Patrimônio goiano, Feira do Cerrado será revitalizada com investimento em R$ 250 mil

A Feira do Cerrado, espaço tradicional da gastronomia e do artesanato produzidos em Goiás, será beneficiada com a reforma nos banheiros e substituição do piso.

A ordem de serviço para o início das obras será assinada neste domingo, 18 de fevereiro, às 10h, na própria feira, localizada no Parque da Criança, atrás do Estádio Serra Dourada.

Autor da emenda que garantiu R$ 250 mil no orçamento estadual para a reforma, o deputado Virmondes Cruvinel afirma que as obras visam oferecer mais conforto e acessibilidade aos frequentadores e expositores.

Deputado Virmondes Cruvinel (direita) com emenda para reforma da Feira do Cerrado (foto: divulgação)

A proposta do deputado contou com o apoio do governador Ronaldo Caiado, que reconheceu a importância da feira para a cultura e a economia do Estado.

Virmondes é um defensor frequente da Feira do Cerrado. Ele é o autor da lei que a reconheceu como patrimônio cultural imaterial de Goiás em 2023.

Detalhes da reforma

A reforma dos banheiros e do piso é uma demanda antiga dos feirantes e dos clientes. O piso da feira será substituído por um material mais resistente e adequado para garantir a acessibilidade de todos.

Virmondes afirma que a obra é uma forma de valorizar a Feira do Cerrado, que é um importante espaço de cultura, lazer e geração de renda para os goianos.

“A Feira do Cerrado é um patrimônio do nosso Estado, que merece ser preservado e melhorado. Essa obra vai proporcionar mais dignidade e qualidade de vida para os feirantes e para os visitantes, que poderão usufruir de um ambiente mais limpo, agradável e acessível”, declara.

Patrimônio dos goianos

A Feira do Cerrado é considerada a maior feira de artesanato do Centro-Oeste, reunindo cerca de 400 expositores que comercializam produtos variados, como roupas, acessórios, brinquedos, decoração, alimentos e bebidas.

A feira funciona todos os domingos, das 9h às 13h, e recebe em média 4 mil visitantes por edição.

 

Veja também:

 

Ícone da Art Déco em Goiânia, Museu Zoroastro Artiaga será restaurado

O Museu Zoroastro Artiaga, situado na Praça Cívica, no centro de Goiânia, possui uma história fascinante e desempenha um papel significativo na preservação da cultura e história da região. O edifício que abriga o museu foi originalmente construído entre 1942 e 1943 pelo engenheiro polonês Kazimiers Bartoszevsky, em um impressionante estilo Art Déco. Inicialmente, a estrutura foi destinada a sediar o Departamento de Imprensa e Propaganda.

Em 1946, o local foi convertido em um museu e recebeu o nome de ”Zoroastro Artiaga”, em homenagem a uma figura multifacetada que desempenhou papéis importantes na educação, advocacia, geologia e história. Zoroastro Artiaga foi o primeiro diretor da instituição, conferindo-lhe uma conexão direta com o surgimento do museu na capital.

Revitalização

O projeto de restauração do Museu Zoroastro Artiaga foi aprovado pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A obra será realizada pelo Governo de Goiás, por meio de recursos da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), e foi orçada em R$ 6,5 milhões. “Estamos fazendo diversas adequações para que o prédio seja acessível a toda a população. Vamos entregar todos os prédios da Praça Cívica requalificados até 2026”, adianta a secretária de Estado da Cultura, Yara Nunes.

Desenvolvido pelas equipes da Secult, o projeto contempla a recuperação das características originais do prédio e a valorização das qualidades arquitetônicas do acervo Art Déco da capital. Também serão realizadas intervenções de acessibilidade e segurança estrutural com o objetivo de conservar a edificação e requalificar o espaço. A restauração ainda vai contemplar a elaboração de nova proposta museográfica para o espaço.

O museu também vai passar por processo de desinfestação e higienização de seu acervo para poder receber novos desenhos de exposições de coleções de peças arqueológicas, mineralógicas, de etnologia indígena, arte sacra e arte popular que contam a trajetória do estado e da cidade de Goiânia, desde sua fundação até os dias atuais.

A obra será executada pela Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra). O projeto segue para o processo licitatório e a previsão é de iniciar os trabalhos no primeiro semestre de 2024.

O museu faz parte do Circuito Cultural, um ambicioso projeto do Governo de Goiás, que visa revitalizar a Praça Cívica e valorizar a importância de todos os sete prédios do local que carregam a memória e a cultura de Goiás (foto: reprodução Goiás Total)

História e tradição

O Museu Zoroastro Artiaga é de importância singular, sendo o primeiro museu da cidade. Além de sua significativa relevância cultural, o edifício foi tombado como Patrimônio Arquitetônico e Histórico Estadual em 1998, destacando a importância de sua arquitetura e contribuição histórica para o estado de Goiás, e em 2004 foi tombado pelo Iphan.

O acervo do Museu Zoroastro Artiaga é diversificado, abrangendo peças históricas, artísticas e culturais relacionadas à região. Visitantes têm a oportunidade de explorar exposições que refletem a rica herança de Goiânia e suas contribuições para a história do Brasil.

Com suas exposições permanentes e temporárias, o museu proporciona uma experiência enriquecedora para todos que buscam compreender a história e a cultura da região.

O Museu Zoroastro Artiaga não apenas é uma joia arquitetônica em estilo Art Decó, mas também desempenha um papel crucial na preservação e divulgação da rica história e cultura de Goiânia e do estado de Goiás.

 

Veja também:

 

Castelinho do Lago das Rosas, ícone cultural de Goiânia, será restaurado

Durante vistoria realizada na quarta-feira (24/1) no Castelinho do Lago das Rosas, o prefeito Rogério Cruz anunciou a transformação do espaço após sua completa recuperação.

Atualmente sob a responsabilidade da Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma), o Castelinho será direcionado à Secretaria Municipal de Cultura (Secult) para abrigar diversas atrações e eventos culturais.

“O espaço será utilizado para atrações e eventos especiais, voltados a toda população da cidade. Queremos trazer segurança para esses locais tão bonitos e conhecidos como o Lago das Rosas e o nosso Castelinho. Fica aqui a nossa determinação para que esse processo, em parceria com a Cultura, transforme esse local em um ponto de referência para a população goianiense”, expressou o prefeito Rogério Cruz, ao destacar a importância histórica do Castelinho para Goiânia.

Castelinho, no Lago das Rosas, era alvo constante de pichações e depredações (Foto: Domingos Ketelbey – Mais Goiás)

Atualmente em processo de revitalização pela Amma, o local passa por pintura e reestruturação dos banheiros, que agora contam com grades em suas janelas e portas reforçadas para evitar futuros danos.

“Esse espaço, histórico para a cidade, frequentemente é alvo de pichações e depredações, e precisa ser ocupado e resgatado pelo poder público, além de ser utilizado pela população que frequenta a unidade de conservação”, afirmou o presidente da Amma, Luan Alves.

O secretário municipal de Cultura, Zander Fábio, destacou que o Castelinho receberá um extenso trabalho de arte urbana, com o uso de incentivos municipais e federais.

“Vai ser feito um grande trabalho de arte urbana, o maior que uma Prefeitura já fez em Goiânia. Vamos promover um chamamento para que artistas de grafite realizem intervenções no local e, assim, evitar pichações e depredações neste patrimônio público”, explicou o titular da Secult.

 

Veja também:

 

Programação do Natal do Bem em Goiânia volta ao normal

O Governo de Goiás e a Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) informam que o Natal do Bem reabrirá novamente ao público nesta quinta-feira (28/12), a partir das 18 horas.

O local precisou ser fechado em razão das fortes chuvas registradas na capital goiana. Foram realizados reparos, manutenções e duas estruturas foram danificadas e removidas do complexo natalino. Uma nova árvore de Natal já começou a ser instalada e deve ser entregue nos próximos dias.

Uma força-tarefa foi realizada para receber e garantir a segurança das famílias goianas no Centro Cultural Oscar Niemeyer (CCON). O show do cantor Marcelo Barra também segue mantido como a principal atração gratuita no Palácio da Música na data de hoje.

Cantor goiano, Marcelo Barra é a atração confirmada no Natal do Bem desta quinta-feira (28)

Destaque nacional

Instalado em um dos principais pontos turísticos de Goiânia e considerado o maior evento natalino de viés solidário do Brasil, o Natal do Bem tem se destacado nacionalmente com diversas apresentações de teatro, música, canto, dança e corais, além da decoração com mais de dois milhões de pontos de luz e uma árvore de 40 metros de altura.

A cada dia de festa, o Papai Noel e os personagens natalinos percorrem todo o espaço, interagindo com as crianças e fazendo desta grande festa algo inesquecível.

A estrutura conta com mais de dois milhões de pontos de luz e leva a magia e o encanto do Natal às famílias goianas sem nenhum custo. Além disso, há 7 mil vagas de estacionamento gratuitas e linhas de ônibus exclusivas para o evento, saindo dos terminais Praça da Bíblia e Isidória em direção ao CCON.

 

Veja também:

 

Prédio histórico de Goiânia tem jardins inspirados no Palácio de Versalhes

O Palácio das Esmeraldas, situado na Praça Cívica em Goiânia, é mais do que apenas a residência oficial do governador de Goiás; é um símbolo histórico e cultural da cidade. Projetado pelo renomado arquiteto Atílio Corrêa Lima e finalizado em 1937, o palácio é um dos principais exemplos da arquitetura art déco em Goiânia. Este estilo foi uma escolha deliberada, alinhando-se com a visão urbanística da cidade e a estratégia de desenvolvimento do Centro-Oeste brasileiro promovida no governo de Getúlio Vargas.

O palácio, parte de um conjunto urbano tombado pelo IPHAN, inclui 22 edificações e monumentos públicos, a maioria localizada no centro da cidade. Essas estruturas são um testemunho da história de Goiânia, desde sua fundação até o presente, representando a evolução urbana e a rica tapeçaria cultural da capital de Goiás.

Jardins do Palácio das Esmeraldas foram inspirados em Versalhes. Foto; Secom

Jardins do Palácio das Esmeraldas foram inspirados em Versalhes. Foto: Secom

Vista aérea dos Jardins Secretos do Palácio das Esmeraldas

Vista aérea dos Jardins Secretos do Palácio das Esmeraldas

Os jardins do Palácio das Esmeraldas, diretamente inspirados nos jardins do Palácio de Versalhes, são um exemplo espetacular de paisagismo e design. Com fontes ornamentais, postes de iluminação art déco e um pomar com 17 jabuticabeiras plantadas na década de 1940 por Dona Gercina Borges, os jardins oferecem um vislumbre da grandiosidade e do esplendor associados à nobreza francesa, ao mesmo tempo em que mantêm uma conexão com o ambiente natural e a história local.

As reformas de 2005 e de 2013 a 2016 no Palácio foram fundamentais para preservar sua estrutura e estética originais. Durante essas intervenções, vitrais, painéis, pisos, assoalhos de madeira, revestimentos, sanitários e a fachada foram restaurados. Essas obras não só preservaram a integridade arquitetônica do palácio como também asseguraram que continuasse a ser um marco histórico e cultural de Goiânia.

O Palácio das Esmeraldas, além de sua impressionante fachada e jardins inspirados no Palácio de Versalhes, possui um interior que é um verdadeiro testemunho da história e da cultura de Goiás. O destaque é o Salão Gercina Borges Teixeira, que homenageia a esposa de um ex-governador de Goiás. Este salão, adornado com retratos das primeiras-damas do estado e um lustre marcante, é um exemplo vívido do compromisso do palácio com a preservação da história política e social da região.

Além do Salão Gercina Borges, o Palácio abriga outras áreas significativas que servem tanto como espaços funcionais quanto como cápsulas do tempo, refletindo momentos importantes na trajetória de Goiás. Cada sala, corredor e espaço comum no Palácio conta uma parte da narrativa do estado, desde seus primeiros dias como a capital até seu papel atual como centro político e cultural.

O Palácio não é apenas um ícone arquitetônico para Goiânia ou um símbolo do governo de Goiás; ele é uma peça central do patrimônio cultural brasileiro. A sua preservação é vital para manter a história da região acessível e relevante. As reformas e manutenções ao longo dos anos garantiram que a estrutura e a estética do Palácio permaneçam intactas, permitindo que as gerações futuras possam experimentar e entender a riqueza do passado de Goiânia e de Goiás.

Assim, o Palácio das Esmeraldas serve como um elo vital entre o passado e o presente, oferecendo um vislumbre tangível da evolução histórica, política e cultural do estado de Goiás

Conheça 7 prédios com DNA Internacional que estão redefinindo o alto padrão em Goiânia

Prédio é um verdadeira jóia preciosa na avenida Goiás e um marco da inovação modernista em Goiânia

Parque Aquático de Goiânia é um marco na história esportiva da capital

O Parque Aquático de Goiânia, um dos espaços mais simbólicos no cenário esportivo goiano, está prestes a passar por uma transformação e ganhar uma cara nova. Localizada no coração da capital goiana, a piscina olímpica já foi palco de inúmeras competições desde a inauguração do parque, em 1979, mas infelizmente, acabou sendo esquecida com o passar dos anos. 

 

Agora, o Governo de Goiás, em parceria com a Caixa Econômica Federal, por meio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), está prestes a realizar uma ampla reforma, com um orçamento de R$3,8 milhões, para devolver à piscina olímpica sua funcionalidade e, ao mesmo tempo, preservar a rica tradição esportiva que a cerca. Os projetos para a reforma já foram finalizados.

 

Fundado no início de 1979, o Parque Aquático de Goiânia é composto por 3 piscinas, uma principal de 50 metros e outras duas de 25 metros, além de diversas salas, vestiários, pódio e uma arquibancada. A longa piscina olímpica se encontra inativa há cerca de 10 anos, desde 2013, quando foram identificados problemas estruturais e o local foi interditado. Segundo o secretário de Esporte e Lazer, Edson Sales, uma estrutura como essa, do Parque Aquático, tem uma importância muito grande para o desenvolvimento do alto rendimento na natação. Este espaço tem uma história e tradição, e não pode ficar parado. Por isso, a reforma é uma das prioridades do governador Ronaldo Caiado. 

 

 

Os estudos e projetos da área de engenharia foram finalizados e entregues à Caixa, que está analisando a documentação. Após aprovação, será iniciada a fase de licitação das obras, que devem ser concluídas até o fim de 2025. O plano do governo é reformar o local por completo, envolvendo a reestruturação completa da piscina olímpica, com novos blocos de partida, além de toda recuperação dos sistemas hidráulicos e elétricos. Também estão previstas no projeto as reformas dos vestiários, banheiros, salas administrativas, além da construção de um novo pódio, casa de máquinas e a adaptação do espaço visando a acessibilidade de pessoas com deficiência. Tudo ainda é previsão, porém, o projeto conta com poltronas na arquibancada e placares eletrônicos para divulgação dos resultados.

 

A revitalização do Parque Aquático de Goiânia representa um passo significativo na promoção do esporte em Goiânia. Com a expectativa de reabertura em 2025, esperamos que o Parque Aquático volte logo a funcionar, e volte também a ser palco de provas e competições, fortalecendo assim a história esportiva da capital. Após a reforma, a piscina olímpica voltará a ser um importante ponto de desenvolvimento do esporte de alto rendimento, além de atender a comunidade com atividades de iniciação esportiva e integração comunitária. O Parque Aquático de Goiânia tem o potencial de ser não apenas um marco histórico, mas também um centro vital para o esporte e a comunidade em geral.

 

Secretaria de Esporte e Lazer – Governo de Goiás

Fotos: Mantovani Fernandes

 

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Escola de Artes Basileu França em Goiânia recebe investimento de mais de 40 milhões em reforma e ampliação

A Escola do Futuro de Goiás (EFG) em Artes Basileu França, localizada no Setor Universitário em Goiânia, está passando por uma transformação significativa. O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), deu início à segunda etapa da reforma e ampliação da escola, com um investimento de aproximadamente R$ 41 milhões.

O objetivo dessa iniciativa é modernizar e tornar o prédio mais seguro e confortável para os alunos e profissionais, proporcionando um ambiente propício ao desenvolvimento das diferentes modalidades artísticas oferecidas pela instituição. A previsão é que a obra seja concluída até o final do próximo ano.

Segundo o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, José Frederico Lyra Netto, a proposta é entregar um espaço renovado, mais adequado às diferentes modalidades artísticas oferecidas pela escola, combinando com o universo das artes. Serão demolidas edificações horizontais existentes, correspondendo a aproximadamente 2,7 mil m², para dar lugar a quatro novos blocos verticais. O prédio administrativo e outros espaços em boas condições serão preservados.

A área construída da Escola do Futuro de Goiás será ampliada para 7,3 mil m² em um terreno de 8,6 mil m². Os quatro novos blocos serão destinados a cursos de música, artes visuais, ensino superior e atividades circenses, bem como projetos de Arte e Educação, miniauditório, administração e Teatro e Dança.

A nova estrutura contará com mais de 200 espaços, incluindo salas de aula e de ensaio, laboratórios, vestiários, sanitários, depósitos, área de convivência, lanchonete, cozinha, copa, biblioteca, miniauditório e pátio de recreação, proporcionando um ambiente propício para o desenvolvimento de cada modalidade artística.

Durante o período de reforma, as aulas da EFG em Artes Basileu França serão transferidas temporariamente para um novo endereço no Centro de Goiânia, na Rua 18, nº 81. No entanto, os espetáculos continuarão sendo realizados no Teatro Basileu França, localizado no Setor Universitário.

Vale ressaltar que a primeira etapa da reforma já foi concluída em dezembro de 2021, com a reestruturação do Teatro Basileu França. O investimento de R$ 6,3 milhões possibilitou melhorias no piso para espetáculos de balé, novo palco, iluminação cênica, aprimoramento acústico, alterações na fachada, aquisição de equipamentos e um projeto de arborização na entrada do espaço.

 

Veja também:

Escolas de Dança em Goiânia: 10 locais para quem quer aprender algo novo e se divertir dançando

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Novo Martim Cererê será inaugurado em Goiânia

Um dos espaços de maior referência cultural em Goiânia, o Martim Cererê, foi reformado e será entregue no dia 5 de Maio. O espaço recebeu obras de reparos e revitalização em todo local nos teatros Yguá e Pyguá, com capacidade para 190 e 300 pessoas, respectivamente.

O local ficou fechado por cinco meses e teve investimento de R$ 560 mil, sendo R$ 410 mil oriundos do tesouro estadual e outros R$ 150 mil por meio de emenda do deputado estadual Virmondes Cruvinel. A obra foi realizada pelo Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult).

A inauguração, no próximo dia 5, acontece às 19h com evento gratuito que vai reunir artistas goianos: “Ao preservar a cultura, trazemos cidadania e dignidade a todos”, ressalta o governador Ronaldo Caiado. 

Reforma

Foram realizados serviços de reparos nas instalações elétricas e de combate a incêndio, pintura e manutenção do bar e do teatro arena, instalação e manutenção de aparelhos de ar-condicionado, troca de placas de espuma e impermeabilização completa dos teatros Yguá e Pyguá. Também foram feitas diversas intervenções para corrigir infiltrações e manutenções gerais nos banheiros, bar, camarins e demais espaços. 

“Essa obra tem importância para todo o segmento cultural porque o Martim Cererê é um dos espaços mais democráticos da capital e com capacidade para abrigar todo o tipo de evento, seja de teatro, dança, música e até feiras”, destacou a secretária de Cultura, Yara Nunes. 

martim

Shows

O evento de reabertura começa às 19h e vai trazer ao palco mais tradicional da capital goiana a artista Maduli, além dos grupos Medley Dance, Urumbeta do Espaço, Synx e Blowdrivers. Os Dj’s Taysa, Teodoro, Silvvr, Maaju, Lara Evelin, Devito Cxrleone e DJ Pamperz também estarão presentes para animar o público, que ainda poderá conferir a discotecagem de Rafael Tupã, Tobeats e Pedro de Castro. “É uma alegria ver o lugar que é berço e casa de tantos eventos culturais que são a cara de Goiânia voltar a funcionar”, comemorou o deputado Virmondes Cruvinel.  

História

O Martim Cererê foi inaugurado em 20 de outubro de 1988, no local de antigos reservatórios de água da Empresa de Saneamento do Estado de Goiás (Saneago) que abasteciam o setor Sul de Goiânia. A unidade da Secult possui três teatros: Yguá (“lugar de guardar água” em Xavante); Pyguá (“caverna de água”) e o teatro de arena Ytakuá (buraco na pedra), além de um bar.

Nos últimos anos, o centro cultural foi palco de diversos festivais de música alternativa de Goiânia, como o Vaca Amarela e o Goiânia Noise. Alé, disos, o espaço recebe eventos de segmentos variados, com destaque para shows, exposições, mostras e feiras que reúnem pequenos empreendedores, como o Mercado das Coisas e a Feira das Minas.

martim

 

Fotos: Secult

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

 

 

Cavalhódromo de Pirenópolis recebe adequações para a Festa das Cavalhadas

O Cavalhódromo de Pirenópolis já se prepara para abrigar as tradicionais Cavalhadas 2023, cuja data está programada para os dias 28, 29 e 30 de maio. O Governo de Goiás, em parceria com a Prefeitura de Pirenópolis, promove adequações na estrutura do espaço para receber o público com toda segurança. 

O Cavalhódromo está interditado pelo Corpo de Bombeiros desde setembro de 2021 por conta de problemas na estrutura do espaço, que terá as rampas e escadas removidas para dar lugar aos camarotes móveis neste ano. Laudos produzidos por engenheiros constataram que esses locais estavam em avançado estado de degradação, gerando riscos consideráveis ao público que frequenta a festa.  

“O Estado age para que as pessoas possam retornar ao Cavalhódromo com segurança e qualidade. Nesta segunda já começamos a retirada das estruturas condenadas que vão dar lugar aos camarotes móveis que têm toda a segurança necessária para o público curtir a festa sem medo”, adiantou a secretária interina de Estado da Cultura, Yara Nunes.

Estrutura

Além de trazer segurança ao público da festa, a readequação do Cavalhódromo também vai propiciar mais conforto com a disponibilização de banheiros de contêiner, ao invés dos químicos, que eram utilizados nas outras edições do evento. A montagem dos novos camarotes deve seguir o modelo já adotado no município e não prejudicará o tamanho do campo e nem atrapalhar a encenação da batalha entre mouros e cristãos. 

“Respeitaremos a mesma quantidade de camarotes, não haverá redução no número deles. Tudo foi conversado com os cavaleiros e a estrutura está sendo readequada em parceria com a prefeitura e secretaria de Cultura de Pirenópolis”, garante Yara. 

Após a realização das Cavalhadas 2023, a Secult promoverá uma reforma total no espaço. “É uma estrutura muito grande, não teríamos tempo hábil para terminar as obras antes das Cavalhadas deste ano e, por isso, optamos por iniciar o restauro total após as festividades, garantindo que essa importante manifestação cultural seja realizada em seu local habitual”, reforça Yara Nunes.

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

 

Catedral de Sant’ana em Goiás: saiba mais sobre essa igreja histórica que será restaurada

Incrustada na Praça Castelo Branco, no Largo do Palácio, na Cidade de Goiás, a Catedral Matriz de Sant’Ana começou a ser construída de maneira rudimentar em 1743 pelo Ouvidor Geral de Goiás, Manoel Antunes da Fonseca, no lugar de uma pequena capela que já não acompanhava o crescimento da cidade. Em 1759, o teto desabou e a população precisou unir esforços para a reconstrução.

Na década de 1930, durante a mudança da capital do Estado para Goiânia, a matriz ganhou o título de catedral. Com uma história de inúmeras reformas e reconstruções, teve seu projeto alterado diversas vezes e só em 1998 a igreja foi restaurada pela Diocese de Goiás em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). 

igreja

Estrutura

A Catedral conta com um conjunto de cinco murais produzidos no ano de 1997 pelo artista plástico e sacerdote espanhol Cerezo Barreto. O edifício possui elementos típicos do estilo neoclássico. A planta apresenta nave, presbitério, capela-mor, sacristia e duas capelas laterais. A nave é separada das capelas laterais por uma sequência de pilares. A fachada principal é dotada de dois frontões; quatro pilastras semi embutidas; uma porta almofadada de madeira e quatro janelas metálicas, tipo basculante.

 

Reforma

O governador de Goiás Ronaldo Caiado assinou, no dia 30 de Janeiro de 2023, a ordem de serviço para restauração da Catedral de Sant’Ana. A obra terá serviços de revisão do telhado, forros, pisos, sistemas elétricos, entre outras intervenções. Os trabalhos devem ser iniciados em abril deste ano por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult).

Tombado como Patrimônio Histórico, o templo religioso é significativo para toda a comunidade vilaboense. “A partir da Semana Santa, faremos a recuperação de toda a estrutura da igreja com investimento estadual de R$ 3.075.000,00. Agora, sim, será uma Catedral digna!”, comemorou o governador.

O pároco da igreja, Augusto Cezar Silva Pereira, agradeceu o início da obra. “Estamos alegres pois a Catedral de Sant`Ana é mais que uma estrutura arquitetônica, tem a ver com a fé e a vida das pessoas. Um templo restaurado significa um novo frescor, um sentimento de alegria, de ânimo, de bem-estar”. 

Fé, Religiosidade e Devoção

Com o objetivo de preservar o patrimônio cultural, a Secult executa o projeto Fé, Religiosidade e Devoção com investimento de R$ 18,5 milhões para restaurações de 10 igrejas em todo o Estado: Igreja de Nosso Senhor do Bonfim (Pirenópolis), Igreja do Nosso Senhor do Bonfim (Silvânia), Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos (Jaraguá), Igreja de São José (Mossâmedes), Igreja de Nossa Senhora do Rosário (Luziânia), Igreja de Nossa Senhora Aparecida (Aparecida de Goiânia), além das igrejas Nossa Senhora Aparecida, Santa Bárbara, São João Batista do Arraial de Ferreiro e a Catedral de Sant’Ana, na cidade de Goiás. 

igreja

“Preservar nossos edifícios históricos é preservar a cultura goiana já que estes locais não representam apenas um espaço físico, mas são guardiões da nossa memória, tradições e manifestações culturais, e ainda atraem grande quantidade de fiéis que precisam de condições dignas para exercerem sua fé”, ressalta a secretária interina da Cultura, Yara Nunes. 

 

Veja também:

Cidade goiana é histórica e remete aos tempos dourados da exploração de ouro no Brasil

Entenda a importância da Igreja de grande relevância histórica na Região Metropolitana de Goiânia e que será revitalizada

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

 

Governo firma parceria para preservação do Coreto da Praça Cívica e Relógio da Avenida Goiás

O Governo de Goiás fez parcerias para preservar o Coreto da Praça Cívica e o Relógio da Avenida Goiás. Nesta segunda-feira (31/10), os secretários de Estado da Retomada e da de Cultura se reuniram com representantes da Secretaria Municipal de Cultura de Goiânia, do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da capital, da Caixa de Assistência dos Advogados de Goiás (Casag) e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para definir as ações de recuperação e manutenção dos prédios.  

O Coreto e o Relógio integram o conjunto de monumentos e prédios de Art Decó no centro da capital tombados pelo Iphan em 2003. Eles fazem parte do projeto “Adote uma praça”, da Prefeitura de Goiânia, que assinou um termo de cooperação com a Casag em 2019 e, a desde então, a entidade se tornou responsável pela recuperação e manutenção dos prédios. 

Na reunião ficou estabelecido que a Prefeitura de Goiânia irá renovar o termo de cooperação com a Casag. Como a ação imediata para preservar os monumentos, a administração municipal, por meio da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), fará a limpeza e cuidará do paisagismo do Coreto da Praça Cívica e do Relógio da Avenida Goiás (foto).

relogio

Nas atribuições e responsabilidade de cada um no novo documento, a Casag continuará responsável pelo restauro e manutenção dos prédios. Já o Governo de Goiás será parceiro em ações de segurança para prevenir futuras depredações. 

Participaram da reunião os secretários de Estado Marcelo Carneiro (Cultura) e César Moura (Retomada); o superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em Goiás, Allyson Cabral; a secretária-executiva da Secretaria Municipal de Cultura, Luana Jardim; o presidente do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de Goiânia, Welington Silva; e a secretária-geral da Casag, Daniella Grangeiro Ferreria Kafuri. 

 

Fotos: Secom

Cemitérios municipais são revitalizados para o Feriado de Finados em Goiânia

Os quatro cemitérios municipais de Goiânia passam por reformas, limpeza e manutenção para receber os visitantes durante o feriado de Finados nesta quarta-feira, 2 de Novembro.

Os trabalhos da Comurg envolvem roçagem de mato alto, capina da grama, varrição, rastelação, remoção de lixo e entulho e pintura dos meios-fios nas áreas internas, externas e ruas adjacentes aos cemitérios. Também há substituição de lixeiras, reparos na iluminação e pintura.

A limpeza ocorre simultaneamente nas quatro unidades: Cemitério Parque, Cemitério Santana, Cemitério Vale da Paz e Cemitério Jardim da Saudade. Além da preparação que antecede o feriado, a Comurg vai manter equipes plantonistas nas áreas externas das unidades durante todo o Dia de Finados.

Nos dias seguintes, as equipes retornam às áreas internas para remover lixos descartados irregularmente e resíduos dos jardins. “A ação tem como foco as áreas comuns das unidades, uma vez que a conservação dos túmulos e jazigos é de responsabilidade das famílias”, afirma o presidente da Comurg, Alisson Borges, acrescentando que a ação atende solicitação da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Humano e Social (Sedhs), responsável pela manutenção e gestão dos cemitérios municipais.

Confira os endereços dos cemitérios municipais de Goiânia:

Cemitério Parque – Endereço: Avenida São Domingos, Setor Urias Magalhães com Gentil Meirelles

Cemitério Santana – Endereço: Avenida Independência, s/nº – Setor dos Funcionários

Cemitério Vale da Paz – Endereço: GO-020, km 8, saída para Bela Vista

Cemitério Jardim da Saudade – Endereço: Avenida Trindade, S/N, Setor Maísa, extensão Goiânia – saída para Trindade

Imagem: Luciano Magalhães

Biblioteca Municipal Marieta Telles é reaberta em Goiânia

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult), reabriu, nesta quarta-feira (31/08), a Biblioteca Municipal Marieta Telles, onde está localizado o Palácio da Cultura, na Praça Universitária. Horário de funcionamento é de segunda-feira a sexta-feira, das 07h às 17h.

Após fortes chuvas, no final do ano passado, o espaço apresentou problemas de infiltração, e precisou passar por reparos na pintura do pavimento térreo e superior, instalação de novos pontos de luminárias, e execução do piso de alta resistência.

biblioteca

Segundo o secretário municipal de Cultura, Zander Fábio, a manutenção da biblioteca faz parte do projeto de restauração gradual dos polos da Secult. “Já demos o pontapé na ordem de serviço dos reparos na Biblioteca Cora Coralina e no Museu de Arte de Goiânia. Neste mês de agosto, entregamos o Centro Livre de Artes após manutenção”, ressalta.

A reforma manteve a estrutura antiga sem alterar a arquitetura do prédio, com mais de 50 anos de fundação. “Tomamos todos os cuidados para que não houvesse nenhuma intervenção física na construção, que faz parte da história de Goiânia”, observa o titular da Secult Goiânia.

Fotos: Secult

Novo Terminal Isidória será inaugurado ainda este mês em Goiânia

Depois de passar por completa reestruturação para receber, no futuro próximo, os ônibus do BRT Norte-Sul, o Terminal Isidória, localizado no Setor Pedro Ludovico, será reaberto pela Prefeitura de Goiânia na tarde da sexta-feira, dia 22 de julho. A área construída passou de 2,1 mil para 7,9 mil metros quadrados, ou seja: ele é três vezes maior do que o antigo. As obras começaram em fevereiro de 2020 e o investimento total foi de R$ 19,5 milhões. Cerca de 1,5 milhão de passageiros deve passar pelo local todo mês.

“As obras de modernização e de adequação do Terminal Isidória são resgate do nosso compromisso de investir em melhorias no transporte coletivo, e de cuidar das pessoas”, afirma o prefeito Rogério Cruz. “É um projeto de alta qualidade. A nova estrutura é inovadora, oferece conforto, acessibilidade e conectividade aos passageiros de ônibus”, destaca. 

São quatro plataformas comuns para embarque e desembarque de passageiros e uma específica para o BRT, além de banheiros, lanchonetes, área de apoio administrativo e elevador. A cobertura de 8 mil metros quadrados é metálica, o que propiciará temperaturas mais amenas no ambiente interno. São 35 pilares de 11 metros cada e 7,1 mil metros quadrados de pavimento de concreto. Em média, 80 operários trabalharam no dia a dia da obra. O projeto demandou 290 toneladas de aço. A nova rede de drenagem tem 1,6 mil metros. 

Os passageiros que utilizarem o Isidória terão acesso a rede de Wi-Fi (com limite de tempo). Cinco roteadores funcionarão para garantir a qualidade do sinal de internet. Eles usufruirão de uma rede diferente daquela a ser usada pela prefeitura na gestão do terminal. 

“É um terminal realmente diferenciado, sem igual em Goiânia. Ficou muito bonito, aconchegante, foi pensado em cada detalhe para entregar o que há de melhor ao usuário do transporte coletivo da nossa capital”, afirma o secretário de Infraestrutura, Everton Schmaltz. “O projeto foi elaborado dentro da mesma premissa do BRT, que é a de terminais inteligentes e tecnológicos”, diz Amanda Vieira, secretária interina da Secretaria Municipal de Inovação, Ciência e Tecnologia (Sictec).

Tecnologia avançada

A Central de Controle e Operação (CCO) vai cuidar da segurança no local com auxílio de 32 câmeras de vigilância, das quais 30 são fixas (instaladas nas entradas e nas plataformas de embarque) e duas com capacidade para se movimentar em 360°, com resolução e poder de alcance ampliados (são as chamadas ‘Speed Dome’). O acompanhamento das imagens será feito pela Guarda Civil Metropolitana (GCM) e pela Secretaria Municipal de Mobilidade (SMM), 24 horas por dia.

O terminal conta ainda com duas câmeras de leitura, que foram instaladas para capturar placa e hora de cada ônibus que passar pelo local. Serão dados úteis principalmente para CMTC (Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos), órgão responsável por fiscalizar o cumprimento da planilha de horários. Além, é claro, dos monitores que informam aos passageiros a previsão de chegada e saída dos veículos (chamados de pontos de RMTV). 

Funcionamento do terminal

A partir do dia 23 de Julho, os passageiros das linhas 2, 6, 7, 9, 14, 15, 20, 25, 183, 185, 198, 203, 565, 568, 612, 616, 650, 651, 660, 919, 920 e 934 já poderão embarcar e desembarcar no novo terminal, cujo horário de funcionamento será sempre das 5h às 23h30.

De acordo com a CMTC, cerca de 60 mil usuários por dia devem passar pelo Isidória de segunda a sexta, 21 mil aos sábados e 8 mil aos domingos. Cruzarão o terminal 22 linhas. “Importante ressaltar que a parceria entre prefeitura e governo do Estado está sendo decisivo para que o transporte coletivo da região metropolitana melhore”, diz Tarcísio Abreu, presidente da CMTC.

 

Imagem: Seinfra

Governo de Goiás vai reformar teatro tombado em Pirenópolis

O governador Ronaldo Caiado autorizou a reforma do Theatro Sebastião Pompeu de Pina, que na cidade de Pirenópolis. O prédio deve ser utilizado para receber uma unidade do Colégio de Tecnologia de Artes para capacitação da população local. As informações são do portal Mais Goiás. 

Os recursos para a reforma são do orçamento do Governo de Goiás, que assume a empreitada após dois anos de paralisação, e a previsão é que R$ 2,5 milhões sejam utilizados nas obras. Até então, as obras estavam sob o comando do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), mas devido a cortes do governo federal, o órgão ficou sem recursos para concluir a execução do projeto.

Desde o início de sua gestão, Caiado tem articulado, em Brasília e em Goiânia, recursos para serem investidos na recuperação e conservação de prédios históricos do Estado. 

Reforço estrutural

Entre as mudanças previstas estão reforço estrutural e de fundações, recuperação arquitetônica integral do edifício, com reestruturação da fachada frontal, além de adequações de instalações acústicas e cênicas, entre outras. Segundo o governo do Estado, metade da obra está concluída.

O Theatro Sebastião Pompeu de Pina foi construído no fim do Século XIX, por isso, é considerado de valor histórico e cultural, e foi tombado por lei estadual e pelo Iphan ainda na década de 1980. Desde 2016, o prédio histórico segue interdidato.

 

Imagem: cidadedepirenopolis.blogspot.com