Parque Bernardo Élis recebe projeto sustentável neste domingo com entrada gratuita

Neste domingo, 28 de janeiro, o Parque Bernardo Élis, em Goiânia, será palco de um evento sustentável promovido pelo Movimento Lixo Zero. O Drive-Thru de materiais recicláveis ocorrerá das 10h às 18h e tem como propósito orientar a população sobre o descarte correto de resíduos sólidos, antes que se tornem lixo, além de promover a coleta seletiva e destinação adequada dos materiais.

A iniciativa, que está em sua segunda edição no Parque Bernardo Élis, é uma oportunidade para os cidadãos contribuírem ativamente para a sustentabilidade da cidade. Diversos tipos de materiais serão recolhidos, como recicláveis (plástico, papel, metal e vidro), eletrônicos (computadores, tablets, celulares, entre outros), instrumentos de escrita, esponjas de limpeza, óleo usado, tampinhas plásticas, cápsulas de café e até chinelos Havaianas.

Uma ação especial durante o evento será o sorteio de um computador, proveniente da reciclagem de eletrônicos. O aparelho foi consertado e está pronto para ser reutilizado, exemplificando o conceito de reaproveitamento, um dos 5Rs da sustentabilidade.

Ação realizada na edição passada / foto: divulgação

Raquel Pires, bióloga e idealizadora do Movimento Lixo Zero, destaca que a participação da população é fundamental para a transformação da cidade em direção à sustentabilidade. Ela ressalta que muitas pessoas desejam agir corretamente, mas não sabem como, e a iniciativa proporciona informações cruciais sobre o descarte adequado.

Os resíduos arrecadados durante o Drive-Thru serão destinados às cooperativas de catadores de materiais recicláveis do Programa Goiânia Coleta Seletiva, contribuindo para a inclusão social e melhores condições de trabalho para esses profissionais. Outros tipos de resíduos serão encaminhados aos parceiros do projeto.

O projeto atua em Goiás desde 2015, promovendo melhorias nos aspectos ambientais, sociais, de saúde e educação. Buscando alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) até 2030, a organização pretende estabelecer acordos sociais amplos, envolvendo governo, empresas e sociedade civil.

 

CASACOR Goiás 2024 já tem data para acontecer

A capital goiana se prepara para sediar, de 9 de maio a 23 de junho, a 27ª edição da CASACOR Goiás, marcada por um tema que promete reflexão: “De Presente, o Agora”. O evento, uma vitrine de tendências em arquitetura, design de interiores e paisagismo, acontecerá na histórica academia Athletics, situada no Setor Bueno. Este encontro entre profissionais de renome e a imprensa foi oficialmente anunciado em um evento na Vila Cultural Cora Coralina, sob a organização das arquitetas e empresárias Eliane Martins e Sheila Podestá.

A escolha da antiga academia Athletics como palco para o evento não é casual. Eliane Martins enfatiza a sinergia entre o local e o tema da mostra, destacando o compromisso da CASACOR em revitalizar espaços com significado histórico e fomentar uma conexão mais profunda com a essência urbana. Esta edição é um convite à contemplação e ao questionamento sobre o legado que deixaremos para o futuro, tanto para as próximas gerações quanto para o planeta.

Pedro Ariel, o curador da CASACOR, junto com a consultora de estilo Lili Tedde, uma referência global em tendências, apresentou o tema da mostra, enfatizando a atual crise climática e a necessidade de soluções sustentáveis. A ideia é olhar para o passado e aprender com nossos ancestrais para criar um futuro mais harmonioso com a natureza.

Em números, a CASACOR 2023 foi um sucesso retumbante, com mais de 29 mil visitantes, 36 ambientes diferentes em 7 mil metros quadrados, envolvendo 59 profissionais e 114 empresas. Sheila Podestá expressa a expectativa de que a edição de 2024 supere esses números, refletindo o crescimento e a evolução da mostra.

A CASACOR Goiás 2024 promete ser um marco na cena arquitetônica e de design do estado, não apenas por sua escala e impacto, mas também por sua abordagem reflexiva e consciente sobre os desafios contemporâneos e a responsabilidade em moldar um futuro sustentável.

Informações do Evento:

  • Tema: De Presente, o Agora
  • Datas: 9 de maio a 23 de junho
  • Local: Antiga academia Athletics, Av. T-12 esq. com Rua T-37, Setor Bueno, Goiânia, GO

Leia também:

Goiânia recebe tradicional carnaval de rua para famílias

Goiânia é a capital com mais simpatizantes de direita no Brasil, revela pesquisa

Os 10 carros elétricos mais vendidos no Brasil

O mercado de carros elétricos no Brasil tem apresentado um crescimento significativo, com uma variedade de modelos que atendem a diferentes preferências e necessidades. Em 2023, alguns modelos se destacaram em vendas, demonstrando a preferência dos consumidores brasileiros. Aqui estão os 10 carros elétricos mais vendidos no Brasil, segundo dados da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), com informações adicionais sobre cada um:

BYD Dolphin: Este modelo liderou as vendas com 4.564 unidades. É conhecido por seu design inovador e eficiência energética.

Volvo XC40: Com 1.443 unidades vendidas, este SUV combina luxo com desempenho ambientalmente amigável.

BYD Yuan Plus: Este SUV vendeu 1.281 unidades e é apreciado por seu amplo espaço interno e tecnologia avançada.

Volvo C40: Vendendo 699 unidades, este modelo é uma versão coupé do XC40, conhecido por seu estilo e eficiência.

Jac E-JS1: Com 404 unidades vendidas, é um modelo compacto e acessível, popular entre motoristas urbanos.

Mini Cooper S E: Este modelo icônico, com uma versão elétrica, vendeu 363 unidades e é conhecido por seu design charmoso e desempenho ágil.

BYD D1: Com 318 unidades vendidas, é uma minivan focada em serviços de aplicativo, destacando-se pela sua versatilidade.

Renault Kwid E Tech 100% Elétrico. Foto: Rodolfo BUHRER / La Imagem / Renault

Renault Kwid E-Tech: Vendeu 301 unidades e é conhecido por ser um dos elétricos mais acessíveis no mercado brasileiro.

BMW IX3: Este modelo vendeu 299 unidades, oferecendo luxo e tecnologia avançada em um pacote SUV.

BMW IX: Com 275 unidades vendidas, é outro modelo de luxo da BMW, conhecido por seu design inovador e recursos de alta tecnologia.

Esses dados refletem a crescente aceitação dos veículos elétricos no Brasil, com uma variedade de opções que vão desde carros compactos até SUVs de luxo. As marcas estão investindo cada vez mais em tecnologias que oferecem maior autonomia e eficiência, atendendo às demandas de um público consciente das questões ambientais.

Leia também:

Ilha brasileira é refúgio natural apaixonante, sem carros e com natureza exuberante

Quais as melhores marcas de pneus para carros elétricos no Brasil?

Os 10 carros mais vendidos no Brasil em 2023

Santuário ecológico que já foi colônia penal e presídio político é um verdadeiro paraíso ecológico

O Parque Estadual da Ilha Anchieta, situado em Ubatuba, é um verdadeiro santuário ecológico e histórico. Esta ilha, conhecida anteriormente como Ilha dos Porcos, tem um passado marcante, tendo sido habitada por indígenas Tupinambás e servido como colônia penal e local de presídio político. Hoje, o parque, criado em 1977, é reconhecido por sua rica biodiversidade e esforços de preservação ambiental.

A biodiversidade da Ilha Anchieta é um de seus principais atrativos. Abrigando uma ampla gama de ecossistemas, como a floresta ombrófila densa da Mata Atlântica, costões rochosos, manguezais e vegetação de restinga, o parque é um ponto chave para a conservação de espécies marinhas e terrestres. A fauna marinha inclui peixes, crustáceos, moluscos, corais e diversas espécies de aves marinhas, enquanto a fauna terrestre conta com animais como saguis, preguiças, tatus e gambás.

Além da sua importância ecológica, o Parque Estadual da Ilha Anchieta possui um rico patrimônio histórico-cultural, incluindo mais de 2.000 m² de edificações conservadas e as ruínas do antigo presídio, quartel e vila civil, que são patrimônios tombados pelo CONDEPHAAT. O turismo ecológico é uma das principais atividades na ilha, oferecendo opções de lazer como caminhadas ecológicas, mergulho em águas cristalinas, e a contemplação da exuberante paisagem natural e histórica.

O acesso ao Parque Estadual da Ilha Anchieta, localizado em Ubatuba, é feito predominantemente por meio de embarcações, como escunas e lanchas, saindo de diferentes locais da região. Os passeios partem de pontos como a Praia da Enseada, Praia do Lázaro, e Saco da Ribeira, oferecendo uma travessia rápida e cênica até a ilha. As águas dessas praias são seguras e ideais para famílias, incluindo crianças. Além disso, a Praia da Enseada, por exemplo, é conhecida por sua boa infraestrutura e proximidade a outros atrativos turísticos, tornando-a uma escolha popular para quem deseja explorar a região e realizar passeios de barco

Os passeios de lancha pela ilha Anchieta, oferecidos por diversas operadoras de turismo, incluem visitas a praias como a Praia do Presídio e Praia do Engenho, onde os visitantes podem desfrutar de belas paisagens e águas cristalinas. Além disso, há trilhas autoguiadas que levam a locais como a Praia das Palmas, oferecendo aos turistas a oportunidade de explorar a rica biodiversidade e o patrimônio natural da ilha. Estes passeios de lancha costumam ter duração aproximada de 6 horas e 30 minutos, proporcionando uma experiência completa e enriquecedora.

Para quem busca uma experiência mais detalhada e personalizada, os passeios de escuna são uma ótima opção, incluindo paradas em praias paradisíacas e oportunidades para atividades como snorkel e mergulho, aproveitando a diversidade marinha da região. Estes passeios oferecem vistas panorâmicas de praias como o Flamengo e o Flamenguinho, além de outras praias deslumbrantes ao redor da ilha

O Parque Estadual da Ilha Anchieta, localizado em Ubatuba, é um exemplo de preservação ambiental e ecoturismo. Esta ilha possui uma história rica, já tendo sido conhecida como Ilha dos Porcos e servido como colônia penal. Hoje, destaca-se como um refúgio para diversas espécies e um importante destino de ecoturismo.

Biodiversidade e Ecossistemas A ilha abriga ecossistemas variados, incluindo a floresta ombrófila densa da Mata Atlântica, costões rochosos, manguezais e vegetação de restinga, que são essenciais para a conservação da biodiversidade marinha e terrestre. A fauna marinha inclui espécies como peixes-palhaço, raias, polvos, tartarugas marinhas, além de ser um local importante de reprodução de aves marinhas. A fauna terrestre inclui saguis, preguiças, tatus, gambás e quatis, e a flora é composta principalmente por Mata Atlântica, com árvores como jequitibá-rosa, canela e pau-brasil, além de bromélias, orquídeas e samambaias​​.

Patrimônio Histórico O Parque possui mais de 2.000 m² de edificações conservadas, incluindo as ruínas do antigo presídio e instalações militares. Esta parte histórica é tombada pelo CONDEPHAAT, refletindo a importância histórica e cultural da ilha​​.

Turismo e Atividades O turismo na Ilha Anchieta oferece diversas opções de lazer, incluindo caminhadas ecológicas, mergulho em águas claras e exploração do rico patrimônio histórico cultural. O acesso à ilha é feito principalmente por barco, com várias opções de embarque disponíveis em Ubatuba​​.

Conservação e Sustentabilidade O Parque Estadual da Ilha Anchieta tem como objetivos a proteção e conservação dos ecossistemas naturais, o desenvolvimento de pesquisas científicas, a realização de atividades de educação ambiental e recreação em contato com a natureza. A ilha é gerida pela Fundação Florestal em parceria com a iniciativa privada, seguindo padrões de sustentabilidade para preservar o patrimônio natural e valorizar a cultura local​​​​.

Biodiversidade e Sustentabilidade
O parque, integrante do bioma da Mata Atlântica, abriga uma variedade de ecossistemas como floresta ombrófila densa, costão rochoso, manguezais e restingas. Estes ecossistemas são vitais para a manutenção da diversidade marinha e terrestre, incluindo espécies ameaçadas. A introdução de espécies não nativas no passado, como macacos-prego e quatis, trouxe desafios, mas a gestão atual se dedica ao monitoramento dessas populações.

Turismo Ecológico e Cultura Local
Sob a administração da Fundação Florestal e do Green Haven, a ilha prioriza a sustentabilidade e a educação ambiental. Os visitantes podem explorar a ilha através de trilhas e atividades de mergulho, apreciando a fauna marinha rica, como tartarugas e diversas espécies de peixes. Além disso, a ilha preserva importantes ruínas históricas, como as do antigo presídio, oferecendo uma viagem pela história brasileira.

Gestão e Infraestrutura
A parceria público-privada tem se mostrado eficaz na preservação do patrimônio natural e cultural do parque. As operações turísticas são planejadas para minimizar impactos ambientais, com ênfase na energia renovável e tratamento sustentável de resíduos. O projeto também busca valorizar a cultura local, com a oferta de pratos típicos da culinária caiçara e quilombola e atividades que refletem a história da ilha.

Importância Educacional

A Ilha Anchieta serve não apenas como um destino turístico, mas também como uma oportunidade educativa. Programas de visitação pública e atividades de educação ambiental são oferecidos, destacando a importância da conservação e do respeito à natureza.

Visitação
O parque oferece diversas trilhas e atividades, com foco na sustentabilidade e na preservação ambiental. Para mais informações sobre visitas e reservas, os interessados podem acessar o site oficial [Green Haven Anchieta](https://greenhavenilhaanchieta.com.br/) ou entrar em contato pelo telefone (12) 3842-1231.

Em resumo, o Parque Estadual da Ilha Anchieta é um exemplo de como o turismo ecológico e a conservação ambiental podem caminhar juntos, oferecendo aos visitantes uma experiência única de contato com a natureza e a história.

Leia também:

10 praias maravilhosas do Sudeste brasileiro para o goiano ir de carro e aproveitar o final de ano

5 destinos imperdíveis para conhecer no sul da Bahia

Cidade paradisíaca no sul da Bahia atrai goianos que querem sol e mar no Réveillon

Revelamos o calendário de festas e eventos agropecuários em Goiás em 2024

O agronegócio, vital para a economia de Goiás, desempenha um papel crucial na realização de eventos significativos, incluindo feiras e exposições. Em 2024, Goiás se tornará um ponto de encontro para especialistas, profissionais e entusiastas do agronegócio, com uma agenda repleta de atividades focadas em fornecer informações valiosas, promover a inovação tecnológica no setor rural, fomentar negócios, compartilhar experiências e oferecer entretenimento ao público.

A Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa) planeja uma série de iniciativas ao longo do ano. O destaque fica por conta da 8ª Conferência Nacional sobre Defesa Agropecuária (8ª CNDA), programada para ocorrer de 4 a 6 de junho, no Centro de Convenções de Goiânia. Este evento, organizado pelo Governo de Goiás em parceria com a Agrodefesa e a Sociedade Brasileira de Defesa Agropecuária (SBDA), reunirá mais de 1.100 participantes e contará com mais de 100 palestras técnicas e reuniões institucionais. Será a primeira vez que um estado do Centro-Oeste sediará o evento, marcando um momento histórico para a região.

Telma Gonzaga, gerente de Educação Sanitária da Agrodefesa, destaca a importância dos eventos na promoção e fortalecimento da educação sanitária em Goiás. Ela ressalta: “Queremos mostrar a importância da defesa agropecuária para a sociedade, especialmente em relação à qualidade do alimento que chega até a mesa da população. Desde antes do plantio até o pós-colheita, toda a produção agrícola passa pela atuação da Agrodefesa. O mesmo ocorre na área animal. Por isso, é necessário cada vez mais proporcionar conhecimento para quem está no campo e nas cidades.” A Agência pretende levar informações relevantes sobre a sanidade vegetal e animal em Goiás, dialogando com diferentes públicos em uma variedade de eventos, como fóruns, exposições agropecuárias, dias de campo, workshops, leilões e feiras de tecnologia rural.

Para melhorar o acesso a esses recursos educativos, a Gerência de Educação Sanitária da Agrodefesa criou um acesso no portal www.agrodefesa.go.gov.br, que permite a solicitação de participação em eventos. Isso possibilita a instituições, entidades e outros interessados solicitar palestras dos profissionais da Agência ou a participação da Agrodefesa em eventos para compartilhar informações.

O Sistema Faeg/Senar/Ifag/Sindicatos Rurais, outro importante parceiro do Governo de Goiás no estímulo ao agronegócio, também tem uma extensa programação para 2024. A diretora de Comunicação, Marketing e Eventos do Sistema, Michelly Mancinelli, enfatiza: “Todos os eventos são idealizados e planejados com o objetivo de ampliar conhecimento sobre a agropecuária e quebrar paradigmas em relação ao setor, além de mostrar a relevância do agro para o campo e para a cidade.” A programação inclui desde expedições para conhecer a realidade da safra de soja até o maior evento da cadeia leiteira do Brasil, refletindo a diversidade e a riqueza do setor agropecuário em Goiás.

Confira eventos já programados para 2024 em Goiás
A lista pode sofrer alterações

JANEIRO
Expedição Safra Goiás

Data: 15 a 22 de janeiro de 2024
Local: Saída de Goiânia/várias cidades do estado
Informações: https://www.instagram.com/expedicao.safragoias/

6º Tour da Soja
Data: 19 de janeiro de 2024
Local: Instituto Goiano de Agricultura (IGA) – Montividiu (GO)
Informações: https://iga-go.com.br/noticias/save-the-date-tour-da-soja-2024

16º Encontro Nacional de Muladeiros
Data: 23 a 28 de janeiro de 2024
Local: Parque de Exposições – Iporá (GO)
Informações: https://www.instagram.com/encontromuladeirosipora/

4ª Vitrine da Soja

Data: 24 e 25 de janeiro de 2024
Local: Fazenda Paraíso – Jataí (GO)
Informações: https://www.instagram.com/vitrinedasoja/

Abertura Estadual da Colheita de Soja – GO/DF

Data: 26 de janeiro de 2024
Local: Parque Tecnológico Ivaldo Cenci (AgroBrasília) – Brasília (DF)

Corrida Senar Goiás

Data: 28 de janeiro de 2024
Local: Goiânia (GO)
Informações: https://sistemafaeg.com.br/senar

MARÇO
Encontro Estadual de Apicultura Goiana

Data: 27 de março de 2024
Local: Goiânia (GO)
Informações: https://sistemafaeg.com.br

ABRIL
21ª Tecnoshow Comigo – Maior feira de tecnologia rural do Centro-Oeste
Data: 8 a 12 de abril de 2024
Local: Centro Tecnológico Comigo (CTC) – Rio Verde (GO)
Informações: https://www.tecnoshowcomigo.com.br/

Expopec – Exposição das tecnologias voltadas ao desenvolvimento da pecuária e agricultura

Data: 17 a 20 de abril de 2024
Local: Parque de Exposições – Porangatu (GO)
Informações: https://www.instagram.com/sindicatoruraldeporangatu/

5ª Feinagro – Feira de Negócios da Comiva
Data: 23 a 26 de abril de 2024
Local: Parque de Exposições – Mineiros (GO)
Informações: https://feinagrocomiva.com.br/

MAIO

Agrotecnoleite Complem

Data: 07 a 10 de maio de 2024
Local: Centro Tecnológico Complem – Morrinhos (GO)
Informações: https://agrotecnoleitecomplem.com.br/

Agro Centro-Oeste Familiar
Data: 08 a 10 de maio de 2024
Local: Centro Universitário de Mineiros (Unifimes) – Mineiros (GO)
Informações: https://www.instagram.com/agrocentrooeste2024/

77ª Exposição Agropecuária do Estado de Goiás
Data: 16 a 26 de maio de 2024
Local: Parque de Exposições Pedro Ludovico Teixeira – Goiânia (GO)
Informações: https://sgpa.com.br/

Exposição Agropecuária de Jataí (Expaja 50 anos)
Data: 29 de maio a 2 de junho de 2024
Local: Parque de Exposições de Jataí (GO)
Informações: www.expaja.com.br

JUNHO
8ª Conferência Nacional de Defesa Agropecuária

Data: 04 a 06 de junho de 2024
Local: Centro de Convenções – Goiânia (GO)
Informações: http://www.agrodefesa.go.gov.br/noticias/1228-8ª-conferência-nacional-sobre-defesa-agropecuária-é-apresentada-para-parceiros-e-entidades-do-setor-produtivo-rural-em-goiás.html

Feira Nacional do Agronegócio de Pontalina e Região (Fenashow)
Data: 04 a 07 de junho de 2024
Local: Parque de Exposições Agropecuário de Pontalina (GO)
Informações: www.fenashow.com.br

Queima do Alho
Data: 22 de junho de 2024
Local: Rio Verde (GO)
Informações: https://www.sindicatoruralrioverde.com.br/

JULHO
Exposição Agropecuária de Rio Verde

Data: 04 a 14 de julho de 2024
Local: Parque de Exposições – Rio Verde (GO)
Informações: https://www.sindicatoruralrioverde.com.br/

Exposição Agropecuária de Catalão – ExpoCatalão 2024

Data: 26 de julho a 4 de agosto de 2024
Local: Parque de Exposição de Catalão (GO)
Informações: https://www.sindicatoruralcatalao.com.br/expocatalao

AGOSTO
Agrotrend – Encontro Estadual de Mercado Agropecuário
Data: 1º e 02 de agosto de 2024
Local: Goiânia (GO)
Informações: https://sistemafaeg.com.br

Interleite Brasil 2024
Data: 14 e 15 de agosto de 2024
Local: Centro de Convenções – Goiânia (GO)
Informações: https://www.interleite.com.br/

2º Encontro Mulheres em Campo
Data: 23 de agosto de 2024
Local: Goiânia (GO)
Informações: https://sistemafaeg.com.br

SETEMBRO
45ª Festa Estadual e 30ª Festa Nacional da Melancia
Data: setembro de 2024 (data a confirmar)
Local: Uruana (GO)

Confira eventos já programados para 2024 em outros estados
A lista pode sofrer alterações

FEVEREIRO
Show Rural Coopavel

Data: 05 a 09 de fevereiro de 2024
Local: Cascavel (PR)
Informações: https://showrural.com.br/

MARÇO
Expodireto Cotrijal

Data: 04 a 08 de março de 2024
Local: Não-Me-Toque (RS)
Informações: https://www.expodireto.cotrijal.com.br/

Farm Show MT
Data: 12 a 15 de março de 2024
Local: Primavera do Leste (MT)
Informações: https://www.farmshow.com.br/

Show Safra
Data: 18 a 22 de março de 2024
Local: Lucas do Rio Verde (MT)
Informações: https://www.showsafra.com.br/

ABRIL
Agro 360 Tocantins
Data: 18 a 20 de abril de 2024
Local: Peixe (TO)
Informações: https://agro360tocantins.com.br/

89ª Expozebu
Data: 27 de abril a 05 de maio de 2024
Local: Uberaba (MG)
Informações: https://expozebu.com.br/

Agrishow

Data: 29 de abril a 3 de maio de 2024
Local: Ribeirão Preto (SP)
Informações: https://www.agrishow.com.br/pt/home.html

MAIO
Agro Brasília
Data: 21 a 25 de maio de 2024
Local: Parque Tecnológico Ivaldo Cenci – Brasília (DF)
Informações: https://www.agrobrasilia.com.br/

Aqui Show Brasil
Data: 21 a 24 de maio de 2024
Local: São José do Rio Preto (SP)
Informações: https://aquishowbrasil.com.br/

Showtec 2024
Data: 21 a 23 de maio de 2024
Local: Maracaju (MS)
Informações: https://portalshowtec.com.br/

JUNHO
Bahia Farm Show

Data: 11 a 15 de junho de 2024
Local: Luis Eduardo Magalhães (BA)
Informações: https://bahiafarmshow.com.br/
Informações: https://www.sindicatoruralcatalao.com.br/expocatalao

AGOSTO
Congresso ANDAV

Data: 06 a 08 de agosto de 2024
Local: São Paulo (SP)
Informações: https://eventosandav.com.br/

Fenasucro e Agrocana
Data: 13 a 16 de agosto de 2024
Local: Sertãozinho (SP)
Informações: https://www.fenasucro.com.br/pt-br.html

SETEMBRO
14º Congresso Brasileiro do Algodão
Data: 03 a 05 de setembro de 2024
Local: Centro de Eventos do Ceará – Fortaleza (CE)
Informações: https://congressodoalgodao.com.br/

Paraíso natural intocado e exuberante atrai turistas de todo o mundo e já pertenceu a Goiás

O Jalapão, um dos mais magníficos paraísos naturais do Brasil, tem uma história intrinsecamente ligada à formação do estado do Tocantins. Até 1989, essa região fazia parte de Goiás. A criação do novo estado, catalisada pela greve de fome do deputado federal goiano José Wilson Siqueira Campos, mudou não apenas mapas políticos, mas também a gestão e o reconhecimento deste tesouro natural. Hoje, o Jalapão é um ícone do Tocantins, atraindo olhares do mundo todo.

 Jalapão: uma reserva única e exuberante

O Jalapão no Tocantins é um dos destinos naturais do Brasil mais procurados por turistas

O Jalapão no Tocantins é um dos destinos naturais do Brasil mais procurados por turistas

Classificado simultaneamente como Área de Proteção Ambiental (APA) e Parque Estadual, o Jalapão é uma vasta extensão de natureza selvagem e preservada, cobrindo cerca de 34.000 km². Este tamanho monumental o coloca na escala de países como Bélgica e Israel, porém, com uma característica distintamente única: sua incrível biodiversidade e paisagens naturais quase intocadas pela mão humana.

O Jalapão abriga ecossistemas variados, desde vastas savanas a cerrados, veredas, e uma rica coleção de rios e nascentes. Esta diversidade cria um habitat ideal para uma ampla gama de flora e fauna, algumas das quais são espécies endêmicas. A região é um paraíso para biólogos e amantes da natureza, oferecendo uma janela para a biodiversidade única do Cerrado brasileiro.

A topografia do Jalapão é marcada por uma série de formações naturais impressionantes – desde suas dunas alaranjadas, rios de águas límpidas e borbulhantes fervedouros, até as majestosas chapadas e serras. Esta variedade paisagística não só contribui para a beleza cênica da região, mas também para seu valor ecológico e geológico.

O Jalapão se estende por diversos municípios, incluindo Mateiros, Ponte Alta do Tocantins e São Félix do Tocantins. Cada um destes locais tem suas próprias características e encantos, contribuindo para a tapeçaria cultural e natural do Jalapão. Com uma população total estimada em menos de 10.000 habitantes, essas áreas mantêm um caráter rural e tranquilo, onde a vida flui em um ritmo mais lento e mais sintonizado com a natureza.

A baixa densidade populacional da região é um fator chave na conservação de suas riquezas naturais. Isso permite que a flora e fauna prosperem com mínima interferência humana, tornando o Jalapão um exemplo vivo de preservação e sustentabilidade. Além disso, a gestão cuidadosa da área como APA e Parque Estadual garante que as atividades humanas, incluindo o turismo, sejam conduzidas de forma a minimizar o impacto ambiental e maximizar a preservação destes ecossistemas únicos.

O Jalapão representa um microcosmo do que o Brasil tem de melhor em termos de belezas naturais e diversidade biológica. Seu status como APA e Parque Estadual não é apenas um título, mas um compromisso com a proteção e a valorização de um dos tesouros mais preciosos do país. A região do Jalapão é um lembrete poderoso da importância da conservação ambiental e da relação harmoniosa entre o homem e a natureza.

Riquezas e atrações do Jalapão

As águas azuis e misteriosas dos fervedouros são completamente apaixonantes

As águas azuis e misteriosas dos fervedouros são completamente apaixonantes

O Jalapão é famoso por suas paisagens únicas: dunas alaranjadas, rios de águas cristalinas, cachoeiras deslumbrantes, e formações rochosas peculiares. Os principais pontos turísticos incluem a Cachoeira da Velha, as impressionantes Dunas do Jalapão, e a mística Pedra Furada.

Os fervedouros, nascentes naturais que formam piscinas de águas límpidas e um fenômeno de flutuação, são atrações imperdíveis.

 

Explorando o Jalapão: Um Guia Detalhado dos Principais Pontos Turísticos

O Jalapão é um mosaico de atrações naturais, cada uma com suas peculiaridades e desafios de acesso. Aqui, detalhamos os pontos turísticos mais icônicos e adicionamos outros igualmente imperdíveis.

A Cachoeira da Velha encanta pelo volume e força da água

A Cachoeira da Velha encanta pelo volume e força da água

  • 1. Cachoeira da Velha: Com sua impressionante envergadura, a Cachoeira da Velha é um espetáculo da natureza. Acessível através de passarelas bem estruturadas, oferece segurança e conforto para a observação. Embora o banho não seja recomendado devido à forte correnteza, há áreas próximas adequadas para um mergulho seguro.

    As Dunas tem areia em tom laranjado da cor do por do sol da região

    As Dunas tem areia em tom laranjado da cor do por do sol da região

  • 2.Dunas do Jalapão: As dunas são um ícone do Jalapão, com suas areias alaranjadas criando um cenário deslumbrante, especialmente ao entardecer. O acesso, apesar de um pouco desafiador, é recompensador. Recomenda-se hidratação constante e proteção solar durante a visita.

  • Os Fervedores não deixam que as pessoas afundem na água. Mais um dos mistérios deste paraíso tropical

    Os Fervedores não deixam que as pessoas afundem na água. Mais um dos mistérios deste paraíso tropical

  • 3.Fervedouros: Uma experiência quase mística, os fervedouros são nascentes de água cristalina que criam um efeito de flutuação devido à pressão da água. Alguns, como o Bela Vista e o Buritizinho, são mais acessíveis, com infraestrutura de apoio, como passarelas e áreas de descanso.

    A bellissima Pedra Furada é um dos pontos fotográficos obrigatórios no Jalapão

    A bellissima Pedra Furada é um dos pontos fotográficos obrigatórios no Jalapão

  • 4. Pedra Furada: Esta formação rochosa oferece uma das vistas mais espetaculares do parque. O acesso, embora desafiador, é uma aventura em si, com trilhas que exigem um certo nível de preparo físico.

  • Cânion Sussuapara é belo

    Cânion Sussuapara é belo e desafiador

  • 5. Cânion Sussuapara: Um oásis escondido, o Cânion Sussuapara é uma fenda estreita com paredes de 20 metros de altura cobertas de vegetação, onde um riacho serpenteia por seu interior. A acessibilidade é moderada, sendo uma opção encantadora para aqueles que buscam tranquilidade e contato com a natureza.

  • A Praia do Rio Novo é linda e de fácil acesso

    A Praia do Rio Novo é linda e de fácil acesso

  • 6. Praia do Rio Novo: Uma praia de água doce com extensas faixas de areia, ideal para relaxar e apreciar a natureza. A área é acessível e oferece um refúgio perfeito para famílias e grupos de amigos.

Acessibilidade e recomendações para um passeio no Jalapão

  • Para Idosos e Crianças: Enquanto lugares como a Cachoeira da Velha e alguns fervedouros são acessíveis, outras atrações podem exigir mais esforço físico. É importante avaliar as condições de cada ponto turístico individualmente.

  • Infraestrutura: A região do Jalapão ainda está em desenvolvimento em termos de infraestrutura turística. Portanto, é aconselhável planejar a viagem com uma agência especializada e se informar sobre as condições de acesso e disponibilidade de serviços em cada local.

  • Cuidados: Devido às características naturais da região, é essencial estar preparado para terrenos variados, clima quente e, em alguns casos, pouca disponibilidade de serviços. Recomenda-se o uso de roupas leves, protetor solar, chapéu, e levar água em abundância.

Custos e Infraestrutura

O Jalapão, uma região ainda emergente no turismo brasileiro, apresenta uma gama de opções que refletem tanto sua beleza natural quanto suas limitações infraestruturais. A experiência no Jalapão varia amplamente em termos de custo, conforto e autenticidade cultural.

Opções de Hospedagem e Custo

  • Acomodações: As opções de hospedagem no Jalapão variam desde acampamentos básicos, ideais para aventureiros e viajantes com orçamento limitado, até pousadas que oferecem mais conforto e serviços. Estas últimas, embora mais caras, proporcionam comodidades como ar-condicionado, banheiros privativos e, em alguns casos, acesso à internet.

  • Custos de Viagem: O custo de uma viagem ao Jalapão depende largamente do tipo de acomodação e da duração da estadia. Pacotes turísticos podem incluir transporte, guias, alimentação e hospedagem, variando de preços acessíveis a opções mais luxuosas.

  • Alimentação: A culinária local é um ponto alto da viagem. Muitos pacotes incluem refeições que oferecem uma oportunidade de provar pratos típicos da região, como o arroz com pequi e outras especialidades do cerrado.

Artesanato de Capim Dourado

Mandala em Capim Dourado, principal artesanato do Tocantins e do Jalapão

Mandala em Capim Dourado, principal artesanato do Tocantins e do Jalapão

O artesanato feito com capim dourado é um dos tesouros culturais do Jalapão. Estas peças únicas, que vão desde joias a objetos decorativos, são feitas de forma sustentável e representam uma importante fonte de renda para as comunidades locais. A compra desses artesanatos apoia a economia local e promove a conservação ambiental.

O capim dourado, recurso natural emblemático do Jalapão, é colhido sob um regime de práticas sustentáveis e tradicionais, sendo um pilar tanto para a preservação ambiental quanto para a manutenção das tradições culturais locais.

A colheita do capim dourado ocorre anualmente, entre setembro e novembro. Este período, definido pela legislação ambiental, coincide com a fase de maturação da planta, quando os talos adquirem sua característica cor dourada. É também o momento anterior à floração, garantindo que a colheita não interfira no ciclo reprodutivo da espécie.

Capim Dourado in natura

Capim Dourado in natura

A atividade de colher o capim dourado é tradicionalmente realizada pelas comunidades quilombolas da região, principalmente pela comunidade de Mumbuca. Estes grupos têm uma relação histórica e cultural profunda com o capim dourado, passando as técnicas de colheita e artesanato de geração em geração.

O processo de colheita é regulado por legislações ambientais estaduais e federais para assegurar a sustentabilidade da prática. Somente os moradores locais e especialmente os membros das comunidades quilombolas têm o direito legal de colher o capim dourado.

Esta medida visa proteger o recurso contra a exploração excessiva e garantir que os benefícios econômicos retornem às comunidades tradicionais. Não existe um sistema formal de certificação para o capim dourado.

No entanto, as normas de colheita são estritamente monitoradas por órgãos ambientais, como o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), para assegurar que as práticas sustentáveis sejam mantidas. Este controle ajuda a preservar a biodiversidade da região e a garantir a continuidade da tradição artesanal.

A colheita do capim dourado no Jalapão é um exemplo notável de como práticas sustentáveis e a valorização da cultura local podem coexistir de forma harmoniosa.

Este equilíbrio entre a conservação ambiental e o desenvolvimento econômico sustentável é essencial para a preservação deste recurso único e para o bem-estar das comunidades que dependem dele.

A manutenção dessas práticas não apenas protege a biodiversidade do cerrado, mas também garante a continuidade de um legado cultural inestimável para as gerações futuras.

As Comunidades Quilombolas

  • Cultura e Tradição: As comunidades quilombolas do Jalapão são guardiãs de uma herança cultural rica e diversa. Suas tradições, práticas agrícolas sustentáveis e conhecimentos ancestrais oferecem aos visitantes uma perspectiva única sobre a história e cultura da região.

  • Turismo Comunitário: Algumas comunidades quilombolas oferecem experiências de turismo comunitário, permitindo aos visitantes uma imersão autêntica em suas tradições e modos de vida.

Desafios e Oportunidades

  • Acessibilidade: A região ainda enfrenta desafios de acessibilidade, com estradas de terra e infraestrutura básica em muitas áreas. Isto, por um lado, preserva a autenticidade da experiência, mas por outro, pode limitar o acesso a alguns visitantes.

  • Preservação e Desenvolvimento: O equilíbrio entre o desenvolvimento turístico e a preservação do meio ambiente e das culturas locais é fundamental. Iniciativas de turismo sustentável e responsável são essenciais para garantir que a beleza e a cultura do Jalapão sejam preservadas para as gerações futuras.

O Jalapão é um destino que oferece não apenas paisagens naturais de tirar o fôlego, mas também uma rica tapeçaria cultural e oportunidades para um turismo mais consciente e sustentável.

Para os que buscam uma experiência autêntica e enriquecedora, o Jalapão é, sem dúvida, um destino imperdível no coração do Brasil.

Impacto Turístico

O Jalapão tem se destacado cada vez mais no cenário turístico nacional e internacional. Anualmente, recebe milhares de turistas, atraídos pela sua beleza natural e pela promessa de uma experiência única em meio à natureza. Embora não haja dados precisos sobre o número exato de visitantes, estima-se que a maior parte seja composta por turistas brasileiros, seguidos por visitantes de países como Estados Unidos, Portugal e Argentina.

O Jalapão é uma região de beleza incontestável e importância ecológica significativa. A sua história, cultura, e as políticas de conservação ambiental aplicadas fazem dele um exemplo de turismo sustentável e responsável. Mais do que um destino turístico, o Jalapão é um patrimônio natural e cultural que merece ser conhecido, respeitado e preservado.

Cidade do interior do Tocantins é reduto dos goianos apaixonados por carnaval de rua Serras Gerais: um paraíso intocado na divisa dos estados de Goiás e Tocantins

Goiânia recebe edição de natal de feira sustentável com entrada gratuita

Os apaixonados pelo estilo de vida ecológico terão motivos de sobra para comemorar neste mês de dezembro! Marcado para o próximo sábado, dia 09, no Cepal Jardim América, a feira sustentável de plantas e brechós promete reunir o que há de melhor em moda e artigos para jardinagem.

Com entrada gratuita, a feira se destaca por sua ênfase na sustentabilidade, oferecendo aos visitantes uma experiência única. Os brechós participantes apresentam uma vasta seleção de roupas e acessórios exclusivos, proporcionando aos frequentadores a oportunidade de adquirir peças únicas com aquele toque que só os brechós possuem.

B

Foto: Divulgação

Além disso, os entusiastas da jardinagem encontrarão um verdadeiro paraíso de opções para aprimorar seus espaços verdes. Plantas a ferramentas e decorações para jardim, haverá uma variedade encantadora de itens disponíveis para criar ambientes mais vívidos e harmoniosos.

A previsão é de mais de 80 expositores durante esta edição.

A feira de brechós e plantas não é apenas uma oportunidade de compras, mas também um espaço de conexão entre pessoas que compartilham valores de sustentabilidade e cuidado com o meio ambiente. E o melhor, com aquele clima que só natal tem!

Esta edição do evento contará com uma trilha sonora especial de natal, com músicas tradicionais dessa época do ano! A magia está no ar! Além de tudo, o festival também contará com praça de alimentação no local.

Foto: Divulgação

Goiano é destaque no São Paulo Fashion Week

A Thear Vestuário se prepara para apresentar uma verdadeira ode ao denim, a celebração de um legado que moldou o universo da moda, no São Paulo Fashion Week deste ano. Sob a direção criativa de Theo Alexandre, a marca presta homenagem ao material que é sinônimo de resistência e adaptabilidade: o jeans.

Coleção “Curvas e Movimentos”: Um Tributo Contemporâneo Em um evento marcado para o dia 9 de novembro, às 17h30, no espaço inovador do Komplexo Tempo, quatro looks inéditos serão revelados. A coleção “Curvas e Movimentos” não é apenas um aceno à história robusta do jeanswear, mas também um reflexo do percurso da própria Thear Vestuário, que celebra cinco anos de existência no mercado da moda. A escolha da Thear pelo Movimento Sou de Algodão é um reconhecimento do trabalho da marca, que consagra o denim como um pilar de suas criações.

Dialogando com o Empreendedorismo na Moda

c022f2baef6d434762c5fcdf22adca77.jpeg 020dc4963010420c1de18c0b214a1e14.jpeg

 

Antes do desfile, Theo Alexandre dividirá suas reflexões sobre o empreendedorismo no mundo fashion. O Talk, marcado para as 16h15, ocorrerá no estande do SEBRAE Nacional, com a participação do consultor de negócios Leandro Pires. Este encontro é uma vitrine para a Thear Vestuário destacar a potência criativa de Goiás e sua importância no empreendedorismo de moda nacional.

Sustentabilidade e Inovação: Pilares da Thear Vestuário

e83e8d02865d4bdbeeb831313b3844e9.jpeg 6e4681482e6d32913fb30b9f387f244c.jpeg

A abordagem da Thear é uma resposta ao fast fashion, promovendo a sustentabilidade através do uso consciente de materiais e valorizando a atemporalidade nas suas criações. O evento é uma chance para o público experimentar o entrelaçamento entre práticas tradicionais e visões inovadoras que a marca defende, utilizando predominantemente algodão monofibra, respeitando a biodegradabilidade e maximizando o uso dos resíduos de tecido.

Informações do Evento Para quem deseja testemunhar este momento histórico, segue o serviço completo do desfile:

Subtítulo: Desfile Sou de Algodão com Thear Vestuário

  • Data: 09 de novembro (quinta-feira)
  • Horário: 17h30
  • Local: Komplexo Tempo – São Paulo Fashion Week nº56
  • Acesso: Gratuito para os participantes do evento

Com o desfile “Curvas e Movimentos”, a Thear Vestuário não somente marca seu nome na história da moda com inovação e criatividade, mas também reafirma o compromisso de Goiás como um importante polo da moda consciente e autoral no Brasil.

Por quê as águas de Caldas Novas chegam a 37,5 graus?

Caldas Novas, situada estrategicamente no estado de Goiás, distante cerca de 170 quilômetros de Goiânia e aproximadamente 310 quilômetros da capital federal, Brasília, é uma joia do turismo brasileiro reconhecida por suas águas termais enigmáticas. Esta cidade, imersa no coração do Brasil, é um epicentro de atração turística não apenas para visitantes nacionais mas também para um crescente número de turistas internacionais, seduzidos pela singularidade de suas águas quentes que variam entre 34°C e 58°C.. A cidade é conhecida por sua diversidade de entretenimento e suas belezas naturais, incluindo suas famosas fontes termais 

A popularidade de Caldas Novas como destino turístico é evidenciada pelos números que afirmam que a cidade recebe 4 milhões de visitantes anualmente. São turistas brasileiros e visitantes estrangeiros, ávidos por experimentar as qualidades terapêuticas e o conforto que somente suas águas podem oferecer. Com isso, Caldas Novas solidifica sua posição como um dos pilares do turismo no estado de Goiás, contribuindo substancialmente para a economia regional e nacional. Além do mais, as iniciativas para promover a sustentabilidade garantem que esse patrimônio geológico seja preservado, permitindo que as futuras gerações também possam desfrutar deste fenômeno natural excepcional.

Os registros da Secretaria de Turismo de Goiás destacam a importância de Caldas Novas no cenário turístico estadual, contabilizando um fluxo constante de visitantes de várias partes do mundo, o que reflete no incremento da economia local e na valorização da cultura goiana. O fenômeno geotérmico responsável pelo aquecimento das águas de Caldas Novas desafia a imaginação popular que, por décadas, alimentou a crença de que a fonte desse calor seria a atividade de um vulcão extinto. No entanto, estudos geológicos atuais refutam essa teoria, elucidando que o verdadeiro motor desse aquecimento provém das profundezas terrestres, onde o calor geotérmico natural eleva a temperatura da água que, ao ressurgir, alimenta as famosas fontes e poços termais.

Mas, afinal, porque as águas de Caldas Novas são quentes?

João Mendes, professor e pesquisador da Universidade Federal de Goiás (UFG), que tem dedicado anos ao estudo das propriedades geológicas da região, explica que “as águas termais de Caldas Novas são um exemplo clássico do processo geotérmico. Ou seja, elas são resultado da infiltração da água da chuva que, ao atingir grandes profundidades, é aquecida pelo gradiente geotérmico – um aumento natural da temperatura com a profundidade – e não por vulcanismo, como muitos acreditam.

A pesquisa do professor desmistifica a lenda do vulcão extinto, substituindo-a por um fascínio pela ciência que explica o ciclo das águas termais. Historicamente, as águas termais sempre exerceram papel significativo nas culturas locais, associadas a propriedades curativas e a lendas que permeiam o imaginário dos habitantes e visitantes. A jornada destas águas até sua manifestação na superfície tem sido tema de histórias passadas através das gerações.

Do ponto de vista econômico, o impacto das fontes termais em Caldas Novas é inegável. O turismo gerado por estas fontes é um dos pilares da economia local, atraindo milhões de visitantes anualmente. Os complexos de lazer e hospedagem que se desenvolveram em torno das fontes termais contribuem significativamente para o emprego e renda na região.

Além do lazer, as propriedades terapêuticas e medicinais dessas águas são um chamariz para quem busca bem-estar. Profissionais da saúde, como a fisioterapeuta Maria Silva, ressaltam que “as águas termais possuem minerais que podem auxiliar no tratamento de doenças crônicas e reumáticas, além de promover relaxamento muscular e alívio de estresse”.

Não menos importante são as iniciativas de conservação e sustentabilidade. A região de Caldas Novas enfrenta o desafio de equilibrar a exploração turística com a preservação deste recurso natural. Organizações ambientais e o poder público têm trabalhado em conjunto para estabelecer práticas sustentáveis que assegurem a longevidade das fontes termais para as futuras gerações.

Encerrando a matéria, vale refletir sobre o paradoxo das águas termais de Caldas Novas: elas nos contam uma história de mitos e lendas, mas também de ciência e economia. Este é um lugar onde a natureza mostra seu poder de fascinar e curar, onde o passado se entrelaça com o futuro, e onde cada gota de água quente carrega consigo um universo de possibilidades a serem exploradas.

 

Leia também:

 

Startup goiana leva IA revolucionária para WebSummit Lisboa 2023 – Curta Mais

 

Temperaturas podem chegar a 47°C em novembro – Curta Mais

 

7 tendências para o turismo que vão dominar 2024

À medida que nos aproximamos de 2024, os sentimentos de indiferença e distanciamento surgem como resultado da crise global, do aumento do custo de vida e das preocupações com as mudanças climáticas. Em todo o mundo, as pessoas têm se desconectado emocionalmente das notícias e dos acontecimentos nacionais e globais para fazer uma pausa necessária.

No passado, conhecer novos lugares era uma maneira de escapar da vida cotidiana. No entanto, a Booking.com mostra em sua mais recente pesquisa* que viajar será a própria vida em 2024. Inclusive, os brasileiros são a segunda nacionalidade que se sentem mais vivos do que nunca quando estão de férias (88%) – atrás apenas dos tailandeses e empatados com os chineses – e 79% deles querem que seu dia a dia em casa se aproxime mais da vida que levam nas viagens. E com a inteligência artificial pronta para trazer grandes transformações no próximo ano, os viajantes recorrem cada vez mais à tecnologia para fazer o trabalho pesado e encontram mais tempo para dar asas à imaginação e viver experiências enriquecedoras.

Para descobrir como as viagens vão tirar as pessoas do piloto automático e levá-las a experimentar o melhor da vida, a Booking.com encomendou uma pesquisa com mais de 27 mil viajantes em 33 países. Esses dados foram combinados com os insights da plataforma digital líder em viagens para revelar sete previsões de viagem para 2024.

 

1) Entusiastas do (alter) ego 

Em 2024, os viajantes se sentirão mais vivos ao criar o próprio alter ego nas férias, e os brasileiros estão entre as dez nacionalidades que mais inventarão histórias sobre sua vida real para pessoas que conhecem nas viagens (40%). Esses entusiastas do alter ego adoram a emoção de incorporar uma versão 2.0 de si mesmos e fazem de tudo para viver seu melhor personagem, com mais de três em cada cinco (62%) aproveitando o anonimato das viagens e a oportunidade de se recriar.

Alimentando a ideia de que as pessoas assumem outra identidade quando viajam para se sentirem mais vivas, o Brasil está em quarto lugar entre os entrevistados globais que mais afirmam viver sua melhor versão nas férias (82%) – atrás da Tailândia, Índia e Emirados Árabes Unidos -, quando são mais livres e abraçam novos aspectos da própria personalidade. Além disso, mais da metade (53%) dos turistas do país até alugariam um carro melhor do que aquele que dirigem em casa para assumir essa nova identidade, e sete em cada dez (68%) se sentem protagonistas em suas viagens e com poder para estrelar a própria vida.

 

2) Amantes de experiências refrescantes

O clima nunca esteve tão quente, com temperaturas recordes que causam ondas de calor em todo o mundo. As condições estão acelerando o aumento de viajantes que buscam climas mais amenos para se refrescar, com a maioria (56%) dos brasileiros relatando que as mudanças climáticas terão impacto na forma de planejar as férias em 2024, e 70% afirmando que, se a temperatura subir perto de casa, elas passarão as férias em um lugar mais fresco.

Esse efeito deve significar um crescimento de viagens que oferecem experiências aquáticas, com 41% dos brasileiros querendo passar as férias em um destino perto da água. Além disso, quase nove em cada dez (86%) viajantes do Brasil concordam que estar perto da água traz uma sensação imediata de relaxamento (estando os brasileiros em segundo lugar entre as nacionalidades que mais concordam com essa afirmação, atrás dos colombianos e empatados com os mexicanos). Essa forma de viajar para se sentir bem provavelmente vai difundir atividades como yoga flutuante, banhos sonoros na água e meditação na neve, e é esperado um aumento dos retiros de terapia de gelo, dos hotéis subaquáticos e da prática de “mermania”, em que a água deixa de ser apenas o cenário para se tornar o evento principal.

 

3) Aventureiros do acaso 

Os viajantes cada vez mais querem se render ao elemento surpresa e se aventurar em territórios inexplorados durante as férias. Com isso, mais da metade (53%) dos turistas brasileiros gostaria de reservar uma viagem surpresa onde tudo, até o destino, é desconhecido até a chegada. Cansado da “mesmice” do dia a dia e buscando experiências autênticas, o viajante aventureiro de 2024 quer escapar das férias padronizadas, com 49% dos brasileiros preferindo se aventurar em destinos alternativos e quase um terço (28%) afirmando que viajaria com pessoas desconhecidas.

Abandonando a rigidez do planejamento para vivenciar experiências ao acaso, esse perfil aventureiro abre mão do controle em prol da arte de viver o momento. Inclusive, metade (50%) dos viajantes do Brasil adoraria não ter planos definidos antes de viajar, enquanto mais de dois terços (71%) preferem viajar com planos adaptáveis para poder mudar a rota de acordo com o momento.

O setor de turismo já está respondendo rapidamente com serviços flexíveis habilitados por tecnologia, dando aos viajantes a opção de cancelar e mudar os planos. A explosão da inteligência artificial, que já contou com o lançamento do planejador de viagens com IA da Booking.com, ganhará ainda mais força em 2024: os brasileiros são a quinta nacionalidade que mais confiariam na inteligência artificial para planejar uma viagem (62%), depois dos chineses, indianos, tailandeses e vietnamitas.

 

4) Arqueólogos da culinária

Em 2024, os arqueólogos gastronômicos vão se aprofundar nas origens dos alimentos nas férias para descobrir tesouros culinários. E a pesquisa mostra que quase dois terços (58%) dos viajantes do país estão mais interessados em aprender sobre a história das iguarias de um destino do que sobre o passado do lugar.

Três em cada quatro (74%) brasileiros querem experimentar culinárias nativas, e é provável que haja um aumento nas experiências culturais típicas que levam os viajantes a lugares que contam a história por trás da comida que servem, trazendo orgulho e renda para comunidades em todo o mundo.

Os viajantes fãs de gastronomia adotarão uma abordagem experimental que alterna entre as realidades digital e física para transformar cada descoberta em uma extravagância multissensorial. Mais da metade (56%) deles quer uma experiência alimentar física e digital ao mesmo tempo, por meio de tecnologias de realidade virtual ou aumentada, como uma iluminação que altera o humor, harmonização de aromas e paisagens sonoras que potencializam a imersão na tradição culinária.

 

5) Praticantes do bem-estar 

Em meio à instabilidade global e a um mundo cada vez mais agitado, viajantes reservam férias com foco no desenvolvimento pessoal para retomar a vida que realmente querem. A nova era do turismo do sono, por exemplo, oferece concierges do sono e tecnologia de ponta para atender aos 58% dos brasileiros que querem viajar em 2024 para se concentrar no sono ininterrupto.

Para os viajantes do Brasil que já estão acostumados a dormir sozinhos, quase um terço (31%) reservaria um tempo para uma viagem que possibilite encontrar um novo amor, enquanto 38% aproveitariam as férias para superar um ex. Em contrapartida, dentre as pessoas que estão em um relacionamento, quase um quarto (22%) tem como prioridade em 2024 aprofundar a conexão com o próprio parceiro durante uma viagem. Enquanto isso, os pais cada vez mais cansados estão buscando tranquilidade em férias completamente solitárias, com a maioria (54%) planejando viajar sem filhos e parceiros.

 

6) Fãs do luxo à la carte

Incentivados pela crise do custo de vida, os viajantes em 2024 empregarão truques para poupar dinheiro e cortar custos. No entanto, eles ainda pretendem desfrutar de férias com luxos “à la carte”, experimentando como é viajar como os ricos, mesmo que apenas por um momento. Esses fãs do luxo à la carte querem parecer ricos e fugir da realidade de ter que fazer sacrifícios financeiros, mas, nos bastidores, eles buscam itinerários de viagem econômicos com a ajuda da inteligência artificial. Inclusive, sete em cada dez (70%) viajantes do Brasil vão querer insights e dicas da IA nas férias para melhorar a própria experiência com sugestões de serviços complementares e ofertas, tudo isso com apenas um toque do dedo – e os brasileiros estão entre as seis nacionalidades que mais se interessam em obter ajuda da IA no planejamento da viagem, atrás dos chineses, indianos, tailandeses, emiradenses e vietnamitas.

Além disso, mais da metade (54%)  planeja escolher destinos onde o custo de vida seja mais barato do que em sua cidade natal, enquanto outras pessoas preferem viajar para mais perto de casa, com o intuito de desfrutar de férias luxuosas por menos para reduzir os custos (42%). Muitos (62%) viajantes brasileiros estarão dispostos a pagar por passes diários para usar as comodidades de um hotel 5 estrelas, em vez de se hospedar lá, e há ainda um número considerável de pais (36%) que planeja levar as crianças para viajar fora da alta temporada e, assim, fazer o dinheiro valer mais em 2024.

 

7) Apreciadores conscientes da estética

Já se foi o tempo em que as palavras “sustentável” e “elegante” não eram necessariamente sinônimas, e quando “ecoviagem” evocava imagens de locais rústicos. Em 2024, a interseção do design e da atenção plena vão influenciar as viagens, abrindo novas portas para viajantes que querem fazer escolhas mais conscientes e responsáveis. Isso não se aplica somente a uma viagem curta, mas surge como um estilo de vida.

Atualmente, há um crescente movimento de hotéis e outros locais de hospedagem que oferecem soluções criativas e esteticamente agradáveis a desafios ambientais e sociais importantes. Esses viajantes exigentes buscarão uma arquitetura que tenha características ambientais em sua essência, sendo que mais da metade (51%) dos viajantes brasileiros preferem acomodações com elementos de inovação sustentável; três em cada cinco (62%) querem ver a sustentabilidade em ação; e quase dois terços (64%) esperam ver o exterior dentro das acomodações, com espaços verdes e plantas.

Em 2024, em troca de contribuir para os esforços de conservação, os itinerários sustentáveis darão aos viajantes acesso exclusivo aos locais que eles ajudam a preservar, da forma mais consciente e responsável. Muitas pessoas têm interesse em aplicativos de viagem sustentável, onde possam desbloquear recompensas (71%), como experiências com moradores locais em regiões pouco conhecidas (44%) ou visitando lugares remotos aos quais os turistas teriam acesso limitado (45%).

De acordo com Arjan Dijk, Vice-Presidente Sênior e Diretor de Marketing da Booking.com, “nossas previsões de viagem para 2024 refletem a ideia de que viajar não é uma maneira de escapar da vida, mas sim um catalisador para vivermos da melhor forma possível. Desde aventuras em um novo destino até experimentar uma nova cultura e todas as experiências relacionadas, quando viajamos, podemos nos tornar a nossa melhor versão. Na Booking.com, nossa missão é fazer com que vivenciar o mundo fique mais fácil para todas as pessoas e acreditamos no poder das viagens para inspirar, transformar e enriquecer vidas. Por isso, temos o compromisso de possibilitar experiências extraordinárias que toquem no coração de cada viajante em 2024 e no futuro”.

 

*A pesquisa Previsões de Viagem para 2024 foi encomendada pela Booking.com e realizada com um grupo de adultos que planeja viajar a lazer ou a negócios nos próximos 12 a 24 meses. No total, 27.730 pessoas em 33 países e territórios participaram da pesquisa. As pessoas entrevistadas responderam a uma pesquisa on-line em julho de 2023.

Cidade goiana à beira da BR- 060 desponta como oásis gastronômico e se consolida como Rota da Gula

De acordo com a Triunfo Concebra, a BR-060, que liga Goiânia a Anápolis, é palco de um vai e vem animado de cerca de 35 mil veículos todos os dias. E adivinhe? No meio dessa rota, Terezópolis de Goiás se destaca como um verdadeiro festival de sabores, convidando a todos para uma pausa deliciosa!

E as novidades não param por aí! Em outubro de 2024, Terezópolis, já conhecida pelos seus condomínios sustentáveis, vai inaugurar o primeiro outlet gastronômico do Brasil. Prepare-se, porque a cidade promete ser o novo ponto de parada obrigatória para os amantes da boa comida, tornando-se a cobiçada Rota da Gula!

 

“Ele está sendo construído às margens da BR-060, onde já temos restaurantes, bares e as famosas barraquinhas de comida e produtos típicos da cidade, como o famoso requeijão da vovó Onízia e Maria Maria, que já são referências para os visitantes, além do acesso para o Aldeia Santerê Casa e Natureza”, diz o prefeito da cidade, Uilton dos Santos.

 

 

Com uma área total de doze mil metros quadrados, a iniciativa já recebeu investimento de R$ 2 milhões da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (Codego), para realizar a execução da primeira etapa da obra, que está em sua fase final com 6.000 metros quadrados construídos.  

 

Ao todo serão cerca de oitenta lojas com toda infraestrutura completa para bares, restaurantes, produtos gastronômicos, artesanatos, entre outros. Haverá também uma praça de alimentação, banheiros de alto padrão e estacionamento com 100 vagas.

 

“Será um shopping gastronômico a céu aberto”, define o prefeito, que agora busca recursos estaduais e federais para a execução do restante da obra, orçada em R$ 12 milhões de reais. 

 

Mesmo ainda em curso, a obra já está chamando atenção de franquias gastronômicas nacionais, que já demonstraram interesse em levar suas bandeiras para o outlet gastronômico, que também terá um impacto na economia e nos empregos.

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

>Veja também<

Terezópolis de Goiás, na grande Goiânia, ganha primeiro condomínio fechado sustentável

Aldeia Santerê: conheça o refúgio de charme pertinho de Goiânia na nova (e exuberante) Rota das Águas

 

Ilha considerada mágica fica a poucos quilômetros de Goiás e é um verdadeiro paraíso com natureza intocada

A Ilha do Bananal, situada no estado do Tocantins, é uma maravilha da natureza com uma área aproximada de 25.000 km², sendo considerada a maior ilha fluvial do mundo. Cercada pelos rios Araguaia e Javaés, esta ilha fluvial é uma verdadeira jóia intocada.

Localizada na divisão do Tocantins com os estados de Goiás e Mato Grosso, a ilha é um tesouro ecológico, abrangendo municípios como Pium, Caseara, Lagoa da Confusão, Formoso do Araguaia e Marianópolis do Tocantins. Possui uma altitude média de 150 metros acima do nível do mar.

A Ilha do Bananal não existe mais - Instituto Internacional Arayara

Foto: Instituto Internacional Arayara

O Parque Nacional do Araguaia, do qual a Ilha do Bananal faz parte, é uma das preciosidades do Brasil em termos de conservação ambiental. Não apenas um refúgio para a fauna e flora, mas também um local de grande importância cultural, habitado por aproximadamente 15 mil pessoas, incluindo 2 mil indígenas da Reserva Indígena do Araguaia.

Nesta região, o clima semiúmido predomina, com temperaturas variando entre 22ºC e 38ºC, acompanhadas por altos índices de umidade. Durante o período chuvoso, de setembro a março, parte da ilha fica inundada devido às cheias dos rios circundantes.

A Ilha do Bananal está desaparecendo? - ((o))eco

Foto: O Eco

A riqueza ecológica da Ilha do Bananal são notáveis, já que se encontra na transição entre a Amazônia e o Cerrado, apresentando uma biodiversidade única. Mais de 600 espécies de aves, incluindo algumas exclusivas da região, contribuem para o espetáculo natural desta ilha.

Apesar das medidas de proteção existentes, como a Reserva Indígena do Araguaia, a ilha enfrenta desafios significativos. Pressões de atividades humanas, como agricultura e pecuária, além de projetos de inundação para transporte hidroviário, ameaçam seu ecossistema delicado.

Recentemente, um estudo alarmante revelou que o status da Ilha do Bananal como “ilha” pode estar em risco devido à redução do volume e superfície dos rios circundantes, incluindo o Javaés. Queimadas, desmatamento, assoreamento e uso excessivo da água são fatores que contribuem para essa situação preocupante.

Ilha do Bananal é região mais crítica para queimadas no país, informa Ibama  - Jornal O Globo

v

A Ilha do Bananal, esse paraíso natural em nossa própria terra, é um lembrete da importância vital de preservar nosso meio ambiente e proteger as maravilhas naturais que nosso país tem a oferecer.

 

Mais Informações

 SECTUR

Endereço: Praça dos Girassóis – Esplanada das Secretarias, S/N em Palmas – Tocantins

Telefone: (63)3218-5801

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Foto de Capa: Jackson Reis/GovTO

Conheça a cidade goiana que é a nova capital dos condomínios fechados e sustentáveis

Terezópolis de Goiás, situada a 34 quilômetros de Goiânia, emerge como um pequeno município na Rota das Águas, entre Goiânia e Brasília. Com uma população de menos de oito mil habitantes, a cidade se destaca como uma das principais guardiãs da Área de Preservação do João Leite e seus afluentes (Apajol), que inclui a estratégica barragem do João Leite, vital para o abastecimento de Goiânia e sua região metropolitana.

O município se orgulha em dar boas-vindas ao seu terceiro condomínio fechado sustentável,visando se tornar a capital sustentável de Goiás. Isso se deve à visão compartilhada por sua população e aos projetos que vêm sendo delineados tanto pelo setor público quanto privado.

Além dos empreendimentos habitacionais sustentáveis, a cidade já orgulhosamente abriga a Sociedade Ecovila Santa Branca e a Fazenda Santa Branca. Ambas estão situadas na Apa do João Leite, a meros 7 quilômetros do centro de Terezópolis de Goiás. Nestes locais, os moradores vivenciam uma interação íntima com a natureza, buscando o equilíbrio por meio da sustentabilidade e a restauração ambiental.

Esse movimento teve seu início em 2004, a partir de uma parceria entre a Fazenda Santa Branca, a Tropical Urbanismo e o Instituto de Permacultura e Ecovilas do Cerrado (IPEC). A meta era estabelecer um modo de vida em harmonia com o ambiente, onde todas as atividades cotidianas são realizadas levando em conta a definição de sustentabilidade – suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro, e até mesmo indo além, deixando um impacto benéfico no meio ambiente.

O espaço compreende 335 lotes privativos, com áreas que variam de 1.500 a 4.500 metros quadrados, dos quais aproximadamente um terço já está edificado. As áreas comuns incluem um viveiro de plantas nativas e medicinais, setores para a gestão de resíduos, processamento e armazenamento de materiais, áreas de lazer, ciclovias, florestas temáticas e até um labirinto para meditação.

Ademais, a cidade se notabiliza pela preservação de sua rica biodiversidade. Parques naturais e áreas de preservação ambiental são mantidos com extremo cuidado, não apenas fornecendo um ambiente saudável para a flora e fauna locais, mas também oferecendo oportunidades de lazer e contemplação para os habitantes.

Agora, a comunidade se prepara para receber o condomínio horizontal Aldeia Santerê Casa e Natureza, que promete ser um ícone da sustentabilidade ecológica. Este será implantado dentro da zona urbanizável permitida pelo atual Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental João Leite. Um de seus diferenciais são os swales, conhecidos como valas de captação que evita o escoamento de água e sedimentos do condomínio, que serve também para fortalecer a segurança hídrica jogando a água das chuvas para o lençol freático. O projeto conta com todas as aprovações legais necessárias, tanto do município quanto do Estado, além das concessionárias de água e energia.

Outro projeto igualmente sustentável, como o Escarpas Eco Parque, situado em Abadiânia, traz um conceito inédito de condomínio que oferece lazer e aventura no coração do Centro-Oeste. Contemplando a todos, com opções para os mais diversos gostos e idades, o local se destaca como um espaço onde emoção, natureza e qualidade de vida se entrelaçam harmoniosamente.

E também se destaca o Parque das Acácias, localizado em Aragoiânia, como mais um exemplo notável de preservação ambiental na região. Este parque contribui significativamente para a conservação da biodiversidade local, proporcionando um ambiente saudável e oferece aos cidadãos a oportunidade de desfrutar de momentos de lazer e contemplação em meio à natureza. Um condomínio fechado com compromisso de sustentabilidade e preservação ambiental.

Quer receber dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

>Veja também<

Terezópolis de Goiás, na grande Goiânia, ganha primeiro condomínio fechado sustentável

Aldeia Santerê: conheça o refúgio de charme pertinho de Goiânia na nova (e exuberante) Rota das Águas

Goiás sedia seminário Internacional da Unesco sobre o Futuro da Água

O Governo de Goiás e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) promovem juntos um seminário internacional pensado para discutir meios de garantir a disponibilidade de água no mundo, no futuro. O evento acontece dos dias 10 a 13 de setembro, em Rio Quente, e reunirá representantes de outros estados  brasileiros, do setor produtivo de 22 países. 

O seminário foi programado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) para acontecer enquanto se comemora o Dia do Cerrado, em 11 de setembro. “O debate sobre a água é transversal, está presente em todos os tópicos da nossa agenda. Foi por isso que nós o escolhemos como eixo central”, afirma a secretária Andréa Vulcanis. “É simbólico que o seminário aconteça em um município cuja economia gira em torno da água, e que estejamos no cerrado, que é o berço das águas das bacias brasileiras”.

O município, localizado junto às serras de Caldas Novas, faz parte da maior bacia hidrotermal do mundo. Goiás ainda é banhado por três importantes bacias hidrográficas: Paraná, Araguaia-Tocantins e do São Francisco. Para a gestora, ao sediar um evento deste porte, o Estado contribui para a discussão global sobre sustentabilidade e gestão responsável dos recursos naturais.    

“A administração do governador Ronaldo Caiado é vitrine para o mundo inteiro na área do meio ambiente. Baixamos sensivelmente o prazo para emissão de licenças ambientais, que podia chegar a quatro anos e hoje é de 37 dias, em média; reduzimos em 80% os incêndios em unidades de conservação; estamos avançando no desmatamento e na agenda de mudanças climáticas. Goiás avançou muito”, completa Vulcanis. 

A programação do evento está disponível no site aguasparaofuturo.com.br. A abertura será realizada no domingo (10/09), com a premiação dos vencedores de um concurso de fotografia promovido pela Semad com o mesmo tema do seminário. Os três dias seguintes serão de palestras, oficinas e debates. 

Mudanças climáticas 

Durante o evento, o governo apresentará a “Estratégia Goiás Carbono Neutro 2050”, documento destinado a orientar ações relacionadas à mudança do clima em Goiás. A meta é zerar as emissões de carbono até 2050, integrando esforços pro desenvolvimento de uma matriz produtiva que seja tecnologicamente sofisticada, ambientalmente limpa e economicamente competitiva no mercado nacional e internacional.

O Estado também deve assumir compromissos relacionados ao controle do desmatamento ilegal, publicar o decreto de reativação do Fórum de Mudanças Climáticas, e assinar, com a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), o termo de adesão do Pacto pela Governança das Águas. O pacto visa ao aprimoramento da gestão dos recursos hídricos, à regulação dos serviços de saneamento e à melhoria da segurança de barragens. 

 

Veja também:

Caldas Novas além das águas quentes: descubra serras, cachoeiras e uma cultura apaixonante

 

 

Região Metropolitana de Goiânia ganha primeira agrofloresta dentro da área urbana

A região metropolitana de Goiânia está prestes a receber uma novidade ambientalmente sustentável: sua primeira agrofloresta dentro da área urbana.

Essa técnica de reflorestamento, que combina espécies arbóreas com alimentícias, foi escolhida para proteger dois olhos d’água encontrados em uma área na Avenida São Paulo, em Aparecida de Goiânia, durante a construção de um condomínio.

Além de garantir a cobertura vegetal, a agrofloresta também irá produzir alimentos para serem consumidos pelos colaboradores durante as obras do condomínio e, posteriormente, pelos moradores.

A agrofloresta é uma técnica de reflorestamento que vem ganhando cada vez mais adesão dos especialistas ambientais na recuperação de áreas degradadas. Desenvolvida no Brasil desde os anos 1980, ela combina espécies arbóreas com culturas alimentícias, proporcionando a produção de alimentos enquanto as árvores crescem.

No caso de Aparecida de Goiânia, será implantada a primeira agrofloresta urbana, exatamente na Avenida São Paulo, onde está sendo desenvolvido o condomínio horizontal Parqville Figueira.

A decisão de incluir a agrofloresta no projeto se deu após os projetistas da empresa descobrirem dois olhos d’água, até então desconhecidos, durante suas prospecções técnicas e ambientais dentro da área. A CINQ Desenvolvimento Imobiliário, responsável pelo projeto, informou aos órgãos ambientais sobre a existência dessas nascentes.

Essa decisão de proteger os olhos d’água resultou na diminuição da quantidade de lotes a serem vendidos, uma vez que uma nascente precisa de uma área de preservação com raio de 100 metros.

8a1efee389fd93a29744a95817b1d93a.jpg

Porém, segundo Eduardo Oliveira, diretor da CINQ Desenvolvimento Imobiliário, a preservação dessas nascentes é importante para todo o ecossistema e também atende ao desejo das pessoas de viverem mais próximas à natureza mesmo estando dentro da cidade.

A agrofloresta foi escolhida como técnica de reflorestamento por especialistas, pois a mistura das espécies é considerada a melhor forma de promover o desenvolvimento natural de uma floresta. Em simbiose, as espécies se desenvolvem com a biodiversidade contribuindo para o enriquecimento do solo. Além disso, a agrofloresta gera a produção de alimentos e traz outros benefícios.

O plantio da agrofloresta na região metropolitana de Goiânia irá combinar árvores frutíferas e de grande porte junto com hortaliças, mandioca, pimenta, tomate, banana, alfaces, rúculas, agrião, cenouras, beterrabas, couve-flor, brócolis e couves.

Legal né?

 

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Foto de Capa: Divulgação