Descubra quais são os problemas de saúde mais frequentes nos cachorros no inverno

O inverno é uma época do ano que pode ser bem desafiadora para nossos amigos de quatro patas. Assim como nós, os cachorros também podem sofrer com o frio e ficar mais vulneráveis a algumas doenças. Conhecer essas enfermidades e saber como preveni-las é fundamental para manter seu cão saudável e feliz durante os meses mais frios. Vamos revelar as doenças mais comuns que afetam os cachorros no inverno e como cuidar melhor do seu peludo nessa época do ano, segundo o site Cobasi.

1. Resfriado canino

Os cachorros, assim como os humanos, também podem pegar resfriados. O resfriado canino é causado por vírus que atacam o sistema respiratório do animal. Os sintomas são bem parecidos com os nossos: espirros, tosse, coriza (nariz escorrendo) e até febre. Para evitar que seu cachorro pegue um resfriado, mantenha-o aquecido, evite passeios em dias muito frios e, se possível, evite contato com outros cachorros doentes. Se seu cachorro estiver com sintomas de resfriado, leve-o ao veterinário para um diagnóstico e tratamento adequado.

2. Gripe canina

A gripe canina, também conhecida como tosse dos canis, é uma doença respiratória altamente contagiosa. Os sintomas incluem tosse seca e persistente, espirros, secreção nasal e, em casos mais graves, febre e falta de apetite. A melhor forma de prevenir a gripe canina é manter a vacinação do seu cachorro em dia. Evitar locais com muitos cães, como parques e creches para cães, durante o inverno também ajuda a prevenir a doença. Se seu cachorro apresentar sintomas, leve-o ao veterinário o mais rápido possível.

3. Bronquite canina

A bronquite canina é uma inflamação dos brônquios, as vias aéreas que levam o ar até os pulmões. Essa condição é mais comum em cachorros mais velhos e em raças pequenas. Os sintomas incluem tosse seca, dificuldade para respirar e cansaço. Para evitar a bronquite, mantenha seu cachorro em um ambiente aquecido e longe de fumaça ou poluição. Se notar algum sintoma, procure um veterinário para avaliar o estado de saúde do seu animal e indicar o tratamento adequado.

4. Pneumonia canina

A pneumonia é uma infecção grave dos pulmões que pode ser causada por bactérias, vírus ou fungos. Os sintomas incluem tosse forte, dificuldade para respirar, febre, perda de apetite e letargia (falta de energia). A pneumonia é uma doença séria que requer tratamento imediato por um veterinário. Para prevenir a pneumonia, é importante proteger seu cachorro do frio, garantir que ele esteja sempre seco e evitar mudanças bruscas de temperatura.

5. Problemas articulares

O frio pode piorar problemas articulares, como artrite e displasia coxofemoral (problemas no quadril). Os cachorros mais velhos e de raças grandes são os mais afetados. Os sintomas incluem dificuldade para se levantar, andar e subir escadas, além de dor e inchaço nas articulações. Para ajudar seu cachorro, ofereça uma cama quentinha e confortável, mantenha-o em um ambiente aquecido e evite atividades muito intensas. Suplementos alimentares e medicamentos prescritos pelo veterinário também podem ajudar a aliviar os sintomas.

6. Hipotermia

A hipotermia ocorre quando a temperatura corporal do cachorro cai abaixo do normal devido à exposição prolongada ao frio. Os sintomas incluem tremores, fraqueza, respiração lenta e, em casos graves, inconsciência. Para prevenir a hipotermia, mantenha seu cachorro aquecido com roupas apropriadas e evite deixá-lo do lado de fora por muito tempo. Se suspeitar de hipotermia, aqueça seu cachorro com cobertores e leve-o imediatamente ao veterinário.

7. Dermatoses e alergias de inverno

O inverno pode causar problemas de pele em cachorros, como dermatoses (inflamações na pele) e alergias. O ar seco e frio pode ressecar a pele do seu cão, causando coceira, vermelhidão e descamação. Para evitar esses problemas, hidrate a pele do seu cachorro com produtos recomendados pelo veterinário e mantenha a hidratação do animal. Banhos frequentes com água quente devem ser evitados, pois podem piorar o ressecamento da pele. Se notar qualquer alteração na pele do seu cachorro, procure orientação veterinária.

Cuidar bem do seu cachorro no inverno é essencial para garantir que ele fique saudável e feliz. Prevenir as doenças mais comuns dessa estação é possível com algumas medidas simples, como manter seu peludo aquecido, evitar passeios em dias muito frios e garantir que ele esteja com as vacinas em dia. Ao menor sinal de que algo não está bem, não hesite em procurar um veterinário. Com um pouco de cuidado e atenção, seu amigo de quatro patas vai passar pelo inverno sem problemas e pronto para brincar quando os dias quentes voltarem.

Veja também:

Descubra qual é a hora certa de adotar um cachorro

8 raças de cachorro que só parecem bravas mas que são mansas por natureza

Descubra o porquê de cachorros não gostarem de gatos

Descubra o porquê de cachorros não gostarem de gatos

Todos nós já vimos filmes, desenhos animados e até escutamos ditados populares que reforçam a ideia de que cachorros e gatos não se dão bem. Mas será que isso é verdade ou é apenas um mito? Essa é uma das perguntas mais comuns entre donos de animais de estimação. Vamos entender melhor essa questão e ver como cães e gatos podem, sim, viver juntos em harmonia.

Os instintos naturais dos animais

Para entender por que cachorros e gatos às vezes não se dão bem, precisamos olhar para os instintos naturais de cada um. Segundo o site Cobasi, quando um cachorro vê um gato correndo, ele pode querer persegui-lo por causa desse instinto de caça. O gato, por sua vez, vai tentar se proteger, fugindo ou subindo em algum lugar alto. Esse comportamento natural pode criar a impressão de que cães e gatos são inimigos, mas na verdade eles estão apenas seguindo seus instintos.

Os cachorros são descendentes dos lobos, o que significa que eles têm um forte instinto de caça. Isso pode fazer com que eles vejam gatos como presas, especialmente se o gato estiver correndo. Por outro lado, os gatos, sendo caçadores menores, têm um instinto de sobrevivência muito apurado. Eles são muito bons em se proteger de perigos, o que muitas vezes envolve fugir ou se esconder em lugares altos onde os cachorros não podem alcançá-los.

Medo e comunicação diferente

Outra razão para a aparente inimizade entre cães e gatos é a diferença na comunicação e comportamento de cada um. Cachorros costumam ser mais barulhentos e podem latir ou correr atrás de algo que os interessa. Isso pode assustar os gatos, que preferem ambientes mais calmos e silenciosos. Quando um gato se sente ameaçado, ele pode reagir de forma agressiva para se defender, como dar patadas ou sibilar.

Além disso, os gatos têm uma linguagem corporal muito diferente da dos cães. Por exemplo, um gato balançando a cauda pode estar irritado, enquanto um cachorro balançando a cauda geralmente está feliz. Essas diferenças podem causar mal-entendidos entre os dois, levando a conflitos.

Como fazer cães e gatos conviverem bem

A boa notícia é que cachorros e gatos podem, sim, viver juntos em harmonia. Com paciência e alguns cuidados, é possível fazer com que eles se tornem bons amigos. Aqui estão algumas dicas para te ajudar nesse processo:

Apresentação gradual: Quando você traz um novo animal para casa, é importante apresentá-los devagar. Deixe que eles se cheirem e se vejam à distância antes de permitir um contato mais próximo.

Espaço seguro: Garanta que cada animal tenha seu próprio espaço seguro. Para os gatos, isso pode ser um lugar alto onde eles possam se esconder e observar o ambiente com tranquilidade. Para os cachorros, um cantinho confortável longe da zona dos gatos pode ser ideal.

Recompensas positivas: Use petiscos e elogios para recompensar bons comportamentos. Quando os animais interagem de forma positiva, recompense-os. Isso ajuda a associar a presença do outro com algo bom.

Supervisão constante: Nos primeiros encontros, sempre supervisione as interações entre o cachorro e o gato. Isso ajuda a evitar qualquer situação de perigo e permite que você intervenha se necessário.

Brinquedos e distrações: Ofereça brinquedos que ambos possam usar juntos ou individualmente. Isso ajuda a reduzir o estresse e a ansiedade, permitindo que cada um se divirta sem se preocupar com o outro.

Apesar do que vemos nos filmes e desenhos animados, cachorros e gatos podem, sim, viver juntos em paz. É tudo uma questão de entender os instintos naturais de cada um e trabalhar para criar um ambiente seguro e acolhedor para ambos. Com paciência e cuidado, seu cachorro e seu gato podem se tornar grandes amigos e companheiros inseparáveis. Portanto, se você sempre quis ter um cachorro e um gato juntos, saiba que é totalmente possível com as dicas certas e um pouco de dedicação.

Veja também:

10 sinais de que seu gato precisa de ajuda

Dicas e cuidados que você deve ter quando seu cachorro está gripado

Novo projeto de lei inclui Plano de Saúde Pet como benefício trabalhista

Descubra quantos anos humanos tem seu cachorro

Como amamos nossos cachorros, queremos retribuir todo o carinho que recebemos deles. Uma maneira divertida de fazer isso é comemorando o aniversário do seu pet. Uma dúvida comum é: como calcular a idade real do seu cachorro em anos humanos? Esse assunto pode parecer confuso, mas estamos aqui para esclarecer de forma simples.

Calculando a idade do seu cachorro

Segundo o site Cobasi, para calcular a idade do seu cachorro de maneira mais precisa, precisamos considerar fatores como o porte (tamanho) e a raça do cão. Cães de diferentes tamanhos e raças envelhecem em ritmos diferentes.

Aqui está uma forma mais detalhada de calcular:

Cachorros Pequenos (até 10 kg)

  • No primeiro ano, seu cachorro já tem aproximadamente 15 anos humanos.
  • No segundo ano, ele chega aos 24 anos humanos.
  • Depois dos dois primeiros anos, cada ano de vida do cachorro equivale a cerca de 4,5 anos humanos.

Cachorros Médios (10-25 kg)

  • No primeiro ano, seu cachorro tem cerca de 15 anos humanos.
  • No segundo ano, ele atinge 24 anos humanos.
  • Após os dois primeiros anos, cada ano de vida do cachorro equivale a cerca de 5,5 anos humanos.

Cachorros Grandes (acima de 25 kg)

  • No primeiro ano, o cachorro já tem 15 anos humanos.
  • No segundo ano, ele atinge 24 anos humanos.
  • Depois dos dois primeiros anos, cada ano de vida do cachorro equivale a aproximadamente 8,2 anos humanos.

Compreendendo a idade dos cães

Saber a idade real do seu cachorro em comparação aos anos humanos pode parecer complicado. Isso acontece porque os cães envelhecem de forma diferente de nós. Com os avanços na medicina veterinária e os cuidados melhores, os cachorros hoje vivem mais do que no passado, muitas vezes alcançando até 20 anos de idade.

Uma regra antiga que muitas pessoas conhecem é a do “1 por 7”, onde você multiplica a idade do cachorro por 7 para obter a idade em anos humanos. Mas essa regra não é precisa.

Dicas para aumentar a longevidade do seu cachorro

Independentemente de como calculamos a idade do nosso cachorro, o mais importante é garantir que eles vivam uma vida feliz e saudável. Aqui estão algumas dicas simples para cuidar bem do seu pet:

  • Alimentação: Ofereça uma dieta balanceada com ração de qualidade e sempre mantenha água fresca disponível;
  • Exercícios e brincadeiras: Interaja com seu cachorro através de brincadeiras e caminhadas. Isso ajuda a manter o peso ideal e a saúde mental dele;
  • Descanso adequado: Garanta que seu cão tenha um lugar confortável para dormir, longe de barulhos e correntes de ar;
  • Cuidados veterinários: Leve seu cachorro ao veterinário regularmente e mantenha as vacinas em dia. Isso previne doenças e garante uma vida longa e saudável;
  • Amor e carinho: Passe tempo de qualidade com seu cão. Eles adoram estar perto de seus humanos favoritos e isso contribui muito para o bem-estar deles.

Entender a idade do seu cachorro em anos humanos pode ser uma tarefa interessante e divertida, além de ajudar a cuidar melhor do seu amigo de quatro patas. Lembre-se de que cada cachorro é único e o importante é proporcionar uma vida cheia de amor, saúde e momentos felizes. Aproveite cada momento com seu cãozinho e cuide bem dele para que vocês possam compartilhar muitos anos juntos.

Veja também:

Descubra os 5 brinquedos ideais para a diversão segura do seu pet

Dicas e cuidados que você deve ter quando seu cachorro está gripado

10 sinais de que seu gato precisa de ajuda

Por que os cachorros comem grama

Quando nossos amigos de quatro patas começam a beliscar um pouco de grama, é normal nos perguntarmos o que está acontecendo. Afinal, não é o tipo de refeição que esperamos deles, certo? Vamos descobrir mais sobre esse comportamento que os cachorros podem ter, vez ou outra.

O que leva os cachorros a comerem grama?

Primeiro, é importante entender que comer grama não é algo novo para os cães. Segundo o site Cobasi, é um hábito antigo, algo que seus ancestrais lobos e cães selvagens faziam. Às vezes, os cachorros comem grama para ajudar a aliviar dores no estômago ou na barriga, ou até mesmo para provocar vômito e se livrar de algo que não está fazendo bem.

Que tipo de grama os cachorros podem comer?

Tanto faz para os cachorros se é grama, capim ou mato, eles podem experimentar qualquer um. No entanto, é crucial garantir que eles não estejam comendo plantas tóxicas. Se o seu cãozinho estiver comendo muita grama e depois vomitar, é porque a fibra da planta pode ajudar na digestão ou causar irritação no estômago, o que leva ao vômito.

Como evitar que os cachorros comam grama?

Se você estiver preocupado com seu peludo devorando grama demais, existem algumas coisas que você pode fazer. Certifique-se de que ele está recebendo uma alimentação completa e balanceada, evitando dar muitos petiscos. Além disso, exercite-o regularmente para mantê-lo feliz e relaxado.

Manter as vacinas em dia também é importante para evitar problemas de saúde em cachorros, se eles comerem grama contaminada. E lembre-se, sempre observe o comportamento do seu pet e consulte um veterinário se algo parecer errado.

Mas isso é normal?

Bem, comer grama não é necessariamente um sinal de que algo está errado com seu amigo peludo. Pode ser apenas uma curiosidade ou até um sinal de que ele está com fome. Mas também pode indicar estresse ou ansiedade. Se você notar que seu cãozinho está comendo muita grama de repente, é uma boa ideia conversar com um veterinário. Esperamos que essas dicas te ajudem a entender melhor esse hábito curioso dos nossos amigos de quatro patas.

Veja também:

Cachorro gripado: dicas e cuidados que você deve ter com seu pet

10 sinais de que seu gato precisa de ajuda

Saiba como escolher a caixa de transporte ideal para viajar com seu pet

Confira 5 dicas valiosas de como prolongar a vida do seu pet de estimação

No universo encantador dos pets, a busca pela longevidade se torna uma jornada compartilhada entre tutores e seus companheiros de quatro patas. Mais do que uma questão de sorte genética, a chave para estender os anos de vida de um animal de estimação reside em cuidados meticulosos e hábitos saudáveis que promovem bem-estar e vitalidade para esses adoráveis bichanos. Conheça cinco dicas essenciais para garantir que seu pet não apenas viva, mas floresça ao longo dos anos. Fique conosco até o fim da leitura.

O Caso TobyKeith

A história de TobyKeith, o chihuahua que alcançou a incrível marca de 21 anos, ecoou pelas redes sociais, despertando a curiosidade sobre os segredos por trás de sua longevidade. Em um relato emocionante, sua tutora atribuiu a conquista ao estilo de vida ativo, alimentação balanceada e, acima de tudo, um lar amoroso. No entanto, especialistas enfatizam que cada animal é único, e a expectativa de vida de um pet está sujeita a uma interação complexa entre genética, cuidados e ambiente.

O Papel dos Cuidados Cotidianos na Longevidade

Para a médica-veterinária Carolina Llanos, os hábitos diários desempenham um papel crucial na saúde e longevidade dos pets. Enquanto a genética estabelece um ponto de partida, a nutrição adequada, atividade física regular e acompanhamento veterinário são os pilares que sustentam uma vida longa e vibrante para os animais de estimação. Se você deseja que o seu amigo peludo viva mais, siga as dicas abaixo.

1) Nutrição: A Base para uma Vida Saudável

Uma alimentação balanceada é fundamental para o bem-estar do seu pet. Consultar um veterinário nutrólogo é o primeiro passo para determinar as necessidades dietéticas específicas do seu animal, levando em consideração fatores como idade, peso e condições de saúde. A escolha criteriosa dos alimentos é uma das dicas para o seu pet viver mais, fornecendo os nutrientes essenciais para uma vida saudável e vigorosa.

2) Atividades Físicas Constantes

Assim como os seres humanos, os pets também se beneficiam da prática regular de exercícios físicos. Passeios diários e sessões de brincadeiras não apenas promovem a saúde física, mas também estimulam a mente e fortalecem o vínculo entre tutor e animal. Adaptar a intensidade do exercício às necessidades individuais do pet é essencial para garantir que ele desfrute dos benefícios sem sobrecarga.

3) Higiene: Mantendo o Ambiente Impecável

Um ambiente limpo e higiênico é essencial para o bem-estar do seu pet. Banhos regulares com produtos veterinários, corte de unhas, limpeza de orelhas e dentes, além do controle de pulgas e carrapatos, são práticas que não apenas garantem a saúde do animal, mas também contribuem para a prevenção de doenças e infecções.

4) Consultas Veterinárias são o Alicerce da Prevenção

Agendar consultas periódicas com o médico-veterinário é fundamental para monitorar a saúde do seu pet e detectar precocemente quaisquer problemas ou condições médicas. Vacinação, exames de rotina e vermifugação são medidas preventivas que podem salvar vidas e garantir uma vida longa e saudável para o seu companheiro peludo.

5) Castração: Uma Escolha Consciente para a Saúde

Apesar de ser um tema controverso, a castração pode desempenhar um papel significativo na promoção da saúde e longevidade dos pets. Além de controlar a reprodução, a castração precoce reduz o risco de tumores e doenças relacionadas ao sistema reprodutivo, contribuindo para uma vida mais longa e livre de complicações para os animais.

As dicas para o pet viver mais não se limitam a uma fórmula mágica, mas sim a um conjunto de cuidados atentos e amorosos que promovem uma vida plena e saudável para os nossos companheiros de quatro patas. Ao adotar uma abordagem proativa em relação à saúde e bem-estar dos pets, os tutores podem desempenhar um papel fundamental na extensão dos anos de alegria e companheirismo ao lado de seus amados animais de estimação.

Confira também:

8 dicas essenciais de segurança para você aproveitar ao máximo com o seu pet na praia

7 opções de praias pet friendly no Brasil

As 10 raças de gatos mais populares do mundo

 

Alimentação natural para Pets conquista adeptos em Goiânia

Pensar sempre no bem-estar do seu pet é muito importante e por isso, a alimentação natural oferecerá uma dieta mais próxima daquela que os animais consomem no dia a dia. Geralmente, consiste em alimentos frescos, não processados e balanceados, como carne, peixe, frutas, legumes e grãos, evitando aditivo, conservantes e corantes.

Essa dieta pode ser preparada em casa, com supervisão de um veterinário ou nutricionista animal, ou adquirida em lojas especializadas, que oferecem alimentos naturais prontos. A ideia por trás dessa abordagem é proporcionar uma alimentação mais saudável, visando a saúde a longo prazo dos pets, buscando reduzir alergias, problemas digestivos e obesidade.

No entanto, é crucial garantir que a dieta esteja conforme as necessidades nutricionais específicas do animal, considerando, fatores como idade, raça, peso e possíveis condições de saúde. Antes de fazer mudanças na alimentação do seu pet, é sempre recomendado buscar a orientação de um profissional para garantir que a dieta seja equilibrada e adequada para atender todas as necessidades do animal.

 

O que entra na Alimentação Natural?

Os alimentos são os mesmos usados na alimentação humana, a diferença principal é o não uso de temperos e alguns alimentos específicos. Como, por exemplo, o uso de cebola, alho e açúcares em geral, que fazem mal aos animais.

Para ter uma ideia básica do que estamos falando estão entre as comidas naturais aceitas para os animais:

 

Proteínas

Carne bovina, frango, carne suína, peru, cordeiro e coelho.

 

Legumes

Cenoura, abóbora, mandioquinha, batata, batata-doce, inhame, vagem, brócolis, chuchu e abobrinha.

 

Grãos

Predomina o arroz branco e o arroz integral.

 

Alimentação Caseira X Alimentação Natural

Sobretudo, a principal diferença entre esses dois estilos seria que a alimentação caseira é aquela comida feita para os animais (sem temperos e sem alimentos prejudiciais) porém sem o balanceamento correto. Já na alimentação natural o balanceamento é fundamental.

Os cardápios devem ser preparados pelo veterinário ou nutrólogo com todos os nutrientes necessários para que o animal não sinta falta de nenhuma vitamina. Outra questão é o cardápio específico para as diferentes características dos animais.

As principais variáveis são: raça, peso, idade, sexo, castrado, se o animal é sedentário, se está acima do peso, entre outras.

 

Benefícios da alimentação natural para diferentes tipos de Pets

Segundo a Dra. Karina, médica-veterinária da GYN Pet Center, “alguns especialistas na área contraindicam o uso da alimentação natural, outros da ração, mas ambos, necessitam de suplementação vitamínica à base de minerais e aminoácidos para o pet. Então, todo jeito, precisa de uma reposição.

Esse tipo de alimentação é uma opção muito válida para pets que possuem reação alérgica a trigo, proteína bovina ou aquela que provém do frango. No lugar desses alimentos, substitui pela proteína do ovo, cordeiro, entre outros, considerados realmente naturais. 

Mas essa comida não possui tanto cálcio e potássio que os animais necessitam. Então, entramos com reposição com suplementos de pozinho e comprimidos misturados na comida do Pet. Isso muda bastante do animal grande para o menor, incluindo também os filhotes e dependendo da particularidade de cada um.

Então, essa alimentação é indicada para animais hipoalergênicos e também para aqueles sensíveis na causa intestinal, como, problemas de gastroenterite e diarreias. A quantidade de caloria tem que ser adequada, juntamente com a fonte de proteína e cálcio, sendo tudo balanceado na dieta do animal”, conclui Karina ao Guia Curta Mais.

 

Como iniciar o processo da alimentação natural ?

Um ponto importante caso queira começar a dar alimentos naturais para o seu animal é não fazer essa transição de uma forma brusca. Iniciei misturando a ração com os alimentos naturais, após intercalando entre alimentação natural e ração. Assim, após esse período você já pode servir somente alimentação saudável.

Antes de dar qualquer alimento que possua em sua geladeira, é muito importante consultar seu veterinário. Os animais possuem sistemas digestivos diferentes do do ser humano e não aceitam todos os alimentos que nós.

 

Créditos da imagem de capa: Chef Bob

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

 

>Veja Também<

Estudo aponta que cães também ficam pensando nos problemas antes de dormir

10 dicas para viajar em segurança com seus pets

Feira promove adoção de cães e gatos neste domingo, em Goiânia

O Centro de Zoonoses, unidade da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), vai colocar à disposição para adoção cães e gatos que foram vítimas de abandono e que, agora, precisam de uma nova família. Os animais estarão na Feira das Minas, que acontece neste domingo (12), no Cepal do Setor Sul, das 16h às 22h.

 

Os cachorros (filhotes e adultos) estão castrados, vacinados e vermifugados, e os gatos são filhotes entre 45 e 60 dias que serão doados com vale castração para as fêmeas. Quem se interessar pela adoção, poderá conhecer os pets que estarão na feira, ou por fotos aqueles que estão no Centro de Zoonoses. Dentre eles, há dois cães com deficiência, com uma das pernas amputadas.

 

Para adotar, é necessário ser maior de 18 anos, levar documento de identificação pessoal e comprovante de endereço. O candidato a tutor passa ainda por uma triagem junto aos veterinários, para avaliar se as condições são favoráveis. A adoção é finalizada com a assinatura de um termo de responsabilidade, e, depois, é só levar o novo membro da família para casa.

 

“Essa é a oportunidade para que esses cães e gatos tenham uma nova família e possam se sentir seguros e amados. Além disso, toda a sociedade se beneficia, pois, sob a tutela de alguém, eles estarão sempre saudáveis e não oferecem risco de transmissão de doenças. Para quem vai adotar é garantia de amor e alegria sempre”, ressalta a médica veterinária do Centro de Zoonoses, Marivanda Perim.

 

Serviço

 

Assunto: Feira de adoção de cães e gatos do Centro de Zoonoses

Data: 12/02 (domingo)

Hora: 16h às 22h

Local: Feira das Minas, no Cepal do Setor Sul – Rua 115, s/n, Setor Sul

Foto: Centro de Zoonoses

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

App gratuito promete encontrar cães e gatos perdidos

Perder o animal de estimação é um dos maiores pesadelos de quem se considera “pai (ou mãe) de pet” e, por mais cuidadoso que seja o tutor, é algo que pode acontecer. Os gatos que saem para dar uma volta, cachorros que não podem ver um portão aberto que já fogem por ele, são ocasiões em que os animais ficam sujeitos a diversos perigos pelo caminho. Isso sem mencionar épocas em que o uso de fogos de artifício é comum e os animais ficam assustados e se perdem com maior facilidade.

Pensando em situações como essas, uma empresa especializada em produtos para pets criou um aplicativo gratuito de reconhecimento facial, a plataforma Pupz, disponível para Android e IOS. As informações são do portal IG.

De acordo com um levantamento realizado pela União Internacional Protetora dos Animais (UIPA), somente nos primeiros meses da crise sanitária, a adoção de animais cresceu 400%. Com o crescimento do número de animais nos lares brasileiros, a preocupação pela segurança dos pets também aumenta e a tecnologia proporciona diversas soluções para quem não quer perder os passos dos pets. 

Foi pensando nisso que o especialista em tecnologia Carlos Fabbro, teve a ideia incrível de criar o app e ajudar muitos tutores em momento de desespero, e também, surgiu do amor e cuidado que Carlos tem com a Chanel, uma Golden Retriever que ele ama de paixão. O tutor conta que a cachorrinha é o amor da vida dele, e sabe o quão importante é a criação de produtos de segurança para animais de estimação.

 

Como funciona o app

Com uma precisão de 94%, o Pupz coleta diversos pontos da face e do focinho do animal para criar o reconhecimento. Caso o tutor tenha cadastrado o pet anteriormente, imediatamente o aplicativo buscará o perfil dos responsáveis e liberará um chat para que haja uma comunicação.

Segundo Carlos, foram anos de desenvolvimento para chegar ao aplicativo: “Para isso, nós utilizamos três redes neurais convolucionais, uma classe aplicada com sucesso no processamento e análise de imagens digitais, e que é a base para o reconhecimento facial dos pets em nosso sistema”, explica.

Quem quiser já testar o app, ele já se encontra disponível para download gratuito nas lojas de aplicativos de seu sistema operacional – Android e IOS. Após a instalação basta seguir com o cadastro na plataforma com os dados do tutor e do pet, utilizando a câmera do celular para fazer o reconhecimento facial do pet, que ficará arquivado na plataforma.

Carlos contou que, inicialmente, a plataforma está disponível apenas para cães e gatos, mas não descarta a possibilidade de incluir novas espécies no futuro.

Outras funcionalidades

Dentro do aplicativo o tutor poderá encontrar listas com canis e gatis, ONGs e abrigos para adoções, passeadores, locais para festas e buffets, veterinários, pet shops, adestradores, crematórios, achados e perdidos entre outros – desde que estes estejam cadastrados no banco de dados da empresa.

Além de contratar e controlar serviços – como adestradores, passeadores e outros – o tutor ainda tem disponível uma lista de produtos de lojas parceiras e pode efetuar compra e pagamento dentro do próprio app.

app

 

*Com informações do portal Só Notícia Boa

Imagem: pixabay – ilustrativa

Veja também:

10 hotéis de cachorro em Goiânia para você hospedar seu ‘aumigo’

Lei proíbe extermínio de cães e gatos por órgãos públicos

Vez ou outra vem a público casos de animais que são espancados covardemente e em plena luz do dia. O maus tratos aos animais é um assunto sério e é crime de acordo com a Lei 9.605/98.

Agora, a morte desses animais por órgãos públicos e oficiais também é proibida. A lei 6610/19 foi sancionada na noite da última quarta-feira (20) e proíbe a eliminação de cães e gatos em canis públicos, centros de zoonoses e demais estabelecimentos oficiais.

A única exceção será em casos de doenças incuráveis e que coloquem a vida humana e de outros animais em risco. E nesses casos será preciso um laudo técnico dos órgãos competentes para prosseguir com a prática.

As entidades de proteção animal terão acesso irrestrito a esses documentos. Quem descumprir a lei poderá ser multado e em casos mais graves penas de prisão serão aplicadas.  

A sanção inclusive já foi publicada no Diário Oficial da União de hoje (21).

Aves foram retiradas do texto

Além dos cães e gatos, as aves também estavam inclusas na lei. No entanto, elas foram removidas pois isso poderia interferir no controle de pombos e outras aves que atacam áreas de plantio.

Câmara aprova projeto que proíbe a venda de filhotes de cães e gatos em Goiânia

A Câmara de Goiânia aprovou um projeto de lei que proíbe a comercialização de filhotes de cães e gatos com menos de oito meses de vida. O objetivo é preservar a saúde e o bem-estar dos animais, impedindo a exploração de fêmeas para procriação e venda, além de evitar a separação precoce de mães e filhotes.

O projeto foi aprovado na Câmara Municipal, mas ainda precisa ser sancionado pela Prefeitura de Goiânia. Caso a lei seja sancionada, os estabelecimentos comerciais terão 120 dias para se adequar. A venda é proíbida em petshops, casas de ração, praças públicas, ruas, parques, feiras e mercados municipais.

Após esse prazo, entra em vigor a fiscalização dos comércios com previsão de multa de R$ 500 para cada animal encontrado à venda e outros R$ 200 para qualquer tipo de propaganda de comercialização. A compra dos animais só será permitida de forma direta e sem intermediários, sendo feita somente por criadores, canis e gatis, com acompanhamento de um médico veterinário.

O vereador Zander Fábio, autor do projeto de lei, disse que o objetivo é lutar pela saúde e bem-estar dos animais. A Prefeitura de Goiânia informou que ainda vai analisar a proposta.

Com informações do G1 Goiás

Receba notícias do Curta Mais diretamente no seu WhatsApp (clique aqui)

SIGA O CURTA MAIS NAS REDES SOCIAIS

Facebook | Instagram | Twitter 

Evento de adoção de Pets acontece dia 14 de março em Goiânia

No dia 14 de março o Grupo Miau AuAu realiza, em Goiânia, um evento de adoção de cães e gatos. Momento perfeito para dar um lar aos bichinhos que esperam por um espaço no coração e na casa de alguém.

Orientações (pré-requisitos):
– Ter idade superior a 18 anos.
– Levar documento de identificação.
– Levar comprovante de endereço.
– Ser aprovado na Triagem.
Taxa de Adoção: 40 reais.
Todos os cães e gatos estarão vacinados, castrados e com vermífugo em dia.

 

Serviço

Evento de Adoção de Cães e Gatos

Onde: Av. Anhanguera, 10.790, Aeroviário, Goiânia/GO – Varanda da Entrada Principal do Shopping Cerrado (Estacionamento Gratuito).
Quando: 14 de março – Sábado.
Horário: das 12h às 18h.
Valores: R$ 40,00 a taxa de adoção.

Goiânia celebra o Dia dos Animais com adoção de cães e gatos

Em comemoração ao Dia dos Animais, acontece em Goiânia um Festival de Adoção que é uma excelente oportunidade para levar um grande amigo pra casa. Aproximadamente 60 animais, entre cães e gatos, estarão a procura de um lar amoroso. Eles já estão castrados, vermifugados e vacinados.

63a7a0fcef962f938d06688a57b28020.jpeg

3d63c3ff247247e13dac32d7553f4a95.jpeg

Fotos: Divulgação / Feira de Adoção

Para agregar as pessoas interessadas e divertir a criançada, o evento terá pula-pula e distribuição de pipoca e algodão doce.

Quem decidir adotar um dos bichos deverá contribuir com R$30,00 que serão destinados a ajudar outros animais e a ONG Santuário, responsável por ess ação e pelo resgate e cuidados dos animais.

Os candidados passarão por triagem e entrevista além do preenchimento da ficha e da assinatura do termo de adoção. É preciso consciência, além de amor, para que sejam feitas as adoções responsáveis.

Outra boa iniciativa é que o Festival será ponto de coleta de tampinhas plásticas para o projeto Tampatas que visa arrecadar fundos com a venda de materiais recicláveis para garantir a castração de animais abandonados. O bem gera o bem! Junte suas tampinhas plásticas de refrigerante, água, suco, leite, produtos de limpeza e higiene e toda e qualquer tampa de plástico duro.

Programe-se acolher mais um membro para sua família e seja feliz!

5d4116d788c92b1cc75dd6697fd5a7ef.jpeg

Divulgação / Feira de Adoção

SERVIÇO

Adoção de Animais

Data: 16/03

Horário: 13h às 18h

Local: Área externa da praça de alimentação do Passeio das Águas Shopping

Exigência: Para adotar é necessário ser maior de idade, portar documento de identificação, apresentar comprovante de endereço, passar pela triagem além de contribuir com a taxa de R$30,00.

Siga Curta Mais nas redes sociais:

Curta Mais no Facebook

Curta Mais no Instagram

Curta Mais no Twitter

Capa: Divulgação / Feira de Adoção

Goiânia terá campanha de vacinação gratuita contra raiva neste sábado

Não estamos no Mês do Cachorro Louco, mas precaução nunca é demais! Neste sábado (22), das 8h às 17h, os donos de cães e gatos poderão vacinar seus pets de forma gratuita em qualquer uma das 401 unidades de postos por toda a capital.

Os animais de estimação com mais de três meses de idade devem ser imunizados e é importante que eles sejam levados por alguém que tenha idade e poste para controlar o animal durante a aplicação da dose.

A vacinação anual obrigatória tem como objetivo controlar a raiva nos cães e gatos, evitando que a doença atinja a população humana, que pode ser fatal na maioria dos casos.

Confira a lista dos postos participantes da campanha.

Imagem: Anna Lúcia Almeida | Divulgação

ONG vai receber ração em dobro para cães e gatos e realiza feira de adoção em Goiânia

A Via Pet está realizando uma ação em parceria com o grupo Miau Auau. A cada quilo de ração comprada em uma das lojas (Nova Suíça, Alto da Glória e Jardim Nova Era) será destinado o dobro para doação aos animais da ONG. Por exemplo, se for comprado um pacote de 2 kg de ração para doação, a Via Pet entregará mais 2 Kg para o Miau Auau.

A campanha vai até o dia 11 de novembro. No mesmo dia, será realizado, das 9h às 14h, na loja da Via Pet no Jardim Nova Era, em Aparecida de Goiânia, um evento de adoção, com vários gatinhos e cãezinhos. Todos os bichinhos foram resgatados das ruas. Hoje os cães e gatos estão saudáveis, vermifugados, vacinados e castrados. Para adotar é necessário ser maior de 18 anos, levar documento de identificação, comprovante de endereço, pagar uma taxa no valor de R$ 40,00 e passar pela triagem.

Sobre o Grupo Miau Auau

A Associação de Proteção Animal Miau Auau foi fundada em 2012 e tem por objetivo diminuir o abandono de cães e gatos, por meio da realização de eventos de adoção, nos quais são levados animais resgatados em situações de abandono e risco. Realiza ainda ações educativas em instituições públicas e privadas, e promove, em parceria e com o apoio de veterinários, campanhas de castração a baixo custo, previamente planejadas. É uma instituição sem fins lucrativos, que depende exclusivamente de doações e vendas de produtos, como camisetas, canecas, e placa de identificação para realização das suas ações.

Mais de 40 animais são postos para adoção em Goiânia

Neste domingo acontece o 38º Pet’s Day em busca de novas famílias para animais abandonados. Mais de 40 cães e gatos estarão disponíveis para adoção na loja Petz do Passeio das Águas Shopping, entre 14h e 19h. A ação é uma inciativa do grupo Miau AuAu!

Para adotar um dos pets é necessário ser maior de 18 anos, portar documento de identificação e comprovante de endereço. Os interessados passarão por uma pequena entrevista para assegurar a responsabilidade com o animal. Todos os bichos já são castrados, vacinados e com vermífugo em dia. A taxa de adoção é de R$40.

SERVIÇO

38º Pet’s Day Miau AuAU

Quando: Domingo (8/10)

Onde: Loja Petz – Passeio das Águas Shopping

Horário: Das 14h às 19h

Taxa de adoção: R$40

Mais informações: @grupomiauauau

 

82ca5179fe2ef48c1e63c708bd2129bd.png 

 adda3cf371200ecd014c77b778c2238c.png