7° edição do Goiânia Art Decó está de volta com entrada gratuita

A abertura do festival será realizada nesta terça, às 19h, no Museu Confaloni, situado na Estação Ferroviária, com uma exposição de obras de 22 artistas da Associação Goiana de Artes Visuais (AGAV), retratando o estilo Art Déco através de diversas técnicas artísticas. Essas obras serão leiloadas após o festival em colaboração com a Secretaria de Cultura de Goiás (Secult-Goiás), e os fundos arrecadados serão destinados à construção do Complexo Oncológico de Referência do Estado de Goiás – Cora.

Desde 2018, o Goiânia Art Déco Festival tem sido uma plataforma vital para discutir a importância da preservação desse patrimônio histórico. No dia 28 de maio, o evento contará com duas palestras significativas no SESP, localizado na Rua 3, Centro. A primeira palestra, “Conservação do Patrimônio Moderno: O caso da casa modernista da rua 84 em Goiânia”, será ministrada pela arquiteta Júlia Mazzutti às 15h. Em seguida, às 16h30, a museóloga Bárbara Freire abordará o tema “Rota Art Déco para Saber de Cor”.

Um destaque da programação deste ano é a Exposição de Fotografias, apresentando as 22 melhores imagens dos patrimônios Art Déco goianos, selecionadas no concurso “Memórias em Foco”. As fotografias estarão disponíveis para visitação no Centro Cultural Marietta Telles Machado, na Praça Cívica, de 20 a 24 de maio, das 9h às 18h. Além disso, o GADF 2024 planeja organizar uma exposição itinerante em espaços culturais do estado e em cidades turísticas para promover o Art Déco de Goiânia.

Durante as exposições de fotografias e pinturas, serão oferecidos guias de acessibilidade para garantir que o festival seja inclusivo. O Goiânia Art Déco Festival é realizado pela ONYGO Turismo e foi contemplado pelo Edital de Fomento aos Festivais e Eventos do Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás de 2023.

Espetáculo nacional de comédia romântica “Amantes do Teatro” chega a Goiânia

Uma atriz e um ator, amigos de longa data, se reencontram para encenar um espetáculo e, entre personagens, risadas e reflexões, levam o público a conhecer a história do teatro. É nesta órbita de humor e amor que gira a trama de “Amantes do Teatro – A Comédia”, peça nacional que será apresentada na capital no dia 18 de maio, sábado, em duas sessões, no Teatro Goiânia, às 17h e 20h. O texto é de Ana Guasque, que também dirige a montagem e atua ao lado de Eduardo Mossri, com encenações clássicas da dramaturgia.

Os ingressos estão à venda no site Sympla com valores fixos de R$ 10, R$ 20 e R$ 40,00, os ingressos físicos estão disponíveis na Komiketo Sanduicheria da Avenida T-4.

A sessão das 20h contará com intérprete de Libras e audiodescrição. Após a estreia de sucesso em Brasília, a peça já foi apresentada em Cuiabá, Ilhéus, Recife, Fortaleza e Ouro Preto. Depois das apresentações em Goiânia, segue em turnê pelo Brasil.

Divertido e carinhoso, o espetáculo promete cativar os corações dos espectadores com textos da Grécia Antiga ao Renascimento, passando por Shakespeare, Moliére e Tchecov até chegar aos tempos atuais, sempre encenados com muito humor e entusiasmo vibrante, numa comédia firmada nos alicerces históricos da cultura. A metalinguagem serve para compreender a passagem do tempo e conquistas humanas, mas também propõe uma reflexão para o público através das distintas personagens que a dupla interpreta.

Foto: Marcos Martins

Inclusão e formação

Como meio de promover a democratização do acesso à cultura, serão realizadas palestras sobre a história do teatro para alunos da rede pública de ensino de Goiânia e em instituições de atendimento à PCD selecionadas, além de distribuição gratuita do texto do espetáculo em braile para bibliotecas acessíveis. E como contrapartida social, serão disponibilizadas cortesias para assistir ao espetáculo para alunos e professores da rede pública de ensino, instituições e comunidade.

Confira a programação da 22ª Semana Nacional de Museus em Goiás

A 22ª Semana Nacional de Museus (SNM), em celebração ao Dia Internacional dos Museus (18 de maio), começa oficialmente na segunda-feira (13/05) e se estende até domingo (19/05).

Em Goiás, no entanto, as atividades iniciam já nesta sexta-feira (10/05), com palestra no Museu da Imagem e do Som (MIS). Todas as unidades da Secretaria da Cultura (Secult) e o Arquivo Histórico Estadual também terão programação especial.

No MIS, a primeira atividade é a oficina “Para que o caderno de registro de visitantes e pesquisa de público?”, com Luis Felipe Pinheiro, museólogo, analista de dados e coordenador da unidade, e Aluane de Sá, museóloga e coordenadora do Núcleo de Conservação e Preservação do Acervo (NUCPA). A palestra será das 09h às 10h30, na sexta-feira (10/05), no Centro Cultural Marietta Teles Machado, na Praça Cívica, em Goiânia.

No dia 13, segunda-feira, às 17h30, será inaugurada a exposição fotográfica Goiânia Art Déco Festival, no Centro Cultural Octo Marques, com a presença de Gutto Lemos, idealizador e proponente da iniciativa. A mostra temporária faz parte do projeto Goiânia Art Déco Festival, que reúne uma série de fotografias do patrimônio cultural Art Déco da capital sob a ótica de vários artistas.

Também na segunda-feira, das 19 às 22h, no MIS, será realizada a palestra “Memórias de si, dos outros e das coisas: percursos de Edna Luísa de Melo Taveira a partir de seu arquivo pessoal”, com a pesquisadora Ana Cristina Santoro, conservadora do Museu Antropológico da Universidade Federal de Goiás (UFG); e mediação da museóloga Aluane de Sá, coordenadora do NUCPA.

As demais unidades geridas pela Secult Goiás que contam com programação especial são Arquivo Histórico Estadual e os museus Pedro Ludovico (Goiânia), Conde dos Arcos (cidade de Goiás) e Ferroviário de Pires do Rio. Discentes de Museologia, Artes, História, áreas afins e demais pessoas interessadas na temática podem conferir os detalhes no site da Secult Goiás.

Martim Cererê recebe programação com shows e palestras para mulheres em Goiânia

Neste sábado (4/5) o Centro Cultural Martim Cererê, em Goiânia, recebe um evento especial voltado para mães empreendedoras da economia criativa, o Projeto “Dinamização do Centro Cultural Martim Cererê”.

A programação inclui uma série de atividades que visam capacitar e inspirar mulheres que buscam empreender no setor cultural. A entrada é gratuita.

A aula inaugural da oficina será no sábado, 4 de maio, às 16h, com a oficina “Execução e acompanhamento de projetos de fomentos culturais em Goiás para mães empreendedoras da Economia Criativa”, com Gabrielle Carvalho.

A aula será seguida de uma palestra ministrada por Mariana Pimentel, às 17h30, com o tema “Mulheres nas artes cênicas: revoluções, subversões e reconstruções”. Por fim, a cantora Helena Caetana realiza um show, a partir das 20h, com um repertório especial, de músicas da grande Maria Bethânia.

Todas as atividades integram o projeto “Dinamização do Centro Cultural Martim Cererê”, cuja realização é da Produtora Fluir Experiências, com recursos do Programa Goyazes do Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Cultura. Toda a programação é gratuita. As inscrições para a oficina serão feitas na data do evento, com o limite de 25 participantes, por ordem de chegada.

Confira a programação:

16h – oficina com Gabrielle Carvalho – “Execução e acompanhamento de projetos de fomentos culturais em Goiás para mães empreendedoras da Economia Criativa”

17h30 – palestra com Mariana Pimentel – Tema “Mulheres nas artes cênicas: revoluções, subversões e reconstruções”

20h – Show Helena Caetana canta Maria Bethânia

ENTRADA FRANCA

(Oficina com vagas limitadas a 25 mulheres)

Exposição inédita destaca legado da artista Miriam Inez da Silva em Goiânia com entrada gratuita

No próximo sábado, dia 27 de abril, a Cerrado Galeria abrirá as portas ao público para a primeira exposição individual da artista Miriam Inez da Silva em Goiânia, Goiás. A mostra, com curadoria de Divino Sobral, busca resgatar o legado dessa importante figura da arte brasileira, cuja criação, embora consolidada no Rio de Janeiro, é profundamente enraizada na cultura de sua terra natal.

Intitulada “Miriam Inez da Silva: A Sala dos Milagres e As Crônicas Fabulosas da Alegria”, a exposição apresentará cerca de 80 obras da artista, divididas em cinco grupos temáticos que exploram aspectos significativos de sua produção artística. Entre os temas abordados estão “Memórias de Trindade”, “Estórias de amor”, “A poética do voo”, “A vida é festa” e “O show tem que continuar”.

exposição artista goiania

Obra da artista Miriam Inez da Silva (crédito – Divulgação Cerrado Galeria)

As obras de Miriam Inez são reconhecidas por sua originalidade e complexidade, com uma linguagem marcante que transita entre o real e o imaginário, o cotidiano e o fantástico. Suas figuras, com rostos exageradamente maquiados, destacam-se em telas que geralmente possuem um fundo de branco encardido, envoltas por molduras coloridas características.

Nascida em 1937, em Trindade, Goiás, Miriam Inez iniciou sua formação artística em Goiânia e posteriormente aprimorou seus estudos no Rio de Janeiro, onde construiu sua carreira e viveu até seu falecimento em 1996. Ao longo de cinco décadas de trabalho, deixou um legado significativo na arte contemporânea brasileira, com uma produção que inclui xilogravuras e pinturas em pequeno formato, geralmente em madeira.

Sua trajetória artística incluiu participações em importantes eventos como duas edições da Bienal de Arte de São Paulo, exposições na Jovem Gravura Nacional, Bienal da Bahia e Bienal de Gravura de Santiago do Chile, entre outros. Além disso, Miriam expôs sua obra em diversos países, contribuindo para a projeção internacional da arte brasileira.

exposição artista goiânia

Obra da artista Miriam Inez da Silva (crédito – Divulgação Cerrado Galeria)

Para Júlia Mazzutti, diretora da Cerrado Galeria em Goiânia, a realização dessa exposição representa uma oportunidade única de valorizar o trabalho de uma artista fundamental para a compreensão do cenário artístico brasileiro. “As obras de Miriam Inez são de extrema relevância para o programa da Cerrado, que busca promover a produção artística regional e expandir seu alcance geográfico e impacto nacional”, afirma.

O curador Divino Sobral reforça a importância do trabalho de Miriam Inez no contexto da arte brasileira, destacando sua contribuição para o debate sobre as relações entre produções eruditas e populares. “O nome de Miriam é fundamental para compreendermos as tensões e as interações entre essas categorias, e sua obra continua a inspirar e influenciar artistas e apreciadores de arte em todo o mundo”, destaca Sobral.

exposição arte goiania

Artista Miriam Inez da Silva (crédito – acervo pessoal)

Companhia de Dança de Goiás é destaque em Turnê Internacional

A Giro 8 Cia. de Dança está embarcando em turnê internacional, levando sua vibrante dança contemporânea e uma história de doze anos de dedicação aos palcos ao redor do mundo. Este grupo, enraizado na cena cultural de Goiás, está se preparando para fazer sua estreia em três países da América Latina: Panamá(18 a 21 de abril), Cuba (23 a 25 de abril) e Bolívia (9 a 11 de maio). O grupo irá apresentar seu mais recente espetáculo, “Começaria Tudo Outra Vez”, a companhia não apenas exibirá sua arte, mas também promoverá oficinas e debates sobre a rica tradição da dança brasileira.

dança goias

Foto: divulgação

No Panamá, o elenco brasileiro será destaque no  13º Festival Internacional de Artes Escénicas de Panamá (FAE). Em seguida, eles se dirigirão a Cuba, onde farão sua estreia no 28º Festival Internacional de Dança em Paisajes Urbanos: Habana Vieja Ciudad en Movimiento. Finalmente, na Bolívia, o palco será o festival de dança Proyecto mARTadero, em Cochabamba.

Este é um momento de emoção  para a Giro 8 Cia. de Dança, que continua a fortalecer sua presença, agora de forma internacional, levando consigo não apenas sua arte, mas também o espírito vibrante e diversificado da cultura brasileira. 

Prédio histórico de Goiânia, Centro Cultural Grande Hotel recebe revitalização

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), concluiu a nova pintura externa do Centro Cultural Grande Hotel, localizado no encontro da Avenida Goiás com a Rua 3, no Centro da Capital. A manutenção foi realizada em parceria com a empresa Luztol Tintas. A previsão é que ainda neste ano o prédio receba também reforma na estrutura interna.

O prefeito Rogério ressalta que, apesar de ser gerido pela Prefeitura, o local tem uma questão administrativa e financeira pendente com Instituo Nacional do Seguro Social (INSS), que brevemente será concluída. “A Prefeitura está em negociação para que tudo seja quitado e resolvido o mais breve possível. Agora, com a doação da Luztol, o Grande Hotel está com pintura nova por fora. Afinal, é um bem da nossa cidade e precisa de cuidados da gestão pública. Esperamos que a população contribua para manutenção do local, já que o prédio é sempre alvo de muita pichação”, pontua.

A previsão é que o Grande Hotel receba em breve uma manutenção na área interna. “Estamos com projeto em andamento, com orçamento para reparos na estrutura interna. O prédio é muito antigo e nós temos que seguir as orientações do Iphan, respeitando o estilo Art déco, que não pode ser mudado em nada. Temos que ser cuidadosos com isso, afinal é um ponto de referência histórica, que guarda recordações e faz parte da cultura goianiense”, afirma o prefeito.

Símbolo da História de Goiânia

Inaugurado em janeiro de 1937, o Grande Hotel é o primeiro hotel de Goiânia. Desde 1991 é tombado como patrimônio histórico de Goiás pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), e atualmente está em funcionamento como um polo da Secult, com atendimento aos alunos do curso de iniciação musical da Rede Municipal de Núcleos Musicais da Orquestra Sinfônica de Goiânia e aulas de dança de salão para adultos e idosos.

O hotel é símbolo do movimento arquitetônico Art Déco, que combinou estilos modernistas com habilidade fina e materiais ricos. Durante o seu auge, na época em que foi construído, o Grande Hotel representou luxo, glamour, exuberância e fé no progresso social e tecnológico.

Foram publicados dois editais para concorrência pública e arrendamento do Grande Hotel, já mobiliado e equipado. O contrato foi assinado por Maria Nazaré Jubé Jardim em 17 de fevereiro de 1937, pelo prazo de três anos. Também constava no contrato que o letreiro luminoso a gás néon da fachada deveria ser iluminado todas as noites.

Grand Hotel fez sucesso nos primeiros anos da formação da então nova capital – Foto: Reprodução/ IBGE

Com 60 quartos, sendo quatro de luxo, distribuídos em três pavimentos, o local recebeu nomes famosos como o antropólogo Claude Lévi-Strauss. Da construção original resta a estrutura da fachada, tendo o interior sido descaracterizado ao longo dos anos.

As instalações passaram por reforma em 2004, quando o Grande Hotel sediou o evento Casa Cor. Em 1991, o edifício foi tombado pelo Município como Patrimônio Histórico de Goiás sendo um dos 20 bens que formam o patrimônio do estilo arquitetônico Art Déco em Goiânia. Em 1998 foi tombado pelo Estado e em 2003 foi tombado pelo Iphan no Conjunto Arquitetônico Art Déco e Urbanístico de Goiânia.

O hotel se tornou um grande polo cultural de Goiânia, reunindo ali muitos visitantes que chegavam na cidade, seja a passeio ou a negócios. O hotel proporcionava o ambiente ideal para que os artistas se encontrassem com um público desprovido de locais formais para assistirem apresentações musicais.

Era, inclusive, a arrendatária Maria Nazaré quem tocava piano todas as noites para animar as reuniões da sociedade goianiense, que aconteciam nos salões do Grande Hotel. Estes eventos sociais, sempre seguidos de música, ocorriam com frequência, especialmente aos sábados.

O “Palácio Monumental”, como também era conhecido o Grande Hotel, foi palco dos primeiros bailes de carnaval da capital, onde se apresentavam a banda da 1ª Cia. da Polícia Militar, o Jazz Band Imperial e outros grupos.

Com o passar dos anos, o primeiro hotel de Goiânia se tornou ponto de encontro de diversas tribos urbanas, curtindo um samba ao vivo.

 

*Fontes: Secom; CNB Goiás

Veja também:

Goiás fabrica uma das melhores manteigas artesanais do mundo

Você sabia que uma das melhores manteigas artesanais do mundo é produzida em Luziânia, cidade goiana localizada no entorno de Brasília? A Manteigaria Nacional oferece deliciosas manteigas de diversos sabores, embaladas de forma charmosa e com um toque de arte, sem conservantes ou aditivos químicos.

Esta empresa, pioneira em conquistar o primeiro selo ARTE aprovado pelo selo S.I.M do país, é uma referência em qualidade e tradição em seus produtos! Os selos de identificação Artesanal são mais do que meras etiquetas; eles representam um compromisso com a excelência e a autenticidade. Eles asseguram que suas manteigas sejam produzidas de forma artesanal, seguindo rigorosamente receitas tradicionais e aderindo às mais altas normas de Boas Práticas Agropecuárias e de Fabricação.

Esses selos não apenas destacam a distinção dos produtos, mas também promovem a preservação das técnicas artesanais e o apoio aos produtores locais. Cada manteiga carrega consigo a história e o cuidado meticuloso de artesãos dedicados, resultando em um produto que vai além do sabor – é uma verdadeira expressão de cultura e tradição.

A obtenção do selo ARTE é uma conquista que reflete o comprometimento dessa empresa com a qualidade e a autenticidade, destacando-se como um exemplo de excelência na indústria alimentícia nacional.

Os segredos da Manteigaria Nacional revelados: uma viagem sensorial pelos sabores artesanais mais refinados de Luziânia, Goiás

Os segredos da Manteigaria Nacional revelados: uma viagem sensorial pelos sabores artesanais mais refinados de Luziânia, Goiás

A Manteigaria Nacional orgulha-se em oferecer uma ampla variedade de sabores excepcionais, que incluem desde clássicos como Banana, Amora e Framboesa até opções mais exóticas como Abacaxi, Açaí e Jatobá. Além disso, há uma seleção de sabores sofisticados, como Flor de Sal, Tartufo e Alho Negro, proporcionando uma experiência sensorial única para os apreciadores de manteiga. Destacam-se também as opções de ghee, incluindo a tradicional, com noz moscada e pimentas, e com tâmara e canela e baunilha, entre outras.

A técnica de liofilização é habilmente empregada pela Manteigaria para conferir um sabor rico e duradouro às suas manteigas. Esse processo envolve a remoção da água do produto congelado por sublimação, resultando em uma concentração de sabores que eleva a qualidade e a intensidade gustativa das manteigas produzidas.

Por trás dessas criações extraordinárias está uma equipe dedicada e talentosa, liderada pelos mestres manteigueiros Ricardo e Rejane. Com sua paixão pela arte da manteiga, eles desenvolvem sabores inovadores e ousados, enquanto garantem a qualidade excepcional de uma manteiga sem sal, especialmente destinada à panificação e confeitaria.

O surgimento da Manteigaria Nacional foi impulsionado pela missão de fornecer manteiga de alta qualidade para a gastronomia, mas hoje em dia, esse deleite está ao alcance de todos, trazendo um toque de sofisticação para as mesas em todo o país.

Convidamos você a conhecer de perto a fábrica e o processo meticuloso de produção, que resulta nessas manteigas de renome. É uma oportunidade para apreciar não apenas o produto final, mas também a dedicação e o cuidado envolvidos em cada etapa do processo.

Os produtos da Manteigaria Nacional estão disponíveis tanto para vendas no varejo quanto no atacado, com uma variedade de tamanhos e preços para atender às necessidades dos clientes. Para pedidos domésticos, os preços variam de R$ 80 a R$ 170 para 1 kg, oferecendo opções de embalagens de 90g, 200g e 500g. Já a manteiga para uso culinário tem preço inicial de R$ 71 por kg. Entre em contato conosco e escolha a sua preferida

 

Confira mais fotos dos produtos:

6bb036b1046ffd31a200dfad19d5cbf0.jpg75ef63a5dbc56a99b2983ec48382d979.jpg4108ee437360c9e3aafa75786f4b02a3.jpg11d9b013d1fec314b55382755574c67f.jpg

27076cc463902b35be84a448f9154772.jpg

9d67caeab83fd58958c8bf775c5a2cea.jpg

Confira o instagram da Manteigaria Nacional:

 

 

Mais Informações

Endereço: R. 60, S/N – Quadra 21, Lote 32 – Parque Alvorada II, Luziânia – GO

Telefone e Whats App: 61 98140-3210

E-mail: [email protected]

Site: manteigarianacional.com.br

APOIO:

Goiás Turismo – Agência Estadual de Turismo

Instagram: @goiasturismo | @goiasturismonoticias

Telefone: (62) 3201-8100

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Fotos: Divulgação/Manteigaria Nacional

 

Leia também:

Novo filme da Netflix é apaixonante e prende mentes e corações no enredo espetacular

Nova série de destaque na Netflix catapulta espectadores para uma extraordinária e empolgante jornada sobrenatural

Cidade de Goiás é um verdadeiro tesouro que guarda a coração do tempo, ouro e fé

A história de Pilar de Goiás se entrelaça com a lenda e a história, moldada por séculos de fé e busca por riquezas. Este local não apenas abriga construções magníficas, mas também uma narrativa vibrante e corajosa de um povo resiliente. Nasceu da promessa cumprida, dos sonhos dourados e do toque milagroso da Nossa Senhora do Pilar.

Caminhar pelas tranquilas ruas de Pilar é como fazer uma viagem no tempo, onde a história pulsante ecoa em cada esquina. É reviver as jornadas dos bandeirantes e dos escravos foragidos que, aqui, encontraram não apenas liberdade, mas também riqueza e oportunidade.

Pilar guarda tesouros que vão além do material; é um verdadeiro relicário vivo da cultura brasileira. Cada construção, cada praça, cada tradição é uma janela para um tempo onde o sonho e a realidade coexistiam em harmonia, um testemunho do passado que moldou o presente e inspira o futuro.

Arquitetura que Fala

Mais do que meras construções, os monumentos de Pilar são verdadeiros documentos históricos edificados. A grandiosidade da Casa da Princesa, a singularidade da Casa de Câmara e Cadeia e a espiritualidade imponente das igrejas centenárias, nos contam histórias não através de palavras, mas através da pedra, da madeira e do ouro que os compõem.

Convidamos você a se perder no encanto do Barroco goiano, onde cada detalhe revela um capítulo fascinante da nossa história, um período em que o Brasil começava a encontrar sua identidade única, um casamento harmonioso entre a herança europeia e as tradições nativas e africanas.

Natureza e Cultura em Harmonia

Para os amantes da natureza, Pilar de Goiás é um convite ao encanto do cerrado, com seus aromas e sons únicos, oferecendo um refúgio tranquilo e revitalizante. Deixe-se levar pela beleza da Cachoeira do Ogó e da Prainha da Limeira, verdadeiros santuários de paz e refresco natural, onde a história se encontra com a beleza atemporal da natureza.

E quando falamos em cultura, as festas tradicionais da região ressurgem, como a majestosa Festa de Nossa Senhora do Pilar e as Cavalhadas, eventos que trazem alegria e fé em uma celebração vibrante de cores, músicas e danças.

Convite ao Descobrimento

Para aqueles que buscam um refúgio onde a história ganha vida, Pilar de Goiás emerge como um destino inexplorado, uma joia bruta no coração do Brasil.

Você está convidado a redescobrir o Brasil que se esconde nas páginas da história, a sentir a energia vibrante que ainda ressoa nas ruas de pedra e nos sinos de ouro de Pilar. Um lugar onde cada pedra, cada rua e cada sorriso têm uma história para contar.

Viaje no tempo e permita-se encantar com as maravilhas de Pilar de Goiás, um tesouro goiano à espera de ser descoberto por olhos curiosos e corações apaixonados por cultura e história.

Venha para Pilar de Goiás, onde a história vive, onde a beleza resplandece e onde a aventura o espera. A joia do cerrado te convida para uma jornada de descobertas inesquecíveis!

 

Igreja Matriz Nossa Senhora do Pilar

Quem visitar a cidade não pode deixar de conhecer a Igreja Nossa Senhora do Pilar (a matriz) construida em 1755 no auge da mineração do ouro na cidade, que reflete em inumeros detalhes na construção toda a imponência da época, já que foi construida com o que havia de mais bonito nos tempos aureos da cidade.

Sinos de Pilar

Outra joia do local são os Sinos de Pilar, fabricados no século XVIII que são considerados os maiores sinos feitos para uma igreja no Estado, pesando em média 900kg, quase uma tonelada talhada em ouro.

Casa da Princesa ou Casa dos Dutra

Construção mais luxuosa do ciclo do ouro em Goiás já teve como moradora a princesa Isabel, que por quase um ano quis acompanhar de perto uma das maiores jazidas de ouro do Brasil Colônia. Seu aspecto extremamente luxuoso se destaca em toda a cidade e hoje esta aberto a visitação gratuita e conta com um acervo de aproximadamente 1,2 mil itens, que incluem documentos históricos, fotografias, mobiliário, utensílios sacros, domésticos, de trabalho (engenho, mineração e tear). Há também no Museu um acervo exclusivo de fotos do Período Imperial Brasileiro, é uma verdadeira relíquia histórica:

Além das atrações históricas, as belas paisagens de cachoeiras são motivo de visitação, a 5 km da cidade, a região conhecida como ‘’Lajeado de Pedras’’ contém vários poços encantadores para banhos relaxantes e trilhas. A cidade também é muito conhecida por suas festividades de Nossa Senhora do Pilar e as Cavalhadas, que acontecem no segundo semestre.

O trajeto pela BR–153, sentido Jaraguá(GO), dura em torno de 3h 40min, a cerca de 222 km de Anápolis(GO). Mas, certamente, o caminho é certamente recompensado pela viagem imersiva que vivenciamos em Pilar.

Prefeitura de Pilar de Goiás

Endereço: Praça Cavalhada, 401 – St. Central

Telefone: (62) 3339-3292

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

 

Leia também:

Cidade goiana com o maior número de motéis da América Latina é um verdadeiro refúgio do pecado

Coração do Estado de Santa Catarina é conhecida como Cidade das Flores

Goiânia recebe exposição de arte imersiva com entrada gratuita

Uma emocionante e imersiva exposição de arte, intitulada “Vou te Contar um Causo”, chega a Goiânia no dia 10 de Abril, na galeria de artes Basileu França. A exposição permanecerá em cartaz até o dia 30 de Abril. A entrada é franca para todos os interessados.

Sob a curadoria de Gisele Jacinto e coordenação de Juliano Silvestre, esta exposição é o resultado do desejo compartilhado pelo Coletivo de Artes Visuais da Associação de Pais e Mestres do Basileu França. O projeto é realizado com recursos da Lei Paulo Gustavo do Governo Federal, operacionalizado pelo Governo de Goiás, através da Secretaria de Estado da Cultura.

Esta exposição promete uma experiência imersiva que convida os visitantes a mergulharem no imaginário e na identidade cultural do povo brasileiro, especialmente o goiano. Através de obras premiadas e de uma narrativa única, os espectadores serão transportados para um universo estético-sensorial, envolvendo contos, lendas, crenças e costumes.

Inclusão e Acessibilidade

Um dos destaques desta exposição é o compromisso com a inclusão e acessibilidade. As obras apresentam descrições em braille, áudios e monitorias que guiam os visitantes pela exposição. Além disso, a narrativa é acompanhada pela narração em Libras, garantindo que todos possam desfrutar plenamente da experiência.

“Vou te Contar um Causo” resgata personagens da cultura popular brasileira, como Aranca-língua, Mapinguari, Cuca, Bicho Bapão e Boitatá, apresentados de forma interativa e sensitiva pelos artistas. A instalação convida os visitantes a se sentarem e ouvirem essas histórias fascinantes do imaginário brasileiro.

 

Goiano “bomba” após atriz de Hollywood divulgar seu trabalho

A arte de Fábio Gomes, oriunda da vibrante Trindade, na Região Metropolitana de Goiânia, é uma história de superação, talento natural e reconhecimento internacional. Transformando muros em murais magníficos, Gomes usa elementos naturais, como folhas de árvores, para criar retratos femininos de profunda beleza e significado. Este singular entrelaçamento entre a arte e o ambiente natural não apenas enriquece o cenário urbano de Trindade mas também serve como uma ponte entre culturas e continentes.

A obra que elevou Gomes ao estrelato global, inspirada em um pé de acerola, foi apenas o começo. A divulgação de seu trabalho por ícones culturais como Viola Davis e Tina Knowles levou sua arte aos olhos do mundo, multiplicando seus seguidores e estabelecendo-o como um artista de renome. Esses momentos de reconhecimento destacam o poder da arte em transcender barreiras, conectando pessoas de diferentes partes do mundo através da beleza e da criatividade.

Mas a jornada de Gomes vai além da busca pelo reconhecimento. Residindo em Trindade há nove anos, o artista vê sua prática como uma forma de redenção pessoal e de dar algo de volta à comunidade que o acolheu. Suas aspirações futuras, como a criação de uma galeria a céu aberto em Trindade, refletem seu desejo de transformar a cidade em um destino turístico e cultural, onde a arte pode ser vivenciada por todos.

A trajetória de Fábio Gomes é um lembrete do impacto transformador que a arte pode ter na vida das pessoas e nas comunidades. Seus murais não são apenas decorações; são narrativas visuais que falam de esperança, renovação e a interconexão entre o ser humano e a natureza. Por meio de sua obra, Gomes convida todos a olharem além do óbvio, a apreciarem a beleza nas intersecções da vida e a reconhecerem o potencial de transformação que reside em cada um de nós.

Em meio a esse cenário de reconhecimento e sonhos, a arte de Gomes continua a florescer, prometendo novas obras que certamente capturarão a imaginação do público global. Seja nas redes sociais ou nas ruas de Trindade, a arte de Fábio Gomes permanece um testemunho vibrante do poder da expressão humana e da capacidade infinita de reinvenção da vida através da arte.

1ª Mostra Cultural de Mossâmedes: resgate da identidade e valorização do patrimônio

No Centro de Mossâmedes, especificamente na Praça Damiana da Cunha, um evento de proporções significativas está prestes a ocorrer. Trata-se da 1ª Mostra Cultural de Mossâmedes, uma iniciativa que coincide com as comemorações do O Jubileu dos 250 anos da Matriz de São José. O evento acontece nos dias 16 a 19 de março, às 19h, na praça Damiana da Cunha. A entrada é gratuita.

Nesse contexto festivo, a comunidade local se une para celebrar e preservar sua rica história, bem como para valorizar seu patrimônio material e imaterial.

“É um esforço conjunto para contemplar todas as frentes da cultura local”, comenta Sebastião Filho, um dos organizadores do evento. A mostra engloba uma variedade de atividades, incluindo apresentações musicais, exposições de fotos, artes plásticas, artesanato e arte indígena, além de uma amostra culinária intitulada ‘Sabores do Coração do Cerrado’. 

Todas essas manifestações culturais são resultado de doações e trabalho voluntário, refletindo o desejo da população de Mossâmedes por acesso à cultura, conforme garantido pela Constituição Federal.

Além de celebrar a identidade mossamedina, a mostra marca o início de um esforço para unir a comunidade em torno do projeto de resgate histórico da cidade. A história de Mossâmedes está intrinsecamente ligada à política de aldeamento da Coroa Portuguesa, que visava utilizar a força de trabalho dos povos originários do Brasil Central na pecuária e agricultura, mesmo que às custas de muita violência.

Contudo, a 1ª Mostra Cultural vai além da celebração local, buscando apoio de instituições públicas e privadas para a implementação de projetos ambiciosos, como a construção de cinco museus na região. Esses museus, que abordarão desde a história local até aspectos antropológicos e botânicos, são vistos como pilares essenciais para o resgate da memória e a valorização da cultura goiana como um todo.

A iniciativa ganha ainda mais importância ao ressaltar que a cultura em Goiás não pode ser limitada a apenas seis municípios. O esforço coletivo para realizar a 1ª Mostra Cultural reflete o desejo de preservar e promover a diversidade cultural e histórica da região, enquanto se aguarda o reconhecimento oficial de marcos como a Igreja de São José de Botas como patrimônio do povo brasileiro pelo IPHAN.

Os 5 lugares preferidos dos goianos em Paris

Paris, resplandecente em seu título de “Cidade Luz”, emerge não apenas como um epicentro de arte e cultura, mas também como um refúgio romântico onde corações apaixonados encontram um cenário perfeito para criar memórias eternas. Com suas avenidas radiantes e monumentos que desafiam o tempo, a capital francesa oferece uma tela viva para os viajantes que procuram experiências marcantes e inspiradoras. Anualmente, essa metrópole encantadora atrai milhões em uma peregrinação de admiração e descoberta; segundo dados recentes da Euromonitor International, uma renomada empresa de análise de mercado, Paris orgulhosamente se posicionou como a quinta cidade mais visitada do globo, recebendo cerca de 15,5 milhões de entusiastas de viagens.

Mas, além de sua aura indiscutível e seu charme que atravessa séculos, quais são as joias parisienses que cativam especialmente os corações dos goianos? Helena Ribeiro, uma historiadora e guia turística com credenciais do Ministério da Cultura da França, oferece um olhar privilegiado sobre este enigma. Residindo em Paris desde 2011, Helena compartilha seu repertório de maravilhas parisienses, revelando cinco destinos imperdíveis que prometem transformar qualquer visita à cidade em uma jornada de encantamento e descoberta. Segundo ela, estes locais não são apenas pontos turísticos; eles são experiências que ficam gravadas na alma, evocando o espírito vibrante e a riqueza histórica que só Paris pode oferecer. Prepare-se para desvendar esses tesouros através dos olhos de alguém que vive e respira a essência desta cidade magnífica, tornando sua viagem uma aventura inesquecível e repleta de magia.

Confira as dicas!

1 – Torre Eiffel  

A Torre Eiffel permite que o visitante tenha uma vista privilegiada da cidade, principalmente quem subir até o topo, onde consegue ter uma visão panorâmica da capital francesa. É possível acessar a torre pela escada ou elevador, as filas para entrar costumam ser grandes, principalmente na alta temporada, e leva três horas até subir por toda a torre. É recomendável comprar os ingressos antecipadamente pela internet, os valores variam de 10,5 a 26,10 euros.

2 – Museu do Louvre 

Para os amantes de arte e cultura, não podem esquecer de passar no Museu do Louvre, você pode visitar desde o quadro da Mona Lisa, pintado por Leonardo da Vinci até fazer fotos engraçadasnas pirâmides de vidro que ficam no pátio do museu. O espaço é tão grande que seria necessário vários dias para conhecer tudo, então separe algumas horas da sua viagem para apreciar e conhecer as obras de arte, é uma verdadeira imersão na história da arte

3 – Passeio de barco pelo rio Sena

Quem procura um passeio romântico não pode deixar de percorrer de barco o rio Sena. Diversos barcos oferecem cruzeiros para quem deseja ter uma bela vista da paisagem da cidade luz. É possível ver os prédios históricos e alguns barcos oferecem a opção de almoço e música para apreciar a bela cidade.

4 – Passear pelos Jardins de Luxemburgo

Os Jardins de Luxemburgo são um espetáculo à parte, ideal para caminhar e fazer um piquenique em casal ou mesmo sozinho. O parque tem uma série de atividades para todos os gostos e idades como museus, playgrounds e quadras esportivas. Além disso, é possível fazer uma visita guiada e a entrada é gratuita.

5 – Ópera Garnier

Para os apreciadores de boa música, o Ópera Garnier é uma opção com estilo de arquitetura clássica e inspiração no renascimento italiano. O prédio é uma verdadeira obra de arte. E só para se ter uma ideia da magnitude deste lugar, o local abriga uma grande escada central, que aliás já serviu de cenário para muitos filmes. A escada é famosa pelos mármores, pinturas e mosaicos. A sala de espetáculos é mais imponente ainda, é toda em dourada e vermelha. Quem desejar pode comprar os ingressos para ouvir um bom concerto de música clássica.

Leia também:

10 motivos para você se apaixonar pela Ilha da Madeira

Cidade de Goiás de clima quente abriga um dos maiores e mais bonitos lagos da América Latina

Goiânia recebe espetáculo “A trança perdida”

No coração da capital de Goiás, o solo de dança da talentosa artista Anna Behatriz Azevêdo ganha vida. Na próxima sexta-feira, 15 de março, às 20h, no Centro Cultural da UFG (CCUFG), será apresentado esse espetáculo imperdível. A entrada é gratuita, e os ingressos podem ser retirados na bilheteria do teatro.

A Trança Perdida já percorreu as cidades de Goiás e Anápolis, conquistando tanto o público quanto a crítica. Agora, em Goiânia, temos mais uma oportunidade de mergulhar nas reflexões sobre o corpo por meio da dança. O projeto conta com o apoio financeiro do Fundo de Arte e Cultura de Goiás e inclui uma ação formativa online, voltada para docentes de artes e interessados, que explora o processo criativo por trás desse solo.

A expectativa da artista Anna Behatriz é enorme. A Trança Perdida mescla dança contemporânea e performance, provocando reflexões sobre memória e afeto no público. No palco, os tempos se entrelaçam, e memórias afetuosas vivenciadas por Ana e pela própria artista quando criança emergem. O gesto de manejar os cabelos das crianças para catar lêndeas e piolhos desencadeia imaginações e estados de corpo. Conversas dos adultos surgem enquanto os cabelos são cuidadosamente manejados. E, em meio a essas lembranças, a artista escuta falar sobre uma trança: um pedaço do cabelo de sua mãe, cortado quando ela tinha apenas 12 anos em 1967, guardado e esquecido por muito tempo.

Além disso, o projeto oferece uma ação formativa intitulada “Vivência entre Fios e Memórias: Orientações para Práticas em Processos de Criação”. Esse material didático gratuito, disponível no site da Anna Behatriz e em suas redes sociais (@annabehatriz.artista), inclui audiodescrição e quatro sugestões de leitura. Ele é dividido em “3 caminhos”, cada um relacionado a uma fase do ciclo de vida do cabelo: crescimento, involução e repouso. Cada caminho é acompanhado por um vídeo com orientações valiosas.

Centro Cultural em Goiânia inaugura exposição de Américo Poteiro com entrada gratuita

Muitas cores e formas orgânicas vão preencher de arte Naïf a Galeria Frei Confaloni, no Centro Cultural Octo Marques, em Goiânia, com a exposição “Tradição: a Arte de Américo Poteiro”, que será aberta nesta terça-feira (20/02), às 19h.

A mostra conta com apoio do Governo de Goiás, por meio do Programa Goyazes, mecanismo de fomento gerenciado pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult).

Composta por 55 obras entre esculturas e pinturas, “Tradição: a arte de Américo Poteiro” recebeu curadoria de Enock Sacramento e produção de Malu da Cunha. “Crescendo imerso no ambiente artístico, Américo absorveu desde cedo os conhecimentos e técnicas de seu pai, participando ativamente do processo criativo”, ressalta Enock.

Segundo ele, a influência de Antônio Poteiro se reflete na obra de Américo, especialmente na cerâmica, onde ele começou a criar suas próprias peças sob a orientação e encorajamento de seu pai. “Embora tenha começado seguindo os passos de seu pai, Américo gradualmente desenvolveu seu estilo único, combinando elementos da tradição familiar com suas próprias ideias e experiências”, complementa o curador.

A exposição oferece aos visitantes uma visão abrangente da obra de Américo Poteiro, que é reconhecido por sua habilidade em mesclar tradições do Cerrado com técnicas de escultura e pintura.

A mostra fica em cartaz até 31 de março. O Centro Cultural Octo Marques funciona de segunda-feira a domingo, das 9h às 17h, com entrada gratuita.

Américo Poteiro leva suas obras para o Centro Cultural Octo Marques a partir da próxima terça-feira (20/02). Mostra tem apoio do Programa Goyazes (foto: Paulo Rezende)