no orgulho de seus quase 14 mil habitantes. Essa população, segundo dados recentes do IBGE, vive em um território onde a história é valorizada e o futuro é cultivado com a mesma dedicação aplicada às suas famosas melancias.

O Rio Urú, coração aquático de Uruana, é um espetáculo de mutabilidade e beleza. Suas águas, que oscilam entre 1 a 1,5 metros na estação seca, transformam-se em um caudaloso curso de 3 a 8 metros durante as chuvas, proporcionando um cenário diversificado para moradores e visitantes. A vida em Uruana gira em torno desse rio, fonte de lazer, inspiração e, indiretamente, responsável pela irrigação que alimenta os campos de melancia.

A Festa da Melancia de Uruana é um ponto alto no calendário cultural, celebrando o ápice da colheita em setembro com uma alegria que contagia tanto os locais quanto visitantes de todo o Brasil. Eventos como o concurso “Maior Chupador de Melancia” não são apenas testemunhos da abundância local, mas também atos de celebração comunitária que fortalecem o tecido social e atraem atenção nacional, reforçando a identidade da cidade como a incontestável capital da melancia.

Paralelamente às celebrações agrícolas que definem a identidade de Uruana, a devoção e a fé da cidade são magnificamente encarnadas na Festa de São Sebastião. Este evento vai muito além das práticas religiosas habituais, transformando-se em um vibrante encontro comunitário que espelha profundamente a fé e a união dos moradores. A festividade é uma verdadeira expressão da alma da cidade, onde o sagrado e o secular se entrelaçam para criar uma experiência coletiva única.

A igreja de São Sebastião, situada no coração de Uruana, não é apenas um edifício; é um símbolo venerado, um ponto de convergência onde passado, presente e futuro da comunidade se encontram. As paredes históricas do templo são testemunhas silenciosas de gerações de fiéis que ali buscaram conforto, orientação e celebração. Durante a festa, esse espaço sagrado se ilumina, tornando-se o epicentro de uma série de rituais, celebrações e atividades que englobam toda a comunidade, independente da idade ou do background social.

As celebrações são um espetáculo para os sentidos, caracterizadas por procissões luminosas, onde velas iluminam as faces dos participantes, refletindo sua devoção e esperança. Cânticos e orações ecoam pelas ruas, criando um tapeçário sonoro que eleva o espírito e fortalece o sentimento de pertencimento. A fé compartilhada durante o evento fortifica os laços comunitários, reafirmando a igreja não só como um local de adoração, mas também como um espaço vital para o encontro e a solidariedade entre os habitantes.

Além do aspecto espiritual, a festa é um momento de alegria e de celebração da cultura local, onde barracas coloridas se alinham pelas ruas, vendendo desde artesanato até delícias culinárias típicas da região. Essas barracas, atendidas por moradores locais, são um reflexo da economia colaborativa da cidade, onde cada venda e cada compra têm um significado maior, contribuindo para o bem-estar coletivo. É um tempo em que a cidade inteira se engaja, promovendo a união, a partilha e a celebração da vida em Uruana.

Em resumo, a Festa de São Sebastião em Uruana é muito mais do que uma celebração religiosa; é um pilar da identidade cultural e comunitária da cidade. A igreja, nesse contexto, transcende seu papel tradicional, agindo como um catalisador para a união, a tradição e a expressão coletiva da fé e dos valores que constituem o tecido social de Uruana, reforçando assim a harmonia e a conexão entre seus cidadãos

A entrada de Uruana mostra seu principal produto agrícola

A entrada de Uruana mostra seu principal produto agrícola

Economicamente, Uruana se destaca pela sua produção de melancias, com uma vasta área dedicada ao cultivo que se traduz em significativa atividade econômica. A safra não apenas preenche os mercados locais e internacionais, mas também impulsiona o setor de serviços da cidade, desde acomodações até gastronomia, evidenciando a interdependência entre a agricultura e o turismo.

Em resumo, Uruana oferece uma experiência singular que vai além da degustação de suas melancias renomadas. A cidade promete um mergulho em tradições ricas, paisagens naturais estonteantes e uma hospitalidade que faz cada visitante se sentir em casa. Ao planejar sua próxima viagem, considere Uruana não apenas como um destino, mas como uma vivência imersiva na autenticidade e no sabor do coração de Goiás.

Leia também:

Cidade goiana é um refugio apaixonante com águas quentes e muita beleza natural

Modelo Glamorosa e assassina implacável são mesma pessoa em novo sucesso da Netflix

Cidades de natureza exuberante no sul da Bahia são verdadeiras jóias do Nordeste brasileiro

Conheça o raríssimo fenômeno da natureza que só acontece em Goiás

O cerrado goiano é casa de muitas riquezas naturais de fauna e flora, e entre elas, abriga um fenômeno único. No Parque Nacional das Emas, localizado entre os municípios de Serranópolis (GO), Mineiros (GO), Chapadão do Céu (GO) e Costa Rica (MS), é possível presenciar o fenômeno da bioluminescência, quando os cupinzeiros ficam cheios de pontos brilhantes durante à noite, criando um cenário mágico e de encher os olhos.

Para os que querem presenciar o fenômeno, temos boas notícias: estamos no período ideal para ver a bioluminescência, que atinge seu pico entre os meses de outubro e novembro. Além da beleza do fenômeno, o Parque Nacional das Emas é um destino sem igual para os que curtem turismo de aventura e esportes radicais. Já está louco pra conhecer o Parque? Então pode preparar as malas e levar o nosso guia completo para a viagem, com dicas de como chegar, onde ficar, como visitar, e claro, não perder nada de um dos fenômenos mais incríveis que o cerrado goiano proporciona. Boa viagem!

 

1. Conheça o Parque Nacional das Emas

Parque

Parque Nacional das Emas, em Goiás (Foto: Goiás Turismo)

Localizado no sudoeste do estado de Goiás, o Parque Nacional das Emas é uma Unidade de Conservação criada em 1961 para proteger 132 mil hectares de cerrado, ameaçados principalmente pelas queimadas e incêndios e considerado Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO. Com temperatura média de 22 graus, e predominância de solos planos e chapadões, o período de seca do Parque Nacional das Emas se estende de junho a setembro, quando os incêndios são mais comuns.

O Parque abriga diversas formas de cerrado, como os campos limpos, campos sujos, veredas e matas ciliares, e além da flora, abriga também animais típicos do cerrado, como o tamanduá-bandeira, o cachorro-do-mato, a ema, a anta, veados e outras espécies.

O acesso ao Parque se dá pelos municípios goianos de Serranópolis, Mineiros e Chapadão do Céu, e pelo município de Costa Rica, no Mato Grosso do Sul. O Parque Nacional das Emas é a única área do cerrado onde é possível presenciar o raro e belíssimo fenômeno da bioluminescência.

2. O que é a bioluminescência?

Fenômeno

Fenômeno da bioluminescência no Parque Nacional das Emas, em Goiás (Foto: Ary Bassous)

A bioluminescência é o fenômeno da emissão de luz visível por organismos vivos, que acontece principalmente em organismos do meio aquático, como bactérias, fungos, algas, moluscos e peixes. Ainda mais raro no ambiente terrestre, a bioluminescência ocorre em fungos, moluscos e principalmente nos insetos, como os vagalumes.

No Parque Nacional das Emas, a bioluminescência acontece por conta de uma espécie de vagalumes que deposita seus ovos nos buracos dos cupinzeiros que ocupam o local. Mesmo em estado de larvas, os vagalumes já emitem luz, e brilham para atrair insetos voadores da vizinhança, inclusive cupins, e fazer um bom jantar, criando um fenômeno de incomparável beleza.

Os cupinzeiros são encontrados em várias regiões do país e até em municípios próximos do Parque Nacional das Emas, mas, por razões ainda desconhecidas, o fenômeno da bioluminescência só acontece no Parque.

Fenômeno

Fenômeno da bioluminescência no Parque Nacional das Emas, em Goiás (Foto: Alessandro Bearzi)

3. Quando presenciar a bioluminescência no Parque Nacional das Emas?

Fenômeno

Fenômeno da bioluminescência no Parque Nacional das Emas, em Goiás (Foto: Alessandro Bearzi)

Visível apenas durante a noite, a bioluminescência pode ser vista nos cupinzeiros do Parque Nacional das Emas principalmente no período de outubro e novembro. Noites quentes, sem luar, com alta umidade ou após uma chuva são o momento ideal para presenciar o fenômeno.

4. Como visitar o Parque Nacional das Emas?*

Para visitar o Parque Nacional das Emas, é necessário portar um ingresso, que deve ser emitido com antecedência por um dos CATs ou Agências de Turismo existente nas cidades de Mineiros ou Chapadão do Céu, em Goiás. É recomendado visitar o Parque acompanhado por guias – os municípios possuem guias capacitados para acompanhar os turistas.

*Todos os valores mencionados são referentes ao município de Mineiros.

Central de Atendimento ao Turista de Mineiros

Endereço: Avenida Alessandro Marchió, N169, Centro

Telefone: (64) 3661-0006 | (64) 3661-0005

Email: [email protected]

Central de Atendimento ao Turista de Chapadão do Céu

Telefone: (64) 3634-1517

Horários de visitação

Diariamente das 07h às 16h.

Períodos de bioluminescência: das 07h às 23h.

Transporte

Carro

Carro Safari no Parque Nacional das Emas. É possível alugar o veículo para passeios pela Unidade de Conservação (Foto: Prefeitura de Mineiros)

Só é permitido a entrada de veículos particulares que sejam 4×4 (traçados nas 4 rodas). Os municípios possuem carros disponíveis para locação. O Parque conta também com um Carro Safari com capacidade para 20 pessoas que permite uma visão panorâmica e deve ser reservado com antecedência.  É necessário pagar o motorista.

Atividades no Parque Nacional das Emas

Passeio

Passeio de bote no Rio Formoso, no Parque Nacional das Emas (Foto: Goiás Turismo)

Além de observar o fenômeno da bioluminescência durante a noite, é possível praticar vários esportes de aventura no Parque Nacional das Emas, como o passeio de 2km de boia-cross e flutuação (R$40 cada por pessoa), passeio de 7km de contemplação no bote e fazer trilhas de bicicleta no Parque. Vale lembrar que todas as atividades devem ser previamente agendadas com os guias nos Centros de Atendimento aos Turistas.

Boia

Boia-cross no Rio Formoso, no Parque Nacional das Emas (Foto: Prefeitura de Mineiros)

5. Como chegar ao Parque Nacional das Emas?

De Chapadão do Céu (11% do território do Parque Nacional das Emas)

Chapadão do Céu fica a 480km de Goiânia, com acesso pela BR-060. O município fica a 26 km de estrada de terra do Portão do Bandeira do Parque Nacional das Emas.

De Mineiros (86% do território do Parque Nacional das Emas)

Mineiros fica a 420km de Goiânia, com acesso pela BR-060. O município fica a 86 km de estrada de asfalto do Portão Jacuba do Parque Nacional das Emas.

Fenômeno

Fenômeno da bioluminescência no Parque Nacional das Emas, em Goiás (Foto: Simone Mamede)

6. Onde ficar e onde comer?

Para informações de hospedagem e alimentação, entre em contato com as Centrais de Atendimento ao Turista (CAT) de cada município:

CAT Mineiros

Endereço: Avenida Alessandro Marchió, N169, Centro

Telefone: (64) 3661-0006

Email: [email protected]

Agências de turismo

Trekking Turismo – Mineiros (GO)

Telefone: (64) 9611-5259

Trilhas do Cerrado – Mineiros (GO)

Telefone: (64) 9954-4017

CAT Chapadão do Céu

Telefone: (64) 3634-1517

 

 

Lugares em Goiás que deixam até viagens internacionais no chinelo

Goiás, o coração do Brasil, tem se destacado cada vez mais como um destino turístico imperdível, conquistando a atenção de viajantes de diversas partes do mundo. Mas você sabia que muitos lugares em Goiás deixam viagens internacionais no chinelo? Nós vamos te contar tudo, segue o fio.

Com sua rica diversidade cultural, belezas naturais e patrimônios históricos, o estado reserva verdadeiros tesouros capazes de encantar qualquer turista.

O Curta Mais preparou uma seleção especial com 20 destinos que revelam a essência única de Goiás.

Desde os clássicos pontos turísticos até joias pouco conhecidas, essa lista oferece opções para todos os tipos de exploradores, prometendo experiências inesquecíveis.

Embarque conosco nessa jornada de descobertas e surpreenda-se com a riqueza de lugares que Goiás tem a oferecer, superando até mesmo as expectativas dos viajantes mais exigentes.

Conheça agora lugares em Goiás que deixam muitas viagens internacionais ‘no chinelo’

 

1.Rio Quente – a 179 km de Goiânia

Lugares em Goiás que deixam muitas viagens internacionais no chinelo

da6cbfd76bf9512f906d7e5062bc97ad.jpg

Rio

Mergulho em Rio Quente

A cidade de Rio Quente tem grande destaque no turismo de águas termais, abrigando o famoso Rio Quente Resorts.

Considerado um dos maiores complexos de águas termais do Brasil, a propriedade também conta com o Hot Park, ponto turístico de grande destaque no país.

Outro de seus grandes destaques, a Praia do Cerrado é a maior praia artificial com águas naturalmente quentes do mundo e uma das principais atrações do resort, disponível gratuitamente para os hóspedes do Rio Quente Resorts.

Como chegar: Rio Quente fica a 179 km de Goiânia, acesso pela GO-020 até Bela Vista de Goiás, então, entre à esquerda na GO-139; no encontro com a GO-213, vire sentido a Rio Quente e logo vire na GO-507.

Informações: (64) 3452-7021

 

2. Salto de Corumbá – a 115 km de Goiânia

salto

salto

Exatamente a 115 quilômetros de Goiânia e 95 quilômetros de Brasília. Esse cantinho abençoado por Deus e bonito por natureza reúne tantos atrativos que provavelmente não conseguiremos contar todos aqui. A área de 11 alqueires pertence ao empresário Rodrigo Borges (filho do ex-Governador Mauro Borges e neto de Pedro Ludovico Teixeira, fundador de Goiânia) e foi aberta ao público há quase 30 anos.

Mesmo com várias opções de diversão, são as cachoeiras que atraem tanta gente para o lugar. Sete no total com destaque para a incrível “Salto Corumbá” com 50 metros de queda, que em setembro e outubro fica perfeita para o banho com água na altura do joelho e temperatura média de 28 graus. Num raio de 1,5 km é possível conhecer à pé todas as sete cachoeiras do local por meio das trilhas sinalizadas e de fácil acesso. Outra atração é o “Poço da Gruta” com água geladíssima que chega a temperaturas de 15º em meses menos quentes do estado.

Como chegar: BR 414 – Km 383, Corumbá de Goiás, Goiás (acesso de Goiânia pela BR-060, em Anápolis pega sentido Corumbá de Goiás)

Telefones: (61) 4063-8546 e (62) 9658-7357 (whatsapp)

 

3. Paraúna – a 126km de Goiânia

Cachoeira

Cachoeira do Desengano, em Paraúna.

Foto: Goiás Turismo.

Muitos mistérios cercam Paraúna. A pouco mais de 100km de Goiânia, a cidade abriga histórias e lendas repassadas pelos moradores das redondezas, que afirmam que a região é visitada ou habitada por seres estranhos (alguns até vindos de outros planetas). O misticismo está relacionado às grandes formações rochosas e às construções antigas que a cidade abriga. Realidade ou ficção, o que se pode afirmar é que Paraúna é cheia de belezas naturais. Para os que apreciam bons banhos, vale conhecer a Cachoeira do Cervo, a Cachoeira do Desengano e o Córrego Couro do Cervo, ideais também para a prática de boia-cross, rafting e canoagem. A cidade conta ainda com a incrível Ponte de Pedra, uma formação natural com grutas e cavernas criada pelas águas dos rios Ponte de Pedra e Rio Corrente. Outro ponto muito procurado é a Serra das Galés, com suas formações rochosas rodeadas de mistérios, como a Pedra do Cálice.

PEdra

Pedra do Cálice, na Serra das Galés, em Paraúna. Formação rochosa rodeada de histórias e lendas.

Foto: Aalaorbr

Como chegar: Paraúna fica a 126km de Goiânia, com acesso pela BR-060.

Informações de hospedagem e alimentação: (64) 3957-7045

4. Pirenópolis – a 128 km de Goiânia

Igreja

Igreja Nossa Senhora do Rosário, parte do patrimônio tombado pelo IPHAN (Foto: Goiás Turismo)

onde

Roteiro de charme: entre ruas e prédios históricos, o burburinho dos bares e restaurantes

Entre as beldades de Goiânia e os burocratas de Brasília, surge Pirenópolis (ou só “Piri” para os mais íntimos). Com boa comida, pousadas de charme, compras espertas e um patrimônio arrebatador, não há como não deixar de se encantar com essa pequena joia do interior de Goiás.

Tombada como conjunto arquitetônico, urbanístico, paisagístico e histórico pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 1989, Pirenópolis é um registro da história de Goiás, que transpira nos casarões e construções antigas de seu Centro Histórico. Além disso, a cidade é o berço do escultor goiano José Joaquim de Veiga Valle e dos cantores sertanejos Zezé di Camargo e Luciano (a casa onde eles cresceram ainda existe, nos arredores da cidade!). Vale intercalar os passeios pela cidade com visitas às cachoeiras e trilhas do Parque Estadual Serra dos Pireneus. A cidade, que recebe grandes festivais de gastronomia, literatura e cinema, e festas religiosas, é um dos destinos preferidos de fins de semana e feriados prolongados para os moradores de Goiânia e Brasília.

Como chegar: Pirenópolis fica a 128 km de Goiânia, com acesso pela GO-431.

Telefones úteis: Secretaria de Turismo de Pirenópolis: (62) 3331-2416 | CAT – Pirenópolis: (62) 3331-2633

 

5. Cocalzinho de Goiás – a 129km de Goiânia

Gruta

Caverna dos Ecos, em Cocalzinho de Goiás, que abriga o maior lago subterrâneo da América Latina.

Foto: Alexandre Lobo

A quase 130km de Goiânia está a cidade de Cocalzinho de Goiás. Erguida às margens do Rio Corumbá, a cidade é cortada por vários córregos e rios, que criam cachoeiras como a dos Caiapós, do Morrinho dos Pireneus, do Pedro Belo e Sete Grota. Programa obrigatório na cidade é curtir a tirolesa Voo dos Pirineus, com 567 metros de comprimento. Na região também são produzidos vinhos finos e premiados com uvas europeias, na Fazenda Pirineus Vinhos e Vinhedos. Também vale conhecer a Caverna dos Ecos, que abriga o maior lago subterrâneo da América Latina.

Cachoeira

Cachoeira dos Pirineus, em Cocalzinho de Goiás.

Foto: Goiás Turismo.

Vinhedo

Uvas da Fazenda Pirineus Vinhos e Vinhedos, em Cocalzinho de Goiás.

Foto: Geyzon Lenin

Como chegar: Cocalzinho de Goiás fica a 129km de Goiânia, com acesso pela BR-060, BR-153 e BR-414.

Informações de hospedagem e alimentação: (62) 3339-1527

 

6. Cidade de Goiás – a 141 km de Goiânia

cora

empadao

comercial

Entre casarões, ruas de paralelepípedo, empadões goianos e doces caseiros

Localizada há 130 km da Capital, as belezas naturais e arquitetônicas são o maior charme do município que é reconhecido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), como Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade desde 2001. As belezas que impressionaram o mundo estão em uma arquitetura preservada que varia entre o barraco, rococó e até gótico. Os Museu de Arte Sacra, o chafariz de Cauda, construído em 1778, ou a Igreja do Rosário são alguns exemplos desta beleza. Não há também como visitar a Cidade sem conhecer a casa da poetiza Cora Coralina, seus pertences, manuscritos, sua bica.

Como chegar: acesso pela GO-070.

CAT (Centro de Atendimento ao Turista): (62) 3331-2633

 

7. Caldas Novas – a 171 km de Goiânia

Águas

Caldas Novas possui mais de 200 piscinas termais…

Parque

… e mais de 20 parques e clubes – é água pra curtir o ano inteiro!

Lago

Pôr do sol no Lago Corumbá, em Caldas Novas

Nacionalmente conhecida por suas águas termais, que compõem o maior manancial hidrotermal do mundo e recebem mais de quatro milhões de turistas por ano, do Brasil e de fora do país. Caldas Novas é a quarta cidade turística não-capital do Brasil, e possui o maior polo hoteleiro de Goiás. A cidade também abriga o Parque Estadual da Serra de Caldas Novas, com suas trilhas e cachoeiras, abrindo espaço para o ecoturismo e o turismo de aventura, e recebe eventos de porte nacional, como o Caldas Country, um dos maiores festivais de música sertaneja do Brasil.

Como chegar: Caldas Novas fica a 171 km de Goiânia, com acesso pela BR-153 (até o trevo de Piracanjuba) e seguir: GO-217, GO-139 e GO-213. Ou pela GO-020, e depois pela GO-139.

 

8.Santuário Basílica de Trindade – a 18 km de Goiânia

TRINDADE

O Santuário Basílica do Divino Pai Eterno, templo católico, localizado no município goiano de Trindade, sendo a única basílica no mundo dedicada ao Divino Pai Eterno.

A Festa de Trindade é realizada todo ano, iniciando-se no último sábado do mês de junho e finalizando-se no primeiro domingo do mês de julho em Trindade, no estado de Goiás, onde recebe mais de 3 milhões de fiéis, durante seus 9 dias de duração.

Como chegar: acesso pela GO-060 (rodovia dos Romeiros)

Informações úteis: (62) 3506-7041

 

9. Vila Propício – a 188km de Goiânia

Lago

Lago Azul, em Vila Propício. (Imagem Do Cerrado via Youtube)

Conhecida por ter o segundo maior complexo de cavernas do Centro-Oeste, com mais de 50 cavernas e grutas que atraem turistas do Brasil e do mundo, a cidade de Vila Propício possui ainda outras belezas naturais. Dentre as cavernas mais visitadas estão a Chico Pina, Cearense, Dois Irmãos, Três Marias e a da Samambaia. A cidade abriga ainda a Cachoeira Rio dos Patos e o incrível Lago Azul, de águas azuis e cristalinas, perfeito para banho e mergulho.

Caverna

Caverna da Samambaia, em Vila Propício.

Foto: Goiás Turismo.

Como chegar: Vila Propício fica a 188km de Goiânia, com acesso pela BR-060, BR-153 e GO-338.

Informações de hospedagem e alimentação: (62) 3320-0184

 

10. Formosa – a 281 km de Goiânia

Eleita como a oitava melhor cidade turística do estado de Goiás pelos próprios turistas, a cidade de Formosa é um mundo a ser desbravado pelos espíritos aventureiros: grutas, cachoeiras, quedas livres, trilhas, e rampas de voo livre vão fazer você sentir um gostinho de adrenalina como nunca antes. Além disso, a cidade abriga sítios arqueológicos e recebe importantes festas religiosas ao longo do ano. Com economia baseada na agropecuária, o município tem grande potencial turístico e atrativos que realmente impressionantes.

Cachoeira

Sim, esse paraíso existe e é logo alí.

O Buraco das Araras parece ter saído de um filme de ficção e aventura.

Rampa

Como chegar:

Formosa fica a 281 km de Goiânia, com acesso pela BR-153 e em seguida pela GO-118.

Telefones Úteis:

Secretaria Municipal de Turismo de Formosa: (61) 3981-1234

CAT (Centro de Atendimento ao Turista) de Formosa: (61) 9686-0142

AGeCTUR (Associação de Guias e Condutores de Turismo): (61) 9848-5938

 

11. São João D’Aliança – a 355km de Goiânia

Bocaina

Bocaina do Farias, em São João D’Aliança.

Foto: Goiás Turismo.

Entrada da Chapada dos Veadeiros mais próxima de Brasília, a cidade de São João D’Aliança está repleta de cachoeiras e cânions. Na cidade, vale conhecer o impressionante cânion Buraco do Farias. Entre as cachoeiras, vale visitar a Cachoeira das Andorinhas, a Cachoeira do Label, a Cachoeira do Mingau, a Cachoeira São Cristóvão, a Cachoeira São Pedro e a Cachoeira do Cantinho, com quatro quedas d’água. A cidade abriga ainda a comunidade quilombola Quilombo do Forte.

Cachoeira

Cachoeira do Cantinho, em São João D’Aliança.

Foto: Naty_Chocolate

Como chegar: São João D’Aliança fica a 355km de Goiânia, com acesso pela BR-020 até a DF-345, finalizando pela GO-118.

Informações de hospedagem e alimentação: (62) 3438-1161

 

12. Serranópolis – a 372km de Goiânia

Cachoeira

Cachoeira Canguçu, em Serranópolis.

Foto: Goiás Turismo.

Considerada uma das mais importantes regiões arqueológicas do continente, Serranópolis possui pequenas grutas com vestígios de ocupação, que atraem pesquisadores e turistas interessados nas pinturas rupestres encontradas em suas paredes e sítios arqueológicos. A cidade abriga ainda várias cachoeiras, como a do Corcovado, da Barra do Douradinho, da Ponte de Pedra e do Canguçu.

Sitio

Sítio Arqueológico Pousada das Araras, em Serranópolis, com pinturas rupestres.

Foto: Pegadas no Cerrado

Como chegar: Serranópolis fica a 372km de Goiânia, com acesso pela BR-060.

Informações de hospedagem e alimentação: (64) 3668-1114 | (64) 3668-1457

 

13. Colinas do Sul – a 393 km de Goiânia

Lago

Águas termais em Colinas do Sul (Foto: Goiás Turismo)

Colinas do Sul é a única cidade da Chapada dos Veadeiros banhada pelo Lago Serra da Mesa, e está cercada por atrações naturais com opções de trilhas, cachoeiras, mirantes, vales, serras, rios e lagos. A cidade tem grande potencial para o turismo de pesca e abriga o encontro dos rios São Miguel e Tocantinzinho. Para os que buscam programas mais tranquilos, Colinas do Sul também possui banhos em águas termais.

Como chegar: Colinas do Sul fica a 393 km de Goiânia, com acesso pelas rodovias GO-132 e GO-239.

O que fazer: Banhos nas águas termais; Pesca esportiva e banhos no Lago de Serra da Mesa, o segundo maior lago artificial do Brasil; Camping, tilhas e banhos na Reserva Particular do Patrimônio Natural Cachoeira das Pedras Bonitas; Acesso para o Parque da Chapada dos Veadeiros, unidade de conservação brasileira de proteção integral à natureza, que abriga cachoeiras e belezas naturais, atraindo turistas para trilhas, esportes radicais e banhos de cachoeira; Descobrir o encontro dos rios São Miguel e Tocantinzinho.

Telefones úteis: Prefeitura de Colinas do Sul: (62) 3486-1117 | Allan Kardec, da Secretaria de Turismo: (62) 9627-4477

 

14. Parque Nacional das Emas – a 420 Km de Goiânia

Fenômeno

Fenômeno da bioluminescência no Parque Nacional das Emas, em Goiás.

Carro

Carro Safari no Parque Nacional das Emas. É possível alugar o veículo para passeios pela Unidade de Conservação. (Foto: Prefeitura de Mineiros)

Cupinzeiros naturalmente coloridos, safari, boia-cross, natureza exuberante e muita, muita aventura. Este são alguns dos atrativos que o visitante pode encontrar e curtir no deslumbrante Parque Nacional das Emas, localizado entre os municípios de Serranópolis (GO), Mineiros (GO), Chapadão do Céu (GO) e Costa Rica (MS). Por lá é possível presenciar o fenômeno raro e único da bioluminescência, quando os cupinzeiros ficam cheios de pontos brilhantes durante à noite, criando um cenário mágico e de encher os olhos.

Para os que querem presenciar esse espetáculo natural da bioluminescência, a época ideial de pico, é entre os meses de outubro e novembro. Além da beleza do fenômeno, o Parque Nacional das Emas é um destino sem igual para os que curtem turismo de aventura e esportes radicais.

Para informações de hospedagem e alimentação, entre em contato com as Centrais de Atendimento ao Turista (CAT) de cada município:

CAT Mineiros

Endereço: Avenida Alessandro Marchió, N169, Centro

Telefone: (64) 3661-0006

Email: [email protected]

Agências de turismo

Trekking Turismo – Mineiros (GO)

Telefone: (64) 9611-5259

Trilhas do Cerrado – Mineiros (GO)

Telefone: (64) 9954-4017

CAT Chapadão do Céu

Telefone: (64) 3634-151

 

15. Mineiros – a 420 km de Goiânia

 

Mineiros

Chapada Pinga Fogo, ideal para trekking, hiking e rapel (Foto: Goiás Turismo)

Boia

Boia-cross no Parque Nacional das Emas (Foto: Secretaria de Turismo de Mineiros)

Uma das portas de entrada para o Parque Nacional das Emas, onde se pode observar o efeito da bioluminescência, Mineiros também é a casa de mais de 150 cachoeiras catalogadas e da região mística do Pinga-Fogo, ideal para a prática de trekking, hiking e rapel. A cidade possui grande variedade de fauna, flora, piscinas naturais e grutas, fazendo de Mineiros um destino ideal para o turismo de aventura.

Como chegar: Mineiros fica a 420km de Goiânia, com acesso pela BR -060.

O que fazer: Observar o fenômeno da bioluminescência no Parque Nacional das Emas; Boia-cross, flutução e safári no Parque Nacional das Emas; Trekking, hiking e rapel na região da Chapada do Pinga Fogo; Cachoeirismo e banhos nas mais de 150 cachoeiras catalogadas, como a dos Dois Saltos, do Ribeirão Invernadinha e do Rio Verde.

Informações de hospedagem e alimentação: Secretaria de Cultura e Turismo: (64) 3661-0005 | CAT – Mineiros: (64) 3661-0006

 

16. Chapadão do Céu – a 480km de Goiânia

Boia

Boia-cross no Rio Formoso, em Chapadão do Céu.

Foto: Goiás Turismo.

A apenas 26km do Portão Bandeira, Chapadão do Céu é a cidade mais próxima do Parque Nacional das Emas. Por lá, além de visitar as belezas do Parque e não perder o fenômeno da bioluminescência, vale conhecer os saltos do Rio Sucuriú e fazer flutuação, boia-cross, canoagem e rafting nas corredeiras do Rio Formoso, que possui até uma prainha com areia branca na margem.

Salto

Salto Sucuriu em Chapadão do Céu.

Foto: Goiás Turismo.

Como chegar: Chapadão do Céu fica a 480km de Goiânia, com acesso pela BR-060.

Informações de hospedagem e alimentação: (64) 3636-1517

 

17. Chapada dos Veadeiros – a 444 km de Goiânia

Salto

Salto do Rio Preto, com 120m de queda

balao

Voo panorâmico de balão pela Chapada dos Veadeiros

Vale

O surreal Vale da Lua

Criado em 1961 para proteger mais de 65 mil hectares de natureza típica do cerrado, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros também foi declarado Patrimônio Mundial Natural em 2001 pela UNESCO. Além da conservação natural, o Parque tem grande valor científico e turístico, sendo um dos destinos mais incríveis do estado de Goiás.

Localizado entre os municípios de Alto Paraíso e Cavalcante, a Chapada dos Veadeiros atrai turistas de todos os perfis: aventureiros, tranquilos, esotéricos e céticos se encontram em um local cheio de cachoeiras, trilhas e muitas outras belezas naturais.

Com tantas riquezas, é difícil resumir os atrativos da região. Selecionamos aqui 10 dicas de programas incríveis que você provavelmente não sabia que pode fazer na Chapada dos Veadeiros e arredores. A lista inclui banhos de cachoeira, trilhas, esportes de aventura e até passeio de balão.

Parque Nacional Chapada dos Veadeiros

Como chegar: Atualmente, o único acesso à Chapada dos Veadeiros se dá pela vila de São Jorge, distrito de Alto Paraíso. Alto Paraíso fica a 444km de Goiânia, com acesso pela BR-060 e BR-010. São Jorge fica a 30km de Alto Paraíso, com acesso pela GO-239.  A entrada para a Chapada dos Veadeiros fica a 1km de São Jorge e 36km de Alto Paraíso.

Visitação: A visitação ao Parque acontece a partir das 08h, com entrada liberada até às 12h e saída até às 18h. É permitido o acesso a apenas 500 pessoas por dia, então fica a dica: para períodos de grande visitação, como o carnaval, chegue cedo ao local. Não é necessário ter guias para fazer as trilhas da Chapada dos Veadeiros, mas a visita guiada é recomendada em períodos chuvosos. Os guias cobram R$150 por dia para grupos de até 10 pessoas. O período ideal de visitação do Parque é de junho a novembro, entre os períodos de seca e chuva.

Informações de hospedagem e alimentação: Central de Atendimento ao Turista de Alto Paraíso: (62) 3446-1159 | Central de Atendimento ao Turista de São Jorge: (62) 3455-1090

 

18. Alto Paraíso – a 444 km de Goiânia

bf1496018d900e5fe1812ae6b38c9225.jpg

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Destino com ares místicos e inúmeras belezas naturais, Alto Paraíso é uma das cidades mais significativas para o turismo de Goiás. Abrigando a porta de entrada da Chapada dos Veadeiros, a cidade é célebre por sua vibe alternativa, que atrai muitos místicos: eles acreditam que as vibrações magnéticas do subsolo, geradas por uma grande placa de quartzo, sejam o motivo da cidade ser tão especial, recebendo visitas de alienígenas e fazendo da cidade um chacra do mundo. Por lá, é fácil encontrar locais que oferecem terapias alternativas, como o reike.

Além do esoterismo, Alto Paraíso conta com 120 cachoeiras catalogadas e outras riquezas naturais, que fazem da cidade um destino também procurado pelos fãs de aventuras e esportes radicais.

Como chegar: Alto Paraíso fica a 444km de Goiânia, com acesso pela BR-060 e BR0-10.

Informações de hospedagem e alimentação: Central de Atendimento ao Turista de Alto Paraíso: (62) 3446-1159 | Central de Atendimento ao Turista de São Jorge: (62) 3455-1090

 

19. Rio Araguaia – a cerca de 480 Km de Goiânia

Pôr

Pôr do sol no Rio Araguaia, cenário de tirar o fôlego

Pesca

Pesca esportiva no cartão postal goiano

O pôr do sol visto das margens do rio Araguaia é uma das images mais belas captadas por turistas e veículos de comunicação. Mas não é difícil também ver botos subindo rapidamente para respirar, gaivotas, mergulhões, jacarés e até cardumes de peixes subindo o rio durante a piracema – período em que é proibida a pesca de qualquer espécie.

Destacamos duas opções de cidades ribeirinhas com ótima estrutura para o turista, Aruanã e São Miguel do Araguaia:

Como chegar: São Miguel do Araguaia fica a 475 km de Goiânia, com acesso pela GO–070.

Informações de hospedagem e alimentação: Secretaria de Turismo: (62) 3977-7152 | (62) 3977-7153 | CAT – São Miguel do Araguaia: (62) 3382-3140

Como chegar: Aruanã fica a 315km de Goiânia, com acesso pelas rodovias GO–070, GO–530 e GO-060.

Informações de hospedagem e alimentação: CAT – Aruanã: (62) 3376-1442

 

20. Mambaí – a 508km de Goiânia

Cachoeira

Cachoeira do Poço Azul, em Mambaí.

Foto: Goiás Turismo.

Programa obrigatório na cidade de Mambaí é cruzar o cânion do Córrego das Dores em uma das maiores tirolesas do Brasil – são 102 metros de altura e 320 metros de extensão. A cidade também está cheia de cachoeiras, lagos, cânions e cavernas. Vale conhecer a belíssima Cachoeira do Poço Azul, com águas azuis e cristalinas propícias para o banho; a Cachoeira Paraíso do Cerrado, com três quedas d’água; e a Cachoeira do Funil. A cidade abriga ainda a sexta maior caverna do Brasil e a segunda maior do Estado de Goiás, a incrível Gruna da Tarimba.

Cachoeira

Cachoeira do Funil em Mambaí, Goiás.

Foto: Goiás Turismo.

Tirolesa

Tirolesa do Córrego das Dores, em Mambaí.

Foto: Goiás Turismo.

Como chegar: Mambaí fica a 508km de Goiânia, com acesso pela BR-060 seguindo pela BR-020.

Informações de hospedagem e alimentação: (62) 3484-1251

3 das mais bonitas praias de água doce do Brasil ficam pertinho de Goiás

Em um país repleto de praias paradisíacas, muitos desconhecem as joias escondidas que adornam as águas doces do Brasil.

Surpreendentemente, o site UOL elaborou um ranking que revela as 10 praias fluviais mais bonitas do Brasil inteiro. E o melhor de tudo é que 3 delas estão ao alcance de quem está em Goiás. Pois estão logo ali, no nosso amado irmão Tocantins.

Se você é amante de destinos inexplorados e busca a beleza singular das praias de água doce, prepare-se para uma viagem que promete encantar os sentidos.

 

Descubra como planejar sua jornada para as mais belas praias doces próximas a Goiás e vivencie a beleza única desses destinos.

 

1. Prainha do Rio Novo, Jalapão, Tocantins, Brasil

3 das mais bonitas praias doces do Brasil ficam pertinho de Goiás

Foto: Melhores Destinos

Situada a uma curta distância de Goiás, a Prainha do Rio Novo, em Mateiros, no Jalapão figura no topo da lista do UOL.

Com águas cristalinas e areias douradas, esse oásis aquático oferece uma experiência única em meio à natureza exuberante.

Ideal para um dia de relaxamento em família ou um retiro romântico, a praia se destaca por sua acessibilidade e estrutura que proporciona conforto aos visitantes.

A Prainha do Rio Novo fica bem próxima à Cachoeira da Velha, no município de Mateiros, no Tocantins. Para chegar, é necessário fazer uma trilha, a partir da cachoeira. O acesso é pela TO-255.

 

Descubra a beleza única da Prainha do Rio Novo perto de Goiás, uma escapada imperdível com águas cristalinas e areias douradas.

 

2. Praia do Segredo, Lajeado, Tocantins

3 das mais bonitas praias doces do Brasil ficam pertinho de Goiás

Foto: Agência do Desenvolvimento Turístico Cultura e Economia Criativa do Tocantins

A Praia do Segredo, em Lajeado, Tocantins, também mencionada pelo UOL, é um santuário de natureza preservada e tranquilidade.

Com uma extensa faixa de areia e uma atmosfera serena, essa praia doce proporciona um refúgio longe das multidões urbanas.

Rodeada por uma paisagem deslumbrante, os visitantes têm a oportunidade de se reconectar com a natureza enquanto desfrutam das águas calmas e acolhedoras.

Telefone(63) 3519-1235

3. Praia do Paredão, Miracema, Tocantins

3 das mais bonitas praias doces do Brasil ficam pertinho de Goiás

Foto: Agência do Desenvolvimento Turístico Cultura e Economia Criativa do Tocantins

Em terceiro lugar no ranking, a Praia do Paredão,encanta a todos que a visitam com seu imenso paredão de rocha e águas cristalinas quentinhas.

A praia é um pedaço do paraíso na Terra e já foi cenário de filmes e novelas, pela sua beleza singular.

3 das mais bonitas praias doces do Brasil ficam pertinho de Goiás

Foto: Solua

Localizada a aproximadamente 75 km de Palmas, o local tem entrada gratuita. Conta com restaurante e bar.

 

Leia Também

Lugares paradisíacos pertinho de Goiás que você precisa conhecer

Goiânia recebe espetáculo de dança “Pressa” com entrada gratuita

Saiba a data do eclipse solar total em 2024

20 filmes indicados ao Oscar 2024 que estão disponíveis no streaming

 

Seja para um fim de semana relaxante ou uma escapada mais prolongada, estas praias doces próximas a Goiás oferecem uma alternativa cativante para os amantes da natureza e aventureiros em busca de destinos pouco explorados.

Planeje sua jornada de descobertas e mergulhe na beleza singular que estas praias têm a oferecer. Lembre-se de conferir as condições climáticas e aproveitar ao máximo cada momento nesse pedaço escondido do paraíso brasileiro.

 

Em um país tão vasto e diversificado como o Brasil, a descoberta de tesouros escondidos é uma jornada emocionante.

As praias doces próximas a Goiás, destacadas pelo UOL, são um convite à exploração e à apreciação da beleza natural que muitas vezes passa despercebida.

Seja para momentos de tranquilidade, experiências em família ou uma imersão na história, essas praias oferecem uma variedade de opções para os viajantes que buscam algo diferente.

Aventure-se nessas joias desconhecidas e deixe-se encantar pela magnificência das praias de água doce do Brasil.

Lugares paradisíacos pertinho de Goiás que você precisa conhecer

Enquanto Goiás reserva sua própria magia, os encantos do Tocantins estão logo ali, atraindo viajantes para lugares paradisíacos que oferecem uma fuga perfeita da rotina.

Nesta jornada, vamos explorar cinco lugares deslumbrantes que estão a uma curta distância de Goiás, proporcionando experiências únicas e cenários de tirar o fôlego.

Imagine lugares com águas cristalinas, areias branquinhas, com cânions gigantes, riozinho que não afunda e até um dos menores rio do mundo.

E o melhor de tudo… ainda são atrativos pouco conhecidos pelo grande público!

 

Está preparado para embarcar nessa aventura com o Curta Mais?

 

Nós temos muita alegria e prazer de te levar para conhecer esses lugares paradisíacos.

 

Deixe-se levar pela serenidade do Poço Babaçu e da Praia do Puçá, ambos em Lavandeira, até as maravilhas naturais do Parque Estadual do Jalapão, o mágico Rio Azuis em Aurora do Tocantins e as imponentes paisagens do Cânion Encantado nas Serras Gerais.

 

Preparado para embarcar em uma jornada de descobertas incríveis? Venha conosco desbravar o paraíso tocantinense tão próximo de Goiás.

 

Lugares paradisíacos pertinho de Goiás que você precisa conhecer

 

Lugares paradisíacos – Poço Babaçu, Lavandeira, Tocantins, Brasil

É um banho com águas verde-cristalinas e areia branquinha, ideal para relaxar. A majestosa divisa entre Goiás e Tocantins revela um segredo bem guardado pelas Serras Gerais: o Poço Babaçu. Localizado em Aurora do Tocantins, o local faz parte de um complexo de cachoeiras, praias e mirantes, num percurso de pouco mais de 1 km.

A aventura começa na Trilha da Ilha das Corredeiras, um complexo envolvente com inúmeras paradas para banho, prainhas e cachoeiras naturais que se tornam paradas obrigatórias ao longo do percurso.

A trilha em si, tem 1.100 metros de pura beleza, com 7 pontos para banho e 3 mirantes estratégicos além de praias e cachoeiras.Ao final desta trilha espetacular, os visitantes são presenteados com o Poço Babaçu, um poção formado pelo rio, destacando-se como um local perfeito para relaxar e apreciar a tranquilidade das Serras Gerais.

 

Como Chegar partindo de Goiânia

A jornada até o Poço Babaçu saindo de Goiânia, segue em direção a Brasília de carro próprio ou transporte alternativo. Em Brasília, pegue a rodovia em direção à Chapada dos Veadeiros pela GO 118 até a cidade de Campos Belos, que faz divisa com Tocantins.

De Campos Belos, continue pela TO 110 em direção a Novo Alegre, seguindo até Aurora do Tocantins.

 

Clique aqui para saber mais sobre o atrativo.

 

Lugares paradisíacos – Praia do Puçá, Lavandeira, Tocantins, Brasil

Lugares paradisíacos pertinho de Goiás que você precisa conhecer

Foto:  Reprodução/Instagram @praiadopucaoficial

No coração da tranquila fronteira entre Goiás e Tocantins, próximo à cidade de Campos Belos, encontra-se um tesouro turístico esperando para ser desvendado. Conheça a Praia do Puça, uma jóia escondida em Lavandeira, Tocantins, que reserva um segredo ainda mais fascinante: a Prainha do Segredo, a apenas 200 metros de caminhada.

Apesar de não estar à beira do mar, a Praia do Puça surpreende com suas areias douradas e águas incrivelmente cristalinas. A tentação de um mergulho refrescante é irresistível, especialmente sob o calor característico da região. Para os mais aventureiros, a opção de montar acampamento em meio a esse paraíso natural é uma possibilidade, graças à área de camping bem equipada disponível no local.

O local não apenas oferece um ambiente perfeito para relaxar, mas também conta com uma infraestrutura impecável. Banheiros limpos, restaurantes que servem pratos regionais deliciosos e áreas de descanso estilosas tornam a estadia ainda mais agradável. No entanto, é essencial lembrar que a entrada na Praia do Puça é permitida mediante uma taxa de R$ 30 para passar o dia e R$ 80 para acampar durante a noite.

 

Mais Informações

Praia do Puça e Prainha do Segredo

Onde: Lavandeira, Tocantins

Como chegar: clique AQUI

Horários: todos os dias das 8h às 17h

Telefone: (63) 99122-5278

Valores: Day Use R$ 30

Camping R$80

Instagram: @praiadopucaoficial

 

Clique aqui para saber mais sobre o atrativo.

 

Lugares paradisíacos – Parque Estadual do Jalapão, Tocantins, Brasil

Lugares paradisíacos pertinho de Goiás que você precisa conhecer

Foto: Governo do Tocantins

O Jalapão é um lugar de belezas naturais incomuns, capaz de encantar até o visitante mais cético. Entre seus atrativos se destacam as dunas, com suas areias douradas contrastando com os rios de águas cristalinas, e cachoeiras. A paisagem ainda contrasta com formações rochosas, como o mirante da Serra do Espírito Santo e a Serra da Catedral.

O cenário é completo com extensas veredas, onde o buriti e o capim dourado se multiplicam e se transformam na base do artesanato local, que ganhou o gosto do mercado nacional e garante renda para dezenas de famílias tradicionais que habitam o PEJ.

Nesse ecossistema singular, são encontradas diferentes espécies de animais silvestres, como veados-campeiros, tamanduás-bandeiras, antas, capivaras, lobos-guarás, gambás, onças, jacarés, raposas e macacos. Também podem ser encontrados diversos répteis e aves.

Encare a viagem como uma expedição. A região do Jalapão, no Tocantins, é um conjunto de cinco áreas de conservação, incluindo um parque estadual, e tem 34 mil km² (maior que os estados de Sergipe e Alagoas).

O cenário é um dos mais exuberantes do Brasil: cachoeiras cristalinas, piscinas naturais verde-esmeralda, chapadões e dunas alaranjadas de até 40 metros de altura. Um verdadeiro deserto das águas, como sugere o apelido dado à região.

Boa parte da explicação está na dificuldade de acesso, já que a maioria das estradas não é asfaltada, o que dá a sensação de estar no meio de um rali.

 

Acesso

A partir da Capital, Palmas, o acesso terrestre ao Parque Estadual do Jalapão pode ser feito de duas maneiras. Pelo Norte, com acesso pelas rodovias TO-020, trecho Palmas – Novo Acordo (115 km), TO-030, trecho Novo Acordo – São Félix do Tocantins (147 km), seguindo depois pela rodovia TO-110, entre São Félix do Tocantins e Mateiros (79 km).

Pelo Sul, o caminho entre Palmas e o PEJ percorre trechos de rodovias pavimentadas como a TO-050 até Porto Nacional (60 km), que dá acesso à rodovia parcialmente pavimentada TO-255, que passa por Ponte Alta do Tocantins (135 km de asfalto) até atingir o município de Mateiros (165 km de terra).

 

Lugares paradisíacos – Rio Azuis, Aurora do Tocantins, Tocantins, Brasil

Lugares paradisíacos pertinho de Goiás que você precisa conhecer

Foto: divulgação

Lugares paradisíacos pertinho de Goiás que você precisa conhecer

Foto: divulgação

Convidamos você a descobrir um tesouro escondido na divisa entre Goiás e Tocantins: o Rio Azuis, conhecido como o menor rio da América Latina e o terceiro menor do mundo.

Localizado em Aurora do Tocantins (TO), esse destino singular que fica a apenas 530 km da capital Palmas, 670 de Goiânia e 470 km de Brasília, revela águas azuis cristalinas que cativam moradores e visitantes.

O Rio Azuis, situado na Comunidade Azuis, funciona diariamente das 8h às 18h, oferecendo acesso a decks em madeira estrategicamente posicionados ao longo do atrativo turístico, proporcionando oportunidades únicas para fotografias super instagramáveis.

Lá, há um poço, uma parte com bolhas, mostrando a água nascendo, e uma corredeira, ótima pra dar aquela relaxada! Tem uns peixinhos também!

Com uma nascente que despeja mais de 11 mil litros de água cristalina a uma temperatura ambiente, extraordinariamente azul, o Rio Azuis mantém sua pureza mesmo durante o período chuvoso. O espetáculo visual encanta visitantes de todas as idades, já que não tem trilha.

Mas recomenda-se a época da seca, entre maio e setembro, para uma água ainda mais transparente.

 

Clique aqui para saber mais sobre o Rio Azuis.

 

Lugares paradisíacos – Cânion Encantado, Almas, Serras Gerais, Tocantins, Brasil

Lugares paradisíacos pertinho de Goiás que você precisa conhecer

Foto: Desviantes

São nas Serras Gerais que se encontram o Cânion Encantado, passeio que passa despercebido pelos turistas que vão a região do Jalapão, mas que possui peculiaridades difíceis de encontrar em qualquer outro lugar do mundo.

A região por ser muito delicada, no entanto, não pode ser visitada o ano todo, durante a época de chuvas a água sobe e a região fica mais perigosa com risco de desabamentos. É indicado que o turista opte pela época de seca para visitar a região, entre abril e novembro.

O Cânion Encantado é uma fenda gigante que forma paredões com 74 metros de altura e para chegar os visitantes da região fazem uma trilha que os leva até à fenda e continua dentro da mesma. A trilha é um pouco complicada no início por se tratar de uma descida íngreme, mas com o passar do tempo vai ficando mais simples. O trajeto tem em torno de 6km o que dá mais ou menos 4h ida e volta.

Ao chegar ao Canion muitas pessoas se surpreendem pela imponência do lugar, andar entre paredões gigantes em meio ao Cerrado Brasileiro é uma experiência surreal. No Cânion os visitantes se deparam com 4 quedas fortes que vem do Rio que passa pela região, enormes e imponentes. Todas juntas formam um pequeno lago na base do Cânion, porém não é incentivado o nado devido a força das quedas.

 

Ao explorar esses tesouros em Tocantins, você descobrirá que a serenidade e a beleza natural estão mais próximas do que imagina.

Prepare-se para uma jornada extraordinária enquanto mergulhamos nos destinos que transformarão sua percepção de paraísos escondidos, proporcionando experiências inesquecíveis a poucos passos de Goiás.

Cidade do interior goiano abriga uma vinícola apaixonante

Itaberaí está localizada a 89 km de Goiânia e possui em torno de 43 mil habitantes (IBGE 2020). A cidade possui diversos encantos, com serras, rios e grutas notáveis, mas é uma vinícola charmosa que fica com o destaque total!

História de Itaberaí

Itaberaí-GO

Foto: Prefeitura de Itaberaí

A antiga Curralinho, hoje Itaberaí, nasceu pelo desbravamento do Capitão-Mor Salvador Pedroso de Campos. Às margens do rio das Pedras criou gado. De seu leito extraiu ouro.

Coronel Benedito Pinheiro de Abreu, representante na Câmara Estadual, em 1924 apresentou o projeto da mudança do nome de Curralinho para Itaberaí, que significa em guarani, “Rio das Pedras Brilhantes”.

Vinícola Goiás
Vinícola

Fotos: Marcos Aleotti

Imagine visitar vinhedos, conhecer as etapas de produção e provar vinhos coloniais, geleias e sucos integrais debaixo de parreirais.

A Família Razia pensou em tudo para transformar aquele pedacinho de Cerrado em uma verdadeira colônia italiana. Logo as pastagens deram lugar a belíssimos vinhedos, que hoje estão em plena produção.

A família conseguiu cultivar as parreiras na região com muito sucesso e, além de vender a fruta e as mudas, também produzem os sucos de uva, o Dell Nono, o primeiro suco de uva registrado no estado de Goiás. Atualmente, geleias e vinhos de mesa também são produzidos na Vinícola. Os produtos são artesanais e vendidos pela região mesmo.

Conhecer uma vinícola em pleno estado de Goiás é uma experiência enriquecedora. E é possível fazer isso em Itaberaí com o tour e degustação que inclui passeio no parreiral.  Enquanto você experimenta a fruta, a guia conta detalhes de técnicas de plantio, cuidados, irrigação e curiosidades.

Saiba mais aqui:

 

Os 10 destinos mais comuns nas férias do goiano

Um descanso merecido é direito de todo mundo, não é mesmo? Seja tirar o mês de férias visitando os parentes, ou um fim de semana curtindo as cachoeiras no interior. Descansar é bom e todo mundo gosta.

Goiás é um estado rico em belezas naturais, cultura e história. Com uma localização privilegiada, no coração do cerrado, Goiás abriga uma quantidade infindável de cachoeiras, cânions, serras, lagos e rios. Além disso, o estado possui cidades históricas, artesanato, gastronomia e festas típicas que encantam os visitantes.

Pensando nisso, o Guia preparou uma lista com 10 destinos que nunca fogem do radar dos goianos e sempre figuram no topo de preferências na hora de aproveitar o tempo livre!

Cidade goiana com título de princesa já se chamou ‘Calção de Couro’

Goianésia, uma cidade goiana de relevante desenvolvimento econômico e cultural, apresenta uma história marcada pela transformação e diversidade. O território da cidade teve suas origens nas fazendas Calção de Couro, São Bento, Itája e parte da Lavrinha de São Sebastião. Entre os proprietários da fazenda Calção de Couro estava o mineiro Laurentino Martins Rodrigues, que estabeleceu a fazenda Laranjeiras, contribuindo para a formação do povoado que mais tarde se tornaria o distrito de Goianésia em 1949.

A emancipação política de Goianésia, efetivada em 1953 pela Lei nº 747, foi resultado de um esforço conjunto liderado pelo farmacêutico Salvador Leite. A economia inicial, baseada na lavoura de café, sofreu um revés com a queda dessa produção, levando a um período de estagnação e êxodo populacional. A partir da década de 1970, um novo ciclo econômico se iniciou com a introdução da cana-de-açúcar, impulsionado pela fundação da Usina Monteiro de Barros e posteriormente a destilaria Goianésia Álcool S/A.

Atualmente, Goianésia se destaca como um polo agroindustrial, com a economia fortemente baseada na cana-de-açúcar, e é um exemplo de diversidade e gestão eficiente. A cidade, conhecida como a Princesa do Vale do São Patrício, oferece variadas opções de esporte, lazer, cultura, educação e saúde para seus mais de 71 mil habitantes, conforme dados do IBGE de 2020. Goianésia abrange uma área de 1.547,274 km² e está situada em um planalto na bacia hidrográfica do Rio Maranhão, fazendo fronteira com várias outras cidades da região.

Esta cidade não apenas testemunhou a transformação econômica e cultural de Goiás, mas também soube preservar sua identidade única ao longo dos anos. Hoje, Goianésia é um próspero centro urbano, mas ainda mantém vivas as tradições e costumes do passado.

Cultura e Tradições: oianésia, conhecida pela sua rica cultura, realiza diversos eventos culturais que atraem visitantes de todo o Brasil. Um dos eventos de destaque é o Goianésia Rodeio Festival, que teve sua primeira edição no Parque da Lagoa Princesa do Vale. Este festival busca se consolidar como um dos maiores eventos do segmento no estado de Goiás, destacando o rodeio como parte integrante da cultura local.

Além de competições de rodeio, o festival também conta com atrações musicais populares, prometendo ser um dos maiores eventos já realizados na cidade. A intenção é que o festival entre no calendário nacional de grandes eventos do Brasil. Este tipo de evento reflete a paixão e o envolvimento da comunidade local com a cultura do rodeio e a música regional. Para mais informações, confira a cobertura do Diário de Goiás.

Economia e Desenvolvimento: A economia de Goianésia evoluiu significativamente desde os tempos do “Calção de Couro”. Atualmente, a cidade é um importante polo agroindustrial, destacando-se na produção de cana-de-açúcar, soja e na pecuária. Esta transformação econômica é um testemunho da adaptabilidade e do espírito empreendedor dos goianesienses.

Turismo: Enquanto Goianésia pode não ser tradicionalmente conhecida como um destino turístico, ela oferece uma experiência autêntica da vida no coração do Brasil. Os visitantes podem explorar a história local, desfrutar da culinária regional e participar de festivais culturais que são uma janela para a alma goiana.

Goianésia, outrora conhecida como “Calção de Couro”, é um exemplo vibrante da mistura de tradição e modernidade em Goiás. A cidade convida a todos a explorar sua história rica, sua cultura vibrante e seu espírito inquebrantável.

Leia também:

Cidade goiana abriga extraordinário refúgio natural que abriga segredos ocultos

Cidade goiana tem águas quentinhas que brotam a até 70 graus

Descubra detalhes de Rio Verde, a fascinante cidade goiana que foi de ‘Capital das Abóboras’ a ‘gigante da soja’

Conheça uma cidade goiana com atrativos turísticos intocados e um dos climas mais agradáveis de Goiás

Emancipado em 14 de novembro de 1958, este cidade goiana de 828,874 km² surge como um tesouro a ser explorado em Goiás.

Com uma população que alcançou 4.457 habitantes em 2022, a cidade destaca-se tradicionalmente por sua economia pautada na pecuária e agricultura. Mas hoje atrai amantes do ecoturismo e daqueles que gostam de lugares ainda pouco conhecidos, além de ter um dos melhores climas de Goiás!

Cidade goiana tem um dos melhores climas de Goiás

Foto: Prefeitura de Divinópolis de Goiás

Localizada a 651 km de Goiânia, Divinópolis de Goiás reserva aos visitantes uma experiência única.

O ecoturismo é a joia da coroa, oferecendo um Cerrado preservado, rios sinuosos, cachoeiras imponentes e cavernas misteriosas.

Este é um convite para aventureiros e amantes da natureza, com oportunidades para rapel, escaladas, trilhas deslumbrantes e mergulhos em águas cristalinas.

O município está apenas começando a desbravar suas riquezas naturais, tornando tudo intocado e primorosamente preservado.

Cidade goiana tem um dos melhores climas de Goiás

Foto: Goiás Turismo

Sua proximidade com o município de São Domingos e o Parque Estadual de Terra Ronca fazem de Divinópolis de Goiás um destino imperdível em 2024!

 

Conheça mais sobre essa cidade goiana com atrativos turísticos intocados e um dos climas mais agradáveis de Goiás

 

Natureza Preservada

A cidade pertence à Região das Águas e Cavernas do Cerrado é a que agrega o maior número de municípios. São 11 destinos com vocação para o Ecoturismo – com Cerrado preservado, rios, cachoeiras e cavernas – uma tendência mundial no cenário pós pandemia.

Cidade goiana tem um dos melhores climas de Goiás

Foto: Prefeitura de Divinópolis de Goiás

Divinópolis é um espetáculo para os sentidos, com rios Paranaíba, São Marcos e São Bento a banhar suas terras. A cidade, elevada a 800 metros acima do nível do mar, proporciona um dos climas mais agradáveis de Goiás.

Essa altitude privilegiada resulta em temperaturas amenas e uma atmosfera revigorante, tornando-a um refúgio ideal para quem busca escapar do calor intenso das planícies.

 

Cultura e História

Além de sua exuberante natureza, Divinópolis de Goiás é um tesouro cultural e histórico. Destaca-se como um polo de turismo religioso na região, celebrando festividades marcantes.

As festas de Nossa Senhora Aparecida e Nossa Senhora do Rosário, realizadas em junho, bem como o aniversário da cidade em 14 de novembro, são eventos populares que cativam moradores e visitantes.

 

Turismo Religioso

As festas religiosas são momentos especiais, permeados por devoção e tradição. Divinópolis de Goiás se enche de cor e fé durante as celebrações, atraindo peregrinos e turistas em busca de vivenciar essas experiências únicas.

O município respira espiritualidade, proporcionando um mergulho na cultura local.

 

Hospedagem Aconchegante

Para quem busca uma estadia tranquila e um contato próximo com a natureza, a região oferece diversas opções de hospedagem.

Pousadas e hotéis fazenda acolhedores são o complemento perfeito para dias de exploração e noites serenas.

Nestes refúgios, os hóspedes podem desfrutar de momentos de relaxamento e bem-estar, imersos na beleza natural que caracteriza Divinópolis de Goiás.

 

Divinópolis de Goiás emerge como um destino turístico promissor, destacando-se não apenas por sua natureza intocada e clima agradável, mas também pela riqueza de sua cultura e história.

À medida que mais viajantes descobrem os encantos dessa cidade goiana, é possível que Divinópolis de Goiás se estabeleça como uma pérola no mapa do turismo brasileiro, oferecendo uma experiência autêntica e memorável a todos que a visitam.

 

São Domingos – conheça a cidade vizinha

Cidade goiana tem um dos melhores climas de Goiás

Foto: Goiás Turismo

São Domingos, a cerca de 18 km de Divinópolis, oferece diversas opções de atividades ao ar livre, como trilhas ecológicas, escaladas em rochas, banhos em águas termais e passeios de barco. O município também é conhecido por suas belezas naturais, com atrativos como cachoeiras e grutas que atraem turistas.

Algumas atrações turísticas da região, dentre elas: Cachoeira Rio São Bernardo, Caverna da Angélica, Gruta Terra Ronca, Caverna São Mateus II, Lago São Domingos, Morro do Moleque e a Caverna Vasconcelos, entre outros.

Cidade goiana tem um dos melhores climas de Goiás

Foto: Goiás Turismo

Outra atração imperdível é a Festa do Divino Espírito Santo, que acontece todos os anos em São Domingos. A festa é uma das mais tradicionais da região e atrai milhares de turistas de todo o país, com suas procissões, missas, danças folclóricas e comidas típicas.

Paraíso goiano abriga maior lago subterrâneo da América Latina

Cocalzinho de Goiás é uma cidade que é um verdadeiro paraíso goiano. Ela se destaca por sua beleza natural e atrativos turísticos, localizada no interior de Goiás, Brasil. A cidade, fundada em 1990, surgiu inicialmente como um distrito desenvolvido ao redor da fábrica da Votorantim na zona rural de Corumbá de Goiás, obtendo sua emancipação anos depois. Com uma população de cerca de 25.016 habitantes e uma área de aproximadamente 1.785,339 km², Cocalzinho está estrategicamente situada a 130 km de Goiânia e a 104 km de Brasília, tornando-a acessível para visitantes dessas capitais.

Um dos principais atrativos turísticos de Cocalzinho é a Caverna dos Ecos, também conhecida como Gruta dos Ecos, que possui o maior lago subterrâneo da América Latina e é considerada uma das maiores cavernas do mundo formadas por micaxisto. A caverna tem mais de um quilômetro de extensão e chega a 150 metros de profundidade. As visitas são permitidas somente nos períodos de seca e com acompanhamento de guias locais.

Além da Caverna dos Ecos, Cocalzinho oferece outras atrações como a Tirolesa Voo dos Pireneus, localizada no Hotel Fazenda Tabapuã dos Pireneus, e diversas cachoeiras, entre elas a Cachoeira dos Pireneus e a Cachoeira do Girassol. A região é cercada por rios e montanhas, com destaque para a Serra dos Pirineus, que abriga uma das áreas mais preservadas da serra, com uma rica fauna e flora. A cidade também conta com a Fazenda Pireneus Vinhos e Vinhedos, internacionalmente reconhecida, onde os visitantes podem desfrutar de passeios e degustações de vinhos.

Cocalzinho de Goiás é uma cidade ideal para quem busca relaxamento, contato com a natureza, turismo rural e de aventura, e uma oportunidade de experimentar a culinária local e as belezas naturais do Cerrado. Com suas paisagens deslumbrantes e muitos mistérios, a pequena cidade goiana oferece pontos de ecoturismo que atraem visitantes em busca de experiências únicas.

Leia também:

Cidade goiana abriga extraordinário refúgio natural que abriga segredos ocultos

Cidade goiana tem águas quentinhas que brotam a até 70 graus

5 melhores cidades para curtir o Carnaval 2024