Dia do Trabalhador: confira o que abre e fecha em Goiânia no feriado

A Prefeitura de Goiânia vai manter em funcionamento todos os serviços essenciais à população no feriado de Dia do Trabalhador, celebrado nesta quarta-feira (1º/5).

Entre os serviços disponíveis estão salas de vacinação, serviços de limpeza urbana, atenção às mulheres vítimas de violência, ações de fiscalização e atendimento em urgência e emergência na saúde. O expediente nos demais órgãos da administração municipal volta à normalidade na quinta-feira (2/5).

Para casos de queda de árvores e recolhimento de animais mortos, os serviços também não sofrerão interrupção. Os cidadãos podem solicitar a Central de Atendimento (62) 3524-8555, pelo aplicativo Prefeitura 24 horas ou WhatsApp da Comurg (62) 98596-8555.

Veja como será o funcionamento dos órgãos da administração municipal:

Atende Fácil

Unidades do Atende Fácil fecham nesta quarta-feira (1º/5). O atendimento normal será retomado na quinta-feira (2/5), da 7h às 19h.

Saúde

Os casos de urgência e emergência serão atendidos nas 15 unidades de saúde que funcionam 24 horas por dia, conforme classificação de risco, ou seja, com prioridade às situações mais graves. A lista com todas as unidades de atendimento de urgência e emergência pediátrico e adulto está disponível nesse link.

Para as situações de urgências e emergências em residências, locais de trabalho e vias públicas, a população deve acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) pelo número 192, que conta com Central de Regulação e profissionais de salvamento.

Atualizações sobre testagem, além de informações a respeito das salas de vacinação podem ser acompanhadas pelo site: goiania.go.gov.br/imunizagyn/

Centro de Zoonoses

O Centro de Zoonoses funcionará em regime de plantão, e poderá ser acionado pelos telefones (62) 3524-3131 ou 3524-3130, quando presenciados animais agressivos. Em caso de mordida, a pessoa ferida deve procurar com urgência unidade de saúde mais próxima.

Atendimento às mulheres vítimas de violência

O feriado não vai alterar o funcionamento da Casa Abrigo Sempre Viva, que atende mulheres vítimas de violência doméstica e familiar em Goiânia. O espaço, que tem capacidade para acolher 50 mulheres, fica aberto 24 horas por dia.

O encaminhamento é feito pelas Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (Deam). O abrigo tem psicóloga, assistente social e outros profissionais especializados em lidar com ocorrências do gênero. A localização da Casa é mantida sob sigilo por motivos de segurança.

Assistência Social

As equipes do Serviço Especializado em Abordagem Social (Seas) percorrem ruas de Goiânia realizando busca ativa 24 horas por dia. A população pode entrar em contato pelo telefone (62) 3524-7389. A Central de Óbitos de Goiânia funcionará 24 horas durante todo o feriado.

Fiscalização Ambiental

O atendimento segue normalmente. O plantão fiscal atenderá denúncias ambientais recebidas por meio do telefone 161.

Guarda Municipal

Funcionará normalmente e, em casos suspeitos, a população pode entrar em contato com a GCM pelo telefone 153.

Comurg

Mantém o funcionamento das operações essenciais de limpeza, como varrição, coleta de lixo orgânico, serviços de roçagem, remoção, ajardinamento e viveiros por escala. Para casos de queda de árvores e recolhimento de animais mortos, os serviços também não sofrerão interrupção. Os cidadãos podem solicitar serviços pela Central de Atendimento (62) 3524-8555, pelo aplicativo Prefeitura 24 horas ou WhatsApp da Comurg (62) 98555-8555.

Limpa Gyn

Os serviços de coleta que são realizados pelo Consórcio Limpa Gyn vão seguir normalmente na quarta-feira (1º/5), conforme cronograma que está disponível neste link.

Lazer

No feriado do Dia do Trabalhador, os parques Mutirama e Zoológico abrem normalmente. O Parque Mutirama funciona das 10h às 16h, com entrada gratuita. O Zoológico, por sua vez, recebe público das 8h30 às 17h, com compra de ingressos na bilheteria até às 16h, sendo que o valor da inteira é R$ 5 e a meia, R$ 2,50.

Shoppings

Araguaia Shopping
Lojas e Quiosques: fechado
Alimentação e Lazer: abertura das 10h às 22h

Goiânia Shopping
Lojas e Quiosques: fechado
Alimentação e Lazer: abertura das 10h às 22h
Restaurantes: abertura das 11h30 às 23h

Passeio das Águas Shopping
Lojas e quiosques: Fechados
Alimentação e lazer: 10h às 22h
Restaurantes: 11h30 às 23h

Shopping Flamboyant

As áreas de alimentação e lazer estarão abertas, das 12h às 22h e as lojas estarão fechadas. Os restaurantes do Polo Gastronômico seguem horários diferenciados e ampliados.

Confira:

1º/05 (quarta-feira) – apenas áreas de alimentação e lazer 12h às 22h / demais lojas – fechadas

Informações e reservas Polo Gastronômico Flamboyant:

  • Coco Bambu: (62) 3434-0043 / (62) 9.9257-6827
  • Empório Piquiras: (62) 9.9607-7752
  • Juá Restaurante: (62) 3626-9770
  • Kabanas Restaurante Bar: (62) 3922-3393
  • Kanpai Blue: Whatsapp (62) 3432-9666 / (62) 3922-3393
  • Madero Burger & Grill: (62) 3941-8658
  • Outback Steakhouse: (62) 9.8221-9627
  • Pobre Juan: (62) 3087-5556

Estação Goiânia

Shopping Estação Goiânia estará com suas lojas e quiosques funcionando de 09h às 17h, já a praça de alimentação atenderá o público das 10h às 22 horas. As lojas âncoras também funcionarão normalmente. A rede de academias BlueFit funcionará das 08h às 18h; o supermercado Costa Atacadão atenderá das 07 às 22 horas e a rede de materiais de construção, Leroy Merlin, estará aberta das 09h às 20h.

Plaza D’Oro

O Plaza D’Oro Shopping divulga o seu horário de funcionamento para a quarta-feira (1°). Confira:

-Lojas e quiosques: fechado

-Praça de alimentação: 11h às 20h

-Supermercado Store: 7h às 22h

Shopping Cerrado

O Shopping Cerrado informa o horário de funcionamento no feriado do Dia do Trabalhador:
01/05 (quarta-feira):
Praça de alimentação e lazer das 10h às 22h
Lojas fechadas

Buriti Shopping

Quarta 01-05:

Lojas e quiosques: fechados

Praça de alimentação: 11h às 22h

CMTC

Os ônibus do transporte coletivo da capital vão circular na quarta-feira (1º/5), com planilha de horário de feriado, com 3.469 viagens. A Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) recomenda aos passageiros da Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (RMTC), que utilizem o aplicativo SiMRmtc para conferir os horários disponibilizados e a previsão da chegada dos ônibus.

 

Capital do voo livre no Centro-Oeste recebe os melhores pilotos do Brasil

Jandaia será a capital do voo livre no Centro-Oeste pelos próximos três dias. Localizado a 120 quilômetros de Goiânia, o município goiano recebe, a partir desta sexta-feira (26/04), a 1ª Etapa do Circuito Centro-Oeste de Parapente (Cico) e da Copa Brasil de Pouso de Precisão (CBPP).

O evento segue até domingo (28/04), com patrocínio do Governo de Goiás, por meio da Agência Estadual de Turismo (Goiás Turismo). Os resultados ajudarão a formar o ranking dos pilotos que participarão das provas estaduais e do campeonato brasileiro da modalidade.

Cerca de 100 participantes de Goiás, Distrito Federal e Tocantins estão inscritos para a disputa. Os pilotos são divididos em três categorias: avançada, iniciante e feminina. Em Jandaia, a prova ocorre no local conhecido como Montanha Mágica. Posteriormente, Formosa e Jaraguá também sediarão etapas da competição.

O presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, lembra que iniciativas como esta fomentam o turismo, atraindo um público qualificado, inclusive internacional.

“Além de colorir o céu da cidade e movimentar toda a cadeia regional do turismo, os eventos deixam um legado de investimentos em cultura, conscientização, infraestrutura e melhorias duradouras para a população”, ressalta ele.

Circuito de Parapente colore o céu de Jandaia (GO) neste fim de semana (fotos: Goiás Turismo)

Ações sociais

O trabalho da organização do evento começa dias antes com ações sociais, entre elas palestras em escolas públicas com o tema “Voo Livre e Consciência Ambiental” e arrecadação de alimentos para distribuir cestas básicas a famílias carentes.

Em Jandaia, a bombeira Kamilla Monteiro, vencedora do reality show “Largados e Pelados”, tem palestra programada sobre sobrevivência e situações de risco. A conscientização ambiental também está presente, inclusive com distribuição de sementes nativas do Cerrado que os pilotos lançam durante o voo.

Um dos organizadores do Circuito, Daniel Vasconcelos destaca que “o apoio do Governo de Goiás é essencial para o desenvolvimento do esporte e do turismo”.

Segundo ele, pilotos do país inteiro movimentam as cidades anfitriãs e toda a região, gerando emprego e renda para a população. “Sem esse apoio, seria muito difícil a gente fazer o evento com tal magnitude. Somos muito gratos pelo reconhecimento do estado ao esporte”, afirma.

Prédio histórico de Goiânia, Centro Cultural Grande Hotel recebe revitalização

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), concluiu a nova pintura externa do Centro Cultural Grande Hotel, localizado no encontro da Avenida Goiás com a Rua 3, no Centro da Capital. A manutenção foi realizada em parceria com a empresa Luztol Tintas. A previsão é que ainda neste ano o prédio receba também reforma na estrutura interna.

O prefeito Rogério ressalta que, apesar de ser gerido pela Prefeitura, o local tem uma questão administrativa e financeira pendente com Instituo Nacional do Seguro Social (INSS), que brevemente será concluída. “A Prefeitura está em negociação para que tudo seja quitado e resolvido o mais breve possível. Agora, com a doação da Luztol, o Grande Hotel está com pintura nova por fora. Afinal, é um bem da nossa cidade e precisa de cuidados da gestão pública. Esperamos que a população contribua para manutenção do local, já que o prédio é sempre alvo de muita pichação”, pontua.

A previsão é que o Grande Hotel receba em breve uma manutenção na área interna. “Estamos com projeto em andamento, com orçamento para reparos na estrutura interna. O prédio é muito antigo e nós temos que seguir as orientações do Iphan, respeitando o estilo Art déco, que não pode ser mudado em nada. Temos que ser cuidadosos com isso, afinal é um ponto de referência histórica, que guarda recordações e faz parte da cultura goianiense”, afirma o prefeito.

Símbolo da História de Goiânia

Inaugurado em janeiro de 1937, o Grande Hotel é o primeiro hotel de Goiânia. Desde 1991 é tombado como patrimônio histórico de Goiás pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), e atualmente está em funcionamento como um polo da Secult, com atendimento aos alunos do curso de iniciação musical da Rede Municipal de Núcleos Musicais da Orquestra Sinfônica de Goiânia e aulas de dança de salão para adultos e idosos.

O hotel é símbolo do movimento arquitetônico Art Déco, que combinou estilos modernistas com habilidade fina e materiais ricos. Durante o seu auge, na época em que foi construído, o Grande Hotel representou luxo, glamour, exuberância e fé no progresso social e tecnológico.

Foram publicados dois editais para concorrência pública e arrendamento do Grande Hotel, já mobiliado e equipado. O contrato foi assinado por Maria Nazaré Jubé Jardim em 17 de fevereiro de 1937, pelo prazo de três anos. Também constava no contrato que o letreiro luminoso a gás néon da fachada deveria ser iluminado todas as noites.

Grand Hotel fez sucesso nos primeiros anos da formação da então nova capital – Foto: Reprodução/ IBGE

Com 60 quartos, sendo quatro de luxo, distribuídos em três pavimentos, o local recebeu nomes famosos como o antropólogo Claude Lévi-Strauss. Da construção original resta a estrutura da fachada, tendo o interior sido descaracterizado ao longo dos anos.

As instalações passaram por reforma em 2004, quando o Grande Hotel sediou o evento Casa Cor. Em 1991, o edifício foi tombado pelo Município como Patrimônio Histórico de Goiás sendo um dos 20 bens que formam o patrimônio do estilo arquitetônico Art Déco em Goiânia. Em 1998 foi tombado pelo Estado e em 2003 foi tombado pelo Iphan no Conjunto Arquitetônico Art Déco e Urbanístico de Goiânia.

O hotel se tornou um grande polo cultural de Goiânia, reunindo ali muitos visitantes que chegavam na cidade, seja a passeio ou a negócios. O hotel proporcionava o ambiente ideal para que os artistas se encontrassem com um público desprovido de locais formais para assistirem apresentações musicais.

Era, inclusive, a arrendatária Maria Nazaré quem tocava piano todas as noites para animar as reuniões da sociedade goianiense, que aconteciam nos salões do Grande Hotel. Estes eventos sociais, sempre seguidos de música, ocorriam com frequência, especialmente aos sábados.

O “Palácio Monumental”, como também era conhecido o Grande Hotel, foi palco dos primeiros bailes de carnaval da capital, onde se apresentavam a banda da 1ª Cia. da Polícia Militar, o Jazz Band Imperial e outros grupos.

Com o passar dos anos, o primeiro hotel de Goiânia se tornou ponto de encontro de diversas tribos urbanas, curtindo um samba ao vivo.

 

*Fontes: Secom; CNB Goiás

Veja também:

Pequeno bairro em Goiânia é conhecido por extensa área verde e qualidade de vida

Localizado na região sul da cidade, o bairro Nova Suíça, fundado na década de 1970 com o propósito de agregar valor à região, faz divisa com o Setor Bueno e tem como vizinhos os bairros Jardim América, Parque Amazônia, Bela Vista e Serrinha.

Hoje, com 50 quadras, o bairro majoritariamente residencial é uma das áreas mais nobres de Goiânia. Com um belo paisagismo que se destaca nas praças que possui, o bairro possui uma rede de comércio diversificada, com diversas opções de serviços de saúde, educação, lazer e conveniências.

Além disso, o alto índice de arborização que o setor possui remete a um bom clima interiorano, embora a região já abrigue prédios residenciais e comerciais com fachadas modernas.

Confira a seguir algumas das principais atrações desse pequeno, mas charmoso e bem desenvolvido bairro de Goiânia.

Praças:

Conhecida por abrigar diversos estabelecimentos de conveniência, a Praça Wilson Sales se tornou uma parada obrigatória para quem deseja fazer uma caminhada ao ar livre ou tomar um sorvete no setor Nova Suíça. Endereço: Praça Wilson Sales – St. Nova Suíça, Goiânia – GO.

Foto: Mapio.net

Com um projeto paisagístico assinado pelo escritório Burle Marx, de reconhecimento internacional, a Praça Burle Marx presta homenagem ao paisagista Burle Marx, que se tornou conhecido por desenhar o Calçadão de Copacabana, no Rio de Janeiro, além de assinar projetos internacionais, como o Biscayne Boulevard, em Miami. Com 700 metros quadrados, o local é a primeira intervenção pública que leva o nome da marca em Goiânia. Endereço: Rua C-248, no setor Nova Suíça, Goiânia – GO.

Academias:

Ideal para quem deseja fazer pilates, a Vital Studio Pilates funciona de segunda a sexta-feira, das 07h às 20h. Endereço: R. C-139, 247 – Nova Suíça, Goiânia – GO.

Especializada em lutas, o Studio Canhoto Fighter também está presente no setor. Endereço: Astral Papelaria – Avenida C-233 sala 7 em cima da – St. Nova Suíça, Goiânia – GO.

Estúdio de treinamento personalizado, a Viver Academia é especializada em envelhecimento saudável através da musculação e exercícios para a terceira idade. Endereço: R. C-258, 198 – St. Nova Suíça, Goiânia – GO.

Padarias, cafeterias e restaurantes:

A Panificadora Maná é uma das padarias mais tradicionais de Goiânia e é um ótimo lugar para tomar um café da manhã ou da tarde. Com serviços de padaria e confeitaria, a padaria se destaca com o seu cardápio único de docinhos, como o “lua de mel”, uma espécie de bem casado recheado com doce baba de mulher e coberto com leite ninho; pãozinho recheado com chocolate, entre outros. Endereço: R. C-264, 119 – St. Nova Suíça, Goiânia – GO.

Com serviços de padaria, restaurante e hortifruti, a Panificadora Della é um dos locais ideais para passar o dia no bairro. Endereço: Praça Wilson Sales, 116 – St. Nova Suíça, Goiânia – GO.

O Grego Restaurante é um dos locais para ser visitado para quem busca uma refeição completa no setor, se destacando pelo seu serviço self service por quilo. Endereço: R. C-257, 172 – St. Nova Suíça, Goiânia – GO.

O Rensga Café é um espaço pet friendly aconchegante, com diversos tipos de cafés e sobremesas especiais, feito por mulheres. Endereço: R. C-264, 300 – St. Nova Suíça, Goiânia – GO.

Sinônimo de aconchego, o AIlha Café conta com diversas opções para fazer um brunch no setor, com ambientes instagramáveis e fofos. Endereço: R. C-180, 157 – Quadra 618, Lote 02 – St. Nova Suíça, Goiânia – GO.

O Hiro Japanese Food é um dos ótimos locais do bairro para aproveitar a noite, com rodízio de comida japonesa com valor atrativo. Endereço: R. C-267, 37 – Nova Suíça, Goiânia – GO.

O Lott Bistrô se autointitula um “happy food place”, sendo um bistrô com um ambiente lindo e muito confortável para apreciar uma boa comida. Endereço: R. C-178, 562 – sala 1 – Nova Suíça, Goiânia – GO.

Conhecido pelos seus espetinhos e cervejinhas geladas, o R & T Brasa e Fumaça funciona três vezes por semana, sempre no período noturno. Endereço: R. C-244, 227 – quadra 573, lote 20 – St. Nova Suíça, Goiânia – GO.

Um dos locais mais charmosos no bairro é a Casa Portuguesa, um casarão onde cada refeição é uma viagem ao coração de Portugal. Além disso, o espaço funciona como empório. Endereço: Av. T-15, 1618 – QD 591 LT 08 – Nova Suíça, Goiânia – GO.

Bacalhau à Portuguesa – Lombo de bacalhau Gadus Morhua confitado no azeite português com ervas finas especiais (foto: Arquivo Curta Mais)

Vale ressaltar que A Casa Portuguesa faz parte do Clube Curta Mais! E os assinantes garantem vale de R$ 30,00 de desconto, mediante consumo mínimo de R$ 150,00.

Clique AQUI para saber mais!

Cidade goiana tem tesouros perdidos às margens do Rio Araguaia

Localizada a 418km de Goiânia e a 630km de Brasília, Goiás abriga uma série de cidades que guardam verdadeiros tesouros da natureza, e uma delas se destaca pela sua riqueza histórica e ambiental. Com apenas cerca de 5 mil habitantes, segundo dados do IBGE de 2020, a cidade de Baliza encanta com sua atmosfera tranquila e seus atrativos únicos, que vão desde paisagens naturais exuberantes até monumentos históricos preservados.

A proximidade com o Rio Araguaia, a apenas 1km de distância, confere à cidade uma beleza natural incomparável. Suas margens são repletas de biodiversidade, oferecendo oportunidades para atividades como pesca, passeios de barco e observação da fauna e flora locais. Os entusiastas da natureza encontrarão neste cenário um verdadeiro paraíso intocado, onde a tranquilidade e a beleza se unem de forma harmoniosa.

Além de sua exuberante natureza, a cidade também possui um passado marcado por momentos históricos significativos. Durante o auge do Garimpo, foi um importante centro de atividade econômica na região, contribuindo para a sua relevância no cenário estadual. Personalidades ilustres, como o Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon em 1930 e a família real brasileira em 1936, deixaram suas marcas na história local, evidenciando a importância e o prestígio da cidade.

Outro marco histórico que ressoa até os dias atuais é a visita do interventor federal Dr. Pedro Ludovico em 1940, que trouxe consigo um legado de desenvolvimento e progresso para a região. Esses episódios históricos não apenas enriquecem o patrimônio cultural da cidade, mas também proporcionam aos visitantes uma oportunidade única de mergulhar na história do Brasil e compreender sua evolução ao longo do tempo.

Entre os pontos turísticos mais destacados da cidade, destacam-se os monumentos históricos que remontam aos tempos coloniais, como igrejas centenárias e casarões preservados, que transportam os visitantes para uma época de grandeza e elegância. Além disso, trilhas ecológicas, cachoeiras e mirantes oferecem aos aventureiros a chance de explorar a natureza intocada da região, revelando paisagens de tirar o fôlego e experiências únicas de contato com o meio ambiente.

Em suma, essa pequena cidade esconde uma riqueza incomparável, tanto em termos de patrimônio natural quanto histórico. Conhecer seus tesouros é embarcar em uma jornada de descoberta e encantamento, onde cada experiência revela um novo aspecto da sua singularidade e beleza.

História

Pequena cidade com cerca de 4 mil habitantes, banhada pelo Rio Araguaia, cercada por lendas, mitos e histórias, Baliza, foi descoberta e povoada através de uma expedição garimpeira em 1924, que trouxe os garimpeiros Cosme e Borges pela existência de uma jazida de diamantes às margens do Ribeirão João Velhão. Já foram extraídas mais de 2000 (duas mil) toneladas de pedras preciosas que foram exportadas para o país inteiro.

Hoje, com a exploração do garimpo reduzida, sua economia baseia-se na prestação de serviços à prefeitura, agropecuária e turismo.

Mesmo com suas limitações, esta pequena cidade do noroeste goiano, de povo humilde e acolhedor, não perde sua essência e nem deixa morrer sua história. Lendas como a misteriosa construção da Capela Bom Jesus da Lapa e os caminhos deixados dentro do morro, por onde os garimpeiros passavam, se houve muitos relatos de sons e de fatos que ali ocorreram.

Por estes e muitos outros motivos, vale a pena conhecer essa terra envolta por mistérios e encantos, cujas belezas naturais são de encher os olhos e o caminhar por suas ruas estreitas cercadas de antigos casarões é uma verdadeira viagem ao passado.

Turismo

Baliza esconde vários espetáculos naturais, alguns deles quase intocáveis. Regiões turísticas pouco exploradas, mas que são verdadeiros paraísos de Goiás. Cânions, cachoeiras, corredeiras, construções histórias e ruas de pedras fazem parte deste cenário incrível.

Confira os principais pontos turísticos da cidade:

Capela Bom Jesus da Lapa

Construída na época do garimpo no meio da passagem dos garimpeiros, para evitar que destruíssem mais as terras por onde passavam. Há uma lenda que diz ser “mal assombrada”.

11de4419bf6143a8b02537faf7b86883.png

Imagem: Reprodução/Jhonatas Barbosa

a16bb3744125c25cf33ca032a86cc746.png
Capela depois da reforma. (Imagem: IvanTv/Pinterest)

Igreja Matriz São Sebastião

d289b367260e8f5a1721e6df98100f98.jpg

Imagem: Reprodução/Jhonatas Barbosa

Ruas de Pedras e Casarões Antigos

1fe4fe42c96571db194db2c7f2b87fe9.jpeg

2b06bf519114d1528476aa21ae45a349.jpegImagem: Conheça Goiás/Youtube

Festa Filhos de Baliza

7c25d9f3c6ede3a95d55279e7c224d70.jpg(Imagem: Prefeitura)

Procissão luminosa da Festa em Louvor à Bom Jesus da Lapa

ebdc87a2713344ca6df78f8b31bc6cc4.jpg

ff91e2b4434ff41bf065c7049fc6f00a.jpgImagens: Niratan Fotografia

Cachoeira do encantado

c0695ece0c9bbfd565451c759d991a28.jpgImagem: Niratan Fotografia

36329500a25b89e1e3e21242abd671ba.jpgImagem: Roncador Expedições

Córrego das Perdizes

e856cc2421773c3b9bfa8fba4fc4c67c.jpg
2759ffd0cd46a2c19a0949ebdccee8c1.jpg
Imagens: Niratan Fotografias

Córrego da Pedra Branca

0393b512874edfe614b51f5614b704f8.jpgImagem: Tracajá Ecoaventuras

Pontos Turísticos do Rio Araguaia

Várias corredeiras e correntesas fazem deste espetáculo um espaço ótimo para práticas de esporte em barco.

5e001917511445e0ff85ac9d0c72b7ed.jpegImagem: Conheça Goiás/Youtube

Pedra da Baliza

O nome Baliza, presta homenagem a uma rocha de 5m de altura situada no meio do Araguaia.

09e535f91e702e147f6ac238d597cc19.jpgImagem: Prefeitura

Piscinas naturais e quedas d’água do Rio Araguaia

ed6f0a461642747b2186686fe310468e.jpg
3ba89ff75e4c82fba0476e8bef6cb017.jpeg
Imagens: Niratan Fotografia

Cânions do Rio Araguaia

Estrutura rochosa formada milenarmente pelos ventos e águas, os cânions de Baliza desenvolvem-se em paredões de aproximadamente 6 metros de altura, podendo chegar a 50m, delineando caminhos estreitos para a passagem do rio.

3106f74199b612f26ed57fd2eb6a6b19.jpgImagem: Conheça Goiás/Youtubbe

608c8e3c7b379eaf1847a326a4db2b9a.jpgImagens: Niratan Fotografia

Salto do Paraguassú

Cachoeira com queda livre de 94 metros em meio à pedras rochosas, formando um lindo arco-íris ao refletir o sol.

6f03a69c8beca9de49253af2996d58fe.jpegImagem: Caiaques e Trilhas Antonio

42a65b51bbe7edc467d420a0242dbb32.jpgImagem: Internet/Reprodução

572fc662da7e0429170318ce15bc04ea.jpgImagem: Marcos Lemos

Localização:

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Foto de capa: Reprodução/Caiaques e Trilhas Antonio

Leia também:

Cidade goiana ganha primeiro lugar em empreendedorismo com destaque para gastronomia

Cidade goiana com o maior número de motéis da América Latina é um verdadeiro refúgio do pecado

Conheça a única cidade do mundo que fica em dois continentes

Istambul, a cidade que transcende fronteiras geográficas, que tem cerca de 15 milhões de habitantes na região metropolitana, é dividida em duas pelo estreito de Bósforo, que também é um dos marcos divisores dos continentes europeu e asiático. Isso faz com que a parte oeste da cidade fique na Europa e a parte leste, na Ásia. Por isso, ela se destaca como a única cidade do mundo situada em dois hemisférios.

Esta metrópole encanta por sua história milenar, sua cultura diversificada e suas paisagens deslumbrantes.

Fundada pelos gregos de Mégara, a cidade foi batizada como Bizâncio e testemunhou a influência de diversas civilizações ao longo dos séculos. De persas a romanos, de otomanos a atenienses, a história de Istambul é marcada por conquistas e transformações. Foi a capital do Império Romano do Oriente e do Império Otomano até 1923, deixando um legado cultural e arquitetônico que atrai visitantes de todo o mundo.

Explorando Istambul

Istambul revela seus encantos em cada esquina, proporcionando aos visitantes uma experiência única. A Hagia Sophia, com sua rica história que abraça o Cristianismo e o Islã, é um monumento imperdível. Ao lado, a Basílica da Cisterna guarda os segredos da época romana, com suas colunas simétricas e as enigmáticas cabeças de Medusa.

Basílica de Santa Sofia (Hagia Sophia) – (Istambul, Turquia). Foto: Mehmet Cetin / Shutterstock.com

A Mesquita Azul, com seus seis minaretes, e o Hipódromo de Constantinopla proporcionam um mergulho na rica cultura islâmica e nas antigas tradições romanas. O Grand Bazaar, o primeiro shopping do mundo, é um verdadeiro labirinto de mais de 4000 lojas, uma experiência que aguça os sentidos.

O Palácio Topkapi, residência dos sultões otomanos, e o Museu Arqueológico revelam a grandiosidade do Império Otomano. O Bazar de Especiarias, com suas fragrâncias exóticas, a Ponte de Gálata e a Galata Tower proporcionam uma visão mais contemporânea da cidade.

O Palácio de Topkapi, em turco: Topkapı Sarayı. Topkapı significa “porta do canhão”. Ele foi construído em 1467, é um grande símbolo do império otomano e foi usado como residência de vários sultões durante quatro séculos, entre os séculos 15 até 19, incluindo o Sultão Mehmet.

O Dolmabahçe Palace, às margens do Bósforo, e um passeio de barco pelo Estreito de Bósforo oferecem uma perspectiva única da cidade, conectando o passado ao presente. Com cerca de 30 km, o Bósforo não apenas oferece uma paisagem deslumbrante, mas também a oportunidade de pisar na Ásia, tornando a experiência única.

Delícias Turcas

A culinária de Istambul é um verdadeiro banquete para os sentidos. Çay (chá turco), kebab e simit são imperdíveis. O café da manhã turco, com pão, queijo, tomate, pepino, azeitona e ovo, é uma verdadeira celebração de sabores. Os doces, com destaque para o baklava, podem ser apreciados na Hafiz Mustafa 1864. Grand Bazaar e o Mercado de Especiarias são paraísos para compras, oferecendo tapetes, temperos, doces e outras preciosidades.

O kebab nasceu na Turquia, em 1.300

Conheça a cidade que é um pedacinho da Itália em Goiás

Se você já ouviu falar do Festival Italiano de Nova Veneza, então, já ouviu falar dessa cidade que é um pedacinho da Itália, no coração de Goiás.

Localizada a 39 km de Goiânia, essa pequena cidade não apenas celebra, mas vive intensamente a cultura italiana. Nova Veneza foi fundada por imigrantes italianos, nos anos 1920.

O festival, que ocorre anualmente na cidade, há 16 anos, atrai milhares de pessoas de Goiás e estados vizinhos.

 

A História da cidade que é um pedacinho da Itália em Goiás

Conheça a cidade que é um pedacinho da Itália em Goiás

Foto: Italianismo

Por que Nova Veneza tem uma paixão tão profunda pela cultura italiana?

A resposta remonta a mais de um século, quando as famílias Stival, Bisnoto, Faquim, Bosco, Sousa, Alves, Santos, Ferreira, Vargas, Peixoto e Constantino chegaram da Itália, estabelecendo-se na região por volta de 1924.

O local, inicialmente chamado de ‘Colônia dos Italianos’, tornou-se oficialmente Nova Veneza em 1958.

Com mais de 60% de sua população composta por descendentes de italianos, a cidade é um símbolo da imigração no Estado de Goiás. No Brasil, onde cerca de 30 milhões de pessoas têm origens familiares na Itália, Nova Veneza se destaca como o único reduto italiano no centro-oeste brasileiro.

 

A Influência Italiana Além das Fronteiras

Enquanto muitos descendentes ítalo-brasileiros concentram-se no Sul e no Sudeste, Nova Veneza preserva suas raízes italianas, não apenas na culinária, mas também na arquitetura e no urbanismo.

Mesmo após um século de imigração, a cidade mantém edificações com colunas romanas, praças ornamentadas com chafarizes e ruas que remetem à Itália. O idioma italiano é parte do cotidiano, sendo inclusive ensinado nas escolas locais.

 

Explorando Nova Veneza: Cultura, Geografia e Aventura

Acessível pelas rodovias GO 462 ou GO 222, Nova Veneza cativa não apenas pela herança cultural, mas também por sua geografia exuberante, repleta de montanhas.

Os amantes do ecoturismo e turismo de aventura encontram na cidade um destino ideal para voos paraguaios, trilhas de bicicleta e moto bike. Além disso, Nova Veneza faz parte de um circuito religioso, atraindo romeiros pelas serras da região.

 

Preservando Tradições e Atraindo Visitantes

Nova Veneza é mais do que uma cidade; é um testemunho vivo da rica história da imigração italiana no Brasil.

O Festival Italiano é apenas uma das muitas manifestações que perpetuam a herança cultural, tornando a cidade um destino único. Ao explorar Nova Veneza, os visitantes não apenas se conectam com a tradição italiana, mas também descobrem uma jóia escondida que mescla autenticidade, beleza e hospitalidade brasileira.

Convidamos você a explorar essa cidade encantadora, onde o passado e o presente se entrelaçam, proporcionando uma experiência que transcende fronteiras e cria memórias duradouras.

 

 

Leia Também

Marcelo Albuquerque, fundador do guia Curta Mais, recebe Título de Cidadão Goiano

Correios abrem inscrições para Concurso Internacional de Cartas com prêmio de R$ 10 mil

Países na Europa super econômicos para fugir do tradicional

 

História completa de Nova Veneza

Tudo começou em uma área pertencente ao município de Anápolis, em 23 de março de 1895, chegaram os primeiros moradores, Antonio da Silva Loures, e seu filho José da Silva Loures, requerendo uma propriedade rural através da escritura pública, pois aqui pertencia a Anápolis. Logo vieram outras famílias como: Manoel Antonio Gomes, Manoel Antonio de Souza, Pedro Camilo, Teotônio Alves, com o objetivo de cultivar o café. Seus meios de transporte na época eram; cavalos e carros de boi pois não haviam estradas.

A historia de Nova Veneza também está ligada a Imigração Italiana. Estes vieram para o Brasil em decorrência das dificuldades inerentes à própria sobrevivência naquele país europeu. Na Itália chegaram noticias através de cartas que aqui na América haviam muitas possibilidades de melhoria de vida. Esses italianos vieram de Previzo província de Veneto, onde eram acostumados com a lida de parreiras e vinícolas para aqui cultivarem o café. Primeiro veio o Senhor João Stival, retornando à Previzo para se casar e trazer toda a família para o Brasil. Outros imigrantes homens, também vieram e quando chegaram ao pais, precisamente em Santos, São Paulo espalharam uns para Marília, outros para Ribeirão Preto e Minas Gerais, trabalhando como empregados nas plantações de café. Mais tarde compraram sete alqueires de terra em Goiás do Senhor Atílio Constantino, onde com muitas dificuldades plantaram café, sendo que aqui, já viviam nessa época mais de quarenta pessoas.

Em Minas Gerais conheceram tia Noca que era da cidade de Goiás a qual incentivou a família Stival a vir para Goiás.

O Senhor João Stival veio, no ano de 1911, com a incumbência por parte de seus familiares e amigos, de adquirir uma propriedade rural onde todos pudessem morar e trabalhar. Comprou 362 alqueires e meio, denominada Fazenda Barra da Cachoeira. Permaneceram aqui alguns meses João Stival, Cesário Stival e Joaquim. Retornaram para Minas Gerais os senhores João e Joaquim Stival, para trazerem suas famílias e a família de Cesário.

Cesário Stival, ficou para providenciar a construção da casa para abrigar todas as famílias que viessem para fazer lavoura de milho, arroz, feijão e mandioca. Quando retornaram trouxeram as famílias Faquim e Stival, vieram de trem até catalão, e de lá para cá em sete carros de bois e uma carroça tipo carretão.

Chegaram nessa região no dia 04 de dezembro de 1912, estava muito chuvoso e devido a isso a construção da casa estava muito atrasada, eles tiveram que morar em barracas de americano.

A fazenda foi devidamente dividida entre todas as famílias, pois alguns já haviam casado em Minas Gerais. Logo o lugar ficou conhecido como “Colônia dos Italianos”.

Aos poucos grandes extensões de mata foram cedendo o lugar à cafezais. Acolônia passou a receber um numero maior de famílias como: Constantino, e em 1917 a família Peixoto, tendo como chefe o Senhor José Peixoto e Bosco.

O Senhor João Stival resolveu que, não apenas apenas lavradores mas também comerciantes e outros profissionais poderiam fizar residências em suas terras, e assim em 05 de junho de 1924, lavrando em cartório, loteou suas propriedades deixando parte como doação para a construção de uma capela, que recebeu o nome de Igreja Nossa Senhora do Carmo, devido a grande devoção que tinham pela santa e por São José. A primeira missa foi celebrada em 19 de abril de 1924, as 10:00h pelo Padre Pelágio, missionário redentorista.

Para essa missa o Senhor Carlos Stival e Ecce Homo Faquim foram a Goiabeira (Inhumas) buscar duas cantoras da família Soyer.

Como não tinham uma igreja, várias pessoas como, Carlos Stival, Lipídio Faquim, Ecce Homo Faquim, Florino Stival, Joaquim Stival, João Vieira Mota e outros roçaram uma boa quantidade de mata, e debaixo de uma árvore de jacarandazinho o Padre Pelagio celebrou a primeira missa, lançando a pedra fundamental da nova capela.

A arvore de jacarandazinho, cresceu e viveu muito tempo servindo de torre para pendurar o sino que foi oferecido pelo Senhor José Peixoto (Pai do Senhor Domingos Peixoto).

Eles mesmos levantaram os esteios de aroeira, cobriram de telha e fecharam as paredes da capela com folhas de bacuri. O Senhor Achiçes de Pina doou a primeira imagem de Nossa Senhora.

Algum tempo depois Manezinho, considerado como louco, quebrou a imagem, alegando que ela estava namorando São Benedito, padroeiro de Nerópolis.

O Senhor João Stival, doou outra imagem, a atual que está no altar é a terceira imagem doada em 1963, pela Senhora Tereza Peixoto Stival (Dona Teia). O primeiro vigário oficial foi, o espanhol Feliciano S. Robles. Da família Stival quem liderava toda parte religiosa era o Senhor Florindo Stival.

Nova Veneza permaneceu com a denominação de “Colônia dos Italianos” até 1924, e por causa da Segunda Guerra Mundial, mudaram para Goianás. A partir de 1958, recebeu definitivamente o nome Nova Veneza.

Partindo da construção da Igreja, começaram a se desenvolver a parte urbana, residencial e comercial de Nova Veneza. Algumas pessoas contribuíram para este desenvolvimento, entre elas estão:

  • Primeiro Farmacêutico: Cícero Tupi;
  • Primeiro Picolezeiro: Antônio Alves;
  • Primeira Pensão: Dona Abadia;
  • Primeira casa de secos e molhados: Achiles Pina;

 

Em virtude da religiosidade da comunidade, no primeiro domingo do mês as 14:00h rezava-se o terço na Igreja ou em alguma residência. Era costume ter uma cerimônia especial na Semana Santa.

Para haver iluminação na procissão do Senhor Morto, que era realizada na fazenda do Senhor Francisco Peixoto, cortavam-se laranjas ao meio, tiravam os gomos, secavam, colocavam azeite e um pavio de algodão, em seguida colocavam nas janelas, no carriado onde passavam os carros de bois e no terreirão onde secavam café, nessa procissão era levado um crucifixo.

Cada família tinha em suas casas um oratório com o santo de sua devoção, em todos os finais de tarde reuniam os familiares para fazerem suas orações.

 

Curiosidades da Época

  • Em primeiro de Abril, era costume dos homens irem com seus cavalos enfeitados com flores visitar os amigos. Ao chegar nas casas os cavaleiros formavam a primeira letra do dona da casa.
  • Nas fazendas das famílias Stival, Faquim e Peixoto, tinham campo de futebol, botia e basquete, onde os filhos praticavam esses esportes.
  • Havia hábito da realização de bailes nas residências,
  • Os casamentos eram realizados com muita festa, o Padre vinha celebrar a cerimônia religiosa, e o casamento civil era realizado em Nerópolis, para onde os noivos iam à cavalo.
  • Em maio era realizada a festa de Nossa Senhora das Graças e São Sebastião, onde faziam ofertas de flores e a primeira comunhão das crianças.
  • em 1932, foi fundada a primeira banda musical pelo maestro Antônio Feliciano Rodrigues, com os seguintes músicos: Zaquinho clarineta, Chicão baixo, Rui (Filho do maestro) tarol, Santos Stival bumbo, Chicp Carapina prato, Elias Passos bombardino, Ecce Homo primeiro saque, Chico Juquinha Trombone de Vara e Mozart Piston. Essa banda se apresentava em missas, procissões, festa da padroeira, coreto ao lado igreja (na parte de cima do coreto a banda se apresentava e na parte de baixo funcionava a cadeia).
  • O primeiro coral em composto pelas senhoras; Antonia Peixoto Stival, Carmélia Peixoto Stival, Otília Muniz Rodrigues, Maria Peixoto Stival, Paulina Stival Peixoto e Joana Stival Zanine.
  • Na década de 50, a musica foi bastante valorizada através de um programa de calouros nas manhãs de domingo, realizado pelo auto-falante do Esporte Clube Goianás, tendo como animador; Domingos Faquim e o Loucutor Ovídio da Silva Veneziano.
  • A primeira emissora de radio propriedade do Senhor Pite recebeu o nome “Radio Águia Branca”, em homenagem ao símbolo do Esporte Clube Goianas.
  • A senhora Oníscia Peixoto Seabra, fundou o coral religioso da Matriz de Nossa Senhora do Carmo e outros.

2ª cidade mais barata para se viver no Brasil fica em Goiás

Você já pensou em se mudar para uma cidade que ofereça um bom custo de vida, sem abrir mão da qualidade de vida? Adivinha só, a 2ª mais barata para se viver no Brasil fica em Goiás.

Já imagina qual é?

Para quem pensou em Anápolis, acertou.

A cidade goiana foi eleita, pela Revista Exame, como a 2 ª mais barata para se viver no Brasil. Ficou atrás apenas da cidade paulista de Guaratinguetá.

2ª cidade mais barata para se viver no Brasil fica em Goiás

Foto: Goiás Turismo

A seguir, vamos apresentar as cinco cidades mais econômicas para se viver no Brasil, de acordo com uma pesquisa realizada pela Revista Exame.

Todos os municípios mencionados têm em comum o fato de terem um custo de vida abaixo da média nacional, mas também oferecem boas oportunidades de trabalho, educação, lazer e cultura.

Nós vamos dar ênfase para a nossa querida Anápolis, mas vamos falar um pouco sobre cada uma delas.

 

As Cinco Cidades Mais Econômicas do Brasil

Vamos explorar as cinco cidades que se destacam por proporcionar um custo de vida abaixo da média nacional, combinado com excelentes oportunidades em diversas áreas.

 

Guaratinguetá (SP)

 

Localizada no Vale do Paraíba, em São Paulo, com cerca de 120 mil habitantes, Guaratinguetá encanta não apenas pelo seu custo de vida acessível, mas também pela rica estrutura turística e industrial. Estrategicamente posicionada entre São Paulo e o litoral norte, a cidade se torna um ponto estratégico para moradores e viajantes.

 

Anápolis (GO)

 

Com mais de 360 mil habitantes, Anápolis conquistou o segundo lugar no ranking de cidades mais baratas para viver. A apenas 50 km de Goiânia, a cidade goiana não só oferece um baixo custo de vida como também se destaca como polo industrial no ramo farmacêutico.

 

Mossoró (RN)

 

No Nordeste brasileiro, Mossoró surge como a terceira cidade mais econômica para se viver, abrigando quase 250 mil habitantes. Além do baixo custo de vida, a cidade se destaca por suas tradicionais festas de São João e pela expressiva produção de frutas, fatores que impulsionam sua economia.

 

Uberaba (MG)

 

No triângulo mineiro, Uberaba, com cerca de 330 mil habitantes, ocupa o quarto lugar entre as cidades mais baratas. Sua economia, centrada na agropecuária, aliada à presença de importantes universidades públicas, oferece um ambiente propício para uma vida com qualidade.

 

Novo Hamburgo (RS)

 

Na região metropolitana de Porto Alegre, Novo Hamburgo se destaca como a quinta cidade mais acessível, abrigando aproximadamente 250 mil habitantes. Reconhecida como a capital nacional do calçado, a cidade apresenta uma infraestrutura robusta em comércio, serviços e lazer.

 

Anápolis – 2ª cidade mais barata para se viver no Brasil

Focando nossa atenção em Anápolis, a cidade vai muito além das estatísticas.

Com uma população acolhedora e uma atmosfera que mescla o urbano e o rural, Anápolis cativa quem a visita.

Seus encantos vão desde a riqueza histórica até as belezas naturais que a circundam.

 

Infraestrutura Exemplar: Anápolis orgulha-se de sua infraestrutura bem desenvolvida, proporcionando aos moradores e visitantes uma ampla gama de serviços, educação e opções de lazer. Com uma posição estratégica no coração de Goiás, a cidade oferece facilidades que contribuem para uma vida prática e confortável.

 

Polo Industrial Farmacêutico: Além de ser econômica, Anápolis destaca-se como um significativo polo industrial, especialmente no setor farmacêutico. Com empresas renomadas e oportunidades de emprego, a cidade se torna um ímã para profissionais que buscam uma carreira sólida.

 

Cultura e Natureza: Anápolis preserva sua rica cultura por meio de eventos, festivais e celebrações que envolvem a comunidade. Além disso, a cidade é abençoada pela natureza, com parques, praças e áreas verdes que convidam a população a desfrutar do ambiente ao ar livre.

 

Leia Também

Divisa de Goiás e Tocantins guarda uma prainha pouco conhecida que parece um oásis no Cerrado

Você precisa conhecer essa praia paradisíaca que fica bem pertinho de Goiás

Menor rio da América Latina fica pertinho de Goiás e impressiona com águas azuis cristalinas

Você precisa conhecer a cidade goiana famosa por ser a capital das cachoeiras

5 lugares imperdíveis para conhecer em Goiânia, segundo a IA

As 10 cidades mais visitadas do mundo em 2023

 

Mais sobre a 2ª cidade mais barata para se viver no Brasil, que fica em Goiás

Localizada no planalto central em uma atitude de 1.017 metro, Anápolis é uma das cidades mais altas do Brasil. Está a 60 km da capital, Goiânia, 220 km de Caldas Novas, mais ao sul, e a 148 km do Distrito Federal.

A imprensa nacional já nomeou Anápolis como a terra das oportunidades e cidade mais feliz do Centro-Oeste.  A matéria considerou elementos como a grande presença de jovens entre a população, qualidade de vida reconhecida e outros pontos.

Com localização privilegiada, no planalto central, fica às margens de importantes rodovias, como as federais BR-153, BR-060 e BR-414. Anápolis, Goiás, também é cortada pelas rodovias estaduais GO-222, GO-330, GO-437 e GO-560 e pela Ferrovia Centro-Atlântica.  Portanto, muito procurada por indústrias e empresas por ser um lugar estratégico para escoamento de produtos.

Anápolis é a principal cidade industrial do Centro-Oeste do Brasil, com destaque para o segmento farmacêutico. Mas não é apenas de indústria ou comércio que ela vive, o turismo é algo bastante presente neste município.

 

História

A história de Anápolis começa no século XVIII, com a passagem dos tropeiros pela região a caminho de Corumbá e Meia Ponte, durante as extrações de ouro.

Por ser um lugar cortado por rios, muitos viajantes pousavam às margens para um período de descanso e seguiam viagem no dia seguinte.

Com o tempo, ao fim do ciclo do ouro na localidade, muitos desses viajantes estabeleceram residência, tornando-se os primeiros habitantes do lugar que viria a ser Anápolis, Goiás.

 

Turismo

A cidade conta com um grande número de atrações, e muitas delas naturais que garantem não apenas diversão, mas também conexão com a natureza.

Uma das paradas obrigatórias em Anápolis é no Museu Histórico, que reflete totalmente a essência da cidade.

Se você está procurando opções de destino para curtir sua próxima viagem saiba que Anápolis é uma excelente opção, para te provar isso separamos aqui um roteiro com 7 atrações imperdíveis na cidade, confira!

 

Museu Histórico

2ª cidade mais barata para se viver no Brasil fica em Goiás

Foto: Viva Anápolis

 

Parque da cidade

2ª cidade mais barata para se viver no Brasil fica em Goiás

Foto: Youtube

 

Parque JK

2ª cidade mais barata para se viver no Brasil fica em Goiás

Foto: Viva Anápolis

 

Centro Cultural Joana Dark

2ª cidade mais barata para se viver no Brasil fica em Goiás

Foto: Festas e shows

 

Praça Bom Jesus

2ª cidade mais barata para se viver no Brasil fica em Goiás

Foto: Prefeitura de Anápolis

 

Catedral Senhor Bom Jesus da Lapa

2ª cidade mais barata para se viver no Brasil fica em Goiás

Foto: Diocese de Anápolis

 

Teatro Municipal de Anápolis

2ª cidade mais barata para se viver no Brasil fica em Goiás

Foto: Flickr

 

Ao considerar a mudança para uma cidade que equilibra custo e qualidade de vida, Anápolis surge como uma escolha sábia.

Seus atributos vão além do aspecto financeiro, abraçando o visitante com hospitalidade, oportunidades e um estilo de vida que mescla o dinamismo urbano com a tranquilidade do interior.

Encontrar um lar em Anápolis pode ser mais do que uma decisão econômica; pode ser a descoberta de um novo capítulo repleto de realizações e bem-estar.

Cidade goiana é um paraíso com mais de 50 cavernas e grutas pertinho de Goiânia

Se você está em busca de um refúgio tranquilo longe do caos das grandes cidades, Vila Propício, em Goiás, é o destino perfeito. Com apenas 5 mil habitantes, esta joia escondida oferece um santuário de paz a apenas 195 km de Brasília e 200 km de Goiânia, tornando-a uma opção acessível para quem busca contato direto com a natureza.

Não se deixe enganar pelo tamanho modesto da cidade; Vila Propício é um verdadeiro paraíso para os amantes do turismo e da exploração subterrânea, com mais de 50 cavernas e grutas catalogadas.

Este complexo impressionante faz da região o segundo maior em extensão de cavernas e grutas no Centro-Oeste, prometendo uma experiência única e repleta de descobertas para os aventureiros.

 

Explorando o Tesouro Subterrâneo dessa cidade goiana com mais de 50 cavernas e grutas catalogadas

 

Cidade goiana é um paraíso com mais de 50 cavernas e grutas pertinho de Goiânia

Caverna Tubarão. Foto: Prefeitura de Vila Propício

Com mais de 60 km de extensão de grutas, Vila Propício oferece uma experiência subterrânea única. No entanto, apenas seis dessas maravilhas são recomendadas para visitação, garantindo a segurança dos exploradores.

Nomes como Caverna Tubarão, Lapa do Boqueirão, Samambaia, Chico Pina, Cearense, Dois Irmãos e Três Marias prometem encantar cada visitante com suas peculiaridades.

Para desbravar esses tesouros naturais, é imprescindível contar com a orientação de guias experientes e equipamentos essenciais, incluindo botas resistentes e lanternas. Prepare-se para uma aventura emocionante e cheia de surpresas, explorando cada recanto dessas formações geológicas únicas.

 

Caverna Tubarão em Vila Propício

Uma das estrelas do complexo de grutas de Vila Propício é a Caverna Tubarão, localizada no distrito Dois Irmãos, mais próxima da sede de Padre Bernardo do que de Vila Propício.

Essa caverna ganhou seu nome devido às impressionantes formações no teto de um de seus salões, que lembram a figura de um tubarão com a boca aberta e dentes afiados.

Recentemente, o acesso a essa maravilha ficou ainda mais fácil, com a abertura de uma estrada que reduz a caminhada pela mata fechada.

 

Caverna Samambaia e Três Marias em Vila Propício

Cidade goiana é um paraíso com mais de 50 cavernas e grutas pertinho de Goiânia

Caverna Samambaia. Foto: Prefeitura de Vila Propício

Mais próximas da sede de Vila Propício, as cavernas de Samambaia e Três Marias são destinos imperdíveis.

A Caverna Samambaia, a 20 km da cidade, oferece uma experiência única com um acesso íngreme e desafiador.

Descendo por uma escada natural e enfrentando obstáculos, os visitantes são recompensados com salões iluminados por luz natural, criando um ambiente espetacular.

Cidade goiana é um paraíso com mais de 50 cavernas e grutas pertinho de Goiânia

Caverna Três Marias. Foto: Prefeitura de Vila Propício

Já a Caverna Três Marias, a 24 km da sede de Vila Propício, proporciona uma exploração mais acessível.

Com um piso plano e poucas barreiras, esse passeio é adequado para todas as idades. Com 249 metros de comprimento, a caverna abriga uma variedade fascinante de estalactites e estalagmites, tornando-a um espetáculo subterrâneo.

 

Natureza Além das Cavernas

Cidade goiana é um paraíso com mais de 50 cavernas e grutas pertinho de Goiânia

Foto: Prefeitura de Vila Propício

Além das maravilhas subterrâneas, Vila Propício reserva outros encantos naturais, como os lagos de água cristalina Lago do Virgílio e Lago Azul. A cidade também é cortada por rios, como o Rio Verde, Rio dos Patos e Rio Maranhão, que proporcionam oportunidades para a prática de boiacross.

Cidade goiana é um paraíso com mais de 50 cavernas e grutas pertinho de Goiânia

Lago Azul. Foto: Prefeitura de Vila Propício

Em Vila Propício, a simplicidade se encontra com a grandiosidade da natureza, criando um destino único e memorável para os exploradores.

Planeje sua visita a este paraíso subterrâneo e aproveite as maravilhas que aguardam os amantes da aventura em meio às belezas naturais de Goiás.

Os visitantes podem desfrutar de roteiros oferecidos pelas agências com duração de horas ou dias, fazer percursos de carro, barco, bicicleta.

Passeios pelas florestas com guias especializados que conhecem muito bem o cerrado e que irão te ensinar um pouco durante as caminhadas.

Para quem busca hospedagem, Vila Propício oferece opções comemorativas, desde hotéis e pousadas mais simples até opções mais sofisticadas e confortáveis. 

Além disso, a cidade é conhecida pela hospitalidade e simpatia de seus moradores, que recebem os visitantes de braços abertos.

Leia Também

Divisa de Goiás e Tocantins guarda uma prainha pouco conhecida que parece um oásis no Cerrado

Você precisa conhecer essa praia paradisíaca que fica bem pertinho de Goiás

Menor rio da América Latina fica pertinho de Goiás e impressiona com águas azuis cristalinas

Você precisa conhecer a cidade goiana famosa por ser a capital das cachoeiras

5 lugares imperdíveis para conhecer em Goiânia, segundo a IA

As 10 cidades mais visitadas do mundo em 2023

 

História de Vila Propício

O município foi fundado em 1952. Possui cerca de 5.520 habitantes e tem um dos maiores complexos espeleológicos da América do Sul, possuindo mais de 50 cavernas e muitas delas ainda não catalogadas. É cortado pelo rio dos Patos.

 Início do Povoado

O Município de Vila Propício teve seu início em meados de 1950, quando o agrimensor e proprietário de terras da região Luis Caiado de Godoi resolveu construir uma escola e comercializar a produção de alimentos.

A partir daí, criou-se um loteamento, em cerca de 5 alqueires de terras, Por volta de 1951, a família de Joaquim Propício de Pina resolveu construir escola e comercializar a produção de alimentos, sobre o qual teve início o povoado de Vila Propício.

Ele não era o único interessado em começar um povoado no local, um grupo de imigrantes baianos, mineiros e proprietários de terra, acompanharam o agrimensor nessa tarefa.

Luis Caiado de Godoi passou, reconhecido como fundador de Vila Propício anos de sua vida, viajando por essa região, a escolha do lugar, foi devido as terras serem bastante produtivas.

 

Origem do nome

O Nome de Vila Propício é uma homenagem do fundador do povoado Luis Caiado de Godoi ao seu sogro Joaquim Propício de Pina o “Mestre Propício, como era conhecido por todos.

Mestre Propício era professor, comerciante, músico, escrivão e Secretário, e contribuiu muito para o crescimento do nosso Município, fazendo jus ao nome Vila Propício.

Você precisa conhecer a cidade goiana famosa por ser a capital das cachoeiras

Você está pronto para uma imersão nas maravilhas naturais de Goiás?

Caiapônia, a joia escondida a apenas 318 km de Goiânia e 549 km de Brasília, emerge como a capital das cachoeiras e o destino perfeito para quem busca uma experiência única de turismo sustentável.

 

Neste guia exclusivo, mergulhe nas razões que fazem desta cidade um tesouro pouco explorado, mas que merece cada segundo da sua visita.

 

Você precisa conhecer a cidade goiana de Caiapônia: capital das cachoeiras

Para os amantes de esportes radicais, Caiapônia é um parque de diversões natural. Trilhas de mountain bike desafiadoras, descidas audaciosas de rapel e cachoeiras majestosas aguardam os aventureiros.

 

Se a busca é por tranquilidade, a cidade revela seu lado sereno, oferecendo banhos relaxantes em cachoeiras e a exploração da mística Gruta Santa.

 

Cultura e Tradição na “Capital das Cachoeiras”

Além da natureza exuberante, Caiapônia carrega consigo uma rica herança cultural.

Desde a origem do seu nome em homenagem aos Índios Caiapós até as festividades animadas do carnaval, a cidade é um caldeirão de tradições. Prepare-se para uma experiência única e autêntica.

 

Aquarela de Atrações: O Mosaico Natural de Caiapônia

Caiapônia foi recentemente coroada como a “Capital das Cachoeiras” por Goiás, e as razões são evidentes.

Explore o imponente Morro do Gigante Adormecido, as deslumbrantes Cachoeiras Samambaia e Abóbora, e a intrigante Gruta da Água Santa. Cada atração é um convite para desvendar a beleza única de Caiapônia.

 

Roteiro de Aventuras em Caiapônia – cidade goiana capital das cachoeiras

 

Morro do Gigante Adormecido

Você precisa conhecer a cidade goiana famosa por ser a capital das cachoeiras

Foto: Diário da Manhã

Destino procurado pelos turistas em busca de aventura, Caiapônia também tem seu lado místico.

A cidade abriga a Gruta da Água Santa, que tem atraído visitantes religiosos que acreditam que a gruta é um lugar para reflexão e oração, e a Serra do Gigante Adormecido, paredão místico que envolve a cidade e abriga formações rochosas esculpidas pela natureza, como o Rosto do Gigante Adormecido e os monumentos das Torres, da Freira e da Muralha.

 

Cachoeira da Samambaia

Você precisa conhecer a cidade goiana famosa por ser a capital das cachoeiras

Foto: Flickr

Com 54 metros de queda, a Cachoeira da Samambaia é destino perfeito para a prática de rapel, além de contar com um visual incrível. Localiza-se a uma distância de 50 quilômetros de Caiapônia, a metade pela BR-158 e o restante por estrada de chão.

 

Cachoeira do Abóbora

Você precisa conhecer a cidade goiana famosa por ser a capital das cachoeiras

Foto: Trilhando Montanhas

A cachoeira do Abóbora apresenta uma queda de 52 metros e é uma das mais belas de Goiás, com um farto volume d’água e um poço muito profundo.

Para chegar, saindo de Caiapônia, você também seguirá pela BR-158, passando por uma estrada de terra. A trilha é mais pesada, com 30 minutos de caminhada. A Goiás Turismo recomenda o acompanhamento de um guia local.

 

Santa Helena 1 e 2

Você precisa conhecer a cidade goiana famosa por ser a capital das cachoeiras

Foto: Goiás Turismo

Cachoeira da Santa Helena à 78km do centro da cidade sendo 43km de asfalto e 35km de chão, com várias quedas e uma beleza incondicional, com vários poços de águas cristalinas próprias para banho, com águas cristalinas e praia propicia para banho e bronzeamento. A Trilha no complexo de cachoeiras tem 1 km.

 

Gruta das Águas Santas

Você precisa conhecer a cidade goiana famosa por ser a capital das cachoeiras

Foto: divulgação

Saída pela manhã para Gruta das Águas Santas: localizada à 38km do centro, com águas cristalinas e uma vista incondicional.

Com uma imagem de Nossa Senhora Aparecida em cima de uma pedra onde o turista faz a sua oração e goteira água do teto da gruta em frente a imagem. Trilha de 3km.

 

Cachoeira do Coqueiro

Você precisa conhecer a cidade goiana famosa por ser a capital das cachoeiras

Foto: Flickr

Deslocando 60 km para Cachoeira do Rio Verdão com 30 metros de altura e um poço ao pé da cachoeira ótimo para banho e contemplação, uma trilha de 200 metros para Cachoeira do Coqueiro com 15 metros de altura e águas cristalinas próprias para banho e contemplação.

 

Cachoeira Campo Belo

Você precisa conhecer a cidade goiana famosa por ser a capital das cachoeiras

Foto: Turismo Caiapônia

A Cachoeira do Campo Belo e Caverna do índio Caiapó tem trilha no cerrado de 3km, fazendo observação de aves e plantas nativas no cerrado. A cachoeira tem 45metros de altura ao pé um lindo poço com águas cristalinas para banho.

Andando mais um pouco chega a gruta dos índios Caiapós onde eles se escondiam dos colonos que queriam fazer eles de escravos.

 

Cachoeira Jalapa

Você precisa conhecer a cidade goiana famosa por ser a capital das cachoeiras

Foto: Marcos moura | Flickr

A Cachoeira Japala está localizada à 16km do centro, com um belo poço para tomar banho e várias quedas.

 

Cachoeira do Lageado

Você precisa conhecer a cidade goiana famosa por ser a capital das cachoeiras

Foto: Goiás Turismo

Essa linda cachoeira possui uma queda bem menor, no entanto é mais propícia para quem quer tomar um banho e relaxar em um lugar de fácil acesso e tranquilo.

O ambiente é bem organizado, com área gramada e lugar para pouso. Há também uma lojinha no local para alimentos e bebidas. Fica a pouco mais de 50 km do perímetro urbano da cidade, seguindo pela BR-158, virando à esquerda na GO-221 e depois à direita a GO-188.

 

Cachoeira do Pântano

Você precisa conhecer a cidade goiana famosa por ser a capital das cachoeiras

Foto: divulgação

Possui uma queda de 35 metros e recebe esse nome por ser formada pelas águas do ribeirão do Pântano. Tem uma larga faixa de areia e um poço profundo.

O acesso é difícil e o mais recomendado para chegar até lá é a contratação de um guia na cidade. Fica a 14 km da saída norte de Caiapônia, seguindo pela GO-221.

 

Mais sobre a cidade goiana de Caiapônia: capital das cachoeiras

Caiapônia é um município goiano localizado à 318 km de Goiânia. Sua população é de aproximadamente 16.513pessoas, e a área territorial é de 8.627,961 km². 

Antigamente habitada pelos índios Caiapós, nos fins do século XVIII quando foi devastada por grandes levas de mineiros, equipados com escravos e rebanhos bovinos e equinos.

Nessa época deu-se a fundação de vários povoados, entre eles a Vila do Divino Espírito Santo das Torres do Rio Bonito, por membros das famílias Vilela,Neri e Goulart.

Tem uma importante fonte de recursos na pecuária, sendo o município detentor do 3° maior rebanho bovino do Estado com 415.000 Cabeças. É atualmente o 7° produtor de Soja do Estado com mais de 100.000 hectares plantados, o 9° maior produtor de Milho Safrinha com aproximadamente 50.000 hecteres, alem de Feijão, Sorgo ,Algodão, Abacaxi, Melância e outras culturas agrícolas.

Atualmente é tido como o Municipio com o maior potêncial de crescimento Agrílola e Turistico do Estado de Goiás. Através das suas belezas naturais como o ‘Morro do Gigante Adormecido” e também as suas belas cachoeiras.
    

As cachoeiras mais conhecidas são: a Cachoeira de São Domingos, Cachoeira da Jalapa, Cachoeira da Samambaia, Cachoeira do Sereno, Cachoeira da Abóbora, Cachoeira do Rio Verdão, Cachoeira do Rio Bonito, Cachoeira da Santa Márcia, Cachoeira do Pântano, entre muitas outras. Além das várias cachoeiras, há também os morros, como o Morro do Gigante e Morro do Peão, e várias serras.

Na área urbana, a maior atração é o Lago dos Buritis, onde se realiza boa parte das festas da cidade, como o Carnaval do Zé Pereira, Festa de Maio (Barraquinhas), além de outras atrações. É um município centenário, chegando inclusive a ser linha de rota da Fundação Brasil Central. Seu patrimônio histórico entretanto, foi quase que totalmente destruído, não restando quase nada das antigas edificações do lugar.
    

Com uma cultura religiosa marcante, população de maioria Católica, que tem Nossa Senhora do Montserrat como padroeira da cidade, tendo inclusive uma imagem da mesma exposta na Igreja Matriz do Divino Espírito Santo. 

Em Caiapônia o povo é criativo na sua essência, cria formas diferentes de vida. Basta escolher esse destino turístico para o turista criar também ou ser parte de mais uma criação seja ela artística, de aventura ou de eco-turismo do fantástico destino Caiapônia.

 

Explore Caiapônia

Para embarcar nessa aventura, siga pela estrada a partir de Goiânia ou Brasília e prepare-se para descobrir os encantos de Caiapônia.

Recomendamos o auxílio de guias turísticos para garantir uma experiência inesquecível.

Não perca mais tempo; entregue-se à magia de Caiapônia, onde a simplicidade se encontra com a grandiosidade em um abraço acolhedor de natureza e aventura.

 

Leia Também

Divisa de Goiás e Tocantins guarda uma prainha pouco conhecida que parece um oásis no Cerrado

Você precisa conhecer essa praia paradisíaca que fica bem pertinho de Goiás

Menor rio da América Latina fica pertinho de Goiás e impressiona com águas azuis cristalinas

Conheça a cidade goiana que tem acesso a maior ilha fluvial do mundo

São Miguel do Araguaia, situada a 476 km de Goiânia, é uma cidade goiana do noroeste do estado. Ela surpreende com suas belas praias de água doce. Um dos atrativos é o seu acesso a maior ilha fluvial do mundo: a Ilha do Bananal.

 

Já conhece? Continue lendo e descubra tudo sobre o local. Tenho certeza que você vai querer conhecer!

 

Conheça a cidade goiana que tem acesso a maior ilha fluvial do mundo

Foto: Prefeitura de São Miguel do Araguaia

Enquanto muitos associam o estado apenas a paisagens serranas do Cerrado, essa cidade encanta com seu potencial turístico aquático.

 

Praias de Água Doce e Pôr do Sol Deslumbrante

Conheça a cidade goiana que tem acesso a maior ilha fluvial do mundo

Foto: Prefeitura de São Miguel do Araguaia

As praias de São Miguel do Araguaia oferecem não apenas refresco nos dias quentes, mas também cenários espetaculares para contemplar o pôr do sol.

Esses locais são populares entre os locais e visitantes, proporcionando momentos relaxantes e a oportunidade de se aventurar na pesca esportiva, uma tradição enraizada na comunidade.

 

Saiba mais sobre o acesso da cidade goiana à maior ilha fluvial do mundo

Conheça a cidade goiana que tem acesso a maior ilha fluvial do mundo

Foto: Prefeitura de São Miguel do Araguaia

São Miguel do Araguaia é a porta de entrada para a Ilha do Bananal, considerada a maior ilha fluvial do mundo, mesmo localizada no estado vizinho do Tocantins.

Embarcações partem desta cidade para explorar esse paraíso ecológico, habitado por grupos indígenas como Javaé, Karajá e Xambioá, totalizando cerca de 2 mil índios na região.

A Ilha do Bananal é um espetáculo de fauna e flora típicas do Centro-Oeste e Norte do Brasil, uma experiência imperdível para os amantes da natureza.

 

Praias do Araguaia: Um Refúgio Natural com Infraestrutura Confortável

Conheça a cidade goiana que tem acesso a maior ilha fluvial do mundo

Foto: Prefeitura de São Miguel do Araguaia

As praias do Araguaia não apenas convidam para um mergulho revigorante, mas também oferecem infraestrutura com quiosques e comodidades para garantir uma experiência confortável aos visitantes.

Desfrutar da beleza do Rio Araguaia e contemplar o entardecer em cenários deslumbrantes tornam essas praias uma parada obrigatória em qualquer roteiro turístico.

 

Explorando o Parque Estadual do Cantão

Conheça a cidade goiana que tem acesso a maior ilha fluvial do mundo

Parque Estadual do Cantão, no Tocantins. Foto: To Pensando em Viajar

Outra atração imperdível é o Parque Estadual do Cantão, uma vasta área com 90 mil hectares que abrange as cidades de Lagoa da Confusão e Pium.

Com mais de 1000 lagos, o parque oferece oportunidades para passeios de canoa ou caiaque, permitindo aos visitantes explorar a vegetação característica da região.

Considerado um santuário ecológico no Norte do Brasil, o Parque Estadual do Cantão é uma janela para a riqueza natural do cerrado.

 

 

 

São Miguel do Araguaia emerge como um destino turístico único em Goiás, combinando praias fluviais, acesso à Ilha do Bananal e a beleza preservada do Parque Estadual do Cantão.

Essa cidade surpreendente oferece uma escapada tranquila para aqueles que buscam explorar as maravilhas naturais do Brasil além das praias tradicionais.

Seja para relaxar nas águas do Araguaia ou explorar ecossistemas únicos, São Miguel do Araguaia revela-se como um tesouro escondido pronto para ser descoberto pelos amantes da natureza e da aventura.

 

Mais sobre São Miguel do Araguaia

A região teve sua primeira exploração em 1952 com a chegada dos colonizadores: José Pereira do Nascimento, Lozorik Belém e Ovídio Martins de Souza, que ali adquiriram uma extensa área de terras dedicando-se à lavoura e criação de gado.

Um dos fatores que despertou a formação do povoado foi o ‘curandeirismo’ implantado por um dos pioneiros, que atraiu numerosas pessoas vindas em busca de cura para seus males físicos e espirituais.

Construíram-se as primeiras casas de adobe e pau-a-pique, em lugar dos ranchos primitivos, nas margens do ribeirão São Miguel, denominando-se o povoado Nascente de São Miguel.

Tempos depois, o Governo Estadual determinou a medição e divisão das terras adjacentes ao povoado, que, em lotes iguais, foram adquiridos por fazendeiros do sul do estado de Minas Gerais.

O maior impulso ao município foi dado no período de 1960 a 1963, quando milhares de colonos, das mais distantes regiões do país, chegaram para desbravar as matas, formando extensas lavouras e pastagens, incrementando, sobretudo, a pecuária, suporte econômico do município.

O topônimo é em homenagem ao santo padroeiro e ao rio pelo qual é banhado.

Conheça a cidade goiana que tem mais imóveis que habitantes

Você acredita que Goiás tem uma cidade que tem mais imóveis que habitantes?

E não é a única do Brasil. Continue lendo para entender.

A cidade de Rio Quente, situada em Goiás, figura entre os 18 municípios brasileiros que surpreendem com um cenário peculiar: possuem mais domicílios do que habitantes.

Os dados, recém-divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no Censo Demográfico 2022, revelam que Rio Quente registra 3,9 mil habitantes e surpreendentes 4,1 mil domicílios.

Conheça a cidade goiana que tem mais imóveis que habitantes

Foto: Goiás Turismo

Ao explorarmos esses dados, fica evidente que essa situação não é exclusiva de Rio Quente.

O município de Arroio do Sal, localizado no litoral norte do Rio Grande do Sul, é um exemplo intrigante, apresentando 7.800 domicílios a mais do que o número de residentes, mesmo contando com uma população de cerca de 11,1 mil habitantes.

A maioria dos casos semelhantes ocorre em cidades turísticas, como Ilha Comprida (SP), Matinhos (PR), Ilha de Itamaracá (PE), Mangaratiba (RJ) e Saubara (BA).

No litoral norte do Rio Grande do Sul, sete das 18 cidades nessa situação estão concentradas, com destaque para Arroio do Sal, que apresenta uma relação de 1,7 residência por pessoa.

Conheça a cidade goiana que tem mais imóveis que habitantes

Foto: Prefeitura de Rio Quente

A região gaúcha se destaca com outros municípios que compartilham essa peculiaridade, como Xangri-Lá, Cidreira, Balneário Pinhal e Palmares do Sul, todos situados no litoral norte.

O ranking dos dez municípios com o maior número de domicílios por habitante inclui ainda cidades como Jaguaruna (SC), Pontal do Paraná (PR), Imbé (RS), Ilha Comprida (SP) e Saubara (BA), onde a relação se aproxima de 1,2 residência por pessoa.

Mangaratiba, no Rio de Janeiro, destaca-se por sua presença de condomínios luxuosos, incluindo a residência do jogador Neymar.

A cidade, com 41.220 habitantes, atrai visitantes da zona oeste do Rio e da Baixada Fluminense, especialmente nos fins de semana, que buscam desfrutar do Poção de Muriqui, um curso d’água que começa no encontro de três cachoeiras e deságua na praia de Muriqui.

Já Matinhos, no litoral do Paraná, investiu expressivos R$ 314,9 milhões para alargar sua orla com 3,2 milhões de metros cúbicos de areia, equivalente a 220 mil caminhões.

Essa iniciativa faz parte de uma tendência observada em diversas cidades litorâneas do país, que buscam no alargamento de suas praias uma estratégia para impulsionar o turismo e combater problemas de erosão costeira.

Conheça a cidade goiana que tem mais imóveis que habitantes

Foto: Hoteis.com

Na Baía de Todos os Santos, Vera Cruz (BA) destaca-se como um destino conhecido pela praia da Conceição, famosa por sua boa estrutura e tranquilidade.

Essa cidade, que se desmembrou de Itaparica há seis décadas, atrai uma considerável quantidade de visitantes em busca de um refúgio litorâneo.

Esses casos, apesar de peculiares, evidenciam a complexidade demográfica e turística de diversas localidades brasileiras, onde a relação entre número de habitantes e domicílios ganha contornos interessantes e desafia as expectativas.

 

Mais sobre Rio Quente, a cidade goiana que tem mais imóveis que habitantes

Em 1722, no auge do colonialismo, Bartolomeu Bueno Filho descobriu, por acaso, uma importante riqueza natural: as águas quentes de Goiás. Durante suas andanças pelas serras do estado, o bandeirante se deparou com fontes borbulhantes, no leito rochoso do rio quente. Um tesouro, até então escondido, que brotava em abundância, compondo um belíssimo ecossistema.

Um verdadeiro paraíso, que tempos depois, transformou-se em um dos destinos turísticos mais procurados do país, famoso em toda parte.

Abriga o maior rio de águas termais do mundo (extensão de 12 kilometros), e principalmente pela fundação da Pousada do Rio Quente na década de 60 pela família Palmerston, que hoje bem estruturado transformou-se no Rio Quente Resorts.

Emancipada em 1988, a cidade de Rio Quente, atrai, todos os anos, milhares de turistas todos os anos, por conta de seus atrativos únicos.

O município de atrativos naturais únicos, oferece aos visitantes uma experiência rica e inesquecível, que envolve o contato direto com a natureza, em um clima interiorano, aconchegante e agradável.

O Processo geotérmico é responsável pelo aquecimento das águas, porque a Serra de Caldas possui fissuras, que ao serem penetradas pelas águas das chuvas, e essas águas descem até o subsolo e ao alcançar o lençol freático, chegam com temperatura altíssima, daí sobem com pressão adquirem temperatura quente média de 38 Cº.

 

Turismo

Com suas águas quentes e cristalinas, o Rio Quente é o destino perfeito para quem busca relaxar e se conectar com a natureza. Aqui, você poderá desfrutar de piscinas naturais de água quente, passeios de barco pelo rio e caminhadas em meio a paisagens exuberantes.

Além disso, o Rio Quente oferece uma ampla variedade de atividades para toda a família.

As crianças vão adorar o parque aquático Hot Park, com seus toboáguas e piscinas de ondas. Os adultos podem desfrutar de uma massagem relaxante no SPA ou jogar uma partida de golfe no campo de 18 buracos.

Para os amantes da aventura, o Rio Quente oferece opções emocionantes como trilhas de bicicleta, tirolesa e rapel. E para quem gosta de aprender, há várias opções de turismo ecológico, incluindo visitas a reservas naturais e observação de aves.

O Rio Quente tem uma gastronômica variada, com restaurantes que servem desde pratos típicos da região até opções internacionais. Além disso, há bares e casas noturnas para todos os gostos, desde ambientes mais tranquilos até festas animadas.

 

Gostou? Agora é só arrumar as malas e ir conhecer ou visitar novamente esse local incrível do nosso estado.

 

Leia Também

O que fazer em Rio Quente em 48 horas

Conheça uma cidade goiana com atrativos turísticos intocados e um dos climas mais agradáveis de Goiás

Emancipado em 14 de novembro de 1958, este cidade goiana de 828,874 km² surge como um tesouro a ser explorado em Goiás.

Com uma população que alcançou 4.457 habitantes em 2022, a cidade destaca-se tradicionalmente por sua economia pautada na pecuária e agricultura. Mas hoje atrai amantes do ecoturismo e daqueles que gostam de lugares ainda pouco conhecidos, além de ter um dos melhores climas de Goiás!

Cidade goiana tem um dos melhores climas de Goiás

Foto: Prefeitura de Divinópolis de Goiás

Localizada a 651 km de Goiânia, Divinópolis de Goiás reserva aos visitantes uma experiência única.

O ecoturismo é a joia da coroa, oferecendo um Cerrado preservado, rios sinuosos, cachoeiras imponentes e cavernas misteriosas.

Este é um convite para aventureiros e amantes da natureza, com oportunidades para rapel, escaladas, trilhas deslumbrantes e mergulhos em águas cristalinas.

O município está apenas começando a desbravar suas riquezas naturais, tornando tudo intocado e primorosamente preservado.

Cidade goiana tem um dos melhores climas de Goiás

Foto: Goiás Turismo

Sua proximidade com o município de São Domingos e o Parque Estadual de Terra Ronca fazem de Divinópolis de Goiás um destino imperdível em 2024!

 

Conheça mais sobre essa cidade goiana com atrativos turísticos intocados e um dos climas mais agradáveis de Goiás

 

Natureza Preservada

A cidade pertence à Região das Águas e Cavernas do Cerrado é a que agrega o maior número de municípios. São 11 destinos com vocação para o Ecoturismo – com Cerrado preservado, rios, cachoeiras e cavernas – uma tendência mundial no cenário pós pandemia.

Cidade goiana tem um dos melhores climas de Goiás

Foto: Prefeitura de Divinópolis de Goiás

Divinópolis é um espetáculo para os sentidos, com rios Paranaíba, São Marcos e São Bento a banhar suas terras. A cidade, elevada a 800 metros acima do nível do mar, proporciona um dos climas mais agradáveis de Goiás.

Essa altitude privilegiada resulta em temperaturas amenas e uma atmosfera revigorante, tornando-a um refúgio ideal para quem busca escapar do calor intenso das planícies.

 

Cultura e História

Além de sua exuberante natureza, Divinópolis de Goiás é um tesouro cultural e histórico. Destaca-se como um polo de turismo religioso na região, celebrando festividades marcantes.

As festas de Nossa Senhora Aparecida e Nossa Senhora do Rosário, realizadas em junho, bem como o aniversário da cidade em 14 de novembro, são eventos populares que cativam moradores e visitantes.

 

Turismo Religioso

As festas religiosas são momentos especiais, permeados por devoção e tradição. Divinópolis de Goiás se enche de cor e fé durante as celebrações, atraindo peregrinos e turistas em busca de vivenciar essas experiências únicas.

O município respira espiritualidade, proporcionando um mergulho na cultura local.

 

Hospedagem Aconchegante

Para quem busca uma estadia tranquila e um contato próximo com a natureza, a região oferece diversas opções de hospedagem.

Pousadas e hotéis fazenda acolhedores são o complemento perfeito para dias de exploração e noites serenas.

Nestes refúgios, os hóspedes podem desfrutar de momentos de relaxamento e bem-estar, imersos na beleza natural que caracteriza Divinópolis de Goiás.

 

Divinópolis de Goiás emerge como um destino turístico promissor, destacando-se não apenas por sua natureza intocada e clima agradável, mas também pela riqueza de sua cultura e história.

À medida que mais viajantes descobrem os encantos dessa cidade goiana, é possível que Divinópolis de Goiás se estabeleça como uma pérola no mapa do turismo brasileiro, oferecendo uma experiência autêntica e memorável a todos que a visitam.

 

São Domingos – conheça a cidade vizinha

Cidade goiana tem um dos melhores climas de Goiás

Foto: Goiás Turismo

São Domingos, a cerca de 18 km de Divinópolis, oferece diversas opções de atividades ao ar livre, como trilhas ecológicas, escaladas em rochas, banhos em águas termais e passeios de barco. O município também é conhecido por suas belezas naturais, com atrativos como cachoeiras e grutas que atraem turistas.

Algumas atrações turísticas da região, dentre elas: Cachoeira Rio São Bernardo, Caverna da Angélica, Gruta Terra Ronca, Caverna São Mateus II, Lago São Domingos, Morro do Moleque e a Caverna Vasconcelos, entre outros.

Cidade goiana tem um dos melhores climas de Goiás

Foto: Goiás Turismo

Outra atração imperdível é a Festa do Divino Espírito Santo, que acontece todos os anos em São Domingos. A festa é uma das mais tradicionais da região e atrai milhares de turistas de todo o país, com suas procissões, missas, danças folclóricas e comidas típicas.

Quais são as melhores cidades para viver em Goiás em 2024

De acordo com a mais recente edição do Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), saiu o ranking das melhores cidades para viver em Goiás.

As cidades são: Chapadão do Céu, Itumbiara, Ceres, Quirinópolis, Caldas Novas, Corumbaíba, Cristalina, Edéia, Nova América, Ouvidor, Goiânia, Rio Verde, Anápolis, Cachoeira Dourada e Gouvelândia conquistaram as posições cobiçadas no ranking.

Goiás, fundado em 1722, ergue-se na Região Centro-Oeste do Brasil, com uma população de aproximadamente 7 milhões de habitantes distribuídos em seus 246 municípios. O estado, com vastos 340 mil km², ostenta um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 0,73.

A economia goiana se destaca na pecuária e agricultura, impulsionada por um mercado robusto na produção de carne e grãos. Goiás também se firma como um destino turístico consolidado, abrigando cidades históricas e preciosidades naturais, como a Chapada dos Veadeiros em Alto Paraíso de Goiás.

A capital, Goiânia, considerada a mais verde do país, é um case de sucesso, com parques que são verdadeiras “praias” para os goianos.

 

Ranking das melhores cidades para viver em Goiás em 2024

 

1. Chapadão do Céu

Quais são as melhores cidades para viver em Goiás em 2024

Foto: Goiás Turismo

Localizada ao sul de Goiás, Chapadão do Céu, com seus 12.870 habitantes, se destaca por abrigar o Parque Nacional das Emas.

A cidade conquistou o primeiro lugar no IFDM, com pontuações notáveis de 0,7174 em emprego & renda, 0,9864 em educação e 0,8510 em saúde, alcançando um IFDM geral de 0,8516.

Com forte presença de imigrantes da região do sul do país, pessoas se reunem para prosear, fazer rodas de tereré ou de chimarrão. Muitas festas acontecem na cidade ou em regiões próximas, levando muitos turistas que também frequentam o Parque Nacional das Emas, já que a cidade é a porta de entrada para a unidade de conservação.

Há várias opções de atrativos para os visitantes (e moradores) conhecerem melhor a cidade, visitarem os pontos turísticos históricos e curtirem um ecoturismo com parque aquático, o Parque Nacional das Emas e várias outras riquezas da natureza, como a Paróquia Nossa Senhora Rainha do Céu, um dos principais cartões postais da cidade, cheia de cores fortes e arquitetura exuberante.

A Cachoeira do Prata, os Saltos do Rio Sucuriú e o Parque Aquáticos]ao outros atrativos maravilhosos.

O Parque Nacional das Emas, com uma riquíssima variedade de flores, plantas, animais, e centenas de pássaros, além de paisagens belíssimas, e a Bioluminescência que ocorre no parque nos meses de outubro e novembro, encantam visitantes.

 

2. Itumbiara

Quais são as melhores cidades para viver em Goiás em 2024

Foto: Goiás turismo

Terceira cidade mais populosa do estado, Itumbiara, com mais de 106 mil habitantes, é reconhecida como a mais segura de Goiás.

A proximidade com Minas Gerais e São Paulo a torna um polo exportador significativo. Seus índices são igualmente impressionantes, com média geral de 0,8514.

Situada na região sul do estado, a cidade é conhecida por sua beleza natural, riqueza histórica e cultural, além de sua hospitalidade.

Um dos principais atrativos da cidade é o Lago da Represa de Itumbiara, que é um importante reservatório de água do estado de Goiás e é um verdadeiro paraíso para os amantes da natureza. 

Com suas águas cristalinas e paisagens deslumbrantes, o lago oferece uma série de atividades para os visitantes, incluindo passeios de barco, pesca esportiva e atividades náuticas.

 

3. Ceres

Quais são as melhores cidades para viver em Goiás em 2024

Foto: Prefeitura de Ceres

Ceres, na Mesorregião do Centro Goiano, com cerca de 22 mil habitantes, evidencia uma economia voltada para a agropecuária. Com 70 anos de história, destaca-se no IFDM com uma nota geral de 0,8478, ressaltando a qualidade de vida e organização da cidade.

 

4. Quirinópolis

Quais são as melhores cidades para viver em Goiás em 2024

Foto: Goiás turismo

Quirinópolis, no sul do estado, ostenta mais de 51 mil habitantes e conquista a quarta posição no ranking.

Com índices de 0,6936 em emprego e renda, 0,9180 em educação e 0,9043 em saúde, a cidade se firma como uma das mais prósperas de Goiás, com um IFDM de 0,8387.

Se você está procurando um lugar para escapar da inspiração da cidade grande, Quirinópolis é o destino perfeito. Com uma população acolhedora e paisagens deslumbrantes, esta cidade é um verdadeiro tesouro do interior.

Quirinópolis é cercada por uma bela paisagem natural, com montanhas, rios e cachoeiras que oferecem aventuras incríveis para os visitantes. A cidade é o lar do Parque Ecológico e da Reserva Biológica, onde você pode caminhar pelas trilhas, observar a fauna e a flora local.

 

5. Caldas Novas

Quais são as melhores cidades para viver em Goiás em 2024

Foto: Goiás turismo

Conhecida como a maior estância hidrotermal do mundo, Caldas Novas, com seus 95 mil habitantes, destaca-se no turismo.

Seus moradores desfrutam de uma qualidade de vida invejável, com pontuações de 0,7918 em emprego e renda, 0,8511 em educação e 0,8601 em saúde, resultando em uma média geral de 0,8343.

Na alta temporada, a cidade chega a comportar mais de 500 mil turistas. Com uma boa infraestrutura, a cidade conta com hotéis, pousadas, chalés, clubes, boates e bares. a população local é de cerca de 98.622 pessoas, e a área territorial de aproximadamente 1.608,523 km².

A cidade conta com o aeroporto Nelson Ribeiro Guimarães, que possui voos comerciais regulares das empresas Azul e Gol, e é o segundo maior terminal de passageiros e carga de Goiás, atras apenas do Aeroporto Santa Genoveva.

Nos hotéis e clubes há centenas de piscinas com águas termais, que atraem turistas de todo o país. Os parques aquáticos tem estrutura completa para toda família e todas as idades. Toboágua tipo radical e para crianças, rio lento, atrações com bóias, piscinas termais, de ondas, ôfuro, bar molhado, sauna, recreação com monitores e shows musicais. DiRoma Thermas, Clube Privé, CTC, Náutico Praia Clube, Lagoa Termas e outros.

Além das águas termais, há o Parque Estadual da Serra de Caldas Novas, que apresenta ao turista várias fontes que se transformam em riachos em meio a uma vegetação exuberante. Foi criado com o objetivo de proteger a área de captação da chuva que abastece o lençol termal.

 

6. Corumbaíba

Quais são as melhores cidades para viver em Goiás em 2024

Foto: Prefeitura de Corumbaíba

Com uma população de aproximadamente 10 mil habitantes, Corumbaíba, a 30 km de Caldas Novas, é um polo na agroindústria, especialmente na pecuária leiteira. Seu IFDM de 0,8271 reflete uma cidade organizada, arborizada e com destaque na pesquisa do FIRJAN.

 

7. Cristalina

Quais são as melhores cidades para viver em Goiás em 2024

Foto: Goiás turismo

Cristalina, a “cidade dos cristais”, com 60 mil habitantes, é um destaque na região leste de Goiás.

Com pontos turísticos incríveis, a cidade conquistou uma média de 0,8257 no IFDM, com índices de 0,8537 em emprego e renda, 0,7595 em educação e 0,8638 em saúde.

O município é privilegiado, no que diz respeito à hidrografia, apresentando 256 rios, riachos, ribeirões, veredas e nascentes. Todos os ribeirões e córregos nascem na cidade e correm para a periferia do município. Esse potencial hídrico é fundamental ao desenvolvimento da agricultura irrigada, segmento que tem contribuído decisivamente para o impulso econômico do município.

Cristalina tem um grande potencial turístico, atrai milhares de visitantes devido as suas pedras preciosas e seu artesanato mineral, o município é um centro de intensa comercialização e lapidação de pedras preciosas e semi-preciosas.

Muitos místicos visitam o município por considerá-la o ponto de equilíbrio do mundo pelo magnetismo de seu solo.

Além do encanto dos cristais, Cristalina conta com muitos outros atrativos, tais como turismo ecológico, garimpos seculares e belíssimas joias feitas a partir de cristais, e a possibilidade de o visitante extrair o cristal bruto no solo das jazidas de cristais.

 

8. Edéia

Quais são as melhores cidades para viver em Goiás em 2024

Foto: Prefeitura de Edeia

Edéia, a 120 km de Goiânia, com cerca de 13 mil habitantes, se destaca na agropecuária, com cultivo de soja e cana-de-açúcar, produção leiteira e criação de bovinos.

Seu desempenho notável no IFDM, com uma média de 0,8229, a coloca como a oitava melhor cidade para viver em Goiás.

 

9. Nova América

Quais são as melhores cidades para viver em Goiás em 2024

Foto: Prefeitura de nova América

No nordeste de Goiás, Nova América, com seus 2.259 habitantes, revela uma economia baseada na agricultura, pecuária e serviços públicos.

Seu IFDM de 0,8204 destaca a qualidade de vida da pequena cidade.

 

10. Ouvidor

Quais são as melhores cidades para viver em Goiás em 2024

Foto: Prefeitura de Ouvidor

Ouvidor, com cerca de 6.340 habitantes, conquistou sua posição entre as melhores cidades de Goiás.

Seus índices, como 0,9447 em educação, contribuíram para sua média de 0,8174 no IFDM.

 

11. Goiânia

Quais são as melhores cidades para viver em Goiás em 2024

Foto: Goiás turismo

Goiânia, a capital verde do país, com 1.5 milhão de habitantes, surpreende ao conquistar a 11ª posição no ranking.

Seu mercado imobiliário aquecido oferece diversas opções, refletindo uma média de 0,8170 no IFDM, com destaque para os índices de 0,6885 em emprego e renda, 0,8683 em educação e 0,8943 em saúde.

Capital do Estado de Goiás, Goiânia foi planejada e construída para ser a capital política e administrativa de Goiás sob influência da Marcha para o Oeste, política desenvolvida pelo governo Vargas para acelerar o desenvolvimento e incentivar a ocupação do Centro-Oeste brasileiro.

Desde seu início, a sua arquitetura teve influência do art déco, que definiu a fisionomia dos primeiros prédios da cidade. É a segunda cidade mais populosa do Centro-Oeste, sendo superada apenas por Brasília. É um importante polo econômico da região, considerada um centro estratégico para áreas como indústria, medicina, moda e agricultura.

A cidade também é conhecida como a capital mais verde do Brasil.

 

12. Rio Verde

Quais são as melhores cidades para viver em Goiás em 2024

Foto: Goiás turismo

Rio Verde, a quarta cidade mais populosa de Goiás, com aproximadamente 247 mil habitantes, tem o agronegócio consolidado.

Seu PIB agrícola é o maior do estado e o terceiro maior do Brasil. No IFDM, a cidade alcançou uma média de 0,8029.

Os amantes da natureza encontrarão em Rio Verde uma diversidade de atividades, desde trilhas em meio à exuberante vegetação do Cerrado até a prática de esportes aquáticos no Rio Verde. Para quem busca por aventura, a região conta com diversas opções de passeios de quadriciclo, bike, e muitas outras atividades.

Já os apaixonados por história e cultura poderão visitar o Museu Histórico de Rio Verde, que abriga peças e documentos que contam a história da cidade e da região. Além disso, Rio Verde é conhecido por suas festas tradicionais, como a Expo Rio Verde, que acontece ocasionalmente e atrai milhares de pessoas.

A gastronomia também é um ponto forte em Rio Verde, com uma culinária típica do Cerrado que encanta os visitantes. A cidade oferece ainda uma ampla rede hoteleira, com opções para todos os gostos e bolsos.

 

13. Anápolis

Quais são as melhores cidades para viver em Goiás em 2024

Foto: Goiás turismo

Com uma população de 391 mil habitantes, Anápolis, a apenas 50 km da capital, se destaca como um grande polo industrial.

Seus índices no IFDM, como 0,7162 em emprego e renda, 0,8255 em educação e 0,8625 em saúde, resultam em uma média de 0,8014.

Anápolis é uma cidade conhecida por sua rica história, cultura vibrante e belas paisagens naturais, além de ser um importante centro comercial e industrial da região, e um dos principais destinos para o turismo de negócios em Goiás. 

Seus principais atrativos são o Parque Ambiental Ipiranga, a Catedral Bom Jesus da Lapa, a praça Americano do Brasil, o Museu Histórico Aldérico Borges de Carvalho, o ginásio Internacional Newton de Faria, o morro do Capuava, a base áerea de Anápolis, entre outros. 

 

14. Cachoeira Dourada

Quais são as melhores cidades para viver em Goiás em 2024

Foto: Goiás turismo

Cachoeira Dourada, com seus 8.031 habitantes, é uma cidade que mescla agronegócio, turismo e hidroelétrica.

Seu desempenho no IFDM, com uma média de 0,7963, a coloca como a 14ª melhor cidade para viver em Goiás.

O município ficou conhecido a partir da década de 1970 por ser descoberto em sua estrutura geológica veios de água quente e com índice elevado de salinidade, sendo seu diferencial. Mais uma vez, conforme relatos de moradores, a descoberta do recurso hídrico se deu por acaso.

Na tentativa da construção de um poço artesiano para o abastecimento do posto de gasolina local, o comerciante (Mario Gomes) e os operários da obra teriam se surpreendido com o jato de água quente e salobra, depois de dificuldades em romper a camada rochosa presente no caminho da broca empregada.

Percebendo o potencial, Mario Gomes investiu na construção de piscinas aquecidas e uma galeria comercial próximas ao local da perfuração. Dando início ao desenvolvimento turístico da comunidade.

Além das águas termais, Cachoeira Dourada também é banhada pelo lago no rio Paranaíba com uma extensão de 65 km formado pela barragem da usina hidrelétrica.

Aos fins de semana e feriados, a cidade se enche de turistas que vêm em busca da tranquilidade e do clima hospitaleiro da cidade, e também da diversão no lago e nos clubes da cidade.

O turismo em Cachoeira Dourada é uma ótima opção para quem busca um destino para relaxar e aproveitar a natureza. A cidade oferece diversas atrações para todos os gostos.

 

15. Gouvelândia

Quais são as melhores cidades para viver em Goiás em 2024

Foto: Prefeitura de Gouvelândia

Gouvelândia, com cerca de 6 mil habitantes, fecha a lista das 15 melhores cidades de Goiás para viver em 2024.

Seus índices, como 0,8323 em educação e 0,9187 em saúde, contribuíram para seu IFDM de 0,7953.

 

 

A escolha da melhor cidade para morar em Goiás é uma decisão pessoal que leva em conta diversos fatores.

O Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal fornece uma visão abrangente, destacando Chapadão do Céu como líder, mas cada cidade da lista oferece seus encantos, economia diversificada e qualidade de vida, contribuindo para o crescimento e prosperidade contínua do estado de Goiás.

Se você está pensando em mudar para Goiás, esta lista é um excelente ponto de partida para encontrar a cidade que mais se alinha com suas preferências e estilo de vida.

 

Leia também

As 30 melhores cidades para se viver em Goiás

Conheça Caxias, cidade histórica do Nordeste que se tornou querida por turistas goianos

Caxias, apelidada de Terra das Águas Cristalinas e Cidade Portadora de Futuro, emerge como um polo turístico em ascensão. Pelo turismo barato e pela proximidade com outras cidades turísticas, ela tem se tornado muito pesquisada e frequentada por turistas goianos. Então continue lendo para saber tudo sobre Caxias!

Às margens do Rio Itapecuru, a apenas 70 km de Teresina e 370 km de São Luís, a cidade preserva sua arquitetura do século XIX, oferecendo aos visitantes um mergulho na história do Brasil. Quem vai a Teresina, certamente pode passar um dia explorando as belezas de Caxias.

Conhecida também pelo Memorial da Balaiada, a cidade é um convite para explorar águas, patrimônios e manifestações culturais únicas.

 

Conheça Caxias, cidade histórica do Maranhão e querida por turistas goianos:

 

  1. Memorial da Balaiada
    Conheça Caxias, cidade histórica no Nordeste que se tornou querida pelos goianos

    Foto: Prefeitura de Caxias

    No topo do Morro do Alegrim, o Memorial da Balaiada resgata a história do movimento popular de 1839, um capítulo emblemático na construção do Maranhão e do país.

    O acervo exibe detalhes impressionantes, desde documentos da época até relatos emocionantes dos envolvidos, proporcionando uma imersão única na história do Brasil.

  2. Balneário Veneza
    Conheça Caxias, cidade histórica no Nordeste que se tornou querida pelos goianos

    Foto: Prefeitura de Caxias

    Para escapar do calor, o Balneário Veneza, às margens da MA-034, oferece um oásis artificial, onde o Rio Itapecuru se torna uma atração refrescante aos fins de semana.

    Com a ampliação das instalações, agora também abriga atividades aquáticas como caiaque e stand-up paddle, proporcionando opções de lazer para todas as idades.

  3. Praça Vespasiano Ramos
    Conheça Caxias, cidade histórica no Nordeste que se tornou querida pelos goianos

    Foto: Prefeitura de Caxias

    A tranquila Praça Vespasiano Ramos, arborizada e encantadora, abriga a Igreja de São Benedito, proporcionando um cenário que mescla natureza e arquitetura histórica.

    À noite, a praça ganha vida com a feira de artesanato local, onde os visitantes podem adquirir lembranças únicas e apreciar a cultura caxiense.

  4. Catedral
    Conheça Caxias, cidade histórica no Nordeste que se tornou querida pelos goianos

    Foto: Prefeitura de Caxias

    Erguida em homenagem a Nossa Senhora dos Remédios, a Catedral, no Morro de Tabocas, exibe uma rica história e uma arquitetura marcante, fruto de reformas conduzidas por João Nunes Campos.

    Além de seu valor histórico, a Catedral é palco de eventos culturais, como apresentações de corais e exposições de arte regional, conectando o passado ao presente de Caxias.

  5. Shopping Caxias
    Conheça Caxias, cidade histórica no Nordeste que se tornou querida pelos goianos

    Foto: Divulgação

    Para os amantes de compras e entretenimento, o Caxias Shopping Center oferece mais de 100 lojas e opções de lazer na BR-316.

    Recentemente, o shopping incorporou uma área dedicada à gastronomia local, proporcionando aos visitantes uma experiência completa de compras, entretenimento e culinária regional.

 

Com uma rica oferta de pontos turísticos, Caxias também se destaca como uma das cidades mais arborizadas do Maranhão, onde vestígios da arquitetura portuguesa se misturam à exuberante vegetação.

A preservação das áreas verdes é uma prioridade da gestão municipal, tornando Caxias um destino atraente para os amantes da natureza e da história.

História e Cultura: Caxias é um município do Maranhão, considerado a quinta cidade mais populosa do estado, com uma população de 164.880 habitantes.

A cidade desempenha um papel crucial como centro econômico e cultural da região, destacando-se por sua arquitetura que remonta ao século XIX.

O Palácio do Comendador Alderico Silva, o Palácio Episcopal de Caxias e o próprio Memorial da Balaiada são alguns dos mais belos monumentos arquitetônicos que testemunham a rica história da cidade.

A Academia Caxiense de Letras, também conhecida como “A casa de Coelho Neto,” é um dos pontos turísticos principais da cidade. Seu acervo de mais de 4 mil livros, incluindo uma coleção de 16 obras raras do escritor caxiense Coelho Neto, oferece aos visitantes uma oportunidade única de explorar a literatura local.

Anualmente, a academia realiza a Expoarte, uma exposição de arte que celebra as manifestações culturais da cidade, tornando-se um evento imperdível para os entusiastas das artes.

Belezas Naturais: A localização geográfica de Caxias, banhada pelos rios Itapecuru e Parnaíba, contribui para a formação de um lençol freático riquíssimo, além de proporcionar uma vegetação intensa e chuvas bem distribuídas ao longo do ano.

Esses fatores favorecem não apenas o turismo, mas também setores como indústria e agronegócio, impulsionando o desenvolvimento sustentável da região.

 

Caxias, com suas águas cristalinas, patrimônio histórico preservado e rica vida cultural, se destaca como um destino versátil e envolvente no Nordeste. Seus monumentos, praças e centros de entretenimento proporcionam aos visitantes uma experiência completa, onde a história se entrelaça com a beleza natural.

A cidade, apreciada pelos goianos, revela-se como uma joia turística que vale a pena ser explorada, oferecendo um convite irresistível para descobertas memoráveis em cada canto.