Adeus escalas: Goiânia terá voo direto para o Rio de Janeiro

A partir de julho, o Aeroporto Internacional de Goiânia voltará a receber uma nova opção de voo direto sazonal para o Rio de Janeiro.

A operação será realizada pela Gol Linhas Aéreas, com início no dia 1º de julho, para a Cidade Maravilhosa, considerada um dos principais destinos nacionais e internacionais procurados por brasileiros e estrangeiros.

Estão previstas para o mês de julho 46 decolagens, com opção de dois voos diários em algumas datas. Em agosto, serão cinco frequências semanais, e em outubro, quatro frequências semanais.

A administração do aeroporto, gerida pela CCR Aeroportos, celebra a retomada desse voo tão desejado e esperado pelos goianos. “Ficamos empenhados em demonstrar a importância desse voo direto para as companhias aéreas. É um destino muito visitado pelos goianos, e encurtar as distâncias, proporcionando uma viagem mais tranquila, vai ao encontro dos objetivos da CCR Aeroportos”, relata Graziella Delicato, Gerente Executiva de Negócios Aéreos.

Confira as informações do voo:

Goiânia (GYN) – Rio de Janeiro (GIG)
20h15
Segunda, quarta e sexta-feira

Goiânia (GYN) – Rio de Janeiro (GIG)
11h
Todos os dias da semana

Agosto a Outubro

Goiânia (GYN) – Rio de Janeiro (GIG)
06h30
Segunda, terça, quarta, quinta e sexta-feira e domingo

Goiânia (GYN) – Rio de Janeiro (GIG)
06h
Sábado

 

 

Veja também:

 

Turismo virtual permite conhecer o mundo no conforto de casa

Você já imaginou poder explorar o mundo sem sair de casa? Com o turismo virtual, isso é possível. Esse tipo de turismo permite que você conheça lugares incríveis, diferentes culturas e tenha experiências únicas, tudo através da tela do seu dispositivo eletrônico e no conforto do seu lar.

O que é turismo virtual?

O turismo virtual é como uma viagem que acontece no mundo digital. Você pode visitar vários lugares usando a internet e diferentes tecnologias, como vídeos em 360 graus e realidade virtual. É como se você estivesse lá de verdade, só que sem sair do conforto da sua casa.

Mesmo se você não puder viajar por motivos físicos ou financeiros, o turismo virtual permite que você visite lugares que normalmente seriam difíceis de alcançar.

Viajar virtualmente é muito mais barato do que uma viagem física. Você não precisa gastar dinheiro com transporte, hospedagem ou comida. E pode ser uma experiência marcante, tá?

Ao evitar viagens físicas, o turismo virtual ajuda a proteger o meio ambiente, reduzindo as emissões de carbono e o impacto negativo no planeta.

Limitações e desafios

Apesar de todas as vantagens, o turismo virtual também enfrenta alguns desafios. Uma conexão ruim com a internet pode atrapalhar a experiência do usuário, especialmente em áreas com pouca infraestrutura. Embora seja imersivo, o turismo virtual pode não capturar completamente a autenticidade e espontaneidade das viagens reais. Além disso, nem todo mundo pode participar do turismo virtual devido a limitações físicas ou incapacidades.

Google Earth é uma mão na roda

Com o Google Earth, você pode explorar diferentes lugares usando imagens de satélite e fotos aéreas. Também é possível dar passeios virtuais pelas ruas e pontos turísticos das cidades. Muitos museus e locais famosos oferecem passeios virtuais, onde você pode ver exposições e aprender sobre história e arte.

Com a tecnologia da realidade virtual aumentada, você pode sentir como se estivesse realmente em um determinado lugar, usando óculos especiais e aplicativos que simulam ambientes reais.

O turismo virtual também é uma ótima maneira de aprender sobre diferentes culturas e tradições:

Imersão cultural online: Através de vídeos, artigos e eventos virtuais, você pode aprender sobre costumes e tradições de diferentes partes do mundo.

É possível aprender idiomas: Viajar virtualmente pode ajudá-lo a praticar idiomas estrangeiros, ouvindo e lendo em contextos reais.

Experiências gastronômicas: Você pode experimentar sabores de todo o mundo através de aulas de culinária online e blogs de gastronomia, tudo sem sair da sua cozinha.

Ademais, o turismo virtual não é apenas divertido, mas também pode ser educativo. Professores podem usar passeios virtuais e recursos online para tornar as aulas mais envolventes e interessantes para os alunos. Ao explorar pontos turísticos famosos e maravilhas naturais, você pode aprender muito sobre história e geografia.

O turismo virtual pode ajudar a ensinar ciência, tecnologia, engenharia e matemática de uma forma prática e divertida.Em suma, o turismo virtual é uma maneira emocionante e acessível de explorar o mundo, aprender sobre diferentes culturas e se divertir, tudo sem sair de casa. Então, que tal experimentar você mesmo e embarcar em uma jornada virtual pelo globo?

Confira também:

Turismo online no Brasil disparou com um crescimento de 3,7%

Os 10 destinos de viagem mais baratos do mundo em 2024

10 Praias do Tocantins que deixam os goianos completamente apaixonados

Confira os feriados de 2025 e programe suas viagens com mais tranquilidade

Você gosta de viajar? Então é bom ficar de olho nos feriados de 2025 para se programar bem e aproveitar ao máximo seus passeios. Embora em 2025 não tenhamos tantos feriados prolongados, ainda há várias oportunidades para se planejar viagens e descansar. Confira o calendário de feriados e veja como se organizar para não perder nenhuma chance de conhecer novos lugares.

Feriados prolongados são ótimas oportunidades para viajar

O ano de 2025 se inicia com um feriado bem no meio da semana, na quarta-feira, dificultando uma viagem mais longa logo após o Réveillon. Mas não se preocupe, ao longo do ano teremos sete feriados que se encaixam perfeitamente com os finais de semana. Entre esses, cinco são de quatro dias e dois são de três dias.

O primeiro grande feriado prolongado é o Carnaval, que começa no dia 3 de março (segunda-feira) e vai até a Quarta-feira de Cinzas, em 5 de março. São cinco dias perfeitos para viagens em família ou com amigos.

Feriados de três e quatro dias permitem escapadas rápidas

Se você está pensando em escapadas mais curtas, também há opções, quando se trata de feriados de 2025. O Dia do Trabalhador, em 1º de maio, cai numa quinta-feira, assim como o Corpus Christi, no dia 19 de junho. Esses são momentos ideais para conhecer aquela cidadezinha do interior e relaxar em uma pousada para curtir o fim do outono.

Além dos feriados de três dias, temos também feriados de quatro dias, como a Sexta-feira Santa (18 de abril) e Tiradentes (21 de abril, segunda-feira). São ótimas oportunidades para você fazer uma pausa mais prolongada da estressante rotina e explorar a natureza ou a gastronomia de novos lugares.

Outros feriados e datas importantes

Em novembro, o Dia da Consciência Negra, no dia 20 (quinta-feira), também oferece um feriado prolongado perfeito para uma viagem antes do fim do ano. E claro, o Natal, em 25 de dezembro, também cai numa quinta-feira, criando outra chance para um descanso prolongado.

Porém, nem todos os feriados de 2025 serão tão convenientes. Alguns caem no domingo ou sábado, o que limita as oportunidades de viagem. A Independência do Brasil (7 de setembro), Nossa Senhora Aparecida (12 de outubro), Finados (2 de novembro) e Proclamação da República (15 de novembro) caem todos em finais de semana.

Planeje suas viagens em 2025

Aqui está um resumo dos feriados de 2025 (nacionais) para você se organizar:

  • Carnaval: 3 e 4 de março (segunda e terça) | 5 de março (Quarta-feira de Cinzas)
  • Sexta-feira Santa: 18 de abril (sexta-feira)
  • Tiradentes: 21 de abril (segunda-feira)
  • Dia do Trabalhador: 1º de maio (quinta-feira)
  • Corpus Christi: 19 de junho (quinta-feira)
  • Dia da Consciência Negra: 20 de novembro (quinta-feira)
  • Natal: 25 de dezembro (quinta-feira)

Com essas informações, você pode começar a planejar suas viagens, pesquisar passagens aéreas e reservar hotéis com antecedência. Lembre-se, o planejamento é essencial para garantir uma viagem tranquila e econômica. Aproveite cada um dos feriados de 2025 para conhecer novos lugares e relaxar.

Veja também:

Lençóis Maranhenses: uma das maravilhas do Nordeste brasileiro que todo goiano precisa conhecer

Os 10 destinos de viagem mais baratos do mundo em 2024

10 bares em Aparecida de Goiânia que fazem a viagem valer a pena

Conheça a Buenos Aires de Goiás

Posse é uma cidade encantadora localizada no nordeste do estado de Goiás, Brasil. Situada a 550 km de Goiânia e a 318 km de Brasília, Posse é conhecida como a “Rainha do Nordeste Goiano” por ser o principal centro da região. A cidade tem uma população de pouco mais de 37 mil habitantes.

A história de Posse é fascinante. A cidade surgiu com a chegada de imigrantes nordestinos que fugiam da seca em busca de terras férteis no meio do século XIX. Inicialmente, o povoado foi chamado de Buenos Aires, localizado abaixo da confluência do Rio Corrente com o Rio Paraná. No entanto, um surto de malária fez com que os primeiros colonos se mudassem para terras mais altas ao pé da Serra Geral, onde formaram outro assentamento. O novo povoado recebeu o nome de “Posse” porque os habitantes haviam tomado posse das terras ao longo do córrego Passagem dos Gerais em 1830.

Um dos principais atrativos de Posse é o Poço Azul, uma cachoeira deslumbrante que é um verdadeiro tesouro natural34. O Poço Azul é um conjunto de três piscinas naturais com água cristalina, cheia de peixinhos e com tonalidades que variam entre azul turquesa e verde esmeralda. A trilha até as piscinas é um atrativo à parte, pois passa por cânions e pelo Rio Vermelho.

Posse é uma cidade com uma localização privilegiada, ao pé da Serra das Araras, com uma temperatura média de 25 °C e uma oferta de água mineral retirada das encostas das montanhas. A parte leste do município é atravessada pelo Rio Paranã e seus afluentes. As terras são férteis, com pastagens naturais e florestas ricas em madeiras nobres. As terras têm um fertilizante natural – fosfato – que ajuda a renovar o solo.

Portanto, se você ainda não conhece Posse, esta cidade encantadora tem muito a oferecer com sua rica história, paisagens deslumbrantes e o incrível Poço Azul. Vale a pena visitar!

32c4c517508632b04abf3fc1dafc0737.png

Foto: Prefeitura Municipal de Posse

A história de Posse começa no início do século XIX, quando imigrantes nordestinos chegaram à região procurando terras para cultivo de cereais. A região era conhecida como “Buenos Aires” e foi palco de atividades como pastoreio, lavoura e engenho. O nome era devido a proximidade com o Rio Prata e os moradores compararem com “La Plata”.

Infelizmente, a malária devastou a população logo nos primeiros anos de fundação da cidade. No entanto, os habitantes não se deixaram abater e se mudaram para a zona da chapada, onde formaram o novo povoado de Posse. Com o desenvolvimento da indústria rural, agricultura e criação de gado, a cidade se tornou distrito em 1855 e obteve sua autonomia municipal em 1872.

Hoje em dia, Posse é conhecida como a “Rainha do Nordeste Goiano” por ser o principal centro da região. E um dos seus principais atrativos é o Poço Azul, situado a apenas 12 km do centro da cidade. O poço é cercado por uma paisagem incrível e suas águas cristalinas são uma tentação para quem quer mergulhar e se refrescar em um dia quente de verão.

Preview

Poço Azul, em Posse, Goiás. Foto: @thomasaugusto73

Mas não é só isso: Posse também é um destino para quem gosta de aventura. A cidade conta com uma cachoeira de 35 metros, a maior das cinco cachoeiras que ficam em uma trilha de apenas 1 km. Além de muitas outras por perto! As paisagens únicas de Guarani de Goiás, que fica a apenas 20 km de Posse, também valem a visita.

Conheça o outro lado de Terra Ronca com cachoeiras exuberantes - Curta Mais

Foto: Luciano Guimarães

Posse é uma cidade que tem muito a oferecer, desde sua história surpreendente até suas paisagens deslumbrantes e seu poço azul apaixonante. Se você ainda não conhece esse tesouro do nordeste goiano, não perca mais tempo: planeje sua viagem e descubra tudo o que essa cidade encantadora tem a oferecer.

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Fotos de capa: @thomasaugusto73

Do pequi ao empadão goiano: projeto de lei propõe criação de rota gastronômica em Goiás

Um projeto apresentado na Assembleia Legislativa prevê a criação da Rota Gastronômica de Goiás, formada por municípios e estabelecimentos reconhecidos pela culinária. A iniciativa deve incluir restaurantes, bares, feiras, mercados, fazendas e outros locais de produção e consumo de alimentos típicos da região.

Um dos principais objetivos é divulgar a cultura gastronômica do Estado, incentivando o turismo, a economia local e a preservação das tradições culinárias goianas. “Goiás é conhecido por sua culinária única, com pratos típicos que atraem visitantes de todas as partes do Brasil. O projeto deve fomentar o turismo neste sentido”, afirma a deputada estadual Bia de Lima (PT), autora da proposta.

O texto prevê novas oportunidades de desenvolvimento para os municípios participantes. De acordo com o projeto, a criação da Rota Gastronômica de Goiás também deve contribuir com a preservação das tradições culinárias, valorizando os chefs e produtores de alimentos locais.

A deputada estadual também salienta que o projeto, se for aprovado, deve ajudar no fortalecimento da identidade regional e para o desenvolvimento sustentável do turismo no Estado. Uma das ações neste sentido é o incentivo ao uso de ingredientes regionais.

Conheça alguns destinos em Goiás para sentir o gostinho de Praia

Goiânia é uma cidade com um clima um pouco complicado. Uma verdadeira faca de dois gumes, quando não está chovendo, estamos derretendo de calor pelas ruas da cidade. Nessa hora sentimos falta das praias, que são uma opção de ”elite” para fugir do ar abafado.

Mas o nosso Goiás sempre se supera, e mesmo sem o oceano por perto, tem lugares que podem te oferecer uma experiência praiana fantástica, seja por conta da água cristalina, do sol, ou simplesmente das comidas típicas que fazem você se sentir na praia, mesmo estando no coração do cerrado!

Confira alguns lugares:

Bali Park

bali

A Maior Praia Artificial da América do Sul fica localizada no Bali Park, em Goiás. Com uma infinidade de recursos e atividades, esse parque é perfeito para aliviar o estresse do cotidiano. Contando com piscinas aquecidas, rio lento, complexo de toboáguas, brinquedos infantis, tobogãs radicais, tirolesa, wake surf, e esportes aquáticos, também garante sua diversão fora d’água, com espaço para eventos, quadras de areia, além de uma sensacional piscina de ondas, com toda uma ambientação que te faz esquecer o quão longe do mar estamos!

Para comportar todos os serviços, o parque apresenta uma infraestrutura excelente, com uma arena de eventos com capacidade para até 4 mil pessoas, 6 quadras de esportes, e até tirolesa que cabe 4 pessoas de uma vez. O lugar tem sua própria loja temática, e um passeio exclusivo de catamarã.

Como conquistar pelo estômago também é importante, o Bali apresenta uma cozinha completa, servindo todos os tipos de comida, de refeições completas, a petiscos, hambúrgueres, massas e sorvetes. Além de um Playbar completo com as melhores opções de bebidas e drinks.

A casa acredita numa política de sustentabilidade, buscando utilizar métodos sustentáveis em todas as áreas do parque, desde recursos hídricos até a energia do local.

No Google, o local recebe uma avaliação de 4,1 estrelas em mais de mil comentários:

“Nota mil para o local. Ainda está em fase de construção mas, o que já está funcionando é impecável. Natureza maravilhosa e uma vista fantástica para o Rio Corumbá. Bar molhado, prainha, areia confortável, banheiros limpos, bar flutuante, tirolesa, carrinho elétrico para quem não quer andar muito dentro do parque. Muita animação e brincadeiras para as crianças. Amei muito…”

“Ótima opção de diversão, pertinho de Brasília! O espaço é super qualificado e com muitas preocupações sustentáveis, como energia solar e tratamento da água. E o atendimento de todos os funcionários é sem dúvida um diferencial! As crianças amaram a piscina com ondas. A área do lago também está muito legal.  Uma delícia aproveitar o passeio de stand up e canoa!”

bali

Serviço:

Endereço: AV PRINCIPAL LOT FECHADO BALI MARINA, Luziânia – GO, 72859-899

Telefone: (61) 3033-1030

Funcionamento: Qui a Dom das 09:30–17:00

Valor: Varia de acordo com os dias e promoções, entre R$ 100 e R$200 o ingresso adulto.

 

Lagoa Eco Praia

ecopraia

Dentro do parque Lagoa Quente, ela também é uma das mais completas, te oferecendo uma experiência de exaustão no fim do dia, ou renovação e relaxamento, tudo depende de você

Com espaços para camping, auditórios, e um incrível restaurante rancho, que fica próximo à praia.

Fazendo uma ambientação perfeita, com areia, coqueiros, piscina de ondas, e guarda-sóis, falta só o sal na água para virar uma praia de fato. O ambiente disposto é bem tranquilo e relaxante, com uma playlist tocando nas caixas de som estrategicamente posicionadas na orla.

Trazendo artistas para se apresentar nas areias da praia, o lugar já foi palco de eventos internacionais, divertindo públicos de todas as idades. Além das ondas, no local ainda é possível encontrar Chafarizes, Jatos e ofurôs para a população, fazendo desta, a verdadeira praia de Caldas Novas!

No Google, o lugar recebe uma avaliação de 4,4 estrelas em mais de 17 mil comentários

“Acho o parque excelente e com ótimo custo benefício. Piscinas limpas, atividades para adultos e crianças. É a 2a vez que viemos ao parque,  na 1a fizemos a refeição no restaurante do rancho e a comida estava boa e nesta vez optamos pelas porções, achei um pouco salgado mas é o valor que se paga quando está num parque turístico.”

“Lugar com vasto espaço, por ser o primeiro clube que conheci em Caldas Novas me agradou por completo, bons atendimentos em todas as áreas. Chopp em um preço acessível, da mesma forma que os tira gostos. Ouvi reclamações ao meu redor referente a demora ou sobre tira gostos não estarem quentes. Porém o que eu pedi ficou pronto no tempo informado e estava bem farto.”

ecopraia

Serviço:

Endereço: Avenida Lagoa Quente, 5 – Lagoa Quente, Caldas Novas – GO, 75690-000

Funcionamento: Todos os dias das 09:00-18:00

Telefone: (64) 34550150

Valor: R$100 nos fins de semana. +30 com almoço no rancho, ou +15 com almoço no recanto.

 

Praia do Cerrado

Praia

Dentro do queridinho de Goiás, o Hot Park, a Praia do Cerrado reúne tudo de melhor em um ambiente praiano, e traz de bandeja para você, sem nem precisar sair de Goiás. São 2 piscinas com 9 tipos diferentes de ondas.

Com uma areia branquinha, igual às dunas nordestinas, e uma água transparente com temperatura ideal, as praias do lugar são lindas. Formando uma orla de coqueiros, sua infraestrutura foi planejada para trazer essa sensação de litoral, mas com todos os cuidados de um parque, renovando a água a cada três horas, por exemplo.

Produzindo ondas tranquilas, o nível pode subir até as ondas alcançarem 1,20 m de altura. A Praia possui um tamanho de 4 campos de futebol, e é repleta de outras atividades como a prática de esportes, e até mesmo shows de bandas e DJs.

Com um restaurante bem arejado e um cardápio completíssimo, a decoração é inspirada na cultura havaiana, e servindo até comida vegana, dispões seus quiosques na areia, olhando assim não tem quem diga que essa não é uma foto beira-praia!

E para aqueles que forem e se apaixonarem, eles disponibilizam um serviço de escolinha de surf, que acontece em grupos de 8 pessoas, depois do encerramento do parque. Só é necessário ter mais de 7 anos de idade!

No Google o lugar recebe uma avaliação de 4,8 estrelas, com comentários bem entusiasmados:

“Lugar incrível. Não tem como ir em Caldas e não dar uma passada na cidadezinha de Rio Quente pra conhecer o Hot Park. A Praia do Cerrado, diga-se de passagem, é uma das piscinas de ondas de águas mais agradáveis e limpas da região. Vale muuuuuuuuuuuito a pena conhecer!!!”

“Excelente local para recreação de adultos e crianças. Água quente como bar, restaurante e som ambiente.”

Praia

Serviço:

Endereço: R. Maranhão, 500-584 – Esplanada do Rio Quente, Rio Quente – GO, 75695-000

Funcionamento: De Sex a Qua das 09:00-17:00.

Número: (11) 4200-0173

Valor: Consultar o Site, pois eles possuem diversos pacotes com valores mutáveis.

  

Praia do Sol – Minaçu

Praia

A Praia do Sol é um verdadeiro paraíso para os moradores de Minaçu/GO. Localizado a 536 km de Goiânia, a praia foi construída sob o lago artificial Cana brava, na área urbana da cidade para atender a população. Tem uma excelente infraestrutura, e transmite uma paz indescritível, além disso a água possui uma temperatura bem agradável.

Bem completo, o lugar pode ser uma opção para passar o dia todo, com estabelecimentos que atendem todas suas comodidades por perto. Conta com bares, banheiros, quadras de cimento e areia, praia e gramado com muito espaço

 Muito bom no final de tarde para relaxar, a vista projetada na praia é incrível, proporcionando uma experiência única. O acesso é gratuito e Minaçu possui diversas pousadas e hotéis, mas fica devendo na quantidade de restaurantes, que são poucos, mas muito bons!

Alguns moradores da região, alertam o perigo de ataques de piranhas, recomendando que ninguém entre na água depois de anoitecer.

No Google o lugar recebe uma avaliação de 4,6 estrelas e mais de mil comentários:

“Excelente lugar para se divertir com a família e amigos. Água quente  (pelo menos no dia que eu visitei). Tem bares, espaços verdes e dá até para fazer o churrasco. O que estraga são os Jets Skis insuportáveis que gosta de ficar fazendo manobras próximas aos banhistas”

“Lugar muito bom, tranquilo pra passear mais a família, curti um fim de semana com os amigos, toma uma cervejinha, assar uma carne, curti uma Praia!!!”

minaçu

Serviço:

Endereço:  Ac. Praia do Sol – Minaçu, GO, 76450-000

Telefone: (62) 3092-3047

Funcionamento: 07:30–19:30

Valor: Gratuito

 

Praia do Quarto Crescente

Praia

Uma das queridinhas do Araguaia, a praia do quarto crescente fica na cidade de Aragarças, e é uma das praias de água doce mais movimentadas de Goiás. Em julho, na alta temporada, as praias lotam tanto que não dá pra andar direito.

Repleta de quiosques, tendas e sombrinhas, ela lota de alegria também, já que constantemente a praia recebe shows e apresentações para o público. Com uma infraestrutura boa, o lugar fica ao lado de uma Av principal na cidade, facilitando muito o acesso a bares e restaurantes próximos.

O comércio no local é movimentado pelos vendedores ambulantes e alguns quiosques, que juntos dificilmente não terão algo que você precisa! Com um clima agradável, o vento é bastante presente, assemelhando-se a uma praia de água salgada.

Ideal para levar a família, ou até mesmo seu animalzinho de estimação, a água é incrivelmente bem distribuída, possuindo uma parte “mais quente” segundo os moradores, além de que possui vários pontos rasos, perfeito para as crianças brincarem.

No Google, o local recebe uma avaliação de 4,5 estrelas, elogiando desd atendimento ao clima da praia:

“Aragarças é  a melhor  praia do Araguaia…não tem  mosquito. Barracas com bom atendimento..”

“Excelente  pra curtir os fins de semana em período  do Rio Araguaia  baixo, recomendo hospedarem do Hostel Canto das Araras . Sinta-se em Casa….”

Praia

Serviço:

Endereço: St. Araguaia, Aragarças – GO, 76240-000

Funcionamento: Todos os dias 24h

Telefone: (64) 3638-7000 (Prefeitura de Aragarças)

Valor: Gratuito

 

Lago das Brisas

lago

Construído a partir da criação de uma usina hidrelétrica, o lago gigante é considerado o “mar” de água doce de Goiás. Uma das atrações mais famosas da região, todos os anos o Lago das Brisas recebe inúmeros visitantes dos mais diferentes tipos.

Recebendo desde casamentos, a chá revelação e festas regadas de cachaça e cerveja, o lago é muito completo e possui um tamanho duas vezes maior que a Baía de Guanabara no Rio de Janeiro, sobrando espaço para todos!

O povoado mais próximo fica a cerca de 27 km do local, e estão bem preparados para receber qualquer turista que precisar. Com águas muito bonitas e limpas, quando o vento está mais forte algumas ondas se formam, tornando o lago o ambiente perfeito para prática de esportes aquáticos, e além disso, bombando seu instagram com as fotos que você vai tirar.

Localizado no município de Buriti Alegre, a cidade oferece várias opções de hospedagem e restaurantes, garantindo suas necessidades além da diversão.

No Google, o local recebe uma avaliação de 4,7 estrelas e quase 500 comentários:

“Paz e tranquilidade! Viagem inesquecível a esse lago tão limpo e azul! Junte-se à cena o maravilhoso céu do cerrado! Imperdível para os que querem dar um tempo da pressa e do barulho da cidade.”

“O melhor e mais belo lago  para se visitar no estado de Goiás com natureza exuberante e águas transparentes!”

lago

Serviço:

Endereço: Corumbazul, Buriti Alegre, Goiás, 75660-000

Telefone: (64) 3444 9900 (Prefeitura Buriti Alegre)

Funcionamento: Todos os dias 24h

Valor: Gratuito

O Curta Mais não se responsabiliza por eventuais mudanças e valores. Consulte sempre antes de sair de casa!

Veja também:

Observação de aves: conheça a modalidade de turismo que cresce em Goiás

Por ser um dos países com maior biodiversidade do mundo, o Brasil tem avançado em um novo segmento do ecoturismo: a observação de aves. Segundo divulgado pelo Ministério do Turismo, a modalidade tem se desenvolvido rapidamente no mercado turístico nacional e pode crescer ainda mais. A estimativa é que, atualmente, o número de observadores de aves no País pode variar entre 40 mil e 300 mil.

A atividade, também chamada de “passarinhar” ou “birdwatching”, em inglês, também tem chamado a atenção do turismo em Goiás, principalmente nas regiões do Parque Estadual de Terra Ronca, da Chapada dos Veadeiros, da Chapada das Emas, Vale do Araguaia e Entorno do Distrito Federal.

De acordo com o presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, a observação de aves é uma atividade de lazer que contribui para a conservação dos ambientes naturais e para a educação ambiental e científica. “Muitos turistas procuram destinos onde possam fazer o bircwatching por diversos motivos, seja para estar em contato com a natureza, descobrir algo raro ou belezas que não se encontram em nenhum outro lugar do planeta”, explica.

Estudiosos e amantes da prática afirmam que o interesse dos visitantes em estar perto da natureza para flagrar e acompanhar espécies diferentes se tornou hobby com capacidade de gerar empregos, fomentar a economia do turismo sustentável e conservar a fauna e flora locais.

No Brasil, os observadores têm acesso ao site WikiAves, que é um espaço virtual repleto de registros de imagens e sons das aves, assim como informações sobre elas, entre outras atividades ligadas à prática. Desse modo, os observadores também atuam como colaboradores para o banco de dados das espécies raras e endêmicas.

Receba no seu WhatsApp as melhores dicas da cidade e as notícias mais interessantes em primeira mão!

PiriBier e Wine Jazz Piri agitam Pirenópolis nas próximas semanas

Maio e junho prometem ser meses bastante movimentados em Pirenópolis. A cidade será palco de dois eventos voltados à cultura da bebida: o PiriBier e o Wine Jazz Piri.

A 15ª edição do PiriBier ocorrerá de 30 de maio a 1º de junho, durante o feriado de Corpus Christi. A programação será realizada no Green Park Eventos e contará com a comercialização de mais de 250 rótulos de diferentes cervejas artesanais de origem nacional e internacional. O cardápio também contemplará opções sem álcool e sem glúten.

O evento também contará com shows musicais. A atração principal será a cantora Pitty, que se apresenta no sábado (1º), com a turnê dos 20 anos do seu primeiro disco. A programação também inclui Biquini, na quinta-feira (30), e as bandas Cali e Raimundo, cujas apresentações serão na sexta-feira (31). Os ingressos estão sendo vendidos a partir de R$ 115, no site https://baladapp.com.br/a/piribier2024/4302.

Outro evento que deve agitar Pirenópolis, o Wine Jazz será realizado entre os dias 20 e 23 de junho, no Largo da Matriz, com degustação, exposição de produtos, jam session, palestras, gastronomia e concurso. A entrada é gratuita para a maioria dos eventos marcados para a programação.

Receba no seu WhatsApp as melhores dicas da cidade e as notícias mais interessantes em primeira mão!

22 destinos em Goiás que deixam no chinelo muitas viagens internacionais

Goiás tem atraído cada vez mais a atenção de turistas de todos os cantos. Mas como santo de casa nem sempre faz milagres, é comum o próprio goiano valorizar pouco o turismo regional. A boa notícia é que o estado tem verdadeiros tesouros que fazem a alegria de gringos e estão aqui bem perto e, em muitos casos, podem ser uma boa saída em tempos de crise. No roteiro a seguir, incluímos destinos turísticos clássicos e lugares ainda pouco conhecidos para servir de opção a todos os gostos e bolsos. O resultado é uma lista bem democrática e cheios de atrativos que valem a experiência. Agora é com você unir o útil ao agradável. Bom proveito e Curta Mais Goiás!

 

1.Rio Quente – a 179 km de Goiânia

80b099a655157c6effcf41adc155009b.jpg

da6cbfd76bf9512f906d7e5062bc97ad.jpg

Rio

Mergulho em Rio Quente

A cidade de Rio Quente tem grande destaque no turismo de águas termais, abrigando o famoso Rio Quente Resorts.

Considerado um dos maiores complexos de águas termais do Brasil, a propriedade também conta com o Hot Park, ponto turístico de grande destaque no país.

Outro de seus grandes destaques, a Praia do Cerrado é a maior praia artificial com águas naturalmente quentes do mundo e uma das principais atrações do resort, disponível gratuitamente para os hóspedes do Rio Quente Resorts.

Como chegar: Rio Quente fica a 179 km de Goiânia, acesso pela GO-020 até Bela Vista de Goiás, então, entre à esquerda na GO-139; no encontro com a GO-213, vire sentido a Rio Quente e logo vire na GO-507.

Informações: (64) 3452-7021

 

2. Salto de Corumbá – a 115 km de Goiânia

salto

salto

Exatamente a 115 quilômetros de Goiânia e 95 quilômetros de Brasília. Esse cantinho abençoado por Deus e bonito por natureza reúne tantos atrativos que provavelmente não conseguiremos contar todos aqui. A área de 11 alqueires pertence ao empresário Rodrigo Borges (filho do ex-Governador Mauro Borges e neto de Pedro Ludovico Teixeira, fundador de Goiânia) e foi aberta ao público há quase 30 anos.

Mesmo com várias opções de diversão, são as cachoeiras que atraem tanta gente para o lugar. Sete no total com destaque para a incrível “Salto Corumbá” com 50 metros de queda, que em setembro e outubro fica perfeita para o banho com água na altura do joelho e temperatura média de 28 graus. Num raio de 1,5 km é possível conhecer à pé todas as sete cachoeiras do local por meio das trilhas sinalizadas e de fácil acesso. Outra atração é o “Poço da Gruta” com água geladíssima que chega a temperaturas de 15º em meses menos quentes do estado.

Como chegar: BR 414 – Km 383, Corumbá de Goiás, Goiás (acesso de Goiânia pela BR-060, em Anápolis pega sentido Corumbá de Goiás)

Telefones: (61) 4063-8546 e (62) 9658-7357 (whatsapp)

 

3. Paraúna – a 126km de Goiânia

Cachoeira

Cachoeira do Desengano, em Paraúna.

Foto: Goiás Turismo.

Muitos mistérios cercam Paraúna. A pouco mais de 100km de Goiânia, a cidade abriga histórias e lendas repassadas pelos moradores das redondezas, que afirmam que a região é visitada ou habitada por seres estranhos (alguns até vindos de outros planetas). O misticismo está relacionado às grandes formações rochosas e às construções antigas que a cidade abriga. Realidade ou ficção, o que se pode afirmar é que Paraúna é cheia de belezas naturais. Para os que apreciam bons banhos, vale conhecer a Cachoeira do Cervo, a Cachoeira do Desengano e o Córrego Couro do Cervo, ideais também para a prática de boia-cross, rafting e canoagem. A cidade conta ainda com a incrível Ponte de Pedra, uma formação natural com grutas e cavernas criada pelas águas dos rios Ponte de Pedra e Rio Corrente. Outro ponto muito procurado é a Serra das Galés, com suas formações rochosas rodeadas de mistérios, como a Pedra do Cálice.

PEdra

Pedra do Cálice, na Serra das Galés, em Paraúna. Formação rochosa rodeada de histórias e lendas.

Foto: Aalaorbr

Como chegar: Paraúna fica a 126km de Goiânia, com acesso pela BR-060.

Informações de hospedagem e alimentação: (64) 3957-7045

4. Pirenópolis – a 128 km de Goiânia

Igreja

Igreja Nossa Senhora do Rosário, parte do patrimônio tombado pelo IPHAN (Foto: Goiás Turismo)

onde

Roteiro de charme: entre ruas e prédios históricos, o burburinho dos bares e restaurantes

Entre as beldades de Goiânia e os burocratas de Brasília, surge Pirenópolis (ou só “Piri” para os mais íntimos). Com boa comida, pousadas de charme, compras espertas e um patrimônio arrebatador, não há como não deixar de se encantar com essa pequena joia do interior de Goiás.

Tombada como conjunto arquitetônico, urbanístico, paisagístico e histórico pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional em 1989, Pirenópolis é um registro da história de Goiás, que transpira nos casarões e construções antigas de seu Centro Histórico. Além disso, a cidade é o berço do escultor goiano José Joaquim de Veiga Valle e dos cantores sertanejos Zezé di Camargo e Luciano (a casa onde eles cresceram ainda existe, nos arredores da cidade!). Vale intercalar os passeios pela cidade com visitas às cachoeiras e trilhas do Parque Estadual Serra dos Pireneus. A cidade, que recebe grandes festivais de gastronomia, literatura e cinema, e festas religiosas, é um dos destinos preferidos de fins de semana e feriados prolongados para os moradores de Goiânia e Brasília.

Como chegar: Pirenópolis fica a 128 km de Goiânia, com acesso pela GO-431.

Telefones úteis: Secretaria de Turismo de Pirenópolis: (62) 3331-2416 | CAT – Pirenópolis: (62) 3331-2633

 

383bbd5db9788c1744c7f016d1da8181.jpg

 

5. Cocalzinho de Goiás – a 129km de Goiânia

Gruta

Caverna dos Ecos, em Cocalzinho de Goiás, que abriga o maior lago subterrâneo da América Latina.

Foto: Alexandre Lobo

A quase 130km de Goiânia está a cidade de Cocalzinho de Goiás. Erguida às margens do Rio Corumbá, a cidade é cortada por vários córregos e rios, que criam cachoeiras como a dos Caiapós, do Morrinho dos Pireneus, do Pedro Belo e Sete Grota. Programa obrigatório na cidade é curtir a tirolesa Voo dos Pirineus, com 567 metros de comprimento. Na região também são produzidos vinhos finos e premiados com uvas europeias, na Fazenda Pirineus Vinhos e Vinhedos. Também vale conhecer a Caverna dos Ecos, que abriga o maior lago subterrâneo da América Latina.

Cachoeira

Cachoeira dos Pirineus, em Cocalzinho de Goiás.

Foto: Goiás Turismo.

Vinhedo

Uvas da Fazenda Pirineus Vinhos e Vinhedos, em Cocalzinho de Goiás.

Foto: Geyzon Lenin

Como chegar: Cocalzinho de Goiás fica a 129km de Goiânia, com acesso pela BR-060, BR-153 e BR-414.

Informações de hospedagem e alimentação: (62) 3339-1527

 

6. Cidade de Goiás – a 141 km de Goiânia

cora

empadao

comercial

Entre casarões, ruas de paralelepípedo, empadões goianos e doces caseiros

Localizada há 130 km da Capital, as belezas naturais e arquitetônicas são o maior charme do município que é reconhecido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), como Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade desde 2001. As belezas que impressionaram o mundo estão em uma arquitetura preservada que varia entre o barraco, rococó e até gótico. Os Museu de Arte Sacra, o chafariz de Cauda, construído em 1778, ou a Igreja do Rosário são alguns exemplos desta beleza. Não há também como visitar a Cidade sem conhecer a casa da poetiza Cora Coralina, seus pertences, manuscritos, sua bica.

Como chegar: acesso pela GO-070.

CAT (Centro de Atendimento ao Turista): (62) 3331-2633

 

7. Caldas Novas – a 171 km de Goiânia

Águas

Caldas Novas possui mais de 200 piscinas termais…

Parque

… e mais de 20 parques e clubes – é água pra curtir o ano inteiro!

Lago

Pôr do sol no Lago Corumbá, em Caldas Novas

Nacionalmente conhecida por suas águas termais, que compõem o maior manancial hidrotermal do mundo e recebem mais de quatro milhões de turistas por ano, do Brasil e de fora do país. Caldas Novas é a quarta cidade turística não-capital do Brasil, e possui o maior polo hoteleiro de Goiás. A cidade também abriga o Parque Estadual da Serra de Caldas Novas, com suas trilhas e cachoeiras, abrindo espaço para o ecoturismo e o turismo de aventura, e recebe eventos de porte nacional, como o Caldas Country, um dos maiores festivais de música sertaneja do Brasil.

Como chegar: Caldas Novas fica a 171 km de Goiânia, com acesso pela BR-153 (até o trevo de Piracanjuba) e seguir: GO-217, GO-139 e GO-213. Ou pela GO-020, e depois pela GO-139.

 

8.Santuário Basílica de Trindade – a 18 km de Goiânia

TRINDADE

O Santuário Basílica do Divino Pai Eterno, templo católico, localizado no município goiano de Trindade, sendo a única basílica no mundo dedicada ao Divino Pai Eterno.

A Festa de Trindade é realizada todo ano, iniciando-se no último sábado do mês de junho e finalizando-se no primeiro domingo do mês de julho em Trindade, no estado de Goiás, onde recebe mais de 3 milhões de fiéis, durante seus 9 dias de duração.

Como chegar: acesso pela GO-060 (rodovia dos Romeiros)

Informações úteis: (62) 3506-7041

 

9. Vila Propício – a 188km de Goiânia

Lago

Lago Azul, em Vila Propício. (Imagem Do Cerrado via Youtube)

Conhecida por ter o segundo maior complexo de cavernas do Centro-Oeste, com mais de 50 cavernas e grutas que atraem turistas do Brasil e do mundo, a cidade de Vila Propício possui ainda outras belezas naturais. Dentre as cavernas mais visitadas estão a Chico Pina, Cearense, Dois Irmãos, Três Marias e a da Samambaia. A cidade abriga ainda a Cachoeira Rio dos Patos e o incrível Lago Azul, de águas azuis e cristalinas, perfeito para banho e mergulho.

Caverna

Caverna da Samambaia, em Vila Propício.

Foto: Goiás Turismo.

Como chegar: Vila Propício fica a 188km de Goiânia, com acesso pela BR-060, BR-153 e GO-338.

Informações de hospedagem e alimentação: (62) 3320-0184

 

10. Formosa – a 281 km de Goiânia

Eleita como a oitava melhor cidade turística do estado de Goiás pelos próprios turistas, a cidade de Formosa é um mundo a ser desbravado pelos espíritos aventureiros: grutas, cachoeiras, quedas livres, trilhas, e rampas de voo livre vão fazer você sentir um gostinho de adrenalina como nunca antes. Além disso, a cidade abriga sítios arqueológicos e recebe importantes festas religiosas ao longo do ano. Com economia baseada na agropecuária, o município tem grande potencial turístico e atrativos que realmente impressionantes.

Cachoeira

Sim, esse paraíso existe e é logo alí.

O Buraco das Araras parece ter saído de um filme de ficção e aventura.

Rampa

Como chegar:

Formosa fica a 281 km de Goiânia, com acesso pela BR-153 e em seguida pela GO-118.

Telefones Úteis:

Secretaria Municipal de Turismo de Formosa: (61) 3981-1234

CAT (Centro de Atendimento ao Turista) de Formosa: (61) 9686-0142

AGeCTUR (Associação de Guias e Condutores de Turismo): (61) 9848-5938

 

11. São João D’Aliança – a 355km de Goiânia

Bocaina

Bocaina do Farias, em São João D’Aliança.

Foto: Goiás Turismo.

Entrada da Chapada dos Veadeiros mais próxima de Brasília, a cidade de São João D’Aliança está repleta de cachoeiras e cânions. Na cidade, vale conhecer o impressionante cânion Buraco do Farias. Entre as cachoeiras, vale visitar a Cachoeira das Andorinhas, a Cachoeira do Label, a Cachoeira do Mingau, a Cachoeira São Cristóvão, a Cachoeira São Pedro e a Cachoeira do Cantinho, com quatro quedas d’água. A cidade abriga ainda a comunidade quilombola Quilombo do Forte.

Cachoeira

Cachoeira do Cantinho, em São João D’Aliança.

Foto: Naty_Chocolate

Como chegar: São João D’Aliança fica a 355km de Goiânia, com acesso pela BR-020 até a DF-345, finalizando pela GO-118.

Informações de hospedagem e alimentação: (62) 3438-1161

 

12. Serranópolis – a 372km de Goiânia

Cachoeira

Cachoeira Canguçu, em Serranópolis.

Foto: Goiás Turismo.

Considerada uma das mais importantes regiões arqueológicas do continente, Serranópolis possui pequenas grutas com vestígios de ocupação, que atraem pesquisadores e turistas interessados nas pinturas rupestres encontradas em suas paredes e sítios arqueológicos. A cidade abriga ainda várias cachoeiras, como a do Corcovado, da Barra do Douradinho, da Ponte de Pedra e do Canguçu.

Sitio

Sítio Arqueológico Pousada das Araras, em Serranópolis, com pinturas rupestres.

Foto: Pegadas no Cerrado

Como chegar: Serranópolis fica a 372km de Goiânia, com acesso pela BR-060.

Informações de hospedagem e alimentação: (64) 3668-1114 | (64) 3668-1457

 

13. Colinas do Sul – a 393 km de Goiânia

Lago

Águas termais em Colinas do Sul (Foto: Goiás Turismo)

Colinas do Sul é a única cidade da Chapada dos Veadeiros banhada pelo Lago Serra da Mesa, e está cercada por atrações naturais com opções de trilhas, cachoeiras, mirantes, vales, serras, rios e lagos. A cidade tem grande potencial para o turismo de pesca e abriga o encontro dos rios São Miguel e Tocantinzinho. Para os que buscam programas mais tranquilos, Colinas do Sul também possui banhos em águas termais.

Como chegar: Colinas do Sul fica a 393 km de Goiânia, com acesso pelas rodovias GO-132 e GO-239.

O que fazer: Banhos nas águas termais; Pesca esportiva e banhos no Lago de Serra da Mesa, o segundo maior lago artificial do Brasil; Camping, tilhas e banhos na Reserva Particular do Patrimônio Natural Cachoeira das Pedras Bonitas; Acesso para o Parque da Chapada dos Veadeiros, unidade de conservação brasileira de proteção integral à natureza, que abriga cachoeiras e belezas naturais, atraindo turistas para trilhas, esportes radicais e banhos de cachoeira; Descobrir o encontro dos rios São Miguel e Tocantinzinho.

Telefones úteis: Prefeitura de Colinas do Sul: (62) 3486-1117 | Allan Kardec, da Secretaria de Turismo: (62) 9627-4477

 

14. Parque Nacional das Emas – a 420 Km de Goiânia

Fenômeno

Fenômeno da bioluminescência no Parque Nacional das Emas, em Goiás.

Carro

Carro Safari no Parque Nacional das Emas. É possível alugar o veículo para passeios pela Unidade de Conservação. (Foto: Prefeitura de Mineiros)

Cupinzeiros naturalmente coloridos, safari, boia-cross, natureza exuberante e muita, muita aventura. Este são alguns dos atrativos que o visitante pode encontrar e curtir no deslumbrante Parque Nacional das Emas, localizado entre os municípios de Serranópolis (GO), Mineiros (GO), Chapadão do Céu (GO) e Costa Rica (MS). Por lá é possível presenciar o fenômeno raro e único da bioluminescência, quando os cupinzeiros ficam cheios de pontos brilhantes durante à noite, criando um cenário mágico e de encher os olhos.

Para os que querem presenciar esse espetáculo natural da bioluminescência, a época ideial de pico, é entre os meses de outubro e novembro. Além da beleza do fenômeno, o Parque Nacional das Emas é um destino sem igual para os que curtem turismo de aventura e esportes radicais.

Para informações de hospedagem e alimentação, entre em contato com as Centrais de Atendimento ao Turista (CAT) de cada município:

CAT Mineiros

Endereço: Avenida Alessandro Marchió, N169, Centro

Telefone: (64) 3661-0006

Email: [email protected]

Agências de turismo

Trekking Turismo – Mineiros (GO)

Telefone: (64) 9611-5259

Trilhas do Cerrado – Mineiros (GO)

Telefone: (64) 9954-4017

CAT Chapadão do Céu

Telefone: (64) 3634-151

 

15. Mineiros – a 420 km de Goiânia

 

Mineiros

Chapada Pinga Fogo, ideal para trekking, hiking e rapel (Foto: Goiás Turismo)

Boia

Boia-cross no Parque Nacional das Emas (Foto: Secretaria de Turismo de Mineiros)

Uma das portas de entrada para o Parque Nacional das Emas, onde se pode observar o efeito da bioluminescência, Mineiros também é a casa de mais de 150 cachoeiras catalogadas e da região mística do Pinga-Fogo, ideal para a prática de trekking, hiking e rapel. A cidade possui grande variedade de fauna, flora, piscinas naturais e grutas, fazendo de Mineiros um destino ideal para o turismo de aventura.

Como chegar: Mineiros fica a 420km de Goiânia, com acesso pela BR -060.

O que fazer: Observar o fenômeno da bioluminescência no Parque Nacional das Emas; Boia-cross, flutução e safári no Parque Nacional das Emas; Trekking, hiking e rapel na região da Chapada do Pinga Fogo; Cachoeirismo e banhos nas mais de 150 cachoeiras catalogadas, como a dos Dois Saltos, do Ribeirão Invernadinha e do Rio Verde.

Informações de hospedagem e alimentação: Secretaria de Cultura e Turismo: (64) 3661-0005 | CAT – Mineiros: (64) 3661-0006

 

16. Chapadão do Céu – a 480km de Goiânia

Boia

Boia-cross no Rio Formoso, em Chapadão do Céu.

Foto: Goiás Turismo.

A apenas 26km do Portão Bandeira, Chapadão do Céu é a cidade mais próxima do Parque Nacional das Emas. Por lá, além de visitar as belezas do Parque e não perder o fenômeno da bioluminescência, vale conhecer os saltos do Rio Sucuriú e fazer flutuação, boia-cross, canoagem e rafting nas corredeiras do Rio Formoso, que possui até uma prainha com areia branca na margem.

Salto

Salto Sucuriu em Chapadão do Céu.

Foto: Goiás Turismo.

Como chegar: Chapadão do Céu fica a 480km de Goiânia, com acesso pela BR-060.

Informações de hospedagem e alimentação: (64) 3636-1517

 

17. Chapada dos Veadeiros – a 444 km de Goiânia

Salto

Salto do Rio Preto, com 120m de queda

balao

Voo panorâmico de balão pela Chapada dos Veadeiros

Vale

O surreal Vale da Lua

Criado em 1961 para proteger mais de 65 mil hectares de natureza típica do cerrado, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros também foi declarado Patrimônio Mundial Natural em 2001 pela UNESCO. Além da conservação natural, o Parque tem grande valor científico e turístico, sendo um dos destinos mais incríveis do estado de Goiás.

Localizado entre os municípios de Alto Paraíso e Cavalcante, a Chapada dos Veadeiros atrai turistas de todos os perfis: aventureiros, tranquilos, esotéricos e céticos se encontram em um local cheio de cachoeiras, trilhas e muitas outras belezas naturais.

Com tantas riquezas, é difícil resumir os atrativos da região. Selecionamos aqui 10 dicas de programas incríveis que você provavelmente não sabia que pode fazer na Chapada dos Veadeiros e arredores. A lista inclui banhos de cachoeira, trilhas, esportes de aventura e até passeio de balão.

Parque Nacional Chapada dos Veadeiros

Como chegar: Atualmente, o único acesso à Chapada dos Veadeiros se dá pela vila de São Jorge, distrito de Alto Paraíso. Alto Paraíso fica a 444km de Goiânia, com acesso pela BR-060 e BR-010. São Jorge fica a 30km de Alto Paraíso, com acesso pela GO-239.  A entrada para a Chapada dos Veadeiros fica a 1km de São Jorge e 36km de Alto Paraíso.

Visitação: A visitação ao Parque acontece a partir das 08h, com entrada liberada até às 12h e saída até às 18h. É permitido o acesso a apenas 500 pessoas por dia, então fica a dica: para períodos de grande visitação, como o carnaval, chegue cedo ao local. Não é necessário ter guias para fazer as trilhas da Chapada dos Veadeiros, mas a visita guiada é recomendada em períodos chuvosos. Os guias cobram R$150 por dia para grupos de até 10 pessoas. O período ideal de visitação do Parque é de junho a novembro, entre os períodos de seca e chuva.

Informações de hospedagem e alimentação: Central de Atendimento ao Turista de Alto Paraíso: (62) 3446-1159 | Central de Atendimento ao Turista de São Jorge: (62) 3455-1090

 

18. Alto Paraíso – a 444 km de Goiânia

bf1496018d900e5fe1812ae6b38c9225.jpg

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Destino com ares místicos e inúmeras belezas naturais, Alto Paraíso é uma das cidades mais significativas para o turismo de Goiás. Abrigando a porta de entrada da Chapada dos Veadeiros, a cidade é célebre por sua vibe alternativa, que atrai muitos místicos: eles acreditam que as vibrações magnéticas do subsolo, geradas por uma grande placa de quartzo, sejam o motivo da cidade ser tão especial, recebendo visitas de alienígenas e fazendo da cidade um chacra do mundo. Por lá, é fácil encontrar locais que oferecem terapias alternativas, como o reike.

Além do esoterismo, Alto Paraíso conta com 120 cachoeiras catalogadas e outras riquezas naturais, que fazem da cidade um destino também procurado pelos fãs de aventuras e esportes radicais.

Como chegar: Alto Paraíso fica a 444km de Goiânia, com acesso pela BR-060 e BR0-10.

Informações de hospedagem e alimentação: Central de Atendimento ao Turista de Alto Paraíso: (62) 3446-1159 | Central de Atendimento ao Turista de São Jorge: (62) 3455-1090

 

19. Rio Araguaia – a cerca de 480 Km de Goiânia

Pôr

Pôr do sol no Rio Araguaia, cenário de tirar o fôlego

Pesca

Pesca esportiva no cartão postal goiano

O pôr do sol visto das margens do rio Araguaia é uma das images mais belas captadas por turistas e veículos de comunicação. Mas não é difícil também ver botos subindo rapidamente para respirar, gaivotas, mergulhões, jacarés e até cardumes de peixes subindo o rio durante a piracema – período em que é proibida a pesca de qualquer espécie.

Destacamos duas opções de cidades ribeirinhas com ótima estrutura para o turista, Aruanã e São Miguel do Araguaia:

Como chegar: São Miguel do Araguaia fica a 475 km de Goiânia, com acesso pela GO–070.

Informações de hospedagem e alimentação: Secretaria de Turismo: (62) 3977-7152 | (62) 3977-7153 | CAT – São Miguel do Araguaia: (62) 3382-3140

Como chegar: Aruanã fica a 315km de Goiânia, com acesso pelas rodovias GO–070, GO–530 e GO-060.

Informações de hospedagem e alimentação: CAT – Aruanã: (62) 3376-1442

 

20. Mambaí – a 508km de Goiânia

Cachoeira

Cachoeira do Poço Azul, em Mambaí.

Foto: Goiás Turismo.

Programa obrigatório na cidade de Mambaí é cruzar o cânion do Córrego das Dores em uma das maiores tirolesas do Brasil – são 102 metros de altura e 320 metros de extensão. A cidade também está cheia de cachoeiras, lagos, cânions e cavernas. Vale conhecer a belíssima Cachoeira do Poço Azul, com águas azuis e cristalinas propícias para o banho; a Cachoeira Paraíso do Cerrado, com três quedas d’água; e a Cachoeira do Funil. A cidade abriga ainda a sexta maior caverna do Brasil e a segunda maior do Estado de Goiás, a incrível Gruna da Tarimba.

Cachoeira

Cachoeira do Funil em Mambaí, Goiás.

Foto: Goiás Turismo.

Tirolesa

Tirolesa do Córrego das Dores, em Mambaí.

Foto: Goiás Turismo.

Como chegar: Mambaí fica a 508km de Goiânia, com acesso pela BR-060 seguindo pela BR-020.

Informações de hospedagem e alimentação: (62) 3484-1251

 

21. Cavalcante – a 510 km de Goiânia

A natureza em seu melhor estado.

Ecoturismo, turismo de aventura e turismo cultural se encontram em Cavalcante, município que abriga quase 70% da área total do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, unidade de conservação brasileira de proteção integral à natureza e Patrimônio Mundial da UNESCO. Cachoeiras, serras, rios e cânions fazem o cenário da cidade, onde o Sítio Histórico e Patrimônio Cultural Kalunga, a maior comunidade quilombola do País, também está abrigado.

Como chegar: Cavalcante fica a 510 km de Goiânia, com acesso pela BR-153.

Informações de hospedagem e alimentação: Prefeitura Municipal de Cavalcante: (62) 3494-1193 | (62) 3494-1399 | Secretaria de Turismo de Cavalcante e CAT – Cavalcante: (62) 3494-1507

 

22. São Domingos – a 641km de Goiânia

Gruta

Grutas e cavernas do Parque Estadual de Terra Ronca, em São Domingos.

Foto: Goiás Turismo.

São Domingos abriga o Parque Estadual de Terra Ronca, constituído por inúmeras grutas de cerca de 620 milhões de anos, banhadas por águas límpidas e mornas. Visitar o complexo cavernícola do Parque Estadual de Terra Ronca é programa obrigatório na cidade. É lá que estão concentradas grutas como a de Terra Ronca (que deu nome ao parque), São Mateus e Angélica, a quinta maior caverna do país. Todas elas possuem galerias quilométricas e grande volume dos cursos d’água, fazendo do Parque Estadual de Terra Ronca um dos maiores complexos espeleológicos da América. O local é ideal para os amantes de esportes radicais como escalada, rapel e mountain bike.

Parque

Parque

Grutas e cavernas do Parque Estadual de Terra Ronca, em São Domingos.

Foto: Goiás Turismo.

Como chegar: São Domingos fica a 641km de Goiânia, com acesso pela BR-060 e BR-020.

Informações de hospedagem e alimentação: (62) 3425-1516

Receba no seu WhatsApp as melhores dicas da cidade e as notícias mais interessantes em primeira mão!

Conheça os dois destinos brasileiros eleitos os melhores do mundo pelo New York Times

Se você está em dúvida sobre quais lugares do mundo visitar, pois não quer se arriscar muito, a lista publicada pelo The New York Times pode ser uma boa ajuda. Será possível conferir os melhores! Há opções no mundo todo: do Japão até o Brasil. No ano passado, a lista contemplou dois lugares do nosso país como alguns dos melhores para se visitar.

O ranking elegeu lugares que incluem praias paradisíacas e regiões montanhosas.

Segundo o jornal, para ranquear os seguintes aspectos locais, foi considerado: vasta cultura, gastronomia, aventura, áreas naturais e outros elementos que possam chamar atenção de viajantes. Com uma lista variada, os dois lugares do Brasil que entraram na lista são os Lençóis Maranhenses e a cidade de Manaus, desbancando outros paraísos que o país tem para exibir e as cidades mais famosas, como o Rio de Janeiro e São Paulo.

Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses

Entrando na décima primeira posição da lista, o parque é composto por dunas brancas e piscinas naturais que foram descritas pelo jornal como “sobrenaturais”. Para curtir a região, são feitas viagens em veículos 4×4, passando pelas dunas e entrando em uma aventura emocionante onde é possível contemplar a beleza natural desse local.

Para quem procura lazer, descanso e relaxar, o parque é a pedida perfeita, mas esteja preparado para o calor, pois o local conta com pouquíssimos locais com sombras, há poucas árvores e bastante sol durante o dia. Melhor época para visitá-lo é em setembro por causa da sua principal lagoa, que fica no tamanho perfeito nesta época.

Foto: Revista Bancorbrás

Manaus

A capital do Amazonas ocupou a quadragésima primeira posição do ranking. Manaus está presente na lista por causa da sua beleza natural e das experiências gastronômicas do local. Os ingredientes amazônicos utilizados na culinária local tem chamado a atenção por serem incomuns para muitos, mas ainda muito deliciosos.

Um dos destaques no jornal foi dado ao restaurante indígena Biatuwi, que tem uma estrela Michelin, a mais alta premiação de culinária entre restaurantes. Ele reúne pratos com ingredientes típicos do Amazonas, como formigas, capim-limão e costelas de Tambaqui.

Foto: Kadu Oliveira

Confira a lista completa do The New York Times:

  1. Londres – Inglaterra;
  2. Morioka – Japão;
  3. Monument Valley – Estados Unidos;
  4. Kilmartin Glen – Escócia;
  5. Auckland – Nova Zelândia;
  6. Palm Springs – Estados Unidos;
  7. Ilha Kangaroo – Austrália;
  8. Rio Vjosa – Albânia;
  9. Acra – Gana;
  10. Tromso – Noruega;
  11. Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses – Brasil;
  12. Butão – leste da cordilheira do Himalaia;
  13. Kerala – Índia;
  14. Greenville – Estados Unidos;
  15. Tucson – Estados Unidos;
  16. Martinique – ilha francesa no leste do Mar do Caribe;
  17. Deserto do Namibe – África;
  18. Alaska Railroad – Estados Unidos;
  19. Fukuoka – Japão;
  20. Flores – Indonésia;
  21. Guadalajara – México;
  22. Tassili n’Ajjer – Argélia;
  23. Cachétia – Estados Unidos;
  24. Nimes – França;
  25. Ha Giang – Vietnã;
  26. Salalah – Omã;
  27. Cuba – país localizado no Mar do Caribe;
  28. Odense – Dinamarca;
  29. Parque Nacional Uluru-Kata Tjuta – Austrália;
  30. Boquete – Panamá;
  31. Tarragona – Espanha;
  32. Charleston – Estados Unidos;
  33. Cayos Cochinos – Honduras;
  34. Burgundy Beer Trai – França;
  35. Istambul – Turquia;
  36. Taipé – Taiwan;
  37. El Poblado – Colômbia;
  38. Lausanne – Suíça;
  39. Methana – Grécia;
  40. Louisville – Estados Unidos;
  41. Manaus – Brasil;
  42. Vilnius – Lituânia;
  43. Macon – Estados Unidos;
  44. Madrid – Espanha;
  45. Grand Junction – Estados Unidos;
  46. La Guajira – Colômbia;
  47. Bergamo and Brescia – Itália;
  48. American Prairie – Estados Unidos;
  49. Eastern Townships – Canadá;
  50. New Haven – Estados Unidos;
  51. Black Hills – Estados Unidos;
  52. Sarajevo – Bósnia e Herzegovina.

 

 

 

*Fontes: Agência Texty / Escola e Educação

Veja também:

Festival Rock n’ Blues agita a Chapada dos Veadeiros com mais de 30 atrações musicais

O Blues surgiu no sul dos EUA no início do século XX, influenciando diversos gêneros musicais. No Brasil, sua história está ligada ao rock, aparecendo nos anos 1960 com versões em português de sucessos internacionais.

Para os apaixonados pelo estilo, entre os dias 17 e 19 de maio, a Chapada dos Veadeiros, em Goiás será palco de um dos eventos mais aguardados do ano: o Rock’n Blues 2024. Realizado em diversos estabelecimentos de Alto Paraíso e Vila de São Jorge, o festival une os encantos naturais da região com apresentações musicais de tirar o fôlego.

Com uma programação diversificada, o público tem a oportunidade de curtir mais de 30 atrações, entre bandas e artistas locais e nacionais.

Entre os confirmados no line-up estão nomes como Kiko Peres, Meolly, O Bando, Banda Vital, Thiago Coimbra, Derez e Cachorro do Mangue, Bruno Berê, Andrei Baltz, Luana Branco, Thaise Mandalla, entre outros, garantindo uma experiência sonora única.

Confira a programação completa:

Sexta-feira (17.05):

13h às 22h – (com intervalos) Rafael Mendes (Canela de Ema)

14h – Rafael Villas Boas (Rústico Premium Grill)

16h – Marcius Cabral e Banda (Mirante)

16h30 – Banda Vital (Pura)

18h – DJ Gabishak (Rústico Premium Grill)

18h – Andrei Baltz (Panepalan)

20h – Thiago Coimbra (Maracangalha)

20h – Vive e Anco (Farofa)

20h – Banda Vital e Kiko Peres (Rústico Premium Grill)

20h – Derez e Cachorro do Mangue (Santo Cerrado)

22h – DJ Luana Branco (Clandestino)

Sábado (18.05):

13h às 22h (com intervalos) – Rafael Mendes (Canela de Ema)

13h – Vive e Anco (Coffee Shop São Bento)

14h – DJ Thiago Roots (Na Mata)

14h – Thaise Mandalla (Rústico Premium Grill)

16h30- Bruno Berê, Andrei Baltz e Rafael Mosquito (Pura)

16h30 – O Bando participação Meolly (Mirante do Pôr do Sol)

18h30 – Thaise Mandalla (Panepalan)

20h – Kiko Peres e Celebration Band em um tributo a Led Zeppellin (Rústico Premium Grill)

20h – Vive e Anco (Maracangalha)

20h – Thiago Coimbra (Santo Cerrado)

20h – Erick Von Behr (Luar da Vila)

20h – Marcius Cabral e Banda (Na Villa)

20h30 – Bruno Berê, Andrei Baltz e Rafael Mosquito (Na Villa)

22h – Gabishak (Clandestino)

22h30 – Show na praça Jam Session com O Bando com convidados: Kiko Peres, Meolly e artistas do blues.

Domingo (19/05):

09h – Thaise Mandalla (Casa de Delícias)

15h – Bruno Berê, Andrei Baltz e convidados (Rústico Premium Grill)

Os shows acontecem em diversos pontos emblemáticos da região, incluindo o Rústico Premium Grill, Risoteria Santo Cerrado, Bar do Mirante, Luar da Vila, Canela de Ema, Farofa, Na Mata, Casa de Delícias, Na Villa, Clandestino, Casa Amarela, Pura Chapada, Maracangalha, Coffee Shop São Bento e Panepalan.

O couvert artístico/entrada terá um valor acessível a partir de R$ 20,00 nos estabelecimentos participantes. O valor está sujeito a alteração sem aviso prévio.

Essas são as 10 cidades mais inteligentes do mundo!

Em abril, foi divulgada a quinta edição do Smart City Index, índice elaborado pelo Institute for Management Development (IMD) que traz as cidades mais inteligentes do mundo. São avaliados aspectos econômicos, tecnológicos, ambientais e de qualidade de vida.

O levantamento considera dados coletados em 142 cidades por todo o mundo. São colhidas respostas de 120 residentes em cada município.

De acordo com o IMD, uma cidade inteligente é “um ambiente urbano que aplica a tecnologia para aumentar os benefícios e diminuir as deficiências da urbanização para seus cidadãos.”

O estudo revela um panorama de como a infraestrutura e a tecnologia em determinado local podem impactar sua performance e a qualidade de vida de seus moradores.

Segundo o instituto, na maioria das cidades do topo da lista, foram registrados investimentos contra desigualdades e a favor da inclusão, além de esforços no sentido da inovação.

“Com muito poucas exceções, as cidades no top 20 estão geograficamente localizadas em áreas onde ambientes sociais e econômicos são relativamente previsíveis, mesmo com o clima global geral de incertezas”, diz o levantamento.

Confira, a seguir, as 10 cidades mais inteligentes do mundo:

Zurique, Suíça


Oslo, Noruega

Canberra, Austrália

Genebra, Suíça

Singapura

Copenhague, Dinamarca

Lausanne, Suíça

Foto: reprodução 3em3

Londres, Inglaterra

Helsinque, Finlândia

 

Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos

 

 

*Fonte: Exame; CNBC

Veja também:

 

Paraíso escondido onde o sol beija as águas e os peixes saltam para a eternidade

O estado do Tocantins, localizado na região Norte do Brasil, é um destino paradisíaco de pesca esportiva que está ganhando cada vez mais destaque. Com uma rica biodiversidade e abundância de recursos hídricos, o Tocantins oferece uma experiência de pesca única para os entusiastas da pesca.

Belezas naturais e recursos hídricos

O Tocantins é conhecido por sua rica biodiversidade e belezas naturais. O estado abriga a segunda maior bacia hidrográfica do Brasil2, com muitos rios, nascentes e riachos34. Além disso, o Tocantins é lar de uma variedade de espécies de peixes, incluindo o cobiçado tucunaré azul.

Pesca esportiva

A pesca esportiva é uma atividade popular no Tocantins, atraindo milhares de pescadores todos os anos. Espécies como Tucunaré, Apapá, Corvina, Jaú, Cachorra e Caranha são encontradas nos rios do estado. A prática da pesca esportiva, onde o peixe é pescado e depois solto em seu habitat natural, é incentivada para promover a sustentabilidade e a preservação ambiental.

Desenvolvimento do turismo

O Tocantins tem potencial para o desenvolvimento do turismo, com a pesca esportiva desempenhando um papel importante nesse aspecto. O estado tem investido em melhorar os serviços para a população e os turistas, incluindo a implementação de medidas para melhorar a experiência do turista5. Além disso, o clima do Tocantins, que é predominantemente tropical, juntamente com a hospitalidade natural do povo, favorece o setor de turismo.

Empresas de pesca

Existem várias empresas de pesca no Tocantins que oferecem serviços especializados para os entusiastas da pesca. Essas empresas são fundamentais para apoiar a indústria da pesca esportiva e contribuir para a economia local.

Em resumo, o Tocantins é um destino de pesca esportiva em ascensão no Brasil, com uma rica biodiversidade, abundância de recursos hídricos e um clima favorável. A pesca esportiva desempenha um papel importante na preservação ambiental e no desenvolvimento econômico do estado.

Peixe

Peixe, município de praias do Tocantins que poucos conhecem!

Foto: Leve na Viagem

O município é um destino muito procurado pelos amantes da pesca, pois proporciona a pesca de Tucunaré no “visual”, ou seja, é possível ver o peixe antes de fisgá-lo.

 

São Salvador do Tocantins

São Salvador do Tocantins | Cidade | G1

Foto: Prefeitura de São Salvador

Em São Salvador é possível pescar e ainda relaxar em alguma das várias pousadas que têm na cidade. As pousadas já oferecem pacotes que incluem o barco e itens para pesca, além de alimentação durante as pescarias.

 

Caseara

Projeto sobre pesca esportiva motiva comunidade em Caseara - Conexão Tocantins - Portal de Notícias

Foto: Conexão Tocantins

Esse município também está no mapa da pesca do Tocantins. Banhada pelo Rio Araguaia, Caseara é um polo tanto da pesca esportiva, quanto da pesca amadora.

 

Lajeado

Governo do Tocantins desenvolve plano de operacionalização da pesca esportiva | Portal Pesca Amadora Esportiva

Foto: Pesca Amadora

A pescaria nas águas do rio Tocantins em Lajeado, a 50 km de Palmas, é uma opção de lazer para quem busca tranquilidade e contato com a natureza. A modalidade de pesca submarina também é praticada por quem frequenta o lugar.

 

Ilha do Bananal

Etnoturismo, pesca esportiva e praias se destacam na região da Ilha do Bananal

Foto: Governo do Tocantins

Considerada a maior ilha genuinamente fluvial do mundo, a Ilha do Bananal se baseia na calma dos rios Javaé e Araguaia, que a cercam e propiciam uma grande variedade de peixes, um sonho para os amantes da pesca esportiva!

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

 

Veja também:

Revelamos o segredo extraordinário e exuberante da natureza no Bico do Papagaio no Tocantins

Saiba porquê dois filmes de ação mudaram a história da Netflix

Revelamos o segredo extraordinário e exuberante da natureza no Bico do Papagaio no Tocantins

Esperantina, uma joia escondida no extremo norte do estado do Tocantins, é um município que se destaca por sua rica biodiversidade e belezas naturais. Situada na região conhecida como Bico do Papagaio, a cidade está a uma distância de 680 km da capital do estado, Palmas.

O município é abençoado com uma vegetação diversificada, que inclui biomas do cerrado e da Floresta Amazônica. Esta combinação única de ecossistemas contribui para a rica biodiversidade da região, tornando-a um paraíso para os amantes da natureza.

Esperantina é famosa por ser o ponto de encontro dos grandes Rios Araguaia e Tocantins. Além disso, é a única cidade tocantinense que possui praias às margens desses dois rios em seu território1. Estas praias são caracterizadas por extensas faixas de areias brancas e finas, cercadas por uma exuberante vegetação amazônica. Aqui, os visitantes podem experimentar a natureza em seu estado mais puro e selvagem.

Durante o mês de julho, quando as águas recuam, Esperantina se transforma em um popular destino turístico. O verão sazonal traz consigo dias ensolarados perfeitos para aproveitar as praias do Rio Tocantins.

Em Esperantina, os turistas têm a oportunidade de conhecer uma típica fábrica de farinha. A experiência inclui a visita a uma associação de mulheres locais que trabalham no processo artesanal de fabricação de farinha. Elas descascam a mandioca, colocam-na em tanques e, em seguida, a torram para produzir farinha. Este produto é comercializado diariamente, proporcionando uma fonte de renda para a comunidade local.

Outra experiência única que Esperantina oferece é a chance de saborear o suco de cupuaçu, uma fruta tropical típica da região. Os visitantes podem desfrutar desta bebida refrescante, feita com frutas colhidas diretamente da árvore, na propriedade do senhor Nonato Câmara.

Em resumo, Esperantina é um destino que oferece uma rica experiência cultural e natural. Seja pela sua biodiversidade, pelas suas praias fluviais ou pela sua produção artesanal de farinha, a cidade tem muito a oferecer aos seus visitantes. Venha descobrir as maravilhas de Esperantina, uma cidade que é um verdadeiro tesouro do norte do Tocantins.

Encontro das Águas

cfadb47a575641b257437a38efa7099f.jpg

Encontro dos Rios Araguaia e Tocantins em Esperantina – Foto: Fernando Alves/Governo do Tocantins

A praia de Bacuri Grande, em Esperantina é o ponto de partida para o “Encontro das Águas”, a 25 km dali. O trajeto é feito de barco e o barqueiro mais famoso é Manoel Gomes Soares. Ele é conhecido no local como o dono do Bico, porque tem posse de uma terra bem no Extremo-Norte, para onde conduz em seu barco os turistas.

Ancorado no porto, o ribeirinho faz até cinco viagens por mês ao “Encontro das Águas”. Durante o passeio ele é o guia turístico, respondendo perguntas e mostrando as belezas ao longo do rio.

Levando uma hora na ida e duas na volta, por causa da subida, o visitante tem que ser aventureiro, com aquele espírito apreciador da simplicidade.

Praia do Bacuri Grande

5204084c94ec5fa213c2b30d66f51fa7.jpg

Foto: Folha do Bico

Situada a 8 km do centro de Esperantina, a praia é conhecida por ter atividades até agosto, quando a maioria das praias já finalizaram sua temporada.

O local é tranquilo, de beleza intocada, com estruturas de barracas para os visitantes.

História de Esperantina

O município foi criado em 5 de outubro de 1989 e instalado em 1 de janeiro de 1993. Sua emancipação política ocorreu em 10 de fevereiro de 1991, através da Lei Estadual nº 251/91.

Sua povoação começou por volta de 1974, quando chegaram a esta região os senhores Felipe da Silva Ribeiro e Vitoriano da Silva Ribeiro, os quais se agradaram do local e fixaram residência à margem da “Lagoa da Cota”, rodeada de terras férteis e viçosas, devolutas do Estado de Goiás na época.

Por ser uma região rica em caça, pesca e próspera para agricultura, atraiu moradores de outras regiões – Maranhão, Pará, Piauí, Alagoas e Bahia.

Com o índice cada vez maior de povoação, passou a ser chamada de “Centro de Pedro Souza”, depois “Centro dos Mulatos” devido à grande quantidade de descendentes de índios e negros que habitavam o lugar. O qual em 1980, já contava com trinta ranchos de palha.

Após o desmembramento oficial do município de São Sebastião do Tocantins, Esperantina atingiu um surpreendente desenvolvimento, tendo como primeiro Prefeito o senhor Deumar Alves dos Santos, que administrou de 1993 a 1996.

Mais Informações

Secretária Municipal de Turismo

Endereço: Rua Getúlio Vargas, S/N°, Centro

Telefone: (63) 3475-1132

Horário de Atendimento: 7:30h a 13:30h

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar AQUI e escolher.

Foto de Capa: Fernando Alves/Governo do Tocantins

Veja também:

Cidade goiana tem Cristo submerso e águas quentes que chegam a 37,5 graus

10 cidades brasileiras com maior procura por hospedagem estilo Airbnb

Paraíso exótico intocado fica bem pertinho de Goiás e encanta turistas do mundo todo

Um paraíso exótico e intocado, localizado bem perto de Goiás, tem encantado turistas de todo o mundo. Estamos falando das Serras Gerais no Tocantins, um destino que vai além do famoso Jalapão, que é o atrativo turístico mais conhecido no mais jovem estado brasileiro. As Serras Gerais, localizadas no sudeste do Tocantins, são um verdadeiro paraíso em pleno cerrado brasileiro. A região, que ainda é pouco conhecida no radar dos turistas, dá um show com suas belezas naturais e nos surpreendeu da melhor forma possível durante a nossa viagem por lá.

Cachoeira nas Serras Gerais. Foto: Sebrae - TO

Cachoeira nas Serras Gerais. Foto: Sebrae – TO

Serras Gerais é uma região turística ainda pouco conhecida situada no Sudeste do estado do Tocantins, com atrativos espalhados entre as montanhas de arenito e calcário esculpidas pela ação da água e do vento. A região mistura a paisagem árida do cerrado com as águas cristalinas em tons azuis e esverdeados dos seus rios e cachoeiras. Além das próprias montanhas, a lista do que fazer nas Serras Gerais é composta por cânions, mirantes, cachoeiras, cavernas, e rios de água transparente, além de trilhas em meio à vegetação típica do cerrado.

Entre as principais atrações, se destacam:

As Serras Gerais tem uma grande quantidade de atrativos apaixonantes

As Serras Gerais tem uma grande quantidade de atrativos apaixonantes

  1. Cânion Encantado: Este é um espetáculo natural que faz jus ao nome. O Cânion Encantado oferece uma experiência única no coração do Brasil, com atividades como visitas à Cidade de Pedra, que são magníficas formações em rochas de arenitos, esculpidas ao longo de milhares de anos pela ação dos ventos e da chuva. Além disso, há a opção de um banho refrescante na “Cachoeira dos Pelados”.
  2. Rio Azuis: Este é o menor rio do Brasil e o terceiro menor do mundo. Localizado no município de Aurora do Tocantins, o Rio Azuis possui uma vazão de aproximadamente 11.000 litros de água por segundo, com águas transparentes com pedras em seu leito de cor azul-esverdeado. É devido à transparência de suas águas que o rio passou a receber o nome de Rio Azuis.
  3. Lagoa do Japonês: Esta lagoa é um verdadeiro oásis que brota no meio do cerrado tocantinense. Suas águas cristalinas, em um tom azul indescritível, são um convite para contemplar a natureza em um refrescante mergulho. Peixes, cágados, corais, tirolesa e uma deslumbrante gruta, fazem parte dessa inesquecível experiência de ecoturismo.

Além dessas atrações, a região das Serras Gerais também possui um deserto de dunas, paredões rochosos esculpidos há milhares de anos e cavernas para explorar belezas ainda escondidas1. Portanto, uma viagem para Serras Gerais é a maior prova de que o Tocantins não se resume apenas ao Jalapão.

O Sebrae TO está desenvolvendo ações na região

O Sebrae TO está desenvolvendo ações na região

Com a proposta de mostrar as potencialidades turísticas e empreendedoras do Tocantins, o Sebrae acompanhou, durante uma semana, um grupo de empresários do sudeste do país até à região das Serras Gerais. A visita contemplou roteiros como a Lagoa do Japonês, Complexo Cânion Encantado, Cidade das Pedras, Vale dos Pássaros e Cachoeira dos Pelados.

A iniciativa faz parte do projeto Tocantins + Turismo, uma parceria do Sebrae com o Governo do Estado/CDE, por meio da Secretaria da Indústria, Comércio e Serviços (SICs), que já capacitou 200 empresários na região das Serras Gerais.

Impressões dos Visitantes

A empresária Lara Elizabeth Bosnich Pontes, proprietária de agências de viagem em São Paulo, conta que ficou encantada com as belezas naturais. “Serras gerais, que é o destino que viemos conhecer, me surpreendeu muito com lagoas, o cerrado, os frutos, as pessoas que nos atendem e a parceria que o Sebrae faz com o destino transformam vidas. Eu não tenho palavras”, afirma.

Crescimento Sustentável do Turismo

Bruno Rodrigues, analista do Sebrae, explica que a iniciativa oferece ações de capacitação e consultoria em diversas áreas, incluindo artesanato, gastronomia, hotelaria e marketing digital. O projeto tem o objetivo de promover, através de consultorias, o crescimento ordenado e sustentável do turismo no Estado. “O foco é melhorar a qualidade dos serviços turísticos oferecidos, fortalecer a competitividade sustentável dos destinos e fazer com que o turista visite nosso Estado e tenha vontade de retornar, porque além das belezas naturais, temos um povo acolhedor e uma cultura rica”, conclui.

Portanto, se você está procurando um destino exótico e intocado para explorar, as Serras Gerais no Tocantins podem ser a escolha perfeita. Com suas belezas naturais, cultura rica e hospitalidade calorosa, é um lugar que certamente irá encantar e surpreender.

Leia também:

97% dos turistas brasileiros valorizam o turismo sustentável

Goiânia recebe Expo Turismo Goiás 2024 em Julho