Saga épica de ficção científica que marcou o século XXI ganhou impulso após trilogia

Você já imaginou como seria explorar o espaço, conhecer novos mundos e viver aventuras incríveis? A série de ficção científica Star Trek faz exatamente isso e, em 2009, ganhou um novo impulso com uma trilogia de filmes que conquistou tanto fãs antigos quanto novos espectadores. Vamos falar sobre como essa trilogia conseguiu trazer de volta o brilho de uma das mais famosas sagas épicas, com muita ação, personagens marcantes e histórias empolgantes.

O renascimento de Star Trek

Depois de um período difícil com o fracasso do filme “Nêmesis”, a série de ficção científica Star Trek precisava de um novo começo. Foi aí que o diretor J.J. Abrams entrou em cena, trazendo uma nova visão para a saga. Com Chris Pine no papel do capitão Kirk e Zachary Quinto como Spock, o filme de 2009 deu um novo fôlego à Enterprise e sua tripulação.

Esse primeiro filme da nova trilogia tinha tudo para agradar: efeitos visuais de tirar o fôlego, uma história envolvente e um elenco que conquistou o público. Além disso, conseguiu apresentar Star Trek para uma nova geração, tornando-se um sucesso de bilheteria e de crítica. Era um filme de ficção científica perfeito para assistir várias vezes, sempre com a mesma emoção.

A sequência empolgante

Quatro anos depois, veio a sequência “Star Trek: Além da Escuridão”, com a adição de Benedict Cumberbatch como o vilão. Embora não tão polido quanto o primeiro, este filme manteve o nível de diversão e aventura que os fãs esperavam. A trama continuava a explorar novos desafios e perigos para a tripulação da Enterprise, garantindo muitas cenas emocionantes e momentos memoráveis.

O filme de ficção científica mostrou que a nova trilogia tinha fôlego para continuar e que o universo de Star Trek ainda tinha muitas histórias para contar. Mesmo com algumas críticas, “Além da Escuridão” foi bem recebido e ajudou a manter a chama da série acesa.

Onde assistir

Se você ficou curioso para ver esses filmes, eles estão disponíveis para streaming no Prime Video e no Paramount+. Com uma assinatura premium, você pode assistir a toda a trilogia e se divertir com as incríveis aventuras da tripulação da Enterprise.

Essa trilogia de Star Trek conseguiu reviver uma das sagas mais queridas da ficção científica, trazendo novas histórias e personagens para o público. Com muita ação, aventura e emoção, é uma série de filmes que vale a pena assistir várias vezes.

A terceira aventura

Quando J.J. Abrams deixou a saga para dirigir “Star Wars: O Despertar da Força”, o comando da franquia foi passado para Justin Lin, conhecido por seu trabalho na série “Velozes & Furiosos”. Ele trouxe uma nova energia para o terceiro filme, “Star Trek: Sem Fronteiras”. Esse filme era um pouco mais rápido e cheio de ação, mas manteve o padrão de qualidade dos anteriores.

“Sem Fronteiras” mostrou que mesmo com mudanças na direção, a nova trilogia de Star Trek continuava a ser emocionante e divertida. A tripulação da Enterprise enfrentava novos desafios e aventuras, mantendo o espírito de exploração e amizade que sempre foi a marca da série. Então, se você está procurando algo para maratonar, Star Trek é uma excelente escolha.

Confira também:

Esta série disponível na Netflix é obrigatória para os amantes de Jurassic World

Descubra qual é a minissérie da Netflix que dividiu opiniões

Conheça a franquia da Netflix que foi vista por 130 milhões de pessoas no mundo

Famosa saga de ficção científica lança novo filme após 7 anos

Depois de sete anos de espera, uma das sagas mais famosas de ficção científica está de volta às telas dos cinemas. “Alien: Romulus” promete trazer de volta a essência que tornou a série tão especial. Este novo filme, dirigido por Fede Álvarez e estrelado por Cailee Spaeny, estreia em 16 de agosto e promete ser uma aventura incrível para os fãs antigos e novos.

O retorno às raízes

A série “Alien” é uma das mais conhecidas do cinema de ficção científica, com filmes que marcaram época, como “Alien, o 8º Passageiro” (1979) e “Aliens, O Resgate” (1986). Os filmes mais recentes da franquia não agradaram tanto quanto os primeiros, mas “Alien: Romulus” promete mudar isso. O diretor Fede Álvarez está determinado a trazer de volta o estilo e a atmosfera que fizeram os primeiros filmes serem tão adorados. O trailer já mostra cenas que lembram os momentos mais tensos e emocionantes dos filmes clássicos, o que deixa os fãs muito animados.

Uma história de família

Diferente dos filmes anteriores, “Alien: Romulus” foca em uma história familiar. Os personagens principais são parentes, o que adiciona mais emoção e complexidade à trama. O título do filme, “Romulus”, faz referência aos irmãos Rômulo e Remo, lendários fundadores de Roma. No filme, os protagonistas são uma família que tem um passado ligado ao trabalho na mesma nave espacial. Cailee Spaeny interpreta Rain, que tem um irmão que é um robô. Essa relação traz desafios únicos para a personagem, mostrando um lado mais humano e emocional da história.

O terror dos xenomorfos

Nenhum filme da série “Alien” estaria completo sem os terríveis Xenomorfos, e “Alien: Romulus” não é exceção. Esses monstros continuam sendo a grande ameaça, trazendo momentos de puro terror para os personagens e para o público. Cailee Spaeny compartilhou uma experiência intensa durante as filmagens, onde teve que enfrentar um Xenomorfo em uma cena que pareceu durar uma eternidade. Esse tipo de cena promete muito suspense e adrenalina, mantendo a tradição dos filmes anteriores.

“Alien: Romulus” não é apenas mais um filme de ficção científica, é um retorno às origens de uma das franquias mais importantes do gênero. Com uma história que vai prender a atenção dos espectadores do começo ao fim, este novo capítulo promete agradar tanto os fãs de longa data quanto os novatos. Prepare-se para muita emoção e sustos quando o filme chegar aos cinemas em 16 de agosto.

Confira também:

Filme de terror da Netflix tem 1h25 e nenhum diálogo

Descubra qual é a minissérie da Netflix que dividiu opiniões

Esse filme da Netflix conta uma das mais belas histórias do cinema

Novo filme da Netflix mostra como seria a revolução tecnológica em um Brasil Cyberpunk

A Netflix estreou recentemente “Biônicos”, um filme brasileiro de ficção científica e ação dirigido por Afonso Poyart, que vem ganhando destaque por sua abordagem inovadora em um cenário nacional carente de produções do gênero. Ambientado em um futuro distópico em 2035, o longa explora a ascensão da tecnologia biônica no esporte, focando na complexa dinâmica entre duas irmãs, Maria e Gabi, cujas vidas são transformadas pela revolução das próteses.

O filme mergulha os espectadores em um mundo onde a tecnologia biônica redefine o esporte, tornando os jogos tradicionais obsoletos. Maria (Jessica Córes), uma atleta dedicada, luta para manter sua relevância em um mundo que cada vez mais valoriza as próteses biônicas, enquanto sua irmã Gabi (Gabz), que teve a perna amputada na infância, se destaca como uma atleta biônica. A rivalidade fraterna e os desafios éticos do uso de próteses biônicas criam um enredo emocionante e repleto de dilemas morais.

Afonso Poyart, conhecido por seu trabalho visualmente impressionante em “2 Coelhos” e “Mais Forte que o Mundo – A História de José Aldo”, traz sua assinatura estilística para “Biônicos”. A direção de Poyart é um dos pontos altos do filme, com uma São Paulo futurista que evoca uma estética cyberpunk vibrante e envolvente. As cenas de ação são bem coreografadas, e os efeitos especiais, embora não inovadores, são integrados de maneira eficiente ao ambiente, contribuindo para uma experiência visualmente rica.

Jessica Córes se destaca com uma atuação intensa e emotiva, capturando a determinação e as complexidades internas de Maria. A evolução da personagem, de uma competidora feroz para alguém questionando os limites éticos da tecnologia, é conduzida com habilidade, fazendo dela uma protagonista cativante. Bruno Gagliasso também entrega uma performance sólida como Heitor, um personagem que personifica as ambiguidades morais que permeiam o enredo.

O roteiro, co-escrito por Josefina Trotta, Cris Cera, Victor Navas e Poyart, aborda temas como ambição, identidade e o custo do progresso tecnológico. A trama se aprofunda nas tensões entre o desejo de superar limites humanos e as implicações éticas dessas melhorias, provocando reflexões sobre o verdadeiro significado da excelência e do sacrifício. No entanto, o filme peca por um ritmo desigual, com algumas cenas que poderiam ser mais concisas para manter a fluidez da narrativa.

“Biônicos” também enfrenta desafios ao equilibrar sua identidade nacional com um apelo global. A ambientação futurista de São Paulo é visualmente marcante, mas a falta de regionalidade específica pode fazer com que o filme perca parte de seu charme autêntico. Além disso, alguns personagens coadjuvantes, como o detetive Guerra (Danton Mello) e Gustavo (Christian Malheiros), não recebem o desenvolvimento necessário, deixando lacunas na construção da história.

Apesar dessas falhas, “Biônicos” representa um passo significativo para o cinema brasileiro, explorando um gênero raramente abordado no país com competência e criatividade. O filme não apenas entretém, mas também instiga discussões sobre o futuro do esporte, a relação entre tecnologia e humanidade, e os limites éticos do avanço científico. Em suma, “Biônicos” é uma obra que, embora imperfeita, merece ser vista por sua audácia e originalidade no panorama cinematográfico nacional.

Confira o trailer abaixo:

 

Matrix 5 é confirmado pela Warner Bros.

Fãs da franquia Matrix podem comemorar (ou lamentar). A Warner Bros. anunciou que o 5º capítulo da saga já está em desenvolvimento!

O estúdio não revelou detalhes do novo longa, porém, divulgou que a direção será de Drew Goddard, diretor responsável por filmes como Cloverfield e o Segredo da Cabana. O roteiro será assinado por ele e sua parceira Sarah Esberg. Matrix 5 marcará o primeiro filme da série sem direção de ao menos uma das irmãs Lana e Lilly Wachowski.

Lana, que dirigiu Matrix 4 – Resurrections, vai atuar como produtora executiva.

Ainda não há informações sobre sua trama ou se o elenco original formado por Keanu Reeves; Carrie Anne-Moss; Laurence Fishburne e Jada Pinkett Smith irão retornar.

Jesse Ehrman, presidente de produção da Warner Bros Motion Pictures, comenta que é um privilégio ter Drew comandando este novo filme que seguirá os eventos canônicos do que foi imaginado pelas irmãs Wachowski:

“Drew veio para a Warner Bros com uma nova ideia que todos acreditamos que seria uma maneira incrível de continuar o mundo Matrix, honrando o que Lana e Lilly começaram há mais de 25 anos e oferecendo uma perspectiva única baseada em seu próprio amor pela série e personagens. Toda a equipe da Warner Bros Discovery está entusiasmada com o fato de Drew estar fazendo este novo filme Matrix, adicionando sua visão ao cânone cinematográfico que as Wachowskis passaram um quarto de século construindo aqui no estúdio”.

Drew complementa dizendo que é uma grande honra fazer parte deste mundo:

“Não é exagero dizer que os filmes Matrix mudaram tanto o cinema quanto a minha vida. A arte requintada de Lana e Lilly me inspira diariamente, e estou muito grato pela oportunidade de contar histórias em seu mundo”.

Matrix 5 ainda não possui previsão de estreia.

 

Veja também:

Dos mesmos criadores de Game of Thrones, esta série de Sci-Fi é a grande aposta da Netflix para 2024

A série “O Problema dos 3 Corpos”, uma adaptação do livro homônimo escrito por Cixin Liu, chegou ao catálogo da Netflix no último dia 21 de março, trazendo consigo a promessa de uma produção grandiosa para 2024.

Com a marca dos mesmos criadores de “Game of Thrones”, David Benioff e D. B. Weiss, esta série, que teve um investimento de US$160 milhões para a primeira temporada, sendo um custo de US$20 milhões por episódio, mergulha em uma trama complexa que mistura ficção científica, suspense e questionamentos filosóficos.

A história tem início na década de 1960, durante a Revolução Cultural Chinesa, onde a jovem astrofísica Ye Wenjie enfrenta uma série de desafios após a morte de seu pai. Condenada ao exílio, ela se envolve em um projeto militar secreto que a leva a tomar uma decisão de consequências catastróficas para a humanidade. Mais de quarenta anos depois, na Londres contemporânea, um grupo de jovens cientistas se vê envolvido em mistérios relacionados a suicídios inexplicáveis entre seus colegas e a revolução repentina na compreensão das leis da física.

Sci-Fi acessível

Uma das grandes conquistas da série é sua capacidade de traduzir os conceitos científicos complexos do livro para uma linguagem acessível, sem comprometer a profundidade da trama. A narrativa, dividida entre duas linhas temporais, mantém o espectador envolvido ao explorar temas como o contato com civilizações alienígenas e as consequências das escolhas humanas ao longo do tempo.

O elenco, encabeçado por nomes como Jess Hong, Liam Cunningham, Eiza González e John Bradley, entrega performances sólidas, mesmo que alguns personagens secundários pareçam menos desenvolvidos. As cenas visuais, desde os cenários no espaço até os momentos históricos retratados, são impressionantes e contribuem para a imersão na narrativa.

Entretanto, a série enfrenta críticas em relação à ênfase excessiva nos problemas pessoais dos protagonistas, que às vezes parecem desconectados do enredo principal envolvendo os alienígenas. Essa desconexão pode afetar a identificação do público com os personagens e a coesão da história como um todo.

Apesar das críticas, “O Problema dos 3 Corpos” apresenta uma produção ambiciosa e visualmente arrebatadora, que mergulha sem medo nas complexidades da ficção científica. Ao mesclar conceitos científicos com questionamentos filosóficos e dramas pessoais, a série convida o espectador a refletir sobre o lugar da humanidade no universo e as consequências de suas ações.

Ainda assim, grandiosa e brilhante, O Problema dos 3 Corpos é uma série que mergulha sem medo no mundo da ficção científica, apresentando conceitos, mistérios e reviravoltas que todo fã do gênero adora acompanhar.

Polêmica na China

O seriado deixou parte dos fãs na China furiosos, especificamente o público fiel ao partido comunista que não admite críticas ao passado violento e conturbado durante a fundação do regime atual.

As reclamações começam logo com a primeira cena, mostrando a revolução comunista liderada por Mao Tsé-tung em 1966. Naquele período o país foi consumido pelo caos e um banho de sangue nas ruas.

O governo chinês bloqueia o acesso a sites como a Netflix, mas o público consegue acessar a programação usando redes privadas virtuais ou filmes piratas.

A principal acusação é que a produção americana procura manchar a imagem da China perante a opinião pública mundial.

Renovada?

O Problema dos 3 Corpos tem 8 episódios nesta 1ª temporada. Benioff e Weiss já anunciaram que gostariam de produzir quatro temporadas ao todo, mas tudo depende de como a série será recebida pelo público.

Até o momento, não se sabe se a Netflix vai renovar a série para uma nova leva de episódios. Esperamos que sim!

Assista ao trailer abaixo:

Hospedagens no Deserto transformam viagens em odisséias de ficção científica

Explorando o fascinante universo das estadias em desertos inspiradas em filmes de ficção científica, podemos mergulhar numa matéria que entrelaça a magia do cinema com a realidade de viagens extraordinárias. Com o lançamento de uma sequência aguardada de um épico de ficção científica, filmada em locações desérticas que vão desde Abu Dhabi até a Jordânia, a conexão entre o ambiente cinematográfico e a experiência de viagem se torna mais palpável.

O deserto, com suas vastas dunas e paisagens inalteradas, oferece um pano de fundo dramático que não apenas serve como cenário para filmes envolventes mas também se transforma em um destino de viagem singular. Empresas como a Booking.com captam essa tendência, sugerindo estadias que prometem transportar os hóspedes para mundos que parecem saídos diretamente das telas de cinema.

Essas estadias, situadas em meio a cenários desérticos espetaculares, não são apenas alojamentos; elas são experiências imersivas que permitem aos viajantes viverem como se estivessem em uma saga de ficção científica, envolvendo-se com o ambiente de uma maneira profundamente conectada com as narrativas que amam. São locais onde o vasto céu estrelado, as formações rochosas imponentes e o silêncio do deserto criam um cenário perfeito para aventuras memoráveis.

A tendência de buscar experiências de viagem que imitam cenários de filmes de ficção científica reflete um desejo crescente dos viajantes por aventuras únicas e envolventes, onde possam se sentir parte de suas histórias favoritas. Este nicho de turismo tem crescido, especialmente entre os fãs do gênero, que buscam não apenas férias, mas uma fuga da realidade, um mergulho em universos alternativos que antes só poderiam ser explorados através da tela.

A Booking.com, reconhecendo essa paixão e o desejo de experiências de viagem temáticas, seleciona cuidadosamente propriedades que oferecem mais do que apenas um lugar para dormir. Essas estadias proporcionam uma jornada sensorial completa, capturando a essência de aventuras épicas e permitindo que os hóspedes vivam suas fantasias de ficção científica em uma escala épica e pessoal.

Ao considerarmos esses destinos, é fascinante notar como o cinema e a viagem se entrelaçam, criando experiências que satisfazem o anseio por aventura, descoberta e a magia de viver dentro de um mundo antes limitado à imaginação. Estadias em desertos inspiradas em filmes de ficção científica não são apenas viagens; são portais para outras realidades, onde os limites entre o ficcional e o real são maravilhosamente borrados.

 

Al Wathba, a Luxury Collection Desert Resort & SpaAbu Dhabi, Emirados Árabes Unidos

     

Rodeado por dunas, esse resort 5 estrelas fica no deserto de Al Wathba, próximo ao local onde o filme e sua sequência foram filmados. As instalações tradicionais em estilo terroso contam com tapetes islâmicos e lanternas, e as vilas são equipadas com um gazebo e uma piscina, com recursos aquáticos espalhados pelo local que amenizam o calor. O spa é composto por salas de sal, hammam turco e uma caverna de neve, além de tratamentos e rituais que usam produtos locais. Os hóspedes podem saborear um coquetel no bar da cobertura durante o pôr do sol ou visitar um dos restaurantes que servem culinária tradicional e internacional. O resort oferece uma ampla variedade de atividades no deserto, como aventuras off-road ou a reserva Al Wathba Wetlands, que fica a uma curta distância de carro. Para quem quer atravessar as dunas árabes, recomendamos fazer um safári premium com churrasco, que também inclui sandboard, seguido de uma apresentação de dança do ventre.

 

Wadi Rum Secrets CampWadi Rum, Jordânia

     

Localizadas na extremidade oeste do Deserto da Arábia, não é surpresa que as formações rochosas de Wadi Rum tenham sido escolhidas para a filmagem dessa sequência de ficção científica. Conhecido como o Vale da Lua, esse Patrimônio Mundial da UNESCO, no sul da Jordânia, é composto por arenito e granito. Os viajantes podem se hospedar no Wadi Rum Secrets Camp, que representa uma experiência única para quem quer explorar essa paisagem e dormir sob as estrelas. Esse acampamento tradicional conta com comodidades para dar conforto e garantir a melhor experiência, como tendas com vistas para as montanhas, instalações de churrasco e um jardim. Tendas em estilo de cabana estão instaladas na areia e oferecem roupas de cama macias e cobertores espessos para manter o aquecimento durante a noite. Além disso, guias beduínos ajudam a organizar atividades como sandboard. Para conhecer melhor o deserto, os hóspedes podem reservar um passeio de jipe de 4 horas com os destaques do Deserto de Wadi Rum, ideal para quem quer explorar as dunas e admirar vistas panorâmicas no ponto mais alto, sem deixar de passar pelo desfiladeiro Khazali, composto por rochas vermelhas.

 

Planeta Atacama LodgeSan Pedro de Atacama, Chile

     

O Planeta Atacama Lodge, no nordeste do Chile, está localizado no meio do deserto de Atacama, o lugar mais seco da Terra. Esse lodge fica em um terreno de 4 hectares aos pés de uma floresta de alfarrobeiras, o que faz dele o lugar ideal para relaxar depois de um dia explorando as dunas e outras maravilhas do deserto. Cada lodge conta com decorações nativas e rústicas, com móveis confortáveis e um banheiro privativo. Os hóspedes podem acordar contemplando o vulcão Licancabur e dormir admirando o céu estrelado. O lodge fica a uma curta caminhada da cidade histórica de San Pedro de Atacama. Situada em um planalto árido na Cordilheira dos Andes, ela conta com paisagens que incluem salinas, vulcões, gêiseres e águas termais, sem falar na infinidade de cordeiros e lhamas. A sequência de ficção científica pode não ter sido filmada no deserto de Atacama, mas uma excursão ao Vale da Lua, passando pela Reserva Nacional Los Flamencos, transportará viajantes para uma paisagem repleta de dunas sinuosas e antigas minas de sal.

 

Anantara Sahara-Tozeur Resort & VillasTozeur, Tunísia

     

Entre as dunas do deserto do Saara, o resort 5 estrelas Anantara Sahara-Tozeur é um santuário remoto construído na areia, à beira do vasto lago salgado Chott el Jerid. Esse resort chique oferece villas ladeadas por palmeiras e hibiscos, três piscinas, um bar e uma biblioteca. O charme tradicional e o conforto moderno se misturam nas suítes decoradas com luminárias de latão, cerâmica orgânica e pinturas locais. Os hóspedes podem contemplar o amanhecer no deserto, curtir a tranquilidade à beira da piscina, relaxar com um banho turco (hammam) ou jantar sob as estrelas no estilo bérbere. A uma curta distância de carro do centro de Tozeur, há uma cidade oásis repleta de árvores frutíferas, onde os hóspedes podem conhecer a cultura tunisiana por meio de experiências selecionadas com guias locais, como visitas às antigas medinas ou observação de estrelas em um lugar privilegiado no deserto. Também vale fazer um tour de um dia pelos locais de Tamerza, Chebika, Mides Canyons e Star Wars para descobrir cachoeiras e riachos em meio às montanhas, além dos sets de filmagem dessa famosa saga intergaláctica.

 

Home2 Suites By Hilton Alamogordo White SandsAlamogordo, Novo México, Estados Unidos

     

A estadia fica perto das dunas da Bacia de Tularosa, no Novo México. Aninhado na paisagem do deserto de Chihuahua, esse hotel proporciona o máximo de conforto: cada suíte foi projetada e equipada com comodidades modernas e mobiliário elegante. A partir do momento em que os hóspedes entram no saguão dessa acomodação Travel Proud da Booking.com, sentem o acolhimento da equipe e a sensação de ter encontrado um lar mesmo longe de casa. Entre as diversas comodidades estão uma academia bem equipada, uma piscina ao ar livre e um terraço. Para quem estiver viajando com animais de estimação, algumas acomodações aceitam os bichinhos. O hotel conta com uma localização privilegiada, a uma curta distância do New Mexico Museum of Space History e do White Sands National Monument, que é o maior campo de dunas de gesso do mundo, cobrindo 442 km² em meio às montanhas de Sacramento. Recomendamos que os viajantes agendem uma visita a essas dunas durante o amanhecer ou entardecer, quando a paisagem formada pelas areias atinge o seu auge.

Leia também:

Novidade da Netflix vira sensação com mistura explosiva de humor, aventura e emoção

Maior Sino do mundo será instalado em Igreja de Goiás

Joias do Cerrado: artesãs goianas tecem a natureza em moda sustentável

 

Novo sucesso da Netflix traz exploração intergaláctica, laços emocionais e muito mistério

Estreando com grande antecipação, “O Sinal” (Das Signal), uma minissérie alemã disponibilizada pela Netflix, mergulha o público em um universo de ficção científica e mistério distribuído em quatro episódios intensos e meticulosamente elaborados. A trama se desenrola em torno do enigmático desaparecimento de Paula, uma cientista renomada que estava a bordo da Estação Espacial Internacional. Seu retorno à Terra era aguardado com ansiedade, mas ela some sem deixar rastros, instigando um mistério que ameaça não só seus entes queridos mas toda a humanidade.

A narrativa é centrada no impacto emocional e na busca incansável de Sven, o marido de Paula, e de Charlie, sua filha, ambos personagens que nos cativam com suas camadas complexas e relacionamento palpável. Suas jornadas são marcadas por uma mistura de determinação, angústia e a esperança de desvendar o paradeiro de Paula, assim como a natureza da descoberta astronômica que ela fez. Essa dinâmica familiar se entrelaça com um suspense crescente, impulsionado pela descoberta de um enigmático sinal extraterrestre e os esforços para ocultar essa revelação, criando uma atmosfera carregada de tensão e mistério.

Visualmente, a série é uma obra de arte, com uma estética que complementa perfeitamente a profundidade da história. A direção de fotografia utiliza uma paleta de cores que realça a aura de mistério e suspense, enquanto a trilha sonora intensifica as emoções e o drama, elevando as cenas-chave a um patamar cinematográfico de alta qualidade. A série mantém um equilíbrio impressionante entre o familiar e o inovador, ressoando com temas de ficção científica clássicos, ao mesmo tempo em que oferece uma abordagem fresca e contemporânea, distanciando-se de clichês e explorando novos territórios narrativos.

“A produção de ‘O Sinal’ destaca-se não apenas pela sua narrativa envolvente, mas também pelo seu uso eficiente do orçamento. Mesmo sem os fundos de grandes blockbusters, a série demonstra uma capacidade notável de criar um espetáculo visual e auditivo que desafia as expectativas, tornando-se um exemplo de como a criatividade e a inovação podem compensar as restrições financeiras. O design de produção, a cinematografia e os efeitos especiais são habilmente orquestrados para criar um mundo rico e imersivo que sustenta a complexidade temática da série, oferecendo uma experiência que se equipara a produções com orçamentos muito maiores.

Além disso, ‘O Sinal’ mergulha profundamente em temas que ressoam com uma relevância universal, como a ética na ciência, os dilemas morais da exploração espacial, e a introspecção sobre a existência humana. A série aborda essas questões com uma maturidade e profundidade que convidam à reflexão, desafiando o público a considerar as consequências de nossas escolhas e o impacto delas no futuro da humanidade e além.

Esta abordagem reflexiva estende-se à construção dos personagens e ao desenvolvimento da trama, ambos meticulosamente elaborados para explorar o vasto espectro da condição humana. Os personagens são apresentados com complexidade e nuances, cada um refletindo diferentes facetas da natureza humana e das questões éticas em jogo, tornando ‘O Sinal’ uma série que transcende o gênero de ficção científica para tornar-se uma exploração significativa dos dilemas morais e das maravilhas e horrores que a humanidade pode descobrir no cosmos.

Portanto, ‘O Sinal’ não é apenas uma adição valiosa ao catálogo da Netflix por seu entretenimento, mas também por sua contribuição significativa ao diálogo cultural e científico. A série consegue ser ao mesmo tempo um drama espacial cativante e uma meditação ponderada sobre questões de grande importância, oferecendo aos espectadores uma viagem memorável que é tanto emocionante quanto intelectualmente estimulante.”

Agora disponível no catálogo da Netflix, “O Sinal” promete ser uma experiência cativante para os fãs do gênero e um estudo de personagem que desafia nossas percepções, nos levando a questionar não apenas o universo ao nosso redor, mas também o universo dentro de nós.

Leia também:

Filme imperdível chega a Netflix unindo o melhor da comédia e do suspense

Novo sucesso da Netflix mistura comédia, suspense e ganância no submundo do crime

Com dragões, casamentos e reviravoltas, o novo sucesso da Netflix desafia os clichês

O filme de ficção científica que ninguém viu nos cinemas por causa de Vingadores

No vasto universo da indústria cinematográfica, enfrentar o domínio dos super-heróis da Marvel e DC é uma tarefa desafiadora. Com filmes estrelados por personagens icônicos como Homem-Aranha, Batman e os Vingadores, competir por atenção e sucesso torna-se uma batalha épica por parte de outras produções. 

Imagine competir com os herois no auge de seu sucesso, em 2018, quando  “Vingadores: Guerra Infinita” foi lançado e o público ia à loucura. Foi isso que o famoso Steven Spielberg enfrentou quando lançou “Jogador Nº1” simultaneamente com Vingadores. O diretor que é responsável por clássicos do cinema como Tubarão, Indiana Jones, E.T, O Extraterrestre, De Volta para o Futuro e muitos outros, teve que lidar com os holofotes voltados para os icônicos herois, enquanto seu filme, baseado no romance de Ernest Cline, recebia menos destaque. O aclamado diretor tem no currículo 34 filmes, 322 nomeações a prêmios e 208 vitórias, sendo 3 Oscars.

O filme se passa em 2045, em uma realidade distópica, e conta a história de Wade Watts, que assim como o resto da humanidade, prefere a realidade virtual do jogo OASIS ao mundo real. James Halliday, o excêntrico criador do jogo, morre e deixa sua fortuna inestimável para a primeira pessoa que descobrir a chave de um quebra-cabeça que ele arquitetou. É então que uma verdadeira caça ao tesouro se inicia e Watts se empenha em não apenas vencer o jogo e levar a fortuna para casa, mas impedir que o jogo caia em mãos erradas e consequentemente isso altere o destino do mundo. Para vencer, Watts precisa abandonar a existência virtual e experimentar o amor e a realidade. 

Apesar de ser ofuscado pelo sucesso dos super-herois, “Jogador Nº1” conquistou uma avaliação respeitável, com 72% de aprovação no Rotten Tomatoes e 64 de 100 no Metacritic. O filme oferece uma experiência cativante para os amantes de videogames e ficção científica, transportando-os para uma aventura emocionante. Dirigido por um dos maiores cineastas de Hollywood, com uma carreira no cinema de mais de cinco décadas, “Jogador Nº1” sem dúvida entrega um excelente roteiro com tudo que o cinéfilo gosta: ação, romance, plot twist, diversas referências a cultura pop, personagens cativantes com histórias emocionantes e muito mais.

Para os amantes de entretenimento inovador, “Jogador Nº1” é uma escolha imperdível. Com uma trama envolvente, personagens cativantes e uma atmosfera futurística, o filme está disponível nos catálogos da HBO Max e do Prime Video, oferecendo uma escapada emocionante para aqueles que buscam novas experiências cinematográficas.

 

>Veja Também<

6 filmes indicados ao Oscar disponíveis nas plataformas de streaming

Os filmes mais amados dos anos 80

7 Filmes amados que quase não foram lançados

Descubra A Incrível Ficção Científica do Criador de Oppenheimer!

O aclamado diretor Christopher Nolan, conhecido por suas obras cinematográficas que desafiam as convenções do tempo e da narrativa, entregou mais uma obra-prima em 2020: “Tenet”. Desde seu lançamento, no auge da pandemia, o filme tem sido objeto de fascínio e debate entre cinéfilos e críticos, com sua trama espetacular e sua abordagem inovadora da ficção científica. Saiba mais a respeito.

A Complexidade de Tenet Se Revela Uma Experiência Cinematográfica Única

Em Tenet, Nolan mergulha ainda mais fundo em seu fascínio pelo tempo, apresentando uma trama intrincada que desafia as expectativas do público. No centro da história está um agente da CIA, interpretado por John David Washington, envolvido em uma missão de proporções épicas para evitar uma catástrofe global. O conceito de inversão temporal é introduzido, adicionando uma camada adicional de complexidade à narrativa.

A Inovação Visual de Tenet: Coreografias de Ação Espetaculares

Uma das características mais marcantes de Tenet são suas impressionantes sequências de ação, coreografadas de maneira magistral. Nolan eleva o padrão do cinema de ação com cenas que desafiam a gravidade e a lógica, mantendo os espectadores à beira de seus assentos. Cada momento é meticulosamente elaborado, sem depender excessivamente de efeitos visuais computadorizados, o que realça a autenticidade e a imersão do filme.

A Necessidade de uma Experiência Cinematográfica Adequada

Embora Tenet seja uma obra que merece ser apreciada em uma tela grande, com um sistema de som de alta qualidade, a disponibilidade nos serviços de streaming oferece uma oportunidade para que um público mais amplo desfrute dessa obra-prima. Mesmo assistindo em casa, a originalidade e o impacto de Tenet permanecem intactos, embora seja aconselhável evitar dispositivos pequenos, como tablets ou smartphones, para uma experiência visual completa.

Uma Misteriosa Viagem pela Complexidade Temporal

A trama intricada de Tenet desafia os espectadores a desvendar seus segredos, incentivando debates e teorias sobre seu significado e suas nuances. Cada visualização revela novas camadas de significado e detalhes previamente perdidos, tornando o filme uma experiência cinematográfica que continua a surpreender e intrigar, mesmo após múltiplas visualizações.

Em resumo, Tenet é mais do que apenas um filme de ficção científica; é uma jornada cinematográfica inesquecível que desafia as expectativas e redefine os limites do gênero. Com sua narrativa complexa, visuais impressionantes e performances envolventes, o filme continua a cativar o público, oferecendo uma experiência única e memorável a cada visualização. Se você ainda não assistiu essa obra-prima do cinema, não perca a oportunidade de embarcar nesta viagem conduzida pela complexidade temporal de Tenet.

Confira também:

“A Grande Ilusão”, série da Netflix, bate recordes de audiência global

Netflix conquista brasileiros com série sobre personagem histórico épico e controverso

Os filmes mais amados dos anos 80

 

Justin Timberlake desafia o relógio da morte em filme que está bombando na Netflix

E se você parasse de envelhecer aos 25 anos e o único recurso que determinasse o tempo restante de sua vida fosse as horas, minutos e segundos no relógio de seu pulso? O intrigante “O Preço do Amanhã”, disponível na Netflix, nos convida a uma jornada futurista onde a moeda mais valiosa é o tempo.

Em um mundo onde o envelhecimento foi geneticamente interrompido, a desigualdade nunca foi tão acentuada. Os ricos, nadando em horas e décadas, vivem no luxo, enquanto os pobres, em bairros degradados, batalham diariamente por mais 24 horas. É um retrato desconfortável e, infelizmente, muito similar ao nosso sistema atual, substituindo “dinheiro” por “tempo”.

Justin Timberlake, com uma performance memorável, dá vida a Will Salas, um jovem que, após uma reviravolta do destino, se vê com tempo demais em mãos e um sistema para desafiar. Junto com Sylvia (Amanda Seyfried), filha de um magnata do tempo, eles embarcam em uma missão perigosa e reveladora.

Por trás das perseguições e do romance florescente entre Will e Sylvia, há uma crítica profunda à sociedade, ao valor que damos ao tempo e à constante disparidade entre ricos e pobres. Com uma premissa criativa, o diretor Andrew Niccol não apenas oferece entretenimento, mas também reflexão.

Outras atuações notáveis incluem Cillian Murphy, como um implacável Guardião do Tempo, e Olivia Wilde, em um papel curto, mas emocionante.

Embora tenha recebido críticas mistas em seu lançamento, o fato de “O Preço do Amanhã” estar ressurgindo no ranking da Netflix é testemunho de sua relevância e apelo duradouro. Em uma era onde cada segundo conta, este filme serve como um lembrete oportuno para refletirmos sobre o verdadeiro valor do nosso tempo.

Para os amantes de ficção científica e aqueles que buscam algo mais do que apenas entretenimento, este filme é imperdível. E para quem busca outros títulos do gênero, a Netflix oferece uma variedade crescente que não decepciona.

Em conclusão, “O Preço do Amanhã” não é apenas um thriller futurista, é uma janela para nossos próprios dilemas sociais e a pergunta constante: O que você faria se o tempo estivesse realmente acabando?

Netflix surpreende ao juntar suspense e ficção científica em lançamento imperdível

Se você é fã de suspense e ficção científica, não pode deixar de conferir Synchronic, um dos filmes mais assistidos da Netflix na semana. Dirigido por Justin Benson e Aaron Moorhead e estrelado por Anthony Mackie e Jamie Dornan, o longa conta a história de dois paramédicos que têm suas vidas transformadas por uma nova droga sintética com efeitos misteriosos.

Ambientado em Nova Orleans, Synchronic apresenta uma trama envolvente repleta de enigmas. Os protagonistas Steve Denube (Anthony Mackie) e Dennis Dannelly (Jamie Dornan) se veem envolvidos em uma série de eventos sobrenaturais relacionados à droga Synchronic. Quando a filha mais velha de Dennis desaparece, a dupla acaba se envolvendo ainda mais no mistério.

O elenco conta ainda com grandes nomes como Katie Aselton, Ally Ioannides e Bill Oberst Jr. Apesar de ter arrecadado apenas US$ 1.5 milhão em bilheteria mundial, Synchronic tem conquistado o público e a crítica com sua história intrigante.

No Rotten Tomatoes, por exemplo, o filme recebeu selo Fresco com aprovações de 79% entre a imprensa e 76% entre a audiência.

 

Assista ao trailer:

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Fotos: Divulgação/Netflix

Série 1899 é cancelada pela Netflix

Uma das grandes apostas da Netflix em 2022, a série 1899, dos mesmos criadores da aclamada Dark acaba de ser cancelada pela gigante do streaming. Após apenas uma temporada, as diversas perguntas deixadas no último episódio seguirão sem respostas.

A confirmação foi divulgada pelos criadores da série, Baran bo Odar e Jantje Friese pelas redes sociais: ”Com coração pesado precisamos contar a vocês que 1899 não será renovada. Adoraríamos terminar essa incrível jornada com as temporadas 2 e 3, como fizemos com Dark. Mas, às vezes, as coisas não acontecem da forma planejada. É a vida. Sabemos que isso vai desapontar milhões de fãs por aí. Mas gostaríamos de agradecê-los do fundo dos nossos corações por serem parte desta aventura maravilhosa. Amamos vocês. Nunca se esqueçam”, escreveram os criadores da atração.

1899 estreou na Netflix no fim de novembro de 2022 e logo virou sucesso, atraindo muita atenção com suas reviravoltas e mistérios. O enredo conta a história de um grupo de imigrantes do século 19 que embarca em um navio em direção aos Estados Unidos. Mas, no meio do caminho, eles encontram um outro navio que havia desaparecido e esse achado muda completamente as suas viagens.

Polêmica no Brasil

Vale ressaltar que, logo após sua estreia, uma escritora brasileira de histórias em quadrinhos Mary Cagnin alegou na Internet que a série teria plagiado um trabalho seu, Black Silence, de 2016.

Na publicação feita no Twitter, que não está mais disponível, Cagnin disse estar em “choque” por descobrir que a série 1899 era idêntica à sua HQ. Na época, o caso ganhou destaque nas redes sociais, e alguns espectadores comentaram que também viram grandes semelhanças entre as produções.

Confira o trailer da série no vídeo abaixo:

 

 

Veja também:

As melhores séries de 2022 e onde assistir

Em decisão inesperada, HBO cancela última temporada de importante série

Uma notícia que os fãs não esperavam! A HBO decidiu cancelar o drama de ficção científica ‘Westworld’ após sua recente quarta temporada. Uma decisão inesperada e surpreendente, segundo a imprensa internacional, para uma série que já foi considerada um dos grandes pilares do canal.

Uma das grandes promessas do streaming, tida como a substituta de ‘Game of Thrones’, a produção foi uma das grandes apostas do canal pago em 2016.

westworld

O projeto acumulou 54 indicações ao prêmio Emmy (incluindo uma vitória de atriz coadjuvante para Thandiwe Newton). No mês passado, o co-criador Jonathan Nolan disse em uma entrevista que esperava que a HBO desse à série uma quinta temporada para encerrar a história.

Protagonizada pela atriz Rachel Wood, Westworld é um parque temático futurístico para adultos, dedicado à diversão dos ricos. Um espaço que reproduz o Velho Oeste, povoado por androides – os anfitriões –, programados pelo diretor executivo do parque, o Dr. Robert Ford (Anthony Hopkins), para acreditarem que são humanos e vivem no mundo real. O brasileiro Rodrigo Santoro fez parte do elenco da série até a terceira temporada.

A HBO soltou um comunicado agradecendo a parceria da série, mas não explicado exatamente com a razão do cancelamento. A marca faz parte do grupo Warner Bros Discovery, que, este ano, vem fazendo cortes para reduzir custos e arcar com uma dívida de 50 bilhões de dólares.

Uma pena!

 

Confira abaixo o trailer da 4ª temporada, que estreou em 2022:

Periféricos: a intrigante e ótima série do Prime Video que provavelmente você não assistiu (mas deveria)

Games, futuro, tecnologia, Matrix, viagem no tempo, ação, drama e mistério. Se você gosta de tudo isso, e mais, a nova produção do Amazon Prime Video é perfeita para começar a maratonar agora! Trata-se de ‘’Periféricos’’, série de ficção científica com a atriz Chloë Grace Moretz como protagonista e produzida pelos mesmos criadores da aclamada ‘’Westworld’’ da HBO, Jonathan Nolan e Lisa Joy.

A série, que já tem 3 episódios disponíveis no streaming, apresenta Flynne Fisher (Chloë Grace Moretz), uma garota de um canto esquecido dos Estados Unidos que vive com seu irmão Burton (Jack Reynor) e sua doente mãe (Melinda Page Hamilton) em um lar simples.

Sem muito futuro e com despesas altas do tratamento da mãe, ela e o irmão veterano de guerra tentam sobreviver da maneira que podem, em um cenário envolvem Flynne usando suas habilidades em um trabalho mal pago de impressões 3D e o irmão tentando extras em pagamentos por bater recordes em fases de videogames de última geração.

Ela trabalha em uma loja de impressão 3D, mas ganha dinheiro extra jogando videogames de realidade virtual para os ricos. Um dos games que ela joga acaba sendo uma parte do futuro. Uma conexão então é aberta entre o mundo de Flynne e uma versão de Londres ambientada 70 anos no futuro. O que ela vê por lá é interessante e muito perigoso, mas continua voltando nesse mundo para descobrir quem criou essa tal abertura que permite que ela esteja lá.

Adaptada de um livro homônimo escrito por William Gibson, Periféricos possui uma boa narrativa, bons diálogos e uma ótima ambientação para quem adora o estilo Sci-Fi.

A série, que terá um total de 8 episódios, lançados semanalmente às sextas-feiras, é uma ótica dica para os fãs do gêneros e órfãos de Westworld. Com a mesma qualidade e semelhanças entre as duas, é uma adaptação bem feita e com elementos que agradam os fãs da temática.

Confira o trailer abaixo:

 

6 filmes de ficção científica na Netflix para explorar o espaço sem sair do sofá

Assistir filmes é como uma forma de viajar e conhecer outros lugares sem sair de casa. Os longas que são de fantasia e ficção científica nos fazem imaginar mundos e situações novas que saem do nosso cotidiano. Pensando nisso, fizemos uma lista de 6 filmes que vão te fazer explorar o espaço sem sair do sofá.

Confira!

O Céu da Meia Noite

Um cientista Solitário no Ártico corre contra o tempo para impedir que um grupo de astronautas volte à Terra depois de uma catástrofe global.

Link do filme na Netflix

 

A Bagagem

A Bordo de uma nave espacial onde as almas são Preparadas para reencarnar a vida de um tripulante Solitário vira de cabeça para baixo com a chegada de uma nova assistente.

Link do filme na Netflix

 

Passageiro Acidental

3 pessoas em uma missão de 2 anos para Marte enfrenta um dilema fatal depois um passageiro inesperado coloca todos em risco.

Link do filme na Netflix

 

Gravidade

Depois que escombros destroem sua nave, uma engenheira biomédica e um astronauta se vêem perdidos flutuando no espaço.

Link do filme na Netflix

 

Passageiros

Um passageiro Solitário numa jornada interplanetária enfrenta um dilema depois de acordar, sem querer, de hibernação décadas antes do previsto.

Link do filme na Netflix

Órbita 9

Após passar a vida sozinha minha espaçonave ela se apaixona colocando o seu experimento em risco

Link do filme na Netflix