10 nomes cômicos de duplas sertanejas no Brasil

Temos certeza que esse artigo ''Simpatia e Gente Fina'' vai ser o ''Preferido e Predileto'' do seu coração! Confira

Thaís Muniz
Por Redação Curta Mais
lp simpatia e gente fina MLB F 179378809 6764

Que o sertanejo é um dos estilos musicais mais queridos do brasileiro, não temos dúvidas! Reconhecido por suas letras envolventes, melodias cativantes e, é claro, por suas duplas que se destacam não apenas pela música, mas também por escolhas peculiares na hora de batizar seus projetos.

Mas mesmo com todo o sucesso, algumas grandes personalidades desse ritmo popular acabam não ganhando o devido reconhecimento.

É por isso que vamos reunir aqui 10 duplas da música sertaneja que possuem nomes pra lá de inusitados, para você colocar na sua lista agora!

Confira:

Simpatia e Gente Fina

Nunca julgue um livro pela capa, pois certamente esse conjunto de aparência carrancuda faz jus à alcunha. A única dúvida é saber por que Simpatia e Gente Fina são conhecidos como “a dupla do pois é”. Sem muitas informações sobre a dupla, o que se sabe é que o auge do sucesso ocorreu na década de 60, com músicas que retratam o sertão brasileiro.

 

Preferido e Predileto

Dupla formada por Diogo Agostinho Pinto, o Preferido, nascido em Cambará/PR no dia 12 de novembro de 1947; e por José Leonildo Garcia, o Predileto, nascido em Bandeirantes/PR no dia 30 de janeiro de 1953. Gravaram seu primeiro disco, um LP que levava o nome da dupla, em 1979. A discografia de dupla é composta por 5 LP’s, 01 LP de Coletânea e 4 CD’s. Os dois têm um estúdio de gravações, o Estúdio All Time, na cidade de Londrina/PR, onde gravam cantores e duplas do Brasil inteiro. Infelizmente, no dia 17 de julho de 2012, faleceu José Leonildo Garcia, o Predileto, vítima de um infarto.

 

Conde e Drácula

Como se não bastasse o nome pitoresco, a dupla ainda gravou uma moda de viola baseada no poema “O Corvo”, clássico de Edgar Allan Poe. Dupla de meados dos anos 1970.

 

Redator & Jornalista

Embora desfeita em 1994, a dupla Redator & Jornalista ainda existe como patente registrada. Redator é Carlos Aparecido Veríssimo, e seu companheiro de trabalho, Clóvis Barbosa, o Jornalista; o primeiro, marceneiro do Sul de Minas, e o outro, vendedor, nascido em uma cidadezinha do interior de São Paulo.

 

Sorriso & Sincero

A pesar do nome simpático, a dupla é o exemplo vivo de que não basta uma boa primeira impressão para conseguir um relacionamento duradouro, como podemos ver pelas músicas “Quem Me Ama Vai Embora” e “Separados na Cama”.

 

Marlboro e Hollywood

Em seu programa de TV, o animador Edson “Bolinha” Cury usou palavras inspiradoras e singelas para apresentar os músicos de Goiás: “a dupla tem um nome super conhecido; ou, pelo menos, super fumado”:

 

Bátima & Robson

“Bátima & Robson” é mais uma prova que toda criatividade – santa criatividade, Batman! – é pouca quando se trata de batizar duplas sertanejas.
Afinal, “Bátima & Robson” é o nome de uma dupla sertaneja mineira, que começou a carreira em Brazlândia, uma cidade de cerca de 11 mil habitantes do Distrito Federal.

Nascido em Unaí, Minas Gerais, “Bátima” é o nome artístico de Arthur Fonseca Rocha. O nome original de “Robson” é Júnior José da Mota, mineiro de Patos de Minas.

 

Monetário & Financeiro

A dupla Monetário e Financeiro gravou diversos discos seguindo a linha sertaneja romântica. No início dos anos 90, fizeram sucesso com as músicas “Brega”, “Ou Ele ou Eu”, “Liga Pra Mim” e “Manhã de Setembro”. Em 1993, lançaram pelo selo Brasil Rural o disco “Monetário e Financeiro”, com destaque para as composições “Grito de Liberdade”, de Maria da Paz e Nino, “Liga Pra Mim”, de Joel Marques, “Diz que Eu Estou Feliz”, de Joel Marques e Maracaí e “Manhãs de Setembro”, de Vanusa e Mário Campanha.

 

Domyngo e Feryado

Apesar de ter um nome que faz menção aos dias mais preguiçosos da semana, a dupla não poupou trabalho para produzir canções icônicas. Confira faixas como “Somente Tu” e “Nossa Mensagem”.

 

Industrial e Fazendeiro

Industrial e Fazendeiro iniciaram a carreira em 1976, sempre gravando suas canções pela gravadora Chantecler. Fizeram parte do elenco do Programa Edgard de Souza pela Rádio Tupi de São Paulo, e do “Linha Sertaneja Classe A” pela Rádio Record, com dois programas semanais, sendo às terças e sextas-feiras, com trinta minutos de duração, apresentado por José Russo. Fizeram muito sucesso na década de 80, com as músicas “A Corrida do Ouro”, “Amor, Amor, Amor”, “Às Vezes Preciso Chorar”, “Ébrio”, entre outros. Fazendeiro faleceu no dia 12 de maio de 2016.

 

*Fontes: Mega Curioso; TV Meu Sertanejo

Quer receber nossas dicas e notícias em primeira mão? É só entrar em um dos grupos do Curta Mais. Basta clicar aqui e escolher.