Pode comemorar: estudo revela qual é o principal benefício da Cerveja para a sua saúde

O Brasil, conhecido por sua paixão por cerveja, é o terceiro maior consumidor mundial dessa bebida, de acordo com um relatório da Kirin Holdings Company divulgado em dezembro de 2022, que analisou o consumo global em 2021. Além de ser uma preferência nacional, a cerveja pode trazer benefícios à saúde, conforme revelou um estudo recente.

Benefícios Probióticos da Cerveja

Uma pesquisa realizada por uma universidade alemã trouxe boas notícias para os apreciadores de cerveja, desmistificando alguns tabus associados à bebida. Segundo os cientistas, a cerveja pode ser mais benéfica do que muitos alimentos probióticos.

Probióticos são alimentos ou produtos que contêm microrganismos vivos, essenciais para o equilíbrio da microbiota intestinal. A saúde do intestino, mantida por bactérias “boas”, é fundamental para o bem-estar geral do organismo.

Os responsáveis pelo estudo destacam que a cerveja é rica em aminoácidos essenciais, vitaminas, oligoelementos e substâncias bioativas, que desempenham um papel na regulação das funções fisiológicas humanas. Embora o consumo excessivo de álcool possa ser prejudicial, a ingestão moderada da cerveja pode ter um efeito positivo na função imunológica e na microbiota intestinal.

Os pesquisadores afirmam que “os metabólitos da cerveja inibem bactérias patogênicas, estimulam a proliferação e atividade de flora saudável como lactobacilos e bifidobactérias, e regulam a microbiota intestinal”. Isso indica que a cerveja, quando consumida de forma controlada, pode ser benéfica para a saúde.

Além disso, o estudo sugere que, no futuro, a cerveja poderia ser utilizada como regulador microbiológico ou até mesmo como terapia alternativa para doenças crônicas como hipertensão, diabetes e obesidade. Os autores do estudo destacam que essa possibilidade merece mais investigações.

A cerveja, uma bebida milenar, é uma fonte surpreendente de nutrientes, incluindo aminoácidos essenciais, vitaminas, oligoelementos e substâncias bioativas como polifenóis e flavonoides. Também é rica em minerais como cálcio, magnésio e zinco, e contém fibras alimentares provenientes dos beta-glucanos e arabinose-oligossacarídeos do cereal.

Portanto, pode comemorar!

 

*Com informações Correio Braziliense

Veja também:

 

Estes são os 7 motivos para você parar de beber energético hoje mesmo

Os malefícios das bebidas energéticas parecem crescer em evidência a cada nova pesquisa divulgada. Em busca de um impulso rápido e contínuo na agitação do cotidiano ou durante festas e longas jornadas de trabalho ou estudo, muitos recorrem a essas bebidas sem estar plenamente conscientes dos riscos que oferecem à saúde.

 

1 – Efeitos Cardiovasculares

Estudos sugerem que os riscos do consumo frequente de bebidas energéticas podem afetar drasticamente o sistema cardiovascular. Além do aumento da pressão arterial, há também indícios de distúrbios no ritmo cardíaco. “As pesquisas mais atualizadas sobre o tema, são categóricas ao afirmarem que pacientes com fibrilação atrial, por exemplo, cortem radicalmente o consumo de energéticos”, afirma o cardiologista Silvio Alessi, especialista em arritmia cardíaca.

 

2 – Riscos Quando Combinadas com Álcool

A mistura destas bebidas com álcool é uma prática comum em ambientes festivos. Entretanto, isso pode mascarar o nível real de intoxicação e aumentar a excreção urinária – levando a uma desidratação potencialmente perigosa.

 

3 – Impacto no Sono e Peso Corporal

Apesar da intenção inicial ser manter-se acordado por mais tempo, o consumo excessivo eventualmente prejudica a qualidade do sono. Mais ainda, calorias adicionais dessas bebidas contribuem para ganho de peso indesejado.

 

4 – Associação com Vícios e Problemas de Saúde

O padrão preocupante encontrado em estudos sugere um vínculo entre ingestão regular dessas substâncias e desenvolvimento de comportamentos aditivos. Além disso, problemas renais e mentais estão sendo associados ao uso continuado.

 

5 – Recomendações da OMS sobre Álcool e Energéticos

A Organização Mundial da Saúde recomenda cautela no consumo simultâneo de álcool e bebidas energéticas, alertando para os perigos à saúde caso se ultrapasse a quantidade considerada segura.

 

6 – Saúde Mental

De acordo com o estudo publicado na revista científica Public Health, o consumo da bebida foi relacionado ao maior risco de desenvolver problemas de saúde mental incluindo ansiedade, estresse e depressão.

 

7 – Consumo de energéticos entre crianças e adolescentes

No Reino Unido, as embalagens dos produtos contam com avisos de que não são adequadas para crianças, mas podem ser compradas facilmente por menores de 18 anos.

Para especialistas do Reino Unido, onde a pesquisa foi conduzida no Centro de Pesquisa Translacional em Saúde Pública da Universidade de Teesside (Inglaterra), as novas descobertas acendem um alerta para a criação de políticas de restrição da bebida. Entre os fatores de risco, está a questão da saúde mental.

 

Portanto, com base nas evidências apresentadas em pesquisas científicas recentes, fica claro que o cuidado com o uso das bebidas energéticas deve ser priorizado e, em casos específicos como a fibrilação atrial, radicalmente suspenso. A atenção aos sinais do corpo e boas práticas alimentares são essenciais para minimizar riscos à sua saúde. Lembre-se sempre que a moderação é a chave para um estilo de vida equilibrado.

 

Leia também:

Aprenda a fazer um shot energético para começar o dia com pé-direito

Estes são os países onde a Coca-Cola é proibida

10 curiosidades sobre a Cerveja que você provavelmente não sabe!

A nossa ligação com a cerveja daria uma bela história de amor ao estilo ”e viveram felizes para sempre”. Para se ter uma ideia, a cerveja é a terceira bebida mais consumida no Brasil, e perde apenas para o café e o leite. Seja debaixo de muito sol, chuva, com a família ou em uma roda com amigos, a paixão pelas geladas está quase sempre presente em nossas vidas.

E aproveitando esse amor pela geladinha, separamos para vocês conhecerem 10 curiosidades sobre a nossa amada bebida que talvez você não saiba.

Confira:

1. A cerveja já era bebida há 4 mil anos, bem antes do primeiro bar ser inventado.

2. 40% de toda produção de cereais do povo sumério eram só para as casas de produção da cerveja. Justo!

3. No início, apenas mulheres eram responsáveis pela produção da cerveja. Isso explica ser uma bebida tão excepcional até hoje!

4. O imperador romano, Julio César, grande apreciador da cerveja, uma vez deu uma festa monumental, na qual a bebida principal foi ela, sim, a única, a cerveja.

5. Foi logo após a festa dada pelo imperador Julio César que o consumo de cerveja cresceu exponencialmente por todas suas terras e além.

6. Em 1760 antes de Cristo era condenado “à morte aqueles que não respeitam os critérios de produção da cerveja” nas leis do ditador Hamurabi.

7. Na Alemanha em 1516 com a Lei da Pureza da Cerveja, foi decretado que a cerveja deveria ser feita usando apenas agua, malte e lúpulo, já que na época não se conhecia a levedura.

8. A descoberta da levedura da cerveja foi feita pelo mesmo cientista que descobriu a vacina contra a raiva, Louis Pasteur, no sec. XIX. Então nada mais justo que a técnica de controle da levedura se chamar Pasteurização.

9. Os primeiros mestres cervejeiros a colocarem Lúpulo na cerveja foram monges do mosteiro San Gallo, entre os anos 700 e 800, na Suíça.

10. Ainda na suméria, acreditava que criada das bolhas da fonte da água mais pura, nasceu a Deusa Ninkasi, a deusa da cerveja.

*Fonte: Museu da Cerveja

Veja também:

Fogos de artifício e bebidas: combinação que pode causar danos irreparáveis; alerta especialista

As festividades de fim de ano são marcadas por alegria, celebrações e tradições. Mas nem tudo são flores, ou melhor, luzes. Especialistas alertam para os perigos de combinar fogos de artifício, muito usados nesta época, com o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, ressaltando os riscos iminentes para a segurança e a saúde.

O cirurgião plástico, Fabiano Calixto, médico especialista na área de queimaduras no Hugol, explica que alguns cuidados são necessários na hora de utilizar fogos de artifício. “Para evitar acidentes, o ideal é que apenas profissionais façam o manuseio do artefato, e que este profissional não utilize as próprias mãos para segurar o material. É recomendado encaixar o equipamento no chão ou em algum suporte para proteger as mãos ao acender os fogos”, contou.

Com essas medidas simples é possível evitar que a pessoa se queime, queime alguém próximo ou até mesmo provoque algum incêndio na região. Além disso, o especialista alerta para outro caso frequente nas festas de fim de ano: os acidentes durante o churrasco. “Também é muito comum nesse período, casos de queimaduras com churrasqueira. É necessário tomar bastante cuidado ao utilizar álcool na churrasqueira. Em alguns casos, a pessoa joga o álcool de qualquer jeito e acaba queimando a região das mãos”, disse Calixto.

De acordo com profissionais da área da saúde, a coordenação motora e o julgamento ficam comprometidos sob o efeito do álcool, o que pode resultar em manuseio imprudente dos fogos. Queimaduras, lesões oculares e até incêndios acidentais são algumas das consequências desastrosas associadas a essa combinação perigosa.

Autoridades e organizações de saúde recomendam fortemente evitar o manuseio de fogos de artifício sob a influência do álcool. É fundamental que as celebrações sejam desfrutadas com responsabilidade, colocando a segurança em primeiro lugar.

Ao se preparar para as festividades, é aconselhável planejar com antecedência, considerar alternativas mais seguras para a diversão, como eventos organizados por profissionais capacitados para manusear fogos de artifício e garantir um ambiente seguro para todos os presentes.

Neste período festivo, o espírito de comemoração deve ser acompanhado pela consciência dos riscos envolvidos, visando a proteção de todos os envolvidos. A celebração responsável e consciente é a chave para garantir que as festividades sejam lembradas por momentos felizes e não por danos irreparáveis.

Esta é a pior bebida do Brasil mas nem todo mundo concorda

A catuaba, famosa e arraigada na tradição brasileira, foi considerada a pior bebida alcoólica do Brasil, segundo as análises do site gastronômico TasteAtlas. Representando a tipicidade nacional, sua composição inclui vinho, álcool etílico, açúcar, xarope de maçã e extratos de guaraná, marapuama (raiz amazonense) e catuaba, que empresta seu nome à bebida.

No portal, predominantemente acessado por estrangeiros, a catuaba foi descrita como uma bebida “doce, de cor escura, acessível e, portanto, bastante popular no Brasil”. Apesar de seu desempenho desfavorável no ranking, o líquido, alardeado por supostos efeitos afrodisíacos, recebeu uma nota de 3,1 em 5 pontos possíveis.

Catuaba com gelo/Foto: Reprodução

Em segundo lugar, a cachaça, amplamente consumida no Brasil, também recebeu uma avaliação desfavorável, atingindo 3,7 pontos. Esse destilado de cana-de-açúcar é reconhecido como uma das bebidas mais antigas do país, com origens remontando ao início do século 17, quando era inicialmente denominado “aguardente de cana”.

A cajuína conquistou a terceira posição no ranking das piores bebidas brasileiras, com 3,8 pontos. Originária do Nordeste é predominantemente fabricada no estado do Piauí, essa bebida é elaborada a partir do suco do caju, passando por processos de filtração e clarificação, resultando em um líquido amarelo e brilhante.

As classificações gastronômicas do TasteAtlas refletem as opiniões do público internacional do site, obtidas por meio de votos e mecanismos que eliminam especulações potencialmente vinculadas a bots ou tendências “nacionalistas”. O portal destaca que seus rankings não devem ser interpretados como uma conclusão final sobre o tema.

Descubra a história por trás do Happy-Hour e saiba onde curtir em Goiânia

Quem nunca ouviu falar do Happy Hour? Aquele momento do dia em que muitas pessoas se encontram para tomar uma bebida e relaxar após o trabalho. A tradição surgiu nos Estados Unidos e logo se espalhou pelo mundo como uma estratégia de marketing para a gastronomia e já existe há quase um século. 

 

O Happy Hour, ou Hora Feliz em tradução livre, surgiu na década de 1920, nos Estados Unidos, durante a Lei Seca. Nessa época, a venda de bebidas alcoólicas era proibida e muitos bares e restaurantes tiveram que se reinventar para continuar atraindo clientes. Foi então que surgiu a ideia de oferecer bebidas com desconto durante um período específico do dia, geralmente no início da noite. Com o tempo, essa tradição se espalhou para outros países, como o Brasil, e se tornou uma forma de socialização e descontração após um dia estressante de trabalho. Além disso, o Happy Hour também se tornou uma oportunidade para os estabelecimentos aumentarem suas vendas em um período que antes era considerado ocioso. Hoje em dia, o Happy Hour é muito mais do que uma simples promoção de bebidas. É um momento para encontrar amigos, conhecer pessoas novas, experimentar novos drinks e petiscos, e, claro, relaxar depois de um longo dia.

 

Se você adora um bom Happy-Hour, temos sugestões perfeitas para você curtir em Goiânia. E claro, quem é Assinante Premium do Clube Curta Mais tem vantagens exclusivas para economizar. Confira: 

 

Tantan Wine Restaurante e Bar

Happy-Hour de cervejas Heineken, Stella Artois e Beck’s de segunda a quinta a partir das 18h até às 21h. Cada garrafa de 600 ml sai por R$10,90. Lembrando que, Assinante Premium do Clube Curta Mais tem R$50,00 de desconto na consumação acima de R$200,00. 

Endereço: R. 61, esquina com R.54 – Jardim Goiás, Goiânia – GO, 74810-040

Reservas ou informações –  WhatsApp – 62 99215-2728

 

 

Salve!

O final de semana começa mais cedo com bastante Happy-Hour na programação, além de música boa no local . Assinante Premium do Clube Curta Mais garante R$15,00 de desconto na consumação. 

Endereço: Rua 1.136, Nº 431, QD.245, LT.10E, no Setor Marista. 

 

 

Guetto Bar

Para quem gosta de um rolê alternativo, no Guetto o Happy-Hour é garantido toda semana, além de contar com promoção de petiscos também. E claro, Assinante Premium do Clube Curta Mais garante R$15,00 de desconto na consumação.

Endereço: Galeria Shopping Center Sul – Rua 134, número 155. Setor Oeste

 

 

Colombina Gastropub 

Se você gosta de cerveja artesanal, o Colombina é o Happy-Hour ideal para a sua semana. Assinante Premium do Clube Curta Mais ainda ganha 1 chope, 1 drink ou 1 sobremesa. 

Endereço: Rua 1.129, Nº 46, Setor Marista

 

 

Curtiu? Não deixe de nos acompanhar por aqui para ficar sabendo de mais experiências incríveis, com um desconto exclusivo. Faça sua Assinatura no Clube Curta Mais por apenas R$9,90 por mês, ou R$95,90 por ano, e tenha acesso aos melhores lugares e programas de Goiânia!

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Colombina é eleita a melhor Cerveja Artesanal do ano em Goiânia

Um brinde à Cerveja Colombina, eleita pelo nosso júri como a Melhor Cerveja Artesanal Regional no 1º Prêmio Curta Mais – O Melhor da Cidade.

As brejas da marca são reconhecidas pela personalidade e sabores, cercados de inúmeros frutos, especiarias e ingredientes do Cerrado, como o inconfundível pequi até a doçura da nossa baunilha. Daí veio o apelido ‘cerveja do Cerrado’.

Em franca expansão, a CEO Patrícia Mercês e o mestre cervejeiro Alberto Nascimento estão investindo em uma nova fábrica, numa área de 4.324,77m². Quer ousadia e alegria? A Colombina Pit Dog, uma Juicy IPA com adição de abacaxi, milho e batata. Uma harmonização perfeita para aquele X-Tudo Clássico, servido com a irresistível maionese verde. Mas se for mais comedido e tradicional, a Colombina Session IPA tem aroma rico, marcado pelas notas cítricas e frutadas de lúpulos americanos. Uma cerveja refrescante e ideal para todas as ocasiões.

colombina

Além disso, para os amantes de boa gastronomia com um toque especial goiano, o bar oficial da cerveja, o Colombina Gastropub surge como a opção ideal para quem quer apresentar o estado para os amigos. Os pratos e petiscos típicos de bares e restaurantes, aqui ganham uma versão exclusiva inspirada no Cerrado. 

colombina

Prêmio Curta Mais

Somente a mais completa e confiável multiplataforma de informação, cultura, gastronomia, entretenimento e negócios de Goiás poderia promover o ‘’Oscar’’ da Gastronomia de Goiânia. O 1º PRÊMIO CURTA MAIS – O MELHOR DA CIDADE 2022 trouxe mais de 350 estabelecimentos no seu guia impresso e online, e premiou os 52 melhores da capital, entre restaurantes, bares e comidinhas, além de personalidades da gastronomia, entretenimento e turismo. A revelação aconteceu nesta terça-feira (22), no Cora Restaurante – Escola do Senac, na nova sede da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego). 

O 1º PRÊMIO CURTA MAIS – O MELHOR DA CIDADE 2022 contou com o reconhecimento e apoio do Sicob-Secovicred, do Sebrae e do Sistema Fecomércio, Sesc e Senac.

Para mais informações sobre a Cerveja Colombina, acesse: curtamais.com.br/omelhordacidade/

 

Clube de Benefícios

O Colombina Gastropub e faz parte do Clube Curta Mais. Assine por apenas R$ 9,99 ao mês e aproveite o Melhor da Cidade com benefícios exclusivos!

Pílula anti-ressaca já está à venda na Europa

É a notícia que muitos esperam há anos – uma pílula que alega fornecer uma cura para a ressaca foi colocada à venda no Reino Unido. A marca sueca Myrkl afirma que seu produto é o primeiro a decompor o álcool de forma eficaz e cerca de 70% da bebida no corpo pode ser decomposta em apenas uma hora. As informações são do portal IstoÉ Dinheiro.

O suplemento está à venda online por £ 1 por comprimido – embora você precise comprar 30 por £ 30. O tratamento consiste em dois comprimidos sendo o primeiro tomado 12 horas antes de beber. O segundo é então tomado uma hora antes de sua noite começar.

Myrkl diz que isso não vai impedir você de ficar bêbado. Mas a empresa afirma que os ensaios clínicos mostraram que aqueles que tomaram dois comprimidos e beberam dois copos de vinho ficaram com 70% menos álcool no sangue uma hora depois – em comparação com aqueles que não tomaram nenhum comprimido.

O CEO da Myrkl, Håkan Magnusson, saudou a pílula anti-ressaca como um “produto revolucionário” e os bebedores ficarão “se sentindo melhor no dia seguinte”. Ele acrescentou: “Marcando a primeira vez na história que um produto de consumo demonstra de forma eficaz e rápida a quebra do álcool, estamos muito animados por lançar este produto inovador no Reino Unido e na maioria dos mercados europeus.

“Beber socialmente moderado é uma grande parte da cultura britânica, com a maioria dos britânicos saindo todas as semanas para desfrutar de alguns drinques juntos. O objetivo de Myrkl é, portanto, ajudar aqueles bebedores moderados regulares a acordarem sentindo-se bem no dia seguinte, sejam eles profissionais ocupados, pais jovens ou idosos que desejam manter uma vida social ativa.”

Na Escócia, o NHS recomenda que os bebedores não ultrapassem 14 unidades de álcool por semana e alerta contra o consumo excessivo de álcool. Magnusson acrescentou: “Os ensaios clínicos independentes provam o quão poderoso este produto é na quebra do álcool. Embora o Myrkl não seja de forma alguma concebido como uma desculpa para beber além das diretrizes do NHS, estamos realmente convencidos de que o Myrkl é um produto revolucionário para aqueles bebedores moderados regulares, e mal podemos esperar para que o público britânico experimente.”

Vendas esgotadas

Em um anúncio nas redes sociais, a farmacêutica De Fairy Medical AB disse que “devido a uma demanda sem precedentes” vendeu todo o estoque disponível do medicamento Myrkl em apenas 24 horas.

“Vamos ter novo estoque disponível nos próximos dias”, afirmou a companhia. “Se você já fez o pedido, ele será encaixado no cronograma de entregas; mas não vamos aceitar novos pedidos no site até a chegada de mais produtos.”

Mas não demorou tanto para a empresa repor os estoques: a farmacêutica já renovou o lote dos medicamentos vendidos por 30 libras esterlinas. As entregas estão previstas para recomeçar no dia 11 de julho no Reino Unido, na Irlanda, França, Alemanha, Suíça, Áustria, Itália e todos os países nórdicos.

Até o momento, ainda não se sabe se o remédio chegará ao Brasil.

 

Veja também: 10 bares em Goiânia perfeitos para petiscar e tomar uma cerveja gelada

Estudo aponta que hábito de tomar café reduz risco de morte

Segundo uma pesquisa do instituto Axxus sobre consumo do café, cerca de 45% dos brasileiros consomem de 3 a 5 xícaras diariamente. Para muitas pessoas, o principal benefício buscado na bebida é uma maior energia durante a jornada de estudos ou de trabalho. Porém, cada vez mais a ciência mostra que os resultados positivos vão muito além, com pesquisas relacionando à prevenção da doença de Parkinson, diabetes tipo 2, câncer de fígado e muitos outros problemas de saúde. Agora, um novo e amplo estudo publicado na revista científica Annals of Internal Medicine comprovou que o café é capaz de reduzir o risco de morte em até 31%. Porém depende da forma em que ele é consumido.

A conclusão é de pesquisadores do departamento de Epidemiologia da Southern Medical University, na China, que analisaram informações de 171.616 participantes, de em média 56 anos, durante um período de sete anos – entre 2009 e 2018. A avaliação foi possível por meio do UK Biobank, um amplo banco de dados de saúde do Reino Unido. Os responsáveis pelo estudo destacam ainda que foram selecionadas pessoas que não tinham problemas cardiovasculares ou câncer no início, e que os resultados foram ajustados de acordo com critérios de demografia, estilo de vida e alimentação.

Assim, foi observada a ingestão diária do grupo de café puro, com açúcar e com adoçante, em diferentes quantidades. O consumo foi então comparado com desfechos de saúde no fim de 2018, a partir de 3.177 óbitos constatados entre os participantes. Os resultados da análise mostraram que a ingestão moderada de café sem e com açúcar foi associada no geral a um menor risco de morte. Os dados, no entanto, não mostraram uma mudança significativa em relação ao consumo da bebida com adoçantes artificiais.

Quanto preciso beber?

Para os que bebiam qualquer quantidade até 4,5 xícaras por dia de café sem adição de açúcar, foi observada uma redução de ao menos 16% no risco de morte. Porém, esse percentual chegou a 29% entre aqueles que bebiam de 2,5 a 4,5 xícaras.

Os que colocavam pouco mais de uma colher de chá de açúcar também tiveram menos chance de morte em todas as quantidades analisadas até 4,5 xícaras, de ao menos 9%. Mas, o percentual de redução foi maior entre aqueles que bebiam de 1,5 a 3,5 xícaras por dia – 31%. Em outras quantidades, a diminuição foi mais tímida em comparação com a do café sem açúcar.

Os pesquisadores afirmam que a redução foi “amplamente consistente” nos casos de mortes, especialmente por câncer e problemas cardiovasculares. A análise envolveu uma comparação com 1.725 e 628 óbitos decorrentes dos dois problemas, respectivamente, no grupo durante os sete anos.

 

*Agência O Globo

Imagem: Pixabay / Ilustrativa

Veja também:

Cafés especiais em Goiânia: 13 cafeterias pra quem ama e entende do assunto

Dia Nacional do Café: 8 cafeterias em Goiânia para celebrar a data em grande estilo

Cachaças produzidas em Goiás que você precisa conhecer

Cachaça, pinga, cana ou caninha é uma bebida obtida através da fermentação e destilação do caldo de cana ou do melaço. A bebida tem grande importância cultural, social e econômica para o Brasil, e está relacionada diretamente ao início da colonização portuguesa do país e à atividade açucareira, que, por ser baseada na mesma matéria-prima da cachaça, possibilitou a implantação dos estabelecimentos cachaceiros.

A caipirinha, por exemplo, é feita com cachaça, limão, açúcar e gelo e se tornou uma das bebidas mais tradicionais do país e conhecida em todo o mundo.

E sabia que em Goiás existem várias produtoras de Cachaças? O motivo é porque nosso estado é um dos maiores produtores de cana-de-açúcar do Brasil, o que atraiu muitos entendedores da bebida para a produção regional.

Quer conhecer alguma delas? Confira 15 produtoras de cachaças 100% goianas:

Cachaça Castelo Branco

cachaça

A Cachaça Castelo Branco 600ml é um blend de duas madeiras, sendo elas o amendoim e o carvalho americano. Com 44% de graduação alcoólica, o destilado é produzido na cidade de Campo Alegre de Goiás.

 

Cachaça Cana da Terra

cana

 

A cachaça Cana da Terra, da região de Alexânia, em Goiás, vem de uma linhagem que teve orígem no século XIX, nos arredores de Pires do Rio, ainda antes da abolição da escravatura, em 13 de maio de 1888. Por volta de 1830, os antepassados do Antonio Abrão Bastos, com a ajuda de escravos desbravaram cerrados, transformando-os em lavouras de cana e café. A implantação do Alambique Cana Brava na região de Alexânia – GO ocorreu em função da localização dos centros consumidores, pelo clima da região que tem estações seca e chuvosas bem definidas. A altitude, a localização, além da água pura isenta de minerais – convergem para formar o ambiente ideal na fabricação da bebida.

A bebida Extra Premium é envelhecida em barril de carvalho por 6 anos, e contém 750ml com graduação alcoólica de 40%.

 

 

Cachaça Minha Saudade

cachaça

A produção da Cachaça Minha Saudade fica na cidade de Orizona e é tradição desde a década de 30 do século passado, quando Jacinto Martins, vindo da revolução constitucionalista, destilava, na Fazenda Marinheiro, a aguardente Combate.

Unindo tradição, tecnologia e as Boas Práticas de Fabricação, sem segredos ou exageros de marketing, ali se faz, hoje, com o coração, uma bebida de qualidade que vem conquistando cada vez mais os apreciadores de uma genuína cachaça de alambique.

Tradicional – Descansada em recipiente de aço inoxidável.
Prata – Armazenada em barril de jequitibá rosa.
Ouro – Armazenada em barril de carvalho europeu.
Ouro – Armazenada em barril de castanheira.
Ouro – Armazenada em barril de bálsamo.

 

Cachaça Caialua e Formosa

caialua

 

O Alambique Caialua segue uma tradição familiar de cultivo e amor pela terra, sua propriedade está situada na nascente do Rio Extrema, 65 km ao norte de Formosa – Goiás, afluente do Rio Paranã, por isso a chamamos das “terras férteis do vale do Extrema”.

Consorciado com gado de corte e devido ao amor pela bebida surgiu a ideia de se produzir a Caialua nas terras de Goiás, muito incentivado pelo tio Hugo Saraiva, na ocasião pecuarista no Maranhão e também apreciador da bebida. É armazenada em reservatórios de aço inox por 1 ano, possui graduação alcoólica de 40% vol. É leve, com notas cítricas e um leve adocicado ao final.

A Cachaça Caialua Prata foi eleita a melhor cachaça branca de Goiás em 2020 e 7ª melhor do Brasil pela Cúpula Da Cachaça.

Já a Cachaça Formosa Ouro é envelhecida por 6 anos em barris de carvalho, conferindo sabor e aroma sensacionais. Sua produção artesanal possui os melhores padrões de qualidade. A graduação alcoólica é de 40%.

 

Cachaça Cállida

callida

 

A Cachaça Callida Prata 750ml é produzida na cidade de Cristalina. Com 40% de graduação alcoólica, suas bebidas são:

Prata – Armazenada em tonéis de jequitibá.
Ouro – Armazenada em tonéis de  carvalho, amburana e sassafras.
Premium – Envelhecida em barris de carvalho, amburana e jequitibá.
Extra Premium – Envelhecida em barris de carvalho, amburana e jequitibá.

 

Cachaça Boutt

boutt

 

A Cachaça Boutt é artesanalmente produzida em Bela Vista de Goiás e busca pela excelência da qualidade e do bem-estar dos seus degustadores. Os alambiques são construídos em cobre de alta pureza, compostos de serpentinas a vapor, possibilitando a extração de uma bebida pluri destilada, de forma lenta e gradual, procedendo-se aos devidos cortes, eliminando assim os álcoois maléficos à saúde, odores desagradáveis e os componentes indesejáveis e prejudiciais a uma saudável degustação.

Suas bebidas são:

Prata – Cachaça pluridestilada e descansada em tonel comum por 6 meses. Cachaça com paladar leve e totalmente livre de odores indesejáveis.
Ouro 3 Anos  – Cachaça envelhecida em tonel de carvalho Francês por mais de 3 anos. Saborosa, aroma agradável e paladar muito suave.
Ouro Black 5 Anos – Cachaça envelhecida em tonel de carvalho Francês por mais de 5 anos. Sabor inigualável, paladar leve e aveludado.

 

Cachaça Engenho Real

engenho

Cachaça Engenho Real é produzida em Goiatuba. A bebida Ouro é envelhecida em barril de carvalho francês, com sabor caramelizado e aroma suave, harmoniza muito bem com carnes vermelhas.

 

Cachaça Mercedes

cachaça

Uma história longa, com conhecimentos passados entre gerações, na mais tradicional e cuidadosa maneira de se preparar uma das melhores cachaças brasileiras, assim é produzida em Orizona, Goiás a Cachaça MERCEDES. Sem aditivos químicos, utilizando um processo de fermentação natural, o mosto de caldo de cana de açúcar é então destilado nos nossos alambiques de cobre, lá da roça, com todo cuidado, resultando numa cachaça pura, saborosa como deve ser uma verdadeira cachaça artesanal. As Cachaças MERCEDES Ouro e Reserva Especial, são envelhecidas em barris de Pau-Brasil, por no mínimo dois anos, incorporando o aroma e sabor da madeira.

 

Cachaça da Posse

posse

A Cachaça da Posse é produzida em Guapó, e é uma bebida de qualidade sendo a autêntica cachaça destilada em alambique. É originada de um processo de destilação feito após a fermentação do caldo de cana de açúcar com farelo de milho e com envelhecimento de dois anos.

 

Cachaça Vale do Cedro

vale

 

A Cachaça Vale do Cedro é produzida em Palestina de Goiás. A bebida Carvalho, de 700ml, é armazenada em tonéis de carvalho por no mínimo cinco anos. Com 39% de graduação alcoólica, a bebida apresenta coloração dourada, além de sabor incrível e surpreendente ao paladar do degustador.

 

Cachaça Pirenopolina

pirenopolina

Produzida de forma artesanal desde 1998, na propriedade Rancho Canabrava, região do Vale do Godinho, em Pirenópolis.

 

Cachaça Vale das Águas Quentes

aguas

A cachaça Vale das Águas Quentes é produzida seguindo tradições dos antigos alambiques das fazendas coloniais. Há cerca de dois séculos, descobriu-se que o clima da região das águas quentes, em Caldas Novas, era propício para o cultivo de cana-de-açúcar, produzindo rapadura, melado, açúcar mascavo e cachaça de excelente qualidade.

Suas bebidas são:

 

Prata – Armazenada em tonéis de jequitibá.
Senior – Envelhecida em tonéis de carvalho.
Ouro – Envelhecida em tonéis de umburana.
Barril 12 – Envelhecida em tonéis de carvalho e castanheira.

 

Cachaça Capão da Palha

Capão

Produzida na Fazenda Capão da Palha em um lindo vale na Chapada dos Veadeiros, nordeste de Goiás, mais precisamente na cidade de São João d’Aliança. Diferente da imensa maioria, o envelhecimento na Madeira Brasileira Canela Amarela dá um sabor único, bem diferente dos toneis comuns de carvalho americano ou europeu.

 

A Capão da Palha envelhecida por 3 Anos em Canela Amarela ganhou Ouro na categoria Madeiras Brasileiras na Expocachaça 2019, a maior vitrine mundial do segmento.

 

Cachaça Dom Trajano

trajano

A Cachaça Dom Trajano de Alambique é armazenada em Carvalho e produzida em São Miguel do Passa Quatro.

 

Cachaça Capueira

cachaça

A Cachaça Capueira é produzida em Paraúna, e sua bebida blend é uma mistura que proporciona perfis sensoriais de diferentes madeiras, propiciando um buquê olfativo bem amadeirado com um visual caramelado, o que torna está cachaça exclusiva. A combinação de madeiras deixa a bebida um pouco mais seca, onde no paladar, é possível identificar notas de chocolate, especiarias e uma leve picância. O teor alcoólico é de 38%.

 

 

Fontes: Wikipedia; Associação Goiana dos Produtores de Cachaça de Alambique (Agopcal); Enquanto Isso em Goiás

Imagens extraídas das redes sociais de cada estabelecimento citado.

 

 

 

 

 

 

Conheça o Uísque mais antigo do mundo que será vendido por ”apenas” R$ 653 mil

A Macallan, tradicional casa escocesa de uísque, anunciou na última quarta-feira (9) o “uísque mais antigo do mundo”, chamado de ‘The Macallan Reach’, criado a partir de um único barril de xerez, feito de carvalho e produzido durante a Segunda Guerra Mundial. As informações são do Portal UOL.

Com um total de 288 garrafas produzidas, o destilado deve chegar ao mercado com cada unidade custando US$ 125 mil, cerca de R$ 653 mil reais na cotação atual.

A bebida teve um processo de envelhecimento que durou 81 anos, tendo alcançado notas chocolate amargo, canela doce, turfa aromática, caramelo de melaço, gengibre cristalizado e abacaxi chamuscado.

O uísque mais antigo do mundo tem apenas um ano de diferença em relação ao que, até então, era considerado o mais velho, o ‘Glenlivet Decanter n°1’, também destilado em 1940 e envelhecido por 80 anos. A bebida foi leiloada por R$ 1,08 milhão em 2021.

O “The Macallan Reach” pretende chegar ao consumidor com toda a pompa e elegância em um decantador envolvido por uma escultura de bronze detalhada representando três mãos. Saskia Robinson é a artista responsável pela obra.

O design tem como objetivo referenciar o esforço coletivo da elaboração do destilado durante o período da Segunda Guerra Mundial. A bebida está exposta no Macallan Estate, propriedade da marca que abriga a destilaria, e planeja ser distribuída em boutiques de luxo pelo mundo todo.

uisque

Imagens: Divulgação/The Macallan

Onde tomar um delicioso Capuccino em Goiânia

Os amantes do delicioso Capuccino sabem que se trata de uma bebida feita com café expresso e leite (vaporizado ou não) em várias combinações. A receita é de origem italiana, mas que toma conta do paladar (e do coração) dos brasileiros há muito tempo. Seja no frio, em clima de chuva, no calor, que não falta em Goiânia são boas opções para você aproveitar essa delícia, em vários ”cantinhos” espalhados pela cidade.

Esta lista foi selecionada pela curadoria do guia Curta Mais através de critérios imparciais com base na experiência, conhecimento e credibilidade acumulados em mais de uma década de serviços prestados à nossa cidade. Nossa missão é reunir num só lugar o melhor da cidade. Se tá no Curta Mais, pode confiar que é bom.

Confira:

 

1. Ópera Café Bistrô

opera

Endereço: Rua T-52, nº 511, Setor Bueno

Instagram: @operacafebistro

Assinantes do Clube Curta Mais garantem descontos exclusivos no Ópera Café! Saiba mais aqui

 

2. Café Cariño

caf

Endereço: Rua 1136, nº 530, Setor Marista

Instagram: @cafecarino

 

3. Tia Nair Café

Endereço: Rua 4, nº 486, Centro

Instagram: @tianaircafe

 

4. Rensga Café

rensga

Endereço: Rua C-264, nº 300, Setor Nova Suíça

Instagram: @rensgacafe

 

5. Café du Centre

Endereço: Rua 144, nº 697, Setor Marista

Instagram: @cafeducentregoiania

 

6. Evoé Café

evoé

Endereço: Rua 91, nº 489, Setor Sul

Instagram: @evoecafe

 

7. Mastrella Goiânia

mastrella

Endereço: Rua 13, nº 839, Setor Marista

Instagram: @mastrellagoiania

 

8. Café S/A

cafe

Endereço:  Rua 30, nº 320, Setor Marista

Instagram: @cafe.sa

 

9. Luiz Café Conceito

luiz

Endereço: Rua 18, nº 480, Setor Oeste

Instagram: @luizcafeconceito

 

10. Nosso Café

nosso

Endereço: Rua T-27, Setor Bueno

Instagram: @nossocafe.goiania

 

O Curta Mais não se responsabiliza por eventuais mudanças. Consulte sempre antes de sair de casa!

Imagens: Reprodução Instagram e redes sociais de cada estabelecimento

Na pandemia, brasileiro bebeu mais, praticou menos exercícios físicos e ganhou peso

Os efeitos da pandemia na saúde dos brasileiros foram devastadores, mesmo entre aqueles que não contraíram a covid-19. Durante o ano de 2020, quando o Brasil passou mais tempo em isolamento social para frear o avanço do coronavírus, houve aumento no consumo excessivo de bebidas alcoólicas e no sedentarismo entre a população brasileira, o que desencadeou a elevação da taxa de pessoas com doenças crônicas, como a obesidade.

Os dados são da pesquisa de Doenças Crônicas e Seus Fatores de Risco e Proteção: Tendências Recentes no Vigitel, realizada pelo Instituto de Estudos para Políticas de Saúde (IEPS).

Em 2019, a obesidade atingia 20,3% dos adultos nas capitais do País, mas, em 2020, a doença passou a afetar 21,5% deste grupo, com maior prevalência nos Estados do Sul, Sudeste e Nordeste. Manaus (24,9%), Cuiabá (24,0%) e Rio (23,8%) lideram o ranking de maior incidência da obesidade. Até 2011, nenhuma capital havia ultrapassado 20%.

O índice nacional chega a quase o dobro do que foi registrado 14 anos antes, em 2006, quando só 11,8% da população era portadora desse tipo de comorbidade.

O ano marca a primeira vez que foi feito o levantamento Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) pelo Ministério da Saúde, de onde os dados do IEPS foram extraídos. Foram entrevistadas 27 077 pessoas nesta edição do estudo.

Alerta


Em matéria publicada no Jornal O Estado de S. Paulo, especialistas afirmam que a alteração no estilo de vida dos brasileiros, provocada pela pandemia, foi determinante para o surgimento – e até agravamento – de hábitos prejudiciais à saúde, assim como transtornos psíquicos que desencadeiam outras doenças.

O psiquiatra Guido Palomba, da Associação Paulista de Medicina, vê relação direta entre a pandemia e a alta da taxa de doenças crônicas. Para ele, isso ocorre porque as pessoas precisam restringir a locomoção e lidar com a superexposição a notícias negativas, o que desencadeia transtornos psiquiátricos que colaboram para surgirem comorbidades.

A demanda excessiva de trabalho criada pelo home office também é apontada pelo psiquiatra como fator inerente ao “novo normal”, que estimula hábitos pouco saudáveis. “Alimentação e álcool são formas de gratificação em momentos ruins. Consequentemente, há aumento de obesidade, diabete e problemas cardíacos”, afirma.

 

Diagnóstico

Beatriz Rache, mestre em Economia pela Universidade Columbia (EUA) e autora da pesquisa do IEPS, destaca o aumento dos fatores de risco à saúde, como o consumo de ultraprocessados (biscoitos, chocolate, salsicha, margarina, entre outros), em praticamente todos os segmentos da pesquisa. Só o tabagismo se manteve estável em 2020 ante 2019. Em contrapartida, o consumo abusivo de álcool partiu de 18,8% para 20,4%, mesmo cenário observado em relação ao sedentarismo (de 13,9% para 14,9%).

“A gente vê, entre 2019 e 2020, piora de todos os indicadores de riscos comportamentais e, por isso, é possível associar ao aumento da obesidade. Apesar de a Vigitel não permitir fazer essa correlação, os dados mostram que a pandemia parece estar associada aos resultados de 2020, ano tanto de estresse econômico quanto sanitário”, afirma Beatriz.

 

 

Imagem: Reprodução

Veja também:

”Pode beber após vacina?” foi a pergunta mais buscada por brasileiros no Google em 2021

“Pode beber após a vacina?” foi a pergunta mais buscada por brasileiros no Google em 2021

Nesta segunda-feira (17/1), completa-se 1 ano desde que a primeira vacina contra a Covid-19 foi aplicada no Brasil, na enfermeira Mônica Calazans, em São Paulo. Desde então, cresce cada vez mais a busca dos brasileiros sobre temas relacionados aos imunizantes.

Um levantamento realizado pelo Google Brasil aponta que a pergunta mais pesquisada na plataforma sobre imunizantes nos últimos 12 meses foi: “Pode beber depois da vacina?”.

De acordo com a empresa, os estados que mais procuraram respostas para a questão foram Sergipe, Paraíba, Pernambuco, Espírito Santo e Rio Grande do Norte.

A dúvida sobre ingerir bebida alcoólica após a vacinação foi 36% mais pesquisada que a pergunta que ocupa o segundo lugar no ranking: “Qual a melhor vacina?”. Em seguida na lista, aparece a questão: “Onde tomar vacina?”.

 

Veja a lista de perguntas mais buscadas sobre vacina no Brasil nos últimos 12 meses:

Pode beber depois da vacina?

Qual a melhor vacina?

Onde tomar vacina?

Onde tem vacina?

Quando vou ser vacinado?

O que é logradouro?

Qual a melhor vacina para Covid?

O que são imunossuprimidos?

O que é comorbidade?

Qual a vacina da Fiocruz?

O que são puérperas?

O que é vacina?

Quem teve Covid pode tomar vacina?

Pode tomar vacina Covid gripado?

Como se cadastrar para tomar vacina?

Como fazer o cadastro da vacina?

Quais são as vacinas do Covid?

O que é pessoa institucionalizada?

Quais vacinas estão sendo aplicadas no Brasil?

Como está a vacinação no Brasil?

 

Temas e termos mais frequentes

“Apesar da vacinação contra a Covid-19 ter sido objeto de controvérsia, desde o início da vacinação, o que os brasileiros quiseram mesmo saber no Google foi de ordem prática, com predominância de termos relacionados a agendamento, cadastro e calendário de imunização”, informou o Google.

Das 100 frases mais pesquisadas sobre os imunizantes, 44 foram sobre aspectos práticos, como local da vacinação, calendário de imunização e lista de comorbidades.

Segundo o Google, dentre os termos mais buscados sobre vacinas, as categorias com maior destaque foram “agendamento”, “cadastro” e “calendário”. “Juntas, essas três áreas representaram 18 dos 50 termos mais pesquisados sobre vacina no país nos últimos 12 meses”, informou a plataforma.

Para chegar aos resultados, a empresa analisou as 100 perguntas e os 50 termos mais buscados sobre o imunizante, a partir de uma amostra de mil termos.

 

Mas afinal, pode ou não beber após a vacina?

O que se sabe é que o álcool pode “retardar” a velocidade da resposta contra infecções por até 24 horas após sua ingestão, e isso resulta em maiores chances de complicações e dificuldade na recuperação em caso de adoecimento. Mas a literatura especializada é clara: todos esses dados dizem respeito apenas ao abuso, excesso ou uso crônico de bebidas alcoólicas.

A interação de fármacos com o álcool pode estar presente nas bulas de alguns medicamentos. No caso das vacinas hoje disponíveis no país —AstraZeneca, CoronaVac, Janssen e Pfizer— não existe qualquer indicação expressa desse possível efeito, e nem mesmo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) emitiu orientação nesse sentido.

 

Imagem: Reprodução

Veja também:

Marília Mendonça foi o nome mais buscado no Google Brasil em 2021

Brasileiros criam 1º néctar de frutas probiótico para veganos e intolerantes a lactose

Engenheiros de alimentos da Universidade Federal do Ceará e da Universidade Federal do Maranhão anunciaram, na última sexta-feira (30 de Julho), a criação do primeiro néctar de frutas probiótico, um alimento funcional que serve como alternativa a bebidas lácteas para pessoas com intolerância à lactose ou veganas.

 

Os probióticos bactérias benéficas à saúde humana que antes eram obtidos apenas por meio do leite e são associados ao controle dos níveis de colesterol, à estimulação do sistema imune, ao alívio da constipação e ao aumento da absorção de minerais, sem contar que ainda apresentam efeitos anticarcinogênicos e anti-hipertensivos. A principal motivação da pesquisa se deu justamente pela busca de uma solução para pessoas com restrição ao leite na dieta, isso porque os probióticos, tradicionalmente, têm sido adicionados a produtos de base láctea, como leites, iogurtes e queijos.

 

Com a criação das universidades do Nordeste,  desenvolvida pela professora Ana Lúcia, sob orientação da professora Sueli Rodrigues, juntamente com as professoras da UFMA Tatiana Lemos e Virgínia Abreu, agora o néctar pode ser obtido de frutas como cupuaçu, açaí, cacau, ciriguela, caju, entre outras.

Agora o próximo passo é a comercialização, e os engenheiros já começaram o processo de sondagem de empresas do setor de bebidas para validar a patente e iniciar a produção.

 

Foto: UFC

Veja também: Goiânia já aplicou mais de 1 milhão de doses contra Covid-19

Ex-aluna de escola pública é aprovada em 10 universidades internacionais